Você está na página 1de 17

LTCAT – LAUDO TÉCNICO DE

CONDIÇÕES DAS CONDIÇÕES


AMBIENTAIS DE TRABALHO

PARA FINS DE APOSENTADORIA


ESPECIAL

ESCOLA DA PREVENÇÃO
OBRA 139 – RESIDENCIAL ORQUÍDEAS
Quadra 103 Lote 03 – Águas Claras

Elaboração:

Ederson Deda de Oliveira


Engenheiro de Segurança do Trabalho/ CREA nº 12.111/S-SP
Agosto/2018

DADOS DA EMPRESA

RAZÃO SOCIAL: ESCOLA DA PREVENÇÃO S/A

CNPJ: 15.569.430/0001-04

ENDREÇO: QUADRA 103 LOTE 03 – ÁGUAS CLARAS

TELEFONE: 3999-6499

RAMO DE ATIVIDADE: CONSTRUÇÃO CIVIL

CNAE: 45.21 01

GRAU DE RISCO: 03

DATA DE EXECUÇÃO DO LAUDO: 19/08/2018

LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES AMBIENTAIS DE


TRABALHO
PREÂMBULO

Este Laudo Técnico das Condições Ambientais de Trabalho foi elaborado a partir de
inspeções e determinações técnicas (medições ambientais) de agentes ensejadores de
aposentadoria especial, fiscos, químicos e biológicos, “in loco. Está fundamentado
legalmente, na Lei nº 8213, de 24 de julho de 1991 do INSS , também pelo Decreto nº
3048/99 de 12 de maio de 1999 e pela Instrução Normativa nº 99, de 10 de dezembro de 2003
do INSS.

INTRODUÇÃO

A elaboração deste Laudo Técnico das Condições Ambientais de Trabalho, tem como
objetivo um estudo das condições ambientais atuais existentes nesta empresa, a fim de
identificar os agentes ensejadores de riscos. Esta pesquisa está direcionada no reconhecimento
e avaliação dos fatores ambientais ou de locais de trabalho que possam causar prejuízos à
saúde a ao bem-estar dos trabalhadores desta empresa, e que dêem a eles o direito a
aposentadoria especial. Todo embasamento legal deste trabalho, está descrito no preâmbulo
deste Laudo.

METODOLOGIA

Toda metodologia aplicada está baseada no estudo dos locais de trabalho, analisando
os setores e funções desenvolvidas e avaliando os possíveis riscos aos que os funcionários
poderão estar expostos, segundo os conceitos técnicos adotados pela Portaria nº 3.214 de 08
de junho de 1978, do MTE em suas Normas Regulamentadoras NR 15 e NR 16, no Decreto
93.412 de 14 de outubro de 1986, do MTE e pelo Decreto nº 3048/99 de 12 de maio de 1999 e
pela Instrução Normativa nº 99, de 10 de dezembro de 2003 do INSS.

DESCRIÇÃO DA TÉCNICA EMPREGADA E DO MÉTODO


DE AVALIAÇÃO
ILUMINAÇÃO

A mensuração do nível de iluminância será de acordo com a NBR 5413 da ABNT, por
meio do Luxímetro Digital LD-200 (Instrutherm). Os levantamentos do nível de iluminação
foram realizados no ambiente de trabalho observando um plano horizontal de 0,75m e outros
sobre as respectivas mesas de trabalho.

RUÍDO

A avaliação do ruído é feita por meio do Dosímetro DOS 450 (Instrutherm) instalado
na pessoa, com o microfone montado próximo ao seu ouvido. Os níveis de ruído serão
comparados com os limites de tolerâncias do anexo 01 da NR-15 da portaria 3.214 do MTE e
com o anexo IV do Decreto 3048/99.

EQUIPAMENTOS UTILIZADOS NAS MEDIÇÕES

ILUMINAÇÃO Luxímetro Marca: Instrutherm


Modelo: LD-200
Precisão:
RUÍDO Dosímetro Marca: Instrutherm
Modelo: DOS-450
Precisão:
Descrição dos Serviços Realizados

FUNÇÃO DESCRIÇÃO SUMÁRIA DA FUNÇÃO


Engenheiro Projetar canteiro de obra; executar a construção aplicando os padrões técnicos; responder solidariamente com o
Gerente da Produção e Segurança do Trabalho; assinar as requisições de materiais; responder pelas máquinas e
equipamentos e serviços prestados e responder pela conclusão da obra.
Engenheiro e Técnico Conhecer as Normas de Segurança do Trabalho na Indústria da Construção Civil; Orientar o trabalhador e fazer
de Segurança do Trabalho cumprir as normas; realizar treinamentos e diálogos de segurança; efetuar levantamentos de equipamentos de
proteção individual e participar da implantação da CIPA.
Técnico de Edificações Fazer levantamento de projetos e orçamentos; organizar documentações técnicas e apropriar índices de produção.
Almoxarife Controlar entrada e saída de materiais e equipamentos; manter sob guarda o estoque de materiais, equipamentos e
ferramentas.

Servente Carregar, descarregar e transportar materiais; executar limpeza; assistir os profissionais nas diversas frentes de
serviços.
Pedreiro Executar os trabalhos inerentes a sua função (chapiscar, elevar alvenaria, assentar cerâmica e pisos, participar de
concretagem, regularizar pisos, executar reboco e emboço, etc.) e conservar máquinas e equipamentos.
Armador Executar os trabalhos inerentes a sua função (executar armações; conferir ferragens; descarregar e carregar ferragens
na obra, confeccionar estribos para vigas e pilares; colocar espaçadores na ferragem; etc.) e conservar máquinas e
equipamentos.
Carpinteiro Executar os trabalhos inerentes a sua função (Executar formas, desforma e escoramento; colocar assoalho, etc.) e
conservar máquinas e equipamentos.
Carpinteiro (Operador de Serra Executar os trabalhos inerentes a sua função (Executar formas, desforma e escoramento; operar serra circular;
Circular) colocar assoalho, etc.) e conservar máquinas e equipamentos.
Eletricista Executar os trabalhos inerentes a sua função (colocar eletrodutos e caixas de passagens; executar fiação elétrica;
executar teste de condução elétrica; executar manutenção elétrica; executar fechamentos elétricos; colocar calhas e
leitos, executar a ligação elétrica das máquinas e equipamentos; etc.) e conservar máquinas e equipamentos.
Bombeiro Executar os trabalhos inerentes a sua função (executar instalações de água quente e fria, esgoto, incêndio; colocar
caixas de passagem antes da concretagem; instalar bombas; etc.) e conservar máquinas e equipamentos.
Ladrilheiro Executar os trabalhos inerentes a sua função (executar a colocação ladrilhos, cerâmicas, pisos, etc.) e conservar
máquinas e equipamentos.
Pintor Executa os trabalhos inerentes a sua função (executar massa corrida, lixar paredes e executar pintura; etc.) e
conservar máquinas e equipamentos.
Serralheiro Executar os trabalhos inerentes a sua função (executar esquadrias de ferro, operar furadeira; lixadeira e máquina de
solda; etc.) e conservar máquinas e equipamentos.

Marceneiro Executar os trabalhos inerentes a sua função (executar esquadrias de madeira, armários,móveis, assentamento de
portais, etc.) e conservar máquinas e equipamentos.
Ferramenteiro Executar os trabalhos inerentes a sua função (entregar, receber e conferir ferramentas, etc.) e conservar máquinas e
equipamentos.
Operador de Betoneira Conferir a dosagem do traço a ser executado (concreto, argamassa, etc.) e conservar máquinas e equipamentos.
Operador de Guincho Operar o guincho de elevação de materiais e pessoal e conservar máquinas e equipamentos.
Guardião Guardar e vigiar a obra e/ou sede; controlara a entrada e saída de veículos, funcionários e visitantes; fornecer EPI
para visitantes e fazer ronda no local de trabalho e zelar pela segurança dos bens patrimoniais da empresa.
Mestre de Obras Coordenar as atividades dos encarregados; realizar marcação de obras; conferir e orientar os serviços realizados;
auxiliar o engenheiro da obra nos assuntos que lhe forem confiados; auxiliar e acompanhar o cumprimento das
Normas de Segurança e Saúde dos operários e atentar para a realização dos serviços com produtividade e qualidade.
Encarregados Distribuir, organizar e conferir os serviços; exigir pontualidade e disciplina; fazer cumprir as normas do sistema de
qualidade e cumprir e fazer cumprir as Normas de Segurança e Saúde dos operários.

A jornada de trabalho de todos os funcionários da empresa é de 44 horas semanais.

IDENTIFICAÇÃO, RECONHECIMENTOS E AVALIAÇÃO DOS RISCOS OCUPACIONAIS

Identificação dos Riscos Físicos


Setor/Função Agentes Físicos
Ruído Calor Umidade Vibrações Radiação não Pressões Frio
Ionizante Anormais
Engenheiro 83db(A)
Engenheiro e Técnico
de Segurança do Trabalho
Técnico de Edificações
Almoxarife
Servente
Pedreiro
Armador
Carpinteiro
Carpinteiro (Operador de Serra
Circular)
Eletricista
Bombeiro
Ladrilheiro
Pintor
Serralheiro
Marceneiro
Ferramenteiro
Operador de Betoneira
Operador de Guincho
Guardião
Mestre de Obras
Encarregados

Reconhecimento e Avaliação dos Riscos

O trabalhador na função de motorista fica exposto a um nível de pressão sonora devido ao automóvel e às condições do trânsito.
O ruído poderá ocasionar canos à saúde de trabalhador em questão, provocando irritabilidade, estresse e perda temporária ou permanente da
capacidade auditiva.

Identificação dos Riscos Químicos

Setor/Função Agentes Químicos


Poeiras Névoas Neblinas Gases Vapores Fumo Outros
Agentes
Engenheiro Sílica
Engenheiro e Técnico
de Segurança do Trabalho
Técnico de Edificações
Almoxarife
Servente
Pedreiro
Armador
Carpinteiro
Carpinteiro (Operador de Serra
Circular)
Eletricista
Bombeiro
Ladrilheiro
Pintor
Serralheiro
Marceneiro
Ferramenteiro
Operador de Betoneira
Operador de Guincho
Guardião
Mestre de Obras
Encarregados

Reconhecimento e Avaliação dos Riscos


O trabalhador na função de servente tem contato com produtos de limpeza. Os trabalhadores nas funções de assistente e auxiliar de gerência
também têm contato com produtos de limpeza, mas de forma ocasional. A relação dos produtos de limpeza utilizados encontra-se no Anexo 2
deste laudo.

Identificação dos Riscos Biológicos


Setor/Função Agentes Biológicos
Bactérias Fungos Parasitas Vírus Outros
Agentes
Engenheiro
Engenheiro e Técnico
De Segurança do Trabalho
Técnico de Edificações
Almoxarife
Servente
Pedreiro
Armador
Carpinteiro
Carpinteiro (Operador de Serra
Circular)
Eletricista
Bombeiro
Ladrilheiro
Pintor
Serralheiro
Marceneiro
Ferramenteiro
Operador de Betoneira
Operador de Guincho
Guardião
Mestre de Obras
Encarregados

Reconhecimento e Avaliação dos Riscos


Esforço Físico: Produção manual (ambiente fatigante). A posição do corpo e todos os gestos que requerem contratação muscular são fontes de
esforços, de fadigas e de fenômenos dolorosos, muitas vezes mal discernidos. O levantamento e transporte manual de peso, esforço em flexão constitui
fator de risco para as lombalgias. Forças de grande intensidade pode causar lesões nas estruturas da coluna vertebral.
Postura Inadequada ao Trabalho: A coluna vertebral pode sofrer uma série de alterações nas suas estruturas constituintes, em virtude de posturas
e atividades inadequadas adotadas pelo trabalhador. A má postura causa dores nas costa, cabeça e problemas visuais. A manutenção de uma postura por
períodos prolongados de tempo, solicitação extraordinária imposta a colina vertebral e as vibrações, são situações promotoras de problemas
osteomusculares para a coluna vertebral. E a maior incidência são as lombalgias e cervicalgias.
Esforço Visual: Os trabalhadores quando fazem movimento de cabeça e olhos para captar informações visuais, captação de sinais e informações,
estão expostos a riscos visuais.

Identificação dos Riscos de Acidentes


Reconhecimento e Avaliação dos Riscos

A probabilidade de acidentes devido ao arranjo físico, máquinas e equipamentos, ferramentas, iluminação inadequada, incêndio e impactos, é
devido às peculiaridades no desenvolvimento das atividades e do ambiente de trabalho.
PROPOSTA TÉCNICA

As medidas de prevenção e atenuação da exposição dos agentes nocivos dos


profissionários são de responsabilidade da empresa ESCOLA DA PREVENCÃO S/A.

CONCLUSÃO

De acordo com a legislação vigente, aplicando-a ao ambiente de trabalho. Às


atividades executadas, ao tempo de exposição e considerando as medições realizadas fica
constatado que:

O Engenheiro, o Engenheiro de Segurança do Trabalho, o Técnico de Edificações, o


Almoxarife, o Servente, o Armador, o Pedreiro, o Carpinteiro, o Carpinteiro (Operador
de Serra Circular), o Eletricista, o Bombeiro, o Ladrilheiro, o Pintor, o Serralheiro, o
Marceneiro, o Ferramenteiro, o Operador de Betoneira, o Operador de Guincho, o
Guardião, o Mestre de Obras e os Encarregados não fazem jus ao Benefício da
Aposentadoria Especial (GFIP/FAE = 01), devido desenvolverem suas atividades laborais
sem exposição contínua e permenente a agentes nocivos a sua saúde ou integridade física, de
acordo com a Portaria nº 3.214/78 do Ministério do Trabalho e Emprego e em
conformidade com os Artigos 189 a 192 da Consolidação das Leis Trabalhistas
(CLT) e de acordo com os Artigo 57 da Lei 8.213/91 e os Artigos 64 e 65 do
Decreto Lei nº 3048/99.

TERMO DE ENCERRAMENTO

Havendo concluído este trabalho, que consta de ---------folhas impressas no anverso,


sendo todas rubricadas e esta última assinada.

São Paulo, 19 de agosto de 2018.

Ederson Deda de Oliveira


Engenheiro de Segurança do Trabalho
CREA nº 12.111/S-SP

Você também pode gostar