Você está na página 1de 73

Organização do Sistema

Nervoso Central

1a. aula
Funções Gerais do SNC
•Controle do ambiente interno (Funções viscerais) –
associado ao sistema endócrino

•Controle do Movimento Voluntário

•Programação dos reflexos espinhais

•Percepção do ambiente

•Aquisição de experiências necessárias para a


aprendizagem e memória

•Atividades mentais...
Albert EINSTEIN

1879 – 1955

Teoria da relatividade

E=m.c2
Pensamento

Processamento Alma, espírito


cerebral

MONISMO DUALISMO
Mente e corpo Mente, alma,
juntos separados do corpo
100 BILHÕES DE NEURÔNIOS
Recebe Informações
Viscerais Integração
Humorais
Ambientais

Respostas

Autonômica
Neuroendócrina
Motora
Conexões altamente
específicas
Comportamento sexual

Ferormônios

Hormônios: LH e E

Visuais
PAG
Hipotálamo
Lordose

Condições:
Fêmea no cio
Presença do macho
Estrutura do Neurônio

Dendritos Corpo celular ou soma Axônio


Tipos de Neurônios

Classificação funcional
Sensorial ou aferente: recebem estímulos químicos, mecânicos,
elétricos;

Motor ou eferente: ativação de músculo ou glândula

Interneuronios: conecta um neurônio a outro


Classificação estrutural

Bipolar

Multipolar

Unipolar
NEURÔNIOS

Potencial de ação
Propagação
Ação em outra célula (sinapse)
Células Gliais
10 a 50x mais numerosas que neurônios

Funções:

1. Suporte estrutural

Glia radial
2. Produção de mielina

SNC: Oligodendrócitos

SNP: Células de Schwann


Células Satélites
3. Nutrição dos neurônios

Astrócitos
Regulam a composição do fluido
extracellular

4. Formação da Barreira
Hemato-encefálica

Células ependimárias
Ajudam o plexo coroide a produzir
liquor
Astrócitos
Promovem junções tight para ajudar
a formar a barreira HE
5. Liberação de fatores de crescimento

6. Reparo pós-lesão

Microglia
Macrófagos especializados

7. Tamponamento de neurotransmissores

NT

Célula Glial
Como os neurônios se comunicam?

Como ocorre a sinalização neuronal?

COMUNICAÇÃO INTRANEURONAL: ELÉTRICA

COMUNICAÇÃO ENTRE NEURÔNIOS: SINAPSES QUÍMICAS OU ELÉTRICAS


MEMBRANA CELULAR
Permeabilidade:

•Canais
•proteínas carregadoras
•bombas

Eletronegativa:
Potencial de membrana ~ -70mV
CANAIS IÔNICOS

Estrutura:
Subunidades: 4, 5 ou 6

Características:
•permitem a movimentação de
íons a favor do gradiente de
concentração

•Seletivos
Seletividade do canal

1. Composição Proteica
2. Tamanho do poro
Estado do canal
Classificação dos canais
1. Vazamento: sempre abertos

2. Abertos por estímulo:


•ligante: interno ou externo
•voltagem
•estiramento
Voltagem dependente
Canais Abertos por ligantes

Externo

Interno
Canais abertos por estiramento
Bomba Na+ K+ ATPase

Bomba eletrogênica:
3Na+/ 2K+
Vm = 0 mV

Potencial extracelular: zero


Vm = -70 mV
Potencial de membrana ~
-70mV

extra
+ + + + + + + + + + +
Membrana

- - - - - - - - - - -

intra

Por quê?
Quais os fatores que levam a membrana ser
eletronegativa?
Potencial bioelétrico – Formação de pólos

extra

POS

NEG
intra
Potencial de membrana ~ -70mV

1. Gradiente de concentração formado pela bomba


Qualquer Célula Na+ K+ ATPase

2. Ação eletrogênica da bomba

3 Na+ Na+ Cl-


K+
K+

A-
2 K+
K+
Potencial de
membrana 3. Movimentação de íons por canais de vazamento
eletronegativo
4. Grande permeabilidade ao íons potássio

Na+ Cl-
Na+
K+ K+ Na+ Na+
K+ Cl- K+
K+
K+

-- - + - - + -
K+

K+ A-
Movimentação de íons por canais
Canal para Sódio Canal para Potássio
Na+ K+

Na+

K+
K+
+ -
Canal para Cloro

Cl-

Cl-

-
Potencial de
membrana 3. Movimentação de íons por canais de vazamento
eletronegativo
4. Grande permeabilidade ao íons potássio

Na+ Cl-
+
+
Na+
+ + + +
K+ K+ K+ Cl- Na+
K+
K+
K+

- - - - - + --
K+
-

Mas porque o PM é ~ -70mV ? K+ A-


Movimentação de íons por canais
Forças que movem íons:
• Gradiente químico

HI Lo -

HI Lo
Gradiente eletrostático
Íons = partículas carregadas
Iguais se repelem
Opostos se atraem

opostos
Na+ +

Iguais se repelem
++++ ++++ ++++ ++++
Se atraem

----- ----- ----- -----

K+
-
Canal para Sódio
Canal para Potássio
Na+
Na+
Q

++++ ++++ ++++ ++++

----- ----- ----- -----


Q E E
K+ -
K+
+

Canal para Cloro

Cl-

E
Cl-
++++ ++++

----- -----
Q
-
Potencial de Equilíbrio ou de Reversão

Valor do Potencial de membrana que impede a movimentação de íons


por canais.

Canal para Sódio Canal para Potássio


Na+
Na+ Q

++++ ++++
++++ ++++
----- -----
----- ----- E-
K+
Q + K+

ENa+ = +55mV EK+ = -85mV


Potencial de Equilíbrio – Equação de Nernst

+
RT [ K ]o
EK = ln +
ZF [ K ]i

R = constante do gás
F = constante de Faraday
T = temperature (K)
Z = valência do ion

RT/ZF= 25mV c/ temperatura a 20oC


Use log10
Para o Potássio

EK+ = 25ln [K+]o = 58 log [K+]o


[K+]i [K+]i

EK+ = -85mv

Mesmo princípio para Sódio e cloro.


Daí Equação de Goldman
Equação de Goldman

+ + −
RT PK [ K ]o + PNa [ Na ]o Pcl [Cl ]o
Vm = ln + + −
ZF PK [ K ]i + PNa [ Na ]i Pcl [Cl ]i

P = permeabilidade
Depende da permeabilidade de cada íon e do
gradiente de concentração
Células não excitáveis
X
Células excitáveis

Células não excitáveis Células excitáveis


PM =-70mV PM =-70mV
Não podem variar seu Podem variar seu PM
PM Porque possuem outros tipos
de canais íônicos
Células não excitáveis
PM =-70mV

Não podem variar seu PM

Em
(mV)

- 70

T (s)

Na+
Vazamento
K+ K+ Vazamento K+

++
KK
Na+ Vazamento Cl- Vazamento
Vazamento
K+
Células excitáveis
PM =-70mV

Podem variar seu PM

Possuem outros tipos de canais íônicos

+40

-60
-70
-80
T (s)
Abertos Abertos
por De por
Na+
Vazamento ligante
K+ K+ estiramento Vazamento ligante K+

++
KK
Na+ Na+ Na+ Cl- Cl- Vazamento
Vazamento Voltagem
dependente K+
Potencial de Membrana= -70mV

• Gradiente de concentração formado pela bomba


Na+ K+ ATPase

• Ação eletrogênica da bomba

3. Movimentação de íons por canais de vazamento

4. Grande permeabilidade ao íons potássio

Na+
Vazamento
K+ K+ Vazamento K+

++
KK
Na+ Vazamento Cl- Vazamento
Vazamento
K+
Canal para Sódio Canal para Potássio
Na+ K+

Na+

DESPOLARIZA K+
+
HIPERPOLARIZA -
K+

Canal para Cálcio Canal para Cloro


Cl-
Ca++

Ca++ Cl-

+ DESPOLARIZA HIPERPOLARIZA -
EXCITABILIDADE CELULAR

1. Potenciais excitátórios ou inibitórios pós-sinápticos (PEPs ou PIPs)

2. Potenciais de Ação
1. Potenciais excitátórios ou inibitórios pós-sinápticos (PEPs ou PIPs)

Dendritos
Corpo celular

Canais abertos por ligantes


Canais abertos por estiramento
Abertos
por De
Vazamento Vazamento Na+ K+
ligante K+ estiramento

++
KK
Na+ Na+ Na+ Cl- Vazamento
Vazamento
K+

Em
(mV)

PEPs PIPs

- 70

T (s)
1. Potenciais excitátórios pós-sinápticos (PEPs)

Abertos por ligantes

Na+ Na+ Na+ Na+ Na+ Na+ Na+ Na+

De estiramento

PEPs
Em Na+
(mV)

Abertos por
ligantes

Ca++
-55
- 70 Abertos por
ligantes

T (s) Na+
1. Potenciais Inibitórios pós-sinápticos (PIPs)

Abertos por ligantes

K+ K+ K+ K+ K+ K+ K+ K+ K+

Abertos por
ligantes
Em
(mV)
PIPs
Cl-

K+
- 70

T (s)
1. Potenciais excitátórios ou inibitórios pós-sinápticos (PEPs ou PIPs)

São graduais: dependem


Em do número de canais
(mV)
abertos

PEPs PIPs
Perdem força na
propagação
- 70

CANAIS ABERTOS POR


T (s) LIGANTE OU CANAIS DE
ESTIRAMENTO
2. Potencial de Ação

Dendritos
Corpo celular
Axônio de Hillock

Canais dependentes de voltagem

K+ K+
K+ K+ K+ K+ K+

Na+ Na+ Na+ Na+ Na+ Na+ Na+

Em
(mV)

-55 limiar
- 70

T (s)
2. Fases do Potencial de Ação
Despolarização
Repolarização

Em
(mV) K+

Na+

-55 limiar
Hiperpolarização

- 70

Na+
Repolarização

++
KK
T (s)

Canais dependentes de voltagem K+


Sódio e Potássio somente!!!!!
2. Potencial de Ação
A Teoria do Potencial de ação de Hodgkin-Huxley
De 1938, publicado em 1952 no Journal of Physiology.

gNa+
gK+

Em Em Tetraetilamonia (TEA)
(mV) Tetrodotoxina (TTX) (mV)
Características do Potencial de
Ação
• Lei do tudo ou nada

• Limiar de ativação

• Não perde energia na condução

• Canais voltagem dependente de sódio e


potássio
Freqüência de Potenciais

Trens de potenciais

Limiar de ativação

Estímulo Limiar

Estímulo Sublimiar

Estímulo Supralimiar
Somação
Propagação neuronal

Despolarização do
terminal sináptico

Ativação da
célula seguinte
Simultaneamente
•Ativação dos canais de Na+ ocorre a abertura
dos canais de K+ e
•entrada de intensa de Na+ Despolarização repolarização
daquela região

A despolarização dos
primeiros canais de Na+
ativa os canais vizinhos

Após a ativação, os canais Propagação do PA


de Na+ ficam inativados para a próxima região
(Período refratário),
previnindo novo PA

Propagação do PA
Condução saltatória

+ + + + +
Doenças desmielinizantes
Sinapses
Sinapse elétrica

1.Passagem de
corrente e íons

2.Bidirecional

3.Muito rápida

4.Sem
possibilidade de
modulação

5.Regiões com
necessidade de
sincronização
A estrutura das sinapses

Microtúbulos
Vesículas sinápticas
Neurotransmissores
Mitocôndria

Complex de Golgi
Modelo da Transmissão Sináptica
1. Transporte ou captação do precursor
2. Síntese do neurotransmissor
3. Armazenamento em vesículas
4. Liberação por exocitose
5. Ação em receptores
6. Eliminação: recaptação, degradação
enzimática e difusão
Mecanismo de Exocitose

Sinapsinas

Canais
voltagem
dependente

Ca++
Ca++

Ca++ - calmodulina

Mobilização
Exocitose

Neurotransmissor
na fenda sináptica

Fusão

Você também pode gostar