Você está na página 1de 14

Universidade Católica de Moçambique

Instituto de Educação à Distância

2º Trabalho de Didáctica Geral

Nome do Estudante: Evaltina Valmora Raul Bila


Código: 708208743
Nome do Docente: Felisberto Custema

Curso: Licenciatura em Ensino de Língua Portuguesa


Disciplina: Didáctica Geral
Ano de Frequência: 1º Ano

Quelimane, Junho, 2020


2
Folha de Feedback

Categorias Indicadores Padrões Classificação


Pontuação Nota Subtotal
Máxima do
Tutor
Estrutura Aspectos  Capa 0.5
organizacionais  Índice 0.5
 Introdução 0.5
 Discussão 0.5
 Conclusão 0.5
 Bibliografia 0.5
Conteúdo Introdução  Contextualização 1.0
(indicação clara do
problema)
 Descrição dos 1.0
objectivos
 Metodologia adequada 2.0
ao objecto de trabalho

Análise e  Articulação e domínio 2.0


discussão do discurso académico
(expressão escrita
cuidada,
coerência/coesão
textual)
 Revisão bibliográfica 2.0
nacional e internacional
relevantes na área de
estudo
 Exploração de dados 2.0
Conclusão  Contributos teórico 2.0
práticos
Aspectos Formatação  Paginação, tipo e 1.0
gerais tamanho de letra,
parágrafo, espaçamento
entre linhas
Referências Normas APA 6ª  Rigor e coerência das 4.0
bibliográficas edição em citações/referências
citações e bibliográficas
bibliografia
Recomendações para melhoria:

_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
Índice
Introdução...................................................................................................................................4

Objectivo geral:...........................................................................................................................4

Objectivos específicos:...............................................................................................................4

Metodologia................................................................................................................................4

1. Uma aula bem planificada apresenta uma estrutura típica ou logica..................................5

2. Comente acerca dos tipos e funções da avaliação...............................................................7

4. Elabore um plano de aula contendo todos os elementos necessários..................................7

5. A partir do plano elaborado na pergunta acima, responda:...............................................10

6. O ensino e aprendizagem são o verso e reverso de uma mesma moeda’ a Educacao”.


Concorda? Argumente..............................................................................................................10

Conclusão..................................................................................................................................12

Bibliografia...............................................................................................................................13
Introdução
A educação pode ser promovida nos mais diferentes ambientes sociais, mas neste trabalho,
limito-me a tratar da educação, em cursos de pós-graduação em Educação, com a perspectiva
de formação de professores. Dessa forma, toda a reflexão aqui desenvolvida acontece com o
objetivo de fazer professores e alunos de pós-graduação experienciarem, analisarem e
refletirem sobre a educação escolar como ensinantes e aprendizes.

Educar é tornar o homem consciente de si mesmo, de seus deveres e direitos, de sua


responsabilidade para com sua espécie. Educar é tornar o homem capaz de pensar em si e nos
seus relacionamentos com os outros de modo a perceber que é impossível que ele se nutra
autonomamente (EMERENCIANO, 1996:140) Educar é mostrar que a inter-relação, a
parceria, a colaboração são fundamentais para o crescimento pessoal e da comunidade.
Educar é despertar no homem a possibilidade da ação comprometida com o interpessoal e a
consciência de que toda ação tem reflexo para além do pessoal e atinge os que estão ao seu
redor.

Objectivo geral:
Analisar aspectos importantes da didáctica geral.

Objectivos específicos:
 Abordar a estrutura típica de uma aula bem planificada;
 Descrever os tipos e funções de avaliação;
 Elaborar um plano de aula;
 Relacionar a aprendizagem, o ensino e a educação;

Metodologia
Para o alcance destes objectivos foi adoptada uma metodologia assente numa pesquisa
bibliográfica baseada em diversos autores que aparecem devidamente citados ao longo do
texto e mencionados na bibliografia final deste trabalho.

5
1. Uma aula bem planificada apresenta uma estrutura típica ou logica
a) Defina funções didácticas.

As funções didácticas são etapas que se traduzem nas regularidades do processo de ensino-
aprendizagem, neste caso, o professor deve caminhar obedecendo alguns padrões e os
momentos. A condução do processo de ensino-aprendizagem deve representar um
instrumento certo para o alcance dos objectivos educacionais estabelecidos. Neste sentido,
torna-se imprescindível que o professor seja um profissional que domine não apenas o
conhecimento do seu campo específico, como também a metodologia e a didáctica na missão
de organização do acesso aos conhecimentos dos alunos.

b) Explique o papel das funções didácticas.

Cada fase ou passo da aula corresponde a uma só função didática dominante, embora nesta
mesma fase se regista o envolvimento das restantes, com o fim elas assegurarem a eficiência
da assimilação da matéria.

Cada função didática, como momento ou passo da aula que reflecte as regularidades do
processo de ensino aprendizagem, é proposto o tempo da sua duração, conteúdo, método
dominante, conjuntos de meios e formas de ensino a utilizar inclusive as actividades concretas
dos alunos (Pilleti:1991).

c) Fale resumidamente de cada uma das funções didácticas.

Introdução e Motivação

Para Libâneo (2004), introdução e motivação inclui perguntas para averiguar se os


conhecimentos anteriores estão efectivamente disponíveis e prontos para o conhecimento
novo, aqui a tarefa do professor está em estimular os alunos investigá-los a emitir opiniões
próprias sobre o que aprenderam, fazê-los ligar os conteúdos a coisas ou eventos do
quotidiano. A correcção do TPC pode tornar importante factor de reforço e consolidação da
aula.

O professor nessa função conseguiu ser feliz, visto que, quando chegava na sala de aulas,
saudava os alunos onde preocupando se em saber posição em que os alunos se encontravam.

6
Mediação e Assimilação

Nesta função Didáctica, explicava o professor os conteúdos da sua aula patente no plano
diário, na qual para levar os alunos a perceber mais fácil davam exemplos concretos que estão
próximo do aluno. Por exemplo, quando perguntar aos alunos se conhecem indústria, eles dão
exemplo de padarias que usam maquinas para fabricar o pão e como também algumas
carpinteiras que usam as maquinas e a energia.

Na mediação e assimilação o professor explica o conteúdo com uma boa análise, síntese,
sistematização, generalização e demonstração. Nesta fase o professor executa o que planejou,
portanto, é a fase que requere mais habilidade do professor. Aqui ele deve exercer mais do
que em outras fases a sua função de liderança motivando os alunos para que aprendam,
utilizando métodos, recursos e procedimentos, o professor procurará criar uma situação
favorável à aprendizagem.

Domínio e consolidação

De acordo Piletti (2004), são realizados neste momento os exercícios de consolidação


aplicados pelo professor que levam à fixação e formação de habilidades e hábitos, bem como
auxiliam a sistematização da matéria. O professor orienta a resolução de alguns exercícios de
consolidação; acompanha a resolução dos exercícios e esclarecendo as dúvidas.

Conforme Caires & Almeida (2001), nesta função Didáctica é notável “O resumo da aula feito
mediante a participação e contribuição do instruído e do formador, registado no quadro de
forma clara e legível pelo formador.”

Controle e avaliação

Para Dias et.al (2010), nessa função, o professor faz uma análise crítica de modo a
compreender e interpretar os fenómenos educacionais observados.

Tratando da última função Didáctica, o professor como uma forma de certificar, a


compreensão dos conteúdos, por parte dos alunos, faz algumas perguntas. E para criar mais
interesse nos alunos que respondem correntemente, o professor dá alguns valores. Partindo
disso, é possível verificar se o professor conseguiu alcançar os objectivos que havia traçado,
métodos utilizados e que os conteúdos haviam sido compridos duma forma significativa.

7
2. Comente acerca dos tipos e funções da avaliação
A Avaliação Diagnóstica realiza-se no início do processo educativo (início do ano lectivo,
trimestre, unidade temática, ciclo e classe) com o objectivo de colher informação sobre o
nível inicial de aprendizagem dos alunos.

A avaliação formativa é a principal modalidade de avaliação de ensino básico, assume


carácter contínuo e sistemático e visa a regulação do ensino e da aprendizagem, recorrendo a
uma variedade de instrumentos de recolha de informação de acordo com a natureza das
aprendizagens e dos contextos em que ocorrem.

A avaliação sumativa consiste na formulação de uma síntese das informações recolhidas sobre
o desenvolvimento das aprendizagens e competências definidas para cada área curricular e
disciplina, no quadro do projecto curricular da “respectiva turma”, dando uma atenção
especial à evolução do conjunto dessas aprendizagens e competências (MEC, 2008).

3. Relacione os termos: ensino , aprendizagem e objectivos.

A aprendizagem tem uma relação de interdependência com o ensino porque pelo ensino
ocorre a aprendizagem e esta pressupõe o ensino. Entretanto nas instituições onde ocorre a
aprendizagem formal todo o ensino se subordina aos objectivos previamente traçados.

4. Elabore um plano de aula contendo todos os elementos necessários.


Nas duas páginas seguintes apresenta-se o plano de aula.

8
PLANO DE AULA
Escola Primária Completa Tomba de Água Número de alunos: 65
Disciplina: História Plano de aula Classe: 6ª Turma: A
Escola
Un. Temática: Primaria
Povo Completa
de Moçambique Tomba
há muito, de Agua
muito tempo séc. XIII – XV Numero de alunos: 48 Manhã
Turno: 2º tempo
Disciplina:
Tema: O Império Língua Portuguesa
de Mutapa__ Classe: 4ª Turma: “B”
________________________________________________________Tipo de aula: ______________________________
Un.
Objectivos: Temática:
Localizar Famíliade Mutapa de acordo com seus limites e o tempo____ ____________
o Imperio Turno: Manha Tempo:
Duração:3º45 minutos. Data: 05/ Abril/2020
Descrever
Tema: a estrutura político administrativa do Império de Miutapa _ __ Tipo_________
Adjectivos Material didáctico: _Mapa da África Austral
de aula: Nova
________________________________________________________________________
Objectivos Identificar adjectivos numa frase Duracao:______________________________________
45 minutos. Data: 10/04.2015
Meios de ensino: Material Básico Escolar
- Flectir o adjectivo em número, género e grau Flauta Evaltina Valmora Raul Bila
Professor:
Material didáctico:

Tem FDD Método Conteúdo Actividades


po Do Professor Do Aluno
Controlo de presenças; Faz a chamada; Responde à chamada;
5 Introdução Elab.
Min e Conjunta Apresentação do Tema. Monitora a actividade. Segue as instruções.
Motivação
Tema: O Império de Mutapa - Explica a localização - Presta atenção à explicação do
15 do Império de Mutapa professor;
Min Limites do Império de Mutapa - Apresenta a estrutura - Faz a leitura em coro do
Mediação Elab. Estrutura político-administrativa político-administrativa apontamento;
e Conjunta do Império de Mutapa - Copia o apontamento para o
assimilação (No quadro Mural) - Passa o resumo no caderno.
quadro.
Exercícios Orienta e controla as
20 Domínio Elab. actividades; Resolve os exercícios;
Min e Conjunta (No quadro Mural) - Passa os exercícios
consolida
QUADRO MURAL Limites do Império nodequadro;
Mutapa: Apresenta as respostas ao
ção - Corrige os exercícios; professor.
Apontamentos:  Norte – rio Zambeze;
Resumo da aula; Orienta as actividades.
 Sul – Rio Limpopo;
5 Elab. Império de Mutapa  Este – Oceano Índico; Responde e corrige os erros com
Min Controlo Conjunta Marcação do TPC: Faz perguntas
 Oeste – deserto de Kalahari.de apoio do professor;
Oe Estado de Muenemutapa é formado(No a quadro
partir Mural)
de um resposta oral;
movimento migratório do Grande Zimbabwe, dos povos
Avaliação Estrutura político administrativa Anota o TPC.
Caranga-Chona, para a região do vale do Zambeze, na Passa o TPC no quadro.
sequência da invasão e da conquista por exércitos dirigidos por Esquematicamente a estrutura político administrativa pode ser
Nhatsimba Mutota, ocorrida por volta de 1440-1450. representada da seguinte maneira:
10
5. A partir do plano elaborado na pergunta acima, responda:
a) Como classifica o método usado no plano de aula?
Metodo de elaboração conjunta.
b) Que componentes de planificação utilizou durante a elaboração do seu plano?
Utilizei os preliminares, a realização didactica da aula e o quadro mural.
c) Quais são as etapas usadas durante o plano?
As etapas norteadas pelas funções didácticas, nomeadamente: introdução e motivação,
mediação e assimilação, domínio e consolidação e controlo e avaliação.
d) Qual a importância dos métodos usados e objectivos formulados no seu numero 4?
Os métodos usados permitem a participação dos alunos e os objectivos se ajustam aos
conteúdos.

6. O ensino e aprendizagem são o verso e reverso de uma mesma moeda’ a Educacao”.


Concorda? Argumente.
O acto do ensino é tornar o homem consciente de si mesmo, de seus deveres e direitos, de sua
responsabilidade para com sua espécie. Educar é tornar o homem capaz de pensar em si e nos
seus relacionamentos com os outros de modo a perceber que é impossível que ele se nutra
autonomamente (EMERENCIANO, 1996:140) Educar é mostrar que a inter-relação, a
parceria, a colaboração são fundamentais para o crescimento pessoal e da comunidade.
Educar é despertar no homem a possibilidade da ação comprometida com o interpessoal e a
consciência de que toda ação tem reflexo para além do pessoal e atinge os que estão ao seu
redor. A aprendizagem por experiência nos coloca em contato direto com a realidade. Na
escola, aprender por experiência ocorre nos laboratórios e, geralmente, tem a tecnologia como
mediadora. Quanto maior a possibilidade de simulação maior a possibilidade o aluno tem de
observar, de construir hipóteses e de testá-las para verificar se essas hipóteses estavam
corretas. Aprender por experiência permite a manipulação da realidade, agindo e percebendo
os resultados da nossa ação. Dessa forma, "podemos conhecer e compreender a realidade
observando como ela responde às nossas ações" (Parisi, 1998, rt). É bastante raro podermos
desenvolver esse tipo de aprendizagem na escola que privilegia o aprender pela linguagem
escrita. Entretanto, se a escola tiver uma tecnologia que permita o uso de modelos
simuladores que permitam que aquelas características obscurecidas pela linguagem escrita
apareçam, as capacidades de abstração, de memória, de manipulação de símbolos e a
habilidade lingüística serão complementadas pelo uso de outras capacidades como a de
observar, reconhecer modelos, manipular, levantar e controlar hipóteses. Os alunos terão
maior motivação para aprender e para estudar, pois com a experimentação e a simulação
seguidas da reflexão estarão aprendendo mais do que apenas através da abstração. Em
algumas situações estarão se divertindo, em outras estarão vivendo papéis diversos dos que
vivem no seu cotidiano e, ainda, haverá situações em que serão desafiados a resolver
problemas complexos.

12
Conclusão
Aprender é construir "seus conhecimentos e sua afetividade na interação" com outros sujeitos
e "por meio de influências recíprocas que vão estabelecendo cada sujeito constrói o seu
conhecimento de mundo e o conhecimento de si mesmo como sujeito histórico" (LOPES,
1996:111).
Aprender significa ser capaz de reelaborar e reconstruir conhecimento através da formulação
de questionamentos, de análise e síntese das descobertas. O indivíduo aprende é ao ser capaz
de dialogar com o seu interlocutor, seja ele o professor, o livro, o jornal, o programa de TV, o
vídeo ou a página da WWW. Dependendo do grau de escolaridade, aprender envolve saber
questionar as verdades apresentadas, refletir, investigar suas dúvidas e elaborar nova síntese
que lhe satisfaça a inquietação inicial.
Aprender significa ser capaz de pesquisar com olhos inquisidores, orientados por inquietações
que tragam contribuições ao crescimento individual e coletivo. É um processo multifacetado e
estimulante se interconectar diversas áreas do conhecimento mediadas pelas mídias impressa,
audiovisual e digital em uma rede de relações interpessoais.

POSTMAN (1996:45) chama a atenção para o fato de só poder existir uma comunidade
democrática e civilizada, se as pessoas que aí vivem, fazem-no de forma disciplinada como
participantes de um grupo e que, portanto, precisam aprender a viver em grupo, onde as
necessidades individuais estão subordinadas aos interesses do grupo. Aprender a conviver de
forma colaborativa propicia o crescimento do grupo como um todo e, por conseguinte, o
crescimento de cada um em particular.
Aprender implica na capacidade de construir significados, reconstruindo o passado e
projetando o futuro.

13
Bibliografia
HOFFMANN, Jussara Maria Lerch. Avaliação mediadora: Uma prática em construção da pré-
escola à universidade. Porto Alegre: Medição, 2006.
INDE. - Plano Curricular do Ensino Básico. Moçambique: INDE/MINED, 2003

INDE. Programas do Ensino Primário: Língua Portuguesa, Matemática e Educação Física 1º


Ciclo (1ª e 2ª Classes). Moçambique: INDE/MINED, 2015

MEC. - Regulamento Geral do Ensino Básico (REGEB).– Moçambique: DINEG/MEC, 2008

SANT'ANNA, Ilza Martins. Porque avaliar?: Como avaliar?: Critérios e instrumentos. 13. Ed.
Petrópolis, RJ: Vozes, 2009.

14