Você está na página 1de 3

Status e papel social – O que são?

Características, Relação e Diferença


Rodrigo Herrero Lopes*

Os conceitos de status e papel social fazem parte da Sociologia e são importantes para entender e interpretar
os estudos da sociedade e a participação de cada indivíduo dentro desta. Vale dizer que ambos os termos
podem ser considerados semelhantes, no entanto, é fundamental compreender a função de cada um deles
para saber como utilizá-los.
Neste artigo, trataremos inicialmente de forma separada cada um dos conceitos, para ver como cada um se
encaixa no estudo da Sociologia e, em específico, como o status influencia as relações sociais e o papel social
ajuda a delimitar os direitos e deveres de cada sujeito dentro do contexto social. Em seguida, entenderemos
como eles podem se diferenciar e também se relacionar no andamento da sociedade.

O que é status social?


O status social define a posição do sujeito na sociedade. O que vai estabelecer isso é a possibilidade de
ascensão social do indivíduo, isto é, quanto mais ascendente ele for entre os seus, mais posição, prestígio,
posto, enfim, mais status ele terá.
Para ficar mais fácil de entender, vamos utilizar o conceito de classe social. Por exemplo, se o indivíduo
pertence a uma classe mais alta, tendo, portanto, mais renda e melhor qualidade de vida, ele possuirá um
maior status social em comparação aquela pessoa que está numa classe social mais baixa, com dois salários
mínimos, sem acesso à saúde e à educação de qualidade, etc.
Mas, vale prestar a atenção que não é apenas a classe social ou o dinheiro que interferem e definem o status
social. Outros aspectos também compõem esse conceito, como sexo, raça, laços de parentesco, faixa etária,
elementos culturais, políticos, entre muitos outros.
Ou seja, é importante observar o status social que a pessoa pode ter dentro do contexto social em que ela
vive, independentemente de compor classe social A, B ou C. Por exemplo, em um contexto social mais pobre,
um traficante pode possuir um grau elevado de status perante os moradores do local onde vive, já que ele
exerce poder naquele bairro e acaba sendo muito respeitado, podendo até mesmo ser procurado para
resolver conflitos entre vizinhos.

O status social é classificado de duas formas:


Atribuído: quando o sujeito pertence a um grupo distinto. Por exemplo, se a pessoa se torna herdeira de
uma família nobre, ou é conhecida por ser filho de alguém considerado importante socialmente;
Adquirido: o status urge a partir das escolhas feitas pelo sujeito durante a sua vida, isto é, se diante de anos
de esforço e trabalho o indivíduo se torna um empresário bem-sucedido, o gestor, o produtor, etc.

*Jornalista com 15 anos de experiência, é mestre em América Latina pela Universidade de São Paulo (USP) na linha de pesquisa
Práticas Políticas e Relações Internacionais.
O que é papel social?
O papel social é responsável por determinar a função das pessoas dentro da sociedade. Esse papel é gerado
a partir dos processos de socialização que promovem a interação entre os indivíduos, que acabam criando
os comportamentos das pessoas daquele grupo social.
Dessa forma, o papel social reúne uma série de normas, regras, deveres e comportamentos dos sujeitos que
vão determinar inúmeros padrões sociais. Tais elementos poderão ser conquistados ou atribuídos no
decorrer da vida. O grupo social tem participação importante nesse processo, pois é a partir desse
agrupamento, que agrega diversos sujeitos, que vai se determinar o papel social que deve ser
desempenhado por cada um.
Vale dizer que, se as pessoas não cumprirem o seu papel dentro daquela sociedade, poderão sofrer pressões,
correções, pois, junto do papel, surgem também os deveres e as obrigações inerentes ao seu papel social.
Essa função vai ser operada dentro da estrutura social, dependendo do status social que a pessoa possui.
Um exemplo que podemos citar é o de um homem solteiro que trabalha em uma empresa e, portanto, possui
papeis sociais distintos dentro daquele contexto social.
No emprego, ele é um gerente que exerce uma função atribuída a ele de gerir, organizar e avaliar a equipe.
Já nos locais de lazer o seu papel social é outro, assim como na igreja ou em outros locais religiosos, ou
mesmo em uma associação de bairro que ele possa participar.
Da mesma forma, uma mulher com filhos, que trabalha em uma loja desempenhando o papel de vendedora
de artigos eletrônicos no comércio. Em casa, ela é mãe responsável por cuidar das crianças.
Em cada lugar (família, escola, trabalho, igreja) haverá um padrão comportamental para ser desenvolvido,
que deve ser seguido levando em conta o seu papel social.

Relação entre status e papel social


Status e papel social estão mais conectados do que se pensa. Isso porque, de acordo com as funções que
cada pessoa desempenha na sociedade, elas acabam alcançando, ao longo da vida, um status social
específico, ascendendo ou descendendo socialmente.
Especialistas explicam que o status social é responsável por determinar a posição que cada um possui dentro
da estrutura social, porém, isso ocorre dependendo do papel social de cada um nesse processo.
Apesar de possuírem essa ligação que os faz parecer semelhantes, há algumas diferenças pontuais. Tudo vai
depender para onde se olha, ou seja, em determinadas culturas ou sociedades distintas, a noção de status
pode ser diferente, ainda que o papel social se equivalha.
Por exemplo, um curandeiro de uma tribo indígena e um médico da cidade possuem status social
equivalentes em seu contexto social, mas poderiam não ter a mesma relevância se fossem trocados de
estrutura social. Na aldeia, o curandeiro tem a função de curar as pessoas e o faz por meio de rituais
religiosos, elementos da natureza e contato com a sua comunidade. Já o médico se vale de estudos e
métodos científicos para atender os pacientes em seu consultório particular. Ou seja, mesmo em condições
distintas, cada um tem seu status e papel social no contexto social em que vivem.
Status e Papel Social
Por Rainer Sousa - Mestre em História

Apesar de semelhantes, os conceitos de status e papel social definem duas coisas distintas no campo de
estudos da Sociologia. Por isso, precisamos saber qual a utilidade de cada um desses conceitos e que tipo de
informação eles nos repassam. Em primeiro lugar, é de suma importância apontar que tais conceitos são
necessários para uma análise um tanto mais profunda da pirâmide social que organiza algumas
coletividades.
A ideia de status social está ligada às diferentes funções que um sujeito pode ocupar no interior da sociedade
em que vive. Se o compreendermos como um sujeito oriundo das classes médias, por exemplo, podemos
enxergar quais hábitos, vínculos e funções que podem definir seu status no meio em que vive. Para tanto,
avaliamos qual tipo de posto de trabalho ocupado, os locais de lazer frequentados, o partido político ao qual
está filiado e sua posição no núcleo familiar.
Para se estabelecer uma definição mais bem acabada sobre os diferentes tipos de status que uma pessoa
pode ter, os estudos sociológicos costumam grifar a existência de dois tipos de status: o status atribuído,
em que alguém ocupa determinada posição independente de suas próprias ações (como “irmão mais velho”
ou “filho de empresário”); e o status adquirido, situação em que a pessoa age em favor de certa condição
(como “especialista” ou “criminoso”).
Nesse momento, o conceito de papel social aparece justamente para explicar quais seriam os direitos e
deveres que uma pessoa tem ao ocupar um determinado status social. Dessa forma, vemos que o papel
social envolve todo o tipo de ação que a própria sociedade espera no momento em que um de seus
integrantes ocupa certo status. Exemplificando de forma simples, podemos dizer que o médico deve salvar
vidas, a mãe cuidar de seus filhos e o professor repassar conhecimento para os alunos.
Na compreensão de algumas culturas, a relação entre o status e o papel social pode nos mostrar algumas
diferenças bastante interessantes. Realizando um contraponto entre duas sociedades, é possível analisar
que indivíduos com status sociais semelhantes são levados a desempenhar diferentes funções. Um exemplo
disso pode ser notado quando pensamos em um curandeiro de uma tribo indígena e o médico de alguma
sociedade capitalista.
Enquanto o primeiro vive em contato com a comunidade e se utiliza de rituais religiosos para cumprir a
função de curar pessoas, esperamos que um médico esteja em um consultório e que domine o uso de uma
série de procedimentos científicos para realizar essa mesma tarefa. Assim, vemos que status e papel social
são ferramentas teóricas de suma importância para o desenvolvimento de vasto leque de temas e objetos
da Sociologia.

Você também pode gostar