Você está na página 1de 4

aaacdcddwdcwecscacdcacaaSornnfndfn

Nomes: Beatriz Turi n°5 ; Giovanna Elias n°12 ; Hugo Lagden n°16 ; Juliana De Luca n°18 ;
Victor Carvalho n°28 ; Yasmin Teixeira n°22

Turma: 1102

Sorghum bicolor (chamado comumente de sorgo ou conhecido como milho-zaburro) é


uma espécie de planta com flor que pertence à família Poaceae. Em sua composição,
encontram-se vitaminas do Complexo B, vitamina C, vitamina E e minerais, como cálcio, ferro,
magnésio, fósforo, potássio, zinco e sódio.

Esta planta se encontra no reino Protista, no filo da Angiosperma (plantas que possuem
sementes protegidas por frutos e apresentam flores). Sua classe é a Monocotiledônea, que
receberam este nome por apresentarem apenas um cotilédone no interior das sementes, e sua
ordem é a das Poales. Por fim, seu gênero é o Sorghum e possui apenas duas espécies: Sorghum
x drummondii e Sorghum halapense.

O sorgo é uma espécie de planta de origem africana, mas há evidências de uma segunda
área de dispersão na Índia, um dos principais produtores deste cereal. Apesar de ser uma
cultura muito antiga, somente a partir do fim do século passado é que teve um grande
desenvolvimento em muitas regiões agrícolas do mundo. Em 1984, foi o quinto cereal mais
importante em termos de quantidade produzida no mundo (72.186 toneladas), sendo
precedido apenas pelo trigo, arroz, milho e cevada.

Segundo o pesquisador da Embrapa José Avelino Santos Rodrigues, compara a outros


cereais, essa cultura chama a atenção dos produtores por possuir características adaptativas
superiores para cultivo em áreas sob estresse hídrico. “Isso justifica o cultivo do sorgo em
milhões de hectares, em países da África, Ásia, Oceania e das Américas”, explica.

Os Estados Unidos, México, Argentina e China são os países que apresentaram, em 1984,
as maiores produções por hectare, em função do melhor nível tecnológico, da existência de
híbridos adaptados e das melhores condições ambientais. Foi introduzido no Brasil em meados
do século XX, tendo como principais regiões produtoras Goiás, Minas Gerais e alguns plantios
experimentais em Paragominas no Pará.

Na primeira década do século XX, o sorgo foi extensivamente cultivado nos Estados
Unidos para produção de xarope ou melaço.

Na América Central, Ásia e África, os grãos de sorgo já são usados na alimentação


humana para produção de farinha e de amido industrial, bem como na fabricação de pães e
biscoitos. No Japão e Estados Unidos, o sorgo branco tem sido processado em farinha e outros
produtos, ganhando popularidade. Em El Salvador, farinhas provenientes de cultivares
melhorados de sorgo têm sido usadas em pequenas padarias para produzir pães, muffins,
roscas e outras variações desses produtos. O sorgo pode ser utilizado, ainda, na elaboração de
extrudados expandidos, como snacks e cereais matinais.

Adicionalmente, o sorgo é um cereal cujos grãos possuem diversas cores de pericarpo,


do branco ao marrom, o que permite, em algumas preparações, como nos produtos à base de
chocolate, por exemplo, o uso de farinha de grãos de pericarpo marrom, dispensando o uso de
corantes artificiais.

Por ser mais tolerante à seca, o sorgo é uma oportunidade para compor sistemas de
produção em rotação e sucessão à soja, principalmente quando esta última apresenta ciclo
médio ou tardio. Aproveitando as últimas chuvas e as temperaturas elevadas, o
desenvolvimento do sorgo é favorecido, enquanto o milho, nesta época, pode se tornar uma
cultura de grande risco.

Apesar de sua origem natural, foram desenvolvidos novas cultivares de sorgo granífero
mais resistentes a doenças, ao acamamento e tolerantes ao alumínio tóxico presente no solo.
Apresentam produtividade 10% maior que híbridos similares, em média. Outra vantagem obtida
pelo melhoramento genético é a precocidade alcançada: as plantas possuem ciclo de produção
de 115 dias, em média, de sete a dez dias a menos comparados a outros materiais disponíveis
no mercado.

Fontes:
https://nordesterural.com.br/o-sorgo-e-o-quinto-cereal-mais-produzido-no-mundo/
https://m.brasilescola.uol.com.br/amp/biologia/classificacao-biologica.htm
https://www.embrapa.br/busca-de-publicacoes/-/publicacao/1054097/importancia-economica-
analise-conjuntural-estrategias-de-manejo-e-recomendacoes-tecnicas-para-o-cultivo-de-sorgo-
granifero-no-estado-de-goias
https://www.embrapa.br/busca-de-noticias/-/noticia/14184750/novos-hibridos-de-sorgo-
produzem-mais-rapido-e-com-alta-produtividade
https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/47291/1/Circ-1-Origem-importancia.pdf
https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Sorgo
https://revista-fi.com.br/artigos/artigos-editoriais/sorgo-caracteristicas-tecnologicas-e-
nutricionais