Você está na página 1de 18

ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO E DEFESA DO EXAME DE

QUALIFICAÇÃO DO MESTRADO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO


Stricto sensu EM GESTÃO, PESQUISA E DESENVOLVIMENTO NA INDÚSTRIA
FARMACÊUTICA

1. DOS OBJETIVOS E DA ORGANIZAÇÃO GERAL


1.1. Este guia objetiva compilar as informações referentes à elaboração e defesa do
Exame de qualificação da Dissertação de Mestrado do Programa de Pós-Graduação
Stricto sensu em Gestão, Pesquisa e Desenvolvimento na Indústria Farmacêutica de
Farmanguinhos/FIOCRUZ como parte da disciplina de “Seminários Avançados II”.

1.2. Este guia está direcionado a todos os membros relacionados ao Programa,


sejam docentes, discentes ou coordenação.

1.3. Entende-se por Exame de qualificação a defesa pública do andamento de


projeto de pesquisa para Dissertação de Mestrado, onde o candidato comprova para
Banca Examinadora sua capacidade de desenvolver e concluir em tempo hábil,
segundo norma da Capes, seu projeto de dissertação. Tem ainda por objetivo avaliar
o conhecimento geral do aluno dentro da subárea de concentração, bem como sua
capacidade de síntese e de transmissão de conhecimentos.

1.4. O Exame de qualificação consiste na disciplina Seminários Avançados 2.

2. DO FLUXO DE DOCUMENTOS E RESPONSABILIDADES

2.1. O discente, após entendimento com o orientador, deverá preencher o formulário


padrão disponível na página eletrônica de Farmanguinhos
(http://www2.far.fiocruz.br/farmanguinhos/index.php?option=com_content&view=artic
le&id=681&Itemid=160) referente à solicitação de aprovação da composição da
banca de avaliação do exame de qualificação.

OBS: Só serão aceitos os formulários corretamente preenchidos e devidamente


assinados pelo orientador e orientado.
2.2. Este documento deverá apresentar uma lista de até 5 (cinco) nomes para
composição da banca. Entre estes, pelo menos 3 (três) deverão ser oriundos do
quadro de docentes (permanentes ou colaboradores) do Programa e até 2 (dois)
poderão ser externos ao mesmo. Tais nomes serão sugeridos à CPG, a qual
deliberará para composição de uma banca com três avaliadores titulares, dos quais
2 (dois) poderão ser externos ao Programa e 1 (um) obrigatoriamente interno. Dois
outros membros serão considerados suplentes os quais um deverá ser externo e o
outro interno.

2.2.1 É de inteira responsabilidade do discente e do orientador contatar os membros


da banca examinadora para acerto da data, hora e comunicação do local da
realização do exame de qualificação, qualquer modificação/alteração deve ser
acordado e comunicado pelos mesmos.

2.3. O preenchimento do formulário e encaminhamento à Coordenação deverá


dar-se no mínimo 10 (dez) dias antes de reunião ordinária da Comissão de Pós-
Graduação, a qual será informada aos alunos através da Coordenação do
curso.

2.4. Após a aprovação da CPG dos nomes indicados para composição da banca de
avaliação, os alunos deverão entrar em contato com os membros aprovados para
enviar as cópias dos textos; a responsabilidade de entregar a cópia física do texto
para o membro da banca é do discente. À Coordenação cabe apenas a
responsabilidade de enviar para os examinadores a confirmação por e-mail da data,
hora e local da apresentação do Exame de Qualificação.

OBS: Todos os componentes da banca titulares, orientadores e suplentes, inclusive,


deverão receber cópias dos textos impressos.

2.5. No caso da não aprovação dos nomes indicados, o aluno deverá apresentar
uma nova composição para banca a CPG.

2.6. O material impresso deverá ser entregue, pelo discente, para os membros
da banca com prazo mínimo de 15 (quinze) dias corridos antes da data da
defesa.

2.7. O parecer da banca será registrado em uma ata de defesa, na qual


constará a apreciação de seus membros, tanto as sugestões quanto as
necessidades para continuidade do trabalho, sendo a mesma assinada por
todos.

2.7.1. A banca examinadora deverá atribuir uma nota de 0 a 10 sendo que para
a aprovação o aluno deverá obter no mínimo nota 6,0.

2.8. O documento (ata) deverá ser registrado e mantido na Secretaria Acadêmica


junto à documentação do discente.

3. DA COMPOSIÇÃO DA BANCA
3.1. A composição da banca está definida no item 2.2 deste guia de orientação
básica.

3.2. Em casos específicos, a banca poderá ser composta apenas por membros
internos do Programa, devendo tal situação ser plenamente justificada pelo
Orientador junto à Coordenação, estando a mesma exposta no documento de
solicitação de banca. Estes casos serão julgados pela CPG. Sendo aprovado, o
aluno poderá apresentar o seminário apenas com membros internos.

O orientador é o presidente banca, sua presença é obrigatória, porém ele não


poderá fazer parte da banca, todavia, terá voz durante a avaliação do aluno.

3.2.1. Considera-se membro externo aquele que não fizer parte do quadro de
docentes do Programa de Pós-Graduação Stricto sensu em Gestão, Pesquisa e
Desenvolvimento na Indústria Farmacêutica, de Farmanguinhos; ou seja, o Doutor
pode pertencer ao quadro de colaboradores de Farmanguinhos, mas, não sendo do
Programa, será considerado membro externo. Dentre os membros do Programa, por
sua vez, não se faz distinção entre os permanentes e os colaboradores, estando
todos aptos a comporem as bancas de avaliação.

4. DO SISTEMA DE AVALIAÇÃO
4.1. O rendimento acadêmico resultante do exame de qualificação será determinado
pela banca. Este rendimento será expresso em nota e conceito, de acordo com a
seguinte escala:

CONCEITO AVALIAÇÃO FAIXA DE NOTA


A Excelente 10,0 - 9,0
B Bom 8,9 - 7,0
C Regular 6,9 - 6,0
D Insuficiente Abaixo de 6,0

4.2. O discente que obtiver conceito D deverá apresentar novamente sua defesa (em
prazo máximo de 30 dias), em data a ser definida junto à banca que deverá ser
mantida e com autorização formal da coordenação da disciplina e do curso, sendo
toda a tramitação novamente avaliada pela CPG.

4.3. O discente que obtiver conceito D duas vezes será desligado do programa.

4.4. O discente que não apresentar o Exame de Qualificação entre o 13º e o 15º
mês após a matrícula será desligado do Programa.

5. DO CONTEÚDO

5.1. A parte textual deverá conter sumário,introdução, revisão bibliográfica,


justificativa, objetivos gerais e específicos, metodologia, materiais e métodos,
resultados e discussão preliminares, conclusão parcial, perspectivas,
cronograma, bibliografia e anexos quando necessários.

5.2. Os resultados e a respectiva discussão obtidos até o momento do exame de


qualificação são partes essenciais da apresentação.

5.3. Recomenda-se que a parte textual do exame de qualificação tenha


aproximadamente 70 páginas, sendo até 20 páginas de Introdução/revisão
bibliográfica; 01 (uma) de objetivo e o restante livre.

5.4. A idéia subjacente a estas definições é que o texto apresentado na qualificação


seja um documento prévio para uso do próprio discente para complementação
durante a execução do seu trabalho e coleta dos resultados, gerando, ao final, o
próprio texto de defesa da Dissertação.

5.5. Não deverão constar no seminário de qualificação os seguintes elementos:


dedicatória, agradecimentos, epígrafe e resumo/abstract.

5.6. As instruções para elaboração do texto encontra-se no ANEXO I.


6. DA DEFESA
6.1. A defesa dar-se-á de forma pública, com data previamente estabelecida junto à
Coordenação do curso.

6.2. As defesas só poderão ocorrer em caráter restrito (“fechadas”) nos casos de


segurança de propriedade intelectual, devendo, para tanto, ser assinado termo de
confidencialidade por todos os presentes, restringindo-se os mesmos ao discente,
ao orientador e aos membros da banca.

6.3. A solicitação de realização da defesa em caráter restrito deve ser previamente


informada e justificada à Coordenação do curso por meio do formulário de requisição
de banca.

6.4. O discente terá um prazo de 30-40 minutos para sua apresentação,


devendo a mesma estar condizente com o texto apresentado aos membros da
banca.

6.5. Após a apresentação, cada membro da banca (em ordem a ser estabelecida
no início da defesa) terá um prazo máximo de 20 minutos para arguição e
resposta do aluno.

6.6. Ao final de todas as arguições e considerações dos membros da banca


examinadora, esta reunir-se-á sem a presença do aluno e da platéia e estabelecerá
o conceito do aluno e observações pertinentes para melhoria/adequação do projeto
apresentado.

6.7. Após este período, o aluno e a platéia serão reintegrados ao grupo e ouvirão do
presidente da banca as observações ressaltadas.

6.8. Caso a banca avalie que a defesa não atendeu às expectativas a contento,
poderá ser emitido parecer de reapresentação, a qual, como indicado anteriormente,
deverá ocorrer em prazo máximo de 30 (trinta) dias corridos. A banca poderá ainda
definir pela reapresentação apenas do texto, sem a parte oral.
ANEXO I
Escolha a fonte Arial ou Times New Roman e mantenha o modelo escolhido em todo o
trabalho, inclusive na dedicatória, agradecimentos e epígrafe.

Digite o nome completo do autor em caixa baixa e sem negrito (Fonte tamanho
14)

Digite aqui o título e o subtítulo, se houver, em negrito e com espaçamento


1,5 e fonte tamanho 14. Use letras maiúsculas apenas no início da frase, em
nomes próprios e siglas
Rio de Janeiro
Digite o ano do exame de qualificação
Digite o nome completo do autor em caixa baixa e sem negrito (Fonte tamanho 12)

Digite aqui o título e o subtítulo, se houver, em negrito e com espaçamento 1,5 e fonte
tamanho 12. Use letras maiúsculas apenas no início da frase, em nomes próprios e siglas

Projeto de dissertação apresentada, como um dos


requisitos para obtenção do título de Mestre, ao
Programa de Pós-graduação em Gestão, Pesquisa
e Desenvolvimento na Indústria Farmacêutica,
do Instituto de Tecnologia em Fármacos -
FIOCRUZ

Orientador (a) (es): Prof. Dr. (ou Profa. Dra.) Nome completo
Co-orientador (a) (es): se houver

Rio de Janeiro
Digite o ano do exame de qualificação
Digite o nome completo do autor em caixa baixa e sem negrito

Digite aqui o título e o subtítulo, se houver, em negrito e com espaçamento 1,5 e fonte
tamanho 12. Use letras maiúsculas apenas no início da frase, em nomes próprios e siglas

Projeto de Dissertação apresentada, como um


dos requisitos para obtenção do título de Mestre,
ao Programa de Pós-graduação em Gestão,
Pesquisa e Desenvolvimento na Indústria
Farmacêutica, do Instituto de Tecnologia em
Fármacos – Fundação Oswaldo Cruz

Aprovada em XX de mês de ano.

Banca Examinadora:
_____________________________________________
Prof. Dr. (Profª. Drª.) Nome completo
Instituto de Tecnologia em Fármacos – FIOCRUZ (Presidente da Banca)

_____________________________________________
Prof. Dr. (Profª. Drª.)
(Afiliação Ex.: Universidade Federal do Rio de Janeiro)

_____________________________________________
Prof. Dr. (Profª. Drª.)
(Afiliação)

_____________________________________________
Prof. Dr. (Profª. Drª.)
(Afiliação)

Rio de Janeiro
Digite o ano do exame de qualificação
SUMÁRIO

Modelo de Sumário em forma de tabela com três colunas e uma linha. adaptado da dissertação de
Cristiana Francescutti Murad:

Sumário i
Índice de Figuras ii
Índice de Tabelas iii
Índice de Graficos iv
Lista de Abreviaturas v
INTRODUÇÃO............................................................................................. 16
1 REVISÃO DA LITERATURA..................................................................... 18
1.1 Microbiologia das infecções do sistema de canais radiculares................... 18
1.1.1 Presença de bactérias nas infecções endodônticas........................................... 18
1.1.2 Insucesso endodôntico e prevalência bacteriana em infecções endodônticas
refratárias......................................................................................................... 22
1.2 Biofilme bacteriano........................................................................................ 29
1.3 Soluções irrigadoras.................................................................................... 33
1.4 Atividade antimicrobiana ............................................................................. 36
2 OBJETIVO............................................................................................... 45
3 MATERIAL E MÉTODOS........................................................................... 46
3 Seleção e preparo dos dentes......................................................................... 46
3.1 Soluções irrigadoras testadas........................................................................ 46
3.2 Soluções neutralizantes................................................................................. 47
3.2.1 Cepa bacteriana e condições de cultivo........................................................ 48
3.3 Inoculação de E. faecalis na amostra............................................................ 48
3.4 Teste da ação antimicrobiana das soluções irrigadoras e extração do
3.5 biofilme............................................................................................................ 50
4 RESULTADOS E DISCUSSÃO................................................................... 56
4.1 Teste da atividade antimicrobiana das soluções testadas........................... 59
4.2 Viabilidade bacteriana intra-dentinária...................................................... 62
5 CONCLUSÃO............................................................................................... 74
6 REFERÊNCIAS............................................................................................. 75
7 ANEXO - Comitê de ética em pesquisa.......................................................... 83
INDICE DE FIGURAS

Modelo em forma de tabela com três colunas e uma linha. As listas/ indice de
figuras/ilustrações/gráficos/quadros etc. devem ser ordenadas conforme a ordem em que
as mesmas são apresentadas no trabalho, seguidas da lista de tabelas, da lista de
abreviaturas e siglas e, por fim, da lista de símbolos. Os gráficos, quadros e figuras, em
pouca quantidade, podem ser arrolados numa única lista, denominada indice de
Ilustrações.

Não utilize negrito.

As listas/ indice são elementos opcionais, porém a apresentação de três ou mais ilustrações
(figuras, quadros, gráficos), tabelas, abreviaturas, siglas e símbolos nas folhas textuais do
trabalho justifica a elaboração de uma ou mais listas, pois favorece a recuperação da
informação, de forma ágil e precisa;

Ocorrências desse tipo apresentadas nas folhas pós-textuais não devem constar nas listas.

Ex:
Figura 1 – A - Vista Frontal do aparelho Twin Block em posição B – Vista lateral
com o aparelho em posição..................................................................... 57

Figura 2 – A a H – Seqüência para obtenção da mordida construtiva para


confecção do aparelho de avanço mandibular........................................ 58

Figura 3 – Vista oclusal do aparelho placebo em posição........................................ 59

Figura 4 – Radiografia cefalométrica lateral com o traçado utilizado para as


análises.................................................................................................... 62

Gráfico 1 – Medidas cefalométrics dos Grupos Leve e Moderado............................ 65

Gráfico 2 – Demonstração das variações no IAH no grupo 1.................................... 70

Gráfico 3 – Demonstração das variações no IAH no grupo 2.................................... 70

Gráfico 4 – Demonstração das variações no IA no grupo 1....................................... 74

Gráfico 5 – Demonstração das variações no IA no grupo 2....................................... 74

Gráfico 6 – Medida da saturação média de oxigênio no tempo inicial, pós TB e


pós Wrap................................................................................................. 76

Gráfico 7 – Medida da eficiência do sono no tempo inicial, pós TB e pós Wrap...... 78

Gráfico 8 – Medida da percentagem de sono REM no tempo inicial, pós TB e pós


Wrap....................................................................................................... 80
LISTA DE TABELAS

Modelo em forma de tabela com três colunas e uma linha. Não utilize negrito.
Ex:
Tabela 1 – Valores das médias e desvios-padrão das medidas cefalométricas iniciais
dos pacientes dos grupos 1 e 2, com o valor de p para a comparação das
medidas........................................................................................................... 64

Tabela 2 – Valor de p para comparação da ordem de utilização dos aparelhos............... 66

Tabela 3 – Valores do IAH inicial e após o uso do Twin-Block, redução percentual e


classificação de melhora e normalização do quadro....................................... 68

Tabela 4 – Valores do IAH inicial e após o uso do Wraparound (placebo), redução


percentual e classificação de melhora e normalização do
quadro............................................................................................................. 69

Tabela 5 – Valores do IA inicial e após o uso do Twin-Block, redução percentual e


classificação de melhora e normalização do quadro....................................... 72

Tabela 6 – Valores do IA inicial e após o uso do Wraparound (placebo), redução


percentual e classificação de melhora e normalização do quadro.................. 73

Tabela 7 – Valores de saturação média de oxigênio, com média e desvios-padrão, para


cada aparelho e número de pacientes que obtiveram melhora no
índice............................................................................................................... 75

Tabela 8 – Valores de eficiência do sono, com média e desvios-padrão, para cada


aparelho e número de pacientes que obtiveram melhora no
índice............................................................................................................... 77

Tabela 9 – Valores de eficiência do sono, com média e desvios-padrão, para cada


aparelho e número de pacientes que obtiveram melhora no
índice............................................................................................................... 79

Tabela 10- Médias e desvios-padrão da diferença entre as medidas pós TB e pós


WRAP para cada medida cefalométrica, com o valor de p para a
comparação entre os dados dos dois grupos................................................... 81
LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLAS

Essa lista também poderá ser elaborada em tabela com duas colunas.
As siglas deverão constar em ordem alfabética.
Cuidado para não incluir símbolos nesta lista. Eles deverão constar em lista própria, na
ordem em que aparecem no texto.
Siglas extraídas da dissertação de Nathália Chacur Juliboni:
AAD – Agentes adesivos dentinários

DNA – Ácido desoxirribonucléico

FS – Fração de sobrevivência

ISO – International Standards Organization

LASER – Light amplification by stimulated emission


INTRODUÇÃO (Começar as seções e subsseções junto à margem esquerda)

Inserir no cabeçalho o número da folha correspondente à Introdução. Contar a partir da


folha de rosto, incluindo a ficha catalográfica.

PARA OS DEMAIS ELEMENTOS TEXTUAIS (Revisão de Literatura, Objetivos,


Material e Métodos, Resultados, Discussão e Conclusão) , SEGUE O MODELO:

1 LETRA MAIÚSCULA EM NEGRITO (Seção primária)


Texto justificado, espaçamento simples, arial ou times 12.

1.1 Letra minúscula em negrito (Seção secundária)

Obs.: Os números das seções não possuem negrito.


Entre capitulações: os textos da seções e subseções devem ser separados do texto
que os sucede e os precede por dois espaços de um e meio (1,5), ou seja, dar dois
espaços de 1,5 após a seção para começar a digitar o texto do parágrafo. Dar mais dois
espaços de 1,5 para a próxima seção e assim por diante. Não deverá existir linhas em
branco entre os paragráfos.
Exemplo:
1 TÍTULO DA SEÇÃO
Enter
Enter
Texto dos parágrafos
Enter
Enter
1.1 Título da seção
Enter
Enter
Texto dos parágrafos
No texto dos parágrafos: antes e depois igual a zero, com espaço de 1,5 nas
entrelinhas.
Para a elaboração das citações, sitemas de chamada e notas de rodapé, deve-se
optar pelas normas de Vancouver ou ABNT, (consulte o anexo). Deve-se ter cuidado
para não citar como ABNT e referenciar como Vancouver ou vice-versa.
Utilizar espaço simples para citações longas (com mais de três linhas), notas de
rodapé, e legendas. As citações longas deverão constar a 4 cm do início da margem
esquerda. Utilize fonte 9 apenas para notas de rodapé e citações longas.
As legendas das tabelas e das ilustrações devem aparecer acima das mesmas. O
alinhamento das legendas deverá ser centralizado e poderá ser ajustado à largura das
ilustrações e tabelas. Ilustrações e tabelas que não couberem em apenas uma folha
poderão ser divididas, desde que as legendas apareçam no local apropriado em cada
uma dessas folhas, com as informações de continuidade e conclusão:

 Incluir na primeira folha, após o título da legenda: (continua)


 Incluir nas folhas seguintes, após o título da legenda: (continuação)
 Incluir na última folha, após o título da legenda: (conclusão)

Não utilize folhas em branco para separar capítulos nem ilustrações que
não tenham sido objeto do trabalho.
As ilustrações e tabelas produzidas pelo autor devem constar,
preferencialmente, próximas ao texto que a elas se referem ou, opcionalmente,
agrupadas em apêndice. Neste caso, deve-se fazer menção da folha após citar as
ilustrações e tabelas. Por exemplo: Conforme a figura 12 (Apêndice A, f. 59)... Não há
necessidade de citar a folha caso haja um apêndice para cada ocorrência.
As revisões normativas poderão ser agendadas na Biblioteca com antecedência
de pelo menos um mês em relação à defesa.
Caso haja necessidade de configurar alguma página no formato paisagem, insira
uma quebra de seção na última linha da folha que antecede à desejada e deixe o
cabeçalho da folha em paisagem vinculado à seção anterior. Para retornar ao formato
retrato, repita o procedimento.
REFERÊNCIAS

Referências pela ABNT ordenadas alfabeticamente, com alinhamento à esquerda e


espaçamento simples. Referências no estilo VANCOUVER ordenadas numericamente,
pela ordem de citação, com alinhamento justificado e espaçamento simples.
As referências devem ser separadas umas das outras por dois espaços simples.
É necessário escolher um padrão para as referências, ou seja, se optar por abreviar os
nomes dos autores, deve-se abreviar todos. O mesmo vale para os títulos de revista.
Deve-se ter cuidado para não referenciar algumas pela ABNT e misturar com outras por
Vancouver.
Recomenda-se cuidado também com as referências copiadas diretamente dos artigos ou
das bases de dados do PUBMED e da BIREME, pois na maioria das vezes elas não
estão padronizadas nem pela ABNT nem por Vancouver. O ideal é procurar
padronizar as referências a cada leitura de texto e não deixar para cumprir essa
etapa toda na fase final do trabalho.
APÊNDICE A – Título sem negrito. Não utilize letras em apêndices e anexos quando
só houver um apêndice ou um anexo.

Observações:
Não utilize letras em casos de apenas um apêndice ou um anexo.
Glossários não são numerados nem alfabetados. Deve-se ter cuidado para inserir
todas as figuras que constarem da versão impressa, pois há casos em que o autor,
por não saber como inserir essas figuras, deixam de colocá-las no arquivo. Por
exemplo, a carta de aprovação do Comitê de Ética.

Ordem dos elementos pós-textuais: Referências (Obrigatórias), Glossário,


Apêndices, Anexos e Índice.