Você está na página 1de 48

Universidade

Federal do Ceará

Bacharelado:
Design-Moda
SAFARI
DISCIPLINA: MODELAGEM PLANA MASCULINA
DOCENTE:MARIA DO SOCORRO DE ARAÚJO

FORTALEZA - JUNHO,2020
INGRID ALVES DA MARIA EDUARDA
SILVA VASCONCELOS DA CUNHA

DISCENTES:

MARIA LETICIA RICARDO VIEIRA


MARQUES RIBEIRO DE SOUSA
INTRODUÇÃO:
O presente trabalho tem como foco principal
analisar o segmento do vestuário masculino, como
objeto de estudo a Jaqueta Safari. Com o objetivo
de entender desde a história da moda do safari, até
a produção da peça, como materiais e maquinário,
bem como o mercado e o cenário da moda atual.
Com o resultado desse seminário foi possível
entender melhor sobre o processo da peça, além de
agregar conhecimento sobre o estilo safari.
METODOLOGIA:

Inicialmente, após a definição do


tema e esclarecimento de dúvidas, nosso
trabalho foi destrinchado em fragmentos.
Em seguida, dividido em tópicos para a
pesquisa e o debate da equipe.
A metodologia utilizada foi a pesquisa
bibliográfica, documental, quantitativa,
qualitativa, exploratória através de sites
da internet.
HISTÓRIA:
1848, os britânicos fizeram o
uso de uniformes de caqui
durante operações na índia.
Iniciando assim, a jornada da
jaqueta safari.

Caqui: A palavra caqui ou cáqui


deriva do persa khak que
significa pó, e khaki que
significa poeirento, empoeirado
ou cor de terra.
HISTÓRIA:

1900
A jaqueta de Safári que era conhecida
por uniforme de caqui, começou a ser
utilizada nos anos 1900 por tropas do Império
Britânico durante a Segunda Guerra Boer na
África do Sul.

1930
A jaqueta de safári foi projetada para
Guerrilheiros bôeres durante a Batalha.
uso em safáris no mato africano, com o (janeiro de 1900).
termo surgindo pela primeira vez em meados
da década de 1930.
Roupas leves, respiráveis e que não
sobrecarregassem com o calor.

A peça apresenta: O epaulette


que é um tipo de ombreira.
CARACTE
Grandes bolsos fole para o
RÍSTICAS: armazenamento de itens úteis.

Colar largo no pescoço para


refrescar o corpo em climas quentes.

Forma acinturada com um cinto.

Molas para os ombros.


Do início dos anos 1900 até os dias de
hoje a moda safari habitar o imaginário
popular: foram popularizados, cobiçados e
reinventados em inúmeras oportunidades,
MOMENTOS de acordo com o contexto.
A jaqueta começa a ser projetada para
MARCANTES uso em safaris africanos, mas dessa vez o
DA MODA conforto era tão importante quanto a
praticidade. Algumas jaquetas de safári
SAFARI: antigas alteraram ligeiramente o design da
peça original.
1930:
HEMINGWAY E ABERCROMBIEN
Em 1936, o escritor Ernest
Hemingway – cujas viagens pela África
inspiraram obras literárias como a
descritiva “The Green Hills of Africa” e as
fictícias “The Short Happy Life of
Francis Macomber” e “The Snows of
Kilimanjaro”, mais tarde adaptadas para
o cinema – desenhou sua própria “bush
jacket”, produzida por Willis & Geiger
Outfitters.
1960:
O SAFARI VIRA MODA

Uma década fundamental para a


popularização da jaqueta de safári.
Em 1967, Yves Saint Laurent
introduz o item pela primeira vez em
seus desfile. No entanto, foi no ano
seguinte que a jaqueta se tornou um
item clássico, graças a um design
único criado para um ensaio
fotográfico para a Vogue Paris.
1970:
JAMES BOND E AS GRANDES TELAS
Nos anos 70, a moda de safari
continuou marcando presença em
desfiles de moda, resultado da
popularização do item na década
anterior, e também nas grandes telas.
Os trajes usados por Roger Moore no
papel do agente secreto James Bond
são destaque desta década.
1980:
REPÚBLICA DE SAFARI
A Banana Republic abriu sua primeira
loja especializada em trajes de safári.
Seus catálogos eram  tão apaixonantes
como suas coleções.
Banana Republic hoje é uma
varejista americana de roupas e
acessórios de propriedade da empresa
multinacional americana Gap Inc. ela
opera mais de 500 lojas nos Estados
Unidos (incluindo Porto Rico), 40 lojas no
Canadá e 61 lojas fora da América do
Norte.
FILMES:

King Solomon’s Mines Mogambo safari


195O 1953 1956
FORMAS E SILHUETAS:

Jaqueta Jaqueta Jaqueta


Anderson & Sheppard Anderson Barbour Marks & Spencer
FORMAS E SILHUETAS:

Jaqueta Colete pescador Colete


Saint Laurent estilo jaqueta pescador verão
MERCADO:

• 2010: volta à tona a tendência no Reino Unido.


• Marcas famosas adotam o estilo nas
passarelas e filmes.
• O consumidor é esse Jovem/Adulto em busca
de algo funcional e elegante.
• O modelo Safari de Jaqueta é encontrado nas
lojas de departamentos. Exemplo: Ali express,
Renner, Reserva.
MERCADO:

PESQUISA NO
GOOGLE THENDS:

Google Trends é uma ferramenta


do Google que mostra os mais
populares termos buscados em um
passado recente. A ferramenta
apresenta gráficos com a frequência
em que um termo particular é
procurado em várias regiões do
mundo.
MARCAS:

PRIVATE WHITE VC
R$
A marca britânica Private White VC é especializada
em designs elegantes e funcionais. Este exemplo
1630
principal é uma visão minimalista da jaqueta de safari.

ANDERSON & SHEPPARD


R$ Dado que ocupa um espaço em Savile Row , a Anderson &
1750 Sheppard é mais conhecida por sua alfaiataria exemplar.
No entanto, a empresa de patrimônio também produz
uma boa visão da jaqueta de safari.
MARCAS:

MARKS & SPENCER


R$
A marca Marks & Spencer criou uma jaqueta de safári
com seu próprio toque de peça clássica.
403

BARBOUR
R$ Sentado em algum lugar entre a jaqueta encerada
1168 exclusiva da Barbour e os estilos de motocicleta da marca
britânica, este design de quatro bolsos em algodão é uma
atualização moderna ideal da jaqueta de safári.
ONDE ENCONTRAR?

90
15

27
0

0
0
TECIDOS:
Os tecidos normalmente são naturais e
podem ter acabamentos tecnológicos ou
artesanais. Entre eles, tricoline, sarja, brim,
gabardine, canvas, camurça, couro de verão,
seda javanesa, crepe de viscose, linho puro ou
misto, meia-malha de algodão ou tecidos
mistos de algodão com nylon ou com
poliéster, ribana, suplex, moletinho, jersey de
viscose ou acetato eviscolycra.
TECIDO:
CAMURÇA

Natural: É um tipo de couro felpudo, feito com a


camada interior da pele de animais, como camurças,
cabras, vacas, porcos, bezerros, cervídeos e
principalmente cordeiros. Por se utilizar apenas a
camada interior da pele, o produto é menos durável
mas mais suave que o couro comum.
 Sintético: A camurça é um tecido que confere
um ar setentinha muito versátil, tanto aos looks de
inverno, como nos de verão. É um tecido que imita o
material feito da pele do animal. Seu toque suave e
macio é muito gostoso e confortável.
TECIDO:
BRIM

Trata-se de um tecido bastante grosso feito de


sarja. Ele normalmente é produzido a partir do
algodão e é comum o vermos na produção de
jaquetas, de macacões, de calças e de blusões.
Podemos compará-lo de certo modo ao jeans, por
exemplo.
Ele costumam ser mais resistentes, dura muito
mais tempo são esteticamente bonitos e é feitos com
materiais naturais.
TECIDO:
SARJA

A sarja é feita de lã ou de algodão, algumas vezes


os dois tecidos são misturados aparti do ligamento da
sarja. Ela é um tecido plano, muito confortável que
proporciona movimento, não absorve muito calor e
possui um toque mais lustroso e macio.
O ligamento sarja é frequentemente mais firme
do que o Tecido com o ligamento em tela, este
desenho é utilizado em tecidos de algodão, como o
brim. A sarja algodão é mais refinada que o brim, pois
possui toque mais lustroso e macio.
TECIDO:
GABARDINE

Este tecido é considerado um clássico, utilizado


essencialmente para a elaboração de vestuários de
cunho social e executivo. Vale salientar que ele
confere um enorme toque de elegância e
sofisticação, por isso, ele permite conferir looks
lindos de alfaiataria, sendo dessa forma um grande
tecido do universo da moda.
O poliéster presente em sua composição acaba
proporcionando uma resistência sem igual e um
excelente caimento.
PERLON

ACABA MALHA DE ALGODÃO


OU MEIA MALHA
MENTOS:

FAILETE
PALETA DE CORES:
LINHAS E AGULHAS:

TECIDO LINHAS PONTOS AGULHA

Médio-pesado – Gabardine, Poliéster misto com algodão, 1,5 - 2 16


tecidos para casacos, tecidos 100% poliéster, algodão
de cortina e algodão cotelê.
mercerizado grosso e algodão 40.

Couros – Camurça, pelica, Poliéster misto com algodão, 2,5 - 3 11,14 e 16


cobra e couros naturais. 100% poliéster,algodão
mercerizado 50 náilon e seda “A”.
AVIAMENTOS:

Botões Zíper
Velcro

Cordão Fivela
MAQUINÁRIO:

Máquina reta industrial Máquina interloque Máquina botoneira

Máquina overlock Máquina Caseadeira


MAQUINÁRIO:

Máquina travete Máquina pesponteria Máquina reta duas agulhas

Máquina de braço Máquina fechadeira Máquina reta 1 agulha lançadeira


DIAGRAMA DE
MODELAGEM:
MODELAGEM:
MODELAGEM:
DESENHO
TÉCNICO:
DESENHO
TÉCNICO:
DESENHO
TÉCNICO:
A estética do safari tem protagonizado vários
desfiles ao longo dos anos, e alterando entre o estilo
urbano, chic e utilitário.

TENDÊNCIAS: Foi nos anos 2010 que um “revival” se tornou mais


evidente. No período, uma variante da “bush jacket”,
conhecida como “shacket”, voltou à tona no Reino Unido e
na Europa, devido à popularização do vestuário de
trabalho vintage na subcultura hipster.
2011:
Em 2011, Jean Paul Gaultier,
desfilou uma releitura da
jaqueta safari em couro, no
desfile " A inspiração étnica é
latente" da coleção primavera-
verão.
2013:
Um safari fashion norteia a coleção
de verão 2013 da Missoni.Tons de areia e
terra foram invadidos por pinceladas de cor
em bermudas, calças cropped e tênis
estampados. Cardigãs, bomber jackets e
blazers também vestem o homem Missoni
da estação. No ano também bombou a
estampa camuflagem ao estilo safar.
2014:
O Safari chic foi confirmado como
tendência para o nosso Verão 2014 ao
aportar nos desfiles de grifes como,
Espaço Fashion, revelando combinações
de animal prints diversas em conjunto
com tons terrosos e cáqui, além da
Triton, que pontuou suas criações
masculinas com bermudas utilitárias e
chapéus dignos de um passeio na savana
coordenados com camisas e blazers.
2015:
A GQ elegeu a jaqueta safari
como tendência para a primavera de
2015, com um estilo safari urbano
criou seueditorial.
2016:
Para o verão de 2016 a
Cavalera apostou em um safari
utilitário, com bolsos e tons
neutros. As cores, mais voltadas ao
cáqui, branco e preto, evocam a
tranquilidade e espiritualidade.
2017:
Para sua coleção masculina
primavera-verão 2017 o diretor
artístico da Louis Vuitton , Kim Jones
levou o rótulo de volta à África para sua
coleção. Tomando como expiração o
safari urbano, cos temas do exterior
acidentado foram justapostos com
uma sensibilidade moderna e chique.
2018:

Para sua coleção de inverno


2018, o João Pimenta foi mais para
um conceito de safári, com muitas
produções em bege. Perfeito para
uma calça de sarja ou um blazer.
2020:
Na coleção de verão de 2020 da
Prada, eles descontextualizaram
alguns clássicos e mexeram nas
proporções e comprimentos, e um
exemplo foi jaquetaa safari, que
aumentaram os bolsos e mudaram a
cor clássica dos tons terrosos.
CONCLUSÃO:

Tendo em vista o que foi exposto, podemos


observar que a moda safari apesar de ter sido criada
para o safari e ambiente de guerras, tornou-se uma
peça essencial no vestuário masculino, compondo
assim a elegância do homem contemporâneo. Além
disso, foi possível compreender toda a sua historia
e a própria construção do produto, desde o desenho
técnico e modelagens até as tendências nas
passarelas e preços de mercado.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:
http://glossario.estilopiti.com/
https://blog.avimortecidos.com.br/2019/03/06/tecido-gabardine-como-e/
https://www.machomoda.com.br/2014/06/jaqueta-safari-masculina-pra-inspirar.html
https://www.maximustecidos.com.br/camurca-s81/
https://www.luematecidos.com.br/crepe/crepe-de-viscose
https://pannustecidos.com.br/produto/crepe-com-viscose-listrado
https://blog.rhinoafrica.com/pt/2018/01/18/moda-de-safari-
fashion/https://wosanai.wordpress.com/category/fashion/https://www.rokit.co.uk/blog/2019/12/
28/military-fashion-inspiration/https://therake.com/stories/style/style-101-safari-
jacket/https://classiq.me/style-in-film-meryl-streep-in-out-of-africahttps:
https://therake.com/stories/style/style-101-safari-jacket
https://www.barmetrosexual.com/wp-content/uploads/2013/05/estilo-safari-chic-2.png/

Você também pode gostar