Você está na página 1de 9

Matéria: 400 BIZUS de Direito

Constitucional e Administrativo
Professor: João Pedro
BIZUS
Prof. João Pedro

APRESENTAÇÃO

Olá, amigos!

É com grande prazer que faço parte dessa equipe inovadora e


competente do Curso Exponencial!
Sou João Pedro, advogado e especialista em Direito Público. Elaboro
vários cadernos de questões inéditas no Exponencial e minha missão, nesse
material, é te auxiliar nos estudos, com dicas rápidas e objetivas, sem
enrolação!
Direito Constitucional e Administrativos são disciplinas cobradas
em qualquer prova de concurso da área fiscal ou da área de controle. Por isso,
visando te aproximar da sonhada aprovação, elaborei 400 bizus dessas
duas disciplinas! Com eles, nosso aluno irá “tirar de letra” várias questões
dessas matérias. Se estuda para esses concursos, esse material foi feito para
você!
As dicas foram retiradas da lei, da doutrina, da jurisprudência e de
questões de provas anteriores. São frases certeiras, com alto potencial de
cobrança em sua prova. Tudo foi elaborado com o objetivo de facilitar o
entendimento e agilizar sua revisão. É um material de leitura rápida, no
qual você pode estudar semanas, dias ou momentos antes da prova.
Quer mais? Ao adquirir esse curso, levará de graça mais 200 bizus
de Constitucional e Administrativo para provas discursivas, que vão te
ajudar a responde questões subjetivas. São 200 dicas fundamentadas que
custam cerca de R$ 29,90 e sairão como BÔNUS! Contudo, não perca esta
chance, pois esse material só estará disponível para compra, com 50%
de desconto, até o dia 31/08/2018! Após essa data, o preço voltará ao
normal.
Procure ler cada bizu 3 (três) vezes antes de sua prova. Faça grifos e
destaques em suas dúvidas, nas diferenças entre os institutos e nas exceções.
Assim, fixará o conteúdo e certamente acertará muitas questões em sua prova.
Nessa aula 00, separei 40 BIZUS para você conhecer melhor
nosso material e já iniciar os estudos!
Contem comigo nessa jornada! Estarei à disposição.
Sem mais delongas, vamos aos BIZUS.

Prof. João Pedro 2 de 9


www.exponencialconcursos.com.br
BIZUS
Prof. João Pedro

Sumário

1. Constitucional .......................................................................................................................... 4
2. Administrativo ......................................................................................................................... 6
3. Constitucional – Para provas Discursivas ................................................................................ 8
4. Administrativo – Para provas Discursivas ................................................................................ 9

Prof. João Pedro 3 de 9


www.exponencialconcursos.com.br
BIZUS
Prof. João Pedro

1. Constitucional

1) Silêncio eloquente = se apresenta naquelas situações em que a falta de


uma regulamentação constitucional específica possa ser atribuída a uma
escolha intencional do constituinte de não prever determinada hipótese
normativa.

2) As normas decorrentes de tratados e convenções internacionais sobre


direitos humanos, regularmente internalizadas no ordenamento jurídico
brasileiro, apresentam STATUS SUPRALEGAL, ainda que não tenham
sido aprovadas segundo o rito previsto para o processo legislativo das
emendas à Constituição.

3) A matéria constante de PROPOSTA DE EMENDA rejeitada ou havida por


prejudicada NÃO PODE ser objeto de nova proposta NA MESMA
SESSÃO LEGISLATIVA.

4) A matéria constante de projeto de lei rejeitado somente poderá


constituir objeto de novo projeto, na mesma sessão legislativa,
mediante proposta da maioria absoluta dos membros de qualquer
das Casas do Congresso Nacional.

5) É vedada a reedição, na mesma sessão legislativa, de medida


provisória que tenha sido rejeitada ou que tenha perdido sua eficácia
por decurso de prazo.

6) Considere que lei editada sob a égide de determinada Constituição


apresentasse inconstitucionalidade formal, apesar de nunca de ter sido
declarada inconstitucional. Nessa situação, com o advento de nova ordem
constitucional, a referida lei não poderá ser recepcionada pela nova
constituição, ainda que lhe seja materialmente compatível, dado o vício
insanável de inconstitucionalidade. REQUISITOS PARA A RECEPÇÃO
DE UMA NORMA:

a) deve estar em vigor no momento em que a nova constituição for


promulgada;
b) não pode ter sido declarada inconstitucional pelo ordenamento
anterior;
c) deve ter compatibilidade formal e material com a constituição anterior,
sob a qual foi editada;
d) deve ser apenas materialmente compatível com a nova constituição,
pouco importando se é formalmente compatível com a mesma.

7) Não existe direito adquirido em face de:

(i) uma nova Constituição (texto originário);


(ii) atualização monetária (mudança de moeda);

Prof. João Pedro 4 de 9


www.exponencialconcursos.com.br
BIZUS
Prof. João Pedro

(iii) criação ou aumento de tributos;


(iv) mudança de regime jurídico estatutário.

8) Retroatividade da lei:

a) Máxima: atinge fatos e consequentes efeitos já consumados sob a


vigência de lei anterior;
b) Média: não atinge fatos, mas tão somente efeitos iniciados antes da
nova lei, mas ainda pendentes após entrada em vigor;
c) Mínima: atinge somente efeitos pendentes iniciados após o advento da
nova lei.

9) O teto para o funcionalismo estadual somente pode ser fixado por meio
de emenda à Constituição estadual, não sendo permitido mediante lei
estadual.

10) O poder constituinte derivado reformador efetiva-se por emenda


constitucional, de acordo com os procedimentos e limitações previstos na
CF, sendo passível de controle de constitucionalidade pelo Supremo
Tribunal Federal.

Prof. João Pedro 5 de 9


www.exponencialconcursos.com.br
BIZUS
Prof. João Pedro

2. Administrativo

11) As minutas de editais de licitação, bem como as dos contratos, acordos,


convênios ou ajustes devem ser previamente examinadas e aprovadas
por assessoria jurídica da Administração. Trata-se de parecer vinculante
e obrigatório pelo entendimento do STF.

12) Os limites para alteração quantitativa do contrato do valor de supressão


poderá exceder 25% do valor inicial caso haja acordo entre as
partes.

13) A administração REJEITARÁ, no todo ou em parte, obra, serviço ou


FORNECIMENTO executado em desacordo com o contrato.

14) Os contratos sujeitos à Lei 13.303/2016 (que dispõe sobre o estatuto


jurídico das empresas públicas e sociedades de economia mista):

a) não podem ser alterados unilateralmente;


b) não podem ser rescindidos unilateralmente;
c) não ensejam ocupação provisória de bens móveis, imóveis, pessoal e
serviços vinculados ao objeto do contrato;
d) não comportam atenuação em favor da entidade administrativa da
exceção do contrato não cumprido.

15) A expressão Administração Pública, em sentido formal, orgânico ou


subjetivo designa o conjunto de órgãos e agentes estatais no
exercício da função administrativa, independentemente do poder a
que pertençam, se são pertencentes ao Poder Executivo, Judiciário ou
Legislativo. Por sua vez, administração pública, considerada com base no
critério material ou objetivo se confunde com a função
administração, devendo ser entendida como a atividade exercida
pelo estado.

16) A coisa tombada não poderá sair do país, senão por curto prazo, sem
transferência de domínio e para fim de intercâmbio cultural, a juízo do
Conselho Consultivo do Serviço do Patrimônio Histórico e Artístico
Nacional.

17) O primeiro critério de desempate de licitação conduzida em igualdade de


condições aos participantes é a exigência de os bens e serviços, objetos
da licitação, serem produzidos no país.

18) No pregão, não se exige dos licitantes a aquisição do edital ou a


apresentação de garantia de proposta.

Prof. João Pedro 6 de 9


www.exponencialconcursos.com.br
BIZUS
Prof. João Pedro

19) Na lei de licitações, o prazo para recurso e representação será de cinco


dias úteis. Já para o pedido de reconsideração são 10 dias.

20) Permissão de Serviço Público = CONTRATO ADMINISTRATIVO.

Prof. João Pedro 7 de 9


www.exponencialconcursos.com.br
BIZUS
Prof. João Pedro

3. Constitucional – Para provas Discursivas

21) Limitações circunstanciais do Poder Constituinte Derivado Reformador =


a Constituição não poderá ser emendada na vigência de intervenção
federal, estado de defesa ou estado de sítio. Fundamentação: Art. 60,
§1º, da CF/88.

22) Não cabe recurso extraordinário contra acórdão de tribunal de justiça


que defere pedido de intervenção estadual em município.
Fundamentação = Súmula 637, do STF.

23) Admite-se que o chefe do executivo (Presidente, Governador ou Prefeito)


se recuse, por ato administrativo expresso e formal, a dar cumprimento
a uma lei ou outro ato normativo que entenda ser flagrantemente
inconstitucional, até que a questão seja apreciada pelo Poder Judiciário.
Fundamentação: STF, RTJ 151/331.

24) Os cargos de Secretário e de Ministro de Estado são cargos de natureza


política. Dessa forma, NÃO se enquadram na vedação ao nepotismo
elencada pela súmula vinculante 13. Fundamentação: STF, Rcl-MC-AgR
6650.

25) Não é garantido aos servidores militares o direito à livre associação


sindical. Fundamentação: art. 142, §3º, IV, da CF/88. Os servidores
públicos civis, por outro lado, podem sindicalizar-se. Fundamentação:
Art. 37, VI, da CF/88.

26) Enquanto não editada lei específica para regulamentar a greve dos
servidores públicos, aplica-se a lei de greve dos trabalhadores privados
aos servidores. Fundamentação: STF, MI’s (Mandados de Injunção)
670, 708 e 712.

27) É preciso lei específica, observada a iniciativa privativa em cada caso,


para que a remuneração dos servidores públicos possa ser fixada ou
alterada. Fundamentação: Art. 37, X, da CF/88.

28) A fixação de vencimentos dos servidores públicos não pode ser objeto de
convenção coletiva. Fundamentação: Súmula 679, do STF.

29) É assegurada a revisão geral anual da remuneração dos servidores


públicos, sempre na mesma data e sem distinção de índices.
Fundamentação: Art. 37, X, da CF/88.

30) As receitas dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios destinadas


à seguridade social constarão dos respectivos orçamentos, não
integrando o orçamento da União. Fundamentação: Art. 195, §1º, da
CF/88.

Prof. João Pedro 8 de 9


www.exponencialconcursos.com.br
BIZUS
Prof. João Pedro

4. Administrativo – Para provas Discursivas

31) Motivação aliunde = também chamada de motivação “per relationem”, a


motivação aliunde é a que está de acordo com manifestações
anteriores da Administração. É o caso dos pareceres.
Fundamentação: Art. 50, §1º, da Lei 9.784/99.

32) Lembre-se que é vedada a aplicação retroativa de nova interpretação de


matéria administrativa já anteriormente avaliada. Fundamentação: Art.
2º, p.u., XIII, da Lei 9.784/99.

33) A falta de defesa técnica por advogado no processo administrativo


disciplinar não ofende a Constituição. Fundamentação: Súmula
Vinculante 05, do STF.

34) Nepotismo fere os princípios da moralidade e da impessoalidade. Tal


prática é inconstitucional por violação aos princípios constitucionais
fundamentais Administração Pública. Assim, não é preciso edição de lei
para a vedação de tal prática. Fundamentação: Súmula Vinculante 13,
do STF.

35) A demissão de empregados públicos das empresas públicas e sociedades


de economia mista exige motivação. Apesar de serem regidos pela CLT e
não tenham direito à estabilidade, tais empregados foram aprovados em
concurso público e a Administração Pública está obrigada a motivar a
dispensa desses agentes. Fundamentação: STF, RE 589.998/2013.

36) Não é permitida a exigência de devolução de valores recebidos de boa-fé


pelo servidor público, mesmo que esses valores tenham sido
indevidamente pagos por erro da Administração Pública. Nesse caso,
deve-se respeito aos princípios da boa-fé e da proteção à confiança
legítima do particular. Fundamentação: STF, MS 31.259/2013.

37) As organizações sociais (OS’s) podem ser contratadas por dispensa de


licitação pela Administração. Fundamentação: Art. 24, XXIV, da Lei
8.666/93.

38) Os cargos, empregos e funções públicas não são de acesso exclusivo dos
brasileiros. Os estrangeiros também podem ter acesso, na forma da lei.
Fundamentação: Art. 37, I, da CF/88.

39) A ascensão funcional, como forma de provimento de cargo público, é


inconstitucional. Fundamentação: Súmula Vinculante 37, do STF.

40) Somente por LEI se pode sujeitar a exame psicotécnico a habilitação de


candidato a concurso público. Fundamentação: Súmula 686, do STF.

Prof. João Pedro 9 de 9


www.exponencialconcursos.com.br

Você também pode gostar