Você está na página 1de 21

U3- S3

ESTRADAS
Mariana Silveira de Barros Ribeiro
mariana.s.ribeiro@kroton.com.br

Material baseado no Livro Único da disciplina fornecido pela Kroton para fins acadêmicos.
U3 S2 - Dimensionamento e construção de pavimentos

Método de projeto de pavimentos flexíveis (método do CBR)


Eng. Murilo Lopes de Souza (SOUZA, 1981).

Análise a partir do índice do ensaio CBR (California Bearing Ratio), N, e o coeficiente


de equivalência estrutural, k, de cada material que vai compor o pavimento.
U3 S2 - Dimensionamento e construção de pavimentos

Método de projeto de pavimentos flexíveis (método do CBR)

determinar as espessuras das camadas que vão constituir o pavimento,


considerando o trafego (N) e a capacidade de suporte de cada material (ISC ou
CBR).
U3 S2 - Dimensionamento e construção de pavimentos

Método de projeto de pavimentos flexíveis (método do CBR)

1- Verificar a espessura mínima do revestimento.


U3 S2 - Dimensionamento e construção de pavimentos

Método de projeto de pavimentos flexíveis (método do CBR)

2- Verificar a espessura H.
U3 S2 - Dimensionamento e construção de pavimentos

Método de projeto de pavimentos flexíveis (método do CBR)


U3 S2 - Dimensionamento e construção de pavimentos

Exemplo
Determine as espessuras, H, do
pavimento para uma estrada em
que N =1,0E+06 , sabendo-se que
o subleito apresenta CBR=5% ,
dispondo-se de material para base
com CBR=80% , material para
sub-base com CBR=40% e material
para reforço do subleito com
CBR=12%
U3 S2 - Dimensionamento e construção de pavimentos

Dimensionamento de pavimento rígido


Portland Cement Association (PCA)

• uso de barras de transferência de cargas entre as placas;


• função da resistência a flexão do concreto, com base no consumo de resistência a
fadiga (CRF), quando essa placa e submetida a ação repetida de carga de trafego
durante o período de projeto (DNIT, 2005)

Fator de segurança de carga (FSC).


• FSC = 1,0 para trafego leve – estradas rurais, ruas residenciais.
• FSC = 1,1 para trafego médio – rodovias e vias urbanas com trafego
de caminhões pesados.
• FSC = 1,2 para trafego pesado – rodovias.
• FSC = 1,3 para trafego especial.
U3 S2 - Dimensionamento e construção de pavimentos

Dimensionamento de pavimento rígido


Portland Cement Association (PCA)

• uso de barras de transferência de cargas entre as placas;


• função da resistência a flexão do concreto, com base no consumo de resistência a
fadiga (CRF), quando essa placa e submetida a ação repetida de carga de trafego
durante o período de projeto (DNIT, 2005)

Fator de segurança de carga (FSC).


• FSC = 1,0 para trafego leve – estradas rurais, ruas residenciais.
• FSC = 1,1 para trafego médio – rodovias e vias urbanas com trafego
de caminhões pesados.
• FSC = 1,2 para trafego pesado – rodovias.
• FSC = 1,3 para trafego especial.
U3 S2 - Dimensionamento e construção de pavimentos

Construção de rodovias: técnicas construtivas e equipamentos


U3 S2 - Dimensionamento e construção de pavimentos

Construção de rodovias: técnicas construtivas e equipamentos


U3 S2 - Dimensionamento e construção de pavimentos

Construção de rodovias: controle tecnológico

não se deve executar qualquer camada do pavimento em épocas de chuva e, no caso


de revestimento com mistura asfáltica a quente, quando a temperatura do ar estiver
abaixo de 10 °C
U3 S2 - Dimensionamento e construção de pavimentos

Exercício
Você e responsável pelos projetos da área de infraestrutura na sua empresa e agora vai
iniciar o desenvolvimento do projeto de pavimento, com valor de N=3,0E+06.
Os materiais disponíveis para as outras camadas apresentam as seguintes características:
• Material para base: brita graduada com CBR = 80%, =1,0 kB
• Material para sub-base: material granular com CBR = 40%, =1,0 kS
• Material para reforço do subleito: solo local, com CBR = 12%, =1,0 kref
• Material do subleito: solo, com CBR = 4%
U3 S2 - Dimensionamento e construção de pavimentos

Exercício
Você e responsável pelos projetos da área de infraestrutura na sua empresa e agora vai iniciar o
desenvolvimento do projeto de pavimento, com valor de N=3,0E+06, com revestimento do concreto
asfáltico.
Os materiais disponíveis para as outras camadas apresentam as seguintes características:
• Material para base: brita graduada com CBR = 80%, =1,0 kB
• Material para sub-base: material granular com CBR = 40%, =1,0 kS
• Material para reforço do subleito: solo local, com CBR = 12%, =1,0 kref
• Material do subleito: solo, com CBR = 4%
U3 S2 - Dimensionamento e construção de pavimentos

Exercício
Você e responsável pelos projetos da área de infraestrutura na sua empresa e agora vai iniciar o
desenvolvimento do projeto de pavimento, com valor de N=3,0E+06, com revestimento do concreto
asfáltico.
Os materiais disponíveis para as outras camadas apresentam as seguintes características:
• Material para base: brita graduada com CBR = 80%, =1,0 kB
• Material para sub-base: material granular com CBR = 40%, =1,0 kS
• Material para reforço do subleito: solo local, com CBR = 12%, =1,0 kref
• Material do subleito: solo, com CBR = 4%
U3 S2 - Dimensionamento e construção de pavimentos

Exercício
Você e responsável pelos projetos da área de infraestrutura na sua empresa e agora vai iniciar o
desenvolvimento do projeto de pavimento, com valor de N=3,0E+06, com revestimento do concreto
asfáltico.
Os materiais disponíveis para as outras camadas apresentam as seguintes características:
• Material para base: brita graduada com CBR = 80%, =1,0 kB
• Material para sub-base: material granular com CBR = 40%, =1,0 kS
• Material para reforço do subleito: solo local, com CBR = 12%, =1,0 kref
• Material do subleito: solo, com CBR = 4%
U3 S2 - Dimensionamento e construção de pavimentos

Exercício
Você e responsável pelos projetos da área de infraestrutura na sua empresa e agora vai iniciar o
desenvolvimento do projeto de pavimento, com valor de N=3,0E+06, com revestimento do concreto
asfáltico.
Os materiais disponíveis para as outras camadas apresentam as seguintes características:
• Material para base: brita graduada com CBR = 80%, =1,0 kB
• Material para sub-base: material granular com CBR = 40%, =1,0 kS
• Material para reforço do subleito: solo local, com CBR = 12%, =1,0 kref
• Material do subleito: solo, com CBR = 4%
U3 S2 - Dimensionamento e construção de pavimentos

Exercício
N=3,0E+06, Os materiais
disponíveis para as outras
camadas apresentam as
seguintes características:
• Material para base: brita
graduada com CBR = 80%,
=1,0 kB
• Material para sub-base:
material granular com CBR =
40%, =1,0 kS
• Material para reforço do
subleito: solo local, com CBR
= 12%, =1,0 kref
• Material do subleito: solo,
com CBR = 4%
U3 S2 - Dimensionamento e construção de pavimentos

Exercício
N=3,0E+06, Os materiais
disponíveis para as outras
camadas apresentam as
seguintes características:
• Material para base: brita
graduada com CBR = 80%,
=1,0 kB
• Material para sub-base:
material granular com CBR =
40%, =1,0 kS
• Material para reforço do
subleito: solo local, com CBR
= 12%, =1,0 kref
• Material do subleito: solo,
com CBR = 4%
U3 S2 - Dimensionamento e construção de pavimentos

Exercício

Você também pode gostar