Você está na página 1de 5

Introdução à Físi

a - FAP100

Gabarito - Lista 4

Parte 1 ( lasse)

1. (a) Assumindo que Belém está diretamente ao norte de Brasília e Manaus diretamente ao
oeste de Belém: d~ = 1630 ~j − 1290 ~i (km)
1630 km ~ 1630 km ~
(b) V~m = j= j ≈ 752 ~j (km/h).
2h 10 min 13/6 h
1630 ~j − 1290~i km
( ) V~m = ≈ 407 ~j − 333 ~i (km/h).
4 h
2. Considerando o sistema de referen ia abaixo (gura 1), onde a bola, em t = 0 s está a 9 m de
altura e om uma velo idade V~ = 7 ~i + 6 ~j :

(a) A gravidade só atua na omponente verti al da velo idade. Assim temos


9.8 2
Vy (t) = 6 − 9.8t y(t) = 9 + 6t − t
2
A bola pára quando Vy (t) = 0, o que o orre em t = 6/9.8, logo a altura máxima é
ym = y(6/9.8) ≈ 11 m.
(b) A bola está no hão (y(t) = 0) em t ≈ 2, 1 s e também em t ≈ −0, 87 s (0, 87
segundos antes do momento onde está a 9 m de altura, ou seja, quando saiu do hão).
x(t) = +vx0 t = 7t, e a distân ia per orrida x(2, 1) − x(−0, 87) ≈ 21 m.
( ) No ponto mais alto, a velo idade na direção y é nula, logo o módulo da velo idade é a
omponente x é 7 m/s.
(d) Como dito anteriormente a bola to a o hão em t ≈ 2, 1 s. Como vx é onstante basta
al ular Vy (2) ≈ −15 m/s, e assim, V~f = 7~i − 15~j (m/s).

~6m ~ 15 m

Figura 1: Sistema de referên ia adotado

1
3. Dada a independên ia dos movimentos em x e y (vi ulados pelo tempo) podemos tratar sepa-
radamente as equações
(a) vx = 2ax t, Ax = 2ax , vy = 2ay t, Ay = 2ay
[d]
(b) x e y tem dimensão de distân ia ([d]), logo ax e ay tem que ter dimensão , e as
[t2 ]
onstantes c1 e c2 tem que ter dimensão [d].
( ) c1 e −c2 são as posições ini iais (t=0) em x e y , respe tivamente.
(d) vx (2) = 80 m/s, ax (2) = 40 m/s2 , vy (2) = 60 m/s, ay (2) = 30 m/s2 .
(e) ver guras 2 e 3.

500
450
400
350
300
v (m/s)

250
200
150
100
50
0
0 2 4 6 8 10
t(s)

Figura 2: Variação da velo idade om o tempo.

100

80

60
a (m/s2)

40

20

0
0 2 4 6 8 10
t(s)

Figura 3: Variação da a eleração om o tempo.

(f) O movimento é uniformemente a elerado.

2
4. Os vetores 3~i + 2~j e −3~i − ~j estão representados na gura 4.

Figura 4: 3~i + 2~j e −3~i − ~j representados no plano artesiano

1 4 8
5. (a) ~a = ~i + ~j = 0, 5~i + ~j
8 8 8
(b) by = −3
( ) ~a + ~b = (4 + 3)~i + (8 − 3)~j + (0 − 1)~k = 7~i + 5~j − ~k
~a − ~b = (4 − 3)~i + (8 + 3)~j + (0 + 1)~k = ~i + 11~j + ~k
p
(d) |~b| = ~b · ~b = 3 · 3 + (−3) · (−3) + (−1) · (−1) ≃ 4, 36
p

(e) ~a · ~b = 4 · 3 + 8 · (−3) + 0 · (−1) = −12


(f) Chamando de θ o ângulo entre ~a e ~b temos:
~a · ~b −12
cos(θ) = =√ ≃ −0, 308 ⇒ θ ≃ 107, 93o . (1)
~
|~a| · |b| 80 · 19

Parte 2 ( asa)
 
80
1. (a) θ = arctan ≈ 78o (b) v ≈ 71 km/h ( ) ∆t ≈ 4 s.
17
2. (a) d ≈ 0, 57 m (b) d ≈ 9, 44 m.
3. Temos que ~a = ax~i + ay~j é onstante. Integrando em relação ao tempo temos:
ax t2 ~ ay t2 ~
~v (t) = (v0x + ax t)~i + (v0y + ay t)~j ~r(t) = (r0x + v0x t + )i + (r0y + v0y t + )j (2)
2 2
om ~v0 = v0x~i + v0y~j e ~r0 = r0x~i + r0y~j .
v 2 = ~v · ~v = (v0x + ax t)2 + (v0y + ay t)2 = v0x
2 2
+ v0y + (ax t)2 + (ay t)2 + 2ax v0x t + 2ay v0y t
ax t2 ay t2
= v02 + 2[ax (v0x t + )] + 2[ay (v0y t + )]
2 2
ax t2 ay t2
= v02 + 2[ax (r0x − r0x + v0x t + )] + 2[ay (r0y − r0y + v0y t + )]
2 2
= v02 + 2[ax (rx − r0x ) + ay (ry − r0y )] = v02 + 2~a(~r − ~r0 )

3
ax t2 ~ ay t2 ~
~r(t) = (r0x + v0x t + )i + (r0y + v0y t + )j
2 2
t t
= r0x~i + r0y~j + (2v0x + ax t)~i + (2v0y + ay t)~j
2 2
t t
= ~r0 + [(v0x + v0x + ax t)~i + (v0y + v0y + ay t)~j] = ~r0 + [(v0x + vx )~i + (v0y + vy )~j]
2 2
t
= ~r0 + (~v0 + ~v )
2
a0z 2~ a0x 2 a0z 3
4. (a) ~v(t) = (a0x t + v0 )~j + t k ~r(t) = r0x~i + ( t + v0 t)~j + ( t + r0z )~k
2 2 6
(b) ~v(3) = −23~j + 13, 5~k (m/s) ~r(3) = 3~i − 24~j + 18, 5~k (m)
( ) Ver guras 5, 6 e 7.

4
x (m)

0
0 2 4 6 8 10
t(s)

Figura 5: Variação da oordenada x om o tempo.

50
0
-50
-100
-150
y (m)

-200
-250
-300
-350
-400
-450
-500
0 2 4 6 8 10
t(s)

Figura 6: Variação da oordenada y om o tempo.

5. Supondo x, y e v0 dados, temos que


gy g 2 x4
(x2 + y 2 ) cos4 (θ) + x2 ( − 1) cos 2
(θ) + =0 (3)
v02 4v04

4
550
500
450
400
350

z (m)
300
250
200
150
100
50
0
0 2 4 6 8 10
t(s)

Figura 7: Variação da oordenada z om o tempo.

sendo θ o ângulo entre ~v0 e a horizontal. Esta equação de 2o grau, para ertos x, y e v0 é
satisfeita por dois ângulos θ1 e θ2 . No entanto, para x, y e v0 determinados, a eq. (3) tem
apenas uma solução (quando o dis riminante é nulo) e obtemos a parábola de segurança:
g2 y 2 2gy 2 4
2 g x
∆ = x4 ( + 1 − ) − (x 2
+ y ) =0⇒
v04 v02 v04

g2 x2 2gy v02 gx2 1 x2


⇒ = 1 − ⇒ y = − = (Am + )
v04 v02 2g 2v02 2 Am

Você também pode gostar