Você está na página 1de 8

ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO CAMPOS MELO

Fio Condutor
SUPLEMENTO www.escmelo.web.pt

PUBLICAÇÃO TRIMESTRAL * ANO 16 * JANEIRO 2007

EDITORIAL
pág. 2 “Campos Melo
PROJECTOS
pág. 3 no Pelotão da Frente”
TEMPOS LIVRES
SEPARADAMENTE

pág. 3 Assim caracterizou a nossa escola


a Drª Laurinda Sanches, da Coor-
123 ANOS DA ESCM denação Educativa de Castelo Bran-
VENDIDO

pág. 5 co, no passado dia 5 de Janeiro, Dia


da Escola.
CLUBES
SER

pág. 5
pág. 6
PODE
NÃO

VIAGENS
NA NOSSA TERRA Novas Oportunidades – CRVCC
E
2007

pág. 7
DE

A ESCOLA E O MEIO
JANEIRO

pág. 8
DE

Let’s meet in Europe


25
DE
COVILHÔ
DA
“NOTÍCIAS
DO
EDIÇÃO
DA
INTEGRANTE

pág. 4 pág. 4
PARTE

Clube do Jornal é Notícia


FAZ
SUPLEMENTO

A ESCM na Blogosfera
ESTE

Plano Nacional de Leitura


Um museu aberto à comunidade, venha visitá-lo!
Marcação de visitas pelo telefone nº 275310880
ou pelo email: info@esec-campos-melo.rcts.pt
pág. 2
II 25 JANEIRO 2007 www.escmelo.web.pt

PREPARAR O FUTURO
EDITORIAL
Da mesa da redacção Editorial
Quando determinado produto final chega às PRES. DO CONSELHO EXECUTIVO - ISABEL FAEL
mãos do consumidor, poucas vezes nos interro-
gamos acerca do historial que está por trás desse A comemoração do vas Oportunidades que volvimento da comuni- fora da sala de aula) e que
produto. Um jornal, qualquer que seja o seu âmbito, 123º aniversário da cria- permitiu a diversificação dade escolar na conse- nos movem a ir sempre
é um instrumento de divulgação de actividades, ção da Escola constituiu, da nossa oferta forma- cução de um Projecto mais além na busca de
mas é muito mais: é também um contador de certamente, uma exce- tiva, procurando ajustá- Educativo que aposta na respostas adequadas para
estórias, de uma entidade ou instituição. O próprio lente oportunidade para la, cada vez mais, ao formação de cidadãos todos e cada um dos que
Jornal da escola tem uma história a ele associada. acrescentarmos mais perfil de cada um dos empreendedores, criati- acreditam na educabili-
Este Fio ficará indubitavelmente marcado pela uma linha à história da alunos que nos procu- vos, eticamente respon- dade do ser humano e
mudança: nova equipa, novo dinamismo, novas nossa instituição. Sobre- ram e às exigências do sáveis, capazes de apren- apostam em nós.
determinações, novos rumos traçados, um “Blogue” tudo, porque o presente mundo actual. der ao longo da vida e de Aos nossos antigos e
actualizado em permanência e, acima de tudo, ano lectivo trouxe várias As diversas parcerias se realizar através da actuais Alunos, Pro-
vontade renovada para o trabalho. novidades à comunidade que estabelecemos, o cultura, da ciência, da fessores, Funcionários
O resultado é este Fio, fruto das sinergias de escolar, de entre as investimento que temos tecnologia, da estética, e Encarregados de Edu-
uma equipa que trabalhou dia e noite, muitas vezes quais haverá a destacar vindo a realizar em no- são desafios que estão cação, relembramos
vencendo o cansaço e roubando tempo à vida a entrada em funcio- vas tecnologias ao ser- na base da nossa gestão que a Escola é de todos
privada de cada um dos seus membros, para fazer namento do Centro No- viço da educação, o en- dos curricula (dentro e e para todos.
acontecer o primeiro número deste ano lectivo.
O Jornal não seria, no entanto, o que é hoje
sem o trabalho de equipa do Clube do Jornal, desde
a repórter sempre atenta, Carla Lobo, do 9º A,
passando pelos alunos do 11º H do curso Técnico
CET’s - Cursos de Especialização Tecnológica
de Desenho Gráfico, que se encontram neste PROFª ROSA MACEDO
momento a utilizar o Fio Condutor como balão Os primeiros 8 alunos desta etapa, realizou-se Multimédia terminou no de trabalho em rápidas
de ensaio para, futuramente, serem eles a compor do Curso de Especia- no passado dia 6 de De- início do ano lectivo. mutações e acelerado
a paginação. A energia inesgotável e a capacidade lização Tecnológica – zembro e na cantina da Os cursos CET resul- desenvolvimento cien-
de trabalho da profª Elsa Duarte, árdua tarefeira, Aplicações Informáticas ESCM um jantar de en- tam de uma parceria tífico e tecnológico.
paginadora, redactora, revisora de textos e artigos de Gestão, iniciado na cerramento com todos os entre a Campos Melo a Agora, em Janeiro,
e tudo o mais que uma verdadeira multitarefa é nossa Escola em 17 de alunos, formadores, coor- AFTEBI e a UBI, e visam começará o estágio curri-
capaz de fazer, permitiu que da mesa da redacção Outubro de 2005, termi- denadores e técnicos promover o desenvol- cular de 600 horas.
nascesse este Fio Condutor. naram a componente administrativos. vimento de formações Parabéns e Felici-
A equipa compromete-se aqui a publicar, no lectiva do seu curso. O CET de Desenvol- intermédias, capazes de dades, são os votos do
próximo número, os textos criativos que lhe foram Para assinalar o fim vimento de Produtos responder a um mercado Fio para estes pioneiros.
confiados.
Steven Casteleiro
clubedojornal@gmail.com
http://brevescamposmelo.blogspot.com
Associação de Estudantes - 2006/2007
PATRÍCIA AGUILAR - 12º B - COORDENADORA DE NÚCLEOS
As eleições para a Asso- festa na discoteca &Com-
ciação de Estudantes panhia sob o tema “Anjos
decorreram no passado e Demónios”.
dia 17 de Novembro,nela Para o 2º Período
concorrendo as listas K estão previstas a come-
e R. A lista K derrotou a moração do Carnaval,
lista R com uma dife- do Dia dos Namorados,
rença de 50 votos (K-259; do Dia da Mulher, e da
R-209). Semana do Secundário
A nova Direcção da AE (de 19 a 23 de Março), a
tem como presidente João realização de um work-
Robalo, vice-presidente shop/concerto musical,
Gonçalo Gomes e como de uma palestra e ain-
secretária Rita Sena. da a organização de
No último dia de aulas torneios de futebol,
Campos Melo na Blogosfera do 1º Período a Asso-
ciação organizou um
matraquilhos e jogos
tradicionais.
No início do século XXI, a comunicação social começou Torneio de Voleibol com A Associação promete
a dar atenção ao novo fenómeno de comunicação e equipas mistas de 8 ele- mentos e no primeiro dia de férias teve lugar uma animação.Participa.
intervenção global que surgiu nas sociedades con-
temporâneas: a blogosfera, que designa o conjunto de
toda a comunidade e conteúdos que constituem os blogs,
abarcando desde quem faz, quem disponibiliza, a quem
lê ou comenta os novos posts. A blogosfera somos todos Plano Nacional de Leitura - Um desígnio nacional
nós, os que utilizamos e navegamos pela Internet. «O Plano Nacional de Leitura tem como objectivo central elevar os níveis de literacia
Segundo o recente estudo State of Blogosphere,
existem actualmente qualquer coisa como 50 milhões de dos portugueses e colocar o país a par dos nossos parceiros europeus.
blogs, a blogosfera aumentou em 100 vezes nos últimos O impacto do Plano Nacional de Leitura será tanto mais significativo, na medida
três anos, e o número de novos blogs tende a duplicar a em que for considerado como um desígnio nacional (...) o sucesso depende da
cada seis meses. Este aumento significativo fez com que intervenção de todos e de cada um.
o fenómeno crescesse de importância e, por consequência, A par dos programas de promoção da leitura lançados no quadro do Plano, é
que o público familiarizado com a Internet aproveitasse
a oportunidade para o uso de uma nova forma de desejável que surjam livremente múltiplas e variadas iniciativas, de âmbito local,
intervenção, de crítica, desabafo ou simplesmente de regional e nacional, levadas a cabo por organizações da sociedade civil, por
comunicação. profissionais e por voluntários.
Uma vez que as mudanças se fazem sentir em várias Se a responsabilidade for assumida colectivamente, melhor e mais depressa se
esferas da sociedade, a escola vai absorvendo e in- conduzirá o país a um patamar superior.»
corporando novas ferramentas de comunicação e de
intervenção participada dos seus agentes, entre os quais, Plano Nacional de Leitura - www.planonacionaldeleitura.gov.pt
os alunos.
Assim, este ano lectivo, o Clube do Jornal da Conscientes do papel que nos cabe na aquisição e postais_natal.asp)
Escola iniciou-se num novo projecto que consiste na desenvolvimento dos instrumentos de leitura, De Fernando Pessoa Natal… na província neva
promoção de um blog escolar o BREVES_ONLINE, enquanto professores e membros de um clube que (ciberduvidas.sapo.pt/php/resposta.php?id=18891)
a par da edição em papel do Fio Condutor. não vive sem as letras, propusemos aos visitantes do De Maria Ondina Braga Natal Chinês (www.instituto-
O blog encontra-se disponível como link a partir do
site oficial da escola, que entretanto foi também nosso “Blogue” Escolar, na época do Natal, a leitura camoes.pt/cvc/contomes/14/texto.html)
remodelado, e pretende a participação de todos na de textos alusivos à quadra. Dia de Natal de Luísa Ducla Soares (www.eps-
divulgação de actividades, conteúdos ou através de Não queremos privar os leitores do Fio de saborear penalva-castelo.rcts.pt/projs/pena_jov/edicoes/
comentários. essas iguarias. 1999_12/NATALEPO.HTM)
Um blog é um instrumento de comunicação que se Até porque se o Natal fosse (como devia) todos os Natal Africano de Cabral do Nascimento
caracteriza pela interactividade pois as actualizações são
muitíssimo mais frequentes do que as de uma página dias haveria certamente 365 textos para divulgar. (www.instituto-camoes.pt/cvc/poemasemana/38/
pessoal, tendo ainda um conceito cronológico associado. Eis a nossa selecção: natal3.html)
Uma página pessoal pode ser estática ou não, mas um De Miguel Torga Um Conto de Natal (www:// Dia de Natal de António Gedeão (web.educom.pt/
Blog não pode nem deve ser estático. Se o for, deixa de ser cresines.rcts.pt/jornal10/consoada.htm) e História escolovar/natal_gedeao.htm)
um Blog. Antiga (www.instituto- camoes.pt/cvc/poemasemana/ De Sidónio Muralha Hoje é dia de Natal
Por isso vai a
http://brevescamposmelo.blogspot.com 13/natal1.html) (www.instituto-camoes.pt/cvc/poemasemana/38/
Está atento e comenta os posts que vão sendo publicados. Litania para este Natal de David Mourão- natal4.html)
Só assim o blog do Clube terá sentido! Ferreira (users.prof2000.pt/users/becre_essg/postais/ Prometemos mais desafios... Boas Leituras!

Fio Condutor
www.escmelo.web.pt 25 JANEIRO 2007 III
PROJECTOS À CONVERSA COM...

Ases pelos Ares Diz-me o que fazes nos... tempos livres


No âmbito da Área de No último número do
Projecto do 9º C, esta- Fio, à conversa com o
beleceu-se um programa Guilherme Espírito San-
de actividades aeronáu-
to soubemos que, en-
ticas entre a nossa Escola,
representada pelas Profas quanto campeão nacio-
Ana Moura e Susana nal de pesca à pluma, ia
Rosa – respectivamente representar Portugal no
directora da turma e do- Campeonato Mundial da
cente da disciplina – e o modalidade.
Departamento de Ciên- O certame teve lugar
cias Aeroespaciais da
em Portugal e a ceri-
UBI, na pessoa no seu
presidente o Prof. Dr. mónia final decorreu a
Jorge Miguel dos Reis 29 de Julho em Paredes
Silva, tendo como objec- de Coura. Aqui estão os
tivos: proporcionar aos brilhantes resultados do
alunos uma experiência V Campeonato do Mun-
na área da aviação atra- do de Flyfishing – Junio-
vés da construção e ope- As sessões de trabalho montagem da aeronave, rado para a final, o Fran- realizada na serra da
terão lugar na Campos até aos testes de todos os
res 2006: cisco deslocar-se-á à Estrela o Gonçalo re-
ração de um aeromodelo,
radiocomandado, de pro- Melo onde, após a formação sistemas, estando pre- Na classificação por República Checa para cebeu o troféu de1º
pulsão eléctrica e constru- dos 7 grupos de 2 elemen- vistos os ensaios dos aero- equipas, dos 10 países participar no Festival da Classificado no Cam-
ção simples; e realizar tos, se processará a cons- modelos para o dia 6 de participantes a portu- Boémia 2007 em Junho. peonato Nacional de Es-
visitas ao Departamento trução do aeromodelo, des- Junho à tarde, convidando- guesa ficou em 3º lugar. Humilde como de cos- qui Alpino, na catego-
da Covilhã e ao Aeró- de o corte das peças em se desde já toda a comuni- Individualmente, en-
dromo. Depron, passando pela dade a assistir ao evento. tume, o artista agrade- ria de Infantes Mascu-
tre os 51 concorrentes, ce: aos familiares, à linos.
Bons voos!
o Guilherme classificou- Rádio-Antena2, à Escola Com experiência nas
se em 22º lugar e o seu Secundária Campos Me- pistas nacionais e es-
irmão Alexandre em 13º. lo, à Academia de Mú- trangeiras, o nosso jo-
Parabéns. sica e Dança do Fundão, vem esquiador vai, den-
Na foto a equipa jú- ao Prof. de Instrumento: tro em breve, realizar
Parlamento dos Jovens nior portuguesa que
obteve o 3º lugar.
Pedro Rufino, à Direc- mais um estágio em
tora de turma Ana Fidal- Andorra ou Itália ou
3º Ciclo O Guilherme é o ter- go, à turma de Artes 12º França.
CARLA LOBO – 9º A – CLUBE DO JORNAL ceiro a contar da es- G, entre muitos outros Mas não é só ao esqui
a X dos rapazes que saiu querda e o Alexandre o que o ajudaram a tornar que o Gonçalo dedica as
vencedora. segundo da direita. tudo isto possível. suas energias. É tam-
Este projecto dina- Se te interessas por Agora um segredo: as bém cinturão azul de
mizado pela Professora estas actividades, para
Fernanda Paiva tem por mãos do Francisco não Karaté, medalhado a
além de teres o campeão produzem apenas sons nível nacional.
tema, este ano, “ O Im- nacional na tua escola,
pacto da Televisão Junto melodiosos. O nosso desportista
Dos Jovens” e pretende podes sempre procurar Ora vejam o seu auto- afirma que ambas as
levá-los a “reflectir sobre mais informação em retrato exposto na Arte actividades são muito
as suas experiências e www.portugalflyfishing.com. Covilhã. interessantes, mas que
expectativas e a aprovar O Fio deseja-te Felici- o esqui é bastante caro,
um projecto de Reco- Também já falámos dades. embora seja a única
mendação em que propo- deste rapaz com mãos de
nham ao Parlamento, a modalidade, do seu co-
oiro. Mais novo mas já reco- nhecimento, que tem
adopção de medidas que
considerem pertinen- O Francisco Morais nhecido dentro e fora da provas individuais todos
tes”. escola o Gonçalo Saraiva os anos.
O Parlamento dos Jo- Lança, de 13 anos, pra- Podes consultar estas
vens é uma iniciativa da tica esqui desde os 4 – fontes para saberes
No dia 10 de Janeiro mento dos Jovens – 3º Assembleia da República
realizaram-se as elei- Ciclo do Ensino Básico, filho de peixe… irmão de mais sobre estes des-
com a colaboração do
ções para escolher a projecto para o qual a Ministério da Educação peixinho… portos.
equipa que irá repre- turma do 7º C estava e da Secretaria de Estado No passado dia 24 de www.fpesqui.pt/
sentar a Escola na ses- inscrita com duas listas, da Juventude e Des- Novembro, na grande pt.wikipedia.org/wiki/
são distrital do Parla- a lista I das raparigas e porto. Gala de Esqui Alpino Carat%C3%AA

Ensino Secundário Franco apresentou, no


PROFª SUSEL FONSECA dia 21 de Novembro no
Na mesma data te- tem a participação de um blica subordinado ao Teatro Nacional D. Ma-
ve lugar a Sessão Es- grupo de alunos das tema “Abandono e In- ria II, em Lisboa, um
colar do Projecto “Par- turmas A e C do 11º Ano sucesso Escolar”. O pró- recital de guitarra a solo
lamento dos Jovens” que elaborou um Pro- ximo passo será a Ses- transmitido em directo
para o Ensino Secun- jecto de Recomendação são Distrital em Castelo pela Rádio-Antena2.
dário. Este programa à Assembleia da Repú- Branco. Este concerto resulta
da inscrição para o Con-
curso Radiofónico Inter-
Educação para a Cidadania nacional para Jovens
Instrumentistas “Praga
CARLA LOBO – 9º A – CLUBE DO JORNAL Concertino”, organizado
pela Radiofonia Checa,
No dia 22 de Novem- pectos interessantes alunos que no seu lugar
no qual somente podem
bro realizou-se no audi- como: “A escola deve falam alto para o outro
participar candidatos
tório da escola um deba- educar?”, “A escola não lado da sala; os pés de
patrocinados por uma
te/palestra sobre “Edu- é a família e não pode cima das carteiras, etc.
Emissora Nacional que
cação Para A Cidada- substituir os pais!”, “En- Concluiu-se o debate
pertença à União Euro-
nia”, organizado pela sinar a cidadania é: dar com a fórmula “Cida-
peia de Radiodifusão.
Assembleia de Escola/ opiniões; tomar deci- dania + Civismo = fun-
(em Portugal: RDP-An-
Conselho Pedagógico. sões; criticar.”, “ A Es- damentais numa socie-
tena2)
Da mesa faziam parte cola deve despertar nos dade/escola”
No dia 15 de Novem-
os professores Leonor alunos o espírito crí- Os promotores desta
bro, através do patro-
Lobo, João Boléo, Car- tico!”, “Dever-se-ia au- iniciativa anunciaram
cínio foi feita a gravação,
los Lavrador e ainda o mentar o peso das atitudes que este foi o primeiro
nos estúdios do CCB, da
Presidente da Asso- e valores na avaliação?” de muitos debates que
maqueta enviada para a
ciação de Pais, Carlos Reflectiu-se sobre ati- se irão realizar na nossa
organização do concur-
Lobo. tudes de falta de civismo escola.
so. No caso de ser apu-
Foram debatidos as- na escola, por exemplo, Ficamos à espera…

Fio Condutor
IV 25 JANEIRO 2007 www.escmelo.web.pt

CENTRO DE RECONHECIMENTO E VALIDAÇÃO DE CONHECIMENTOS E COMPETÊNCIAS

As Novas Oportunidades O meu Testemunho


FERNANDA LUIS
PROFª. ROSA CRUZ
Nos anos anteriores,
lizados. produzir materiais di- uma auto-estima reno- sempre com a vontade
Alguns cépticos dizem versos que comprovam vada que, acabado o deste mesmo ano, ma-
que é uma via facilitada, que, realmente, tem processo, finalmente triculava-me na Escola
que incentivará os jo- conhecimentos que equi- obtêm o 1B, 2B ou 3B – do Fundão ou na Escola
vens ao abandono esco- valem ao nono ano. equivalentes ao 4º, 6º ou do Paúl, para atingir um
lar com o objectivo de Como faço parte da 9º Anos, respectiva- objectivo: o de completar
o 9º ano.
obter a equivalência ao equipa desta escola, pos- mente. Mas toda essa vontade
O “Centro Novas nono ano sem fazer o so dizer que para os Em jeito de conclusão, se desmoronava, e sa-
Oportunidades” co- percurso escolar todo. candidatos que aqui re- e como a minha expe- bem porquê?
meçou este ano lectivo Desengane-se quem cebemos fazer este pro- riência em ensino noc- Porque era um imbró-
na nossa escola. pense em abandonar o cesso é sinónimo de turno já ultrapassa a glio: primeiro com a
Contrariamente a ou- ensino diurno com esse muitos sacrifícios, no- década, deixo aqui um minha disponibilidade;
tras novidades que, intuito, pois se é verdade meadamente: de tempo duplo conselho: aos que depois pela distância da tudo a Tecnologia.., a
Aldeia de S. Francisco, nossa futura caneta, da
nesta como em outras que os candidatos podem que roubam à família, ao estão no regime diurno, onde vivo, até à escola; qual eu costumo dizer:
escolas do país, desa- apresentar os seus tra- descanso ou mesmo à façam o vosso melhor finalmente com a dispo- quem não acompanha
gradaram a todos, o balhos num mínimo de actividade profissional, para aproveitar as opor- nibilidade do meu ma- fica para trás.
Reconhecimento e Vali- três meses, esses traba- quando trabalham por tunidades actuais, acre- rido que me leva às aulas Sigo as aulas com
dação de Conhecimen- lhos são o produto de conta própria; de deslo- ditem que a vossa vida é e por mim tem de espe- curiosidade, com ex-
tos e Competências veio três, de dez ou mesmo cações nocturnas, que e será muito mais fácil; rar. pectativa. É sempre
por bem para alguns de trinta anos de aquisi- chegam a ser de muitos aos que já não têm essa Mas como a vida é feita uma surpresa....
de lutadores e não de Aprendo a adquirir
adultos que, por moti- ção de aprendizagens e quilómetros, quer cho- possibilidade, aprovei- espectadores e como a conhecimentos, revi o
vos vários, não con- competências. va, quer vente; além do tem agora estas “Novas sorte não se tem, cons- meu Português a céle-
cluíram a (agora) esco- Assim, nesses três trabalho que têm a pro- Oportunidades” para trói-se, aqui estou dando bre Matemática – ainda
laridade obrigatória meses, que na maioria duzir os materiais que, melhorarem profissio- a minha prova. não estava de todo es-
mas que adquiriram ao dos casos são bem mais verdade seja dita, são nalmente ou como enri- Analisando todo este quecida – e sobretudo
longo da sua vida pes- do que três, o candidato, por vezes bastante difí- quecimento pessoal, nu- período, o que vi foi a Tecnologia sempre
soal e profissional co- em horário pós laboral, ceis de elaborar. ma sociedade cada vez gente de boa vontade, em cima da mesa.
gente que talvez pense E como aprender é
nhecimentos que po- tem que ir à escola vá- Mas também é com mais exigente é bom não como eu! Se pudesse uma constante da vida,
dem ser agora forma- rias vezes por semana e enorme satisfação e com “ficar para trás”. voltar atrás! Não estaria fico assim à espera de
aqui por certo! Enten- uma nova oportuni-
Os Primeiros Certificados dem....
Observo métodos de
dade, e como o saber
não ocupa lugar é caso
No dia 16 de Dezembro, decorreu no auditório da ensino mais abrangentes para dizer: vale a pena
mais apelativos, e sobre- o esforço!
Escola a primeira sessão de Reconhecimento e
Validação de Conhecimentos e Competências, dos
candidatos do Centro Novas Oportunidades que a
nossa escola integra.
Apresentaram-se a validação oito candidatos, todos
vindos do pólo do Paúl aonde o profissional do
Certificação
Centro, Dr. Gabriel Adriano, e os nossos formadores
foram como itinerantes.
A sessão foi aberta pela coordenadora do Centro,
Nível Secundário
Dra. Rosa Macedo, a apresentação dos candidatos Para o próximo ano lectivo prevê-se a certi-
foi feita pelo Dr. Gabriel Adriano, secretariou a ficação de nível secundário, tendo já o Centro
sessão a Dra. Genoveva Costa e esteve ainda Novas Oportunidades da Campos Melo mais de
presente, para além de toda a equipa de formadores, uma centena de pré-inscrições para serem
a avaliadora externa Dra. Cristina Saraiva, da validadas e certificadas as suas habilitações ao
Direcção Geral de Formação Vocacional. nível do 12º ano.
Dia 27 de Janeiro realiza-se outra sessão para a
certificação de novos candidatos.

Let’s meet in… Eslovénia


ANA SOFIA BARATA E JOANA RITA ARRIFANO – 12ºE

No passado mês de Postojna que têm cerca nos desta gente que nos
Novembro embarcámos de 20 km de compri- acolheu tão bem, com
numa viagem incrível à mento – parte do per- tanto carinho, foi tarefa
Eslovénia, no âmbito do curso é feito de comboio árdua. A comunicação
Projecto Comenius Let’s – e que são habitadas por muitas vezes foi difícil
meet in Europe, à des- um pequeno anfíbio sub- mas não impediu que
coberta de um país, de terrâneo, o Proteus. criássemos uma empa-
um povo e de uma cul- Fomos também a cida- tia, uma amizade entre os lugares e as pessoas,
tura fascinantes. des da costa, como Por- todos, uma ligação sim- pôs à prova o nosso
Para quem não viveu toroz e Piran. De re- plesmente incrível. Foi inglês e deixou-nos
esta experiência, deixa- gresso, parámos para uma viagem fantástica mostrar um pouquinho
mos o nosso diário de jantar na vila de Korte. em todos os aspectos, do que é Portugal a um
bordo e assim viajam 7º Dia Iniciámos um permitiu-nos conhecer pedacinho da Europa.
pelas palavras. mini projecto: a reali-
1º Dia (10/11/06) zação de postais ilus-
A aventura começa! trados de Maribor.
Partimos para Lisboa. 3º Dia Visita ao famílias de acolhimento Visitámos a capital
Ficámos na Pousada da Palácio de Schönbrunn, e os alunos eslovenos. eslovena, Ljubljana ,que
Juventude da Expo, da Princesa Sissi, que 5º Dia Recepção na nos impressionou por
espectacular e mui- nos impressionou com a Escola de Maribor, Prva não ter características
tíssimo acolhedora. sua beleza e imponência. Gimnazija Maribor. Ac- de uma grande capital,
2º Dia Apanhámos Visitámos ainda a Cate- tuação de um coro. Apre- muito bonita, limpa e
o avião de madrugada dral de St. Setphan e a sentação de cada aluno organizada
para Viena, capital da casa de Mozart. sobre a sua cidade. Pe- 8º Dia Apresentação
Aústria. Depois de ins- 4º Dia Conhecemos, quena visita guiada por do mini projecto. Tarde
taladas, passeámos pe- finalmente, os alunos da Maribor, destacando-se passada com as famílias.
las ruas da cidade e Holanda, Itália e Poló- o Rio Drava com a sua 9º Dia (18/11/06)
jantámos kebab (uma nia. Partimos todos para maravilhosa vista. O dia da despedida
comida tradicional tur- a Eslovénia onde, à che- 6º Dia Visita às chega triste como era de
ca!). gada, nos esperavam as fantásticas Grutas de esperar. Despedirmo-

Fio Condutor
www.escmelo.web.pt 25 JANEIRO 2007 V
ESCM – 123 ANOS AO SERVIÇO DA EDUCAÇÃO

O Dia da Escola Alunos distinguidos


Inaugura-se este ano uma nova tradição na Campos Melo, a comemoração anual do Dia da Escola que
pretende precisamente assinalar a data do nascimento oficial desta nossa centenária instituição.
pela Escola
Foi a 03 de Janeiro de 1884 criada na Covilhã uma Escola Industrial, com o fim de “ministrar o ensino Estes são os alunos premiados pelo seu excelente
apropriado às indústrias predominantes n’aquella localidade, devendo este ensino ter uma forma eminentemente aproveitamento escolar no Dia da Escola, 5 de
prática”. Janeiro, em que se comemoraram os 123 anos da
(cit. in Decreto, subscrito pelos Ministros das Obras Públicas e da Instrução Pública, respectivamente António Campos Melo ao serviço da educação.
Augusto de Aguiar e Hintze Ribeiro).
Dois dias mais tarde, a 5 de Janeiro de 1884, em sessão extraordinária, a Câmara Municipal da Covilhã, Alunos do 12º ano 2005/2006
“congratulando-se por ver atendida uma das mais imperiosas necessidades d’este município, qual a da instrução
com média igual ou superior a 15 valores
profissional”, deliberou pôr à disposição um edifício destinado a este fim.
(cit. in Acta da Sessão Extraordinária da Câmara Municipal da Covilhã.)
Ana Catarina A. Lucas
Ana Catarina N. Manteigueiro
evidenciam uma visão
de futuro. Ana Catarina S. Pinheiro
O vice-presidente do Ana Catarina S. Silvestre
Município da Covilhã, Ana Cláudia N. T. A. Carriço
Dr. João Esgalhado, fe- Ana Francisca S.Lima
licitou a Escola acres- Ana Isabel I. Martins
centando que a Câmara Ana Isabel M. Bernardo
coopera, dentro das suas Ana Leonor C. V. Lopes
possibilidades, com esta Ana Margarida M. Seixas
e outras instituições da Ana Patrícia M. Antunes
cidade, e que, em parti- Ana Rita P. G. Prata
cular com a nossa, tem
Ana Teresa P. L. C. Peixeiro
efectuado parcerias bas-
O primeiro evento tante frutuosas em di-
Andreia Alexandra M. Carriço
integrado no programa versas campos de ac- Andreia Isabel M. Exposto
das comemorações foi vida tinham sido os pas- çado na Campos Melo Barbara Joana M. Barata
tuação.
dedicado aos alunos. sados nos bancos desta há 25 anos, quando Bernardo Filipe R. Bordadágua
A Presidente do Con-
Em organização con- escola, onde aprendeu a encontrou nos mestres
selho Executivo, Isabel Carlota Fino N. P. Bicho
junta da Associação de aprender. Exortou, ain- engenheiros a sua vo-
Fael, agradeceu em no-
da, os alunos presentes cação. Carolina Damasceno R. M. Lopes
Estudantes e da Profª me da escola a presença
a agarrarem bem as Catarina Sofia S. Canário
Maria do Amparo de e as palavras elogiosas
Jesus, realizou-se um oportunidades que lhes Após uma breve pausa Cláudia Raquel G. Dias
dos oradores, não sem Diana Rita B. Lucas
Peddy-Paper que, de são dadas, afirmando «o para um chá, fez-se a
deixar de fazer sentir as Diogo Emanuel N. Alves
forma lúdica, testou o melhor que vos pode acon- entrega de diplomas aos
carências que, de algum
conhecimento das equi- tecer, neste momento, é melhores alunos do 9º e Diogo Miguel M. S. Almeida
modo, ambos poderiam
pas participantes sobre estar na escola.» 12º anos de 2005/06. Edgar S. Figueira
ajudar a superar.
o espaço da escola e as Fernando Diniz, arqui- Joana Fidalgo V. R. Silva
figuras históricas que tecto, docente da UBI e A comemoração deste Joana M. de Carvalho
Já no painel Olhares
com ela se relacionam. autor do projecto do 123º Aniversário termi- Joana Pinto Fernandes
e Desafios, os convi-
Pavilhão Gimnodespor- nou com um jantar de
dados, todos ex-alunos João Tiago M. Matias
«Campos Melo tivo da Campos Melo, homenagem aos profes-
da ESCM, sublinharam Jorge Pedro N. Luciano
no Pelotão valorizou “o rigor, a sores e funcionários
nas suas intervenções Laura Maria A. S. Moreira
da Frente» disciplina, a equidade recentemente aposen-
tanto a qualidade dos Laura Sofia P. B. Gonçalves
social, a simplicidade do tados, que decorreu na
saberes adquiridos nesta Lia Pereira S. G. Antunes
trato” que aqui encon- cantina da Escola e foi
escola como a impor- Luís Pedro C. Pinheiro
trou quando entrou no abrilhantado pela actua-
tância das atitudes e Mafalda da Costa Morais
secundário. ção do Grupo de Adu-
valores aqui aprendidos,
Engenheiro civil de feiras do Paúl, do qual Mafalda M. A. C. B. Sousa
os quais lhes têm per-
profissão, Rui Santos fazem parte algumas Margarida S. A. Martins
mitido enfrentar e supe-
Luís afirmou sentida- alunas do CRVCC da Maria Inês A. Fortes
rar os desafios encontra-
mente que a sua vida nossa Escola. Maria Inês T. Neves
dos ao longo da vida.
profissional tinha come-
O Prof. Dr. João Lei- Mariano Anastácio F. Rosa
tão, que é Professor Auxi- Mariana Ferreira C. Sena
liar no Departamento de Mariana Moreira D. Antunes
Economia e Gestão da Miguel André S. G. Delgado
UBI e tem feito um per- Miguel Ângelo C. Antunes
curso invejável, apre- Mónica Cristina Zhu Yang
Foi deste modo que a sentou um esquema de
Coordenadora da CE de Nádia Sofia da S. Barata
clusterização para a Bei-
Castelo Branco carac- Natacha Rafaela S. das Dores
ra Interior. Na lição de
terizou a nossa escola Nathalie Santos Catalão
João Leitão todos apren-
na sessão que solene- demos que cluster é Oriana Pombo Viegas
mente assinalou os 123 “uma forma de organi- Raquel Coelho Maranhas
anos da Campos Melo, zação espacial que con- Raquel Rodrigues Sobral
realizada à tarde no siste em concentrações Ricardo Filipe P. S. O. Graça
auditório da ESCM. geográficas de empresas Rita Carvalho A. C. Frade
A Drª Laurinda San- e instituições numa área Rita Maria M. D. Ivo
ches, citando o lema do específica. As redes de
nosso Projecto Edu-
Samuel Filipe D. Chiquita
clusters visam promover
cativo, afirmou que a Sara Alexandra P. C. Meireles
simultaneamente a coo-
Campos Melo tem um peração e a competição,
Susana Isabel S. Patuleia
passado de que orgu- de que resulta a “coo- Tânia Marília C. Duarte
lhar-se, mas também o petição”. Ao longo da sua Tatiana Sofia G. Matos
presente deve ser mo- exposição o orador reite- Telmo Filipe L. Caetano
tivo de orgulho, pois radamente atribuiu à
manifestamente sobre ESCM a responsabili- Alunos do 9º ano 2005/2006
ele reflecte e toma, dade pela sua formação com nível 5
hoje, iniciativas de in- inicial, pautada por cri-
clusão, como a aber- térios de rigor e exi- Ana Carolina M. Teodósio
tura dos Cursos de Edu- gência.
Ana Vitória C. Dias
cação e Formação, de A exercer advocacia na
Cursos Profissionais e Covilhã, a Drª Joana Guilherme C. Monteiro
do CRVCC – Centro No- Rocha sublinhou que os Laurie Anne P. B. Oliveira
vas Oportunidades, que melhores anos da sua Maria Carolina B. Cariano

Fio Condutor
VI 25 JANEIRO 2007 www.escmelo.web.pt

OS CLUBES

Outros Clubes… Outras Experiências Holografia – Feito Notável


Para além dos clubes aqui em evidência, funcionam na Campos Melo mais
seis: Artes Conservação e Restauro, Ciências, Cinema, Floresta, Saúde e Rádio, PROFª ROSA SIMÕES – COORDENADORA
dos quais daremos notícias em próximos números do Fio. Lembram-se do Sa- Clube de Holografia em
muel Chiquita? Já en- particular, proporcio-
trou na universidade em nam a quem os frequen-
Ciências Biomédicas. ta uma aprendizagem
Biotecnologia Ambiental Frequentou Química e informal que permite
PROF. LUÍS LOPES – COORDENADOR Biologia do 12º ano mas este tipo de brilharetes!
No ano lectivo 2005/ metido, uma vez que no não pôde frequentar as No caso do Chiquita, as
06 foi elaborado um presente ano lectivo aulas de Física apesar de suas capacidades, o
projecto na área da (2006/07) será assegu- gostar muito da disci- contacto com os vários
biotecnologia ambiental rado por um grupo de plina. Apostou que con- professores do clube e
por um grupo de alunos alunas do 11ºC, que re- seguia fazer a Física por quatro horas de viagem
do 12º B para candi- velaram já muito inte- exame mesmo sem ir às de comboio a resolver
datura ao programa resse e empenho na sua aulas. E conseguiu! Foi os exames de Física da
Ciência VI, tal como foi continuidade. Estas alu-
noticiado em número nas, que já estão a tra- ou não um feito notável? primeira chamada, fize-
anterior do Fio Con- balhar no projecto desde O Clube de Holografia der, mostrou que “quem ram aparecer a única
dutor. Estes alunos o 1º período, propõem-se orgulha-se deste holó- quer, consegue”! Este nota positiva na pauta
foram pioneiros no es- construir e estudar sis- grafo que, com determi- feito notável mostra que do exame de Física da
tudo deste tema na temas biológicos de tra- nação e vontade de apren- os Clubes em geral, e o segunda chamada!
nossa escola e durante tamento de efluentes e
esse ano lectivo reali- concluir o projecto que
zaram trabalhos impor- foi iniciado no ano pas-
tantes, que constituí-
ram as bases de tra-
esse ano lectivo.
Apesar desses alunos
sado.
Iremos dando novi-
Informática - Net-paper
balho para os colegas terem ingressado na dades, no Fio Condutor CARLA LOBO – 9º A – CLUBE DO JORNAL
que lhes sucederam. É Universidade, nas mais ou no nosso sítio na No passado dia 13 de alunos), mas foram en- tempo possível. A dura-
de realçar o desenvol- diversas áreas (Medi- página da escola (www.esec-
vimento de culturas de cina, Biologia, Ciências campos-melo.rcts.pt), à Dezembro, realizou-se trando mais enquanto os ção máxima para a rea-
bactérias em condições Biomédicas, etc) o pro- medida que o projecto na sala 25 pelas 15h 10m que terminavam saíam. lização das provas era
específicas, durante jecto não ficou compro- for desenvolvido. um Net-Paper organizado Houve duas provas, de uma hora e meia.
pelo Clube de Informática. das quais a segunda era Os vencedores foram:
A actividade foi direc- a mais difícil. Ambas João Pinto do 9º D e

Criar Laços cionada para os 7º,8º e 9º


anos. A sala encontrava-
consistiam em respon-
der a 10 questões acerta-
João André do 9º E, que
ganharam materiais
PROF. AS
LEONOR LOBO E MARIA JOSÉ SOARES – COORDENADORAS se cheia (cerca de 25 damente e no menor escolares.
Está em preparação o dia 20 de Abril e que, este tarde na sala 3, a partir
XI Sarau Cultural da ano, se subordina ao tema das 14:15h. Vem divertir-
Campos Melo que terá
lugar no Teatro Cine no
Don´t worry, be happy.
Aparece às quartas à
-te e divertir os teus
amigos. Participa! Robótica
PROF. JOSÉ BARBOSA – COORDENADOR DO CLUBE DE ROBÓTICA
No ano transacto os
Desporto Escolar alunos João Rodrigues e
Pedro Lázaro tiveram a
PROF. JOÃO FERREIRA – COORDENADOR oportunidade de partici-
levaram a que o pro- em todos os escalões a par num grande evento
cesso de recrutamento cargo do professor Luís de robótica, o RoboCup
de elementos para os Paiva e o Basquetebol 2006 em Bremen, Ale-
grupos/equipas, e con- Masculino, escalão juve- manha. Foi uma aventu-
sequentemente o fun- nis, sob a alçada do pro-
cionamento dos mes- fessor Carlos Oliveira. ra inesquecível, vivida
mos, não tenha arran- Quanto à actividade na companhia de outros
cado conforme as expec- interna, esta será for- jovens portugueses da
tativas. No entanto e çosamente mais redu- A.P.C.S., do pólo da
com o esforço do Grupo zida que em anos an- Guarda.
de Educação Física as teriores e isto pelas Esta deslocação, apoia-
actividades desportivas razões anteriormente da pela FEDER, POCI e
irão continuar para gáu- expostas, no entanto e
CIÊNCIA VIVA, permi-
Depois de no ano tran- dio de uns e desespero fruto de alguma carolice
sacto, a Escola Secun- de outros. e voluntariado, o Clube tiu aos nossos alunos
dária com 3º CEB Cam- No presente momento do Desporto Escolar em conhecer projectos reali- Neste ano lectivo de de um projecto tam-
pos Melo da Covilhã ter o Clube do Desporto conjunto com o grupo de zados por jovens de ou- 2006/2007 temos por bém apoiado pela FE-
tido um conjunto de Escolar tem a funcionar Educação Física irão tras nacionalidades, num objectivos a construção DER, POCI e CIÊNCIA
resultados de realce, a quatro grupos/equipas: a organizar o Corta Mato ambiente extraordiná- de robôs móveis autó- VIVA, iremos desenvol-
nível do desporto esco- Natação em todos os e Mega-Sprinter e al- rio, marcado pelo espí- nomos destinados à par- ver actividades de ex-
lar, o começo deste escalões e tendo como guns torneios, como o ticipação no Festival ploração de novos com-
rito da participação e
novo ciclo não correu responsável o professor Compal Air 3x3 e o tor-
como se esperava. As João Ferreira, o Futsal neio de Voleibol. pela criatividade reflec- Nacional de Robótica e ponentes e estudar no-
indefinições do Ministé- Feminino, escalão ju- Esperamos por ti! In- tida na implementação no Concurso Robô Bom- vas soluções tecnoló-
rio da Educação e a venis, de que é res- forma-te junto do teu de ideias tecnológicas. beiro de 2007. Através gicas.
sobrecarga de aulas dos ponsável a professora professor de Educação
alunos e professores Nilza Duarte, o Ténis Física.

Teatro
Fotografia PROFª PAULA ROCHA – COORDENADORA
PROF. JOÃO BOLÉO – COORDENADOR Após um período de algum ilustre desconhe- cialmente sobre o Aque-
O clube iniciou a sua fotografia, ao equipa- nos registam pormeno- formação e conhecimen- cido. À tarde vamos apre- cimento Global e a sua
actividade com um gru- mento mais utilizado, res do interior e exterior to do grupo, o Clube sentar algumas activi- influência nas Regiões
po de nove alunos, co- material e instalação do da escola, seguindo-se o encontra-se na fase de dades de Teatro a alunos Polares.
meçando por fazer uma laboratório de fotografia. processo de revelação elaboração de textos, da Escola Pêro da Covilhã. Finalmente, estamos
abordagem à história da Neste momento os alu- filme/papel. preparação de adereços Estamos também en- a preparar umas sur-
e encenação. volvidos num projecto presas para o Sarau
Este ano vamos come- chamado “Latitude 60 - Cultural, que organiza-
Recital de Poesia morar o Dia Internacio-
nal do Teatro com uma
Ano Polar Internacio-
nal”. É um projecto a
mos em conjunto com
o Clube Criar Laços.
PROFªS MARIA DO CARMO ABRANTES E OTÍLIA MESQUITA – COORDENADORAS temática muito badala- nível Nacional, com a Já sabes, se queres
Para assinalar o Recital para o qual se para declamar. Preve- da: Os Grandes Portu- participação de muitas ser uma estrela du-
Dia Mundial da Poe- convidam os amantes mos para o final da gueses. No dia 27 de Escolas. O Clube decidiu rante uma noite ou
sia, 21 de Março, es- da leitura e os que sessão um chá de le- Março estejam atentos participar e escreveu simplesmente gostas
tamos a preparar um gostam ou têm jeito tras. Vem participar! pois podem tropeçar com uma peça que fala essen- de Teatro, aparece!

Fio Condutor
www.escmelo.web.pt 25 JANEIRO 2007 VII
VIAGENS NA NOSSA TERRA

A Importância Vital da Água Memorial do Convento


TURMA DO 12º J Uma Leitura Ilustrada
A turma 12º J rea- PROFS OTÍLIA MESQUITA, Mª DO CARMO ABRANTES, SUSEL FONSECA E
lizou uma Visita de Mª JOSÉ IVO
Estudo às Estações de
Tratamento de Água No âmbito do estudo
(ETAs) da Capinha, Mei- da obra “ Memorial do
moa e Belmonte, no Convento”, conteúdo
âmbito do programa programático de Portu-
das disciplinas técni- guês do 12º ano, reali-
cas do curso “Técnico zaram-se duas visitas de
de Gestão Ambien- estudo ao Palácio Na-
tal”. cional de Mafra.
Um dos objectivos O 1º grupo, composto
era complementar a por 34 alunos do 12º C,
teoria das aulas com a D e E, acompanhados
componente prática. pelos professores Otília
Na Empresa Águas Mesquita, Maria do Car-
do Zêzere e Côa, obser- população. tureza se encarrega da mo Abrantes e José Bar-
vámos todas as etapas Produzem-se na ETA etapa de filtração e ape- bosa, visitou o Palácio de
e processos de trata- da Capinha cerca de 150 nas a desinfecção é feita Queluz e o Palácio de
mento da água, (cap- m3 água tratada/hora, à base de produtos quí- Mafra no dia 11 de De-
tação remineralização, de forma a abastecer micos. zembro.
pré-oxidação, coagu- uma população de 12 000 A opinião é unânime: Na visita ao Palácio de
lação/floculação, de- habitantes. a visita foi muito provei- Queluz, assistiu-se ini-
cantação, filtração, de- Em Belmonte, a cap- tosa, aguardamos ansio- cialmente a uma drama-
sinfecção),até ao reser- tação da água é sub- samente por outras igual- tização em que solici-
vatório de adução à terrânea. A própria na- mente gratificantes! taram a colaboração dos
alunos Ana Meireles e
Ricardo Fernandes, os
quais foram muito aplau-
Visita à Conservatória do Registo Civil didos pela sua brilhante
representação de perso-
ANA FAZENDEIRO - 10º G nagens do Séc. XVIII.
Seguiram-se dois mo-
Os futuros técnicos Já na repartição, ac- a quem agradecemos a mentos humorísticos,
de Serviço Jurídico visi- tualmente informati- recepção. com a representação do
taram a Conservatória zada, verificámos como É indiscutível que Bobo da Corte e uma
do Registo Civil da Co- se executam todos os este contacto directo “despedida à época” orien-
vilhã, no âmbito das actos de registo desde o com as instituições, onde tada pelo Mestre de Ce-
disciplinas de Direito e nascimento ao óbito. podemos vir a trabalhar rimónias. Já nos Jardins
Direito Processual, Na zona de arquivo no futuro, é uma mais do Palácio, os alunos
acompanhados pelos observámos a evolução valia para a aquisição foram surpreendidos
professores Gabriel dos documentos nos últi- dos conhecimentos e um pelo convite para parti-
Adriano e Rui Mar- mos 100 anos e alguns forte estímulo à nossa ciparem no Jogo do Pélé-
ques,. colegas puderam visio- motivação. lé, também um diverti- na esplanada de “A Bra- ao Palácio-Convento,
Nas arcadas do Palá- nar o seu próprio registo Dado o seu sucesso, mento da época em causa. sileira”. A “aldeia” de durante a qual foi dada
cio da Justiça obser- de nascimento. importa promover mais O 2º grupo, composto Pessoa, como o próprio uma explicação sobre a
vámos in loco os símbo- As nossas questões visitas a outras insti- por 33 alunos do 12º B, disse «A aldeia em que obra “Memorial do Con-
los da justiça: a balan- foram prontamente es- tuições com práticas F e G e pelas professoras nasci foi o Largo de S. vento”. Divididos em
ça, a espada e o livro. clarecidas pela D. Isabel, jurídicas. Susel Fonseca e Maria Carlos», era mesmo ao grupos, uns alunos
José Ivo, fez o percurso lado, pelo que vimos a visitaram a Biblioteca
pessoano, na baixa lis- igreja dos Mártires, on- que, em número de
boeta e visitou o Palácio de foi baptizado, e a casa livros, é uma das maio-
de Mafra no dia 15 de onde nasceu. Descemos res da Europa, e outros
Geologia ao Vivo Dezembro. ao Terreiro de Paço, subiram ao zimbório,
RAQUEL RAIMUNDO – 10º C À chegada a Lisboa , o onde espreitámos o “Mar- donde se avista, em dias
grupo aventurou-se, mu- tinho da Arcada”, agora soalheiros, o Palácio da
nossauros de Portugal, nido dum mapa-guia, um luxuoso restauran- Pena, em Sintra. A
do Jurássico Superior, pelas ruas da Baixa, à te, e entrámos no au- magnitude quer do edi-
com 150 milhões de procura dos locais fre- tocarro que nos aguar- fício quer dos Carri-
anos. quentados por Fernando dava junto à maior árvo- lhões ficou na memória
Destaca-se o ninho de Pessoa, começando pelo re de Natal da Europa. de todos.
Lourinhanossauros, um “Nicola”. Alguns alunos Após o almoço, na can- No regresso, efec-
carnívoro, entre outros adiantaram-se e espe- tina da Escola José Sara- tuou-se uma pequena
fósseis de espécies úni- raram os colegas, senta- mago, já em Mafra, deu- paragem no Centro Co-
cas no Mundo. dos à mesa com o Poeta, se início à visita guiada mercial de Torres No-
Na praia do Caniçal/ vas, para recuperar
Paimogo apreciámos forças para o resto da
uma arriba estratificada, viagem até à Covilhã.
formada por rochas sedi- Durante o trajecto os
mentares, essencial- alunos evidenciaram
mente argilas e arenitos. toda a sua vivacidade e
Na Consolação obser- alegria, certos de que
vámos fósseis de in- esta viagem lhes pro-
vertebrados bivalves e porcionou um acrésci-
As turmas do 10º A, B Geologia. colónias de corais. mo cultural muito im-
e C realizaram uma vi- O Museu da Lourinhã Esta viagem foi bas- portante para a sua
sita à Lourinhã, com o é famoso pelos seus tante compensatória, na formação, e constituiu
objectivo de adquirir achados fósseis, pois medida em que adqui- uma motivação para a
mais conhecimentos na aqui está a maior co- rimos novos conheci- leitura da obra do Nobel
disciplina de Biologia/ lecção de fósseis de di- mentos de Geologia. português.

Visita das Artes ao Porto


INÊS MACEDO - 12º G
As turmas de Artes, Editora. Os alunos são de opi-
no cumprimento dos Visitaram, ainda, no nião de que a visita
projectos curriculares Museu de Arte Contem- contribuiu bastante para
de turma, realizaram porânea da Fundação de o seu enriquecimento
uma visita de estudo ao Serralves, uma exposi- cultural, e o convívio
Porto, onde visitaram ção de obras de arte (pintu- entre professores e alu-
as instalações da produ- ra e escultura) de vários nos foi, como sempre,
ção gráfica da Porto artistas contemporâneos. muito agradável.

Fio Condutor
VIII 25 JANEIRO 2007 www.escmelo.web.pt

A ESCOLA E O MEIO

A ESCM no Dia da Cidade Direitos Humanos – 8º C


PROFª ANA MONTEIRO No Dia Mundial dos
Direitos Humanos, 10
A ESCM associou-se, No dia 23 de Outubro como pintor e da sua de Dezembro, nas aulas
este ano, às comemo- os alunos de duas tur- motivação para a pin- de EMRC a turma do 8º
rações do 136º aniver- mas de Artes, uma do 10º tura. B, sob orientação da
sário da Elevação da e outra do 12º, assis- Profª Elsa Domingues,
Covilhã a Cidade. tiram a um Workshop Nota: Os alunos do 10º debruçou-se sobre o
Organizada pelo gru- de pintura dinamizado ano têm no programa de tema e produziu uns
po de Filosofia da Cam- também por Miguel Al- Filosofia uma unidade trabalhos bem interes-
pos Melo, esteve pa- meida. dedicada à estética e vão santes de divulgação dos
tente ao público no Pintura “RubiK´s Cube” O pintor executou duas ser ainda convidados a Direitos Humanos.
Espaço Arte e Cultura de Miguel Almeida, um obras, que ofereceu à assistir a uma confe-
entre os dias 20 de jovem pintor de 32 anos, nossa Escola, foi ex- rência sobre arte e filo-
Outubro e 21 de No- e ex-aluno da nossa Es- plicando a sua técnica, sofia durante o segundo
vembro, a Exposição de cola. falou da sua experiência período.
Árvore de Natal Invulgar
Miguel Almeida TIAGO PEREIRA - 10º G

O interesse pela pin- Miguel Almeida usa Universal dos Direitos


tura surgiu desde cedo cores vivas nas suas do Homem no âmbito
em Miguel Almeida, obras e considera que da sua disciplina de
que recorda: “Lembro- ao seu traço corres- Direito, executou e
me de estar interes- ponde mais a figura ofereceu à comunidade
sado por esta arte desde feminina. educativa uma árvore
os seis anos de idade. ” A sua expressão si- de natal composta apro-
Nascido em Pontar- tua-se no intuitivo- ximadamente por 100
lier (França) vive na figurativo-expressio- palavras que expres-
Covilhã desde 1999. nista, apesar da sua sam não só os direitos
Frequentou no ensino obra ser maioritaria- humanos mas também
secundário a opção mente a tela em óleo, os valores morais e
artes plásticas e histó- experimentou vários sociais vividos na época
ria da arte, e chegou a suportes como a ma- natalícia.
frequentar a Escola deira, o espelho e o A turma do 10°G, futu- Todos somos poucos
Superior de Belas Ar- cartão. Fez também ex- ros técnicos de serviços na defesa dos Direitos
tes de Besançon, mas periências diversas com jurídicos, ao reflectir Humanos.
abandonou por acre- vários materiais, como sobre os direitos consa- Contamos com a tua
ditar que estaria “a nuidade em relação à que considero ser van- escultura em madeira, grados da Declaração ajuda.
perder uma certa inge- arte, ingenuidade essa tajosa”. barro e cerâmica. Se te interessas por este tema podes visitar as
páginas
www.unhchr.ch/udhr/lang/por.htm
www.amnistia-internacional.pt/.
Participação do Grupo das Artes da ESCM na ArteCovilhã
O “nosso” Presépio Ardeu

Na primeira Feira de Artes promovida pela Anil, o Stand da Escola Campos Melo foi muito concorrido.
O público apreciou a produção de arte ao vivo executada pelos nossos alunos.
Se pensas que tens talento e vocação e queres seguir a área de Artes não te esqueças:
É na Campos Melo.
Equipa Solidária
Dia Europeu das Línguas - 26 de Setembro Nos dias 25 e 26 de Novembro desenvolveu-se a
campanha “Banco Alimentar Contra a Fome” no
Hipermercado “Feira Nova”, actividade essa em que
PROFª MARIA JOSÉ IVO – COORDENADORA DO DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS ROMÂNICAS por iniciativa do Director de Turma, Prof Steven
Casteleiro, participaram quatro alunas do 9º A: Ana
com o atarefado início do novos do 3º Ciclo, alguns Baptista, Anabela Lopes, Mariana Santos e Sara
ano lectivo, os docentes valores esquecidos pela Caixinha.
empenharam-se nas acti- sociedade actual.
vidades: divulgação de No final do dia, como
provérbios em várias já é tradicional, houve
línguas; projecção de um lanche em que não
No presente ano lec- filmes; um almoço e faltaram as especiali-
tivo, os Departamentos um lanche com cardápio dades /iguarias de cada
de Línguas Germânicas internacional. país: os scones quen-
e Românicas decidiram “A Residência Espa- tinhos, a tortilha, os
comemorar o Dia das nhola”, um filme 100% crepes e a chouriça…
Línguas a 26 de Se- europeu, foi o escolhido Foi, também, uma for-
tembro, ou seja, no para as turmas do se- ma de acolher e integrar
“Dia Europeu das Lín- cundário, pois retrata os alunos e os profes-
guas” associando-se, bem a importância do late em “Charlie e a sores novos na escola, e
assim, a esta efeméride conhecimento das várias Fábrica de Chocolate” dar as boas-vindas a
internacional. línguas. pretendeu-se transmi- todos para mais um ano
Apesar de coincidir Com a magia do choco- tir, com doçura, aos mais lectivo.

Fio Condutor