Você está na página 1de 16

ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO CAMPOS MELO

Fio Condutor
SUPLEMENTO www.escmelo.web.pt

PUBLICAÇÃO TRIMESTRAL * ANO 16 * JUNHO 2007


SEPARADAMENTE
VENDIDO
SER
PODE
NÃO
E
2007

Alunos e Professores
DE
JUNHO
DE
28

no pódio
DE
COVILHÔ
DA
“NOTÍCIAS
DO
EDIÇÃO

EDITORIAL
DA

pág. 2
INTEGRANTE

(IN)FORMAÇÃO
págs. 3 e 7
INVESTIGAR E ESCREVER
PARTE

págs. 4 e 5
LER E ESCREVER
FAZ

pág. 6
SUPLEMENTO

A ESCM NO PÓDIO
páginas centrais
DIAS DOS DEPARTAMENTOS
ESTE

págs. 10 a 13
VIAGENS NA NOSSA TERRA
págs. 14 e 15 Mais um ano escolar passou, recheado de novas aprendizagens, de novas
A ESCOLA E O MEIO experiências, de muito empenho... E os resultados estão à vista!
pág. 16 Uma nova vaga de prémios, abrangendo a ciência e a tecnologia, o
OFERTA EDUCATIVA desporto, as letras, veio recompensar o esforço e incentivar para novas
pág. 16 conquistas.
II 28 JUNHO 2007 www.escmelo.web.pt

PREPARAR O FUTURO

Da mesa da redacção Editorial


Vai-se tornando difícil ser original! PRES. DO CONSELHO EXECUTIVO - ISABEL FAEL
É que nos últimos anos não há como fugir ao
destaque, por sinal merecido, dos alunos e professores Na recta final de mais um ano lectivo pleno de realizações e de mudanças, é tempo de reflexão sobre
que tão alto e tão longe têm levado o nome da Campos
o passado e de planeamento do futuro.
Melo. De novo fazem manchete os galardões recebidos,
em diferentes áreas como a da investigação em ciência, Porque estamos a preparar o nosso Projecto Educativo para 2007/2010, a comunidade educativa foi
1º prémio dos Jovens Investigadores, do desporto, 3º recentemente chamada a avaliar o trabalho desenvolvido nos últimos anos, a identificar os pontos
lugar no Campeonato Ibérico de Basquetebol Compal– fortes e a sugerir áreas de melhoria, para que os órgãos de gestão decidam e priorizem as linhas de
Air 3X3, e da Tecnologia, Prémio Júri Melhor Robô. força que deverão orientar a vida da nossa Escola no próximo triénio.
É também de enaltecer a dinâmica de participação, É esta capacidade de mobilização de todos os corpos escolares, na procura das melhores respostas
com promissor brilhantismo, em concursos, por tradição educativas e formativas para o nosso público, a quem pretendemos prestar um serviço de excelência,
menos apelativos, em que se destacaram os nossos que nos define como uma Escola dinâmica e actuante, pioneira também na resposta aos desafios das
alunos do 8º ano, como o EntrePalavras, 2º lugar distrital,
Novas Oportunidades (veja-se, a título de exemplo, o sucesso dos CEF de Operador de Informática e de
e o Concurso Nacional de Leitura, onde ainda lida a nossa
finalista – Força Márcia, estamos contigo! Técnico de Gestão Ambiental e a mobilização do público adulto nos CEFA e CRVCC), como o tem sido
Ainda no capítulo dos prémios e concursos, em muitas outras situações, de que é exemplo recente a introdução da língua Espanhola, já em 1998.
confessamos o nosso orgulho pelo 3º lugar conquistado Move-nos o desejo de que todos e cada um dos nossos alunos possa desenvolver plenamente as suas
pelo nosso jornal-blogue BREVES_ONLINE, quando capacidades, num quadro de valores éticos e morais que os torne capazes dos melhores desempenhos
apenas tinha meses de vida, e lembramos que, pela escolares, sociais e profissionais. Para o alcançar, pautamos a nossa actuação por critérios de rigor,
primeira vez em dezasseis anos, estamos a concorrer ao exigência e transparência, interagindo atenta e criativamente com o meio em que nos inserimos.
Concurso de Jornais Escolares promovido pelo Jornal Contamos com um corpo docente estável, dedicado, altamente qualificado e muito motivado para
Público. Como diz a nossa Márcia: Que será… será!
dinamizar actividades de índole cultural, artística, científica e tecnológica, a par de uma prática lectiva
Queremos agradecer a todos os que connosco
colaboram, enviando-nos textos, imagens, vídeos ou pedagógica e cientificamente exigente, o que leva a que os nossos alunos consigam excelentes
simplesmente notas e comentários. Uma palavra participações e resultados, também em projectos nacionais e internacionais, proporcionando-lhes
especial ao sr. José Nuno, diligente fotógrafo dos eventos experiências criativas e altamente enriquecedoras. Delas nos foi dando conta o BREVES_ONLINE,
escolares. Um louvor aos que usam (felizmente cada vez que, ao longo deste ano, muito tem contribuído para a divulgação do que se faz intra-muros.
mais) a via digital para nos contactar.
No entanto nem só de concursos e prémios viveu este
ano escolar, e em particular este Terceiro Período. Quem
por aqui entrasse pensaria que os professores andam FORMAÇÃO EM CONTEXTO DE TRABALHO
contentíssimos com a sua carreira, cheios do vigor inicial,
transmitindo essa satisfação e essa energia aos alunos, PROFA ANA PAULA FERNANDES – DIRECTORA DO CURSO CEF – OPERADOR DE INFORMÁTICA
a par dos ensinamentos curriculares, dos valores de
cidadania, de rigor, de responsabilidade, e quantos
mais… gestão de carreira, rele- quais a Escola agra-
Foi o XI Sarau, cuja reportagem não é tão vantes para a qualifi- dece.
pormenorizada como gostaríamos por causa da caç ã o p r o f i s s i o n al a O acompanhamento
qualidade escassa das fotos. Foram os Dias dos adquirir, para a inserção técnico-pedagógico,
Departamentos, animando a escola com actividades no mundo do trabalho e bem como a avaliação
novas e diferentes. Foi a I Feira de Coleccionismo. Foram para a formação ao longo do formando em con-
as Visitas de Estudo, os Clubes, a Área de Projecto.
da vida. texto de trabalho, será
Enfim, tudo o que lhe deu a ver o BREVES e tudo que
lhe dá a ler este número do FIO CONDUTOR.
Os alunos do Curso de horas a desenvolver em Os estágios iniciaram- assegurado pelo Acom-
Poupe água e separe o lixo! Educação e Formação – contexto de trabalho, se no dia 4 de Junho e panhante de Estágio,
Boas férias. Boas leituras. Até para o ano! Operador de Informá- assumindo a forma de realizam-se nas empre- que será um dos pro-
E já sabem…o Clube do Jornal conta sempre tica, terminaram as suas estágio, visando a aqui- sas e instituições públi- fessores da componente
convosco. aulas no dia 1 de Junho sição e o desenvolvi- cas do Concelho da Co- tecnológica, em es-
A Equipa do Jornal e de seguida vão realizar mento de competências vilhã e Fundão que se treita articulação com o
Profs. Elsa Duarte, José António Farias e Steven Casteleiro a Componente de For- técnicas, relacionais, disponibilizaram para monitor da entidade
mação Prática – 210 organizacionais e de receber os alunos e às enquadradora.

clubedojornal@gmail.com
http://brevescamposmelo.blogspot.com Promoção da Leitura
Iniciativas da BE/CRE
São os outros que o dizem...
A BE/CRE assina- a 15, em caixa sempre
Inauguramos, neste número, esta rubrica que lou o Dia Mundial do no fundo da página,
pretende ser apenas um recorte dos muitos que a
Livro e dos Direitos como aqui abaixo.
imprensa publica sobre a nossa Escola.
de Autor com as acti- Mais recentemen-
“A Secundária da Covilhã esteve em grande vidades «Que livro te, também com o
no Concurso Jovens Cientistas e Investigadores, falta na bibliote- objectivo de promo-
arrecadando o primeiro prémio no certame ca?» e «Ler tem ver o acto de ler, foi
realizado em Lisboa no passado fim-de-semana peso!». lançado o Concurso
entre 57 trabalhos de escolas de todo o país. O Nesta última con- de Fotografia «Apa-
Reactor Anaeróbico UASB, da autoria de duas vidavam-se os lei- nhado em fla-
alunas do 11º ano, foi o projecto que permitiu esta tores a deixar re- grante Leitura». Os
brilhante distinção que mostra que a instituição gistadas as razões resultados, ainda não
continua a destacar-se no que concerne aos que os levam a ler, conhecidos à data do
trabalhos de investigação feitos por estudantes. algumas das quais fecho desta edição,
Segue-se a participação na Final Europeia do este número do FIO serão divulgados em
Concurso, em Setembro, e na “Intel International divulga nas páginas 2 próximo número.
Sciencie and Engenieering Fair 2008”, nos
Estados Unidos da América. Será que virão mais
BOAS RAZÕES PARA LER…
distinções para a Covilhã? “O céu é o limite”.
Ler é partilha, emoção, descoberta. Ler é aprender, crescer. (Drª Isabel Lino)
Artigo publicado no Jornal O Interior, a edição
342 de 13 de Julho de 2006 na rubrica No Fio da Pela leitura faço a viagem que a realidade proíbe. (anónimo)
Navalha.

Fio Condutor
www.escmelo.web.pt 28 JUNHO 2007 III
(IN)FORMAÇÃO

Let´s meet... na Covilhã


PROFA LEONOR LOBO - COORDENADORA DO PROJECTO

No âmbito do Pro- tunidade de dar a co-


jecto Comenius - “Let’s nhecer a nossa região e
Meet in Europe” - dois aprender sobre as dos
alunos da Campos outros, enriquecendo
Melo, Ana Carolina assim as suas vivências
Teodósio e Pedro Nu-
nes do 10º A e três
e gravando na sua me-
mória experiências, por
Impressões da Holanda
professoras - Leonor de certo inesquecíveis. ANA TEODÓZIO E PEDRO NUNES - 10º A
Lobo, coordenadora do O contacto com outros Tudo começou com a nossa selecção para a viagem
projecto, Isabel Fael, países dá-nos a visão da até Gorinchem (leia-se ‘Róricam’), na Holanda, onde se
realizou mais um intercâmbio do projecto Comenius.
Presidente do Conselho nossa própria dimensão
Saímos de Lisboa a 21 de Maio. Em Amsterdão
Executivo e Albertina europeia - onde nos seguimos de comboio para Gorinchem, onde nos
Matos, como directora situamos e para onde nos esperavam as anfitriãs holandesas: Pedro ficou com
de um CEF (Curso de podemos dirigir. Ingrid, 14 anos, e Carolina com Lia, de 15.
Educação e Formação) Em Outubro, dando Mais tarde, cada um em ‘sua’ casa, começou o maior
- deslocaram-se a uma início ao 2º ano do pro- desafio: adaptar-se a um estilo de vida diferente. Grandes
diferenças, como descalçar-se antes de entrar em casa,
escola profissional ho- jecto que terá como te-
ou quando Lia surpreendeu Carolina ao anunciar o
landesa - Merewade ma “Eu e o Meu País”, jantar, às 16h30. O Pedro só mais tarde descobriu que a
College - a fim de, será a vez da Campos refeição àquela hora tinha sido o seu jantar. No final do
entre outras activida- Melo receber a Holanda, dia ainda houve muito tempo para conviver, com muita
des, tomarem conhe- a Itália, a Polónia, e a troca de impressões e risos.
No dia seguinte, cada um na sua bicicleta, o meio de
cimento do sistema Eslovénia que nos tra-
transporte utilizado durante toda a semana, fomos para
educacional holandês e rão, seguramente, peda- a escola. Finalmente estavam todos: os portugueses Ana
encerrarem assim o ços das suas regiões e Carolina e Pedro, duas italianas, dois eslovenos, um
1ºano do projecto que dos seus países, ajudan- casal de polacos e todos os alunos holandeses envolvidos
teve como tema “Eu e do-nos a compreender no projecto.
a Minha Região”. melhor esta Europa que Fizemos um breve tour pela escola, que se destinava
unicamente à preparação dos alunos para cursos
Na Holanda, os nos- também é nossa. profissionais, e depois uma visita pela cidade. À noite a
sos jovens e os nossos A ESCM aguarda o conversa fluía já mais naturalmente.
professores encontra- dia 8 de Outubro para No terceiro dia, o melhor foi a tarde na piscina e o
ram-se, para além dos poder saudar estes convívio entre os jovens.
holandeses, com outros nossos parceiros dizen- Roterdão foi o programa do quarto dia: visita guiada
pela cidade, compras, regresso a Gorinchem.
tantos representantes do-lhes: “Welcome to
Na manhã seguinte, fizemos a apresentação sobre a
de mais três países - Covilhã!” nossa cidade e a nossa Campos Melo. Ao fim da tarde, no
Itália, Eslovénia e Po- Até lá. churrasco, os holandeses ensinaram os estrangeiros a
lónia - e tiveram opor- dançar o ‘Jumpstyle’, um estilo de dança, popular entre
os jovens, que consiste basicamente em saltar durante
toda a música, sincronizadamente com os outros.
Chegara o dia da despedida. Cada anfitrião foi levar
o seu hóspede estrangeiro à estação, onde houve muitos
abraços, muitas promessas de manter contacto.
Partimos, então, rumo a Amsterdão. Como o vôo era
só à tarde, houve tempo para uma breve visita de barco
ao longo dos canais da cidade, a Veneza da Holanda, e
para a compra de recordações daquela inesquecível
viagem.
Sem dúvida, que nos marcou. Experiências de vida,
amizades e boas recordações. Sbretudo deu para apreciar
a variedade de culturas e do nosso velho continente e, ao
mesmo tempo, ver o quanto somos iguais, apesar das
Na Holanda ... sê holandês. diferenças.

João Marques Mais dois prémios


no Optimus Ski Open para o Francisco
O nosso aluno João toneladas de neve. Nos dois últimos Concurso Internacional Concurso Bienal de
Marques, do 9º A, foi o Na descida de 200 me- anos a escola, através do de Guitarra de Almeria Guitarra de São João da
1º classificado na cate- tros competiram os me- Clube do Jornal, (Espanha), que contou Madeira.
goria de infantes-mas- lhores atletas nacionais acompanha a carreira com a participação de Parabéns Francisco!
culinos no Optimus SKi federados, pela Fede- ascendente do rapaz das concorrentes de vários Desejamos-te muitos
Open, realizado a 12 de ração Portuguesa de mãos de oiro, cujo países, dos quais apenas mais sucessos, na
Maio no Porto. Esqui, bem como os me- talento se desdobra 5 chegaram à final. guitarra e na nova vida
Para acolher uma ini- lhores snowboarders, o pelos campos da música O Francisco refere que se aproxima, após o
ciativa inédita em Por- que proporcionou altas e das artes plásticas. que «de todos os fim do 12º ano.
tugal: o “Optimus Ski velocidades e acorbacias, Ora cá estão mais prémios já conseguidos
Open”, primeiro slalom para delícia dos milha- dois sucessos do este foi dos mais
gigante urbano do mun- res de pessoas que en- Francisco Franco. importantes, pois
do, espalharam-se na cheram a improvisada No dia 6 de Maio tratou-se de um
rua 31 de Janeiro 240 estância de esqui. alcançou o 3º lugar no concurso com um nível
de qualidade bastante
elevado e muito
BOAS RAZÕES PARA LER…
internacionalizado.».
Ler permite viajar por mundos desconhecidos. (anónimo) Mais recentemente,
a 19 de Maio, conseguiu
Ler instrui a mente, abre-nos novos horizontes. Leva-nos para fora de nós próprios, faz-nos
esquecer momentaneamente os nossos problemas. Completa-nos e constrói-nos. Faz-nos Bem… o 1º Prémio no
(Mariana Moutinho)

Fio Condutor
IV 28 JUNHO 2007 www.escmelo.web.pt

INVESTIGAR E ESCREVER

O que é a Área de Projecto? Radão na Covilhã


PROFA REGINA ALMEIDA
Dormindo com o Inimigo
ÂNGELA FRANCISCO, FABIANA CARRIÇO, INÊS VICENTE E ISABEL TEODÓSIO - 12ºB
A estrutura curricular dos cursos científico- No âmbito de Área de no caso do nosso estudo,
humanísticos integra as disciplinas de Formação Geral Projecto, com o apoio do 10 habitações (ou seja
e de Formação Específica e a Área de Projecto. Departamento de Ciências aproximadamente 1/3 do
Esta última é uma área curricular não disciplinar do da Terra da Faculdade de total) têm concentrações
12º ano, que visa a mobilização e a integração de Ciências e Tecnologia da de radão superiores àque-
competências adquiridas nas diferentes disciplinas ao Universidade de Coimbra, les valores-limite.
longo do percurso do ensino secundário, desenvolvendo e o nosso grupo desenvolveu O valor de 400 Bq.m-
aprofundando competências de trabalho autónomo e em um projecto ligado à Ra- 3 foi também recente-
equipa, no âmbito da elaboração de trabalhos de iniciação dioactividade Natural. mente consignado na le-
à investigação; na aplicação de conhecimentos adquiridos Assim, foram distribuídos gislação portuguesa, no
nas disciplinas do currículo; na utilização de ferramentas 31 detectores de radão por Decreto- Lei n.º 79/2006
simples de tratamento de dados; na análise e várias habitações do con- de 4 de Abril, mas apenas
interpretação qualitativa e quantitativa da informação celho da Covilhã e obtive- para o caso de edifícios de
e de monitorização de fenómenos físicos e/ou humanos. ram-se os seguintes resul- serviços já existentes com
A Área de Projecto constitui-se, assim, como um tados: área útil superior a 500
espaço de confluência de competências, de saberes e de Os índices de radão na m2 e a construir com área
aprofundamento de conhecimentos ou de aquisição de cidade da Covilhã variam útil superior a 1000 m2 .
competências contextualizadas em trabalho concreto. Na bela paisagem da acumula-se no ar onde, por entre os 25 Bq.m-3 e os Nesta legislação refere-se
Pretende-se, ainda, disponibilizar um tempo de Serra da Estrela esconde- vezes, atinge níveis preo- 1411 Bq.m-3; a obrigatoriedade de ava-
responsabilização do aluno, ou da equipa de alunos, no se nos solos e rochas gra- cupantes, em especial nas Os índices mais ele- liar as concentrações nos
desenvolvimento de um trabalho dentro e/ou fora da escola, níticas um nocivo inquilino caves, adegas e pisos vados registaram-se em edifícios localizados nos
enquadrado e sob a supervisão e acompanhamento responsável pela poluição térreos. Peraboa (2963 Bq.m3), distritos de Braga, Vila
contínuo e sistemático do professor responsável. radioactiva natural – o O ar no interior das Vila do Carvalho (2684 Real, Porto, Guarda, Vi-
Esta área curricular é de frequência obrigatória não radão. casas é frequentemente Bq.m-3), Tortosendo (1988 seu e Castelo Branco”.
sendo autorizada a anulação de matrícula, a menos que O radão é um gás de mais carregado de polu- Bq.m-3), em algumas zona Nestes distritos de-
o aluno anule também a matrícula a todas as disciplinas origem natural, radioac- entes e substâncias tóxicas das Covilhã (1411 Bq.m-3) ver-se-ia cartografar as
(nº3 do artigo 30º –Portaria nº550-D/2004, de 21 de Maio). tivo, cujos átomos se de- que a atmosfera exterior, e nos Vales do Rio (1230 zonas com maior índice de
No início do ano escolar, cada aluno deve propor um sintegram originando ou- onde, em geral, as con- Bq.m-3). radão, executar estudos
tema/problema a desenvolver, de acordo com o curso/área tros elementos, também centrações de radão são Os índices mais baixos prévios nos terrenos em
que frequenta, e enquadrá-lo nos objectivos dos seus radioactivos. Inodoro, insí- mais baixas e, consequen- registaram-se no Canhoso vias de urbanização e mo-
projectos de vida profissional e pessoal, tendo em conta pido e incolor, é um gás temente, o risco radiológico (11 Bq.m-3), Erada (24 nitorizar as concentrações
que esse projecto deve basear-se em experiências que imperceptível ao ser hu- é menor. Já no interior das Bq.m-3), Cabeço (27 Bq.m- de radão nos edifícios já
devem estar associadas à observação sistemática, a mano, daí não ser óbvio o habitações, quando atinge 3) e em algumas zonas da construídos.
formulação e a testagem de hipóteses, à análise e a risco a ele associado. concentrações elevadas, é Covilhã (25 Bq.m-3).
interpretação de factos e fenómenos do mundo real. Proveniente de peque- uma séria ameaça pelos Segundo informações
De acordo com os temas propostos pelos alunos, o nas quantidades de urânio efeitos nefastos na saúde da Universidade de Coim-
professor organiza os grupos de trabalho, os quais e rádio presentes, em pro- humana. É inalado pelo bra “esta matéria está
elaboram uma planificação do projecto que terá uma porções variáveis, na maior Homem e nos pulmões regulamentada na legis-
apresentação onde serão debatidas todas as opções parte dos solos, rochas e sofre desintegração ra- lação de vários países,
tomadas. Este debate pode conduzir à reformulação do materiais de construção, o dioactiva, libertando par- apontando-se, em geral, o
projecto que, no seu desenvolvimento, deve respeitar os radão tende a penetrar nos tículas que podem induzir valor limite de 200 Bq.m-
objectivos e as estratégias definidas. edifícios através de fis- alterações no DNA das 3 como média anual da
O processo é sujeito a auto e hetero-avaliação, a qual suras e poros no pavimento células e ao desenvolvi- concentração de radão no
deve fazer parte dos relatórios intermédios e do relatório e nas paredes, juntas de mento de células cance- interior de novas habita-
final, assim como a fundamentação científica e tecnológica canalização mal vedadas e rosas, induzindo, assim, ções e de 400 Bq.m-3 em
de todas as opções tomadas. No final do ano, deve haver instalação eléctricas e cancro do pulmão. habitações já construídas;
uma apresentação pública dos trabalhos.

12º C “A criança ontem e hoje” – Ana Raquel, Joana


Anabolizantes e Estimulantes – Bernardo Batista, Barroso, Joana Costa e Tânia Leitão
Área de Projecto - 2006/07 Bruno Simões, Diogo Miguel e Jorge Rato
A Influência da Domótica na Sociedade Actual –
A Acção dos Media na Sociedade – Carlos Fonseca,
Daniela Alves, Lourenço Maia e Ricardo Fernandes,
Andreia Pinto, Daniela Alves, Fátima Santos, Joana Escola Secundária Campos Melo – Sandra
Saraiva e Tiago Rato Antunes, Patrícia Rodrigues e Sónia Morgado
Na impossibilidade de publicar os resumos dos A Micropropagação – Ana Catarina de Jesus Melfe, Prevenção do Crime – Diana Poeta, Liliana Vicente,
trabalhos da Área de Projecto, aqui fica a menção Joana Filipa de Sousa Monteiro, Luís Miguel Andrade Vera Gomes e Ana Cardoso
dos temas tratados e dos respectivos autores. Cabanas, Márcio José Esteves Raposo, Tânia Vanessa
Franco Vanessa. 12º F
O impacto dos transgénicos na sociedade – Isa Angola: um país em vias de desenvolvimento –
Martins, João Amaral, Susana Quelhas e Tânia Salcedas. Tiago, Rui, Luís e Miguel
O Empreendedorismo – O Grupo Sonae – Jorge
12º A 12º D Raposo, Jorge Ferreira, Marta Neves, Miguel Fernandes,
O Petróleo vai ou não acabar? – João Costa, João A Covilhã e a Ciência – Guilherme Carvalho, Tiago Nuno Ferrão e Raquel Roque
Sutre, Pedro Arcão, Telmo Batista e Tiago Reis. Pereira, Luís Rabasquinho e Duarte Moreira Portugal na União Europeia: Programa
A Energia Nuclear será ou não uma boa solução A Água – Ana Rita Meireles, Ana Teresa Silva, Caio ERASMUS e Processo de Bolonha – Daniela
para o Mundo? – Cátia Baptista, Cristiana Fernandes Pereira, Inês Margarida Martins, João Bordadágua e Fernandes, Diana Conceição e Joana Amaro,
e Inês Fonseca. Luciana Real O Poder do Marketing – Ana Baltazar, André
Quais as Consequências da Radioactividade na A Importância de uma alimentação equilibrada – Carrola, Diogo Wahnon, Fábio Martins e Marco Correia
Saúde Humana? – Áurea Duarte, Daniela Quintela, Ana Afonso, Isabel Casteleiro e Tatiana Saraiva
Juan Carlos e Susana João. Segurança Rodoviária – Gonçalo Lopes, José Lucas, 12º G
Bruno Cunha, Regina Proença e Filipa Lopes Curta Metragem – Adília Alves, Ana Rita Sena, Joana
12º B Venâncio, Mariana Graça, Tânia Freire e Vera Magno
Alimentação e Saúde – Ana Rita Proença, Ana Sofia 12º E Mural – Daniela Morgadinho, Francisco Franco, João
Oliveira, Daniela Damasceno e Filipa Pereira A Idade do Poder – Flávia Mendes, Inês Pereira, Joana Costa e Simão Ramos.
Hereditariedade e meio – Ângela Francisco, Fabiana Arrifano, Mariana Pontífice O Carro – Ana Ferreira, André Carrola, Joana Brito
Carriço, Inês Vicente e Isabel Teodósio A Evolução do Papel da Mulher na Sociedade – A Mina – Inês Macedo, Inês Carmo, Joana Quintela,
Paramiloidose – Constança Santos, Eliana Marques, Ana Henriques, Ana Sofia Barata, Daniela Martins e João Gaspar e Mariana Lino.
Patrícia Aguilar e Susana Palinhas Nazaré Sousa
Explicação e divulgação de duas doenças,
síndrome de Rett e Lúpus – Joana Dias, Manuel BOAS RAZÕES PARA LER…
Ângelo, Maria João Ribeiro e Vasco Paulo
Projecto de um Centro Comercial num Resort –
Ler faz bem à mente! (Magda Almeida - AAE)
João Robalo, Jorge Vieira, Lauro Henriques e Luís Cunha É importante ler… porque nos ajuda a reflectir sobre determinados assuntos, ajuda
Turismo Ambiental – Rodrigo Simões e Pedro Nuno também a enriquecer o nosso vocabulário. (anónimo)

Fio Condutor
www.escmelo.web.pt 28 JUNHO 2007 V
INVESTIGAR E ESCREVER

O Aeromodelo Voou Dia da Astronomia


PROFA SUSANA ROSA NÚCLEO DE ESTÁGIO DE FÍSICA E QUÍMICA

No dia 6 de Junho, a Campos Melo assinalou o Dia da


Astronomia.
De manhã realizou-se uma palestra sobre o tema “O
ciclo da vida das estrelas”, proferida por Hugo Palma, da
Sociedade das Estrelas, destinada aos alunos das turmas
A e C do 7º ano, em que foram abordados conteúdos como
a astronomia como instrumento do conhecimento,
Astronomia vs Astrologia, O que é uma Estrela?,
Nascimento, Evolução e Morte estelar.
Em seguida, os alunos, com muita curiosidade e
entusiasmo observaram manchas solares usando um
telescópio montado no pátio junto ao auditório da escola.
Pelas 21h30 realizou-se uma nova observação de
planetas e estrelas.
Decorreu na tarde de ponentes do aeromodelo, o
6 de Junho o ensaio de voo design e decoração, o rigor
do aeromodelo elaborado e precisão técnica, a preo-
em Área de Projecto pelo cupação com os acaba-
9º C. mentos e as visitas de
Este trabalho, de-
senvolvido em parceria
com o Departamento de
estudo ao Aeródromo da
Covilhã e à UBI.
Em toda a turma uma
À conversa com... Hugo Palma
Ciências Aeroespaciais constante: a expectativa de
da UBI, teve como objec- ver o engenho Voar.
tivos essenciais “propor- Queremos agradecer Contagiado pelo entusiasmo de Hugo Palma, que
cionar uma experiência ao Professor Dr. Jorge dinamizou as actividades do Dia da Astronomia na
na área da aviação, através Silva, aos Srs. Engenheiros ESCM, o Fio esteve à conversa com este jovem
da construção e operação Miguel Ângelo e Pedro astrónomo português para saber um pouco mais
de um aeromodelo, radio- Gambôa pela coordenação
sobre ele e os astros.
comandado, de propulsão do projecto e também, à
eléctrica e construção Directora de Turma, Profª
simples”. Ana Moura pelo apoio.
No decorrer do ano O Aeromodelo fica a
lectivo, os alunos tiveram pertencer à Escola como
oportunidade de contac- espólio do nosso Museu.
(são bastantes as nebu- de estrelas e nebulosas.
tar de forma transdisci- Pode ser, eventualmente,
utilizado para voo por losas, galáxias e outros FIO – Como foi o seu
plinar com uma área
alunos interessados, desde objectos ao alcance dos percurso na Astrono-
desconhecida e o prazer
de explorar diversas com- que devidamente autorizados. binóculos) e depois para os mia?
petências e saberes, sendo Em condições de voo o telescópios, começando HP – Actualmente sou
de destacar: a idealização aeromodelo pesa 520 com a observação plane- presidente da Sociedade
do projecto, tal como a gramas e suporta carga até tária e, finalmente, evoluir das Estrelas (http://socie-
elaboração de peças e com- 350 gramas. para o céu profundo. Para- dadedasestrelas.pt.vu),
lelamente é importante ler uma associação muito
muito sobre assuntos as- jovem fundada por mim e
Palestra sobre tronómicos e tentar com-
preender sempre mais.
por um amigo chamado
Manuel Reis. Ao longo dos
Cancro do Colo do Útero FIO – O que se pode
ver no ceú actualmente?
últimos anos temos dado
dezenas de palestras e
HP – Para além das conferências, cursos de
FIO – Como surgiu o vontade e sobretudo gos- estrelas e constelações, Astronomia, formação a
gosto pela Astronomia? tar, gostar muito do que se podemos observar logo após professores e alunos em
HP – É difícil precisar, está a fazer. o ocaso do Sol, a Oeste, o dezenas de escolas e
a Astronomia é daquelas A motivação para ultra- planeta Vénus (também o u t r a s i n s t i t u i ç õ es,
coisas que nos vão en- passar as noites sem dor- conhecido como a estrela participando também em
volvendo pouco a pouco e mir, o frio de Inverno, o da tarde), que é o objecto pequenos programas de
quando percebemos já es- preço elevado dos equipa- mais brilhante ao início da investigação científica na
tamos demasiado envol- mentos, as longas horas de noite. Ligeiramente acima área. Organizamos, em
vidos para ficarmos indi- palestras, advém da noção ao longo da eclíptica, obser- todo o país, inúmeras
ferentes. Mas diria que fundamental de que mais va-se o planeta Saturno, actividades de observação
desde pequeno, sempre me do que uma ciência, a As- muito perto da constelação astronómica abertas à
A Palestra sobre o do colo do útero, focando senti fascinado com a pro- tronomia, é uma forma de do Leão. A sudeste, umas comunidade.
cancro do colo do útero, principalmente as vias ximidade das estrelas nas nos relacionarmos pessoal- horas mais tarde, observa- Academicamente sou
que decorreu na ma- de transmissão e as for- noites escuras da aldeia mente com o Universo, que se outro objecto muito certificado pelo Depar-
nhã de 9 de Maio no mas de prevenção pos- nortenha onde cresci. Com- é o mais mais importante. brilhante, o planeta Júpi- tamento de Ciências Ae-
auditório teve lotação síveis preender e explorar foi o FIO – Que conselhos ter, pertinho da Antares, a roespaciais da Univer-
esgotada. A pertinência do tema, passo seguinte. daria a quem se qui- estrela avermelhada na sidade da Beira Interior
A médica, Dra. Da- uma das principais causas FIO – Que caracterís- sesse dedicar à Astro- constelação do Escorpião. como formador/instrutor
niela Pinto, e o investi- de morte em mulheres ticas fazem um bom nomia? A Este observa-se o grande de Astronomia e Ciências
gador, Professor Fon- em idade fértil, no mo- Astrónomo? HP – Antes de mais, é triângulo de verão a nas- Aeroespaciais, fiz tam-
seca Moutinho, convida- mento em que se pon- HP – Não existe, obvia- importante olhar, con- cer, é um triângulo, cujos bém um mini-curso de
dos por um grupo de dera a inclusão da vacina mente, um padrão ou uma templar longamente as vértices são ocupados por Astronomia no Centro de
alunos do 12ºB, no âm- contra esta doença no regra. estrelas e as constelações três estrelas muito bri- Astrofísica da Univer-
bito dos trabalhos desen- Plano Nacional de Vaci- A Astronomia enquanto e não desistir, mesmo que lhantes, Veja, Deneb e sidade do Porto e outros
volvidos em Área-Pro- nação, levou a uma ele- ciência e área de trabalho no início se ande à deriva e Altair. pequenos cursos e forma-
jecto, alertaram para a vada participação dos requer muito afinco e dedi- perdido. De seguida, arran- Equipados com binócu- ções. Lembro que a minha
problemática do cancro alunos. cação, é preciso força de jar mapas celestes (exis- los e telescópios é possível área profissional é a En-
tem inúmeros softwares observar detalhes muito genharia Aeronáutica.
disponíveis na Internet interessantes nos planetas Mas tudo começou de
BOAS RAZÕES PARA LER… para o efeito) e pouco a (manchas atmosféricas, forma muito informal e
O livro é um amigo com quem se pode conversar. (anónimo) pouco ir conhecendo as anéis, luas…) e também com pequenas aprendiza-
estrelas e constelações objectos de céu profundo gens motivadas pelo
Não há amigos melhores que as personagens dos romances. Ler é a pelos nomes. Então, pas- tais como galáxias, exames entusiasmo
maneira mais eficaz de combater a solidão e ser feliz. (Drª Adélia sar para os instrumentos,
Rocha) primeiro com binóculos

Fio Condutor
VI 28 JUNHO 2007 www.escmelo.web.pt

LER E ESCREVER

Missão Possível Oficina de Escrita


Inspirados pela lenda da Quinta das Lágrimas,
A poesia é uma forma de libertação, que visitaram em Coimbra, os alunos do 9º A e a
sua professora de Língua Portuguesa fizeram
uma fonte de prazer e, às vezes, um poesia.

Neste primeiro ano do Plano Nacional de Leitura,


divertimento .
o Departamento de Línguas e Literaturas
Acrósticos à Lenda da
Romãnicas tem aderido às inciativas propostas, com Quinta das Lágrimas
maior ou menor envolvimento da população escolar, Seguindo o exemplo de Alexandre O’Neill e do
mas com todo o empenho de que somos capazes. seu grupo de amigos, a turma do 8ºA decidiu partir Quando alguém entra num sítio assim
Este esforço foi recompensado, nomeadamente à descoberta da poesia, aliando-a às metáforas. União é o sentimento que se sente
com os resultados da participação no Concurso O jogo consiste em construir um poema Intenso
Nacional de Leitura, onde temos uma finalista, como colectivo, juntando aleatoriamente frases criadas Natural
pode ver na página 9 deste Fio. por diferentes pessoas e esperar que o acaso Terno
No momento do lançamento interno deste produza bons resultados. Aqui vos apresentamos o Algo que será sentido eternamente.
Concurso, o Departamento aplicou um pequeno nosso “monstro”.
inquérito que visava não só a pré-inscrição dos Dias de
alunos mas, sobretudo, recolher alguns dados sobre Amor
os seus hábitos de leitura, Cadáver esquisito Serão sempre lembrados.
Eis os resultados:
O que é uma menina num vestido? Lágrimas que são
À pergunta «Gosta de Ler?» as respostas estão É um sonho sem abrigo. Agua e sangue
expressas nos seguintes gráficos: Guiadas por
O que é uma música calma? Risos, tristeza e
É um gato que quer cantar. Infelicidade.
Mágoa por um imenso e fugaz
O que é uma mota bonita? Amor que para
É uma unha religiosa. Sempre ficará gravado nas pedras da Fonte dos
Amores.
O que é um amor traído?
É um pedregulho rolando. Mariana Serra, Anabela, Sara Caixinha, Ana
Teresa, Carla Lobo, João Pinto, Joana Taborda,
O que é um criminoso inocente Sara Pedro, Tânia Silva, Tânia Ferreira – 9º A
Ai, ai, isso agora!
3º Ciclo Secundário
Quantas lágrimas
O que é uma saudade persistente? Urgentes por ti,
Inquiridos quanto ao desejo de participar no É um estojo à beira de um abismo. Inês,
Concurso, foram estes os resultados: Não verteu
O que é um grupo surrealista? Teu pobre e
É uma paixão muito profunda. Amado Pedro!

O que é um cão com uma pata aleijada? Desolado


É um sonho omitido. Amargo
Solitário
O que é uma vida sem destino?
É um maluco torto. Lavrou a sentença de
Algozes impiedosos.
O que é uma casa maravilhosa? Génio destemido, te fez coroar
É um cometa brilhante. Rainha, depois de morta e, para sempre,
Inês, nas
O que é um caminho infinito? Mansas
É uma memória quase perdida, Aguas da Fonte dos Amores
mas que não guardou somente imagens, Serás recordada!
3º Ciclo Secundário guardou também cheiros, sons… Profª Celeste Alves

O mini-inquérito pretendia ainda saber os gostos


dos alunos em termos de leituras.
Assim, os últimos cinco livros mais lidos no 3º Aniversário
Ciclo são os seguintes: O Cavaleiro da Dinamarca Acho que nunca fiz anos, ou, pelo menos, nunca medi a passagem do tempo assim.
(28), O Velho e o Mar (18) Harry Potter (13), títulos Por isso, a minha infância é uma sucessão desordenada de eventos: os tempos no colégio, o primeiro dia de aulas, o
da Colecção Uma Aventura (11), Arroz do Céu (10) ciclo, encontros, despedidas, reencontros, viagens, a morte do meu avô, tardes de Verão passadas a comer cerejas, os
e mais 37 títulos avulsos primeiros exames, a neve, a mudança de casa. Desordem. E nenhum aniversário.
Já no Secundário, são estes os cinco livros mais Não, não me lembro de alguma vez ter feito anos. Lembro-me de os festejar, mas não me recordo de crescer. Não sei
lidos nos últimos tempos: Os Maias (72), Frei Luís como foi. Creio que, como todas as crianças, estive ausente no processo. Excepto no dia dos meus 18 anos…
de Sousa (41), Harry Potter (38), O Código Da Vincci É injusto, porque senti que, de repente, de uma vez só, somei todos os anos que tinha conseguido evitar. Tentei
(32), Memorial do Convento (30), e são apontados esquecer-me, não acordar e saltar do 3 para o 5, sem me demorar no dia 4. Mas Março acabou por vir e, com ele, todos
ainda mais 163 títulos com pouca expressão
aqueles anos que nos caracterizam como “maiores”.
numérica.
Na verdade, os “crescidos” esquecem-se de nos dizer que não podem ser ninguém, têm que se contentar com o
Quanto às obras de que mais gostaram, os alunos
alguém a que se reduziram, e, por isso, apressam-nos para que tomemos parte no tão esperado mundo dos adultos.
do 3º CEB apontam: A Lua de Joana (9), volumes
da Colecção Uma Aventura (8), O Cavaleiro da Quando damos conta, já não sabemos brincar, ser piratas, fadas, príncipes, raios de sol, piqueniques no fim de
Dinamarca (7), Harry Potter (5) Um Fio de Fumo tarde, berlindes de cor, vivos. Puff! Somos alguém! e isso destroça-nos as esperanças e os sonhos, as brincadeiras e a
nos Confins do Mar (4) e mais 84 títulos isolados. imaginação.
No Secundário as preferências vão para: A Lua E, embora para muitos males existam já eficazes remédios, para o crescimento ainda nada foi descoberto.
de Joana (26), Harry Potter (24), O Código Da Vincci Inevitavelmente, entrei na vida adulta, na qual, ironicamente, só sobrevivem as crianças.
(19), Os Maias (17), O Diário da Nossa Paixão (11) e Constança Santos
um significativo número, 252, de outros títulos.
BOAS RAZÕES PARA LER…
Estes dados são razão suficiente para reflectir Nunca se está só quando se tem um livro para ler. (anónimo)
sobre as estratégias a adoptar na promoção da
Ler é aprender novas coisas, imaginar outros mundos e desenvolve a nossa capacidade de
leitura.
leitura. (Ângela)

Fio Condutor
www.escmelo.web.pt 28 JUNHO 2007 VII
(IN)FORMAÇÃO

XI Sarau Cultural I Exposição de Coleccionismo da ESCM


PROFAS LEONOR LOBO, MARIA JOSÉ SOARES
PROF.AS ANA PAULA FERNANDES, MA JOSÉ LAVRADOR E MA DE LOURDES FARIAS
E PAULA ROCHA

quem o sarau faz já abrir à comunidade esco- mização do coleccio-


parte da cultura da es- lar um espaço muito nismo entre os jovens,
cola, este foi, sem dúvi- agradável e com uma enquanto forma de ocu-
da, o resultado de uma bela vista panorâmica, pação de tempos livres.
conjugação de factores que há muitos anos não Nesse dia o Museu
que, por analogia com a é utilizado, a Varanda, esteve aberto ininter-
canção, só podia ter Celebrou-se no dia 18 que surpreendeu agrada- ruptamente das 10h às
saído bem, porque foi de Maio a 27ª edição do velmente os visitantes. 18horas, com visitas
feito com muito gosto. Dia Internacional dos Cromos, selos, postais, guiadas aos espaços e às
O tema deste ano “ Museus, sob o tema “Mu- brinquedos, miniaturas colecções. Destacamos a
No Stress! Don’t Worry, seus e Património Uni- diversas, medalhas, jo- visita do Infantário de
Mais do que em Be Happy” incorporou as versal”. gos, e tantos outros Nossa Senhora da Con-
qualquer outro ano, o preocupações que têm Para assinalar a data, objectos, atraíram a ceição. Os pequenos visi-
Sarau Cultural da vindo a ser sentidas, o Clube do Museu rea- atenção e a curiosidade tantes ouviram com
nossa escola contou quer por alunos quer por lizou-se a I Exposição de dos inúmeros visitantes, muito interesse e aten-
com uma participação professores, com estas Coleccionismo, que reu- que deixaram registada ção todas as explicações
massiva de alunos e mudanças contínuas a sua apreciação num divertidos e muitas vezes
niu 31 colecções dos das professoras e do Sr.
professores que se en- n a educação. Preten- questionário, cujos re- valiosos). Sem a sua
mais variados temas, Fernando, que lhes mos-
volveram apaixonada- deu exorcizá-las com sultados serão oportuna- colaboração este
cedidas por professores, trou o funcionamento do
mente neste evento. muito humor, muita mente divulgados. projecto não teria sido
alunos, funcionários e tear.
Ponto alto no Plano animação, muita ale- Com esta iniciativa possível.
por outras pessoas de Agradecemos a todos
Anual de Actividades da gria. algum modo ligadas à pretende-se incentivar os coleccionadores que
ESCM, tornou-se já O Clube “Criar La- Escola. formas de aproximação aceitaram partilhar com
agenda obrigatória do ços” e o Clube de Teatro A escolha do local para entre o Museu Educativo os outros os objectos que
espaço do Teatro – Cine, agradecem a todos aque- este evento constituiu e a Escola, bem como a carinhosamente guardam
fazendo disparar os les que participaram, uma oportunidade de divulgação e a dina- (bonitos, interessantes,
níveis audiência dessa incentivaram e aplau-
mesma sala. De pro- diram o nosso esforço na
fessores a alunos, a concretização deste
familiares dos mesmos, evento.
ao simples cidadão para Muito Obrigada!

Boas Práticas em Português


Encontro de Escritores
Decorreu entre 7 e 9 de Maio no Centro Cultural
A turma A do 9º ano, acompanhados da sua de Belém, Lisboa, a Conferência Internacional sobre
Professora de Língua Portuguesa e dos Professores o Ensino do Português promovida pela DGIDC -
Estagiários do Núcleo de Português/Espanhol Carina Direcção Geral de Inovação e Desenvolvimento
Rodrigues, Madalena Jerónimo e Nuno Gonçalves Curricular - que no dizer da sua apresentação se
estiveram presentes no Encontro de Escritores propunha: «reflectir, de forma alargada,
Portugueses organizado pela UBI, que decorreu na pluridisciplinar e transversal, sobre os grandes
tarde de 1 de Junho, no Museu de Lanifícios (Núcleo problemas que hoje se colocam ao ensino do português
Real Fábrica Veiga). e à sua aprendizagem em contexto escolar. »
Estiveram presentes as escritoras Hélia Correia, A par das conferências e painéis de debate com
Julieta Monginho e Maria Manuel Viana.
oradores de reputada competência, desde Aguiar e
Os jovens seguiram atentamente as palavras das
Silva a Eduardo Lourenço, o programa incluiu uma
oradoras que, entre outros temas, falaram do
exposição de Posters em que as escolas convidadas
processo de criação textual, da escrita criativa, da
relação com os seus livros e com os livros que elas divulgaram projectos e/ou boas práticas pedagógicas
«amam» (que nunca são aqueles que elas escrevem!) no âmbito das disciplinas de Português e Língua
e, no final, puderam colocar algumas questões Portuguesa.
prontamente esclarecidas pelas intervenientes neste A Campos Melo foi uma das escolas convidadas e
encontro. apresentou um poster que resumia as inúmeras
No final, as escritoras expressaram a sua actividades e iniciativas desenvolvidas em prol da
satisfação por terem convivido com um público tão promoção da leitura/escrita e da aquisição de
jovem mas tão atento e interessado. competências no domínio da oralidade.

BOAS RAZÕES PARA LER…


“Ler” é partir em viagem sempre rumo a uma nova aventura. (Drª Celeste Alves)
Ler é viajar sem sair de casa! (anónimo)

Fio Condutor
VIII 28 JUNHO 2007 www.escmelo.web.pt

ALUNOS E PROFESSORES NO PÓDIO

Basquetebolistas da ESCM BREVES_ONLINE


3º Prémio Nacional
3º Lugar
no Campeonato Ibérico
PROF. CARLOS OLIVEIRA

Realizou-se nos dias De salientar, todo o nome da Secundária


1, 2 e 3 de Junho, em apoio e compreensão Campos Melo voltou a
Lisboa, a Fase Nacio- dado pela Comunidade soar bem alto, com mais
nal e a Fase Ibérica do Escolar, nomeadamente um sucesso desportivo.
Torneio de Basque- o Grupo de Educação Parabéns às Jogado-
tebol “Compal Air” 3x3, Física, Conselho Execu- ras: Ana do 11º C,
com a presença da equi- tivo, Pais e Professores Mariana do 10º A,
pa de Juniores Femini- das turmas das jogadoras. Iolanda do 11º F e
nos da Escola Secundá- Mais uma vez, como Joana do 12º B.
ria Campos Melo em já vai sendo hábito, o
representação da DREC.
A Fase Nacional, contou
com 10 equipas represen-
tativas de todo o Conti-
nente e Ilhas, tendo a
nossa equipa conquis-
tado o honroso 4º lugar,
conseguindo com mé-
rito o apuramento para
a Fase Ibérica, que
contava com 8 equipas
(4 Portuguesas e 4 O BREVES_ONLINE da Campos Melo conseguiu um 3º lugar Nacional,
Espanholas). na categoria Blogues, no II Concurso de Jornais, Blogues e Sites de Escola,
Neste campeonato organizado pelo Islagaia,
muito importante, a Os resultados do concurso foram divulgados no encerramento das II Jornadas
equipa da Covilhã conse- de Comunicação, iniciativa da Licenciatura em Comunicação do Islagaia, numa
guiu melhor performan- cerimónia que decorreu a 4 de Maio nas instalações desta instituição, em Vila
ce, chegando ao pódio, Nova de Gaia.
classificando-se em 3º Criado em Novembro passado pelo Clube do Jornal, o nosso jornal-blogue
lugar, tendo sido a segun- tem tido uma actividade muitas vezes vertigionosa, procurando não só informar,
da melhor equipa em cima do acontecimento, sobre as múltiplas actividades que se desenvolvem
portuguesa. na ESCM , mas também comemorar datas assinaladas, divulgar eventos de âmbito
A equipa da ESCM no Campeonato Ibérico Compal Air 3 x 3 nacional e, sobretudo, sensibilizar os seus leitores para a leitura e a escrita, seja
ela informativa ou criativa.
O prémio, uma câmara fotográfica digital que tanto jeito tem dado, e sobretudo
a distinção atribuídos no primeiro meio ano de vida do nosso blogue, veio constituir
Prémio Júri Melhor Robô um estímulo para a equipa do jornal que, embora formada apenas por três
professores e três alunos inscritos, tem contado com a colaboração crescente de
PROFS. JOSÉ BARBOSA E AMÉRICO MENDES
alunos e professores.
Os membros do Clube do Jornal esperam poder continuar o trabalho
desenvolvido no presente ano lectivo, com a colaboração e apoio de toda a
veram uma merecida comunidade escolar.
recompensa, o Prémio
Júri Melhor Robô, no
escalão B (alunos do
secundário).
Com a motivação Concurso
acrescida pelo reco-
nhecimento do traba-
lho, já eetão a preparar
EntrePalavras
o próximo desafio, o No dia 11 de Maio a
Concurso Robô
Bombeiro, cuja edição Campos Melo esteve
anterior tão gratas representada na Final
recordações traz à Distrital do Concurso
memória. Entre Palavras, reali-
Ficam aqui os para- zada no IPJ de Castelo
béns a todos os alunos Branco, pelos alunos
que participaram, na Florence Oliveira do
sua grande maioria 8ºA, André Fernandes,
pela primeira vez: Ricardo Morais e Vitória
Entre 27 a 30 de Projecto Tecnológico, Norberto Costa e
Abril decorreu o Fes- num total de 9 alunos, Jonathan Carriço, 9º B Esteves do 8ºB, sob a
tival Nacional de Ro- entre os quais dois do (Equipa nº 79); Luís orientação da professora
bótica 2007, em Pa- 3º ciclo, que par- Cunha e João Rodri- de Língua Portuguesa,
derne, Albufeira. ticiparam na prova de gues, 12º A (Equipa nº Drª Ascensão Pires.
À semelhança do Busca e Salvamento. 80); Bernardo Baptista, A equipa que obteve
ano anterior, a Obtiveram o 31º e Jorge Rato e João a pontuação máxima na
Campos Melo voltou a 33º lugares entre 112 Amaral, 12º C (Equipa apresentação do pri-
estar presente, desta equipas participantes nº 82); e Pedro Lázaro meiro tema, ficou em
vez com três equipas (que saudades do 2º e Bruno Santos, 12º I Final Nacional. livros que receberam.
do Clube de Robótica segundo lugar na clas- Ainda assim os nossos Este concurso, orga-
lugar do ano passado!). (Equipa nº 83). sificação geral, pelo que
e uma de alunos do Apesar de tudo obti- alunos estão de parabéns nizado pelo Jornal de
não foi apurada para a por terem participado, Notícias, visa promover
pela forma como repre- a leitura em geral, e a
BOAS RAZÕES PARA LER… sentaram a escola, pelo leitura de jornais em
Ler tira-me da contagem dos minutos e leva-me, pelo tempo, assim, sem tempo! (anónimo) excelente texto que pro- particular, suscitando o
duziram – publicado no debate e a visão crítica
Ler é dos poucos “vícios” saudáveis! Eu sou compulsivo! (António Silva - AAE) Fio nº 2- pela medalha de sobre temas actuais e
prata e pela pilha de de relevância social.

Fio Condutor
www.escmelo.web.pt 28 JUNHO 2007 IX
ALUNOS E PROFESSORES NO PÓDIO

Jovens Investigadoras da Campos Melo


ganham 1º Prémio
De entre os 57 trabalhos presentes no Concurso Jovens Cientistas e Investigadores, realizado no fim de
semana de 27 e 28 de Maio, no Museu da Electricidade, em Lisboa, obteve o 1º prémio o projecto «Reactor
Anaeróbico UASB», das alunas Estela Alexandra Domingos Vicente e Mariana Monteiro Batista, do 11º C,
sob a orientação do Dr. Luís Manuel Mendes Lopes, da Escola Secundária com 3º CEB Campos Melo. Este
trabalho foi seleccionado para participar na Final Europeia do Concurso, em Setembro.
No âmbito das Ciências da Terra participaram ainda as alunas Ângela Sofia Francisco, Fabiana Carriço e
Inês Vicente, do 12º B, coordenadas, pela Drª. Regina Maria Pires Almeida, com o trabalho «Índices de Radão
no Concelho da Covilhã», tema do artigo que o Fio publica na página 4.
Sob a coordenação da Drª. Rosa Simões, Samuel Chiquita e Telmo Correia, ex-alunos da ESCM no 1º ano
na UBI mas que continuam ligados ao Clube de Holografia da Escola, participaram, no âmbito da Física, com
o trabalho «Holografia de Reflexão de uma Imagem Real».
Organizado pela Fundação da Juventude desde 1992, o concurso destina-se a premiar trabalhos/projectos
realizados por jovens estudantes portugueses, com idade compreendida entre os 15 e os 21 anos. Na edição A ESTELA E A MARIANA, AS JOVENS CIENTISTAS
deste ano foram apresentados trabalhos nas áreas de Biologia, Ciências da Terra, Ciências do Ambiente, PREMIADAS COM O PROJECTO
Ciências Médicas, Ciências Sociais, Economia, Engenharias, Física, Informática/Ciência dos Computadores, «REACTOR ANAÉROBICO»
Matemática e Química.

AS EQUIPAS DA ESCM EXPONDO OS SEUS TRABALHOS AO PROFESSOR MARIANO GAGO, MINISTRO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR

Concurso Nacional de Leitura


a experiência da nossa finalista
Quando a profes- vas de selecção a nível de que desenvolve: a morte suficiente para contar Márcia Pais, do 8º C, finalista da Campos Melo
sora de Português me escola, realizadas a 21 de como libertação do so- detalhadamente tudo no Concurso Nacional de Leitura
falou no concurso, pen- Março, incidiram sobre frimento. aos meus pais, que não
sei «porque não?», sem quatro obras: A lua de Quando cheguei à esconderam o seu orgulho.
reflectir de forma mais Joana, O Cava-leiro da prova, no Fundão, fiquei Para as provas Na-
séria, nem medir as Dinamarca, O Princi- espantada com o número cionais, no dia 16 de
consequências da mi- pezinho e O Gato Ma- de concorrentes, alguns Junho, continuei a pre-
nha decisão. Fiquei a lhado e a Andorinha mais velhos do que eu. parar-me, embora me
saber que, na vida, há Sinhá. Obras que, por Ainda assim, achei-a sinta muito cansada,
coisas em que não vale sinal, já conhecia. Fo- menos difícil do que a da com todo o trabalho de
a pena “matutar” muito, mos três os apurados minha Escola. Consistia final de ano.
pois corre-se o risco de para ir à Distrital. Para em vinte perguntas de Quero agradecer à
deixar passar ao lado mim foi muito impor- escolha múltipla e numa professora de português,
certas experiências … tante o reconhecimento última de opinião pes- Drª Susana Rabaça por
A verdade é que ler que a Escola demons- soal, na qual eu aprovei- me incentivar e preparar
é, para mim, um prazer, trou no Sarau, ao atri- tei para dar o meu ponto para as provas, e à Ana
um caminho que des- buir-me um Melo, isto é, de vista sobre O Milagre, Luísa Rocha e ao André
venda o desconhecido e um prémio. de que tanto gostara. Alçada pelo apoio, dedi-
o irreal… Enfim, o tal Para a prova Dis- Foi precisamente esta cação e amizade.
casulo imaginário de trital, (segunda fase do questão que serviu para Para a prova final
que preciso para es- concurso) tínhamos de dsempate, uma vez que, em Lisboa, não levo Nota:
capar um pouco do dia- preparar dois contos: O nas de escolha múltipla, grandes esperanças. A final do concurso “Ler+” estava prevista para 16
a-dia, por vezes, tão Milagre, de Miguel Tor- tinha havido bastantes Vai ser mais um dia de Junho mas foi adiada para dia 30.
aborrecido e cansativo. ga, e A Galinha, de Ver- notas máximas. O pré- diferente, desta vez na Decorrerá no auditório da Reitoria da
Lembro-me, a este res- gílio Ferreira. Como não mio? As primeiras ce- companhia dos meus pais Universidade Nova de Lisboa, contando com a
peito, do segredo que a os conhecia, li-os com a rejas do Fundão. e também da minha Direc- participação de 72 estudantes de escolas de todo o
raposa diz ao Prin- minha professora de Cheguei a casa can- tora de Turma, a profes- país, seleccionados a nível distrital, e vai ser
cipezinho: «Só se vê português e, depois de sada, mas com energia sora Rosário Cacholas. transmitido pela RTP1 em data a confirmar.
bem o coração. O essen- os compreender, fiquei
cial é invisível para os com vontade de ler os
olhos». Pois não é des- restantes contos da an- BOAS RAZÕES PARA LER…
se essencial que os tologia. O Milagre foi, Considero-me rica porque ao longo dos anos acumulei muitos livros que folheio com ternura
livros nos falam? sem dúvida, o meu conto sempre que me sinto triste. (anónimo)
Pois bem, as Pro- preferido, pela temática

Fio Condutor
X 28 JUNHO 2007 www.escmelo.web.pt

BREVES DIAS DOS DEPARTAMENTOS

Conferência/Debate Saberes, sabores...


“Argumentação e Ética”
O dever do diálogo e mais coisa menos coisa
e o diálogo por dever
PROFA Mª JOÃO ANDRADE – CORDENADORA DO DEPARTAMENTO

PROF.A PAULA SARAIVA – ORIENTADORA DE ESTÁGIO

Realizou-se no passado dia vinte e três de Abril,


no auditório da escola, a conferência sobre o título
em epígrafe e que contouom a presença do Sr. Dr.
José Gonçalves Avelino, Juiz Presidente do Tribunal
Judicial da comarca da Covilhã, Sr. Dr. Vítor
Pereira, deputado na Assembleia da República,
eleito pelo grupo parlamentar do Partido socialista,
pelo circulo eleitoral de Castelo Branco; Sr. Dr. Luís
Fazenda, deputado na Assembleia da República,
eleito pelo grupo parlamentar do Bloco de Esquerda,
pelo circulo eleitoral de Lisboa; Sr. Jorge Esteves,
jornalista da R.T.P., delegação da Guarda; Sr. Padre
Francisco Rodrigues, pároco na freguesia de S. Tiago
e membro da sociedade jesuíta; Srº d. Vanessa
Duarte, comercial da agência imobiliária ERA, com
sede na Covilhã. No dia 24 de Abril, vivo, em directo e a cores almoço regional que a longo, mas o meu reco-
O núcleo de estágio de filosofia, que contou com os espaços da nossa es- outro queijo; o Sr. Ar- equipa da cozinha con- nhecimento e agrade-
a colaboração do seu grupo disciplinar e de muitos cola foram animados por naldo, aluno da nossa feccionou. A animação cimento a todos os que
professores, dinamizou esta acção com o objectivo actividades a que não escola, e a sua esposa do repasto foi garantida se envolveram e cola-
de promover e articulação entre actividade lectiva faltaram saberes, sa- trouxeram o mel e par- pelo grupo de cantares boraram tem de caber
e a educação e formação para os valores e para a bores, sons, cores e mo- tilharam connosco as do Centro Social de S. aqui; assim, o meu mui-
cidadania. A argumentação e a ética, enquanto vimento. suas explicações. A par Aleixo, de Unhais da to obrigada aos colegas
núcleos dos programas de filosofia, respectivamente Eis como: no pátio da tradição, na banqui- Serra- divertidas, simpá- do departamento que
do 11º e do 10º anos, constituem a base da de cima jogou-se à ma- nha de um grupo de ticas e muito animadas, contribuíram para o
experiência convivencial, da nossa relação com os caca e saltou-se à corda; alunas, perto da D. Pie- as senhoras do grupo sucesso da actividade;
outros e com as instituições e a essência de uma no átrio viram-se expo- dade, era um-vê-se-te- não só cantaram bem, aos” dançarinos”do gru-
sociedade democrática. sições, uma alusiva ao avias a fazer tererés. Ao como foram uma lição de po de folclore da nossa
25 de Abril e ao modo fundo, na sala da Asso- vida! O Museu da escola escola; à equipa do Mu-
como se viveu a revolu- ciação de estudantes, também abriu as suas seu; ao pessoal da can-
ção na Covilhã e outra expôs-se vestuário, uten- portas, mostrando o tear tina; aos alunos que
sobre imagens geográ- sílios domésticos, alfaias mecânico a diversos visi- participaram; aos fun-
ficas na publicidade ; de dos lavradores e ferra- tantes, entre os quais cionários que ajuda-
fundo, canções de Zeca dores, em suma, teste- uns muito especiais: os ram, ao Sr. Arnaldo e
Afonso; pelos corredores munhos da tradição ru- meninos do Jardim de esposa, à D. Piedade do
e escadarias leram-se ral do concelho, particu- Infância da Casa do Me- Sobral de S Miguel, às
quadras que a tradição larmente do Paul. À nino Jesus. Ao fim da senhoras do Grupo do
de Sobral de S. Miguel saída da exposição, sobre tarde, já se faziam sentir Paul e do Grupo de
preservou. No pátio de uma mesa, disponíveis os deliciosos aromas do Unhais da Serra, às
baixo, bem sob as ar- para consulta, aí os tí- jantar, a que se segui- meninas do tereré e ao
cadas, foi a mini-feira nhamos: livros e peque- ram as animadas parti- Conselho Executivo,
com a mostra e venda de nas encadernações ver- cipações do Grupo de pelo apoio prestado. A
produtos da região: a D. sando sobre plantas e Folclore da nossa Escola todos os que partilha-
Piedade, de Sobral de S. ervas aromáticas e medi- e do Grupo de Danças e ram connosco este dia,
Miguel, trouxe-nos os cinais, gastronomia da Cantares do Paul. BEM-HAJA.
Foi neste contexto que procuramos promover saberes sobre as plantas Beira Baixa e informa- Sei que o texto já vai
uma actividade de abrangência multidisciplinar e e ervas medicinais e ção sobre a Covilhã, o
transdisciplinar, com representantes de diferentes divulgou trabalhos arte- Ferro, Sobral de S. Mi-
sectores da sociedade, nomeadamente o jurídico, o sanais como as rocas, os guel e Teixoso. Os sons
político, o jornalístico, o religioso e o comercial. No abanicos e bordados va- dos adufes e dos bombos
exercício de todos eles é o encontro dos homens e riados; o Grupo de dan- inspiraram passos de
da linguagem que está em causa nas suas diferentes ças e cantares trouxe- dança e cantares antigos
manifestações. Desde as relações próximas e nos broas de milho, fi- e os cheiros vindos da
familiares às relações mais formais e institucionais lhós e queijo fresco e cantina, denunciaram a
é importante que o nosso discurso seja persuasivo, fizeram ali mesmo, ao excelente qualidade do
convincente e inteligível mas também que nos torne
credíveis (ethos). Fazendo uso da distinção Kantiana
entre acções conforme o dever (legais e imorais) e
acções por dever (legais e morais), o sub-título da
acção “ o dever do diálogo e o diálogo por dever”
envolve a dupla dimensão de actividade
comunicativa: a exigência social de nos
relacionarmos pela linguagem e a exigência ética
de o fazermos na base do bem e da correcção. Foi
nesta dupla perspectiva que cada orador exprimiu o
modo como se implicam a argumentação e a ética
na sua área profissional.
Num debate alargado a todos os presentes foram
muitas as reflexões em torno da temática que a
avaliar pelo auditório atento, preenchido e
participativo, só nos resta agradecer e sugerir a
todos um próximo encontro.

BOAS RAZÕES PARA LER…


A Ler aprofundamos o nosso léxico e estendemo-lo a novos horizontes. É uma pena os
jovens, hoje em dia, estarem a perder o bom “vício” da leitura… (Ana Nunes)
Ler é importante; porque se lermos até ao fim saberemos o que lá está escrito. (anónimo)

Fio Condutor
www.escmelo.web.pt 28 JUNHO 2007 XI
DIAS DOS DEPARTAMENTOS

Dia do Sol e do Departamento de Ciências Experimentais


Apesar do Sol não ser uma das maiores estrelas que se conhecem, no âmbito do Sistema Solar desempenha um papel importante e central.
O Sol, não é sólido nem apenas gasoso mas plasmático, constituído por gases entre os quais se destacam o Hidrogénio e o Hélio. Os materiais que o constituem
são muitas vezes ejectados para o espaço devido ao campo magnético que possui, levando a uma diminuição da temperatura nesses locais. Assim, a temperatura
torna-se mais baixa superficialmente onde a matéria é perdida, relativamente à restante superfície estelar. Esta é uma das milhentas características que se
reconhecem na estrela do sistema planetário a que a Terra pertence.
No âmbito do Programa das Nações Unidas para o Ambiente, no dia 3 de Maio é comemorado o Dia Mundial do Sol. A influência deste astro directa ou
indirectamente em todos os processos que ocorrem a nível do planeta Terra (e não só) levou, este ano lectivo, o Departamento de Ciências Experimentais a fazer
coincidir a comemoração do dia do Departamento com o Dia do Sol. Preparou-se um conjunto de actividades levadas a cabo pelos alunos da escola, no âmbito das
áreas da Física, Química, Biologia e Geologia e ainda na área do Ambiente através da colaboração dos alunos do 12ºJ do Curso CEF de Gestão Ambiental.

Observação de células animais e vegetais, extracção ao vivo do DNA , organismos do solo e de diferentes
meios de cultura, cromatografia em papel dos pigmentos responsáveis pela fotossíntese presentes em plantas.

Maquetas de aterros sanitários e centrais de compostagem, aspectos relativos à política dos 4 R’s (Reduzir,
Reutilizar, Reciclar e Recuperar) e ainda objectos elaborados com materiais reciclados ou resultantes de
desperdício.

Modelos construídos na disciplina de Geologia do 12º ano: a simulação do degelo pelo aquecimento global, a
acção erosiva da água, a formação de armadilhas petrolíferas e de dobras e falhas por acção de forças
compressivas, modelos de diferentes tipos de actividade vulcânica. As experiências da Física e da Química fizeram as
delícias das crianças que nos visitaram, pelas cores,
cheiros, movimentos e barulhos produzidos tentando
ilustrar fenómenos do dia-a-dia.
Show de Física
PROF.A ROSA SIMÕES

Aconteceu no Dia das flores que se esmigalha- tos tinham feito para o Dia experiências.
Ciências – o professor vam! Também vímos cha- das Ciências sobre Max- Para acabar em bele-
Pedro Pombo da Univer- mas a dançar ao som de well, Hertz, e outros cien- za, outra vez os “fumos”:
sidade de Aveiro mara- música, latas de coca-cola tistas do electromagne- os alunos pareciam dra-
vilhou a plateia com e garrafas de plástico a tismo. gões fumegantes depois de
espectaculares experiên- rodopiar, supercondutores Tudo filmado pelo Sr comerem bolachas arrefe-
cias de Física. Como ele a flutuar sobre ímanes, Zé Nuno, enquanto André cidas em azoto e alguns
próprio disse, “um bom faíscas que acendiam lâm- Batista, ex-aluno da Cam- saíram também com os
show começa sempre com padas, e muitas outras pos, filmava, em directo, as bonés a fumegar!
fumos” e assim foi – o experiências.
show começou com expe- E todas elas foram
riências com azoto lí- cientificamente explica- BOAS RAZÕES PARA LER…
quido: assistimos, espan- das! Para falar da teoria o
tados, a uma cafeteira professor usou os desdo- Ler é o prazer de descobrir e atribuir sentidos. (Drª Olga Fonseca)
transbordante de oxi- bráveis que os alunos do Ler é algo que nos leva para o mundo da fantasia e nos faz sentir outras pessoas com
génio líquido, bananas 11º ano dos professores novos sentimentos e emoções. Ler é muito BOM!!! (anónimo)
que pregavam pregos e Luís Lopes e Marina San-

Fio Condutor
XII 28 JUNHO 2007 www.escmelo.web.pt

DIAS DOS DEPARTAMENTOS

Dia de Matemática Dia das Telecomunicações


PROF.A ISAURA MENDES – COORDENADORA PROF.A ANA PAULA FERNANDES – COORDENADORA
E NÚCLEO DE ESTÁGIO DE INFORMÁTICA

As actividades en- O Departamento de


cerraram-se com a en- Gestão, Secretariado e
trega de diplomas e pré- Informática em cola-
mios dos Concursos boração com o Núcleo de
“Canguru Matemático” e Estágio de Informática
“Sudoku”. organizou a comemo-
Este dia contribui de ração do Dia do Departa-
certeza para os alunos mento com um conjunto
terem uma atitude mais de actividades realizadas
positiva face à mate- no dia Mundial das Te-
mática e aumentarem os lecomunicações, 17 de
No passado dia 11 seus conhecimentos so- Maio:
de Maio,assinalou-se o bre História da No átrio da escola, e
Dia da Matemática. Matemática. com a ajuda de um por-
Entre as 9h e 30min tátil e de um projector de
e as 12h,realizaram-se vídeo, decorreu uma
várias actividades no exposição das Páginas
Atelier de Matemática, Web, participantes no 3º
sala 10, a destacar di- concurso TIC On-line,
versos jogos como o criadas pelos alunos das
Semáforo, o Hex, Curri turmas 10ºB, 10º D e
e o GO 7*7;construcção 10ºE no âmbito das uni-
de Fractais e origamis dades de Trabalho de
em papel e utilização de Projecto e da Criação de
sensores de movimen- Páginas Web, e uma
to. Exposição de “Maquetas
Pelas 10 h decorreu de Redes Informáticas”
na sala oito um cam- elaboradas pelos alunos
peonato de SUDOKU. do CEF – Operador de
De tarde realizou- Informática – 9ºE na
se a conferência sobre disciplina de ICORI, com
“Vida e obra do Mate- a supervisão da pro-
mático José Anastácio fessora Ana Rogeiro
da Cunha”proferida pelo Distribuição a toda a
Professor Doutor Jaime Comunidade Educativa
Carvalho e Silva, pro- de um texto “TIC para
fessor da Faculdade de todos – auxiliar as pes-
Matemática na Uni- soas a ultrapassar o
versidade de Coimbra. Fosso Digital” baseado
Esta conferência foi na mensagem do Secre-
antecedida por um mo- tário-geral das Nações
mento de poesia: dois Unidas, como sensibi-
alunos leram dois poe- lização para o “DIA
mas de amor deste ma- MUNDIAL DAS TELE-
temático. COMUNICAÇÕES”.
O auditório teve O momento alto do
dia aconteceu pela tarde, rança em Redes” com a dade da Beira Interior
casa cheia! Alunos participação do Profes-
por voltas das 15h, e e, presentemente, pre-
e professores acharam sor Doutor Mário Freire,
consistiu numa palestra sidente do Departa-
a conferência muito professor da Universi-
sobre o tema “Segu- mento de Informática.
interessante e muito
animada.

A Importância de ser Empreendedor


PROF.A ANA PAULA FERNANDES
José Anastácio da Cunha (1744-1787
No dia 11 de Maio
Soneto teve lugar no auditório
da nossa escola uma
Copado, alto, gentil Pinheiro Manso; palestra sobre “Empre-
Militar e matemá- endedorismo”, promovi-
tico português. Debaixo cujos ramos debruçados
da pelo Departamento
Em 1773, o Marquês Do sol ou lua nunca penetrados,
de Gestão, Secretariado
de Pombal, tendo co- Já gozei, já gozei mais que descanso... e Informática, em que
nhecimento dos seus foi oradora a Professora
méritos, nomeou-o Pro- Quando para onde estás os olhos lanço, Doutora Ana Maria
fessor da Faculdade de Tantos gostos ao pé de ti passados Ussman docente na
Matemática da Uni- Vejo na fantasia retratados, UBI, dirigida a pro-
versidade de Coimbra. Tão vivos, que jàmais de ver-te canso! fessores e alunos dos
José Anastácio Da Cursos Profissionais e
Cunha deixou impressa CEF’s.
a obra «Princípios Ma-
Ah! deixa o outono vir; de um jasmineiro
temáticos» para a ins- te hei-de cobrir, terás cópia crescida A oradora expôs o tema de forma
trução dos alunos do De flores, serás honra dêste outeiro. acessível, prática e apelativa
Colégio de São Lucas, BOAS RAZÕES PARA LER…
da Real Casa Pia do E para te dar glória mais subida,
No meu tronco feliz, alto Pinheiro, Ler é a melhor forma de aprender e de esquecer temporariamente
Castelo de São Jorge. os problemas. (anónimo)
O teu nome escreverei de Margarida.
Ler diferencia-nos dos outros. (Joana Protásio)

Fio Condutor
www.escmelo.web.pt 28 JUNHO 2007 XIII
DIAS DOS DEPARTAMENTOS BREVES

Dia das Expressões Sismos


PROF.A PAULA ROCHA e Tsunamis
Um assunto que mexe connosco
O dia das Expressões, 30 de Maio, começou com um show de bateria a cargo do
PROF. STEVEN CASTELEIRO
aluno João do 11º H. Simultaneamente, no pátio da entrada principal, realizava-
se uma sessão de arte ao vivo, enquanto nas salas de artes, no átrio e corredores
principais se podiam apreciar diversas exposições de trabalhos. O Departamento de Ciências Experimentais, à
No pavilhão o Grupo de Educação Física organizou um torneio de Voleibol, em semelhança do ano anterior, organizou um
que 92 “atletas” disputaram com garra e “fairplay” o magnífico troféu: o saber que conjunto de palestras no âmbito das Ciências da
ganharam o internacionalmente conhecido torneio da E.S.C.M. Terra, no dia 10 de Maio, desta vez sobre sismos e
Foi um dia cansativo mas muito alegre e animado. tsunamis: prevenção e seus efeitos e ainda sobre a
Ah!!! Já me esquecia, a equipa vencedora foi a dos professores que com a Exploração de Recursos Geológicos.
colaboração de dois alunos... arrasaram. As sessões foram conduzidas por especialistas
na área, o Doutor Fernando Lopes que conversou
com os alunos do 7º ano e o Doutor Nelson
Rodrigues que fez a apresentação sobre Recursos
Geológicos para uma plateia de alunos do 11º ano.
Ambos os professores pertencem ao Departamento
de Ciências da Terra da Faculdade de Ciências e
Tecnologia da Universidade de Coimbra.
Os temas abordados encontram-se
contemplados no currículo escolar dos alunos,
nomeadamente através das disciplinas de Ciências
Naturais do 7º ano e Biologia – Geologia do 11º ano.
No final, os alunos consideraram as palestras
como uma fonte de informação adicional importante
na consolidação de conhecimentos, proporcionada
directamente por cientistas que conhecem bem os
temas que são abordados nos vários currículos.
Quantos dos nossos alunos querem, no futuro,
enveredar por uma carreira na área da Geologia?

Tai Chi no Jardim do Lago


Dia das Tecnologias
PROF.A PAULA ROCHA
PROF. AMÉRICO MENDES

No passado dia 24 gico de Electrotecnia e Instalações Eléctricas, cuidado e rigor técnico o A actividade, que o grupo de Educação Física
de Maio realizou-se o Electrónica. Electrónica básica, Au- funcionamento de cada organizou na manhã do dia 21 de Abril, foi orientada
dia do departamento de O principal objectivo tomação e Robótica. um dos trabalhos, aos por monitoras de Tai Chi Chuan e Chi Kung.
Tecnologias. Do pro- desta iniciativa foi mos- A participação dos colegas da escola que Durante hora e meia os participantes realizaram
grama, destaca-se a trar os trabalhos de- alunos envolvidos foi em grande número vi- exercícios e movimentos desta arte marcial chinesa.
apresentação dos tra- senvolvidos ao longo do muito positiva, visto que sitaram a exposição. Uma manhã desportiva e relaxante.
balhos realizados pelos ano, no âmbito das dis- explicaram com grande
alunos do 10º I, do ciplinas técnicas dos
Curso Profissional de cursos acima identi-
Electrónica, Automa- ficados. Os trabalhos
ção e Comando e do 12º expostos abrangeram os
H do Curso Tecnoló- mais diversos temas:

BOAS RAZÕES PARA LER…


No acto de ler encontramos muitas vezes a resposta aos nossos “como” e “porquê”. (Drª
Maria do Carmo Almeida)

A ler podemos viajar no tempo e no espaço! (anónimo)

Fio Condutor
XIV 28 JUNHO 2007 www.escmelo.web.pt

VIAGENS NA NOSSA TERRA

Na peugada de Os Maias
Visita a Londres
ANDREIA GOMES E TÂNIA CARAMELO – 11º A
PROF. JOÃO BOLÉO

No dia 10 de Abril para Londres. ram os nossos pertences, ground”. Foi fantástico,
começou a visita de es- Explicações nenhu- bem hajam. alunos e professores
tudo da nossa escola ao mas, valeu-nos um ou Tínhamos perdido o partilharam experiên-
estrangeiro, con-cre- outro conhecimento do primeiro dia do pro- cias, viram lugares,
t i zando, desta vez, Miguel Sousa para que grama. espaços e obras que
mais um desejo – alguém nos desse infor- Depois do sono repa- certamente nos irão
LONDRES. mação e tivéssemos rador tudo correu com marcar nos próximos
O grupo de 60 alunos possibilidade de for- normalidade. tempos.
acompanhado por 5 malizar uma queixa Visitámos o Royal Chegámos no dia 13
professores, Ana Fi- junto da companhia Academy (só para al- de Abril, à hora previs-
dalgo, Ana Correia, Cris- aérea. guns…) o Tate Modern, ta, sem atrasos, numa
tina Ribeiro, João Boléo Chegados a Londres, o British Museum, ex- companhia de baixo
No dia 23 de Março, os alunos do 11º ano Silva e José Manuel deixámos as malas no terior de Buckingam custo, irónico não? Mas
partiram para Sintra, com o objectivo de seguir as Pereira, ao chegar ao Hotel e seguimos, em Palace, Green Park, é verdade.
pisadas de Carlos da Maia, Cruges e Alencar. aeroporto foi confron- passo de corrida, para o Hyde Park, Oxford No próximo ano tudo
À chegada aproveitámos para tirar a fotografia tado com uma situação jantar. Deixo aqui um Street, Camden Town e pronto para, a partir de
de grupo no Palácio Nacional de Sintra . Mais à inesperada: tínhamos agradecimento especial o seu mercado tradi- Setembro, pedalarmos
frente, o hotel Lawrence’s, onde, de acordo com o sido separados em dois aos alunos que, já ins- cional, Times Square, até conseguirmos o
romance «Os Maias», se hospedaram algumas voos. Aquilo a que na talados, quase nos abri- Big Ben, Picadilly sem- sonho de há alguns anos
personagens. Visitámos de seguida o Palácio de
gíria da aviação se cha- ram as malas e arruma- pre no famoso “under- – ITÁLIA.
Seteais, de onde pudemos desfrutar a bela vista sobre
ma “over booking”, ao
a serra de Sintra e o Palácio da Pena. No percurso
observámos a Fonte dos Amores e toda a paisagem que parece prática co-
verdejante que a rodeia. mum nas companhias
Deslocamo-nos a pé para a Escola C/2º3º CEB aéreas… Dividido o gru-
Fernando II onde almoçámos. po, seguiram viagem os
À tarde fomos à Quinta da Regaleira onde nos alunos mais novos com
perdemos entre os encantos e mistérios de um duas professoras e o
ambiente natural e pleno de tranquilidade: descendo representante da agên-
até ao fundo do poço iniciático, entrámos no ventre cia de viagens, pen-
da Terra-Mãe e percorremos os seus túneis sombrios sando que ao fim de
até alcançar de novo a luz (outros preferiram duas horas estaríamos
emergir e… descobrir uma possível saída para a bordo.
reencontrar o conhecimento!); parámos no Terraço Engano. O voo da
das Quimeras, visitámos o Palácio dos Milhões e a
companhia aérea Bri-
Capela, entre outros.
thish Airways foi sendo
No fim da visita quisemos provar e comprovar a
afamada qualidade das queijadinhas e travesseiros sucessivamente adiado,
da Periquita. até que ao fim de dez
Já de regresso, parámos no Carregado para horas, (dez, sim!) de
jantar.Salientamos a boa disposição de todos, desespero, cansaço e
inclusive dos professores, que foram bastante estupefacção lá partimos
simpáticos e atenciosos com os alunos.

Regresso ao Futuro ENDIEL - 2007


Visita à Futurália PROF. AMÉRICO MENDES

A 17 de Maio, as mentos do ramo e moti- questionando os expo-


turmas do 12º H, Curso var os alunos para a área sitores dos diversos
Tecnológico de Elec- de Electrotecnia e stands e recolhendo in-
trotecnia e Electrónica, Electrónica. formação técnica ne-
do 10º I, Curso Pro- Os alunos demons- cessária para o seu per-
fissional de Electrónica, traram interesse e par- curso profissional.
Automação e Comando, ticiparam activamente,
do 9º D e E, Curso de
Educação e Formação de
Operador de Informá-
tica, acompanhados pelos
professores Américo Men-
des, Bruno Cruz e Hugo
Barreiros, visitaram o
Os alunos do 9º, 11º e 12º anos da ESCM 15º Encontro para o De-
invadiram no dia 18 de Abril, o pavilhão da FIL no senvolvimento do sector
Parque das Nações, na visita à Futurália, Feira da Eléctrico e Electrónico–
Juventude, Qualificação e Emprego, organizada pela ENDIEL 2007, com o
Drª Marisa Borrego, psicóloga escolar. objectivo de conhecer as
Num momento em que o futuro desperta empresas do sector Eléc-
naturalmente dúvidas e incertezas, a Futurália trico e Electrónico, ver
constitui uma esperança para os alunos à procura as novidades tecnoló-
de pistas para o seu futuro profissional. gicas, contactar com
Por isso, os alunos vieram carregados de profissionais e equipa-
panfletos informativos para reflectir sobre as opções
a tomar para o futuro. BOAS RAZÕES PARA LER…
Parte do material recolhido encontra-se exposto
Ler é pôr a mente a viajar! (anónimo)
na BE/CRE para que todos quantos queiram se
possam informar. Ler faz bem... alimenta a nossa cultura e alivia o espírito...az-nos sentir mais leves. (Carla
Crespo)

Fio Condutor
www.escmelo.web.pt 28 JUNHO 2007 XV
VIAGENS NA NOSSA TERRA CLUBES

Lisboa dos Descobrimentos Comportamento Sexual em Guppies


PROF.AS ASCENSÃO PIRES, MARTA CACHOLAS E LUÍSA BRAZINHA PROF.A REGINA CONCEIÇÃO

No dia 16 de Junho, Posteriormente co- ciaram dois marcos ar- Após a minha au-
as turmas A e B do 8º nheceram os hábitos dos quitectónicos da época sência (resultante do
ano dirigiram-se a Lis- índios da Amazónia nu- dos Descobrimentos, o meu comportamento
boa, a fim de “mergu- ma exposição do Museu Mosteiro dos Jerónimos sexual!) durante o 1º
lhar” na nossa história, de Etnologia. e a Torre de Belém. período, retomaram-se
mais especificamente Para finalizar, apre- os trabalhos com os Gu-
na época dos Descobri- ppies.
mentos. Para quem ainda
A primeira aven- não sabe, os Guppies são
tura permitiu-lhes ex- peixes de água doce
perimentar a vida a quente (28ºC), naturais
bordo da caravela Vera da América do Sul e que
Cruz, atracada no cais na nossa escola habitam
de Alcântara. Aí con- em dois aquários no
tactaram com as difi- Laboratório de Biologia.
culdades próprias da Foram escolhidos
vida marinheira, enfei- para se efectuarem estu-
taram-se com o “ouro” dos de comportamento
e os tecidos trazidos das sexual e hereditariedade ou seja, as crias nascem sentadas pelos machos
partes de Além e pro- pois pertencem a uma de ovos que eclodem e posteriormente acom-
varam as variadas es- espécie, Lebistes reti- ainda dentro do corpo panhar a transmissão
peciarias. culatus, que apresenta materno e de a fecun- de determinadas carac-
grande dimorfismo se- dação ser interna. O terísticas hereditárias,
xual, ou seja, os machos macho possui uma bar- como a pigmentação e
são bem diferente das batana modificada, o tamanho da cauda.
Intercâmbio Estudantil fêmeas, pois apresen- gonopódio, a qual fun-
ciona como órgão se-
Parece que no la-
boratório de Biologia o
tam cores vivas enquan-
Visita de Estudio a Salamanca to que as suas compa- xual, permitindo a colo- amor anda no ar, ou
EL GRUPO 7º C nheiras são maiores e cação dos espermato- melhor, na água pois a
com uma cor cinzenta- zoídes no interior do taxa de reprodução é
¡Hola! bastante elevada, ape-
acastanhada. Mesmo corpo da fêmea.
Os vamos a contar como fue nuestra visita de estudio a Salamanca. Fuimos Com os estudos pre- sar de só existir um
entre os machos existe
el día 27 de abril, salimos a las siete en punto y regresamos sobre las nueve de uma grande diversidade. tende-se concluir sobre único macho adulto que
la noche del mismo día. Outra vantagem a preferência das fêmeas continua a dar conta do
Por la mañana fuimos al Instituto de Enseñanza Secundaria Lucia de desta espécie reside no em relação a algumas recado.
Medrano, a fin de hacer un intercambio con los alumnos que tienen portugués facto de ser ovovivípara, características apre-
como lengua extranjera en dicho instituto. Visitamos la escuela, charlamos un
poco y hicimos algunos juegos didácticos con el propósito de iniciar nuestro
intercambio.
Después fuimos a comer al comedor San Blas, que pertenece a la Clube de Natação
Universidad de Salamanca. PROF. JOÃO FERREIRA – COORDENADOR DO DESPORTO ESCOLAR
Enseguida nos organizamos en grupos y empezamos un peddy-paper por
Com um começo algo telo Branco. quer da autarquia, res-
el centro histórico de la ciudad. Lo que interesaba con este juego era preguntar
conturbado, devido às Nestas duas parti- ponsável pela Piscina
a las personas que andaban por la calle lo que no sabíamos, con el propósito de Municipal, apoio para
políticas seguidas por cipações obtivemos exce-
que nos quedáramos a conocer mejor la ciudad y su cultura. Lo pasamos muy lentes resultados que podermos continuar a
quem neste país toma
bien. Las personas nos ayudaran y eran muy simpáticas con nosotros. Nos decisões, o grupo do mais nos orgulham por ensinar a nadar os nos-
gustó el peddy-paper, porque aprendemos y vimos muchas cosas, por ejemplo: Desporto Escolar, e ser o primeiro ano de sos jovens, mas sobre-
iglesias, monumentos, calles típicas, la plaza Mayor, la fachada de la neste caso particular o funcionamento deste tudo desenvolvê-los
universidad, la casa de las Conchas, etc. grupo de natação, clube. Além disso apurá- como Homens num
¡Ah! También hubo tiempo para comprar unos regalitos. Había muchas começou tarde, muito mos dois elementos para espírito de empenho e
tiendas con recuerdos típicos de Salamanca. Ya sabéis, el más típico es la ranita tarde, em Novembro. os regionais de Natação. trabalho que infeliz-
de la suerte. Si sois curiosos, tenéis que investigar por qué. Contudo e apesar de Para o ano espe- mente cada vez se
entraves de diversa or- ramos, quer da escola, preza menos.
Nos gustaría que todos los años pudiéramos hacer una visita de estudio así,
porque nos gustó mucho a todos. dem, nomeadamente
financeira, sendo os 15
¡Hasta la vista!
alunos deste clube
“obrigados” a pagar a
totalidade das despesas
de aluguer da Piscina
Municipal,o funciona-
mento veio a revelar-se
extraordinário, não fol-
gando nas habituais in-
terrupções lectivas e
criando um espírito de
grupo bastante forte.
O grupo participou
em duas Concentrações
de Natação, uma rea-
lizada na nossa piscina,
em que fomos também
organizadores conjun-
tamente com a Escola
Secundária Frei Heitor
Pinto, e outra em Cas-

BOAS RAZÕES PARA LER…


Ler é poder voar num mundo imaginário… (Ana)

Ler = liberdade (anónimo)

Fio Condutor
XVI 28 JUNHO 2007 www.escmelo.web.pt

A ESCOLA E O MEIO

Em Defesa Tree Parade 2007


do Ambiente O Clube da Floresta, com a ajuda de Joana
Venâncio, Tânia Raquel, Ana Sofia e Adília Maria,
do 12º G – Artes, decorou a árvore que lhe foi
A 5 de Junho, os como Preservar o Meio
entregue pela Direcção Geral dos Recursos
“quase” Técnicos de Ambiente”.
Florestais (DGRF).
Gestão Ambiental co- Da autoria destes
O concurso “Tree Parade 2007” é uma iniciativa
memoraram o dia Mun- activos defensores do
da Direcçaõ Geral de Inovação e Desenvolvimento
dial do Ambiente com a ambiente – 12º J – foram
Curricular (DGIDC) em colaboração com a DGRF,
exposição de maquetas também as campanhas:
no âmbito da sensibilização da população escolar
de estações de trata- pelo silêncio, lembrando
para a preservação da Floresta e para a luta contra
mento de RSU (resí- os mais «distraídos» de
os incêndios.
duos sólidos urbanos) e que o barulho nos es-
Os 77 trabalhos a concurso estiveram em
de Efluentes, bem como paços sociais perturba as
exposição na Praça do Comércio, em Lisboa, como
de trabalhos criativos, aulas; pela poupança de
a imagem, com a nossa ávore em primeiro plano, o
realizados com mate- energia; e pela sepa-
documenta.
riais reciclados. No ração dos lixos.
Auditório teve lugar A escola ficou mais
uma Acção de Forma- limpa, mais bonita e
ção sobre “Reciclagem e mais ecológica.

É urgente o verde
Pensar no Planeta, no ambiente.

Reciclar e não desperdiçar


Dois aspectos muito importantes
Para os amantes
Do Planeta Terra.

É urgente separar
Os vidros dos metais
Os plásticos dos papéis
Cada um tem o seu lugar.

É urgente preocuparmo-nos
Com o aquecimento global
Com o efeito estufa
Com a Natureza, em geral

É triste pensar num futuro escasso


Em que a diversidade seja pouca
A água poluída
E a felicidade destruída

Chega de lixo radioactivo!


Chega de poluir,
Esperar sentado sem fazer nada
Vendo a Terra destruir

É urgente o verde
Pensar no planeta, no ambiente.
Boas Férias... Boas Leituras... Até para o ano!
Luciana Teodózio – 9ºA

Fio Condutor