Você está na página 1de 20

Trabalho Final

Curso: Mestrado em Supply Chain Management


Área: Logística
Bloco: 02 - Comércio
Enviar a:

Dados do Aluno

Nome completo: Eleandra da Silva Piazzon Tagliari


Documento de identidade: 3 257 887 cpf: 90512820953
Endereço: Rua 1542, número 1255
Cidade: Balneário Camboriú - SC País: Brasil
Telefone: (47) 9 88141345
E-mail: eleandrasilva@yahoo.com.br

Página 1
Vinícola Sendero

O vinho Ribera del Duero, que é distribuído pela Senderos situada em


uma região com o mesmo nome, trata-se de uma região isolada por montanhas
e não recebe influência marítima. Esta região produz os melhores vinhos Tintos
e Rose, onde se localiza a Vinícola Senderos que produz vinhos tintos e rose
que atualmente são distribuídos no mercado interno da Espanha. As condições
geográficas da região contribuem com vinhos encorpados e com alta
capacidade de envelhecimento.
Localização da empresa:

Fonte: Google Maps

Fonte: Google Imagens

Página 1
A empresa trabalha com dois tipos de vinho, tinto e rose que são
comercializados com o nome “Ribera del Duero” e são distribuídos para o
mercado interno da Espanha, no entanto, a empresa vem registrando
crescimento e resolveu exportar o produto. E para que o mesmo seja
conhecido pelos consumidores foi elaborada uma descrição do produto. A
seguir são apresentadas imagens da área de produção e armazenamento da
empresa.

Armazenamento:

Fonte: Google Imagens

Fonte: Google Imagens

Página 1
1. Produto estrela da empresa

2.1 Vinho Tinto Ribera del Duero

O vinho tinto Ribera del Duero é um vinho Cabernet Sauvignon, um


vinho de cor vermelho escuro brilhante conforme explica a S. Adega (2019). É
um vinho encorpado com aroma de ameixas, groselha e cerejas maduras com
toque de baunilha e seus taninos são harmoniosos e aveludados. A
degustação proporciona um suave sabor de ameixas e cereja que se afundem
ao sabor defumado do envelhecimento em carvalho.

Fonte: Google Imagens

Fixa Técnica
Tipo: Tinto
País: Espanha
Uva: Cabernet Sauvignon
Safra: Consultar rótulo
Vinícola: Sendero

Página 1
Teor alcóolico: 14,5%
Região: Ribera del Duero
Volume: 750ml
Coloração: Tinto
Tipo: seco
Temperatura de consumo: 10-12 °C
Amadurecimento: Logo após o engarrafamento é colocado à venda.

Vinho Rose Ribera del Duero

Trata-se de um vinho que é elaborado com a mesma qualidade do vinho


tinto, no entanto, o mosto é deixado por menos tempo em contato com a casca
da uva, conforme explica a Casa Valguga (2019). É um vinho mais leve e
frutado que o vinho tinto, mas apresenta estrutura e adstringência delicada. A
Casa Valduga (2019) destaca que os vinhos Rose têm conquistado o mercado
mundial.

Fonte: Google Imagens

Página 1
Fixa Técnica

Tipo: Rose
País: Espanha
Uva: Cabernet Sauvignon
Safra: Consultar rótulo
Vinícola: Sendero
Teor alcóolico: 12,5%
Região: Ribera del Duero
Volume: 750ml
Coloração: Rose
Tipo: seco
Temperatura de consumo: 16-18 °C
Amadurecimento: 80% por cento do vinho faz estágio em barris de carvalho por
um ano.

2. Países de interesse para exportação

3.1 País europeu

O País europeu de interesse é a Finlândia por apresentar aspectos


econômicos favoráveis aos interesses da empresa. As informações aqui
relatadas foram buscadas no Manual de “Como Exportar para a Finlândia” do
Ministério das Relações Exteriores do Brasil – MRE (2019) e Documento da
Embaixadas e Consulados – Brasil (2019).

Finlândia - Localização Global

Página 1
Fonte: Google imagens

3.1.2 Contexto Econômico

A Finlândia conta com uma economia de mercado livre conforme


destaca o Manual de Exportações do Ministério da Relações Exteriores – MRE
(2019) que explica que o país é altamente industrializado e apresenta nível de
economia que se assemelha com países como Áustria, Bélgica, Suécia e
Países Baixos. Atualmente é um país altamente competitivo nas áreas de
eletrônicos, de engenharia e telecomunicações.
A Finlândia é um país nórdico que tem a economia baseada na iniciativa
privada que consta aproximadamente 85% da economia fundamentada em
empresas. O país integra a UE – União Europeia e concorda com diversos
acordos comerciais inerentes às relações internacionais de comércio, conforme
destaca o MRE (2019). O Manual do MRE destaca também que a Finlândia é
um país industrializado e com moderna infraestrutura.
A indústria finlandesa é voltada para a tecnologia como maquinários
para a indústria de papel e celulose e equipamentos de telecomunicações. O
país é politicamente estável e conta com educação e mão de obra altamente
desenvolvida. Em relação às negociações exteriores da Finlândia são
aproximadamente 25% do PIB – Produto Interno Bruto são de importações e
62% são de exportações.

Página 1
Em se tratando da produção agrícola do país a mesma não é muito
intensa principalmente por conta dos aspectos geográficos do mesmo e clima
severo. As culturas que mais se adaptam às condições naturais são batata,
alfafa e milho. O país oferece subsídios para a agricultura. O setor florestal
(madeireiro) atualmente tem se retraído devido ao crescimento industrial.
A moeda do país é o Euro que em 2002 substituiu o Marco Finlandês e
“a posição setentrional da Finlândia e a falta de recursos energéticos e
matérias-primas refletem-se e na forte demanda que o país gera para um
amplo leque de bens importados”. MRE (2019, p. 23). E em relação às
exportações 28% são de eletrônicos, 17,4% equipamentos de transportes, 11%
máquinas e equipamentos e 9% de químicos.
Por ser membro da UE, a Finlândia está sujeita aos mesmos trâmites
aduaneiros que os membros da União Europeia e neste sentido facilitam as
negociações com a Espanha. Dentro da UE não existem formalidades de
desembargo alfandegário, no entanto existem as quotas de importação.
Destaca-se também que a UE da qual a Finlândia é membro é um mercado
que garante a livre circulação de capitais, pessoas, bens e serviços e que a
Espanha pode fazer negócios com obstáculos reduzidos no comércio.
Em relação aos aspectos sociais e culturais da Finlândia de acordo com
o Núcleo de Pesquisas do Senado – Brasil (2013) a educação do país é um
modelo internacional o que reflete nos padrões sociais e culturais. A pesquisa
destaca que o país tem o Índice de Desenvolvimento Humano – IDH é de 0,892
e o coeficiente Gini é de 0,26 mostrando que há baixa desigualdade social no
país.

3.1.3 Aspectos Sociais

A Finlândia é reconhecida como um exemplo de sociedade do


conhecimento, baseada em uma economia altamente competitiva e inovadora,
isto graças aos investimentos em educação desde a base. Um exemplo de
investimento é o programa de centralidade dada à pesquisa, desenvolvimento
e inovação.
O desenvolvimento humano se ocorre graças ao mecanismo de
cooperação entre as instituições de ensino, principalmente ensino superior e

Página 1
politécnicos com a iniciativa privada. Neste mecanismo de cooperação é dado
incentivo à pesquisa básica e aplicada e também à pesquisa a voltada para o
desenvolvimento e internacionalização das empresas finlandesas.

3.1.4 Comércio Exterior

Em se tratando do comércio exterior a Finlândia tem apresentado


crescimento nos últimos anos e superávit na balança comercial. O manual do
Ministério das Relações Exteriores (2019, p. 34) destaca que “as vendas
finlandesas foram direcionadas em grande parte aos vizinhos europeus, que
absorveram 62%.” O documento destaca também que o abastecimento externo
também está concentrado nos países vizinhos e que, no entanto, a Finlândia
realiza importações de outros países da UE, Ásia e América. Neste sentido as
importações do país são em maior número de combustíveis e bens de alto
valor.
Conforme informações da Aduana Finlandesa (Apud MRE 2019, p. 55 -
www.tulli.fi):
A Aduana Finlandesa faz parte do sistema alfandegário da
União Europeia. Participa do grupo de trabalho e do comitê
dentro da Comissão Europeia e do Conselho da União
Europeia. A legislação e as decisões são preparadas para
assegurar que as medidas alfandegárias sejam tão uniformes
quanto possível dentro da União Europeia e as operações de
cooperação aduaneira sejam acordadas.

Conforme as explicações do manual de negócios a Finlândia dispõe de


Leis que garantem a cobrança de impostos sob as transações de comércio
exterior e neste caso é de interesse da empresa que assim que escolher o país
para iniciar as exportações de vinho buscar um aprofundamento.
As informações mais detalhadas serão buscadas no “Laboratório
Aduaneiro da Finlândia, Autoridade de Segurança de Alimentos Finlandesa - Evira e
a Agência de Produtos Químicos e Segurança – Tukes, Sistema Geral de Preferências
- UE GSP.” (MRE 2019).

3.1.5 Mercado de Vinhos da Finlândia

Página 1
A AICEP – Agência para Investimento e Comércio Externo de Portugal
(2019) explica que o mercado de vinhos finlandês é controlado pela ALKO,
uma empresa que detêm o monopólio da comercialização de bebidas
alcoólicas no país, principalmente as bebidas importadas com teor alcoólico
superior a 4,7% de álcool.
A agência portuguesa destaca que por ser uma empresa estatal o
processo de exportação é lento e complicado e que a empresa efetua pedidos
com seis meses de antecedência e apresenta uma série de exigências:
A participação no concurso obriga ao preenchimento de dois
formulários, o do concurso e o de autorização e o vinho precisa
obedecer a todos os critérios indicados na descrição, como por
exemplo: região, tipo de engarrafamento, variedades de uva,
entre outros. Isto, apesar de o vinho ser escolhido em base na
sua relação qualidade e preço.

O estudo destaca que a pesar dos trâmites complicados a ALKO tem


aumentado as importações para poder oferecer maior variedade de produtos
no mercado finlandês. E destaca também que o maior volume importado está
para os vinhos tintos e em segundo lugar para os brancos.

3.1.6 Vantagens e Desvantagens

O comércio com a Finlândia apresenta como principal vantagem a


economia desenvolvida e o alto grau de aquisição da população, também
aspectos geológicos que favorecem o consumo de vinho. Como desvantagem
principal destaca-se a questão da estatização das importações e distribuição
de vinhos no país, o que torna o processo lento e oneroso.

2.2 País da América Latina

2.2.1 Brasil

Página 1
O país da América Latina escolhido foi o Brasil por seus aspectos
econômicos em crescimento e por conta de não ser um país de grande
produção vinícola, como no caso de países como a Argentina e o Chile que
têm economias mais desenvolvidas, mas são grandes produtores de vinho.

Fonte: Google Imagens

2.2.2 Conjuntura econômica do Brasil

Conforme o IPEA – Instituto de Pesquisa Aplicada – Brasil (2019) na


Carta de Conjuntura Econômica o Brasil tem tido uma aceleração em sua
economia e tem superado as previsões. O IPEA (2019) destaca que em
outubro de 2019 o país continuou em crescimento. O crescimento registrado
conforme os estudos do IPEA são devidos ao aumento de consumo nos
núcleos familiares e ao investimento do país na economia.
O IPEA projeta para 2020 um crescimento de na economia e
principalmente aumento na demanda por produtos exteriores devido ao
investimento no consumo. O Brasil possui uma economia em crescimento e
compõe o bloco BRICS, ou seja, países emergentes. Também o país compõe o
Bloco Econômico MERCOSUL – Mercado Comum do Sul. O MERCOSUL
ainda não possui moeda unificada, mas é uma área de livre comércio.

Página 1
Neste contexto o INSPER. JR – Instituição de Ensino Superior e
Pesquisa - (2019) destaca que a pesara dos problemas políticos e das
adversidades o país tem registrado crescimento e lentamente se recupera da
instabilidade de 2018. O INSPER (2019, p. 01) destaca que:
O crescimento moderado das trocas comerciais globais, as
tensões no mercado por conta da guerra comercial e as
políticas monetárias de aumento dos juros de países
desenvolvidos são alguns dos fatores que diminuíram as
expectativas de crescimento para o ano que vem. Desde a
eleição do presidente norte-americano, Donald Trump, a
atenção mundial tem se voltado cada vez mais para o país. Ao
se candidatar, o republicano prometeu que o país voltaria a
crescer na casa dos 4% ao ano. Entretanto, os EUA, que
contam com a menor taxa de desemprego do país dos últimos
50 anos, correm risco de uma alta da inflação. Como medida
preventiva, o FED, banco central americano, elevou a taxa
básica de juros e pretende seguir a política fiscal expansionista
em 2019. Apesar do cenário positivo para os EUA, os países
emergentes enfrentam dificuldades, pois sofrem com a
apreciação do dólar e consequente perda de investimento em
suas economias, por conta dos rendimentos maiores e mais
seguros dos títulos americanos. Até agora, as promessas do
presidente americano têm sido relativamente cumpridas,
porém, esse processo ocorre às custas de medidas
protecionistas impostas pelo país, principalmente em relação à
China.

O Documento do INSPER. JR destaca que mesmo diante do contexto


econômico mundial que sempre reflete na economia nacional, o desemprego
tem caído nos últimos anos e a incerteza política tem diminuído levando ao
aumento do consumo e tornando o país mais propício para as importações.
Ainda em conformidade com a Carta de Conjuntura do INSPER.JR (2019), a
Balança Comercial do Brasil registrou Superávit e o comércio exterior continua
movendo a economia do país.
O MRE (2019) explica que que 32% da economia estão nas exportações
e 16% estão nas importações e que o setor privado tem retomado os
investimentos em crescimento. Após a eleição presidencial houve uma melhora
nas expectativas de crescimento, uma vez que a equipe econômica do atual
governo pretende investir em pequenas reformas para ir auxiliando o país a
crescer economicamente.

2.2.3 Aspectos Sociais

Página 1
O Brasil é uma nação de dimensões continentais e devido à sua
extensão territorial existem muitas diferenças entre as regiões, conforme
destaca o IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – (2019). A
população do Brasil é de aproximadamente 190 milhões de pessoas. O IBGE
destaca que o país ainda tem muito a se desenvolver em se tratando de
desenvolvimento social, pois ainda há muita desigualdade social (aspecto
inerente aos países emergentes). Atualmente é a quinta maior população no
planeta e registra alta taxa de crescimento urbano e em contrapartida sua
estrutura de infraestrutura ainda precisa de investimentos.
O Brasil é a maior economia da América Latina e passa por expansão
econômica e atualmente se tem investido em políticas públicas para que as
riquezas sejam melhor distribuídas. Nos últimos 10 anos a população tem
passado por uma melhora graças ao crescimento econômico e às políticas
mais inclusivas do governo, conforme destaca o IBGE (2019), o que é uma
vantagem para a empresa apostar em um estudo aprofundado caso decida
exportar vinhos para o brasil.

2.2.4 Comércio Exterior do Brasil

De acordo com o Caderno de Economia do Estadão – MG (2020), o


Brasil está incluso no G-20 mais industrializados que mais cresceu conforme
anunciado pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento
Econômico – OCDE e Organização Mundial do Comércio – OMC, o Brasil
superou os países integrantes do G-20 quando em meados de 2018 chegou a
18% de crescimento nas importações em comparação com as demais
economias que giram em torno de 5,3%. As exportações cresceram em 5,5%
frente a 4,7% das outras nações do grupo o documento ressalta que o Brasil
passou por instabilidades devido às eleições e mudança de governo, mas que
atualmente sua economia tem crescimento e em contrapartida os países do G-
20 que contraíram ou estagnaram a economia no cenário internacional.
Diante deste contexto a empresa pode considerar o Brasil como país da
América Latina como candidato a importador dos produtos da empresa. Essa
decisão poderá ser fundamentada nos dados da Vine Inteligence (2019) que

Página 1
destacou que o Brasil tem aumentado o consumo de vinho devido à tendência
mundial de diminuir o consumo de bebidas de baixa qualidade e alto valor
alcoólico.

2.2.5 Mercado do Vinho No Brasil

A Revista Adega Uol (2019) publicou estudo de previsão do mercado de


vinho do Brasil para 2020 destaca que o mesmo tenderá a aumentar as
importações de espumantes e roses. Esta revista publica as informações do
Fórum Provino e de grupos como Wine Intelligence e Euromonitor e a Ideal
Consulting que estudam as tendências mundiais do mercado do vinho.
A mesma revista destaca que a indústria de vinho no Brasil está em alta
e se fortalecendo, pois o país segue a tendência de diminuição no consumo de
bebidas alcoólicas de baixa qualidade e as pessoas estão apostando mais nos
vinhos. Neste sentido, o crescimento do mercado de n brasileiro tem ênfase
nos produtos nacionais, uma vez que o sul do país produz vinhos de excelente
qualidade.

3.2.6 Vantagens e Desvantagens

Como vantagens consideram-se o aumento do consumo de vinho e


poder aquisitivo da população brasileira devido à melhora econômica do país.
Em contrapartida a desvantagem oferecida pelo país está em ser um produtor
de vinhos e por estar inserido no MERCOSUL – Mercado Comum do Sul, do
qual participam países produtores de vinho o que facilita a importação e
exportação de vinhos entre estes países.

2.3 País do Sudeste Asiático

2.3.1 Singapura

Página 1
Singapura foi o país do Sudeste Asiático escolhido com base no critério
econômico, por ser um dos países em maior crescimento da região. Para isso
também se recorreu ao Manual de “Como Exportar para Singapura” do
Ministério das Relações Exteriores do Brasil MRE (2019) por ser uma fonte de
dados mais confiáveis e por conter todos os trâmites de negociações com o
país.
Singapura é uma Cidade-Estado insular localizada ao sul da Malásia
com a qual é ligada por duas pontes. É um centro financeiro Global que tem
crescido muito nos últimos anos. Apresenta uma população multicultural e
fisicamente possui 63 ilhas de clima quente e úmido devido à proximidade com
a linha do Equador.

Fonte: Google Imagens e Google Maps

2.3.2 Aspectos Econômicos

O País participa de vários acordos internacionais e grupos econômicos


como Associação dos Países do Sudeste Asiático – ASEAN, Cooperação
Econômica da Ásia-Pacífico – APEC, Organização Mundial do Comércio –
OMC, Trans-Pacific Partnership Agreement – TPPA. O país tem economia
industrializada baseada em mineração (petróleo), indústria eletrônica e de
telecomunicações, engenharia e construção civil e também agricultura
desenvolvida.
Singapura tem incentivado o crescimento de setores como o eletrônico,
da engenharia de precisão, e setor de químicos em equilíbrio às oscilações do
mercado de petróleo e gás. Conforme destaca o manual do MRE (2019)
quando cita dados do O Monetary Authority of Singapore – MAS, que a moeda

Página 1
do país é uma das mais fortes do mundo e a décima segunda moeda mais
comercializada do mundo em 2016.
Em virtude da pequena extensão de território (721,5 km²) o país não
incentiva a aquisição de veículos e há preferência em investir no transporte
para que se torne eficaz e dinâmico. O país também possui estrutura de
transportes marítimo de qualidade e alinhando-se com as características
geográficas insulares Singapura tem um mercado de “alcance global” MRE
(2019, p. 08). O movimento portuário é especializado na movimentação de
containers.

2.3.3 Aspectos sociais

A população é multiétnica de povos asiáticos e com padrão elevado de


vida, apresenta baixa taxa de natalidade e alto índice de alfabetização. As
melhorias sociais de Singapura se devem ao seu crescimento econômico dos
últimos anos, pois o país oferecia mão de obra abundante e barata e atraiu
muitos investimentos de fora do país.
O país investiu substancialmente na educação principalmente dos
trabalhadores, os quais são obrigados a dominar o idioma inglês e passam por
treinamentos vocacionais para poder atuar em áreas onde possam ser mais
eficientes. O IDH é de 0,846 é o nono melhor do mundo o que reflete na
educação, renda e saúde da população. (MRE, 2019).

2.3.4 Comércio Exterior de Singapura

As relações de comércio exterior de Singapura têm crescido nos últimos anos


conforme informa o MER (2019, p. 15) graças às suas políticas que são “mercado livre
e orientação externa e aproximadamente 99% das importações que entram no país
são livres de impostos. E neste sentido as exportações tem as mesmas vantagens a
não ser que haja restrições em acordos bilaterais previamente acordados.
Não existem controles na taxa de câmbio, nem medidas
protecionistas. Singapura mantém poucas barreiras comerciais.
Existem restrições em apenas alguns setores, como por
exemplo serviços legais, serviços bancários, alguns serviços de
telecomunicações, serviços de profissionais de engenharia,

Página 1
produtos de tabaco, armas e explosivos, produtos radioativos,
entre outros.

O comércio exterior de Singapura é promovido pela Enterprise


Singapore que promove o comércio, oferece subsídios e treinamentos e
expansão econômica de Singapura no exterior. E neste sentido a Economic
Development Board – EDB faz investimentos e promove a atração dos
mesmos para as indústrias do país. O foco da EDB é voltado para indústrias
como aeroespacial, engenharia de precisão, equipamentos para medicina,
comunicações, informações, químicos e petróleo. O MRE (2019) destaca que a
EDB possui 19 escritórios internacionais para prestar assistência às
exportações de Singapura e também para promover as suas exportações.

2.3.5 Mercado de Vinho em Singapura

Conforme destaca a Revista de Vinicultura e Enologia – Infowine (2019),


O mercado de Vinhos de Singapura tem passado por mudanças nos últimos
tempos devido à inclusão de hábitos ocidentais que também inclui o vinho. O
estudo da revista destaca que as faixas mais jovens da população têm aderido
ao vinho. Anteriormente o consumo de vinho estava restrito aos turistas e um
produto de alto valor agregado, no entanto, com a intensificação do comércio
com o exterior o vinho tem quebrado este paradigma e a população tem
aumentado o consumo e neste sentido, representa oportunidades para a
empresa Sendero.

2.3.6 Vantagens e desvantagens

O comércio com Singapura apresenta como desvantagens como a


cobrança de impostos sobre bebidas alcoólicas a distância geográfica da
Espanha que é amenizada pelas facilidades de acesso marítimo e facilidades
de operações que o país oferece. Como vantagens de comerciar com o país
também a facilidade burocrática a assistência dos escritórios internacionais, as
melhorias na economia e o aumento do consumo de vinho na população.

Página 1
3. País escolhido para a exportação

O país escolhido para a exportação dos vinhos da empresa depois de


conhecer os países propostos foi Singapura. Observa-se, no entanto, que não
se descartam os outros países para futuras negociações. Singapura será o
país pioneiro para as exportações da empresa, porém, os planos são de
aumento da realização de comércio exterior com vários países do mundo para
aproveitar a oportunidade diante das mudanças no consumo de bebidas
alcoólicas.
Conforme informações da Adega Uol (2019, p. 01) a Espanha já realiza
negociações com o país, um exemplo são as “Oficinas Econômicas e
Comerciais da Espanha em Singapura” que são realizadas pelo Instituto de
Comércio Exterior e a Câmara de Burgos os quais realizaram a “Spanish Wine”
e desta oficina participaram vinícolas de várias regiões da Espanha também
participaram Vinícolas de Ribera del Duero, o que pode ser visto como uma
oportunidade para a Empresa Sendero.
O manual de como exportar para Singapura do MRE (2019) destaca que
o país adota política de livre comércio, no qual a grande maioria dos produtos
importados não estão sujeitos a cobranças de impostos. A atuação tarifária de
Singapura é fundamentada no Harmonised System – HS que controla as
importações e exportações por meio do Departamento de Alfândega.
O país respeitas os acordos bilaterais com as nações com as quais
realiza comércio. Os interessados podem consultar lista de produtos que são
proibidos no país em: hps://www.customs.gov.sg/businesses/imporeng-goods/
controlled-and-prohibited-goods-for-import. Os impostos cobrados sobre
bebidas alcoólicas incidem sobre a porcentagem de álcool/litro. O cálculo para
os produtos está na página: hps:// www.customs.gov.sg/businesses/valuaEon-
duEes-taxes--fees/ duees-and-dueable-goods.
A documentação e taxas cobradas sobre vinhos pode ser acessada em:
hps://www.customs.gov.sg/businesses/ valuaeon-duees-taxes--fees/permits-
documentaeon-and-otherfees. Destaca-se também que o país realiza e segue
os padrões sanitários e fitossanitários exigidos pela ICMSF – Internacional
Comissiono on Microbiological Specifications for Foods.

Página 1
Quando se trata de rotulação e especificação o país segue as normas do
AVA - Agri-Food and Veterinary Authority of Singapore. As regras também são
oferecidas aos exportadores pelo suporte do governo de Singapura. Há
também a preocupação com marcas e patentes. Em relação à documentação
de entrada do produto no país, esta será a cargo do importador, previstos na
“Customs Act”, ou Lei Alfandegária.
Singapura apresenta excelente estrutura de transporte interno e de
armazenamento por ser uma cidade de entreposto e por sua localização
geográfica. Até mesmo na distribuição do produto ao consumidor final o país
dispõe de um comércio físico e virtual de excelente qualidade e eficácia.
Tornando-se assim o país escolhido para as primeiras exportações da
empresa.

Referências
ADEGA UOL. Revista de Vinhos. Disponível em: <
https://revistaadega.uol.com.br/artigo/singapura-recebe-grande-exposicao-de-vinhos-
espanhois_2154.html Acesso em: 10/02/2020.
CASA VALDUGA. Disponível em: famigliavalduga.com.br/saiba-tudo-sobre-o-vinho-
rose-o-queridinho-do-momento.
EMBAIXADAS. BRASIL. Embaixadas e consulados. Disponível em
<http://www.itamaraty.gov.br/servicos-do-itamaraty> Acesso em 03/02/2020.
IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Disponível em:
https://www.ibge.gov.br/estatisticas/sociais/populacao/17374-indicadores-sociais-
minimos.html?=&t=o-que-e. Acesso em: 02/02/2020.
INFOWINE. Revista de Vinicultura e Enologia. Disponível em:
https://www.infowine.com/pt/novidades/mercado_de_singapura Acesso em:
07/02/2020.
IPEA – Instituto de Pesquisa Aplicada – Brasil. Disponível em: <
https://www.ipea.gov.br/portal/index.php>. Acesso em: 03/02/2020.
INSPER.JR Instituto de Ensino Superior e Pesquisa. Disponível em: <
http://www.insperjr.com.br/panorama-de-mercado-conjuntura> Acesso em 03/02/2020.
MER. Ministério das Relações Exteriores do Brasil (2019). Disponível em:
http://www.itamaraty.gov.br/pt-BR/ Acesso em 29/01/2020.
Núcleo de Pesquisas do Senado. Disponível em:
https://www2.senado.leg.br/bdsf/bitstream/handle/id Acesso em: 29/012020.

Página 1
S. ADEGA. Disponível em: < https://www.superadega.com.br/vinho-casillero-del-
diablo. Acesso em: 01/02/2020.
VINE INTELIGENCE. Tendências do Mercado de Vinhos. Disponível em:
https://www.wine-xt.com/pt-br/blog/2019/1/14/5-mercado-de-vinho-brasil-em-2019.
Acesso em: 06/02/2020.

Página 1