Você está na página 1de 7

O BOM SELVAGEM E A SOCIEDADE CRUEL ROBERTO 04) Segundo o texto, J. J.

Rousseau:
CAMPOS a) Afirmou que o homem é naturalmente pecador e mau, mas,
devido à tradição cristão, quando nasce virtuoso, degenera na
Leia o texto abaixo e responda às questões de 01 a 25. Para sociedade.
fins didáticos, exporemos o texto parágrafo por parágrafo. Isso b) É o bom selvagem que contribuiu para a descoberta do
facilitará o seu trabalho: Brasil.
c) Errou, ao inverter a visão da Igreja, que sempre acreditou ser
1º Parágrafo: o homem virtuoso, mas degenerador da sociedade.
Uma das perguntas mais intratáveis da vida moderna é sobre d) Contradisse a tradição cristã, ao afirmar que o homem nasce
se o indivíduo tem precedência sobre o ente oletivo, ou o virtuoso, e a sociedade o corrompe.
contrário? Prevalecerá a preferência pessoal de cada um, ou a e) Contribuiu para a descoberta do Brasil, ao afirmar que o
vocação altruísta de se sacrificar pelos demais? Nas selvagem que aqui habitava era naturalmente bom.
sociedades primitivas, o problema era menos complicado
porque a sobrevivência individual estava estreitamente ligada à 05) O autor do texto:
do grupo. Mas por outro lado, o egoísmo grupal era implacável. a) Afirma que as pessoas, de alguma maneira, são solidárias
Na era moderna, o indivíduo adquiriu autonomia, tornou-se com as demais.
cidadão votante e consumidor soberano. Os conflitos entre b) Explica que existe nas pessoas algum conceito que a leva a
egoísmo e altruísmo foram complicados pelo anonimato, pela praticar atos estranhos.
burocracia, e pelo gigantismo das sociedades. Fora do círculo c) Discute a validade de se levarem em consideração os
íntimo da família nuclear, os laços de solidariedade tornaram-se ensinamentos da Igreja.
indiretos e difusos. d) Mostra o pensamento de um ateu, que escreveu obras
contra a Igreja.
01) O primeiro período do texto diz que: e) Revela que nossa cultura tem valores embutidos por um
a)Há dúvidas quanto a se o indivíduo proveio do ente coletivo cidadão, considerado legado religioso.
ou se foi o contrário.
b)Não se trata de elaborar perguntas na vida moderna, pois o 06) Considerando-se algumas palavras do texto, é errado
indivíduo tem preferência sobre o ente coletivo. afirmar que:
c)Há dúvidas, na vida moderna, quanto a quem é mais a) Altruísmo está para altruísta assim como escotismo está
importante: o indivíduo ou a sociedade? para escoteiro.
d) Há dúvidas, na vida moderna, quanto ao que surgiu antes: o b) Embutidos está para embutir assim como vindo está para vir.
indivíduo ou o ente coletivo? c) Impulso está para impelir assim como decurso está para
e) Há dúvidas quanto à possibilidade de se sacrificar o decorrer.
indivíduo, para melhorar a sociedade. d) Embutida está para imbutida assim como emigrar está para
imigrar.
02) Há erros de pontuação no primeiro parágrafo do texto. e) Contribuições está para contribuir assim como intuições está
Corrigindo-os, teremos: para intuir.
a) "...da vida moderna, é sobre, se o indivíduo...";
"...complicado, porque a sobrevivência..." 07) No texto, foram empregadas em sentido conotativo as
b) "...complicado, porque a sobrevivência..."; "...Mas, por outro seguintes palavras:
lado, o egoísmo..."; "...burocracia e pelo gigantismo..." a) visão e pecador. b) tradição e ideia.
c) "...o problema, era menos complicado..."; "...Mas, por outro c) altruísmo e valores. d) cultura e legado.
lado, o egoísmo..."; "...burocracia e pelo gigantismo..." e) sangue e rios.
d) "...a vocação altruísta, de se sacrificar..." ; "...complicado,
porque a sobrevivência..."; "...Mas, por outro lado, o egoísmo..." 3º Parágrafo:
e) "...sociedades primitivas, o problema..."; "...foram A inversão de Rousseau teve conseqüências imprevistas. Se o
complicados, pelo anonimato..."; "... Fora do círculo íntimo da problema residia na sociedade, bastaria ao homem transformá-
família nuclear..." la para voltar ao paraíso. Tentação tanto mais irresistível
quanto estava acontecendo a transição do mundo pré-industrial
03) Indique a afirmação correta em relação ao texto: para os horizontes inexplorados da Revolução Industrial.
a) Era mais fácil viver na sociedade primitiva, pois todos se Durante três séculos, a Era da Razão vinha abalando os
ajudavam mutuamente. alicerces intelectuais da cosmovisão religiosa que sustentara a
b) Os grupos que se formavam, na sociedade primitiva, não grande unidade espiritual da Idade Média. E a vitória do
eram isolados uns dos outros. racionalismo humanista trazia no bojo o liberalismo político e
c) A burocracia existente na vida moderna arrefeceu os econômico.
conflitos entre o egoísmo e o altruísmo.
d) Em toda família nuclear, há laços de solidariedade. 08) A frase que altera a ideia básica do segundo período
e) A vida moderna fortaleceu os conflitos entre o individualismo desse parágrafo é:
e o altruísmo. a) Já que o problema residia na sociedade, bastaria ao homem
transformá-la para voltar ao paraíso.
2º Parágrafo: b) Uma vez que o problema residia na sociedade, bastaria ao
Mas há sempre algum altruísmo nas pessoas. Serão valores homem transformá-la para voltar ao paraíso.
embutidos em nossa cultura por um legado religioso? Ou um c) Como o problema residia na sociedade, bastaria ao homem
impulso inato, recebido da natureza ao nascer? Sangue, e rios transformá-la para voltar ao paraíso.
de tinta, ainda não responderam a essa pergunta. No século d) Embora o problema residisse na sociedade, bastaria ao
18, J. J. Rousseau, invertendo muitos séculos da visão homem transformá-la para voltar ao paraíso.
pessimista do homem naturalmente pecador e mau, embutida e) Porquanto o problema residisse na sociedade, bastaria ao
na tradição cristã, substituiu-a por uma ideia oposta: a do homem transformá-la para voltar ao paraíso.
homem que nasce virtuoso, e degenera na sociedade. É o "bom
selvagem", uma das contribuições iniciais da descoberta do 09) Segundo o texto:
Brasil ao pensamento europeu. a) Três séculos depois de Rousseau, teve início a Idade Média.
b) O liberalismo político e econômico era uma das Ondas ideológicas se sucederam, sem se decidir de vez quais
características do racionalismo humanista. os fatores determinantes do comportamento humano: a
c) A vitória do racionalismo humanista extinguiu o liberalismo natureza física, mais ou menos imutável, ou a sociedade e a
político e econômico. cultura, amoldáveis em princípio pela ação política? Talvez o
d) A Era da Razão e a Idade Média são nomes para uma mais consistente tenha sido o paladino da "pátria do
mesma época. socialismo", Stalin, que, compreendendo o perigo das ideias,
e) O problema realmente residia na sociedade. exterminou os hereges biólogos mendelianos, que duvidavam
da verdade científica socialista, segundo a qual as
10) Não é correto substituir elementos do texto em: características adquiridas pelo indivíduo se transmitiam por via
a) "...bastaria ao homem transformá-la, a fim de voltar ao hereditária.
paraíso."
b) "...bastaria o homem transformá-la, para voltar ao paraíso." 13) Segundo o texto:
c) "... a Era da Razão vinha abalando as bases intelectuais da a) Stalin exterminou os biólogos mendelianos, porque estes
cosmovisão religiosa..." acreditavam que as características adquiridas pelo indivíduo
d) "...vinha abalando os alicerces intelectuais da concepção se transmitiam por via hereditária.
religiosa do mundo..." b) Os biólogos mendelianos compreenderam o perigo das
e) "...E o triunfo do racionalismo humanista trazia no bojo o ideias científicas socialistas.
liberalismo político e econômico." c) Os biólogos mendelianos não acreditavam que as
características adquiridas pelo indivíduo eram transmitidas
4º Parágrafo: por via hereditárias.
Ao pular-se do pecado original para o "homem naturalmente d) Stalin era considerado o paladino da pátria do socialismo,
bom num mundo mau", abriu-se uma grande florescência de porque compreendeu o perigo das ideias científicas.
socialismos que, em princípio, se propunham refazer a e) Os que duvidavam da verdade científica socialista
sociedade segundo uma utopia generosa. Em meados do compreenderam o perigo das ideias dos biólogos
século passado, veio um golpe: a teoria da evolução das mendelianos.
espécies, de Darwin, segundo a qual, na natureza, os seres
vivos evoluíam pela disputa de uns com outros no jogo da 14) Considere as seguintes afirmações sobre o texto:
sobrevivência do mais apto. Essa ideia não foi logo entendida I. Houve um período fértil, em relação à formação de ideias.
como ameaça pelos socialistas, porque, como os seus II. É difícil encontrar o fator determinante do comportamento
coetâneos, tinham um profundo temor reverencial pela humano.
"ciência". Não demorariam, porém, a aparecer extrapolações III. Nada muda a natureza física do homem.
como o "darwinismo social", e as ideias racistas supostamente De acordo com o contexto, está(ão) correta(s):
"científicas". "Ao vencedor as batatas", como diria Machado de a) somente I. b) somente II. c) somente III.
Assis. d)somente I e II. e) I, II e III.

11) Apesar de o texto estar claro ao leitor leigo, um estudo 15) Quais os termos do texto que retomam uma ideia já
mais profundo traria à tona um erro que modificaria citada anteriormente?
totalmente o sentido do primeiro período desse parágrafo, a) imutável e amoldáveis, pois são adjetivos que
pois: qualificam substantivos anteriores.
a) Em princípio só aparentemente tem sentido temporal, mas, b) a natureza física e ação política, pois claramente
na verdade, tem valor concessivo, podendo ser substituído retomam elementos anteriores, representados por
por "apesar de". A expressão que indica tempo é "a humano e sociedade, respectivamente.
princípio". c) mais e ideias, pois retomam ação e socialismo.
b) b) Refazer possui o sentido de "fazer novamente"; isso daria d) Os dois que, pois são pronomes relativos que
o significado de que a sociedade não mais existia, o que não retomam Stalin e biólogos mendelianos,
condiz com a realidade. respectivamente.
c) Ao pular-se denota interrupção na ação, como se uma ação e) científica e hereditária, pois retomam verdade e
abruptamente fosse interrompida, para que outra se iniciasse. indivíduo
O certo seria "Ao se pular".
d) Florescência significa "iluminação", o que denotaria que os 6º Parágrafo:
socialismos já existiam, mas o autor quis indicar que eles Avanços recentes da genética trouxeram um complicador, ao
surgiam naquele momento. sugerir que muitos traços comportamentais têm base física nos
e) Generosa é qualidade que só pode ser admitida em pessoas, genes. Naturalmente, nenhum cientista respeitável chegou ao
portanto não cabe neste texto. ponto de afirmar que o homem seja totalmente determinado
pelo seu material genético. Mas certamente ficou enfraquecida
12) Na frase "Essa ideia não foi logo entendida como a corrente externa que reduzia o indivíduo a meras
ameaça pelos socialistas...", determinações do contexto social.
a) Deve-se substituir essa por esta, pois os pronomes
demonstrativos que indicam algo já apresentado anteriormente 16) Segundo esse parágrafo:
no texto são este, esta, isto. a) O homem se comporta de acordo com o que aprende
b) Deve-se colocar logo depois de entendida, pois não se deve no contexto social.
separar os verbos que formam locução verbal por elemento b) Apesar de não ser totalmente comprovado, acredita-se
algum. que o comportamento do homem seja determinado por
c) Há dois advérbios. seus genes.
d) Não há emprego de preposição. c) O homem é totalmente determinado por seu material
e) Não se deve substituir essa por esta, pois os advérbios que genético.
indicam algo já apresentado anteriormente no texto são esse, d) Apesar de enfraquecida a ideia, o que se sabe é que o
essa, isso. homem é determinado pelo contexto social.

5º Parágrafo:
e) O comportamento do ser humano depende das c) Os únicos males possíveis e imagináveis do Brasil são
correntes externas que o reduz a determinante a Seca do Nordeste, a ignorância e as desigualdades.
comportamental. d) Todas as penitenciárias de São Paulo deixam de
atender os pedidos dos presos condenados.
17) Assinale a letra que não altera a ideia básica do e)Muitas carências são criadas pelo desejo leviano de o
primeiro período do parágrafo: homem querer ter mais do é necessário.
a) Avanços recentes da genética trouxeram um complicador, no
momento em que sugeriram que muitos traços
comportamentais têm base física nos genes. 21) A frase que altera a ideia básica da frase "Um IKung do
b) Avanços recentes da genética trouxeram um complicador, na deserto de Kalahari contenta-se com muito pouco, ao
hora em que sugeriram que muitos traços comportamentais têm passo que um americano fica infeliz se tiver um pouco
base física nos genes. menos do que o vizinho do lado." é:
c) Avanços recentes da genética trouxeram um complicador, a) Um IKung do deserto de Kalahari contenta-se com muito
desde que sugeriram que muitos traços comportamentais têm pouco, mas um americano fica infeliz se tiver um pouco menos
base física nos genes. do que o vizinho do lado.
d) Avanços recentes da genética trouxeram um complicador, b) Um IKung do deserto de Kalahari contenta-se com muito
quando sugeriram que muitos traços comportamentais têm pouco, ao mesmo tempo que um americano fica infeliz se tiver
base física nos genes. um pouco menos do que o vizinho do lado.
e) Avanços recentes da genética trouxeram um complicador, c) Um IKung do deserto de Kalahari contenta-se com muito
por sugerir que muitos traços comportamentais têm base física pouco, enquanto um americano fica infeliz se tiver um pouco
nos genes. menos do que o vizinho do lado.
d) Um IKung do deserto de Kalahari contenta-se com muito
18) "Mas certamente ficou enfraquecida a corrente externa pouco, no entanto um americano fica infeliz se tiver um pouco
que reduzia o indivíduo a meras determinações do menos do que o vizinho do lado.
contexto social." e) Um IKung do deserto de Kalahari contenta-se com muito
A palavra grifada no trecho tem o mesmo significado da pouco, quando um americano fica infeliz se tiver um pouco
palavra grifada da letra: menos do que o vizinho do lado.
a) Trata-se de simples questão gramatical.
b) Depois de marcar o meio da linha vamos dividi-la em duas 8º Parágrafo:
partes iguais. Há século e meio, Marx achava que a riqueza Resultava da
c) O maravilhoso está presente em muitas das histórias infantis. exploração da mais-valia do trabalho proletário pela classe
d) O conjunto harmonizava-se ao toque do diretor, que burguesa. A ideia não passou no "provão" da história. As
acentuou o aspecto plástico das marcações e os efeitos de luz. desigualdades nas sociedades modernas provêm sobretudo de
e) Perdia-me a olhar-lhe os cabelos bem arrumados, viajando que alguns conseguem maior produtividade, e acumulam mais,
pelas ondas caídas para trás alisando as mechas irrequietas por conta do que produzem. Bill Gates começou na garagem de
que saltavam pelas orelhas. casa com talento e informação, e se fez multibilionário com
suas inovações tecnológicas. O mistério do progresso está na
7º Parágrafo: inovação e na acumulação. A acumulação aumenta a
Não se está aqui, pretendendo debater a tese do "gene desigualdade em relação ao que não acumulou. Há dois
egoísta", conforme a polêmica expressão de Richard Dawkins. séculos passados, as diferenças de renda per capita entre os
Nem se uma eficiente engenharia social é viável. Penso nessas países ricos e os mais pobres eram de duas ou três vezes. O
questões porque me preocupo com o simplismo obtuso de crescimento da produtividade dos atuais países
inculpar-se a sociedade por todos os males possíveis e industrializados, entre 1820 e 1913, foi quase sete vezes maior
imagináveis: da seca do Nordeste à ignorância e às do que entre 1700 e 1820, e a renda real per capita cresceu
desigualdades. Carências há, sem dúvida. Mas podem ser três vezes no período. Hoje, a diferença entre a Suíça e o
relativas, criadas pela insaciabilidade das veleidades humanas. Burundi, é de 390 vezes, e entre a média dos industrializados e
Um IKung do deserto de Kalahari contenta-se com muito pouco, a dos de mais baixa renda, é de 74 vezes. Possivelmente, o
ao passo que um americano fica infeliz se tiver um pouco fator mais perverso terá sido o crescimento populacional
menos do que o vizinho do lado. E em São Paulo, presos descontrolado, que condenou os subdesenvolvidos a carregar
condenados tocaram fogo nas celas porque queriam televisão a água em peneira.
cabo e ar-condicionado!...
22) Considerando-se o texto, é incorreto afirmar que:
19) Segundo o autor: a) Entre 1820 e 1913, o crescimento da renda per capita dos
a) A sociedade é a grande culpada pelos males que atuais países industrializados foi proporcional ao crescimento
assolam a nação brasileira. da produtividade dos mesmos países.
b) É errado atribuir à sociedade a culpa por todos os b) Modernamente a teoria de Marx não mais é aceita como
males que afligem a nação. verdadeira.
c) A sociedade é insaciável, por isso ocorrem tantos c) O fato de que alguns conseguem maior produtividade e,
males na nação. consequentemente, acumulam mais por conta do que
d) As carências existentes na sociedade são todas produzem é fundamental para existir a desigualdade.
relativas, por isso não devem ser levadas a sério. d) A inovação e a acumulação são fatores preponderantes para
e) Há grande preocupação com a simplicidade existente a subsistência do progresso.
na sociedade, pois é isso que cria a ignorância e as e) É provável que o crescimento populacional descontrolado
desigualdades. seja o fator mais importante para o aumento das desigualdades
sociais.
20) É certo afirmar que:
a) há, no texto, uma crítica aos americanos, devido à 23) "Marx achava que a riqueza resultava da exploração da
inveja que eles têm de seus vizinhos. mais-valia do trabalho proletário pela classe burguesa." Os
b) o autor não acredita que haja carência verdadeira no elementos destacados têm a mesma função sintática que
Nordeste. os da frase:
a) O crítico proferiu palavras discordantes das obras do 02) "É necessário partir para a dimensão universal, mas
artista. levando no bico ou nas patas o grão de terra com que alimentar
b) O partido desagregado dos fundamentos da Pátria não o vôo."
deve ser respeitado pelo eleitor. Infere-se do texto que:
c) A abonação de suas faltas pela diretoria foi justíssima. a) As aves do céu e os animais da terra são os
d) Luiz da Cunha era estranho às apressadas solicitudes verdadeiros proprietários do grandioso universo
da Viscondessa de Bacelar com o futuro de sua filha. que habitamos.
e) A algazarra dos soldados foi interrompida com a b) O homem, em sua desmedida ambição, quer
chegada do correio. conquistar os céus, a terra e todos os habitantes
do universo.
24) Em relação à frase "Há dois séculos passados...", c) O homem, ao atirar-se à conquista do universo,
retirada do texto, é certo afirmar que: não deve perder o senso de sua própria realidade.
a) Está absolutamente certa. d) Não é possível alçar vôo para dominar outros
b) Está errada, pois o verbo haver deveria estar no plural. mundos antes de resolver os problemas de seu
c) Está errada, pois, como o verbo haver já indica tempo próprio planeta.
decorrido, não se deveria usar o adjetivo passado. e) As viagens interplanetárias oferecem ao homem a
d) O verbo haver deveria ser substituído pelo verbo fazer, sem vastidão do universo, mas dificultam-lhe a
qualquer outra mudança na frase. alimentação adequada a suas necessidades.
e) Está errada, pois, como o verbo haver é impessoal, o
adjetivo passado também deveria estar no singular. Com base no texto a seguir responda às questões 03 e 04:
Tratava-se de uma orientação pedagógica que acreditava
9º Parágrafo: no papel da instrução como base prévia das transformações
Os governos já nos tungam uma proporção altíssima do PIB, sociais. Ela preconizava uma educação rigorosamente leiga em
superior à de qualquer país em desenvolvimento. No entanto, classes mistas, sem religião, com predomínio da ciência,
União, Estados e municípios estão reduzidos quase à apelando para a iniciativa do aluno e criando para ele
indigência, e não cumprem direito suas funções sociais. É condições atraentes de aprendizado, com o fim de formar
preciso que se diga que a carga fiscal reinante em nosso cidadãos independentes não submetidos aos preconceitos. Ao
manicômio tributário é exagerada para nosso nível de renda. A mesmo tempo, Ferrer pregava a organização sindical dos
partir de certo patamar, tributar mais reduz a produtividade e a professores e a sua solidariedade com o movimento operário,
competitividade, piorando ao invés de melhorar as como conseqüência lógica do pressuposto segundo o qual a
oportunidades de emprego. O problema social brasileiro não se instrução leiga e científica leva necessariamente a desejar a
resolve gastando mais e sim gastando melhor. transformação da sociedade.
(Antônio Cândido, Teresina etc., Rio de Janeiro, Paz e
25) Nesse parágrafo o autor: Terra, 1980)
a) critica a ação do governo em relação ao aumento
exagerado dos tributos no país. 03 ) Com base no texto, pode-se afirmar que o modelo
b) argumenta favoravelmente ao governo no tocante ao pedagógico aí defendido pretendia aliar:
aumento de impostos no país. a) ciência, participação do aluno e transformação da
c) julga improcedente a discussão acerca do sociedade.
cumprimento das funções sociais do Estado. b) leigos, corpo docente e sindicalização dos discentes.
d) acredita que o patamar mais elevado da produtividade c) religião, obscurantismo e mudança política.
está no tributar mais e reduzir a competitividade no d) promiscuidade, nivelamento social e cidadania.
mercado. e) quebra dos preconceitos, identidade operária e revolução.
e) Comenta que o nível de renda brasileira é baixo
devido ao aumento de impostos no país. 04) Depreende-se do texto que:
a) o fim de qualquer educação é a iniciação em assuntos
OUTROS TEXTOS sexuais em classes mistas.
01) "O princípio que, desde os tempos mais remotos de nossa b) o alvo de uma pedagogia revolucionária consistiria em
colonização, norteara a criação de riqueza no país não cessou transformar todo aluno em operário.
de valer um só momento para a produção agrária. Os c) o intuito desse novo sistema de ensino era buscar
portugueses buscavam extrair do solo benefícios desmedidos, conciliar o aprendizado com uma atitude favorável à
sem grandes sacrifícios. Queriam servir-se da terra não como mudança social.
senhores, mas como usufrutuários, só para a desfrutarem e a d) o objetivo primeiro desse tipo de instrução era formar
deixarem destruída." quadros militantes para o movimento sindical.
De acordo com o texto: e) a preocupação maior dessa postura educacional
a) Porque, pouco rendosa, a atividade agrícola foi voltava-se para uma ética leiga, secular e liberal, mas
desdenhada pelos colonizadores portugueses. anticientífica.
b) O colonizador português vinha buscar uma
riqueza que se originasse do menor trabalho Texto para as questões 05 a 07:
possível. "Crônica tem esta vantagem: não obriga ao paletó-e-
c) Quando a terra se exauria, os colonos buscavam gravata do editorialista, forçado a definir uma posição correta
paragens mais férteis para a atividade agrícola. diante dos grandes problemas; não exige de quem a faz o
d) Os portugueses não colonizavam regiões onde a nervosismo saltitante do repórter, responsável pela apuração
atividade agrária se tornasse muito difícil. do fato na hora mesma em que ele acontece; dispensa a
e) A produção agrícola gerou riqueza suficiente para especialização suada em economia, finanças, política nacional
todo tipo de colonizador, fosse senhor ou apenas e internacional, esporte, religião e o mais que imaginar se
usufrutuário da terra. possa. Sei bem que existem o cronista político, o esportivo, o
religioso, o econômico, etc, mas a crônica de que estou falando
é aquela que não precisa entender de nada ao falar de tudo.
Não se exige do cronista geral a informação ou os comentários
precisos que cobramos dos outros. O que lhe pedimos é uma De Itabira trouxe prendas diversas que ora te ofereço:
espécie de loucura mansa, que desenvolva determinado ponto esta pedra de ferro, futuro aço do Brasil;
de vista não ortodoxo e não trivial, e desperte em nós a este São Benedito do velho santeiro Alfredo Duval;
inclinação para o jogo da fantasia, o absurdo e a vadiação de este couro de anta, estendido no sofá da sala de visitas;
espírito. Claro que ele deve ser um cara confiável, ainda na este orgulho, esta cabeça baixa...
divagação. Não se compreende, ou não compreendo, cronista Tive ouro, tive gado, tive fazendas.
faccioso, que sirva a interesse pessoal ou de grupo, porque a Hoje sou funcionário público.
crônica é território livre da imaginação, empenhada em circular Itabira é apenas uma fotografia na parede.
entre os acontecimentos do dia, sem procurar influir neles. Mas como dói!
Fazer mais do que isto seria pretensão descabida de sua parte. (Carlos Drummond de Andrade)
Ele sabe que seu prazo de atuação é limitado: minutos no café
da manhã ou à espera do coletivo." Após a leitura do poema acima, podemos afirmar que:
(Carlos Drummond de Andrade - "Ciao", in Shopping News a) passado e presente se contrapõem em toda a
- City News) extensão do poema: o ontem e o hoje, o lá e o
aqui são matéria-prima da saudade, cujo produto
05) Segundo o que se depreende do texto, para Drummond é a dor pela perda de um passado que ficou para
a crônica poderia ser caracterizada como: trás e que não volta mais.
a) uma atividade literária em prosa, veículo de b) o passado retorna constantemente à memória do
notícias sobre fatos da atualidade. poeta, alimentado, com lembranças, o sentimento
b) uma atividade jornalística, isto é, noticiário de paz e serenidade.
científico ou literário, apresentado em linguagem c) o poeta não continua, no presente, ligado
simples e agradável. emocionalmente à sua cidade natal, Itabira,
c) uma atividade literária que visa menos à apesar de orgulhar-se muito dela devido às suas
especialidade e profundidade do assunto que ao riquezas naturais, como o ferro, o aço e a arte do
entretenimento do leitor. seu povo.
d) uma reportagem disfarçada, pois nela não se nota d) as imagens do velho santeiro Alfredo Duval são
"o nervosismo saltitante do repórter". as únicas lembranças que o prendem ao passado.
e) uma reportagem, embora camuflada em atividade e) o poeta expressa grande revolta por ter perdido
literária, na qual o jornalista não deve ser seus bens materiais e encontrar-se hoje na
faccioso. miséria.

06) Segundo Drummond, não é exato afirmar que: A GRANDE AVENTURA


a) A crônica (geral) deve ser fruto da fantasia e da Texto para as questões 09 e 10:
vadiação de espírito do cronista, embora não deva Experimentem sair das grandes cidades em que moram, as
tratar de trivialidade. tais urbs, e embicar o carro rumo a algum lugarejo distante e
b) O cronista geral não é obrigado a posicionar-se perdido, onde o tempo tem outra dimensão, é um tempo rural e
corretamente diante dos grandes problemas. agrícola, governado por chuvas, sóis, amanheceres e
c) Embora haja cronistas especializados em anoiteceres, granizo ou ventania. As pessoas falam manso e
economia, finanças, etc., não se obriga o cronista devagar, molham de cuspe o dedo indicador para dar a direção
geral à especialização em determinado assunto. do vento, estudam a forma das nuvens, sabem o que quer dizer
d) O cronista geral não pode ser confundido com um "rabo de galo" (que não seja coquetel), deslizando pelos
repórter, porque este visa à apuração de fatos, céus. O hoje é aquela leseira de bem aventurança, todas as
enquanto aquele deve "circular entre os aflições e encargos são de um amanhã que custará muito a
acontecimentos do dia". chegar.
e) O cronista geral deve ser confiável, embora não Vinda de longos anos de Londres e suas pontualidades a
precise entender de nada, ao falar de tudo. um Portugal ainda não entrado na CEE, tinha até uma certa
graça viver nessa nova dimensão, trazida em português castiço
07) Assinale a alternativa em que ambas as expressões não e camoniano que se encontrava até nas nossas cozinhas e
se relacionam com o modelo de crônica apresentado por feiras. Tudo bom. Vassoura nova varre bem, saí disparada
Drummond: certa manhã do meu quinto andar chamada pelo apito antigo do
a) paletó-e-gravata; ponto de vista não ortodoxo. amolador. Quanta lembrança, meu Deus! Juntei tesouras e
b) nervosismo saltitante; território livre da imaginação. facas e desci correndo para encontrar a própria infância de São
c) prazo de atuação limitado; ponto de vista não trivial. Paulo que me batia à porta. Até hoje nenhuma daquelas
d) informação ou comentário preciso; apuração imediata do tesouras funcionou mais e descobri, nas compras de televisão,
fato. que um jogo delas custava menos do que me custou a
e) inclinação para o jogo da fantasia; especialização suada. "amolação".
Televisão havia só duas, ainda antes do "satélite" ser
08) CONFIDÊNCIA DO ITABIRANO instalado no prédio e que me dá a Europa, em várias línguas.
Alguns anos vivi em Itabira Quando quero acertar o relógio ligo para a "Sky New", sem
Principalmente nasci em Itabira. medo de errar. Às vezes atrasada de uma hora, nos horários de
Por isso sou triste, orgulhoso: de ferro. verão, outono, o que seja. Poucos programas ou em um pouco
Noventa por cento de ferro nas calçadas. farta deles, fico muito em casa, leio, abro a tevê sem som para
Oitenta por cento de ferro nas almas. me fazer companhia, como a gata Chica. Tanto livro na estante,
E esse alheamento do que na vida é porosidade e uma janela em que sobrou um pouco de verde dos "fogos
comunicação. postos" e nos dias claros, no longe horizonte azul do mar,
A vontade de amar, que me paralisa o trabalho, areias do Cabo Espichel. Neste mundo em que ninguém
vem de Itabira, de suas noites brancas, sem mulheres e sem acredita em relógio. O que me faz lembrar, senão o Brasil, ao
horizontes. menos o meu Rio de Janeiro, que participa de idêntica filosofia
E o hábito de sofrer, que tanto me diverte, existencial, a qual às vezes dói muito no pé. Pois a noção de
é doce herança itabirana. tempo, em terras lusas, é coisa muito especial.
Elsie Lessa, in O Globo, 25/9/95 c) A sensação de liberdade faz falta a algumas pessoas.
d) O estranhamento causado pela ausência do ser amado é
09) "(...), tinha até certa graça viver nessa nova dimensão, acentuado pela rotina.
traduzida em português castiço e camoniano, (...)". No e) O novo tem um apelo encantatório, que afasta o sentimento
trecho acima a autora quer dizer que: de ausência.
a) achava cômico o português falado naquela terra,
originário de Camões 14) Dimensionando-se a questão do tempo em Não foi
b) gostava de viver com mais espaço numa terra onde se ausência por uma semana, pode-se afirmar que essa
falava o português provinciano de Camões ausência:
c) não era bom redimensionar a vida através da a) durou mais de um mês
linguagem clássica e erudita b) tinha durado sempre apenas uma semana
d) era interessante passar pela nova experiência c) começou a ser vivenciada após uma semana
expressa num português clássico, à Camões d) só foi percebida durante uma semana
e) era interessante viver este novo aspecto vertido para a e) foi notada a partir do vigésimo nono dia
língua portuguesa por autor castiço e camoniano
15) A marca da Senhora está contraditoriamente impressa
10) Indique o trecho que não se relaciona com a idéia em fatos que correm na sua ausência. Assinale a opção
central do texto: imprópria para exemplificar o que se afirma nesta questão:
a) "(...) onde o tempo tem outra dimensão, (...)" a) "não senti falta"
b) "As pessoas falam manso e devagar, (...)" b) "o leite primeira vez coalhou"
c) "Quanta lembrança, meu Deus!" c) "a pilha de jornais ali no chão, ninguém os guardou debaixo
d) "Neste mundo em que ninguém acredita em relógio." da escada."
e) "Pois a noção de tempo, em terras lusas, é coisa muito d) "o canário ficou mudo"
especial." e) "Não tenho botão na camisa"

APELO 16) O caminho do homem pela mulher agora ausente


Texto para as questões 11 a 18: manifestava-se através da(s):
"Amanhã faz um mês que a Senhora está longe de casa. a) falta de botão na camisa
Primeiros dias, para dizer a verdade, não senti falta, bom b) bebida partilhada com os amigos
chegar tarde, esquecido na conversa de esquina. Não foi c) conversa demorada na esquina
ausência por uma semana: o batom ainda no lenço, o prato na d) presença aconchegante ao fim da jornada
mesa por engano, a imagem de relance no espelho. e) discussões sem importância às refeições
Com os dias, Senhora, o leite primeira vez coalhou. A
notícia de sua perda veio aos poucos: a pilha de jornais ali no 17) No texto, o primeiro sinal do sentimento da ausência da
chão, ninguém os guardou debaixo da escada. Toda a casa era mulher é indicado pelo trecho:
um corredor deserto, e até o canário ficou mudo. Para não dar a) "o batom ainda no lenço"
parte de fraco, ah, Senhora, fui beber com os amigos. Uma b) "a imagem de relance no espelho"
hora da noite e eles se iam e eu ficava só, sem o perdão de sua c) "o leite primeira vez coalhou"
presença a todas as aflições do dia, como a última luz na d) "o canário ficou mudo"
varanda. e) "eu ficava só"
E comecei a sentir falta das pequenas brigas por causa do
tempero da salada - o meu jeito de querer bem. Acaso é 18) O penúltimo período do texto dimensiona o papel de
saudade, Senhora? Às suas violetas, na janela, não lhes poupei Senhora na família. Assim, ela pode ser definida como:
água e elas murcham. Não tenho botão na camisa, calço a a) sublevadora d) dominadora
meia furada. Que fim levou o saca-rolhas? Nenhum de nós b) apaziguadora e) impostora
sabe, sem a Senhora, conversar com os outros: bocas raivosas c) sofredora
mastigando. Venha para casa, Senhora, por favor". (DALTON
TREVISAN) 19) Falei-lhe há pouco da excentricidade de certos
aumentativos. Usa-se no Ceará um gracioso e especial
11) Assinale a opção que contém a frase que justifica o diminutivo, que talvez seja empregado em outras províncias;
título do texto: mas com certeza se há de generalizar, apenas se vulgarize.
a) "Com os dias, Senhora, o leite primeira vez coalhou." Não permite certamente a rotina etimológica aplicar o
b) "Toda a casa era um corredor deserto." diminutivo ao verbo. Pois em minha província o povo teve a
c) "Acaso é saudade, Senhora?" lembrança de sujeitar o particípio presente a esta fórmula
d) "Que fim levou o saca-rolhas?" gramatical, e criou de tal sorte uma expressão cheia de
e) "Venha para casa, Senhora, por favor." encanto.
A mãe diz do filho que acalentou ao colo: "Está
12) Considerando o sentido geral do texto, a significação dormindinho". Que riqueza de expressão nesta frase tão
de esquecido em esquecido na conversa de esquina, é: simples e concisa! O mimo e ternura do afeto materno, a
a) não lembrado por Senhora delicadeza da criança e sutileza do seu sono de passarinho, até
b) entretidos com os companheiros, na esquina o receio de acordá-la com uma palavra menos doce; tudo aí
c) afastado da sensação de ausência de Senhora está nesse diminutivo verbal.
d) absorto pela falta da mulher Não faltariam, como de outras vezes tem acontecido,
e) pensativo por causa da conversa na esquina críticos de orelha, que depois de medido o livro pela sua bitola,
escrevessem com importância magistral: "Este sujeito não sabe
13) Assinale a opção que justifica a afirmativa Primeiros gramática". E têm razão; gramática para eles é a artinha que
dias, para dizer a verdade, não senti falta, (...): aprenderam na escola, ou por outra, uma meia dúzia de regras
a) A quebra da rotina traz a sensação de liberdade. que se afogam nas exceções.
b) A relação amorosa estabelece limites para a liberdade de Nós, os escritores nacionais, se quisermos ser entendidos
cada um. do nosso povo, havemos de falar-lhes em sua língua, com os
termos ou locuções que ele entende, e que lhe traduzem os
usos e sentimentos.
Não é somente no vocabulário, mas também na sintaxe da
língua, que o nosso povo exerce o seu inauferível direito de
imprimir o cunho de sua individualidade, abrasileirando o
instrumento das idéias. (José de Alencar, Posfácio de
Iracema, in: Obras Completas, vol. 4, Rio de Janeiro, J.
Aguilar, 1964, pp. 965-6)

A afirmação que não corresponde ao texto é:


a) O povo tem o direito de abrasileirar a língua que recebeu
dos portugueses
b) Os escritores brasileiros devem usar as expressões do
povo para serem entendidos
c) A província do Ceará é uma das regiões criativas na
produção de brasileirismos
d) Segundo os críticos, empregar o diminutivo em verbos é
um erro grave de gramática
e) Uma das críticas que se podem fazer à gramática é a sua
enorme quantidade de exceções

20) Entre os muitos méritos dos nossos livros nem sempre


figura o da pureza da linguagem. Não é raro ver intercalados
em bom estilo os solecismos da linguagem comum, defeito
grave, a que se junta o da excessiva influência da língua
francesa. Este ponto é objeto de divergência entre os nossos
escritores. Divergência digo, porque, se alguns caem naqueles
defeitos por ignorância ou preguiça, outros há que os adotam
por princípio, ou antes por uma exageração de princípio.
Não há dúvidas que as línguas se aumentam e alteram com
o tempo e as necessidades dos usos e costumes. Querer que a
nossa pare no século de quinhentos, é um erro igual ao de
afirmar que a sua transplantação para a América não lhe inseriu
riquezas novas. Há, portanto, certos modos de dizer locuções
novas, que de força entram no domínio do estilo e ganham
direito de cidade.
Mas se isso é um fato incontestável, e se é verdadeiro o
princípio que dele se deduz, não me parece aceitável a opinião
que admite todas as alterações da linguagem, ainda aquelas
que destroem as leis da sintaxe e a essencial pureza do idioma.
A influência popular tem um limite; e o escritor não está
obrigado a receber e dar curso a tudo o que o abuso, o
capricho e a moda inventam e fazem correr. Pelo contrário, ele
exerce também uma grande parte de influência a este respeito,
depurando a linguagem do povo e aperfeiçoando-lhe a razão.
(Machado de Assis, Instinto de Nacionalidade. In: Obras
Completas, vol. 3, Rio de janeiro, Nova Aguilar, l973, pp. 808-9.)

Em relação ao texto a afirmativa correta é:


a) A hegemonia do uso popular da língua deve ser
incorporada pelos escritores.
b) O equilíbrio entre o erudito e o popular deve ser
evitado por todo escritor de valor.
c) A influência francesa deve ser incorporada
integralmente pelos escritores brasileiros.
d) A dedicação do escritor deve ser, sobretudo,
valorizar as alterações morfossintáticas da língua.
e) O escritor, embora receba influência popular,
também influi no uso do idioma, depurando a
linguagem do povo.

21) A literatura não toma o nome da terra, toma o nome da


língua: sempre assim foi desde o princípio do mundo, e sempre
há de ser enquanto ele durar.
(José da Gama e Castro: Jornal do Commercio, 29/01/1842.)
A prevalecer a opinião de Gama e Castro, a literatura
produzida no Brasil deveria tomar o seguinte nome:
a) literatura ibero-americana b) literatura luso-brasileira
c) literatura portuguesa d) literatura brasileira
e) literatura universal