Você está na página 1de 2

AMÉM, TESTEMUNHA FIEL E VERDADEIRA, PRINCÍPIO DA CRIAÇÃO

Texto Base: Apocalipse 3:14 “Ao anjo da igreja em Laodicéia escreve: Estas coisas diz
o Amém, a testemunha fiel e verdadeira, o princípio da criação de Deus”.
Hino:
Introdução: Um vídeo publicado na página do Facebook do site de notícias Inverse
mostra como a face dos hominídeos transformou-se ao longo de mais de 6 milhões de
anos. Confesso que, num primeiro momento, o material me chamou a atenção apenas
por causa do design e da tecnologia. Achei, portanto, um bom entretenimento.
Ideia central
Desenvolvimento:
I. CRISTO COMO O “AMÉM.
a) A expressão “amém” é de origem hebraica, e a forma como é encontrada
bíblia na maioria das vezes é uma expressão asseverativa de com
confirmação, confiança. Poderia ser apenas um “assim seja”; mas como
estar precedido pelo artigo “o”, temos a impressão que a expressão ἀμήν
aqui é substantivo próprio, um nome para o Senhor Jesus.
b) Ἀμὴν ἀμὴν λέγω (Na verdade, na verdade vos digo) João 14:12 ACF/ Isa
65:16 Deus da verdade ‫ֵאֹלהי ָאמֵ֔ ן‬
֣ ֵ ‫ּב‬
c) Na Sociedade pós-moderna. Não existe absolutos. Incredulidade às
verdades absolutas, Relativismo, Rejeição de metanarrativas,
discontinuismo histórico, Tolerância, Pluralismo e o Existencialismo -
Jean-Paul Sartre
II. CRISTO COMO A TESTEMUNHA FIEL.
a) Primeiramente o sentido em que a palavra “testemunha” estar colocada
no texto, dar a ideia do sentido legal (Mat. 18:16) da palavra. Jesus é fiel
como testemunha; de nossa luta, de nossa entrega, nosso compromisso
com sua palavra.
b) Mas também no sentido de um atestado cujo testemunho, em última
análise leva à morte (o fundo para o uso técnico mais tarde 'mártir'
estevão foi o primeiro? Mártir !!!). Jesus se apresenta para sua igreja do
final dos tempos como um Deus que foi fiel (obediente até a morte e
morte de cruz).
c) Estaria Cristo lembrando sua igreja que os tempos que sobre ela pesam
esta responsabilidade, é tempo que exige esse tipo de testemunho?
d) Ao longo de toda história cristã, os cristãos sinceros e fieis tiveram sua fé
desafiadas pela perseguição religiosa. Mas nossa época laodiceana onde
temos liberdade religiosa, temos também um cristianismo com frio
formalismo. Cristo lembra sua igreja, a sua característica martírica;
testemunho de vida e entrega.
III. CRISTO COMO A ORIGEM DA CRIAÇÃO.
a) Primeiramente precisamos explicar o sentido exato da palavra ἀρχὴ. Que
pode ter um significado para um período de tempo, como em João 1:1
em que se refere a um período de tempo em que aquele fato aconteceu;
ou pode ser uma referência a uma função de líder, autoridade, oficial,
príncipe Lc 12.11; 20.20; Tt 3:1. Como por exemplo quando em
Colosseces 1:18 em que em um verso descritivo a respeito Jesus, aparece
a mesma expressão ἀρχὴ, ali foi traduzido por princípio, não sendo
seguido por nenhuma outra palavra complementar, ele é apenas o
princípio. Em outros textos como Tito 3:1 a palavra ἀρχαῖς da mesma
raiz ἀρχὴ foi traduzido por principados, que governam. Então estamos
diante de uma referência ao poder de Jesus Cristo como o “responsável”
pela criação de tudo que existe de bom na criação do mundo; ele é
causador, e líder da criação do universo. Ele é a origem, o início, a causa,
o responsável.
b) É interessante que sua igreja se responsável por existir numa época em
que a ideia de Deus como criador, seria antiquário, retro, desatualizado,
“fora de moda”.
c) A teoria da evolução - Em 1859, Charles Darwin publicou sua obra
intitulada “sobre a origem das espécies”. Depois de viajar a bordo do
navio Beagle (1831-1836) pesquisando fosseis, plantas e animais ao
redor do mundo. Em 1872, já na sexta edição, o título foi mudado para A
origem das espécies. Com esta obra, a teoria da evolução saiu do
anonimato e entrou no cenário das ideias brilhantes. Darwin defendia que
as modificações adaptativas das espécies eram provenientes de um
mecanismo de seleção natural, e que essa seleção natural, ocorrendo por
muitas vezes, era capaz de gerar novas espécies e de extinguir outras.
Para os humanistas e naturalistas da época, este raciocínio permitia
explicar a origem da imensa quantidade de espécies de organismos vivos
observados em toda a terra. Assim, em apenas trinta anos, as idéias de
Darwin foram aceitas e difundidas, mesmo sem haver provas científicas
adequadas que as comprovassem.
d) Escuta uma coisa: “não te traz mais conforto saber que você foi
planejado, sonhado, criado; a imaginar que você não passa de uma
casualidade ou “acidente de percurso”?
Conclusão: Temos aqui então uma ampliação maior do autor das cartas através de
títulos descritos nos capítulos inicias do livro apocalipse e também de todo restante do
livro, que através do anjo foi descrito como a verdade de Deus para um mundo que nos
fins dos tempos teria que lidar com a problemática sobre o que é a verdade, ou se
realmente existe uma verdade. Descrito também como testemunha fiel e verdadeira;
além disso Jesus é o princípio ou soberano da criação, não de forma passiva como o
primeiro criado, mas como a causa primaria, ou razão da existência da criação. Jesus é
criador de toda criação descrito no primeiro livro da bíblia, e reclama esse título aqui
também no último livro da bíblia.