Você está na página 1de 3

1

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS


FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS
DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA
GRUPO DE ESTUDOS EM HISTÓRIA INTELECTUAL E HISTÓRIA DA HISTORIOGRAFIA
Módulo III – Ideias sem fronteiras? Intelectuais e escrita da história além da nação
Professora responsável: Mariana de Moraes Silveira (marianamsilveira@gmail.com)

Cronograma – 1º semestre de 2020


Horário das reuniões: quinzenalmente, às quartas-feiras, das 17:00 às 18:30
Reuniões por videoconferência (o link deve ser solicitado à coordenadora)
Serão atribuídas 5 horas de atividades para cada encontro.
Proposta: O grupo de estudos pretende promover diálogos entre a história intelectual e a história da
historiografia, partindo da convicção de que a interseção entre essas duas áreas pode apresentar
contribuições recíprocas. Por um lado, a história intelectual pode propiciar bases teórico-
metodológicas para os estudos em história da historiografia, em especial para o desenvolvimento de
pesquisas que não se restrinjam ao esquema “autor-e-obra”, que questionem os cânones
estabelecidos e que levem em conta o papel de instituições, redes, suportes midiáticos e demais
condições materiais de produção, circulação e recepção do conhecimento. O olhar da história
intelectual constitui, assim, uma via potencialmente frutífera para o alargamento das temáticas e das
fontes consideradas relevantes para as análises historiográficas. No sentido inverso, a história da
historiografia tem o potencial de conceder profundidade diacrônica e densidade teórica à história
intelectual, sobretudo se tomada como um chamado para um exercício reflexivo sobre a prática de
historiadoras e historiadores.
Este módulo procura avaliar as potencialidades e os limites de diferentes propostas para superar o
enquadramento nacional nas pesquisas históricas, com ênfase em suas possíveis aplicações aos
domínios da história intelectual e da história da historiografia. Para tanto, serão realizadas leituras
que contemplem um panorama variado das perspectivas historiográficas que pretendem transcender
fronteiras: comparadas, transnacionais, globais, entre outras. Os encontros também buscarão
suscitar reflexões sobre os fundamentos epistemológicos da crescente busca por desvincular a
historiografia da nação e as demais questões teórico-metodológicas suscitadas por esse movimento,
como a crítica ao eurocentrismo, o valor heurístico dos trânsitos entre distintas escalas de análise, as
relações entre dimensões espaciais e temporais da escrita da história.
Os textos estão disponíveis nesta pasta: http://shorturl.at/cqzQS

11/03: A história comparada: propostas fundacionais, perspectivas críticas


Reunião realizada presencialmente, antes da suspensão das atividades acadêmicas
BLOCH, Marc. Para uma história comparada das sociedades europeias. In: História e Historiadores.
Lisboa: Teorema, 1998, p. 119-150.
PIRENNE, Henri. Do método comparativo em História, discurso de abertura do V Congresso
Internacional das Ciências Históricas. História da Historiografia. Ouro Preto, n. 17, p. 308-316, abr.
2015.
Leituras complementares: DETIENNE, Marcel. Construir comparáveis. In: Comparar o incomparável.
Aparecida: Idéias & Letras, 2004, p. 45-67.
ESPAGNE, Michel. Sobre os limites do comparatismo em história cultural. Ponto-e-Vírgula. São Paulo,
n. 13, p. 91-108, 1º sem. 2013.
2

SILVA, Andréia Cristina Lopes Frazão da; TORRES, Andréa Reis Ferreira. “Do método comparativo em
história”, de Henri Pirenne. História da Historiografia. Ouro Preto, n. 17, p. 297-307, abr. 2015.

03/06: Espécies de contágio: fronteiras permeáveis e desigualdades em tempos de pandemias


CROSSLEY, Pamela. Contágio. In: O que é história global?. Petrópolis: Vozes, 2015, p. 92-112.
LOPES, Reinaldo José. Autor de “Contágio” diz que pecuária, tráfico de animais e até celular elevam
riscos de novos vírus. Folha de São Paulo, 13 de maio de 2020. Disponível em:
https://www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/2020/05/autor-de-contagio-diz-que-pecuaria-
trafico-de-animais-e-ate-celular-elevam-riscos-de-novos-virus.shtml
Reflexões sobre a Covid-19: Escolher ao menos dois textos:
BUTLER, Judith. Traços humanos nas superfícies do mundo. Disponível em: https://n-
1edicoes.org/042
CARVALHO, Pâmela. Pandemia e desigualdades. Disponível em: https://n-1edicoes.org/060
CASTRO, Bárbara; CHAGURI, Mariana. Um tempo só para si: gênero, pandemia e uma política
científica feminista. Blog DADOS, 22 de maio de 2020. Disponível em:
http://dados.iesp.uerj.br/pandemia-cientifica-feminista/
OLIVEIRA, Maria da Glória de. À espera da curva. HHMagazine, 29 de abril de 2020. Disponível em:
https://hhmagazine.com.br/a-espera-da-curva/
PRECIADO, Paul B.. Aprendendo do vírus. Disponível em: https://n-1edicoes.org/007
RODRIGUES, Henrique Estrada. Ensino remoto emergencial: relato de uma desorientação.
HHMagazine, 27 de maio de 2020. Disponível em: https://hhmagazine.com.br/ensino-remoto-
emergencial-relato-de-uma-desorientacao/
SCOTT, Joan Wallach. O trabalho do pensamento crítico agora. Revista Bula. Disponível em:
https://www.revistabula.com/31989-o-trabalho-do-pensamento-critico-agora/

17/06: Histórias transnacionais ou transregionais? Reflexões sobre espaços e escalas


MIDDELL, Matthias. Transregional studies: a new approach to global processes. In: MIDDELL,
Matthias (ed.). The Routledge Handbook of Transregional Studies. New York: Routledge, 2019, p. 1-
16.
STRUCK, Bernhard; FERRIS, Kate; REVEL, Jacques. Introduction: Space and Scale in Transnational
History. The International History Review. v. 33, n. 4, 2011, p. 573-584.
Reflexão sobre a Covid-19: LIMA, Fátima. Protocolo de descarte do lixo, contra-colonialidade(s) e o
dia seguinte. Disponível em: https://n-1edicoes.org/063
Leituras complementares: PUTNAM, Lara. The transnational and the text-searchable: digitized
sources and the shadows they cast. American Historical Review. v. 121, n. 2, abr. 2016, p. 377-402.
WEINSTEIN, Barbara. Pensando a história fora da nação: a historiografia da América Latina e o viés
transnacional. Revista Eletrônica da ANPHLAC. São Paulo, n.14, jan-jun. 2013, p. 10-30.

02/07: Travessias, deslocamentos, circulações: culturas entre as margens do Atlântico


Participação da Professora Gabriela Pellegrino Soares (Departamento de História, USP)
SOARES, Gabriela Pellegrino; FLÉCHET, Anaïs; COMPAGNON, Olivier. Apresentação – Dossiê Histórias
culturais transatlânticas. Revista USP. São Paulo, n. 123, p. 9-12, out-dez. 2019.
Escolher duas das contribuições publicadas no dossiê:
3

ALENCASTRO, Luiz Felipe de. As três eras do Atlântico Sul. Revista USP. São Paulo, n. 123, p. 13-28,
out-dez. 2019.
BEIRED, José Luis Bendicho. Fernando Ortiz e a rede transatlântica de intercâmbios. Revista USP. São
Paulo, n. 123, p. 29-44, out-dez. 2019.
NAPOLITANO, Marcos. Cartografias transatlânticas da música popular nas Américas. Revista USP. São
Paulo, n. 123, p. 45-58, out-dez. 2019.
EGG, André. Música de concerto no Brasil: o modernismo musical e suas circulações transatlânticas.
Revista USP. São Paulo, n. 123, p. 59-68, out-dez. 2019.
SILVA, Alexsandro de Sousa e. Sarah Maldoror: uma cineasta na diáspora. Revista USP. São Paulo, n.
123, p. 69-84, out-dez. 2019.
MORETTIN, Eduardo. O cinema em perspectiva transatlântica: práticas históricas e culturais nas
exposições universais. Revista USP. São Paulo, n. 123, p. 85-103, out-dez. 2019.
Sobre o projeto Transatlantic Cultures: https://tracs.hypotheses.org/
Reflexão sobre a Covid-19: FUKS, Julián. O que a quarentena nos rouba? Inventário de saudades e
perdas íntimas. Disponível em: https://www.uol.com.br/ecoa/colunas/julian-fuks/2020/05/23/o-
que-a-quarentena-nos-rouba-inventario-de-saudades-e-perdas-intimas.htm

16/07: O planeta como escala de análise? Expectativas e dúvidas em torno da história global
MORELI, Alexandre. Vida (e morte?) da história global. Estudos Históricos. Rio de Janeiro, v. 30, n. 60,
p. 5-10, jan-abr. 2017.
SERULNIKOV, Sergio. El secreto del mundo: sobre historias globales y locales en América Latina.
História da Historiografia. Ouro Preto, v. 13, n. 32, p. 147-184, jan-abr. 2020.
Reflexão sobre a Covid-19: MBEMBE, Achille. O direito universal à respiração. Disponível em:
https://n-1edicoes.org/020
Leituras complementares: ADELMAN, Jeremy. What is global History Now?. Aeon, 2 de março de
2017. Disponível em: https://aeon.co/essays/is-global-history-still-possible-or-has-it-had-its-moment
CONRAD, Sebastian. História global para quem? A política da história global. In: O que é a história
global?. Lisboa: Edições 70, 2019, p. 247-280.
MOYN, Samuel; SARTORI, Andrew. Approaches to global intellectual history. In: MOYN, Samuel;
SARTORI, Andrew (eds.). Global intellectual history. New York: Columbia University Press, 2013, p. 4-
30.
SÁNCHEZ ROMÁN, José Antonio. Doing global history: reflections, doubts and commitments. Estudos
Históricos. Rio de Janeiro, v. 30, n. 60, p. 241-252, jan-abr. 2017.

29/07: Perspectivas globais sobre a escrita da história


WOOLF, Daniel. O império de Clio. A historiografia europeia na Ásia, nas Américas e na África. In:
Uma história global da história. Petrópolis: Vozes, 2014, p. 422-481.
Reflexão sobre a Covid-19: KRENAK, Ailton. Do tempo. Disponível em: https://n-1edicoes.org/038
Leituras complementares: IGGERS, Georg G.; WANG, Edward; MUKHERJEE, Supriya. Introduction. In:
A global history of modern historiography. New York: Routledge, 2013, p. 1-17.
WOOLF, Daniel. Introdução. In: Uma história global da história. Petrópolis: Vozes, 2014, p. 25-45.
Encerramento das atividades do semestre; discussão de temas para o 2º semestre de 2020