Você está na página 1de 14

Prova Epidemiologia

1 - (SANTA CASA-SP, 2017). Tem relação com a prevenção quaternária:

(A) o excesso de exames complementares e a diminuição de possibilidades de


incapacidade permanente.
(B) a vacinação contra as doenças emergentes e os exames laboratoriais
preventivos.
(C) a eliminação de fatores de risco para o agravamento de doenças crônicas e a
resistência aos modismos.
(D) a reabilitação profissional e a vacinação contra doenças emergentes.
(E) o excesso de exames complementares e a medicalização excessiva das
pessoas.

Comentários:
Letra correta E. A prevenção quaternária refere-se a evitar o risco de adoecimento
iatrogênico, excessivo intervencionismo diagnóstico e terapêutico e à medicalização
desnecessária.
Letra A incorreta. O excesso de exames complementares tem relação com a
prevenção quaternária, porém, a diminuição de possibilidades de incapacidade
permanente é prevenção secundária.
Letra B incorreta. A vacinação é prevenção primária e os exames laboratoriais
preventivos é um exemplo de prevenção secundária.
Letra C incorreta. Embora resistência aos modismos seria prevenção quaternária, a
eliminação de fatores de risco para o agravamento de doenças crônicas é prevenção
primária.
Letra D incorreta. A reabilitação profissional é prevenção terciária e a vacinação
contra doenças emergentes é prevenção primária.

Link:
https://www.uptodate.com/contents/evidence-based-approach-to-prevention?
search=n%C3%ADveis%20de%20preven
%C3%A7%C3%A3o&source=search_result&selectedTitle=1~150&usage_type=defa
ult&display_rank=1#H20177889
https://www.rbmfc.org.br/rbmfc/article/view/1064/696

2. (FBHC, 2016). A característica de um agente infeccioso, instalado no organismo


do homem ou de outros animais, produzir sintomas em maior ou menor proporção
no hospedeiro infectado corresponde a definição de:

(A) dose infectante.


(B) poder invasivo.
(C) patogenicidade.
(D) virulência.
(E) infectividade.

Comentários:
Letra C correta. Patogenicidade é a qualidade que tem o agente infeccioso de uma
vez instalado no organismo, produzir sintomas em maior ou menor proporção dentre
os hospedeiros infectados.
Letra A incorreta. Dose infectante é a quantidade do agente etiológico necessário
para iniciar uma infecção.
Letra B incorreta. Poder invasivo é a capacidade que tem o agente etiológico de se
difundir através dos tecidos, órgãos e sistemas do hospedeiro.
Letra D incorreta. Virulência é a capacidade do agente etiológico produzir casos
graves e fatais.
Letra E incorreta. Infectividade é a capacidade do agente etiológico infectar um novo
hospedeiro.

Link:
http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/modulo_principios_epidemiologia_2.pdf
3. (UFRJ, 2015). Com relação a epidemia de ebola, segundo porta-voz da OMS,
muitos hospitais não têm pessoal qualificado suficiente para prover o cuidado
necessário. Nesse caso, o componente da qualidade em saúde deficitário é:

(A) processo.
(B) resultado.
(C) estrutura.
(D) acesso.

Comentários:
Letra C correta. Na estrutura se avalia a relação das propriedades físicas e
organizacionais do local onde o cuidado é oferecido, o número e treinamento dos
profissionais de saúde e os equipamentos disponíveis. Está relacionado
principalmente com as condições físicas, humanas e organizacionais em que o
cuidado se dá.
Letra A incorreta. No processo consideramos as atividades realizadas no cuidado ao
paciente, como forneço assistência, ou seja, a inter-relação entre prestador e
receptor dos cuidados. Exemplos: taxa de realização dos procedimentos adequados
para tratar uma determinada doença, medicação mais adequada para sua condição,
etc. 
Letra B incorreta. Os resultados são geralmente medidos pelo estado de saúde e
satisfação do paciente, usando indicadores como “taxa de mortalidade”, “taxa de
satisfação do paciente”, entre outros.
Letra D incorreta. O acesso refere-se à possibilidade de os indivíduos entrarem para
o serviço de saúde.

Link:
https://www.uptodate.com/contents/measuring-quality-in-hospitals-in-the-united-
states?
search=Donabedian&source=search_result&selectedTitle=1~2&usage_type=default
&display_rank=1
4. (USFC, 2016). Que fator aumentaria a prevalência observada de uma doença?

(A) redução da incidência da doença.


(B) aumento da letalidade da doença.
(C) diminuição da sobrevida dos pacientes com a doença.
(D) aumento da incidência da doença.
(E) redução no tempo de duração da doença.

Comentários:
Prevalência se refere ao número total de casos existentes de uma doença (novos e
antigos) em um período de tempo e a incidência se refere apenas ao número total
de casos novos de uma doença em um período de tempo.
Letra correta D. Se aumento a incidência aumento a prevalência.
As demais alternativas estão incorretas pois contribuem para a diminuição da
prevalência.

Link:
https://www.uptodate.com/contents/glossary-of-common-biostatistical-and-
epidemiological-terms?
search=incidencia&source=search_result&selectedTitle=1~150&usage_type=default
&display_rank=1#H7

5. (UFRJ, 2017). A taxa de mortalidade infantil vem caindo no Brasil, e isso se deve
principalmente à queda:

(A) do componente pós-neonatal.


(B) do componente neonatal.
(C) tanto do componente neonatal quanto do pós-neonatal.
(D) tanto do componente neonatal precoce quanto do neonatal tardio.

Comentários -
Letra correta A. No Brasil a mortalidade infantil está em queda e isto se dá por
diminuição dos óbitos no componente pós-neonatal (óbitos de 28 aos 364 dias de
vida), sendo estes indicadores relacionados às ações como: saneamento,
vacinação, hidratação oral, etc.).
Demais letras incorretas. Os componentes neonatais (neonatal precoce - 0 a seis
dias completos) e neonatal tardio - 7 a 27 dias completos) estão muito relacionados
à qualidade de pré-natal e assistência ao parto e estes indicadores ainda não
apresentaram diminuição no Brasil.

Links:
http://fichas.ripsa.org.br/2012/c-1/?l=pt_BR
http://fichas.ripsa.org.br/2012/c-1-1/?l=pt_BR
http://fichas.ripsa.org.br/2012/c-1-2/?l=pt_BR
http://fichas.ripsa.org.br/2012/c-1-3/?l=pt_BR

6. (SES-RJ, 2016). A taxa de letalidade da doença meningocócica estima o risco de:

(A) morrer em pela doença em relação ao total de casos da doença.


(B) morrer pela doença em relação à população exposta.
(C) apresentar sequelas permanentes da doença.
(D) ocorrer a doença na população.

Comentários:
Letra A correta. O cálculo da letalidade se refere ao percentual de pessoas que
morreram pela doença em determinado local e período, indica a gravidade dos
casos e a qualidade da assistência médica oferecida à população na atenção a
estes casos.
Letra B incorreta. Este indicador se refere a taxa de mortalidade (morrer pela doença
em relação à população exposta)
Letra C incorreta. Não é um conceito comumente utilizado como indicador.
Letra D incorreta. Este indicador se refere a taxa de incidência (ocorrer a doença na
população exposta, esta é uma medida de morbidade e não de mortalidade).
Links:
http://fichas.ripsa.org.br/2009/c-17/
http://www.conass.org.br/guiainformacao/notas_tecnicas/NT16-MENINGITES-BAC-
Indicadores-epid.pdf

7. (UFU, 2016). Você foi chamado com urgência para comparecer à creche do
bairro, pois a diretora suspeitou de 10 casos de varicela em crianças do local hoje.
Ao chegar lá, você comprovou clinicamente essa informação. Considerando os
conceitos de epidemiologia, do que se trata essa situação?

(A) surto.
(B) endemia.
(C) epidemia.
(D) pandemia.
(E) contaminação.

Comentários:
Letra A correta. Pode-se concluir que se trata de um surto epidêmico, pois estes
casos estão relacionados entre si por característica de lugar e pessoa, e restritos a
um local específico (creche).
Letra B incorreta. Endemia refere-se a uma doença habitualmente presente entre os
membros de um determinado grupo, dentro dos limites esperados, em uma
determinada área geográfica, por um período de tempo ilimitado.
Letra C incorreta. Epidemia é a elevação brusca, inesperada e temporária da
incidência de determinada doença, ultrapassando os valores esperados para a
população no período em questão.
Letra D incorreta. Pandemia é a ocorrência epidêmica caracterizada por uma larga
distribuição espacial, atingindo várias nações.
Letra E incorreta. Contaminação se refere a um conceito muito amplo, não
diretamente relacionado com o que está sendo discutido.
Link:
https://unasus2.moodle.ufsc.br/pluginfile.php/33454/mod_resource/content/1/un1/top
3_2.html

8. (UFPI, 2015). As variações na incidência de uma doença cujos ciclos coincidem


com as estações do ano são denominados:

(A) variações cíclicas.


(B) variações sazonais.
(C) variações irregulares.
(D) epidemia.
(E) endemia.

Comentários:
Letra correta B. As variações sazonais ocorrem quando a incidência da doença
aumenta em determinadas épocas ou estações do ano.
Letra A incorreta. Variações cíclicas são determinadas pelas flutuações na
incidência de uma doença ocorridas em um período maior que um ano.
Letra C incorreta. Variações irregulares ou atípicas são alterações inusitadas na
incidência de doenças, diferente do esperado. Resultantes de acontecimentos não
previsíveis.
Letra D incorreta. Epidemia é a elevação brusca, inesperada e temporária da
incidência de determinada doença, ultrapassando os valores esperados para a
população no período em questão.
Letra E incorreta. Endemia refere-se a uma doença habitualmente presente entre os
membros de um determinado grupo, dentro dos limites esperados, em uma
determinada área geográfica, por um período de tempo ilimitado.

9. (INEP, 2011). Foi realizado estudo epidemiológico, durante período de 10 anos,


entre indivíduos usuários de uma determinada droga, alguns a usavam por via
inalatória, outros por via intravenosa. O objetivo do estudo foi o de averiguar se a via
de administração da droga poderia estar relacionada com maior mortalidade em um
dos grupos. Os dados disponíveis do estudo são?

Droga Óbito Não óbito

Injetável 400 4600

Inalatória 80 1920

Qual é o risco de morte ao se usar a droga na forma injetável em relação à forma


inalatória?

(A) 1.
(B) 2.
(C) 3.
(D) 4.
(E) 5

Comentários-
Letra correta B. O conceito de risco relativo (estudo de coorte), é uma relação ( ratio)
da probabilidade de o evento ocorrer no grupo exposto contra o grupo controle (não
exposto). Então: Incidência nos expostos-forma injetável/total de expostos-forma
injetável dividido pela incidência nos expostos-forma inalatória/total de expostos-
forma inalatória.
400/5000 dividido por 80/2000= 0,08/0,04= 2. O RR é igual a 2.

Link
https://www.uptodate.com/contents/glossary-of-common-biostatistical-and-
epidemiological-terms?search=risco%20atribu
%C3%ADvel&sectionRank=1&usage_type=default&anchor=H12&source=machineLe
arning&selectedTitle=1~131&display_rank=1#H9
10. (UFMT, 2017). Um determinado exame laboratorial tem sensibilidade de 94%
para o diagnóstico da Leishmaniose Visceral Humana (LVH). Isso quer dizer que:

(A) 94% dos indivíduos que não têm LVH terão resultado negativo no exame.
(B) 6% dos indivíduos que têm LVH terão resultado negativo no exame.
(C) 94% dos indivíduos com resultado positivo no exame serão verdadeiramente
doentes.
(D) 6% dos indivíduos que não têm LVH terão resultado positivo no exame.

Comentários:
Letra correta B. A sensibilidade de um exame é definida com a proporção de
doentes com resultado de exame positivo. Logo uma sensibilidade de 94% significa
que 94% dos doentes terão resultado positivo e 6% dos doentes terão resultado
negativo.

Link:
https://www.uptodate.com/contents/glossary-of-common-biostatistical-and-
epidemiological-terms?search=glossary-of-common-biostatistical-and-
epidemiological-
&source=search_result&selectedTitle=1~150&usage_type=default&display_rank=1#
H18

Enunciado para as próximas duas questões.


Na tabela a seguir, observam-se os resultados de um novo teste diagnóstico para
detecção precoce do câncer:

Câncer Sim Não

Positivo 8 1.000

Negativo 2 9.000

11. (UERN, 2016). Quais são a sensibilidade e especificidade do teste?


(A) 90% e 10%.
(B) 80% 90%.
(C) 20% e 90%.
(D) 20% e 10%.

Comentários:
Letra correta B.
Sensibilidade (S): é a proporção de verdadeiros positivos entre todos os doentes.
Especificidade (E): é a proporção de verdadeiros negativos entre todos os sadios.
Sensibilidade: verdadeiro positivo (8) no total de doentes (10) = 0,8 x100= 80%
Especificidade : verdadeiro negativo (9.000) no total de não doentes (10.000)=0,9
x100= 90%
Letra correta B.

Link:
https://www.uptodate.com/contents/glossary-of-common-biostatistical-and-
epidemiological-terms?search=glossary-of-common-biostatistical-and-
epidemiological-
&source=search_result&selectedTitle=1~150&usage_type=default&display_rank=1#
H18

12. (UERN, 2016). É recomendável a adoção do teste como medida de saúde


pública?

(A) não, porque o valor preditivo positivo é muito baixo.


(B) não, porque tem baixa sensibilidade e baixa especificidade.
(C) sim, porque o valor preditivo negativo é muito alto.
(D) sim, porque tem alta sensibilidade e alta especificidade.

Comentários:
Letra correta A. Alguns testes são recomendados como medida de rastreamento,
contudo são uteis já no processo patológico de saúde-doença e desde que o
diagnóstico possa modificar a história natural da doença. Não se deve aplicar testes
como medida de saúde pública quando o valor preditivo positivo é baixo.
Relembrando valor preditivo positivo: é a proporção de doentes (verdadeiros
positivos) entre todos os indivíduos com resultados positivos. Então:
8/1008=70,4x100=79,4%. A sensibilidade e especificidade são intrínsecas do teste e
não mudam com situação.

Links:
https://www.uptodate.com/contents/glossary-of-common-biostatistical-and-
epidemiological-terms?search=glossary-of-common-biostatistical-and-
epidemiological-
&source=search_result&selectedTitle=1~150&usage_type=default&display_rank=1#
H18
https://www.uptodate.com/contents/glossary-of-common-biostatistical-and-
epidemiological-terms?search=glossary-of-common-biostatistical-and-
epidemiological-
&source=search_result&selectedTitle=1~150&usage_type=default&display_rank=1#
H20

13. (UFS, 2017). Sobre os desenhos de pesquisa, assinale a alternativa correta:

(A) uma das vantagens dos estudos de coorte é a possibilidade de encontrar


medidas mais válidas e confiáveis a respeito dos fatores de risco em estudo.
(B) os estudos de coorte prospectivos são indicados para estudar doenças raras.
(C) estudos de caso-controle são melhor forma de estudo para evitar vieses de
pesquisa (de seleção, de memória, etc.)
(D) com estudos de caso-controle podemos produzir dados de incidência.

Comentários –
Letra A correta. Em estudos de coorte os pesquisadores selecionam os participantes
com base na exposição (presença ou ausência) e estes indivíduos são
acompanhados ao longo do tempo para verificar possíveis desfechos (doença), ou
seja, a incidência da doença, portanto é um delineamento observacional com
medidas bem confiáveis, uma vez que há seguimento destes participantes, que são
saudáveis (um grupo exposto ao fator de risco e outro não exposto) e se chega ao
desfecho (doença), incidência (caso novo).
Letra B incorreta. O delineamento para estudo de doenças raras é o estudo caso-
controle, uma vez que parte da doença, ou seja, os participantes são selecionados
com base na presença ou ausência da doença e são comparadas as proporções
com exposição de interesse em cada grupo.
Letra C incorreta. Estudos caso-controle são retrospectivos, portanto, são mais
suscetíveis a erros e vieses (memória, seleção de informação, etc).
Letra D incorreta. Os estudos de coorte são os que dão incidência (caso novo de
doença).

Links:
http://files.bvs.br/upload/S/0100-7254/2015/v43n3/a5116.pdf
http://files.bvs.br/upload/S/0100-7254/2015/v43n4/a5310.pdf

14. (HSPE, 2015). Odds ratio pode ser traduzida como “razão e chances”, “chance
relativa” ou “razão dos produtos cruzados”. Analise a tabela a seguir, e, em seguida,
assinale a alternativa que apresenta a odds ratio:

Exposição Casos Controles Total


Sim 350 200 550
Não 35 200 235
Total 385 400 785

(A) 15.
(B) 1,75.
(C) 10.
(D) 0,1.
(E) 1.

Comentários:
Letra correta C. Base de cálculo: 350/200 dividido por 200x35= 70.000/7.000=10,
portanto OR=10.

Link:
http://files.bvs.br/upload/S/0100-7254/2015/v43n4/a5310.pdf
https://www.uptodate.com/contents/glossary-of-common-biostatistical-and-
epidemiological-terms?search=odds
%20ratio&sectionRank=1&usage_type=default&anchor=H11&source=machineLearni
ng&selectedTitle=1~150&display_rank=1#H11

15. (USFC, 2015). Qual o significado do valor 1,0 para a razão de chances (odds
ratio) em uma tabela 2x2 que representa os resultados de um estudo planejado para
verificar a associação entre determinada exposição e uma doença?

(A) o risco/chance dos expostos é 10% maior que o dos não expostos.
(B) o risco/chance dos expostos é 100% maior que o dos não expostos.
(C) não foi encontrada associação entre exposição e efeito.
(D) o risco/chance dos expostos é 1 vez maior do que o risco/chance dos não (E)
expostos.
(E) o risco/chance não pode ser calculado nesses casos.

Comentários:
Letra correta C. As medidas de risco são interpretadas da seguinte maneira:
Quando apresentam valor 1  chance das pessoas doentes terem sido expostas em
relação às não doentes são iguais (não existe associação)
Quando apresentam valor > 1  chance das pessoas doentes terem sido expostas
em relação às não doentes é maior (risco).
Quando apresentam valor < 1  chance das pessoas doentes terem sido expostas
em relação às não doentes é menor (proteção).

Link:
http://files.bvs.br/upload/S/0100-7254/2015/v43n4/a5310.pdf