Você está na página 1de 41

Erivaldo Montarroyos

FÍSICA 02
Fernando Roberto de Andrade Lima
Jair de Lima Bezerra
Ricardo Andrade
Wictor Carlos Magno

PLANO DE ENSINO

Engenharia de Produção 1
Erivaldo Montarroyos

FÍSICA 02
Fernando Roberto de Andrade Lima
Jair de Lima Bezerra
Ricardo Andrade
Wictor Carlos Magno

01 - OBJETIVOS
Ao final do curso, o aluno deverá conhecer:

9 Os fenômenos gravitacionais;

9 As Leis de Kepler que representam a cinemática


do sistema solar;

9 A Lei da Gravitação universal de Newton que representa


a dinâmica desse sistema;

9 Energia Potencial Gravitacional e também problemas


envolvendo Campo Gravitacional;

Engenharia de Produção 2
Erivaldo Montarroyos

FÍSICA 02
Fernando Roberto de Andrade Lima
Jair de Lima Bezerra
Ricardo Andrade
Wictor Carlos Magno

01 - OBJETIVOS
9 As Condições de Equilíbrio, Centro de gravidade, Pares
e Estabilidade. Tensão mecânica e deformação;

9 Fluidos, Densidade, pressão, empuxo e Princípio de


Arquimedes, fluídos em movimento;

9 O Movimento Harmônico Simples (MHS). A Energia no


MHS; Sistemas Oscilantes;

9 O movimento ondulátorio simples. Ondas harmônicas.


Ondas em três dimensões e ondas contra obstáculos;

9 Temperatura e a Teoria Cinética dos Gases, Equilíbrio


Térmico e Escalas de Temperatura;
Engenharia de Produção 3
Erivaldo Montarroyos

FÍSICA 02
Fernando Roberto de Andrade Lima
Jair de Lima Bezerra
Ricardo Andrade
Wictor Carlos Magno

01 - OBJETIVOS
9 Problemas envolvendo mudança fase, Calor Latente, Calor
e a 1ª. Lei da Termodinâmica;

9 Trabalho e diagrama PV de um gás, expansão adiabática


dos gases, 2ª. Lei da Termodinâmica, máquinas térmicas,

9 Transferência de energia térmica, Condução, Convecção, e


Radiação.

Engenharia de Produção 4
Erivaldo Montarroyos

FÍSICA 02
Fernando Roberto de Andrade Lima
Jair de Lima Bezerra
Ricardo Andrade
Wictor Carlos Magno

02 – CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
Cap. 11 – Gravidade

Cap. 12 – Equilíbrio Estático e Elasticidade

Cap. 13 – Fluídos

Cap. 14 – Oscilações

Cap. 15 – Movimento Ondulatório

Cap. 17 – Temperatura e Teoria Cinética dos Gases

Cap. 18 – Calor e 1a. Lei da Termodinâmica

Cap. 19 – A 2a. Lei da Termodinâmica

Cap. 20 – Propriedades Térmicas e Processos Térmicos

Engenharia de Produção 5
Erivaldo Montarroyos

FÍSICA 02
Fernando Roberto de Andrade Lima
Jair de Lima Bezerra
Ricardo Andrade
Wictor Carlos Magno

03 – Metodologia de Ensino
Aulas expositivas complementadas com recursos
audiovisuais. Listas de Problemas.

04 – Metodologia de Avaliação

a – Dois Exercícios Escolares (Nota de 0 a 10 pontos)


Nota cada Exercício Escolar:
• Um Teste Parcial – (Peso 4)
• Uma Prova (Exercício Escolar) – (Peso 6)

b – 2a. Chamada

C – Exame Final
Engenharia de Produção 6
Erivaldo Montarroyos

FÍSICA 02
Fernando Roberto de Andrade Lima
Jair de Lima Bezerra
Ricardo Andrade
Wictor Carlos Magno

04 – Bibliografia (Básica)
TIPLER, Paul A. e MOSCA, G. Física. Volume 1 – Mecânica
Oscilações e Ondas, Termodinâmica, LTC Livros Técnicos
e Científicos, Rio de Janeiro, 2006, 5a ed..
HALLIDAY, D., RESNICK, R. e KRANE, K. S., Física 2, LTC
Livros Técnicos e Científicos, Rio de Janeiro, 2003, 5a ed..

05 – Bibliografia (Complementar)
Serway, Raymond A. e Jewett, John W. Jr. Princípios de
Física - Volume 2– Mecânica Clássica, Thonsom Learning,
São Paulo, 2004, 3ª Edição.
Cutnell, John D. e Johnson, Kenneth W. Física - Volume 2
LTC - Livros Técnicos e Científicos, Rio de Janeiro, 2006,
6ª Edição.
Engenharia de Produção 7
Erivaldo Montarroyos

FÍSICA 02
Fernando Roberto de Andrade Lima
Jair de Lima Bezerra
Ricardo Andrade
Wictor Carlos Magno

E-Mail

fisica02.fbv@gmail.com

Senha: fbv123

Engenharia de Produção 8
Erivaldo Montarroyos

FÍSICA 02
Fernando Roberto de Andrade Lima
Jair de Lima Bezerra
Ricardo Andrade
Wictor Carlos Magno

GRAVIDADE
(Capítulo 11)

Engenharia de Produção 9
Erivaldo Montarroyos

FÍSICA 02
Fernando Roberto de Andrade Lima
Jair de Lima Bezerra
Ricardo Andrade
Wictor Carlos Magno

TÓPICOS PRINCIPAIS

9 Introdução
9 As Leis de Kepler
9 A Lei da Gravitação Universal de Newton
r
9 O Campo Gravitacional g
9 Energia Potencial Gravitacional
9 Problemas

Engenharia de Produção 10
Erivaldo Montarroyos

FÍSICA 02
Fernando Roberto de Andrade Lima
Jair de Lima Bezerra
Ricardo Andrade
Wictor Carlos Magno

INTRODUÇÃO
Vimos em Física 01 que dentre as quatro interações da
natureza (Nuclear Forte, Nuclear Fraca, Eletromagnética
e Gravitacional), a gravidade é a mais fraca.

Apesar de sua “fraqueza” ela é responsável pela forma


esférica dos astros, por nos manter sobre o solo e manter
a Terra e demais planetas na órbita em torno do sol.

Numa escala muito grande é a gravidade que controla a


evolução do universo. Numa escala microscópica ela é
desprezível.

Engenharia de Produção 11
Erivaldo Montarroyos

FÍSICA 02
Fernando Roberto de Andrade Lima
Jair de Lima Bezerra
Ricardo Andrade
Wictor Carlos Magno

INTRODUÇÃO
Estudaremos as Leis de Kepler que representam a
cinemática do sistema solar, assim como, a Lei da
Gravitação universal de Newton que representa a
dinâmica desse sistema.

Veremos a diferença entre Massa Inercial e Massa


Gravitacional.

Deduziremos a expressão da Energia Potencial


Gravitacional, e calcularemos a Velocidade de Escape do
nosso planeta.

Finalmente deduziremos
r a expressão do Campo
Gravitacional g .
Engenharia de Produção 12
Erivaldo Montarroyos

FÍSICA 02
Fernando Roberto de Andrade Lima
Jair de Lima Bezerra
Ricardo Andrade
Wictor Carlos Magno

AS LEIS DE KEPLER

Tycho Brahe (1546-1601) → astrônomo dinamarquês


dedicou sua vida à observação do céu.
Analisando durante vinte anos os
dados compilados por Tycho,
Johannes Kepler(1571-1630), seu
discípulo, pôde formular suas três
leis do movimento planetário.

Com o conhecimento das leis de


Kepler foi possível a descoberta
da lei da gravitação universal por
Newton.

Engenharia de Produção 13
Erivaldo Montarroyos

FÍSICA 02
Fernando Roberto de Andrade Lima
Jair de Lima Bezerra
Ricardo Andrade
Wictor Carlos Magno

AS LEIS DE KEPLER

Apesar de Plutão ter deixado de ser planeta


consideraremos em nossos estudo ele como tal.
Portanto, o nosso sistema solar é composto pelos 9
planetas da figura.
Engenharia de Produção 14
Erivaldo Montarroyos

FÍSICA 02
Fernando Roberto de Andrade Lima
Jair de Lima Bezerra
Ricardo Andrade
Wictor Carlos Magno

AS LEIS DE KEPLER

• Primeira Lei de Kepler ou lei das órbitas

Todos os planetas descrevem órbitas elípticas com


o Sol ocupando um de seus focos.

Engenharia de Produção 15
Erivaldo Montarroyos

FÍSICA 02
Fernando Roberto de Andrade Lima
Jair de Lima Bezerra
Ricardo Andrade
Wictor Carlos Magno

AS LEIS DE KEPLER
Nota:
A elipse é o lugar geométrico dos pontos de um plano cuja soma
das distâncias a dois pontos fixos, F1+F2 .pertencentes a esse
plano é constante e maior do que a distância entre esses dois
pontos fixos.

Engenharia de Produção 16
Erivaldo Montarroyos

FÍSICA 02
Fernando Roberto de Andrade Lima
Jair de Lima Bezerra
Ricardo Andrade
Wictor Carlos Magno

AS LEIS DE KEPLER
Na figura , a é o semi-eixo maior e b o semi-eixo menor da
elipse.

Os círculos são casos particulares da elipse,


com os focos coincidentes.

Engenharia de Produção 17
Erivaldo Montarroyos

FÍSICA 02
Fernando Roberto de Andrade Lima
Jair de Lima Bezerra
Ricardo Andrade
Wictor Carlos Magno

AS LEIS DE KEPLER

Alguns dados em relação à órbita da Terra:

• É quase circular;

• Sua distância ao Sol no periélio é 1,48 x 1011 m;

• Sua distância ao Sol no Afélio e 1,52 x 1011 m;

•O semi-eixo maior é a média dessas distâncias, isto é, a


= 1,5 x 1011 m;

• A distância média (raio médio) define a unidade


astronômica (UA):
1 UA = 1,5 x 1011 m

Engenharia de Produção 18
Erivaldo Montarroyos

FÍSICA 02
Fernando Roberto de Andrade Lima
Jair de Lima Bezerra
Ricardo Andrade
Wictor Carlos Magno

AS LEIS DE KEPLER

• Segunda Lei de Kepler ou Lei das Áreas


O raio vetor que une o Sol a qualquer planeta varre
áreas iguais em tempos iguais.

∆t1 =∆t2 ⇒ A1 =A2


Engenharia de Produção 19
Erivaldo Montarroyos

FÍSICA 02
Fernando Roberto de Andrade Lima
Jair de Lima Bezerra
Ricardo Andrade
Wictor Carlos Magno

AS LEIS DE KEPLER
• Terceira Lei de Kepler ou Lei dos Períodos

O quadrado do período de revolução de um planeta é


proporcional ao cubo do semi-eixo maior da sua órbita.

T 2 = Cr 3
T12 T22 T32 Tn2
2
= 2 = 2 = ..... = 2 = C( cons tan te )
r1 r2 r3 rn

Observe que essa lei é conseqüência de que a força exercida


pelo Sol sobre um planeta varia com o inverso do quadrado da
distância entre os dois corpos.

Engenharia de Produção 20
Erivaldo Montarroyos

FÍSICA 02
Fernando Roberto de Andrade Lima
Jair de Lima Bezerra
Ricardo Andrade
Wictor Carlos Magno

AS LEIS DE KEPLER

Exemplo 11-1 – Órbita de Júpiter – Tipler 5a. Ed. Pag. 391


A distância média do Sol até o planeta Júpiter é de 5,20UA.
Qual é o período da órbita de Júpiter em torno do Sol?

Exercício - Tipler 5a. Ed. Pag. 391


O período de Netuno é de 164,8 anos. Qual o valor da sua
distância média ao Sol?

Problema 11.14 (Tipler e Mosca, 5a ed – Pag. 414)


O novo cometa Alex-Casey foi descoberto em uma órbita
elíptica, com um período de 127,4 anos. Se a maior
aproximação do Alex-Casey do Sol é de 0,1 UA, qual é a sua
maior distância dele?

Engenharia de Produção 21
Erivaldo Montarroyos

FÍSICA 02
Fernando Roberto de Andrade Lima
Jair de Lima Bezerra
Ricardo Andrade
Wictor Carlos Magno

Engenharia de Produção 22
Erivaldo Montarroyos

FÍSICA 02
Fernando Roberto de Andrade Lima
Jair de Lima Bezerra
Ricardo Andrade
Wictor Carlos Magno

DADOS ASTRONÔMICOS ÚTEIS

Engenharia de Produção 23
Erivaldo Montarroyos

FÍSICA 02
Fernando Roberto de Andrade Lima
Jair de Lima Bezerra
Ricardo Andrade
Wictor Carlos Magno

A LEI DA GRAVITAÇÃO DE NEWTON

Sua Lei da Gravitação afirma:


Entre quaisquer dois corpos há uma força de atração que é
proporcional ao produto das massas e inversamente
proporcional ao quadrado da distância que os separa.

Sendo duas partículas de massas m1 e m2 à distância r, o


módulo da força gravitacional entre elas é:

Gm1m2
F=
r2

Onde G=6,67 x 10-11 N.m²/kg² é a constante da gravitação


universal.

Engenharia de Produção 24
Erivaldo Montarroyos

FÍSICA 02
Fernando Roberto de Andrade Lima
Jair de Lima Bezerra
Ricardo Andrade
Wictor Carlos Magno

A Lei da Gravitação de Newton

Exercício – Tipler 5a. Ed. Pag. 392


Determine a força gravitacional que atrai um homem de 65kg
e uma mulher de 50kg quando eles estão afastados de 0,5m.
Modele-os como partículas pontuais.

Problema
Uma nave de massa m se aproxima de dois astros esféricos e
homogêneos, de massas 4x103 toneladas e 1x103 toneladas,
respectivamente. Como a rota já estava programada, o piloto
resolve transpor a linha imaginária que une os centros dos
dois astros de modo que não haja influência no movimento da
nave. A distância desse segmento é de 90.000km. Determine
o ponto desse segmento em que a resultante das forças gravi-
tacionais aplicadas pelos astros sobre a nave é nula.

Engenharia de Produção 25
Erivaldo Montarroyos

FÍSICA 02
Fernando Roberto de Andrade Lima
Jair de Lima Bezerra
Ricardo Andrade
Wictor Carlos Magno

A Lei da Gravitação de Newton


r r
Se m
r 1 estiver na posição r1 e m2 na posição r2 a
força F1,2 de m1 sobre m2 é
r Gm1m2
F1,2 = − 2
r̂1,2 (11-5)
r1,2

Obs.
Pela 3ª Lei de Newton,
concluí-se que: r r
F1,2 = −F2 ,1

Engenharia de Produção 26
Erivaldo Montarroyos

FÍSICA 02
Fernando Roberto de Andrade Lima
Jair de Lima Bezerra
Ricardo Andrade
Wictor Carlos Magno

A Lei da Gravitação de Newton


Verificação:
Para verificar que a força gravitacional é
inversamente proporcional ao quadrado da distância
Newton comparou a aceleração da Lua em sua órbita,
com a aceleração de queda livre de corpos próximos
à superfície da Terra.
v 2 4π 2 r
aL = =
r T2

Na época já se conheciam:
Distância Terra-Lua: r=60RT = 3,78 x 108 m
Período de Translação da Lua = 27,3 dias = 2,36 x 106s

Substituindo → aL = 2,72 x 10-3 m/s²

Engenharia de Produção 27
Erivaldo Montarroyos

FÍSICA 02
Fernando Roberto de Andrade Lima
Jair de Lima Bezerra
Ricardo Andrade
Wictor Carlos Magno

A Lei da Gravitação de Newton


Newton deveria chegar ao mesmo resultado aplicando sua
Lei: GMT M L
F=
r2
Sabendo F = MLaL, comparou as duas expressões:

MT M L GMT
M L aL = G 2
⇒ aL =
r r2
Neste ponto ele chegou a um impasse, nem conhecia a
massa da Terra MT nem a constante G. Assim, ele
considerou um corpo de prova situado na superfície da
Terra submetido a ação do peso:
GMT mc
P=
RT2
Como Pc = mcg, ele comparou as duas expressões:

Engenharia de Produção 28
Erivaldo Montarroyos

FÍSICA 02
Fernando Roberto de Andrade Lima
Jair de Lima Bezerra
Ricardo Andrade
Wictor Carlos Magno

A Lei da Gravitação de Newton

GMT mc
= mc g ⇒ GMT = gRT
2
RT2
Substituindo o valor de GMT na expressão da aceleração
da Lua, vem:
GMT gRT2 −
aL = 2 = 2 ⇒ aL = 2 ,72 ×10 3 m / s 2
r r

Este resultado, obtido por Newton com notável


precisão, constitui a primeira comprovação das suas
próprias hipóteses.

Engenharia de Produção 29
Erivaldo Montarroyos

FÍSICA 02
Fernando Roberto de Andrade Lima
Jair de Lima Bezerra
Ricardo Andrade
Wictor Carlos Magno

A Lei da Gravitação de Newton

Exemplo 11.2 (Tipler e Mosca, 5a ed. Pg. 394)


Qual é a aceleração de queda livre de um corpo a uma altitude
correspondente à órbita de um veículo espacial, a cerca de
400km acima da superfície da Terra?

Problema 11.32: (Tipler e Mosca, 5a ed., Pag. 415)


Um satélite com massa de 300kg se move segundo uma
órbita circular a 5x107 m acima da superfície da Terra.

(a) Qual é a força gravitacional atuante sobre o satélite?


(b) Qual a velocidade do satélite?
(c) Qual é o período do satélite?

Engenharia de Produção 30
Erivaldo Montarroyos

FÍSICA 02
Fernando Roberto de Andrade Lima
Jair de Lima Bezerra
Ricardo Andrade
Wictor Carlos Magno

O CAMPO GRAVITACIONAL

O campo gravitacional é definido pela razão da


força gravitacional sobre uma pequena massa de
prova m e a massa m.
r
r F
g=
m
O campo gravitacional num certo ponto do espaço
provocado por um conjunto de massas puntiformes é a
soma vetorial dos campos provocados pelas massas
separadas no mesmo ponto:


r r
g= gi
i
Engenharia de Produção 31
Erivaldo Montarroyos

FÍSICA 02
Fernando Roberto de Andrade Lima
Jair de Lima Bezerra
Ricardo Andrade
Wictor Carlos Magno

O CAMPO GRAVITACIONAL

O campo gravitacional da Terra a uma distância r ≥ RT


é orientado em direção a Terra e possui expresso por:

F GM T
g (r ) = = 2
m r

Engenharia de Produção 32
Erivaldo Montarroyos

FÍSICA 02
Fernando Roberto de Andrade Lima
Jair de Lima Bezerra
Ricardo Andrade
Wictor Carlos Magno

O CAMPO GRAVITACIONAL
Exemplo 11-7 – Campo Gravitacional de Duas Partículas Puntiformes
Duas partículas puntiformes, cada uma com massa M, são
fixadas sobre um eixo y em y=+a e y=-a. Determine o
campo gravitacional para todos os pontos sobre o eixo x
como uma função de x.

Engenharia de Produção 33
Erivaldo Montarroyos

FÍSICA 02
Fernando Roberto de Andrade Lima
Jair de Lima Bezerra
Ricardo Andrade
Wictor Carlos Magno

O CAMPO GRAVITACIONAL

Prob 11.60 (Tipler e Mosca, 5a ed.)

Cinco corpos de massa M são igualmente espaçados ao


longo do arco de semicírculo de raio R, conforme
mostrado na figura. Um corpo de massa m está
localizado no centro de curvatura do arco. (a) Se M vale
3kg, m vale 2kg e R igual a 10cm, qual a força atuante
sobre m devida aos cinco corpos? (b) Se o corpo cuja
massa é m for removido, qual será o campo gravitacional
no centro de curvatura do arco?

Engenharia de Produção 34
Erivaldo Montarroyos

FÍSICA 02
Fernando Roberto de Andrade Lima
Jair de Lima Bezerra
Ricardo Andrade
Wictor Carlos Magno

Exemplo 8: (Tipler e Mosca, 5a ed., prob. 11.60)

Engenharia de Produção 35
Erivaldo Montarroyos

FÍSICA 02
Fernando Roberto de Andrade Lima
Jair de Lima Bezerra
Ricardo Andrade
Wictor Carlos Magno

Energia Potencial Gravitacional

Vimos em Física 01 que a definição geral da


r r
energia potencial: dU = −F ⋅ ds
r r
Onde F é a força sobre a partícula e ds seu
deslocamento.
Como a força gravitacional é radial, tem-se:

r r r r ⎛ GMT m ⎞ GMT m
dU = −F ⋅ ds = −Fr ⋅ dr = −⎜ − ⎟dr ⇒ dU = dr
⎝ ⎠
2 2
r r
Integrando os dois membros da equação obtém-se

GMT m
U=− + U0
r
U0 = Constante de integração
Engenharia de Produção 36
Erivaldo Montarroyos

FÍSICA 02
Fernando Roberto de Andrade Lima
Jair de Lima Bezerra
Ricardo Andrade
Wictor Carlos Magno

Energia Potencial Gravitacional

Como só tem importância as variações de energia potencial,


pode-se escolher o zero de energia potencial em qualquer
ponto. Para corpos próximos à superfície da Terra e nas
situações de corpos “infinitamente” distantes é conveniente
escolher U0 = 0, logo:

GM T m
U=− , U = 0 em r = ∞
r

Engenharia de Produção 37
Erivaldo Montarroyos

FÍSICA 02
Fernando Roberto de Andrade Lima
Jair de Lima Bezerra
Ricardo Andrade
Wictor Carlos Magno

Velocidade de Escape

É a velocidade inicial mínima (v1=ve) que um corpo deve


ter para escapar da atração gravitacional da Terra.

Para determinar a velocidade de escape da Terra


considere o princípio da conservação da energia
mecânica: E1(inicial) = E2(final):

2
mv 1 GMT m mv 22 GMT m
− = −
2 RT 2 r
Engenharia de Produção 38
Erivaldo Montarroyos

FÍSICA 02
Fernando Roberto de Andrade Lima
Jair de Lima Bezerra
Ricardo Andrade
Wictor Carlos Magno

Velocidade de Escape

Representação de um foguete lançado com velocidade


suficiente para escapar da gravidade da Terra

Engenharia de Produção 39
Erivaldo Montarroyos

FÍSICA 02
Fernando Roberto de Andrade Lima
Jair de Lima Bezerra
Ricardo Andrade
Wictor Carlos Magno

Velocidade de Escape

Considerando que a velocidade mínima para ocorrer o


escape é quando a velocidade final ≈ 0 e r ≈ ∞, o lado
direito da igualdade é nulo, então:

mv 02 GMT m 2GMT
− =0 ⇒ v0 = ve = = 2 gRT
2 RT RT

Substituindo, g=9,81m/s² e RT=6,37 x 106m, na equação,


tem-se ve = 11,2 km/s ≈ 40 300 km/h.

Engenharia de Produção 40
Erivaldo Montarroyos

FÍSICA 02
Fernando Roberto de Andrade Lima
Jair de Lima Bezerra
Ricardo Andrade
Wictor Carlos Magno

Energia Potencial Gravitacional

Prob. 11.44 (Tipler e Mosca, 5a ed.)


Um corpo é lançado para cima a partir da superfície
da Terra com uma velocidade inicial de 4km/s.
Determine a altura máxima que ele atinge.

Prob. 11.50 (Tipler e Mosca, 5a ed.)


Qual é a velocidade inicial a ser imposta a uma partícula
para que ela tenha uma velocidade final igual a sua
velocidade de escape quando estiver bem afastada da
Terra.

Engenharia de Produção 41