Você está na página 1de 19

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ

DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE ELETROTÉCNICA

Transformador Ideal
A corrente no secundário do
transformador é definida como
positiva quando sai do enrolamento.
Essa corrente produz uma f.m.m. de
sentido oposto ao criado por uma
corrente positiva no primário.

Joaquim Eloir Rocha 1


UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ
DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE ELETROTÉCNICA

Transformador Ideal

Joaquim Eloir Rocha 2


UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ
DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE ELETROTÉCNICA

Transformador Ideal

Em um transformador ideal, as
resistências dos enrolamentos são
desprezíveis. Considera-se, também,
que todo fluxo enlaça ambos os
enrolamentos, ou seja, que o fluxo
disperso é desprezível.

Joaquim Eloir Rocha 3


UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ
DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE ELETROTÉCNICA

Transformador Ideal

Também, em um
transformador ideal, não há
perdas no núcleo e a
permeabilidade é tão alta
que uma f.m.m.
insignificante cria o fluxo
necessário.
Joaquim Eloir Rocha 4
UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ
DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE ELETROTÉCNICA

Transformador Ideal

Dadas essas suposições, tem-se:


v 1 = e 1 = N1
dt


v 2 = e 2 = N2
dt

Joaquim Eloir Rocha 5


UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ
DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE ELETROTÉCNICA

Transformador Ideal

Num transformador ideal, a relação


entre as tensões primária e
secundária é igual a relação entre
espiras.
v1 N1
=
v2 N2
Joaquim Eloir Rocha 6
UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ
DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE ELETROTÉCNICA

Transformador Ideal
Ao se conectar uma carga ao
secundário, cria-se uma f.m.m. no
secundário em função da corrente
secundária. Uma f.m.m. de
compensação surge no primário.
i1 N2
N1 I 1 = N 2 I 2 =
i2 N1
Joaquim Eloir Rocha 7
UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ
DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE ELETROTÉCNICA

Transformador Ideal

Num transformador ideal, a potência


instantânea de saída é igual a
potência instantânea de entrada.

v1 i1 = v 2 i 2

Joaquim Eloir Rocha 8


UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ
DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE ELETROTÉCNICA

Transformador Ideal
Marcas circulares são usadas nos
terminais dos enrolamentos para
indicar a polaridade dos
transformadores. Terminais de
mesma polaridade indicam que as
tensões nesses terminais estão em
fase.
Joaquim Eloir Rocha 9
UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ
DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE ELETROTÉCNICA

Transformador Ideal
Análise de polaridade

Joaquim Eloir Rocha 10


UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ
DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE ELETROTÉCNICA

Transformador Ideal
Análise de polaridade

Joaquim Eloir Rocha 11


UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ
DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE ELETROTÉCNICA

Transformador Ideal
Análise de polaridade

Joaquim Eloir Rocha 12


UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ
DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE ELETROTÉCNICA

Transformador Ideal
Propriedades do transformador ideal
em relação a transformação de
tensões, correntes e impedâncias.

N1 N2
V1 = V2 I1 = I2
N2 N1

Joaquim Eloir Rocha 13


UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ
DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE ELETROTÉCNICA

Transformador Ideal
Pode-se referir o valor da impedância
de um lado transformador para o
outro lado usando a relação abaixo.

2 2
V1  N1  V2  N1 
=   ⋅ Z 1 =   ⋅ Z 2
I 1  N2  I 2  N2 

Joaquim Eloir Rocha 14


UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ
DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE ELETROTÉCNICA

Transformador Ideal
Os três circuitos a seguir são idênticos em
relação aos terminais ab quando o
transformador é ideal.

Joaquim Eloir Rocha 15


UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ
DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE ELETROTÉCNICA

Transformador Ideal

Joaquim Eloir Rocha 16


UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ
DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE ELETROTÉCNICA

Transformador Ideal

Joaquim Eloir Rocha 17


UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ
DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE ELETROTÉCNICA

Transformador Ideal

Em um transformador ideal, as
tensões são transformadas na razão
direta das espiras; as correntes, na
razão inversa, e as impedâncias, na
razão direta ao quadrado.

Joaquim Eloir Rocha 18


UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ
DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE ELETROTÉCNICA

Transformador Ideal

Analisar o exemplo 2.2 da página 78.

Joaquim Eloir Rocha 19

Você também pode gostar