Você está na página 1de 21

9822 – Poupança

Conceitos básicos
Joana.nobre.formacao@gmail.com
Objetivos

Reconhecer a importância da poupança relacionando-a com os objetivos da vida.


Utilizar um conjunto de noções básicas de matemática financeira que apoiam a tomada
de decisões financeiras.
Relacionar remuneração e risco utilizando essa relação como ferramenta de auxílio nas
decisões de aplicações de poupança.
Identificar as características de alguns produtos financeiros onde a poupança pode ser
aplicada.
Identificar elementos de comparação dos produtos financeiros.
Poupança

A importância da poupança no ciclo de vida


Comportamentos básicos de poupança
A importância da poupança no ciclo de
vida

A poupança é a parcela dos nossos rendimentos que não são gastos no período em que
os recebemos.
Por não sabermos o que nos vai acontecer no futuro, devemos sempre guardar parte do
que recebemos para tratar de possíveis emergências.
Sem a poupança, uma avaria no carro pode vir a ser uma catástrofe.
Podemos identificar o que é a poupança ao subtrairmos o que gastamos àquilo que
ganhamos.
A importância da poupança no ciclo de
vida

Enquanto alguns académicos defendem que a poupança é determinada pelos


rendimentos (os mais ricos tendem a poupar mais), outros defendem que quanto maior o
rendimento, maiores são os gastos.
A segurança está no poupar!
A importância da poupança no ciclo de
vida

Saber o que é a poupança é importante, mas temos também de olhar para as suas
vantagens.
Ao pouparmos estamos não só a garantir que teremos estabilidade financeira no futuro,
como estamos a garantir que estamos seguros assim que acontecer algum imprevisto,
como uma avaria no carro.
A importância da poupança no ciclo de
vida

Por termos recursos disponíveis, podemos melhorar a nossa qualidade de vida, e tentar
atingir objetivos que seriam inalcançáveis se tivéssemos de nos sujeitar a tudo o que
rende dinheiro.
Por norma, a poupança é aplicada em produtos financeiros seguros – como as contas
poupança - que nos garantem a disponibilidade do dinheiro, mas que rendem pouco.
Poupança vs investimento

Agora que sabemos o que é a poupança, podemos aventurar-nos e compará-lo ao


investimento.
Há quem confunda os dois conceitos, apesar de ter o dinheiro no banco e investir na
bolsa não ser a mesma coisa.
Poupança vs investimento

A poupança é feita para que possamos ter o dinheiro acessível a qualquer altura e
geralmente corresponde ao dinheiro que colocamos em produtos seguros, para que não
o percamos – há até quem use o colchão para o guardar.
A flexibilidade e segurança que temos em produtos de poupança fazem com que as
taxas de juros sejam, por norma, baixas.
Poupança vs investimento

Por outro lado, temos o investimento, que costuma acabar por ser mais arriscado apesar
de trazer também maiores recompensas.
Normalmente investimentos mais arriscados – nos quais podemos perder todo o dinheiro
investido com facilidade – acabam por trazer também maiores recompensas.
Apesar da baixa valorização, a poupança é a melhor opção para quem não se pode
dar ao luxo de arriscar perder o dinheiro que tem.
Como criar um orçamento

O orçamento mensal é a ferramenta que assegura que conseguirá fazer face às


despesas do mês seguinte e que o ajudará a perceber onde está a gastar mais dinheiro,
para que possa então ajustar os seus gastos de forma a que consiga poupar no final do
mês.
Um erro comum é achar que um rendimento baixo – se for o seu caso – não justifica a
criação de um orçamento, porque na verdade, quanto menos dinheiro temos, mais
importante se torna planear o destino de cada cêntimo.
No fundo, o orçamento mensal é a melhor arma que tem para se precaver para o futuro
e preparar-se para os imprevistos.
Como criar um orçamento

Vamos imaginar que recebe por mês 650€. No seu orçamento, vai distribuir parte desse
rendimento pelas categorias em que prevê gastar dinheiro.
De uma forma geral, um orçamento mensal é composto pelas receitas do mês (variáveis
e/ou fixas) e pelas despesas (variáveis e fixas).
1. Para começar, identifique as
suas fontes de rendimento
(fixas ou não).

Receitas Valores
Vamos criar o nosso
Fixas 650,00€
orçamento
Variáveis 115,32€

Passos para a criação de um orçamento TOTAL 765,32€


2. A seguir, identifique as suas
despesas fixas. São aquelas
que se repetem todos os
meses, mais ou menos nos
mesmo dias dos meses. São
também aquelas que
Vamos criar o nosso dificilmente pode alterar.

orçamento Despesas
Luz
Valores
63,96€
Gás 42,51€
Agua 17,65€
Passos para a criação de um orçamento
Telecomunicações 52,47€

Habitação 232,20€
Condomin
25,00€
io
Ginásio 35,00€
TOTAL 470,79€
3. Depois de listar as suas
despesas fixas, acrescente à
tabela acima as suas
despesas variáveis.
Assim que identificar onde

Vamos criar o nosso gasta mais dinheiro, ser-lhe-á


mais fácil alterar os seus hábitos
de consumo e fazer cortes onde
orçamento precisa.
Não se esqueça de incluir
compras únicas (um vestido ou
Passos para a criação de um orçamento fato para uma ocasião
especial, por exemplo).
4. Por fim, calcule totais, e
subtraia para saber quanto
lhe sobrará no final do mês.

Vamos criar o nosso


orçamento
Passos para a criação de um orçamento
5. Se, após somadas as receitas
e as despesas do mês,
verificar que não consegue
poupar, pode tentar fazer
ajustes ao seu orçamento,
definindo limites mais baixos
receitas – despesas = para as despesas variáveis,
por exemplo.
poupança Se as suas dificuldades em
poupar resultam de várias
prestações com créditos, o
ideal será avaliar uma forma de
Passos para a criação de um orçamento reduzir as suas prestações.
6. Agora é a parte mais difícil:
cumprir o plano que definiu
para o orçamento do
próximo mês!

receitas – despesas =
poupança
Passos para a criação de um orçamento
Como criar um orçamento

Planear um orçamento mensal vai abrir-lhe os olhos para despesas excessivas e incentivar
uma rápida adaptação às alterações da sua situação financeira. Pode sentir-se
chocado quando se deparar com as suas despesas reais, mas este é um processo
indispensável para saber e controlar exatamente onde anda o seu dinheiro (e reduzir os
níveis de stress, uma vez que está melhor preparado para aquelas surpresas que
aparecem todos os meses).
Poderá fazê-lo usando uma simples folha de papel, um documento Excel, ou mesmo
recorrer a softwares especializados no controlo de despesas.
Como criar um orçamento

Para a gestão eficaz dos seus rendimentos deve elaborar o seu orçamento familiar para
saber efetivamente como gasta o seu dinheiro. Só assim poderá;
a) Avaliar a sua real situação financeira;
b) Identificar os seus gastos supérfluos a eliminar;
c) Identificar quais são os gastos indispensáveis que poderão ser minimizados;
d) Compreender se tem capacidade financeira para contrair mais uma dívida de crédito ou
contratar um novo serviço.
Como criar um orçamento

Você também pode gostar