Você está na página 1de 19

Estudo Mensal de Novembro de 2009

www.forumespirita.net
Ação da Prece - Transmissão Do Pensamento
No capítulo XXVII página 373 do Evangelho
Segundo o Espiritismo de Allan Kardec
 9. A prece é uma invocação, mediante a
qual o homem entra, pelo pensamento, em
comunicação com o ser a quem se dirige.
 Pode ter por objetivo um pedido, um
agradecimento, ou uma glorificação.
 Podemos orar por nós mesmos ou por
outrem, pelos vivos ou pelos mortos.
 As preces feitas a Deus escutam-nas os Espíritos
incumbidos da execução de suas vontades; as
que se dirigem aos bons Espíritos são
reportadas a Deus.
 Quando alguém ora a outros seres que não a
Deus, fá-lo recorrendo a intermediários, a
intercessores, porquanto nada sucede sem a
vontade de Deus...
 10. O Espiritismo torna compreensível a
ação da prece, explicando o modo de
transmissão do pensamento, quer no caso
em que o ser a quem oramos acuda ao
nosso apelo, quer no em que apenas lhe
chegue o nosso pensamento.
 Para apreendermos o que ocorre em tal
circunstância, precisamos conceber
mergulhados no fluido universal, que ocupa
o espaço todos os seres, encarnados e
desencarnados, tal qual nos achamos, neste
mundo, dentro da atmosfera.
 Esse fluido recebe da vontade uma impulsão; ele é o
veículo do pensamento, como o ar o é do som, com a
diferença de que as vibrações do ar são circunscritas, ao
passo que as do fluido universal se estendem ao infinito.
 Dirigido, pois, o pensamento para um ser qualquer, na
Terra ou no espaço, de encarnado para desencarnado, ou
vice-versa, uma corrente fluídica se estabelece entre um
e outro, transmitindo de um ao outro o
pensamento, como o ar transmite o som.
 A energia da corrente guarda proporção
com a do pensamento e da vontade.
 É assim que os Espíritos se comunicam
entre si, que nos transmitem suas
inspirações, que relações se estabelecem à
distância entre encarnados.
 Essa explicação vai, sobretudo, com vistas
aos que não compreendem a utilidade da
prece puramente mística.
 Não tem por fim materializar a prece, mas
tornar-lhe inteligíveis os efeitos, mostrando
que pode exercer ação direta e efetiva.
 Nem por isso deixa essa ação de estar
subordinada à vontade de Deus, juiz
supremo em todas as coisas, único apto a
torná-la eficaz.
Pensamento e Informação,
Item V da Introdução
 “Em certos casos, as respostas revelam
tal cunho de sabedoria, de profundeza e
de oportunidade; exprimem
pensamentos tão elevados, tão
sublimes, que não podem emanar senão
de uma Inteligência
superior, impregnada da mais pura
moralidade.”
 Frase contida no primeiro parágrafo da
questão 100 sobre Escala Espírita:
“Para eles, o pensamento é tudo.”
 Ítem XIII da Introdução:
“Os Espíritos superiores não se
preocupam absolutamente com a forma.
Para eles, o fundo do pensamento é
tudo.”.
 Comentário de Kardec à questão 462: “Se fora
útil que pudéssemos distinguir claramente os
nossos pensamentos próprios dos que nos são
sugeridos, Deus nos houvera proporcionado os
meios de o conseguirmos, como nos concedeu
o de diferenciarmos o dia da noite. (...)”
 Comentário de Kardec à questão 662: “O
pensamento e a vontade representam em nós
um poder de ação que alcança muito além dos
limites da nossa esfera corporal. (...)”
 Item 14 do Cap. XIV:
 “Para os Espíritos, o pensamento e a vontade são o que é a
mão para o homem. Pelo pensamento, eles imprimem
àqueles fluidos tal ou qual direção, os
aglomeram, combinam ou dispersam, organizam com eles
conjuntos que apresentam uma aparência, uma
forma, uma coloração determinadas; (...).
 É a grande oficina ou laboratório da vida espiritual. (...) Por
análogo efeito, o pensamento do Espírito cria fluidicamente
os objetos que ele esteja habituado a usar...
 Ítem 16 do Cap. XIV:
 “Sendo esses fluidos o veículo do pensamento e
podendo este modificar-lhes as propriedades, é
evidente que eles devem achar-se impregnados
das qualidades boas ou más dos pensamentos que
os fazem vibrar, modificando-se pela pureza ou
impureza dos sentimentos.”
 Seus pensamentos revelam
suas companhias espirituais.
Fonte: Xavier, Francisco Cândido.
Da obra: Agenda Cristã.Ditado pelo Espírito André Luiz.

Você também pode gostar