Você está na página 1de 15

Instituto Superior de Transportes e Comunicações

Desenho Esquemático

Tema 1: Introdução ao
Desenho Esquemático
– Desenho
– Características do Desenho
– Tipos de Desenhos
– Instrumentos e materiais de Desenho

Turmas: I11 e I12


DOCENTES: Célio Pereira
Desenho
É basicamente uma composição
bidimensional constituída por linhas,
pontos e formas. Há desenhos simples
em que é empregue pouca técnica e
outros mais sofisticados.
Tipos de Desenho (1/2)
Desenho Artístico
Não há a preocupação com normas, pois,
tudo que é colocado no papel é,
simplesmente, a forma como o artista vê
o mundo. No desenho artístico é possível
que o artista exprima todos seus
sentimentos ocultos da maneira que
preferir.
Tipos de Desenho (2/2)
Desenho Técnico (DT) – (1/2)
É uma forma de expressão gráfica que tem
por finalidade a representação de forma,
dimensão e posição de objetos de acordo
com as diferentes necessidades requeridas
pelas diversas modalidades de engenharia
e também da arquitetura.
Desenho Técnico (DT) – (2/2)
Transmitir com exatidão todas as
características do objeto que representa. O
projetista deve seguir regras estabelecidas
previamente, chamadas de Normas
Técnicas. Assim, todos os elementos do
desenho técnico obedecem a normas
técnicas, ou seja, são normalizados. Cada
área ocupacional tem seu próprio desenho
técnico, de acordo com normas
específicas.
Tipos de Desenho Técnico (1/2)
Desenho Não-Projetivo
Na maioria dos casos corresponde a
desenhos resultantes dos cálculos
algébricos e compreendem aos desenhos
de gráficos, diagramas, esquemas,
fluxograma, organogramas, etc.
Tipos de Desenho Técnico (2/2)
Desenho Projetivo
Desenhos resultantes de projeções do
objeto em um ou mais planos de projeção
e correspondem às vistas ortográficas e
as perspectivas. Exemplo: máquinas,
edificações, refrigeração, climatização,
tubulações, móveis, produtos industriais,
etc.
Instrumentos e materiais de
Desenho
De entre todos os possíveis instrumentos que
podem ser utilizados no desenvolvimento de
desenhos técnicos mecânicos podemos citar:
esquadros, régua T, transferidor, régua paralela,
compassos, curvas francesas, régua flexível,
escala triangular, lápis, lapiseiras e grafites,
pranchetas, borracha, gabaritos e,
independente de qual seja o instrumento utilizado,
o projetista deve ser capaz de criar traços firmes e
nítidos, com pressão sobre os instrumentos
considerada moderada, aprender a controlar a
intensidade do traço.
Características das principais
ferramentas
O Esquadro que é um instrumento do
desenho técnico que é utilizado para a
confecção de linhas retas verticais com o
apoio de uma régua T ou paralela e para a
criação de ângulos principais de 30º, 45º,
60º, 90º ou a combinação de outros
ângulos com o auxílio de outros
esquadros.
O Escalímetro ou Régua
tridimensional, material que auxilia a
criação de desenhos com medidas
seguindo a proporção de escalas
variadas, preservando a medida real do
desenho. O escalímetro tem seis tipos de
escalas diferentes:
• 1: 20 -um por 20
• 1: 25 -um por 25
• 1: 50 – um por 50
• 1:75 – um por 75
• 1: 100- um por 100
• 1: 125- um por 125
A Borracha, que deve ser macia e utilizada para
apagar qualquer que seja o desenho que foi feito
de maneira equivocada. Se bem que um bom
projetista utiliza a borracha o mínimo possível.

O Papel é o componente básico para o desenho


técnico mecânico, que possui os formatos
padronizados com base o papel AO (A zero), do
qual derivam os outros formatos.
A Régua Paralela ou Régua T tem como principal
objetivo o traçado de linhas horizontais
paralelas. Prende-se esse material à prancheta
através de um sistema de fios e roldanas, onde
se consegue um deslizamento perfeito na mesa
de trabalho.

No Gabarito de Formas encontram -se formas


pré-definidas de acordo com a sua utilização
para assim facilitar o desenvolvimento do
desenho técnico.
O Compasso é usado para fazer a criação de
circunferências ou então marcações em
segmentos, de acordo com medidas específicas.

Com o Lápis ou a Lapiseira, faz-se o traçado de


todo o desenho ou a criação da escrita técnica.
Geralmente são usados três tipos de grafites no
desenho técnico, são eles 2H, HB e 2B.
Prancheta, o mais importante é que
possibilite uma correta postura
ergonômica para o desenhista, assim
como a iluminação adequada em
intensidade e direção.

Você também pode gostar