Você está na página 1de 31

Educação

Sistêmica

Uma postura que pode


transformar o futuro
das nossas crianças
Clique nos títulos
para navegar

Sumário

1) Abordagem das Constelações Sistêmicas na educação 5

1.1 As três Leis Naturais 8

1.2 As aulas de sexta-feira de Marianne Franke-Gricksch 12

1.3 Conflitos: aluno x aluno e professor x aluno 14

2) Relacionamento entre as escolas e os pais 15

2.1 Pais e professores, aliados ou antagonistas? De quem é a


responsabilidade de educar a criança? 17

2.2 A quem a escola e os educadores servem? 18

3) Doenças comuns aos educadores 19

3.1 Como se manter saudável no exercício profissional 21

4) Capacitação em Pedagogia Sistêmica 23

4.1 A quem se destina e qual o conteúdo abordado 25

4.2 Com a palavra: nossos alunos! 26

5) Sobre o Instituto Ipê Roxo 27


Sumário
Sumário

Introdução

Sabemos que existem diversas dificuldades tanto


para quem se dedica ao ensino quanto para quem está
aprendendo, assim como para os pais, que vivenciam todas
as fases ao lado de seus filhos.

Algumas das dificuldades observadas são os problemas


de aprendizado que certas crianças possuem, bem como
a falta de interesse por parte delas com os estudos; a
agressividade, que por vezes é desenvolvida tanto no
ambiente escolar quanto familiar e a distração ou falta de
concentração.

Muitas vezes, crianças que vão mal na escola


recebem diagnósticos variados por parte de médicos,
psicopedagogos, pedagogos, psiquiatras, psicólogos,
entre outros. Os principais rótulos costumam ser:
“hiperatividade”, “síndrome do déficit de atenção”, “lento
para o processo pedagógico” ou “dislexia”. Mas será que
todas essas crianças possuem mesmo essas dificuldades?
Na maior parte dos casos não!

Mas o que é Educação Sistêmica? Trata-se de uma


abordagem inovadora de inclusão, que contempla todos
os envolvidos no sistema escolar, orientando-se pelas leis
que regem os relacionamentos: Ordem, Pertencimento
e Equilíbrio. Leis que foram observadas e nomeadas
pelo alemão Bert Hellinger e traduzidas para a escola e a
pedagogia inicialmente por Marianne Franke Gricksch -
também alemã, educadora e terapeuta.

Ela nos mostra, através das leis que regem os


relacionamentos entre escola, família e professores, aquilo
que não estamos vendo claramente, ou seja, aspectos
Sumário
Sumário

Introdução

relacionados aos fatos de que cada um tem o seu lugar e que


isso deve ser respeitado, assim como a cada um compete a
sua importância nesse lugar. A inversão hierárquica, estar
fora de seu lugar, mesmo que aparentemente por um bom
motivo, é o que na maior parte das vezes, causa conflitos e
desentendimentos no ambiente escolar.

Nesse contexto, a Educação Sistêmica está para ampliar


e aprofundar a postura dos educadores, consteladores
e profissionais de pedagogia, abrindo a possibilidade
de que eles desenvolvam um olhar sistêmico em suas
rotinas. Dessa forma poderão compreender as situações
desafiadoras que surgem como consequências das
transgressões às leis preconizadas por Bert.

Através dessa postura, o educador poderá contemplar


os aspectos essenciais que regem as relações entre os
indivíduos no âmbito escolar O que só tem a favorecer
o processo de ensino aprendizagem, tanto para o aluno,
quanto para o professor e a escola.

Aqui no Instituto Ipê Roxo, acreditamos ser possível


transformar o dia a dia através da visão sistêmica, que
proporciona soluções reais ao cotidiano pedagógico e
familiar. Essa ação vem trazendo grandes resultados para
alunos, pais, professores e instituições.
Se você já tem uma ideia sobre a importância da Educação
Sistêmica ou deseja saber mais, convidamos a seguir pelas
próximas páginas para compreender mais sobre o assunto.

Boa leitura!
Sumário
Sumário

1) Abordagem das
Constelações Sistêmicas
na educação

Educação Sistêmica | Instituto Ipê Roxo 5


1. Abordagem das Constelações Sistêmicas na educação Sumário
Sumário

A partir das Constelações Familiares, Bert Hellinger


instigou profissionais das mais diversas áreas, através da
coerência com a qual vivia a postura de respeito às leis do
amor, a adotarem a postura fenomenológica em seu dia a
dia no trabalho, alcançando também a área da educação.
Surge assim a Pedagogia Sistêmica, que nada mais é do
que um convite aos ensinamentos da Constelação Familiar
ampliada ao ensino.

A Educação Sistêmica pode ser aplicada nas mais diversas


situações do contexto educacional, pois não se trata apenas
de uma técnica, mas antes de tudo de uma postura que
norteia as relações no âmbito escolar.
Veja algumas das situações que podem se beneficiar dessa
abordagem como:

• Comunicação inadequada entre docentes e instituição


de ensino;
• Dificuldade em incluir os pais no processo da educação
escolar;
• Problemas comportamentais dos alunos;
• Dificuldades de aprendizagem;
• Conflitos e outras questões surgidas no sistema
escolar, direta ou indiretamente.

A professora e terapeuta alemã, Marianne Franke-Gricksch,


observando os muitos movimentos de exclusão dentro da
escola, onde o que era diferente era julgado e discriminado,
decidiu aplicar e ensinar aos alunos as três leis do amor,
convidando-os a vivenciá-las no dia a dia. Com isso,
observou resultados surpreendentes.

Educação Sistêmica | Instituto Ipê Roxo 6


1. Abordagem das Constelações Sistêmicas na educação Sumário
Sumário

Segundo a pedagoga Simone L. Fritzen, que trabalha com a


abordagem das Constelações Sistêmicas Familiares na sala
de aula, elas são:

“A chave para uma mudança na maneira de lidar


com os alunos. A partir dessa nova postura, o olhar
profissional sobre as crianças e a instituição se
transforma. Os julgamentos foram abandonados, dando
lugar ao respeito e ao conhecimento de que as famílias
são a base para o seu trabalho”.

E você sabia que a família também vai junto com a criança


para a escola?

“As Constelações Familiares me conduziram a uma


nova compreensão dos alunos. Vi como estão inseridos
em suas famílias e a sua lealdade a elas. Também
reconheci as forças que empregavam constantemente
para ligar sua vida familiar à escola e percebi que
essas forças poderiam ser frutíferas. Na verdade, isso
acontece quando nós, professores, abrimos nosso coração
às famílias, permitindo-lhes entrar em nossas salas
de aula como uma presença invisível e permanente.
As ideias fundamentais de Hellinger, do que significa
estar inserido no contexto familiar é que me levaram
inicialmente a usar a ideia sistêmica em minhas aulas”.

- Dr. Décio Fábio de Oliveira Júnior - médico e


constelador.

Educação Sistêmica | Instituto Ipê Roxo 7


1. Abordagem das Constelações Sistêmicas na educação Sumário
Sumário

1.1 As três Leis Naturais

As três leis naturais também chamadas de Leis do Amor


(Pertencimento, Equilíbrio e Ordem), do mesmo modo que
atuam nos sistemas familiares e organizacionais, também
são aplicáveis na educação.

As leis atuam em conjunto, não havendo hierarquia


entre elas. Por se tratar de conceitos alicerçados em uma
postura, os educadores devem inicialmente desenvolvê-
la, pois só assim terão sucesso ao aplicá-la. À partir desse
lugar coerente de viver o que se ensina, os alunos terão
condições de experimentar e se apropriar dessa postura
transformadora, que os colocarão no caminho do bem viver.

A psicóloga clínica especializada em famílias e consteladora


sistêmica, Maria Inês Araújo Garcia Silva, sugere condutas
bem concretas para exercitar a postura preconizada por
essas leis.

Educação Sistêmica | Instituto Ipê Roxo 8


1. Abordagem das Constelações Sistêmicas na educação Sumário
Sumário

Lei do Pertencimento

Bert Hellinger diz que independente do sistema que


estamos lidando, a exclusão não é permitida. Se fazemos
por julgamento, reivindicação ou rejeição, alguém estará
representado como excluído. E exatamente nesse ponto
está o desafio: garantir o direito ao pertencimento, que
só pode ser concluído quando adotamos a postura de não
julgamento.

Mas como colocar em prática essa postura segundo a Lei do


Pertencimento? Conheça abaixo algumas indicações para o
dia a dia:

• Praticar o não julgamento

De forma consciente, opte por não julgar nem criticar ou


avaliar situações. Descreva-as apenas como elas são e não
fazendo julgamento de certo ou errado, bom ou mau e
assim por diante.

• Abandonar o hábito de avaliar rotulando e analisando

Deixe de lado o hábito de inserir rótulos em suas análises.


Essa postura vai contra a sua capacidade de ver o que
realmente está passando com o outro, e acima de tudo, com
você mesmo.

Educação Sistêmica | Instituto Ipê Roxo 9


1. Abordagem das Constelações Sistêmicas na educação Sumário
Sumário

• Ficar em silêncio ao se perceber julgando ou criticando

Mantenha a postura do silêncio ao notar que está julgando


ou criticando alguém ou alguma situação. Lembre-se que o
silêncio amplia sua percepção de ver aquilo que está além
do que se mostra.

• Aprender a aceitar características do outro

Esvazie seus pensamentos e ações dos julgamentos,


saberes e valores, para que possa receber o outro em suas
próprias características (aquelas que ele traga consigo).
Esse tipo de postura possibilita a aceitação natural, você dá
o lugar de pertencimento que ele tem direito.

• Aceitar os limites dos alunos, colegas, professores e


familiar e renunciar aos preconceitos

Pratique diariamente e ensine também seus filhos e


familiares, a aceitar e nomear seus colegas de escola ou de
brincadeiras, sem excluí-los - mesmo que aconteça de não
serem tão habilidosos com as atividades.
​​​

Educação Sistêmica | Instituto Ipê Roxo 10


1. Abordagem das Constelações Sistêmicas na educação Sumário
Sumário

Lei do Equilíbrio

Essa lei está ligada a compreendermos que devemos


retribuir tudo aquilo que recebemos. É a lei da troca, a
compensação entre o dar e o receber.

“Dê ao mundo o que dele deseja.”

Acompanhe alguns ensinamentos para pôr em prática a Lei


do Equilíbrio:

• Agradecer, para também receber gratidão;


• Ser delicado com as pessoas, para ser respeitado;
• Ser generoso, para que o mundo seja gentil também de
volta;
• Retribuir na medida exata aquilo que recebeu;
• Identificar e agradecer dádivas como o Sol, ar puro,
capacidade de olhar, escutar, sentir, entre outros;
• Saber receber do outro, sejam elogios, cumprimentos,
presentes, conselhos;
• Presentear onde quer que estejam, com sorrisos,
palavras gentis, intenções verdadeiras, etc.

Educação Sistêmica | Instituto Ipê Roxo 11


1. Abordagem das Constelações Sistêmicas na educação Sumário
Sumário

Lei da Ordem

Esta é a lei que nos ensina que cada pessoa tem o seu lugar
devido e que deve ocupá-lo. Ela nos fala da precedência
sobre aquele que vem depois dentro do seu sistema
familiar. Aqui nasce a compreensão de que os pais vieram
antes dos filhos, e por esse motivo é o papel deles cuidar,
nutrir e guiar seus filhos.

Como um ensinamento aos filhos aqui, além de respeito à


essa hierarquia é também ensinar que eles devem respeitar
não somente os pais, mas também avós, professores,
colegas, etc. Reconhecendo e aceitando cada um
exatamente como são.

Observações que podemos fazer no dia a dia a partir da Lei


da Ordem:

• Permitir aos mais velhos entrar ou sair primeiro dos


lugares (elevador, metrô, carro, etc.);
• Ceder seu lugar nos assentos em ônibus, metrôs,
bancos;
• Oferecer ajuda com bagagens à quem necessita;
• Cumprimentar gentilmente;
• Dar passagem aos mais velhos.

No ambiente escolar é fundamental para o movimento


dar certo, que os professores validem os pais dos alunos -
mesmo sem os conhecer pessoalmente, pois são eles que
dão força aos filhos para que sejam ativos na vida.

Educação Sistêmica | Instituto Ipê Roxo 12


1. Abordagem das Constelações Sistêmicas na educação Sumário
Sumário

1.2 As aulas de sexta-feira de Marianne


Franke-Gricksch

No livro de Marianne Franke-Gricksch, “Você é um de nós”,


ela relata sua experiência com as Constelações Familiares
na educação.

Destacamos algumas frases desta Obra:

• Uma escola não é a melhor alternativa para a vida em


casa, mas um aprimoramento do que existe;
• O respeito que os professores têm pela criança não é
nada mais que o respeito pela sua família de origem;
• Nas salas de aula são representadas leis familiares
seguidas por alunos e adultos em respeito às famílias,
que podem ser úteis para o crescimento de um campo
social e curador na classe;
• Como famílias atuam na escola e escola nas famílias (...).
Assim, não podemos distinguir onde o sistema “família”
termina e a “escola” começa.

Educação Sistêmica | Instituto Ipê Roxo 13


1. Abordagem das Constelações Sistêmicas na educação Sumário
Sumário

Para entendermos melhor, é importante lembrar que


Marianne foi a precursora da Educação Sistêmica em salas
de aula. Ela iniciou esse trabalho em suas aulas de sexta-
feira, com o intuito de trazer para as crianças a importância
do pertencimento.

A prática em sala de aula, fez com que os envolvidos


aprendessem a lidar melhor com as mais diversas situações
sob a ótica sistêmica, o que trouxe diferencial imenso em
produtividade, ganhos de aprendizagem das crianças e acima
de tudo na dissolução de problemas disciplinares. Com base
em exercícios sistêmicos, os alunos desenvolveram uma nova
postura de percepção do outro, aprenderam a meditar e
também a se concentrar.

As aulas de sexta feira de Marianne Franke-Gricksch


foram um marco no processo de inclusão da postura e
visão sistêmica dentro das escolas. A partir desse início,
ela começou a desenvolver trabalhos com grupos de
professores, coordenadores e famílias, assim foi mudando e
melhorando o relacionamento dos alunos com os docentes,
com a Instituição e com as famílias, trabalhando cada um o
seu lugar.

Mudou a percepção dos alunos em relação a sua


força e o seu lugar, através das leis sistêmicas
aplicadas na sala de aula.

Educação Sistêmica | Instituto Ipê Roxo 14


1. Abordagem das Constelações Sistêmicas na educação Sumário
Sumário

1.3 Conflitos:
aluno x aluno — professor x aluno

Ao enxergar o sistema familiar de uma criança dada a


conflitos com outros alunos e ou professores, podemos
desenvolver um movimento eficiente, que permita uma
reconciliação consigo e com os sistemas onde vive: familiar,
escolar e social.

A professora Marianne menciona em seu livro citado


anteriormente, as soluções inusitadas e surpreendentes
para conflitos na escola e ataques agressivos de crianças.

Educação Sistêmica | Instituto Ipê Roxo 15


Sumário
Sumário

2) Relacionamento
entre a escola
e os pais

Educação Sistêmica | Instituto Ipê Roxo 16


2. Relacionamento entre as escolas e os pais Sumário
Sumário

Os pais têm o primeiro lugar na escola, isso acontece


porque são eles que levam os filhos até ela, investem em
sua educação e entregam as crianças em confiança aos
professores e à instituição, para cuidarem de seu bem
mais precioso. Dessa forma, fica evidente o vínculo de
confiança que se estabelece entre pais e escola. Se esse
vínculo é respeitoso ou não, influenciará diretamente no
comportamento da criança na escola e consequentemente
em seu aprendizado.

O movimento das escolas, de reconhecimento do serviço


que prestam aos pais ao servirem seus filhos com instrução
acadêmica, favorece uma relação salutar entre a instituição
e a criança, potencializando seu processo de aprendizagem.
No mesmo raciocínio, todos os colaboradores fazem parte
da instituição e necessitam reconhecer a hierarquia de
toda essa rede escolar, para terem força e autoridade na
condução de sua tarefa. Todos são importantes nesse
processo e devem identificar seu lugar de força. Sem o sim
dos pais à instituição, ela não poderia cumprir seu papel, tão
importante na sociedade.

As crianças são como termômetros, que denunciam em seu


comportamento todo o seu entorno, seja levando em sua
“mochila” as dores relacionais e existenciais de seus pais
e familiares, bem como o que atua na escola, na sala dos
professores, sintomatizando esses dramas, por exemplo,
através de problemas de comportamento.

Marianne diz:

“O que acontece com os alunos na sala de aula


reflete o que acontece na sala dos professores”.

Educação Sistêmica | Instituto Ipê Roxo 17


2. Relacionamento entre as escolas e os pais Sumário
Sumário

Portanto, vemos que todos estão conectados. A ação de


um afeta o outro e a criança sempre é aquela que mais ama,
ama às últimas consequências e mostra esse amor através
de disfunções e dores, sacrificando-se inocentemente com a
ilusão de conseguir a solução.

É importante que professores e coordenadores fiquem


atentos aos sinais denunciados pelos comportamentos
disfuncionais das crianças na escola. A criança tende a
transgredir a lei da ordem, buscando inconscientemente
se sacrificar pelo todo. Isso atua tanto no sistema familiar
quanto no sistema escolar. Ela sempre tentará assumir para
si a responsabilidade de “salvar” seus pais e professores.
No entanto ela não possui condições emocionais para lidar
com problemas do mundo adulto e acima de tudo não deve
cuidar dos pais, e sim ser cuidada por eles e nesse contexto,
também por seus professores no que diz respeito às
questões escolares.

Quando os pais e professores guiam as crianças em seu


processo de desenvolvimento do seu lugar hierárquico
correto no seu sistema, as consequências se mostram
através de aprendizagem leve e comportamentos de
autonomia e adaptação psicossocial.

Educação Sistêmica | Instituto Ipê Roxo 18


2. Relacionamento entre as escolas e os pais Sumário
Sumário

2.1 Pais e professores, aliados ou


antagonistas? De quem é a
responsabilidade de educar a criança?

Na educação de uma criança todos são aliados. É claro que os


pais têm a maior responsabilidade na educação do seu filho
como um todo — desenvolvendo neles as capacidades que
futuramente os levarão à situações de sucesso.

Os professores participam desse processo nos momentos


em que estão com os alunos, e isso é sempre positivo. Mas
eles não interferem na educação que os pais acreditam ser
a melhor, mesmo podendo conversar com eles e inclusive
usar dos ensinamentos das Constelações Sistêmicas nesse
relacionamento.

Diante de pais com destinos difíceis, cabe aos professores


colocá-los em seus corações, sem julgamentos de como a
criança deveria ser educada. Isso porque, ao julgar os pais
(aqui poderíamos pensar em um antagonismo — mas que um
professor constelado ou capacitado em pedagogia sistêmica
compreende e não age assim), os professores fazem com que
os filhos se revoltem contra eles , limitando seu aprendizado,
além de se tornarem rebeldes.

Educação Sistêmica | Instituto Ipê Roxo 19


2. Relacionamento entre as escolas e os pais Sumário
Sumário

2.2 A quem a escola e os educadores servem?

Como já mencionamos, os pais vão “junto” com os filhos


para a escola. Portanto, ainda que seja difícil enxergar —
pela abstração do conceito de “ir junto” — a escola serve
aos pais através do cuidado a seus filhos. Não é possível
mobilizar alegria ao aprendizado, sem incluir a história da
criança em seu processo de construir os novos saberes.
Os pais constituem uma presença “invisível” que está
permanentemente atuando no processo escolar de seus
filhos.

Ampliar o conhecimento da criança é missão do professor,


mas jamais julgar, criticar ou excluir o que faz sentido
para a criança e sua família, como por exemplo quando a
família do aluno professa uma religião que é contrária a
visão ideológica do professor ou do método pedagógico
da escola. Os valores dessa família estarão acompanhando
essa criança que deverá ser totalmente respeitada em
sua posição. Só através do respeito e da inclusão, de fato
a escola conseguirá servir a essa família e autorizar o
aprendizado das diferenças religiosas a essa criança, sem
feri-la ou enfraquecê-la. A criança é entregue para a escola
pelos pais, que nela confiam e dessa forma deve cuidá-la.

Educação Sistêmica | Instituto Ipê Roxo 20


Sumário
Sumário

3) Doenças comuns
aos educadores

Educação Sistêmica | Instituto Ipê Roxo 21


3. Doenças comuns aos educadores Sumário
Sumário

Lidar com crianças e adolescentes que vêm de núcleos


familiares dos mais diversos, trazendo consigo problemas
e conflitos familiares, não é uma tarefa fácil. Isso faz com
que muitas vezes, os professores absorvam as questões dos
alunos, ficando sobrecarregados e expostos a doenças, tais
como:

Síndrome de Burnout

Um problema que afeta sobretudo professores e profissionais


de saúde. A Síndrome de Burnout se caracteriza como um
total esgotamento físico e mental, levando as pessoas, muitas
vezes à total incapacidade para o trabalho. O ideal é que ela
seja identificada e tratada adequadamente o quanto antes.
Isso significa olhar sistêmicamente para o que a doença está a
denunciar: muitas vezes é a um servir fora do lugar.

Depressão

A doença dos séculos XX e XXI afeta com muita frequência


os professores. Uma pesquisa realizada entre 2015 e 2016
com professores do Rio Grande do Sul, mostrou que 1 a cada
3 professores desenvolve algum quadro de depressão, tendo
como origem as pressões do seu trabalho na área da educação.

Ansiedade

Muitas vezes a ansiedade acompanha a depressão e o


esgotamento total. Isso porque o professor entende — por
sua própria formação e muitas vezes pelo talento nato
de ensinar — que precisa dar o melhor de si. Quando não
consegue realizar esse trabalho como gostaria, os sintomas de
ansiedade, às vezes generalizada, afloram. Essa é uma doença
que se não for trabalhada, pode acabar desencadeando
quadros das doenças citadas anteriormente.

Educação Sistêmica | Instituto Ipê Roxo 22


3. Doenças comuns aos educadores Sumário
Sumário

3.1 Como se manter saudável no exercício


profissional

Ser professor é uma bela missão. Uma profissão nobre que


pode transformar o futuro de uma criança e levá-la à ser
um profissional bem-sucedido. Por isso, buscar manter-
se saudável no exercício dessa profissão é tão importante
quanto a missão de ensinar.

Um dos problemas que mais fazem com que os professores


cheguem ao ponto de “estafa” é a cobrança que têm de si
mesmo, dos diretores da escola e dos pais dos alunos. Eles
pressionam a si para ser a pessoa “que não falha” e isso é
desgastante, pois todos falhamos em algum momento.

Há diversas formas de se manter saudável, como por


exemplo, se alimentar corretamente, praticar atividades
físicas e — para quem tem a oportunidade de ler mais sobre
o tema das constelações e sua relação com a Educação
Sistêmica, encontrará dicas essenciais para que os
professores e educadores desenvolvam uma postura que
irá possibilitar uma saúde plena e uma vida tanto pessoal
quanto profissional, fluida.

Somente do nosso lugar de pertencimento, atentos à


ordem, conseguiremos nos manter em equilíbrio.

Educação Sistêmica | Instituto Ipê Roxo 23


3. Doenças comuns aos educadores Sumário
Sumário

Como pudemos ver ao longo do texto, a Pedagogia


Sistêmica desenvolvida nas últimas décadas como
uma filosofia inserida ao contexto educativo, vem
apresentando resultados mais do que satisfatórios
tanto em salas de aula quanto no contexto mais amplo
da educação. Modelos de sucesso como o CUDEC no
México, dirigido pelo casal Olveras, que adota a pedagogia
Hellingeriana do infantil à pós-graduação, comprovam a
força transformadora da Educação Sistêmica alicerçada na
abordagem das Constelações Familiares de Bert Hellinger.

Além disso, vimos que através da visão sistêmica podemos


fazer um trabalho efetivo e inclusivo, que potencializará a
aprendizagem dos alunos e o bem estar dos professores. A
capacidade de compreender o comportamento dos alunos
fica ampliada, permitindo a compreensão das dinâmicas
sistêmicas que estão atuando em sua aprendizagem,
favorecendo assim a resolução dos conflitos e dificuldades
através do movimento de aceitação e inclusão.
Possibilitando também ao aluno, uma melhor apropriação
do conhecimento e desenvolvimento criativo de seu
processo escolar.

Por fim, aprendemos que a Pedagogia Sistêmica nos


mostra que para a fluidez do processo de aprendizagem,
é imprescindível que o professor respeite as origens
e contextos de cada aluno. Tendo tudo isso em mente,
as chances de sucesso do profissional em sala de aula
e fora dela (com diretores, pedagogos e pais) serão
extremamente maiores.

Educação Sistêmica | Instituto Ipê Roxo 24


Sumário
Sumário

4) Capacitação em
Pedagogia Sistêmica

Educação Sistêmica | Instituto Ipê Roxo 25


4. Capacitação em Pedagogia Sistêmica Sumário
Sumário

Muitas vezes, os professores que lidam com todos os


desafios citados aqui no eBook, não conseguem enxergar
que as crianças tidas como desatentas e hiperativas podem
ser na verdade “desatendidas”. É nesse contexto que entra a
Capacitação em Pedagogia Sistêmica.

Ela surge como uma ferramenta que reconhece esse grande


componente interno da criança para o seu processo de
desenvolvimento. Quando o sistema educacional olha para
o aluno e o acolhe verdadeiramente (o que ele traz de seu
sistema familiar junto de si), todos têm a ganhar com isso:
alunos, escola, pais e professores consteladores sistêmicos.

Cabe ressaltar que a Educação Sistêmica invoca a inclusão


respeitosa de todos que fazem parte do sistema escolar,
sendo conduzida pelas leis que regem os relacionamentos
humanos: Ordem, Pertencimento e Equilíbrio.

Educação Sistêmica | Instituto Ipê Roxo 26


4. Capacitação em Pedagogia Sistêmica Sumário
Sumário

4.1 A quem se destina e qual o conteúdo


abordado?

Este aprendizado trará para os professores ferramentas


para trabalhar com alunos de qualquer idade — inclusive
adultos. Ele fará com que o professor identifique o que
está por trás da desatenção, dificuldade de aprendizado e
agressividade em sala de aula.

Os pais também podem - e devem - se capacitar,


pois ao se aprofundarem no tema da educação,
certamente compreenderão que podem modificar
seu olhar sobre o que significa aprender e ensinar.

O programa tem uma abordagem vivencial, onde exercícios


sistêmicos e constelações acontecerão durante todos os
módulos (I, II e II). Dessa forma, os participantes terão
oportunidade de experimentar essa experiência tão
inovadora.

Inscreva-se agora mesmo!

Educação Sistêmica | Instituto Ipê Roxo 27


4. Capacitação em Pedagogia Sistêmica Sumário
Sumário

4.2 Com a palavra: nossos alunos!

Alguns depoimentos ex-alunos incentivam quem pretende


entrar para a capacitação. Confira!

Maria Emília Rossa, Advogada e Terapeuta Holística:

“Quando eu me iniciei nessa seara dos ensinamentos de


Hellinger, ele já anunciava (...) a nova Constelação Sistêmica,
hoje adotada por escolas, terapeutas, médicos, empresas,
advogados e magistrados em vários países. As dinâmicas das
aulas possibilitam que cada um dos formandos, de acordo
com seu próprio fluir, se abra às mudanças em si e perceba a
ressonância em seu campo familiar/escolar/profissional.”

Josiane Steinmetz, Psicóloga:

“A cada cliente que constelo, eu me sinto influenciando de


forma profunda nas transformações de sua alma e recebendo
influência deles para continuar, devido às mudanças que
ocorrem. Poder acompanhar o antes no processo terapêutico, o
durante nas constelações e o depois, tem sido uma experiência
riquíssima.”

Educação Sistêmica | Instituto Ipê Roxo 28


Sumário
Sumário

5) Sobre o
Instituto Ipê Roxo

Educação Sistêmica | Instituto Ipê Roxo 29


Sumário
Sumário

O Ipê Roxo – Instituto de Desenvolvimento Humano —


é referência na aplicação da filosofia de Bert Hellinger,
Constelações Familiares, sendo conhecido em todo o
Brasil pela excelência dos serviços oferecidos. O corpo de
profissionais e docentes é multidisciplinar, sendo formado,
em sua grande maioria por Consteladores Sistêmicos.

O Instituto tomou a Constelação Familiar como um serviço


de amor que acompanha o que há de mais profundo e vital
em cada ser humano, com o propósito de servir à sociedade
contribuindo com a vida de todos os que chegam até o Ipê
Roxo. Cada profissional que já participou da capacitação
compartilha o conhecimento adquirido e seguem
impactando mais e mais pessoas para o bem!

“Há uma capacidade de superação exponencial,


quando cada ser humano em plena sintonia com
outros seres humanos, realiza o que lhe é devido!”

Educação Sistêmica | Instituto Ipê Roxo 30


Sumário
Sumário

A Capacitação em Pedagogia Sistêmica do


Instituto Ipê Roxo auxilia os profissionais
e futuros Consteladores Sistêmicos a
encontrarem um lugar de leveza e uma
postura correta, influenciando assim no
comportamento e disponibilidade do aluno ao
que a educação pode oferecer de melhor.

Quero saber mais

Educação Sistêmica | Instituto Ipê Roxo 31

Você também pode gostar