Você está na página 1de 3

GEOMETRIA

ANALÍTICA

Coplanares e reversas

Retas coplanares são aquelas que se apresentam dispostas em um mesmo plano β


de espaço dimensional R3 e podem ser consideradas retas concorrentes (aquelas que
se tocam) ou paralelas (aquelas que não se tocam). A geometria euclidiana denomina
de concorrentes as retas de um plano β que têm um único ponto P comum entre si.
Consequentemente, as suas direções se apresentam diferentes, não demonstrando
paralelismo entre si. É relevante salientar que, se duas retas r e s forem distintas e
apresentarem um único ponto P comum entre si, ficam determinadas como concorrentes.
Assim, se duas retas r e s, também distintas, estiverem em um mesmo plano β e não
tiverem qualquer ponto P comum entre si, serão determinadas paralelas. Contudo, as
retas denominadas reversas são aquelas que não se interceptam (não se tocam), são
distintas (diferentes) e não existe um plano β que as contenha.

Tomando as retas r e s, contidas em um mesmo plano β e com mesma direção, sua


posição relativa é coplanar paralelas. De outra forma, se as retas r e s são contidas em
um mesmo plano β e se interceptam em um dado ponto P, definimos a sua apresentação
coplanar concorrentes. Veja a imagem:

Paralelas

r s

Concorrentes

β s

License-521149-68172-0-2
GEOMETRIA
ANALÍTICA

Assim sendo, vemos que na reta reversa há uma disposição diferenciada. Tomando as
retas r1 e r2 pertencentes a planos distintos β1 e β2, respectivamente, conforme ilustrado
abaixo, estas não mostram pontos comuns entre si. Nem de forma própria (adequada) e
nem de forma imprópria (inadequada).

r1

r2

β1

β1 β2

Posições relativas
Apresentando duas retas r e s, sendo estas concorrentes, temos um ponto P único comum
entre elas. Se as retas r e s forem distintas e não tiverem qualquer ponto P comum entre
si, temos a demonstração de paralelas. E, nas retas reversas, não existe um plano β que
contenha as retas r e s, como demostrado na imagem:

r s s
r
r
P
β β β

Se r e s são concorrentes, o único ponto P comum a elas pode ser


determinado resolvendo-se o sistema S constituído das equações de r e s.
Aliás, o estudo da posição relativa pode também ser feito resolvendo-se
esse sistema (*). Se S tiver uma única solução, r e s são concorrentes; se S
for indeterminado (infinitas soluções), então r = s (coincidentes); se S for
incompatível, dois casos podem ocorrer: as retas são reversas ou paralelas
distintas (isso pode ser decidido tomando-se um vetor direto de cada uma
e verificando se são LI ou LD). (MIRANDA; GRISI; LODOVICI, 2015).

License-521149-68172-0-2
GEOMETRIA
ANALÍTICA

Se tomarmos uma situação que envolva um desafio lançado entre reta e reta (r e s, por
exemplo) e desejarmos descobrir se essas retas são paralelas, concorrentes ou reversas,
teremos a condição de fixarmos um sistema de coordenadas vetoriais (O, 1, 2, 3) e
fazermos uma designação para o vetor representado pelos números reais a, b e c.
Observe a fórmula a seguir:

Nela, temos um vetor diretor = (a,b,c), relacionando-se com o vetor diretor representado
pelos números reais m, n e p, = (m, n, p). Tendo, assim, um vetor diretor de pelo ponto
A igual a (X1, Y1, Z1) em um ponto qualquer de r pelo ponto B, sendo igual as coordenadas
(X2, Y2 , Z2) em um ponto qualquer de s. Contudo, r e s serão reversas, se e somente se os
vetores e , com o segmento vetorial () apresentarem-se linearmente independentes.

Vejamos uma situação na prática:

Sendo r: X = (1, 2, 3) + θ (0, 1, 3) (θ pertencente R)

Sendo s: X = (0, 1, 0) + θ (1, 1, 1) (θ pertencente R)

Temos que o vetor diretor = (0, 1, 3), o vetor diretor = (1, 1, 1), em que ( , ) é linearmente
independente (LI). Se tomarmos um ponto em cada uma das retas indicadas, exemplo: A
= (1, 2, 3) pertencente a r e o ponto B = (0, 1, 0) pertencente a s, então teremos = (−1, −1,
−3). Encontramos fazendo a subtração dos valores que representam os pontos entre
as retas tal como:

0 − 1 = −1

1 − 2 = −1

0 − 3 = −3

E, assim, temos a seguinte representação:

= 2 ≠0

License-521149-68172-0-2