Você está na página 1de 9

▪ Considere um redutor em uma tubulação, sendo que na entrada tem-se um diâmetro

de 0,4 m, velocidade de 3 m/s e pressão manométrica de 58,7 kPa. O volume


interno do redutor é de 0,2 m³ e sua massa é de 25 kg. Avalie a força total de
reação que deve ser feita pelos tubos adjacentes para suportar o redutor. O fluido é
a gasolina (SG = 0,72) e o diâmetro de saída é de 0,2 m e o fluido deixa o redutor
com velocidade de 12 m/s.

Resp.
Rx = -4,62 kN
Ry = 1,66 kN

1
Prof. MEng. Antônio Paulino de Araújo Neto
• Fluído incompressível
A1
• Regime permanente
A2
• Escoamento sem perda/atrito
g 1 2 • Escoamento uniforme
Ry W
Fp2 𝑝1 𝑉1 2 𝑝2 𝑉2 2
Fp1 + + 𝑔𝑧1 = + + 𝑔𝑧2
𝑢1 = 𝑉1 𝑣1 = 0 𝜌 2 𝜌 2
Rx
𝑢2 = 𝑉2 𝑣2 = 0 𝑝1 𝑉1 2 − 𝑉2 2
𝑝2(𝑚𝑎𝑛) =𝜌 +
𝜌 2

𝜕 𝐹Ԧ𝑠𝑥 = 𝑅𝑥 + 𝐹𝑝1𝑥 − 𝐹𝑝2𝑥


𝐹Ԧ𝑠𝑥 + 𝐹Ԧ𝐵𝑥 = න 𝑢𝜌𝑑𝑉 + ෍ 𝑢𝜌 𝑉𝐴Ԧ ∴ 𝐹Ԧ𝑠𝑥 = ෍ 𝑢𝜌 𝑉𝐴Ԧ
𝜕𝑡 𝑉𝐶 𝜋𝐷12 𝜋𝐷2 ²
𝑆𝐶 𝑆𝐶
= 𝑅𝑥 + 𝑝1 . 𝐴1 − 𝑝2 . 𝐴2 = 𝑅𝑥 + 𝑝1 − 𝑝2
𝜋𝐷12 𝜋𝐷2 ² 4 4
𝑅𝑥 + 𝑝1 − 𝑝2 = 𝑉1 . 𝜌. −𝑉1 . 𝐴1 + 𝑉2 . 𝜌. 𝑉2 . 𝐴2 ෍ 𝑢𝜌 𝑉𝐴Ԧ = 𝑢1 . 𝜌. −𝑉1 . 𝐴1 + 𝑢2 . 𝜌. 𝑉2 . 𝐴2
4 4
𝑆𝐶
= 𝑉1 . 𝜌. −𝑉1 . 𝐴1 + 𝑉2 . 𝜌. 𝑉2 . 𝐴2
= 𝑄. 𝜌. 𝑉2 − 𝑉1 = 𝑚(𝑉
ሶ 2 − 𝑉1 )

𝜋𝐷2 ² 𝜋𝐷12 𝜋𝐷2 ² 𝜋𝐷12


𝑅𝑥 = 𝑉2 . 𝜌. 𝑉2 . −𝑉1 . 𝜌. 𝑉1 . + 𝑝2 − 𝑝1
4 4 4 4
• Fluído incompressível
A1
• Regime permanente
A2
• Escoamento sem perda/atrito
g 1 2 • Escoamento uniforme
Ry W
Fp2 𝑝1 𝑉1 2 𝑝2 𝑉2 2
Fp1 + + 𝑔𝑧1 = + + 𝑔𝑧2
𝑢1 = 𝑉1 𝑣1 = 0 𝜌 2 𝜌 2
Rx
𝑢2 = 𝑉2 𝑣2 = 0 𝑝1 𝑉1 2 − 𝑉2 2
𝑝2(𝑚𝑎𝑛) =𝜌 +
𝜌 2

𝜕
𝐹Ԧ𝑠𝑦 + 𝐹Ԧ𝐵𝑦 = න 𝑣𝜌𝑑𝑉 + ෍ 𝑣𝜌 𝑉𝑑 𝐴Ԧ ∴ 𝐹Ԧ𝑠𝑦 = −𝐹Ԧ𝐵𝑦
𝜕𝑡 𝑉𝐶
𝑆𝐶
𝑅𝑦 = −(−(𝑚𝐶𝑜𝑛𝑒𝑥ã𝑜 . 𝑔 + 𝜌𝐺𝑎𝑠𝑜𝑙𝑖𝑛𝑎 . 𝑉𝐶𝑜𝑛𝑒𝑥ã𝑜 . 𝑔)
𝐹Ԧ𝑠𝑦 = 𝑅𝑦
𝐹𝐵𝑦 = −𝑊 = −(𝑊𝐶𝑜𝑛𝑒𝑥ã𝑜 + 𝑊𝐺𝑎𝑠𝑜𝑙𝑖𝑛𝑎 ) 𝑅𝑦 = 𝑚𝐶𝑜𝑛𝑒𝑥ã𝑜 . 𝑔 + 𝜌𝐺𝑎𝑠𝑜𝑙𝑖𝑛𝑎 . 𝑉𝐶𝑜𝑛𝑒𝑥ã𝑜 . 𝑔
= −(𝑚𝐶𝑜𝑛𝑒𝑥ã𝑜 . 𝑔 + 𝑚𝐺𝑎𝑠𝑜𝑙𝑖𝑛𝑎 . 𝑔)
= −(𝑚𝐶𝑜𝑛𝑒𝑥ã𝑜 . 𝑔 + 𝜌𝐺𝑎𝑠𝑜𝑙𝑖𝑛𝑎 . 𝑉𝐶𝑜𝑛𝑒𝑥ã𝑜 . 𝑔)
▪ A figura abaixo mostra um jato d’água incidindo numa placa que apresenta massa
igual a 1,5 kg. O bocal descarrega água a 10 m/s e o diâmetro do jato na seção de
descarga do bocal é de 20 mm. Nestas condições, determine a altura “h”.

Resp.
h = 3,86 m

4
Prof. MEng. Antônio Paulino de Araújo Neto
Rz = W 𝑝1 𝑉1 2 𝑝2 𝑉2 2
+ + 𝑔𝑧1 = + + 𝑔𝑧2 • Regime permanente
2 𝜌 2 𝜌 2
• Escoamento uniforme
• Fluido incompressível
V2 𝑉1 2 − 𝑉2 ²
A2 • Sem atrito
ℎ = 𝑧2 =
2. 𝑔
𝜕
𝐹Ԧ𝑠𝑧 + 𝐹Ԧ𝐵𝑧 = න 𝑤𝜌𝑑𝑉 + ෍ 𝑤𝜌 𝑉𝑑 𝐴Ԧ
𝜕𝑡 𝑉𝐶
𝑆𝐶
z
𝑄𝐸𝑛𝑡𝑟𝑎𝑑𝑎 = 𝑄𝑆𝑎í𝑑𝑎 Conservação da massa (regime permanente)
1
𝑉1 . 𝐴1 = 𝑉2 . 𝐴2

𝐹Ԧ𝑠𝑦 = ෍ 𝑣𝜌 𝑉𝑑 𝐴Ԧ ∴ −𝑅𝑧 = 𝑤2 . 𝜌. −𝑉2 𝐴2 = 𝑉2 . 𝜌. −𝑉2 𝐴2


𝑆𝐶

𝑅𝑦 𝑉1 2 − 𝑉2 ²
𝑅𝑦 = 𝑉2 . 𝜌. 𝑉1 . 𝐴1 ∴ 𝑉2 = ℎ = 𝑧2 =
𝜌. 𝑉1 . 𝐴1 2. 𝑔
▪ Uma corrente de ar, na condição-padrão, sai de um bocal de 2 in. de diâmetro e
atinge uma pá curva, conforme mostrado. Um tubo de estagnação conectado a um
manômetro de um tubo U com água é instalado no plano de saída do bocal. Calcule
a velocidade do ar deixando o bocal. Estime a componente horizontal da força
exercida pelo jato sobre a pá.

Resp.
V = 176,5 ft/s
Rx = -2,97 lbf

6
Prof. MEng. Antônio Paulino de Araújo Neto
𝑄𝐸𝑛𝑡𝑟𝑎𝑑𝑎 = 𝑄𝑆𝑎í𝑑𝑎
A1
𝑉1 . 𝐴1 = 𝑉2 . 𝐴2
1 Rx
0 𝑉1 = 𝑉2
V1 𝑢1 = 𝑉1 𝑢2 = −𝑉1 cos 𝜃

A2 𝑝1 𝑉1 2 𝑝0 𝑉0 2
+ + 𝑔𝑧1 = + + 𝑔𝑧0
𝜌 2 𝜌 2
ℎ1 = 7 𝑖𝑛 V2
2𝑝0 𝑝0 − 𝜌Á𝑔𝑢𝑎 . 𝑔. ℎ1 = 0 2𝑝0 2𝜌Á𝑔𝑢𝑎 . 𝑔. ℎ1
𝑉1 = 𝑉1 = =
𝜌𝐴𝑟 𝑝0 = 𝜌Á𝑔𝑢𝑎 . 𝑔. ℎ1 𝜌𝐴𝑟 𝜌𝐴𝑟

𝜕
𝐹Ԧ𝑠𝑥 + 𝐹Ԧ𝐵𝑥 = න 𝑢𝜌𝑑𝑉 + ෍ 𝑢𝜌 𝑉 𝐴Ԧ ∴ 𝐹Ԧ𝑠𝑥 = ෍ 𝑢𝜌 𝑉 𝐴Ԧ
𝜕𝑡 𝑉𝐶
𝑆𝐶 𝑆𝐶

𝑅𝑥 = ෍ 𝑢𝜌 𝑉 𝐴Ԧ = 𝑢1 . 𝜌𝐴𝑟 . −𝑉1 . 𝐴1 + 𝑢2 . 𝜌𝐴𝑟 . 𝑉2 . 𝐴2 = 𝑉1 . 𝜌𝐴𝑟 . −𝑉1 . 𝐴1 − 𝑉1 cos 𝜃 . 𝜌𝐴𝑟 . 𝑉2 . 𝐴2


𝑆𝐶

𝑅𝑥 = 𝑉1 . 𝜌𝐴𝑟 . −𝑉1 . 𝐴1 − 𝑉1 cos 𝜃 . 𝜌𝐴𝑟 . 𝑉1 . 𝐴1


▪ Um piezômetro e um tubo de Pitot são colocados num duto de água horizontal de 3
cm de diâmetro e as alturas das colunas d’água medidas são de 20 cm no
piezômetro e 35 cm no tubo de Pitot (os dois medidos da superfície superior do
duto). Determine a velocidade no centro do duto.

Resp.
V = 1,72 m/s h2 = 35 cm
h1 = 30 cm

D = 3 cm

8
Prof. MEng. Antônio Paulino de Araújo Neto
h2 = 35 cm
h1 = 30 cm
𝑝1 𝑉1 2 𝑝0 𝑉0 2
D = 3 cm + + 𝑔𝑧1 = + + 𝑔𝑧0
1 0 𝜌 2 𝜌 2

𝐷 𝑝0 = 𝜌. 𝑔[𝑅 + ℎ2 ]
𝑅= 2(𝑝0 − 𝑝1 ) 2(𝜌. 𝑔[𝑅 + ℎ2 ] − 𝜌. 𝑔[𝑅 + ℎ1 ])
2 𝑉1 = =
𝑝1 = 𝜌. 𝑔[𝑅 + ℎ1 ] 𝜌 𝜌

2𝜌. 𝑔(𝑅 + ℎ2 − 𝑅 − ℎ1 )
𝑉1 = = 2. 𝑔. (ℎ2 − ℎ1 )
𝜌

Prof. MEng. Antônio Paulino de Araújo Neto 9

Você também pode gostar