Você está na página 1de 12

LITERATURA, CORPO E ARTE

Aulas 31e 32
7º Ano
Olá, estudante!
Nas últimas aulas
conhecemos um
artista paranaense,
está lembrando?...
Esse artista é Hélio Leites, um poeta que trabalha com
objetos como caixinhas de fósforo, botões, rolhas, latas,
madeira e restos de material,
que por suas mãos se
transformam em personagens,
contam histórias e prendem
a atenção de crianças e adultos.
A sua arte, com objetos feitos
a partir de material descartado,
cria laços entre as pessoas.
Para cada peça existe
uma história.
Imagem: http://www.artepg.com.br/2013/05/helio-leites-artista.html
Seu nome completo é José Hélio Silveira Leite
nasceu em 1951 na Lapa e sua formação de origem é
Economia.
Mas, o que faz um economista?
É um profissional que estuda
fatos históricos, dados e
estatísticas a fim de detectar
tendências na atividade
econômica, níveis de confiança na
economia e atitudes do consumidor.
Fonte: https://www.fea.usp.br/economia/graduacao/profissao-economista
Imagem: https://festim.art.br/2016/10/09/teatro-minimelista-do-botao-helio-leites/
Economistas ajudam a
construir, a ampliar e a
preservar o patrimônio de
pessoas, empresas e
governos e desenvolve
planos para a solução de
problemas financeiros,
econômicos e administrativos
nos diversos setores da atividade econômica.
Hélio Leites é economista e antes de se tornar
artista, trabalhou 26 anos em um banco.
Fonte: https://www.fea.usp.br/economia/graduacao/profissao-economista
Imagem: https://festim.art.br/2016/10/09/teatro-minimelista-do-botao-helio-leites/
O artista conta o que o levou a tornar-se artista:
“Quando era pequeno uma
professora despertou a arte
em mim. Ela pegou uma bola
de barro e transformou em uma
caneca. Essa bola de barro que
virou caneca ficou na minha
memória por 43 anos, quando eu
descobri que eu podia repetir o que ela havia me
ensinado: transformar uma coisa a que ninguém
dava valor em algo especial”.
Fonte: https://redacaofederal13.wordpress.com/2013/05/26/helio-leites-artista-o-significador-de-insignificancias/
Imagem: https://festim.art.br/2016/10/09/teatro-minimelista-do-botao-helio-leites/
Você também tem alguma história para contar?

Se você tem na sua vida


alguma história que traga algo
como o que aconteceu
com o artista Hélio Leites,
relacionada a algum
professor ou professora e que
tenha influenciado ou transformado sua vida, a
sugestão é que faça um relato no seu caderno, ou
então um desenho, uma história em quadrinho, ou
uma homenagem por mensagem, e-mail ou em
alguma rede social...
É muito bom quando alguém fala alguma coisa boa com
relação ao que somos ou ao que fazemos, você concorda?
Veja o que diz a crítica de arte, Adalice Araújo, no
Dicionário de Artes Plásticas do Paraná.
“pela primeira vez na história da Arte Brasileira um artista
consegue propor uma pop art nacional e paranista. Sem
copiar os estereótipos do primeiro mundo. Suas obras
superam a atitude lúdica para serem icônicas e inquisitivas
e, com suas aparentes brincadeiras, fazem sérios
questionamentos filosóficos e culturais”.
Fonte: http://www.artepg.com.br/2013/05/helio-leites-artista.html
Pop Art, como pode ser explicada:
- abreviação das palavras em inglês Popular Art ;
- o termo vem da década de 1950;
- denomina a arte popular que estava
sendo criada em publicidade,
no desenho industrial, nos
cartazes e nas revistas ilustradas;
- representava componentes da
cultura popular, de poderosa
influência na vida cotidiana Tom Wesselmann (1931-2004)

na segunda metade do século XX.


Fonte: https://www.historiadasartes.com/nomundo/arte-seculo-20/pop-art/
Justino foi curadora de diversas mostras importantes e é
reconhecida como um dos maiores nomes da arte no país.
Também foi diretora da Escola de Música e Belas Artes do Paraná
e membro da Academia Paranaense de Letras, implantou o Museu
de Arte do Paraná e o Museu de Arte da UFPR.

Veja também o que diz Maria José Justino,


a respeito do artista, durante o salão de
artes de 1993:

“Seu teatro minimalista profundamente local tem uma


dimensão universal. As caixinhas que constrói e, por
assim dizer, “veste” reúnem características tridimensionais
e pintura, irreverência e criatividade, poesia e surpresa.
Hélio Leites é, por assim dizer, a sua própria obra”.
Para entender, algumas palavras...

 crítico de arte – é a pessoa especializada em analisar,


interpretar e avaliar arte.
 paranista – aquele que tem pelo Paraná uma afeição
sincera, e que notavelmente a demonstra em qualquer
manifestação de atividade. Em 1927 Romário Martins
fundou o Centro Paranista, data que estabelece o início do
Movimento. Este Centro promovia ações que favorecessem
o fortalecimento e desenvolvimento de aspectos culturais
relacionados ao Estado do Paraná.
 estereótipos do primeiro mundo – significa dizer que
existem imagens e ideias em países ditos desenvolvidos,
chamados de primeiro mundo, e que podem ser tido como
modelos, impondo padrões.
Gostou do exemplo de
Hélio Leites que tem uma
bela contribuição para o
mundo com sua arte?
Dedique-se aos estudos,
nos veremos na próxima
aula!