Você está na página 1de 6

FORMULÁRIO PARA ENVIO DA NOTA CONCEITUAL

1 – DETALHES DA ORGANIZAÇÃO
DATA DE ENVIO:
Nome da Organização Registada: Associação Angolana de Educação de Adultos - AAEA (líder da Rede EPT - Rede
Angolana da Sociedade Civil de Educação para Todos)
Tipo de Organização/entidade jurídica: (empresa/fideicomisso/associação de pessoas, etc.): ONG
Número de registo da Organização:
III Série nº. 26, no DR de 25 de julho de 1999.
Data de registo/formação da entidade:
25 de julho de 1999

2 – COORDENADAS

Nome Próprio + Apelido da Pessoa de Contacto: Vítor Barbosa


Designação: Presidente da Associação Angolana para a Educação de Adultos (AAEA)
Endereço Postal (da organização):
2303

Endereço Físico (da organização): Bairro Cassenda, Rua 8, Casa Nº28

Número de Telefone (da organização) Código


22637933 :+224
Número de Fax (da organização) Código:
+224

Número de Telemóvel (da pessoa de contacto): 00244 949442894; 00244932386785


Endereço de Email (da pessoa de contacto):
aaeadultos@netangola.com; barbosa@netangola.com; altinogaita@yahoo.com.br
3 – INFORMAÇÃO SOBRE O PROJECTO

i. Título do Projecto:
Interacção escola - comunidade: mais segurança para todas!

ii. Área/s de enfoque relevante/s de OSISA:

Marque uma ou várias opções com “X”, se for o caso:


Justiça Económica e Justiça Social
Democracia e Governação
[ ] Justiça Económica
[ X ] Participação Inclusiva
[ ] Segurança Alimentar
[ ] Meios de Comunicação e Acesso à Informação
[ ] Saúde
[ ] Transparência e Responsabilidade
[ X ] Educação Inclusiva
Direitos Humanos, Justiça e Estado de Direito [ ] Direitos da Mulher
[ ] Igualdade e Não-discriminação
[ ] Direitos Humanos
[ ] Justiça e Estado de Direito

v. País e Local/is (Cidade/s, Vila/s) onde as actividades serão implementadas:

Benguela, Bié, Cabinda,


[ X ] Angola [ ] Moçambique
Cuanza Sul, Huíla, Luanda.

[ ] Botsuana [ ] Namíbia

[ ] República
Democrática do [ ] Regional
Congo
[ ] Lesoto [ ] eSwatini

[ ] Madagáscar [ ] Zâmbia

[ ] Malaui [ ] Zimbábue

Orçamento total indicativo do projecto em US $: 194.556,70 USD

NOTA CONCEITUAL
Forneça o requisito de financiamento, incluindo a informação dos sub-títulos que seguem. Por favor, cumpra com o limite
de palavras e directrizes de fonte (Arial 11, espaçamento simples):

Nota: As Notas Conceituais devem prover toda a informação requerida abaixo e que vai ser considerada para aprovação:
Por favor não envie o documento em formato PDF.

1. DESCRIÇÃO SUCINTA DA ORGANIZAÇÃO (Máximo de 150 palavras)

A Associação Angolana para a Educação de Adultos (AAEA) baseia-se no princípio da Educação


Permanente através de meios e métodos de Educação Não Formal, priorizando o trabalho com os
grupos mais desfavorecidos da sociedade.
Coordena a Rede Angolana da Sociedade Civil de Educação para Todos (Rede EPT–Angola) que
integra a Rede Africana de Educação para Todos (ANCEFA), a Campanha Global pela Educação
(CGE) e a Rede de Educação da Lusofonia (ReLuS).
A AEAA é filiada no Pamoja (praticantes do REFLECT) e noutras Organizações de Educação de
Adultos.
A AAEA já implementou programas apoiados pela DVV-Internacional, ICCO-Cooperation, Oxfam GB,
União Europeia, OSISA, Pão para o mundo.
A organização possui uma direção executiva, composta por uma área de administração e finanças,
uma área de logística e uma área técnica.
AAEA envolve nos projetos as diferentes forças sociais existentes nas comunidades, para que estas
continuem as dinâmicas criadas.
2. DESCRIÇÃO DO PROJECTO (Máximo de 650 palavras):

o Objectivo: Descreva sucintamente o problema ou a oportunidade que procura abordar com esta subvenção.
o Resultados pretendidos: Descreva sucintamente os resultados pretendidos.
o Actividades Principais: Descreva sucintamente as principais actividades.

o Fundamentação Lógica: Explique em poucas palavras por que o projecto é importante e estratégico para si

o Sustentabilidade: Descreva sucintamente a sustentabilidade do projecto.

Objectivo:
A pandemia Covid-19 comprometeu acentuadamente a garantia do acesso a uma Educação
inclusiva, equitativa e de qualidade (ODS4) em Angola, afetando particularmente grupos
tradicionalmente mais vulneráveis como são os mais pobres, raparigas e populações rurais e
periurbanas (INE, 2016). Na perspectiva de reabertura das escolas, ainda em contexto de
pandemia, observa-se uma insuficiente e ineficiente capacidade das escolas, famílias e
comunidades garantirem as necessárias condições de protecção, saúde, higiene e bem-estar das
crianças, agravando a implementação de práticas educativas que conduzam a “resultados de
aprendizagem relevantes e eficazes” (ODS4).
Com vista a contribuir para um sistema educativo robusto, resiliente, universal e sustentável para
todos, é nosso objectivo garantir o cumprimento do Direito à Educação primária e pré-escolar em
condições de segurança, saúde e higiene em contexto de emergência, com base em práticas
assentes em igualdade, diálogo e sustentabilidade. O projecto terá a duração de 18 meses e será
implementado em 6 províncias, onde a Rede-EPT tem assegurada a sua acção.
Resultados pretendidos:
1. Crianças e comunidade escolar regressam à escola em condições mais seguras.
2. Comunidades e escolas, em conjunto, definem estratégias e implementam soluções práticas de
biossegurança, que respeitam a cultura e recursos locais.
3. Comunidades mais informadas sobre medidas de prevenção - especial Covid-19 - e a
importância da defesa do direito a uma Educação de qualidade.
4. Actores políticos e sociedade civil definem um modelo nacional de gestão e financiamento local
equitativo e sustentável para a educação em Angola.

Actividades principais:
A1: Monitorização: recolher evidências através do método de Diagnóstico Rápido Participativo (DRP)
– num curto espaço de tempo e num forte processo dialógico com as populações –, para a
identificação de problemas, causas e soluções locais de combate à pandemia em contexto escolar.
Serão selecionadas 60 escolas das 6 províncias (10 por província), observadas através de pontos
focais no terreno. Os resultados desta actividade sustentam A2 e A3.

A2: Campanhas locais de sensibilização: informar e sensibilizar famílias, comunidade escolar e


populações envolventes para a importância do direito a uma Educação de qualidade e da
implementação de soluções práticas de biossegurança (definidas em A1), que respeitam a cultura e
recursos locais. As campanhas ocorrerão através da rádio, distribuição de materiais informativos e
encontros com líderes locais.

A3: Advocacy: dinamizar fóruns de debate entre autoridades governamentais, sindicatos de


professores e actores-chave da sociedade civil angolana e internacionais (ANCEFA, GCE e ReLus)
para a implementação de um modelo nacional de gestão e financiamento local equitativo e
sustentável para uma educação primária e pré-escola com qualidade. Estes fóruns serão transmitidos
via rádio e redes sociais online e os resultados serão sistematizados num Guião de orientações para
a implementação do modelo.

Fundamentação lógica:
É missão da Rede EPT-Angola advogar pelo direito a uma educação de qualidade, equitativa e
gratuita para as populações mais vulneráveis. Em contexto de pandemia, também a acção da Rede
tem sido comprometida pela realocação de recursos e limitações de mobilidade, pelo que este
projecto favorece inequivocamente a sustentabilidade das estratégias de advocacia e a sua acção a
nível local. Por outro lado, este projecto capitaliza e dá continuidade ao trabalho já desenvolvido pela
Rede no domínio da pandemia, nomeadamente através da adaptação dos materiais e resultados do
projecto “Investing in education is sustaining the future!”, financiado pela OSISA terminando em 2020.

Sustentabilidade:
A afiliação da Rede em diversas OSC com forte disseminação territorial (AAEA, ADRA, SINPROF) e
as parcerias com redes internacionais (ANCEFA, GCE e ReLus) e organizações experientes em
investigação e advocacy (APDES, MOSAIKO, OPSA) não só garantem as condições técnicas
necessárias ao cumprimento dos objectivos estabelecidos neste projeto, como maximizam a acção
de cada organização nos seus múltiplos espaços de intervenção e fortalecem as dinâmicas de acção
e diálogo conjunto no futuro, multiplicando os seus efeitos e impactos.
Por fim, ao implementar soluções que respeitam e capitalizam a cultura e os recursos locais, este
projecto apresenta-se na linha do desenvolvimento económico, social e ecológico sustentável.