Você está na página 1de 4

A Caverna da Avó Ursa

É chegado o momento do repouso da terra, precisamente no hemisfério Sul,


Gaia se recolhe nesse momento a terra dá seus últimos frutos, as folhas se
desprendem vagarosamente dos galhos repousando no solo, liberando a seiva
pra nutrir a terra e nesse movimento é chegada a hora de nos recolhermos, de
compreender todos os acontecimentos que nos envolveu nos ciclos anteriores.
A característica principal do outono é a redução gradativa da luz solar diária ao
de sua duração. Esse evento se dá porque o seu início se faz, no ápice do
equinócio, momento em que a Terra esta iluminada de forma uniforme, entre o
Hemisfério Norte e Sul pelo sol, por isso os dias e noites têm a mesma duração.
Nessa época, o fenômeno também é chamado de equinócio de outono, o que
também é útil para diferenciar o outro equinócio que marca o início da
primavera.
O outono é a direção Oeste da Roda de Medicina Sagrada, nos inspira beleza,
mas também a melancolia e a passagem entre os ciclos, que vem com ele os
ventos da mudança, onde as árvores entregam teus últimos frutos e folhas com
confiança, neste momento Gaia nos convida para entrar a caverna da Grande
Ursa, do profundo Sagrado Feminino, das emoções, do inconsciente, é onde se
encontra a guerreira interna, é o nosso equinócio de outono, momento de
encontrar nossas sombras, olhar para noite escura da alma, trazendo
compreensão e entendimento para as nossas dificuldades, e problemas inter-
relacionais para que nossas sombras se tornem nossas aliadas para a morte do
eu psicológico.
A Ursa é a manifestação da força, da ferocidade, do recolhimento e da
hibernação.
É na caverna que a ursa descansa, colocando seus pensamentos em equilíbrio
para não temer quando a fome vier, pois ela não sabe o que acontecerá do lado
de fora, então ela se mantém firme em tudo que aprendeu, e se prepara para o
inverno frio e sem caça. É o momento da avó Ursa deixar tudo que não lhe serve
morrer, desapegar do ego, das emoções das más águas que circundam nossos
labirintos internos, da infelicidade, da dor, do medo e da matéria, é também
momento da Ursa reascender as chamas da esperança, buscando força no
mundo espiritual para que consiga entregar tudo aquilo que lhe for necessário,
momento de encontrar a alegria e o amor interno.

Esse é o momento onde desperta a grande guerreia dentro de nós, para nos
trazer força e foco para prosseguir, atirando nossa flecha na direção sagrada
nos nutrindo com a luz do Grande Espírito, e repousando no colo da Mãe
Natureza, essa direção quando nos integramos com o ciclo natural da terra,
tomamos ciência de quem somos e passamos por um processo de Cura.
Quando saímos da caverna, saímos para encontrar nosso mestre interior, na
direção Leste a primavera, roda da iluminação que não se dará sem ter passado
pela direção Oeste/ Outono, esse recolhimento nos traz firmeza, segurança do
que queremos, nos tornamos destemidas, corajosas, astutas e consciente.

A caverna representa nosso inconsciente, se desejamos seguir um bom


caminho dentro da nossa caverna devemos nos entregar chamando pelo totem
guardião dessa direção sagrada a grande ursa.

Meditação da Grande Ursa

Sugiro que se ouve durante a meditação uma múslica com tambor em ritmo de
transe xamânico. 

Feche seu olhos, inspire profundamente e expire lentamente algumas vezes até
se sentir conectado com o som do Tambor.

Diga mentalmente; 

- Guardiã da porta do oeste, Grande Ursa, eu lhe chamo!


- Permito que tua força me conduza nessa jornada!

logo em seguida visualize uma luz negra se abrindo na sua frente,


como se fosse as portas de uma caverna.
entre nela e deixe que seu inconsciente lhe traga as respostas para
sua jornada, permita-se ver, ouvir e sentir tudo que estar ao seu redor.

toda informação que seu inconsciente lhe mostra é uma dica para seguir firme
no caminho vermelho.

depois que sentir seguro e confortável, permita voltar pela mesma porta que
entrou,
agradecendo a tudo que lhe foi posto e principalmente ao espirito da Grande
Ursa.
Respire e inspire algumas vezes antes de abrir os olhos, sinta tudo ao seu redor
novamente, anote as informações em um papel para não esquecer.
Aho.

Portal da dançarina

No Oeste esta o portal da dançarina, o portal que nos traz a cura das emoções terrenas.

Demeter é filha de Cromos com Réia. Cronos é o pai do tempo, Reia é a deusa da fluidez em
síntese Deméter é a Deusa do fluir através do tempo, é a Deusa que conduz que vai na
frente, a grande mãe da terra da agricultura, ela te coloca no compromisso da mãe divina de
prover a terra, esse arquétipo traz para as mulheres a força da condução, a ética que para os
gregos é o caminho do Olimpo, a iluminaçã.

Com Demeter você traz a heroína

Mãe de ariadine, aquele que nod ligs p fio de prata ao centrp sagrafo, persefone

Você também pode gostar