Você está na página 1de 30

A Sabedoria de

Buffett &

Livermore
20 Lições dos Grandes do Mercado
Para os Pequenos Iniciantes

Por Hugo R. Teixeira


A Sabedoria de Buffett e Livermore ♦ 1ª Edição

Primeira Edição

Revisada em Janeiro de 2013

Copyright © 2013 Hugo R. Teixeira | Página 2


A Sabedoria de Buffett e Livermore ♦ 1ª Edição

Informações Importantes
De todas as informações relevantes que eu devo compartilhar com você antes do início
desta leitura, a mais importante delas, que poderá ser encontrada em praticamente todas
as páginas deste e-book, com certeza é:

Copyright © Hugo R. Teixeira, Todos os Diretos Reservados.

Isso significa que você não pode copiar, compartilhar ou distribuir este e-book ou qualquer
parte dele, seja de forma mecânica ou eletrônica, sem a devida permissão do autor.

Obviamente você tem o direito de ler este e-book da maneira que bem entender. Logo, se
preferir fazê-lo no papel em vez de no computador, sinta-se livre para imprimir todas as
suas páginas. Apenas pense no meio ambiente antes de clicar em “Imprimir”.

Considerações Legais
Apesar de garantir a veracidade das informações aqui apresentadas, o autor não assume
nenhuma responsabilidade por quaisquer erros cometidos ou informações que forem mal
interpretadas pelo leitor.

Portanto, o comprador ou leitor deste e-book se responsabiliza:

Pelo uso do material de acordo com as leis municipais, estaduais e federais que
estiverem vigentes em sua jurisdição.

Por qualquer resultado que os seus investimentos apresentem no futuro.

Sendo assim, como o leitor será responsabilizado por suas atitudes, ele deverá ouvir ao
seu próprio bom senso antes de utilizar qualquer informação ou seguir qualquer conselho
encontrado nas páginas deste e-book.

Garantia de Ganhos
Retornos passados não garantem retornos futuros parecidos.

Com isso posto, é impossível garantir que você ficará rico no futuro e nem, caso isso
realmente aconteça, que a sua jornada pelo mundo dos investimentos até lá seja fácil.

Como investir é uma atividade consideravelmente mais humana do que exata, não posso
garantir nenhuma espécie de retornos específicos mas sim, apenas a sua satisfação em
relação a este e-book (ou o seu dinheiro de volta).

Para terminar, entenda que o seu sucesso como investidor da bolsa de valores dependerá
do seu interesse, dedicação, estudo e motivação. Afinal, mesmo com o ótimo material que
você possui agora, nada irá funcionar caso a sua seriedade seja falha.

Copyright © 2013 Hugo R. Teixeira | Página 3


A Sabedoria de Buffett e Livermore ♦ 1ª Edição

Índice
Aprendendo Com Os Pioneiros …............................................................................... 05
Warren Buffett ............................................................................................................... 06
“O Oráculo De Omaha” ........................................................................................ 07
“Não Perca O Seu Dinheiro. Mas Se Perder, Que Seja Pouco” .......................... 08
“O Mercado Não Perdoa Aqueles Que Não Sabem O Que Estão Fazendo” ....... 09
“Você Não Precisa Tentar Recuperar O Seu Dinheiro Na Mesma Aplicação” …... 10
“Prefira Investir Em Ações De Empresas Previsíveis” …....................................... 11
“É Muito Mais Fácil Aprender Com Os Erros Dos Outros” …............................... 12
“A Diversificação Exagerada É Uma Proteção Contra A Ignorância” …............... 13
“As Ações Não Pensam. Elas Não Se Importam Com Você” …........................... 14
“Uma Ação Que Sobe, Não Precisa Necessariamente Descer” …....................... 15
“Aprendemos Com A História Que As Pessoas Não Aprendem Com A História” .. 16
“Você Só Precisa De Alguns Acertos, Contanto Que Não Erre Demais” ….......... 17
Jesse Livermore …........................................................................................................ 18
“O Grande Urso de Wall Street” …........................................................................ 19
“Wall Street Nunca Muda Porque A Natureza Humana Nunca Muda” …............. 20
“A Bolsa Não É Para Os Fracos, Preguiçosos Ou Desequilibrados” ................... 21
“Cada Operador É Responsável Pelas Suas Próprias Decisões” ….................... 22
“Não Tente Acompanhar Muitos Mercados Ao Mesmo Tempo” ........................... 23
“É Mais Lucrativo Operar Pensando No Médio Prazo” …..................................... 24
“Analise As Ações Por Grupos E Então, Escolha A Mais Forte” …....................... 25
“Seja Paciente. Compre Ou Venda Apenas Na Hora Certa” …............................ 26
“Quando Estiver Errado, Admita Logo Que Errou E Saia da Operação” ............. 27
“Tenha Cuidado Com As Informações Internas, TODAS Elas” …......................... 28
“Os Lucros Cuidam Deles Mesmos. As Perdas, Não” …...................................... 29
Obrigado! ….............................................................................................................................. 30

Copyright © 2013 Hugo R. Teixeira | Página 4


A Sabedoria de Buffett e Livermore ♦ 1ª Edição

Aprendendo Com Os Pioneiros


Hoje em dia quem deseja investir na bolsa de valores possui infinitas maneiras de
começar e diversos mercados para escolher.

É possível usar simuladores, ler livros, fazer cursos, operar ações, opções, futuros,
ETF's e até investir em práticos fundos de ações.

Para aprender a fazer tudo isso basta que um iniciante se dedique, leve tudo muito
a sério, controle seus gastos para ter disponível mais dinheiro para investir a cada
mês e então, manter a disciplina até atingir níveis satisfatórios de riqueza.

Porém, considerando que muitos ainda têm dificuldade de investir mesmo com
todas as facilidades de hoje e todo o conhecimento disponível, chega a assustar a
ideia de aprender sem ferramentas, sem livros, sem simuladores, sem nada.

Só que há muitos anos o único jeito de aprender a investir era começar do zero,
sem saber de absolutamente nada e não ter ninguém ou quase ninguém para se
espalhar, além de ter poucas fontes de informação.

Os investidores que se deram bem nessas condições eram conhecidos como os


grandes pioneiros da bolsa de valores.

E os pioneiros de modo geral, mesmo atualmente, sempre tentam obter o sucesso


em campos totalmente desconhecidos e perigosos, tudo por acreditarem que o
retorno justificará o sacrifício em diversas vezes.

Esse é o motivo pelo qual, apesar do nosso sucesso com certeza valer muito e nos
encher de orgulho, o sucesso de uma pessoa que começou do absoluto nada
merece muito mais respeito e admiração.

E foi pensando nessas pessoas que resolvi criar este mini e-book com dicas de
dois dos maiores e mais famosos personagens da bolsa de valores.

Nas próximas páginas você irá conhecer algumas das ideias de Warren Buffett, o
mais rico investidor dos dias de hoje e Jesse Livermore, o mais fascinante
especulador do início do século passado.

Então relaxe, aproveite a leitura e preste muita atenção para aprender com os
grandes, afinal, talvez um dia você se torne um também.

Hugo R. Teixeira

Copyright © 2013 Hugo R. Teixeira | Página 5


A Sabedoria de Buffett e Livermore ♦ 1ª Edição

Warren
Buffett

Copyright © 2013 Hugo R. Teixeira | Página 6


A Sabedoria de Buffett e Livermore ♦ 1ª Edição

“O Oráculo De Omaha”
Não é novidade para ninguém que Warren Buffett, o homem por trás da gigante
Berkshire Hathaway, e conhecido também como “O Oráculo de Omaha” (sua
cidade natal), é um dos mais bem sucedidos investidores de todos os tempos.

Seja no mercado de ações, títulos públicos, debêntures ou qualquer outra coisa,


Buffett se deu bem na maioria dos seus investimentos.

Todo esse sucesso, é claro, não poderia ser melhor demonstrado do que dizendo
quanto dinheiro ele conseguiu acumular durante os anos:

39 bilhões de dólares

Honestamente?

Se trata de uma quantia muito boa para um cara que quando começou na bolsa de
valores, perdeu uma boa parte do seu dinheiro na primeira operação e continuou
com dificuldades até “pegar o jeito da coisa” e começar a ganhar.

Agora, talvez você discorde de mim, mas a verdade é que Buffett não é um
“pioneiro” pelo sentido mais puro da palavra. Muito do que ele aprendeu veio do
seu professor Benjamin Graham, autor do popular “O Investidor Inteligente”.

Mas então porque eu estou falando de Buffett e não de Graham?

Simplesmente porque apesar de Graham ter criado conceitos importantíssimos


para o mundo dos investimentos, foi Buffett que colocou a mão na massa,
desenvolveu os conceitos e os aplicou da melhor forma possível.

Enquanto a ideia de Graham era comprar ações baratas, a de Buffett em comprar


ações de boas empresas (de preferência baratas), se provou muito mais eficiente.

E é por isso que hoje a maioria dos investidores conhecem o “O Oráculo de


Omaha” em vez de seu professor.

E agora, você irá conhecê-lo ainda mais.

Selecionei aqui 10 das dicas mais interessantes de Buffett que, para aqueles que
não sabem tanto assim sobre investimentos, podem valer ouro, literalmente.

Afinal, com os lucros que você poderá ganhar, será possível comprar quanto ouro
você quiser.

Copyright © 2013 Hugo R. Teixeira | Página 7


A Sabedoria de Buffett e Livermore ♦ 1ª Edição

“Não Perca O Seu Dinheiro.


Mas Se
Se Perder, Que Seja Pouco”
Pouco”
Vou começar com uma pergunta:

Se um investidor que tem 100 reais perde 10% (ou seja, 10 reais), quantos % ele
precisará recuperar para voltar ao patamar anterior de 100 reais?

Pense na resposta por um instante...

Agora, caso você tenha respondido “10%”, sinto muito mas você errou.

Quem perde 10 reais de 100 reais, fica com um prejuízo de 10% e apenas 90 reais
restantes. Só que quem ganha 10% de 90 reais, no final das contas fica com 99 e
não com os 100 reais que tinha antes da perda.

E daí pra baixo a situação só piora:

Quem perde 10%, precisa ganhar 11,11% para voltar aos 100 reais.
Se o prejuízo for de 25%, precisa de 33% para voltar aos mesmos 100 reais.
Com uma perda de 50%, só um ganho de 100% para zerar as perdas.
Finalmente, perdendo 90%, será preciso ganhar 900% só para ficar no 0 a 0.

Portanto, entenda desde já que quanto mais dinheiro você perder, mais difícil será
recuperá-lo.

Logo, é imperativo que você não se arrisque feito um louco e perca muito dinheiro.

Do contrário, as perdas poderão crescer e jogar o seu dinheiro num nível tão baixo
que será impossível recuperá-lo mesmo dobrando o seu capital várias vezes.

Então já sabe: seja responsável e paciente na hora de investir porque quanto mais
você errar e se afundar, mais difícil será sair do buraco com vida.

Felizmente o contrário também é válido: quanto melhor você investir, mas difícil
será não conseguir acumular muito dinheiro com a maior facilidade do mundo.

Pelo menos isso...

Copyright © 2013 Hugo R. Teixeira | Página 8


A Sabedoria de Buffett e Livermore ♦ 1ª Edição

“O Mercado Não Perdoa


Aqueles Que Não Sabem O
Que Estão Fazendo”
Existem várias histórias de pessoas que entraram no mercado de ações, futuros ou
forex e fizeram fortunas da noite para o dia. Essas histórias enchem de esperança
os iniciantes preguiçosos que acham que será fácil repetir o feito.

Porém, a verdade é que ganhar muito dinheiro fácil em qualquer mercado sem
possuir nenhum conhecimento é tão provável quanto ser atingido por um raio 5
vezes seguidas:

De vez em nunca acontece... mas provavelmente não vai acontecer com você.

Na esmagadora maioria das vezes as pessoas que não se informam antes de


investir perdem dinheiro.

Se são mais burras do que o comum, emprestam recursos de terceiros e


conseguem perder isso também, endividando-as e piorando a situação.

Warren Buffett mais do que ninguém sabe da importância de se informar sobre os


investimentos da forma certa. Sem nenhum tipo de preparo a chance de algo dar
errado ou a análise do seu investimento virar lixo, são muito maiores.

Entenda que a bolsa de valores é uma selva, um lugar cruel e imparcial.

E não importa quem você seja ou quanto dinheiro você tenha, enquanto não
estudar e levar tudo extremamente a sério, os mercados vão te tratar feito lixo e
vão sumir com todo o seu dinheiro.

Da mesma forma que um caçador competente não entra na floresta sem um rifle,
um investidor não começa na bolsa sem o conhecimento adequado.

Afinal, como dizia o próprio Buffett:

“O Mercado, assim como o Senhor, ajuda a quem se ajuda. Mas o Mercado, ao


contrário do Senhor, não ajuda aqueles que não sabem o que estão fazendo.”

Com isto posto, eu sugiro que você continue lendo...

Copyright © 2013 Hugo R. Teixeira | Página 9


A Sabedoria de Buffett e Livermore ♦ 1ª Edição

“Você Não Precisa Tentar


Recuperar O Seu Dinheiro
Na Mesma Aplicação”
Aplicação”
O que acontece quando um investimento funciona mal?

Você perde um pouco de dinheiro e então, parte para a próxima. Com perdas
pequenas, você estará 100% preparado para qualquer outro investimento.

Porém, note que eu disse “outro” investimento.

Ou seja, caso a ação PETR4 tenha lhe dado desagradáveis prejuízos e você tenha
sido stopado, será que vale a pena comprar esta ação novamente caso exista uma
outra que pareça ser mais interessante ou segura?

Ou pior, se um setor de empresas da bolsa está em baixa, será mesmo uma ideia
inteligente continuar insistindo nesse setor quando existem outros muito mais
fortes subindo sem parar na Bovespa?

A resposta para esses casos é óbvia: claro que não.

Se um investimento qualquer te der um soco na boca do estômago, você não


precisa necessariamente tentar “recuperar” o seu dinheiro naquela mesma
aplicação, na maioria das vezes costuma ser a pior ideia de todas.

E assim como em relação amorosas, existem outros peixes no mar.

Portanto, se você não conseguiu encontrar o que queria num investimento ou num
grupo de investimentos, parta para o próximo, seja uma ação ou até um mercado
diferente.

Não fique preso a um papel ou então a um mercado só. Dinheiro é dinheiro, e de


onde ele vier não faz a menor diferença contanto que venha.

Por outro lado, se a sua intenção ao perder em um lugar é tentar recuperar no


mesmo lugar, a tendência é que suas perdas apenas aumentem. E como já vimos
antes: quanto mais você cavar o buraco, mais difícil será tampá-lo depois.

Então por favor, ao ser stopado, pense nos outros peixes, aprenda com o passado,
se concentre no futuro e bola para a frente!

Copyright © 2013 Hugo R. Teixeira | Página 10


A Sabedoria de Buffett e Livermore ♦ 1ª Edição

“Prefira Investir Em Ações De


Empresas Previsíveis”
Warren Buffett é um dos maiores admiradores de empresas previsíveis, isto é,
aquelas cujo futuro pode ser adivinhado com uma certa facilidade devido ao tipo de
negócio que elas fazem.

Mas então, quais são empresas que se encaixam nessa categoria?

As “eternas”, aquelas que em 50 anos, provavelmente continuarão firmes e fortes.

Por exemplo, os investidores que compraram ações de empresas ferroviárias no


início do século passado fizeram fortunas no começo de suas atividades.

Mas alguns anos depois, perderam tudo assim que a indústria trocou os trens por
aviões e carros.

E hoje usamos aviões e navios, mas e se no futuro aparecer algum método


inovador e futurista de transporte subterrâneo e supersônico ou então, algo barato,
eficiente e que desafie as leis da física?

As coisas mudariam muito... mas será que dá para prever o futuro nesses casos?

Na minha humilde opinião, não.

Porém, mesmo se vivermos numa época em que é possível viajar de São Paulo
até Beijing em apenas 5 minutos, eu posso apostar que nos dois lugares iremos
encontrar latinhas de Coca-Cola e lâminas de barbear da Gillette para comprar.

Meios de transporte podem mudar, tecnologias podem ficar obsoletas. Mas não
importa o que aconteça, as pessoas provavelmente continuarão tomando
refrigerantes e se barbeando de manhã.

E são exatamente essas empresas fortes e com futuro mais previsível que o
Warren Buffett prefere. Na verdade, os exemplos são reais pois milhares de ações
da Coca Cola e da Gillette estão incluídas na carteira do “Oráculo de Omaha”.

Portanto, a lição que podemos tirar disso é simples:

Invista como se você fosse entrar em um coma profundo amanhã e ficar


desacordado por 50 longos anos, ou seja, prefira ações de empresas que tendem
a resistir ao maior de todos os testes, o teste do tempo.

Copyright © 2013 Hugo R. Teixeira | Página 11


A Sabedoria de Buffett e Livermore ♦ 1ª Edição

“É Muito Mais Fácil Aprender


Aprender
Com Os Erros Dos Outros”
Sabemos que um investidor competente precisa aprender com os seus próprios
erros se pretende alcançar o mínimo de sucesso um dia em sua vida.

É como diz aquele ditado:

“O segredo é continuar seguindo em frente, nem que você precise dar sempre dois
passos para a frente e um passo para trás”.

Porém, existe um método muito mais eficiente, simples e bem menos doloroso de
se aprender lições específicas e vitais:

Analisando as cagadas alheias, os erros de outros investidores.

Vários operadores já fizeram coisas absurdamente retardadas (incluindo


obviamente o Buffett e o Livermore) mas sobreviveram para contar a história e
compartilhar suas experiências com o resto do mundo.

Portanto, se eles já erraram várias vezes antes, para que você vai arriscar cometer
um erro quando o mesmo já foi intensamente discutido pela internet e por diversos
livros de investimentos mundo afora?

Exatamente, é melhor descobrir o que o seu trader preferido fez de errado e


aprender tudo o que for possível para que você diminua ao máximo as suas
chances de passar por uma situação parecida no futuro.

Da mesma maneira que não precisamos comer demais, dirigir perigosamente ou


usar drogas para saber que quem faz essas coisas acaba com problemas sérios,
podemos aprender vários “senões” dos mercados sem nunca experienciá-los.

Lições que são “óbvias” para os profissionais podem parecer muito inovadoras e
revolucionárias para investidores mais iniciantes e com pouco dinheiro.

E adivinha?

Nós nunca iremos aprendê-las se não ficarmos de olho nos erros alheios.

Copyright © 2013 Hugo R. Teixeira | Página 12


A Sabedoria de Buffett e Livermore ♦ 1ª Edição

“A Diversificação Exagerada É Uma


Proteção Contra A Ignorância”
É claro que todo o investidor com o mínimo de bom senso sabe que é importante
diversificar, pelo menos um pouco.

A ideia de possuir apenas uma ação ou investimento qualquer, “colocar todos os


ovos no mesmo cesto”, nunca é inteligente pois no caso de algo de ruim acontecer
com a solitária aplicação, todo o dinheiro será perdido num piscar de olhos.

Por outro lado, muitas pessoas que são medrosas e ignorantes levam o conselho
da diversificação a sério demais e diversificam além da conta.

Em vez de possuírem 10 ações em carteira, possuem 35 ou 50.

Se a pessoa por algum motivo qualquer gosta de companhias elétricas, vai querer
um pouco das ações de CADA UMA DELAS, e não apenas algumas da melhor.

Se prefere as das metalúrgicas, vai querer ações da USIM5, GGBR4 e CSNA3


sem ao menos considerar os prós e contras de cada uma.

O pior é que quem compra tantas ações diferentes acaba gastando mais dinheiro
porque os custos de corretagem sobem. Afinal, você gasta menos ao comprar
ações de 10 empresas do que para comprar de 50 empresas.

O resultado dessa palhaçada é que, apesar da probabilidade de perder dinheiro


diminuir bastante, a probabilidade de ganhar dinheiro praticamente desaparece!

Para entender, imagine um cara que possui 50 ações diferentes:

Quando uma ação subir, a outra vai descer. Quando a economia estiver bem, as
ações vão subir e quando ela estiver mal, as ações vão descer.

No final das contas o investidor só terá um rendimento parecido com um fundo de


índice caro e mal administrado.

Agora, será que ele ficará rico? Talvez em 200 anos...

Warren Buffett sabe que a diversificação extrema não faz sentido para quem sabe
o que está fazendo, e como este é o seu caso, vá com calma. Diversifique na boa
mas não endoideça com os riscos, tentar diluí-los mais apenas irá te prejudicar.

Copyright © 2013 Hugo R. Teixeira | Página 13


A Sabedoria de Buffett e Livermore ♦ 1ª Edição

“As Ações Não Pensam.


Elas
Elas Não Se Importam Com Você”
Pode ser difícil acreditar mas alguns investidores vêem os seus investimentos
como se eles fossem animais de estimação ou pessoas. E com o tempo, alguns
até desenvolvem sentimentos por esses investimentos.

É o mais ridículo disso tudo é que eu estou falando sério.

Se a aplicação vai bem, a pessoa fica feliz. Mas se vai de mal à pior, ela acaba não
se importando muito e até começa a racionalizar:

“Ahhh, é por pouco tempo... logo, logo a minha querida MERD4 volta a subir...”

Outros investidores chegam ao cúmulo de dar nomes para as ações como se elas
tivessem vida. Aí é um tal “Bob” de um lado, “Mah” de outro e por aí vai.

Mas assim como é extremamente besta dar nome para uma geladeira ou ficar
amigo do seu carro, é idiota se importar com um investimento de um ponto de vista
emocional, esteja ele rendendo dinheiro ou não.

As emoções devem ser reservadas única e exclusivamente a seres VIVOS, como


animais e pessoas. Se você quiser ir um pouco além, plantas, árvores e insetos
podem entrar na lista, já que eles também são seres vivos...

Mas ficar emocional com objetos inanimados? Aí já é demais. E se ligar


emocionalmente a investimentos é o cúmulo da burrice financeira!

Investimentos são investimentos e ponto. O propósito deles é render dinheiro.


Logo, se a aplicação falhar no seu propósito, é hora de dar adeus.

Não importa se você vai sofrer ao vender as suas “Bob” ou as “Barbies”, nem se
elas forem a última lembrança dos seus avós que já morreram: se uma aplicação
estiver dando prejuízo, livre-se dela sem dó e procure o próximo investimento...

...Ah! E considere adotar um cachorro ou um gato para combater a carência, ou ir


num psicólogo, arrumar um hobby, sei lá.

Entenda de uma vez por todas que a bolsa de valores não é um lugar amigável
para frescuras emocionais. Portanto, deixe as suas na porta antes de entrar e não
diga depois que eu não avisei...

Copyright © 2013 Hugo R. Teixeira | Página 14


A Sabedoria de Buffett e Livermore ♦ 1ª Edição

“Uma Ação Que Sobe,


Sobe, Não Precisa
Necessariamente Descer”
Descer”
Existem sempre aqueles investidores bobos que gostam de ver bolhas em tudo. É
bolha pra cá, bolha pra lá, perigo aqui, risco lá e no final das contas, raramente os
seus palpites estão certos.

Porém, enquanto eles perdem tempo prevendo tragédias que nunca acontecem,
ações que custavam 10 reais pulam para 300 reais. E mais importante, elas não
apenas pulam para 300 reais, mas elas VALEM 300 reais.

Os investidores manés podem não acreditar na valorização porque “obviamente o


ativo está sendo manipulado”, mas a verdade é simples:

Algumas ações de empresas fantásticas se valorizam num ritmo acelerado apenas


porque as empresas estão crescendo nas mesmas proporções.

E é por isso que Warren Buffett sabe que: nem tudo que sobe precisa descer.

Quem investiu na Apple, Coca Cola, GE etc. e teve o bom senso de não se
desesperar com as subidas praticamente “infinitas” de suas ações (pois sabiam o
quanto elas realmente valiam) são hoje pessoas extremamente ricas.

E os malucos das bolhas? Continuam vendo bolhas...

É claro que de vez em quando bolhas são formadas e quando explodem, jogam
merda na cara de todos os investidores. Mas nesses casos, é fácil prever a bolha
pois os preços sobem mesmo sem que o valor das empresas suba de um ponto de
vista fundamentalista.

Lembre-se: valor e preço são coisas diferentes.

Uma ação pode ir de 1 real para 300 reais e ainda estar barata, ao ponto que outra
ação pode ir do mesmo 1 real para 300 reais e explodir logo depois porque a
empresa por trás do ativo não tinha valor algum.

Mas por qualquer prisma que você olhe, a lição de Buffett é clara:

Enquanto o investimento estiver seguindo o seu caminho de forma lógica,


condizente com o valor da empresa, não existe motivo para se preocupar. Apenas
relaxe, prepare uma pipoca e assista a ação subir ainda mais.

Copyright © 2013 Hugo R. Teixeira | Página 15


A Sabedoria de Buffett e Livermore ♦ 1ª Edição

“Aprendemos Com A História


Que As Pessoas Não
Aprendem Com A História”
Crises financeiras, bolhas, quedas de impérios, desastres naturais.

Hoje em dia a maioria dessas coisas poderiam ser evitadas se as pessoas


prestassem um pouco mais de atenção ao passado. Mais história e menos Big
Brother Brasil.

Mas a verdade é que ninguém se dedica a aprender com o passado e por isso as
pessoas continuam cometendo os mesmos erros que foram cometidos 300 anos
atrás e muitos anos antes disso.

O resultado é um ciclo ridículo de crises e problemas iguais que ocorrem apenas


porque as pessoas são preguiçosas e preferem se manter na ignorância.

Só que enquanto aprender com os erros dos outros é importante, o aprendizado


não deve se limitar apenas na bolsa pois é possível aprender a investir melhor até
ao observar os erros de pessoas que não sabem nada sobre investimentos.

Políticos, economistas, domésticas, lixeiros, banqueiros, todos esses e muitos


outros podem gerar lições valiosas para o operador mais atento.

E o mais interessante é que os benefícios não são reservados apenas aos


investidores e/ou especuladores dos mercados financeiros:

Se as pessoas estudassem mais o passado, hoje não existiria pobreza, muito


menos fome ou altas taxas de criminalidade, os impostos seriam baixos, ninguém
moraria em áreas geologicamente estúpidas e a humanidade seria mais feliz.

Infelizmente o cidadão comum é burro e preguiçoso demais para pensar, estudar,


analisar e tirar as suas próprias conclusões, mas você pode.

Então além de estudar investimentos, abra a sua mente e preste mais atenção ao
que acontece ao seu redor, principalmente nos campos políticos e econômicos.
Estude também a história desses campos.

Fazendo isso você irá aprender a detectar oportunidades de investimento que


nunca detectaria caso ficasse obcecado apenas com a bolsa de valores o dia todo
sem pensar em mais nada.

Copyright © 2013 Hugo R. Teixeira | Página 16


A Sabedoria de Buffett e Livermore ♦ 1ª Edição

“Você Só Precisa De Alguns


Acertos, Contanto Que
Não Erre Demais”
Nem mesmo o Warren Buffett consegue investir com sucesso sem errar de vez em
quando ou até, na maioria das vezes.

Só que por algum motivo, investidores iniciantes esperam que um dia eles sejam
tão bons e tenham tanta experiência que será impossível que eles não ganhem
dinheiro em todos os investimentos ou trades.

Mas eu tenho duas notícias para esses iniciantes...

A má notícia é que a pessoa que acredita em acertar 100% dos investimentos está
mais iludida do que aqueles que ainda acreditam em papai noel ou no coelhinho da
páscoa.

A boa notícia é que o segredo dos investimentos não está em acertar sempre mas
sim, em deixar os seus lucros acumularem quando você estiver certo e quando
estiver errado, perceber isso logo e cortar as suas perdas antes que elas cresçam
demais.

Dessa forma, um investidor conseguirá lucros enormes mesmo acertando apenas


3/10 ou menos, contanto que os seus poucos acertos sejam significativos o
suficiente.

Para ilustrar, considere esse índice de acertos no exemplo abaixo:

Se o João tem 100 mil reais e perde em média 2 mil a cada operação ruim mas
ganha 10 mil reais a cada sucesso, de forma bruta e aproximada, ele poderá ficar
muito rico pois apesar de 7 perdas gerarem 14 mil de prejuízo, os outros 3 acertos
rendem 30 mil.

E acredite, normalmente essa é a realidade: você sofre com várias perdas


pequenas mas faz a festa com pouquíssimos acertos gigantes.

Então por favor não fique com a neura irracional de acertar todas.

Os investimentos não são uma “ciência exata” e sim, humana. Logo, concentre-se
em continuar no jogo, procure perder o mínimo possível que na hora certa, os
lucros virão para compensar as perdas e te render ainda mais.

Copyright © 2013 Hugo R. Teixeira | Página 17


A Sabedoria de Buffett e Livermore ♦ 1ª Edição

Jesse
Livermore

Copyright © 2013 Hugo R. Teixeira | Página 18


A Sabedoria de Buffett e Livermore ♦ 1ª Edição

“O Grande Urso De Wall Street”


De todos os especuladores (i.e. traders, operadores) que já rodearam a Terra, o
finado Jesse Livermore foi de longe um dos mais interessantes e tradicionais.

Nascido de uma família de fazendeiros pobres, Livermore se mudou para a cidade


grande quando pequeno e logo começou a trabalhar numa corretora de valores
como garoto de cotações (ele anotava os preços das ações no quadro negro).

Por lidar com números todos os dias, acabou aprendendo a detectar padrões
técnicos. Resolveu fazer uma operação com um amigo para testar os seus
conhecimentos e com isso, ganhou os seus primeiros dólares.

Daí pra frente Livermore se dedicou completamente a especulação financeira e a


partir do seu praticamente simbólico salário na corretora (para um adolescente),
construiu e perdeu grandes fortunas diversas vezes.

Ele não trabalhou em bancos, não vendeu investimentos para outras pessoas, não
tinha um fundo hedge, nada disso. O Grande Urso de Wall, como era conhecido
por preferir mercados baixistas, operava de forma 100% autônoma.

Por isso que de tantos operadores modelo, Livermore é o mais legal.

Enquanto pode ser difícil para nós nos identificarmos com um George Soros da
vida com os seus bilhões e o seu antigo fundo colosso, é fácil entendermos
Livermore e o seu modo simples de trabalhar.

Sabe aquele cara que fica operando ações sozinho sem a ajuda de terceiros?
Esse é o Livermore e provavelmente, você também.

Enfim, a vida pessoal dele foi um desastre e por causa de vários problemas
emocionais, ele acabou se matando ao estourar seus miolos com uma arma.

Apesar desse trágico fim, não podemos negar que profissionalmente gostaríamos
de ser mais como ele do que com um cara de terno que fica convencendo pessoas
ricas a investirem em qualquer coisa em busca de uma comissão.

Livermore é a figura do trader clássico e levando em conta apenas o financeiro, é


aquilo que a maioria de nós lutamos para conquistar: riqueza pessoal construída
do zero, sem ajuda e podendo ser operada de qualquer lugar do mundo.

Mas agora, chega de bate papo. Vamos conhecer então algumas das ideias mais
úteis do trader mais peculiar que já viveu.

Copyright © 2013 Hugo R. Teixeira | Página 19


A Sabedoria de Buffett e Livermore ♦ 1ª Edição

“Wall Street Nunca Muda


Porque A Natureza Humana
Nunca Muda”
Muda”
Especuladores iniciantes sempre terão dificuldades nos mercados. Os
despreparados vão perder mas os preparados podem ganhar.

Investidores iniciantes preguiçosos vão lentamente perder tudo o que possuem por
não saberem ou não terem vontade de entender como as coisas funcionam.
Depois, vão culpar a bolsa de valores ao invés de si mesmos.

Várias fortunas serão criadas em poucos anos ou até em dias enquanto outras
fortunas serão perdidas da noite para o dia.

Bancos irão explodir nas mãos de operadores malucos que resolveram abrir
posições irracionais, ilegais, massivas e prejudiciais.

Novas bolhas serão criadas por governos e pessoas para pouco tempo depois,
serem estouradas sem dó e nem piedade pelas mãos do Senhor Mercado.

Isso tudo quer dizer que Wall Street, ou qualquer outra praça financeira do mundo,
nunca muda justamente porque a natureza humana não muda.

O que aconteceu nos mercados em 1820, 1967, 2003 etc. continuará acontecendo
para sempre. Mesmo com toda a tecnologia, mesmo com todos os avanços na
transmissão de dados a verdade é que não há nada de novo na bolsa de valores.

As pessoas mudam, os bancos e as ações mudam também. Mas a mentalidade de


todos permanece igual para sempre. Arrogância, burrice, inteligência, ganância e
várias outras emoções são as mesmas e por isso, a bolsa continua a mesma.

O filme até pode mudar, mas a história é sempre igual.

Por isso podemos ganhar dinheiro investindo e especulando: como o que


aconteceu antes certamente vai acontecer novamente, fica mais fácil para nós
prevermos movimentos futuros e então, lucrarmos com eles.

Livermore aprendeu a duras penas que apesar de parecer que as coisas andam
para a frente, na realidade elas apenas andam em círculos, o que é bom, já que
sem isso seria impossível ganharmos dinheiro na bolsa especulando.

Copyright © 2013 Hugo R. Teixeira | Página 20


A Sabedoria de Buffett e Livermore ♦ 1ª Edição

“A Bolsa Não É Para Os Fracos,


Preguiçosos Ou Desequilibrados”
Por mais simples que seja investir em ações ou fundos de ações, ninguém chegará
muito longe com eles sem o preparo adequado.

Parece óbvio, não é mesmo?

Mas o que não é tão óbvio assim é que eu não estou falando de conhecimento
apenas, mas de preparo psicológico.

Pessoas altamente emocionais, preguiçosas e com diversos problemas freudianos


simplesmente não conseguirão ter sucesso na bolsa por mais que estudem.
Enquanto seus problemas não forem resolvidos, os resultados serão tristes.

Quem estuda e treina só vai perder dinheiro enquanto acreditar que alguém lhe
deve alguma coisa. Os que temem errar por não aceitarem as próprias fraquezas,
nunca aprenderão com os seus erros e continuarão errando e perdendo dinheiro.

E por fim, os “emos”, que gostam de ver o mundo cheio de flores e ignoram os
aspectos ruins e naturais da vida como a morte, os prejuízos e o desespero, não
serão capazes de aguentar a pressão da bolsa por mais que tentem.

Entenda que a bolsa de valores é uma selva, e as suas regras são parecidas com
as leis da selva também: só sobrevive aqueles que sabem se adaptar, sem
frescuras, sem ilusões, sem esperança.

Na verdade, risque a palavra “esperança” do seu vocabulário.

Quem quer se dar bem nos mercados ou pretende fazer qualquer coisa que
realmente valha a pena na vida, precisa aceitar que o caminho poderá ser muito
difícil e para alguns, mesmo com todo o esforço, impossível.

O único modo de ter sucesso em campos “realistas” que protegem fortemente a


seleção natural, como o campo dos investimentos, é mudar o jeito que você pensa
(se for o caso), se reinventar e encarar os seus medos com a cabeça no lugar e a
faca nos dentes.

Afinal, assim como na selva: na bolsa de valores ou você luta e se adapta, ou


então, sofre, desiste e morre.

Copyright © 2013 Hugo R. Teixeira | Página 21


A Sabedoria de Buffett e Livermore ♦ 1ª Edição

“Cada Operador
Operador É Responsável
Responsável
Pelas Suas Próprias Decisões”
No mundo de hoje as pessoas estão acostumadas a colocar a culpa dos seus
problemas nas outras pessoas ou então, no governo.

A origem dessa falta de responsabilidade vem da cultura de merecimento dos mais


jovens e também do próprio governo que foi estúpido o suficiente para se colocar
na posição socialista de achar que é responsável por todo mundo.

Infelizmente, apesar do problema ser mais grave hoje, ele sempre existiu. Inclusive
na bolsa de valores.

Por exemplo: se um cara comprou uma ação e perdeu dinheiro, a culpa é dele. Se
precisava do dinheiro para pagar a dívida da escola dos filhos ou algo assim, a
culpa continua sendo dele.

Em todos os casos uma pessoa pode concluir que o responsável pelos seus
sucessos e fracassos é SEMPRE ela mesma.

Perdeu dinheiro? Podia ter estudado o investimento direito...


Precisava lucrar para pagar a escola dos filhos? Pensasse nisso antes...
Mas faltaria dinheiro para pagar o carro! Andasse andar de bicicleta...
Não tem como ir pro trabalho assim? Existe o transporte público...

Por mais cruel ou irracional que possa parecer para os mais irresponsáveis, 99%
dos nossos problemas são criados por nós mesmos e os responsáveis somos nós.

Mesmo se os tais problemas nos foram impostos, nós podemos nos livrar deles,
mesmo que o processo seja difícil.

Portanto, se você fizer algo certo e ganhar dinheiro, parabéns, esse é o resultado
do seu trabalho, o fruto dos seus esforços.

Mas se fizer algo errado e perder dinheiro, a culpa não é da bolsa de valores, dos
outros investidores, do cara que te ensinou a investir, dos especuladores (pior
desculpa de todas), do governo, dos reptilianos ou de Deus.

Não, cada homem e mulher é responsável pelos seus próprios erros e acertos.

Quem não aceitar a responsabilidade total de seus atos, seja na hora de investir ou
em qualquer outro aspecto da vida, nunca terá sucesso em nada. E nem merece...

Copyright © 2013 Hugo R. Teixeira | Página 22


A Sabedoria de Buffett e Livermore ♦ 1ª Edição

“Não Tente Acompanhar


Acompanhar Muitos
Mercados Ao Mesmo Tempo”
Apesar de parecer que o mercado preferido de Jesse Livermore era o de ações, na
verdade ele operava dois: ações e commodities.

Naquela época existiam outros mercados, mas não tantos quanto existem hoje:
além das ações e commodities, nós podemos operar opções, forex, diversos
derivativos bancários exóticos e muitos outros investimentos dos quais nunca
ouvimos falar.

Ao ponto em que existem formas de se ganhar dinheiro nesses mercados, a


pergunta que não quer calar é a seguinte:

Será que vale a pena operar todos os mercados ao mesmo tempo?

Com certeza... não.

Livermore aprendeu que se especializar em apenas alguns poucos mercados é


melhor do que tentar cobrir todos eles sem poder se dedicar corretamente a
nenhum.

Ser um especialista em ações é muito mais lucrativo no longo prazo do que tentar
operar forex, commoditites, ações e opções tudo ao mesmo tempo com o objetivo
de ganhar milhões em todos esses mercados.

E também é preferível se especializar em diferentes ativos até no mesmo mercado.

Por exemplo: eu gosto de ações mas não gasto o meu tempo acompanhando
TODAS elas pois prefiro as do índice IBOVESPA, que são mais líquidas. Se
tentasse ficar de olho em todos os ativos, não teria tempo para investir com a
cabeça fria.

O que você aprende com isso é que é preciso reduzir sempre, eliminar o que você
não gosta e de modo geral, minimizar os seus investimentos.

Então escolha o seu mercado e concentre-se em ser o melhor nele que puder.

Lembre-se de que quando o assunto é investir, compensa mais ser o mestre de


um mercado do que um eterno iniciante em vários. Apesar de que não custa nada
procurar saber um pouco mais do que o básico de cada um deles, mas sem
exageros.

Copyright © 2013 Hugo R. Teixeira | Página 23


A Sabedoria de Buffett e Livermore ♦ 1ª Edição

“É Mais Lucrativo Operar


Pensando No Médio Prazo”
Prazo”
Jesse Livermore não começou realmente operando na bolsa de valores em si mas
em estabelecimentos conhecidos como “Bucket Shops”.

Nesse lugares uma pessoa podia apostar na valorização ou desvalorização das


ações sem comprá-las de verdade.

Ele adorava operar usando essas casas de apostas porque além dos lucros serem
os mesmos da bolsa, ele não precisava usar os serviços caros de corretores e
podia comprar e vender o que quisesse imediatamente.

Porém, essas casas ganhavam apenas quando o cliente perdia, e como Jesse era
bom demais, ele começou a ser expulso de todas elas. Afinal, negócio que não dá
lucro não tem como sobreviver.

A solução encontrada foi operar na bolsa de valores real.

Só que quando “O Grande Urso de Wall Street” foi obrigado a operar na bolsa de
Nova Iorque, ele só perdeu dinheiro pois as corretagens eram caras e ao comprar
ou vender um ativo, os preços eram diferentes, atrapalhando toda a operação.

Ou seja, seus dias de “day trader” foram para o brejo.

Ele só conseguiu voltar a ganhar muito dinheiro quando resolveu operar no médio
prazo, o que ele não fazia nas casas de apostas pois não era necessário.

Agora, é verdade que hoje esses estabelecimentos não existem mais, as


corretagens são muito mais baratas e a maioria das ações não sofre com
problemas de liquidez ou lerdeza na transmissão de dados. Porém, o problema
ainda existe, numa escala menor.

Ou seja, quem faz day trades ou trades de poucos dias gasta muito para ganhar
lucros pequenos e corre o risco enorme de perder os grandes movimentos dos
mercados, aqueles que dobram o seu dinheiro em um ano por exemplo.

E como dá mais trabalho e menos lucro pensar no curtíssimo prazo, compensa


mais ficar de olho no médio prazo, mesmo porque ninguém deveria se plantar na
frente do home broker todos os dias para ganhar alguns míseros reais.

Sua carteira e saúde agradecem.

Copyright © 2013 Hugo R. Teixeira | Página 24


A Sabedoria de Buffett e Livermore ♦ 1ª Edição

“Anali
Analise As Ações Por Grupos
E Então, Escolha A Mais Forte”
Uma das lições de Jesse Livermore que eu mais demorei para “digerir” é que a
melhor forma de escolher um investimento é comparando-o com outros
semelhantes e não necessariamente da mesma categoria.

Ou seja, você deve possuir o ativo “líder” do mercado.

Para ilustrar, considere este exemplo com ações:

Sabemos que existem diversas ações diferentes. Mas na hora de comprarmos


uma BBAS3 (Banco do Brasil) da vida, não adianta apenas ver se ela parece ter
mais força do que a PETR4, que é de um setor totalmente diferente.

Não, se a sua intenção é comprar a ação de um banco, antes disso você também
deve compará-la com TODAS as outras ações de TODOS os outros bancos e aí,
escolher aquela que parece ser a mais forte.

Eu só consegui resultados fora do comum por dois anos seguidos porque não
apenas considerei que todas as ações iriam subir mas sim, porque pensei também
em quais delas tinham a chance de subir MAIS.

Mas então, como saber qual é a ação mais forte?

O modo fundamentalista é usar um sistema de seleção de ativos, como por


exemplo o CAN SLIM, que eu te ensinei detalhadamente no e-book “Como Investir
na Bolsa de Valores Com Pouco Dinheiro”.

Já um dos modos técnicos mais bacanas é o que o Jesse nos sugere:

Em um período de perdas, compare a intensidade da queda das ações de um


mesmo setor e quando as coisas mudarem, compre no rompimento aquela que
apresentou uma resistência maior na baixa.

Por mais bobo que pareça ser esses procedimentos, no final das contas eles
fazem uma diferença gigantesca nos seus lucros, sejam eles mensais ou anuais.

Copyright © 2013 Hugo R. Teixeira | Página 25


A Sabedoria de Buffett e Livermore ♦ 1ª Edição

“Seja Paciente. Compre


Ou Venda Apenas Na Hora Certa”
Certa”
É claro, não adianta nada comprar a ação mais forte do setor mais promissor do
mercado mais popular do mundo quando todos os ativos estiverem de mal humor
querendo se enterrar no fundo do poço para tirar férias.

Na bolsa, timing é tudo, é por isso o trader inteligente deve apenas comprar ou
vender uma ação na hora certa. Não antes, não depois.

Não importa se a ação estiver “perto” de romper a máxima antiga ou estiver


“raspando” a linha da média móvel. Enquanto não romper ou cruzar, enquanto
nenhum sinal for CONFIRMADO, é inteligente não fazer nada.

Algumas pessoas teimam em discordar, mesmo que apenas um pouco dessa


afirmação, e costumam se arrepender amargamente.

Por exemplo, ao operar um ativo de 30 reais, o especulador pode pensar:

“Hmm, vou comprar se passar de 30 reais... mas como o papel está em 29,87
acho melhor entrar agora já que a ação deve subir de qualquer jeito...”

Aí ele compra e poucos dias depois a ação bate nos 29,98 reais e despenca de
volta para 28, 27 reais ou até menos.

“Então eu não posso me adiantar?”

Não! Isso é ERRADO, é BURRICE!

O trabalho de um trader não é prever o futuro e sim, fazer operações no


PRESENTE em ações que indicam um futuro promissor.

E quando é que uma ação indica um futuro promissor? Quando algum sinal de
entrada ou de saída for CONFIRMADO pelo movimento da própria ação.

Então pelo seu próprio bem, aprenda a ser paciente e espere os sinais.

Como Jesse Livermore gostava de dizer:

“Nunca foi o meu 'pensar' que me fez dinheiro e sim o meu 'esperar'”.

Copyright © 2013 Hugo R. Teixeira | Página 26


A Sabedoria de Buffett e Livermore ♦ 1ª Edição

“Quando Estiver
Estiver Errado,
Errado, Admita Logo
Que Errou E Saia Da Operação”
Operação”
Um investidor minimamente preparado pensa o seguinte antes de um trade:

“Ok, eu vou comprar essa ação e se ela cair 10%, vou vendê-la imediatamente
sem pensar duas vezes.”

Porém, no meio do trade...

“Afff, eu disse que ia vender se perdesse 10% mas dessa vez é diferente! Já caiu
15% mas eu acho que agora sobe, só pode!”

E ao terminar a operação:

“Aiii meu Deus do céu, perdi 23% em um único trade! OMG, OMFG!!”

Finalmente, alguns dias depois:

“Caramba, mas aonde que eu estava com a minha cabeça? Se ia sair a -10%
porque eu fiquei esperando tanto tempo?”

Acredite leitor, situações como essa ocorrem o tempo todo com traders pouco
experientes e arrogantes. Algo vai mal e eles não conseguem admitir o erro. E para
não machucarem ainda mais os seus frágeis egos, preferem rezar a fazer algo
inteligente e fugir.

E quem foge de um trade perdedor não é um covarde e sim, um operador esperto.


Não existe e nunca existirá um lugar para “heróis” na bolsa.

Entenda que uma das maiores habilidades que um investidor ou especulador


podem ter, é a humildade. Ser humilde o suficiente para admitir um prejuízo logo
no começo é vital para a sobrevivência e futuro sucesso do operador.

Então se a operação falhar, seja honesto: não invente, não tente, não faça
diferente e não crie desculpas, apenas aceite o pequeno prejuízo e abandone o
trade antes que as coisas piorem ainda mais.

Como existem vários outros peixes vivos no oceano, não seja bobo de perder
tempo com aqueles que já morreram.

Copyright © 2013 Hugo R. Teixeira | Página 27


A Sabedoria de Buffett e Livermore ♦ 1ª Edição

“Tenha Cuidado Com As


As
Informações Internas, TODAS Elas“
Elas“
Algumas pessoas acham que podem ganhar dinheiro na bolsa se prestarem
atenção em todos os rumores ou palpites que forem divulgados por aí.

Logo, se sair um rumor de que a empresa X vai lançar um produto, elas compram
as ações da tal empresa X e rezam para que tudo dê certo no final.

Ou então, se ouvirem que os lucros da companhia K estiverem péssimos, vendem


as ações de uma vez pensando que estarão a salvo.

Para melhorar ainda mais o “sistema”, resolvem ouvir apenas os palpites que
vierem de “altos executivos da empresa N” porque com essas informações
internas, acham que será impossível não ganharem rios de dinheiro.

Só que existe um problema com esse tipo de “estratégia”: ela não funciona.

Em primeiro lugar, você acha mesmo que uma pessoa que trabalha num alto cargo
numa companhia vai sair por aí espalhando que a empresa dela está com
problemas? É óbvio que não. Para ela tudo estará sempre ótimo!

E dessas vezes em que tudo realmente estiver ótimo, a pessoa provavelmente vai
exagerar a história para que as outras comprem as ações da empresa.

Tradução: prestar atenção nessa gente é furada.

Na melhor das hipóteses um rumor é criado por alguém que não trabalha na
empresa e na pior delas, é criado por algum CEO desonesto que quer fazer com
que o mercado valorize ou impeça a desvalorização de sua empresa.

Então apenas ignore as tais “informações internas” porque as pessoas que as


divulgam ou não sabem realmente das coisas, ou tem cargos altos e por isso vão
mentir ou então, estão fazendo algo de ilegal.

Jesse Livermore dizia para traders escreverem a frase “ignore informações


internas, todas as informações internas” nos seus cadernos de anotações e,
considerando a minha própria experiência, posso garantir que ele tinha razão.

Copyright © 2013 Hugo R. Teixeira | Página 28


A Sabedoria de Buffett e Livermore ♦ 1ª Edição

“Os Lucros Cuidam Deles Mesmos.


As Perdas, Não”
Não”
Quando uma ação perde 2% ou 3% em um único dia, um especulador competente
pensa da seguinte forma:

“Hmm, se caiu 2% hoje, pode cair outros 2% amanhã ou até mais depois!”

Nessa hora ele se preocupa e fica de olho em seu stop loss para sair da operação
caso as coisas piorem além da conta.

Ou seja, se tudo der errado, ele vai agir.

Porém, caso a mesma ação, em vez de se desvalorizar, se valorize nos mesmos


2% ou 3%, ele não precisa fazer nada, basta deixar que o investimento continue
seguindo o seu caminho de alta.

Ou seja, dando tudo certo, basta correr para a praia.

Por isso que Jesse Livermore dizia o tempo todo que os lucros sempre cuidam
deles mesmos enquanto as perdas não:

Uma operação vencedora não requer muita atenção, contanto que o operador
fique de olho nela de vez em quando, provavelmente nada dará errado. Já uma
perdedora precisa ser terminada antes que ela cause estragos maiores.

Entendeu? Tranquilidade nos ganhos e atenção nas perdas.

Fazer o contrário, isto é, ficar tranquilo com as perdas pode fazer com que você as
deixe crescer muito, mas muito mais mesmo, destruindo assim todo o seu capital.

E ficar tenso nos ganhos é igualmente ruim pois se a operação estiver


funcionando, não faz sentido ficar tenso e temer perder os lucros acumulados até
então. Nessa hora é a calma é essencial.

Agora você já sabe: se estiver perdendo, fique esperto. Mas se estiver ganhando,
apenas relaxe e assista ao dinheiro acumular.

Copyright © 2013 Hugo R. Teixeira | Página 29


A Sabedoria de Buffett e Livermore ♦ 1ª Edição

Obrigado!
Pois é, infelizmente chegamos ao final.

Espero que você tenha gostado e aprendido bastante com essas dicas de alguns
dos maiores mestres da bolsa de valores.

Não se esqueça que existem vários outros grandes nomes como George Soros ou
Richard Dennis e você também deve estudá-los pelo mesmo motivo: aprender com
os erros e os acertos dos melhores.

Afinal, se é verdadeira (e eu acredito que seja), a história do “estude os melhores


que talvez um dia você se torne um deles”, então não faz sentido ignorarmos as
lições dos “velhinhos” dos mercados.

Um brinde a eles!

Tim, tim!

Obrigado por ter lido este e-book e até a próxima!

Copyright © 2013 Hugo R. Teixeira | Página 30