Você está na página 1de 38

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE –

UFRN
ESCOLA AGRÍCOLA DE JUNDIAÍ - EAJ

Docente: Luciana Dantas de Souza

Figuras de linguagem

Macaíba-RN
Figuras de linguagem
(figuras de estilo)
São recursos linguísticos a que os autores
recorrem para tornar a linguagem mais rica e
expressiva. As figuras de linguagem exprimem
também o pensamento de modo original e criativo,
exploram o sentido não literal das palavras, realçam
sonoridade de vocábulos e frases e até mesmo,
organizam orações, afastando-a, de algum modo,
de uma estrutura gramatical padrão, a fim de dar
destaque a algum de seus elementos.
As figuras de linguagem podem
ser:

 Figuras sonoras;
 Figuras de sintaxe;
 Figuras de palavras;
 Figuras de pensamento.
FIGURAS DE SOM OU
SONORAS
São aquelas que têm o seu efeito mais evidente
justamente nos sons das palavras ou de parte
delas, podendo ou não envolver diretamente o
seu sentido.
Aliteração
Uso repetido de sons consonantais parecidos.

Exemplo: A chegada ofuscante de tantas meninas nada


tinha que dever à festa luzida de velas e valsas e vozes
levadas de vento.(Diogo Avelino. O Baile das
Debutantes)

Perceba que nesse exemplo, a repetição


sistemática da consoante “v” torna-se ainda
mais interessante por “imitar” o som do próprio
vento citado no trecho
Assonância
Uso repetido dos mesmos sons vocálicos.

Exemplo: E na rala vala deitara e enterrara a bela clara.

Nesse exemplo, fica claro o efeito obtido na frase


pela repetição da vogal “a”. Contudo, fica
igualmente evidente que não há efeito visível do
ponto de vista do sentido
Paronomásia
Ocorre quando o autor faz uso de palavras com sons
parecidos (parônimas), mas geralmente com sentidos
diferentes.
Exemplo: Não queria ir embora, embora não pudesse
mais ficar.

Note que na primeira ocorrência da palavra “embora”,


ela tem o sentido de “partir” e na segunda assume o
sentido da conjunção adversativa “embora”, que é
sinônimo de “contudo”, “todavia” etc...
Onomatopeia
a onomatopeia é uma palavra criada para imitar o som
de alguma ação ou mesmo de alguma ocorrência.

Exemplo: era um tal de potoc, potoc, potoc, potoc


infernal enquanto passavam apressados os valentes
soldados da cavalaria.

No exemplo, fica evidente que a repetição da


palavra “potoc” busca imitar o som que fazem as
patas dos cavalos quando em trote.
FIGURAS DE
SINTAXE
As figuras de sintaxe são recursos que têm seu
efeito mais evidente na organização sintática do
enunciado, como a omissão de um de seus termos
essenciais ou a inversão de uma ordem direta (e
mais natural) entre seus termos, modificando uma
norma sintática ou o seu uso corrente.
Elipse
Consiste na omissão de um termo facilmente
identificável pelo contexto.

Exemplo: Na sala, apenas quatro ou cinco


convidados. (omissão de havia)
Casos mais comuns:

a) pronome sujeito, gerando sujeito oculto ou implícito:


iremos depois, compraríeis a casa?
b) substantivo - a catedral, no lugar de a igreja catedral;
Maracanã, no ligar de o estádio Maracanã
c) preposição - estar bêbado, a camisa rota, as calças
rasgadas, no lugar de: estar bêbado, com a camisa rota,
com as calças rasgadas.
d) conjunção - espero você me entenda, no lugar de:
espero que você me entenda.
e) verbo - queria mais ao filho que à filha, no lugar de:
queria mais o filho que queria à filha. Em especial o verbo
dizer em diálogos - E o rapaz: - Não sei de nada !, em vez
de E o rapaz disse:
Hipérbato
Alteração ou inversão da ordem direta dos termos na
oração, ou das orações no período.

Exemplo: Morreu o presidente (por: O presidente


morreu).

chegou a menina (uma inversão de a menina chegou


que enfatizaria a chegada e não a menina).
Pleonasmo
Uma das figuras de linguagem mais conhecidas, trata-se
da repetição enfática de um termo ou uma ideia,
reforçando-o no enunciado. É o caso dos populares
subir pra cima (quem sobe, necessariamente vai pra
cima), descer pra baixo (quem desce vai pra baixo), sair
pra fora (quem sai, sai sempre pra fora de alguma
coisa ou lugar), que são vícios de linguagem.
Contudo, há casos nos quais a repetição é mais sutil
e até mesmo “estilística”, por assim dizer.

Exemplo: sorria um sorriso nervoso (neste caso,


mesmo sendo evidente que quem sorri, sorri um
sorriso, fica claro o efeito de ênfase que obtém o
produtor do enunciado ao explicitar o termo
“sorriso” para poder qualificá-lo como sendo
“nervoso”
FIGURAS DE PALAVRAS
OU SEMÂNTICAS
Consistem no emprego de uma palavra num
sentido não convencional, ou seja, num sentido
conotativo.
Metáfora
Consiste em empregar um termo com significado
diferente do habitual, com base numa relação de
similaridade entre o sentido próprio e o sentido
figurado. Na metáfora ocorre uma comparação em que
o conectivo comparativo fica subentendido.

Exemplo: A Amazônia é o pulmão do mundo.


Encontrei a chave do problema.
“Meu pensamento é um rio subterrâneo”. (Fernando
Pessoa)
Ela é uma flor.
Metonímia

Assim como a metáfora, consiste numa


transposição de significado, ou seja, uma palavra
que usualmente significa uma coisa passa a ser
utilizada com outro sentido. Ou seja, é o emprego
de um nome por outro em virtude de haver entre
eles algum relacionamento.
A metonímia ocorre quando se
emprega:
Exemplo:
 Ler Jorge Amado (autor pela obra - livro)

 Bebi dois copos de leite (continente pelo conteúdo


- leite)

 Completou dez primaveras (parte pelo todo - anos)

 O brasileiro é malandro (sing. pelo plural -


brasileiros)
 Cotonete (Produto de higiene :haste
com ponta de algodão) – Cotonete é a
marca de um produto da Johnson &
Johnson

 Band-Aid (Curativo: trata-se do nome da


marca e não do produto)

 Danone- (marca de um iogurte)

 Maizena (marca de amido de milho) –


maisena com s é nome da farinha
extraída do milho.
Catacrese
Uso impróprio de uma palavra ou expressão, por
esquecimento ou na ausência de termo específico.

Exemplo: Ele comprou dois dentes de alho para colocar


na comida.
O pé da mesa estava quebrado.
Não sente no braço do sofá.
Pé da mesa.
Asa da xícara.
Boca do túnel.
Sinestesia
Trata-se de mesclar, numa expressão, sensações
percebidas por diferentes órgãos sensoriais (olfato,
visão, audição, gustação e tato).

Exemplo: Um doce abraço ele recebeu da irmã. (sensação


gustativa e sensação tátil)
Era um som feito luz, eram volatas
Brancas sonoridades de cascatas ...
Tanta harmonia melancolizava." (Cruz e Souza)
FIGURAS DE
PENSAMENTO
Construções usadas para aumentar a
expressividade de uma mensagem.
Antítese
Aproximação de termos ou frases que se opõem pelo
sentido.

Exemplo: Os jardins têm vida e morte.


"Neste momento todos os bares estão
repletos de homens vazios" (Vinicius de Moraes)
Paradoxo
Consiste no uso de palavras de sentido oposto que
parecem excluir-se mutuamente, mas, no contexto se
completam, reforçam uma ideia e/ou expressão.

Exemplo: Estou cego, mas agora consigo ver.


"dor que desatina sem doer" (Camões)
Eufemismo
Consiste em "suavizar" alguma ideia desagradável.

Exemplo: Ele enriqueceu por meios ilícitos. (roubou)


Você não foi feliz nos exames. (foi reprovado)
Ele agora está no céu (faleceu)
Hipérbole
Exagero de uma ideia com finalidade expressiva.

Exemplo: Estou morrendo de sede. (com muita sede)


Ela é louca pelos filhos. (gosta muito dos
filhos)
Ironia
Utilização de termo com sentido oposto ao original,
obtendo-se, assim, valor irônico.

Exemplo: O ministro foi sutil como uma jamanta.


Que pessoa educada! Entrou sem
cumprimentar ninguém.
Gradação
Relacionada com a enumeração, onde são expostas
determinadas ideias de forma crescente (em direção a
um clímax) ou decrescente (anticlímax).

Exemplo: Porque gado a


gente marca,/ tange, ferra, engorda e mata,/ mas com gente
é diferente.

"Nada fazes, nada tramas, nada pensas que eu não saiba,


que eu não veja, que eu não conheça perfeitamente."
Prosopopeia ou personificação
consiste em atribuir a seres inanimados características
próprias dos seres humanos.

Exemplo: O jardim olhava as crianças sem dizer nada.

"A lua, (...) Pedia a cada estrela fria / Um


brilho de aluguel ..." (Jõao Bosco / Aldir Blanc)
REFERENCIAS

 Ormundo, Wilton; Siniscalchi, Cristiane. Se liga na língua:


literatura, produção de texto, linguagem.Manual do Professor.-
1.ed.-São Paulo: Moderna, 2016.

 Info Escola. Figuras de Linguagem


https://www.infoescola.com/portugues/figuras-de-linguagem/
acesso em 01 de mai. De 2019.