Você está na página 1de 10

O SINAI e A TORÁ

Os códigos da antiguidade oriental e o Código de Moisés

Apesar de muitas semelhanças entre os códigos da


antiguidade o Código Mosaíco apresenta diferenças
fundamentais:

É tido como lei divina, portanto imutável;


Não houve, até hoje, reformulação do Código Mosaico;
Não há divisão – as leis são seculares e religiosas;
Há um vínculo inseparável entre D’us – Homem – e
Mundo
e as consequências – reparação com o homem e com
D’us.
Não há reparação parcial.
Os códigos do Antigo
Oriente estão, em maior
parte, orientados para a
propriedade cujo valor
pode ser estimado.
•Penas capitais - são
aplicadas em igualdade
O Código Mosaico é •Penas menores – não
orientado para D’us e há intenção – D’us é
para o ser humano. menos ofendido – então
cabe aos juízes julgar e
atribuir a pena.
Importância da vida humana – “uma
vida só vale outra vida”.
Nenhum crime contra a propriedade
sofre pena capital.
Não há penalidade interposta – os
filhos não pagam pelos pais – nem a
mulher pode ser dada em pagamento
de pena.

As penas eram aplicadas diante de


juizes para que não houvesse abuso, e
o apenado não poderia ficar exposto a
vista do “irmão”.
O cerne do
Código Mosaico
são as
“Dez Palavras”
 

Marc Chagall

O Código está dividido em três


grupos:
1º D’us - Homem
2º - uma ponte
3º - Homem -Homem
Apesar dos israelitas estarem muito à
frente dos seus contemporâneos no
sentido espiritual (ética, religião) estavam
muito atrasados em relação às
superstições e tabus. Acreditava-se em
magia (bastões, vestes, chifre e ferro
(Zedequias – 1Reis 22:11), estado de
êxtase, cabelos, etc.
Fase do medo e do fanatismo

“ Mas derrubarei seus altares,


quebrarei suas colunas e
cortarei seus postes-ídolos...”

Ex 34:13,16

“...nem adivinhador, nem


prognosticador, nem
agoureiro, nem feiticeiro...”
Dt 18:10
Imagens:
A não existência de Com a não permissão da
imagens é resultado elaboração de imagens os
da compreensão de israelitas davam um passo
D’us – não há poder em relação ao abstrato – à
maior, não há intelectualização da religião
concorrentes, é hebraica
indivisível, não
visível...
Por outro lado, não
Portanto, uma desprezaram o
imagem de D’us é antropomorfismo da
algo insultante a sua divindade.
divindade e ao
próprio conceito que
se tem sobre Ele.
Contradição:
Como pode o homem ser criado a imagem e
semelhança de D’us se a imagem de D’us não
é imaginável?

No entanto a idéia do homem criado à semelhança


de D’us é fundamental para a religião judaica -
como é também a proibição de ídolos.

A idéia da criação à imagem de D’us se amplia em


conceitos de direitos e deveres entre os homens.
Os homens são todos iguais
diante de D’us
e diante das leis.

Não estabelece diferenças


entre variedade de fieis,
pois, todos são filhos do
mesmo pacto.

Filo definiu a forma hebraica de governo como


democrática: “honra a igualdade e tem a lei e a justiça
como seus governantes” – ele poderia ter chamado a
forma do governo judaico de “teocracia democrática”.