Você está na página 1de 112

APOSTI

LA
MI
TOLOGI
AEA
KABBALAH
HERMÉTI
I
CA
NSTRUTORMARCELO DELDEBBI
O
Mitologia
Grega
Marcelo Del Debbio

Daemon Editora
R. Bartolomeu de Gusmão, 337 - Vila Mariana
CEP 04111-020 - São Paulo - SP - Brasil
Tel (11) 5539-1122
www.daemon.com.br
daemon@daemon.com.br

170318 - mitologia Grega.indd 1 30/08/2017 05:28:53


2

170318 - mitologia Grega.indd 2 30/08/2017 05:28:54


Teogonia

A progressiva gênese do universo da desordem Numa última etapa, Zeus destrona Cronos seu
para a ordem presidida por Zeus começa com os pai, altura em que é inserida a lenda de Prometeu, dito
elementos fundamentais e se desenvolve por seis filho de Jápeto. Mas para consolidar seu poder Zeus teria
gerações sucessivas de deuses: No início Kaos, (ou vazio ainda que lutar e derrotar Tifão filho de Gaia e Tártaro.
primitivo) e Gaia (a terra) conviviam com Tártaro (a Daí até o seu final, o poema trata do relacionamento dos
escuridão primeva) e Eros (a atração amorosa) daí sendo deuses com os homens.
gerados (assexuadamente) Hemera (o dia), Nix (a noite),
Urano (o céu) e Ponto (a água primordial). CAOS
Caos (em grego: Χάο̋, transl.: Cháos), na mitologia
Na segunda geração, Urano e Gaia geraram os grega segundo Hesíodo, o primeiro deus primordial a
titãs, gigantes dos quais destacam-se Cronos (o tempo), surgir no universo, portanto a mais velha das formas de
Oceano (a água doce), Têmis (a Lei), Mnemosine (a consciência divina. A natureza divina de Caos é de difícil
memória) e vários monstros míticos. entendimento, devido às mudanças que a ideia de “caos”
sofreu com o passar das épocas.
Na terceira geração, Cronos assume o poder e
inadvertidamente dá origem a Afrodite (amor sensual) Seu nome deriva do verbo grego khaínô (χαίνω),
relacionando a noite (Nix) com Tânato (a morte) Hipnos que significa “separar”, “ser amplo”, significando o
(o sono) e Oniro (os sonhos). Ponto origina Fórcis pai espaço vazio primordial. Também poderia ser chamado
de monstros como Górgona, Equidna e Esfinge e Nereu de Aer (Αηρ), que significa “ar” ou de Anapnoe
(o mais antigo deus do mar), pai das nereidas. (Αναπνοη), que significa “respirar”.

Oceano dá vida às ninfas dos ventos, Métis O poeta romano Ovídio foi o primeiro a atribuir
(sabedoria) e Hélio (o sol) e Céos gera entre outros a noção de desordem e confusão à divindade Caos.
Hécate (a dádiva/magia). Todavia, Caos seria para os gregos o contrário de Eros.

170318 - mitologia Grega.indd 3 30/08/2017 05:28:54


Tanto Caos como os seus irmãos são forças geradoras É frequente, devido à divulgação das ideias de Ovídio,
do universo. Caos parece ser uma força catabólica, que considerar Caos como uma força sem forma ou aparência.
gera por meio da cisão, assim como os organismos mais Isso não é de todo uma inverdade. Na pré-história grega,
primitivos estudados pela biologia, enquanto Eros é uma tanto Caos como Eros eram representados como forças sem
força de junção e união. Caos significa algo como “corte”, forma. Eros era representado por uma pedra.
“rachadura”, “cisão” ou ainda “separação”.
Ou seja, na mitologia grega, Caos é “pai-mãe” de
Nix e Érebo, e “irmão-irmã” de Gaia, Tártaro e Eros.

NIX, a Noite
Nix (“Noite”), na mitologia grega, é a personificação
da noite. Uma das melhores fontes de informação sobre
essa deusa provém da teogonia de Hesíodo. Muitas
referências são feitas a Nix naquele poema que descreve
o nascimento dos deuses gregos. A Noite desempenhou
um papel importante no mito como um dos primeiros e
mais poderosos seres a vir à existência.

Magnum Chaos, Basílica de Santa Maria Maior,


Bérgamo, por Giovan Francesco Capoferri.

FILHOS DO CAOS
Os filhos de Caos nasceram de cisões assim
como se reproduzem os seres unicelulares (mitose).
Nix (Noite) e Érebo (Escuridão) nasceram a partir
de “pedaços” do Caos. E do mesmo modo, os filhos
de Nix nasceram de “pedaços” seus; como afirma
Hesíodo: sem a união sexual. Portanto a família de
Caos se origina de forma assexuada.

Se Caos gera através da separação e distinção


dos elementos, e Eros através da união ou fusão
destes, parece mais lógico que a ideia de confusão e
de indistinção elemental pertença a Eros. Eros age de
tal modo sobre os elementos do Mundo, que poderia
fundi-los numa confusão inexorável. Assim, seu irmão
Anteros, que nasceria do mesmo modo que Gaia,Tártaro,
e Eros sendo assim irmão do Caos, equilibra sua força
unificadora através da repulsa do elementos.

Caos é, então, uma força antiga e obscura que


manifesta a vida por meio da cisão dos elementos.
Caos parece ser um deus andrógino, trazendo em
si tanto o masculino como o feminino. Esta é uma
característica comum a todos os deuses primogênitos Nix, a Filha da Noite,
de várias mitologias. por William Adolphe Bouguereau, 1883

170318 - mitologia Grega.indd 4 30/08/2017 05:28:54


Hesíodo afirma que Nix é filha do Caos, sendo a são divindades que habitam o mundo subterrâneo e
segunda criatura, seguida de seu irmão gêmeo Érebo, a representam forças indomáveis que nenhum outro deus
escuridão, a emergir do vazio, logo depois surgem Gaia, poderia conter. Em uma versão, as Erínias são as filhas
a mãe Terra, Tártaro, as trevas abismais, Eros, o amor da de Nix (Ésquilo).
criação, que são considerados irmãos de Caos. Dessas forças
primordiais sobreveio as outras das divindades gregas. Nix aparece ora como uma Deusa benéfica que
simboliza a beleza da noite (semelhante a Leto), ora como
Em sua Teogonia, Hesíodo também descreve a a cruel deidade Tartárea, que amaldiçoa e castiga com
residência proibida da Noite: terror noturno (Hécate e Astéria). Nix é também uma
Deusa da Morte, a primeira rainha do mundo das Trevas.
“Lá também está a melancólica casa da Noite; Tem também dons proféticos, e foi ela quem criou a arma
nuvens pálidas a envolvem na escuridão; Antes delas, que Gaia entregou a Cronos para destronar Urano. Nix
Atlas se porta, ereto, e sobre sua cabeça, com seus braços conhece o segredo da imortalidade dos deuses, podendo
incansáveis, sustenta firmemente o amplo céu, onde a tirá-la e transformar um deus em mortal, como fez com
Noite e o Dia cruzam um patamar de bronze e então Cronos, após este ser destronado por Zeus.
aproximam-se um do outro.”
Algumas vezes, a exemplo de Hades, cujo nome
Nix é a patrona das feiticeiras e bruxas, é a Deusa evitava-se pronunciar, dão a Nix nomes gregos de
dos segredos e mistérios noturnos, rainha dos astros Eufrone e Eulalia, isto é, Mãe do bom conselho.
noturnos. Nix é cultuada por bruxas e feiticeiras, que
acreditavam que ela dá fertilidade à terra para brotar ervas Há quem marque o seu império ao norte do Ponto
encantadas. Também se acreditava que Nix tem total Euxino, no país dos Cimérios; mas a situação geralmente
controle sobre vida e morte, tanto dos homens como aceita é na parte da Espanha, a Hespéria, na região do
dos Deuses. Homero se refere a Nix com o epíteto “A poente, perto das colunas de Hércules, limites do mundo
domadora dos Homens e dos Deuses”, demonstrando conhecido dos antigos.
como os outros Deuses respeitavam-na e temiam esta
poderosíssima deidade. Desposou Érebo, seu irmão gêmeo, de quem
teve o Aether (Luz Celestial) e Hemera (Dia). Mas
Nix, assim como Hades, possui um capuz que a sozinha, sem se unir a nenhuma outra divindade,
torna invisível a todos, assistindo assim ao universo sem procriou o inevitável e inflexível Moros (o Destino),
ser notada. Foi Nix que colocou Hélio entre seus filhos os gêmeos Thanatos (a Morte) e Hipnos (o Sono),
(Hemera, Éter e Hespérides), quando os outros Titãs Oneiroi (o Sonho), Momus (Escárnio), Oizus
tentaram assassiná-lo. Zeus tem um enorme respeito e (Miséria), Nêmesis (a Deusa da vingança), as
temível pavor de Nix, a Deusa da Noite, Os filhos de Nix impiedosas Moiras (as Deusas do destino), Apáte
são a Hierarquia em poder para os Deuses, sua maioria (o Engano,fraude), Philotes (a Amizade, carinho),

170318 - mitologia Grega.indd 5 30/08/2017 05:28:54


Geras (a Velhice) Éris (a Discórdia), além de muitos como deidade da noite. As Moiras, filhas de Nix (Cloto,
outros. Em resumo, tudo quanto havia de doloroso Laquesis e Átropos), são outra continuidade dos poderes
na vida era considerado obra de Nix. A maior parte gigantescos de Nix do negro véu.Muito frequentemente
dos outros descendentes da Deusa nada mais são colocam-na no mundo subterrâneo, entre Hipnos e
que conceitos e abstrações personificados; sua Tânato, seus filhos.
importância nos mitos é muito variável. Ela e seu
irmão eram os únicos deuses primordiais que podiam ÉREBO
ter filhos com humanos. Érebo ou Erebus (“trevas” ou “escuridão”) é,
na mitologia grega, a personificação das trevas e da
escuridão. Tem seus domínios demarcados por seus
mantos escuros e sem vida, predominando sobre
as regiões do espaço conhecidas como “Vácuo”
logo acima dos mantos noturnos de sua irmã Nix, a
personificação da noite.

Érebo era filho de Caos. Érebo juntamente de sua


irmã gêmea, Nix, a personificação da noite, nasceram de
cisões assim como se reproduzem os seres unicelulares;
a partir de partes de Caos, Érebo e Nix passam a ser
os mais velhos imortais do universo, logo após seu pai.

Érebo desposou Nix, gerando mais dois deuses


primordiais: o Éter (a Luz celestial) e Hemera (o Dia).

Assim como a ir mã, era capaz de tirar a


imortalidade dos deuses. Érebo é o próprio universo,
senhor dos cosmos e dos buracos negros. Hoje,
entretanto, é uma potência esquecida. Está encarcerado
no Tártaro. No passado, pretendia libertar, sozinho,
os titãs aprisionados pelos olimpianos logo após a
Titanomaquia, entretanto caiu em uma emboscada
armada pela irmã. Zeus, Hades e Nix, tementes
do poder do grande deus primordial e do possível
retorno dos titãs, o impediram; os três, unidos, cada
um se valendo de seus poderes únicos, jogaram Érebo
Erebus, a Escuridão, por BlazingElysium, 2004 no rio infernal Aqueronte, o rio da morte. Depois,
encaminharam o corpo fragilizado do inimigo para
Na tradição órfica, todo universo e demais deuses o Tártaro, única prisão capaz de detê-lo.
primordiais nasceram do ovo cósmico de Nix. Certos
poetas a consideram como mãe de Urano e de Gaia; É conhecido por ser um dos maiores inimigos de
Hesíodo dá-lhe o posto de Mãe dos Deuses, porque Zeus. Conta-se que os titãs pediram socorro a Érebo
sempre se acreditou que a Nix e Érebo haviam precedido e pessoalmente o primórdio desceu até o Tártaro para
a todas as coisas. libertar os filhos de Gaia, porém foi surpreendido por
Zeus e Hades que tiveram a ajuda de Nix para lançar
Hemera e as Hespérides nasceram para ajudar Nix Érebo nas profundezas do rio Aqueronte, a fronteira
a não se cansar, e assim nasceu o ciclo diário, Hemera dos dois mundos.
trás o dia (relaciona com Eos, a Aurora, e Hélio, o Sol);
as Hespérides trazem a tarde, (relaciona com Selene, a Na medida em que o pensamento mítico dos
Lua) e Nix traz a absoluta Noite, todas estas deidades em gregos se desenvolveu, Érebo deu seu nome a uma
conjunto conduzem a dança das Horas; complementando região do Hades, por onde os mortos tinham de passar
estes ciclos temos outros deuses de outras linhagens, imediatamente depois da morte para entrar no submendo.
como as Horas que representam ciclos mensais e Após Caronte tê-los feito atravessar o rio Aqueronte,
anuais; Leto e Hécate que recebem o legado de Nix entravam no Tártaro, o submundo propriamente dito.

170318 - mitologia Grega.indd 6 30/08/2017 05:28:54


FILHOS DE NIX APATE
Nyx teve sozinha, sem se unir a nenhuma outra Na mitologia grega, Apate era um espírito
divindade, o inevitável e inflexível Moros (o Destino), que personificava o engano, o dolo e a fraude. Foi,
pai das impiedosas Moiras (as Deusas do Destino junto com o seu correspondente masculino Dolos
Cloto, Laquesis e Átropos), Nêmesis (a Deusa da (o espírito das ardilosidades), um dos espíritos que
Vingança), Oizus (Miséria), os gêmeos Thanatos saíram da caixa de Pandora. Ambos eram filhos
(a Morte) e Hipnos (o Sono), Momus (Escárnio), de Érebo e Nix, ou de Nix sozinha, e estavam
Apáte (o Engano, fraude), Philotes (a Amizade, acompanhados pelos pseudologos (as mentiras). Ela
Carinho), Geras (a Velhice) e Éris (a Discórdia), além tinha como espírito oposto a Aleteia, a verdade.
das terríveis Keres. Com Erebus teve Aether (a Luz
Primordial) e Hemera (O Dia) e com Tártaro teve a A astuta Apate morava nas colinas que
deusa Hecate. cercavam a cidade de Amnisos, pois tinha predileção
pelos cretenses, famosos embarcadores. E gostava
PHILOTES especialmente de estar próxima da tumba falsa de
Philotes era um Daemon ou espírito que Zeus que havia ali.
personificava a amizade, o carinho e a ternura, podendo
também ser o carinho físico, ou sexo. Era filha(o) de Nix, NÊMESIS
por ela mesma ou unida com Éter, e seus opostos eram Na mitologia grega, segundo Hesíodo, era
os Neikea, os Daemones das disputas. uma das filhas da deusa Nix (a noite). Pausânias
citou Nêmesis como filha dos titãs Oceano e Tétis.
OIZYS Autores tardios puseram-na como filha de Zeus e de
Oizys, ou Oysus, na mitologia grega, é uma daimon Têmis. É a deusa que personifica o destino, equilíbrio
(espírito) que personificava a angústia, miséria e a tristeza. e vingança divina.
Segundo Hesíodo, é filha de Nix por si mesma, enquanto
que Higino lhe atribui a paternidade a Érebo. Oizos é Apesar de Nêmesis ter nascido na família da
uma das descendentes da Noite que representam os maioria dos deuses trevosos, vivia no monte Olimpo
males do mundo, sendo irmã, por exemplo, de Tânato e figurava a vingança divina. Nêmesis era também
(a Morte), Geras (a Velhice), Éris (a Discórdia) ou Apáte chamada “a inevitável”, e era representada como
(o Engano). Suas equivalentes na mitologia romana eram uma bela mulher alada. Era as vezes fundida com
a Miséria e Tristitia. Têmis, deusa da justiça, e com Afrodite quando está

170318 - mitologia Grega.indd 7 30/08/2017 05:28:55


se vingou de Narciso por ter ferido o coração de Outros locais de que Nêmesis era padroeira eram
várias meninas. Sua aparência também e similar a as cidades anatólias de Éfeso e Esmirna (cidade que
de várias outras deusas como Deméter e Artémis, o pode ter sido a sua origem) bem como a ilha de Samos.
que significa que Nêmesis, como outros deuses que
apenas personificam conceitos abstratos, não recebia GERAS
culto individual. Na mitologia grega Geras é o daemon que
personificava a velhice e que era tido como parceiro
e prelúdio inevitável de Tânato, a morte. Seu oposto,
claro, foi Hebe, a juventude. Seu equivalente na
mitologia romana era Senectus.

Era representado como um homem encolhido


e arrugado, e posteriormente como uma triste mulher
apoiada em um báculo e com uma copa que olha um
poço onde há um relógio de areia, alegoria do pouco
tempo que lhe fica de vida.

Nemesis, estátua de 150 DC

Em Ramnunte, pequena cidade da Ática não


muito longe de Maratona situada na costa do estreito
que separa a Ática da ilha de Eubeia, Nêmesis tinha
um santuário célebre, o qual ao mesmo tempo era um Geras, pintura em cerâmica aprox. 200 DC
templo de Têmis. As estátuas das duas deusas foram
esculpidas juntas por Fídias (as mais belas estátuas Como muitos dos daimones, era filho de Nix,
de Têmis e de Nêmesis) em um bloco de mármore sozinha ou com Érebo. Os autores antigos ressaltavam
de Paros trazido pelos persas e destinado a fazer um sua crueldade, pois só os deuses estavam livres de seu
troféu. Segundo a antiga religião grega, os persas poder destruidor e se dizia que só Afrodite sabia como
tinham-se mostrado demasiado seguros da vitória pospor seus efeitos.
denotando desmesura (húbris), e nunca tomaram
Atenas, em favor da qual Nêmesis tomou partido. Um exemplo dessa crueldade é a história de
Nêmesis encorajou o exército ateniense de Maratona. Titono, o amante ao que Eos o fez imortal, mas

170318 - mitologia Grega.indd 8 30/08/2017 05:28:55


se esquecendo do fazer eternamente jovem, com o
tempo Titono converteu-se em uma massa decrépita
de ossos e pele que suplicava se lhe desse morte, foi
abandonado por sua amada e acabou convertendo-se
em uma cigarra. Este poder de Geras sobre os mortais
influiu em suas relações amorosas com deuses, como
a de Afrodita, que não se permitiu amar a Eneias mais
de uma noite, ou Marpessa, que recusou a Apolo para
que não lhe abandonasse quando chegasse a velhice.

Os deuses respeitavam a Geras, pois queriam


receber suas honras e valorizavam a experiência que
contribuía a velhice, por isso lhe permitiam morar no
Olimpo. Também se lhe via como o que punha ponto
final às tiranias e os fatos injustos que Geras fazia
que não fossem eternos. No entanto, seus lógicos
efeitos de debilidade e decadência eram temidos e
aborrecidos por todos.

Alguns autores afirmam que quando Zeus castigou


aos homens lhes enviando a Pandora, a primeira mulher,
quis estender sua maldição e enviou com ela a Geras, de
tal forma que os homens, por medo a chegar a velhos
sem a ajuda de seus filhos, não evitassem o contacto com
as mulheres e escapassem ao castigo.

Geras tinha um templo em Atenas e um altar


em Cádiz, onde a profunda religiosidade de seus
habitantes lhes fazia render culto inclusive à morte.
Momus, ilustração do século XVIII
MOMUS
Hesíodo contava que Momus é um filho de Porém, mais tarde, estando Zeus preocupado
Nix, a Noite (Teogonia, 214). Luciano de Samosata com o fato de que a Terra oscilava com o peso que
recordava (no diálogo ampliado Hermotimus), em que a humanidade fazia, permitiu o retorno de Momus
este foi convidado para avaliar a criação de três deuses ao convívio do Olimpo desde que o ajudasse a
em concurso: Atena, Poseidon e Hefesto. Criticou descobrir um remédio para tal problema. De forma
Atena por ter criado a casa, pois devia ter rodas de descontraído e irônico, sugeriu que ele criasse uma
ferro em sua base, para que o dono pudesse levá-la mulher, muito bonita, pela qual muitas nações
assim que viajasse. Zombou do deus do mar por ter guerrassem e assim se destruíssem. Zeus levou-o a
criado o Touro com os olhos sob os chifre, quando sério e assim nasceu Helena, que levou os gregos à
esses deviam estar no meio, para que ele pudesse ver Guerra de Tróia.
suas vítimas. Por fim criticou o ferreiro dos deuses
por ter fabricado Pandora sem uma porta em seus THANATOS
peitos para que se pudesse ver o que ela mantinha Na mitologia grega, Thanatos ou Tânato
oculto em seu coração. era a personificação da morte, enquanto Hades
reinava sobre os mortos no mundo inferior. Seu
Não bastando isso, ironizou Afrodite, ainda que nome é transliterado em latim como Thanatus e
tudo quanto pudesse dizer dela era que não passava seu equivalente na mitologia romana é Mors ou
de uma tagarela e que usava sandálias que rangiam Leto (Letum). Muitas vezes ele é identificado
no piso do Olimpo. Por fim, teve a audácia de fazer erroneamente com Orco (o próprio Orco tinha
comentários jocososos sobre a infidelidade de Zeus um equivalente grego na forma de Horkos, Deus
para com Hera. (Filóstrato), Epístolas). Devido a tais do Juramento). É conhecido por ter o coração de
coisas, foi exilado do Monte Olimpo. ferro e as entranhas de bronze.

170318 - mitologia Grega.indd 9 30/08/2017 05:28:55


Tânato é filho, sem pai, de Nix, a noite, asas que toca uma flauta cuja melodia faz os homens
filha do Caos, ou, segundo outras versões, filho de dormir e ao se locomover, deixa atrás de si, um
Nix e Érebo, a noite eterna do Hades. Tânato é a rastro de névoa. Tânato é representado por uma
personificação da morte, que nascido em 21 de agosto, nuvem prateada que arrebatava a vida dos mortais.
tinha essa data como o dia preferido para arrebatar Também foi representado por homem de cabelos
as vidas, enquanto Hipno é a personificação do sono. e olhos prateados. Seu papel na mitologia grega é
Os irmãos gêmeos habitavam os Campos Elísios (País acompanhado por Hades, o deus do mundo inferior.
de Hades, o lugar do mundo subterrâneo). Tânato é um personagem que aparece em inúmeros
mitos e lendas, assim como aparece na história
de Sísifo e do rei Midas, que por serem as mais
importantes se dispersaram com maior facilidade.

HIPNOS
Hipnos era o deus do sono. Personificação do
sono, e da sonolência; mas não do cansaço no que diz
respeito à fadiga. Hipnos é um dos daemons gregos:
deuses que interferem no espírito dos mortais. Segundo a
Teogonia de Hesíodo, ele é filho sem pai de Nix, a deusa
da noite; outras fontes dizem que o pai é o Érebo (As
Trevas Primordiais, que personifica a escuridão profunda
e primitiva que se formou no momento da criação).

Hipnos, por Evelyn de Morgan, 1878

Tem nove ir mãos, entre os quais o mais


importante é seu gêmeo Tânato, a personificação da
morte. Tanto que em Esparta, é comum sua imagem
ser colocada sempre ao lado da morte, representada
Thanatos no Templo de Ártemis, 300 AC por seu irmão. Seus outros irmãos nasceram apenas da
vontade de Nix ou da ajuda de Érebo. Seu equivalente
Segundo Homero, o deus Hipnos vivia em romano é Somno.
Lemmos e casou-se com Grácia Pasitea que lhe
fora concedida por Hera, em troca de seus serviços Hipnos vivia num palácio construído dentro
realizados. Hipno é representado em forma humana de uma grande caverna no oeste distante, onde o sol
e se transforma em ave antes de dormir. Também nunca alcançava, porque ninguém tinha um galo que
aparece representado na imagem de um jovem com acordasse o mundo, nem gansos ou cães, de modo

10

170318 - mitologia Grega.indd 10 30/08/2017 05:28:55


que Hipnos viveu sempre em tranquilidade, em paz sonhos na forma de animais ou monstros. Entre os
e silêncio. Do outro lado de todo este lugar peculiar próprios deuses, no entanto, é conhecido pelo seu
passava Lete, o rio do esquecimento, e nas margens, nome real, Ícelo; juntamente com seus irmãos vive na
cresciam plantas que junto ao murmúrio das águas terra dos sonhos (Demos Oneiroi), parte do Hades,
límpidas do rio ajudavam os homens a dormir. No o mundo inferior dos antigos gregos.
meio do palácio existia uma bela cama, cercada por
cortinas pretas onde Hipnos descansava, sendo que FÂNTASO
Morfeu tomava cuidado de que ninguém o acordasse. Fântaso é o deus da fantasia e um dos oneiros.
Seus dois irmãos, Morfeu - que toma a forma humana
Costuma ser visto trajando peças douradas, em e é capaz de imitar mesmo as peculiaridades mais
oposição a seu irmão gêmeo que normalmente usava sutis de cada pessoa e Fobetor (conhecido por outros
tons prateados. Também pode ser retratado como um deuses como Ícelo, seu “verdadeiro nome”) - que
jovem nu dotado de asas, tocando flauta. Às vezes é toma a forma das bestas, podendo imitar as aves,
mostrado como adormecido em um leito de penas quadrúpedes e serpentes - o auxiliam nos sonhos;
com cortinas negras à volta. Seus atributos incluem Morfeu toma conta dos sonhos plausíveis, enquanto
um chifre contendo ópio, um talo de papoula, um Fobetor dos pesadelos.
ramo gotejando água do rio Lete (“Esquecimento”)
e uma tocha invertida.

Pausânias, em sua obra Descrição da Grécia,


menciona diversas vezes a presença de estátuas de
Hipnos ao lado de seu irmão Tânato.

MORFEU
Morfeu é o deus dos sonhos. O seu nome -
derivado do vocábulo grego que significa “a forma”
- indica a sua função: tem a habilidade de assumir
qualquer forma humana e aparecer nos sonhos das
pessoas. É um dos mil filhos do deus Hipnos, do sono.
Os filhos de Hipnos, os Oneiros, são personificações
de sonhos, dentre eles Ícelo e Fântaso. Morfeu foi
mencionado na obra Metamorfoses de Ovídio como
um deus que vive numa cama feita de ébano numa
escura caverna decorada como flores.

Como a maior parte das divindades do sono e


dos sonhos, Morfeu é alado. Tem grandes asas rápidas,
que batem sem fazer barulho, e o levam num ápice
aos confins da Terra

ÍCELO
Ícelo (Ikelos, “aparência”) ou Fobetor
(Phobetor, “assustador”) é um dos Oneiros, Morfeu e Iris, de Pierre Guerin, 1811
personificações do ato de sonhar. De acordo com
Hesíodo, Fobetor é filho de Nix, deusa primordial da Além de Morfeu, Ícelo e Fântaso, Hipnos criou
noite, produzido partenogeneticamente ou, segundo uma infinidade de criaturas para povoar o Reino dos
o autor romano Cícero, com Érebo, a personificação Sonhos, entre objetos inanimados, animais e plantas.
da escuridão. Coletivamente, todas estas criaturas eram conhecidas
como os Oneiroi, ou Oneiros.
Fobetor tem a capacidade de aparecer no reino
dos mortais na forma de diversos animais e alterar
sua forma física para interagir com os mortais neste
mundo; personificação dos pesadelos, aparece nos

11

170318 - mitologia Grega.indd 11 30/08/2017 05:28:56


MOROS AS MOIRAS
Na mitologia grega, era o deus da sorte e do As Moiras eram as três irmãs que determinavam
destino, da morte e das criaturas do Tártaro representado o destino, tanto dos deuses, quanto dos seres humanos.
uma entidade cega. Segundo a Teogonia de Hesíodo, Eram três mulheres lúgubres, responsáveis por fabricar,
era filho de Nix, sendo assim considerado um Daemon. tecer e cortar aquilo que seria o fio da vida de todos
Sem ver a quem reserva o futuro, seu caráter é o da os indivíduos. Durante o trabalho, as moiras fazem
inevitabilidade. Todos, deuses e mortais, e tudo, estão a uso da Roda da Fortuna, que é o tear utilizado para se
ele subordinado. tecer os fios. As voltas da roda posicionam o fio do
indivíduo em sua parte mais privilegiada (o topo) ou
Imaginavam-no como tendo aos pés a Terra em sua parte menos desejável (o fundo), explicando-se
e nas mãos as estrelas e um cetro, a demonstrar sua assim os períodos de boa ou má sorte de todos. As três
superioridade. Noutras alegorias, é uma roda, presa por deusas decidiam o destino individual dos antigos gregos,
uma corrente, sob uma rocha e com duas cornucópias e criaram Têmis, Nêmesis e as erínias. Pertenciam à
- ilustrando sua inflexibilidade e sorte. primeira geração divina (os deuses primordiais), e assim
como Nix, eram domadoras de deusas e homens.
Representando a própria fatalidade, o “Destino”
dita os acontecimentos, e até mesmo Zeus não o pode As moiras eram filhas de Moros ou, em algumas
evitar. Suas leis encontram-se escritas num livro, cujo lendas, eram filhas de Nix que foram entregues a Moros
acesso é possível, e mesmo assim de forma obscura, para que ele cuidasse delas. Moira, no singular, era
pelos oráculos. inicialmente o destino. Na Ilíada, representava uma lei
que pairava sobre deuses e homens, pois nem Zeus estava
O mito principal de Moros é onde ele pega três autorizado a transgredi-la sem interferir na harmonia
das flechas de Eros e passa uma parte de sua energia cósmica. Na Odisseia aparecem as fiandeiras.
para elas e depois as esconde no mundo mortal. O mito
conta que se essas flechas fossem disparadas faria o O mito grego predominou entre os romanos a tal
tempo voltar ao tempo do Caos, fazendo com que tudo ponto que os nomes das divindades caíram em desuso.
começasse novamente. Entre eles eram conhecidas por Parcas chamadas Nona,
Décima e Morta, que tinham respectivamente as funções

As Moiras, por John Melhuish Strudwick, 1885

12

170318 - mitologia Grega.indd 12 30/08/2017 05:28:56


de presidir a gestação e o nascimento, o crescimento Não se pode definir o número correto destas
e desenvolvimento, e o final da vida; a morte; notar deusas, cada uma corresponderia a um tipo específico
entretanto, que essa regência era apenas “sobre os de morte violenta.
humanos”.
Já Homero vai mais além: na Ilíada, afirma que
Os poetas da antiguidade descreviam as moiras todos os seres humanos possuem uma Ker consigo, que
como donzelas de aspecto sinistro, de grandes dentes e personificará sua morte. Neste caso, quer vem no sentido
longas unhas. Nas artes plásticas, ao contrário, aparecem de boa ou má morte.
representadas como lindas donzelas. As Moiras eram:
Entre as personificações destrutivas estão (nem
Cloto (em grego significa “fiar”), segurava o fuso todos são chamados queres);
e tecia o fio da vida. Junto de Ilitia, Ártemis e Hécate,
Cloto atuava como deusa dos nascimentos e partos. Anaplekte — morte rápida
Akhlys — névoa da morte
Láquesis (em grego significa “sortear”) puxava Nosos — doença
e enrolava o fio tecido, Láquesis atuava junto com Ker — destruição
Tique, Pluto, Moros e outros, sorteando o quinhão de Stygere — ódio
atribuições que se ganhava em vida.
ÉRIS
Átropos (em grego significa “afastar”), ela cortava Hesíodo em Os Trabalhos e os Dias e Teogonia
o fio da vida. Átropos, juntamente a Tânato, Moros e as aponta Éris como a filha primogênita de Nyx, a Noite,
queres, determinava o fim da vida. e mãe de outras entidades peculiares.

AS KERES
As Keres são daemones, espíritos femininos da
fatalidade e da morte violenta. Segundo Hesíodo em sua
Teogonia, eram filhas de Nix, que as teve sem se unir com
nenhum outra divindade, tal como esta foi gerada por
Caos. Entretanto, em algumas obras é possível encontrar
variantes de geneologia, entre as quais seriam filhas de
Tânato, que as teve assim como Nix.

As Keres simbolizam o destino cruel, fatal e


impossível de escapar. São deusas que trazem a morte
violenta aos mortais. Elas possuem a índole de todo
descendente de Caos, são infalíveis.

Alguns relatos mitológicos as trazem como


mensageiras de Tânato, agindo no reino de Hades
ao lado das Erínias. Ésquilo descreve que as Keres
carregavam consigo uma balança, que ponderavam o
resultado de cada batalha, predizendo quem iria morrer
em determinado combate.
Por sua parte Éris deu à luz ao doloroso Ponos
Entretanto, tais deusas são irmãs de Tânato, sendo (desânimo e fadiga), aos Macas (batalhas), Limos (fome) e
deuses de perfis diferentes. Tânato era o responsável Horcos (juramento); e a Lete (esquecimento), as chorosas
pela morte tranquila, por isso também sua associação a Algea (tristeza), Hisminas (discussões e disputas), as
Hipnos. Já as Keres eram deusas responsáveis por levar Fonos (dor e matança), as Androctasias (devastações e
os mortos do campo de batalha, portanto vem como a massacres), as Neikea (ódio), as Pseudologos (palavras
morte antes do tempo, a morte cruel. Assim, quando Ares mentirosas), as Anfilogias (ambiguidades; dúvidas e
partia para grandes guerras convocava as Keres, já que traições), Disnomia (desrespeito) e Até (insensatez) todos
faziam parte de seu cortejo. Após a batalha devoravam eles companheiros inseparáveis. Chamados pelos gregos
os mortos ou seu sangue e levavam as almas ao inferno. de Daemones; as Desgraças para os romanos.

13

170318 - mitologia Grega.indd 13 30/08/2017 05:28:56


A lenda mais famosa referente a Éris relata o seu HEMERA
papel ao provocar a Guerra de Troia. As deusas Hera, era filha de Nix (a noite) com Érebo (as trevas),
Atena e Afrodite haviam sido convidadas, juntamente uma divindade primordial e a personificação da
com o restante do Olimpo, para o casamento forçado luz do dia e do ciclo da manhã. Segundo o poeta
de Peleu e Tétis, que viriam a ser os pais de Aquiles, mas romano Higino, teve um romance com seu irmão
Éris fora desdenhada por conta de seu temperamento Éter e com ele teve três filhos, Terra (Gaia), Coelum
controvertido - a discórdia, naturalmente, não era bem- (Urano) e Mare (Tálassa). Nasceu junto de Éter e das
vinda ao casamento. Hespérides. Também era chamada de Amara (“Dia”).
Os romanos a chamavam de Dies.
Mesmo assim, compareceu aos festejos e lançou
no meio dos presentes o Pomo da Discórdia, uma
maçã dourada com a inscrição kallisti (“à mais bela”),
fazendo com que as deusas discutissem entre si acerca
da destinatária. O incauto Páris, um pastor de rebanhos,
príncipe de Troia, foi designado por Zeus para escolher
a mais bela. Cada uma das três deusas presentes
imediatamente procurou suborná-lo: Hera ofereceu-lhe
poder político; Atena, habilidade na batalha; e Afrodite,
a atual mulher mais bela mulher do mundo, Helena,
esposa de Menelau de Esparta. Páris elegeu Afrodite
para receber o Pomo, condenando sua cidade, que foi
destruída na guerra que se seguiu.

AETHER
Aether, ou Éter, é a personificação do conceito
de “céu superior”, o “céu sem limites”, diferente de
Urano. É o ar elevado, puro e brilhante, respirado pelos
deuses, contrapondo-se ao ar obscuro, aér, que os mortais
respiravam, sendo deus desconhecido da matéria, em
consequência as moléculas de ar que formam o ar e
seus derivados.

É considerado por Hesíodo como sendo filho


de Érebo e de Nix, tendo por irmã Hemera. A lista
do poeta romano Higino atribui-lhe como filhos
de sua união com Dies (Hemera), Terra, Coelum e
Mare, e depois com Terra (Gaia), de Dolor (dor),
Dolus, (engano), Ira (fúria), Luctus (luto), Mendacium
(mentiras), Jusiurandum (juramento), Ultio (punição),
Intemperantia (intemperança), Altercatio (altercação),
Oblivio (esquecimento), Socordia (preguiça), Timor
(medo), Superbia (soberba), Incestum (incesto), e Pugna
(contenda). Cícero lhe atribui paternidade sobre Urano.
Também era considerado por Aristófanes como pai das
Néfeles, ninfas das nuvens.

Assim como Érebo, que personifica as trevas Hemera, por William Adolphe Bouguereau, 1881
superiores, tem como seu correspondente Nix, as trevas
superficiais (e, em algumas versões, este aparece como Algumas tradições colocam Éter e Hemera como
filho daquela), pode ser interpretado que Éter tem seu pais apenas de Urano e de Gaia, logo como a semente
correspondente em Urano (de quem ora aparece como de quase todos os deuses gregos. Segundo a mitologia,
filho, ora como pai). momentos antes de Hemera conceber Urano e Gaia,
ouviam-se grandes estrondos por todo Universo, como

14

170318 - mitologia Grega.indd 14 30/08/2017 05:28:56


se o céu estivesse sendo influenciado pela deusa (é citado Quando o sêmen de Urano a fecundou, ela teve
que isso se deve ao fato de Hemera ter uma forte ligação Dione, a deusa das ninfas. Outra versão coloca Dione
com Éter). Mais tarde, passou a compor o séquito de como uma das oceânides e essa mesma versão coloca
Hélio ao lado das Hespérides. Era também guardiã das Tálassa como mãe de Afrodite com Urano.
fronteiras, entre o mundo onde chegava a luz e o mundo
das sombras. HECATE
Hecate é uma deusa, naturalizada na Grécia
Segundo Hesíodo, Hemera habita junto com sua micénica ou na Trácia, mas oriunda das cidades cárias
mãe além do Oceano, no extremo do Ocidente. Lá, um de Anatólia, região onde se atestam a maioria dos seus
grande muro separa as portas do inferno do mundo visível. nomes teofóricos, como Hecateu e Hecatomno, e onde
Atrás do muro há o grande palácio onde ambas residem, Hécate era vista como Grande Deusa em períodos
mas nunca as duas estão juntas. Quando Hemera sai, sua históricos, no seu inigualável lugar de culto em Lagina.
mãe espera até a hora de lançar a noite sobre o mundo.
Quando Hemera retorna, cruza por sobre o muro e
cumprimenta sua mãe que saia para correr pelo Mundo.
Como diz Hesíodo: “Nunca o palácio fecha ambas”.

Hemera tem uma grande beleza, não tão grande


quanto a de Afrodite, uma das muitas habilidades de
Hemera é a persuasão, pois é ligada à mentira, e com esta
habilidade pode parcialmente exercer o controle mental.
Hemera sempre foi ligada ao Deus Apolo e poderiam até
ser tidos como irmãos de laços, pois o sol está na manhã.

TÁLASSA
foi, na mitologia grega, a deusa do mar, filha de
Éter e Hemera. Ela era a personificação feminina do
mar Mediterrâneo.

Filha de Nix e Tártaro, era considerada a Deusa das


terras selvagens e dos partos, era geralmente representada
segurando duas tochas ou uma chave, e em períodos
posteriores na sua forma tripla. Estava associada a
encruzilhadas, entradas, fogo, luz, a lua, magia, bruxaria,
o conhecimento de ervas e plantas venenosas, fantasmas,
Thalassa (Thalatta), die Personifikation des Meeres necromancia e feitiçaria. Ela reinara sobre a terra,
mar e céu, bem como possuía um papel universal de
Com Pontos (Filho de GAIA), ela foi a mãe de salvadora, Mãe dos Anjos e a Alma do Mundo Cósmico.
todos os peixes e seres do mar, da ninfa Hália, às vezes Ela era uma das principais deidades adoradas nos lares
também do gigante Egeon, a personificação do mar Egeu atenienses como deusa protetora e como a que conferia
e dos nove Telquines. prosperidade e bênçãos diárias à família

15

170318 - mitologia Grega.indd 15 30/08/2017 05:28:57


EROS PRIMORDIAL (PHANES) Este Eros era um ajudante de Afrodite, que dirigia a
No pensamento grego existem dois aspectos força primordial do amor e a levava aos mortais. Em
na concepção de Eros. No primeiro é uma divindade algumas versões tinha dois irmãos chamados Anteros, a
primordial que encarna não só a força do amor erótico personificação do amor não correspondido, e Hímeros,
senão também o impulso criativo da sempre florescente a do desejo sexual.
natureza, a Luz primogênita que é responsável pela
criação e a ordem de todas as coisas no Cosmos. Na A adoração de Eros era pouco comum na Grécia
Teogonia de Hesíodo, o mais famoso dos mitos de mais antiga, mas mais tarde chegaria a estar muito
criação gregos, Eros surgiu após o Caos primordial junto estendida. Foi adorado ferventemente por um culto a
com Gaia, a Terra, e Tártaros, o Inframundo. De acordo fertilidade em Tespia e ancançou um importante papel
com a obra de Aristófanes As Aves, Eros brotou de um nos mistérios eleusinos. Em Atenas, compartilhou com
ovo posto por Nix, a noite, que o havia concebido com Afrodite um culto muito popular e lhe consagravam o
Érebo, as trevas. quarto dia de cada mês.

TÁRTARO
O Tártaro, na mitologia grega, é personificado
por um dos deuses primordiais, nascidos a partir
do Caos (apesar de alguns autores o considerarem
irmão de Caos). Suas relações com Gaia geraram as
mais terríveis bestas da mitologia grega, entre elas o
poderoso Tifão.

Assim como Gaia é a personificação da


Terra e Urano a personificação do Céu, Tártaro é a
personificação do Mundo Inferior.

Nele estão as cavernas e grutas mais profundas


e os cantos mais terríveis do reino de Hades, o mundo
dos mortos, para onde todos os inimigos do Olimpo
são enviados e onde são castigados por seus crimes.
Lá os titãs são aprisionados por Zeus (Júpiter), Hades
(Plutão) e Poseidon (Netuno) após a Titanomaquia.

Na Ilíada, de Homero, representa-se este


mitológico Tártaro como prisão subterrânea ‘tão abaixo
do Hades quanto a terra é do céu’. Segundo a mitologia,
nele são aprisionados somente os deuses inferiores,
Cronos e outros titãs, enquanto que os seres humanos,
são lançados no submundo, chamado de Hades.

GAIA
Gaia, Geia ou Gé, na mitologia grega, é a Mãe-
Terra, como elemento primordial e latente de uma
potencialidade geradora incrível. Segundo Hesíodo,
no princípio surge o Caos (o vazio) e dele nascem
Gaia, Tártaro (o abismo), Eros (o amor), Érebo (as
trevas) e Nix (a noite).

Eros, por Francesco de Rossi, 1560 Gaia gerou sozinha Urano (o Céu), Ponto (o
mar) e as Óreas (as montanhas). Ela gerou Urano,
Posteriormente aparece a versão alternativa que seu igual, com o desejo de ter alguém que a cobrisse
fazia Eros filho de Afrodite com Ares, Hermes ou completamente, e para que houvesse um lar eterno
Hefesto, ou de Poros e Penia, ou às vezes de Íris e Zéfiros. para os deuses “bem-aventurados”.

16

170318 - mitologia Grega.indd 16 30/08/2017 05:28:57


Com Ponto, Gaia gerou Nereu: É um deus
marinho primitivo, representado como um idoso o velho
do mar. Além de Fórcis, Ceto, Euríbia e Taumante.

Com Urano, Gaia gerou os doze titãs: Oceano,


Céos, Crio, Hiperião, Jápeto, Teia, Reia, Têmis,
Mnemosine, a coroada de ouro Febe e a amada Tétis;
por fim nasceu Cronos, o mais novo e mais terrível
dos seus filhos, que odiava a luxúria do seu pai.

Período após haverem concebido os titãs, Urano


e Gaia geraram os três ciclopes e os três hecatônquiros.

Como fosse Urano capaz de prever o futuro, temeu


o poder desses filhos, quais tornar-se-iam poderosos, e
os encerrou novamente no útero de Gaia. Ela, que gemia
com dores atrozes sem poder parir, clamou pelo favor de
seus filhos titãs e pediu auxílio para libertarem os irmãos
e vingarem-se do pai. Dos doze irmãos, porém, somente
Cronos aceitou a conspiração.

Gaia então retirou do peito o aço e com o auxílio


de Nix, dele fez a foice dentada. Concedeu-a a Cronos
e o escondeu, para que, quando viesse o pai durante a
noite, não percebesse sua presença. Ao descer Urano
para se unir mais uma vez com a esposa, foi surpreendido
por Cronos, que atacou-o e castrou-o, separando assim
o Céu e a Terra.

Cronos lançou os testículos de Urano ao mar, mas


algumas gotas caíram sobre a terra, fecundando-a. Do
sangue de Urano derramado sobre Gaia, nasceram os Gaia, por Anselm Feuerbach, 1875
Gigantes, as Erínias as Melíades.

17

170318 - mitologia Grega.indd 17 30/08/2017 05:28:57


Após a queda de Urano, Cronos subiu ao trono do Como última alternativa, Gaia enviou seu filho
mundo e libertou os irmãos. Mas vendo o quanto eram mais novo e o mais horrendo, Tífon, para dar cabo
poderosos, também os temia e os aprisionou mais uma dos deuses e seus aliados. Os deuses se uniram contra
vez. Gaia, revoltada com o ato de tirania e intolerância a terrível criatura e depois duma terrível e sangrenta
do filho, tramou nova vingança. batalha, lograram triunfar sobre a última intentona e
prole de Gaia.
Já havendo assumido regência do universo e se
casado com Reia Cronos foi por Urano advertido de Enfim, Gaia cedeu e concordou com Zeus que
que um de seus filhos o destronaria. Ele então passou jamais voltaria a tramar contra seu governo. Dessa forma
a devorar cada recém-nascido tal qual o fizera o pai. foi ela recebida como uma titã olímpica
Contudo, Gaia ajudou Reia a salvar o filho que viria
a ser Zeus, escondendo-o em caverna dum monte em PONTUS
Creta, onde seria amamentado pela cabra Aix da ninfa Ponto ou Pontus, na mitologia grega, era a
Amalteia. Reia então, em vez de entregar seu filho para divindade do mar aberto, ou seja, das profundezas
Cronos devorá-lo, entregou-lhe uma pedra. do mar. Segundo Hesíodo em sua Teogonia, tal como
Urano e os Oreas, Ponto nasceu por partenogênse de
Já adulto, Zeus declarou guerra ao pai e aos demais Gaia, a Terra, ou seja, Gaia gerou Ponto por si própria.
titãs com suporte de Gaia. Durante cem anos nenhum Já Higino afirmou que Ponto é filho de Terra com
dos lados chegava ao triunfo. Gaia então foi até Zeus e Coelum (nome romamo de Urano).
prometeu que ele venceria e se tornaria rei do universo
se descesse ao Tártaro e libertasse os três ciclopes e os
três hecatônquiros.

Ouvindo os conselhos de Gaia, Zeus venceu


Cronos com a ajuda dos filhos libertos da Terra e se
tornou o novo soberano do Universo. Zeus realizou um
acordo com os hecatônquiros para que estes vigiassem
os Titãs no fundo do Tártaro. Gaia pela terceira vez
se revoltou e lançou mão de todas as suas armas para
destronar Zeus.

Num primeiro momento, ela pariu os incontáveis


andróginos, seres com quatro pernas e quatro braços
que se ligavam por meio da coluna terminado em duas
cabeças, além de possuir os órgãos genitais femininos
e masculinos.

Os andróginos surgiam do chão em todos os


quadrantes e escalavam o Olimpo com a intenção de
destruir Zeus, mas, por conselhos de Têmis, ele e os
demais deuses deveriam acertar os Andróginos na coluna,
de modo a dividi-los exatamente ao meio. Assim feito,
Zeus venceu.

Noutra oportunidade, Gaia produziu uma planta


que ao ser comida poderia dar imortalidade aos gigantes;
todavia a planta necessitava de luz para crescer. Ao
saber disto Zeus ordenou que Hélio, Selene, Eos e as Estátua de Pontus, no Museu Constanza
Estrelas não subissem ao céu, e escondido nos véus de
Nix, ele encontrou a planta e a destruiu. Mesmo assim Com Gaia, Ponto gerou o velho do mar Nereu,
Gaia incitou os gigantes a empilharem as montanhas na as maravilhas do mar, Taumas, os aspectos perigosos do
intenção de escalar o céu e invadir o Olimpo. Zeus e os mar, Fórcis e sua irmã e esposa Ceto, e a fúria do mar,
outros deuses permaneceram invictos, entretanto. Euríbia. Com Tálassa, foi pai dos Telquines.

18

170318 - mitologia Grega.indd 18 30/08/2017 05:28:57


OREAS TIFON, O DRAGÂO
Os óreas ou oúreas, na mitologia grega, eram os Tifão, Tufão,Tífon ou Tifeu é um titã da mitologia
deuses das montanhas, filhos de Gaia (a Terra) sem pai, a quem imputavam os gregos a paternidade dos ventos
e portanto irmãos de Urano (o Céu) e Ponto (o Mar). Os ferozes e violentos. É filho de Gaia e de Tártaro. No
antigos gregos acreditavam que cada montanha possuía sincretismo com o mito egípcio de Osíris, Tifão era
uma divindade que era denominada de acordo com sua identificado com o gigante Seb, responsável pela seca do
própria montanha, por exemplo: Nilo e deus da morte, e que por inveja da fecundidade
daquele o matara, sendo vingado por seu filho Anúbis.
Atos — montanha da Trácia (norte da Grécia).
Cilene — montanha da Arcádia, local do Junto à esposa Equidna foi pai de vários dos
nascimento de Hermes. monstros que povoam as aventuras de heróis e deuses,
Citerão — grupo montanhoso da Beócia (centro como o Leão da Nemeia, combatido por Hércules, a
da Grécia). Hidra de Lerna ou a Esfinge, na fusão com os mitos
Dicte — montanha da ilha de Creta, local do egípcios, dos cães Ortros e Cérbero.
nascimento de Zeus.
Etna — o vulcão da ilha de Sicília. Hesíodo descreve-o assim:
Hemo e Ródope — duas montanhas da Trácia.
Hélicon — montanha da Beócia, que competiu “As vigorosas mãos desse gigante trabalhavam sem
com Citéron. descanso, e os seus pés eram infatigáveis; sobre os ombros,
Ida — duas montanhas, uma localizada na ilha de erguiam-se as cem cabeças de um medonho dragão, e de cada
Creta e outra na região de Troia. uma se projetava uma língua negra; dos olhos das monstruosas
Nisa — montanha da Beócia que criou Dionísio. cabeças jorrava uma chama brilhante; espantosas de ver,
Olimpo — morada dos deuses olímpicos e a proferiam mil sons inexplicáveis e, por vezes, tão agudos que
montanha mais alta da Grécia, situada na Tessália os próprios deuses não conseguiam ouvi-los; ora o poderoso
Ótris — montanha em Malis (sul da Tessália); a mugido de um touro selvagem, ora o rugido de um leão feroz
montanha foi usada pelos titãs na Titanomaquia ; muitas vezes — ó prodígio! — o ladrar de um cão, ou os
Parnes — montanha da Beócia. clamores penetrantes de que ressoavam as altas montanhas”.
Parnaso — montanha no centro da Grécia,
consagrado a Apolo e morada das Musas. Tifão é uma besta horripilante nascida para
Tmolos — montanha da Lídia (em Anatólia) acabar com Zeus e com o Olimpo. Filho da vingativa

19

170318 - mitologia Grega.indd 19 30/08/2017 05:28:58


Gaia e do sinistro Tártaro, um deus primordial que vive Nereu é representado em obras de arte, assim
enclausurado nas profundezas. Foi responsável pela como outros deuses dos mares, com um tridente e algas,
fuga em massa dos deuses olimpianos, porque é capaz que representam o seu cabelo e a sua barba. Parece ser
de incutir grande pavor. Venceu a primeira luta contra a personificação do deus do mar anterior a Poseidon,
Zeus, mas foi derrotado na segunda. quando Zeus destronou Cronos.

OS FILHOS DE PONTUS TAUMAS


Com Gaia, Ponto gerou o velho do mar Nereu, Taumas (“maravilhas”), na mitologia grega, é
as maravilhas do mar, Taumas, os aspectos perigosos do uma divindade marinha, da geração dos Titãs, filho de
mar, Fórcis e sua irmã e esposa Ceto, e a fúria do mar, Ponto e Gaia.
Euríbia. Com Tálassa, foi pai dos Telquines, da ninfa
Hália, de Egeon e de todos os peixes do Mar. É o companheiro da ocêanide Electra, filha de
Oceano, com quem é pai de Íris, mensageira da deusa
NEREU Hera, e sua irmã gêmea Arce (o orvalho da manhã)
Nereu é um deus marinho primitivo, representado mensageira dos Titãs durante a guerra travada contra os
como um personagem idoso – o velho do mar. deuses olímpicos, e as três Harpias: Aelo (a borrasca),
Ocípite (a rápida no voo) e Celeno (a obscura).
É filho de Ponto e de Gaia. Desposou a oceânide
Dóris e foi pai de cinquenta filhas, as nereiades, e de EURÍBIA
um filho, Nérites. O seu reino é o Mediterrâneo, e mais Euríbia ou Eurybía, na mitologia grega, era a deusa
particularmente, o Egeu. É conhecido por suas virtudes e da fúria e da violência do mar, consorte do Titã Crio,
por sua sabedoria. Píndaro celebra sua justiça benfazeja, que deu à luz Astreu, Perses e Palas. Foi uma divindade
daí seus epítetos “verídico”, benfazejo”, “sem mentira menor do mar, sob o domínio de Poseidon. Seus pais
nem esquecimento”. foram Ponto e Gaia.

Tem o dom da profecia e, como outras divindades, CETO


pode mudar de aparência. Ajudou vários heróis, como Ceto ou Keto é uma divindade primordial marinha
Héracles, que sempre conseguia descobri-lo, mesmo filha do Pontos, o Mar, e de Gaia, a Terra. O nome
quando mudava de forma. Cetus, que significa “monstro”, é como os antigos gregos

20

170318 - mitologia Grega.indd 20 30/08/2017 05:28:58


denominavam as baleias, que para eles eram monstros GÓRGONAS
marinhos. Ceto é a personificação dos perigos do mar. As Górgonas são criaturas da mitologia grega,
Ela era mais especificamente uma deusa das baleias, representadas como monstros ferozes, de aspecto
tubarões e monstros marinhos. feminino e com grandes presas. Tinham o poder de
transformar todos que olhassem para ela em pedra, o
Também tida como deusa dos horrores e formas que fazia com que, muitas vezes, imagens suas fossem
estranhas, coloridas e exuberantes que o mar pode utilizadas como uma forma de amuleto. As Górgonas
produzir e revelar para os homens. Irmã e esposa de também vestiam um cinto de serpentes entrelaçadas.
Fórcis, a deusa recebe esses epítetos: Krataiis (“poderoso,
das rochas”); Lamía (“o tubarão”); Tríenos (“dentro de
três anos”). Seus símbolos são as baleias; tubarões; peixes
grandes e o mar.

Segundo Hesíodo, em sua Teogonia, Ceto era uma


deusa extremamente bela que gerou filhas belas porém
perigosas e odiadas pelos deuses.

Todavia, como é comum às divindades marinhas,


Ceto possui um aspecto dual: enquanto era considerada
dona de uma beleza divina, também eram vista com um
monstro abissal capaz de gerar outros monstros iguais a
si: as Górgonas, as Greias e o Dragão insone Ladão. Já
Equidna, também sua filha, era uma criatura ambígua,
com tronco de uma bela ninfa e cauda de serpente em
lugar dos membros.

Medusa, por Bernini, 1650

Na mitologia grega tardia, diziam-se que existiam


três Górgonas: as três filhas de Fórcis e Ceto. Seus nomes
eram Medusa (“a impetuosa”), Esteno (“a que oprime”) e
Euríale (“a que está ao largo”). Como a mãe, as górgonas
eram extremamente belas e seus cabelos eram invejáveis;
todavia, eram desregradas e sem escrúpulos. Isso causou
a irritação dos demais deuses, principalmente de Atena, a
deusa da sabedoria, que admirou-se de ver que a beleza
das górgonas as fazia exatamente idênticas a ela.

Vaso descrevendo Perseu, Andômeda e Ceto. Atena então, para não permitir que deusas iguais
a ela mostrassem um comportamento maligno, tão
Nas primeiras versões do mito de Perseu e diferente do seu, deformou-lhes a aparência, determinada
Andrômeda, Ceto era o Monstro marinho que Poseidon a diferenciar-se. Atena transformou os belos cachos das
chamou para destruir a ilha. irmãs em ninhos de serpentes letais e violentas, que
picavam suas faces. Transformou seus belos dentes em
FORCIS presas de javalis, e fez com que seus pés e mãos macias
Ceto e Fórcis foram pais das duas Greias: Ênio se tornassem em bronze frio e pesado. Cobrindo suas
e Pênfredo, além de Dino, acrescentada depois, as três peles com escamas douradas e para terminar, Atena
górgonas: Esteno, Euríale e Medusa e da serpente que condenou-as a transformar em pedra tudo aquilo que
guarda as maçãs de ouro, o Dragão das Hespérides, além pudesse contemplar seus olhos. Assim, o belo olhar das
de Equidna, a ninfa víbora. górgonas se transformou em algo perigoso.

21

170318 - mitologia Grega.indd 21 30/08/2017 05:28:58


Mesmo monstruosa, Medusa foi assediada por e irmãs das Górgonas, com as quais eram frequentemente
Poseidon, que amava Atena. Para vingar-se, Medusa confundidas. Todas as três, em conjunto, possuíam um só
cedeu e Poseidon desposou-a. Após isso, Poseidon fez dente e um só olho, dos quais se serviam alternadamente.
com que Atena soubesse que ele tivera aquela que era
sua semelhante. Atena sentiu-se tão ultrajada que tomou Encarregadas de guardar o caminho que conduzia
de Medusa sua imortalidade, fazendo-a a única mortal à morada das górgonas, foram enganadas por Perseu,
entre as górgonas. Em outras versões, Atena amaldiçoou quando este se predispôs a matar a Medusa. O herói
as górgonas justamente porque quando Medusa ainda era conseguiu apoderar-se de seu único olho, de modo que
bela, ela e Poseidon se uniram em um templo de Atena, as três mergulharam no sono ao mesmo tempo ele pôde
a deusa ficou ultrajada e as amaldiçoou. realizar sua façanha sem perigo.

Mais tarde, Perseu, filho de Zeus e da princesa Segundo outra versão, Perseu tomara-lhes o olho e
Dânae, contou com a ajuda de Atena para encontrar o dente e recusou-se a devolvê-los se as velhas mulheres
Medusa e cortar a sua cabeça, com a qual realizou não o encaminhassem às ninfas que lhe forneceriam
prodígios. Pois mesmo depois de morta, a cabeça os meios para vencer a Medusa: sandálias aladas, uma
continuava viva e aquele que a olhasse nos olhos se espécie de sacola e o capacete de Hades.
tornava pedra. Medusa deu à luz dois filhos de Poseidon,
Pégaso e Crisaor. DRAGÃO LADON
Ladon, ou Ladão, era um dragão com um corpo
GREIAS de serpente onde tinha cem cabeças que falavam línguas
Greias ou Graeias (em grego as “anciãs”, as diferentes, foi um dragão a quem Hera, mulher de
“cinzentas”) são personagens da mitologia greco- Zeus, deu a tarefa de proteger a macieira de frutos de
romana. Eram três irmãs que desde o nascimento tinham ouro. Esta era um árvore que Gaia lhe tinha dado no
cabelos grisalhos. Eram as irmãs Dino (“temor”), Ênio dia de casamento com Zeus. Hera plantou essa árvore
(“horror”) e Pênfredo (“alarme”), filhas de Fórcis e Ceto nos confins ocidentais do Mundo e deu às ninfas do
entardecer, filhas de Atlas, a função de a proteger.
Estas, por sua vez, aproveitaram-se dos frutos de ouro
para seu próprio benefício e a rainha dos deuses teve
de procurar um guardião mais confiável, poderoso, e
inteligente - Ladão.

O Dragão Ladon, ilustração de 1911

A partir desse momento, Ladão tornou-se o


guardião da macieira dos frutos de ouro, que mais tarde
morreu por um flecha de Hércules que precisava de uma
Perseu enganando as Graeias, por Helen Straton, 1915 maçã de ouro para completar uma das doze tarefas do
rei Euristeu. Este por sua vez, depois de matar o temível

22

170318 - mitologia Grega.indd 22 30/08/2017 05:28:58


dragão, foi ter com Atlas que cedeu a sua tarefa de segurar Criada pelo rei da Cária, mais tarde assolaria este reino
o mundo aos ombros a Hércules, enquanto ele ia buscar e o de Lícia bafejando fogo incessantemente, até que
a maçã. Quando regressou, trazia três maçãs de ouro, mas o herói Belerofonte, montado no cavalo alado Pégaso,
recusava-se a voltar para a sua função, o que fez Hércules conseguiu matá-la.
enganá-lo dizendo que aceitava a exigência de Atlas, mas
que queria ir buscar, primeiro, uma almofada para por Com o passar do tempo, chamou-se genericamente
aos ombros. Assim, Atlas voltou a suportar o mundo e quimera a todo monstro fantástico empregado na
Hércules aproveitou para fugir indo para o jardim que o decoração arquitetônica.
dragão guardava. Lá, para prestar homenagem a Ladão,
pegou nos seus restos mortais e atirou-os para o Céu, LEÃO DA NEMÉIA
onde ainda hoje estão, na constelação do Dragão. O Leão da Nemeia era uma criatura que habitava
a planície de Nemeia, na Argólida, aterrorizando toda
EQUIDNA aquela região.
Equidna (“víbora”), na mitologia grega, era
uma criatura com tronco de uma bela mulher (ou A terrível fera não podia ser morta por um homem
ninfa) e cauda de serpente em lugar dos membros. normal por ter couro de material impenetrável para
Era gigante, como um titã. Por isso, era a única capaz mortais (humanos) e todos os que tentavam enfrentá-lo
de se unir com o horrendo Tifão. Vivia numa caverna ficavam completamente aterrorizados pelo seu rugido,
no Peloponeso ou na Síria. que podia ser ouvido a quilômetros de distância. Além
disso, arma alguma podia penetrar o couro do animal,
As tradições divergem bastante quanto à sua origem. e todos que o tentavam matar com lanças ou flechas
Segundo Hesíodo era filha de Fórcis e Ceto, e portanto neta acabavam sendo devorados.
de Ponto e Gaia. Em outras versões seria descendente de
Tártaro e Gaia ou ainda de Crisaor e Calírroe.

Nas versões mais conhecidas, Equidna, em


função da própria monstruosidade, casou-se com o
horrendo gigante Tifão, tornando-se a “mãe de todos
os monstros”.

Seus filhos com Tifão foram:

- Cérbero, o cão de três cabeças, que guardava o Hades


- Ortros, o cão de guarda de Gerião, de duas cabeças
- a Hidra de Lerna
- a Quimera, morta por Belerofonte
- Ladão, o dragão de cem cabeças, que guardava o
velocino de ouro
- Cila, monstro da lenda de Odisseu também é
considerada em algumas versões sua filha com Tifão. Hércules e o Leão da Nemedia, Leon Bonnat, 1922
- o Leão da Nemeia
- a Esfinge de Tebas, derrotada por Édipo A origem do Leão da Nemeia é controversa.
Segundo algumas versões, era tido era filho de Tifão
QUIMERA e Equidna. Outras lendas o dão como fruto da união
Oriunda da Anatólia e cujo tipo surgiu na Grécia de Equidna e seu próprio filho Ortros, o cão de duas
durante o século VII a.C., sempre exerceu atração cabeças. Outra versão é de que seria filho de Cérbero com
sobre o imaginário popular. De acordo com a versão Quimera, e portanto neto de Tifão e Equidna.
mais difundida da lenda, a quimera era um monstruoso
produto da união entre Equidna - metade mulher, metade No primeiro dos seus famosos doze trabalhos,
serpente - e o gigantesco Tifão. Hércules recebeu de Euristeu a missão de derrotar o Leão
de Nemeia, para dar fim à devastação que este causava.
Outras lendas a fazem filha da hidra de Lerna e De início, Hércules tentou atingi-lo com suas flechas,
do leão da Nemeia, que foram mortos por Hércules. inutilmente. Irritado, o herói aplicou com sua clava um

23

170318 - mitologia Grega.indd 23 30/08/2017 05:28:59


golpe tão tremendo na cabeça do animal, que este caiu cortou e enterrou a última cabeça com uma enorme pedra.
desacordado. Depois de estrangulá-lo, Hércules extraiu Assim, o monstro foi morto.
o couro do animal com as próprias garras, uma vez que
nenhuma arma de ferro o conseguia cortar ou perfurar. DRAGÃO DA CÓLQUIDA
Dragão da Cólquida, na mitologia grega, era
A partir daí Hércules passou a usar sua pele conhecido como o guardião do velocino de ouro, no qual
como um manto protetor, com a cabeça do leão o herói Jasão e os argonautas conseguiram se apoderar.
servindo-lhe de elmo. O dragão da Cólquida era muito grande, mas era muito
lento. A lenda diz que dormia com um olho aberto e
HIDRA DE LERNA outro fechado. Muitos heróis tentaram, mas apenas Jasão
A Hidra de Lerna era um monstro, filho de Tifão conseguiu matá-lo. Para conseguir o velocino dourado,
e Equidna, que habitava um pântano junto ao lago de os heróis teriam que matar búfalos de fogo, semear seus
Lerna, na Argólida, hoje o que equivaleria à costa leste dentes, lutar com guerreiros cadavéricos nascidos dos
da região do Peloponeso. A Hidra tinha corpo de dragão dentes, chamados Sparti, derrotá-los para chegar até o
e 7 cabeças de serpente (quando uma delas era cortada, dragão e matá-lo. Tudo isso no mesmo dia.
cresciam 2 no lugar da cortada) cujo hálito era venenoso
e que podiam se regenerar. ESFINGE
Havia uma única esfinge na mitologia grega, um
A Hidra era tão venenosa que matava os homens demônio exclusivo de destruição e má sorte, de acordo
apenas com o seu hálito; se alguém chegasse perto dela com Hesíodo uma filha de Tifão e de Equidna — todas
enquanto ela estava dormindo, apenas de cheirar o seu destas figuras ctônicas. Ela era representada em pintura
rastro a pessoa já morria em terrível tormento. de vaso e baixos-relevos mais freqüentemente assentada
ereta de preferência do que estendida, como um leão
A Hidra foi derrotada por Héracles (Hércules, na alado com uma cabeça de mulher; ou ela foi uma mulher
mitologia romana), em seu segundo trabalho. Inicialmente com as patas garras e peitos de um leão, uma cauda de
Héracles tentou esmagar as cabeças, mas a cada uma que serpente e asas de águia. Hera ou Ares mandaram a
cortava surgiam duas no lugar. Decidiu então mudar de esfinge de sua casa na Etiópia (os gregos lembraram a
tática e, para que as cabeças não se regenerassem, pediu ao origem estrangeira da esfinge) para Tebas e, em Édipo
sobrinho Jolau para que as queimasse com um tição logo Rei de Sófocles, pergunta a todos que passam o quebra-
após o corte, cicatrizando desta forma a ferida. Sobrou então cabeça mais famoso da história, conhecido como o
apenas a cabeça do meio, considerada imortal. Héracles enigma da esfinge, decifra-me ou devoro-te:

24

170318 - mitologia Grega.indd 24 30/08/2017 05:28:59


Que criatura pela manhã tem quatro pés, ao meio-
dia tem dois, e à tarde tem três? Ela estrangulava qualquer
inábil a responder, daí a origem do nome esfinge, que
deriva do grego sphingo, querendo dizer estrangular.

Édipo resolveu o quebra-cabeça: O homem —


engatinha como bebê, anda sobre dois pés na idade
adulta, e usa um arrimo (bengala) quando é ancião.

Furiosa com tal resposta, a esfinge teria cometido


suicídio, atirando-se de um precipício.

ORTROS
Ortro ou Ortros era um cão bicéfalo da mitologia
grega. Considerado o cão de guarda mais feroz da Cerberus, Aquarela de William Blake, 1827
antiguidade, sua cauda era uma serpente. Sua mãe,
Equidna, era uma mulher-serpente e seu pai, Tifão, Quanto à vida depois da morte, os gregos
possuía cabeça de cavalo. Ortro era irmão do cão acreditavam que a morada dos mortos era o reino de
Cérbero, que guardava o Hades. Hades, o deus do sub-mundo, ao lado de Perséfone
(Deusa da primavera, filha de Zeus e Deméter). Hades
Ortro era mascote de Gerião, gigante de três era irmão de Zeus. Localizava-se nos subterrâneos,
corpos, seis asas e seis braços, pastor de um dos maiores rodeado de rios, que só poderiam ser atravessados pelos
e melhores rebanhos de toda a África. Ortro vigiava seu mortos. Os mortos conservavam a forma humana, mas
gado, na ilha de Erítia, onde Héracles o matou, para não tinham corpo, não se podia tocá-los. Os mortos
cumprir o seu décimo trabalho. vagavam pelo Hades, mas também apareciam no local do
sepultamento. Havia rituais cuidadosos nos enterros, e
Há quem diga que o dono original de Ortro foi os mortos eram cultuados, principalmente pelas famílias
Atlas, o titã que carregava o Céu nos ombros. em suas casas. Quando os homens morriam eram
transportados, na barca de Caronte para a outra margem
Conta-se que depois de ter sido morto por do rio Aqueronte, onde se situava a entrada do reino de
Héracles, Ortro ascendeu aos céus e transformou-se Hades. O acesso se dava por uma porta de diamantes
na estrela Sirius (Estrela do Cão), que é a estrela mais junto a qual Cérbero montava guarda.
brilhante do céu noturno.
Para acalmar a fúria de Cérbero, os mortos que
CÉRBERUS residiam no submundo jogavam-lhe um bolo de farinha e
Cérbero era um monstruoso cão de três cabeças mel que os seus entes queridos haviam deixado no túmulo.
que guardava a entrada do mundo inferior, o reino
subterrâneo dos mortos, deixando as almas entrarem, Seu nome, Cérbero, vem da palavra Kroboros, que
mas jamais saírem e despedaçando os mortais que por significa comedor de carne. Cérbero comia as pessoas.
lá se aventurassem. Um exemplo disso na mitologia é Pirítoo, que por tentar
seduzir Perséfone, a esposa de Hades e filha de Deméter,
Cérbero era filho de Tifão e Equidna, irmão de deusa da fertilidade da Terra, foi entregue ao cão. Como
Ortros e da Hidra de Lerna. castigo Cérbero comia o corpo dos condenados.

Cérbero era um cão com várias cabeças, não se têm CILA


um número certo, mas na maioria das vezes é descrito Na tradição mitológica grega, Cila era habitualmente
como tricéfalo (três cabeças). relacionada a Caribdis, outro monstro marinho. Os dois
moravam nos lados opostos do estreito de Messina e
Sua cauda também não é sempre descrita da personificavam os perigos da navegação perto de rochas
mesma forma, às vezes como de dragão, como de cobra e redemoinhos. No cimo do rochedo, que não era tão alto
ou mesmo de cão. Às vezes, junto com sua cabeça são quanto o penedo oposto de Cila, erguia-se uma figueira
encontradas serpentes cuspidoras de fogo saindo de seu negra. Caribdis propriamente dita ficava fora da vista. O
pescoço, e até mesmo de seu tronco. poeta Higino diz que ela foi morta por Hércules

25

170318 - mitologia Grega.indd 25 30/08/2017 05:28:59


HÁLIA Hália, irmã dos telquines, foi amada por Poseidon,
Na mitologia grega, Hália era irmã dos telquines, com quem teve seis filhos homens e uma filha, Rode,
foi amada por Poseidon, com quem teve seis filhos que deu nome à ilha de Rodes.
homens e uma filha, Rode, que deu nome à ilha de Rodes.
EGEON
Os filhos de Hália, porém, eram rapazes arrogantes Gigante do Mar que muitas vezes representava a
e insolentes. Quando Afrodite foi impedida de aportar personificação do Mar Egeu.
em Rodes por eles, ela, de vingança, fez com que eles
se deitassem com a própria mãe e cometessem atos de URANO
violência contra os nativos. Urano (“o que cobre” ou “o que envolve”),
era a divindade que personificava o céu. A etimologia
Quando soube disso, Poseidon enterrou os próprios possivelmente tem origem no vocábulo sânscrito que
filhos em baixo da Terra, e Hália se jogou no mar. origina o nome de Varuna, deus védico do Céu e da
Noite. Sua forma latinizada é Uranus.
OS TÉLQUINES
Os telquines eram demônios marinhos, filhos de Foi gerado espontaneamente por Gaia (a Terra)
Ponto com Tálassa, que tinham cabeça de cachorro, e casou-se com sua mãe. Ambos foram ancestrais
os corpos eram lisos e negros como o dos mamíferos da maioria dos deuses gregos, mas nenhum culto
marinhos, com pernas curtas e grossas, que eram meio dirigido diretamente a Urano sobreviveu até a época
nadadeiras, meio pés, e mãos semelhantes às de humanos, clássica, e o deus não aparece entre os temas comuns
com garras afiadas. da cerâmica grega antiga. Não obstante, a Terra, o
Céu e Estige podiam unir-se em uma solene invocação
Em algumas versões do mito de Poseidon, foram na épica homérica.
eles os criadores do tridente do deus do mar, e não os
ciclopes. Mas quando começaram a utilizar magia negra Urano tem vários filhos (e irmãs), entre os quais
foram lançados ao Tártaro por Zeus. os titãs, os ciclopes e os hecatônquiros (seres gigantes de
50 cabeças e 100 braços). Ao odiar seus filhos, mantém
Em outros mitos, há relatos de que eram imunes todos presos no interior de Gaia, a Terra. Esta então
a magia, mesmo de Hécate. instigou seus filhos a se revoltarem contra o pai. Cronos,

26

170318 - mitologia Grega.indd 26 30/08/2017 05:28:59


o mais jovem, assumiu a liderança da luta contra Urano original chegou ao fim” (Kerenyi). Urano foi raramente
e, usando uma foice oferecida por Gaia, cortou seu pai considerado como antropomórfico, à parte a genitália do
em vários pedaços. Do sangue de Urano que caiu sobre mito da castração. Ele era simplesmente o céu, o qual
a terra, nasceram os Gigantes, as Erínias e as Melíades. foi concebido pelos antigos como uma grande cúpula
ou teto de bronze, sustentada (ou mantida a girar num
eixo) pelo titã Atlas. Em expressões arcaicas, nos poemas
homéricos, ouranos às vezes é uma alternativa a Olimpo,
como a casa dos deuses. Uma ocorrência óbvia seria o
momento, no final da Ilíada I, quando Tétis sobe do mar
para pleitear com Zeus: “e logo pela manhã, ela elevou-se
para saudar Ouranos-e-Olimpo e ela encontrou o filho
de Cronos…”

“’Olimpo’ é utilizado quase sempre como casa,


mas ouranos muitas vezes refere-se ao céu natural acima
de nós, sem qualquer sugestão de deuses vivendo lá,”
William Sale comentou; Sale concluiu que a primeira sede
dos deuses era o atual Monte Olimpo, tendo a tradição
épica no tempo de Homero mudado a sua residência
para o céu, ouranos.

Urano e Gaia, Mosaico de 250 DC Pelo sexto século, quando a “Afrodite celestial”
estava a ser distinguida da “Afrodite comum do povo”,
Segundo o mito da criação do Olimpo, relatado ouranos significava apenas a própria esfera celeste.
por Hesíodo na Teogonia, Urano veio todas as noites
cobrir a Terra (Gaia), mas ele odiava as crianças geradas. OS CICLOPES PRIMORDIAIS
Arges, Brontes e Estéropes são considerados os
Hesíodo refere, como descendentes de Urano, os ciclopes mais antigos, descendendo de Urano e Gaia.
titãs, seis filhos e seis filhas, os cem braços e os gigantes Diz a lenda que, ao nascerem e por causa de seus
com um só olho, os ciclopes. enormes poderes, seu pai Urano, senhor dos céus,
trancou-os no interior da Terra com seus irmãos, os
Urano aprisionou os filhos mais novos de Gaia hecatônquiros, gigantes de cem braços e cinquenta
no Tártaro, nas entranhas da Terra, causando grande cabeças. Gaia, encolerizada por ter os filhos presos no
dor a Gaia. Ela forjou uma foice e pediu aos filhos para Tártaro, incita-os a apoiar a guerra travada por cinco
castrarem Urano. Apenas Cronos, o mais jovem dos titãs, dos seis titãs, também seus filhos com Urano, a fim
concordou. Ele emboscou seu pai, castrou-o e lançou os de tomar o trono do pai que, à época, governava o
testículos cortados ao mar. céu. Os titãs vencem, porém os ciclopes são enviados
novamente para o abismo do Tártaro.
A partir dos testículos lançados ao mar nasceu
Afrodite. Alguns dizem que a foice ensanguentada Por vezes, Zeus, assim como seus irmãos Posídon
foi enterrada na terra e daí nasceu a fabulosa tribo e Hades, libertava os ciclopes com a intenção de tê-los
dos feácios. como aliados na guerra contra Cronos e os titãs. Os
ciclopes, como bons ferreiros, forjaram armas mágicas e
Depois de Urano ter sido deposto, Cronos re- poderosas para Zeus e seus irmãos: Zeus recebera raios
aprisionou os hecatônquiros e os ciclopes no Tártaro. e relâmpagos, Poseidon, um tridente capaz de provocar
Urano e Gaia profetizaram que Cronos, por sua vez, terríveis tempestades, e Hades, o Elmo do Terror, que
estava destinado a ser derrubado por seu próprio filho, lhe dava invisibilidade.
e assim o titã tentou evitar essa fatalidade devorando os
seus filhos. Zeus, graças as artimanhas de sua mãe Reia, Tempos depois, quando os ciclopes já eram
conseguiu evitar este destino. considerados ministros de Zeus e seus ferreiros
permanentes, o grande deus percebeu uma ameaça no
Antes da sua castração, o céu não veio mais para médico Asclépio, filho do deus Apolo. Asclépio, por meio
cobrir a Terra à noite, cigindo-se ao seu lugar, e “a geração de muito estudo, conseguiu fazer ressuscitar os mortos.

27

170318 - mitologia Grega.indd 27 30/08/2017 05:28:59


Então, para que isso não causasse qualquer impacto a guerra dos deuses olímpicos contra os titãs. Nessa
com a ordem do mundo, Zeus decidiu exterminá-lo. guerra, os hecatônquiros lançaram centenas de enormes
Transtornado e ofendido com a ira de Zeus sobre seu pedras contra os titãs, ajudando a derrotá-los.
filho, Apolo decidiu matar os ciclopes que fabricavam
os seus raios, mas de acordo com as lendas, conseguiu Depois da vitória contra os titãs, Briareu
matar apenas os filhos destes. ganhou uma morada nas profundezas do mar Egeu,
enquanto Coto e Giges se estabeleceram em palácios
HECATONQUIROS no rio Oceano.
Os hecatônquiros (“os de cem mãos”), ou
centimanos (em latim: Centimani), na mitologia grega,
eram três gigantes filhos de Urano e Gaia e irmãos dos
doze titãs e dos três ciclopes. Seus nomes eram Briareu
(“o vigoroso”), Coto (“o furioso”) e Giges (“o de grandes
membros”). Possuíam cem mãos e cinquenta cabeças.

Logo após seu nascimento, Urano, horrorizado


com a natureza monstruosa dos seres que havia gerado,
escondeu-os nas profundezas do Tártaro. Cronos,
cumprindo uma profecia do oráculo de Delfos, ajudou-
os a escapar do Tártaro e a formar uma rebelião que
culminaria com a castração de seu pai, Urano. Depois
da queda de Urano, Cronos subiu ao poder e voltou a
aprisioná-los no Tártaro.

Os hecatônquiros foram novamente libertados do


Tártaro por Zeus, que havia sido orientado pela avó deles
Gaia de que eles poderiam ser decisivos na Titanomaquia,

Um Hecatonquiro aprisionado, versão do videogame God of War, 2013

28

170318 - mitologia Grega.indd 28 30/08/2017 05:29:00


Os Titãs

OCEANO do encontro do rio com o mar e dos ricos pesqueiros


Oceano é o filho primogênito de Urano (Céu) e na foz dos rios), Dione (deusa do oráculo de Dodona),
Gaia (Terra), portanto o mais velho dos titãs. Era o deus Tikhé (deusa da boa fortuna e da sorte), Telesto (deusa
das águas correntes, do fluxo e do refluxo e a origem do sucesso), Peithó (deusa da persuasão e da sedução),
de todas as massas líquidas e fontes de água doce do Paregoron (deusa da consolação), Plouto (deusa da
mundo. Oceano também era o deus que regulamentava riqueza), Electra (deusa das nuvens de tempestade
o nascer e o ocaso dos corpos celestes, que se iluminadas pelo sol), Pleione (deusa da abundância),
acreditava surgirem e descerem em seu reino aquático Hesíone (deusa da presciência), Rhodeia (deusa do
nas extremidades da terra. Na cosmogonia grega, o florescer das rosas), Rhodope (deusa das nuvens rosas da
deus Oceano era o grande rio cósmico primordial alvorada), Eudora (deusa das chuvas férteis), Polidora
que circundava o mundo, mantendo-o apertado na (deusa das chuvas abundantes), Galaxaura (deusa da
rede circular de suas águas. No período helenístico, brisa que dissipa a névoa) e Perseis (cognominada “a
com a evolução dos conhecimentos geográficos, ele destruidora”, deusa dos poderes destrutivos da magia).
passou a ser o deus que personificava os oceanos do
planeta, fazendo do distante Atlântico a sede de seu
domínio aquático, enquanto Posídon reinava sobre o
Mediterrâneo. Os oceanos são assim denominados em
honra a esse antigo deus.

Na Ilíada, Oceano é chamado de “o pai de todos


os seres”. Uniu-se à sua irmã Tétis, deusa das fontes de
água pura e personificação dos aquíferos subterrâneos
que alimentam o mundo, e com ela gerou todos os
rios, poços, nascentes e nuvens de chuva. O casal
engendrou mais de 6000 filhos, compostos por 3000
filhas (Oceânides) e 3000 filhos (Potamoi), divindades
relacionadas às águas e aos rios. Na Titanomaquia,
Oceano e sua esposa não tomaram o partido dos titãs,
angariando um imenso prestígio junto aos olímpicos.
Oceano e Tétis foram os pais adotivos da deusa Hera,
rainha dos deuses.

Oceano serviu como patriarca e ancestral comum


para várias gerações divinas, isso porque suas filhas
Oceânides foram esposas e companheiras de diversos
deuses, quer fossem protogenoi (primordiais), titãs
ou olimpianos. As oceânides eram ninfas (divindades
menores da natureza) de grande beleza, deusas
dos córregos, das nuvens, das chuvas, das fontes e
nascentes; as mais velhas eram personificações de Estátua de Oceano, na Fonte Trevi
bênçãos divinas ou conceitos abstratos. Entre as
principais estavam Métis (deusa da prudência e do Já os filhos homens de Oceano e Tétis eram os
bom conselho), Clímene (deusa da fama), Eurínome potamoi, deuses que personificavam os rios existentes em
(deusa das campinas e das pastagens), Dóris (deusa toda a terra. Possuíam os mesmos nomes dos rios do qual

29

170318 - mitologia Grega.indd 29 30/08/2017 05:29:00


eram a manifestação divina. Os potamoi eram descritos lado de Zeus. Estige era uma deusa que representava
como deuses poderosos e eram temidos por outras tudo o que o mundo subterrâneo, o mundo infernal e
divindades. Entre os principais deuses-rios figuravam também o mundo aquático comportam em matéria de
Escamandro (também conhecido como Xanto, era o força perigosa. As águas do rio Estige eram tão poderosas
deus do rio Escamandro, em Troia), Aqueloo (deus-rio que qualquer mortal que as bebesse seria imediatamente
da Etólia), Asterion (deus-rio de Argos), Nilo (deus-rio fulminado. Ao se aliar a Zeus, ela leva consigo ao campo
do Egito), Tigre (deus-rio da Assíria), Eufrates (assim de batalha os filhos que nasceram de sua união com o
como o irmão, deus-rio da Assíria), Orontes (deus-rio deus Palas, filho de Crio: Nice (deusa da vitória), Zelo
da Síria), Ganges (deus-rio da Índia), Eurotas (deus- (deus da dedicação), Kratos (deus da força e do poder
rio da Lacedemônia), Erimanto (deus-rio da Arcádia), de dominação) e Bia (deus da violência brutal).
Asopo (deus-rio da Beócia e de Argos), Ilissos (deus-
rio da Ática), Peneu (deus-rio da Tessália), Titaressos Com a ajuda dessas forças titanescas, Zeus obteve
(igualmente um deus-rio da região da Tessália). a vitória e distribuiu honras e privilégios para estes que
saíram em seu auxílio. Oceano e Tétis continuariam a
Para além desses, eram divindades especialmente envolver o mundo em seus circuitos líquidos e sempre
temíveis os cinco rios-deuses do inferno: Aqueronte (o desfrutariam de grande respeito e veneração por parte
rio da dor), Flegetonte (o rio de fogo), Cocitos (o rio de Zeus e dos olímpicos. Estige também seria venerada
da lamentação), Lehe (o rio do esquecimento) e Estige pelos deuses e, para honrá-la, os olímpicos desceriam
(o rio do ódio), sendo estas duas últimas oceânides. ao inferno e brindariam com suas águas sempre que
fizessem um juramento inviolável. Se um deus fizesse
Pouco afeito a conflitos, Oceano teria se recusado um juramento falso e mentiroso, seria reduzido à letargia
a aliar-se com Cronos na sua revolta contra seu pai total, pois as águas de Estige tinham a capacidade de
Urano. Embora Oceano também tenha permanecido roubar dos deuses a vitalidade, deixando-os num estado
neutro no conflito que opôs olímpicos e titãs, ele pode de coma profundo. Nesse sentido, a Oceânide foi elevada
ser considerado como que um dos artífices da vitória de à condição de árbitra divina: sempre que uma briga entre
Zeus sobre seus irmãos. Isso porque, no auge da guerra, deuses ameaçasse se transformar numa guerra aberta,
Oceano aconselhou a deusa Estige, sua poderosa filha Estige era convocada ao Olimpo para, subitamente, pôr
mais velha, a abandonar o campo dos titãs e lutar ao fim ao conflito nocauteando as parte contentoras. Por
fim, Zeus não se esqueceria de honrar os filhos dela: o
rei dos deuses se cercaria permanentemente do netos de
Oceano, Krátos (o poder da soberania universal) e Bia (a
capacidade de desatar uma violência contra a qual não há
defesa possível). Mais do que honraria ou gratidão, Zeus
realmente precisava do auxílio dos dois para manter a
ordem divina e a sua própria proteção. Quando Zeus se
deslocava, aonde quer que fosse, Kratos e Bía estavam
sempre com ele, à sua direita e à sua esquerda

TÉTIS
Tétis era uma titânide, filha de Urano e de Gaia.
Da sua união com o seu irmão Oceano, nasceram as
oceânides.

As oceânides são três mil, e eles também tiveram


três mil rios como filhos. Personifica a fecundidade
da água, que alimenta os corpos e forma a seiva da
vegetação.

Tétis cuidou de Hera, entregue a ela por Reia,


durante a luta entre titãs e os deuses olímpicos. Em
reconhecimento, a rainha do Olimpo reconciliou-a
com Oceano, quando o casal se desentendeu. Tétis é
representada como uma mulher jovem, de aspecto sábio.

30

170318 - mitologia Grega.indd 30 30/08/2017 05:29:00


Passeia pelo mundo numa concha de marfim, puxada FEBE
por cavalos brancos. Febe ou Foibe era uma titânide, filha de Urano
e Gaia. Era conhecida como “a mais bela entre
O nome da titânide Tétis é o mesmo, em as titânides”. Seu nome está ligado aos vocábulos
português, que sua neta, a nereida Tétis, filha de Dóris gregos phoibos (“brilhante” ou “radiante””), phoibaô
(uma das oceânides) e mãe de Aquiles. Porém em grego (“purificar”) e phoibazô (“profetizar”).
os nomes são diferentes: a titânide se escreve “tethys”
e a nereida “thetis”.

CÉOS
Céos é um dos titãs que nasceram de Gaia (Gea)
e Urano. Foi o titã da inteligência, sendo casado com a
titanide Febe e com ela teve Astéria, a deusa estelar, e
Leto, a deusa do anoitecer.

Trecho da Teogonia de Hesíodo:

“Febe entrou no leito amoroso de Ceos


E fecundou a Deusa o Deus com amor
Nasceu Leto de negro véu
Sempre boa aos humanos e aos Deuses imortais
doce desde o início
a mais suave do Olimpo
Nasceu também Astéria
Que Perses levou ao seu palácio
e a desposou,e desta união
nasceu a poderosa Hecate
Que Zeus agraciou com esplêndidos Dons...

Como a maioria dos titãs, ele não teve papel ativo


na mitologia grega — aparece apenas na lista dos titãs
— mas é importante pelos seus descendentes. Ela era um dos doze titãs, filhos de Urano e Gaia:
Oceano, Céos, Crio, Hiperião, Jápeto, Teia, Reia, Têmis,
Com sua irmã Febe, Céos foi pai de Leto e Astéria. Mnemosine, a coroada de ouro Febe e a amada Tétis e

31

170318 - mitologia Grega.indd 31 30/08/2017 05:29:00


Cronos. Talvez a primeira deusa da Lua que os gregos transformou codorniz e se jogou no mar, dando origem
conheceram, Febe é confundida com sua sobrinha à cidade então chamada de Astéria, mas mais tarde
Selene (filha de Hiperião e Teia), e também com sua chamada de Delos. Foi em Delos que sua irmã Leto deu
neta Ártemis. à luz Ártemis e Apolo.

Febe é a deusa da lua, relacionada com as noites LETO


de lua cheia. Seu nome quer dizer “brilhante”, nome que Leto era uma deusa, filha de Febe e Céos, mãe de
foi emprestado ao seu neto Apolo, chamado de Febo. Apolo e de Ártemis. Era a deusa do anoitecer.
Febe se uniu a Céos e tiveram as deusas Leto (mãe de
Ártemis e Apolo) e Astéria (mãe de Hécate, a bruxa), Leto foi uma deusa amante de Zeus. Ela era uma
que simbolizam respectivamente os oráculos da luz e deusa da maternidade e, com seus filhos, uma protetora
da escuridão. Higino ainda acrescenta entre suas filhas das crianças. Seu nome e iconografia sugerem que ela
o nome de Afirafes. também era uma deusa da modéstia e recatada. Assim
como sua irmã Astéria ela também pode ter sido uma
Febe era uma antiga deusa da profecia e a terceira a deusa da noite, ou, alternativamente, da luz do dia.
presidir o oráculo de Delfos, após Gaia (sua mãe) e Têmis
(sua irmã). Mais tarde deu o oráculo a seu neto Apolo
como presente de aniversário. Por tudo isso Febe, apesar
de brilhante, era considerada uma deusa de mistérios e
segredos. Era representada como uma bela mulher com
os seios nus, voando pelo céu e levando numa das mãos
um cântaro de prata.

ASTÉRIA
Astéria, na mitologia grega, era filha de Céos e
Febe, e irmã de Leto. Astéria e Perses são os pais de
Hécate. Zeus a desejava, e, para fugir de Zeus, ela se

Leto com seus filhos, Apolo e Ártemis

Quando engravidou dos dois, cujo pai era Zeus,


teve que fugir da ira da ciumenta deusa suprema Hera,
que tinha pedido que Gaia não cedesse lugar na terra para
que a deusa pudesse dar à luz seus filhos. A ilha flutuante
de Delos, eventualmente, lhe forneceu refúgio. Para dar
à luz as crianças na ilha, ela teve que fugir da serpente
Píton, que Apolo mataria mais tarde.

Mais tarde, quando ela viajou para Delpho, os


titãs tentaram raptá-la, mas Apolo interveio e matou-os
com flechas.

Na pintura de vasos gregos, Leto foi descrita


geralmente como uma mulher que levanta o véu em
um gesto de modéstia. Ela é retratada geralmente
acompanhada de seus dois filhos. O significado exato
de seu nome é obscuro, alguns comentaristas tentam
conectá-la com a palavra Letho, para passar despercebido,
sugestivo de modéstia, outros derivar da palavra Lícia
para a mulher, lada.

32

170318 - mitologia Grega.indd 32 30/08/2017 05:29:00


CRIO PERSES
Crio é um dos doze titãs clássicos da tradição Perses é um dos titãs, deus da destruição, filho de
hesiódica, filho de Gaia (Terra) e Urano (Céu). Do grego, Crio e Euríbia. Perses se destaca entre os homens por
seu nome significa “carneiro”. Intimamente relacionado sua sabedoria. Perses é o titã que tem o corpo coberto
com a constelação de Áries (carneiro), Crio era o deus de rochas, chamas e lava.
primordial das constelações e sua função na cosmogonia
grega era o de organizar os ciclos estelares. Crio é filho de Urano e Gaia, e Euríbia é a filha
de Ponto e Gaia. Os filhos de Crio e Euríbia são Astreu,
Sua esposa era Euríbia, deusa que personificava o Palas e Perses.
domínio sobre os mares, nascida da união de Gaia e Pontos,
e seus filhos foram Palas (deus dos ofícios guerreiros), É casado com Astéria, sua prima, filha dos titãs
Perses (deus da destruição) e Astreu (deus dos astros e das Febe e Céos. Tem apenas uma filha, Hécate, honrada por
estrelas). Este último se uniu a Eos (deusa da aurora) e gerou Zeus sobre todas as outras como deusa da natureza, do
as estrelas, os quatro ventos (Bóreas, Noto, Euro e Zephyr) e nascimento, da bruxaria e da magia.
os planetas conhecidos na Antiguidade: Phainon (Saturno),
Phaethon (Júpiter), Pyroeis (Marte), Stilbon (Mercúrio) HÉCATE
e Eósforo-Héspero (Vênus). Crio tomou o partido de Não confundir com Hecate, filha de Nix e
Cronos na Titanomaquia e foi atirado ao Tártaro após a Tártaro. A filha de Perses e Astéria é uma encarnação
sua derrota pelos deuses olímpicos. Porém, segundo o que mais humanizada das forças sombrias da Hecate
apregoam diversas tradições míticas posteriores, Zeus, uma Primordial. A primeira é considerada uma força de
vez reconciliado com o pai, libertou os titãs de seus grilhões ação da natureza, enquanto Polidoro considerou
e permitiu que eles finalmente retomassem as suas funções esta segunda Hécate como a forma antropomórfica
divinas na ordem universal. da Noite.

ASTREUS
Astreu foi um dos titãs da segunda geração, os
netos de Urano e Gaia.

Hesíodo, na Teogonia, dá a genealogia de Astreu.


Urano e Gaia geraram os 12 titãs: Oceano, Céos, Crio,
Hiperião, Jápeto, Teia, Reia, Têmis, Mnemosine, Febe,
Tétis e Cronos. Ponto e Gaia geraram vários deuses
ligados à água: Nereu, Taumante, Fórcis, Ceto e Euríbia.
Finalmente, Euríbia uniu-se a Crio, e desta união
nasceram o grande Astreu, Palas e Perses.

Uniu-se a Eos, filha de Teia e Hiperion, que deu-


lhe os quatro ventos como filhos, Zéfiro, Bóreas, Noto
e Eurus, além da estrela Eósforos e as estrelas que
brilham no céu.

PALAS
Palas ou Palante é um dos titãs da segunda geração,
filho do titã Crio e de Euríbia, uma das filhas de Gaia e
Ponto. Palas casou-se com Estige, a filha mais velha do
titã Oceano e com ela gerou filhos poderosos: Kratos (o
poder), Bia (a violência), Zelo (a fúria) e Nike (a vitória).

Quando Zeus declarou guerra aos titãs, Palas Hecate, na forma da deusa lunar tríplice, prima de
decidiu ficar aos lados dos seus, mas Estige escolheu Ártemis, a Lua Caçadora.
apoiar Zeus e levou consigo todos os seus filhos. Ao
findar a guerra, Zeus triunfante lançou Palas e os demais APOLO e ÁRTEMIS
titãs no Tártaro. Ver capítulo sobre os Filhos de Zeus.

33

170318 - mitologia Grega.indd 33 30/08/2017 05:29:01


HIPERION SELENE
Hiperion ou Hiperião é um deus solar primitivo, Selene (“lua”), na mitologia grega, era a deusa da
que ao se unir com a titânide Téia gerou Selene (a Lua), lua. Ela é filha dos titãs Hiperião e Teia e irmã do deus
Hélios (o Sol) e Eos (a Aurora). do sol, Hélio e de Eos, deusa do amanhecer. Ela dirige
sua carruagem lunar pelos céus. Vários amantes são
Era um dos 12 filhos de Urano e de Gaia. Seu atribuídos a ela em vários mitos, incluindo Zeus, Pã,
nome quer dizer: “o que está no alto”. É também o e o mortal Endimião. Em tempos clássicos, Selene foi
Titã da visão. muitas vezes identificada com Ártemis, assim como seu
irmão, Hélio, foi identificado com Apolo. Ambos Selene
TÉIA e Ártemis também foram associados com Hécate, e todos
Teia era uma titânide, filha de Urano e Gaia. os três eram considerados como deusas lunares, embora
Desposou Hiperião, seu irmão, e deu à luz as divindades apenas Selene fosse considerada como a personificação
siderais Hélio, o deus do Sol, Selene, a deusa da Lua, e da própria lua. Sua equivalente romana é Luna.
Eos a deusa do amanhecer.
HÉLIO
Hélio (“Sol”, latinizado como Helius) é a
personificação do Sol na mitologia grega. Hélio é filho
dos titãs Hiperião e Teia, tendo como irmãs Eos, o
amanhecer, e Selene, a Lua.

É casado com Perseis, filha de Oceano e Tétis.


Com ela, Hélio teve vários filhos, entre os quais Eetes,
Circe, Perses e Pasífae, que se casou com o rei Minos de
Creta. Hélio com Clímene teve sete filhas, as helíades, e
um filho, Faetonte.

A sua cabeça é coroada por uma auréola solar.


Circula a terra com a carruagem do sol atravessando o
céu para chegar, à noite, ao oceano onde os seus cavalos se
banham. Nada do que se passa no universo escapa ao seu
olhar, sendo frequentemente convocado por outros deuses
para servir como testemunha. De acordo com o autor
romano Ovídio, Hélio conduz uma carruagem puxada por
Téia, detalhe de um vaso cerâmico, 200 DC quatro cavalos luminosos cujos nomes variam.

34

170318 - mitologia Grega.indd 34 30/08/2017 05:29:01


Na concepção de Eumelo de Corinto Eous e Essa caracterização expressa seu carácter de jovem
Aethiops são os nomes dos machos. As fêmeas, unidas caprichosa e despreocupada, que vive amores intensos
por um jugo, são chamadas Bronte, a quem chamamos e efêmeros.
trovão; e Sterope, que seria o relâmpago.
São numerosas as paixões de Eos, sendo a mais
conhecida com Titono, irmão mais velho de Príamo. Ao
apaixonar-se por ele, teve medo de o perder e o raptou
e levou-o para a Etiópia.

A deusa amava-o tanto que pediu para que


lhe concedessem a imortalidade, mas esqueceu-se da
juventude eterna, e dessa forma o amado da deusa
transformou-se num velho decrépito, sem nunca, no
entanto, morrer. Eos decidiu, então pedir para que Zeus
o transformasse numa cigarra.

Hélio, escultura circa 200 DC

Segundo Ovídio os cavalos são Pyrois, Eous,


Aethon e Phlegon.

Com o passar do tempo, Hélio é cada vez mais


identificado com o deus Apolo. No entanto, apesar de
seu sincretismo, eles foram muitas vezes vistos como
dois deuses distintos (Hélios era um titã, enquanto Apolo
é deus olímpico). O equivalente de Hélio na mitologia
romana é Sol, especificamente Sol Invicto.

EOS
Eos é a deusa que personificava o amanhecer. Filha
de Hiperion e Teia, é a irmã da deusa Selene, a Lua, e
de Hélio, o Sol.
Com Titono, teve dois filhos : Emátion e Mêmnon.
Normalmente citada como de longos cabelos
louros e unhas tingidas de rosa com uma carruagem Céfalo, filho de Mercúrio e Herse, também foi
purpúrea puxada por dois cavalos alados, Lampo e vítima do amor implacável de Eos.Ele estava já casado
Faetonte, com arreios multicolores. Ágil e graciosa, é com a princesa Prócris, terna e amorosa e sempre fiel
munida de asas nos ombros e nos pés. a seu marido.

35

170318 - mitologia Grega.indd 35 30/08/2017 05:29:01


Insaciável como sempre, Eos pouco se importa seu amor, que veio a escolher Apolo, fazendo que Zéfiro
para o sofrimento de Prócris e rapta Céfalo enquanto enlouquecesse de ciúmes. Mais tarde, ao surpreendê-los
caçava nas proximidades do monte Imeto. Mas apesar de praticando o lançamento do disco, Zéfiro soprou uma
todos os esforços da deusa, o jovem continua apaixonado rajada de vento sobre eles, fazendo com que o disco
por sua esposa. Apesar de muitos esquemas ardilosos golpeasse Jacinto na cabeça ao cair. Quando Jacinto
da deusa, Céfalo e Prócris se reconciliam. Céfalo volta morreu, Apolo criou a flor homonima com o seu sangue.
a caçar, mas sua esposa, com receando a deusa rival, o
segue. Pensando se tratar de um animal, ele a mata e ao Na história de Psiquê foi Zéfiro quem serviu a
ver o que havia feito, se joga ao mar. Comovido, Zeus Eros transportando Psiquê até sua morada.
os transforma em estrelas.
Zéfiro é também considerado uma brisa suave
As suas paixões funestas atribuem-se ao fato de ou vento agradável, pois era o mais suave de todos os
que teve amores com Ares, algo que deixou Afrodite ventos tido por benfazejo, frutificante e mensageiro da
muito enciumada, fazendo com que lançasse uma Primavera.
maldição sobre Eos, para que ela se apaixonasse apenas
por homens mortais. BOREAS
Bóreas ou Boreas é o vento norte, e, de acordo
ZÉFIRO com Hesíodo, filho de Astreu e Eos, e irmão de Héspero,
Na mitologia grega, Zéfiro é o vento do Oeste. Euro, Zéfiro e Noto. Ele mora em uma caverna no Monte
É um dos filhos de Eos e Astreu, sendo seus irmãos Haemon, na Trácia. Nas lendas da Ática, ele raptou
Bóreas, Noto e Eurus. Foi casado com Íris e vivia numa Orítia, filha de Erecteu, com quem teve vários filhos,
caverna da Trácia. Na mitologia romana, este deus era dentre os quais os boréadas, Zetes e Calais, Quione a
associado a Favônio. deusa das neves, Aura irmã gêmea de Quione e Cleópatra,
esposa de Fineu.
O mito do vento Zéfiro diz que este fecundava as
éguas de certa região da Lusitânia tornando os cavalos Durante as Guerras Médicas, Bóreas ajudou
dessa zona invulgarmente velozes. Consta na Ode os atenienses, destruindo os navios dos bárbaros. Ele
Marítima de Avieno. também ajudou Megalópolis contra Esparta, e era
honrado em Megalópolis com festivais anuais.

De acordo com a tradição homérica, Bóreas foi


o pai de doze cavalos com as éguas de Erictônio, o que
é explicado como sendo uma forma figurativa de dizer
que estes cavalos eram muito velozes. Na arca de Cípselo
ele estava representando raptando Orítia, e no lugar de
suas pernas havia serpentes. Festivais de Bóreas eram
celebrados em Atenas e outros lugares.

NOTO
Noto é responsável pelo vento sul e segundo
Hesíodo, Eos, deusa do amanhecer também chamada
de Erigenia, e Astreu tiveram três filhos, os anemoi
(divindades responsáveis pelo vento) Zéfiro, Bóreas e
Euro, além de várias estrelas, destancando-se Eósforos,
a estrela da manhã. Higino lista os filhos de Astreu e
Aurora como Zéfiro, Bóreas, Noto e Euro. Na mitologia
Romana, está associado a Austro.
Zéfiro e Flora, por William Adolphe Bouguereau, 1875
Ao contrário dos seus irmãos Zéfiro e Bóreas, a
Um outro dos mitos em que Zéfiro aparece mais mitologia não registra nenhum filho de Nótus.
proeminentemente é o de Jacinto, um belo e atlético
príncipe espartano. Zéfiro enamorou-se de Jacinto e É responsável por trazer o calor e, por conseqüência,
cortejou-o, tal como Apolo. Ambos competiram pelo associado ao verão.

36

170318 - mitologia Grega.indd 36 30/08/2017 05:29:01


EURO KRATOS
Euro é o nome dado ao vento de leste na mitologia Kratos era um titã, filho de Estige e Palas. Hesíodo
e geografia da Grécia Antiga. Seu nome entre os romanos lista os filhos de Estige e Palas como Zelo (rivalidade e
era Vultorno. grandeza), Nice (vitória), Kratos (poder) e Bia (força).
Cratos é a personificação da força e do poder. Ele e seus
Higino lista Favônio como um dos quatro ventos, irmãos são as forças aladas de Zeus.
filhos de Astreu e Aurora (os outros são Zéfiro, Bóreas
e Noto) mas, segundo Aulo Gélio favonius é o nome BIA
romano do vento que sopra oposto ao Euro.Este vento Bia é uma titânide, que representa a força.
não é mencionado por Hesíodo como os filhos de Eos Responsável pela emoção de violência nos mortais.
e Astreu (que são Zéfiro, Bóreas, Noto e as estrelas). Seu nome na mitologia romana é propriamente Força
(em latim Vis). Apesar do nome, é amante da justiça e
NIKE punidora das trapaças. Filha do titã Palas com a ninfa
Nike é a deusa grega que personifica a vitória, Estige. Foi criada por seus pais as margens do seu rio
força e velocidade, representada por uma mulher alada. materno no mundo inferior; vindo daí seu carácter forte
Os romanos designaram o nome de Victória para Nike. e explosivo.
Nike também pode representar asas.
Aliou-se aos deuses olímpicos durante a
ZELO Titanomaquia. Integrava o séquito de Zeus, juntamente
Na mitologia grega Zelos é o deus da rivalidade, da com a sua outra irmã Nice, a vitória, e seus dois irmãos
grandeza e do entusiasmo, já que ele e seus irmãos estão Cratos, o poder, e Zelo. Assim é citada por Ésquilo (em
ligados a guerra. Ele é o furor da guerra, filho da oceânide Prometeu Acorrentado) e Platão (em Protágoras).
Estige e do titã Palas. Seus irmãos são Nice, Bia e Cratos
JAPETO
Ele, sua mãe e seus irmãos lutaram do lado de Jápeto ou Iápeto, segundo a tradição de Hesíodo,
Zeus na Titanomaquia. Os filhos de Estige foram é um dos 12 Titãs clássicos, filhos de Urano, o céu
recompensados, fazendo parte do séquito de Zeus. estrelado e Gaia, a Terra. É o pai de Atlas, Prometeu,

37

170318 - mitologia Grega.indd 37 30/08/2017 05:29:02


Epimeteu e Menoécio. Costuma ser tido como o deus- Foi um defensor da humanidade, conhecido por
titã do tempo, do tempo de vida e da mortalidade, em sua astuta inteligência, responsável por roubar o fogo
especial da morte violenta. de Héstia e o dar aos mortais. Zeus (que temia que os
mortais ficassem tão poderosos quanto os próprios
Jápeto, “O Perfurador” é um dos titãs mencionados deuses) teria então punido-o por este crime, deixando-o
por Homero em sua obra A Ilíada, como prisioneiro no amarrado a uma rocha por toda a eternidade enquanto
Tártaro ao lado de Cronos. Senhor do Oeste, governou uma grande águia comia todo dia seu fígado - que crescia
ao lado de Cronos e dos irmãos durante a Idade de Ouro, novamente no dia seguinte. O mito foi abordado por
quando os titãs governavam o mundo e a recém-criada diversas fontes antigas (entre elas dois dos principais
humanidade. autores gregos, Hesíodo e Ésquilo), nas quais Prometeu
é creditado - ou culpado - por ter desempenhado um
Tornaram-se governantes, entretanto, pela papel crucial na história da humanidade.
conspiração criada pela mãe contra o consorte Urano.
Jápeto, ao lado dos irmãos, prepararam-lhe uma EPIMETEU
emboscada quando este desceu para se deitar com Gaia. Epimeteu é um titã (da segunda geração), filho do
Crio, Céos, Hiperion e Japeto se posicionaram nos quatro titã Jápeto e da ninfa Clímene e irmão de Atlas, Prometeu,
cantos do mundo para segurar o deus celeste enquanto Héspero e Menoécio.
Cronos, escondido no centro, castrava Urano com uma
foice. Nesse mito, Jápeto e os três irmãos representam Epimeteu criou os animais e deu-lhes os atributos.
os quatro pilares cósmicos que, nas cosmogonias do Quando chegou ao homem, não havia mais nenhuma
Oriente Médio, separam o céu e a terra. Jápeto era o pilar qualidade para dar-lhe. Pediu socorro ao seu irmão
do oeste, posição depois ocupada por seu filho Atlas. Prometeu, que então roubou o fogo dos deuses e o
ofertou aos homens, ensinando-lhe também como
PROMETEU trabalhar com ele.
Prometeu é um titã (da segunda geração), filho de
Jápeto (filho de Urano e Gaia) e irmão de Atlas, Epimeteu Foi esposo de Pandora, que em grego significa
e Menoécio. Algumas fontes citam sua mãe como sendo a que possui todos os dons, um presente de Zeus para
Tétis, enquanto outras, como Pseudo-Apolodoro, ele. Na verdade Zeus queria se vingar de Prometeu,
apontam para Clímene, filha de Oceano. Epimeteu e da humanidade, que possuía o fogo que fôra
roubado dos céus.

Epimeteu foi enganado por sua esposa, que


abriu um vaso que ele guardava a mando de seu irmão,
Prometeu. Ela abre a caixa a qual continha todos os males
que viriam para tornar a vida do homem em um caos,
mas fecha rapidamente esta, restando dentro apenas o
mal que acabaria com a esperança.

Após este desastre, Epimeteu e Pandora geram


Pirra, que mais tarde desposa Deucalião (filho de
Prometeu e sobrevivente do Dilúvio).

PANDORA
Pandora foi a primeira mulher que existiu, criada
por Hefesto (artista celestial, deus do fogo, dos metais
e da metalurgia) e Atena (deusa da estratégia em
guerra, da civilização, da sabedoria, da arte, da justiça
e da habilidade) auxiliados por todos os deuses e sob
as ordens de Zeus. Cada um lhe deu uma qualidade.
Recebeu de um a graça, de outro a beleza, de outros
a persuasão, a inteligência, a paciência, a meiguice, a
habilidade na dança e nos trabalhos manuais. Feita à
semelhança das deusas imortais. Foi enviada ao titã

38

170318 - mitologia Grega.indd 38 30/08/2017 05:29:02


Epimeteu, a quem Prometeu recomendara que não Embora associado com vários lugares, ele tornou-
recebesse nenhum presente dos deuses. Vendo-lhe se comumente identificado com a cordilheira do Atlas,
a radiante beleza, Epimeteu esqueceu quanto lhe fora no noroeste da África (atual Marrocos, Argélia e Tunísia).
dito pelo irmão e a tomou como esposa. Atlas era filho do titã Jápeto e da oceânide Clímene.

Juntando-se a outros titãs, forças do caos e da


desordem, pretendiam alcançar o poder supremo e
atacaram o monte Olimpo, combatendo ferozmente
Zeus e seus aliados, que eram as energias do espírito,
da ordem e do Cosmos. Zeus trinfou e castigou seus
inimigos - que eram escravos da matéria e dos sentidos,
inimigos da espiritualização, lançando-os ao Tártaro.

Pandora, por Charles Edward Perugini, 1910

Epimeteu tinha em sua posse uma caixa. A Caixa


de Pandora que outrora lhe haviam dado os deuses como
presente de casamento, que continha todos os males.
Pandora abriu a caixa, inadvertidamente, e todos os males
escaparam, exceto a esperança. Com estes bens, foi dado
início aos tempos de inocência e ventura, conhecidos
como Idade de Ouro.
Atlas, na fachada do Castelo Linderhof
MENOÉCIO
Minoécio (“o que se vangloria”) é um titã (da Porém para Atlas deu-lhe o castigo de sustentar
segunda geração), filho de Jápeto e da ninfa Clímene ou para sempre nos ombros, o céu. Seu nome passou a
Asia, irmão de Atlas, Prometeu e Epimeteu. Foi atingido significar “portador” ou “sofredor”. Assim punido,
por um raio lançado por Zeus na Titanomaquia e lançado passou a morar no país das hespérides, as três ninfas do
nas profundezas do Tártaro. Poente: Eagle, Eritia, Hesperatetusa.

ATLAS Nas terras das hespérides, ninfas do poente,


Atlas, também chamado Atlante, na mitologia estavam plantadas as maçãs de ouro, que tinham sido o
grega, é um dos titãs condenado por Zeus a sustentar o presente de casamento, oferecido pela Terra, nas bodas
mundo para sempre. Era casado com Pleione, com a qual de Zeus e Hera. A deusa as plantara no jardim dos deuses
teve sete filhas conhecidas como Plêiades, bem como e, para proteger a árvore e os frutos, deixara sob aguarda
sete filhas que eram ninfas, as hespérides. de um dragão de cem cabeças e das três ninfas do poente.

39

170318 - mitologia Grega.indd 39 30/08/2017 05:29:02


Héracles em seus doze trabalhos fora incumbido O mito de Atlas representa o peso das dificuldades
de trazer as maçãs de ouro, porém soube que somente cotidianas que pesam sobre nossos ombros e, embora
Atlas conseguiria colhê-las. Héracles se propôs a segurar possamos considerar que sejam pesados demais, o que
o céu enquanto Atlas colhia as maçãs e ele esperava está sobre Atlas, a primeira vértebra da coluna cervical,
entregar pessoalmente a Eristeu. Porém, Hércules é apenas a nossa cabeça, que guarda a nossa mente.
o enganou, pedindo-lhe para voltar a segurar o céu
enquanto ele guardava as maçãs, e fugiu. Por esse O mito está relacionado ao excesso de
motivo, foram construídos os pilares de Héracles Atlas incumbências, obrigações, tarefas que aceitamos e não
foi libertado do seu fardo. obedecemos a um limite, e nem resguardamos um espaço
para atividades relaxantes. Cremos que podemos carregar
Atlas passou a ser o guardião dos Pilares de o mundo nas costas, o que pode causar danos físicos e
Héracles, sobre os quais os céus foram colocados, e que psicológicos. O complexo de Atlas é uma das doenças
também eram a passagem para o lar oceânico de Atlântida relacionadas ao estresse da vida moderna.
- o estreito de Gibraltar, e por isso toda a cordilheira
do norte da África, recebeu o nome de Cordilheira de PLÊIADES
Atlas. Tornou-se o primeiro rei de Atlântida, e por ser o Na mitologia grega, as plêiades eram filhas de
Senhor das águas distantes, além do mar Mediterrâneo, Atlas e Pleione, filha do Oceano. Quando Pleione estava
seu nome nomeou o oceano Atlântico. passeando pela Beócia com suas sete filhas, foi perseguida
pelo caçador Órion, por sete anos. Zeus, com pena delas,
Casou-se com Pleione, tendo sete filhas, as apontou um caminho até as estrelas, e elas formaram a
Plêiades: Alcyone, Maia, Electra, Merope, Taigete, Celeno cauda da constelação do Touro. As plêiades são: Electra,
e Sterope. Por conhecer o caminho das terras distantes, Maia, Taigete, Alcíone, Celeno, Asterope e Mérope
na cartografia, passou a representar a coleção de mapas
da Terra. E por ter sustentado o céu, deu-se o nome HESPÉRIDES
de Atlas à primeira vértebra da coluna cervical - uma As ninfas hespérides, também chamadas de ninfas
referência onde suportava o gigantesco peso a que fora do poente, habitavam o extremo Ocidente, não longe
condenado a suportar. da ilha dos bem-aventurados, nas margens do oceano.

As Hespérides, por Elihu Vedder, 1885

40

170318 - mitologia Grega.indd 40 30/08/2017 05:29:02


Tinham o dom da profecia e da metamorfose. Eram As ninfas possuíam o dom de controlar a vontade
belas, jubilosas e simbolizavam a fertilidade do solo. de feras selvagens e eram consideradas guardiãs da ordem
Moravam em um belo palácio localizado à frente do natural, das fronteiras entre o dia e a noite, dos tesouros
jardim das árvores dos pomos de ouro. À medida que dos deuses, e também das fronteiras entre os três mundos
o mundo ocidental foi sendo mais bem conhecido, (a Terra, o paraíso e o mundo subterrâneo, ou inferno).
precisou-se a localização do país das hespérides com o
junto ao monte Atlas. CRONOS
Cronos é o mais jovem dos titãs, filho de Urano, o
céu estrelado, e Gaia, a terra. Cronos era o rei dos titãs e
o grande deus do tempo, sobretudo quando este é visto
em seu aspecto destrutivo, o tempo inexpugnável que
rege os destinos e a tudo devora. O titã Cronos serviu
de inspiração para a antiga seita órfica criar a figura de
Chronos, a quem chamavam de o “deus primordial do
tempo”. Vale ressaltar que o modo de vida dos órficos
causava grande estranheza entre os gregos e a nova
teogonia criada por eles era, da mesma forma, repudiada
pelo culto cívico e popular das póleis gregas. O que
quer dizer que, para os gregos comuns, o titã Cronos (e
somente ele) era o deus do tempo por excelência.

A pedido de sua mãe se tornou senhor do céu,


castrando o pai com um golpe de foice. A partir de então,
o mundo foi governado pela linhagem dos titãs que,
segundo Hesíodo, constituía a segunda geração divina.
Foi durante o reinado de Cronos que a humanidade
(recém-nascida) viveu a sua “Idade de Ouro”.
O Jardim das Hespérides Por Lord Leighton, 1892
Cronos casou com a sua irmã Reia, que lhe deu
A paternidade destas ninfas é muito controversa. seis filhos (os crónidas): três mulheres, Héstia, Deméter
Uma versão diz que elas são filhas de Zeus e Têmis, e Hera e três homens, Hades, Poseidon e Zeus.
outra, que descendem de Fórcis e Ceto. A interpretação
evemerista diz que Héspero, o astro da tarde, teria tido Como tinha medo de ser destronado por causa de
uma filha chamada Hespéride, que junto de Atlas, seu uma maldição de um oráculo, Cronos engolia os filhos ao
tio, deu à luz as ninfas hespérides. nascerem. Comeu todos, exceto Zeus, que Reia conseguiu

41

170318 - mitologia Grega.indd 41 30/08/2017 05:29:02


salvar enganando Cronos ao enrolar uma pedra em um Os doze titãs, filhos de Urano e Gaia, eram
pano, a qual ele engoliu sem perceber a troca. Oceano, Céos, Crio, Hiperião, Jápeto, Teia, Reia, Têmis,
Mnemosine, a coroada de ouro Febe e a amada Tétis e
Quando Zeus cresceu, resolveu vingar-se de Cronos.
seu pai, solicitando para esse feito o apoio de Métis
- a Prudência - filha do titã Oceano. Esta ofereceu Irmã e esposa de Cronos, gerou nesta ordem,
a Cronos uma poção mágica, que o fez vomitar os segundo Pseudo-Apolodoro, Hera (a mais velha), seguida
filhos que tinha devorado. de Deméter e Héstia, seguidas de Hades e Poseidon; o
próximo a nascer, Zeus, foi escondido em Creta e Reia
deu uma pedra para Cronos comer. Higino enumera
os filhos de Saturno e Ops como Vesta, Ceres, Juno,
Júpiter, Plutão e Netuno, ele também relata uma versão
alternativa da lenda, em que Saturno encerra Orco no
Tártaro e Netuno em baixo do mar, em vez de comê-los.

Cronos, em versão contemporânea

Então Zeus tornou-se senhor do céu e divindade


suprema da terceira geração de deuses da mitologia grega,
ao banir os titãs para o Tártaro e afastar o pai do trono.

Segundo as palavras de Homero, Zeus prendeu-o


com correntes no mundo subterrâneo, onde foi
encontrado, após dez anos de luta encarniçada, pelos seus
irmãos, os titãs, que tinham pensado poder reconquistar
o poder de Zeus e dos deuses do Olimpo.

Em algumas variantes do mito, Cronos e os titãs


são alcançados pela misericórdia de Zeus, libertados do
Tártaro e cada qual retoma a sua função cosmológica Réia, imagem de 1890
no universo. Com a permissão do filho, Cronos torna-
se, então, o governante dos Campos Elísios, o paraíso Por ser mãe de todos os deuses do Olimpo, é
da mitologia grega e lugar de descanso para os mortos conhecida como Mãe dos Deuses.
bem-aventurados.
Devido a um oráculo de Urano, que profetizara
RÉIA que Cronos seria destronado por um dos filhos, este
Reia era uma titânide, filha de Urano e de Gaia. passou a engolir todos os filhos assim que nasciam. Reia
Na mitologia romana é identificada como Cibele, a decidiu que isto não ocorreria com o sexto filho. Assim,
Magna Mater. quando Zeus nasceu, Reia escondeu-o numa caverna no

42

170318 - mitologia Grega.indd 42 30/08/2017 05:29:03


Monte Ida em Creta ao cuidado dos assistentes curetes irmãos, segundo Pseudo-Apolodoro, é: Hera (a mais
posteriormente sacerdotes e, no lugar do filho, deu a velha), seguida de Deméter e Héstia, seguidas de Hades
Cronos uma pedra enrolada em panos. Cronos engoliu-a, e Poseidon; o próximo a nascer, Zeus, foi escondido por
pensando ser o filho. Há diversas versões sobre quem Reia em Creta, que deu uma pedra para Cronos comer.
criou Zeus. Algumas relatam que ele foi criado por
Gaia; outras, por uma ninfa (Adamanteia ou Cinosura); Cortejada por Poseidon e Apolo, jurou virgindade
segundo uma outra versão, foi nutrido por uma cabra perante Zeus, e dele recebeu a honra de ser venerada
(Amalteia). Ao atingir a idade adulta, Zeus destronou o em todos os lares, ser incluída em todos os sacrifícios e
pai, forçou-o a vomitar os irmãos e assumiu o Olimpo. permanecer em paz, em seu palácio cercada do respeito
de deuses e mortais.
Seguindo a ascensão do filho Zeus ao status de
rei dos deuses, ela contestou uma parte do mundo e Embora não apareça com frequência nas
acabou refugiando-se nas montanhas, onde cercou-se histórias mitológicas, era admirada por todos os
de criaturas selvagens. Geralmente, é associada a leões deuses. Era a personificação da moradia estável, onde
ou a uma biga puxada por leões as pessoas se reuniam para orar e oferecer sacrifícios
aos deuses. Era adorada como protetora das cidades,
HÉSTIA das famílias e das colônias.
Héstia era a deusa virgem grega do lar, lareira,
arquitetura, vida doméstica, família e estado. Sua chama sagrada brilhava continuamente nos
lares e templos. Todas as cidades possuíam o fogo de
Héstia, colocado no palácio onde se reuniam as tribos.
Esse fogo deveria ser conseguido direto do sol.

Quando os gregos fundavam cidades fora da


Grécia, levavam parte do fogo da lareira como símbolo
da ligação com a terra materna e com ele, acendiam a
lareira onde seria o núcleo político da nova cidade.

Sempre fixa e imutável, Héstia simbolizava a


perenidade da civilização. Em Delfos, era conservada
a chama perpétua com a qual se acendia a héstia de
outros altares. Cada peregrino que chegava a uma cidade,
primeiro fazia um sacrifício à Héstia. Seu culto era muito
simples: na família, era presidido pelo pai ou pela mãe;
nas cidades, pelas maiores autoridades políticas.

Na Roma Antiga, era cultuada como Vesta (filha


de Saturno e Cibele), e o fogo sagrado era o símbolo da
perenidade do Império. Suas sacerdotisas eram chamadas
vestais, faziam voto de castidade e deveriam servir à
deusa durante trinta anos. Lá a deusa era cultuada por
um sacerdote principal, além das vestais.

Era representada como uma mulher jovem, com


uma larga túnica e um véu sobre a cabeça e sobre os
ombros. Havia imagens nas suas principais cidades, mas
sua figura severa e simples não ofereceu muito material
para os artistas.

Hestia, por Aaron Adams, 2005 DEMETER


Deméter ou Demetra é a deusa da agricultura,
Filha de Cronos e Reia, era uma das doze uma olímpica, filha de Cronos e Reia. É deusa da
divindades olímpicas. A ordem de nascimento de seus terra cultivada, das colheitas e das estações do ano. É

43

170318 - mitologia Grega.indd 43 30/08/2017 05:29:03


propiciadora do trigo, planta símbolo da civilização. Na Deméter (Ceres), deusa dos campos dourados,
qualidade de deusa da agricultura, fez várias e longas que trabalhava incessantemente junto aos homens,
viagens com Dioniso ensinando os homens a cuidarem ensinando-lhes o plantio e a colheita de trigo, tinha
da terra e das plantações. uma filha chamada Perséfone (Proserpína), uma jovem
virgem adolescente com os cabelos dourados como os
Em Roma, onde se chamava Ceres, seu festival raios de Sol. Sua mãe, Deméter, a incumbia de colher
era chamado Cereália, sendo celebrado na primavera. ramos de trigo em um campo separado dos outros,
preservando-a do contato com os homens. No mundo
Com Zeus, seu irmão, ela teve uma filha, Perséfone subterrâneo habitava um deus chamado Hades (Plutão),
(“a de braços brancos”). Teve um casal de gêmeos senhor dos infernos e do mundo dos mortos. Em uma
chamado Despina (“a deusa das sombras invernais”) e de suas passagens pela superfície, Hades avista Perséfone
Árion, com seu irmão Poseidon. Abandonou a menina nos campos de trigo e se apaixona imensamente por ela.
sem nome ao nascimento para procurar Perséfone Indo em sua direção, agarra-a pelos cabelos e a coloca
quando raptada. Despina, que representa o inverno, em sua carruagem negra puxada por cavalos negros que
é o oposto de sua irmã, Perséfone, que representa a soltavam chamas verdes das ventas. A terra se abre num
primavera, e de sua mãe, Deméter, deusa da agricultura. terremoto e Hades rapta Perséfone, levando-a ao seu
O filho chamado Árion era um cavalo de crinas azuis, reino nas profundezas.
que tinha o poder da fala e de ver o futuro. Foi o cavalo
mais rápido de todos os tempos e ajudou bravamente
muitos heróis em suas conquistas.

Quando Hades raptou Perséfone e a levou para seu


reino subterrâneo, Deméter ficou desesperada, saiu como
louca pelo mundo afora sem comer e nem descansar.
Decidiu não voltar para o Olimpo enquanto sua filha
não lhe fosse devolvida, e culpando a terra por ter aberto
a passagem para Hades levar sua amada filha, ela disse:

– Ingrato solo, que tornei fértil e cobri de ervas e grãos


nutritivos, não mais gozará de meus favores!

Durante o tempo em que Deméter ficou fora


do Olimpo a terra tornou-se estéril, o gado morreu, o
arado quebrou, os grãos não germinaram. Sem comida
Busto de Demeter, circa 200 DC a população sofria de fome e doenças. A fonte Aretusa
(em outras versões, a ninfa Ciana, metarmofoseada em
Deméter também é uma das deusas que tiveram um rio) então contou que a terra abriu-se de má vontade,
filhos com mortais. Com o herói cretense Iasião, teve obedecendo às ordens de Hades e que Perséfone estava
dois filhos gêmeos, Pluto e Filomelo, e um terceiro no Érebo, triste mas com pose de rainha, como esposa
filho, Korybas. do monarca do mundo dos mortos.

44

170318 - mitologia Grega.indd 44 30/08/2017 05:29:03


Com a situação caótica em que estava a terra casamento. Zeus advertiu seu irmão que Démeter não
estéril, Zeus pediu a Hades que devolvesse Perséfone. quer que nenhum deus chegue perto da sua filha. Hades,
Ele concordou, porém antes, fê-la comer um bago de impaciente, emergiu da terra e raptou-a enquanto ela
romã e assim a prendeu para sempre aos infernos, pois colhia flores com as ninfas, entre elas Leucipe e Ciana,
quem comesse qualquer alimento nessa região ficava ou segundo os hinos Homeroicos, a deusa estava também
obrigado a retornar. junto de suas irmãs Atena e Ártemis. Hades levou-a para
seus domínios (o mundo subterrâneo), desposando-a e
Com isso, ficou estabelecido que Perséfone fazendo dela sua rainha.
passaria um período do ano com a mãe, e outro com Hades.
O primeiro período corresponde à primavera, em que os
grãos brotam, saindo da terra assim como Perséfone. Neste
período Perséfone é chamada Core, a moça. O segundo é o
da semeadura de outono, quando os grãos são enterrados,
da mesma forma que Perséfone volta a ser Rainha do
submundo no reino do seu marido. Durante o inverno,
Despina mostra sua ira contra seus pais e sua irmã,
congelando lagos e destruindo plantações e flores.

PERSÉFONE
Perséfone é a deusa das ervas, flores, frutos e
perfumes. É filha de Zeus e sua irmã Deméter, a deusa
da agricultura e estações do ano; tendo nascido após o
casamento de seu pai com Métis e antes do casamento
com Hera. Criada no Olimpo, lar da nobreza divina,
Perséfone foi sequestrada por seu tio Hades, mudando-
se para o mundo inferior. Socorrida por seu meio-irmão
Hermes, Perséfone passou a morar metade do ano no
Olimpo nas estações primavera e verão e outra no mundo
dos mortos nas estações de outono e inverno, quando era
chamada de Cora (Koré) pelos demais deuses ctônicos.
A ela eram consagrados os chás de plantas como alecrim
e sálvia; além das abelhas e do mel.

Perséfone aparece em a Ilíada simplesmente O Retorno de Persefone, Por Frederic Leighton, 1891
como rainha e esposa de Hades. O mito do seu rapto
foi primeiro narrado por Hesíodo. Sua mãe, ficando inconsolável, acabou por se
descuidar de suas tarefas: as terras tornaram-se estéreis
Os deuses, Hermes, Ares, Dioniso e Apolo todos e houve escassez de alimentos, e Perséfone recusou-
cortejaram-na. Deméter rejeitou todos os seus dons e se a ingerir qualquer alimento e começou a definhar.
escondeu a filha longe da companhia dos deuses. Ninguém queria lhe contar o que havia acontecido
com sua filha, mas Deméter depois de muito procurar
“Todos os que habitavam em Olimpo foram finalmente descobriu através de Hécate e Hélio que a
enfeitiçados por esta menina (Perséfone), rivais no amor jovem deusa havia sido levada para o mundo dos mortos,
a menina casar, e Hermes ofereceu seus dotes para uma e junto com Hermes, foi buscá-la no reino de Hades
noiva. E ele ofereceu a sua vara como dom para decorar (ou segundo outras fontes, Zeus ordenou que Hades
seu quarto (como preço da noiva para a mão dela em devolvesse a sua filha). Como entretanto Perséfone tinha
casamento, mas todas as ofertas foram recusadas por comido algo (seis sementes de romã) concluiu-se que não
sua mãe Deméter)”. tinha rejeitado inteiramente Hades. Assim, estabeleceu-
se um acordo, ela passaria metade do ano junto a seus
— Nono de Panópolis , Dionisíaca 5.562. pais, quando seria Cora (para os romanos), a eterna
Quando os sinais de sua grande beleza e adolescente, e o restante com Hades, quando se tornaria
feminilidade começaram a brilhar, em sua adolescência, a sombria Perséfone (Prosérpina, para os romanos). Este
chamou a atenção do deus Hades que a pediu em mito justifica o ciclo anual das colheitas.

45

170318 - mitologia Grega.indd 45 30/08/2017 05:29:03


DESPINA
Despina ou Despoina era uma deusa, filha de
Posídon e Deméter. Tem um irmão gêmeo chamado
Árion, um equino. Foi abandonada pela mãe ao
nascimento, sem receber sequer um nome, pois a deusa
estava muito preocupada em achar sua filha perdida
Perséfone, que havia sido raptada por Hades.

Perséfone é a filha amada, e Despina era temida


por ser uma deusa das sombras relacionada a fenômenos
invernais como as geadas. Era ela quem cuidava da natureza
enquanto sua irmã estava no mundo dos mortos, destruindo
assim o que a Perséfone e sua mãe tanto amavam, a primavera
e as flores. Também odiava seu pai Posídon, lagos congelados
eram sinais de sua presença em represália ao seu pai. Exercia
pleno poder sobre o domínio de seus pais, mas preferia
destruir do que fortalecer. Era tão temida que era chamada
apenas de “senhora”.

ÁRION
Árion nasceu na mesma época que Despina,
a deusa das geadas, que era sua irmã. Despina foi
abandonada por sua mãe Démeter, a deusa da agricultura,
pois esta estava muito preocupada com Perséfone, sua
outra filha. Pode se argumentar que Árion também foi
abandonado, junto com Despina. A partir dai, o destino
de Árion é desconhecido Metis, estátua , baselique Louis XII, 1515

MÉTIS Jean-Pierre Vernant, em O universo, os deuses,


Métis é a deusa da saúde, proteção, astúcia, os homens, descreve o ocorrido: “Zeus interroga Métis:
prudência e virtudes. Filha de Tétis e Oceano Foi a ‘Podes de fato assumir todas as formas, poderias ser um
primeira esposa de Zeus, a quem forneceu a bebida leão que cospe fogo?’ Na mesma hora Métis se torna
que fez Cronos regurgitar todos os filhos que havia uma leoa que cospe fogo. Espetáculo aterrador. Zeus lhe
anteriormente engolido, sendo consagrada com a alcunha pergunta depois: ‘Poderias também ser uma gota d’água?’
de A mais célebre das Oceânides. Foi pela inteligência ‘Claro que sim’. “Mostra-me”. E, mal ela se transforma
astuciosa de Métis que Zeus pôde conquistar o poder, em gota d´água, ele a sorve. Pronto! Métis está na barriga
donde o significado de seu nome como a capacidade de de Zeus. Mais uma vez a astúcia funcionou. O soberano
prever todos os acontecimentos. não se contenta em engolir seus eventuais sucessores
(como havia feito seu pai Cronos): ele agora encarna,
Métis tem o poder de se metamorfosear, podendo no correr do tempo, no fluxo temporal, essa presciência
assumir qualquer forma que desejar, assim como Tétis e ardilosa que permite desfazer antecipadamente os planos
outras divindades marinhas. Com esta habilidade, a deusa de qualquer um que tente surpreendê-lo ou derrotá-lo.
tenta escapar de Zeus, mas acaba por engravidar deste. Sua esposa Métis, grávida de Atena, está em sua barriga.
Quando esteve grávida, de Zeus, Gaia profetizou que Assim, Atena não vai sair do regaço da mãe, mas da
Métis teria dois filhos: a primeira, de nome Tritogenia, cabeça do pai, que é agora tão grande quanto o ventre
seria igual a Zeus em força e sabedoria, mas o segundo de Métis. Zeus dá uivos de dor. Prometeu e Hefesto são
tornar-se-ia o novo rei dos homens e dos deuses. chamados para socorrê-lo. Chegam com um machado
duplo, dão uma boa pancada na cabeça de Zeus e, aos
Zeus, temendo que isso viesse a se concretizar, gritos, Atena sai da cabeça do deus, jovem donzela já
engoliu a deusa viva, tendo depois como fruto dessa toda armada, com seu capacete, sua lança, seu escudo
relação Atena saída já adulta e armada para a guerra de e a couraça de bronze. Atena é a deusa inventiva, cheia
sua cabeça; o “parto” de Atena foi feito por Prometeu e de astúcia. Ao mesmo tempo, toda a astúcia do mundo
Hefesto, que abriu a cabeça de Zeus com um machado. está agora concentrada na pessoa de Zeus”.

46

170318 - mitologia Grega.indd 46 30/08/2017 05:29:04


novos atributos, interagindo com novos contextos
e influenciando outras figuras simbólicas; foi usada
por vários regimes políticos para legitimação de seus
princípios, e penetrou inclusive na cultura popular. Sua
intrigante identidade de gênero tem sido de especial apelo
para os escritores ligados ao feminismo e à psicologia e
algumas correntes religiosas contemporâneas voltaram
a lhe prestar verdadeiro culto.

No panteão romano, Métis corresponde à deusa Prudência.

ATENA
Atena, também conhecida como Palas Atena
é a deusa da civilização, da sabedoria, da estratégia
em batalha, das artes, da justiça e da habilidade. Uma
das principais divindades do panteão grego e um dos
doze deuses olímpicos, Atena recebeu culto em toda a
Grécia Antiga e em toda a sua área de influência, desde
as colônias gregas da Ásia Menor até as da Península
Ibérica e norte da África. Sua presença é atestada até
nas proximidades da Índia. Por isso seu culto assumiu
muitas formas, além de sua figura ter sido sincretizada
com várias outras divindades das regiões em torno do
Mediterrâneo, ampliando a variedade das formas de culto.

A versão mais corrente de seu mito a dá como


filha partenogênica de Zeus, nascendo de sua cabeça
plenamente armada. Jamais se casou ou tomou amantes,
mantendo uma virgindade perpétua. Era imbatível na
guerra, nem mesmo Ares lhe fazia páreo. Foi padroeira
de várias cidades, mas se tornou mais conhecida como a
protetora de Atenas e de toda a Ática. Também protegeu Estátua de Atena, século VI AC
vários heróis e outras figuras míticas, aparecendo em uma
grande quantidade de episódios da mitologia. Como deusa da guerra, Atena é a perfeita antítese
de Ares, o outro deus encarregado desta atividade. Atena
Foi uma das deusas mais representadas na arte é dotada de profunda sabedoria e conhece todas as artes
grega e sua simbologia exerceu profunda influência sobre da estratégia, enquanto que Ares carece de todo bom
o pensamento grego, em especial nos conceitos relativos juízo, prima pela ação impulsiva, descontrolada e violenta,
à justiça, à sabedoria e à função civilizadora da cultura e às vezes, no calor do combate, mal sabe distinguir
e das artes, cujos reflexos são perceptíveis até nos dias entre aliados e inimigos. Por isso Ares é desprezado por
de hoje em todo o ocidente. Sua imagem sofreu várias todos os deuses, enquanto que Atena é universalmente
transformações ao longo dos séculos, incorporando respeitada e admirada. A falta de sabedoria de Ares

47

170318 - mitologia Grega.indd 47 30/08/2017 05:29:04


explica sua invariável derrota sempre que confrontou Têmis não representa a matéria em si, como sua
Atena. O princípio simbolizado por Ares é por vezes mais mãe Gaia, mas uma qualidade da terra, ou seja, sua
necessário quando se trata de desbravar um território estabilidade, solidez e imobilidade. Ela é uma deusa
hostil e fundar ou conquistar uma cidade, ou quando a que falava com os homens através dos oráculos. O mais
violência é absolutamente incontornável diante de uma famoso de todos os templos oraculares da Grécia Antiga,
situação desesperada, mas é incapaz de criar cultura e Delfos, pertencia originalmente a Gaia, que o passou a
civilização e manter a sociedade numa forma estável, filha Têmis. Depois disso, ele foi de Febe e só no fim
integrada e organizada. Este papel cabe a Atena, a deusa foi habitado por Apolo. Há pesquisadores que afirmam,
da sabedoria, da diplomacia, da coesão social - lembre- no entanto, que Têmis é o próprio princípio oracular,
se que ela é a protetora por excelência das cidadelas, o de modo que, em vez de ter havido quatro estágios de
núcleo vital das cidades -, instrutora nas artes e ofícios ocupação do oráculo de Delfos, foram só três: Gaia-
manuais produtivos, especialmente o trabalho em metal Têmis, Febe-Têmis e Apolo-Têmis. Portanto, Têmis tinha
e a tecelagem, que enriquecem o espírito e possibilitam máxima ligação com a questão das previsões oraculares e,
a continuidade da vida em comunidade. Ela torna a no fundo, representa a boca oracular da terra, a própria
guerra um instrumento social e político submetido ao voz da Terra, ou seja, Têmis é a terra falando.
intelecto, à disciplina e à ordem, antes do que um produto
da pura barbárie e das paixões irracionais. As próprias
derrotas repetidas de Ares diante de Atena, seu atributo
como domadora de cavalos e, na disputa pela Ática, sua
vitória contra Poseidon, um deus conhecido por seu
caráter turbulento, vingativo e irascível, confirmam a
submissão da força bruta à soberania e ao equilíbrio da
justiça e da razão. Entretanto, quando decide lutar nela
não se encontra nenhuma hesitação ou fraqueza, e sua
simples presença pode bastar para afugentar o inimigo.

TÊMIS
Quando Têmis ainda era criança, foi entregue
por Gaia aos cuidados de Nix, que acabara de gerar
Nêmesis. O objetivo de Gaia, era proteger Têmis do
enlouquecimento de Urano. Porém Nyx estava cansada,
pois gerara incessantemente seus filhos. Então Nyx
entrega sua filha Nêmesis, e a sobrinha Têmis aos
cuidados de suas mais velhas filhas, as moiras (Cloto,
Laquésis e Atropo).

As moiras criam as duas deusas infantes e lhes


ensinam tudo sobre a ordem cósmica e natural das coisas;
e a importância de zelar pelo equilíbrio. As moiras são
as deusas do destino, tanto dos homens, quanto dos
Deuses e suas decisões não podem ser transgredidas
por ninguém. Desta criação, vimos a origem das
semelhanças das duas lindas e poderosas deusas criadas
como irmãs: Têmis, a Deusa da justiça, e Nêmesis, a
deusa da retribuição.

A primeira esposa de Zeus foi Métis que, depois Temis, por Howard David Johnson, 1980
de colocá-la em seu ventre, Zeus casou-se com Têmis.
Sentava-se ao lado de seu trono, pois era sua conselheira. Quando o titã Prometeu foi acorrentado ao Cáucaso,
Considerada para a mitologia a personificação da ordem Têmis profetizou que ele seria libertado. Sua profecia se
e do direito divinos, ratificados pelo costume e pela lei. concretizou quando Héracles (ou Hércules na mitologia
Zeus e Têmis foram os pais das horas, de Eunômia, romana), salvou-o do seu castigo. Foi Têmis quem alertou
Dice e Irene Zeus que o filho de Métis seria uma ameça à seu pai.

48

170318 - mitologia Grega.indd 48 30/08/2017 05:29:04


Ajudou Deucalião e Pirra a formar a humanidade de mãe das Horas (e pai Zeus), Têmis está também por
após o dilúvio enviado como castigo por Zeus, trás da progressão ordenada do tempo na natureza. As
profetizando que ambos deveriam “jogar os ossos de Horas representavam a ordenação natural do cosmo:
sua mãe para trás das costas”. Pirra ficou temerosa de inverno e depois primavera, dia depois a noite, uma
cometer algum sacrilégio ao profanar os ossos de sua hora após a outra.
mãe, não captando o sentido da profecia. Deucalião,
porém, entendeu tratar-se de pedras os ossos da deusa- Sua outra filha com Zeus, Astreia, deusa virgem
Terra, mãe de todos os seres. Assim ele atirou pedras protetora da humanidade e que simboliza a pureza e a
para trás e delas surgiram homens. inocência, também era uma deusa da justiça. Conta-se
que ela deixou a Terra no fim da Idade do Ouro para
Os oráculos dados por Têmis, não profetizavam não presenciar as aflições e sofrimentos da humanidade
só o futuro, mas eram ainda, mandamentos das leis da durante as idades do Bronze e do Ferro. No céu ela
natureza às quais os homens deveriam obedecer. A tornou-se a constelação de Virgem. Também a balança
deusa nos fala de uma ordem e de uma lei naturais que de Têmis, que Astreia carregava foi transformada em
precedem as noções culturalmente condicionadas da uma constelação, Libra.
organização e das regras derivadas das necessidades de
uma sociedade. As horas ou estações (filhas de Zeus e Têmis) suas
são: Irene (paz), Dice (justiça) e Eunômia (disciplina);
Alguns pensadores crêem ser Têmis uma abstração estas são as Horas mais velhas e estão ligadas a legislação
das noções humanas de uma justiça de uma cultura e ordem natural, sendo uma extensão dos atributos de
específica, presumivelmente matrifocal. Uma visão Têmis. Esta última está relacionada com a representação
arquetípica, sustentaria que Têmis não é o produto da divindade da justiça. Têmis e Dice elucidam o lado ético
da organização social, mas o pressuposto para tanto. do instinto, a voz miúda e calma no seio do impulso. Dice
Sua existência psicológica precede-o e subjaz ao para a humanidade é a função de base institucional muito
entendimento humano do que ela quer dizer ou ensinará. sintônica com o que chama de instinto para reflexão.
A visão arquetípica localizaria sua origem na natureza
psíquica, no inconsciente coletivo, ao invés de localizá-la Existem mais nove horas que são guardiãs
na cultura e na consciência coletiva. Ela não é secundária, da ordem natural, do ciclo anual de crescimento da
e sim fundamental. vegetação e das estações climáticas anuais. (Talo, Carpo,
Auxo, Acme, Anatole, Dice, Diceia, Eupória, Gimnásia)
Entretanto, nos cultos à Têmis eram celebrados
os “mistérios” ou “orgias”, emprestando-lhe a visão Ao presidir as reuniões de cunho político
que ela era uma Deusa genuína, e não uma simples do Olimpo, Têmis manifesta o teor organizacional
personificação da ideia abstrata de legalidade. Têmis é de sua dignidade e justiça. Têmis congregava às
a deusa oracular da Terra, ela defende e fala em nome reuniões com seriedade moral e obrigava os grandes e
da Terra, do enraizamento da humanidade em uma poderosos a ouvir, de modo consciencioso, as objeções
inabalável ordem natural. e contribuições dos irmãos e irmãs menos proeminentes.
A deusa opunha-se à dominação de um sobre muitos e
Um dos atributos de Têmis é sua grande beleza, apoiava a unidade mais que a multiplicidade, a totalidade
além do poder de atração de sua dignidade. Sua mais do que a fragmentação, a integração mais do que
atratividade física é confirmada pelo mito em que Zeus a repressão. Nessa atividade de contenção e vinculação,
a persegue com seu estilo desenfreado e, finalmente, Têmis revela o princípio operado pela consciência
a desposa. Em outra versão após Zeus devorar Métis feminina: a lei do amor.
grávida, as moiras levam Têmis até Zeus para se tornar
a segunda esposa de Zeus, e as moiras profetizam que Têmis era a deusa da consciência coletiva e da
Zeus precisa e tem muito a aprender com Têmis, que é ordem social, da lei espiritual divina, paz, ajuste de
tão sábia quanto Métis. divergências, justiça divina, encontros sociais, juramentos,
sabedoria, profecia, ordem, nascimentos, cortes e juízes.
Seu mais ardente adversário no Olimpo foi Ares, o Foi também inventora das artes.
deus da guerra cujo apetite por violência e sede de sangue
não conhecia limites. Não porque Têmis fosse contra a Têmis foi a segunda esposa de Zeus, depois de
guerra, mas agia com motivos de ordem ambiental, pois Métis e antes de Hera. É ela que temperou o poder de
a guerra reduziria a população humana. Na qualidade Zeus com muita sabedoria e com seu profundo respeito

49

170318 - mitologia Grega.indd 49 30/08/2017 05:29:04


pelas leis naturais. Sendo uma titânide, suas raízes Na imagem de Zeus consultando Têmis, podemos
são instintivas e pré-olímpicas e estende-se à frente, aceitar uma boa dose de troca. Zeus é quem rege e
para incluir uma visão cósmica das operações finais e decide, enquanto Têmis assume uma atitude mais suave
essenciais do universo inteiro. e dá seu toque relativizador que procede de perspectivas
mais abrangentes.
Além de esposa e conselheira, Têmis é também
mentora de Zeus. Em um mito ela aparece como ama de ASTREIA
leite de Zeus bebê, ensinando-o a respeitar a justiça. No Astreia ou Astrea (“donzela ou virgem das
casamento de Zeus e Têmis vemos duas forças, uma solar estrelas”), na mitologia grega, é filha de Zeus e Têmis.
e outra lunar, trabalharem coligadas com poucos conflitos Tanto ela quanto sua mãe são personificações da
à serem observados. justiça. Ela pregava a sabedoria e ensinava aos homens
atividades caseiras, como caçar, plantar, entre outras.
Zeus era o rei todo-poderoso, absoluto, um padrão Logo após a Idade de Ouro, abandonou a Terra para
arquetípico que governa a consciência coletiva, que tanto não ver o sofrimento pelo qual passaria a humanidade
cria como mantém uma coletividade. nas próximas idades, partindo para o céu, na forma da
constelação de Virgem. A balança que ela carregava se
Mas é Têmis, que movimentando-se dentro de tornou a constelação próxima de Libra.
vários outros padrões, desestabiliza o absolutismo e as
certezas de Zeus. Ela movimentava-se em uma direção É uma das deusas relacionadas aos signos de Libra,
contrária, nunca deixando de incluir o máximo possível. Virgem e Gêmeos, juntamente com Atena, Afrodite e Apolo.
Têmis exercia portanto, um efeito de abrandamento.
HORAS
Entretanto, o casamento do dois não foi de total As horas constituíam, na mitologia grega, um
doce harmonia, pois embora transitasse sabedoria entre grupo de deusas que presidiam as estações do ano.
eles, os ditames de um e do outro, sempre tinham um Eumônia está relacionada com a representação da
preço muito elevado, pois nada possui solução definitiva. divindade da justiça.

As Horas, (Sir Edward John Poynter, 1910

50

170318 - mitologia Grega.indd 50 30/08/2017 05:29:04


Têmis e Dice elucidam o lado ético do instinto, Era aquela que preserva do esquecimento. Seria a
a voz miúda e calma no seio do impulso. Dice para a divindade da enumeração vivificadora frente aos perigos
humanidade é a função de base institual muito sintônica da infinitude, frente aos perigos do esquecimento que na
com o que chama de instinto para reflexão. As três horas cosmogonia grega aparece como um rio, o Lete, um rio a
também são as porteiras do Olimpo. cruzar a morada dos mortos (o de “letal” esquecimento),
o Tártaro, e de onde “as almas bebiam sua água quando
Existem mais nove horas que são guardiãs estavam prestes a reencarnarem-se, e por isso esqueciam
da ordem natural, do ciclo anual de crescimento da sua existência.
vegetação e das estações climáticas anuais. (Irene, Carpo,
Auxo, Acme, Anatole, Dice, Diceia, Eupória, Gimnásia). HERA
Hera, no mito grego, é a deusa das bodas, da
Segundo alguns, Clóris, deusa da primavera, era maternidade, e das esposas, equivalente de Juno no mito
também uma das horas. romano. Irmã e esposa de Zeus, é a rainha dos deuses, e
patrona da fidelidade conjugal. Retratada como majestosa
MNEMOSINE e solene, muitas vezes coroada com os polos (uma coroa
Mnemosine ou Mnemósine era uma titânide, filha alta cilíndrica usada por várias deusas), Hera é geralmente
de Urano e Gaia. É a deusa que personificava a memória. representada ostentando na mão uma romã, símbolo
As nove musas são filhas de Mnemosine com Zeus: da fertilidade, sangue e morte, e substituto das cápsulas
da papoula de ópio. A vaca e, posteriormente, o pavão
Calíope — Poesia Épica eram seus animais simbólicos principais. Íris era a sua
Clio — História fiel atendente, também mensageira e aia.
Erato — Poesia Romântica
Euterpe — Música Retratada como ciumenta e agressiva contra
Melpômene — Tragédia qualquer relação extra-conjugal, odiava e perseguia as
Polímnia — Hinos amantes de Zeus, e os filhos bastardos gerados desses
Terpsícore — Danças relacionamentos. Tentou, dentre alguns exemplos,
Tália — Comédia matar Héracles ainda no berço. A única exceção era
Urânia — Astronomia Hermes e sua mãe Maia, que a deusa até admirava
pela astúcia e beleza.

51

170318 - mitologia Grega.indd 51 30/08/2017 05:29:05


Hera era, de acordo com alguns relatos, a filha mais
velha de Cronos e Reia, e uma irmã de Zeus. Apolodoro,
no entanto, chama Hestia de filha mais velha de Cronos
e Lactâncio chama-lhe de irmã gêmea de Zeus. Segundo
os poemas homéricos, ela teria sido criada por Tétis,
antes de Zeus ter usurpado o trono de Cronos. Depois
ela se tornou a esposa de Zeus, sem o conhecimento de
seus pais. Essa versão é diversamente modificada em
outras tradições.

Sendo uma filha de Cronos, ela, assim como


seus outros filhos, foi engolida por seu pai, mas depois
liberada, e, de acordo com uma tradição Arcadiana, ela
foi criada por Temeno, filho de Pelasgo. Os arquivos, por
outro lado, relatam que ela havia sido criada por Eubeia,
Prosymna e Acraea, as três filhas do rio Asterion; e de
acordo com Olen[desambiguação necessária] (poeta
grego), eram suas enfermeiras. Várias partes da Grécia
também reivindicaram a honra de ser sua terra natal;
entre eles estão Argos e Samos, que foram os principais
lugares de sua adoração.

Seu casamento com Zeus também ofereceu


amplas possibilidades de invenção poética, e vários
lugares na Grécia reivindicaram a honra de ter sido
palco do casamento, como Eubeia, Samos, Cnossus
em Creta, e monte Thornax, no sul de Argólida Sua personalidade, como descrita por Homero, não
(Grécia). Este casamento foi uma parte proeminente é do tipo muito amável, e suas principais características
na adoração de Hera sob o nome de hieros gamos. são a inveja, obstinação, e uma disposição a brigas, que
Nessa ocasião, todos os deuses honraram a noiva às vezes fazia com que o seu próprio marido tremesse.
com presentes e lhe apresentaram uma árvore com Daí surgem conflitos frequentes entre Hera e Zeus; e em
maçãs douradas, que foi colocado pelas Hespérides uma ocasião Hera, em conjunto com Poseidon e Atena,
no jardim de Hera, perto de Hiperbórea. colocam Zeus preso.

Os poemas homéricos não mostram nada disso, Zeus, em casos como esse, não só a ameaça, mas
e só ouvimos, que após o casamento com Zeus, que bate nela; quando depois de preso, ele foi capaz de sair
ela foi tratada pelos deuses do Olimpo com a mesma das nuvens, com as mãos acorrentadas, e com duas
reverência que o seu marido. O próprio Zeus, de acordo bigornas suspenso de seus pés.
com Homero, ouvia seus conselhos, e comunicado
os seus segredos com ela, em vez dos outros deuses. Ela está assustada com suas ameaças, e cede
Hera também acha-se no direito em censurar Zeus quando ele está com raiva; e quando ela é incapaz de
quando ele consulta os outros sem ela saber; mas ela obter os seus fins de qualquer outra forma, ela recorre
é, não obstante, muito inferior a ele no poder; ela devia à astúcia e intrigas. Assim, ela pede emprestado o cinto
obedecê-lo incondicionalmente, e, como os outros de Afrodite, que tem o poder de encanto e fascínio, para
deuses, ela é repreendida por ele. Portanto, Hera não excitar o amor de Zeus. Com Zeus, ela era a mãe de Ares,
é, como Zeus, a rainha dos deuses e dos homens, mas Hebe e Hefesto.
simplesmente a esposa do deus supremo. A ideia de ela
ser a rainha do céu, com a riqueza real e poder, é de Devido ao julgamento de Páris, ela era hostil para
data muito posterior. Há apenas um ponto em que os os troianos, e na Guerra de Troia, ela lutou do lado dos
poemas homéricos representam Hera como possuidor gregos. Daí sua adoração prevaleceu sobre a Hellias. Na
de poder semelhante com Zeus: ela é capaz de conferir Ilíada ela aparece como um inimigo de Héracles, mas é
o poder da profecia. Mas esta ideia não é desenvolvido ferida por suas flechas, e na Odisseia ela é descrita como
em tempos posteriores. defensora de Jasão.

52

170318 - mitologia Grega.indd 52 30/08/2017 05:29:05


ÊNIO
Ênio (“horror”) ou Enio, na mitologia grega, é
uma deusa conhecida pelo epíteto de “Destruidora de
Cidades” e frequentemente representada coberta de
sangue e levando armas de guerra. Filha de Zeus e Hera,
com frequência é retratada junto a Fobos e Deimos
como acompanhante de Ares, o deus chefe da guerra, e
dizia-se que era tanto sua amante como sua irmã, e em
versões menos aceitas é até sua mãe. Em alguns mitos,
dizia-se que quando Ênio dava o golpe final, seu corpo
se transformava em fogo.

Em Tebas e Orcômeno se celebrava um festival


chamado Homolóia em homenagem a Zeus, Deméter,
Atena e Ênio, e dizia-se que Zeus havia recebido o
epíteto Homoloios de Homolois, uma sacerdotisa de
Ênio (Suidas Homolois). Uma estátua de Ênio, feita
pelos filhos de Praxíteles, encontrava-se no templo de
Ares em Atenas quando Pausânias o visitou.

ILITIA
Hebe, na mitologia grega, é a deusa da juventude,
filha legítima de Zeus e Hera. Por ter o privilégio da
eterna juventude, representava a donzela consagrada aos
trabalhos domésticos. Assim, cumpria no Olimpo diversas
obrigações: preparava o banho de Ares, ajudava Hera a
atrelar seu carro e servia néctar e ambrosia aos deuses.

Um dia, quando executava essa tarefa, caiu


numa posição inconveniente. Segundo uma versão,
os olímpicos puseram-se a rir sem parar e a jovem,
envergonhada, negou-se a continuar servindo-os.

Foi substituída pelo mortal Ganímedes, um belo


pastor, visto por Zeus cuidando de seu rebanho. Hebe
dançava com as musas e as horas, ao som da lira de
Apolo. Casou-se com Héracles, quando o herói, após
sua morte, foi imortalizado, e com ele teve dois filhos,
Alexiares e Anicetus.

HEFESTO
Hefesto ou Hefaísto é um deus da mitologia grega,
cujo equivalente na mitologia romana era Vulcano. Filho
de Zeus e Hera, rei e rainha dos deuses ou, de acordo com
alguns relatos, apenas de Hera, era o deus da tecnologia,
dos ferreiros, artesãos, escultores, metais, metalurgia, A Deusa Ênio, irmã de Ares, em uma representação
fogo e dos vulcões. Como outros ferreiros mitológicos, moderna, por Alayna, 2004.
porém ao contrário dos outros deuses, Hefesto era
manco, o que lhe dava uma aparência grotesca aos olhos
dos antigos gregos. Servia como ferreiro dos deuses, e
era cultuado nos centros manufatureiros e industriais da
Grécia, especialmente em Atenas. O centro de seu culto
se localizava em Lemnos.

53

170318 - mitologia Grega.indd 53 30/08/2017 05:29:05


Os símbolos de Hefesto são um martelo de peito de armas conhecido como égide, a célebre cinta de
ferreiro, uma bigorna e uma tenaz, embora por vezes Afrodite, o cetro de Agamenon a armadura de Aquiles,
tenha sido retratado empunhando um machado. os crótalos de bronze de Héracles, a carruagem de Hélio
(bem como a sua própria), o ombro de Pélops, o arco
Hefesto foi responsável, entre outras obras, pela e flecha de Eros. Hefesto trabalhava com o auxílio dos
égide, escudo usado por Zeus em sua batalha contra os ciclopes ctônicos, seus assistentes na forja. Também
titãs. Construiu para si um magnífico e brilhante palácio construiu autômatos de metal que trabalhavam para ele;
de bronze, equipado com muitos servos mecânicos. De entre estes estavam tripés que tinham a capacidade de ir
suas forjas saiu Pandora, primeira mulher mortal. e voltar ao Monte Olimpo. Hefesto deu ao cego Órion
seu aprendiz, Cedálion, para ser seu guia. Em uma das
versões do mito do deus, Prometeu teria roubado o fogo
que ele deu aos homens da forja de Hefesto. Este também
teria criado o presente que os deuses deram ao homem,
a mulher Pandora e seu pito. Como um hábil ferreiro,
Hefesto fez todos os tronos do Palácio do Olimpo.

ARES
Ares é um deus grego, filho do rei e rainha dos
deuses, Zeus e Hera na antiga religião grega. O culto de
Ares não foi muito grande, sendo centrado na região
norte da Grécia e em Esparta, uma das mais importantes
cidades-estados da Grécia antiga. Embora muitas vezes
tratado como o deus olímpico da guerra, ele é mais
exatamente o deus da guerra selvagem, sede de sangue,
ou matança personificada. Os romanos identificaram-no
como Marte, o deus romano da guerra e da agricultura
(que eles tinham herdado dos etruscos).

Entre os helenos sempre houve desconfiança de


Ares e ele era detestado por Zeus. Ares foi geralmente
diminuído em nome da sua meio-irmã, Atena, que
embora fosse deusa da guerra, a posição de Atena era de
guerra estratégica, enquanto Ares tendia a ser a violência
imprevisível da guerra. O seu lugar de nascimento e sua
casa verdadeira foram colocados muito longe, entre os
bárbaros e trácios belicosos (Ilíada 13.301; Ovídio, Ars
Amatoria, II.10;), de onde ele se retirou depois que o
seu caso com Afrodite foi revelado. Embora Afrodite
seja mais conhecida como esposa de Hefesto em
mitos tardios, ela foi mais retratada com Ares, que por
representar virilidade e seu amante ideal no imaginário
clássico. O casamento de Afrodite com Hefesto teria
chegado ao fim após a exposição da traição dela com
Ares e na Guerra de Troia, Homero diz que Afrodite
é consorte de Ares. A paixão de ambos representa o
dualismo entre amor e ódio, sendo constantemente
Hefesto, por Peter Paul Rubens, 1630 representados juntos em obras de arte.

Hefesto foi responsável por fazer boa parte dos No conto cantado pelo bardo na sala de Alcínoo,
magníficos equipamentos dos deuses, e quase todo tipo o Deus do sol Hélio uma vez espiou Ares e Afrodite
de trabalho em metal dotado de poderes mágicos que amando um ao outro secretamente na sala de Hefesto,
aparece na mitologia grega é tido como tendo sido feito e ele prontamente informou o incidente ao cônjuge
pelo deus; o elmo alado e as sandálias de Hermes, o Olimpíco de Afrodite. Hefesto conseguiu pegar o casal

54

170318 - mitologia Grega.indd 54 30/08/2017 05:29:05


Os Deuses flagram Ares e Afrodite na cama, por Johann Heiss, 1679

em flagrante, e para tanto, ele fez uma rede especial, fina HEBE
e resistente como o diamante para pegar os amantes Hebe é a deusa da juventude, filha legítima de
ilícitos. No momento apropriado, esta rede foi jogada, e Zeus e Hera. Por ter o privilégio da eterna juventude,
encurralou Ares e Afrodite em um abraço apaixonado. representava a donzela consagrada aos trabalhos
Mas Hefesto ainda não estava satisfeito com a sua domésticos. Assim, cumpria no Olimpo diversas
vingança — ele convidou os deuses Olimpos e deusas a obrigações: preparava o banho de Ares, ajudava Hera a
examinar o casal infeliz. atrelar seu carro e servia néctar e ambrosia aos deuses.
Um dia, quando executava essa tarefa, caiu numa posição
Por causa da modéstia, as deusas duvidaram, mas inconveniente.
os deuses testemunharam a vista. Alguns comentaram
a beleza de Afrodite, os outros opinavam em trocar de Segundo uma versão, os olímpicos puseram-se a rir
lugar ansiosamente com Ares, mas todos zombaram dos sem parar e a jovem, envergonhada, negou-se a continuar
dois. Uma vez que o casal foi solto, Ares, embaraçado, servindo-os. Foi substituída pelo mortal Ganímedes, um
fugiu para longe à sua pátria, Trácia. belo pastor, visto por Zeus cuidando de seu rebanho.

Em um detalhe interpolado muito posterior, Hebe dançava com as musas e as horas, ao som da
Ares põem o jovem Alectrião à sua porta para avisá-los lira de Apolo. Casou-se com Héracles, quando o herói,
da chegada de Hélio, como Hélio diria a Hefesto da após sua morte, foi imortalizado, e com ele teve dois
infidelidade de Afrodite se os dois fossem descobertos, filhos, Alexiares e Anicetus.
mas Alectrião adormeceu.
FOBOS
Hélio descobriu os dois e alertou Hefesto. Ares Fobos (“medo”), na mitologia grega é filho de Ares
ficou furioso com Alectrião e o transformou em um e Afrodite. Irmão gêmeo de Deimos, simboliza o temor
galo, que agora nunca esquece de anunciar a chegada e acompanha Ares nos campos de batalha, injetando nos
do sol na manhã. corações dos inimigos a covardia e o medo que os fazia fugir.

55

170318 - mitologia Grega.indd 55 30/08/2017 05:29:05


DEIMOS Quando chegaram na tribo dos enquéleas, eles os
Deimos (“pânico”), na mitologia grega, é o deus assistiram em sua guerra contra os ilírios, e conquistou
do terror. Na Teogonia, de Hesíodo, ele é um dos três o inimigo.
filhos de Ares e de Afrodite, sendo irmão de Fobos, o
medo, e Harmonia, que se casou com Cadmo. O terrível Cadmo, em seguida, tornou-se rei dos enquéleas,
Deimos é a personificação do pânico e acompanhava seu mas depois foi transformado em uma serpente.
pai e seu irmão Fobos, fazendo as tropas abandonarem Harmonia em sua dor pediu a Cadmo para ir até ela.
a formação e fugirem desordenamente. Quando ela foi abraçada por Cadmo em forma de
serpente numa piscina de vinho, os deuses transformou-a
HARMONIA em uma serpente, incapaz de suportar ver seu sofrimento.
Harmonia, na mitologia grega, a personificação
da paz, harmonia e concórdia. Sua equivalente romana CADMO
é a Concórdia. Ela serve como antítese da Éris, deusa Cadmo foi um herói lendário, fundador da cidade
da discórdia. Filha de Afrodite e Ares, representa o grega de Tebas e introdutor do alfabeto fenício na Grécia.
equilíbrio ideal vindo da união da deusa do amor e do Era filho do rei Agenor de Tiro e irmão mais velho de
deus da guerra. É esposa de Cadmo, com quem teve Ino, Europa, Cílix e Fênix.
Polidoro, Autônoe, Agave, Sêmele e Ilírio.
Quando Europa foi raptada por Zeus, o pai
ordenou aos três filhos que fossem à sua procura e que
não voltassem sem ela. Durante seu périplo, os irmãos
de Europa fundaram várias cidades e por fim acabaram
se estabelecendo definitivamente em outras regiões.
Fênix se instalou na Fenícia; Cílix, na Cilícia; e Cadmo,
na Grécia.

Aqueles que descreveram Harmonia como de


Samotrácia, relatou que Cadmo, em sua viagem para a
Samotrácia, depois de ter sido iniciado nos mistérios,
apaixonou-se por Harmonia, e a levou como sua
companheira com ajuda de Atena. Quando Cadmo foi Cadmo semeando os dentes do dragão, 1910
obrigado a parar em Tebas, Harmonia o acompanhou.

56

170318 - mitologia Grega.indd 56 30/08/2017 05:29:06


Cadmo viajou acompanhado da mãe, Teléfassa, retirando-a de lá, promovendo a sua aceitação no Olimpo
e dirigiu-se inicialmente para a Trácia (ou Samotrácia), sob a condição de deusa.
onde viveu algum tempo. Pouco depois da morte da mãe,
aconselhado pelo oráculo de Delfos, parou de procurar DIONÍSIO
Europa e fundou a Cadmeia, a acrópole fortificada da Dionísio é na antiga religião grega o deus dos ciclos
futura cidade de Tebas. vitais, das festas, do vinho, da insânia, do teatro, dos ritos
religiosos mas, sobretudo, da intoxicação que funde o
Segundo a tradição, o oráculo havia mandado bebedor com a deidade. Equivalente ao romano Baco.
Cadmo escolher o local seguindo uma vaca até que ela Foi o último deus aceito no Olimpo, filho de Zeus e
caísse de cansaço. Ao encontrar uma vaca com um sinal da princesa Semele, também foi o único olimpiano
diferente, Cadmo a seguiu até a Beócia e decidiu fundar filho de uma mortal, o que faz dele uma divindade
a cidade no local onde ela parou. Antes, para obter água grega atípica.
de uma fonte próxima, teve de matar a pedradas um
dragão (tido por filho de Ares) que guardava um bosque
sagrado. Logo depois, a conselho de Atena, semeou os
dentes do dragão morto.

Dos dentes nasceram diversos guerreiros,


totalmente armados e de aspecto ameaçador. Instado por
Atena, Cadmo lançou, sem ser visto, uma pedra sobre
eles. A pedra desencadeou uma violenta disputa e, no
fim da luta, restaram apenas cinco guerreiros vivos, os
espartos (i.e., “os semeados”). Eles auxiliaram Cadmo
na fundação da cidade e eram considerados ancestrais
das famílias nobres de Tebas.

Devido à morte do dragão, Cadmo foi condenado


pelos deuses a servir Ares durante oito anos. No fim do
período, Zeus concedeu-lhe a mão de Harmonia, filha
de Ares e de Afrodite. Os deuses imortais comparecerem
em peso ao casamento, as musas cantaram durante os
festejos e a noiva recebeu dois presentes fabulosos: um
maravilhoso vestido, tecido pelas graças, e um belíssimo
colar de ouro, feito por Hefesto.

Cadmo tornou-se rei de Tebas e seu reinado foi


longo e próspero; consta que ele civilizou a Beócia e
ensinou aos gregos o uso da escrita. Cadmo (e Harmonia)
tiveram vários filhos, Autônoe, Ino, Sêmele, Agave e
Polidoro.

SEMELE
Semele era, segundo a mitologia grega, filha de
Cadmo e de Harmonia e mãe de Dioniso. Teve amores
com Zeus, a quem pediu para mostrar todo o seu
esplendor, quando estava grávida. Morreu fulminada
quando Zeus apresentou-se como deus olímpico, envolto
em luz radiante.

Zeus então retirou do seu ventre Dioniso,


colocando-o em sua coxa, onde terminou a gestação.
Estátua de Dionísio, Museu do Louvre
Mais tarde Dionísio buscou Sêmele nos infernos,

57

170318 - mitologia Grega.indd 57 30/08/2017 05:29:06


Dionísio era representado nas cidades gregas A filha de Zeus seria a Afrodite do amor comum, do
como o protetor dos que não pertencem à sociedade povo, denominada Afrodite Pandemos de onde emanava
convencional e, portanto, simboliza tudo o que é caótico, o amor físico e desejos lascivos. Os principais mitos
perigoso e inesperado, tudo que escapa da razão humana envolvendo a deusa são a saga da Guerra de Troia, onde
e que só pode ser atribuída à ação imprevisível dos deuses ela protegeu a cidade de Troia e os amantes Helena
e Páris; sua perseguição a mortais que a ofenderam,
como Psiquê e Hipólito; as bênçãos dadas a fiéis como
AFRODITE Pigmaleão para viverem com suas amadas; e seus diversos
Afrodite é a deusa do amor, da beleza e da casos amorosos, como Ares e Adônis.
sexualidade na antiga religião grega. Responsável pela
perpetuação da vida, prazer e alegria. Historicamente, Afrodite recebeu vários epítetos, principalmente
seu culto na Grécia Antiga foi importado da Ásia, porque seus cultos variavam em cada cidade grega.
influenciado pelo culto de Astarte, na Fenícia, e de sua Recebeu os nomes de Citere ou Citereia (Cytherea) e
cognata, a deusa Ishtar dos acádios. Ambas eram deusas Cípria (Cypris) por dois locais onde seu culto era célebre
do amor, e seus atributos e rituais foram incorporados na Antiguidade, Citera e Chipre - cada um deles alegando
no culto grego a Afrodite. Na era romana, seria a vez de ser o local de nascimento da deusa. Afrodite ainda recebia
Afrodite ser a influência, dando origem à sua equivalente muitos outros nomes locais, como Acidália e Cerigo,
romana, a deusa Vênus. utilizadas em regiões específicas da Grécia. Mesmo com
os cultos diferentes, os gregos reconheciam a semelhança
Na mitologia grega, a versão mais famosa do geral entre todas como sendo a única Afrodite.
seu nascimento contada por Hesíodo, ela nasceu
quando Cronos cortou os órgãos genitais de Urano Afrodite, juntamente com Apolo, representa o
e arremessou-os no mar; da espuma (aphros) surgida ideal de beleza dos gregos antigos. Ela foi constantemente
ergueu-se Afrodite. No entanto para Homero, anterior a reproduzida nas Artes, da Antiguidade à Idade
Hesíodo, ela era filha de Zeus e Dione. Durante o período Contemporânea, dada a oportunidade dos artistas
de Platão, os gregos haviam solucionado este conflito imaginarem uma beleza divina. Nos dias atuais, seu
afirmando que Afrodite tem dois aspectos diferentes, mito continua exercendo influência na cultura, e muitas
sem individualizar o culto: a primeira Afrodite Urânia, vertentes do neopaganismo voltaram a lhe prestar culto.
seria a Afrodite celeste, do amor divino e homossexual.

58

170318 - mitologia Grega.indd 58 30/08/2017 05:29:06


Titanomaquia

A Titanomaquia, na mitologia grega, foi a guerra Cronos casa-se com sua irmã titânide Reia. Antes
entre os titãs, liderados por Cronos, contra os deuses de ser destronado, Urano profetizou que assim como ele,
olímpicos, liderados por Zeus, que definiria o domínio Cronos também seria derrotado por um de seus filhos. Com
do universo. Zeus conseguiu vencer Cronos após resgatar isso, Cronos exige que seus filhos sejam entregues um a
seus irmãos depois de uma luta que durou dez anos. um para que ele os devore. A mãe entrega todos menos o
último, Zeus. Em outras versões Reia também salva Posidão
Tudo começa quando Urano deseja casar-se com (substituindo-o por um potro) e Hera (entregando-a aos
Gaia, a Terra. Com isso nascem 12 filhos, seis mulheres cuidados das horas e de Oceano e Tétis).
e seis homens - chamados de titãs.
A mãe entrega Zeus às ninfas (seres elementares)
Urano temia que algum de seus filhos tentasse ou, em outras versões, aos centauros. Já adulto, Zeus se
roubar seu trono, então cada vez que seus filhos nasciam, disfarça e dá a seu pai uma poção (que havia recebido de
Urano os colocava novamente no útero de Gaia. Ela sua primeira esposa a titânide Métis) que o faz vomitar
persuadiu seus filhos a se revoltarem contra o pai. seus irmãos já adultos.

O líder foi Cronos, que, no momento em que A INFÂNCIA DE ZEUS


Urano estava copulando, foi libertado e utilizou uma Tudo o que sabemos sobre Zeus começa com os
foice para cortar as genitálias do pai. O sangue de textos do poeta Hesíodo, que é o mais antigo poeta grego
Urano ao cair na Terra gerou os mares, as montanhas, junto a Homero. O poema épico chamado Teogonia, que
as florestas e as erínias, e o seu esperma gerou a deusa significa “O nascimento dos deuses”, conta a origem
Afrodite. Cronos então liberta seus irmãos. dos deuses e da ascensão de Zeus ao trono do Olimpo.

59

170318 - mitologia Grega.indd 59 30/08/2017 05:29:07


No mito, Zeus não começa como rei dos deuses, raio ardente, armas do grande Zeus, e levavam o brado
ele se ergue da obscuridade para desafiar seu pai, Cronos, e os clamores ao seio dos combatentes; e no incessante
pelo controle do universo, porém isso não será fácil. fragor da espantosa luta, todos mostravam a força dos
Cronos era o rei dos titãs, os seres mais poderosos do seus braços.”
universo.
No primeiro ataque, do topo do monte Olimpo,
Sexto filho dos titãs Cronos e Reia, Zeus nasceu Zeus joga um raio mortal nos titãs e nesse momento
secretamente em Creta e foi entregue a Gaia e às ninfas todo o planeta treme. De um lado os hecatônquiros
ou, em outras versões, aos centauros. Reia entrega a arrancando pedras da montanha e jogando nos titãs. E de
Cronos uma pedra enrolada em panos, e este a engole outro os titãs lutando com os demais deuses. Após anos
pensando ser seu filho. de guerra, os olimpianos já estavam chegando à vitória,
mas os titãs usam sua última arma e das profundezas
Zeus passa a infância se preparando para seu do tártaro sai uma besta colossal e sombria, Tifão, uma
destino, que é desafiar seu pai e os titãs pelo controle do criatura extremamente forte que desafia Zeus, um último
universo. Anos depois Zeus torna-se um homem adulto desafio para os deuses reinarem sobre o universo. Horas
e está preparado para vingar-se de seu pai. Porém não se passaram de luta entre Tifão e Zeus, Zeus domina a
tem poder suficiente para derrotar os titãs sozinho. Ele luta e com um raio muito forte acerta Tifão, que cai de
tem, primeiro, que libertar seus irmãos engolidos por novo nas profundezas do Tártaro junto com os demais
Cronos, para lutarem juntos contra os titãs. Para isso titãs, Enfim, Zeus se torna o rei do universo.
Zeus, fingindo ser um viajante, dá a Cronos uma poção
que recebeu da deusa Métis, e que o faz vomitar seus Vitoriosos, os “olímpicos” banem os titãs para o
cinco irmãos. Primeiramente Cronos vomita a pedra Tártaro, junto com Érebo.
que Reia tinha lhe dado no lugar de Zeus e em seguida
regurgita todos os seus cinco filhos. Zeus, agora, tem seus Os titãs Céos, Oceano, Tétis, Mnemosine,
irmãos, mas ainda precisa de mais força para derrotar os Prometeus e Têmis não participaram da titanomaquia e
titãs. Há, ainda, outros membros, distantes, da família mais tarde foram incorporados ao panteão grego. Assim
que também querem vingança. Os irmãos de Cronos, como houve titãs, como Styx, que apoiaram Zeus.
os cíclopes e os hecatônquiros. Mas para encontrá-los
Zeus precisa ir ao mundo inferior. Oceano ficou como rei dos rios que circundavam
o mundo. Prometeu mais tarde criou o primeiro ser
Como Cronos tinha medo do poder de seus irmãos humano a partir do barro e depois foi acorrentado no
hecatônquiros e cíclopes, Gaia aconselha Zeus a usar monte Cáucaso por ter roubado o fogo do Olimpo
a força desses seus “tios” e, assim, vencer os titãs. No para dar aos homens, mas foi libertado por Héracles
Tártaro, conversa com eles dizendo “Eu os respeito. Eu (ou Hércules) em um de seus doze trabalhos. E Métis
sei que meu pai Cronos os traiu e os prendeu, mas agora tornou-se a primeira esposa de Zeus, que foi engolida por
eu os liberto com a condição de que lutem ao meu lado”. ele, pois Gaia fez uma profecia de que a filha de Métis,
Como forma de agradecimento por serem libertos, os Atena, também destronaria Zeus, motivo pelo qual Zeus
cíclopes dão a Zeus o poder dos raios. engoliu a titânide.

A BATALHA
Zeus, apoiado pelos irmãos libertos, inicia a
Titanomaquia. Nessa luta que durou dez anos, os deuses
posicionaram-se no monte Olimpo e os titãs adversários,
convocados por Cronos, no monte Ótris. Tiveram, ainda,
a ajuda dos titãs hecatônquiros, que forneceram a Zeus
suas armas.

Hesíodo descreve assim a luta: “Parecia, ouvindo


e vendo tão grande bulha e luz, que a terra e o céu
se confundiam, pois era enorme o tumulto da terra
esmagada e do céu a se precipitar sobre ela, tal o
barulho da luta dos deuses. Ao mesmo tempo, os ventos,
sacudindo-se, erguiam o pó, o trovão, o relâmpago, e o

60

170318 - mitologia Grega.indd 60 30/08/2017 05:29:07


Hades, Poseidon e Zeus

HADES
Hades, na mitologia grega, é o deus do mundo
inferior e dos mortos. Equivalente ao deus romano
Plutão, que significa o rico e que era também um dos
seus epítetos gregos, seu nome era usado frequentemente
para designar tanto o deus quanto o reino que governa,
nos subterrâneos da Terra. Consta também ser chamado
Serápis (deus de obscura origem egípcia).

É considerado um deus da “segunda geração”


pelos estudiosos, oriundo que fora de Cronos
(Saturno, na teogonia romana) e de Reia, formava
com seus cinco irmãos, filhos de Cronos e Reia:
suas filhas Héstia, Deméter e Hera, e os seus filhos
Poseidon e Zeus.

Ele é também conhecido por ter raptado a


deusa Perséfone (Koré ou Core) filha de Deméter, a
quem teria sido fiel e com quem nunca teve filhos.
A simbologia desta união põe em comunicação duas
das principais forças e recursos naturais: a riqueza do
subsolo que fornece os minerais, e faz brotar de seu
âmago as sementes - vida e morte.

Hades costuma apresentar um papel secundário


na mitologia, pois o fato de ser o governante do Mundo
dos Mortos faz com que seu trabalho seja “dividido”
entre outras divindades, tais como Tânato, deus da
morte, ou as Queres (Ker) - estas últimas retratadas na
Ilíada recolhendo avidamente as almas dos guerreiros,
enquanto Tânato surge nos mitos da bondosa Alceste ou
do astuto Sísifo. Como o senhor implacável e invencível
da morte, é Hades o deus mais odiado pelos mortais,
como registrou Homero (Ilíada 9.158.159). Platão
acentua que o medo de falar o seu nome fazia usarem
no lugar eufemismos, como Plutão.

As representações de Hades apresentam a Hades et Cerberus, em uma escultura de 200DC


mesma face de Zeus e Poseidon, seus irmãos. As
antigas obras de arte diferenciam-no somente por Seus atributos diferenciais eram um cetro,
alguns “rasgos de expressão”, como registou Murray. similar ao de Zeus, e um capacete que, como o elmo
As espessas barbas e cabelo sombreiam a face. das nuvens do mito nórdico de Sigfrido, conferia a
Aparece de ordinário sentado em seu trono, ao lado invisibilidade a quem o portasse. Seu auxiliar é o cão
da esposa ou em pé, num carro junto dela. de três cabeças , Cérbero.

61

170318 - mitologia Grega.indd 61 30/08/2017 05:29:07


Sua figura é bastante sóbria, sem ornatos: além direito ao voto na época do rei Cécrope I. Quando este
da expressão sombria pelo franzir dos cenhos, a barba rei fundou uma cidade, nela brotaram uma oliveira e uma
em desalinho e cabelos desgrenhados num rosto fonte de água. O rei perguntou ao oráculo de Delfos
pálido completam o quadro do Zeus inferi. Suas vestes o que isso queria dizer, e resposta foi que a oliveira
consistem num pesado manto e túnica vermelhos; seu significava Minerva e a fonte de água Netuno, e que os
trono é representado por uma coruja. cidadãos deveriam escolher entre os dois qual seria o
nome da cidade. Todos os cidadãos foram convocados
A despeito disto, Wilkinson e Philip registram a votar, homens e mulheres; os homens votaram em
que nunca era retratado pelos artistas. Isto se dava Netuno, as mulheres em Minerva, e Minerva venceu
porque, além da invisibilidade, imperava o temor e por um voto. Netuno ficou irritado, e atacou a cidade
mistério que lhes inspirava Hades. Quanto ao capacete com as ondas. Para apaziguar o deus (que Agostinho
da invisibilidade William F. Hansen registrou que este chama de demônio), as mulheres de Atenas aceitaram
não é propriamente uma ferramenta do deus, apesar três castigos: que elas perderiam o direito ao voto, que
da popular etimologia reinterpretar seu nome grego nenhum filho teria o nome da mãe e que ninguém as
(aidos kyneè) como elmo de Hades: além da passagem chamaria de atenienses.
que diz que o elmo lhe fora presenteado pelos ciclopes,
nenhuma outra diz que o deus utiliza-se dele e, quando Na Ilíada, Poseidon aparece-nos como o deus
é citado que outros deuses ou heróis fazem serventia supremo dos mares, comandando não apenas as ondas,
de seus poderes, não há menção de que lhe tomaram correntes e marés, mas também as tempestades marinhas
emprestado diretamente. e costeiras, provocando nascentes e desmoronamentos
costeiros com o seu tridente. Embora seu poder pareça
POSEIDON ter se estendido às nascentes e lagos, os rios, por sua vez,
Poseidon era um dos filhos de Cronos e Reia, e, têm as suas próprias deidades, não obstante o facto de
como seus irmãos e irmãs, foi engolido por Cronos ao que Posídon fosse dono da magnífica ilha de Atlântida.
nascer. A ordem de nascimento de seus irmãos, segundo
Pseudo-Apolodoro, é Héstia (a mais velha), seguida Geralmente, Poseidon usava a água e os terremotos
de Deméter e Hera, seguidas de Hades e Poseidon o para exercer vingança, mas também podia apresentar um
próximo a nascer, Zeus, foi escondido por Reia em Creta, caráter cooperativo. Ele auxiliou bastante os gregos na
que deu uma pedra para Cronos comer. Higino enumera Guerra de Troia, mas levou anos se vingando de Odisseu,
os filhos de Saturno e Reia como Vesta, Ceres, Juno, que havia ferido a cria de um de seus ciclopes.
Júpiter, Plutão e Netuno, ele também relata uma versão
alternativa da lenda, em que Saturno encerra Orco no Os navegantes oravam a ele por ventos favoráveis e
Tártaro e Netuno em baixo do mar, em vez de comê-los. viagens seguras, mas seu humor era imprevisível. Apesar
dos sacrifícios, que incluíam o afogamento de cavalos, ele
Primordialmente Zeus terá obrigado seu pai, podia provocar tempestades, maus ventos e terremotos
Cronos, a regurgitar e restabelecer a vida aos filhos que por capricho.
este engoliu, entre eles está Poseidon, explicando assim
Zeus como o irmão mais novo, pois sua mãe Reia, deu Considerando que as inúmeras aventuras amorosas
uma pedra em seu lugar. de Poseidon foram todas frutíferas em descendentes,
é de notar que, ao contrário dos descendentes de seu
Vida inicial irmão Zeus, os filhos do deus dos mares, tal como os
Poseidon fora criado entre os Telquines, os de seu irmão Hades, são quase todos maléficos e de
demónios de Rodes. Quando atingiu a maturidade, temperamentos violentos. Alguns exemplos: de Teosa
apaixonou-se por Hália, uma das irmãs dos Telquines, e nasce o ciclope Polifemo; de Medusa nasce o gigante
desse romance nasceram seis filhos e uma filha, de nome Crisaor e o cavalo alado, Pegasus de Amimone nasce
Rodo, daí o nome da ilha de Rodes. Náuplio; com Deméter nasce Despina, deusa do inverno
que acaba com tudo o que sua mãe e sua meia-irmã
Divindade Perséfone cultivam, também congela as águas; com
Posídon disputou com Atena para decidir qual dos Ifimedia, nascem os irmãos gigantes Oto e Efialtes
dois seria o padroeiro de Atenas. (os Aloídas), que chegaram mesmo a declarar guerra
aos deuses. Por sua vez, os filhos que teve com Halia
Segundo Marco Terêncio Varrão, citado por cometeram tantas atrocidades que o pai teve de os
Agostinho de Hipona, as mulheres da Ática tinham o enterrar para evitar-lhes maior castigo.

62

170318 - mitologia Grega.indd 62 30/08/2017 05:29:07


Casou ainda com Anfitrite, filha de Nereu e Dóris universo. Nas palavras do geógrafo antigo Pausânias,
de quem nasceu o seu filho Tritão, o deus dos abismos “que Zeus é rei nos céus é um dito comum a todos os
oceânicos, que ajudou Jasão e os seus argonautas a homens”. Na Teogonia, de Hesíodo, Zeus é responsável
recuperar o Velocino de ouro, e Rode, que se casou por delegar a cada um dos deuses suas devidas funções.
com Hélio. Nos Hinos Homéricos ele é referido como o “chefe
dos deuses”.
Existem várias listas de filhos deste deus. Higino
enumera os seguintes filhos:

- Boeoto e Heleno, por Antíopa, filha de Éolo


- Agenor e Belo, por Líbia, filha de Épafo
- Belerofonte, por Eurínome, filha de Niso
- Leuconoé por Temisto, filha de Hipseu
- Hirieu, por Alcíone (filha de Atlas)
- Abas por Aretusa, filha de Nereu
- Efoceu por Alcíone (filha de Atlas)
- Díctis por Agamede, filha de Aúgias
- Evadne por Lena, filha de Lêucipo
- Megareu por Oenope, filha de Epopeu
- Cigno por Cálice, filha de Hecato
- Periclimeno e Anceu por Astipaleia, filha de Fênix
- Neleu e Pélias por Tiro (mitologia), filha de
Salmoneu
- Eumolpo por Quíone, filha de Áquilo
- Despina e Árion (gêmeos), por Deméter.

ZEUS
Zeus é o pai dos deuses e dos homens, que exercia
a autoridade sobre os deuses olímpicos na antiga religião
grega. É o deus dos céus, raios, relâmpago que mantêm
a ordem e justiça na mitologia grega. Seu equivalente
romano é Júpiter, enquanto seu equivalente etrusco é
Tinia; alguns autores estabeleceram seu equivalente hindu
como sendo Indra.

Filho do titã Cronos e de Reia, Zeus é o mais


novo de seus irmãos; na maior parte das tradições é
casado, primeiro com Métis, engendrando a deusa Atena
e, depois, com Hera, embora no oráculo de Dodona,
sua esposa seja Dione, com quem, de acordo com a
Ilíada, ele teria gerado Afrodite. É conhecido por suas
aventuras eróticas, que frequentemente resultavam em
descendentes divinos e heroicos, como Atena, Apolo e
Ártemis, Hermes, Perséfone (com Deméter), Dioniso,
Perseu, Héracles, Helena de Troia, Minos, e as Musas
(de Mnemosine); com Hera, teria tido Ares, Ênio, Ilítia,
Éris, Hebe e Hefesto.

Como ressaltou o acadêmico alemão em seu livro


Religião Grega, “mesmo os deuses que não são filhos
naturais de Zeus dirigem-se a ele como Pai, e todos os
deuses se põem de pé diante de sua presença”. Para Jupiter de Smyrna, no Louvre
os gregos, era o Rei dos Deuses, que supervisionava o

63

170318 - mitologia Grega.indd 63 30/08/2017 05:29:07


Seus símbolos são o raio, a águia, o touro e o Infância
carvalho. Além de sua clara herança indo-europeia, sua Reia teria escondido Zeus numa caverna dos
clássica descrição como “ajuntador de nuvens” também montes Dícti, em Creta. De acordo com as diversas
deriva certos traços iconográficos das culturas do Antigo versões da história, ele teria sido criado:
Oriente Médio, tais como o cetro. Zeus frequentemente
foi representado pelos antigos artistas gregos em duas - por Gaia;
poses diferentes: numa, em pé, apoiado para a frente, - por uma cabra chamada Amalteia, enquanto um
empunhando um raio na altura de sua mão direita, pelotão de curetes — soldados ou deuses menores
erguida; na outra sentado, numa pose majestosa. Havia — dançavam, gritavam e batiam suas lanças contra
muitas estátuas erguidas em sua honra, das quais a mais seus escudos para que Cronos não ouvisse o choro
magnífica era a sua estátua em Olímpia, uma das sete do bebê (ver cornucópia);
maravilhas do mundo antigo. Originalmente, os Jogos - por uma ninfa chamada Adamanteia; como
Olímpicos eram realizados em sua honra. Cronos era senhor da Terra, dos céus e do mar, ela o
escondeu pendurado por uma corda de uma árvore,
Nascimento de modo que ele, não estando nem na terra, nem no
Cronos teve diversos filhos com Reia: Héstia, céu e nem no mar, teria ficado invisível para seu pai.
Deméter, Hera, Hades e Posídon, porém engoliu-os - por uma ninfa chamada Cinosura; como
todos (menos Poseidon e Hades) assim que nasceram, agradecimento, Zeus a teria colocado em meio às
após ouvir de Gaia e Urano que ele estava destinado a estrelas como uma constelação.
ser deposto por seu filho, da mesma maneira que ele - por Melissa, que o amamentou com uma mistura
havia deposto seu próprio pai - um oráculo do qual Reia de leite de cabra e mel.
tomou conhecimento e pôde evitar.
Rei dos deuses
Quando Zeus estava prestes a nascer, Reia Após chegar à idade adulta, Zeus forçou Cronos a
procurou Gaia e concebeu um plano para salvá-lo, para vomitar primeiro a pedra que lhe havia sido dada em seu
que Cronos fosse punido por suas ações contra Urano e lugar - em Pito, sob os vales do monte Parnaso, como
seus próprios filhos. Reia deu à luz Zeus na ilha de Creta, um sinal para os mortais: o Ônfalo, “umbigo” - e em
e entregou a Cronos uma pedra enrolada em roupas de seguida seus irmãos, de acordo com a ordem em que
bebê, que ele prontamente engoliu. haviam sido engolidos. Em algumas versões, Métis deu

Zeus e Hera

64

170318 - mitologia Grega.indd 64 30/08/2017 05:29:07


a Cronos um emético para forçá-lo a vomitar os bebês, incessantemente, afastando assim sua atenção dos casos
enquanto noutra o próprio Zeus teria aberto com um amorosos de seu marido; quando Hera descobriu o
corte a barriga de Cronos. Em seguida, Zeus libertou estratagema, condenou Eco a repetir permanentemente
os irmãos de Crono, os gigantes, os hecatônquiros e os as palavras de outras pessoas.
ciclopes, que estavam aprisionados num calabouço no
Tártaro, após matar Campe, o monstro que os vigiava. OS DEUSES OLÍMPICOS
Os doze deuses olímpicos, também conhecidos
Para mostrar seu agradecimento, os ciclopes como o dodecateão, na religião helênica, eram os
lhe presentearam com o trovão e o raio, que haviam principais deuses do panteão grego, residentes no topo
sido escondidos anteriormente por Gaia. Zeus então, do monte Olimpo.
juntamente com seus irmãos e irmãs, os gigantes,
hecatônquiros e ciclopes, depuseram Cronos e os outros Os deuses olímpicos moravam em um imenso
titãs, durante a batalha conhecida como Titanomaquia. palácio, em algumas versões de cristais, construído no
Os titãs, após serem derrotados, foram despachados para topo do monte Olimpo, uma montanha que ultrapassaria
o Tártaro, enquanto um deles, Atlas, foi condenado a o céu. Alimentavam-se de ambrósia e bebiam néctar,
segurar permanentemente o céu. alimentos exclusivamente divinos, ao som da lira de
Apolo, do canto das Musas e da dança das Cárites.
Após a batalha contra os titãs, Zeus dividiu o Apesar de nunca haver se acabado por completo, e
mundo com seus irmãos mais velhos, Poseidon e Hades: tendo permanecido oculto na maior parte da Grécia
Zeus ficou com o céu e o ar, Poseidon com as águas e devido à perseguição político-religiosa que sofreu, o
Hades com o mundo dos mortos (o mundo inferior). culto dos deuses olímpicos tem sido restaurado de forma
A antiga Terra, Gaia, não podia ser dividida, e portanto mais explícita na Grécia desde os anos 1990, através do
ficou para todos os três, de acordo com suas habilidades movimento religioso conhecido como dodecateísmo.
- o que explica porque Poseidon era o “sacudidor da
terra” (o deus dos terremotos), e Hades ficava com os
humanos que morreram.

Gaia, no entanto, não aprovou a maneira com que


Zeus tratou os titãs, seus filhos; logo após assumir o trono
como rei dos deuses, Zeus teve de combater outros filhos
de Gaia: o monstro Tifão e a Equidna. Zeus derrotou
Tifão, aprisionando-o sob o monte Etna, porém poupou
a vida de Equidna e seus filhos.

Zeus e Hera
Zeus era irmão e consorte de Hera. Com ela teve
três filhos: Ares, Hebe e Hefesto, embora alguns relatos
afirmem que Hera tê-los-ia tido sozinha. Algumas
versões também descrevem Ilitia e Éris como filhas do
casal. As conquistas amorosas de Zeus, no entanto, entre
ninfas e as mitológicas progenitoras mortais das dinastias
helênicas são célebres. A mitografia olímpica lhe credita
com uniões com Leto, Deméter, Dione e Maia. Entre
as mortais com quem ele teria se relacionado estavam
Sêmele, Io, Europa e Leda e o jovem menino Ganímedes,
porém Zeus o presenteou com a eterna juventude e
imortalidade.

Diversos mitos mencionam o sofrimento de Hera


com o ciúme gerado por estas conquistas amorosas, e a
descrevem como uma inimiga consistente das amantes Os Doze Deuses Olímpicos Por Nicolas-André Monsiau,
de Zeus e de seus filhos. Por algum tempo uma ninfa em finais do século XVIII
chamada Eco foi encarregada de distrair Hera falando

65

170318 - mitologia Grega.indd 65 30/08/2017 05:29:08


A primeira referência antiga a cerimónias religiosas o que implica que ele mesmo considerasse Hades como
em sua honra encontra-se no Hino homérico dedicado sendo um dos Doze. Hades não consta das versões
a Hermes. A composição clássica dos doze deuses posteriores deste grupo de deuses devido a associações
olímpicos (o doze canónico da arte e da poesia) inclui ctónicas óbvias. Em Fedro Platão faz corresponder os
os seguintes deuses: Zeus, Hera, Poseidon, Atena, Ares, Doze com o Zodíaco e exclui Héstia.
Deméter, Apolo, Ártemis, Hefesto, Afrodite, Hermes
e Dioniso. Os doze deuses romanos correspondentes Hebe, Hélio e Perséfone são também incluídos,
eram Júpiter, Juno, Neptuno, Minerva, Marte, Ceres, por vezes, no grupo. Eros também é por vezes referido
Febo, Diana, Vulcano, Vénus, Mercúrio e Baco. Hades ao lado dos doze, especialmente com a sua mãe, Afrodite,
(no panteão romano, Plutão) não era geralmente incluído mas raramente é considerado como um dos olímpicos.
nesta lista. Não tinha assento no panteão porque passava
a maior parte do seu tempo nos Infernos. Também Os doze olímpicos obtiveram a sua supremacia
costuma aparecer entre os doze Héstia (entre os romanos, no mundo dos deuses, depois de Zeus ter conduzido os
Vesta), no lugar de Dionísio. seus irmãos, Hera, Posidão, Deméter e Héstia, à vitória
na guerra com os titãs. Ares, Hermes, Hefesto, Afrodite,
A composição do grupo dos doze olímpicos, Atena, Apolo, Ártemis, as graças, Hércules, Dioniso,
contudo, varia substancialmente entre os autores Hebe e Perséfone eram, por sua vezes, filhos de Zeus,
da antiguidade. Heinrich Wilhelm Stoll considera, ainda que algumas versões dos mitos sustentem que
mesmo, que a limitação ao número de doze é uma ideia Hefesto era filho apenas de Hera e que Afrodite era
relativamente moderna, Cerca de 400 a.C., Heródoto filha de Urano.
incluía na sua composição do Dodekatheon as seguintes
divindades: Zeus, Hera, Posidão, Hermes, Atena, Apolo,
Alfeu, Cronos, Reia e as Graças. Wilamowitz concorda
com a versão de Heródoto.

Heródoto inclui, em Histórias II, 43, Hércules


como um dos Doze. Luciano de Samósata também inclui
Hércules e Esculápio como membros dos doze, sem,
contudo, referir quais os deuses que para eles tiveram
de abdicar. Em Cós, Hércules e Dioniso juntam-se aos
Doze, prescindindo-se de Ares e Hefesto. Contudo,
Píndaro, Apolodoro e Heródoto discordam desta versão,
sustentando que Hércules não era um dos Doze Deuses,
mas aquele que estabeleceu o seu culto.

Platão relacionava os doze deuses ao número de


meses do ano, e propôs que o último mês fosse dedicado
aos rituais em honra de Plutão e dos espíritos dos mortos,

66

170318 - mitologia Grega.indd 66 30/08/2017 05:29:08


Malkuth

Gaia Somente Cronos aceitou. Gaia então tirou do peito o aço


Gaia, Géia, Gea ou Gê é a Terra, a Mãe Terra, como e fez a foice dentada. Colocou-a na mão de Cronos e os
elemento primordial e latente de uma potencialidade escondeu, para que, quando viesse Urano, durante a noite
geradora incrível. Segundo Hesíodo, no princípio surge não percebesse sua presença. Ao descer, Urano, para se
o Caos, e do Caos nascem Gaia, Tártaro, Eros (o amor), unir mais uma vez com a esposa, foi surpreendido por
Érebo e Nix (a noite). Cronos, que atacou-o e castrou-o, separando assim o Céu
e a Terra. Cronos lançou os testículos de Urano ao mar,
Gaia gera sozinha Urano, Ponto e as Óreas (as mas algumas gotas caíram sobre a terra, fecundando-a.
montanhas). Ela gerou Urano, seu igual, com o desejo de ter
alguém que a cobrisse completamente, e para que houvesse Do sangue de Urano derramado sobre Gaia,
um lar eterno para os deuses. nasceram os Gigantes, as Erínias as Melíades. Após a

Com Urano, Gaia gerou os 12 Titãs: Oceano, Céos,


Crio, Hiperião, Jápeto, Teia, Reia, Têmis, Mnemosine, a
coroada de ouro Febe e a amada Tétis; por fim nasceu
Cronos, o mais novo e mais terrível dos seus filhos, que
odiava a luxúria do seu pai.

Ourano e Gaia, Afresco de 250 AC

Urano e Gaia geraram, então, os Ciclopes e os


Hecatônquiros, gigantes de cem mãos e cinquenta
cabeças. Sendo Urano capaz de prever o futuro, temeu
o poder de filhos tão grandes e poderosos e os encerrou
novamente no útero de Gaia. Ela, que gemia com dores
atrozes sem poder parir, chamou seus filhos Titãs e
pediu auxílio para libertar os irmãos e se vingar do pai.

67

170318 - mitologia Grega.indd 67 30/08/2017 05:29:08


queda de Urano, Cronos subiu ao trono do mundo e Ela tinha doze deuses menores que a assistiam, e
libertou os irmãos. Mas vendo o quanto eram poderosos, estavam encarregados de aspectos específicos da lavoura.
também os temia e os aprisionou mais uma vez. Gaia, Ceres era retratada na arte com um cetro, um cesto de
revoltada com o ato de tirania e intolerância do filho, flores e frutos e tinha uma coroa feita de espigas de trigo.
tramou uma nova vingança.
Perséfone / Proserpina
Ceres / Demeter Na mitologia grega, Perséfone, equivalente a
Ceres, na mitologia romana, equivalente à deusa Proserpina na Mitologia Romana, é a deusa das ervas,
grega, Deméter, filha de Saturno e Cibele, amante e irmã flores, frutos e perfumes. É filha de Zeus e Demetra,
de Júpiter, irmã de Juno, Vesta, Netuno e Plutão, e mãe a deusa da agricultura, estações anuais, casamento e
de Proserpina com Júpiter. feminilidade; tendo nascido após o casamento de seu pai
com Métis e antes do casamento com Hera. Criada no
Olímpo, lar da nobreza divina, Perséfone foi sequestrada
por seu tio Hades, mudando-se para o mundo inferior.
Socorrida por seu meio-irmão Hermes, Perséfone
passou a morar metade do ano no Olímpo nas estações
primavera e verão e outra no mundo dos mortos nas
estações de outono e inverno, quando era chamada de
Koré pelos demais deuses ctônicos.

Rapto de Prosérpina, de Luca Giordano (1686)

Hades e Perséfone tinham uma relação calma e


amorosa. As brigas eram raras, com exceção de quando
Oferenda a Ceres, de Jacob Jordens (1618) Hades se sentiu atraído por uma ninfa chamada Menthe,
e Perséfone, tomada de ciúmes, transformou a ninfa numa
Patrona da Sicília, Ceres pediu a Júpiter para que a planta, destinada a vegetar nas entradas das cavernas,
Sicília fosse colocada nos céus; como resultado, e porque ou, em outra versão, na porta de entrada do Reino dos
a ilha tem forma triangular, Júpiter criou a constelação Mortos. Perséfone interferia nas decisões de Hades, sempre
Triangulum, um dos antigos nomes da Sicilia. intercedendo a favor dos heróis e mortais, e sempre estava
disposta a receber e atender os mortais que visitavam o reino
Ceres era a deusa das plantas que brotam dos mortos a procura de ajuda. Apesar disso, os gregos a
(particularmente dos grãos) e do amor maternal. Diz-se temiam e, salvo exceções, no dia a dia evitavam falar seu
que foi adotada pelos romanos em 496 AC. durante uma nome (Perséfone) chamando-a de Hera infernal.
fome devastadora, quando os livros Sibilinos avisaram
para que se adotassem a deusa grega Deméter, Proserpina
(Perséfone) e Dionísio.

68

170318 - mitologia Grega.indd 68 30/08/2017 05:29:08


Yesod

Selene Luna
Na Mitologia Grega, Selene era a deusa da lua. Na antiga Religião e Mitologia Roman, Luna é a
Ela é filha dos titãs Hiperion e Thea e irmã do deus do encarnação divina da Lua (Latim, Luna). Ela é muitas
sol, Hélio e de Eos, deusa do amanhecer. Ela dirige sua vezes apresentada como um complemento feminino do
carruagem lunar pelos céus. Sol (Sol), concebido como um deus. Luna também é por
vezes representada como um aspecto de deusa romana
Vários amantes são atribuídos a ela em vários tripla (Diva Triformis), juntamente com Proserpina e
mitos, incluindo Zeus, Pã, e o mortal Endimion. Em Hécate. Luna nem sempre foi uma deusa distinta, mas
tempos clássicos, Selene foi muitas vezes identificada sim às vezes um epíteto que se especializa em uma
com Ártemis, assim como seu irmão, Hélio, foi deusa, uma vez que Diana e Juno são identificadas como
identificado com Apolo. deusas da lua.

Ambas Selene e Ártemis também foram associadas


com Hécate, e todas as três eram consideradas como
deusas lunares, embora apenas Selene fosse considerada
como a personificação da própria lua. Sua equivalente
romana é Luna.

69

170318 - mitologia Grega.indd 69 30/08/2017 05:29:09


por corças, trazendo sempre o seu arco e aljava cheia de
flechas.O templo de Ártemis em Éfeso foi uma das sete
maravilhas do mundo antigo.

Na arte romana, os atributos de Luna eram a lua


crescente e duas carruagens juntas (biga). No Carmen
Saeculare escrito em 17 AC., Horácio a invoca como a
“Rainha de dois chifres das estrelas” (Siderum Regina
Bicornis), quando só as meninas a ouvem cantando,
enquanto só os meninos ouvem Apolo.

Ártemis
Deusa da caça e da serena luz, Ártemis é a mais
pura e casta das deusas e, como tal, foi ao longo dos
tempos uma fonte inesgotável da inspiração dos artistas. Diana de Versalhes, escultura de 4AC
Zeus, seu pai, presenteou-a com arco e flechas de prata,
além de uma lira do mesmo material; seu irmão Apolo Diana
ganhou os mesmos presentes, só que de ouro. Todos Em Roma, Diana era a deusa da lua e da caça, mais
eram obra de Hefesto, o Deus do fogo e das forjas, que conhecida como deusa pura, filha de Júpiter e de Latona,
era um dos muitos filhos de Zeus, portanto também e irmã gêmea de Febo.
irmão de Ártemis.
Era muito ciosa de sua virgindade. Na mais famosa
Zeus também a fez rainha dos bosques e lhe deu de suas aventuras, transformou em um cervo o caçador
uma corte de Ninfas. Para ser uma das caçadoras de sua Acteão, que a viu nua durante o banho.
corte, a mulher ou menina deve lhe fazer um juramento
de fidelidade e total desapego à figuras masculinas,
assim se tornando uma caçadora de Ártemis adquire-
se imortalidade. Como a luz prateada da lua, percorre
todos os recantos dos prados, montes e vales, sendo
representada como uma infatigável caçadora.

É representada, como caçadora que é, vestida


de túnica, calçada de sandálias, trazendo aljava sobre a
espádua, um arco na mão e um cão ao seu lado. Outras
vezes podemos vê-la acompanhada das suas ninfas, tendo a
fronte ornada de uma lua crescente. Representam-na ainda:
ora no banho, ora em atitude de repouso, recostada a um
veado, acompanhada de dois cães; ora em um carro tirado

70

170318 - mitologia Grega.indd 70 30/08/2017 05:29:09


A correlação entre Diana e o arco-e-flecha pode ser percebida Após muito pranto, mas sem ousar contrariar a
na ilustração acima, onde a associação do arco lunar com o arco vontade de Apolo, a jovem Psiquê foi levada ao alto de
da caçadora é bastante clara. um rochedo e deixada à própria sorte, até adormecer e
ser conduzida pelo vento Zéfiro a um palácio magnífico,
Indiferente ao amor e caçadora infatigável, Diana que daquele dia em diante seria seu.
era cultuada em templos rústicos nas florestas, onde os
caçadores lhe ofereciam sacrifícios. Na mitologia romana, Lá chegando a linda princesa não encontrou ninguém,
Diana era deusa dos animais selvagens e da caça, bem mas tudo era suntuoso e, quando sentiu fome, um lauto
como dos animais domésticos. banquete estava servido. À noite, uma voz suave a chamava
e, levada por Eros , se entregou à ele e conheceu as delícias
Filha de Júpiter e Latona, irmã gêmea de Febo, do Amor, nas mãos do próprio Deus do Amor...
obteve do pai permissão para não se casar e se manter
sempre casta. Júpiter forneceu-lhe um séquito de
sessenta oceânidas e vinte ninfas que, como ela,
renunciaram ao casamento.

Diana foi cedo identificada com a deusa grega


Ártemis e depois absorveu a identificação de Artemis
com Selene (Lua) e Hécate (ou Trívia), de que derivou
a caracterização Triformis Dea (deusa de três formas),
usada às vezes na literatura latina.

O mais famoso de seus santuários ficava no bosque


junto ao lago Nemi, perto de Arícia.

Psiquê
Psiquê ou Psique é uma personagem da mitologia
grega, personificação da alma.Seu mito é narrado no
livro O Asno de Ouro de Apuleio, que a cita como
uma bela mortal por quem Eros, o deus do amor, se
apaixonou. Tão bela que despertou a fúria de Afrodite,
deusa da beleza e do amor, mãe de Eros - pois os homens
deixavam de frequentar seus templos para adorar uma
simples mortal.

A deusa mandou seu filho atingir Psiquê com suas


flechas, fazendo-a se apaixonar pelo ser mais monstruoso
existente. Mas, ao contrário do esperado, Eros acaba
se apaixonando pela moça - acredita-se que tenha sido
espetado acidentalmente por uma de suas próprias setas.

Com o próprio deus do Amor apaixonado por ela,


suas setas não foram lançadas para ninguém. O tempo
passava, Psiquê não gostara de ninguém, e nenhum de
seus admiradores tornara-se seu pretendente.
Psiquê sendo resgatada por Eros, de William Bouguereau,
O rei, pai de Psiquê, cujo nome é desconhecido, “L’enlèvement de Psyché” (1889)
preocupado com o fato de já ter casado duas de suas
filhas, que nem de longe eram belas como Psiquê, quis Os dias se passavam e ela não se entediava, tantos
saber a razão pela qual esta não conseguia encontrar um prazeres tinha: acreditava estar casada com um monstro,
noivo. Consulta então o Oráculo de Apolo, que prevê, pois Eros não lhe aparecia e, quando estavam juntos,
induzido por Eros (Cupido), ser o destino de sua filha ficava invisível.
casar com um ente monstruoso.

71

170318 - mitologia Grega.indd 71 30/08/2017 05:29:09


Ele não podia revelar sua identidade pois, assim, fazer para reconquistar o marido. Primeiro ela precisaria
sua mãe descobriria que não cumprira suas ordens conseguir o perdão da sogra.
- e apesar disto, Psiquê amava o esposo, que a fizera
prometer-lhe jamais tentaria descobrir seu rosto. Afrodite dá a ela quatro tarefas impossíveis de
serem realizadas:
Passado um tempo, a bela jovem sentiu saudade de
suas irmãs e, implorando ao marido que permitisse que elas OS GRÃOS: A princesa foi colocada num quarto
fossem trazidas a seu encontro. Eros resistiu e, ante sua onde uma montanha de grãos de diversos tipos tinha
insistência, advertiu-a para a alma invejosa das mulheres. sido misturada. Psiquê devia separá-los, conforme cada
espécie, no espaço de uma noite. A jovem começou a
As duas irmãs foram, enfim, levadas. A princípio trabalhar, mas, mal fizera alguns montículos e adormeceu
mostraram-se apiedadas do triste destino da sua irmã, extenuada. Durante seu sono, surgem milhares de
mas vendo-a feliz, num palácio muito maior e mais formigas que, grão a grão, os separam do monte e os
luxuoso que o delas, foram sendo tomadas pela inveja. reúnem consoante sua categoria. Ao acordar, Psiquê
Constataram, então, que a irmã nunca tinha visto a face constata que a tarefa fora cumprida dentro do prazo.
do marido. Disseram ter ouvido falar que ela havia se
casado com uma monstruosa serpente que a estava A LÃ DE OURO: Afrodite pediu, então, que a
alimentando para depois devorá-la, então sugeriram-lhe moça lhe trouxesse a lã de ouro do velocino de ouro.
que, à noite, quando este adormecesse, tomasse de uma Após longa jornada, Psiquê encontra os ferozes animais,
lâmpada e uma faca: com uma, iluminaria o seu rosto; que não deixavam que deles se aproximassem. Uma
com a outra, se fosse mesmo um monstro, o mataria. voz surge de juncos num rio e a aconselha: ela deve
procurar um espinheiro, onde os carneiros vão beber,
Psiquê resistiu os conselhos das irmãs o quanto e nas pontas dos espículos recolher toda a lã que ficara
pôde, mas o efeito das palavras e a curiosidade da jovem presa. Cumprindo o ditame, Psiquê realiza a tarefa,
tornaram-se fortes. Pôs em execução o plano que elas lhe enfurecendo a deusa.
haviam dito: Após perceber que seu marido entregara-se
ao sono, levantou-se tomando uma lâmpada e uma faca, e ÁGUA DA NASCENTE: Afrodite então lhe pede
dirigiu a luz ao rosto de seu esposo, com intenção de matá-lo. um pouco da suja água da nascente do Rio Estige. Mas
a nova tarefa logo se revela impossível: o Estige nascia
Quando ela vê o belo jovem de rosto corado e de uma alta montanha tão íngreme, que era impossível
cabelos loiros, espantada e admirada, desastradamente escalar. Levando um frasco numa das mãos, a princesa
deixa pingar uma gota de azeite quente sobre o ombro ajoelha-se ante a escarpa que se erguia à sua frente,
dele. Eros acorda - o lugar onde caiu o óleo fervente de quando as águias de Zeus surgem, tomando-lhe o frasco,
imediato se transforma numa chaga: o Amor está ferido. voam com ela até o alto, enchendo-o. O trabalho, mais
uma vez, foi realizado.
Psiquê fica sozinha, e desesperada com seu erro,
no imenso palácio. Precisa reconquistar o Amor perdido. BELEZA DE PERSÉFONE: Afrodite percebeu que
teria de usar de meios mais poderosos. Inventando que tinha
Eros voa pela janela e Psiquê tenta segui-lo, cai da perdido um pouco de sua beleza por cuidar do ferimento
janela e fica desmaiada no chão. Então o castelo desaparece. de Eros, pede a Psiquê que, no Reino dos Mortos (o País
Psiquê volta para a casa dos pais, onde reencontra as irmãs de Hades, também chamado de Campos Elísios ou Érebo),
que fingem piedade para com a irmã. Acreditam que o pedisse à sua rainha, Perséfone, um pouco de sua beleza. A
lindo Eros, solteiro, as aceitaria e seguem em direção ao belo deusa estava certa de que ela não voltaria viva. Mais uma vez,
palácio. Chamam por Zéfiro e, acreditando estar seguras pelo Afrodite se engana. Psiquê convence Perséfone a encher
mordomo invisível, se jogam e caem no precipício. uma caixa com a sua beleza para Afrodite. Psiquê está indo
de volta a Afrodite, quando pensa que sua beleza havia se
Psiquê caminha noite e dia, sem repouso nem desgastado depois de tantos trabalhos, não resiste e resolve
alimentação. Avista um belo templo no cume de uma abrir a caixa. Cai em sono profundo, Eros já curado de sua
montanha e acreditando encontrar seu amor escalou a queimadura vai ao socorro de sua amada, põe de volta o
montanha. Ao chegar no topo depara-se com montões conteúdo para a caixa, desperta Psiquê e ordena-lhe que
de trigo, centeio, cevada e ferramentas, todas misturadas entregue a caixa à mãe dele.
e ela os separa e organiza. O templo pertencia a deusa
Deméter, grata pelo favor da bela moça lhe diz o que

72

170318 - mitologia Grega.indd 72 30/08/2017 05:29:10


Hod

Hermes As primeiras descrições literárias sobre Hermes


Hermes era, na mitologia grega, um dos deuses datam do período Arcaico da Grécia, e o mostram
olímpicos, filho de Zeus e de Maia, e possuidor de vários nascendo na Arcádia. Já no primeiro dia de vida realizou
atributos. Divindade muito antiga, já era cultuado na várias proezas e exibiu vários poderes: furtou cinquenta
história pré-Grécia antiga possivelmente como um deus vacas de seu irmão Apolo, inventou o fogo, os sacrifícios,
da fertilidade, dos rebanhos, da magia, da divinação, das sandálias mágicas e a lira. No dia seguinte, perdoado
estradas e viagens, entre outros atributos. Ao longo dos pelo furto das vacas, foi investido de poderes adicionais
séculos seu mito foi extensamente ampliado, tornando- por Apolo e por seu pai Zeus, e por sua vez concedeu a
se o mensageiro dos deuses e patrono da ginástica, dos Apolo a Arte de uma nova música, sendo admitido no
ladrões, dos diplomatas, dos comerciantes, da astronomia, Olimpo como um dos grandes deuses.
da eloquência e de algumas formas de iniciação, além de ser
o guia das almas dos mortos para o reino de Hades, apenas
para citar-se algumas de suas funções mais conhecidas. Com
o domínio da Grécia por Roma, Hermes foi assimilado ao
deus Mercúrio e, através da influência egípcia, sofreu um
sincretismo também com Toth, criando-se o personagem de
Hermes Trismegisto. Ambas as assimilações tiveram grande
importância, criando rica tradição e perpetuando sua imagem
através dos séculos até a contemporaneidade, exercendo
significativa influência sobre a cultura do ocidente e de certas
áreas orientais em torno do Mediterrâneo, chegando até à
Pérsia e à Arábia.

73

170318 - mitologia Grega.indd 73 30/08/2017 05:29:10


Mais tarde inúmeros outros escritores ampliaram Mercúrio influenciou o nome de uma série de
e ornamentaram sua história original, tornando-o até coisas em vários campos da ciência, tais como o planeta
um demiurgo, e surgiram múltiplas versões dela, não Mercúrio e o elemento mercúrio. A palavra mercurial é
raro divergentes em vários detalhes, preservando-se geralmente usada para se referir a algo ou alguém errático,
porém suas linhas mais características. Foi um dos deuses volátil ou instável, derivado da rapidez dos voos de
mais populares da Antiguidade Clássica, teve muitos Mercúrio de um lugar a outro. O termo vem da astrologia
amores e gerou prole numerosa. Com o advento do e descreve o comportamento esperado de alguém sob a
Cristianismo, chegou a ser comparado a Cristo em sua influência do planeta Mercúrio.
função de intérprete da vontade do Logos. As figuras de
Hermes e de seu principal distintivo, o Caduceu, ainda Prometeu
hoje são conhecidas e usadas por seu valor simbólico, e O mito de Prometeu apareceu pela primeira vez
vários autores o consideram a imagem tutelar da cultura na Teogonia (versos 507 a 616), obra do poeta épico grego
ocidental contemporânea. do fim do século VIII AC., Hesíodo.

Mercúrio
Na mitologia romana, Mercúrio (associado ao deus
grego Hermes) é um mensageiro e deus da venda, lucro
e comércio, filho de Maia Maiestas, também conhecida
como Ops, a versão romana de Réia, e Júpiter. Seu
nome é relacionado à palavra latina Merx (“mercadoria”;
comparado a mercador, comércio). Em suas formas
mais antigas, ele aparenta ter sido relacionado ao deus
etrusco Turms, mas a maior parte de suas características
e mitologia são emprestadas do deus grego, Hermes.

Prometeu, por Heinrich Fuger (1817)


Mercúrio é o deus romano encarregado de levar
as mensagens de Júpiter, sendo filho de Júpiter e de Filho do Titã Japeto com Clímene, umas das
Bona Dea e nasceu em Cilene, monte de Arcádia. Os oceânides, era irmão de Menoécio, Atlas e Epimeteu.
seus atributos incluem uma bolsa, umas sandálias e um Na Teogonia, Hesíodo descreve Prometeu como um
capacete com asas, uma varinha de condão e o caduceu. desafiante inferior à onipotência e onisciência de Zeus.
Quando Proserpina foi raptada, tentou resgatá-la dos Num célebre episódio, durante um banquete destinado
infernos sem muito sucesso. a selar a paz entre mortais e imortais, Prometeu foi
responsável por aplicar um estratagema em Zeus (545-
É o deus da eloquência, do comércio, dos 557), ao colocar duas oferendas diferentes diante do
viajantes e dos ladrões, a personificação da inteligência. deus olímpico: uma delas consistia de uma seleção
Corresponde ao Hermes grego, protetor dos rebanhos, de carne escondida dentro de um estômago de boi
dos viajantes e comerciantes: muito rápido, é o (alimento escondido dentro de um exterior repulsivo),
mensageiro. O planeta Mercúrio provavelmente recebeu enquanto a outra consistia dos ossos do boi totalmente
este nome porque se move rapidamente no céu. envoltos em “reluzente gordura” (algo impossível de

74

170318 - mitologia Grega.indd 74 30/08/2017 05:29:10


ser consumido dentro de um exterior atraente). Zeus Caronte
escolheu a segunda, abrindo assim um precendente para Na Mitologia Grega, Caronte é o barqueiro do
os futuros sacrifícios e, a partir de então os humanos Hades e uma espécie de guardião dos mortos, pois ele é
teriam passado a ficar com a carne dos animais que quem permite a passagem para o Mundo Subterrâneo e
sacrificavam, dedicando aos deuses apenas os ossos, carrega as almas dos recém-mortos sobre as águas do rio
envoltos numa camada de gordura. Estige e Aqueronte, que dividiam o mundo dos vivos do
mundo dos mortos. Uma moeda para pagá-lo pelo trajeto,
O truque enfureceu Zeus, que retirou o fogo dos geralmente um óbolo ou danake, era por vezes colocado
humanos como forma de punição. Prometeu, por sua dentro ou sobre a boca dos cadáveres, de acordo com a
vez, roubou o fogo dentro de um gigantesco caule de tradição funerária da Grécia Antiga.
funcho, devolvendo-o à humanidade. Isto enraiveceu
ainda mais Zeus, que enviou Pandora, a primeira mulher,
para viver com os homens.

Caronte, por Gustav Dore (1880).

Asclepius
Pandora foi forjada por Hefesto a partir do Asclépio é o deus da Medicina e da cura da mitologia
barro, e trazida à vida por obra dos quatro ventos, greco-romana. Não faz parte do Panteão das divindades
todas as deusas do Olimpo reuniram-se para adorná- olímpicas, mas acabou por se tornar uma das divindades mais
la. “Dela descende a geração das femininas mulheres”, populares do mundo antigo, a ponto de Apuleio dizer dele:
escreveu Hesíodo, “dela é a funesta geração e destino “Aesculapius Ubique” (Esculápio por toda parte).
das mulheres, grande pena que habita entre homens mortais,
parceiras não da penúria cruel, porém do luxo.” Existem várias versões de seu mito, mas as mais
correntes o apontam como filho de Apolo, um deus, e
Prometeu por sua vez, como castigo eterno, foi Corônis, uma mortal. Teria nascido de cesariana após a
acorrentado a uma rocha no Cáucaso, onde seu fígado morte de sua mãe, e levado para ser criado pelo centauro
era devorado cotidianamente por uma águia, apenas Quíron, que o educou na caça e nas artes da cura. Aprendeu
para vê-lo regenerar-se durante a noite, segundo a lenda, o poder curativo das ervas e a cirurgia, e adquiriu tão grande
devido à sua imortalidade. Anos mais tarde, o herói grego habilidade que podia trazer os mortos de volta à vida, pelo
Héracles (o Hércules romano) abateria a águia e libertaria que Zeus o puniu, matando-o com um raio. O seu culto
Prometeu de seus grilhões. disseminou-se por uma vasta região da Europa, pelo norte

75

170318 - mitologia Grega.indd 75 30/08/2017 05:29:10


da África e pelo Oriente Próximo, sendo homenageado com
inúmeros templos e santuários, que atuavam como hospitais.
A sua imagem permaneceu viva e é um símbolo presente
até hoje na cultura ocidental.

Asclepius, Estatua de aprox. 200 DC

76

170318 - mitologia Grega.indd 76 30/08/2017 05:29:11


Netzach

Flora refere explicitamente o rapto de Orítia por Bóreas. Este


Flora, na mitologia romana, é uma ninfa das Ilhas rapto é, sem dúvida, o seu modelo, mas acrescenta-lhe
Afortunadas. Esposa de Zéfiro e deusa das flores. Na um episódio singular; é Flora quem está na origem do
Grécia é chamada de Clóris. nascimento de Marte. Juno, irritada com o nascimento
de Minerva, saída espontaneamente da cabeça de Júpiter,
quis conceber um filho sem o auxílio de um elemento
masculino. Dirigiu-se a Flora, que lhe deu uma flor cujo
simples contato era suficiente para fecundar uma mulher.
Foi assim que Juno, sem se unir a Júpiter, deu à luz o
deus cujo nome é o do primeiro mês de Primavera, Mars.

Flora, por Louise Abbéma (1913)

Flora é a potência da natureza que faz florir as árvores


e preside a “tudo que floresce”. A lenda pretende que Flora
foi introduzida em Roma (tal como Fides) por Tito Tácito,
juntamente com outras divindades sabinas. Era honrada quer
por populações itálicas não latinas como latinas. Algumas
populações sabinas tinham-lhe consagrado um mês, o
correspondente a Abril do calendário romano.

Ovídio relacionava com o nome de Flora um Mito


helênico, supondo que, na realidade, ela era uma ninfa
grega denominada Clóris. Num dia de Primavera em
que Flora errava pelos campos, o deus do vento, Zéfiro,
viu-a, apaixonou-se por ela e raptou-a. Desposou-a, em
seguida, num casamento público. Zéfiro concedeu a
Flora, como recompensa e por amor, o reinar sobre as
flores, não só sobre as dos jardins como, também, sobre
as dos campos cultivados. O mel é considerado como
um dos presentes que Flora ofertou aos homens, tal
como as sementes das inumeráveis variedades de flores.
Ao narrar esta lenda, de que é talvez o inventor, Ovídio

77

170318 - mitologia Grega.indd 77 30/08/2017 05:29:11


Flora tinha um sacerdote particular em Roma, um que presidia ao curso do ano e do seu retorno perpétuo,
dos doze flâmines menores, que eram considerados como e por isso era chamada também Anna ac Peranna. Era
instituídos por Numa. Celebravam-se em sua honra as considerada, igualmente, a deusa da abundância e do
Floralia, caracterizadas por jogos em que participavam alimento. Segundo Virgílio e Ovídio, era filha de Belo e
as cortesãs. Flora é o nome da fada das flores. irmã e confidente de Dido, rainha de Cartago.

Clóris Musas
Clóris na mitologia grega, era a deusa da As musas eram entidades mitológicas a quem era
primavera, que presidia à formação dos brotos e das atribuída, na Grécia Antiga, a capacidade de inspirar a
flores, e da qual o vento do inverno - Bóreas, que criação artística ou científica. Na mitologia grega, eram as
vem do norte - e o vento primaveril - Zéfiro, do leste, nove filhas de Mnemosine e Zeus. O templo das musas
tornaram-se amantes e rivais; havendo ela escolhido era o Museion, termo que deu origem à palavra museu
ao último, dele tornou-se esposa fiel. nas diversas línguas indo-europeias como local de cultivo
e preservação das artes e ciências.
Hebe
Na mitologia grega, Hebe é a deusa da juventude, Após a vitória dos deuses do Olimpo sobre os seis
filha legítima de Zeus e Hera. Por ter o privilégio da filhos de Urano, conhecidos como titãs, foi solicitado a
eterna juventude, representava a donzela consagrada aos Zeus que se criassem divindades capazes de cantar a vitória
trabalhos domésticos. Assim, cumpria no Olimpo diversas e perpetuar a glória dos Olímpicos. Zeus então partilhou
obrigações: preparava o banho de Ares, ajudava Hera a o leito com Mnemósine, a deusa da memória, durante dez
atrelar seu carro e servia néctar e ambrosia aos deuses. noites consecutivas e, um ano depois, Mnemósine deu à luz
nove filhas em um lugar próximo ao monte Olimpo.

Casou-se com Hércules, quando o herói, após


sua morte, foi imortalizado, e com ele teve dois filhos,
Alexiares e Anicetus.

Anna Perenna
Segundo a mitologia romana, Ana Perena (em
latim Anna Perenna) era uma antiga deusa de Roma

78

170318 - mitologia Grega.indd 78 30/08/2017 05:29:11


O caçador Croto as criou e, depois da morte, foi Tália (a festiva) era a musa da comédia que
transportado, pelo céu, até a constelação de Sagitário. vestia uma máscara cômica e portava ramos de hera.
As musas cantavam o presente, o passado e o futuro, É mostrada por vezes portando também um cajado de
acompanhados pela lira de Apolo, para deleite das divindades pastor, coroada de hera, calçada de borzeguins e com uma
do panteão. Eram, originalmente, ninfas dos rios e lagos. máscara na mão. Muitas de suas estátuas têm um clarim
Seu culto era originário da Trácia ou em Pieria, região a ou porta-voz, instrumentos que serviam para sustentar
leste do Olimpo, de cujas encostas escarpadas desciam a voz dos autores na comédia antiga.
vários córregos produzindo sons que sugeriam uma música
natural, levando a crer que a montanha era habitada por Melpômene (a cantora) era a musa da tragédia;
deusas amantes da música. Nos primórdios, eram apenas usava máscara trágica e folhas de videira. Empunhava a
deusas da música, formando um maravilhoso coro feminino. maça de Hércules e era oposto de Tália. O seu aspecto
Posteriormente, suas funções e atributos se diversificaram. é grave e sério, sempre está ricamente vestida e calçada
com coturnos.
As Musas tradicionais são:
Terpsícore (a que adora dançar) era a musa da
Calíope (bela voz), a primeira entre as irmãs, era dança. Também regia o canto coral e portava a cítara ou
a musa da eloquência. Seus símbolos eram a tabuleta e lira. Apresenta-se coroada de grinaldas, tocando uma lira,
o buril. É representada sob a aparência de uma jovem ao som da qual dirige a cadência dos seus passos. Alguns
de ar majestoso, a fronte cingida de uma coroa de ouro. autores fazem-na mãe das Sereias.
Está ornada de grinaldas, com uma mão empunha uma
trombeta e com a outra, um poema épico. Foi amada por Érato (a que desperta desejo) era a musa do verso
Apolo, com quem teve dois filhos: Himeneu e Iálemo. E erótico. É uma jovem ninfa coroada de mirto e rosas. Com
também por Eagro, que desposou e de quem teve Orfeu, a mão direita segura uma lira e com a esquerda um arco.
o célebre cantor da Trácia. Ao seu lado está um pequeno cupido que beija-lhe os pés.

Clio (a que confere fama) era a musa da História, Polímnia (a de muitos hinos) era a musa dos hinos
sendo símbolos seus o clarim heróico e a clepsidra. sagrados e da narração de histórias. Costuma ser apresentada
Costumava ser representada sob o aspecto de uma jovem em atitude pensativa, com um véu, vestida de branco, em
coroada de louros, tendo na mão direita uma trombeta uma atitude de meditação, com o dedo na boca.
e na esquerda um livro intitulado “Tucídide”. Aos seus
atributos acrescentam-se ainda o globo terrestre sobre Urânia (celeste) era a musa da astronomia,
o qual ela descansa, e o tempo que se vê ao seu lado, tendo por símbolos um globo celeste e um compasso.
para mostrar que a história alcança todos os lugares e Representam-na com um vestido azul-celeste, coroada
todas as épocas. de estrelas e com ambas as mãos segurando um globo
que ela parece medir, ou então tendo ao seu lado uma
Érato (a que desperta desejo) era a musa do verso esfera pousada uma tripeça e muitos instrumentos de
erótico. É uma jovem ninfa coroada de mirto e rosas. Com matemática. Urânia era a entidade a que os astrônomos/
a mão direita segura uma lira e com a esquerda um arco. astrólogos pediam inspiração.
Ao seu lado está um pequeno cupido que beija-lhe os pés.
As Graças
Polímnia (a de muitos hinos) era a musa dos hinos Na mitologia grega, Graças ou Cárites são as deusas
sagrados e da narração de histórias. Costuma ser apresentada do banquete, concórdia, encanto, gratidão, prosperidade
em atitude pensativa, com um véu, vestida de branco, em famíliar e sorte, ou seja as graças. Eram consideradas
uma atitude de meditação, com o dedo na boca. filhas de Zeus com Eurínome. Homero escreveu que
elas faziam parte da comitiva de Afrodite, assim as
Graças passaram também a ser consideradas filhas
Euterpe (a que dá júbilo) era a musa da poesia da Deusa do Amor com Dionísio. Dotadas de beleza
lírica e tinha por símbolo a flauta, sua invenção. Ela é e virtudes, eram acompanhantes de Afrodite e Hera
uma jovem, que aparece coroada de flores, tocando o e dançarinas das festas no Olimpo. Também se
instrumento de sua invenção. Ao seu lado estão papéis de identificavam com as primitivas musas, em virtude de
música, oboés e outros instrumentos. Por estes atributos, sua predileção pelas danças corais e pela música. Ao
os gregos quiseram exprimir o quanto as letras encantam que parece, seu culto se iniciou na Beócia, onde eram
àqueles que as cultivam. consideradas deusas da vegetação.

79

170318 - mitologia Grega.indd 79 30/08/2017 05:29:12


As Hespérides, por Edward Burne-Jones (1869)

A rigor, o termo Hespérides designa dois grupos


distintos de divindades, que com frequência são
confundidos. O primeiro, e mais antigo, é o das três
deusas Hespérides, que personificam a luz da tarde e o
ciclo do entardecer. Segundo Hesíodo, são filhas de Nix
(a noite) e Érebo (a escuridão). Há, no entanto, outras
versões para a sua ascendência. Uma delas as dá como
Detalhe do quadro “A Primavera” de Boticelli filhas de Éter (luz celeste) e Hemera (luz do dia).

O nome de cada uma delas varia nas diferentes lendas. As deusas Hespérides passeiam pelos céus,
Na Ilíada de Homero aparece uma só cárite, Aglaia. Apesar encarregando-se de iluminar todo o mundo com a luz
das variações regionais, o trio mais frequente é: da tarde. Desta forma, fazem parte do ciclo do dia:
Hemera traz o dia, as Hespérides trazem o entardecer
Tália - a que faz brotar flores; e Nix fecha o ciclo com a noite. Como as Graças, as
Eufrosina - o sentido da alegria; esposa de Hypnos. Hespérides cantavam em coro, com voz maravilhosa,
Aglaia - a claridade; esposa de Hefesto. junto às nascentes sussurrantes que exalam Ambrosia e
costumavam ocultar-se através de súbitas metamorfoses.
Embora pouco relevantes na mitologia greco-
romana, a partir do Renascimento as Graças se tornaram O outro grupo é o das sete ninfas Hespérides, ou
símbolo da idílica harmonia do mundo clássico. Nas ninfas do poente, cuja origem é também controversa.
primeiras representações plásticas, elas apareciam Segundo a versão mais corrente, são filhas do Titã Atlas
vestidas. Mais tarde, contudo, foram representadas como com a deusa Héspera. Também são descritas como filhas
jovens desnudas, de mãos dadas. Esse modelo, do qual se de Zeus e Têmis ou de Fórcis e Ceto.
conserva um grupo escultórico da época helenística, foi
o que se transferiu ao Renascimento e originou quadros As Plêiades
célebres como A Primavera, de Botticelli (1445 – 1510), Na mitologia grega, as Plêiades eram filhas de
e As três Graças, de Rubens (1577 - 1640). Atlas e Pleione, filha do Oceano. Quando Pleione
estava passeando pela Beócia com suas sete filhas, foi
Hespérides perseguida pelo caçador Órion, por sete anos. Júpiter,
As Hespérides, na mitologia grega, são primitivas com pena delas, apontou um caminho até as estrelas, e
deusas primaveris que representavam o espírito elas formaram a cauda da constelação do Touro.
fertilizador da natureza, donas do jardim das Hespérides,
situado no extremo ocidental do mundo .

80

170318 - mitologia Grega.indd 80 30/08/2017 05:29:12


As Plêiades: Electra, Maia, Taigete, Alcíone, Celeno, Asterope e Mérope, pintadas por Elihu Vedder (1885)

Afrodite Afrodite recebe os nomes de Citereia (Cytherea) e


Afrodite é a deusa do amor, da beleza e da Cípria (Cypris) por dois locais onde seu culto era célebre na
sexualidade na mitologia grega. Sua equivalente romana Antiguidade, Citera e Chipre - ambos os quais alegavam ser o
é a deusa Vênus. Outros atributos incluem deusa da local de nascimento dela. A murta, pardais, pombos, cavalos
fertilidade, e do prazer. Historicamente, seu culto na e cisnes eram considerados sagrados para ela.
Grécia Antiga foi importado, ou ao menos influenciado,
pelo culto de Astarte, na Fenícia. Afrodite ainda recebia muitos outros nomes locais,
como Acidália e Cerigo, utilizadas em regiões específicas da
De acordo com a Teogonia, de Hesíodo, ela nasceu Grécia. Em cada cidade ela recebia um culto ligeiramente
quando Cronos cortou os órgãos genitais de Urano diferente, porém os gregos reconheciam a semelhança geral
e arremessou-os no mar; da espuma (aphros) surgida entre todas como sendo a única Afrodite.
ergueu-se Afrodite.
Afrodite, juntamente com Apolo, representa
Por sua beleza, os outros deuses temiam que o a obsessão dos gregos pela beleza ideal. Ela foi
ciúme colocasse um fim à paz que reinava entre eles, constantemente reproduzida nas Artes, da Antiguidade a
dando início a uma guerra; por este motivo Zeus a casou Idade Contemporânea, dada a oportunidade dos artistas
com Hefesto, que não era visto como uma ameaça. reproduzirem a beleza suprema.
Afrodite teve diversos amantes, tanto deuses como Ares
quanto mortais como Anquises.

A deusa também foi de importância crucial para


a lenda de Eros e Psiquê, e foi descrita, em relatos
posteriores de sua lenda, tanto como amante de Adônis
quanto sua mãe adotiva. Diversos outros personagens
da mitologia grega foram descritos como seus filhos.

81

170318 - mitologia Grega.indd 81 30/08/2017 05:29:12


O Nascimento de Vênus, de Boticelli (1486)

82

170318 - mitologia Grega.indd 82 30/08/2017 05:29:12


Tiferet

Perseu e Andromeda O poeta romano Ovídio conta que a Medusa


Acrísio, rei de Argos, era casado com Eurídice, teria sido originalmente uma bela donzela, “a
filha de Lacedemon, e tinha uma filha Dânae, mas não aspiração ciumenta de muitos pretendentes”,
tinha filhos homens. Quando Acrísio perguntou ao sacerdotisa do templo de Atena. Um dia ela teria
oráculo como a filha dele poderia ter filhos homens, cedido às investidas do Senhor dos Mares, Poseidon,
a resposta foi que Dânae teria um filho que o mataria. e deitado-se com ele no próprio templo da deusa
Atena; a deusa então, enfurecida, transformou o belo
Dânae foi trancada em uma câmara de bronze cabelo da donzela em serpentes, e deixou seu rosto
subterrânea e posta sob guarda, mas ela foi seduzida tão horrível de se contemplar que a mera visão dele
por Zeus, que assumiu a forma de uma chuva de ouro. transformaria todos que o olhassem em pedra.
Lactâncio, autor cristão que viveu por volta do ano
300 DC, diz que esta “chuva de ouro” foi, na verdade,
uma larga soma em dinheiro que o rei imortal Zeus
despejou sobre o colo de Dânae, para compensar a
desonra que ele fez nela, e que os poetas posteriores
adotaram a chuva de ouro como figura de expressão,
assim como “chuva de ferro” se refere a uma grande
quantidade de dardos e flechas.

Acrísio, não acreditando que sua filha estivesse


grávida de Zeus, colocou-a em um baú, que foi jogado ao
mar. O cesto chegou à ilha de Sérifo, onde foi encontrada
por Díctis, que criou o menino.

Perseu se tornou um grande homem, forte,


ambicioso, corajoso, aventureiro e protetor da mãe.
Polidectes, com medo de que a ambição de Perseu o
levasse a lhe usurpar o trono, propôs um torneio no qual
o vencedor seria quem trouxesse a cabeça da Medusa , o
instinto aventureiro de Perseu não o deixou recusar. Em
outra versão do mesmo mito todos os convidados em
uma homenagem ao Rei, deveriam dar-lhe um presente,
como Perseu era pobre se ofereceu para trazer a cabeça
da Medusa como presente.

Perseu, conhecendo sua mãe, disse que iria


participar do torneio, mas não disse que iria enfrentar a
Medusa, com receio de que ela o impedisse. Da batalha
contra Medusa saiu vitorioso graças à ajuda de Atena,
Hades e Hermes. Atena deu a ele um escudo tão bem
polido, que tal qual num espelho, podia se ver o reflexo ao
olhar para ele. Hades lhe deu um elmo que torna invisível
quem o usa, e Hermes deu a ele suas sandálias aladas, três
objetos que foram definitivos para a vitória de Perseu.

83

170318 - mitologia Grega.indd 83 30/08/2017 05:29:13


Então Perseu, guiado pelo reflexo no escudo, sem Odisseus / Ulisses
olhar diretamente para a Medusa, derrotou-a cortando As aventuras de Ulisses (em grego: Odisseu) são
sua cabeça, que ofereceu à deusa Atena. Diz a lenda que, contadas, essencialmente, na Odisseia, um dos Poemas
quando Medusa foi morta, o cavalo alado Pégaso e o Homéricos. O herói era rei de Ítaca, uma ilha grega do mar
gigante Crisaor surgiram de seu ventre. As outras duas Jônio. Era casado com Penélope e tinha um filho, Telémaco.
irmãs de Medusa, Esteno e Euríale, perseguem Perseu,
mas este escapa devido ao capacete de Hades, que o torna Quando Páris, príncipe troiano, raptou Helena,
invisível às Górgonas. a mulher mais bela do mundo e esposa de Menelau, rei
de Esparta, preparou-se uma expedição contra Tróia,
Continuando sua volta para casa, passou por uma na qual Ulisses tomou parte, ao garantir que Aquiles
ilha onde viu uma linda mulher acorrentada no meio do os acompanharia e aceitaria contribuir com o seu valor
mar, não fossem as lágrimas que vertiam de seu rosto, guerreiro para o sucesso da guerra.
teria confundido-a com uma estátua. Perseu pergunta a
jovem o que fez para merecer tal punição, a moça então Durante os dez anos do cerco posto a Tróia,
diz a ele: “Eu sou Andrômeda, minha mãe Cassiopeia ousou Ulisses tem um papel importante, quer combatendo
comparar sua beleza com as filhas de Poseidon, as ninfas do mar, valorosamente, quer usando os seus dotes de excelente
e fomos castigados por isso. Poseidon mandou um monstro de Ceto orador para resolver conflitos ou persuadir os outros,
destruir nossa cidade pelo erro de minha mãe e eu fui oferecida quer, sobretudo, usando da sua proverbial astúcia para
como sacrifício”. vencer dificuldades ou imaginar estratagemas que dessem
vantagem aos Gregos. O mais famoso dos seus ardis
Perseu diz que salvará a bela moça, se esta foi o famoso Cavalo de Tróia que garantiu aos Gregos
prometer casar com ele, mas antes de receber a resposta, a vitória. Fingindo levantar o cerco e abandonar o
uma grande onda se abriu no meio e o monstro marinho combate, os Gregos deixaram um enorme cavalo de
apareceu. Sem pensar duas vezes Perseu vai de encontro madeira às portas de Tróia, como se fosse uma oferenda
ao monstro e, aproveitando sua vantagem de voar, ganha aos deuses, meteram-se nos barcos e simularam partir.
a sangrenta batalha. Os pais de Andrômeda lhe concedem Dentro do cavalo, porém, estavam escondidos os
sua mão e Perseu volta para casa com ela. mais valorosos guerreiros, comandados por Ulisses.

Perseu, de Pierre Mignard (1679)

84

170318 - mitologia Grega.indd 84 30/08/2017 05:29:13


Os Troianos não deram ouvidos aos que os avisavam gigantesco com um só olho no meio da testa, que os fez
de que se devia desconfiar sempre dos presentes dos prisioneiros e se preparava para os comer a todos. Ulisses foi
Gregos e abriram as portas da cidade para levar lá para então dando os odres de vinho ao Ciclope, que se deliciou
dentro o cavalo. Depois, entregaram-se à festa, até, alta com ele e, em reconhecimento pelo saboroso presente,
noite, adormecerem de cansaço e excesso de vinho. prometeu ao herói que o devoraria em último lugar. Nesta
Foi então que os guerreiros ocultos dentro do cavalo conversa, perguntou a Ulisses como se chamava, ao que ele
saíram: o primeiro deles era Ulisses. Arrasaram Tróia e lhe respondeu: “Ninguém”.
massacraram ou aprisionaram os seus habitantes, sem
sombra de piedade. Bebido o vinho até a última gota, Polifemo
adormeceu, altura em que Ulisses e os companheiros
Terminada a guerra, todos os Gregos tiveram uma que ainda não tinham sido comidos aproveitaram para
viagem de regresso à pátria atribulada ou funesta. Ulisses lhe furar o único olho e o cegar. Aos gritos de pedido
não foi exceção e levou dez anos, tantos quantos durara a de ajuda do gigante, acorreram os outros Ciclopes, que
guerra, a chegar a Ítaca. A animosidade de alguns deuses, lhe perguntavam quem lhe estava a fazer mal. Mas, como
tempestades que o desviaram da rota, tentações de mudar Polifemo respondia: “Ninguém”, foram se embora
o seu destino (como quando, na ilha de Calipso, a ninfa lhe convencidos de que ele não estava no seu perfeito juízo.
ofereceu amor eterno e a imortalidade se ele ficasse com
ela), encontros com perigosos seres (como Circe, a temível De manhã, quando o rebanho de Polifemo saía
feiticeira que transformou muitos dos companheiros de da caverna para ir pastar, Ulisses e os companheiros
Ulisses em variados e repelentes animais), foram inúmeros sobreviventes conseguiram fugir agarrados à barriga dos
os obstáculos que ele teve de superar. animais: o Ciclope, cego, passava-lhes a mão pelo dorso
para perceber quem saía e não se dava conta de que os
Alguns episódios dessas aventuras são muito homens iam “colados” ao ventre dos bichos. E assim
conhecidos. Entre eles, conta-se o da caverna do Ciclope se salvaram, mais uma vez graças à astúcia de Ulisses.
e o do Canto das Sereias.
O episódio das Sereias aconteceu junto a uma ilha
O país dos Ciclopes ficava na Sicília. Aí aportou do Mediterrâneo. Protagonizam-no uns seres marinhos,
Ulisses e os companheiros. Levavam odres cheios de metade mulheres, metade pássaros. As Sereias tocavam e
vinho, para darem em penhor de hospitalidade a quem cantavam uma música maravilhosa que enfeitiçava todos
eventualmente viessem a encontrar. Entraram numa caverna, quantos passavam junto da ilha e a ouviam. Fascinados, os
onde encontraram comida, mas foram surpreendidos pelo navios aproximavam-se demasiado das costas rochosas,
regresso de quem lá morava, o Ciclope Polifemo, monstro naufragavam e os marinheiros eram prontamente

Ulisses e as Sereias (1890), de John William Waterhouse

85

170318 - mitologia Grega.indd 85 30/08/2017 05:29:13


devorados pelas Sereias. Ulisses, que ia passar no local, o símbolo da inspiração profética e artística, sendo o
tomou as suas providências, pois queria ouvir o Canto patrono do mais famoso oráculo da Antiguidade, o
das Sereias sem, no entanto, correr perigo ou pôr em Oráculo de Delfos, e líder das Musas.
risco os companheiros e os barcos. Para isso, mandou
aos marinheiros e remadores que tapassem os ouvidos
com cera e que o amarrassem a ele, muito bem preso, ao
mastro da embarcação. Em seguida avisou-os de que não
podiam libertá-lo em circunstância alguma, mesmo que
ele o ordenasse ou implorasse insistentemente. Assim
conseguiu ouvir a beleza do canto e, simultaneamente,
evitar o perigo mortal que todos corriam.

Depois de perder todos os companheiros, Ulisses


conseguiu chegar a Ítaca. Vinha envelhecido e cansado, e
só o seu cão, Argos, que esperou vinte anos pelo dono, o
reconheceu, antes de morrer. Reconheceu-o também, sob
a aparência de um mendigo, a sua ama, quando lhe lavou os
pés e neles viu uma cicatriz que Ulisses tinha desde criança.

A mulher o esperava, fiel e resistente aos inúmeros


pretendentes que com ela queriam casar, para reinarem
sobre Ítaca e se apoderarem das riquezas de Ulisses, que
todos julgavam morto. Depois de repor a ordem no Apolo e Diana, de Giovanni Domenico (1757)
palácio e no reino, o herói pôde finalmente viver em paz.
Era temido pelos outros deuses e somente seu pai
Enéias e sua mãe podiam contê-lo. Era o deus da morte súbita,
Na Guerra de Tróia, Enéias se converteu no das pragas e doenças, mas também o deus da cura e da
mais valoroso guerreiro troiano, depois de Heitor. proteção contra as forças malignas. Além disso era o deus
Favorecido pelos deuses, em várias ocasiões foi por da Beleza, da Perfeição, da Harmonia, do Equilíbrio e
eles salvo, durante os combates. Quando foi ferido da Razão, o iniciador dos jovens no mundo dos adultos,
por Diomedes, foi sua mãe, Afrodite, quem o salvou. estava ligado à Natureza, às ervas e aos rebanhos, e era
E quando enfrentou Aquiles no campo de batalha, foi protetor dos pastores, marinheiros e arqueiros.
Poseidon quem o livrou de ser morto pelo herói grego.
Com a queda de Tróia, sua mãe o aconselhou a deixar a Embora tenha tido inúmeros amores, foi infeliz
cidade, levando sua família, pois lhe estaria reservado o nesse terreno, mas teve vários filhos. Foi representado
destino de fazer reviver a glória troiana em outras terras. inúmeras vezes desde a Antiguidade até o presente,
geralmente como um homem jovem, nu e imberbe, no
Apolo/Febo auge de seu vigor, às vezes com um manto, um arco e
Apolo foi uma das divindades principais da uma aljava de flechas, ou uma lira, e com algum de seus
mitologia greco-romana, um dos deuses olímpicos. Filho animais simbólicos, como a serpente, o corvo ou o grifo
de Zeus e Leto, e irmão gêmeo de Ártemis, possuía
muitos atributos e funções, e possivelmente depois de Orfeu
Zeus foi o deus mais influente e venerado de todos os Na mitologia grega, Orfeu era poeta e médico,
da Antiguidade clássica. filho da musa Calíope e de Apolo ou Eagro, rei da Trácia.
Era o poeta mais talentoso que já viveu. Quando tocava
As origens de seu mito são obscuras, mas no sua lira que seu pai lhe deu, os pássaros paravam de voar
tempo de Homero já era de grande importância, sendo para escutar e os animais selvagens perdiam o medo. As
um dos mais citados na Ilíada. Era descrito como o deus árvores se curvavam para pegar os sons no vento.
da divina distância, que ameaçava ou protegia desde o
alto dos céus, sendo identificado como o sol e a luz da Foi um dos cinquenta homens - os Argonautas -
verdade. Fazia os homens conscientes de seus pecados que atenderam ao chamado de Jasão para buscar o Tosão
e era o agente de sua purificação; presidia sobre as leis de ouro. Acalmava as brigas que aconteciam no navio
da Religião e sobre as constituições das cidades, era com sua lira. Durante a viagem de volta, Orfeu salvou os

86

170318 - mitologia Grega.indd 86 30/08/2017 05:29:13


outros tripulantes quando seu canto silenciou as sereias, Orfeu partiu pela trilha que levava para fora do escuro
responsáveis pelos naufrágios de inúmeras embarcações. reino da morte, tocando músicas de alegria e celebração
enquanto caminhava, para guiar a sombra de Eurídice de
Orfeu apaixonou-se por Eurídice e casou-se com volta à vida. Ele então quase no final do tenebroso túnel
ela. Mas Eurídice era tão bonita que, pouco tempo olhou para se certificar de que Eurídice o acompanhava
depois do casamento, atraiu um apicultor chamado e não a viu. Hades e Perséfone os seguiram e como ficou
Aristeu. Quando ela recusou suas atenções, ele a estabelecido que ele não poderia olhar para Eurídice até
perseguiu. Tentando escapar, ela tropeçou em uma chegar ao fim do túnel, Hades a tomou novamente.
serpente que a mordeu e a matou. Por causa disso, as
ninfas, companheiras de Eurídice, fizeram todas as suas Por um momento ele a viu, perto da saída do túnel
abelhas morrerem. escuro, perto da vida outra vez. Mas enquanto ele olhava,
ela se tornou de novo um fino fantasma, seu grito final de
amor e pena não mais do que um suspiro na brisa que saía
do Mundo dos Mortos. Ele a havia perdido para sempre.

Em desespero total, Orfeu se tornou amargo.


Recusava-se a olhar para qualquer outra mulher, não
querendo lembrar-se da perda de sua amada.

Posteriormente deu origem ao Orfismo, uma


espécie de serviço de aconselhamento; ele ajudava
muito os outros com seus conselhos, mas não conseguia
resolver seus próprios problemas, até que um dia, furiosas
por terem sido desprezadas, um grupo de mulheres
selvagens chamadas Mênades caíram sobre ele, frenéticas,
atirando dardos. Os dardos de nada valiam contra a
música do lirista, mas elas, abafando sua música com
gritos, conseguiram atingi-lo e o mataram.

Depois despedaçaram seu corpo e jogaram


sua cabeça cortada no rio Hebro, e ela flutuou, ainda
cantando, “Eurídice! Eurídice!”
Orfeu e Eurídice, por Louis Dulcis (1826)
Chorando, as nove musas reuniram seus pedaços
Orfeu ficou transtornado de tristeza. Levando e os enterraram no monte Olimpo. Dizem que, desde
sua lira, foi até o mundo inferior, para tentar trazê-la então, os rouxinóis das proximidades cantaram mais
de volta. A canção pungente e emocionada de sua lira docemente que os outros. Pois Orfeu, na morte, se uniu
convenceu o barqueiro Caronte a levá-lo vivo pelo rio à sua amada Eurídice.
Estige. Em seguida, a canção da lira adormeceu Cérbero,
o cão de três cabeças que vigiava os portões. Seu tom Hélio
carinhoso aliviou os tormentos dos condenados. O Titã Hélio é a personificação do Sol na mitologia
Encontrou muitos monstros durante sua jornada, e os grega. Hélio é filho dos titãs Hiperion e Teia (ou Tia),
encantou com seu canto. tendo como irmãos Eos ou Aurora e Selene, a Lua.

Finalmente Orfeu chegou ao trono de Hades. O É casado com Perseis, filha de Oceano e Tétis.
rei dos mortos ficou irritado ao ver que um vivo tinha Com ela, Hélio teve vários filhos, entre os quais Eetes,
entrado em seu domínio, mas a agonia na música de Circe, Perses e Pasífae, que se casou com o rei Minos de
Orfeu o comoveu, e ele chorou lágrimas de ferro. Sua Creta. Hélio com Clímene teve sete filhas, as Helíades,
esposa, a deusa Perséfone, implorou-lhe que atendesse e um filho, Faetonte.
o pedido de Orfeu. Assim, Hades atendeu seu desejo.
Eurídice poderia voltar com Orfeu ao mundo dos vivos. A sua cabeça é coroada por uma auréola solar.
Mas com uma única condição: que ele não olhasse para Circula a terra com a carruagem do sol atravessando
ela até que ela, outra vez, estivesse à luz do sol. o céu para chegar, à noite, ao oceano onde os seus

87

170318 - mitologia Grega.indd 87 30/08/2017 05:29:14


cavalos se banham. Nada do que se passa no universo Antes de começar pelos Trabalhos, existem as lendas
escapa ao seu olhar, sendo frequentemente convocado relativas à infância do herói, que são os únicos contos que
por outros deuses para servir como testemunha. De podem ser organizados em uma ordem cronológica:
acordo com o autor romano Ovídio, Hélio conduz uma
carruagem puxada por quatro cavalos luminosos: Pírois, Em sua origem, o filho de Anfitrião e Alcmena
Eoo, Éton e Flégon. chamava-se Alcides. Hércules (Heracles, no original)
foi um nome mítico imposto por Apolo no momento
em que se tornou servidor de Hera. Em grego, esta
palavra significa “aquele dotado de extrema força física”. O
nome Hércules foi escolhido antes de realizar os Doze
Trabalhos, quando, após perder os filhos que teve com
Megara, foi pedir ajuda ao Oráculo, que recomendou que
mudasse seu nome para Heracles (glória de Hera) para
que conseguisse realizar a tarefa que lhe foi imposta.
O nome Heracles ficou conhecido do grande público
e aparece sempre designado por ele em monumentos e
textos posteriores.

Hércules era o filho de Zeus e de uma mortal,


Alcmena, descendente de Perseu e considerado o atleta
perfeito. Zeus havia se apaixonado por Alcmena, mas ela
era uma mulher fiel a seu marido, então Zeus, aproveitando
de uma viagem de Anfitrião, tomou a forma do marido de
Alcmena e a seduziu. Quando o marido descobriu a traição
Carruagem do Sol, autor desconhecido (sec. III AC) involuntária e brigou com a esposa, Zeus apareceu para
reconciliar o casal. Por fim, Anfitrião acabou resignado e
Com o passar do tempo, Hélio é cada vez mais se tornou pai adotivo da criança. Hércules tinha um irmão
identificado com o deus Apolo. No entanto, apesar de mortal chamado Íficles e, certo dia, Hera enviou duas grandes
seu sincretismo, eles foram muitas vezes vistos como dois serpentes ao berço dos bebês com intenção de matá-los.
deuses distintos (Hélios era um Titã, enquanto Apolo é Hércules era tão forte que matou as serpentes com suas mãos
olímpico). O equivalente de Hélio na mitologia romana antes que elas os atacassem. Durante sua infância, Hércules
é Sol, especificamente Sol Invicto. se mostrou um aluno estudioso e dedicado, mas um tanto
indisciplinado. Uma de suas lendas conta que, quando jovem,
Hércules atormentou tanto um professor de lira que este começou a
Também Alcides, Heracles. bater em Hércules. Irritado, Hércules lhe golpeou com a lira
É um dos personagens principais da mitologia com tanta força que o matou de um só golpe. Foi levado ao
greco-romana e o herói mais famoso da mitologia tribunal da cidade, acusado de assassinato, mas citou o juiz
clássica. Seu ciclo de lendas começa na era pré-helênica Radamantis, que dizia ser inocente alguém que matasse um
e se estende até o final da Antiguidade. Por esta razão, agressor em legítima defesa.
fica muito difícil organizar os eventos da vida de Hércules
de uma maneira racional e lógica, pois sua história foi Seu treinamento apresenta várias versões. Uma
modificada e acrescentada inúmeras vezes por diversos delas é que seu próprio pai, general, o treinou; outras
poetas e narradores. versões citam Eurito, Castor e até mesmo Radamantis.

O ciclo principal da vida de Hércules compreende Aos dezoito anos, realizou sua primeira façanha ao
três grandes categorias, assim divididas: matar o Leão de Citeron, fera que estava destruindo os
rebanhos de Anfitrião. Hércules instalou-se no palácio
- Os Doze Trabalhos de Téspio, rei de um país vizinho a Tebas, e caçou o leão
- As aventuras independentes, em que Hércules durante cinquenta dias; passava o dia inteiro caçando, e
organiza exércitos ou lidera expedições. retornava ao palácio de noite, para dormir. Téspio, que
- As aventuras secundárias, que aconteceram possuía cinquenta filhas com Megamede e queria que
durante a realização dos Doze Trabalhos. seus netos fossem nascidos de heróis, colocava em seu
quarto uma filha diferente por dia, durante os cinquenta

88

170318 - mitologia Grega.indd 88 30/08/2017 05:29:14


dias em que Hércules permaneceu no palácio. Hércules, arco e flechas douradas. Em algumas lendas, Hefesto
cansado da caçada e nos aposentos totalmente escuros, também lhe presenteou com uma armadura dourada.
acreditava estar se deitando com a mesma moça todas as
noites. Deste modo, teve cinquenta filhos, os Tespíadas. Quando Hércules o encontrou, tentou atacá-lo
com suas flechas, mas a pele invulnerável do leão repelia
Certos estudiosos consideram esta lenda do Leão as flechadas. O herói, então, passou a golpeá-lo com sua
de Citeron como originária da lenda do Leão da Nemédia, maça, e depois com sua espada, sem sucesso. No final
que mais tarde foi modificada para sua forma final, nos do combate, Hércules lutou de mãos limpas e tentou
Doze Trabalhos e recontada como se fossem duas lendas estrangular o leão com seus braços. A luta durou algumas
diferentes. Outra lenda do mesmo período existe, a horas e finalmente Hércules conseguiu estrangulá-lo.
respeito de Hércules matando um leão em Lesbos, mas Conta-se que, depois do combate, Hércules rasgou a pele
esta figura apenas na Mitologia daquela ilha. do monstro com as próprias garras do Leão da Nemédia,
e fez com a pele uma armadura.
Quando Hércules regressava da caçada ao leão,
encontrou-se com Ergino, rei de Orcomeno. Ergino
foi reclamar o tributo que os Tebanos deveriam pagar-
lhe anualmente, e enviou um emissário à cidade, que
encontrou Hércules e o cobrou. Hércules ficou irritado
e arrancou as orelhas e o nariz do emissário, dizendo-lhe
para que entregasse este tributo a Ergino. Irritado, ele
ordenou que suas tropas marchassem sobre Tebas, mas
Hércules comandou o exército e derrotou os soldados
de Ergino, impondo a ele um tributo duas vezes maior
do que aquele que ele impunha à Tebas.

O rei de Tebas, Creonte, ficou muito contente com a


ajuda de Hércules e lhe deu a mão de sua filha, Megara, em
casamento. Com ela, Hércules teve três filhos, Terímaco,
Creontiades e Deiconte. Mas Hera lançou uma poderosa
magia sobre Hércules e fez com que ficasse insano.
Durante uma noite, Hércules atacou e matou seus três
filhos, jogando-os ao fogo e estava para assassinar sua
esposa quando Atenas interveio, livrando-o do feitiço.
Extremamente triste pelo ocorrido, Hércules consulta um
Oráculo para se redimir, e o Oráculo diz a ele para que
seguisse até Argos e reconhecesse Euristeo, seu primo,
como seu senhor, e cumprisse as tarefas que ele designasse.
Euristeo, por sua vez, era influenciado por Hera, que lhe
propôs diversos trabalhos muito perigosos, na esperança
que Hércules fosse morto enquanto tentasse realizá-los.
Os estudiosos da época dividiram estes trabalhos em dois
ciclos de seis trabalhos: Os seis primeiros no Peloponeso
e os seis últimos distribuídos ao redor do mundo.

1- Matar o Leão da Nemédia


O primeiro trabalho de Hércules foi derrotar o
monstruoso leão que assolava a Nemédia. Filho de Ortro
e Echidna, e neto de Tífon, o Leão é irmão da Esfinge de
Tebas. Vivia em uma caverna com duas entradas e possuía
a pele invulnerável. Hércules preparou suas armas para
caçá-lo na própria Nemédia. Dizia-se que sua maça era
feita com um tronco de oliveira; além dela, Hermes havia Hércules e o Leão, estátua de aprox. 200 AC
lhe dado uma espada mágica, e Apolo um conjunto de

89

170318 - mitologia Grega.indd 89 30/08/2017 05:29:14


Zeus levou a carcaça do leão até Micenas, mas 5- Matar os Pássaros de Estínfalo
Euristeo não deixou que Hércules entrasse na cidade, Os pássaros que viviam às margens da Lagoa
pedindo-lhe que passasse a deixar suas caças na porta de Estínfalo, em Arcádia, haviam se reproduzido de tal
Micenas. Zeus transformou o Leão da Nemédia em uma maneira que ameaçavam a toda a comunidade. As
constelação no céu, para perpetuar a vitória de Hércules aves escondiam-se em uma espessa floresta e, como
sobre o monstro. possuíam plumagem feita de bronze a as disparavam
como flechas, era impossível para os caçadores abatê-
2- Destruir a Hidra de Lerna las. Hércules pediu ajuda a Hefesto, que fez para ele
Assim como o Leão da Neméia, a Hidra era um um arco de prata (ou bronze, em outras lendas) e
monstro que estava ameaçando as vilas da região de Hércules levou para a lagoa um instrumento de sopro
Lerna. Filha de Echidna e Tífon, a Hidra foi criada em que fazia um barulho horrível. Quando Hércules tocou
um pântano e era representada como um lagarto gigante o instrumento, as aves levantaram vôo, e Hércules pode
(um dragão) com um número variado de cabeças de cinco abatê-las com flechadas certeiras.
ou seis até cem, dependendo do autor.
6- Limpar as estrebarias de Augias
As lendas mais constantes narram a presença O rei Augias possuía uma grande estrebaria,
de cinco cabeças. Seu bafo era constituído de um gás composta de milhares de cavalos, mas nunca em toda
venenoso, que matava instantaneamente ao contato, e a sua vida mandou limpá-las. Euristeo enviou Hércules
mesmo que a criatura estivesse dormindo, o ar ao redor para este trabalho porque pretendia humilhá-lo,
de seu corpo permanecia envenenado. Na maior parte colocando-o para realizar um trabalho servil. O rei Augias
das lendas, a cada cabeça cortada da hidra, uma nova propôs que, se Hércules conseguisse limpar os estábulos
cabeça surgia. Às vezes é narrado que a cabeça central em um único dia, ele receberia uma parte de seu reino (ou
era a principal cabeça da hidra, e que seria imortal. em outras lendas, a décima parte dos cavalos). Hércules
conseguiu cumprir a tarefa desviando o curso dos rios
Hércules venceu a Hidra com a ajuda de Jolau, que Alfeu e Peneo para dentro das estrebarias.
forneceu a ele flechas incendiárias, com as quais Hércules
incendiou os pântanos e atacou as cabeças, incapazes de 7- Trazer vivo do Peloponeso o Touro de Creta
se reconstruírem com o dano causado pelo fogo. O Touro de Creta era o animal que havia raptado
Europa (nas lendas que não consideravam Zeus
3- Capturar vivo o Javali de Erimanto transformando-se em um animal para seduzí-la). Em
O terceiro trabalho de Hércules era capturar o outras versões, este touro foi um presente de Poseidon ao
terrível Javali de Erimanto. Hércules viajou até Erimanto rei Minos, que nasceu no mar e era muito mais imponente
e atraiu o Javali para uma armadilha na neve. Fez o javali e forte que qualquer outro touro. Além disto, era capaz
correr mais e mais para dentro dos campos cobertos por de soltar fogo pelas narinas.
espessa camada de neve, até que o animal ficasse preso
na neve e o herói pudesse capturá-lo. Hércules conseguiu capturá-lo e levou o touro
para Euristeo, segundo algumas versões, carregando-o
4- Capturar viva a Corça da Cerinéia a nado, em outras montado em suas costas enquanto o
A Corça de Cerinéia fazia parte de um grupo de touro atravessava o mar a nado. Euristeo quis sacrificar
cinco corças de chifres dourados, consagradas a Ártemis o touro em honra a Hera, mas Hera não quis aceitar
e que eram maiores que um boi. Das cinco, uma delas se nenhum sacrifício vindo de Hércules e ordenou que
perdeu nos bosques da Cerinéia por ordem de Hera, para libertassem o touro.
que servisse de prova a Hércules. Como matar (ou sequer
tocar) uma destas corças era uma falta muito grave, 8- Obter os cavalos de Diomedes
Hércules a perseguiu durante quase um ano inteiro, até Diomedes era um rei da Trácia que possuía quatro
que finalmente conseguiu acertá-la com uma flechada não éguas chamadas Podargo, Lampon, Janto e Deino, e eram
mortal. Hércules a levou, carregando-a em seus braços carnívoras. Na lenda mais antiga, Hércules simplesmente
até o castelo de Euristeo. Em uma das versões desta brigava com Diomedes e fazia com que as éguas se
lenda, o herói encontra Ártemis e Apolo no caminho de alimentassem de seu dono ficando, assim, saciadas
volta, e os deuses perguntam se ele a matou. Hércules e tranquilas em sua viagem de volta. As lendas mais
responde que não, mas se a corça morresse, eles deveriam recentes vinculam este trabalho também à fundação da
culpar Euristeo, que o incumbira de caçar a criatura. cidade de Abdera.

90

170318 - mitologia Grega.indd 90 30/08/2017 05:29:14


9- Capturar o Cinturão de Hipólita chegou próximo ao herói e lhe contou sua triste história. Ao
A pedido da filha de Euristeo, Admete, Hércules final dela, sem poder conter as lágrimas, Hércules perguntou
teve de viajar para o reino das amazonas e conseguir o se ele possuía alguma irmã e neste caso, ele cuidaria dela e se
cinturão de Hipólita, rainha das amazonas. Chegando casaria com ela. A irmã de Meleagro é Dejanira.
lá, Hipólita conversa com Hércules e decida dar-lhe
o cinturão de bom grado, mas Hera, disfarçada de Hércules chegou até a mansão de Hades e pediu a ele
amazona, inicia uma guerra entre elas e os soldados que lhe deixasse lutar com Cérbero. Hades consentiu, desde
amigos de Hércules que estavam o acompanhando. que o herói não o enfrentasse com suas armas normais,
Julgando-se traído, Hércules enfrenta as amazonas mas apenas com suas mãos e protegido pela pele do Leão
e, por fim, acaba matando Hipólita em um combate. da Nemédia. Após uma luta terrível, Hércules conseguiu
Outras lendas mais recentes contam que Hipólita dominar o gigante mastim e levá-lo até Euristeo. Quando
não foi morta, mas que durante a guerra, Hércules chegou ao castelo, Euristeo ficou tão apavorado que teve
capturou sua irmã, Melanipa, e que Hércules a trocou de se esconder em uma masmorra secreta que havia
pelo cinturão. construído em caso de uma rebelião. Sem saber o que
fazer com o cachorro, Hércules o devolveu a Hades.
10- Matar o monstro e o gado de Gerionte
A maior dificuldade desta tarefa era conseguir um 12- Obter as Maçãs de Hespérides
barco grande o suficiente para resistir a uma viagem até Quando Hera casou-se com Zeus, ela recebeu
os reinos de Gerionte, que ficava no extremo ocidente. de Gaia algumas maçãs de ouro, que Hera achou tão
Ele começou cruzando o deserto da Líbia, debaixo de um maravilhosas que decidiu plantá-las. Escolheu como
calor tão grande que Hércules chegou a ameaçar o Sol pomar nas imediações do monte Atlas. Temendo
se este não parasse de esquentá-lo. Mais tarde, Hércules caçadores e ladrões, Hera pediu a um dragão de cem
ameaça novamente Hélios para que ele lhe empreste cabeças, prole de Tífon e Echidna, que guardasse as
seu barco. Após algumas ameaças, Hélios emprestou maçãs, bem como a três ninfas chamadas Hespérides. A
o barco a Hércules, que cruzou o oceano com ele, até primeira dificuldade de Hércules foi encontrar o monte
chegar aos reinos de Hades. Os bois de Hades eram bois Atlas. Para isto, teve de consultar diversos deuses e
gigantescos, protegidos pelo cão Ortro, um cachorro viajantes, que lhe deram indicações sobre como chegar ao
demoníaco. Hércules teve de enfrentá-lo e após uma continente de Hiperbórea. Durante sua viagem, Hércules
longa batalha, conseguiu matá-lo a flechadas. Com o libertou Prometeu, que estava acorrentado ao pé do
auxílio do barco de Hélios, Hércules conseguiu colocar monte Atlas, com uma águia a lhe devorar o fígado, que
os bois no barco e seguir viagem de volta aos reinos sempre regenerava.
de Euristeo. Menetes, pastor de Hades, correu a avisar
Gerionte, que perseguiu Hércules e o enfrentou, mas Chegando ao Jardim, Hércules percebeu que não
acabou morrendo em combate. poderia enfrentar o dragão e pediu a Atlas que pegasse
as maçãs para ele. Hércules permaneceu sustentando
A viagem de regresso está repleta de pequenas os céus enquanto o gigante pegava as maçãs para ele.
histórias contadas pelos habitantes das cidades que Quando retornou, Atlas pensou em escapar de seu
ficavam no itinerário de Hércules para justificar a castigo, dizendo para Hércules que ele mesmo iria
construção de diversos santuários dedicados ao herói. entregar as maçãs para Euristeo e voltaria, planejando
Entre estas lendas, destacam-se a história do ladrão Caco, nunca mais retornar. Hércules concordou imediatamente,
e da fundação da Itália, devido a um dos bois que havia mas perguntou se o gigante poderia segurar o céu mais
escapado e nadado até a península. um pouco, para que Hércules pegasse uma almofada
para colocar sobre os ombros. O gigante concordou e
11- Trazer o cão de três cabeças Cérbero Hércules fugiu com as maçãs.
Um dos trabalhos mais perigosos, que Euristeo
tinha certeza que Hércules não sobreviveria, não teria sido Além destes trabalhos, Hércules ainda praticou
realizado sem a ajuda de dois deuses, Atenas e Hermes, que muitas outras proezas e teve as mais variadas aventuras:
o ensinaram os segredos do Eleusis, a maneira de entrar e afogou com os braços o gigante Anteu, exterminou
sair do reino dos mortos em segurança. Hércules seguiu o bandido Caco, livrou Hersiona do monstro que a
as instruções e desceu aos infernos pela região de Tenaro. devoraria, separou os montes Calpe e Abila (onde hoje
Encontrou pelo caminho apenas Medusa (que Hermes lhe é o estreito de Gibraltar), soltou Prometeu, venceu o rio
disse tratar-se apenas da sombra desta) e Meleagro. Hércules Aqueloo e matou o centauro Nesso, sendo este último
pensou que Meleagro fosse um inimigo, mas ele apenas o responsável pela sua morte.

91

170318 - mitologia Grega.indd 91 30/08/2017 05:29:14


Antes de morrer, o centauro deu a Dejanira sua
túnica manchada de sangue, dizendo ser um talismã de
fidelidade. Dejanira deu a Hércules a túnica. Assim que
Hércules a colocou, sentiu-se atormentado por dores
tão atrozes que ergueu uma pira no monte Eta e nela
se fez consumir pelas chamas. Filocletes, seu amigo,
herdou do herói o arco e as flechas, que por terem sido
embebidas no sangue da Hidra, causavam ferimentos
que não cicatrizavam.

Algumas lendas colocam que, antes de morrer,


Hércules havia se reconciliado com Hera, que se
converteu em mãe imortal após sua morte e passagem
para o reino dos deuses. Hércules deixou cerca de
setenta filhos.

Hercules e Cérberus, Nicolo Van Aelst (Flanders, 1527-1612)

92

170318 - mitologia Grega.indd 92 30/08/2017 05:29:15


Geburah

Hefesto Hefesto foi identificado pelos colonos gregos do


Hefesto é um deus da mitologia grega, cujo sul da Itália com os deuses do vulcão Adrano (do monte
equivalente na mitologia romana era Vulcano. Filho de Etna) e Vulcano, das ilhas Lipari. Sua forja foi deslocada
Zeus e Hera, rei e rainha dos deuses ou, de acordo com até lá pelos poetas. O sábio Apolônio de Tiana, do século
alguns relatos, apenas de Hera, era o deus da tecnologia, I, teria comentado: “Existem muitas outras montanhas em
dos ferreiros, artesãos, escultores, metais, metalurgia, diferentes partes da terra além do Etna, mas não somos tão
fogo e dos vulcões. Como outros ferreiros mitológicos, levianos a ponto de afirmar que suas erupções são provocadas por
porém ao contrário dos outros deuses, Hefesto era gigantes e deuses.”.
manco, o que lhe dava uma aparência grotesca aos olhos
dos antigos gregos. Servia como ferreiro dos deuses, e Na ilha de Lemnos, sua consorte era a ninfa
era cultuado nos centros manufatureiros e industriais da Cabiro, com quem ele teve dois filhos, dois deuses
Grécia, especialmente em Atenas. O centro de seu culto ferreiros conhecidos como cabiros. Na Sicília, sua
se localizava em Lemnos.

Os símbolos de Hefesto são um martelo de


ferreiro, uma bigorna e uma tenaz, embora por vezes
tenha sido retratado empunhando um machado.

Hefesto foi responsável, entre outras obras, pela


égide, escudo usado por Zeus em sua batalha contra os
titãs. Construiu para si um magnífico e brilhante palácio
de bronze, equipado com muitos servos mecânicos. De
suas forjas saiu Pandora, primeira mulher mortal.

93

170318 - mitologia Grega.indd 93 30/08/2017 05:29:15


consorte foi a ninfa Etna, e seus filhos foram os dois No entanto, Vulcano forjou armas especiais para
deuses dos gêiseres sicilianos conhecidos como palicos. Enéias, filho de Vênus de Anquises de Tróia e para
Aquiles quando este havia emprestado para Pátroclo,
Segundo Homero a esposa de Hefesto era Cáris. que por sua vez a perdeu para Heitor.
Para a maior parte dos mitos, no entanto, Hefesto é
marido de Afrodite, que o trai cometendo adultério E também em certa altura, Vulcano preparou uma
com Ares. rede com armadilhas para a cama onde Vênus e Marte
mantinham uma relação adúltera. Deste modo o deus
Vulcano ferreiro conseguiu demonstrar a infidelidade da sua
Vulcano era o deus romano do fogo, filho de esposa que, no entanto foi, perdoada por Júpiter.
Júpiter e de Juno ou ainda, segundo alguns mitólogos,
somente de Juno com o auxílio do Vento. Ares
Ares, na mitologia grega, é filho do famoso Zeus o
soberano dos deuses, e Hera. Ares foi muito cultuado
em Esparta, uma das mais importantes Cidades-
Estados da Grécia antiga. Embora muitas vezes
tratado como o deus olímpico da guerra, ele é mais
exatamente o deus da guerra selvagem, ou sede de
sangue, ou matança personificada.

Foi lançado aos mares devido à vergonha de sua


mãe pela sua deformidade, foi, porém, recolhido por
Tétis e Eurínome, filhas de Oceano. Noutras versões, a
sua fealdade era tal mesmo recém-nascido, que Júpiter
o teria lançado do monte Olimpo abaixo. A esse fato se
deveria a sua deformidade, pois Vulcano era coxo.

Sua figura era representada como um ferreiro. Era


ele quem forjava os raios, atributo de Júpiter. Este deus,
o mais feio de todos, era o marido de Vénus ( a Afrodite Os romanos identificaram-no como Marte, o
grega), a deusa da beleza e do amor, que, aliás, lhe era deus romano da guerra e da agricultura que eles tinham
tremendamente infiel. herdado dos etruscos.

94

170318 - mitologia Grega.indd 94 30/08/2017 05:29:15


Entre os helenos sempre houve desconfiança Jasão e os Argonautas
de Ares. Embora também a meia irmã de Ares, Atena, A saga dos argonautas descreve a perigosa
fosse uma cidade da guerra, a posição de Atena era de expedição rumo à Cólquida em busca do Velocino de
guerra estratégica, enquanto Ares tendia a ser a violência Ouro. Conta o mito que Éson havia sido destronado
imprevisível da guerra. O seu lugar de nascimento e sua por Pélias, seu meio irmão. Seu filho Jasão, exilado na
casa verdadeira foram colocados muito longe, entre os Tessália aos cuidados do centauro Quíron, retornou
bárbaros e trácios belicosos (Ilíada 13.301; Ovídio, Ars ao atingir a maioridade para reclamar ao trono que por
Amatoria, II.10;), de onde ele se retirou depois que o seu direito lhe pertencia. Pélias então, que tencionava livrar-
caso com Afrodite foi revelado. se do intruso, resolveu enviá-lo em busca do Velo de
Ouro, tarefa deveras arriscada. Um arauto foi enviado
Marte por toda a Grécia a fim de agregar heróis que estivessem
Marte é o deus romano da guerra, equivalente ao dispostos a participar da difícil empreitada. Dessa forma,
grego Ares. Filho de Juno e de Júpiter, é considerado aproximadamente cinquenta jovens se apresentaram,
o Deus da Guerra Sangrenta, ao contrário da sua irmã todos eles heróis de grande renome e valor. Cada um
Minerva, que representa a guerra justa e diplomática. Os deles desempenhou na expedição uma função específica,
dois irmãos tinham uma relação difícil onde prosperava de acordo com suas habilidades.
uma rixa, que acabou por culminar no enfrentamento
entre ambos, junto das muralhas de Troia, cada um dos A Orfeu, por exemplo, que tinha o dom da música,
quais defendendo um dos exércitos. Marte, protetor dos coube a tarefa de cadenciar o trabalho dos remadores
troianos, acabou por ser derrotado. e de, principalmente, sobrepujar com sua voz, o canto
das sereias que seduziam os navegantes. Argos, filho de
Marte, apesar de bárbaro e cruel, tem o amor da Frixo, construiu o navio e por isso, em sua homenagem,
deusa Vênus e, com ela teve um filho, Cupido e uma a embarcação recebeu seu nome. Tífis, discípulo de
filha mortal, Harmonia. Atena na arte da navegação foi designado piloto. Morto
na Bitínia, foi substituído por Ergino, filho de Posidão.
Na verdade tratava-se de uma relação adúltera, Castor e Pólux, gêmeos filhos de Zeus e Leda, atraíram
uma vez que a deusa era esposa de Vulcano, que arranjou a proteção do pai durante a tempestade que a nau foi
uma estratégia para os descobrir e prender numa rede obrigada a enfrentar. Destacavam-se ainda entre os
enquanto estavam juntos na cama. heróis: Admeto, filho do rei Feres; Ídmon e Anfiarau,
célebres adivinhos; Teseu , considerado o maior herói

Os Argonautas, por Lorenzo Costa (1530)

95

170318 - mitologia Grega.indd 95 30/08/2017 05:29:15


grego; Hércules que não completou a expedição; Etálides,
filho de Hermes que atuou como arauto; os irmãos Idas e
Linceu e, é claro, Jasão, chefe e comandante da expedição.

Após várias aventuras, inclusive a primeira


passagem pelas Simplégadas (o Bósforo), os argonautas
chegam à Cólquida, pensando estar em alguma parte
no fim do mar Negro. O rei Eetes da Cólquida exige
que Jasão cumpra várias tarefas para obter o Velocino,
inclusive arar um campo com touros que cospem fogo,
semear os dentes de um dragão, lutar com o exército que
brota dos dentes semeados e, por fim, passar pelo dragão
que guarda o próprio Velocino. Com o Velocino nas
mãos, Jasão foge com Medéia, filha de Eetes, e enfrenta
várias aventuras na volta para casa.

Atena / Minerva
Atena, também conhecida como Palas Atena é,
na mitologia grega, a deusa da guerra, da civilização, da
sabedoria, da estratégia em batalha, das artes, da justiça e
da habilidade. Uma das principais divindades do panteão
grego e um dos doze deuses olímpicos, Atena recebeu
culto em toda a Grécia Antiga e em toda a sua área de
influência, desde as colônias gregas da Ásia Menor até as da
Península Ibérica e norte da África. Sua presença é atestada
até nas proximidades da Índia. Por isso seu culto assumiu
muitas formas, além de sua figura ter sido sincretizada
com várias outras divindades das regiões em torno do
Mediterrâneo, ampliando a variedade das formas de culto.

Como deusa da guerra, Atena é a perfeita antítese


de Ares, o outro deus encarregado desta atividade. Atena A versão mais corrente de seu mito a dá como filha
é dotada de profunda sabedoria e conhece todas as artes partenogênica de Zeus, nascendo de sua cabeça já adulta
da estratégia, enquanto que Ares carece de todo bom e plenamente armada. Jamais se casou ou tomou amantes,
juízo, prima pela ação impulsiva, descontrolada e violenta, mantendo uma virgindade perpétua. Era imbatível na
e às vezes, no calor do combate, mal sabe distinguir guerra, nem mesmo Ares lhe fazia páreo. Foi padroeira
entre aliados e inimigos. Por isso Ares é desprezado por de várias cidades, mas se tornou mais conhecida como a
todos os deuses, enquanto que Atena é universalmente protetora de Atenas e de toda a Ática. Também protegeu
respeitada e admirada. A falta de sabedoria de Ares vários heróis e outras figuras míticas, aparecendo em uma
explica sua invariável derrota sempre que confrontou grande quantidade de episódios da mitologia.
Atena. O princípio simbolizado por Ares é por vezes mais
necessário quando se trata de desbravar um território
hostil e fundar ou conquistar uma cidade, ou quando a
violência é absolutamente incontornável diante de uma
situação desesperada, mas é incapaz de criar cultura e
civilização e manter a sociedade numa forma estável,
integrada e organizada. Este papel cabe a Atena, a Deusa
da Sabedoria, da Diplomacia, da Coesão Social - lembre-
se que ela é a protetora por excelência das cidadelas, o
núcleo vital das cidades - instrutora nas artes e ofícios
manuais produtivos, especialmente o trabalho em metal
e a tecelagem, que enriquecem o espírito e possibilitam
a continuidade da vida em comunidade.

96

170318 - mitologia Grega.indd 96 30/08/2017 05:29:16


Chesed

Plutão
Plutão é como ficou conhecido o deus dos mortos Era filho de Saturno e de Réia e irmão de Júpiter e
e das riquezas na mitologia romana, após a introdução Netuno. Quando Júpiter fez a partilha do Universo, deu a
dos mitos e da literatura gregas é que: originalmente, Plutão o Império Subterrâneo. Plutão era tão negro e tão
não possuíam os romanos uma noção de um reino para feio, que não conseguia encontrar mulher que o aceitasse
a felicidade ou infelicidade pós-morte, como o Hades para casar. Por isso resolveu roubar Prosérpina, filha de
grego - senão uma imensa cavidade, chamada Orco, Júpiter e de Ceres - Deusa da Agricultura - quando ela
que mais tarde passou a identificar-se com o submundo ia a caminho da fonte de Aretusa, na Sicília, para buscar
grego. Ao deus que o comandava, então, incorporaram água. Plutão é representado com uma coroa de ébano
Hades, sob o seu epíteto de Pluto. A grande diferença na cabeça e as chaves dos infernos na mão, num coche
entre os dois deuses é que Plutão era basicamente o puxado por cavalos negros.
senhor das riquezas encontradas no subterrâneo e não
era uma divindade temida, mas reverenciada.

Plutão na visão de Polidoro Caldara da Caravaggio (1543)

97

170318 - mitologia Grega.indd 97 30/08/2017 05:29:16


Em sua homenagem era celebrado um grande Poseidon tonou-se inimigo dos troianos e, durante a
festival em fevereiro, quando então eram-lhe ofertados guerra com os gregos, tomou o partido destes.
sacrifícios de touros e cabras negros (chamados de
Februationes) por um sacerdote caracterizado por uma Netuno
coroa de cipreste, e com a duração de doze noites. Netuno é o deus romano do mar, inspirado no
deus grego Poseidon. Filho do deus Saturno e Ops,
Poseidon irmão de Júpiter e de Plutão. Originariamente é o deus
Deus do mar e dos lagos, Poseidon provocava as das fontes e das correntes de água, dos terremotos e
tormentas marítimas e comandava as ondas, além de criador dos cavalos.
poder abalar os rochedos costeiros com seu tridente.
Também fazia as fontes aparecerem. No entanto, os rios
não estavam sujeitos a ele.

Quando os mortais passaram a viver em cidades,


os deuses entraram em disputa para serem os padroeiros
das principais. No caso de Poseidon, a primeira disputa
foi com Atena, para ver quem seria o Patrono da cidade-
Estado de Atenas. Enquanto Poseidon presenteou os
habitantes com uma fonte na Acrópole, Atena lhes
entregou uma oliveira, a que os atenienses preferiram,
dando a vitória à deusa. Aborrecido, Poseidon provocou
uma inundação na planície de Elêusis.

Triunfo de Netuno, Museu de Sousse

Deus inseparável dos cavalos, senhor das ninfas,


sereias e sereias dos lagos, rios e fontes, tem ao seu lado
sereias, nereidas e tritões. Netuno não veste roupas
luxuosas, já que sua aparência já é suficiente para
demonstrar o seu poder. O deus romano tem o mar como
sua morada, pode provocar as mais terríveis tempestades
e tormentas, até as ondas mais pacíficas e tranquilas, e
por isso é provocado com pouca frequência, apenas por
motivos importantes.

Netuno teve muitos amores, a maioria passageiros.


Sua principal esposa foi Salácia (contraparte romana de
Poseidon também participou de uma competição Anfitrite) uma nereida, que lhe deu como filho os tritões,
a respeito de Argos, defrontando-se com Hera. Como monstros marinhos com rostos humanos barbados e
a deusa vencesse a disputa, Poseidon amaldiçoou a com caudas como a dos golfinhos. Outras esposas foram
cidade e secou todas as fontes da região. Porém, nesse Hália, Amimona, Toosa (que com ele teve Polifemo),
meio tempo, chegou a Argos Dânaos e suas 50 filhas, Ceres, Medusa (com quem teve Pegaso e Crisaor) e Clito
as Danaides, e Poseidon se apaixonou por uma delas. A (que teve como filho mais velho Atlas).
Danaide Amimone fez o deus perdoar a cidade e a água
voltou a jorrar das fontes. Cornucópia
Do latim Cornu Copiae ou “corno da abundância”,
Juntamente com Apolo e com o mortal Éaco, de cornu ou “chifre” e copiae ou “abundância, muitos
Poseidon trabalhou na construção da muralha de Tróia, recursos, posses”.
porém, como Laomêdon, o rei da cidade, recusou-se a
lhe pagar pela obra, o deus fez sair um monstro do mar Cornucópia é um símbolo representativo de
e mandou-o dizimar a população troiana. Desde então, fertilidade , riqueza e abundância . Na Mitologia

98

170318 - mitologia Grega.indd 98 30/08/2017 05:29:16


Greco-Romana era representada por um vaso em nomes como o de Plutão. Um deus muito temido, pois
forma de chifre, com uma abundância de frutas e flores no seu mundo sempre havia espaço para as almas. Seu
se espalhando dele. Hoje, simboliza a agricultura e mundo era dividido em duas partes: o Érebo onde as
o comércio. Na culinária, designa um bolo pequeno almas ficavam para ser julgadas para receber seus castigos
feito em geral com massa folhada, em forma de cone e ou então suas recompensas; e também a parte do Tártaro
recheado com creme. que era a mais profunda região onde os titãs ficavam
aprisionados. Hades era presidente do tribunal, era ele
A versão principal da origem da cornucópia que dava a sentença dos julgamentos.
é semelhante tanto na mitologia grega quanto na
mitologia romana , na qual o rei dos deuses, depois de
ter acidentalmente quebrado o chifre do bode místico
em um jogo, prometeu que o chifre nunca iria esvaziar
os frutos de seu desejo. O chifre foi, posteriormente,
entregue para os cuidados de Abundantia.

Em outra versão da Mitologia Greco-Romana


o seu significado provém da cabra Amaltéia que
amamentou Zeus-Júpiter enquanto bebê.

Hades
Na mitologia grega, Hades era o deus responsável
por governar o mundo subterrâneo e as almas após a
morte. Era filho de Cronos e de Réia, irmão de Zeus
(deus dos deuses) e de Poseidon (deus dos mares).
Além das sombras e almas encontradas em seus
A passagem mitológica mais conhecida envolvendo domínios, era também cuidadosamente vigiado pelo
o deus Hades é aquela em que ele rapta Perséfone, Cérbero que era seu cão de três cabeças e cauda de
filha da deusa Deméter, para viver com ele no mundo dragão. Era conhecido como hospitaleiro, pois nos seus
subterrâneo, tornando-a sua esposa. Este mito é mais domínios sempre tinha lugar para mais uma alma. O
conhecido como o Rapto de Cora (como Perséfone era deus quase nunca deixava seus reinos para se preocupar
retratada na mitologia romana). com assuntos do mundo superior, fez isso duas vezes
quando foi raptar sua esposa e a outra quando foi para
Hades dominava o reino dos mortos, um lugar o Olimpo se curar de uma ferida causada por Heracles.
onde só imperava a tristeza. Conseguiu esse domínio
através de uma luta contra os Titãs, que Poseidon, Zeus Hades tinha o poder de restituir a vida de um
e ele venceram. Assim Poseidon ficou com o domínio homem, mas fez isso poucas vezes e muitas delas a
dos mares, Zeus ficou com o céu e a Terra e Hades com pedido de sua esposa. Também conhecido como o
o domínio das profundezas. Invisível, pois com a ajuda do seu capacete que o protege
Era um deus quieto e seu nome quase nunca era de todos os olhares. Este capacete também foi usado por
pronunciado, pois tinham medo, para isso usavam outros outros heróis como Atena e Perseu.

99

170318 - mitologia Grega.indd 99 30/08/2017 05:29:17


Porém, ao contrário do que muitas pessoas pensam, É conhecido por suas aventuras eróticas, que
Hades não é o deus da morte e sim o da pós-morte, ele frequentemente resultavam em descendentes divinos
comanda as almas depois que as pessoas morrem. e heróicos, como Atena, Apolo e Ártemis, Hermes,
Perséfone (com Deméter), Dioniso, Perseu, Héracles,
Zeus / Júpiter Helena de Troia, Minos, e as Musas (de Mnemosine); com
Zeus, na religião da Grécia Antiga, é o “Pai dos deuses Hera, teria tido Ares, Ênio, Ilítia, Éris, Hebe e Hefesto.
e dos homens”, que exercia a autoridade sobre os deuses Mesmo os deuses que não são filhos naturais de
olímpicos como um pai sobre sua família. É o deus dos Zeus dirigem-se a ele como Pai, e todos os deuses se
raios na mitologia grega. Seu equivalente romano é Júpiter, põem de pé diante de sua presença. Para os gregos, era o
enquanto seu equivalente etrusco é Tinia. Rei dos Deuses, que supervisionava o universo. Nas palavras
do geógrafo antigo Pausânias, “Que Zeus é rei nos céus é um
Filho de Cronos e Réia, Zeus é o mais novo de dito comum a todos os homens.” Na Teogonia, de Hesíodo, Zeus é
seus irmãos; na maior parte das tradições é casado, responsável por delegar a cada um dos deuses suas devidas funções. Nos
primeiro com Métis, gerando a deusa Atena e, depois, Hinos Homéricos ele é referido como o “chefe dos deuses”.
com Hera, embora, no oráculo de Dodona, sua esposa
seja Dione, com quem, de acordo com a Ilíada, ele teria Seus símbolos são o raio, a águia, o touro e o
gerado Afrodite. carvalho. Além de sua clara herança indo-européia, sua
clássica descrição como “Ajuntador de Nuvens” também
deriva certos traços iconográficos das culturas do Antigo
Oriente Médio, tais como o cetro. Zeus frequentemente
foi representado pelos antigos artistas gregos em duas
poses diferentes: numa, em pé, apoiado para a frente,
empunhando um raio na altura de sua mão direita,
erguida; na outra sentado, numa pose majéstica.

Havia muitas estátuas erguidas em sua honra, das


quais a mais magnífica era a sua estátua em Olímpia, uma
das sete maravilhas do mundo antigo. Originalmente, os
Jogos Olímpicos eram realizados em sua honra.

100

170318 - mitologia Grega.indd 100 30/08/2017 05:29:18


Daath

Tanatos Porém outros autores gregos o descreveram com uma


O deus da morte da mitologia grega, nascido antes aparência menos hostil e com asas. Para os gregos
da criação da humanidade por Prometeu, que servia à era um deus, mas para os romanos era uma deusa
Hades trazendo-lhe súditos, e em geral é mostrado como chamada de Mors.
um espírito alado.
Existe uma lenda que narra como o jovem Sísifo,
Irmão gêmeo de Hipnos, o deus do sono. Como o rebelde, astucioso e esperto fundador e primeiro
seus irmãos sofredores e libertários, era filho de Érebo rei de Corinto, o derrotou e o aprisionou quando
e de Nyx, Deusa da Noite, filha da união entre o Caos este veio buscá-lo, dando, portanto, imortalidade às
e a Escuridão. Era representado como um jovem alado pessoas. Por algum tempo os homens não morriam,
portando uma tocha apagada. Embora bastante utilizado até que Ares o libertou.
na arte e poesia, sua adoração era apenas significativa em
Esparta, onde era alvo do culto popular.

Tanatos, por Cliff Nielsen (2010)

Foi descrito por Eurípides (484-406 a. C.) como


uma figura sinistra coberta de negro, passeando
entre os homens e com uma faca ou espada na mão.

101

170318 - mitologia Grega.indd 101 30/08/2017 05:29:18


Sísifo foi condenado a descer aos Infernos e pai, Urano, de sua posição soberana entre os deuses, já
teve sua punição final nos moldes da concepção grega que o mesmo estava dominado pela insanidade, gerando
do inferno como lugar onde se realizam trabalhos muita confusão na esfera terrena. Pouco tempo depois,
infrutíferos. Castigado após a morte, por tentar dar exercendo igualmente uma liderança tirânica, recebe uma
poderes divinos aos humanos, à rolar continuamente profecia assustadora, a de que ele também seria deposto
uma pedra pela montanha acima, em uma tarefa eterna, do trono por um de seus filhos.
pois uma vez colocada no alto, a pedra rola novamente
para o pé da montanha. O deus romano se casa com Réia, a qual simboliza
a Terra. Ciente da predição paterna, ele devora todos os
Além dele, existiam a serviço do “Deus dos Inferiores” filhos, assim que nascem. Isto ocorre com Vesta, Ceres,
Hades, as serviçais Erínias, as Fúrias para os romanos, Juno, Plutão e Netuno. Inconformada, sua esposa arma
conhecidas como as deusas vingadoras que buscavam os um plano para salvar Júpiter, o recém-nascido. Ela
criminosos, e as Keres, deusas da morte violenta, para envolve uma pedra em alguns panos e a apresenta assim
buscar os mortais comuns. para o marido, tentando convencê-lo de que está lhe
entregando o filho. Dominado pela gula, ele engole o
Cronos/Saturno objeto sem se dar conta do que ocorre, o que demonstra o
Saturno é a divindade romana mais complexa, caráter do tempo, o qual devora e destrói tudo que existe.
conhecida pelos gregos como Cronos, o deus que Ao ingerir a pedra, ele vomita os filhos anteriormente
representa o tempo. Parecia pairar sobre ele e sua família devorados, os quais ajudam Júpiter, ao longo de dez anos
uma maldição, pois logo cedo ele expulsou o próprio de luta ferrenha, a derrotar Saturno.

Cumprindo o que fora previsto, ele é realmente


exilado de seu reino, aprisionado no Tártaro, um local remoto
e sombrio; depois ele reaparece no Lácio, região da Itália
central, lá instaurando um período de paz e prosperidade,
conhecido como a Idade do Ouro, transmitindo ao Homem
os segredos da agricultura. É considerado um dos Titãs -
deuses que enfrentaram Zeus ou Júpiter, gerado pela união
entre o Céu, Urano, e a Terra, Gaia.

Moiras e Parcas
As moiras, na Mitologia Grega, eram as três irmãs
que determinavam o destino, tanto dos deuses, quanto dos
seres humanos. Eram três mulheres lúgubres, responsáveis
por fabricar, tecer e cortar aquilo que seria o fio da vida
de todos os indivíduos.

Durante o trabalho, as moiras fazem uso da Roda


da Fortuna, que é o tear utilizado para se tecer os fios. As
voltas da roda posicionam o fio do indivíduo em sua parte
mais privilegiada (o topo) ou em sua parte menos desejável
(o fundo), explicando-se assim os períodos de boa ou
má sorte de todos. As três deusas decidiam o destino
individual dos antigos gregos, e criaram Têmis, Nêmesis
e as Erínias. Pertenciam à primeira geração divina (os
deuses primordiais), e assim como Nix, eram domadoras
de deusas e homens.

As Moiras eram filhas de Nix. Moira, no singular,


era inicialmente o destino. Na Ilíada, representava uma lei
que pairava sobre deuses e homens, pois nem Zeus estava
autorizado a transgredi-la sem interferir na harmonia
cósmica. Na Odisséia aparecem as Fiandeiras.

102

170318 - mitologia Grega.indd 102 30/08/2017 05:29:19


O mito grego predominou entre os romanos a tal Górgonas
ponto que os nomes das divindades caíram em desuso. A Górgona é uma criatura da mitologia grega,
Entre eles eram conhecidas por Parcas chamadas Nona, representada como um monstro feroz, de aspecto
Décima e Morta, que tinham as funções de presidir a feminino e com grandes presas. Tinha o poder de
gestação e o nascimento, o crescimento e desenvolvimento, transformar todos que olhassem para ela em pedra, o
e o final da vida; a morte; notar entretanto, que essa que fazia com que, muitas vezes, imagens suas fossem
regência era apenas “sobre os humanos”. utilizadas como uma forma de amuleto. A Górgona
também vestia um cinto de serpentes entrelaçadas.
Os poetas da antiguidade descreviam as moiras
como donzelas de aspecto sinistro, de grandes dentes e Na mitologia grega tardia, diziam-se que existiam
longas unhas. Nas artes plásticas, ao contrário, aparecem três Górgonas: as três filhas de Fórcis e Ceto. Seus nomes
representadas como lindas donzelas. As Moiras eram: eram Medusa (“a impetuosa”), Esteno (“a que oprime”) e
Euríale (“a que está ao largo”). Como a mãe, as górgonas
- Cloto, em grego significa “fiar”, segurava o fuso eram extremamente belas e seus cabelos eram invejáveis;
e tecia o fio da vida. Junto de Ilitia, Ártemis e Hécate, todavia, eram desregradas e sem escrúpulos. Isso causou
Cloto atuava como deusa dos nascimentos e partos. a irritação dos demais deuses, principalmente de Atena, a
deusa da sabedoria, que admirou-se de ver que a beleza
- Láquesis, em grego significa “sortear” puxava das górgonas as fazia exatamente idênticas a ela.
e enrolava o fio tecido, Láquesis atuava junto com
Tique, Pluto, Moros e outros, sorteando o quinhão de Atena então, para não permitir que deusas iguais
atribuições que se ganhava em vida. a ela mostrassem um comportamento maligno, tão
diferente do seu, deformou-lhes a aparência, determinada
- Átropos, em grego significa “afastar”, ela cortava a diferenciar-se. Atena transformou os belos cachos das
o fio da vida. Átropos, juntamente a Tanatos, Moros e irmãs em ninhos de serpentes letais e violentas, que
as queres, determinava o fim da vida. picavam suas faces. Transformou seus belos dentes em
presas de javalis, e fez com que seus pés e mãos macias
se tornassem em bronze frio e pesado. Cobrindo suas

As Moiras com o Fio da Vida, de John Melhuish Strudwick (1930)

103

170318 - mitologia Grega.indd 103 30/08/2017 05:29:19


peles com escamas douradas e para terminar, Atena
condenou-as a transformar em pedra tudo aquilo que
pudesse contemplar seus olhos. Assim, o belo olhar das
górgonas se transformou em algo perigoso.

Envergonhadas e desesperadas por seu infortúnio,


as górgonas fugiram para o Ocidente, e se esconderem
na Ciméria, conhecido como “o país da noite eterna”.

Mesmo monstruosa, Medusa foi assediada por


Poseidon, que amava Atena. Para vingar-se, Medusa
cedeu e Posídon desposou-a. Após isso, Posídon fez
com que Atena soubesse que ele tivera aquela que era
sua semelhante. Atena sentiu-se tão ultrajada que tomou
de Medusa sua imortalidade, fazendo-a a única mortal
entre as górgonas. Em outras versões, Atena amaldiçoou
as górgonas justamente porque quando Medusa ainda era
bela, ela e Poseidon se uniram em um templo de Atena,
a deusa ficou ultrajada e as amaldiçoou.

Mais tarde, Perseu, filho de Zeus e da princesa


Dânae, contou com a ajuda de Atena para encontrar
Medusa e cortar a sua cabeça, com a qual realizou
prodígios. Pois mesmo depois de morta, a cabeça
continuava viva e aquele que a olhasse nos olhos se
tornava pedra. Medusa deu à luz dois filhos de Poseidon,
Pégaso e Crisaor.

104

170318 - mitologia Grega.indd 104 30/08/2017 05:29:19


Binah

Atlas Saturno Itálico


Atlas, também chamado Atlante, era um dos filhos Saturno (do latim Saturnus) é um deus romano do
dos Titãs Japeto e Climene, irmão de Prometeu, e pertencia tempo equivalente ao grego Cronos. É um dos Titãs, filho
à geração divina dos seres desproporcionais, monstruosos, do Céu e da Terra. Com uma foice dada por sua mãe
a encarnação de forças da natureza que atuava preparando mutilou o pai, Urano, tomando o poder entre os deuses.
a terra para receber a vida e os humanos.
Expulso do céu por seu filho Júpiter (Zeus),
Juntando-se a outros Titãs, forças do Caos e da refugiou-se no Lácio, onde exerceu a soberania e fez
desordem, pretendiam alcançar o poder supremo e reinar a idade do ouro, cheia de paz e abundância, tendo
atacaram o Monte Olimpo, combatendo ferozmente ensinado aos homens a agricultura. Em Lácio, criou uma
Zeus e seus aliados, que eram as energias do espírito, da família e uma conduta novas.
Ordem e do Cosmos.

Zeus trinfou e castigou seus inimigos - que


eram escravos da matéria e dos sentidos, inimigos da
espiritualização, lançando-os ao Tártaro.

Atlas sustentando os Céus

Porém para Atlas deu-lhe o castigo de sustentar


para sempre nos ombros, o céu. Seu nome passou a
significar “portador” ou “sofredor”.

Assim punido, passou a morar no país das


Hespérides, junto com as três ninfas do Poente: Eagle,
Eritia, Hesperatetusa.

105

170318 - mitologia Grega.indd 105 30/08/2017 05:29:20


Os romanos que, segundo outras tradições, Dice
atribuem a origem de Roma a Saturno, construíram-lhe Na mitologia grega, Diké, é a filha de Zeus com
um templo e um altar à entrada do Fórum, no Capitólio. Têmis, é a deusa grega dos julgamentos e da justiça
Atribui-se ainda a Saturno a criação de divindades como (deusa correspondente, na mitologia romana, é a Iustitia),
Juno ou Hera e de heróis como Rómulo. O sábado é o Vingadora das Violações da Lei.
dia consagrado a Saturno.
Era uma das Horas. Com a mão direita sustentava
uma espada (simbolizando a força, elemento tido por
inseparável do direito) e na mão esquerda sustentava uma
balança (representando a igualdade buscada pelo direito),
sem que o fiel esteja no meio, equilibrado. O fiel só irá para
o meio após a realização da justiça, do ato tido por justo,
pronunciando o direito no momento de Ison (equilíbrio da
balança). Note-se que, para os gregos, o justo (Direito) era
identificado com o igual (Igualdade).

É representada descalça e com os olhos bem abertos


Saturnus, de Polidoro de Caravaggio (1540) (metaforizando a sua busca pela verdade). Ressalta-se
também que a Iustitia romana era representada de olhos
O Saturno Itálico é representado nas moedas vendados, empunhando uma espada desembainhada e
como nas pinturas de Pompéia - testemunho ambivalente uma balança.
da sua atividade agrária e da sua identificação com o
castrador Cronos - com a serpente na mão. Um baixo- Justitia
relevo do museu do Capitólio, réplica de um modelo Justiça (em latim: Iustitia; também referida
grego, apresenta-o como Cronos, sentado no trono, como Justitia) era a deusa romana que personificava a
recebendo das mãos de sua mulher (por vezes chamada justiça. Correspondia, na Grécia, à deusa Dice. Difere
Opes nos textos latinos) a pedra envolvida em panos que dela por aparecer de olhos vendados (simbolizando a
ele confundiu com Júpiter recém-nascido. imparcialidade da justiça e a igualdade dos direitos).

Themis A deusa deveria estar de pé durante a exposição do


Têmis era a deusa grega guardiã dos juramentos dos Direito (jus), enquanto o fiel (lingueta da balança indicadora
homens e da lei, sendo que era costumeiro invocá-la nos de equilíbrio) deveria ficar no meio, completamente na
julgamentos perante os magistrados. Por isso, foi por vezes vertical, direito (directum). Os romanos pretendiam, assim,
tida como deusa da justiça, título atribuído na realidade a atingir a prudentia, ou seja, o equilíbrio entre o abstrato (o
Dice cuja equivalente romana é a Deusa Justiça. ideal) e o concreto (a prática).

106

170318 - mitologia Grega.indd 106 30/08/2017 05:29:20


Hochma

Sibilas A primeira Sibila teria sido uma filha de um troiano


Nome de uma sacerdotisa que tinha como principal chamado Dárdano e de Neso, filha de Teucro, fundador
função transmitir os oráculos de Apolo. Tornou-se da dinastia de Ílion (que reinava em Tróia). Como tinha
também sinônimo de Pitonisa. A sua fama foi tal que o dom de profetizar, tornou-se famosa como adivinha,
o seu nome era também usado como denominação das fazendo com que posteriormente o nome de Sibila fosse
sacerdotisas de Apolo, que vieram depois dela, em vários dado a todas as profetisas. Dava a conhecer os seus
santuários dedicados àquele deus. O número de sibilas é oráculos sob a forma de enigmas, os quais escrevia em
elevado, não se podendo talvez falar de uma sibila, mas folhas. Uma outra tradição refere que a sibila original
de “Sibilas”. não era troiana, mas antes uma filha de Zeus e de Lâmia,
esta uma filha de Poseidon, deus do mar. Os habitantes
da Líbia, uma região grega, chamavam-lhe sibila. Esta
proferia oráculos num templo naquela região.

Por estar voltada ao culto de Apolo, muitos locais


reivindicavam por isso a presença de uma sibila. Por
exemplo, no século I, existiriam dez sibilas, cada uma
de cada canto do Mediterrâneo onde existiam Gregos:
Ciméria (Quersoneso Táurico), Cumana (de Cumas,
na Itália), Délfica (Delfos, a cidade de Apolo), Eritreia
(de Éritras, na Lídia), Frígia (Frígia, na Ásia Menor),
Helespôntica (do Helesponto, entre a Europa e a Ásia),
Líbica (da Líbia, no Norte de África), Pérsica (da Pérsia),
Sãmia (da ilha de Samos), Tiburtina (de Tibur, ou Tivoli,
junto a Roma). Os mais conhecidos de entre estes foram
a Eritreia, a Líbia e Cumas (Sul de Itália).

107

170318 - mitologia Grega.indd 107 30/08/2017 05:29:20


Uma outra Sibila vivia em Marpessos, perto de O país das Amazonas país era a Trácia, lugar de
Tróia, sendo filha de um mortal e de uma ninfa. Nascera clima rude, rico em cavalos e percorrido por populações
antes do começo da guerra de Tróia, tendo profetizado violentas e guerreiras. Segundo alguns, teriam fundado
que a Tróade (região de Tróia) seria devastada por culpa a cidade de Mitilene, na Ilha de Lesbos, terra da poeta
de uma mulher nascida em Esparta, que correspondia a Safo. Outros dizem que sua morada ficava em Éfeso,
Helena. Esta Sibila viveu quase sempre em Samos, mas onde fundaram um templo dedicado à Ártemis, divindade
esteve também em outras terras, como Delfos ou Delos. virgem que percorria campos e florestas, considerada
Profetizava em cima de uma pedra, que transportava protetora das Amazonas.
consigo para todo o lado.

Esta pedra ficara em Delfos, embora a Sibila tenha


morrido na Tróade. Mas a mais célebre das Sibilas Gregas
foi a de Éritras, na Líbia, filha de Teodoro e de uma
ninfa. Cresceu subitamente momentos depois de vir ao
mundo, provavelmente numa gruta sob o monte Córico.
Era ainda uma jovem quando os seus pais a consagraram
a Apolo. A Sibila não o queria mas teve que se sujeitar à
decisão paterna. Um dia, teria adivinhado que seria morta
com uma flecha de Apolo. Viveu, todavia, nove vidas,
cada uma das quais com cento e dez anos.

Esta Sibila é identificada muitas vezes com Demofilae,


a Sibila de Cumas. Apolo apaixonou-se por ela, prometendo-
lhe aquilo que ela quisesse em troca do seu amor. A Sibila
aceitou a oferta e pediu-lhe tantos anos de vida quantos
os grãos que fossem precisos para fazer um monte de pó. As Amazonas mutilavam o seio direito para
Havia mil grãos. Infelizmente, esqueceu-se de pedir ao que manejassem melhor o arco e outras armas.
deus a eterna juventude e, tendo recusado o seu amor a Sacrificavam sua feminilidade para combater na luta pela
Apolo, foi envelhecendo cada vez mais. Finalmente, ficou independência e para fortalecer a deusa Ártemis de Éfeso.
suspensa dentro de uma garrafa no teto da sua caverna, toda A arte normalmente representa Ártemis coberta com um
encarquilhada, e quando as crianças lhe perguntavam o que manto cheio de seios, símbolos dos seios sacrificados a
é que ela mais queria dizia, simplesmente: “quero morrer”. ela pelas Amazonas.

Amazonas Sátiros e Faunos


As Amazonas eram mulheres guerreiras da Os Sátiros, Egipãs e Silenos eram ardentemente
Mitologia Grega, donas de armas, cavalos e com uma cultuados pelos pastores e agricultores gregos, que
estrutura social própria. Foram imortalizadas na maioria faziam ofertas de animais e produtos da terra. Os sátiros,
das lendas por sua coragem de luta quando enfrentavam em grego Sathê que significa pênis, eram divindades
os homens que tentavam submetê-las. Independentes, menores da natureza com aspecto de homens com
viviam em ilhas ou perto do mar e frequentemente cauda e orelhas de asno, barbas longas e grandes órgãos
recebiam visitas de aventureiros. Algumas engravidavam sexuais frequentemente exibidos em ereção. Tinham
deles mas somente ficavam com as filhas. Os filhos eram um apetite sexual insaciável, assim como a voracidade
entregues ao pai (ou, em outras lendas, mortos). para o vinho e a embriaguez. Eternos perseguidores das
ninfas, a permanente sensualidade dos Sátiros revelava
Segundo uma lenda, as Amazonas eram filhas de sua vigorosa forma física.
Ares, deus da guerra, de quem teriam herdado a audácia
e a coragem. O deus teria dado um cinturão para a rainha Filhos dos Curetes e das Hecatérides, irmãos das
Hipólita como símbolo do poder sobre seu povo. O Oreades, eles viviam nos campos e bosques perseguindo
cinturão tem uma simbologia de transmitir força, poder as ninfas, principalmente as Mênades, como também aos
e proteção, além do valor iniciático. A mais célebre luta homens e mulheres que a eles se juntavam no cortejo
das Amazonas aconteceu com o herói Hércules quando de Dioniso. Caracterizados por uma bestialidade, de
ele raptou a amazona Hipólita, provocando a guerra das gênio preguiçoso, covardes e movidos pela sensualidade,
Amazonas contra Atenas. os Sátiros se divertiam aterrorizando os pastores e os

108

170318 - mitologia Grega.indd 108 30/08/2017 05:29:21


viajantes, mas, ao mesmo tempo, protegia-os das feras genital (ereto). Priapo era considerado como protetor de
dos bosques, assim como protegiam os seus rebanhos. rebanhos, produtos hortículas, uvas e abelhas.

Com o tempo passaram a ser descritos como Afresco de Priapo em Pompéia


dóceis, maliciosos, travessos, amantes da música e da
dança. Com uma nova imagem, os Sátiros passaram a Dionísio vindo vitorioso de batalhas nas Índias,
ser representados com as orelhas pontiagudas, pequenos foi por Afrodite ardorosamente recebido e dessa união
chifres e os pés caprinos. Apesar de serem divinos, nasceu Priapo. Hera, ciumenta de Afrodite, trabalhou para
eles não eram imortais mas normalmente eram-lhes que a criança nascesse com a sua enorme deformidade
consagrados o pinho e a oliveira. (curiosamente ele sempre é representado com um pênis
de tamanho exagerado). Sua mãe mandou educá-lo nas
O mais famoso dos Sátiros foi Pã, o deus pastor, margens do Helesponto em Lampasaco, onde por conta
filho de Hermes e da ninfa Dríope. Segundo a lenda, de sua libertinagem e desregramento tornou-se objeto de
Dríope rejeitou o filho tão logo nasceu por não aceitar terror e repulsa. A cidade foi tomada por uma epidemia
a sua forma híbrida. Hermes levou-o para o Olimpo e os habitantes viram nisso uma retaliação por não
onde foi criado. terem dado atenção ao filho de Afrodite, fizeram rituais
e pediram que ele ficasse entre eles.
Por seu jeito alegre, logo conquistou a simpatia e
a afeição de todos os deuses, sendo chamado por eles Urano
de Pã, que em grego significa “O Tudo”. Vivendo errante Diz a lenda que o deus Urano, ou Coelo, primeiro
pelas montanhas e pelos vales, Pã se tornou o deus dos rei do Universo, personificava o céu. Para Hesíodo, poeta
rebanhos e em torno dele viviam os gênios campestres grego que viveu provavelmente no século 7 antes de
e os espíritos dos bosques. Além de pastor, Pã dedicava- Cristo, ele era, ao mesmo tempo, filho e marido de Géia,
se à música. deusa nascida imediatamente depois do Caos Original
e também conhecida como Titéia, Ops, Telos, Vesta e
Príapo Cibele. Em seu livro Teogonia, que trata da genealogia
Priapo ou Príapo é o deus grego da fertilidade, e filiação dos deuses, diz Hesíodo que dessa união
filho de Dionísio e Afrodite. Sua imagem é apresentada nasceram vários deuses e semideuses, cerca de quarenta e
como um homem idoso, mostrando um grande órgão cinco, segundo alguns autores. Entre eles Oceano, Jápeto,

109

170318 - mitologia Grega.indd 109 30/08/2017 05:29:21


Têmis, Cronos, os Titãs, os Ciclopes e os hecantoquiros,
os de “Cem mãos”, três gigantes chamados Briareu,
Coto e Giges, possuidores cem braços e cinquenta
cabeças cada um, aos quais os romanos davam o nome
de Centimanos.

Preocupado com tamanha fecundidade Urano


passou a enterrar os filhos recém-nascidos no corpo de
Géia, e esta, inconformada, lhes pediu que a vingassem
por isso, mas somente Cronos a atendeu. Orientado
pela mãe, ele um dia surpreendeu o pai e o castrou no
momento em que se unia à esposa, e das gotas de sangue
que caíram sobre ela nasceram as Erínias e os Gigantes.
Diz a lenda que os testículos decepados de Urano
flutuaram no mar e formaram uma espuma branca da
qual nasceu Afrodite (Vênus), a deusa do amor. Depois
disso, Urano continuou a deitar-se sobre a terra todas as
noites, mas como não podia mais fecundá-la, encheu-se
de mágoa em consequência da mutilação de que fora
vítima e acabou morrendo, sendo sucedido por Cronos
no governo do mundo. Com o ato que praticara Cronos
separara o céu da Terra e permitira com isso que o mundo
adquirisse uma forma ordenada.

110

170318 - mitologia Grega.indd 110 30/08/2017 05:29:21


Kether

Caos
Caos, na mitologia grega segundo Hesíodo, foi o
primeiro deus primordial a surgir no universo, portanto a
mais velha das formas de consciência divina. A natureza
divina de Caos é de difícil entendimento, devido às
mudanças que a ideia de “caos” sofreu com o passar
das épocas.

Seu nome deriva do verbo grego Khaínô, que


significa “separar”, “ser amplo”, significando o espaço
vazio primordial. Também poderia ser chamado de Aer,
que significa “ar” ou de Anapnoe, que significa “respirar”.
Ele representava as infinitas divisões que o universo
poderia apresentar.

O poeta romano Ovídio foi o primeiro a atribuir


a noção de desordem e confusão à divindade Caos.
Todavia, Caos seria para os gregos o contrário de Eros.
Tanto Caos como os seus irmãos são forças geradoras
e expansivas do universo. Caos parece ser uma força
catabólica, que gera por meio da cisão, assim como os
organismos mais primitivos estudados pela biologia.
Enquanto Eros é uma força de junção e união. Caos
significa algo como “corte”, “rachadura”, “cisão” ou
ainda “separação”.

111

170318 - mitologia Grega.indd 111 30/08/2017 05:29:21