Você está na página 1de 5

PORTFÓLIO

SERMÃO

Romildo Monte dos Santos, RU. 2234501

Polo PAP Boa Vista/Centro – Recife/PE

Aconselhado pelo Bom Pastor

TEXTO BASE: II TIMÓTEO: 3.16-17 “Toda escritura é divinamente inspirada,


e proveitosa para ensinar, para redarguir, para corrigir, para instruir em
justiça; Para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído
para toda a boa obra”.

Introdução

É bem certo que todo ser humano por mais que negue em seu orgulho, a sua
dependência em buscar conselhos e orientações para assim tomar decisões as
quais apontem qual o melhor caminho a seguir em determinada área da sua vida,
seja ela emocional, conjugal, trabalhista, espiritual... Certo é que todos, eu disse
todos, precisamos de auxilio, orientações, conselhos, de ajuda em alguma área
e nossa vida, num determinado tempo. Porque vez ou outra procuramos um
amigo, um parente, alguém mais íntimo, próximo, que confiamos para expor
nossos problemas, dúvidas, e esperamos que ele esteja não só disposto a nos
ouvir, mas também nos ajudar com sua opinião e assim nos orientar?

A psicologia como ciência que estuda o comportamento do ser humano, trata do


estudo da alma ou espírito, por essa razão, em se tratar do estudo da alma ou
espírito do ser humano, e baseado no que diz a palavra de Deus em,

Gêneses 1.26 “E disse Deus: façamos o homem a nossa imagem, conforme a nossa
semelhança.” (Bíblia do Pescador, p.3)

Gêneses 2.7 “E formou o Senhor Deus o homem do pó da terra, e soprou em seus narizes o
fôlego de vida; e o homem foi feito alma vivente” (Bíblia do Pescador, p.4)
arrisco-me a dizer que mesmo antes do surgimento ou sistematização do termo
psicologia, esta ciência em sua essência já estava na criação na pessoa de
Deus, o Deus que deu origem a todas as coisas, o Deus criador dos céus e da
terra, o Deus que tem a resposta para todas as ciências. E se a psicologia trata
do comportamento humano, quem melhor do que Ele, Aquele que o criou para
conhecer o homem tão bem? O homem fora criado, se torna alma vivente, mas
e aí? Como dá sentido a esta vida? Que direção tomar? O que fazer? Qual o
propósito? Ainda ali, no gêneses, na origem, na criação, Deus usa de sua
psicologia para instruir e aconselhar o homem sobre o que ele é, o que ele pode,
o que ele deve e não deve fazer. A partir dali, a vida começa a ter sentido e
propósito, Deus inicia o seu plano para com o homem e toda criação. O
interessante é, que mesmo o homem não dando ouvidos as suas instruções e
conselhos e desobedecê-lo, Deus não desiste, continua a tratar do homem
doente, necessitado de ajuda, conselhos e sábias instruções, para assim mudar
a história de suas vidas. A bíblia nos revela como Deus tem usado pessoas
cheias do Seu Espírito em diferentes épocas da história da humanidade, como
grandes pastores, verdadeiros psicólogos, aconselhando e instruindo cada
ovelha (ser humano), como seguir o plano de Deus em sua plenitude. Portanto
quero trazer três exemplos de homens cheios do Espírito de Deus, que através
de suas instruções e aconselhamentos influenciaram de forma positiva para
construção de vidas firmadas no centro da vontade de Deus, aconselhadas pelo
Bom Pastor.

Desenvolvimento

Como falei as escrituras sagradas nos traz alguns exemplos de homens que
influenciaram através de instruções e aconselhamentos extraídos da palavra de
Deus, porque não dizer o uso da psicologia pastoral? O primeiro exemplo que
quero trazer, esta no livro de Êxodo, o pastor, profeta e grande líder Moises,
escolhido por Deus para libertar e liderar seu povo.

Êxodo 3.10 “Vem agora, pois, e eu te enviarei a Faraó, para que tires o meu povo, os filhos de
Israel, do Egito.” (Bíblia do pescador, p.65)
Moisés recebeu uma missão, conduzir o povo agora livre, a recomeçar suas
vidas. Só que desta vez, trilhando o caminho certo, fazendo escolhas e tomando
decisões corretas, sendo obedientes as instruções e conselhos do Deus Todo
Poderoso, o qual vos resgatou com braço forte do Egito. O Egito que representa
escravidão, julgo, ao qual o homem estava aprisionado através do pecado, uma
vez livre através do sacrifício de Cristo, há uma regeneração, uma transformação
de vida, um nascer de novo, o velho homem, seus atos, vícios e costumes
morreram, foram sepultados. O novo homem encontra instruções e
aconselhamentos para a construção de uma nova vida, na palavra de Deus, as
escrituras sagradas. O interessante a ser notado, é que o próprio Moises, que
fora escolhido por Deus para tal missão em instruir, aconselhar, guiar e liderar o
povo, também necessitou de conselhos. Estas foram as palavras do seu sogro
Jetro, em

Êxodo 18.19 “Houve agora minha voz; eu te aconselharei, e Deus será contigo.” (Bíblia do
Pescador, p. 84).

Ora, Moises foi escolhido por Deus para liderar e julgar o povo. O próprio Deus
entrega-lhe o decálogo contendo a sua lei, mas o texto revela que ele é
aconselhado pelo seu sogro, isso nos mostra que, todos, em determinado
momento, precisamos de conselhos e instruções, ninguém além de Deus tem a
verdade ou razão absoluta. Aconselhamento nada mais é que um diálogo
amistoso, familiar, pastoral ou disciplinar, mas que é preciso três fatores
determinantes. O primeiro, a capacidade de ouvir o aconselhado, Jetro escutou
Moises para depois o aconselhar, Êxodo 18.15. O segundo, a mensagem
evangelística do conselheiro, Jetro aconselha Moises a declarar os estatutos e
as leis, fazendo-lhes saber o caminho em que devem andar e a obra que devem
fazer, Êxodo 18.20. E o terceiro, a presença de Deus, Jetro o sogro de Moises,
a quem lhe aconselhava, aconselhava-lhe com autoridade, pois o mesmo era
pastor e sacerdote em Midiã, eis aí o registro de um dos primeiros
aconselhamentos pastorais. O segundo exemplo esta no livro de Atos,

Atos 9.15 “ Disse-lhe, porém, o Senhor: vai, porque este é para mim um vaso escolhido para
levar o meu nome diante dos gentios, e dos reis, e dos filhos de Israel.” (Bíblia do Pescador, p.
1171).
A palavra do Senhor diz que Paulo foi escolhido para a proclamação do
evangelho de Cristo. O verso 17 do capítulo 9 de atos, revela que Ananias foi
enviado até Paulo, para que ele torne a ver e seja cheio do Espírito Santo, daí
por diante, agora convertido a Cristo, Saulo, o perseguidor do Cristão, se torna
o apostolo Paulo, o maior evangelista narrado pelas escrituras, e fundador de
igrejas. Durante suas viagens missionárias, o apostolo escreve cartas as igrejas
fundadas, ele é preso em Jerusalém, porém nem mesmo a prisão o impede de
sua missão de ensinar. Mesmo encarcerado, escreve as cartas aos Efésios e
Colossenses, conhecidas como cartas da prisão. Posteriormente escreve
Filipenses e Filemon, dando ênfase de que mesmo em meio ao sofrimento,
devemos nos alegrar em Cristo. O apóstolo também escreve as chamadas cartas
pastorais, I Timóteo e Tito, repletas de instruções e aconselhamentos, para vida
e ministério dentro da igreja do Senhor. Vaso escolhido para a proclamação do
evangelho de Cristo instruindo, aconselhando e edificando a igreja, o apóstolo
cumpriu de forma magnífica sua função de conselheiro pastoral, um verdadeiro
psicólogo da fé. O terceiro exemplo e mais relevante de todos, está em

João 1.1, “No principio, era o verbo, e o verbo estava com Deus, e o verbo era Deus.” (Bíblia
do Pescador, p. 1114).

No princípio era o verbo, (a palavra), e a palavra (instrução, ensinamento),


estava com Deus. A instrução, o ensinamento, a doutrina era Deus, aleluias.
Sendo a segunda pessoa da trindade divina, Jesus é, Rei dos Reis, Senhor dos
Senhores, Mestre dos Mestres, Médico dos Médicos, e tratando-se de
psicologia, estando Ele no principio, no gêneses, porque não chamá-lo de
psicólogo dos psicólogos. Mesmo sendo Deus, em sua humanidade, Jesus no
oficio do seu ministério, foi sem dúvida um grande psicólogo! Os evangelhos nos
traz uma infinidade de ensinamentos, instruções e aconselhamentos por parte
de Jesus. No livro de Mateus somos apresentados ao sermão da montanha, as
bem aventuranças, conselhos e instruções por parte de Jesus, a como conduzir
e edificar a vida no centro da vontade do Pai, e ser assim, bem aventurado (feliz).
O Senhor ensinou que é preciso ser humilde de coração, pacificador,
misericordioso, nos instruiu como orar e jejuar e aprender a perdoar. Nos
aconselhou a não julgar, tudo isso fez como Bom Pastor, instruía, aconselhava
e ensinava com autoridade, Marcos 1.27, pois era cheio do Espírito Santo,
Marcos 1.10.
O homem é dotado por três aspectos, espírito, alma ou psique e corpo. Entre
estas três áreas, pode o homem necessitar de ajuda ou cura, tratando-se da
psicologia, Jesus foi o maior psicólogo e nos deixou um legado, não apenas por
palavras, mas com exemplo no uso de sua psicologia pastoral. Em seu ministério
terreno, deixou claro em seus conselhos, que é através da obediência a Deus,
que o homem é liberto e curado de suas enfermidades interiores. No
aconselhamento pastoral, Deus fala por si mesmo, através da sua palavra, Ele
ministra ao coração do homem, Seu vivo e verdadeiro amor, curando-o,
libertando-o e salvando-o, conselhos e instruções, que levam o homem a vida
eterna.

Conclusão

Na palavra de Deus, temos os mais sábios conselhos e instruções, ingredientes


poderosos, para construção de um vida abençoada e feliz, a psicologia pastoral
faz uso desses, para a transformação comportamental do ser humano, levando-
o de volta ao gêneses, plano e centro da vontade de Deus.

Referências

Bíblia do Pescador/ Luis Angel Diaz- Pabón. Tradução Vasti Rodriguez e Silva e
Karen de Andrade Bandeira- Rio de Janeiro, 2014.

BIBLIA, 2 TIMOTEO: 3.16-17, EXODO: 18. 15,19-20, ATOS:9.15,17.JOÃO: 1.1.