Você está na página 1de 2

O auto cuidado como a palavra já diz, é o cuidado consigo mesmo; o cuidado é ação de

demonstração de atenção com carinho e zelo. E o cuidado em geral, seja de uma forma afetiva
ou profissional, é uma forma de suprir as necessidades a quem necessita – seja física ou
mental -, visando o bem estar daquele que esta sendo cuidado. Por isso, é uma relação de
preocupação e responsabilidade para com o próximo; todavia, esse cuidado não deve ser
apenas aos outros, mas necessita-se de ter consigo mesmo este vinculo de atenção como um
ser humano e profissional, nas perspectivas emocionais, físicas e psicológicas.

Especificamente aos profissionais da saúde, o auto cuidado é muito negligenciado, eis que é
uma profissão que cobra do profissional uma dedicação muito intensa, pois são jornadas de
trabalhos longas e cansativas, uma desvalorização no mercado de trabalho, uma auto
cobranças sobre o empenho na atuação dado que, se lida com vidas, então uma simples
distração, pode colocar a risco a vida de um cliente e pelas exigências impostas pelas
instituições, estes são alguns dos aspectos que ao profissional, o auto cuidado se torna algo
remoto e desvalorizado.

Nesta rotina, sabemos que a um cansaço físico e mental, gerando estresse e ansiedade, enfim,
um progressivo esgotamento de energias que, se comparando a uma bateria de celular, por
exemplo, quando se chega ao 0%, ele automaticamente desliga e só se pode ligar com um
carregador, então, precisa-se entender que no dia a dia, a porcentagem da energia vital é
descarregada ou carregada, porem para percebermos se esta apenas se esgotando, a uma
necessidade de parar, respirar e olhar para si mesmo com a mesma atenção e carinho que
oferecem ao paciente. Nós temos o habito de cumprimentarmos o outro dizendo “oi, tudo
bem?”, é um costume bom, entretanto a uma dificuldade para nós mesmo nos perguntarmos
se esta tudo bem.

E por não parar, tudo vai se acumulando e chega a um ponto que o peso da carga, é maior que
a capacidade de carrega-lo e não é egoísmo tentar esvazia-lo de vez em quando, pois para
poder continuar caminhando, tem coisas que precisa ser resolvidas, outras deixadas no
passado ou esperar com paciência o tempo ajudar naquilo, contudo deve-se limpar “a carroça
da vida”, para também ter espaço para novas descobertas.

Encerro com essa reflexão que para mim, se resumi bem esta área profissional tão sublime; o
amor ao outro e a si mesmo, devem caminhar juntos.

“Amarás o teu próximo como a ti mesmo” (BIBLIA, Mateus, 22,39). Nesta passagem bíblica, é
possível compreender que Jesus deu grande importância à questão do amor ao próximo, mas,
enfatizando que para amar o outro, necessita-se amar primeiro a si próprio, pois, o amor é um
sentimento que leva a desejar o bem, com dedicação afetiva, respeito, simpatia, zelo, cuidado.
Não a como oferecer com dignidade a alguém, aquilo que antes, não se tem. Como disse o
Rafael Nolêto “O autocuidado é essencial para a promoção da saúde”. A OMS define saúde
como “um estado de completo bem-estar físico, mental e social e não somente ausência de
afecções e enfermidades”. Para cuidar do outro só é possível ao cuidar de si mesmo. De uma
forma simplificada e relembrando o exemplo acima, é como nós não deixarmos a bateria do
celular chegar ao fim, então que possamos nos conscientizar diariamente que o auto cuidado é
uma prioridade e não um luxo.