Você está na página 1de 72

Revista de Jovens e

Adultos da Convenção
Batista Fluminense
Ano 16 - n˚ 66 - Edição Especial
Sumário
5 Palavra do Presidente
Revista evangélica
trimestral da Convenção 7 Primeiras Palavras
Batista Fluminense. 11 Palavra de Gratidão
O intuito desta revista
é servir de material de 13 Apresentação
educação religiosa acerca
do que é ensinado na
14 Lição 1 Igreja Nunca Fecha
Palavra de Deus, pela
leitura e interpretação dos 18 Lição 2 Adversidade Traz Maturidade
escritores destas lições.
Esta revista não é um
manual para a vida cristã,
22 Lição 3 Oração como Refúgio

é apenas um material de
auxílio educacional. Antes 26 Lição 4 Engajamento Solidário
de tudo leia a Bíblia, que
é a Palavra de Deus.
30 Lição 5 Vencendo o Abatimento da Alma

Publicada pela Convenção


Batista Fluminense, sob
34 Lição 6 Ainda Não é o Fim

cuidado do Departamento
de Educação Religiosa 40 Lição 7 Comunhão que Resiste ao
Distanciamento
e produção do DECOM
(Departamento de
Comunicação). 44 Lição 8 Espiritualidade Saudável

48 Lição 9 Palavras de Encorajamento

52 Lição 10 Frutos da Tribulação

56 Lição 11 Presença Suficiente

60 Lição 12 Deus é a Única Solução para


Curar a Sociedade
(21) 2620-1515
contato@batistafluminense.org.br
Rua Visconde de Morais, 231
Ingá, Niterói/RJ - CEP 24210-145
64 Lição 13 Certeza do Amanhã
ADIAMENTO DA 112ª ASSEMBLEIA

Em razão da pandemia (COVID-19) e dos cuidados necessários,


comunicamos o adiamento da 112ª Assembleia da Convenção Batista
Fluminense, que estava prevista para os dias 29 de julho a 01 de agosto
de 2020. A nova data será divulgada posteriormente. O local será o
Acampamento Batista Fluminense, em Rio Bonito.

Continuemos orando e fazendo a nossa parte, na inabalável certeza


de que “o Senhor dos Exércitos está conosco; o Deus de Jacó é nosso
refúgio” (Salmo 46.11).

Rio Bonito, 25 de maio de 2020.

Cordialmente,

Pr. Elildes Junio Macharete Fonseca


Presidente da CBF
Palavra do Presidente
Pr. Elildes Junio
Macharete Fonseca
Presidente da CBF e
pastor da PIB Cabo Frio

de às famílias enlutadas e carinho


àqueles que estão em tratamento.
Continuaremos juntos em oração.
Estamos nos reinventando, como
CBF, para prosseguir cumprindo a
Queridos irmãos, é sempre uma missão. Ajustes estão sendo feitos.
honra poder me dirigir às igrejas, Amparados pelo Senhor, não temos
bem como aos seus distintos pas- medido esforços, como diretoria e
tores, ainda mais através de uma gestores, empenhando-nos inten-
edição histórica da nossa Palavra e samente pelo bem da causa.
Vida. Sairemos mais fortes de tudo
Atenta ao momento que esta- isso. As igrejas avançarão. Segui-
mos vivendo, a Convenção Batista remos firmes no ardor evangelísti-
Fluminense fez uma pausa no seu co, pois queremos ganhar o nosso
planejamento pedagógico, para Estado para Jesus, no ideal de que
proporcionar ao nosso povo lições cada pessoa, com arrependimento
bíblicas que tratem da esperança e fé, confesse “sim, eu creio” e tenha
cristã diante da quarentena motiva- a vida eterna (Jo 5.24), conforme o
da pela pandemia de Covid-19. tema e a divisa da presente Campa-
nha de Missões Estaduais.
Somos cidadãos conscientes.
Estamos fazendo a nossa parte. Po- Continuamos contando com as
rém, acima de todos os dilemas da orações e o apoio de todos. À se-
vida, está a nossa inabalável con- melhança de Neemias, estamos
fiança no Senhor. Essa certeza nos empenhados numa grande obra e
envolve e anima, pois, sabemos não podemos descer (Ne 6.3). Por
que nada é impossível para Deus isso, damos “graças a Deus, que nos
(Lc 1.37). dá a vitória por meio de nosso Se-
nhor Jesus Cristo” (1Co 15.57).
Expressamos nossa solidarieda-

5
Primeiras Palavras
Pr. Amilton Ribeiro Vargas
Diretor executivo da CBF e pastor
interino da PIB Universitária

Tempo de
Grandes
Oportunidades
Estamos vivendo um tempo sem você tem no banco? Jesus nos ensi-
precedentes na história: crises eco- nou que “a vida de uma pessoa não
nômicas e financeiras, desprezo consiste na abundância dos bens
pela família, pela vida, pelos prin- que possui” (Lc 12.15), então, nas difi-
cípios, pelos valores consagrados culdades confie em Deus e diga: “O
historicamente como de boa ética, meu Deus, segundo as suas rique-
corrupção e uma pandemia que zas, suprirá todas as vossas neces-
surpreendeu o mundo atingindo a sidades em glória, por Cristo Jesus.”
nobres, chefes de estado e pobres. (Fl 4.19). Ele irá suprir todas as suas
Aprendemos lições que devería- necessidades!
mos valorizar e, nesses momentos A crise atual não é apenas resul-
de provação, lembramos que so- tante do problema da pandemia.
mos iguais diante de Deus, pobres A instabilidade política, queda da
ou ricos devem crer que a única produção, economia parada, re-
segurança que devemos ter é o Se- cessão, diminuição do consumo,
nhor da história, que suprirá nossas guerras, materialismo e o egoísmo
necessidades. denunciam uma profunda carência
Lembrando dos que só confiam de Deus, Seus princípios e valores
no dinheiro e no patrimônio que na vida das pessoas. A corrupção
constituíram, como se sentirão sistêmica destruiu o nosso sistema
quando chega o temporal em suas de saúde, educação e segurança
vidas? Na hora da provação, o que pública, salvo raríssimas exceções.
deixa você seguro e o tranquiliza? Sobram poder e carisma, mas fal-
A existência e presença do Deus tam caráter e coração, logo essa é
Todo Poderoso ou o dinheiro que uma crise de origem espiritual. En-

7
quanto escrevo, minha prima está que o remédio para a cura da alma
sendo sepultada, pois num hospital é de graça e só enriquecerá eterna-
de campanha, não tinha nefrolo- mente quem o receber. O remédio
gista, para cuidar de seu problema é Jesus, creia! Ele é a solução e tem
renal. poder para mudar o caos interior
O problema do mundo é anterior das pessoas.
a essa pandemia. Era e continua- O mundo vive em grande vulne-
rá sendo crise espiritual, moral e rabilidade social. Onde existe pan-
humanitária. Os Estados Unidos, o demia estão presentes dores, tragé-
maior concentrador de investimen- dias, ansiedades, desagregação e
tos e recursos do mundo, é o que desestruturação da família e da so-
mais está sofrendo com mortes pe- ciedade pela falta de entendimento
los efeitos da pandemia, qual será entre as pessoas. Essa é a origem
a razão? O sistema de saúde ame- de todos os mais graves problemas,
ricano precisa ser revisto? Será que e precisamos cuidar desse proble-
a postura arrogante de alguns ao ma na origem, pois famílias fortes
confiarem nas riquezas, vai mudar vencem pela fé em Deus. Estes são
depois da pandemia? A Palavra de problemas anteriores à pandemia.
Deus diz que “a soberba precede a Muitos que nasceram e viveram na
ruína, o espírito arrogante vem antes miséria, entretanto, pela palavra e
da queda” (Pv 16.18). Hoje, mais do exemplo, aprenderam o caminho
que em qualquer outro tempo de da honestidade e da justiça mesmo
nossa geração, vivemos dias difí- em meio à pobreza, e cresceram
ceis, mas esse tempo é de oportu- como seres humanos, se tornando
nidades extraordinárias para anun- destaques na sociedade.
ciar as verdades do Reino, anunciar A pandemia de Covid-19 é um
que Cristo salva e cura a pior pan- problema muito sério, gerando pâ-
demia, a da alma. Sabemos que “o nico pelo mundo todo. A doença
mundo jaz no maligno” (1Jo 5.19), impôs uma nova realidade a mi-
mas Jesus é a Luz do mundo, único lhões de pessoas, e assusta pela
e suficiente Salvador! rapidez de contaminação e pelos
Não coloque a sua esperança em índices de mortalidade dos infecta-
um remédio novo, numa vacina, nas dos. Embora seja uma situação de-
pessoas, mas no poder de Jesus, licada, infelizmente não é a primeira
que pode transformar a sua vida e vez que a humanidade sofre com
lhe dar vida eterna. Temos orado uma pandemia. A história demons-
para que Deus ilumine mentes e tra que já tivemos oito grandes pan-
corações, que Ele dê sabedoria aos demias e a do Covid-19 é a nona.
cientistas para descobrir a vacina, Fiz essa tabela para que vejam
o remédio para curar o corpo, que como vírus e bactérias já abalaram
custará caro e enriquecerá labora- todos os continentes e mudaram
tórios. Entretanto, preciso lembrar

8
Pandemia Período Mortes no Mundo
Gripe Espanhola 1918 - 1920 500 milhões
Peste Bubônica 1343 - 1353 Aprox. 140 mi na Europa/Ásia
Varíola 1896 - 1980 300 milhões
Tifo 1918 - 1922 3 milhões
Cólera 1817 - hoje Aprox. 20 mi, 95 mil por ano
Tuberculose 1850 - 1950 + de 1 bi, hoje controlada
HIV 1980 - hoje + de 20 mi, hoje controlada
Gripe suína + de 90 anos Em 2009, 18.449 mortes (OMS)
Covid-19 08/12/2019 - hoje Até 02/05/2020 aprox. 400 mil

hábitos da sociedade, mas é impor- palavras: “O Espírito do Senhor Deus


tante lembrar que temos outro vírus está sobre mim; porque o Senhor me
que é letal para o espírito, mas a ungiu, para pregar boas novas aos
este poucos dão importância, a hu- mansos; enviou-me a restaurar os
manidade precisa do remédio para contritos de coração, a proclamar
a sua mais intensa e profunda ne- liberdade aos cativos, e a abertura
cessidade da alma, precisam de Je- de prisão aos presos; a apregoar o
sus Cristo, único Salvador, Senhor, ano aceitável do Senhor e o dia da
Mestre e Médico dos médicos. vingança do nosso Deus; a consolar
Ao concluir essa breve refle- todos os tristes...” (Is 61.1-2).
xão, quero agradecer a você que Queremos continuar levando
tem ajudado a manter a obra mais pessoas ao Médico dos médicos,
importante do mundo. Aos queri- e precisamos de sua ajuda, preci-
dos cooperadores, recebam nosso samos sustentar os que auxiliam
muito obrigado, pois do ponto de nesse cuidado, não deixe de entre-
vista espiritual, vocês são mantene- gar a sua oferta cooperativa. Aces-
dores desse grande hospital, onde se www.batistafluminense.org.br,
só existe um Médico, todos os de- imprima seu boleto ou faça a sua
mais são enfermos, inclusive os que transferência on-line para a Con-
cuidam, pois também carecem da venção Batista Fluminense – CNPJ
graça, misericórdia e da cura para 07.026.815/0001-99 (Bradesco
suas almas. O Médico dos médicos – Agência 2376 – Conta: 0012520-
disse: “Vinde a mim, todos os que es- 2) e envie o comprovante para
tais cansados e oprimidos, e eu vos contato@batistafluminense.org.br.
aliviarei” (Mt 11.28). Continue orando por nós. Rece-
Sentindo-se participante des- ba nossa gratidão e abraço frater-
se cuidado, o profeta Isaías disse nal.
o que também devem ser nossas

9
A Escola Batista a Distância é uma
plataforma focada em materiais cristãos
exclusivos para quem deseja se aprimorar
em determinadas atividades da igreja. São
conteúdos inéditos através de cursos,
estudos de EBD e espaço infantil. Acesse a
nossa nova plataforma e faça parte!

ebad.batistafluminense.org.br

VEM CONHECER
A EBAD!
Palavra de Gratidão
Pr. Marcos
Zumpichiatte Miranda

“Consagre ao Senhor tudo o que


você faz, e os seus planos serão
bem-sucedidos.”
(Provérbios 16.3)

Rio Bonito, com vários preletores,


tais como: Pr. Ebenézer Bittencourt
(Diretor do Haggai), Pr. Lécio Dor-
nas, Pr. Lourenço Stelio Rega, Dra.
Maria Bernadete, Educadora Deusi-
rene Moreira e Educadora Olga Ma-
No dia 10 de maio de 2004, as- ria R. Nogueira Sant’anna.
sumi a coordenação do Departa- No ano de 2010, assumi a reda-
mento de Educação Religiosa da ção da Revista Palavra e Vida, com
Convenção Batista Fluminense, o desafio de produzir mais de 110
substituindo a Educadora Olga Ma- mil exemplares, distribuindo para
ria R. Nogueira Sant’anna. Uma tare- todas as igrejas do campo flumi-
fa muito difícil, mas com o objetivo nense. Foram 40 edições da revista,
de dar continuidade ao belíssimo 40 temas diferentes e 40 escritores
trabalho desenvolvido por ela na com quem tive a oportunidade de
coordenação. As capacitações fo- trabalhar, além de uma equipe de 5
ram o carro chefe da coordenação revisores, diagramadores e gráficas.
do DER: Congressos de EBD, Vira As tarefas foram muitas: receber o
Criança e treinamento de líderes. material do escritor; encaminhar o
Nestes 14 anos, aproximadamente texto para seleção de imagens e
11.200 pessoas foram capacitadas capa; trabalho editorial; devolver
nas mais diversas regiões do nos- observações ao escritor; receber o
so Estado, através das Associações texto final do escritor; encaminhar
e igrejas. Uma equipe itinerante se o texto aos revisores doutrinários;
deslocava até as regiões promo- encaminhar o texto ao revisor orto-
vendo treinamentos de capacita- gráfico; encaminhar texto para dia-
ção. Foram muitas viagens pelo gramação; encaminhar lições para
Estado. Além das capacitações nas recursos didáticos; primeira leitura
igrejas, promovemos também dois do texto diagramado; correções do
congressos de Educação Cristã texto diagramado; receber propos-
(2013 e 2014) no Acampamento de ta de recurso didático; aprovação

11
preliminar; aprovação final; encami- Lopes, Pr. Vanderlei Batista Marins,
nhar lições e recursos didáticos ao Pr. José Maria de Souza e Pr. Amil-
site. ton Ribeiro Vargas. Aos gestores e
No dia 24 de maio de 2020 encer- funcionários da Convenção Batista
rou a minha tarefa nestas funções, e Fluminense e à Sulamita Souza e
chego agora para agradecer a Deus Lima, que trabalhou comigo nestes
pelo privilégio de trabalhar nestes anos, como secretaria, ajudado-
anos na coordenação do Departa- ra, amiga. Em especial agradeço à
mento de Educação Religiosa e na minha família: esposa Eliane Bar-
redação da Revista Palavra e Vida. reto Ribeiro Miranda, filhas Patrícia
Agradeço a vocês: aluno, professor Barreto Miranda Bazém e Daniel-
e diretor de EBD, que tanto ajudou le Barreto Miranda Cecílio, genros
para melhorar a revista. Aos educa- Antônio Fernando Bazém e Bruno
dores com quem tive a oportunida- Vitor Cecílio, pelo apoio, incentivo
de de trabalhar nos treinamentos e ajuda. Termino citando o versícu-
de Congresso de EBD, Vira Criança lo: “Dou graças a Cristo Jesus, nosso
e Líderes. Aos executivos que tive a Senhor, que me deu forças e me con-
oportunidade de trabalhar: Pr. Nil- siderou fiel, designando-me para o
son Gomes Godoy, Pr. Marcos Luís ministério” (1 Timóteo 1:12).

12
Apresentação

O ano de 2020 chegou trazendo Torna-se necessária uma interpre-


muitas alegrias, mas, também está tação sóbria acerca dos aconteci-
sendo marcado pela pandemia de mentos, sem perder o equilíbrio e
Covid-19. Estamos enfrentando um a visão de Reino que nos caracte-
tempo desafiador. rizam como servos de Jesus. Igual-
O céu é a nossa morada defini- mente, é importante procurar os
tiva (Fl 3.20), porém, enquanto pre- caminhos de uma espiritualidade
sentes na temporária habitação saudável, focada em dar respostas
terrena, é nosso dever cristão zelar ao momento atual e produzir uma
pela vida e jamais desistir dela, por- firme esperança no futuro que Deus
que é um presente de Deus. a nós reserva.
Nessa perspectiva, as lições Esperamos que esses estudos
desta edição especial da nossa produzam esses e muitos outros
Palavra e Vida pretendem produzir frutos em sua vida.
clareza e convicção. Em tempos de Que Deus a todos abençoe. Boa
adversidades é essencial manter leitura.
a mente sã e o espírito fortalecido.

Quem escreveu?

Lição 1 – Pr. Elildes Junio Macharete Lição 8 – Pr. Hudson Galdino da Sil-
Fonseca (PIB Cabo Frio) va (SIB Cabo Frio)
Lição 2 – Pr. Dario Francisco de Oli- Lição 9 – Pr. Marcos Lopes (PIB Vilar
veira (PIB Brasilândia) Formoso)
Lição 3 – Pr. Gelson Gonçalves Sar- Lição 10 – Pr. Felipe Pinto Lima (PIB
dinha (IB Mutondo) Peró)
Lição 4 – Pr. Matheus Dutra Rebello Lição 11 – Pr. Thiago Soares da Ro-
(PIB Bairro São João) cha (PIB Itaperuna)
Lição 5 – Pr. Carlos Henrique Soares Lição 12 – Pr. Amilton Ribeiro Var-
(PIB Arraial do Cabo) gas (CBF/PIB Universitária)
Lição 6 – Pr. Washington Roberto Lição 13 – Pr. Vanderlei Batista Ma-
Nascimento (IB Sião) rins (PIB Alcântara)
Lição 7 – Pr. Alexandro Abrantes
Santana (PIB São Pedro da Aldeia)

13
Data do estudo Lição 1
Texto base: 1 Coríntios 3.9-19

Igreja
Nunca
Fecha
Por Elildes Junio Macharete Fonseca

Estamos vivendo um tempo desa- tos contrários se agigantam, a em-


fiador, em razão da pandemia de Co- barcação parece que vai ruir, mas,
vid-19. Conversando sobre essa si- está conosco aquele que “até o vento
tuação com o meu avô, Leôncio, ele e mar lhe obedecem” (Mc 4.41). Jesus
disse: “tenho 97 anos de idade, quase se importa conosco, conduzindo-
80 anos de vida cristã; é a primeira -nos à bonança.
vez que vejo fechar as igrejas”, refe- É questão de tempo. Em breve,
rindo-se aos templos. Sem dúvida, tudo voltará à normalidade e estare-
estamos diante de um fato inédito, mos juntos, sem restrições.
que mudou drasticamente a rotina
das igrejas. É claro que essa esperança mo-
tivadora não faz de nós pessoas in-
Templos fechados, cultos on-line, sensíveis, pois lamentamos profun-
atividades suspensas, agendas alte- damente as vidas ceifadas, rogando
radas, enfim, a dinâmica das igrejas a Deus pelas famílias. A solidarie-
foi imperiosamente mudada. Porém, dade fala mais alto, porém não é in-
a igreja de Jesus nunca fechou, por- compatível e não se propõe a abafar
que a igreja somos nós. Patrimônios a euforia dos corações que esperam
vazios e rotinas remodeladas, mas a no Senhor e cujas forças são renova-
igreja continua a mesma, ativa e in- das (Is 40.31).
fluente no mundo.
Por isso, nunca é demais afirmar
As ondas estão agitadas, os ven- que a igreja de Jesus nunca fecha.

14
As portas do inferno não prevalecem veja e discórdias (v.3). Havia os que se
contra a igreja (Mt 16.18), muito me- declaravam de Paulo e os de Apolo
nos um vírus. Nada detém a marcha (v.4). Não focaram no fim, se perden-
do povo de Deus, mesmo em qua- do nos meios, pois Paulo e Apolo fo-
rentena. ram apenas instrumentos nas mãos
O apóstolo Paulo, na sua primei- do Senhor (v.5), o único que poderia
ra carta “à igreja de Deus em Corinto” dar crescimento à plantação iniciada
(1Co 1.2), dedicou-se a tratar as cau- por um e regada pelo outro (v.6).
sas da divisão na igreja, enfatizando Paulo os exortou à maturidade,
que o santuário de Deus são as pes- pela consciência de que somos tão
soas e não os prédios (1Co 3.16-17). somente cooperadores de Deus (v.9).
Parece obvio, mas esse entendimen- Ele usa duas imagens: lavoura e edi-
to é fundamental para a saúde dou- fício.
trinária do cristão. A ideia de estabelecer a compa-
ração entre a igreja e uma lavoura
1. Cooperação madura e é riquíssima. Lavoura nos remete a
consciente (v.9) plantação, cultivo e colheita.
A sinceridade de Paulo dá um tom Outra imagem oportuna é com-
enérgico ao início do capítulo: “não parar a igreja a um jardim. Porém,
vos pude falar como a pessoas espi- jardins são mais estáticos, lavouras
rituais, mas como a pessoas carnais” são mais dinâmicas. Um jardim é po-
(v.1). Ele acentua a diferença entre dado para manter uma imagem fixa
aqueles que compreendem as ver- de adorno. Uma lavoura é constante-
dades espirituais e aqueles que não mente cultivada para produzir.
compreendem, pois não conseguem Nós somos lavoura de Deus. Ele,
pensar além da vida terrena e física. como legítimo dono e provedor, se
Não amadurecer na fé é um pro- utiliza dos seus cooperadores (“Pau-
blema para a vida cristã. O leite pre- los” e “Apolos”) na plantação. Há
cisa ser substituído por alimentos só- plantadores e cultivadores, mas só
lidos. Isso faz parte do crescimento. há colheita porque Deus dá o cres-
Por ainda serem carnais, Paulo não cimento.
podia aprofundar seus ensinos (v.2). O crescimento é uma garantia que
Por exemplo, achar que só po- só Deus pode dar. É por isso que po-
demos servir a Deus nos templos é demos fazer a nossa parte e descan-
prova de imaturidade espiritual. Bus- sar nele. Nossa esperança está no
car manter-se fiel somente quando o Senhor.
templo está acessível é enganar-se
a si mesmo. 2. Construção adequada
Pela carnalidade que imperava, a e convicta (v.10-15)
igreja em Corinto estava mergulhada Paulo também usa a imagem de
no partidarismo, afogando-se em in-

15
um edifício (v.9) e passa a falar sobre verdade de Deus. Ainda bem que o
construção. Ele fala de si como cons- que salva é o fundamento, Cristo, e
trutor, como um lançador de alicer- não as nossas obras. A salvação é
ces, pois essa era a característica do uma garantia da misericórdia divina
seu ministério. Era um missionário, e não do resultado das mãos dos
um plantador de igrejas, estava sem- construtores.
pre viajando. Estabelecia o alicerce e Os construtores que trabalharem
outro continuava a construção sobre mal, mas que forem fiéis, serão sal-
ele (v.10). vos (v.15), todavia, as suas realizações
O alerta sublimado foi: “cada um não servirão para nada, pois serão
veja como constrói” (v.10). Paulo pre- consumidas pelo fogo.
gou e ensinou sobre Jesus Cristo, o A falta de convicção espiritual é
único fundamento. Nenhum outro prova de imaturidade, diante da qual
poderia ser lançado (v.11). Cristo é o as construções serão de madeira,
fundamento da igreja. A solidez de feno ou palha. Lamentavelmente, há
uma construção está no seu fun- muitos cujas construções, embora
damento. Por isso, o apóstolo Paulo sobre o alicerce correto, não subsis-
foi tão enfático: é em Cristo que se tirão.
constrói. E não se tratar apenas de
construir, mas de construir condig- 3. Habitação protetora e
namente. sagrada (v.16-17)
A forma como se faz a construção É bem verdade que, por nós mes-
é importantíssima, porque “a obra de mos, não temos capacidade para
cada um se manifestará” (v.13). So- uma construção à altura do Evange-
bre o alicerce poderá ser construído lho. Por isso, vale a pena lembrar que
ouro, prata, pedra preciosa, madeira, “temos, porém, esse tesouro em vasos
feno ou palha (v.12). Chegará o dia de barro, para que o poder extraordi-
da avaliação, quando “o fogo testará nário seja de Deus e não nosso” (2Co
a obra de cada um” (v.13). Serão re- 4.7).
compensados aqueles cujas obras
permanecerem (v.14). As obras que Paulo levanta uma questão provo-
se queimarem evidenciarão o pre- cativa: “Não sabeis que sois santuário
juízo dos seus construtores, embora de Deus e que o seu Espírito habita em
salvos (v.15). vós?” (v.16). É como se eles ainda não
tivessem alcançado o entendimento
Paulo não está classificando como da honrosa condição de ser igreja de
construções más, e sim como inade- Cristo, ou seja, ser santuário do Altís-
quadas. Isso nos permite dizer que simo, habitação do Espírito Santo.
podemos apresentar a alguém uma
mensagem parcial do Evangelho, le- Igreja é muito mais do que templo.
vando o ouvinte a um entendimento Igreja é gente habitada pelo Espírito,
inadequado, fraco, insuficiente da por isso, a igreja nunca fecha. Pré-
dios construídos e dedicados para

16
a adoração a Deus, por mais lindos Cristo, como Filho, é fiel sobre a casa
e suntuosos que sejam, podem ser de Deus, casa que somos nós, se con-
fechados e até mesmo destruídos. A servarmos firmes até o fim a nossa
igreja, jamais. confiança e a glória da esperança”
A proteção da igreja é o Senhor. (Hb 3.4-6).
Ele é o guarda de Israel (Sl 121). A
presença do fiel Protetor faz do san- Para pensar e agir
tuário algo sagrado (v.17). 1. Não é uma tarefa tão fácil ficar
Esse ensino é recorrente na car- em casa numa quarentena. É doloro-
ta: “Não sabeis que o vosso corpo é so estar impedido de participar dos
santuário do Espírito Santo, que habi- cultos coletivos presenciais e, até
ta em vós, o qual tendes da parte de mesmo, eventualmente, passar em
Deus, e que não sois de vós mesmos?” frente ao templo da igreja e vê-lo fe-
(1Co 6.10). chado em pleno domingo. Mas, e an-
A expressão “não sabeis” é utiliza- tes da pandemia? Dávamos o devido
da dez vezes em 1 Coríntios, sempre valor ao congregar? A nossa postura
para introduzir uma afirmação incon- demonstrava que, de fato, valori-
testável (3.16; 5.6; 6.2, 3, 7, 15, 16, 19; závamos o privilégio da comunhão
9.13, 24). num mesmo espaço físico?
Como Deus ama a sua igreja! Tra- 2. Somos santuário de Deus. Uma
balhar para destruí-la é chamar para vez que igreja é gente, como deve
si a disciplina divina. A Presença pro- ser o relacionamento entre os irmãos
tetora e sagrada age poderosamen- em Cristo?
te, “pois o nosso Deus é fogo que con- 3. Cristo é o alicerce, o fundamen-
some” (Hb 12.29). to. Sobre Ele, devemos erguer cons-
Na segunda carta aos coríntios, truções adequadas. Como estão as
quando o apóstolo Paulo fala sobre obras das nossas mãos?
santidade, ele volta ao assunto: “E
que acordo tem o santuário de Deus
com ídolos? Pois somos santuários do
Deus vivo, como ele disse: habitarei Leitura Diária
neles e entre eles andarei; eu serei o SEG 1 Coríntios 3.1-9
seu Deus e eles serão meu povo” (2Co
6.16). TER 1 Coríntios 3.10-17
O autor aos hebreus também QUA 1 Coríntios 12.12-31
discorre sobre o tema: “Porque toda QUI Efésios 2.19-22
casa é construída por alguém, mas
SEX Hebreus 3.4-6
quem edifica todas as coisas é Deus.
Moisés, como servo, foi fiel em toda a SÁB 1 Pedro 2.9
casa de Deus para testemunho das DOM Mateus 16.18
coisas que seriam anunciadas, mas

17
Data do estudo Lição 2
Texto base: 2 Coríntios 4.16-18

Adversidade
Traz
Maturidade
Por Dario Francisco de Oliveira

A esperança é uma das virtudes chamado do Mestre que ele sofreu


que distingue a trajetória do verda- açoites, prisões, perigos de morte,
deiro discípulo de Jesus. Mesmo apedrejamento, sofreu naufrágio, re-
passando pelas mais difíceis circuns- jeição, fome, sede, jejum, sua autori-
tâncias, a convicção inabalável do dade apostólica colocada em dúvida,
cuidado do Senhor em todo tempo enfim, a lista dos seus sofrimentos é
nos renova as forças para não desa- enorme (2Co 11.23-28).
nimarmos no meio da caminhada. O registro do naufrágio de Atos 27
O profeta já sinalizava esta rea- inclui, certamente, muitos elemen-
lidade quando disse, “mas os que tos de uma adversidade, afinal, Pau-
esperam no Senhor renovarão suas lo foi preso por pregar o Evangelho,
forças...” (Is 40.31a). Somente quem perto do julgamento foi transferido
tem sua esperança firmada em Deus de Cesareia para Roma, durante a
pode experimentar deste renovo em viagem acontece uma tempestade,
meio às crises que enfrenta. a carga foi perdida, o navio destru-
O apóstolo Paulo passou por si- ído e os tripulantes e passageiros
tuações desafiadoras num ambien- quase morreram. Durante a crise do
te de obediência e cumprimento naufrágio, Paulo permaneceu calmo,
da missão. Ele descreve parte de e pode ajudar as pessoas a supera-
suas adversidades na sua segunda rem aquele momento. Movido pelo
carta aos Coríntios. Foi no exercício encontro com o Senhor e por confiar
do ministério e foi por obedecer ao plenamente em sua promessa, a ad-

18
versidade não foi capaz de impedir imunidade aos problemas da vida,
que o apóstolo desistisse, ao invés pelo contrário, a Bíblia está repleta de
disso, ele se enche de coragem para histórias narrando as lutas que servos
aproveitar aquela circunstância des- fiéis precisaram atravessar. Não são
favorável para testemunhar de sua fé apenas os desobedientes que estão
e prosseguir no exercício da missão expostos aos sofrimentos e desafios.
que Deus lhe confiara. Não podemos nos esquecer que
A adversidade tem o poder de re- residimos numa terra devastada pelo
velar a intensidade de nossa comu- pecado e moramos num tabernácu-
nhão com Deus e o nível de nossa lo que envelhece, adoece e morre.
confiança em sua Palavra. Desanimar Esta é uma realidade universal. Nes-
não é uma possibilidade para um dis- te sentido, crentes e incrédulos estão
cípulo verdadeiro porque, segundo o no mesmo barco.
apóstolo, mesmo que externamente Por outro lado, padecemos as
estejamos sendo destruídos, não há consequências de nossa escolha de
nada que possa abalar as convicções servir ao Evangelho e aprendemos
que foram plantadas em nosso “ho- com Paulo, que “...por amor de Cristo,
mem interior” pelo poder do Evange- vos foi concedido não somente crer
lho que recebemos. nele, mas também sofrer por ele” (Fl
Há um provérbio anônimo que diz: 1.29).
“somente sabemos o sabor do chá No ministério de Jesus, encontra-
quando colocamos água quente nele” mos um episódio envolvendo os dis-
e isso significa que as adversidades cípulos recebendo uma ordem ex-
são uma necessidade que tem o po- pressa do Mestre para atravessarem
der de revelar quem de fato somos. para o outro lado do mar da Galileia
Quando agimos, dentro da normali- enquanto Ele despedia a multidão.
dade, mostramos quem queremos Os discípulos obedeceram e duran-
ser, mas quando reagimos diante das te aquela travessia enfrentaram uma
adversidades, mostramos quem so- grande tempestade (Mt 14.22-33).
mos de verdade.
Na verdade, ou já passamos, es-
Existem recomendações precio- tamos ou, mais cedo ou mais tarde,
sas que a Palavra nos oferece para vamos passar pela adversidade. Nin-
atravessarmos os momentos de cri- guém está livre.
se e assim como na experiência do
apostolo Paulo, mantermos nossos 2. A adversidade tem
olhos firmes naquilo que estar por vir fontes diversas
para não sermos tragados pelas cir-
cunstâncias temporais. É possível que alguém questione:
mas de onde vêm as adversidades?
1. A adversidade é inevitável 2.1 – As adversidades podem sur-
Nem de longe, a promessa da Pa- gir a partir de nós mesmos. Sempre
lavra sugere que a vida cristã envolve que fazemos escolhas equivocadas,

19
estamos sujeitos a arcar com as con- Paulo (At 9.17-18), e permitiu a perse-
sequências e, por vezes, nós mes- guição para que o Evangelho saísse
mos construímos as circunstâncias de Jerusalém e se espalhasse pelo
de nossas crises. As experiências do mundo (At 11.19-20).
profeta Jonas nos ensinam sobre o
perigo de tomarmos decisões con- 3. A adversidade é
trarias à vontade de Deus. pedagógica
2.2 – As adversidades podem sur- Mais importante que sair das situ-
gir a partir das pessoas que estão à ações de adversidade é aprender as
nossa volta. Alguns textos produzidos lições que a adversidade pode nos
por Paulo, especialmente a segunda proporcionar.
carta aos Coríntios, relatam o após-
3.1 – Na adversidade aprendemos
tolo lidando com as lutas produzidas
que somos pó. No drama produzido
por aqueles que não acreditavam em
pela Covid-19, desde as grandes po-
seu ministério, sejam os “excelentes
tências do mundo moderno até as ci-
apóstolos” (11.5) ou os “falsos irmãos”
vilizações mais atrasadas, chegamos
(11.26). Pessoas nos ferem pelos mais
às mesmas conclusões: basta um
diferentes motivos.
vírus microscópio para que o mundo
2.3 – As adversidades podem sur- inteiro enxergue a sua insignificân-
gir por uma ação de Satanás. Existem cia. O mundo se percebeu impoten-
aqui dois extremos a serem evitados. te diante do coronavírus e a soberba
Alguns subestimam as ações do ini- humana foi quebrada. No Salmo 8,
migo enquanto outros superestimam após ressaltar a grandeza de Deus, o
as suas artimanhas. Quando Paulo rei Davi indaga: “Que é o homem para
se refere ao “espinho na carne” ele o que te lembres dele?...” (Sl 8.4). Isso
identifica como um “mensageiro de significa que não podemos confiar
Satanás” que lhe foi enviado para lhe em nós mesmos (Jr 17.5-7).
“esbofetear” (2Co 12.7). O Diabo con-
3.2 – Na adversidade aprendemos
tinua em seu propósito de “roubar,
que o mal é uma realidade. Existem
matar e destruir” (Jo 10.10). Fiquemos
três coisas que jamais irão mudar: o
atentos.
mundo nunca deixará de ser mundo;
2.4 – As adversidades podem sur- a carne nunca deixará de ser carne;
gir por uma ação divina. Para que e o Diabo nunca deixará de ser Dia-
seus propósitos eternos sejam cum- bo. Lembre-se que “o mundo jaz no
pridos, em determinadas situações, maligno” (1Jo 5.19); não se esqueça
Deus intervém na história criando que “a carne é fraca” (Mt 26.41); e que
circunstâncias específicas para a rea- o inimigo é mentiroso (Jo 8.44). Não
lização de seus planos. Foi assim que podemos nos descuidar com essas
Ele enviou a tempestade para Jonas áreas de nossa luta.
(Jn 1.4), enviou um terremoto para a
3.3 – Na adversidade aprende-
conversão do carcereiro (At 16.27-31),
mos a confiar em Deus. Quando nos
provocou a cegueira na conversão de
faltam os recursos humanos, os ce-

20
leiros divinos estão cheios e à nossa Atos até a história recente, a igreja de
disposição. No Salmo 119.71, a Pala- Cristo esteve sempre envolvida por
vra afirma: “Foi bom para mim ter sido muitos desafios.
afligido para que aprendesse os teus Na minha infância, eu não tinha
decretos”. Na Palavra de Deus en- paciência para ler todo o enredo das
contramos toda a provisão que pre- histórias em quadrinhos, e, quando a
cisamos para atravessar os dias da situação estava muito difícil, eu virava
adversidade. Deus zela em cumprir algumas páginas e por curiosidade,
suas promessas na vida de seus fi- lia a última parte antecipando assim o
lhos amados. Ele permanece em seu final da história. Creio que foi por co-
trono, conduzindo a nossa história. nhecer essa nossa inquietação que
Deus providenciou para nós a ante-
4. A adversidade nos cipação do final da história. É só ler a
faz crescer última página.
O foco de nossa atenção ultra-
passa os níveis da peregrinação. Um Para pensar e agir
dos grandes prejuízos desse tempo é 1. Por serem imprevisíveis, como
nossa atenção exagerada no “aqui e você se prepara para os dias da ad-
agora”. Olhando para a vida do gran- versidade?
de apóstolo, percebemos claramen-
te que ele estava mais preocupado 2. O que fazer para que as adver-
com as coisas celestiais que as terre- sidades não nos afastem de nossos
nas (Rm 8.18; Fl 1.21; Gl 2.20). Ele não compromissos espirituais?
olha para as adversidades como um 3. Qual o valor das promessas da
fim em si mesmas, mas como um ins- Palavra de Deus nos dias da sua ca-
trumento que Deus usa para o nosso lamidade?
crescimento. 4. Se todo mundo, crentes e incré-
Por mais intenso que seja o so- dulos, estão sujeitos aos sofrimentos,
frimento dessa vida, Paulo o qualifi- qual é a vantagem de servir a Jesus?
ca como “leve e momentâneo” (2Co
4.17a). Se não é correto minimizar a
sua importância, não devemos tam- Leitura Diária
bém maximizar seu alcance. Mas
esse equilíbrio só é possível na me- SEG Filipenses 1.27-30
dida em que não perdemos de vista TER Mateus 14.22-33
os seus resultados. Paulo diz que “...a
QUA 2 Coríntios 11.23-28
tribulação produz um eterno peso de
glória mui excelente” (2Co 4.17b). A QUI Jonas 1.1-17
justificativa está em não atentarmos SEX Tiago 1.2-4
para as coisas temporais (2Co 4.18).
SÁB 1 Pedro 1.3-9
Na história da igreja, sempre hou-
ve adversidades. Desde o livro de DOM 1 João 5.1-5

21
Data do estudo Lição 3
Texto base: 2 Crônicas 7.14

Oração
como
Refúgio
Por Gelson Gonçalves Sardinha

Oração é o ato de comunicação praga entre o meu povo; e se o meu


com Deus. Ao longo de toda história povo, que se chama pelo meu nome,
do povo de Deus, vemos a oração se humilhar, orar e buscar a minha
como “uma arma, um escudo, um re- presença, e se desviar dos seus maus
fúgio”. Nos momentos de paz e tran- caminhos, então ouvirei dos céus, per-
quilidade, bem como nos de dificul- doarei os seus pecados e sararei a sua
dades, guerras e sofrimento, a oração terra.” (2Cr 7.12-14).
é um refúgio. Mesmo Israel experimentando um
No período do reinado de Salo- momento de extraordinária prospe-
mão, Israel estava em plena expan- ridade socioeconômica, isso não o
são territorial, vivia momentos de isentava de tragédias, catástrofes,
prosperidade, bem-estar social e guerras, doenças e pecados. Fazia-
paz. O templo foi construído e consa- -se necessário: “contrição, humilda-
grado ao Senhor por meio de louvor de, arrependimento, confissão e san-
e oração. Em resposta à oração con- tidade”. Só assim Deus faria morada
sagratória do templo, em uma noite, no seu templo.
Deus se apresentou a Salomão e dis- No presente momento, o mun-
se: “Ouvi a tua oração e escolhi este do passa por uma pandemia de Co-
lugar para mim como templo de sacri- vid-19. Até a presente hora em que
fício. Se eu fechar o céu para que não escrevo, não há uma vacina, um an-
chova, ou se ordenar aos gafanhotos tídoto para essa terrível doença que
que devorem a terra, ou se enviar a tem ceifado a vida de muitas pesso-

22
as. Portanto, só nos resta nos refu- quer nos salvar e que nós esperamos
giarmos em Deus por meio das súpli- a salvação. A oração de uma pessoa
cas e orações. tornada justa pela fé é motivada por
essa fé e procura a vontade de Deus.
1. Oração é refúgio É por isso que essa oração é eficaz.
por meio da fé A resposta à oração estava ligada à
justiça e misericórdia Deus.
“Sem fé é impossível agradar a
Deus, pois quem dele se aproxima Muitos de nós, por vezes, ficamos
precisa crer que Ele existe e que re- envergonhados por causa de nos-
compensa àqueles que o buscam” (Hb sa fé ou escondemos dos outros o
11.6). A fé salvadora confia tanto na fato de sermos cristãos. Cedemos às
existência de Deus quanto na sua mi- pressões do mundo e nos envergo-
sericórdia. A fé não é só conhecimen- nhamos do nosso Salvador, mas ele
to no intelecto, é muito mais. É viver não se envergonha de nós. Chegue-
seguramente no transcendental. A fé mos com confiança e fé ao refúgio de
não insiste em conhecer a razão para oração, onde a graça e misericórdia
as ações de Deus, mas considera de Deus estão a nossa espera.
Deus como a maior das bondades e
misericórdia. 2. Oração é refúgio
por meio da adoração
A oração mais significativa é a que
brota de um coração cuja confiança Após a sua ressurreição, Jesus se
está depositada no Deus que agiu apresentou aos seus discípulos por
e falou através dos antigos servos alguns dias antes da sua ascensão
e, por último, por intermédio do seu aos céus. Uma das apresentações
filho Jesus e dos ensinamentos da foi a Simão Pedro. Nesse encontro,
Bíblia. Uma vida devocional vitoriosa Jesus pergunta três vezes pra ele:
tem como pedra angular a obra e as “Simão, filho de João, tu me amas?”
palavras de Cristo, registradas na Bí- Pedro tendia a orgulhar-se de seu
blia através dos profetas e apóstolos. comprometimento perante os outros
Deus fala conosco através da Bíblia e discípulos. Tal orgulho o impedia de
nós respondemos com uma oração ver que Cristo tinha que morrer por
cheia de confiança e fé. Com base ele, e não ele por Cristo (Jo 13.37). Em
na afirmação bíblica de que Deus é seu triplo diálogo com Pedro, Jesus
pessoal, vivo, conhecedor de todas restaura esse discípulo para o serviço
as coisas, infinitamente sábio e Todo- a ele e seu rebanho. O apóstolo João
-Poderoso, cremos que Ele pode nos fez destaque do amor sincero de Je-
ouvir e ajudar. “O justo viverá por fé” sus pelos seus discípulos: “Um pouco
(Rm 1.17b). Seremos justos não quan- antes da festa da Páscoa, sabendo
do olharmos para a lei, nem quando Jesus que havia chegado o tempo em
exibirmos nossas virtudes e ações que deixaria este mundo e iria para o
diante de Deus, mas sim quando de- Pai, tendo amado os seus que esta-
clararmos que Deus é propício a nós vam no mundo, amou-os até o fim” (Jo
por meio da fé pela qual Ele nos ouve, 13.1).

23
Deus é amor, e demonstrou este arrependimento sincero e do perdão
amor entregando Seu Filho. Nos- dado por Deus àqueles que por meio
so amor deve ser expresso — assim da oração reconhecem sua pecami-
como foi o amor de Deus — por meio nosidade.
de atos e palavras. Às vezes, as pes- A consciência da santidade de
soas acham difícil dizer “eu te amo” Deus nos faz conscientes de nossa
para Deus e para outras pessoas. Po- própria natureza pecaminosa. Quan-
rém, quando o amor que sentimos por do pecamos, ferimos a nós mesmos
Deus enche a nossa vida, não temos e aos que estão à nossa volta. Mas, o
dificuldade de expressar em oração pior de tudo é que o pecado é con-
nossos sentimentos por aquele que, tra Deus (Sl 51.4). Não precisamos
em última análise, é o responsável confessar nossos pecados a nenhum
por tudo o que somos. Na adoração, outro ser, mas devemos confessá-los
reconhecemos que quem tem a pri- diretamente a Deus, que promete
mazia de nossa vida não somos nós nos perdoar de toda injustiça (1Jo 1.9).
mesmos, nem os outros, nem o nos-
so trabalho, mas Deus. Só o ser divino Precisamos procurar no refúgio da
mais elevado merece o nosso mais oração, a sós com Deus, confessar e
elevado respeito. Diante de Deus, os clamar por perdão.
anjos cobrem o rosto e clamam “San-
4. Oração é refúgio por
to, santo, santo é o Senhor dos Exérci-
meio do louvor
tos” (Is 6.3). Ao adorarmos ao Senhor
com verdade e amor, nos refugiamos “O louvor te aguarda em Sião, ó
nEle por meio da oração. Deus; os votos que te fizemos serão
cumpridos. Ó tu que ouves a oração, a
3. Oração é refúgio por ti virão todos os homens” (Sl 65.1-2). O
meio da confissão oferecimento de votos pode ocorrer
“Se confessarmos os nossos pe- na forma de um ato público de ado-
cados, ele é fiel e justo para perdoar ração e louvor ou alguma outra de-
os nossos pecados e nos purificar de monstração de alegre confiança em
toda injustiça” (1Jo 1.9). Deus sempre Deus, que responde a oração.
faz o que é justo e correto. Ele é fiel Quando temos grande estima e
às suas promessas e sempre man- amor por uma pessoa, falamos bem
tém sua Palavra. Pecados que come- dela. Aquele a quem honramos e
temos voluntariamente (pecados de amamos mais do que qualquer outra
comissão) e boas ações que deixa- pessoa recebe, naturalmente, nosso
mos de fazer (pecados de omissão) maior louvor. Louvamos a Deus por
são a natureza pecaminosa de cada “seus poderosos feitos... consoante a
um de nós. sua muita grandeza” (Sl 150.2) e pela
“Quem esconde os seus pecados justiça dos seus juízos (Sl 119.164). O
não prospera, mas quem os confessa povo de Deus louva-o em sinceri-
e os abandona encontra misericórdia” dade por Ele ser quem é, por Suas
(Pv 28.13). Aqui vemos a descrição do obras e por Sua palavras. O apóstolo
Paulo sempre louvava ao Senhor por

24
meio das orações. “Não deixo de dar doença espiritual trouxe a morte físi-
graças por vocês, mencionando-os ca e espiritual do homem. Para que
em minhas orações” (Ef. 1.16). Paulo haja cura dessa maligna doença, só
aqui se refere às horas em que ele há uma alternativa, uma só vacina:
orava diariamente. Orar sem cessar o Perdão de Deus Pai, por meio do
é uma exortação do nosso Senhor precioso sangue de Jesus Cristo, seu
Jesus (Lc 21.36) e também de Paulo Filho. Para tanto, é preciso da parte
(Rm 12.12; Cl 4.2; 1Ts 5.17). Há um erro de todos os homens o reconheci-
muito comum nas igrejas. O erro de mento e aceitação do seu estado de
só nomear como “louvor” o momento enfermidade espiritual. Assim como
dos cânticos. Louvar não é por si só precisamos de uma vacina contra a
cantar, mas tributar honras por meio Covid-19, precisamos da Salvação
de todos os elementos da liturgia. A (Soter = Saúde) que só Jesus pode
oração é uma forma de louvor onde nos outorgar.
nos refugiamos em Deus. Paulo e Si- Se você quer ficar imune da mor-
las, por ocasião da prisão deles em te espiritual, vá ao refúgio de oração,
Filipos, louvavam e oravam ao Se- pois “o Médico dos médicos” lá está!
nhor. Mesmo estando em situação
tão indigna, a fé e a esperança não se Para pensar e agir
desvaneceram em seus corações. Da
mesma forma hoje, em meio a toda 1. Você tem consultado a sua ca-
essa pandemia da Covid-19, precisa- derneta de vacinação (Bíblia)?
mos também estar esperançosos e 2. Tem ido com frequência ao con-
manter a fé em Deus. sultório do Médico dos médicos?
O salmista, no Salmo 34.1, assim 3. Tem se mantido longe da “pan-
se expressou: “Bendirei ao Senhor em demia” pecado?
todo o tempo, o seu louvor estará sem- 4. Tens passado temporadas no
pre nos meus lábios”. Em qualquer di- “SPA – Refúgio de Oração” para a res-
ficuldade e agruras, em tempos de tauração da fé?
pandemia de corona vírus, devemos
louvar e refugiarmos em oração a
Deus.
Leitura Diária
Conclusão
SEG Salmos 90
As palavras “pestilência” (Jr 21.6) e
“praga” (Nm 11.33) parecem se referir TER Salmos 40
a doenças contagiosas de propor- QUA Salmos 34
ções epidêmicas. A palavra “pesti-
lência” também aparece em Êxodo QUI Salmos 46
9.3 como uma referência à doença SEX Salmos 71
misteriosa.
SÁB Salmos 84
O pecado é retratado na Bíblia
como uma doença da alma. Essa DOM Salmos 91

25
Data do estudo Lição 4
Texto base: Filipenses 2.1-11

Engajamento
Solidário
Por Matheus Dutra Rebello

O coração solidário não é uma seu majestoso ato solidário. O que


escolha para o cristão, é inerente o motivou? Contra o que lutava? De
à verdadeira fé em Jesus. Uma vez que maneira o fez?
alicerçada nele, em sua pessoa e
em seus atos, perceberemos que 1. A motivação da ação
nessa fé não há espaço para ne- solidária: amor
gligência, indiferença e impiedade. Pela força das circunstâncias, o
Há espaço apenas para uma legí- mundo se viu obrigado a rever o pa-
tima atitude agregadora, que não radigma da sua convivência social.
é egoísta, mas sim, acima de tudo, É algo que vai além dos hábitos de
empática. higiene. Percebemos o quanto nos-
Não são necessários discursos sas vidas se afetam mutuamente e,
de natureza política e ideológica pelo isolamento, redescobrimos a
para agirmos solidariamente, ape- carência que temos de convivência
nas um firme compromisso de ter física.
a mesma disposição que houve em Mas é realmente necessário se
Cristo: “Tende em vós o mesmo sen- isolar? Muita gente tem feito essa
timento que houve em Cristo Jesus” pergunta. Um debate público se es-
(Fl 2.5). tabeleceu entre aqueles que acham
Procuramos entender Jesus em exagero e aqueles que acham fun-

26
damental. Entretanto, para o propó- ção é a causa de toda a dificuldade
sito da nossa reflexão, saber quem que vivemos. Houvesse uma vacina
tem a razão não é relevante. O que própria, poder-se-ia imunizar a po-
deve nos mover em direção ao zelo pulação e encerrar todo esse ciclo
pelo outro não é a política pública de cerceamento de liberdade.
adotada e sim o amor que decidi- A reclusão é para preservação,
mos oferecer. manutenção da saúde, sobrevivên-
Esse amor precisa ser capaz de cia. A questão que perpassa toda
superar nossas divergências ide- a temática é a luta contra a morte
ológicas e se preocupar apenas pela vida, em especial aqueles a
com a preservação de quem se quem o vírus representa um po-
ama, mesmo que possa parecer um tencial mortal ainda maior. Este é o
exagero. Não seria melhor errar por contexto no qual estamos lidando:
cuidar demais do que errar por ex- um esforço mundial para que haja
por demais? o mínimo possível de vítimas fatais
Por amor a esta humanidade ca- do vírus.
ída, Jesus esvaziou-se e assumiu a Nossa realidade espiritual é se-
forma humana, sujeitando-se a to- melhante. Também se trata de uma
das as dores inerentes a essa con- luta pela vida. O vírus do pecado
dição: “existindo em forma de Deus, contamina e condena os mais sus-
não considerou o fato de ser igual a cetíveis à morte, e todos somos
Deus algo a que devesse se apegar, parte desse “grupo de risco”. Mais
mas, pelo contrário, esvaziou a si agravada por se tratar da condena-
mesmo, assumindo a forma de ser- ção eterna. O salmista traduz com
vo e fazendo-se semelhante aos ho- perfeição a angústia trazida pela
mens” (Fl 2.6-7). Ato extraordinário! iminência da morte: “Que homem
Amor inigualável, mas desejável. pode viver e não ver a morte, ou li-
Esse amor nos faz desapegar do lu- vrar-se do poder da sepultura?” (Sl
gar de conforto para servirmos, da 89.48). Entretanto, aquilo que fora
maneira que for necessária, ao bem dramático tornou-se exultante, nas
que desejamos ao outro. Esse é o palavras do apóstolo Paulo: “Onde
genuíno amor de Cristo. está, ó morte, a tua vitória? Onde
está, ó morte, o teu aguilhão?” (1Co
2. O contexto da ação 15.55).
solidária – a morte iminente Essa reviravolta radical de con-
Estamos diante da proliferação denados para libertos foi propor-
em escala mundial de um vírus cionada por Jesus em seu gesto
para o qual não temos uma vacina de amor. É com esse amor que
eficiente. Essa ausência de respos- confrontamos as diversas faces da
ta eficiente para impedir a propaga- morte. Quando o isolamento é do

27
coração estamos condenados, mas ram: será suficiente para preservar
seremos imunizados do efeito de- as pessoas próximas higienizar com
vastador do pecado se aplicamos mais frequência minhas mãos? Usar
esse mesmo amor de Jesus. Ele é a máscara em todo lugar público?
cura para toda forma de morte. Cumprimentar as pessoas de lon-
ge? Evitar ao máximo sair de casa?
3. A ação solidária – auto Como minha dificuldade financeira
sacrifício pode ser útil para frear o vírus?
O que estamos dispostos a dar Essas e outras perguntas partem
por aquilo que acreditamos? do ponto de vista quantitativo. O
quanto fazer ou não será suficiente.
No episódio da viúva pobre, ob- Nesse campo haverá divergências.
servamos uma senhora fazendo O engajamento solidário que preci-
do seu pouco seu tudo, enquanto samos não observa as opiniões in-
homens abastados faziam do seu dividuais sobre a efetividade e sim
muito quase nada. aquilo que está ao alcance. Dese-
“Jesus observava os ricos que co- jável seria descobrir a vacina, mas
locavam suas contribuições no cofre não sendo possível, que se faça
de ofertas; ‘viu também uma pobre todo o possível. Porque o propósito
viúva colocar ali duas moedas pe- não é ter razão sobre o jeito certo
quenas; e disse: Em verdade vos digo ou errado. O propósito é fazer algo
que esta viúva pobre contribuiu mais por alguém que quero preservar.
do que todos; pois todos aqueles de- Qualquer coisa que esteja ao alcan-
ram do que lhes sobrava; mas ela, da ce.
sua pobreza, deu tudo o que tinha Se na oferta da viúva o que se
para o seu sustento” (Lc 21.1-4). pretendia era honrar a Deus, pouco
Através desse episódio Jesus importava o valor ofertado, desde
nos ensina que em seu universo a que ele manifestasse um autêntico
efetividade não está relacionada ato de culto. As ações de preser-
ao quantitativo e sim ao qualitativo. vação da pandemia não precisam
Ofertas expressivas de baixa quali- ser necessariamente eficientes,
dade moral nada significam quando precisamos apenas que elas de-
comparadas a ofertas miseráveis monstrem que estamos realmente
quantitativamente, mas moralmen- comprometidos com o bem estar
te imensuráveis. Daí a pergunta ini- do outro. Mesmo que nossas ações
cial deste tópico não ser “o quanto possam parecer inócuas. Não é a
estamos dispostos a dar” e sim “o efetividade da ação em si que refle-
que estamos dispostos dar”. te em nós espiritualmente, e sim se
elas exprimem meu engajamento
Quando pensamos na pandemia, em fazer o que for preciso para cui-
certamente alguns já se pergunta- da do outro.

28
4. Igreja primitiva: te a ação de Jesus, que se fez como
um caso concreto um de nós para, em nosso meio,
agir pela salvação de todos. Cui-
Estamos descobrindo muito de
dou de toda sorte de mazela, com
nós mesmos nesta pandemia. O
a mesma predisposição, sem medir
quanto gostamos de ficar ou sair de
esforços.
casa; o quanto precisamos de con-
tato físico; o quanto nos faz falta a Para pensar e agir
liberdade.
É muito didático para nós perce- 1. O amor é a força afetiva que
ber que a saída desta crise não de- justifica e impulsiona qualquer agir
pende da capacidade individual de solidário. Não está nas idéias e nem
solucionar problemas, mas no agir nas ideologias, está no coração.
coletivo por um bem comum. Isso é
engajamento solidário. Agir com to- 2. A luta comum a todos nós é
dos, pelo bem de todos, dedicando pela preservação da vida, contra
o que for possível. qualquer expressão de morte.
A igreja em sua gênese demons- 3. O fazer solidário ocupa-se em
trou essa solidariedade, engajan- entregar o que estiver ao alcance,
do-se na preservação do bem estar
mesmo que não pareça ser sufi-
e da justiça logo na sua primeira
expressão coletiva: “Todos os que ciente. Porque quantidade não ga-
criam estavam unidos e tinham tudo rante qualidade.
em comum. Vendiam suas proprie- 4. A igreja é o centro de fomen-
dades e bens, e os repartiam com to da solidariedade, entre os seus
todos, segundo a necessidade de
e em favor dos que ainda padecem
cada um. E perseverando de comum
acordo todos os dias no templo, e sem salvação.
partindo o pão em casa, comiam
com alegria e simplicidade de cora-
ção” (At 2.44-46). Em um momento Leitura Diária
de vulnerabilidade dos novos con-
SEG Filipenses 2.1-11
vertidos, não faltou ação coletiva
para lhes suprir suas necessidades. TER Salmos 89.46-49
A igreja solidária dava seus primei- QUA 1 Coríntios 15.53-58
ros passos de afirmação como uma QUI Romanos 5.1-11
verdade perpétua que guiaria os
homens em direção a Deus. SEX 2 Coríntios 5.18-20

Esse comportamento da igreja SÁB Lucas 21.1-4


não é estanque. Reproduz fielmen- DOM Atos 2.42-47

29
Data do estudo Lição 5
Texto base: Salmo 42.11

Vencendo o
Abatimento
da Alma
Por Carlos Henrique Soares

Estamos, como brasileiros, vi- mento, de desorientação, uma can-


vendo um tempo complicado frente ção triste de alguém que sofre e
aos desafios que a pandemia trouxe que está completamente perturba-
a todos nós, quer pelo medo de ser do. É um livro de cânticos, orações
contaminado, o desemprego e con- e de vários autores. Neste caso, o
sequentemente a falta de renda, vi- Salmo 42 é um cântico dos coraítas,
ver isolado e tantos outros receios, os sacerdotes responsáveis pela
que se certa forma são aceitáveis adoração (2 Cr 20.19; Nm 16). Algu-
neste tempo. A pergunta que fica é: mas versões chamam de Masquil
como a esperança nos ajuda a ven- dos coraítas, que sugere algo peda-
cer essa tempestade de pensamen- gógico e com informações para os
tos negativos que acabam afetando ensinamentos.
o nosso emocional? O que pode nos Quais os principais ensinamentos
fortalecer em meio às enxurradas ou desafios?
de noticiários, e até conversas pe-
las redes sociais que só nos causam Enfrentar os dias de perturbação
perturbações? ou os piores momentos que a vida
possa apresentar. Daí o salmista
Convido você a vivenciar estas oferece aqui quatro ensinamentos
respostas a partir da Palavra de como conselhos para o enfrenta-
Deus. mento dos dias maus, a partir do
O Salmo 42 é um cântico de la- seu coração.

30
1. Em dias de desesperança, Hebreus deixa isto registrado no ca-
busque a Deus (v.1-2) pítulo 4.14-16. Em Jesus temos um
grande sacerdote, Ele é uma fonte
O salmista estava em um de-
de alegria, paz e descanso. Deus
serto circunstancial e também pre-
será para nós o suficiente. Certos
sencial. Ele trazia dentro do seu
disto, corramos, pois...
interior um aperto no coração, que
é um sentimento de angústia. Daí O grande pregador Charles Spur-
ele pode comparar seu momento geon disse: “A melhor coisa da vida
como no deserto vendo uma corça é estar com Deus e a segunda é de-
(um animal silvestre que nos dicio- sejar de Deus, porque ao estar com
nários definem como a fêmea do Deus, ao desejar Deus e ao encontrá-
veado). Ela suspira por águas em -lo, podemos ser satisfeitos com tudo
meio à sede, em meio às faltas de que Ele é para nós”.
expectativas de saciá-la, ela busca
através do faro o cheiro das águas, 2. Em dias de desesperança
e quase sempre, em meio ao de- leve a seu coração a mensa-
serto, as águas estão não no pé da gem que fortalece (v.3-5)
montanha, mas nos altos onde bro- O salmista fala sobre lágrimas e
tam as fontes de águas correntes. O escreve o motivo: “Onde está o teu
salmista registra que assim como a Deus?” Muitos de nós já ouvimos
corça, ele tinha sede de Deus e ao esta pergunta frente a um diagnós-
contemplar elementos da natureza, tico médico, a morte de um ente
ele vê o seu interior (v.1). querido de forma trágica, um filho
Nos versículos ele fala duas ve- nas drogas ou prostituição, em meio
zes do anseio por Deus e quatro ve- ao desemprego e as portas fecha-
zes ele se refere ao nome precioso das sem oportunidades. É como se
de Deus. Como a corça ele está no até o interior dissesse isto, como se
deserto, mas também, deseja a fon- não bastasse, os questionamentos
te de vida. E qual é a sua fonte de de pessoas; parece que o interior
vida? A fonte não é alívio, proteção, grita: “Cristão! Se Deus te ama tanto
segurança, realização pessoal. O como você diz, onde Ele está? Ele se
salmista não precisa de fonte huma- foi?”.
na, ele está unicamente dependen- O salmista apresenta angústia ao
te de Deus. Ele sabe que só Deus se lembrar de algumas coisas: lem-
satisfaz a vida do homem e sua pró- brava como o seu povo ia aos cultos
pria necessidade. públicos, da ida às festas, dos cân-
Em dias de tranquilidade nos sa- ticos que eram entoados até che-
tisfazemos com qualquer coisa, mas gar ao lugar de adoração. Ele está
nos dias de tribulação a alma come- adoecido ao lembrar que estava
ça a gritar a sede de Deus. Ansiar agora sem esta oportunidade. Tan-
pelo Trono de Deus, entender que to as cobranças externas quanto as
lá encontramos Graça. O autor de do coração o maltratavam naquele

31
momento. problemas, as lutas como algo do
No versículo 5, ele prega para sua diabo ou consequências de seu
própria alma: “Por que estás aba- próprio pecado, mas consegue ver
tida?” Eu sei que estamos enfren- tudo como oriundo da ação de Deus
tando uma realidade que nos tira a e fazer disto seu cântico, sua oração
esperança, mas a solução é esperar dia a dia: “Um abismo chama outro
em Deus. Nós precisamos aprender abismo ao ruído das tuas catadupas;
a termos respostas para os questio- todas ‘as tuas ondas’ e vagas têm
namentos do nosso coração. passado sobre mim” (v.7) (grifo meu).
Muitos cristãos influenciados
3. Em dias de desesperança, pelo misto de pregações que ou-
lembre-se de Deus (v.6-8) vem ou participam, começam a
O cenário parece mudar aqui. achar que tudo que acontece e que
Ele sai do deserto e vai lembrar inquieta vem como uma “seta do
das alturas das montanhas. Ele vai diabo”, interferência do inferno etc.,
mencionar os lugares altos de onde daí tantas frases de efeito tais como:
brotam a nascente do Jordão. No “pisa na cabeça do diabo”, “tá repre-
versículo sete ele usa o termo: um endido”, “determino isto ou aquilo”,
abismo chama outro abismo, por- “não aceito” e por aí vai. Mas a per-
que trata da ideia do movimentar gunta precisa ser: E se as “ondas
das águas turbulentas frente a en- agitadas” tiverem a mão de Deus
xurradas em dia de chuvas. Ele faz para nos trazer um novo tempo ou
uma comparação de uma alma amadurecimento, crescimento e
bagunçada (abismo é ideia caótica maturidade?
que Moisés usou em Gênesis ao fa- 4. Em dias de desesperança,
lar sobre a terra sem forma e vazia – persevere (v.9-11)
Gn 1.2). É como se ele dissesse que
estava em meio a um turbilhão de O salmista tem questionamentos
águas. Ele lembra de Deus (v.6). Ele apesar de convicções. Isto é impor-
é levado de um lado a outro, lem- tante porque muitos sofrem a culpa
brando de Deus. E como revela isto? de questionar quando as pressões
No versículo 8, o salmista em sua vêm. Encontramos aqueles que
oração tem uma certeza: Ele conta cobram atitude de resistência e fé,
em meio aos dias maus, com a mi- como se o fato de revelar a huma-
sericórdia do Senhor de dia e à noite nidade fosse uma transgressão a
uma oração de louvor a Deus. Deus. O salmista revela, em suas
palavras, que o seu interior está
São interessantes as coloca- cheio de dúvidas e dor na alma, as-
ções do salmista quando diz que sim como todos nos sentimos em
as ondas e vagalhões ou catadupas meio às dores e às crises. Daí ele faz
(cascatas, cachoeiras e cataratas) algumas perguntas:
são de Deus. O salmista não vê os
• Por que esquecestes de mim, ó

32
Deus? tempo de cantar, isto passará. Não
• Por que ainda sinto a pressão esqueça alma, o Senhor Deus é a
dos meus opressores? salvação, ele é Deus e nele pode-
mos confiar. Persevere! Isto vai pas-
• Deus, o Senhor foi embora? sar.
• Por que me perguntam onde
está o meu Deus? Para pensar e agir
A tristeza do salmista é real, Nada melhor do que em meio à
mas não para, ele persevera em tra- desesperança, olharmos para as
zer para si mesmo a esperança, as promessas e o cuidado de Deus.
convicções do coração. Às vezes, a Mergulharmos no cântico de vitória
nuvem escura parece permanecer de Paulo que, em meio às crises, re-
sobre a família, as lutas são terríveis, gistra em Romanos 8.31-39:
mas precisamos trazer à mente a
certeza de um Deus presente que é • Em meio às lutas, quem será
o Emanuel - Deus conosco. contra nós, se Deus está conosco?
Se por amor a nós Deus não poupou
Uma das atitudes que qualquer seu próprio Filho, como não des-
cristão precisa entender é não se cansar nele?
apressar em exortar os que sofrem
ou que estão desesperançados. • Quem vai ficar nos acusando, se
Lembremo-nos de Jó que, em meio a nossa justificação vem dele?
ao sofrimento, recebeu a visita de • Quem vai nos condenar por
pessoas que não acolheram a sua algo, se nosso perdão eterno está
dor, mas só serviram de juízes para garantido em Cristo, que além de
condená-lo com um discurso de nos justificar, é o Intercessor pleno?
dúvida e cobranças: Onde está o teu • O que nos separa de Deus?
Deus? Você pecou? Está debaixo da Nada. Nele somos mais que vence-
ira de Deus? Já ouvi de muitas pes- dores.
soas em profunda depressão o de-
sabafar que perguntas iguais a esta
lhe foram feitas. Isto é cruel!
Em meio ao sofrimento de al- Leitura Diária
guém, não fale, esteja apenas ao SEG Salmos 43
lado acolhendo. Isto será suficiente.
O salmista em meio a todas as per- TER Oséias 6.1-3
guntas e lágrimas, faz como se fos- QUA Salmos 46
se uma outra pessoa trazendo para
QUI Isaías 43.1-3a
si a resposta (v.11):
Alma por que está abatida? Nem SEX 43.8-13
tudo está perdido, espera em Deus. SÁB Isaías 40.1-9, 28-31
Por que está você perturbada? Es- DOM Salmos 121
pera em Deus! Ainda chegará o

33
Data do estudo Lição 6
Texto base: Marcos 13

Ainda
Não é
o Fim
Por Washington Roberto Nascimento

O assunto do capítulo 13 do Evan- surpresa de todos, imediatamente,


gelho de Marcos — a iminente queda prediz um julgamento implacável
do templo, a volta de Jesus e o fim do sobre aquela casa de culto e sobre
mundo — tem o seu equivalente em toda a nação: “Tudo será destruído.
Mateus 24 e 25 e em Lucas 21. Não ficará uma pedra em cima da
Jesus, ao sair do templo, ouviu um outra” (Mc 13.2). Ao profetizar dessa
de seus discípulos exaltar a arqui- maneira, Jesus se alinha aos profe-
tetura daquela grande construção. tas do Antigo Testamento (Mq 3.12; Jr
Este templo não foi o primeiro que 26.18; 9.11) que também vaticinaram
o rei Salomão construiu (séc. X a.C), em seus dias contra a nação de Israel
e que, mais tarde, foi destruído pelo e o templo.
Império Babilônico (séc. VI a.C). Nenhum lugar de culto, nenhum
Nos dias de Jesus o que temos é ritual religioso, nenhum calendá-
o segundo templo, que foi recons- rio eclesiástico poderá substituir o
truído no período Persa (final do séc. nosso relacionamento pessoal com
VI a. C) e remodelado por Herodes, o Deus marcado por um coração que-
Grande (final do séc. I a.C). brantado e contrito, um culto em es-
pírito e em verdade. Deus é a única
A beleza do templo de Jerusalém fonte de nossa segurança e paz.
era inquestionável. Ao ouvir os elo-
gios de seus discípulos a respeito da O templo, o culto que ali acon-
maravilhosa construção, Jesus, para tecia, a nação, tudo isso havia se

34
transformado em um ídolo, uma ve- eles revelam não apenas as respos-
neração, uma idolatria. Precisamos tas de Jesus para as perguntas aci-
tomar cuidado para que o mesmo ma, mas o seu cuidado pastoral para
não aconteça conosco. Os meios não com sua igreja.
podem se transformar no fim. O fim é
Deus, o alvo é Ele. 1. Tenham cuidado para que
Os discípulos ficaram tão impres- ninguém engane vocês
sionados com a palavra profética de “Então Jesus começou a
Jesus que lhe fizeram várias pergun- ensiná-los. Ele disse: Tomem
tas. Quando comparamos o texto cuidado para que ninguém
de Marcos 13.3-4 com Mateus 24.3, engane vocês.” (Mc 13.5)
descobrimos, pelo menos, três per-
guntas: 1. Quando será a destruição É muito triste ser enganado, mas
do tempo? 2. Quando será sua vinda muita gente tem sido enganada ao
com poder e glória? 3. Quando será o longo da história porque tem acre-
fim do mundo? ditado nos sinais de seus dias como
sendo os sinais mencionados aqui
As respostas de Jesus a essas por Jesus: guerras, rumores de guer-
perguntas requerem cuidado espe- ra, terremotos e fome. Esses sinais
cial, pois elas se encontram entre- aconteceram e acontecem em dife-
laçadas, tecidas juntas. Os eventos rentes períodos da história. À luz da
mencionados neste texto parecem Bíblia, o período conhecido como os
um só, pertos um do outro, mas são últimos dias teve o seu início quando
como montanhas em perspectiva no Jesus ascendeu aos céus.
horizonte distante. A sensação é que
elas estão próximas, quando, na ver- Precisamos tomar cuidado para
dade, estão distantes. não sermos enganados. É por isso
que precisamos conhecer bem a Pa-
Jesus está chegando ao final de lavra de Deus. Não se precipite em
seu ministério aqui na terra. Estamos dizer que Jesus vai voltar amanhã só
em seus últimos dias. Há uma ten- porque hoje houve um tremor de ter-
são espiritual e política. Os líderes ra ou rumores de guerra.
judeus estão ao encalço de Jesus.
Querem prendê-lo e matá-lo. O Im- 2. Tenham cuidado na
pério Romano domina com mão de hora do sofrimento
ferro a Palestina. Qualquer tentativa
por parte dos judeus contra Roma “Vocês precisam ter cuidado
teria uma resposta implacável. Jesus porque serão presos e levados
faz a leitura correta de todo o drama aos tribunais e serão chicoteados
político e religioso de seus dias. Tudo nas sinagogas. Por serem meus
será destruído. seguidores, vocês serão levados
Há mais de uma dezena de impe- aos governadores e reis para
rativos neste capítulo 13 de Marcos e serem julgados e falarão a eles
sobre o evangelho.” (Mc 13.9)

35
Há muitas pessoas que abando- saibam que o tempo está perto.”
nam a fé em Deus diante do sofri- (Mc 13.28-29)
mento.
O povo de Deus está sendo des-
A Bíblia ensina que é impossível truído porque lhe falta conhecimen-
uma vida sem sofrimento mesmo to (Os 4.6). Uma pessoa sem conhe-
quando a pessoa procura fazer tudo cimento se torna vulnerável e pode
certo. Jesus, mais do que qualquer ser facilmente enganada por falsos
outro, nos ensina como enfrentar a mestres.
dor e a perseguição, sem se desviar
do caminho. Há muitas pessoas que se apre-
sentam em nome de Jesus ou em
É na hora do sofrimento que mos- seu lugar em diferentes tempos de
tramos ao mundo que não servimos nossa história. Elas podem confundir
a Deus em troca de bênçãos mate- os crentes que não aprenderam bem
riais. Deus não compra a nossa fideli- a Palavra de Deus. Satanás e seus
dade com favores. Caso fosse assim, servos operam sinais e prodígios
nossa relação com Ele seria mercan- com propósitos malignos, realizam
tilista e o nosso caráter mercenário. plágios, imitações fraudulentas do
Jesus nos ensina fidelidade incon- poder de Jesus e torcem o sentido
dicional a Deus, o Seu Pai e nosso Pai. de suas Palavras com propósitos es-
Perseverança na fé, na adversidade é cusos (Mc 13.22; 2 Co 11.14-15).
o que se espera de seus seguidores.
Em um mundo que rejeita a Jesus 4. Tenham cuidado
Cristo, precisamos estar preparados de orar e vigiar
para enfrentar a perseguição como “Vigiem e orem, porque vocês
algo inevitável. A melhor maneira de não sabem quando chegará o
fazê-lo é vivermos cheios do Espírito tempo. Vigiem.” (Mc 13.33, 37)
Santo. Por isso, Jesus nos diz: “não se
preocupem, quando a hora da per- Não há como exagerar no valor
seguição chegar, digam o que Deus de orar e vigiar. A oração é uma das
lhes der para dizer. As palavras que marcas mais importantes na vida
disserem não serão de vocês mes- daquele que crê em Deus. A oração
mos, mas virão do Espírito Santo (Mc revela a nossa dependência de Deus
13.11). Ele nos capacita quanto ao que e a nossa fé no caráter dele como o
falar e quanto ao que fazer. provedor. Ele é a fonte que supre to-
das as nossas necessidades (Fl 4.19).
3. Tenham cuidado de Deus pode suprir nossas neces-
aprender e saber o que sidades materiais, mas as maiores
o texto ensina necessidades que temos são espiri-
“Aprendam, pois, a parábola da tuais: amor em um mundo cheio de
figueira... Assim também, quando ódio; esperança em um mundo sem
virem acontecer essas coisas, esperança, alegria, paciência, sabe-

36
doria (Gl 5.22-23; Tg 1.2-8). Para tanto, Os seguidores de Cristo compar-
é muito importante orar e vigiar. São tilham com ele das mesmas perse-
duas coisas que precisam andar jun- guições, sofrimento, missão e morte,
tas na vida do crente. Elas precisam não apenas da glória da ressurreição
acontecer em todo o tempo, com e da vida eterna (Mc 8.34-35; 9.30-32;
perseverança, para que possamos 10.29-34; 10.42-45).
estar em pé na presença do Senhor Habitaremos com Ele em um
Jesus no dia de sua volta (Lc 21.36; novo céu e uma nova terra (Ap 21.1).
Ef 6.18). Tenhamos cuidado de orar Vamos, pois, continuar servindo-o
e vigiar a cada dia como se fosse o com fé e amor. Estejamos prontos.
último. Ele é a nossa alegria e esperança. Vi-
giem e orem!
Conclusão
Marcos 13 tem três perguntas: 1. Para pensar e agir
Quando será a destruição do tem- 1. O que fazer para que o templo, a
plo? 2. Quando será a volta de Jesus? liturgia dos cultos e o calendário re-
3. Quando será o fim do mundo? As ligioso de nossa Igreja não tomem o
respostas de Jesus, em resumo, são: lugar de nosso relacionamento pes-
ninguém sabe o dia e a hora, mas vo- soal com Deus?
cês precisam estar preparados, pois
pode ser a qualquer momento (Mc 2. Por que algumas pessoas são
13.33-37; Mt 24.36). Sabemos que a seduzidas por falsas doutrinas e fal-
destruição do templo de Jerusalém sos líderes?
aconteceu no ano 70 d.C., através de 3. Como fazer para ter profundi-
Tito. Contudo, a volta de Jesus e o fim dade na Bíblia, na oração e na vigi-
do mundo, aguardamos com oração lância?
e fé. 4. Precisamos mostrar ao mundo
Lembremos da história da mu- que não servimos a Deus em troca
lher grávida que Jesus contou. Ela de bênçãos materiais. Como isso é
fica triste porque chegou a sua hora possível em tempo de sofrimento?
de sofrer. Mas, depois que a crian-
ça nasce, ela fica tão alegre, que Leitura Diária
nem lembra mais do seu sofrimento. SEG João 16.1-22
Assim acontecerá também conos-
co. Quando Jesus voltar ficaremos TER Mateus 24.1-28
cheios de alegria, e ninguém poderá QUA Mateus 24.29-44
tirar essa alegria de nós (Jo 16.20-22).
QUI Lucas 21.1-24
As perseguições sofridas pela
Igreja Primitiva à luz do Novo Tes- SEX Lucas 21.25-38
tamento servem de alerta para nós, SÁB Marcos 13.1-23
pois o mesmo que Jesus ensinou DOM Marcos 13.24-37
para ela, se aplica ainda hoje.

37
Data do estudo Lição 7
Texto base: Efésios 4.4-6

Comunhão
que Resiste ao
Distanciamento
Por Alexandro Abrantes Santana

Quanta beleza e força neste pe- versários, festas, muitas vezes sem
queno texto da Palavra do nosso motivo aparente, fazem parte do
Deus! A maneira como a sentença cotidiano de um povo que gosta de
é escrita reforça a necessidade do estar junto, gosta de sentir o calor
autor em destacar que a unidade do próximo. Com o povo brasileiro
é um elemento basal na igreja de não é diferente, há quem diga que
Cristo. A igreja é a reunião deste somos o povo mais acolhedor do
povo que foi chamado para a co- mundo. O Brasil é a nação onde to-
munhão, para a unidade. Seja na dos são bem recebidos, bem trata-
celebração, no relacionamento, na dos. Aqui, mesmo as reuniões mais
devoção, na missão ou no comun- formais, terminam com uma boa
gar da fé. Somos igreja de Cristo, conversa sobre futebol, uma troca
reunida por Ele, para louvor e glória de receitas, uma dica de viagem
dEle, que serve e está ligada so- ou uma boa piada que faz todos
mente nEle. em voltam rirem como se fossem
Observando as características velhos amigos. Gostamos do calor
de cada povo, de cada país em das relações, da conversa olho no
cada continente, é consenso que os olho, de um aperto de mão e um
latinos são mais abertos ao congre- grande e forte abraço na chegada
gar, ao reunir-se. Churrascos, ani- ou na despedida. Por isso, tem sido

40
tão difícil viver este momento que o que torna iminente o seu fim. As-
nos impõe o distanciamento, como sim, como água e comida, como o
forma de demonstrar amor, respei- ar que respiramos, o relacionamen-
to e carinho. to é vital para a vida e a comunhão.
Mas o texto de Efésios é cirúrgi- É condição “sine qua non” para ser-
co em nos ensinar que a comunhão mos igreja de Cristo.
é algo divino, sagrado, é um dom Por isso, o apóstolo, no versícu-
de Deus, que fortalece os laços de lo 3, suplica aos cristãos em Éfeso
amor, mesmo quando não estamos que “façam todo o possível para se
próximos; por isso, é possível, estar- manterem unidos no Espírito, ligados
mos em comunhão mesmo afasta- pelo vínculo da paz”. A comunhão
dos. é fundamental para o desenvolvi-
mento da vida e da igreja, e para
1. Comunhão que é alcançarmos êxito nesta questão,
vital para a vida precisamos da direção de Deus,
precisamos permitir que o Espírito
É importante lembrar que o Santo do Senhor nos guie e direcio-
apóstolo Paulo escreve esta carta ne.
enquanto estava detido. É evidente
que privação da liberdade é a con- 2. Comunhão que é
sequência mais grave de se estar fruto de dependência
preso, mas não é a única, a privação
do relacionamento é muito agressi- Observando a clara analogia
va para o individuo que esta nesta que Paulo faz entre corpo e igreja,
condição. A solidão é um percebemos que estes
mal, que consome o ser, Todos nós dois elementos têm mui-
traz angustia, traz outros somos tas semelhanças entre si.
males, como ansiedade, Ambos são organismos
membros
baixa autoestima, pode vivos, que tem necessi-
fazer com que a pessoa
deste corpo, dades, emoções e sensa-
perca a habilidade de todos nós ções. Ambos são guiados
desenvolver novos rela- temos igual por uma cabeça, por uma
cionamentos e, por fim, importância e mente. Todos os coman-
desencadear um qua- relevância dos que o corpo recebe,
dro depressivo. Mesmo seja de ações conscien-
preso, Paulo sabia que uma igreja tes, como comer, andar ou falar,
onde o individualismo impera está seja de ações inconscientes, como
fadada ao fracasso e sufocamento, respirar, digerir a comida, quebrar

41
nutrientes, fazer pelos crescer ou 3. Comunhão que é presença
multiplicar células, são determina- mesmo na ausência
dos pelo nosso cérebro.
A parte final do versículo 6 diz o
Da mesma forma é a igreja. Todos seguinte: “o qual está sobre todos,
nós somos membros deste corpo, em todos, e vive por meio de todos”.
todos nós temos igual importância Sem a presença de Deus sobre nós,
e relevância, mas quem determina em nós e através de nós não há co-
o nosso lugar e função no corpo é munhão. Os nossos irmãos que ti-
o próprio Cristo, que é o cabeça, veram o privilégio de conviver com
a mente. É ele que dirige nossos Cristo na terra, principalmente os
discípulos, tiveram que, após sua
passos, é ele que conduz a igreja
partida, aprender a ter comunhão
e as nossas vidas. Imagine você, se
com Ele, mesmo com sua ausên-
suas mãos ou seus pés tivessem cia física. Descobriram que mesmo
controles independentes e um qui- não estando ali fisicamente, Cristo
sesse andar e o outro correr? Além sempre esteve, está e estará pre-
de muito estranho, logicamente sente. Cabia a eles buscar a comu-
você iria cair. Observe como isso é nhão com o Mestre, desenvolvendo
interessante: mesmo que para cor- uma vida de oração, reflexão e ação
rer você use os pés, somente com baseada nos seus ensinamentos e
os pés é impossível correr. Todo o orientações.
corpo precisa estar envolvido na Nós, como igreja, aprendemos a
corrida, os pés são a base, as per- ter comunhão com Deus, estando
nas fazem o movimento de tração, juntos, no templo, nos cultos, nas
o quadril firme dando estabilidade, reuniões. Isso tudo é importantís-
simo, mas não é fundamental, não
os braços ajustados para dar equi-
pode ser a base da nossa comu-
líbrio e aerodinâmica, os olhos fixos
nhão. O mesmo Deus que busca-
à frente, pulmões, coração, diafrag- mos no templo, juntos, esta dis-
ma... todos trabalhando, num mo- ponível e acessível. Ele está sobre
vimento de interdependência, para nós, em nós e age através de nós.
alcançar a linha de chegada. Assim Essa certeza de que Deus está pre-
funciona com a igreja. Todos nós sente sempre, que Ele nos mantém
trabalhamos em comunhão e de- em unidade, mesmo que não pos-
pendência, para que, dirigidos por samos estar juntos, precisa tomar
Cristo, alcancemos êxito em nossa o nosso coração. O apóstolo Paulo
missão. escreveu a carta aos Efésios en-

42
quanto estava preso, sozinho, mas, para o que nos une, ao invés de
ele não se sentia assim, sua mente para o que pode nos separar. Deus
e coração estavam cheios da pre- nos chama a olharmos para Cristo.
sença e comunhão com Cristo. O Fazendo assim, nossa comunhão
Mestre estava ali, sobre ele, nele e resistirá não somente ao distancia-
agindo através dele. O Mestre está mento, mas a toda e qualquer outra
com você, sobre você e agindo coisa que se levantar contra nós.
através de você. Sinta a sua presen-
ça, mesmo que não possa vê-lo. Para pensar e agir

Conclusão 1. O que você esta disposto a fa-


zer para preservar a comunhão?
Em tempos de afastamento, fo- 2. Tem pessoas que trazem pra-
mos forçados a olhar para dentro, zer com sua presença, outras com
olhar para coisas que passavam sua ausência. Como você se vê?
despercebidas, coisas que iam per- Como você acha que as pessoas te
dendo importância com o passar veem?
dos dias. Mas, veio o coronavirus
3. A interdependência é funda-
e com ele o #fiqueemcasa, então,
mental para desenvolver a comu-
ao ficar em casa, ao ter mais tem-
nhão. Você se sente a vontade sa-
po, surgiu uma nova oportunidade.
bendo que depende de alguém?
Quero acreditar que com o passar
do tempo, este momento que vi- 4. Cristo é presença em todo o
vemos, ficará conhecido como “a tempo. Na sua percepção, como
pausa pra se reconectar”. As pesso- estamos reproduzindo esta presen-
as passaram algum tempo fazendo ça como igreja?
coisas que não faziam; talvez refei-
ções numa mesa que tinha perdido
espaço para o sofá e para a TV, tal-
vez um jogo de tabuleiro em famí- Leitura Diária
lia, talvez um banho de mangueira. SEG 1 João 1.1-3
Pais e filhos, irmãos, casais tiveram TER Atos 2.44-47
e ainda tem a oportunidade de se
QUA Gálatas 6.10
reconectar, de olhar para coisas
que são valiosíssimas e dar a elas o QUI 1 João 3.16
seu devido valor. Tomara Deus que SEX João 17.23
a comunhão seja uma delas, que SÁB João 17.23
o “sermos um” tenha o seu devido DOM Efésios 4.4-6
valor. Deus nos chama a olharmos

43
Data do estudo Lição 8
Texto base: 2 Pedro 3.8-18

Espiritualidade
Saudável
Por Hudson Galdino da Silva

Certo professor de música, que- Deus quer que tenhamos uma


rendo ensinar a arte musical como vida saudável independente das cir-
princípio para a vida, reuniu os seus cunstâncias. É o que nos propomos a
alunos iniciantes e num quadro bran- pensar no estudo desta lição. O que é
co colocou vários pontos escuros e vida espiritual saudável?
dizia que cada um deles poderia re-
presentar em nossa vida a tristeza, 1. É aquela que vive a
pandemias, dores, lágrimas, choros, temporalidade, sem perder o
sofrimento, perdas, enfim. Depois, entendimento de que quem
então, começou a traçar algumas li- nos dirige não é limitado pelo
nhas, como se elas representassem o tempo (v.8)
tempo de nossa vida. No final, então,
foi que colocou uma clave de sol para “Amados, não ignoreis uma coisa,
mostrar que representava uma pauta que um dia para o Senhor é como
musical e começou a cantar: “Terás mil anos, e mil anos como um dia.”
vida em olhar para Jesus Salvador...”. Quando Pedro escreveu a epístola,
Dizia o professor, todo entusiasmado, os cristãos viviam a agonia que é lidar
que as manchas escuras em nossas com o tempo. Isto trazia ansiedade e
vidas podem ser transformadas por preocupações. O tema de Pedro era
Deus e, assim, podemos em todo quando Jesus voltaria. Pedro queria
tempo ter uma vida saudável, se em que eles entendessem de forma es-
nossas dores for colocada uma me- pecial como tratar e lidar com o tem-
lodia. po. Pedro faz uso do ensino do Salmo

44
90.4: “Porque mil anos são aos teus 2. Compreende que o
olhos como o dia de ontem que pas- tempo do cumprimento
sou, e como a vigília da noite”. das promessas de Deus
Quando lidamos com os propó- tem como base a sua
sitos de Deus a questão de tempo é longanimidade (v.9)
indiferente. Era isto que Pedro estava
“O Senhor não retarda a sua
ensinando. Nossa vida precisa estar promessa, ainda que alguns a
bem sincronizada com o sentido de têm por tardia; mas é longânimo
tempo. O tempo incorpora valores para conosco, não querendo que
porque nos faz pensar, refletir e de- alguns se percam, senão que todos
cidir. As decisões são resultadas de venham a arrepender-se.”
cada momento que vivemos. É preci-
so ter uma compreensão do que seja Pedro, então, trata do tema falan-
o nosso tempo e o tempo de Deus. do sobre a longanimidade divina. A
Não há como viver de maneira promessa da volta de Jesus não era
saudável nesta época que estamos uma promessa individual, nem para
vivemos, cheio de desafios impostos um povo, nem para algumas pes-
pela pandemia que assola o mundo, soas. O que para alguns cristãos era
sem a exata compreensão do que uma promessa demorada, para Pedro
seja e como viver cada tempo de nos- era um tempo da longanimidade de
sa vida. Deus. Deus é longânimo.
Fomos surpreendidos pela pande- Pedro diz que Deus “não retarda”,
mia. Mas Deus nunca é surpreendido. ou seja, Deus não trata a sua promes-
Ele é o Senhor de tudo e de todos. sa com indiferença. Não podemos
Tudo está sob seu domínio, força, au- desprezar as riquezas da graça de
toridade e poder. Deus, Efésios 1.7: “Em quem temos a
redenção pelo seu sangue, a remissão
Especula-se sobre quanto tempo das ofensas, segundo as riquezas da
vai durar a pandemia. Mas para Deus sua graça.”
não faz diferença se foi ontem, se é
hoje e ou se será amanhã. Deus é o Lidar e se situar com as promes-
Senhor da história. Ele dirige a his- sas de Deus é um desafio para a
tória, não determina a história, mas vida saudável. Às vezes, misturamos
pode e intervém na história e tem as promessas. Não distinguimos as
uma teleologia para a história. promessas pessoais, individuais e
promessas gerais. Tem gente que
As situações e circunstâncias da continua insistindo em promessas
vida não devem nos fazer parar, es- que foram feitas especificamente a
tacionar nas preocupações deste pessoas, a famílias e que já se cum-
tempo presente. Podemos até perder priram, deixando para nós o exemplo
o controle de algumas situações em de obediência, fé, renúncia e o ensino
nossa vida, mas Deus nunca perde o da fidelidade de Deus.
controle do tempo e de nossa vida,
por isto que compreender o tempo Pedro fala então da volta de Jesus.
de Deus, renova a nossa esperança. Uma promessa geral. Alguns murmu-
raram e mudavam de comportamen-

45
to porque não viam o cumprimento dessem representa-lo vivendo com
da volta de Jesus. Mas a história é santidade, sem mácula. Isto repre-
conduzida com longanimidade. Nos- sentava um contexto conflitante. Vi-
so Deus estende as oportunidades. vemos o aqui e agora, mas com pers-
Estica o seu amor. Vida saudável pectivas na eternidade. Vivemos num
compreende que mesmo quando contexto pátrio terreno, mas sabendo
queremos ver um resultado imediato, que temos valores eternos.
não podemos esquecer que em todo Como os cristãos deveriam aguar-
tempo Deus age com longanimidade. dar o momento da volta de Jesus?
O que pode ser para mim dor, lágri- Murmurando, reclamando, debaten-
mas, choro, tristeza, sofrimento, in- do tempos e estações? Não. Especu-
certeza, enfim, Deus usa sua longani- lando resultados? Não. Precisavam vi-
midade em nosso favor para que tudo ver dignamente conforme o chamado
em suas mãos venham contribuir jun- do Senhor, com compromisso aqui,
tamente para nosso bem, conforme mas sabendo que a justiça verdadeira
Romanos 8.28: “E sabemos que todas e plena, absoluta, será na eternidade.
as coisas contribuem juntamente para Mas viver os valores do Reino en-
o bem daqueles que amam a Deus, quanto aqui é o meu compromisso de
daqueles que são chamados segundo viver de maneira saudável.
o seu propósito”. Deus transforma mi-
nhas ansiedades e lutas em melodia. 4. Tem compromisso integral,
íntegro e coerente para com
3. Renova a esperança as Escrituras (v.16)
transcendente sem perder
os valores de uma vida aqui “Falando disto, como em todas as
e agora (v.11, 14) suas epístolas, entre as quais há
pontos difíceis de entender, que os
“Havendo, pois, de perecer indoutos e inconstantes torcem, e
todas estas coisas, que pessoas igualmente as outras Escrituras,
vos convém ser em santo trato, para sua própria perdição.”
e piedade, por isso, amados,
aguardando estas coisas, procurai Assim como não existe vida sau-
que dele sejais achados imaculados dável sem uma boa alimentação,
e irrepreensíveis em paz.” equilibrada e rica em vitaminas e sais
minerais e tudo que o corpo precisa
O apóstolo usa algumas palavras para estar bem ajustado e funcio-
para expressar nosso compromisso nando devidamente; também a vida
de vida saudável: santo trato, pieda- espiritual precisa do alimento que é
de, imaculados e irrepreensíveis. San- a Palavra de Deus, a Bíblia Sagrada.
to trato é o procedimento diferente, O apego à Palavra, com reverência,
com retidão e pureza. Piedade sig- temor, leitura, meditação, estudo e
nifica que não pode haver apatia em obediência fazem dela, por ser viva
nossa vida. O Cristo imaculado que e eficaz, nossa vida mais feliz. Ela nos
voltaria deveria ser o alvo, o exemplo, evita a pecar. É proteção da alma e do
o estímulo, a motivação para que o coração. Faz-nos firmes em tempo de
aguardo de sua vinda os cristãos pu- lutas, provações e tentações. Dá-nos

46
robustez na fé, porque esta vem pelo continuamos recebendo o cuidado
ouvir a Palavra. Nos faz alegres e fe- gracioso de Deus. Devemos crescer
lizes, mesmo quando tudo ao nosso na dependência de Deus. Depender
redor nos é contrário e perverso. cada dia do Senhor, com ou sem pan-
Pedro, em meio a crise que os cris- demia. Com fartura ou escassez. Não
tãos viviam sobre a volta de Jesus, importa. O Senhor disse para Paulo: “A
fala também do perigo como alguns minha graça te basta, porque o meu
lidavam com a Palavra. É preciso ter poder se aperfeiçoa na fraqueza” (2
muito cuidado para que a Bíblia não Coríntios 12.9a).
seja usada com exageros emocionais
e falácias hermenêuticos. Não é a Para pensar e agir
pandemia que vai interpretar as Es- 1. Compreenda e viva o tempo de
crituras, mas as Escrituras que inter- Deus com paciência e fé. Mantenha
pretam nossas experiências de vida, a calma e a paz em sua casa, vida
sejam pessoais ou da humanidade. profissional e pessoal. Deus está no
Pedro adverte, portanto. É preciso ter controle.
firmeza de fé não permitindo ser ar-
rastados pelo engano fraudulento. 2. Nossa esperança na eternidade
não pode diminuir nosso compromis-
5. Sempre redireciona seu so com os valores do Reino de Deus.
Não murmure, mas compartilhe fé,
foco de vida e conhecimento
coragem, confiança, resignação, es-
na pessoa de Jesus (v.18) perança.
“Antes crescei na graça e 3. Dedique mais de seu tempo à
conhecimento de nosso Senhor e oração e à leitura da Palavra de Deus,
Salvador, Jesus Cristo...” assim fazendo, você vai viver o pós
O mundo é cheio de informações, pandemia como um crente mais for-
mas desprovido de conhecimento. Na te, mais firme e cheio da graça e do
vida cristã também. Crentes “pregui- conhecimento de Jesus.
çosos”, que não querem produzir suas
meditações e reflexões. Preferem os
chamados “enlatados”. Repassar e
compartilhar citações, mas sem uma
reflexão pessoal, tem sido a moda. É Leitura Diária
a geração dos consumistas da fé. Só SEG Salmos 90.4
querem consumir e nada produzir.
Pedro, diante de tantas incertezas TER 2 Pedro 3.8-14
dos cristãos e diante do que diziam QUA Romanos 8.28
ser demorado, apresenta a agenda da
QUI 2 Pedro 3.15-17
vida cristã, a agenda do crescimento
na graça e conhecimento de nosso SEX Efésios 1.7
Senhor Jesus Cristo. Pedro menciona SÁB 2 Pedro 3.18
duas questões básicas: graça e Jesus.
Enquanto as coisas não se cumprem, DOM 2 Coríntios 12.9

47
Data do estudo Lição 9
Texto base: Josué 1.1-9

Palavras de
Encorajamento
Por Marcos Lopes

O que fazer quando a missão é um rio de não pouca profundidade


grande demais para nossa capacida- que precisava ser atravessado, o rio
de? Jordão.
Moisés, o profeta que falava com Me arrisco em afirmar que você
Deus face-a-face, acabara de morrer. que está lendo essa lição já teve
E agora Deus faz uma convocação medo. Com menos certeza, me ar-
direta e objetiva à Josué: “[...] Agora, risco em dizer que Josué estava com
pois, você e todo este povo, preparem- medo também, tanto é que Deus
-se para atravessar o rio Jordão e en- orienta que tivesse coragem. E não é
trar na terra que eu estou para dar aos para menos, além de todas as dificul-
israelitas” (Js 1.2). dades que chegariam, ele substituía
Não dá para saber exatamente ninguém menos que Moisés, e muito
o que Josué estava pensando, mas pior que suceder a uma boa perfor-
dá para imaginar o que ele via: à sua mance, é suceder o único profeta que
frente, um povo de alguns milhões de viu Deus face-a-face, no qual igual,
pessoas, que acabara de perder seu nunca houve (Dt 34.10).
grande líder e também sua referência De fato, Josué tinha motivos de so-
de comunicação com Javé; às suas bra para sentir medo.
costas, a terra prometida, com inú-
meros inimigos, maiores, mais fortes 1. A questão do medo
e com cidades fortificadas e armadas e a ansiedade
até os “dentes”, e além de tudo isso,
Segundo pesquisa realizada pela

48
OMS (Organização Mundial de Saú- Vamos extrair alguns ensinamen-
de), o Brasil é o país mais ansioso do tos preciosos que Deus nos oferece
mundo. Conforme a Revista Exame, neste precioso monólogo com Josué.
em publicação do dia 05/06/2019, a
pesquisa aponta que 18,6 milhões de 2. Se preocupe com o que
brasileiros convivem com o transtor- deve se preocupar
no de ansiedade.
O estoicismo apresenta um prin-
Diferente do medo, que é uma cípio muito interessante. Ele diz para
emoção primitiva e tem o objetivo de você identificar aquilo que pode con-
nos proteger, a ansiedade é um esta- trolar e se concentrar apenas nisto.
do mental e corporal mais espalhado Numa situação adversa, com inúme-
no tempo, causada por uma amea- ras possibilidades de desdobramen-
ça diluída: não o desemprego, mas to, é extremamente normal o medo
a possibilidade do desemprego, por tomar conta e anteciparmos as difi-
exemplo. Sendo assim, a ansiedade culdades para o presente.
é um estado que nos leva ao sofri-
mento precoce, de um futuro incerto, Diferente de Moisés, Josué fez um
que pode trazer ou não um possível “estágio”. Isso foi muito bom para pre-
problema. O problema não existe, para-lo, mas a consciência da realida-
mas você já começa a sofrer como se de é um grande vetor de preocupa-
existisse. ção. Josué sabia que o povo não era
fácil, vivenciou todas as dificuldades
Se tivéssemos em uma conversa do Egito e conhecia os perigos que
com Josué e perguntássemos se ele estavam por vir. A valentia demons-
sentiu medo naquele momento, pro- trada por Josué em Números 14,
vavelmente sua resposta seria afir- quando foi um espia, muito fala a seu
mativa. Afinal, Josué é gente como a respeito, mas neste momento, ele é
gente. A propósito, Neemias sentiu líder do povo, e o contexto é diferente.
temor quando o rei lhe perguntou so-
bre seu semblante entristecido (Nm De fato, a missão era maior que Jo-
2.2), Gideão seguiu as orientações sué, e Deus também sabia disso. Por
de Jeová em descer ao arraial dos isso Ele enquadra Josué e chama sua
inimigos caso estivesse com medo atenção para o que realmente deveria
(Jz 7.10), Abraão pediu para que Sara se preocupar e, em um “mar” de coi-
mentisse sobre seu relacionamento sas que precisavam ou poderiam ser
com ele, com medo dos Egípcios (Gn feitas, o que ele realmente deveria
12.12-13), Pedro mentiu, os discípulos fazer.
fugiram, enfim, provavelmente Josué
também teve medo. E com certeza,
2.1 - Deus garante a
esse não seria o problema. O real pro- Josué o que Ele fará
blema era a ansiedade que Josué po- Nos versículos 1 e 2 do capítulo 1,
deria nutrir ao antecipar os problemas Javé comissiona Josué. Reafirma a
vindouros. É maravilhoso saber que morte de Moisés e diz qual será sua
Deus conhece nossas imperfeições e missão agora.
cuida de nós.

49
Nos versículos 3, 4 e 5, Deus diz o verdade, é irresponsável ou inconse-
que Ele realizará e garantirá que todo quente. De certa forma, é o medo que
o lugar que eles pisarem será deles, nos mantém diligentes. A coragem,
desde o deserto e o Líbano, até ao antes disso, é o que nos mantém ati-
grande rio Eufrates, toda a terra dos vos, mesmo com medo. Sendo assim,
heteus e até o grande mar para o po- coragem é o que nos faz agir, mesmo
ente do sol. Que ninguém poderia re- estando com medo.
sistir a Josué por todos os dias de sua E é isso que Deus está falando com
vida e que assim como esteve com Josué: “Não deixe o medo te paralisar
Moisés, estaria com ele, que não o ou desaminar. Seja corajoso para en-
deixaria e nem o desampararia. frentar os problemas e inclusive seu
Mas por que? Josué conhecia a próprio medo, porque Eu já te disse o
Deus, conhecia seus feitos, falar isso que Eu vou fazer”.
não seria como “chover no molha- E depois de direcionar Josué para
do”? De forma alguma. Porque Deus a missão dada e dizer o que Ele (Deus)
sabe que algumas situações são tão iria fazer, mostrando para Josué qual
adversas, que nossa fé cambaleia, e deveria ser sua postura, Deus mostra,
algumas vezes pensamos que até es- agora, o que Josué deveria realmente
tamos sozinhos. O que Deus estava fazer.
dando para o novo líder era uma ân-
cora, e esta âncora é nossa também: 2.3 - Deus mostra para Josué
Josué, se você se esquecer de tudo, o que ele deveria fazer
ou perder tudo, se agarre ao que Eu
disse confiando na minha promessa. Nos versículos 7 e 8, Deus diz para
Josué:
2.2 - Deus mostra para Josué “[...] para teres o cuidado de fazer
qual deve ser sua postura conforme a toda a lei que meu servo
Nos versículos 7, 8 e 9, a advertên- Moisés te ordenou; dela não te des-
cia de que o momento demandava vies, nem para a direita nem para a
coragem é repetida 3 vezes. No ver- esquerda, para que prudentemente te
sículo 9, Deus dá maior ênfase: “Não conduzas por onde quer que andares.
fui eu que ordenei? Seja forte, corajoso Não se aparte da tua boca o livro desta
[...] não se apavore e não se desanime”. lei; antes medita nele dia e noite, para
Em outras palavras, se tiver medo, que tenhas cuidado de fazer conforme
não tem problema, apenas se dispo- a tudo quanto nele está escrito; porque
nha em fazer o que te mandei. então farás prosperar o teu caminho, e
serás bem sucedido.”
Geralmente faz-se uma confusão
com o significado da palavra cora- Em outras palavras, é como se
gem, e achamos que essa é a quali- Deus dissesse: “Josué, sei que você
dade de alguém que não sente medo, deve estar muito preocupado em
o que é um equívoco muito grande. O como as coisas devem ser feitas e
medo é uma emoção primitiva e fun- como você vai lidar com cada situ-
damental para nossa proteção e pre- ação que aparecer, mas isso tudo é
servação. Quem não sente medo, na secundário. O que Eu quero mesmo
é que você não se perca. É simples,

50
Josué, se mantenha firme naquilo que está a direção que você deve seguir.
você tem certeza que é a coisa certa, Procure fazer tudo o que ela orienta.
e não se esqueça disso nunca. Tenha Medite nela continuamente (Salmo 1),
coragem, inclusive para assumir essa pois desta forma você prosperará e
posição. Se preocupe com isso que o não se perderá.
resto é comigo”. Se você tem dúvidas e medo do
futuro, a resposta é simples, e são as
Conclusão orientações para Josué: Não se pre-
Talvez você olhe para a sua vida e ocupe com nada que não seja a co-
pense que nunca fez ou nunca fará ragem que você deve ter e a vontade
algo tão grandioso quanto Josué e de Deus expressa em sua Palavra.
então suas preocupações não mere- O resto você não controla. O resto é
cem a mesma atenção. Mas a verda- com Deus.
de é que isso não faz a menor dife-
rença e os princípios extraídos desses
Para pensar e agir
pequenos versos devem fazer senti- 1. Você está incluído nestes 18,6 mi-
do para você e para nós. lhões de brasileiros que convivem com
Em primeiro lugar, Deus tem uma o transtorno de ansiedade? Caso sim, o
missão para você. Na verdade, para que você aprendeu com a lição?
todos. E se alguém não se vê com 2. No desempenho de uma missão,
uma missão exclusiva, olhe para sua o que você mais precisa levar em con-
família, seus amigos, colegas de tra- ta: o tamanho do desafio ou às ordens
balho, seus vizinhos, sua igreja e a daquele que o comissionou?
necessidade das pessoas a sua volta. 3. Com base na lição, o que você
Há pessoas precisando de cuidados, considera como indispensável ao
serem evangelizadas, alimentadas e, cumprimento de uma missão dada por
principalmente, salvas. Há pessoas Deus?
que estão sob a sua responsabilidade
cuidar. Agarre sua missão! 4. Se concentrar no essencial, isto é,
não perder o foco da missão, é funda-
Segundo, confie nas promessas de mental para não deixar que fatores ou-
Deus, pois Seu caráter não falha. Se tros nos desanimem. Você concorda?
lhe faltar tudo, não esqueça da sua fé
e se agarre ao que você sabe e tem Leitura Diária
certeza.
Terceiro, sentir medo é normal e SEG Neemias 2.1-10
natural. E é bom que sinta medo. O TER Juízes 7.9-18
que deve ser anulado é o medo ex-
tremo ou a ansiedade interminável, QUA Gênesis 12.10-20
pois esses lhe farão paralisar e adoe- QUI Marcos 14.66-72
cer. Por isso, seja corajoso e aprenda
SEX Números 14.1-9
a agir, mesmo com medo.
Quarto, se concentre no básico. SÁB Deuteronômio 31.1-8
Se prenda à Palavra de Deus, pois ali DOM Salmos 27

51
Data do estudo Lição 10
Texto base: Romanos 5.3-5

Frutos da
Tribulação
Por Felipe Pinto Lima

Por que experimentamos tribula- que Paulo estava escrevendo à


ções? Qual deve ser a nossa postu- igreja de Roma, que enfrentava tri-
ra diante delas? É possível aprender bulações tanto no contexto social
alguma coisa? quanto no de sua fé. É bem verdade
Em fevereiro de 2015, a minha es- que os cristãos foram justificados,
posa começou a sofrer de uma ter- isto é, declarados inocentes, atra-
rível hemorragia. Buscamos auxílio vés do sacrifício de Jesus. O fato de
médico e, depois de vários exames, terem sido reconciliados conferiu-
recebemos o seguinte diagnóstico: -lhes paz e o direito de se alegra-
Raquel havia adquirido um câncer rem na esperança da glória divina.
muito agressivo, que se alojou no No entanto, eles não estariam isen-
útero. Aquela notícia nos abalou tos das tribulações. Ao contrário!
profundamente. Nós tínhamos uma Todos os cristãos, inclusive eu e
família feliz, uma bela filha, pen- você, devemos nos gloriar na espe-
sávamos em outro bebê e éramos rança da glória de Deus, ainda que
cristãos. Em razão disso, fomos le- nas tribulações. Vejamos o porquê:
vados a fazer perguntas como as
que iniciamos esta lição. 1. A tribulação produz
perseverança
Infelizmente, as tribulações fa-
zem parte da vida humana. No tex- A vida humana nos primeiros
to base da nossa lição, percebemos anos do cristianismo era mórbida,

52
insalubre e nociva. Nos bairros mais à vida humana. Quando o apóstolo
populosos da cidade de Roma, por Paulo diz que devemos nos gloriar
exemplo, lixo e dejetos eram atira- nas tribulações, considera até mes-
dos das janelas das casas. Nesse mo a pior delas, isto é, a que pode
sentido, as péssimas condições de nos esmagar como um rolo com-
higiene expunham as pessoas a in- pressor. Se a temos que experimen-
fecções, enfermidades e, em boa tar, ao invés da vitimização, ou seja,
parte dos casos, a morte. Como de culparmos algo ou alguém, que
não havia policiamento, a violência possamos nos alegrar e, portanto,
assumia contornos assustadores. empenharmo-nos para que, atra-
Além disso, pessoas que aceitas- vés das tribulações, cresçamos em
sem a Jesus como Senhor e Salva- perseverança.
dor estavam sujeitas às persegui-
ções. Inicialmente, por parte das 2. A perseverança produz
autoridades judaicas, e, depois, caráter aprovado
pelo Império Romano.
A perseverança é uma das mais
Ainda que o corpo social daque- estimadas virtudes que o ser huma-
le período dispusesse de defor- no pode adquirir. Ela, na verdade,
midades, suas intercorrências ou desempenha um papel fundamen-
irregularidades eram consideradas tal no modo como lidamos com as
parte do processo, pelos inspira- tribulações. No entanto, dá-se ao
dos escritores do Novo Testamento. luxo ou se reserva do direito de não
Em razão disso, o apóstolo Paulo ser teórica ou especulativa. Em ou-
recomenda que os cristãos deve- tras palavras, ainda que estudásse-
riam ter especial interesse pelas mos todos os livros a seu respeito,
tribulações. Isso não significa dizer não conseguiríamos entendê-la
que deveriam assumir uma postura totalmente. Também não adianta-
masoquista, isto é, de busca pelo ria fazer orações no sentido de que
sofrimento ou pela humilhação. Em fôssemos agraciados com perseve-
momento algum o apóstolo Paulo rança. Isso não faz parte da peda-
propõe que o sofrimento, resultante gogia de Deus! Mas só aprendere-
das tribulações, tenha um fim em si mos sobre perseverança por meio
mesmo. No entanto, faz referência de seu exercício prático.
ao elemento pedagógico.
A perseverança, de que trata o
Como dito por Benjamin Franklin, apóstolo Paulo, significa um tipo de
um dos líderes da revolução que paciência que nos faz triunfar. Ela
deu a independência aos norte-a- não é passiva ou, na impossibili-
mericanos, “viver é enfrentar um dade de se fazer algo, espera para
problema atrás do outro”. O que sig- ver o que vai acontecer. A perse-
nifica dizer que eles são inerentes verança nos concede uma estabi-

53
lidade positiva, a semelhança, por aprovação é resultado da prova-
exemplo, da primeira vértebra da ção. Quando o apóstolo Paulo es-
coluna vertebral, que é responsável creve a igreja de Roma, lembra-os,
pela sustentação do crânio huma- assim como também a nós, que as
no. Este pesa cerca de cinco qui- tribulações são um elemento fun-
los, mas, uma vez inclinado, pode damental para que a perseverança
chegar a vinte sete quilos. Durante nos leve à vitória. Na linguagem por
toda a vida humana, em condições ele utilizada, o caráter aprovado. Do
normais, esta vértebra oferecerá as contrário, as tribulações só servirão
oportunidades ideais para a manu- para nos fazer sofrer.
tenção do crânio. Os cristãos que desejam receber
Uma vez que as tribulações são a aprovação são submetidos a um
inevitáveis, precisamos suportá-las. processo semelhante a que um ou-
Não como sendo o último recurso. rives (pessoa que trabalha com me-
Isso para nada nos adiantaria. Mas, tais preciosos) emprega para refinar
na verdade, buscando conhecer o ouro, por exemplo. Ao ser subme-
mais a natureza dessa tribulação, tido ao fogo, extrai-se, ou retira-se,
o que podemos fazer para ameni- todo tipo de impureza. A partir de
zá-la e nos colocando inteiramen- então, torna-se puro. Na mesma
te nas mãos poderosas do nosso medida, ao enfrentarmos as pesa-
Deus. Como nas palavras do es- das lutas que a vida nos impõe, com
critor aos Hebreus (10.36), “vocês a devida perseverança, isto é, paci-
precisam perseverar, de modo que, ência triunfadora, temos a oportuni-
quando tiverem feito a vontade de dade de nos tornarmos mais puros,
Deus, recebam o que Ele prometeu”. melhores e, ainda, aproximarmo-
Esta, sim, é o que podemos chamar -nos de Deus. Ele, em razão disso,
de uma perseverança que gera em irá nos chancelar ou confirmar o ca-
nós uma paciência, que nos fará ráter aprovado.
triunfar sobre todas as tribulações. O apóstolo Paulo encerra o pro-
cesso instaurado, ou seja, tribula-
3. O caráter aprovado ção, perseverança e caráter apro-
produz esperança vado, com a esperança. Não no
Na discografia de um dos grupos sentido de um otimismo sem fun-
mais conhecidos de todo o Brasil damento ou temerário. Esse não é
Batista, o Grupo Logos, encontra- um processo cujo resultado poderá
mos uma bela canção chamada apresentar uma surpresa. Pelo con-
Espinhos. A certa altura, a letra diz: trário! A esperança tem a ver com
“Senhor, se estou por ti sendo pro- uma certeza inequívoca ou irrefu-
vado, eu quero ser aprovado agora”. tável, conquistada por Jesus Cristo
Essa afirmação nos lembra que a na cruz do calvário. Eu e você não

54
nos decepcionaremos. É bem ver- ção. Como dito pelo apóstolo Paulo
dade que poderemos nos unir a à mesma igreja de Roma, “pois dele,
Sadraque, Mesaque e Abdenego, por Ele e para Ele são todas as coi-
naquela fornalha de fogo ardente, sas. A Ele seja a glória para sempre.
mas “nem um só fio de cabelo ‘será’ Amém!” (Rm 11.36).
chamuscado” (Dn 3.27).
Para pensar e agir
Conclusão
1. Certas tribulações parecem
Na parte introdutória desta nos- nos esmagar como um rolo com-
sa lição, comentamos acerca do pressor. É tanta pressão que cor-
câncer que a minha esposa Raquel remos o risco de perder o controle.
havia adquirido. Aquela fora a nos- Nesses momentos, podemos nos
sa maior tribulação. Morávamos há assentar para ver qual será o resul-
cerca de cento e quarenta quilôme- tado ou, então, empenharmo-nos
tros de distância da clínica em que para que a nossa perseverança
Raquel fez o seu tratamento, e não produza uma paciência triunfadora.
foram poucas as vezes que fizemos Qual tem sido a sua opção?
aquele trajeto. Em algumas ocasi- 2. Na medida em que as tribu-
ões, os efeitos colaterais da medi- lações produzam em nós a perse-
cação tornavam as viagens ainda verança, ou seja, a paciência triun-
mais difíceis. O tratamento foi feito fadora, fortalecemos os nossos
até o final, e Raquel ficou curada. No músculos espirituais. Nessa acade-
entanto, não poderíamos ter mais fi- mia de Deus, você hoje seria apro-
lhos. Assim que começamos a nos vado ou reprovado?
acostumar com a situação, um mi-
3. Que tal aproveitar as tribu-
lagre aconteceu: Raquel ficou grá-
lações, que são próprias da vida
vida! Além da bela Sofia, recebe-
humana, e se aproximar mais de
mos de Deus o esperto Calebe.
Deus? Não deixe passar essa opor-
Essa minha história teve um úni- tunidade.
co motivo: mostrar a você que, a
despeito das tribulações, o Senhor Leitura Diária
Deus continua conosco e que é SEG Daniel 3.1-30
possível “nos gloriarmos na espe- TER Lamentações 3.1-26
rança da glória de Deus” (Rm 5.2b).
Ele se utiliza do sofrimento humano, QUA Jó 42.1-6
resultante da queda, para nos ensi- QUI 1 Reis 19.9-18
nar, aperfeiçoar e nos dar a oportu- SEX João 11.38-45
nidade de nos aproximarmos dele.
Que fique claro que não há mérito SÁB Filipenses 4.10-20
algum em nós por causa da aprova- DOM Lucas 22.39-46

55
Data do estudo Lição 11
Texto base: Hebreus 13.5

Presença
Suficiente
Por Thiago Soares da Rocha

Se perguntarmos às pessoas o para ter uma vida de paz e tranqui-


que lhes faltam para terem paz e lidade. A Sua Presença é de fato su-
tranquilidade na vida, ouviremos ficiente.
muitas respostas diferentes. Algu- Podemos ter a certeza de que
mas responderão que se tiverem a Presença de Deus está conosco,
uma conta bancária gigantesca te- pois isso é uma promessa que Ele
rão tranquilidade pelo resto de suas fez. Na história bíblica esta pro-
vidas. Outras dirão que é a saúde messa foi ouvida pela geração de
o item indispensável para viverem hebreus que foram sustentados
em paz. Pode ser até que alguém por 40 anos no deserto e estavam
responda que é a prosperidade da prestes a entrar na terra de Canaã
sua igreja a coisa mais importante (Dt 31.6). Sem dúvida alguma foi
para ter paz e tranquilidade na vida. muito importante para encorajar
O grande problema destas respos- àquela geração à superar os seus
tas é que elas colocam a satisfação desafios. Outra vez em que ela apa-
pessoal no tempo futuro, ignoran- receu, aconteceu no comissiona-
do a maior entre todas as bênçãos mento de Josué (Js 1.5). Ouvir essa
que podemos receber, a Presença promessa foi fundamental para ele
de Deus. O Senhor já providenciou cumprir a missão que recebeu de
tudo que realmente precisamos liderar o povo, sucedendo Moisés.

56
A Presença de Deus é uma pro- quilidade. O dinheiro é um péssimo
messa que vem nos suprir diante patrão, mas um ótimo servo, pois
das adversidades que nos afligem. tem sua utilidade.
Podemos confiar nas promessas A riqueza não deve ser padrão
de Deus, pois Ele é Fiel e Poderoso para as decisões mais importantes.
para cumpri-las. A própria essência da vida e o va-
lor que Deus dá a ela são os parâ-
1. A Presença é suficiente, metros para tomada de decisão e
os recursos não são! orientação do caminho que temos
O versículo de Hebreus 13.5 en- que seguir. A Presença é suficiente,
sina que não dependemos dos re- mas os recursos não são.
cursos, mas da Presença de Deus.
Acumular riquezas nesta vida não 2. A Presença é suficiente,
garante o futuro de ninguém e mui- o templo não é!
to menos satisfaz sua alma. Em A carta aos hebreus foi destinada
meio à crise provocada pela pan- a uma comunidade que, de modo
demia e o distanciamento social, geral, estava retornando às práticas
muitas foram as preocupações judaicas de sacrifício, dependência
individuais e coletivas no que diz do sacerdote e utilização do tem-
respeito à economia. Se por um plo. Este, o templo, tinha um grande
lado sabemos que a vida depende valor em sua espiritualidade, pois
também da situação financeira, por simbolizava a Presença de Deus
outro, isso pode revelar o amor ao entre eles. Mas a partir do encon-
dinheiro e a dependência dele. tro com Cristo, esses paradigmas
O versículo cinco ensina que, ao mudaram, deixando-os livres para
invés de confiar nas coisas mate- cultivarem sua espiritualidade com
riais, devemos depender do Senhor, o Salvador Jesus.
que através de Sua Promessa se faz Pensando assim, os hebreus po-
Presente. Todo homem é tentado deriam se sentir privados da Pre-
a buscar conforto e segurança nas sença de Deus por não terem mais
coisas materiais, mas o cristão fiel a obrigatoriedade de estar no tem-
depende do Senhor, dispensando o plo. Mas o texto mostra que, em-
acúmulo de riquezas na terra. bora não estivessem no templo, a
Para algumas pessoas, o simples Presença de Deus estava no meio
fato de não prosperar, ganhar mais deles. Não precisavam mais da de-
do que ganha, já é um motivo de pendência de um lugar para saber
depressão. Não podemos depen- que não estavam mais sozinhos. A
der das riquezas para termos tran- promessa era maior.

57
Hoje, às vezes, nós também pen- Nesta quarentena, este ensina-
samos que estaremos na Presença mento bíblico se tornou ainda mais
de Deus apenas se estivermos no relevante para o fortalecimento de
templo, em nosso salão de culto. nossa fé. Isso ajuda muito a enten-
Nesta quarentena, a ausência do dermos a natureza da Presença de
templo pode nos trazer saudades Deus.
dos irmãos e irmãs, e de estarmos Às vezes ficamos preocupados
fisicamente com a igreja, mas, com com a Presença dele, porque acha-
certeza, não estaremos nunca dis- mos que o Senhor está nos vigian-
tantes da Presença de Deus. Mes- do para punir nossos erros. Deus já
mo em casa, com uma família gran- sabe de todas as coisas e os nossos
de ou pequena, com pessoas que erros estão diante dos seus olhos,
professam a mesma fé ou não, com mas não devemos fazer disso nossa
crise ou sem ela, jamais estaremos obstinação, pois senão compreen-
sozinhos, pois a Presença de Deus deremos erradamente a natureza
está conosco, Ela simplesmente Presença de Deus, sobretudo como
nos basta. ensina à Sua Palavra. De acordo
com o texto de Davi a Presença do
3. A Presença é suficiente, os Senhor tem como objetivo principal
nossos cuidados não são! cuidar e conduzir seus filhos.
No Salmo 139.7-12, Davi fala da Quando a pandemia chegou ao
Presença de Deus que abrange Brasil, as primeiras dúvidas que ou-
todos os lugares. É um dos ensina- vimos foram: Deus está corrigindo
mentos mais belos das Escrituras, o mundo? Começou o princípio das
a Onipresença de Deus: “Para onde dores? O mundo está acabando?
poderei escapar do teu Espírito? Isso mostra a concepção errada
Para onde poderia fugir da sua Pre- que muitas pessoas têm a respei-
sença? Se eu subir aos céus, lá estás; to de Deus. Pensam nele como um
se eu fizer a minha cama na sepul- carrasco e que tudo de ruim que
tura, também lá estás. Se eu subir acontece é castigo do Senhor. Pre-
com as asas da alvorada e morar cisamos nos libertar desta visão e
na extremidade do mar, mesmo ali a redescobrir um novo relacionamen-
tua mão direita me guiará e me sus- to com Deus baseados no amor.
tentará. Mesmo que eu diga que as
Embora o mal exista e aconteça
trevas me encobrirão, e que a luz se
nem sempre isso é uma vontade
tornará noite ao meu redor, verei que
objetiva de Deus, mas uma conse-
nem as trevas são escuras para ti. A
quência natural da vida, de acordo
noite brilhará como dia, pois para ti
com as leis estabelecidas desde a
trevas são luz”.

58
criação, e com a Sua Permissão. (Jo 4.23). A Presença de Deus nos
Deus se faz Presente para salvar, persegue implacavelmente. Seria
com a sua mão o Senhor guia e sus- um pecado ignorar esta Presença
tenta. Não importa o lugar onde es- suficiente. Ele é o Emanuel, o Deus
tivermos Deus trabalha para aten- conosco. Ele é o Pai que cuida dos
der as necessidades materiais e seus filhos, o Bom Pastor que dá a
espirituais de cada um. Ele quer nos sua vida pelas ovelhas. E se dá a
proteger do mal. Sua Presença che- sua vida pelas ovelhas, como não
ga para nos guiar no caminho. Não nos dará com Ele todas as demais
são nossos cuidados o fator mais coisas (Rm 8.32-39). Mesmo que
predominante para nos trazer paz e tudo nos falte, temos a convicção
tranquilidade, e sim a Presença de de que Deus suprirá todas as nos-
Deus que será sempre suficiente. sas necessidades. A Presença de
Deus preenche todas as lacunas do
Para pensar e agir nosso ser.
A certeza da Presença de Deus Diante disso devemos nos fazer
traz segurança. É uma concepção algumas perguntas e as respon-
da fé, onde devemos simplesmen- dermos segundo a promessa que
te crer. Nem sempre “sentiremos” também ouvimos: Como estamos
esta Presença conosco, mas o jus- lidando com os recursos? Até que
to vive pela fé e não pelo que sen- ponto confiamos que eles podem
te (Hb 2.4). Os sentimentos variam suprir nossas vidas? Como vemos o
de acordo com as circunstâncias. templo? Estamos dependendo dele
São coisas humanas insuficientes para crer na Presença de Deus? E a
estabelecer o relacionamento real vida? Depende mais dos nossos
com Deus. Jamais provaremos de cuidados ou dos cuidados de Deus?
acordo com os métodos científicos
a Presença Dele, mas provaremos
seus bons frutos em nossas vidas.
Leitura Diária
Cremos, mesmo sem ver e sem
sentir, que Ele está conosco, sem SEG Deuteronômio 31.1-8
duvidar, baseados em Sua promes- TER Josué 1.1-9
sa e garantida por Sua fidelidade e QUA Salmos 139.1-6
amor.
QUI Salmos 139.7-12
Não somos nós que damos o pri-
SEX Salmos 139.13-18
meiro passo em busca da Presen-
ça de Deus, mas é Ele quem está à SÁB João 4.19-24
nossa procura, para nos encontrar DOM Mateus 6.25-34

59
Data do estudo Lição 12
Texto base: 2 Reis 2.19-22

Deus é a Única
Solução
para Curar a
Sociedade
Por Amilton Ribeiro Vargas

Você já ouviu alguém dizendo: es- história é difícil para você, também
tou preocupado, estressado, desani- é muito mais difícil para aqueles que
mado, já não sei o que fazer, a coisa precisam da cura espiritual, que não
está difícil, a humanidade está do- é passageira, mas que dura eter-
ente, estou perdido como “cachorro namente. É tempo de aproveitar a
sem dono que caiu do caminhão de grande oportunidade de anunciar as
mudança e não sei voltar nem para verdades do Reino, a cura da alma,
onde ir”, “já não vejo a luz no fim do a salvação em Cristo, a liberdade
túnel, a não ser a do trem que está suprema de podermos amar com o
vindo me atropelar”? Então, é como amor incondicional do nosso Deus.
se as pessoas estivessem dizendo: Temos a partir deste texto da Pa-
estou desesperado, mostra-me a lavra de Deus algumas sugestões
solução, ajuda-me, dá-me esperan- extraídas dessa história do profeta
ças, ânimo, eu preciso encontrar o Eliseu.
caminho.
Estamos vivendo um tempo de 1. Busque a orientação
oportunidades extraordinárias de de Deus (v.19a)
anunciar a esperança e solução para O profeta Eliseu foi procurado
as mais profundas crises espirituais, pelas pessoas da cidade de Jericó,
morais, sociais, econômico-financei- abrindo o coração e falando de seus
ras das pessoas. Se o momento da problemas. Eles sabiam que ele era

60
o homem de Deus e que ir ao seu só Ele pode quebrar a lei da natureza
encontro era caminhar na direção (fazer milagres) e nos dar a capaci-
de Deus, a única e verdadeira solu- dade, ou nos ajudar a passar pelas
ção e esperança para o mundo, para tempestades da vida, reencontran-
o Brasil, para o nosso Estado, para do a esperança em Deus, redesco-
a nossa cidade e para cada um de brindo a mesma convicção e fonte
nós! Eles buscaram a pessoa certa, do ânimo de Neemias, com quem
Eliseu, cujo nome em hebraico signi- aprendemos que a alegria do Se-
fica “Deus é salvação”. Quando bus- nhor sempre foi, é e continuará sen-
caram a Eliseu, era como pessoas do a nossa força (Ne 8.10). Eles já sa-
caminhando na direção da salvação biam uma coisa extraordinariamente
de Deus. importante, sabiam a origem dos
Eliseu foi profeta de Israel no séc. problemas embora não pudessem,
9 a.C., tendo um ministério muito por si mesmos, resolvê-los, o que
amplo, passando por vários reis. Foi prejudicava a todos os moradores
o sucessor de Elias. da cidade. Eles tinham uma cidade
com alguns pontos fortes, “a cidade
Aqueles homens nos ensinam
está bem localizada”, era uma cidade
outra importante lição: não agiram
fortificada com muralhas que, até a
sozinhos! Quando nos unimos so-
conquista de Josué, era considera-
mos mais fortes e muito melhores.
da a cidade mais protegida daquela
O problema principal era uma “fonte
época. Com muita tradição histórica,
de morte de águas más”, não tinha
considerada até hoje a cidade mais
uma solução aparente e não havia
antiga do mundo.
solução humana, mas nada que a
fonte de vida não pudesse resolver. Com toda a tradição, poder e in-
Embora não tivessem entre eles a fluência, eles tinham um problema
resposta diante do profeta, homem difícil de resolver, tinham uma fonte
de Deus, aprenderam que não exis- de morte e nós, será que temos tam-
tem problemas que não tenham so- bém fontes de morte? Há cidades e
lução ou que não possam ser admi- pessoas com muito poder e muitos
nistrados, pois a palavra impossível recursos, mas também sofrem as
não faz parte do dicionário de Deus, consequências das fontes de mor-
como Jesus nos ensinou: “Para os te contemporâneas. Os problemas
homens é impossível, mas não para da cidade são declarados em nosso
Deus, porque para Deus todas as coi- texto básico: “mas a água não é boa
sas são possíveis” (Mc 10.27b). e a terra é improdutiva” (v.19b). Abor-
tos espontâneos, enfermidades e
Quando estamos com proble-
mortes eram atribuídas à água, do
mas, aparentemente ou realmente
mesmo modo que hoje, segundo
impossíveis para nós, precisamos
a Organização Mundial da Saúde
nos unir aos nossos irmãos em ora-
(OMS), a Cólera mata todos os anos
ção e buscar a ajuda de Deus, pois

61
95 mil pessoas. Por causa desta tem que cavar e arrancar nas raízes.
doença, que também é transmitida Problemas precisam ser soluciona-
pela água ou por alimentos conta- dos na origem. Nosso texto básico
minados, especialmente nos países ensina que Eliseu agiu assim: “Então
subdesenvolvidos pela precarieda- saiu ele ao manancial das águas e
de dos sistemas de saneamento, até deitou sal nele” (v.21a). A sabedoria
as plantações sofriam, pois como de Eliseu é um exemplo sobre como
o texto diz “a terra é improdutiva”. resolver o problema na origem. Ao
O Historiador Josefo, citado por R. usar o sal, ele sabia que não havia
N. Champlin em o AT Interpretado nenhum poder especial nele, mas
Versículo por Versículo, afirma que apenas recorreu ao conhecimento
“tudo ali era infrutífero, as mulheres, do seu valor medicinal e simbólico.
os animais e as árvores. Tudo que en- Jesus usou-o como figura de lingua-
trava em contato com aquelas águas gem de que nós damos sabor à vida:
sofria com aquela experiência”. As “Vocês são o sal da terra. Mas se o sal
fontes de morte atuais precisam ser perder o seu sabor, como restaurá-
curadas na origem, na fonte de vida -lo?” (Mt 5.13a).
que é Jesus, que quando glorificado Há fontes de morte hoje e preci-
e mediante o Espírito Santo prometi- sam ser curadas por nossa instru-
do, falou do que iria acontecer com mentalidade nas mãos do todo po-
todos os que cressem: “Quem crê deroso? Todos os níveis de atuação,
em mim, como diz a Escritura, rios de influência ou poder humano subser-
água viva correrão do seu ventre” (Jo vientes ao maligno, são reais fontes
7.38). de morte. Eliseu viu não apenas o
problema, mas foi parte da solução,
2. Resolva os problemas na origem, mostrando que as cida-
na origem (v.21) des podem ser transformadas pelo
Eliseu adotou uma estratégia de milagre do Senhor!
sabedoria, foi à fonte originária da
epidemia. Às vezes não consegui- 3. Confie no poder da
mos resolver as dificuldades porque Palavra (v.21b-22)
atacamos os efeitos e não a raiz do “Assim diz o Senhor: Sararei a estas
problema. Já vivi essa experiência, águas; e não haverá mais nelas mor-
pois quando era adolescente, cul- te nem esterilidade” (v.21b). Confor-
tivava hortaliças em casa, havia um me a palavra que Eliseu tinha falado
capim chamado tiririca. Se você aconteceu, pois ele falou em nome
arrancar esse capim na superfície, de Deus, destacando: “Assim diz o
dias depois ele ressurge com mais Senhor”. Quando Deus fala, sua pala-
vigor, pois tem uma espécie de “ba- vra se cumpre. É o que aprendemos
tatas” em suas raízes, onde guarda pela Palavra de Deus: “nenhuma das
os nutrientes. Se quiser eliminá-lo boas promessas que o Senhor, o seu

62
Deus, lhes fez deixou de cumprir-se. ajuda no objetivo de entender como
Todas se cumpriram; nenhuma delas chegar às pessoas, como cuidar de-
falhou” (Js 23.14b). O sal só funcio- las, como melhorar a cidade, iden-
nou e deu resultado pelo poder da tificando as causas de sofrimento e
Palavra de Deus. Não foi o efeito do morte? Como transformar as fontes
sal, mas o poder da eterna Palavra de morte ao nosso lado, em lugar de
de Deus! Sal significa a presença de vida e restauração? O Espírito do Se-
Deus através mim e de você. A nos- nhor está sobre nós e nos ungiu para
sa coerência de vida fará toda a di- isso (Is 61.1-3). Como cristãos, temos
ferença. Como somos identificados? um grande desafio à nossa frente:
A identidade primária do cristão é não podemos passar mais 150 anos
o amor a Deus e ao próximo, teste- como discípulos de Jesus e não fa-
munho, amor a Deus, amor à Palavra zer a nossa parte para transformá-lo.
de Deus e presença de Deus que
gerará e transformará vidas. Nós, Para pensar e agir
igreja verdadeira, gente como você
1. Proclamemos a Palavra com
e eu, como sal, transformaremos a
autoridade como fez Eliseu;
cidade, as comunidades e as pes-
soas. O texto base declara, no sen- 2. Somos o sal da terra, precisa-
tido histórico, que: “as águas ficaram mos redescobrir e praticar essa con-
saudáveis até o dia de hoje”. A cidade vicção;
e as pessoas sabiam que Deus fez o 3. Busquemos a orientação de
milagre e, até hoje, a Fonte de Eliseu Deus;
abastece a cidade com água limpa, 4. Resolva os problemas na ori-
sendo também um lugar turístico. gem;
Há esperança! Precisamos ser 5. Confiemos no poder da Palavra
agentes transformadores, come- de Deus. Ela funciona, pois é viva e
çando a partir de nós mesmos, eficaz!
pois temos uma missão a cumprir.
As melhores oportunidades estão
perto de nós, como essa fonte es-
tava perto da escola de profetas; Leitura Diária
como Eliseu, temos pratos novos e SEG Tiago 1.1-8
limpos. Purificados pelo sangue de
TER Provérbios 19.20-21
Jesus, fomos limpos. Precisamos
ser usados como instrumentos nas QUA Efésios 5.15-21
mãos de Deus. Todos nós estamos QUI Salmos 90.1-12
cercados por fontes de morte, dor,
angústia e agonia, mas Deus dese-
SEX Eclesiastes 9.1-10
ja o melhor para a cidade e para as SÁB Hebreus 4.1-12
pessoas. Precisamos orar e pedir DOM Salmos 107.1-20

63
Data do estudo Lição 13
Texto base: Jeremias 29.11

Certeza do
Amanhã
Por Vanderlei Batista Marins

Tempos de restrições são sem- a Deus, Ele não o abandonou, por


pre inquietantes, cheios de especu- isso, mais uma vez lhe estendeu a
lações e de muitas novidades. Por mão. O Senhor revela seus propó-
outro lado, também podem ser vis- sitos através de uma carta enviada
tos como preciosas oportunidades pelo profeta Jeremias. Todo sofri-
para revermos muitas coisas: con- mento vai passar. Existe um ama-
sertos, tomada de atitudes ou per- nhã garantido dentro da vontade e
manecermos céticos e revoltados. da bondade do Senhor. É o alvore-
O povo de Israel, no contexto do cer da esperança, mas enquanto o
capítulo 29 do livro de Jeremias, dia da vitória não chega, algumas
deixou de honrar ao Deus Todo atitudes precisavam ser tomadas.
Poderoso; menosprezou a Palavra O conteúdo da carta que o povo re-
do Eterno na voz dos seus profe- cebeu na Babilônia desafiava-os à
tas, serviu e adorou falsos deuses, certeza do amanhã.
prostituiu a fé, por isso a disciplina
veio em forma de dominação es- 1. Certeza que motiva
trangeira, cativeiro e humilhação investimentos no presente
“internacional”. (v.4-7)
Em meio a toda essa desolação, Independente das situações vi-
apesar do povo ter abandonado vidas, não podemos perder “o trem

64
do futuro”. O desafio é focar além a mensagem dos Evangelhos (Mt
dos problemas, investir no presen- 5.44). A Babilônia era apenas uma
te e confiar verdadeiramente no vara com a qual Deus estava dis-
Senhor (Sl 125.1). O povo precisava ciplinando o seu povo. Disciplina é
reagir, construir a partir da sua reali- diferente de castigo.
dade as bases para o futuro revela- Os exilados deveriam adquirir o
do por Deus. conhecimento das coisas impor-
O profeta Jeremias fala ao seu tantes que a vida na Babilônia po-
povo que estava exilado, vivendo deria proporcionar. Deus não queria
as durezas do cativeiro e marcado que o seu povo ficasse à margem
por revolta e ausência de expec- do progresso, vivendo apenas
tativa (Sl 137), para que agisse com como escravos inúteis, mas que
normalidade. Aquela agora era a aprendessem a lidar com os negó-
realidade deles, um novo dia iria cios, com o comércio. Chegaria o
raiar, mas enquanto não acontecia, tempo do retorno e então levariam
era preciso VIVER. O que isso sig- com eles as experiências adquiri-
nificava naquele momento? A res- das. Deus estava preparando o seu
posta está em Jeremias 29.5-7, con- povo para um novo tempo.
selhos preciosos para o povo não Quando investimos na vida espi-
agir como se estivesse arruinado, ritual, conseguimos vencer o medo
mas que tudo era uma questão de e afirmar como Neemias, um dos
tempo. O povo conheceria o poder exilados: “Um homem como eu fugi-
restaurador de Deus, que utiliza o ria?” (Ne 16.11). Não importa a situa-
resultado de todas as coisas e apli- ção que temos vivido; aprendamos
ca para o bem dos seus (Rm 8.28). com as circunstâncias, com os nos-
E o investimento continua. Preci- sos erros, para não mais repeti-los;
sava também se estender ao plano e tiremos o melhor de cada situa-
espiritual de forma ampla e até inu- ção. Levantemos e nos firmemos de
sitada. Investir numa vida de oração pé!
e, mais desafiador ainda, orar por
aquela terra de servidão, pelos ad- 2. Certeza que previne
versários e promover a paz daquela quanto aos proclamadores
cidade. Tinham que entender que de mensagens falidas (v.8-9)
aquela cidade era o que eles tinham
Desde o Éden mensagens fali-
no momento, era o lugar onde a vida
das, Fake News, são divulgadas (Gn
teria prosseguimento e não seria
3.4-6). O tentador sabia que a pro-
possível ter um amanhã diferente
posta feita ao primeiro casal não
se ainda continuassem como pes-
funcionaria. Não deu certo para ele,
soas presas ao passado de revolta,
que fora expulso da presença de
ódio e vingança. Jeremias antecipa

65
Deus, assim como não deu para as do pelos lobos vestidos de ovelhas
vítimas de sua falsa mensagem (Gn (Mt 7.15) e pelos contadores de “so-
3.23-24). nhos”, mensageiros irresponsáveis.
Quando Jeremias profetizou que Em todos os tempos, para quem
Jerusalém seria devastada e o povo crê na intervenção divina e tem
levado cativo pelo exército babilô- certeza do amanhã, só existe uma
nico, as reações agressivas, contrá- fórmula para se proteger desses
rias ao profeta e à profecia foram falsificadores da Palavra: o conhe-
imediatas (Jr 19.3-8; 20.1-5). Nesse cimento da suficiente e eterna Pa-
tempo, vários impostores se levan- lavra de Deus. Façamos como os
taram com mensagens atraentes bereanos, conferindo todas as coi-
ao povo, dizendo que não era bem sas na Palavra para ver se estavam
assim conforme o dito profético. conforme (At 17.11). Assim sendo,
Como proclamadores de mensa- permaneçamos firmes na lealdade
gens falidas, destaco: Hananias (Jr ao Senhor e à sua Palavra. Mesmo
28.1-4), que recebeu a devida puni- que a Palavra do Senhor nos pareça
ção (Jr 28.15-17) e, também, Acabe, dura, Ele sabe o que diz e porque
Zedequias e Semaías (Jr 29.21, 31- diz. Verdadeiramente Ele sabe o
32). que eu e você precisamos ouvir.
A mensagem do falso profeta 3. Certeza que conscientiza
parece ser verdadeira. É atraente, a nos firmarmos no Deus da
agradável e cheia de aparente es-
promessa (v.10-11)
perança, mas não passa de cilada,
veneno para a alma e deformação Deus garantiu ao seu povo que
para a fé (Jr 23.32). Foi por isso que o o conduziria no retorno à sua ter-
Senhor preveniu o seu povo quan- ra. Seria maravilhoso e consolador
to ao perigo das coisas fáceis, por poder viver o amanhã sob um novo
parte de alguns que se levantaram olhar: a guerra absorvida pela paz;
para contrapor à vontade de Deus a tristeza do cativeiro suplantada
anunciada pelo profeta. Quanto a pela alegria da liberdade, a terra es-
esses, a recomendação foi: “...não tranha substituída pela terra de ori-
deis ouvidos...” (Jr 23.16). gem e as noites sombrias de sofri-
O povo precisava aprender a fi- mento pela aurora de um novo dia.
car atento, voltar-se para o Senhor Como bem afirmou o poeta sacro
e não se deixar levar pelos impos- num dos mais belos hinos do nosso
tores do ofício profético. Precisava hinário: “Jerusalém! Jerusalém! Teu
também ter os pés no chão, firmeza dia vai raiar!”
na fé e certeza no amanhã (Cl 2.6- Podemos crer nesse Deus de
8), para não ser enganado, devora- promessas e crer nas promessas de

66
Deus, pois Ele cumpriu, cumpre e Quando em nossa vida tudo pa-
cumprirá cada uma delas (Nm 23.19). recer impossível, lembremo-nos da
Sabemos que naquele momento de promessa do Senhor, pois Ele diz:
dor e de vergonha cada um do povo “Só eu conheço os planos que tenho
era levado a pensar em muitas coi- para vocês: prosperidade e não des-
sas: uns ouviam os falsos profetas, graça e um futuro cheio de esperan-
outros não queriam ouvir nada, mas ça. Sou eu, o Senhor, quem está fa-
havia também aqueles que neces- lando” (Jr 29.11).
sitavam ouvir que, embora em terra
estranha, não estariam sozinhos (Sl Para pensar e agir
145.18-19). O Senhor estaria atento 1. Em tempos de restrições o me-
aos lamentos do seu povo e velaria lhor caminho é: revisar as práticas
sob a Sua Palavra para cumpri-la. de vida, manter a esperança e as-
Os que edificam suas vidas, fir- sumir um novo compromisso com o
mados nas promessas do Senhor, Senhor.
nunca terão seus sonhos frustrados. 2. O momento está difícil? Não
Deus via a angústia do seu povo? desanime. Não se deixe levar por
Estamos certos que sim, mas o ob- mensagens falidas e nem se es-
jetivo era disciplinar e não destruir. conda da vida. Viva a normalidade
Só quem ama é capaz de disciplinar! e procure retirar o melhor de cada
Deus assim diz ao seu povo: Quando situação.
os setenta anos da Babilônia passa-
rem eu mostrarei que me interesso 3. Depois da tempestade sempre
por vocês e cumprirei a minha pro- vem a bonança, mas até para viver-
messa de levá-los de volta à pátria. mos os dias de bonança é preciso
Quando a saudade “de casa” apertar ânimo, força e fé, a fim de “recons-
ou se sentirem desamparados, lem- truirmos os muros caídos, o templo
brem-se: há uma promessa de Deus destruído, edificar casas, arar e se-
para cada um de nós, o seu povo. mear a terra para novas colheitas”.
Não somos tão diferentes do
Leitura Diária
povo do Senhor no passado. Tam-
bém temos pecado, andado por ca- SEG Isaías 46.3-13
minhos tortuosos e algumas vezes TER Salmos 130.1-8
até distantes do Senhor. É certo que
QUA Salmos 31.14-24
também fomos disciplinados por
Ele, mas temos a certeza de que so- QUI Salmos 40.1-5
mos filhos e, como tais, somos her- SEX Romanos 12.9-21
deiros de suas promessas. Quem
SÁB 2 Timóteo 1.7-12
viveu e sobreviveu à Babilônia pôde
ver a promessa cumprida (Ed 1.1-3)! DOM Apocalipse 21.1-7

67
Revista da Convenção Batista Fluminense Novo design para a
Ano 16 - n° 66 - Edição Especial revista Palavra
& Vida
Diretor Executivo: Pr. Amilton Ribeiro Vargas
O Departamento de Co-
Diretoria da Convenção Batista Fluminense: municação da Convenção
Presidente: Pr. Elildes Junio Macharete Fonseca Batista Fluminense deu
Primeiro Vice-Presidente: Pr. Geraldo Geremias uma nova aparência para
Segundo Vice-Presidente: Dca. Lindomar Ferreira da Silva a revista, mais simples e
Terceiro Vice-Presidente: Pr. Dario Francisco de Oliveira moderna, dando um re-
Primeira Secretária: Lilia Matilde Freichos Godoy novo em seus 16 anos de
Segunda Secretária: Lina Silvana de Abreu Xavier de Oliveira caminhada no ensino de
Terceiro Secretário: Pr. Paulo César Conceição dos Santos nossos irmãos nas esco-
Quarto Secretário: Pr. Ozéas Dias Gomes da Silva las bíblicas e demais reu-
niões de estudo.
Redator: Pr. Elildes Junio Macharete Fonseca “Apega-te à instrução e
não a largues; guarda-a,
Revisão Bíblico Doutrinária: porque ela é a tua vida.”
Pr. Paulo César Conceição dos Santos Provérbios 4.13
Pr. Hudson Galdino da Silva
Queremos a sua opinião
sobre essa mudança.
Revisão: Pr. Elildes Junio Macharete Fonseca Responda nossa
enquete:
Diagramação e Design: Davi Silveira

Convenção Batista Fluminense


Rua Visconde de Morais, 231 - lngá - Niterói - RJ
CEP 24210-145
Tel.: (21) 2620-1515
E-mail: contato@batistafluminense.org.br

forms.gle/UDe6Yyw954ApwhxQA

68
“Queridos irmãos, bem
vindos ao primeiro
podcast da Convenção
Batista Fluminense, o
CBFCast.”

Ouça já no