Você está na página 1de 14

AXIOMATIZAÇÃO

Equipe: André Augusto Kaviatkovski, Daniel Elias Ferreira,


Vinicius Zaramella
Curso: Engenharia de Computação
Disciplina: Lógica para Computação
Professor: Adolfo Neto (DAINF)
Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) 1
Sistema Dedutivo:

• Sistemas Dedutivos são métodos utilizados na lógica e em


outras ciências para se inferir conseqüências lógicas a partir
de um conjunto de fórmulas tomadas a priori.

• Existem várias formas de se realizar inferências. Entre


esses métodos estão os Sistemas de Dedução Natural,
Métodos de Tablôs analíticos e as Axiomatizações.

• Quando um Sistema Dedutivo infere uma fórmula A de uma


teoria Γ, escreve-se Γ Ⱶ A.
• Esta expressão é chamada de sequente. Ela é constituída
do antecedente (ou hipótese) Γ e do consequente (ou
conclusão) A.

2
Axiomatização:
• O axioma era um importante elemento do método lógico
dedutivo dos gregos. Um método dedutivo baseado em
axiomas método foi utilizado na apresentação da geometria
euclidiana.Tratava-se, na época, de axiomatizar uma teoria,
a teoria geométrica.

•Posteriormente, as axiomatizações foram utilizadas em


tentativas de prover um fundamento seguro para a
matemática.

•Em lógica, porém, compreende-se axiomatização como uma


forma lógica de inferência.

•Uma axiomatização possui dois elementos distintos:


axiomas e regras de inferência.

3
Axioma:

•Um axioma é aceito como verdade e serve como ponto


inicial para dedução e inferências de outras verdades
(dependentes de teoria).

•Um axioma não é necessariamente uma verdade auto-


evidente, mas apenas uma expressão lógica formal usada
em uma dedução, visando obter resultados mais facilmente.

•Axiomatizar um sistema é mostrar que suas inferências


podem ser derivadas a partir de um pequeno e bem-definido
conjunto de sentenças.

4
Regras de inferência:

•As regras de inferência possuem como características:

I)Se a Hipótese inicial for verdadeira, então a Conclusão é


verdadeira.

II) As premissas de um sistema de inferência são regras sem


hipóteses.

III) Permitem inferir novas fórmulas a partir de formulas já


inferidas.

•No caso da axiomatização da lógica proposicional clássica


será utilizado o Modus Ponens.

5
Modus Ponens:
•A partir de A → B e A, infere-se B.

•O argumento tem duas premissas:


-A condição "se - então", nomeadamente que A implica B.
-A é verdadeiro.

•Destas duas premissas pode ser logicamente concluído que


B tem de ser também verdadeiro.

EXEMPLO:

- Se chover, então fico em casa.


- Choveu.
- Então fico em casa.

Fonte: WIKIPEDIA. Modus Ponens. Disponível em: <http://pt.wikipedia.org/wiki/Modus_ponens>. Acesso em: 21 mar. 2009.
Substituição:
•A substituição de um átomo p por uma fórmula B em uma
fórmula A é representada por A[p := B].

•A definição formal de substituição se dá por indução


estrutural sobre a fórmula A, sobre a qual se processa a
substituição, da seguinte maneira:

1.p[p := B] = B

2.q[p := B] = q, para q ≠ p.

3.(¬A) [p:=B]= ¬(A [p:=B]).

4.(A1 ο A2) [p := B] = (A1 [p := B]) ο (A2 [p := B]), para ο ∈


{∧,∨,→}

Fonte: CORRÊA DA SILVA, Flávio Soares; FINGER, Marcelo;VIEIRA DE MELO, Ana Cristina. Lógica para computação. São Paulo: Thomson, 2006. p. 35.
.
Substituição:

Exemplo:

(p → (p ∧ q))[p := (r ∨ s)]

= p[p := (r ∨ s)] → (p ∧ q)[p := (r∨ s)]

= (r ∨ s) → (p[p := (r ∨ s)] ∧ q[p := (r ∨ s)])

= (r ∨ s) → ((r ∨ s) ∧ q)

•Quando uma fórmula B é resultante da substituição de um


ou mais átomos da fórmula A, dizemos que B é uma
instância da fórmula A.

Fonte: CORRÊA DA SILVA, Flávio Soares; FINGER, Marcelo;VIEIRA DE MELO, Ana Cristina. Lógica para computação. São Paulo: Thomson, 2006. p. 35.
.
Dedução, teoremas:
• Axiomas da lógica proposicional clássica:
(→1) p → (q → p);

(→2) (p → (q → r)) → ((p → q) → (p → r));

(∧1) p → (q → (p ∧ q));

(∧2) (p ∧ q )→ p ;

(∧3) (p ∧ q )→ q ;

(∨1) p → (p ∨ q);

(∨2) q → (p ∨ q);

(∨3) (p →r) → ((q → r) → ((p ∨ q) → r));

(¬1) (p →q) → ((p → ¬q) → ¬p);

(¬2) ¬ ¬p → p . 9

Fonte: CORRÊA DA SILVA, Flávio Soares; FINGER, Marcelo;VIEIRA DE MELO, Ana Cristina. Lógica para computação. São Paulo: Thomson, 2006. p. 36 .
Dedução, teoremas:

• Dedução: uma seqüência de fbf A1, A2 … An tal que cada


fbf na seqüência é uma instância de axioma ou pode
ser obtida das fbfs anteriores por meio das regras de
inferência.

• Teorema: uma fbf A tal que existe uma dedução A1, A2


… An = A . Neste caso escreve-se Ⱶ A .

• A axiomatização possui a propriedade da substituição


uniforme, isto é, se A é um teorema e se B é uma
instância de A, então B também é um teorema

10

Fonte: KAESTNER, Celso A. A. Disponível em: <http://www.dainf.cefetpr.br/~kaestner/Logica/SistemasDedutivos.ppt>. Acesso em: 18 mar. 2009.
Dedução, teoremas:
• “Pode-se ainda definir o conceito de fórmula dedutível de uma teoria
(conjunto de fbf);

• Diz-se que A é dedutível a partir de uma teoria Γ se há


uma dedução, ou seja seqüência de fbf A1, A2 … An = A
tal que cada fbf na seqüência é:

1. uma fbf da teoria Γ; ou

2. uma instância de um axioma; ou

3. pode ser obtida das fórmulas anteriores por meio


das regras de inferência;”

11

Fonte: KAESTNER, Celso A. A. Disponível em: <http://www.dainf.cefetpr.br/~kaestner/Logica/SistemasDedutivos.ppt>. Acesso em: 18 mar. 2009.
Exemplo de dedução:
•Dedução do teorema I = A → A.

• (→2), onde p := A, q := A → A e r := A. Assim temos:


1.(A → ((A → A) → A)) → ((A → (A → A)) → (A → A)).

• (→1), onde p := A, q :=A → A.Obtemos assim:


2.A → ((A → A) → A).

•Aplicando Modus Ponens 1, 2, obtemos a fórmula 3:


3. ((A → (A → A)) → (A → A).

•(→1) onde p := A e q := A:
4. A → (A → A).

•Aplicando Modus Ponens 3, 4, obtemos a fórmula 5:


5. A → A.
12

Fonte: Adaptado de CORRÊA DA SILVA, Flávio Soares; FINGER, Marcelo;VIEIRA DE MELO, Ana Cristina. Lógica para computação.
São Paulo: Thomson, 2006. p. 38.
Teorema da dedução:
•O teorema da dedução diz que: Γ, A Ⱶ B se e somente se
Γ Ⱶ A → B.
•É capaz de transformar uma dedução que poderia ser
complexa em uma dedução bastante simples.

•Exemplo:
• B= (A → B) → ((C → A) → (C → B))
• A → B, C → A, C Ⱶ B. Tomamos como Hipótese as fórmulas:
1 – A →B
2 – C →A
3 – C.
•Aplicamos agora o Modus Ponens 2,3 e obtemos a fórmula:
4–A
•Por fim, aplicamos o Modus Ponens 1,4 e obtemos a
fórmula:
5–B

13
Referências:

CORRÊA DA SILVA, Flávio Soares; FINGER, Marcelo;VIEIRA


DE MELO, Ana Cristina. Lógica para computação. São Paulo:
Thomson, 2006. p. 33 – 41.

KAESTNER, Celso A. A. Disponível em:


<http://www.dainf.cefetpr.br/~kaestner/Logica/SistemasDedutivos.pp
t>. Acesso em: 18 mar. 2009.

WIKIPEDIA. AXIOMA. Disponível em:


<http://pt.wikipedia.org/wiki/Axioma>. Acesso em: 13 mar. 2009.

WIKIPEDIA. Modus Ponens. Disponível em:


<http://pt.wikipedia.org/wiki/Modus_ponens>. Acesso em: 21 mar.
2009.
14

Você também pode gostar