Você está na página 1de 5

○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○

Introdução gias; e avaliar se estas medidas irão


Anderson Gomes de Paula
de fato solucionar a questão da degra-
E-mail: prof.agp@gmail.com

E
m 1950, a população mundial dação ambiental, ou apenas irão sua- Deise Miranda Vianna
era de 2,5 bilhões, em 2000 vizá-las? E-mail: deisemv@if.ufrj.br
cresceu para 6 bilhões e estima- O trabalho proposto é motivado Instituto de Física
se que em 2030 o número de habi- e se desenvolve a partir do surgimento Universidade Federal do Rio de Janeiro
tantes do planeta chegue a 8 bilhões. de novas tecnologias para os meios Rio de Janeiro, RJ, Brasil
○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○
Estes números, que impressionam, de transportes, em especial o trans-
significam uma demanda cada vez porte de massa, que possui o objetivo
maior por transporte, seja para mo- da não poluição ou sua mitigação.
vimentar bens ou pessoas. Evidente- Desta forma, relaciona a questão da
mente que esta atividade irá gerar poluição atmosférica pela emissão de
uma série de impactos no meio am- gases dos veículos automotores e ava-
biente [1]. liam-se quais os meios de transporte
De acordo com o capítulo 7 da mais inteligentes, quando se objetiva
Agenda 21 nacional,1 o transporte preservar a atmosfera. Também visa
responde por cerca de 30% do consu- compreender as novas tecnologias e
mo comercial de energia e por cerca terminologias que surgem geralmente
de 60% do consumo acompanhadas das
total mundial de Será que o cidadão possui a inovações tecno-
combustíveis líqui- formação suficiente e lógicas, como por
dos. No Brasil, a rá- necessária para avaliar as exemplo, o trem
pida motorização e “soluções” propostas pelos MAGLEV (magnetic
a insuficiência de governantes e avaliar se levitation). Para esta
investimentos em estas medidas irão de fato compreensão, serão
planejamento de solucionar a questão da abordados conteú-
transporte, manejo degradação ambiental, ou dos de eletromag-
e infra-estrutura do apenas irão suavizá-las? netismo para o
tráfego estão crian- ensino médio com a
do problemas cada vez mais graves, utilização de um protótipo experi-
causando acidentes, ruído, conges- mental para a levitação eletrodi- Este artigo aborda parte do conteúdo do mag-
tionamento e poluição atmosférica. nâmica [4]. netismo para o ensino médio com ênfase em
ciência, tecnologia e sociedade (CTS). Em parti-
Esta poluição provoca danos à fauna Optou-se por um assunto especí-
cular será tratado o fenômeno da levitação
flora e biosfera, prejuízos à saúde, e fico do campo do eletromagnetismo eletrodinâmica que fundamentado na indução
perda de produtividade, semelhante a e do meio ambiente sem, no entanto, magnética fornecerá suporte científico necessá-
países desenvolvidos [1-3]. esgotar os conteúdos de física ou meio rio para a compreensão de tecnologias corre-
latas. A motivação desta proposta é a poluição
Assim fica a questão: Será que o ambiente. Será proposta uma das pos-
do ar causada pela utilização de algumas tec-
cidadão possui a formação suficiente sibilidades de abordagem para tais nologias, como, por exemplo, os motores a ex-
e necessária para avaliar as “soluções” conteúdos. plosão utilizados nos meios de transporte. Com
propostas pelos governantes, tal como Com a utilização do protótipo a orientação do professor de física, propõe-se
que os alunos correlacionem as várias causas
construção de novos viadutos, túneis, experimental será possível direcionar
da poluição do ar, com ênfase nas originadas
implementação de sistemas de inte- o debate de maneira a relacionar as pelos meios de transporte, possibilitando a dis-
gração, a inserção de novas tecnolo- características dos atuais trens para cussão sobre a tecnologia de trens de levitação.

Física na Escola, v. 8, n. 1, 2007 Levitação eletrodinâmica com enfoque na melhoria do ar 35


o transporte de massa, e os trens de Para Menezes [5], a partir da Lei Temos ainda nas Orientações
levitação. Será possível ainda abordar de Diretrizes e Bases de 1996 - LDB/ Educacionais Complementares aos
conceitos de física tais como interação 1996 [6], houve uma definição legal Parâmetros Curriculares Nacionais
a distância, campo magnético, corren- para um novo ensino médio. Este de 2002 - PCN+ [4], material
te de Foucault, lei de Faraday, lei de novo ensino deve desenvolver compe- dirigido aos professores, em que se
Lenz, ação e reação e energia, entre tências e habilidades para a cidadania, busca aprofundar, através de
outros. para a continuidade exemplos e estra-
Ainda que abordando apenas um do aprendizado e do A LDB/1996 aponta para a tégias de trabalho,
pequeno tópico no ensino médio, pre- trabalho sem pre- necessidade de uma refor- a proposta inicial
tende-se que o aluno possa compre- tender-se profissio- ma em todos os níveis que foi apre-
ender tecnologias correlatas e avaliar nalizar ou simples- educacionais, que se sentada nos
questões que o afetem diretamente, mente preparar inspira, em parte, nas PCNEM.
tal como as ambientais. Em resumo, para o ensino supe- visíveis transformações por Considerando o
o projeto busca, identificando com os rior. que passa a sociedade enfoque CTS, o en-
princípios do enfoque Ciência Tecno- Os Parâmetros contemporânea sino de física pode
logia e Sociedade - CTS, trazer para Curriculares Nacio- estar relacionado a
as aulas de física, discussões que favo- nais do Ensino Médio - PCNEM [7], um dos aspectos do cotidiano do alu-
reçam o desenvolvimento de uma principal referência curricular no ter- no, por exemplo, a poluição do ar,
alfabetização científica, tecnológica e ritório brasileiro, incorporam essa que, a seguir, destacamos algumas
social mínima, que ajude o aluno a se tendência. No documento, está expli- questões relacionadas.
desenvolver e criar condições efetivas citado que as transformações que A poluição do ar no perímetro ur-
para que ele possa participar como ocorrem no Brasil, em função da con- bano das grandes cidades é resultado,
cidadão crítico, e não como mero solidação do regime democrático, a principalmente, da queima de com-
espectador, de discussões sobre assun- inserção de novas tecnologias e demais bustíveis fósseis como, por exemplo,
tos ligados aos setores de transporte mudanças que impactam o cenário carvão mineral e derivados do petró-
e meio ambiente. contemporâneo “exigem que a escola leo (gasolina e diesel). A queima destes
possibilite aos alunos integrar-se ao produtos tem lançado uma grande
Os problemas ambientais e o mundo contemporâneo nas dimen- quantidade de monóxido e dióxido de
ensino de física sões fundamentais da cidadania e do carbono na atmosfera. Tais combus-
Este projeto não só envolve o estu- trabalho”. tíveis são responsáveis pela geração
do de diversos conceitos físicos, como Segundo Ricardo [8], a LDB/1996 de energia que alimenta os setores in-
promove a associação destes conceitos aponta para a necessidade de uma dustriais, elétricos e de transportes, de
com o cotidiano, e com a problemática reforma em todos os níveis educacio- grande parte das economias do mun-
econômica e ambiental de forma con- nais, que se inspira, em parte, nas visí- do [3, 11, 12].
textualizada, uma vez que permite veis transformações por que passa a Para diminuir este problema, te-
discutir conteúdos científicos e tecno- sociedade contemporânea. No entanto mos como exemplo a cidade de São
lógicos associados a questões como Kawamura e Hosoume [9] alertam Paulo, que
combustíveis alternativos menos que a implementação das novas dire-
Em 1996, a restrição à circulação de
poluentes que os combustíveis fósseis, trizes que estão sendo propostas, ou
veículos foi estabelecida por lei, vigo-
ou ainda alternativas de otimização seja, sua tradução em práticas esco-
rando sempre nos períodos conside-
dos meios de transporte. Desta ma- lares concretas não ocorrerá por de-
rados necessários pela SMA e CETESB.
neira os custos ambientais poderiam creto, nem ocorrerá de forma direta.
O rodízio de circulação de veículos,
ser avaliados e in- Desta forma a im-
que vigorou de maio a setembro de
corporados no pla- Ainda que abordando plementação destas
1998, evitou o lançamento de 55 to-
nejamento do setor apenas um pequeno tópico diretrizes depende
neladas de CO na atmosfera [11].
de transportes, no ensino médio, pretende- do trabalho de in-
penalizando aqueles se que o aluno possa contáveis profes- A poluição também tem prejudi-
modos ou interfe- compreender tecnologias sores. cado os ecossistemas e o patrimônio
rências mais agres- correlatas e avaliar questões Nesse sentido, histórico e cultural em geral. Fruto
sivas ao meio am- que o afetem diretamente, os PCNEM procu- desta poluição, a chuva ácida mata
biente [1, 3, 4]. tal como as ambientais ram oferecer subsí- plantas, animais e vai corroendo, com
A relação entre dios para os profes- o tempo, monumentos históricos.
educação e cidadania, encontrada nos sores implementarem as reformas Exemplo disto está a Acrópole de
documentos oficiais e nas pesquisas pretendidas. Estes são divididos por Atenas que teve de passar por um pro-
didáticas, determina a influência no área de conhecimento a fim de faci- cesso de restauração, pois a milenar
ideário pedagógico e deve estar pre- litar, conforme as Diretrizes Curri- construção estava sofrendo com a po-
sente na prática pedagógica de nossos culares Nacionais para o Ensino Médio luição da capital grega.
professores. [10], um trabalho interdisciplinar [8]. O clima também é afetado pela

36 Levitação eletrodinâmica com enfoque na melhoria do ar Física na Escola, v. 8, n. 1, 2007


poluição do ar, a intensificação do efei- trados em sítios da internet e livros. são tomadas em relação à indústria.
to estufa está aumentando a tempe- Acreditamos que o professor de física E quais medidas são tomadas em rela-
ratura em nosso planeta. Isto ocorre possa compreendê-los tanto quanto ção aos veículos?
por que os gases po- o necessite para o 7 - Enfatizando a poluição veicu-
luentes formam Para um desenvolvimento desenvolvimento lar, quais os meios de transporte me-
uma camada de po- adequado desta proposta, é deste trabalho e nos poluentes? Quais as vantagens e
luição na atmosfera, necessário que o professor quando não, possa desvantagens de cada um deles?
bloqueando a dissi- possua conhecimento e solicitar a inferên- Entre os meios de transporte que
pação do calor. Des- entendimento dos principais cia ou cooperação devem ser citados, o trem deverá rece-
ta forma, o calor prejuízos ocasionados pela do profissional ber uma abordagem especial pelo pro-
fica concentrado na poluição do ar, como o adequado. fessor, caso os alunos não o eviden-
atmosfera, provo- buraco na camada de O trabalho será ciem como um dos mais vantajosos
cando mudanças ozônio, o aumento do efeito apresentado em meios de transporte de massa. Esta
climáticas [1]. estufa, a chuva ácida, unidades didáticas, especial atenção aos trens se deve ao
Em vista disto, inversão térmica, algumas assim como a par- fato de que uma nova tecnologia vem
fica evidente que pa- alergias e doenças te experimental do sendo implementada neste meio de
ra preservar o meio respiratórias projeto. transporte e poucas pessoas têm co-
ambiente, saber nhecimento para se referir a ela ou
avaliar os impactos de novas tecno- Unidade 1: a questão ambiental fornecer algum esclarecimento sobre
logias é fundamental. 1 - Em princípio o professor deve- a mesma. Segundo Ostermann e
rá questionar os alunos sobre quais Pureur [13], uma das mais charmosas
Apresentação da proposta de problemas são mais comuns em gran- aplicações da supercondutividade são
trabalho didático des cidades, São Paulo e Rio de Janeiro os veículos levitados magneticamente,
Os conteúdos de física e meio am- por exemplo, advindos da poluição do em que se pode citar o MAGLEV - um
biente, ao serem correlacionados atra- ar. Evidentemente haverá vários, tais trem de levitação que opera experi-
vés do uso da tecnologia dos meios de como chuva ácida, efeito estufa, in- mentalmente no Japão.
transporte e orientados pelo profes- versão térmica, problemas respira- 8 - Os trens seriam uma boa
sor de física, fornecerão ao aluno aces- tórios e de alergia. Caso contrário, o opção para diminuir a emissão de
so a uma compreensão conceitual e professor poderá optar por citar os gases? Existem novas tecnologias para
formal consistente e essencial para sua principais, como efeito estufa e in- este meio de transporte? Quais?
cultura, tornando seu desenvolvi- versão térmica e explicá-los. 9 - O que são trens de levitação?
mento intelectual crítico, reflexivo e 2 - O professor deverá selecionar
questionador, de maneira que ele po- alguns, por exemplo, o efeito estufa, Unidade 2: a indução
derá exercer plenamente sua cidada- e pedir que os alunos expliquem tais eletromagnética
nia [4]. fenômenos. O professor pode intervir, 10 - Neste momento o professor
Cabe ainda alertarmos que alguns se necessário, para orientar as idéias, apresentará o protótipo experimental
conceitos de física e questões ambien- validando-as ou não. aos alunos, conforme descrito no item
tais, citados ao longo do trabalho, 3 - Após as discussões anteriores seguinte, e pedirá para que eles iden-
serão considerados já compreendidos procure indicar as fontes responsáveis tifiquem o que compõe o protótipo.
pelos educandos em etapas anteriores pelos efeitos da poluição do ar. Somente após a identificação dos ele-
do curso de ensino médio. Caso con- 4 - Evidentemente a emissão de mentos constituintes, o professor
trário, dever-se-ia elaborar um traba- gases estará em pauta. Este momento ligará o mesmo.
lho que abrangeria grande parte do é oportuno para se questionar: Quais 11 - Chamando a atenção dos alu-
eletromagnetismo, da química, biolo- são os principais nos para que inicial-
Os conteúdos de física e
gia e geografia. Sempre que tais consi- responsáveis pela mente o conjunto
meio ambiente, ao serem
derações se fizerem necessárias, as emissão destes ímã-forma perma-
correlacionados através do
indicaremos por um asterisco. gases? nece em contato, e
uso da tecnologia dos meios
Faz-se necessário que o professor 5 - Identifica- que, após a forma
de transporte e orientados
possua conhecimento e entendimen- dos as indústrias e adquirir movimen-
pelo professor de física,
to dos principais prejuízos ocasio- os veículos como os to, o ímã levita, e é
fornecerão ao aluno acesso
nados pela poluição do ar, tais como principais respon- possível formular a
a uma compreensão
o buraco na camada de ozônio, o au- sáveis pela emissão seguinte questão:
conceitual e formal
mento do efeito estufa, a chuva ácida, dos poluentes, sur- Por que o ímã levita?
consistente e essencial para
inversão térmica, algumas alergias, ge a questão: É A partir deste
sua cultura
doenças respiratórias e ainda tome possível extinguir momento o profes-
conhecimento de assuntos polêmicos, ou suavizar a emissão destes gases? sor poderá discutir e esclarecer o fenô-
por exemplo o aquecimento global. 6 - Que medidas seriam necessá- meno básico da levitação magnética
Estes fenômenos podem ser encon- rias? Citar exemplos de medidas que empregada no chamado MAGLEV, se

Física na Escola, v. 8, n. 1, 2007 Levitação eletrodinâmica com enfoque na melhoria do ar 37


fundamentando na repulsão magnética
por dois ímãs*. Cabe ainda trabalhar
os conceitos de interação a distância*
e linhas de campo magnético*. Após a
recordação destes conceitos, deve-se
propor aos alunos se é possível rela-
cionar tais conceitos com o fenômeno
da levitação eletrodinâmica. Após as
discussões anteriores, pode-se traba-
lhar com as seguintes questões:
12 - Qual a natureza destas for-
ças?
13 - A força exercida sobre o ímã
é igual à força exercida na forma?
14 - Por que não há levitação
quando não há movimento?
15 - O que deixa de existir na in-
teração do ímã com a forma? Figura 2. Vista do aparato desligado.

O aparato experimental cepção de uma força de repulsão. Pode- tocar no ímã e perceber a força de repul-
O protótipo experimental é sim- se ainda desligar e ligar o motor e são, além de movê-lo verticalmente e
ples, de baixo custo, de fácil monta- observar se ocorre alguma mudança. verificar se ocorre alguma mudança.
gem e translado. Ele permite ao aluno O experimento real é apresentado Este aparato experimental propor-
a interação direta, familiarizando-o abaixo, em seqüência, isto é, inicial- ciona a visualização da levitação
com os vários componentes consti- mente o aparelho está desligado (Fig. 2). eletrodinâmica. Esta ocorre devido ao
tuintes do experimento. Este é um Observe que o ímã está totalmente movimento relativo de ímãs nas
aspecto de grande importância, pois apoiado na forma de alumínio. proximidades de placas metálicas con-
ao identificar os elementos do aparato, Ao se iniciar o movimento da for- dutoras de materiais não ferromag-
o aluno terá um ponto de partida para ma, o ímã começa a ser repelido (Fig. 3). néticos, por exemplo, o cobre e o alu-
as proposições posteriores ao fenôme- Esta repulsão é gradual e tende a mínio, que faz surgir correntes
no de levitação, que se verificará após aumentar à medida que a forma vai induzidas ou correntes de Foucault.
o funcionamento do experimento. adquirindo maior velocidade. Estas correntes induzidas geram um
Ele é constituído de uma forma de Na Fig. 4, a forma alcançou sua campo magnético que se opõe à varia-
alumínio (forma de bolo), parafusos, velocidade máxima e por conseguinte ção do fluxo de campo magnético que
ímã, fios de nylon, uma caixa de o ímã sofre a repulsão máxima. as induziu, que neste caso é prove-
madeira e um motor de máquina de Além do caráter ilustrativo do ex- niente dos ímãs (Fig. 5). Devido a esta
costura. A representação abaixo (Fig. 1) perimento, ele possui também um interação surge uma força resultante
indica os componentes deste protótipo. caráter interativo, pois o aluno pode sobre o ímã. Uma das componentes
O ímã fixado pelos fios permite, por
exemplo, que o aluno o mova para ci-
ma e para baixo, possibilitando a per-

Figura 1. Esquema do aparato. Figura 3. Experimento em funcionamento.

38 Levitação eletrodinâmica com enfoque na melhoria do ar Física na Escola, v. 8, n. 1, 2007


desta força repulsiva é responsável pe- A compreensão deste fenômeno é o surgimento da indução que gera for-
la levitação do ímã, a outra compo- dada a partir das leis de Lenz e de Fara- ças eletromotrizes circulares na super-
nente é contrária ao movimento da day. A primeira justifica o surgimento fície da forma metálica.
forma de alumínio, conforme apre- de um campo magnético oposto ao
senta a Fig. 6. campo magnético do ímã, e a segunda Conclusão
Nosso projeto possui como obje-
tivo central possibilitar ao professor,
de acordo com a LDB/96 e orientações
dos PCN’s e PCN+, uma abordagem
para trabalhar com conteúdos do ele-
tromagnetismo e suas aplicações tec-
nológicas no dia a dia, preferencial-
mente com alunos da terceira série do
ensino médio. Procuramos dar ênfase
às questões fenomenológicas, experi-
mentais e reflexivas que se entrelaçam
com as novas tecnologias, a ciência e
o meio ambiente, sem nos preocupar-
mos com o rigor matemático.

Figura 4. Repulsão máxima.

Figura 6. Forças no ímã durante a repul-


Figura 5. Campos e correntes durante a repulsão máxima. são máxima

Bibliografia (2000). PCB1598.pdf. Acesso em 1/7/2005.


[6] Brasil, Ministério da Educação e Cultura [11] P.R. Russo, A Distribuição das Concen-
[1] S.K. Ribeiro, A.M. Araújo, F. Scatolini, - Secretaria de Educação Básica. Lei de trações de Partículas em Suspensão na
M.T. Fernandes e N.R. Reis Filho, Trans- Diretrizes e Bases do Ensino Médio Atmosfera da Porção Centro-Oriental do
porte mais Limpo (Editora da COPPE, Rio (1996). Disponível em http://www.mec. Município do Rio de Janeiro: Considerações
de Janeiro, 2003), 208 p. gov.br/seb/pdf/LDB.pdf. Acesso em 1/7/ Preliminares sobre a Correlação entre Saúde
[2] Brasil, Ministério das relações exteriores. 2005. Pública e Poluição do Ar. Dissertação de
Agenda 21. disponível em: http:// [7] Brasil, Ministério da Educação e Cultura Mestrado, Universidade Federal do Rio
www.mre.gov.br/cdbrasil/itamaraty/ - Secretaria de Educação Básica. Parâme- de Janeiro, 2002, p. 27-55.
w e b / p o r t / relex t / m re / a g i n t e r n / tros Curriculares Nacionais do Ensino [12] P.N. Neto, Efeito Estufa. Disponível em
meioamb/index.htm Acesso em 8/7/ Médio (1998). Disponível em http:// http://www.sua pesquisa.com/
2005. w w w. p o r t a l . m e c . g o v. b r / s e b / efeitoestufa/ Acesso em 8/7/2005.
[3] R.A. Dias e J.A.P. Balestieri, Caderno index.php?option=content&task= [13] F. Ostermann e P. Pureur, Superconduti-
Brasileiro de Ensino de Física 23 23, 7 view&id=265&Itmid=255. Acesso em 1/ vidade: Temas Atuais de Física (Editora
(2006). 7/2005. Livraria da Física, São Paulo, 2005),
[4] Brasil, Ministério da Educação e Cultura [8] E.C. Ricardo, Física na Escola 4 (1), 8 78 p.
- Secretaria de Educação Básica. Orien- (2003).
tações Educacionais Complementares [9] M.R.D. Kawamura e Y. Hosoume, Física Nota
aos Parâmetros Curriculares Nacionais na Escola 4 (2), 22 (2003). 1
“Agenda 21” é um programa de ação para
do Ensino Médio (2002). Disponível em [10] Brasil, Ministério da Educação e Cultura viabilizar a adoção do desenvolvimento
http://www.portal.mec.gov.br/seb/ - Secretaria de Educação Básica. Diretri- sustentável e ambientalmente racional
arquivos/pdf/CienciasNatureza.pdf. zes Curriculares nacional para o Ensino em todos os países. As indicações deste
Acesso em 1/7/2005. Médio (1998). Disponível em http:// documento podem ser encontradas nos
[5] L.C de Menezes, Física na Escola 1 (1), 5 portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/ sítios indicados na Ref. [2].

Física na Escola, v. 8, n. 1, 2007 39