Você está na página 1de 14

Calor sensível é a quantidade como a razão da quantidade de calor pela

de calor que é transferida entre os variação de temperatura:


corpos, produzindo, assim, uma variação
em sua temperatura. O calor sensível é
transferido até que os corpos atinjam
o equilíbrio térmico. Diferentemente
do calor latente, o calor sensível não
muda a estrutura física dos corpos,
apenas causa uma mudança em sua C – capacidade térmica (cal/ºC ou J/K)
temperatura.
Uma piscina cheia d'água, por exemplo,
Fórmula de calor sensível apresenta uma capacidade térmica
consideravelmente maior que a de um
A fórmula utilizada para calcular a cubo de gelo e é por essa razão que, ao
quantidade de calor sensível que é jogar um gelo na piscina, o cubo de gelo
transferida de, ou para um corpo é dada sofre uma variação de
pela equação fundamental da temperatura muito maior que a variação
calorimetria: sofrida pela água da piscina. Já a
variação da piscina
seria praticamente nula, uma vez que sua
massa é muito grande em comparação à
Q – calor (J ou cal) massa do cubo de gelo.
m – massa (kg ou g)
c – calor específico (cal/gºC ou J/kg.K) Princípio fundamental da Calorimetria
ΔT – variação de temperatura (ºC ou K)
Dizemos que em um sistema
A fórmula acima mostra que a variação termodinamicamente isolado, isto é,
de temperatura sofrida por um corpo é incapaz de realizar trocas de calor ou
diretamente proporcional à quantidade trabalho com suas vizinhanças, a soma
de calor que lhe é fornecida e do calor trocado pelos corpos do sistema
inversamente proporcional à sua massa e é sempre igual a zero.
ao seu calor específico. Essa última Se considerarmos uma garrafa térmica
grandeza, o calor específico, mede a cheia de água quente como um sistema
quantidade de calor necessária para termicamente isolado e colocarmos em
variar a temperatura para cada unidade seu interior um pouco de água gelada,
de massa de uma determinada toda a quantidade de calor que é
substância, sem que lhe ocorram transferida pela água quente é absorvida
quaisquer mudanças de estado físico. pela porção de água gelada, portanto, a
soma das quantidades de calor deve ser
Calor sensível e capacidade térmica igual a zero.
O calor sensível também pode ser
definido e calculado a partir Calor latente
da capacidade térmica. A capacidade
térmica é uma propriedade do corpo O calor latente é uma forma de calor, no
diferente do calor específico, que é entanto, essa forma de calor
uma propriedade inerente à substância é transferida entre os corpos sem que
da qual o corpo é feita. A capacidade ocorram variações de temperatura,
térmica de um corpo depende tanto do apenas mudanças de estado físico. O
calor específico quanto de sua massa, no calor latente está presente nos processos
entanto, ela também pode ser calculada de fusão, evaporação, condensação,
sublimação etc. Todos esses processos
têm algo em comum: ocorrem e) não transportam energia.
sob temperatura constante (quando não
há uma mistura de substâncias). C = Q / ΔT. Sendo a capacidade
térmica C das fagulhas muito pequena,
elas transferem pouca quantidade de
calor para o operador, o que é
1 - (Makenzie - SP) Em uma manhã de insuficiente para o queimar.
céu azul, um banhista na praia observa Alternativa c
que a areia está muito quente e a água
do mar está muito fria. À noite, esse
mesmo banhista observa que a areia da
praia está fira e a água do mar está 3 - Toda substância apresenta uma
morna. O fenômeno observado deve-se propriedade física que determina qual é a
ao fato de que: quantidade de calor necessária por
unidade de massa desse corpo para que a
a) a densidade da água do mar é menor sua temperatura varie em 1ºC ou 1K.
que a da areia. Essa propriedade e sua unidade física, no
b) o calor específico da areia é menor Sistema Internacional de Unidades, são,
que o calor específico da água. respectivamente, iguais a:
c) o coeficiente de dilatação térmica da a) calor específico e J/kg.K.
água é maior que o coeficiente de b) calor específico e cal/gº.C.
dilatação térmica da areia. c) capacidade térmica e J/K.
d) o calor contido na areia, à noite, d) calor latente e J/kg.
propaga-se para a água do mar. e) coeficiente de dilatação volumétrica e
e) a agitação da água do mar retarda seu ºC-1.
resfriamento. Letra B
O calor específico de uma substância
mede a quantidade de calor em Joules
Se as massas iguais de água e areia necessária para variar 1 g de sua massa
receberem ou perderem quantidades em até 1ºC ou em 1 K, portanto, sua
iguais de calor, a variação de unidade, segundo o SI, é o J/kg.K.
temperatura da água será menor em
módulo que a da areia, porque a água 3 - Ao visitar a praia durante um belo dia
tem maior calor específico. de sol, perceberemos que a areia estará
Alternativa b bem quente, enquanto a água estará fria.
Marque a alternativa que explica
2 - (FUVEST – SP) Um amolador de
corretamente o motivo da diferença de
facas, ao operar um esmeril, é atingido
temperatura entre as duas substâncias.
por fagulhas incandescentes, mas não se
a) O calor específico da água é muito
queima. Isso acontece porque as
menor que o da areia, por isso ela não se
fagulhas:
esquenta facilmente.
a) tem calor específico muito grande.
b) O calor específico da areia é menor
que o da água, por isso ela sofre
b) tem temperatura muito baixa.
variações de temperatura com maior
facilidade.
c) tem capacidade térmica muito
c) A quantidade de água é infinitamente
pequena.
superior à quantidade de areia, por isso a
água nunca se esquentará.
d) estão em mudança de estado.
d) Por ser um líquido e apresentar maior
proximidade das moléculas, a água
sempre apresentará maior dificuldade temperatura de 1 °C corresponde à
para elevar sua temperatura. variação de temperatura de 1,8 °F.
e) Todas as explicações acima estão
incorretas.
5 - Ao colocar bebidas quentes em copos
de alumínio, qualquer pessoa sentirá
Gabarito: Letra B desconforto em segurar o copo e beber o
O calor específico trata-se da quantidade líquido. Isso ocorre porque:
de calor necessária para que 1 g de a) por mais que seja um isolante térmico,
substância eleve sua temperatura em 1 o alumínio possui baixo calor específico
°C. Quanto maior for o calor específico, e facilmente sofre variações de
mais difícil será o aquecimento e o temperatura.
resfriamento do material, sendo assim, b) o alumínio possui alto calor específico
podemos entender que a areia possui um e facilmente sofre variações de
calor específico menor que o da água, o temperatura.
que justifica sua maior facilidade para c) o alumínio é um ótimo condutor
sofrer variações de temperatura. térmico de baixo calor específico.
d) o alumínio possui baixo calor
específico e, por isso, facilmente sofre
variações de temperaturas.
4 - Marque a alternativa correta a e) o alumínio, tipo de material
respeito do calor específico. ferromagnético, possui baixo calor
a) Calor específico é a quantidade de específico e, por isso, facilmente sofre
energia fixa necessária para que 1g de variações de temperaturas.
uma determinada substância eleve sua
temperatura em 1 °C. Gabarito: Letra D
b) Calor específico é a quantidade de O alumínio possui um calor específico
energia necessária para que 1 g de uma muito baixo, por isso, facilmente sofre
determinada substância sofra uma variações de temperatura. Ao colocar um
variação de 1,8 °F. líquido quente em um copo de alumínio,
c) Quanto maior for o calor específico de rapidamente o material do copo iguala
uma substância, mais fácil ela sofrerá sua temperatura com o líquido
variações de temperatura. depositado.
d) Quanto menor for o calor específico
de uma substância, mais difícil será para
que ela sofra variações significativas de
temperatura.
e) Calor específico é uma grandeza
caraterística apenas de sólidos e gases, e
representa a quantidade de energia
necessária para que 1 g de uma
determinada substância sofra uma
variação de 1 °C.

Gabarito: Letra B
Calor específico é a quantidade de
energia necessária para que 1 g de uma
determinada substância sofra uma
variação de 1 °C. A variação de
6 - O calor específico sensível de uma 7 - Assinale a afirmativa falsa:
substância indica o valor de:
a. A capacidade térmica de um corpo
a) Do seu ponto de ebulição ao nível do indica a quantidade de calor que cada
mar. unidade de massa desse corpo necessita
b) Da capacidade térmica de um corpo para sua temperatura variar uma
feito com essa substância. unidade.
c) Da quantidade de calor necessária b. Quando recebido por um corpo, o
para elevar de um grau Celsius a calor sensível produz apenas variação
temperatura de um grama dessa de temperatura.
substância. c. O calor específico sensível é uma
d) De sua condutividade térmica no característica do material de que é feito
estado sólido. o corpo, não dependendo da sua massa.
e) Da quantidade de calor necessária d. O valor da capacidade térmica de um
para fundir um grama dessa substância. corpo depende do material de que este é
feito.
e. A capacidade térmica de um corpo é
A partir da equação fundamental da função de sua massa.
calorimetria podemos responder essa
questão.
Letra A está errada.
Em que Q é a quantidade de calor, m, a
massa, c, o calor específico, e Δθ, a A definição de capacidade térmica é:
variação de temperatura. "A Capacidade térmica de um corpo
Reajustando essa equação, temos: indica a quantidade de calor que ele
precisa receber ou ceder para que sua
Observe que o calor específico é a temperatura varie uma unidade".
quantidade de calor por massa e
temperatura, além de que sua unidade é
cal.g⁻¹.°C⁻¹. Concluí-se que a alternativa 8 - O calor especifico do chumbo 0.031
correta é a c). cal/g ºc , enquanto que o ferro e
0,11cal/gºc isso ocorre porque :
A) para a mesma quantidade desse
materiais , é mais fácil aquecer o ferro
do que o chumbo ate uma determinada
temperatura .

B) se fornecermos a mesma quantidade


de calor 1kg de chumbo e a 1kg de ferro
o chumbo aquecerá mais

c ) se fornecemos a mesma quantidade


de calor 1kg de chumbo e a de 1kg de
ferro o , ferro aquecera mais

D)se o calor especifico do ferro e maior


do que o calor especifico do chumbo a
capacidade térmica de ferro será maior
que o chumbo
Letra B Como sabemos da termodinâmica, é
Graças ao fato do calor específico e a válida a expressão Q = m.c.T para o
temperatura serem grandezas exercício em questão, pois segundo essa
inversamente proporcionais,logo, expressão ambos corpos cedem mesma
quanto menor o calor específico maior a quantidade de calor e A e B têm a
temperatura para compensar. mesma massa, o que exclui a alternativa
a).
9 - (FMSC-SP) A formação de gelo no
inverno constitui um fator que:
b) e c) não fazem sentido para a
a) dificulta a continuação da queda de termodinâmica.
temperatura;
b) favorece a queda de temperatura;
c) não se pode prever como irá influir d)não podemos ter maior capacidade
no clima; especifica, caso contrário, ocorreria
d) não tem influência na queda de desequilíbrio da igualdade da expressão
temperatura; acima.
e) torna os efeitos do inverno muito
mais rigorosos.
Por isso, com menor calor especifico
A) Dificulta a continuação da queda de temos uma maior variação de
temperatura, porque o gelo flutua na temperatura e a alternativa e) está
água, e também é o mau condutor de correta.
calor. Desta forma, a face superior do
gelo em contato com o vento esfria mais
ainda, cai temperaturas muito inferiores 11 - Um móvel parte do repouso e
a zero grau célsius, enquanto na face desenvolve uma aceleração constante de
inferior do mesmo, mantém-se a 0 °C 3 m/s² durante 4 segundos. O
deslocamento desse móvel foi de:
a) 12,0 m
10 – (PUC-MG) Considere dois corpos b) 24,0 m
A e B de mesma massa de substâncias c) 22,0 m
diferentes. Cedendo a mesma d) 18,0 m
quantidade de calor para os dois corpos, e) 30,0 m
a variação de temperatura será maior no Letra B
corpo:
a) de menor densidade. A função horária da posição para o
b) cuja temperatura inicial é maior. Movimento Uniformemente Variado é a
c) de menor temperatura inicial. apresentada a seguir:
d) de maior capacidade térmica.
e) de menor calor específico.

Sabe-se que cedendo a mesma


De acordo com o enunciado do
quantidade de calor para os dois corpos
exercício, o móvel parte do repouso,
a variação de temperatura será maior no
portanto, sua velocidade inicial é igual a
corpo: e) de menor calor específico.
0 m/s. Sua aceleração tem valor
constante de 3 m/s². Esse corpo move-se
durante um intervalo de tempo de 3 s,
dessa forma:

O deslocamento do móvel foi de 24 m. Com isso, a aceleração sofrida pelo


automóvel tem valor igual a:

12 - Um motorista dirige seu carro a uma


velocidade de 108 km/h quando avista a
placa de pare. Ao acionar os freios,
ocorre uma desaceleração constante, e o
carro leva um tempo de 3,0 s até parar
completamente. A distância percorrida
Seu deslocamento será, portanto:
pelo automóvel até a frenagem total é de:
a) 45,0 m
b) 15,0 m
c) 300,0 m
d) 324,0 m
e) 36,0 m
Letra A
Logo, o carro sofrerá um deslocamento
Sabemos que o deslocamento de um de 45 m antes de parar por completo.
móvel com aceleração constante é
determinado por:

13 - A função horária da posição de um


ponto material, dada em unidades do
Sistema Internacional, que se move com
aceleração constante é fornecida a
De acordo com os dados fornecidos pelo seguir:
enunciado, a velocidade inicial do carro S = 15 + 10.t + 2.t²
é de 108 km/h. Esse valor deve ser Sua velocidade inicial, posição inicial e
expresso em unidades do Sistema aceleração são respectivamente iguais a:
Internacional, sendo necessária a sua a) S0 = 2 m, v0 = 15 m/s e a = 10 m/s2
conversão para km/h. Dessa forma, b) S0 = 10 m, v0 = 15 m/s e a = 2 m/s2
divide-se esse valor pelo fator 3,6, c) S0 = 15 km, v0 = 10 km/h e a = 2 m/s2
resultando em 30 m/s. Para calcular o d) S0 = 15 m, v0 = 10 m/s e a= 4 m/s2
deslocamento do carro, entretanto, é e) S0 = 4 m, v0 = 10 m/s e a= 15 m/s2
necessário saber o valor de sua Letra D
aceleração (nesse caso, uma
desaceleração.). Para tanto, utilizamos a A função horária da posição para móveis
definição de aceleração média: com aceleração constante é determinada
por:
No entanto, o deslocamento ΔS é dado
por ΔS = S – S0 (S é a sua posição final,
e S0, sua posição inicial). Portanto,
podemos reescrevê-la como:
Portanto, para encontrarmos o tempo,
devemos resolver uma equação do
segundo grau:

Ao compararmos a equação acima com


aquela fornecida pelo enunciado do As raízes da equação acima são
exercício, observa-se que, em unidades determinadas por:
do Sistema Internacional, sua posição
inicial é de 15 m, sua velocidade inicial
é de 10 m/s, e sua aceleração deve ser
de 4 m/s², pois, na equação acima, a
aceleração vem dividida por um fator 2.
Portanto, os possíveis valores de tempo
são:

14 - Certo móvel, inicialmente na


velocidade de 3 m/s, acelera
constantemente a 1 m/s2 até se distanciar
4 m de sua posição inicial. O intervalo de
tempo decorrido até o término desse
deslocamento foi de:

a) 4,0 s
b) 1,0 s
Como não admitimos a existência de
c) 3,0 s
tempo negativo, a resposta é t = 1,0s.
d) 5,0 s
e) 2,5 s

Letra B
15 - (FUVEST) Um veículo parte do
A função horária da posição de um repouso em movimento retilíneo e
móvel cuja aceleração é constante é dada acelera com aceleração escalar
por: constante e igual a 2,0 m/s2. Pode-se
dizer que sua velocidade escalar e a
distância percorrida após 3,0 segundos,
valem, respectivamente:

a) 6,0 m/s e 9,0m;


De acordo com os dados do exercício, a
b) 6,0m/s e 18m;
velocidade inicial do móvel é de 3 m/s,
c) 3,0 m/s e 12m;
sua aceleração é de 2 m/s2 e o seu
d) 12 m/s e 35m;
deslocamento é de 4 m. A incógnita do
e) 2,0 m/s e 12 m.
exercício é o tempo necessário para que
ocorra esse deslocamento, portanto:
a = 2,0 m/s2 Δs = 12 m
t=3s v = 6 m/s
v0 = 0 (pois o veículo parte do repouso) v0 = 0

Utilizamos a equação v = v0 + at: Para calcular a aceleração com esses


dados, devemos utilizar a equação de
v=0+2.3 Torricelli:
v = 6 m/s
v2 = v02 + 2.a.Δs
Também utilizamos a função horária do 62 = 02 + 2.a.12
espaço para o movimento 36 = 24a
uniformemente variado: a = 36
24
S = S0 + v0t + 1 at2 a = 1,5 m/s2
2
Alternativa A
Como S0 e v0 são iguais a zero,
reescrevemos a fórmula da seguinte
forma:

S = 1 at2 17 - Uma pedra é lançada do décimo


2 andar de um prédio com velocidade
inicial de 5m/s. Sendo a altura nesse
S = 1 at2 ponto igual a 30 m e a aceleração da
2 gravidade igual a 10 m/s2, a velocidade
da pedra ao atingir o chão é:
S = 1 . 2 .32
2 a) 5 m/s
b) 25 m/s
S=9m c) 50 m/s
d) 30 m/s
A alternativa correta é a letra A. e) 10 m/s
Dados:

16 - (UFPA) Um ponto material parte do v0 = 5 m/s


repouso em movimento uniformemente h = 30 m
variado e, após percorrer 12 m, está g = 10 m/s2
animado de uma velocidade escalar de
6,0 m/s. A aceleração escalar do ponto Utilizamos a equação de Torricelli para
material, em m/s, vale: calcular a velocidade da pedra no final
a) 1,5 da queda livre:
b) 1,0
c) 2,5 v2 = v02 + 2.a.h
d) 2,0 v2 = 52 + 2.10.30
e) n.d.a. v2 = 25 + 600
Dados: v2 = 625
v = √625
v = 25 m/s

Alternativa b
L = 200 m
V = 60 km/h = 16,7 m/s
T = 36 s
18 - Um móvel parte do repouso e S = v.t
percorre uma distância de 200 m em S = x + 200
20s. A aceleração desse móvel, em x + 200 = 16,7 . 36
m/s2, é: x = 600 – 200
x = 400 m
a) 0,5 Resposta: Alternativa b
b) 0,75
c) 1
d) 1,5 20 - (FEI-SP) No movimento retilíneo
e) 2 uniformemente variado, com velocidade
inicial nula, a distância percorrida é:
S = 200 m a) diretamente proporcional ao tempo de
t = 20 s percurso
v0 = 0 b) inversamente proporcional ao tempo
de percurso
Utilizamos a função horária da posição: c) diretamente proporcional ao quadrado
do tempo de percurso
S = S0 + v0t + 1 at2 d) inversamente proporcional ao
2 quadrado do tempo de percurso
e) diretamente proporcional à velocidade
200 = 0 + 0.20 + 1.a.202 Resposta Questão 2
2 A equação que relaciona a velocidade
inicial, a distância percorrida e o tempo
200 = 1a . 400 é:
2 S = S0 + v0t + 1 at2
2
200 = 200 a Quando v0 é igual a zero e se
considerarmos que S0 também é zero no
a = 200 início movimento, podemos reescrever
200 a equação acima da seguinte forma:
S = 1 at2
a = 1 m/s2 2
Assim, podemos concluir que a
distância percorrida é proporcional ao
Alternativa C
quadrado do tempo.
Alternativa C.
19 - (UEL-PR) Um trem de 200 m de
comprimento, com velocidade escalar
constante de 60 km/h, gasta 36 s para
21 - Um automóvel parte do repouso e
atravessar completamente uma ponte.
atinge a velocidade de 100 km/h em 8s.
A extensão da ponte, em metros, é de:
Qual é a aceleração desse automóvel?
a) 200
b) 400
c) 500 Dados:
d) 600 V = 100 km/h = 27,7 m/s
e) 800 t=8s
Resposta Questão 1 Utilizamos a equação:
Dados:
a=v conseguirá frear totalmente a
t motocicleta antes de alcançar a pessoa?
E substituímos os dados:
a = 27,7 Como a aceleração utilizada para frear
8 a moto se opõe ao movimento, tem valor
a = 3,46 m/s2 negativo, então:

22 - Uma partícula em movimento


retilíneo movimenta-se de acordo com a
equação v = 10 + 3t, com o espaço em
metros e o tempo em segundos.
Determine para essa partícula:
a) A velocidade inicial
b) A aceleração
c) A velocidade quando t=5s e t= 10s A motocicleta não irá parar antes de
a) Para encontrar o valor da velocidade atingir a pessoa.
inicial, devemos comparar a equação
acima com a função horária da 24 - Um corredor chega a linha de
velocidade: chegada em uma corrida com velocidade
V = vo + at igual a 18m/s. Após a chegada ele anda
V = 10 + 3t mais 6 metros até parar completamente.
A partir dessa comparação, vemos que o Qual o valor de sua aceleração?
termo que substituiu a velocidade inicial
(v0) da fórmula é o número 10.
Portanto, podemos concluir que v0 = 10
m/s
b) Comparando novamente as equações,
vemos que o que substitui a aceleração
(a) na equação é o número 3. Portanto, a
= 3 m/s2
c) Quando t = 5s
v = 10 + 3.5
v = 10 + 15 Movimento Vertical
v = 25 m/s
Quando t = 10 s 25 - Uma pedra é abandonada de um
v = 10 + 3.10 penhasco de 100m de altura. Com que
v = 10 + 30 velocidade ela chega ao solo? Quanto
v = 40 m/s tempo demora para chegar?

23 - Uma motocicleta se desloca com


velocidade constante igual a 30m/s.
Quando o motociclista vê uma pessoa
atravessar a rua freia a moto até parar.
Sabendo que a aceleração máxima para
frear a moto tem valor absoluto igual a
8m/s², e que a pessoa se encontra 50m
distante da motocicleta. O motociclista
desaceleração que o dublê sofre até parar
quando chega colchão?

A desaceleração sofrida pelo dublê se


dará quando a velocidade inicial for a
velocidade de chegada ao solo na queda
vertical, a velocidade final for zero, e a
distância do deslocamento for 1m de
deformação do colchão. Então o
26 - Em uma brincadeira chamada
primeiro passo para chegar a resolução
"Stop" o jogador deve lançar a bola
é descobrir a velocidade de chegada ao
verticalmente para cima e gritar o nome
solo:
de alguma pessoa que esteja na
brincadeira. Quando a bola retornar ao
chão, o jogador chamado deve segurar a Como no exercício não é dado o tempo,
bola e gritar: "Stop", e todos os outros a maneira mais rápida de se calcular a
devem parar, assim a pessoa chamada velocidade é através da Equação de
deve "caçar" os outros jogadores. Torricelli para o movimento vertical,
Quando uma das crianças lança a bola com aceleração da gravidade positiva,
para cima, esta chega a uma altura de 15 já que o movimento é no mesmo sentido
metros. E retorna ao chão em 6 da gravidade.
segundos. Qual a velocidade inicial do
lançamento?

Para realizar este cálculo deve-se


dividir o movimento em subida e
descida, mas sabemos que o tempo gasto
para a bola retornar é o dobro do tempo
que ele gasta para subir ou descer.
Então: O segundo passo é calcular o movimento
uniformemente variado para a
• Subida (t=3s) desaceleração da queda. Com
velocidade inicial igual a 24,5m/s.

27 - Um fazendeiro precisa saber a


profundidade de um poço em suas terras.
Então, ele abandona uma pedra na boca
3. Durante a gravação de um filme, um do poço e cronometra o tempo que leva
dublê deve cair de um penhasco de 30m para ouvir o som da pedra no fundo. Ele
de altura e cair sobre um colchão. observa que o tempo cronometrado é 5
Quando ele chega ao colchão, este sofre segundos. Qual a altura do poço?
uma deformação de 1m. Qual é a
Podemos dividir o movimento em Tendo os tempos de cada movimento,
movimento da pedra e o deslocamento podemos calcular a altura utilizando
do som. qualquer uma das duas funções:

• Movimento da Pedra:

• Deslocamento do som: 28 - (PUCC) Duas bolas A e B, sendo a


massa de A igual ao dobro da massa de
B, são lançadas verticalmente para cima,
a partir de um mesmo plano horizontal
com velocidades iniciais. Desprezando-
se a resistência que o ar pode oferecer,
podemos afirmar que:
Sabendo que a altura do poço é a mesma a) o tempo gasto na subida pela bola A é
para as duas funções e maior que o gasto pela bola B também na
que : subida;
b) a bola A atinge altura menor que a B;
c) a bola B volta ao ponto de partida num
tempo menor que a bola A;
mas , então: d) as duas bolas atingem a mesma altura;
e) os tempos que as bolas gastam durante
as subidas são maiores que os gastos nas
descidas.
Alternativa D
A altura que as duas bolas atingirão
dependerá apenas de suas velocidades
iniciais e da aceleração da gravidade.
Como esses dois valores são iguais para
as duas bolas, elas atingem a mesma
altura.
29 - Uma esfera é lançada verticalmente
para cima com uma velocidade inicial de
20 m/s. Sabendo que g = 10 m/s2, a altura
máxima que a bola atinge é:
Sabendo que a) 80m
b) 120 m
c) 40 m
d) 20 m
e) 200 m a) 5,0 km
Dados:
v = 0 (no ponto da altura máxima, a b) 2,0 km
esfera tem velocidade igual a zero)
v0 = 20 m/s c) 1,5 km
g = 10 m/s2
d) 3,0 km
h=?
Utilizamos a equação de Torricelli para e) 18 km
efetuar os cálculos:
v2 = v02 - 2.g.h Gabarito: Letra C.
0 = 202 - 2.10.h A resolução desse exercício requer que
20 h = 400 calculemos o espaço percorrido pelos
h = 400 dois veículos, para que, em seguida,
20 descubramos qual foi a diferença de
h = 20 m espaço percorrido por eles. No entanto,
30 - Um objeto é lançado verticalmente nesse exercício, existem algumas
para cima a partir do solo e, ao atingir a unidades de medida de velocidade e
sua altura máxima, inicia o movimento tempo que requerem atenção. Por isso,
de queda livre. Sobro o movimento transformamos as velocidades, dadas em
executado pelo objeto, é incorreto km/h em m/s, dividindo-as pelo fator 3,6.
afirmar que: Em seguida, é necessário multiplicar o
a) a aceleração durante a subida é tempo de 60 minutos por 60, a fim de
negativa; utilizarmos o tempo informado em
b) o tempo na subida é maior do que na segundos. Observe a resolução:
queda;
c) no momento em que o corpo atinge a
altura máxima, sua velocidade é igual a
zero;
d) o objeto demora o mesmo tempo na
subida e na descida;
e) a aceleração do corpo durante a queda
é positiva.
Resposta Questão 4
A única afirmativa incorreta é a letra
b. Isso porque, tanto na subida como na
queda, o objeto percorre a mesma
distância e apenas sob a ação da
aceleração da gravidade. Assim, o tempo
de subida e de queda é o mesmo.

31 - Um veículo move-se com


velocidade constante de 36 km/h. Ao seu 32 - Uma pessoa sobe por uma escada
lado, um outro veículo trafega com rolante de 8 m de base por 6 m de altura
velocidade constante de 54 km/h. com uma velocidade constante de 0,5
Assinale a alternativa que indica qual m/s. Determine o intervalo de tempo
será a distância, em km, entre esses necessário para que ela consiga chegar
veículos após um intervalo de tempo de ao topo dessa escada.
5 minutos. a) 15 s
b) 20 s tempo restante para o motorista terminar
o percurso, a fim de que ele mantenha a
c) 10 s velocidade média desejada.
a) 3,0 h
d) 40 s
b) 2,0 h
e) 12 s
c) 0,5 h
Gabarito: Letra B.
Para calcularmos o tempo necessário de d) 1,0 h
subida, precisamos usar a fórmula da
velocidade média. No entanto, o e) 0,25 h
deslocamento sofrido enquanto a pessoa
sobe a escada ocorre na direção da Gabarito: Letra D.
hipotenusa de um triângulo cujos catetos Como dito no enunciado do exercício,
são 8 m e 6m e, por isso, precisamos deseja-se que a velocidade média de todo
calculá-lo por meio do teorema de o percurso seja de 60 km/h. Para tanto,
Pitágoras, confira a resolução: vamos determinar qual é o tempo que
essa viagem deve acontecer:

Como o motorista gasta 30 minutos nos


primeiros 30 km do trajeto e o tempo
total de viagem não pode exceder 1,5 h,
então, o tempo que lhe resta para
percorrer os 60 km seguintes é de 1 h.
33- Deseja-se fazer uma viagem de 90
km de distância com velocidade média
de 60 km/h. Um veículo percorre os
primeiros 30 km desse trajeto em um
intervalo de tempo de 30 minutos (0,5 h).
Assinale a alternativa que mostra o