Você está na página 1de 20

1

Ilustrações
Cristiano Lopez
Revisão de texto
Neida Rocha
Diagramação
Lenice C. Gonçalves
Impressão
Impressul

www.lereviajar.com.br
com
Andréa Gustmann
agustmann7@hotmail.com
(47) 996558478 – Whatsapp

É permitida a reprodução parcial desta obra,


a título de divulgação, desde que citada a fonte e o autor.

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP)


(Câmara Brasileira do Livro, SP, Brasil)

G982a Gustmann, Andréa.


A girafa que tinha medo de crescer / Andréa Gustmann. Blumenau:
Amoler, 2019. (Ilustrações de Cristiano Lopez)
44 pp.: Il.:

ISBN 978-85-7172-038-1

1. Literatura Infantil 2. Literatura Brasileira 3. História


Ilustrada I. Gustmann, Andréa. II. Título
CDD 028.5
A girafa que tinha
medo de crescer

Gigirafa nasceu em uma savana1 na África2


e cresceu naquele local repleto de baobás3 e
frondosas maruleiras4.

Isso não seria um problema se não fosse por


um único detalhe: Gigirafa tinha medo de crescer
porque tinha muito medo de altura!

E quem já viu uma girafa com medo de crescer


nem consegue imaginar que elas possam existir.

Não é mesmo?

1
Savana - Região plana com vegetação composta de plantas gramíneas
com árvores e arbustos esparsados.
2
África - Terceiro continente mais extenso do planeta e o segundo mais
populoso da Terra.
3
Baobá - Árvore característica das savanas, um dos símbolos muito pre-
sentes na cultura africana.
4
Maruleiras - Árvore da savana africana que produz um fruto muito
apreciado pelos animais da Região.
3
Seu pescoço e suas pernas cresciam
centímetro a centímetro o que fazia com que
seus olhos ficassem cada vez mais distantes
do chão.

●● As girafas são os mamíferos mais altos


do mundo.
●● O pescoço de uma girafa pode chegar a quase
dois metros de comprimento e as pernas têm
aproximadamente o mesmo tamanho do pescoço.
●● Os machos podem atingir seis metros de altura, enquanto as
fêmeas chegam a alcançar aproximadamente cinco metros.
●● As girafas têm dois chifres cobertos de pêlos que
usam para lutar, brincar e namorar.
●● As girafas vivem nas savanas semi-áridas da
África e dormem somente 2 horas por dia em
períodos de aproximadamente 20 minutos.
●● Os bebês girafas nascem com aproximadamente
1,80 m.
●● As girafas são animais muito silenciosos e rápidos,
podendo atingir 56 km/h.
●● Assim como impressões digitais humanas e
as listras da zebra, a pelagem de uma girafa
é exclusiva de cada animal.

5
Cada vez mais perto dos galhos tenros da
velha maruleira, mais medo Gigirafa sentia.

O medo era tanto que ficava paralisada e não


andava nem para frente e nem para trás.

As outras girafas corriam e brincavam, mas


Gigirafa ficava lá parada enquanto a vida passava.

Tudo porque Gigirafa tinha medo de cair e se


machucar.

Dia após dia, Gigirafa alcançava novos galhos


e seu medo ficava ainda maior.

●● As girafas vivem em grupos.


●● Geralmente o líder é o
macho mais velho do bando.
●● Os outros membros do
grupo são fêmeas e filhotes.

7
Certo dia, Gigirafa alcançou o galho mais alto
da velha maruleira. E lá estava o Ossobô, um
pássaro verde e amarelo que vive camuflado
junto ao verde das folhas e do amarelo dos frutos
maduros da maruleira.

O Ossobô ensinava os pequenos passarinhos


a realizarem o seu primeiro vôo.

Gigirafa percebeu o medo daquelas criaturas,


mesmo assim, o Ossobô jogava-as para fora do
ninho arremessando-as do alto da árvore e era
durante a queda que batiam suas asas com tanta
velocidade que plainavam no ar mergulhando
no céu azul.

Logo aprendiam a voar e voltavam ao ninho


para se lançarem novamente fazendo de cada
vôo uma grande aventura.

O Ossobô que via a girafa crescendo sem dar


um único passo para frente ou para trás sabia
que o medo a impedia de viver grandes emoções.

9
Então, saiu de seu ninho e pousou na cabeça
de Gigirafa e olhando fixamente em seus olhos
medrosos perguntou:

- E então? Você vai ficar aí parada esperando


a vida passar?

- Sim, respondeu Gigirafa. Tenho muito medo


de crescer.

- Olha só! Não quero te assustar, mas você sabe


que é uma girafa, não é?, perguntou o pássaro e
prosseguiu após o balançar de cabeça da girafa
confirmando assim entender-se como girafa.
Não me leve a mal, mas você só vai superar o seu
medo, se enfrentá-lo.

- Mas eu sinto tanto medo! Tenho vertigens só


de olhar para os meus pés, disse ela.

- Que tal dar o primeiro passo? Vamos, bem


devagarinho. Um passo depois o outro.

E assim, Gigirafa encheu-se de coragem e


estava determinada a mover-se.
11
Grandes mudanças começam com pequenas
ações!

Foi aí que ao dar um passo para frente pela


primeira vez ela teve uma surpresa.

Seus pés haviam criado raízes profundas,


assim como daquela maruleira cheia de galhos
tenros.

- Socorro! Socorro! Eu quero sair daqui!, disse


ela, ao perceber somente agora que estava presa
e muito bem presa em si mesma.

Parecia um baobá enterrado na savana.

Gigirafa estava determinada a mudar aquela


situação e precisava livrar-se daquilo que a
mantinha presa.

Gigirafa sabia que precisaria livrar-se de todos


os seus medos. Ela percebeu que seria necessário
encher-se de coragem para conseguir sair de lá
e deveria esperar a ajuda dos suricatos, afinal as
raízes estavam muito bem enterradas naquele
local.
13
O Ossobô então pediu para que seus filhotes
procurassem ajuda com os suricatos e cada um
voou para um lado.

Momentos mais tarde chegaram trazendo


consigo alguns suricatos dispostos a ajudar e que
a essa altura já sabiam o que deveriam fazer.

Começaram escavando próximo aos pés de


Gigirafa.

Os suricatos cortaram as raízes com seus dentes


afiados e assim, os pés da girafa desprenderam
da terra.
●● Os suricatos são pequenos mamíferos
que medem cerca de meio metro de
comprimento e pesam pouco mais
de 700 gramas.
●● Os suricatos usam os rabos para poderem ficar
de pé.
●● Os suricatos vivem em tocas e em bandos e
dormem em sistema de rodízio. Enquanto parte
deles procura alimentos ou dorme, o restante
permanece em guarda para defender o local.

15
Gigirafa deu o primeiro passo para frente e
gostou da sensação de poder ver os galhos da
linda maruleira de outro ângulo. Então, deu
o segundo passo, o terceiro e sentiu algo que
jamais havia sentido. Estava tão feliz quanto
aqueles passarinhos que cantavam alegremente.
De repente, por um descuido, G igirafa
desequelibrou-se e caiu. Tinha tanto medo
daquele momento que ao perceber que nada
lhe aconteceu desatou a rir sem parar. Gigirafa
percebeu que às vezes o tombo é necessário para
aprender a caminhar. Ergueu-se e rapidamente
colocou-se de pé.

E assim, Gigirafa despediu-se dos pequenos


Ossobôs, da maruleira e dos suricatos. Um
passo de cada vez e lá estava ela, mais distante
apostando corrida com sua sombra.

Foi embora dali feliz, na certeza de que poderia


voltar na hora que quisesse, mas agora o que ela
realmente queria era seguir em frente e viver
grandes aventuras.
17
ESSE É O FIM DA HISTÓRIA
E O INÍCIO DE UMA NOVA!
Que tal escrever sobre os lugares que Gigirafa
conheceu? Para onde você acha que ela foi?
19
ISBN 978-85-7172-038-1

9 788571 72038 1

Você também pode gostar