Você está na página 1de 45

Pagina: 1

PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS


Data:
ANTONIO VILELA DE QUEIROZ E OUTROS 20/03/2013
ARRENDAMENTOS – ALTAMIRA – PARÁ
Revisão: 001/14

PPRA
PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS
AMBIENTAIS
Norma Regulamentadora - NR - 9
Portaria MTE 3.214, de 08/06/1978 com alteração da Portaria SSST 25, de 29/12/1994.

Vigência: Fevereiro - 2018 à Janeiro 2019

Este documento deverá ser arquivado durante 20 anos. Deverá estar disponível de modo a
proporcionar o imediato acesso por parte dos Auditores Fiscais do Ministério do Trabalho e
da Previdência Social, conforme NR 09 da Portaria 3.214/78, do Ministério do Trabalho e
Instrução Normativa 103/2004 do INSS.
Pagina: 2
PPRA Elaboração:
PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS
12.02.2018
Revisão: 00
SUMÁRIO
PAG.
Índice 2
1. Controle Revisões 3
2. Introdução 4
3. Objetivo 4
4. Considerações Gerais 5
4.1. Quadro Horário de Trabalho 6
5. Número de Funcionários Por Função 6
6. Abrangência 6
7. Desenvolvimento do Programa 7
8. Atribuições e Responsabilidades 8
8.1. Obrigações do Responsável Pelo Desenvolvimento do PPRA 8
8.1.2. Do Empregador 8
8.1.3. Dos Empregados 8
8.2. Medidas de Ordem Administrativas (organização do Trabalho) 8
8.2.1. Definição das Responsabilidades Quanto Aos EPI´s (NR-6) 8
8.2.2. Empregador 9
8.2.3. Do Trabalhador 9
8.2.4. Do SESMT 9
9. Responsabilidades da CIPA 10
10. Metodologia para Antecipação, Reconhecimento, Avaliação de Riscos Ambientais 10
10.1. Antecipação dos Riscos 10
10.2. Reconhecimento dos Riscos 11
10.3. Avaliação Quantitativa dos Riscos Ambientais 11
11. Grau de Risco = Potencial de Dano x Tempo de Exposição 12
11.1. Potencial de Dano 12
11.2. Tempo de Exposição 13
11.3. Grau de Risco 13
12. Planejamento Anual 13
13. Prioridades e Metas 13
13.1. Prioridades 13
13.2. Metas 14
14. Plano de Ação 14
15. Monitoração e Avaliação das Medidas Propostas 14
16. Registro, Manutenção e Divulgação dos Dados 15
16.1. Registros 15
16.2. Manutenção 15
16.3. Divulgação dos Dados 16
17. Treinamentos 16
18. Quadro dos Grupos Homogêneos de Exposição aos Riscos – GHER 16
18.1. Definição dos Grupos Homogêneos de Exposição aos Riscos – GHER 17
18.2. Descrição de Funções e Caracterização de Local de Trabalho 18
18.3. Avaliação de Riscos Ambientais 21
19. Quadro de EPI Por Função 28
20. Cronograma de Implantação do PPRA 29
20.1. Cronograma Anual de Ações 29
20.2. Planejamento de Ações de Segurança do Trabalho 30
21. Informação 31
22. Garantia 31
23. Elaboração 31
24. Encerramento 31
25. Conclusão 31
Glossário 32
Bibliografia 33
Anexos 34
Anexo I – Equipamentos de Proteção Individual 35
Anexo II – Modelo de Ficha de Entrega de EPI 39
Anexo III – Modelo de Lista de Frequência em DDS 40
Anexo IV – Modelo de Ordem de Serviço 41
Anexo V – Modelo de Permissão de Entrada e Trabalho 42
Anexo VI – Modelo de APR 43
Anexo VII – Certificados de Aprovação de EPI 50
Análise Global do PPRA 59

Elaborado pela Empresa LSI ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS S/A


Pagina: 3
PPRA Elaboração:
PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS
12.02.2018
Revisão: 00
1. CONTROLE DAS REVISÕES
Nº DATA Nº REVISÃO MOTIVO DA REVISÃO
01 12.02.2018 00 Elaboração

2. INTRODUÇÃO

Visando a preservação da integridade física e saúde dos trabalhadores, da empresa LSI


ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS S/A, apresentamos através deste Programa de
Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA) os dados referentes à antecipação e
reconhecimento dos risos ambientais com metodologia de análise qualitativa, decorrentes da
avaliação ambiental realizado nos locais de trabalho da empresa em Altamira/PA. Bem
como, uma série de medidas propostas para as melhorias das condições de trabalho, através
de comentários, ações e sugestões técnicas.

Com o conhecimento dos riscos existentes ou passiveis de existir, e com a devida


divulgação à todos os envolvidos no processo, nos possibilitará estabelecer controles sobre
os agentes perigosos e/ou insalubres, estabelecendo prioridades e implementação de
controles administrativos ou projetos de engenharia, de forma a controlar, corrigir e/ou
eliminar tais riscos, tornando o ambiente de trabalho um local saudável.

Elaborado pela Empresa LSI ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS S/A


Pagina: 4
PPRA Elaboração:
PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS
12.02.2018
Revisão: 00
Este documento é estabelecido pela Lei N.º 6.514 de 22/12/79 - Capítulo V do Título II,
da Consolidação das Leis do Trabalho, relativo à Segurança e Medicina do Trabalho, e pela
Portaria n.º 3.214 de 08/06/78, que aprovou as Normas Regulamentadoras – NR’s, com
alteração da Portaria SSST 25, de 29/12/1994, em especifico NR- 9.

O PPRA é parte integrante do conjunto mais amplo das iniciativas da empresa no campo
de preservação da saúde e da integridade dos trabalhadores, devendo estar articulado com
as demais normas de Segurança e Medicina do Trabalho, em particular com a Norma
Regulamentadora Nº (NR 7), PCMSO - Programa de Controle Médico de Saúde
Ocupacional.

Este documento não se refere a laudo ambiental, no entanto, as avaliações e


recomendações apresentadas constituem-se em parecer técnico e cientifico das condições
levantadas.

3. OBJETIVO
 Avaliar as atividades desenvolvidas pelos empregados no exercício de todas as suas
funções e ou atividades, determinando se os mesmos estiveram expostos a agentes
nocivos, com potencialidade de causar prejuízo à saúde ou a sua integridade física,
em conformidade com os parâmetros estabelecidos na legislação previdenciária
vigente;
 Preservar a saúde e a integridade física dos colaboradores da empresa, através da
antecipação, reconhecimento, avaliação e controle dos riscos ambientais;
 Adotar medidas de controle e monitoramento periódico dos riscos ocupacionais
existentes ou que venham a existir na empresa;
 Conscientização dos funcionários para que haja uma cultura prevencionista nos
ambientes de trabalho;
 Atender ao que dispõe na Portaria nº 25 de 29 de dezembro de 1994, da Secretária de
Segurança e Saúde no Trabalho – SSST, do Ministério do Trabalho e Emprego.

4. CONSIDERAÇÕES GERAIS
IDENTIFICAÇÃO DA EMPRESA
RAZÃO SOCIAL: LSI - ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS S.A
CNPJ: 58.034.315/0011-01
ENDEREÇO DA EMPRESA: R. EPITACIO PESSOA
BAIRRO: NOVO PARAISO
TELEFONE: 98982045632
CEP: 68.515-000
MUNICÍPIO: PARAUAPEBAS - PA
ESTADO: PA
CÓDIGO ATIVIDADE ECONÔMICA 81.21-4-00 - Limpeza em prédios e em domicílios
PRINCIPAL (CNAE):
CÓDIGO DE ATIVIDADES ECONÔMICAS 82.11-3-00 - Serviços combinados de escritório e apoio

Elaborado pela Empresa LSI ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS S/A


Pagina: 5
PPRA Elaboração:
PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS
12.02.2018
Revisão: 00
administrativo
81.30-3-00 - Atividades paisagísticas
78.20-5-00 - Locação de mão-de-obra temporária
81.22-2-00 - Imunização e controle de pragas urbanas
SECUNDÁRIAS:
81.29-0-00 - Atividades de limpeza não especificadas
anteriormente
82.99-7-99 - Outras atividades de serviços prestados
principalmente às empresas não especificadas anteriormente
GRAU DE RISCO: 03
E-MAIL: marcos.pereira@manserv.com.br
NÚMERO DE FUNCIONÁRIOS: Masculino: 18 Feminino: 20 Total: 38
Manutenção e Limpeza nas estruturas internas da UHE –
OBJETO DO CONTRATO
Belo Monte e Pimental
RESPONSABILIDADES
Francisco das Chagas Lustosa Junior
ELABORAÇÃO:
TEC SEG TRABALHO – REG. N °PA/001255.6
REPRESENTANTE DA EMPRESA Marcos Pereira - Supervisor

4.1. QUADRO HORÁRIO DE TRABALHO

SETOR TURNO ENTRADA SAÍDA ENTRADA SAÍDA DIAS DA


SEMANA
07:00 12:00 13:00 17:00 2ª à 5ª Feira
Administrativo Diurno
07:00 12:00 13:00 16:00 6ª Feira
07:00 12:00 13:00 17:00 2ª à 5ª Feira
Operacional Diurno
07:00 12:00 13:00 16:00 6ª Feira

5. NÚMERO DE FUNCIONÁRIOS POR FUNÇÃO


Nº FUNÇÕES QUANTIDADE
01 SUPERVISOR 01
02 AUX ADMINISTRATIVO I 01
03 TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO 01
04 AUXILIAR DE SERVIÇOS GERAIS 20
05 COPEIRO 03
06 LIDER DE LIMPEZA I 01
07 ENCARREGADO DE LIMPEZA 01
08 MOTORISTA I 07
09 PINTOR I 03
38

6. ABRANGENCIA
Este Programa abrangerá os riscos Ambientais identificados no ambiente laboral da
empresa, LSI ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS S/A, conforme estabelecido pela NR-9 da
Portaria 3214/78 do Ministério do Trabalho em seu item 9.1.5, consideram-se riscos
ambientais os agentes físicos, químicos e biológicos existentes nos ambientes de
trabalho que, em função de sua natureza, concentração ou intensidade e tempo de
exposição, com capacidade de causar danos à saúde do trabalhador.

Agentes Físicos: Consideram-se agentes físicos, diversas formas de energia a que possam
estar expostos os trabalhadores, tais como ruído, vibrações, pressões anormais,

Elaborado pela Empresa LSI ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS S/A


Pagina: 6
PPRA Elaboração:
PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS
12.02.2018
Revisão: 00
temperaturas extremas, radiações ionizantes, radiações não ionizantes, bem como o
infrassom e ultrassom.

Agentes Químicos: Consideram-se agentes químicos as substâncias, compostos ou


produtos que possam penetrar no organismo pela via respiratória, nas formas de poeiras,
fumos, névoas, neblina, gases ou vapores, ou que, pela natureza da atividade de exposição,
possam ter contato ou ser absorvido pelo organismo através da pele ou ingestão.

Agentes Biológicos: Consideram-se agentes biológicos as bactérias, fungos, bacilos,


parasitas, protozoários, vírus, entre outros.

TABELA DE RISCOS OCUPACIONAIS

RISCOS OCUPACIONAIS
AGENTES TIPOS EFEITOS NO ORGANISMOS
 Distúrbios Gastrointestinais e sistema nervoso;
 Alteração Cardiovasculares;
Ruído
 Ruptura do Tímpano, Surdez por Trauma
Sonoro.
 Alteração Neurovasculares nas mãos;
Localizada  Alteração nas articulações das mãos e braços;
 Osteoporose (perda de substâncias óssea)
Vibração
 Problema na Coluna Vertebral, Dores
Corpo Inteiro Lombares;
 Pequenas Lesões nos Rins
 Vasodilatação
Periférica;  Aumento da
 Internação ou Sudorese;
Calor Insolação;  Prostração
 Câimbras de Calor; Térmica;
Temperatura
 Desidratação e  Catarata.
s Extremas
Erupção na Pele.
FÍSICO  Vasoconstrição  Enregelamento
Periférica; dos Membros;
Frio
 Hipotermia.  Ulceração do
frio.
 Barotrauma,
 Embolia;
Pressões Pressão Embriagues;
 Intoxicação pelo
Anormais Positiva  Doenças
CO2.
descompressivas.
 Anemia, Câncer, Infertilidade, Leucemia;
Ionizantes
 Alterações Genéticas.
 Catarata;  Superaquecimen
Micro
 Alteração no SNC. to dos órgãos
Ondas
Não Ionizante

internos.
Radiações Infra  Queimaduras;
 Sobrecarga
Vermelh  Catarata.
Térmica.
o
Ultra  Câncer de Pele;  Conjuntivite e
Violeta  Queimaduras. Queratite
Laser  Queimaduras na Pele e Olhos.
QUÍMICO Irritantes  Inflamações dos Tecidos.
Asfixiantes Simples  Asfixia através da redução de Oxigênio no Ar.
Químicos  Asfixia por Interferência no Processo de
Absorção de Oxigênio no sangue ou nos
Tecidos.

Elaborado pela Empresa LSI ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS S/A


Pagina: 7
PPRA Elaboração:
PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS
12.02.2018
Revisão: 00
Narcóticos  Depressão Sobre o Sistema Nervoso Central.
 Lesões nos
Órgãos;
 Lesão no Sistema  Afetam o SNC;
Tóxicos Sistêmicos Formador de  Febre dos
sangue; Metais.
 Dermatose e
Câncer.
 Pneumoconioses;
Material Particulado
 Alergias e Irritação na Pele e Pulmão.
Vírus, Bactérias, Fungos,
 Tuberculose, Brucelose, Tétano, Malária, Febre
BIOLÓGICO Protozoários, Bacilos e Tifoide, Febre Amarela, Carbúnculo, etc.
Parasitas

7. DESENVOLVIMENTO DO PROGRAMA
As ações do Programa de Prevenção de Riscos Ambientais serão desenvolvidas em
cada setor da Empresa LSI ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS S/A, em especial na execução
dos serviços de Manutenção e Limpeza nas estruturas internas e externas da UHE Belo
Monte, localizada no município de Vitória do Xingu, Estado do Pará, onde cada profissional
atua e executa suas atividades, sendo sua abrangência dependente das características dos
riscos e das necessidades de controle de cada área. A avaliação, controle e monitoramento
dos riscos ambientais da empresa terá sua abrangência definida em função das
características dos riscos e das necessidades de controle de cada área.

8. ATRIBUIÇÕES E RESPONSABILIDADES
8.1. OBRIGAÇÕES DO RESPONSÁVEL PELO DESENVOLVIMENTO DO PPRA

Promover e alocar recursos, tanto humanos como materiais, para atendimento as


Normas Regulamentadoras que norteiam neste programa de prevenção de riscos, coordenar
o seu desenvolvimento, definir e acompanhar os prazos e ações para a execução das
medidas de controle necessárias de acordo com o cronograma de ação estabelecido neste
documento, com vista a se atingir as metas e prioridades estabelecidas.

8.1.2. DO EMPREGADOR

 Estabelecer, implantar e assegurar o cumprimento permanente do PPRA;


 Manter o documento-base disponível ao acesso dos trabalhadores e autoridades
competentes.
 Seguir o cronograma de implementação e execução do PPRA;
 Avaliar se as medidas de controle são eficazes;
 Planejar e executar os treinamentos previstos;
 Manter o documento-base por um período de 20 anos;
 Revisar, atualizar e divulgar o PPRA;
 Cumprir e fazer cumprir as disposições regulamentares sobre Segurança e Medicina
do Trabalho;
 Elaborar Ordens de Serviço sobre Segurança e Medicina do Trabalho, dando ciência
aos empregados, com os seguintes objetivos:

I. Prevenir atos abaixo dos padrões no desempenho do trabalho;


II. Divulgar as obrigações e proibições que os empregados devam conhecer e cumprir;

Elaborado pela Empresa LSI ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS S/A


Pagina: 8
PPRA Elaboração:
PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS
12.02.2018
Revisão: 00
III. Dar conhecimento aos empregados que serão passíveis de punição, pelo
descumprimento das Ordens de Serviço expedidas.

8.1.3. DOS EMPREGADOS

Colaborar e participar da implantação e execução do PPRA. Seguir as orientações


recebidas nos treinamentos oferecidos dentro do programa; informar ao seu superior
hierárquico direto, ocorrências que, a seu julgamento, possam implicar em riscos à saúde
dos trabalhadores.

8.2. MEDIDAS DE ORDEM ADMINISTRATIVAS

Medidas normativas de modo a eliminar ou reduzir a exposição aos agentes de risco. É


muito importante que essas medidas administrativas sejam aplicadas, visando sempre à
proteção dos trabalhadores, tal medida, devem ser aplicadas desde o controle de entrega
dos EPI's até as palestras e treinamentos necessários para melhorar a conscientização dos
funcionários.

8.2.1. DEFINIÇÃO DAS RESPONSABILIDADES QUANTO AOS EPI’S ( NR-6)

A especificação, uso e controle dos EPI´s deverão estar em conformidade com a NR-6
da Portaria 3.214/78 do MTE. Todos os empregados deverão receber, gratuitamente, todos
os EPI´s necessário para execução de suas atividades, deverá ser treinada sobre o uso
correto, guarda e conservação dos mesmos.

A empresa deverá fornecer aos empregados apenas EPI´s portadores de Certificado de


Aprovação - CA.

8.2.2. EMPREGADOR

a. Adquirir os EPI’s adequados aos riscos em cada atividade;


b. Exigir seu uso;
c. Fornecer os EPI’s aos trabalhadores somente os aprovados pelo órgão nacional
competente em matéria de Segurança e Saúde no Trabalho MTE;
d. Orientar e treinar o trabalhador sobre o uso adequado, guarda e conservação;
e. Substituir imediatamente, quando danificado ou extraviado;
f. Responsabilizar-se pela higienização e manutenção periódica;
g. Comunicar ao MTE qualquer irregularidade observada

Registrar o seu fornecimento ao trabalhador, por meio de fichas ou sistemas eletrônicos.


(Inserida pela Portaria SIT nº 107 de 25 de agosto de 2009)

8.2.3. DO TRABALHADOR

a. Usar, utilizando-o apenas para a finalidade a que se destina;


b. Responsabilizar-se pela guarda e conservação;
c. Comunicar ao empregador qualquer alteração que o torne impróprio para o uso;
d. Cumprir as determinações do empregador sobre o uso adequado.

8.2.4. DO SESMT - SERVIÇO ESPECIALIZADO EM ENGENHARIA DE SEGURANÇA E


EM MEDICINA DO TRABALHO

Elaborado pela Empresa LSI ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS S/A


Pagina: 9
PPRA Elaboração:
PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS
12.02.2018
Revisão: 00
 Aplicar os conhecimentos de Engenharia de Segurança do Trabalho ao ambiente de
trabalho e a todos os seus componentes, inclusive máquinas e equipamentos, de
modo a reduzir até eliminar os riscos ali existentes à saúde do trabalhador;
 Determinar, quando esgotado todos os meios conhecidos para eliminação do risco e
este persistir, mesmo reduzido, a utilização, pelo trabalhador, de equipamentos de
proteção individual (EPI), de acordo com o que determina a NR 6, desde que a
concentração, a intensidade ou característica do agente assim o exija;
 Colaborar quando solicitado, nos projetos e na implantação de novas instalações
físicas e tecnológicas da empresa;
 Responsabilizar-se, tecnicamente pela orientação quanto ao cumprimento do disposto
nas NRs aplicáveis às atividades executadas pela empresa e/ou seus
estabelecimentos;
 Manter permanente relacionamento com a CIPA (quando houver), valendo-se ao
máximo de suas observações, além de apoia-la, treiná-la e atende-la, conforme dispõe
a NR 5;
 Promover a realização de atividades de conscientização, educação e orientação dos
trabalhadores para a prevenção de acidentes do trabalho e doenças ocupacionais,
tanto através de campanhas, quanto de programas de duração permanente;
 Esclarecer e conscientizar os empregadores sobre acidentes do trabalho e doenças
ocupacionais, estimulando-os em favor da prevenção;
 Analisar e registrar em documentos específicos todos os acidentes ocorridos na empresa
ou estabelecimentos, com ou sem vítimas, e todos os casos de doenças ocupacionais,
descrevendo a história e as características do acidente e/ou da doença ocupacional, os
fatores ambientais, as características do agente e as condições dos indivíduos portadores
de doenças ocupacionais ou acidentados;
 Registrar mensalmente os dados atualizados de acidentes do trabalho, doenças
ocupacionais e agentes de insalubridades preenchendo, no mínimo, os quesitos
descritos nos modelos de mapas constantes nos Quadros III, IV, V e VI, da NR 4,
devendo a empresa encaminhar um mapa contendo avaliação anual dos mesmos
dados à Secretária de Segurança e Medicina do Trabalho até o dia 31 de janeiro,
através do órgão regional do MTE.
NOTA:

O dimensionamento do SESMT vincula-se à gradação do risco da atividade principal e ao


número total de empregados do estabelecimento, constantes dos Quadros I e II anexos na NR 4.
Desta forma a empresa está desobrigada de constituir SESMT, no entanto, a LSI
ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS S/A, vai além do que prevê a Lei, e constituirá seu SESMT com
o profissional abaixo listado:

- 01 (um) Técnico em Segurança do Trabalho.

9. RESPONSABILIDADES DA CIPA

 Elaborar plano de trabalho para prevenção de acidentes e incidentes;


 Identificação e mapeamento dos riscos de acidentes;
 Avaliação de prioridades de ações e a cobrança das melhorias no ambiente laboral;
 Realizar inspeções no ambiente e condições de trabalho;
 Realização de reuniões periódicas para discussão das questões de saúde e
segurança.
 Divulgar aos trabalhadores informações relativas à segurança e saúde no trabalho;

Elaborado pela Empresa LSI ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS S/A


Pagina: 10
PPRA Elaboração:
PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS
12.02.2018
Revisão: 00
NOTA: Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA) é uma comissão composta
unicamente por empregados, sendo os representantes dos empregados eleitos por voto
secreto e os representantes do empregador designados por ele, de acordo com o
dimensionamento e grau de risco de cada empresa, com o objetivo de prevenção de
acidentes e doenças decorrentes do trabalho, de modo a tornar compatível
permanentemente o trabalho com a preservação da vida e a promoção da saúde do
trabalhador.

OBS.: De acordo com o CNAE, Grau de Risco e o número de trabalhadores (conforme


Quadro I da NR 5), a empresa deverá dimensionar sua CIPA, com equipe mínima de 01
Efetivo e 01 suplente representante dos empregados sendo seu dimensionamento paritário
com os representantes do empregador.

10. METODOLOGIA PARA ANTECIPAÇÃO, RECONHECIMENTO, AVALIAÇÃO DOS


RISCOS AMBIENTAIS
10.1. ANTECIPAÇÃO DOS RISCOS

Esta fase consiste na análise prévia do processo produtivo ou instalações do


empreendimento, a fim de se identificar os riscos potenciais que poderão ser somados ao
ambiente laboral e introduzir medidas de proteção para o seu controle ou eliminação.

A antecipação dos riscos envolve a análise de projetos de novas instalações métodos ou


processos de trabalho, ou de modificações dos já existentes, visando avaliar os riscos
potencias e introduzir medidas de proteção para sua redução ou eliminação. Utilizar método
e/ou procedimentos para levantamento de perigo/danos e avaliação de riscos.

Com base nesta antecipação de riscos, foram estabelecidas prioridades e metas iniciais
de avaliação e controle dos mesmos. Após o início das atividades da obra os riscos aqui
previstos deverão ser reconhecidos e avaliados qualitativamente e quantitativamente, bem
como, deverá ser reavaliada a necessidade ou não de readequações em relação às medidas
de prevenção inicialmente propostas.

10.2. RECONHECIMENTO DOS RISCOS

A técnica utilizada para esse reconhecimento consiste no levantamento das


Áreas/Postos de Trabalho, com a finalidade de identificar os métodos e processos de
trabalho em questão, as operações contínuas, intermitentes e eventuais, situações e horários
críticos, os agentes ambientais existentes e a exposição dos trabalhadores a estes agentes,
a existência de proteções individuais e coletivas, a adequação destes equipamentos de
proteção e a interação dessas variáveis com os agentes ambientais verificados.
Nessa fase foi elaborado apenas uma antecipação de Riscos a que os trabalhadores
poderão estar expostos, com a finalidade de adoção de medidas de controle para evitar
ocorrências de acidentes ou doenças no trabalho. Ficando condicionado a um levantamento
“in loco” dos riscos ambientais junto aos trabalhadores de forma a obtermos informações
quanto ao conhecimento e percepção que estes têm do processo e dos riscos ambientais
presentes, na ocasião será realizado uma revisão e/ou adequação do presente programa.
Nesse levantamento serão ouvidos trabalhadores de setores diversos, onde será
possível identificar as diferentes exposições a agentes de riscos. Fator determinante para
seleção dos Grupos Homogêneo de Exposição aos Riscos - GHER, a partir daí serão
definidas as avaliações quantitativamente (à ser realizado de acordo com o cronograma
anual), para os trabalhadores Expostos ao Maior Risco - EMR.

Elaborado pela Empresa LSI ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS S/A


Pagina: 11
PPRA Elaboração:
PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS
12.02.2018
Revisão: 00
O reconhecimento dos riscos ambientais deverá conter os seguintes itens, quando
aplicáveis:

a) A sua identificação;
b) A determinação e localização das possíveis fontes geradoras;
c) Identificação das possíveis trajetórias e meios de propagação do agente no ambiente
de trabalho;
d) A identificação das funções e determinação do número de trabalhadores expostos;
e) A caracterização das atividades e do tipo da exposição;
f) A obtenção de dados existentes na empresa, indicativos de possível
comprometimento da saúde decorrente do trabalho;
g) Os possíveis danos à saúde relacionados aos riscos identificados, disponíveis na
literatura técnica;
h) A descrição das medidas de controle já existentes.

10.3. AVALIAÇÃO QUANTITATIVA DOS RISCOS AMBIENTAIS

A Avaliação Quantitativa destina-se ao reconhecimento e monitoramento dos Riscos


Ambientais, previstos na Norma Regulamentadora 09 (NR – 9), e disciplinados pelas NR 15
– Atividades e Operações Insalubres e NR 16 – Atividades e Operações Perigosas da
portaria 3.214/78 do MTE, e parâmetros ACGIH (American Conference of Gov. Industrial
Higyenists).

A avaliação quantitativa deverá ser realizada sempre que necessária para:


a) Comprovar o controle da exposição ou a inexistência riscos identificados na etapa de
reconhecimento;
b) Dimensionar a exposição dos trabalhadores;
c) Subsidiar o equacionamento das medidas de controle.

11. GRAU DE RISCO = POTENCIAL DE DANO X TEMPO DE EXPOSIÇÃO


11.1. POTENCIAL DE DANO
SITUAÇÃO AVALIADA
 Quando o agente ou as condições de trabalho, não representar
01 risco potencial de danos à saúde nas condições usuais descritas na
IRRELEVANTE literatura, ou pode representar apenas situação de desconforto e
não de risco.
 Quando o agente representa um risco moderado à saúde, nas
condições usuais descritas na literatura, não causando efeitos
agudos, porém não se verifica controle técnico para exposição
ocupacional.
 Quando o agente não possui LT valor-teto, e o valor de LT média
ponderada é consideravelmente alto (centenas de ppm).
02  Quando o agente pode causar efeitos agudos à saúde, possui LT
ATENÇÃO valor-teto ou valores de LT-médios ponderada muito baixos (alguns
ppm), porém as práticas operacionais/condições ambientais
indicam controle técnico da exposição.
 Quando o agente apresenta características irritantes, cáusticas ou
corrosivas aos olhos, mucosas e pele, porém as práticas
operacionais/condições ambientais indicam controle técnico sobre
a exposição.

Elaborado pela Empresa LSI ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS S/A


Pagina: 12
PPRA Elaboração:
PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS
12.02.2018
Revisão: 00
 Quando o agente apresenta características de absorção via
cutânea, porém as práticas operacionais/condições ambientais
indicam controle técnico sobre a exposição.
 Quando não há queixas aparentemente relacionadas com o
agente.
 Quando há exposição a agente ambiental com potencial de gerar
efeitos agudos à saúde dos trabalhadores, possui LT valor-teto ou
valores de LT-médios ponderada muito baixos (alguns ppm) e as
práticas operacionais/condições ambientais indicam aparente
descontrole sobre a exposição.
 Quando o agente apresenta características irritantes, cáusticas ou
corrosivas aos olhos, mucosas e pele ou carcinogênicas, porém as
03 práticas operacionais/condições ambientais indicam aparentes
CRÍTICO descontrole ou controle insuficiente sobre a exposição.
 Quando o agente apresenta características de absorção via
cutânea ou notação-pele, porém as práticas
operacionais/condições ambientais indicam aparente descontrole
sobre a exposição.
 Quando há possibilidade de deficiência de oxigênio.
 Quando há queixa específico-indicadores biológicos de exposição
excedidos (vide PCMSO).
 Quando envolve exposição, sem controle, a carcinogênica.
 Nas situações aparentes de risco grave e iminente.
 Quando o agente possui efeitos agudos, baixos LT e IDLH
(concentração imediatamente perigosa à vida/saúde) e as práticas
operacionais/situação ambiental indicam descontrole sobre a
04
exposição.
EMERGENCIAL
 Quando as queixas são específicas e frequentes, com indicadores
biológicos de exposição excedidos.
 Quando há exposição cutânea severa a substâncias com notação-
pele.
 Quando há risco aparente de deficiência de oxigênio.

11.2 TEMPO DE EXPOSIÇÃO

TEMPO DE
SITUAÇÃO AVALIADA
EXPOSIÇÃO
Exposição ao agente com tempo inferior a 6% do total da jornada de
EVENTUAL
trabalho.
Exposição diária, com tempo entre 6% e 83% do total da jornada de
INTERMITENTE
trabalho.
CONTÍNUA Exposição diária com tempo superior a 83% da jornada.
“Tempo de Exposição: Definições da Portaria 3.311, de 29 de novembro de 1989 do Ministério do
Trabalho e Emprego.”

11.2. GRAU DE RISCO

DANO / EXPOSIÇÃO CONTÍNUA INTERMITENTE EVENTUAL


IRRELEVANTE MODERADO TOLERÁVEL TOLERÁVEL

Elaborado pela Empresa LSI ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS S/A


Pagina: 13
PPRA Elaboração:
PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS
12.02.2018
Revisão: 00

DE ATENÇÃO SUBSTANCIAL MODERADO TOLERÁVEL


CRÍTICO INTOLERÁVEL SUBSTANCIAL MODERADO
EMERGENCIAL INTOLERÁVEL INTOLERÁVEL SUBSTANCIAL

12. PLANEJAMENTO ANUAL


Deverá ser efetuado, sempre que necessário ou pelo menos uma vez ao ano, uma
análise global do Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA), para avaliação de
seu desenvolvimento, modificações ou ajustes e estabelecimento de novas prioridades
conforme consta no cronograma anual de ações.

13. PRIORIDADES E METAS


13.1. PRIORIDADES

A Empresa LSI ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS S/A, estabelece como prioridades a


implementação de ações de eliminação, minimização ou controle de acidentes e doenças
relacionadas ao trabalho, através de barreiras físicas implementadas na seguinte ordem de
prioridades: Na fonte, na trajetória, e no indivíduo.

As medidas de proteção coletivas obedecerão a seguinte hierarquia:


a) Medidas que eliminam ou reduzem a utilização ou formação de agentes prejudiciais à
saúde;
b) Medidas que previnam a liberação ou disseminação desses agentes nos ambientes de
trabalho;
c) Medidas que reduzam os níveis ou a concentração desses agentes no ambiente de
trabalho.

Na inviabilidade técnica de adoção de medidas coletivas, ou quando estas não forem


suficientes ou encontrarem-se em fase de estudo, planejamento ou implantação, ou ainda
em caráter complementar ou emergencial, deverão ser adotadas outras medidas,
obedecendo-se a seguinte hierarquia:

a) Medidas de caráter administrativas ou de organização do trabalho;


b) Utilização de Equipamentos de Proteção Individual – EPI.

13.2. METAS

Eliminar neutralizar ou reduzir os riscos ambientais presentes, a níveis mínimos e nos


limites máximos compatíveis, com os limites de tolerância da NR-15 Portaria 3214/78 ou a
AMERICAN CONFERENCE OF GOVERNMENTAL INDUSTRIAL HYGYENISTS (A.C.G.I.H).

A Empresa LSI ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS S/A, estabelece como Meta para


vigência 2018/2019 deste programa, a condição de Zero Acidentes e Doenças do
Trabalho, e cumprirá esse objetivo estabelecendo medidas de controle para cada risco de
acidente apresentado, bem como para os demais riscos existentes nos locais de trabalho,
através de elaboração de matriz de riscos e implementação de análise de riscos da tarefa
entre outras medidas, incluindo as de ordem administrativa.

Os controles definidos deverão levar em consideração as medidas técnicas adequadas,


os recursos humanos, os recursos financeiros e o comprometimento da Administração da

Elaborado pela Empresa LSI ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS S/A


Pagina: 14
PPRA Elaboração:
PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS
12.02.2018
Revisão: 00
empresa em criar e manter programas sustentáveis para garantir a saúde e segurança dos
trabalhadores.

As metas a serem atingidas determinam o cumprimento da legislação em vigor, com


vistas a redução de quaisquer agentes ambientais aos índices considerados aceitáveis.

14. O PLANO DE AÇÃO

O Plano de Ação deve ser elaborado considerando as demandas e avaliações dos


usuários e o cenário em que estão envolvidos.

Quanto maior o envolvimento dos responsáveis por sua execução, maior a garantia de
se atingir os resultados, de um planejamento. É momento importante para a entidade pensar
sobre a sua missão, identificando e relacionando as atividades prioritárias para o ano em
exercício, tendo em vista os resultados esperados.

15. MONITORAÇÃO E AVALIAÇÃO DAS MEDIDAS PROPOSTAS

Deverá ser realizada uma avaliação das medidas de controle, estabelecendo critérios
mínimos que possam comprovar a eficácia das medidas adotadas.

Os critérios são parâmetros estabelecidos pela equipe de avaliação para identificar se o


objetivo da medida de controle está sendo atingido.

Esses critérios devem ser dimensionados conforme a necessidade de se reduzir a


índices aceitáveis os riscos que estão sendo controlados, e levando-se em consideração a
possibilidade de reduzir tais índices.

O monitoramento dos agentes ambientais consiste em avaliação sistemática


(quantitativa) destes agentes, em periodicidade determinada pela graduação recebida por
este agente, através da Análise Preliminar de Riscos.

Abaixo, medidas propostas de controle de acordo com o Grau de Risco.

RISCO MEDIDAS DE CONTROLE PERIODICIDADE


TOLERÁVEL Registrar e monitorar o risco através de inspeções Diariamente
Antes de realizar a
Realizar análise de riscos, Registrar e monitorar o atividade e
MODERADO risco através de inspeções e avaliações Anualmente
quantitativas de riscos ambientais. (avaliações
quantitativas)
Adotar medidas de controle, verificar a eficácia das Antes de realizar a
mesmas e/ou implementar de medidas atividade e
SUBSTANCIAL complementares. Realizar análise de riscos, Anualmente
Registrar e monitorar o risco através de inspeções (avaliações
e avaliações quantitativas de riscos ambientais. quantitativas)

Elaborado pela Empresa LSI ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS S/A


Pagina: 15
PPRA Elaboração:
PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS
12.02.2018
Revisão: 00
Interromper a atividade imediatamente, e dimensionar
a exposição e subsidiar o equacionamento das Antes de realizar a
medidas de controle de curto, médio e longos prazos atividade e
INTOLERÁVEL (como projetos de engenharia), para controle do risco. Anualmente
Realizar análise de riscos, registrar e monitorar o risco (avaliações
através de inspeções e avaliações quantitativas de quantitativas)
riscos ambientais.
16. REGISTRO, MANUTENÇÃO E DIVULGAÇÃO DOS DADOS

O documento-base do PPRA deverá ser mantido arquivado no estabelecimento por um


período mínimo de 20 anos, bem como aqueles inerentes ao tema, tais como os Laudos
Técnicos de Avaliação de Riscos Ambientais, etc.

O documento deve ser apresentado à Comissão Interna de Prevenção de Acidentes –


CIPA durante uma de suas reuniões, devendo sua cópia está anexada ao livro de atas desta
comissão.

O registro de dados deverá estar sempre disponível aos trabalhadores interessados ou


seus representantes e para as autoridades competentes.

16.1. REGISTROS

Todos os dados constantes desse programa deverão ser mantidos arquivados por um
mínimo de 20 anos, conforme preceitua a NR-09 item 9.3.8.2.

Este registro de dados constituirá o banco de desenvolvimento de PPRA da Empresa LSI


ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS S/A, compondo um histórico do conjunto de ações
integradas implementadas para garantir um ambiente seguro e saudável para todos
trabalhadores.

16.2. MANUTENÇÃO

Deve haver formulários padronizados para cada tipo de registro do PPRA, um


arquivamento destes formulários em pastas, cadernos, fichários, etc., tendo em seu índice o
título e a página em que está o formulário específico. Estas pastas ou similares devem ficar
em local previamente estabelecido, de fácil acesso e deve haver um controle, forma de
distribuição de cópias destes formulários. Um cuidado especial é necessário quando se
muda o administrador do programa, pois este deve passar todo o acervo para seu substituto.

16.3. DIVULGAÇÃO DOS DADOS

Os procedimentos para as execuções das atividades e as informações pertinentes aos


ambientes, maquinas e equipamentos e condições inseguras serão registradas em formulário
padrão, e a divulgação dos dados pode ser feita de diversas maneiras, dependendo do porte
do estabelecimento, as mais comuns são:
- Treinamentos Específicos; - Direito de Recusa ao Trabalho;
- Programa de Integração de Novos - Diálogo Diário de Segurança e Saúde
Empregados; Ocupacional.
- Check List de Máquinas e Equipamentos; - PET - Permissão de Entrada e Trabalho
- Ficha de Controle de EPI; - APR - Análise Preliminar de Risco
- ASO – Atestado de Saúde Ocupacional;

Elaborado pela Empresa LSI ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS S/A


Pagina: 16
PPRA Elaboração:
PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS
12.02.2018
Revisão: 00
17. TREINAMENTOS

A fase de treinamento é vital para que os trabalhadores entendam os riscos causados


pela exposição prolongada e desprotegida a agentes ambientais. O entendimento desse
risco é fundamental para se obter uma participação efetiva no PPRA.

Os treinamentos deverão observar o plano de aula estabelecido para cada tema, que
deverá conter no mínimo:

 Especificação de recursos didáticos e equipamentos necessários (DVD, folders,


projetores, TV / Vídeo, computador, etc.);
 Conteúdo programático especificando assunto e tempo de abordagem;
 Carga horária;
 Número de participantes por turma;
 Nome do(s) Instrutor(es);

NOTA:
Os treinamentos a serem realizados durante vigência deste programa estão listados no
cronograma anual de ações.

18. QUADRO DOS GRUPOS HOMOGÊNEOS DE EXPOSIÇÃO AOS RISCOS – GHER


O Grupo Homogêneo de Exposição – GHE são grupos compostos por trabalhadores que
experimentam exposição semelhante, de forma que o resultado fornecido pela avaliação da
exposição de qualquer trabalhador do grupo seja representativo da exposição do restante
dos trabalhadores do mesmo grupo. O GHE apresentado foi criado a partir da caracterização
básica, e agrupam trabalhadores que possuem as mesmas características (perfil) de
exposição a um dado agente no ambiente de trabalho.

18.1. DEFINIÇÃO DOS GRUPOS HOMOGÊNEOS DE EXPOSIÇÃO AO RISCO - GHER


QTD EXPOSTA
GHER

SETORES DE
FUNÇÕES RISCOS AMBIENTAIS
TRABALHO FUNÇÃO SOMA

Supervisor 01 01 Agente Físico:


- Ruído.
01 Administrativo Agente Químico:
Auxiliar
01 01 - Poeira Respirável (Sílica)
Administrativo

Agente Físico:
Técnico em - Ruído, Radiação não Ionizante,
02 SESMT Segurança do 01 01 Umidade.
Trabalho Agente Químico:
- Poeira Respirável (Sílica)

Agente Físico:
Encarregado de - Ruído, Radiação não Ionizante,
03 Operacional Limpeza 02 02 Umidade.
Líder de Limpeza Agente Químico:
- Poeira Respirável

Elaborado pela Empresa LSI ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS S/A


Pagina: 17
PPRA Elaboração:
PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS
12.02.2018
Revisão: 00
Agente Físico:
- Ruído, Radiação não Ionizante,
Umidade.
Agente Químico:
Poeira Respirável (Sílica)
- Produtos de Limpeza: Contato
Limpeza e Auxiliar de Serviços com produtos de limpeza.
04 20 20
manutenção Gerais Agente Biológico: Bacilos,
Bactérias e Parasitas:
Proveniente ao contato com
material biológico referente a
coleta de lixos e limpeza de
banheiros.

Agente Físico:
-Ruído, Radiação não Ionizante,
Agente Químico:
- Poeira Respirável (Sílica)
05 Pintura Pintor Industrial 03 03
- Benzeno, Xileno, Tolueno e Etil
benzeno: Proveniente manuseio
de tintas acrílicas, sintéticas e
solventes.
Agente Físico:
Ruído, Radiação não Ionizante,
Condutor de
06 Transporte 07 07 Agente Químico:
veículos leves Poeira Respirável (Sílica)

Agente Físico:
Ruído, Radiação não Ionizante,
07 Copa Copeiro 03 03 Agente Químico:
Poeira Respirável (Sílica)

TOTAL 38

Elaborado pela Empresa LSI ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS S/A


18.2. DESCRIÇÃO DE FUNÇÕES E CARACTERIZAÇÃO DE LOCAL DE TRABALHO – GHER

CARGOS
GHER CARACTERIZAÇÃO DO LOCAL DE TRABALHO DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES
FUNÇÕES

As atividades são desenvolvidas em escritório, Executam serviços de apoio nas áreas de recursos humanos, administração, finanças
com pé direito de 2,80m, ventilação e iluminação e logística; atendem fornecedores e clientes, fornecendo e recebendo informações
Auxiliar artificial, através de central de ar condicionado, e sobre produtos e serviços; tratam de documentos variados, cumprindo todo o
Administrativo lâmpadas fluorescentes, piso em cerâmica, o local procedimento necessário referente aos mesmos.
01 dispõe de banheiros com separação por sexo, a Desenvolve outras atividades determinadas pela chefia, tendo que se deslocar
água mineral servida em bebedouros, eventualmente ao campo.
Eventualmente desenvolve atividades em áreas Supervisiona, e treina equipe de campo, planeja e define as estratégias no negócio e
Supervisor externas e ou interna da UHE Belo Monte/Pimental acompanha os indicadores de metas, com objetivo de alcançar os resultados
com ventilação e iluminação natural. estabelecidos.
Participar da elaboração e implementação da política de saúde e segurança no
trabalho (SST); participar das auditorias, avaliar e acompanhar as frentes de trabalho
As atividades são desenvolvidas em diversos identificando e orientando quanto aos riscos existente e surgimento de outros riscos
ambientes no interior da Usina, com iluminação e conforme andamento das atividades; identificar variáveis de controle de doenças,
Técnico em ventilação artificial e a céu aberto no canteiro de acidentes, qualidade de vida e meio ambiente; desenvolver ações educativas na área
02 Segurança do obras da UHE Belo Monte/Pimental com de saúde e segurança no trabalho; participar de perícias e fiscalizações e integrar
Trabalho iluminação e ventilação natural. processos de negociação para melhorias relacionadas às frentes de trabalho quanto à
O canteiro dispõe de ponto de apoio com área segurança; participar da adoção de tecnologias e processos de trabalho; gerenciar
para repouso, banheiro com separação de sexo, documentação de SST; investigar, analisar acidentes e recomendar medidas de
bebedouro (freezer) com água para consumo, prevenção e controle.
mantida a baixa temperatura.
O local dispõe ainda de ambulatório, refeitório e Chefiando diretamente equipes de serviços gerais, limpeza e reparos, realizam
Encarregado área de lazer (instalações da contratante) pequenos reparos e instalações nos locais de atividade, quando necessário, fazem a
03
de Limpeza reposição e fornecimento dos materiais de consumo das atividades, gerenciam e
acompanham as equipes nos locais de trabalho.

Elaborado pela Empresa LSI ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS S/A


CARGOS CARACTERIZAÇÃO DO LOCAL DE
GHER DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES
FUNÇÕES TRABALHO

As atividades são desenvolvidas em diversos


ambientes no interior da Usina, com iluminação e
ventilação artificial e a céu aberto no canteiro de
obras da UHE Belo Monte/Pimental com
iluminação e ventilação natural.
Líder de Lidera equipe de campo, planeja e define as estratégias no negócio e acompanha os
03 O canteiro dispõe de ponto de apoio com área
Limpeza indicadores de metas, com objetivo de alcançar os resultados estabelecidos.
para repouso, banheiro com separação de sexo,
bebedouro (freezer) com água para consumo,
mantida a baixa temperatura.
O local dispõe ainda de ambulatório, refeitório e
área de lazer (instalações da contratante)

As atividades são desenvolvidas em diversos


ambientes no interior da Usina, com iluminação e
ventilação artificial e a céu aberto no canteiro de Realizam serviço de limpeza em geral, arrumação dos setores, atuam na área interna,
obras da UHE Belo Monte/Pimental com fazendo coleta de lixo e resíduos e destinando ao local de descarte, lavam e
Auxiliar de iluminação e ventilação natural. higienizam instalações da empresa, fazem reposição de materiais. Trabalho
04 Serviços O canteiro dispõe de ponto de apoio com área observando as normas de Segurança, Saúde, Qualidade, Meio Ambiente e
Gerais para repouso, banheiro com separação de sexo, Responsabilidade Social, efetuam serviços de limpeza e lavagem em áreas de
bebedouro (freezer) com água para consumo, comissionamento, galerias elétrica e mecânica, máquinas, equipamentos, tubulações
mantida a baixa Temperatura. e motores.
O local dispõe ainda de ambulatório, refeitório e
área de lazer (instalações da contratante)

Elaborado pela Empresa LSI ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS S/A


CARGOS CARACTERIZAÇÃO DO LOCAL DE
GHER DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES
FUNÇÕES TRABALHO
Preparar, café, sucos, chá, refrescos, utilizando-se de cafeteiras, espremedores e
As atividades são desenvolvidas em diversos coadores, fervendo água, adicionando pó de café, açúcar, espremendo frutas, etc.
ambientes no interior da Usina, com iluminação e Servir água, refrescos, sucos, chá e café a empregados e visitantes utilizando-se de
ventilação artificial no canteiro de obras da UHE bandeja, carrinho de mão, copos, xícaras e bules. Proceder à limpeza da copa,
Belo Monte/Pimental
O canteiro dispõe de ponto de apoio com área conservando-a em perfeitas condições de higiene, lavando suas dependências,
05 Copeiro louças, armários, geladeiras, fogão, utensílios e aparelhos elétricos utilizados. Solicitar
para repouso, banheiro com separação de sexo,
bebedouro (freezer) com água para consumo, ao superior a emissão de requisições de material para reabastecimento de café,
mantida a baixa temperatura. açúcar, frutas, refrescos concentrados, água, materiais de copa e limpeza em geral,
O local dispõe ainda de ambulatório, refeitório e controlando seu consumo.
área de lazer (instalações da contratante)

As atividades são desenvolvidas em diversos Preparar as superfícies a serem pintadas, raspando-as e lixando-as manualmente
ambientes dentro da Usina, com iluminação e removendo tinta, ferrugem e impurezas com solventes especiais, recheando as gretas
ventilação artificial e a céu aberto no canteiro de e buracos com massa apropriada, aplicando camadas de massa corrida e sintética,
obras da UHE Belo Monte, com iluminação e tinta anticorrosiva e a base de massa antioxidante, em superfícies metálicas. Prepara
ventilação natural. tintas, misturando-as, adicionando diluentes, secantes e pigmentados em quantidades
convenientes até atingir a cor e viscosidade ideais, bem como preparar vernizes a
Pintor
06 O canteiro dispõe de ponto de apoio com área serem aplicados em madeira. Pintar paredes, forros, portas, esquadrias, casas de
Industrial
para repouso, banheiro com separação de sexo, comando, ferragens, torres de transmissão, painéis, móveis, elevadores, faixa de
bebedouro (freezer) com água para consumo, sinalização de segurança, avisos, grades, etc., utilizando-se de pincéis, brochas,
mantida a baixa temperatura. trinchas, rolos, revólver para pintura à ar comprimido, tintas sintéticas, cal ou a óleo,
de acordo com o serviço a ser executado, lixando as camadas após secagem e
O local dispõe ainda de ambulatório, refeitório e repetindo, até atingir acabamento ideal para o trabalho, ou conforme instruções da
área de lazer (instalações da contratante). chefia imediata

Dirigem e manobram veículos e transportam pessoas, cargas (leves) nas áreas


A caracterização do ambiente de trabalho é o internas e externas, realizam apoio e acompanhamento dos profissionais em campo,
07 Motorista I próprio interior do veículo com ventilação artificial controlam e fazem acompanhamento das manutenções preventivas e corretivas dos
e iluminação natural, em campos e estradas. veículos, realizam check list diários dos veículos, trabalham seguindo as normas de
transito, e normas internas de segurança, higiene, qualidade e meio ambiente.

18.3. AVALIAÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS


EMPRESA: LSI ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS S/A

Elaborado pela Empresa LSI ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS S/A


SETOR DE TRABALHO: ADMINISTRATIVO GHER: 01 QUANTIDADE DE FUNCIONÁRIOS EXPOSTOS: 02
RELAÇÃO DE FUNÇÕES QUANTIDADE
AUXILIAR ADMINISTRATIVO 01
SUPERVISOR 01
TRAJETORIA E GRADUAÇÃO MEDIDAS DE MEDIDAS DE
FONTE DANOS A MEDIDAS
AGENTES RISCOS MEIO DE DE RISCO AVALIAÇÃO INTENSIDADE CONTROLE CONTROLE
GERADORA SAUDE COMPLEMENTAR
PROPAGAÇÃO PD TE GR INDIVIDUAIS COLETIVAS

Estresses
Equipamentos físicos, dor Registrar e
Fornecimento
de escritório de cabeça, Conscientizaçã monitorar o risco
Ar e ondas de EPI como
FÍSICO Ruído em irritabilidade, 1 2 3 Qualitativa NA o do risco em através de
sonoras medida de
funcionament perda do treinamento. inspeções;
conforto.
o sono, perda Controle médico.
auditiva.

LEGENDA
OBS.: Somando-se
Potencial de Dano PD Grupo Homogêneo de Exposição GHE DANO / EXPOSIÇÃO 3 CONTÍNUA 2 INTERMITENTE 1 EVENTUAL o peso
correspondente ao
2 e 3 = Tolerável
1 Irrelevante Moderado Tolerável Tolerável dano e exposição
Tempo de Exposição TE Não Se Aplica NA 4 = Moderado
2 De atenção Substancial Moderado Tolerável (conforme quadro ao
5 = Substancial
Programa De Controle Auditivo PCA 3 Crítico Intolerável Substancial Moderado lado), obteremos o
6 e 7 = Intolerável
resultado do valor
Gradação de Risco GR correspondente a
Programa de Proteção Respiratória PPR 4 Emergencial Intolerável Intolerável Substancial
gradação de risco:

EMPRESA: LSI ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS S/A


SETOR DE TRABALHO: SESMT GHER: 02 QUANTIDADE DE FUNCIONÁRIOS EXPOSTOS: 01
QUANTIDAD
RELAÇÃO DE FUNÇÕES
E
TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO 01

Elaborado pela Empresa LSI ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS S/A


TRAJETORIA E GRADUAÇÃO
MEDIDAS DE MEDIDAS DE
FONTE DANOS A MEIO DE DE RISCO MEDIDAS
AGENTES RISCOS AVALIAÇÃO INTENSIDADE CONTROLE CONTROLE
GERADORA SAUDE PROPAGAÇÃ COMPLEMENTAR
PD TE GR INDIVIDUAIS COLETIVAS
O
Registrar e
monitorar o risco
Estresses físicos, Manutenção
através de
Máquinas e dor de cabeça, Uso de protetor preventiva em
Ar e Ondas Qualitativ inspeções e
Ruído equipamentos em irritabilidade, 2 2 4 NA auditivo tipo máquinas,
sonoras a avaliação
funcionamento. perda do sono, plug/concha. equipamentos e
quantitativa.
perda auditiva. ferramentas.
Treinamento;
Controle médico.
Qualitativ Abrigo para
Uso de uniforme
Queimaduras e a descanso nos
FÍSICO Radiação Exposição ao
doenças de pele,
Irradiação – com camisa manga
intervalos de
Não Sol. (Atividades a Corpo Inteiro 2 2 4 NA longa,
esgotamento trabalho. Registrar e
Ionizante céu aberto) Protetor Solar FPS
físico Consumo de monitorar o risco
= ou > 30.
líquidos. através de
Doenças do Qualitativ inspeções;
Uso de uniforme Redução do tempo
Acompanhament aparelho a Treinamento;
manga longa, bota de exposição.
o dos processos respiratório, Controle médico.
Umidade Contato 1 1 2 NA PVC, luva de Conscientização do
de Higienização doenças de pele,
PVC, óculos de risco em
de pisos e lajes. doenças
segurança. treinamento.
circulatórias.
Registrar e
Umedecer vias de
monitorar o risco
acesso do canteiro
através de
de obras.
inspeções;
Manutenção
Treinamento;
Movimentação preventiva em
Controle médico.
de automóveis e Doenças do Uso de Respirador máquinas,
Poeira Registrar e
equipamentos sistema Qualitativ Descartável equipamentos e
QUÍMICO Respirável Ar 2 2 4 NA monitorar o risco
Máquinas e respiratório e a (PFF1/PFF2 ferramentas.
(Sílica) através de
equipamentos em alergias. Abrigo para
inspeções e
funcionamento. descanso nos
avaliação
intervalos de
quantitativa.
trabalho.
Treinamento;
Consumo de
Controle médico.
líquidos.
.
Observação: Devido acesso a salas elétricas e subestações os empregados fazem a percepção do pagamento de adicional de periculosidade referente a 30%.
LEGENDA
OBS.: Somando-se
o peso
correspondente ao
2 e 3 = Tolerável
dano e exposição
4 = Moderado
Potencial de Dano PD Grupo Homogêneo de Exposição GHE DANO / EXPOSIÇÃO 3 CONTÍNUA 2 INTERMITENTE 1 EVENTUAL (conforme quadro
5 = Substancial
ao lado), obteremos
6 e 7 = Intolerável
o resultado do valor
correspondente a
gradação de risco:
1 Irrelevante Moderado Tolerável Tolerável
Tempo de Exposição TE Não Se Aplica NA
2 De atenção Substancial Moderado Tolerável
Programa De Controle Auditivo PCA 3 Crítico Intolerável Substancial Moderado
Gradação de Risco GR
Programa de Proteção Respiratória PPR 4 Emergencial Intolerável Intolerável Substancial

Elaborado pela Empresa LSI ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS S/A


EMPRESA: LSI ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS S/A
SETOR DE TRABALHO: Operacional GHER: 03 QUANTIDADE DE FUNCIONÁRIOS EXPOSTOS: 02
QUANTIDAD
RELAÇÃO DE FUNÇÕES
E
Encarregado de Limpeza / Líder de Limpeza 02
TRAJETORIA E GRADUAÇÃO
MEDIDAS DE MEDIDAS DE
FONTE DANOS A MEIO DE DE RISCO MEDIDAS
AGENTES RISCOS AVALIAÇÃO INTENSIDADE CONTROLE CONTROLE
GERADORA SAUDE PROPAGAÇÃ COMPLEMENTAR
PD TE GR INDIVIDUAIS COLETIVAS
O
Registrar e
monitorar o risco
Estresses físicos, Redução do tempo
através de
Máquinas e dor de cabeça, Uso de protetor de exposição.
Ar e Ondas inspeções e
Ruído equipamentos em irritabilidade, 2 2 4 Qualitativa NA auditivo tipo Conscientização do
sonoras avaliação
funcionamento perda do sono, plug/concha. risco em
quantitativa.
perda auditiva. treinamento.
Treinamento;
Controle médico.
Uso de uniforme
Queimaduras e Abrigo para
FÍSICO Radiação Não
Exposição ao Sol
doenças de pele,
Irradiação – com camisa manga
descanso nos
(atividades a céu Corpo Inteiro 2 1 3 Qualitativa NA longa,
Ionizante esgotamento intervalos de Registrar e
aberto) Protetor Solar FPS
físico trabalho. monitorar o risco
= ou > 30.
através de
Doenças do
Redução do tempo inspeções;
Acompanhamento aparelho
Bota PVC, luva de exposição. Treinamento;
de processos de respiratório,
Umidade Contato 1 1 2 Qualitativa NA nitrílica, óculos de Conscientização do Controle médico.
Higienização de doenças de pele,
segurança. risco em
pisos e banheiros doenças
treinamento.
circulatórias.

Registrar e
monitorar o risco
Doenças do através de
Poeira Movimentação de Umedecer vias de
QUÍMICO sistema Uso de respirador inspeções;
Respirável automóveis e Ar 2 2 4 Qualitativa NA acesso do canteiro
respiratório e descartável PFF2 Avaliação
(Sílica) equipamentos de obras.
alergias. Quantitativa;
Treinamento;
Controle médico.
Observação: Devido acesso a salas elétricas e subestações os empregados fazem a percepção do pagamento de adicional de periculosidade referente a 30%.
LEGENDA
OBS.: Somando-se
o peso
correspondente ao
2 e 3 = Tolerável
dano e exposição
4 = Moderado
Potencial de Dano PD Grupo Homogêneo de Exposição GHE DANO / EXPOSIÇÃO 3 CONTÍNUA 2 INTERMITENTE 1 EVENTUAL (conforme quadro
5 = Substancial
ao lado), obteremos
6 e 7 = Intolerável
o resultado do valor
correspondente a
gradação de risco:
1 Irrelevante Moderado Tolerável Tolerável
Tempo de Exposição TE Não Se Aplica NA
2 De atenção Substancial Moderado Tolerável
Programa De Controle Auditivo PCA 3 Crítico Intolerável Substancial Moderado
Gradação de Risco GR
Programa de Proteção Respiratória PPR 4 Emergencial Intolerável Intolerável Substancial

Elaborado pela Empresa LSI ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS S/A


EMPRESA: LSI ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS S/A
SETOR DE TRABALHO: Limpeza e manutenção GHER: 04 QUANTIDADE DE FUNCIONÁRIOS EXPOSTOS: 20
QUANTIDAD
RELAÇÃO DE FUNÇÕES
E
Auxiliar de Serviços Gerais 20
TRAJETORIA E GRADUAÇÃO
MEDIDAS DE MEDIDAS DE
FONTE DANOS A MEIO DE DE RISCO MEDIDAS
AGENTES RISCOS AVALIAÇÃO INTENSIDADE CONTROLE CONTROLE
GERADORA SAUDE PROPAGAÇÃ COMPLEMENTAR
PD TE GR INDIVIDUAIS COLETIVAS
O
Registrar e
monitorar o risco
Estresses físicos, Manutenção
Máquinas e através de
dor de cabeça, Uso de protetor preventiva em
equipamentos Ar e Ondas Qualitativ inspeções e
Ruído irritabilidade, 2 1 3 NA auditivo tipo máquinas,
em sonoras a avaliação
perda do sono, plug/concha. equipamentos e
funcionamento quantitativa.
perda auditiva. ferramentas.
Treinamento;
Controle médico.
Redução do tempo
Uso de uniforme
Queimaduras e de exposição.
FÍSICO Radiação Não
Exposição ao Sol
doenças de pele,
Irradiação –
Qualitativ
com camisa manga
Abrigo para
(atividades a céu Corpo Inteiro 2 1 3 NA longa,
Ionizante esgotamento a descanso nos Registrar e
aberto). Protetor Solar FPS
físico intervalos de monitorar o risco
= ou > 30.
trabalho. através de
Doenças do Uso de vestimenta inspeções;
Redução do tempo
Atividade de aparelho tipo jardineira de Treinamento;
de exposição.
limpeza em respiratório, Qualitativ PVC, bota PVC, Controle médico.
Umidade Contato 2 1 3 NA Conscientização do
corredores e doenças de pele, a luva de nitrílica,
risco em
sanitários doenças óculos de
treinamento.
circulatórias. segurança.
Doenças do
Poeira Movimentação de Umedecer vias de
sistema Uso de respirador
Respirável automóveis e Ar 1 2 3 acesso do canteiro
respiratório e descartável PFF2
(Sílica) equipamentos de obras.
alergias.
Contato com Luva nitrílica, Conscientização do
Produto de Irritação da pele
produto de Contato 1 2 3 óculos e avental risco em Registrar e
limpeza e mucosas
limpeza impermeável Treinamento monitorar o risco
Qualitativ Uso de máscara através de
QUÍMICO NA
a semifacial com inspeções;
Contato com cartucho para Disponibilizar local Treinamento;
material biológico Infecções produto orgânico, para higiene Controle médico.
Bacilos e
(coleta de lixo e crônicas e Contato 2 1 3 luva Nitrílica, pessoal, troca de
Bactérias
limpeza de agudas óculos de uniforme
sanitários segurança e Treinamento
avental
impermeável
Observação: Devido acesso a salas elétricas e subestações os empregados fazem a percepção do pagamento de adicional de periculosidade referente a 30%.
LEGENDA

Elaborado pela Empresa LSI ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS S/A


OBS.: Somando-se
o peso
correspondente ao
2 e 3 = Tolerável
dano e exposição
4 = Moderado
Potencial de Dano PD Grupo Homogêneo de Exposição GHE DANO / EXPOSIÇÃO 3 CONTÍNUA 2 INTERMITENTE 1 EVENTUAL (conforme quadro
5 = Substancial
ao lado), obteremos
6 e 7 = Intolerável
o resultado do valor
correspondente a
gradação de risco:
1 Irrelevante Moderado Tolerável Tolerável
Tempo de Exposição TE Não Se Aplica NA
2 De atenção Substancial Moderado Tolerável
Programa De Controle Auditivo PCA 3 Crítico Intolerável Substancial Moderado
Gradação de Risco GR
Programa de Proteção Respiratória PPR 4 Emergencial Intolerável Intolerável Substancial

EMPRESA: LSI ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS S/A


SETOR DE TRABALHO: COPA GHER: 05 QUANTIDADE DE FUNCIONÁRIOS EXPOSTOS: 03
QUANTIDAD
RELAÇÃO DE FUNÇÕES
E
COPEIRO 03
TRAJETORIA E GRADUAÇÃO
MEDIDAS DE MEDIDAS DE
FONTE DANOS A MEIO DE DE RISCO MEDIDAS
AGENTES RISCOS AVALIAÇÃO INTENSIDADE CONTROLE CONTROLE
GERADORA SAUDE PROPAGAÇÃ COMPLEMENTAR
PD TE GR INDIVIDUAIS COLETIVAS
O
Registrar e
monitorar o risco
Estresses físicos,
Manutenção através de
Motor de dor de cabeça, Uso de protetor
Ar e Ondas Qualitativ preventiva nos inspeções e
Ruído embarcação em irritabilidade, 2 2 4 NA auditivo tipo
sonoras a motores das avaliação
funcionamento. perda do sono, plug/concha.
embarcações. quantitativa.
perda auditiva.
Treinamento;
FÍSICO Controle médico.
Doenças do Registrar e
Atividades de Uso de uniforme Redução do tempo
aparelho monitorar o risco
monitoramento manga longa, bota de exposição.
respiratório, Qualitativ através de
Umidade no Rio Xingu e na Contato 1 2 3 NA PVC, luva de PVC, Conscientização do
doenças de pele, a inspeções;
captura/resgate óculos de risco em
doenças Treinamento;
de peixes segurança. treinamento.
circulatórias. Controle médico.
Doenças do
Poeira Movimentação de Umedecer vias de
sistema Qualitativ Uso de respirador
QUÍMICO Respirável automóveis e Ar 1 1 2 NA acesso do canteiro
respiratório e a descartável PFF2
(Sílica) equipamentos de obras.
alergias.
LEGENDA
OBS.: Somando-se
o peso
correspondente ao
2 e 3 = Tolerável
dano e exposição
4 = Moderado
Potencial de Dano PD Grupo Homogêneo de Exposição GHE DANO / EXPOSIÇÃO 3 CONTÍNUA 2 INTERMITENTE 1 EVENTUAL (conforme quadro
5 = Substancial
ao lado), obteremos
6 e 7 = Intolerável
o resultado do valor
correspondente a
gradação de risco:
1 Irrelevante Moderado Tolerável Tolerável
Tempo de Exposição TE Não Se Aplica NA
2 De atenção Substancial Moderado Tolerável

Elaborado pela Empresa LSI ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS S/A


Programa De Controle Auditivo PCA 3 Crítico Intolerável Substancial Moderado
Gradação de Risco GR
Programa de Proteção Respiratória PPR 4 Emergencial Intolerável Intolerável Substancial

EMPRESA: LSI ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS S/A


SETOR DE TRABALHO: PINTURA GHER: 06 QUANTIDADE DE FUNCIONÁRIOS EXPOSTOS: 03
QUANTIDAD
RELAÇÃO DE FUNÇÕES
E
PINTOR INDUSTRIAL 03
TRAJETORIA E GRADUAÇÃO
MEDIDAS DE MEDIDAS DE
FONTE DANOS A MEIO DE DE RISCO MEDIDAS
AGENTES RISCOS AVALIAÇÃO INTENSIDADE CONTROLE CONTROLE
GERADORA SAUDE PROPAGAÇÃ COMPLEMENTAR
PD TE GR INDIVIDUAIS COLETIVAS
O
Registrar e
monitorar o risco
Estresses físicos, Manutenção
através de
Máquinas e dor de cabeça, Uso de protetor preventiva em
Ar e Ondas Qualitativ inspeções e
Ruído equipamentos em irritabilidade, 2 2 4 NA auditivo tipo máquinas,
sonoras a avaliação
funcionamento. perda do sono, plug/concha. equipamentos e
quantitativa.
perda auditiva. ferramentas.
Treinamento;
FÍSICO Controle médico.
Abrigo para Registrar e
Uso de uniforme
Queimaduras e descanso nos monitorar o risco
Radiação Exposição ao Irradiação – com camisa manga
doenças de pele, Qualitativ intervalos de através de
Não Sol. (Atividades a Corpo Inteiro 2 2 4 NA longa,
esgotamento a trabalho. inspeções;
Ionizante céu aberto) Protetor Solar FPS
físico Consumo de Treinamento;
= ou > 30.
líquidos. Controle médico.
Registrar e
Doenças do monitorar o risco
Poeira Movimentação Uso de Respirador Umedecer vias de
sistema Qualitativ através de
Respirável de automóveis e Ar 2 2 4 NA Descartável acesso do canteiro
respiratório e a inspeções;
(Sílica) equipamentos (PFF1/PFF2 de obras.
alergias. Treinamento;
Controle médico.
QUÍMICO VAPORES
IRRITAÇÃO Registrar e
ORGANICOS
TINTAS ASFIXIA / RESPIRADOR monitorar o risco
(BENZENO, VENTILAÇÃO
ACRILICAS / INTOXICAÇÃO Qualitativ PFF2, LUVA através de
TOLUENO, AR 2 2 4 NA NATURAL /
SINTETICOS E DE VIAS a LATEX, OCULOS inspeções;
XILENO, TREINAMENTO
SOLVENTES RESPIRATÓRIA DE SEGURANÇA Treinamento;
ETILBENZEN
S Controle médico
O
Observação: Devido acesso a salas elétricas e subestações os empregados fazem a percepção do pagamento de adicional de periculosidade referente a 30%.
LEGENDA
OBS.: Somando-se o
peso correspondente 2 e 3 = Tolerável
ao dano e exposição 4 = Moderado
DANO / (conforme quadro ao
Potencial de Dano PD Grupo Homogêneo de Exposição GHE EXPOSIÇÃO
3 CONTÍNUA 2 INTERMITENTE 1 EVENTUAL lado), obteremos o 5 = Substancial
resultado do valor 6e7=
correspondente a Intolerável
gradação de risco:
Tempo de 1 Irrelevante Moderado Tolerável Tolerável
TE Não Se Aplica NA
Exposição 2 De atenção Substancial Moderado Tolerável

Elaborado pela Empresa LSI ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS S/A


Programa De Controle Auditivo PCA 3 Crítico Intolerável Substancial Moderado
Gradação de Risco GR Programa de Proteção
Respiratória
PPR 4 Emergencial Intolerável Intolerável Substancial

EMPRESA: LSI ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS S/A


SETOR DE TRABALHO: TRANSPORTE GHER: 07 QUANTIDADE DE FUNCIONÁRIOS EXPOSTOS: 7
QUANTIDAD
RELAÇÃO DE FUNÇÕES
E
MOTORISTA I 7
TRAJETORIA E GRADUAÇÃO
MEDIDAS DE MEDIDAS DE
FONTE DANOS A MEIO DE DE RISCO MEDIDAS
AGENTES RISCOS AVALIAÇÃO INTENSIDADE CONTROLE CONTROLE
GERADORA SAUDE PROPAGAÇÃ COMPLEMENTAR
PD TE GR INDIVIDUAIS COLETIVAS
O
Registrar e
monitorar o risco
Estresses físicos, Manutenção
Máquinas e através de
dor de cabeça, Uso de protetor preventiva em
equipamentos Ar e Ondas Qualitativ inspeções e
Ruído irritabilidade, 2 2 4 NA auditivo tipo máquinas,
em sonoras a avaliação
perda do sono, plug/concha. equipamentos e
funcionamento quantitativa.
perda auditiva. ferramentas.
Treinamento;
Controle médico.
Registrar e
Redução do tempo
Uso de uniforme monitorar o risco
Queimaduras e de exposição.
Exposição ao Sol Irradiação – com camisa manga através de
Radiação Não doenças de pele, Qualitativ Abrigo para
(atividades a céu Corpo Inteiro 1 1 2 NA longa, inspeções;
FÍSICO Ionizante
aberto).
esgotamento a
Protetor Solar FPS
descanso nos
Treinamento;
físico intervalos de
= ou > 30. Controle médico.
trabalho.
EQUIPAMENTOS
LESÃOES NO PROVIDOS DE Registrar e
SISTEMA ASSENTOS monitorar o risco
VIBRAÇÃO MUSCULO ACOLCHOADOS E através de
MOTORISTA DE Qualitativ
(CORPO ESQUELETICO / CONTATO 2 1 3 NA NA SISTEMA DE inspeções;
VEICULO LEVE a
INTEIRO) VSCULAR E AMORTECIMENTO Treinamento;
NERVOSO HIDRAULICO / Controle médico.
PERIFERICO MANUTENÇÃO
PREVENTIVA

Registrar e
Doenças do monitorar o risco
Poeira Movimentação de Umedecer vias de
sistema Qualitativ Uso de respirador através de
QUÍMICO Respirável automóveis e Ar 1 1 2 NA acesso do canteiro
respiratório e a descartável PFF2 inspeções;
(Sílica) equipamentos de obras.
alergias. Treinamento;
Controle médico.

LEGENDA

Elaborado pela Empresa LSI ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS S/A


OBS.: Somando-se o
peso correspondente 2 e 3 = Tolerável
ao dano e exposição 4 = Moderado
DANO / (conforme quadro ao
Potencial de Dano PD Grupo Homogêneo de Exposição GHE EXPOSIÇÃO
3 CONTÍNUA 2 INTERMITENTE 1 EVENTUAL lado), obteremos o 5 = Substancial
resultado do valor 6e7=
correspondente a Intolerável
gradação de risco:
Tempo de 1 Irrelevante Moderado Tolerável Tolerável
TE Não Se Aplica NA
Exposição 2 De atenção Substancial Moderado Tolerável
Programa De Controle Auditivo PCA 3 Crítico Intolerável Substancial Moderado
Gradação de Risco GR Programa de Proteção
Respiratória
PPR 4 Emergencial Intolerável Intolerável Substancial

19. QUADRO DE EPI´S POR FUNÇÃO

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL POR FUNÇÃO


PÉS MÃOS OLHOS, CABEÇA E FACE GERAL

Capacete de Segurança c/ Jugular


Bota de Segurança em couro com

Respirador (máscara) PFF1/PFF2

Óculos de Segurança Incolor /


Máscara com filtro químico p/
Protetor Auditivo Tipo Plug /

Cinto de Segurança / Duplo

Protetor Solar FPS =>.30


biqueira em bicomposite

Luva PVC Cano Longo


EPI

vapores orgânicos
Luva Pigmentada

Capa de Chuva
Touca Árabe
Bota em PVC

Luva Nitrílica

Talabartes
Concha

Escuro
FUNÇÃO

SUPERVISOR C - - - - - - E - - - - E - E - E - -

AUXILIAR ADMINISTRATIVO C - - - - - - E - - - - - - E - - - -

TECNICO EM SEG DO TRABALHO C E - - - - - C E E - E E E E - E - -

ENCARREGADO DE LIMPEZA C E - E - E E C E E - E E E E - E - -
AUXILIAR DE SERVIÇOS GERAIS C E - E - E E C E E - E E E E - E - -

COPEIRO C - - - - E - E E - - - E - E - - - -

Elaborado pela Empresa LSI ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS S/A


PINTOR C E - - - C E C E E E E C E E - E - -

Motorista I C - - - - - E E E E - - E - E - E - -

LEGENDA: C – Uso Contínuo / E – Uso Eventual

Observação: As descrições de EPI´s e correspondentes características bem como prazo de troca/substituição estão listados na Pag. 30 a 33
(Caracterização dos EPI`s)

Elaborado pela Empresa LSI ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS S/A


Pagina: 30
PPRA Elaboração: 12.02.18
PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS
Revisão: 00

20. CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO DO PPRA

O Programa de Prevenção de Riscos Ambientais será desenvolvido de acordo com as etapas abaixo
indicadas, com as seguintes considerações.

Todas as ações constantes no cronograma deverão iniciar seguindo recomendações definidas de


comum acordo entre a Divisão de Recursos Humanos, SESMT e a CIPA.

A unidade tem liberdade de estabelecer planos de ações e responsabilidades de acordo com os


recursos disponíveis lembrando que os resultados alcançados deverão estar alinhados com as diretrizes
deste documento base (ver quadro anexo).

Integração de novos colaboradores, sempre efetuada na admissão dos mesmos atendendo a NR18
como Introdutório, política de meio ambiente e segurança e saúde no canteiro de obras.

20.1.CRONOGRAMA ANUAL DE AÇÕES

1
2018
9
Nº ATIVIDADES
MAR

AGO
ABR

NOV
OUT
JUN

DEZ

JAN
FEV

SET
JUL
MAI

P X
01 Elaboração do PPRA
R
Apresentação do PPRA aos P X
02
funcionários R
P Realizar em todos processos de admissão
Treinamento de uso guarda e
03 R
conservação de EPI’s
R
Treinamento de NR 35 (Trabalho em P X
05
Altura) R
P X
06 Treinamento da CIPA (ou indicado)
R
Avaliação Quantitativa de Riscos P X
07
Ambientais R
P Realizar em todos processos de admissão
08 Treinamento de Ordem de Serviço
R
P X
09 SIPAT
R
P X
10 Avaliação Global do PPRA
R

Legenda: P - Previsto / R - Realizado


Observação: As justificativas para cada uma das ações listadas nesse cronograma estão listadas no
planejamento de ações (Pag. 25)

Elaborado pela empresa Manserv


20.2. PLANEJAMENTO DE AÇÕES DE SEGURANÇA DO TRABALHO
O QUE QUEM
POR QUE COMO ONDE QUANDO
(TAREFA OU (RESPONSÁVEL
(A RAZÃO DE FAZER) (MÉTODO A SER UTILIZADO) (LOCAL) (PERÍODO)
ATRIBUIÇÃO) PELA AÇÃO)
Apresentação do NR 09, Item 9.5.1 e 9.5.2, da Portaria SST
Coordenação do Sala de
PPRA aos nº 25, 29/12/94 do Ministério do Trabalho e Treinamento/Reunião Março / 2018
PPRA treinamento
empregados Emprego
Treinamento – NR 06, Item 6.6.1, alínea “c,d” e “h”, da Quando da
Para dar conhecimento ao colaborador
Uso, guarda e Portaria SIT nº 194 de 07/12/10 do Administração da Sala de admissão de
a importância do uso e higienização
conservação de Ministério do Trabalho e Emprego – MTE. empresa treinamento novos
de EPI’s.
EPI NR 18, Item 18.28.2. Letra “c”. funcionários
Através de treinamento teórico e prático
Treinamento de NR 35, Item 35.3. da Portaria da SIT n.º 313, com carga horária mínima de 08 h/aulas, SESMT ou
Sala de
NR 35, NR 33 E de 23 de março de 2012, e Portaria 3.214 de para informar aos trabalhadores os empresa Fev. / 2018
08/06/78 do MTE. treinamento
NR 10 riscos e medidas de controle da qualificadas
atividade
Treinamento de Em atendimento a legislação de Segurança Através de treinamento para os
Preposto ou Sala de
CIPA e Saúde do Trabalho (NR 05 – CIPA) e Art. membros eleitos ou indicados com Março / 2018
designado treinamento
(Ou indicado) 163 a 165 da CLT. carga horária de 20 h/aula.
Avaliação NR 9, Item 9.3.4, Portaria SSST 25, de Através de coleta de amostras em SESMT ou
quantitativa de 29/12/94, do Ministério do Trabalho e campo com aparelhos de medições empresa Campo Julho / 2018
riscos Emprego ambientais qualificadas
SESMT ou Quando da
Realizando treinamento e apresentação
Treinamento de Art. 157 da CLT e NR 01, Item 1.7, letra “b”, empresa e/ou Sala de admissão de
das respectivas ordens de serviços de novos
Ordem de Serviço da Portaria SIT nº 84 de 04/03/09. pessoas treinamento
cada trabalhador da empresa funcionários
qualificadas
Através de palestras e atividades
NR 05, Item 5.16, letra “o”, da Portaria SST
motivacionais sobre a importância da Sala de
SIPAT nº 25, 29/12/94 do Ministério do Trabalho e SESMT/CIPA Outubro / 2018
prevenção de acidentes de trabalho e treinamento
Emprego – MTE.
doenças ocupacionais.
Avaliando o seu desenvolvimento e
Avaliação Global NR 9, item 9.2.1.1. da Portaria 3.214 do realizando os ajustes necessários e Administração da Janeiro /
Empresa
do PPRA Ministério do Trabalho e Emprego - MTE estabelecimento de novas metas e Empresa 2018
prioridades

Elaborado pela empresa Manserv


21. INFORMAÇÃO

A Empresa LSI ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS S/A informará aos seus trabalhadores de maneira
apropriada e suficiente (através de Ordem de Serviço), sobre os riscos ambientais que possam originar-se
nos locais de trabalho e sobre os meios disponíveis para prevenir, minimizar ou eliminar tais riscos e para
proteger-se.

22. GARANTIA

A Empresa LSI ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS S/A garante que na ocorrência de riscos graves e
iminentes nos locais de trabalho, os trabalhadores possam interromper de imediato suas atividades,
comunicando o fato ao superior hierárquico direto para as devidas providências.

23. ELABORAÇÃO

Este documento foi elaborado pelo profissional abaixo descrito, com responsabilidade de
implementação pela Empresa LSI ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS S/A. Os riscos ambientais
identificados e qualificados neste documento poderão causar danos à saúde e comprometer a integridade
e segurança dos trabalhadores, os quais devem ser eliminados ou atenuados, conforme as medidas de
controle e o conjunto de treinamento que deverão ser implementados pela empresa. Sendo esses
registros do PPRA a expressão da verdade, vai assinado pelo elaborador, implementador e pelo
representante da Empresa LSI ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS S/A.

24. ENCERRAMENTO

Este documento foi digitado no anverso de 62 (sessenta e duas) páginas (incluindo seus anexos),
devidamente rubricadas, datado e assinado na presente página.

25. CONCLUSÃO

Este Programa tem como principal finalidade, fornecer subsídios para desenvolvimento de um clima
prevencionista, apresentando sugestões/recomendações previstas em leis brasileiras, não se limitando a
essas, quando necessário, e incentivando a permanente busca por melhorias na qualidade de vida dos
funcionários envolvidos no processo produtivo.

A antecipação, reconhecimento e adoção de medidas de neutralização/amenização e/ou eliminação


dos riscos ocupacionais, tanto de acidente quanto de doenças profissionais e do trabalho, em todas as
etapas do processo produtivo requerem adoção de medidas de controle, na busca constante por um
ambiente de trabalho sadio.

Ao concluirmos o presente programa, estamos certos de que a sua aplicação criteriosa e adequada
terá como resultado uma redução significativa de ocorrências de segurança do trabalho e fatores
ambientais, propiciando melhorias nas condições de trabalho da empresa.

Altamira – Pará, 19 de Fevereiro de 2018

Marcos Barros Francisco das Chagas Lustosa Junior


Supervisor Técnico em Segurança do Trabalho
LSI ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS S/A N° PA/001255.6

Elaborado pela empresa Manserv


GLOSSÁRIO
ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas.
ACIDENTE – É um incidente que resultou em lesão, doença ou fatalidade.
ACGIH - American Conference of Gov. Industrial Higyenists.
APR – Análise Preliminar de Riscos.
ART – Anotação de Responsabilidade Técnica.
ASO – Atestado de Saúde Ocupacional.
CAT – Comunicação de Acidente do Trabalho.
CIPA – Comissão Interna de Prevenção de Acidentes.
CLT – Consolidação das Leis do Trabalho.
CNAE – Código Nacional de Atividade Econômica
CREA – Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia
CRM – Conselho Regional de Medicina.
DANO – Resultado da ocorrência do acidente. (Consequência)
DDS – Diálogo Diário de Segurança.
DNSST – departamento nacional de segurança e saúde do trabalho
DORT – Doença Osteomusculares Relacionadas ao Trabalho.
EMR – Exposto de Maior Risco
EPC - Equipamento de Proteção Coletiva.
EPI - Equipamento de Proteção Individual.
FONTE GERADORA – Equipamento ou processo gerador de um ou mais agente de risco.
FISPQ – Ficha de Informação de Segurança de Produtos Químicos.
GAS – Grupo de Atividade Similar
GHE – Grupo Homogêneo de Exposição.
IBUTG - índice de bulbo úmido-termômetro de globo
LT – Limite de Tolerância.
LTCAT – Laudo Técnico das Condições do Ambiente de Trabalho.
MTE – Ministério do Trabalho e Emprego.
NBR - Norma Brasileira de Regulamentação.
NHO – Norma de Higiene Ocupacional.
NIOSH - National Institute for Occupational Safety and Health
NR - Norma Regulamentadora.
PCMAT – Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Industria da Construção.
PCMSO – Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional.
PPP – Perfil Profissiográfico Previdenciário.
PPRA – Programa de Prevenção de Riscos Ocupacionais.
PO – Procedimento Operacional.
PT – Permissão para Trabalhos.
SGS - Sistema de Gestão de Saúde e Segurança.
SIT – Secretária de Inspeção do Trabalho.
SSO&BE - Saúde, Segurança Ocupacional e Bem-Estar.
SESMT – Serviço Especializado em Segurança e Saúde no Trabalho Rural.
SST – Saúde e Segurança do Trabalho.
SSST – Secretária de Segurança e Saúde do Trabalho.
SUS – Sistema Único de Saúde.
TST – Técnico em Segurança do Trabalho
UHE – Usina Hidrelétrica.

BIBLIOGRAFIA

 Associação Brasileira de Prevenção de Acidente, ABPA;

Elaborado pela empresa Manserv


 Consolidação das Leis do Trabalho, CLT. –Ed. Saraiva;

 Giampaoli – Riscos Físicos – Fundacentro;

 Soto, José Manuel Osvaldo Gana – Riscos Químicos – Fundacentro;

 ACGHI – American Conference of Governmental Industrial Hygienists;

 NIOSH – National Institute for Occupational Safety and Health;

 ISO – International Standardization Organization;

 Nepomuceno, L.X. – Barulho Industrial – ABPA;

 Manual Prático de Higiene Industrial – Tuffi M. Saliba, Márcia C. Corrêa, Lênio S. Amaral;

 Segurança e Medicina do Trabalho – Ed. Atlas 57ª edição;

 Curso de Medicina do Trabalho – Fundacentro;

 Ergonomia Aplicada ao Trabalho – O Manual Técnico da Máquina Humana – vol. I – Hudson


de Araújo Couto – 19

Elaborado pela empresa Manserv


ANEXOS

Elaborado pela empresa Manserv


ANEXO I - EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL
EPI CARACTERÍSTICA UTILIZAÇÃO CONSERVAÇÃO TROCA
Destina-se à proteção e conforto dos pés e parte das penas contra
riscos a que o funcionário está sujeito, durante a jornada de
Deverá ser utilizado pelos Substituir quando
Calçados de trabalho. É confeccionado com solado antiderrapante, de O calçado deve estar limpo
funcionários que não apresentar
Segurança poliuretana, borracha ou látex. O calçado é confeccionado em e engraxado para manter o
manipulam materiais ou deformidades e/ou
com e sem vaqueta lisa, com biqueira ou não curtida em cromo, com espessura couro macio, principalmente
peças pesadas (riscos de conforme data de
biqueira de 1,8 a 2,0 mm. quando submetido à
quedas de objetos sobre os validade do
bicomposite Observação: Todo empregado, ao observar que o calçado de umidade constante.
pés). fabricante.
segurança está com solado desgastado ou danificado, deve
substituí-lo para não constituir risco de acidente.
Substituir quando
Proteção dos pés do usuário Deverá ser mantida em local
apresentar
Bota de contra riscos de natureza com boa ventilação, limpo,
Bota de segurança tipo impermeável para proteção dos pés, de uso deformidades e/ou
impermeável leve e contra umidade seco, evitando a exposição
profissional, confeccionada em policloreto de vinila (PVC). conforme data de
proveniente de operações a raios solares, manter
validade do
com o uso de água. sempre limpo.
fabricante.
Substituir quando
apresentar
Confeccionada em suporte têxtil de algodão; Revestimento em Proteção das mãos do Após a manipulação se
Luva Nitrílica deformidades e/ou
borracha nitrílica na palma e dedos; Dorso ventilado; Punho em usuário contra riscos estiver molhada deixar
conforme data de
malha elástica. mecânicos. secar a sombra.
validade do
fabricante.
Após utilizar ácidos,
Deverá ser utilizada pelos
enxaguá-la em água Substituir quando
Equipamento destinado à proteção das mãos e antebraço dos funcionários quando
corrente e se usar em apresentar
funcionários, contra produtos químicos agressivos, tais como; ácido, necessitem manusear
graxas, óleos, enxaguá-la deformidades e/ou
Luva de PVC solventes, etc. É confeccionada com PVC liso, sem forro para produtos químicos, ácidos,
em água morna contendo conforme data de
permitir maior maleabilidade a tato. Possui viola nos punhos para graxas, óleos, na lavagem
detergente. validade do
impedir que o produto manipulado escorra diretamente pelo braço de peças e manutenção de
Evitar peças com bordas fabricante.
bombas de esgotos.
corantes e abrasivas

EPI CARACTERÍSTICA UTILIZAÇÃO CONSERVAÇÃO TROCA


Substituir quando
Equipamento destinado à proteção das mãos e dos Deverá ser utilizada pelos apresentar
Após a manipulação se
Luva funcionários, contra objetos cortantes e pontiagudos, etc. É funcionários quando necessitem deformidades e/ou
estiver molhada deixar conforme data de
pigmentada confeccionada em couro, sem forro para permitir maior manusear peças e ferramentas
secar a sombra. validade do
maleabilidade a tato. na manutenção e etc.
fabricante.

Elaborado pela empresa Manserv


São utilizados para proteção ocular do usuário contra Deverão ser utilizados no Substituir quando
Os óculos devem ser
partículas de poeira em suspensão e produtos químicos. É manuseio de produtos químicos, apresentar
mantidos limpos, isentos de
Óculos de confeccionado com vinil, amoldando-se perfeitamente ao jateamento de água, pintura, deformidades e/ou
óleos ou graxos. Utilizar
Segurança rosto, por meio de ajuste regulável de diâmetro da cabeça. As linchamento (exceto quando conforme data de
sabão ou detergente neutro
lentes são confeccionadas com policarbonato ou resina houver riscos de projeções de validade do
para limpa-los.
incolor. partículas pesadas ou quentes). fabricante.
Substituir quando
apresentar
Capacete Deverá ser utilizado nos Deverá ser utilizado nos
Destina-se à proteção da cabeça dos usuários contra queda deformidades e/ou
com Carneira ambientes onde se realiza as ambientes onde se realiza
de objetos conforme data de
e Jugular atividades operacionais. as atividades operacionais.
validade do
fabricante.
Deverá ser usado em trabalhos
Após o uso deverá ser Substituir quando
ou ambiente onde o nível do
lavado com sabão neutro, e apresentar
Protetor Confeccionado em silicone, destina-se à proteção de usuários ruído esteja acima dos limites
mantido em recipiente deformidades e/ou
Auricular que trabalham em ambientes os níveis de ruídos são de tolerância fixados pela
adequado limpo e seco conforme data de
Tipo Plug prejudiciais à saúde, ou seja, acima dos limites de tolerância. Norma Regulamentadora n° 15
(descartar quando validade do
da Portaria 3214/78 do
apresentar deformidades) fabricante.
Ministério do trabalho.
Após o uso deverá ser
Deverá ser usado em trabalhos realizado limpeza com
Substituir quando
ou ambiente onde o nível do pano umedecido e
apresentar
Protetor Destina-se à proteção de usuários que trabalham em ruído esteja acima dos limites guardado em local seco e
deformidades e/ou
Auricular ambientes os níveis de ruídos são prejudiciais à saúde, ou de tolerância fixados pela protegido contra ação de
conforme data de
Tipo Concha seja, acima dos limites de tolerância. Norma Regulamentadora n° 15 insetos e/ou animais que
validade do
da Portaria 3214/78 do podem se esconder na
fabricante.
Ministério do trabalho. esponja (ex. aranhas
pequenas, e outros insetos)

EPI CARACTERÍSTICA UTILIZAÇÃO CONSERVAÇÃO TROCA


Substituir quando
Deverá ser mantida em
apresentar
Respirador Destina-se à proteção das vias respiratórias dos usuários Deverá ser utilizado em local com boa ventilação,
deformidades e/ou
descartável contra proteção contra poeiras e névoas partículas não ambiente onde há presença de limpo, seco evitando a
conforme data de
PFF1 tóxicas. particulados. umidade e a exposição à
validade do
contaminação.
fabricante.
Respirador Destina-se à proteção das vias respiratórias dos usuários contra Deverá ser utilizado em ambiente Deverá ser mantida em local Substituir quando
descartável proteção contra partículas finas, fumos e névoas tóxicas. onde há presença de particulados. com boa ventilação, limpo, apresentar
PFF2 seco evitando a umidade e a deformidades e/ou
exposição à contaminação. conforme data de
validade do

Elaborado pela empresa Manserv


fabricante.
Os filtros devem ser
Confeccionado em silicone, é composta de um bocal e uma
Máscara com Deve ser mantido sempre substituídos quando o
presilha nasal, colocados na parte superior da peça, que se
filtro químico Recomenda em ambientes com limpo e seco, e guardar em usuário perceber
ajusta facilmente à boca e ao nariz. O respirador é
para vapores presença de gases e vapores local apropriado que odores ou quando
armazenado dentro de uma embalagem plástica hermética,
orgânicos garanta durabilidade. apresentar
que é lacrada.
deformidades
Boné de Segurança Tipo Touca Árabe, confeccionado em Substituir quando
tecido brim 100% algodão ou helanca 100% poliéster, aba Proteção da cabeça e dorso do Deve ser mantido sempre apresentar
frontal de polietileno revestida de tecido, regulagem traseira pescoço do usuário contra limpo e seco, e guardar em deformidades e/ou
Touca Árabe
em elástico ou plástico através de encaixe de pinos. Com ou agentes térmicos (calor) e local apropriado que conforme data de
sem fechamento frontal através de botão de pressão ou proteção contra raios solares. garanta durabilidade. validade do
velcro. fabricante.
Uniforme Utilizar em todas as atividades
Guardar em armário, estar
Completo Destinado para a proteção do corpo inteiro, confeccionado em da empresa, manter sempre Substituir quando
limpo e higienizado, não
Camisa tecido o malha, como calça e camisa de uniforme de manga limpo e boas condições de uso apresentar
apresentar imperfeições:
Manga Longa longa e/ou Curta. e em tamanho adequado ao deformidades.
rasgos nem furos.
e/ou Curta. porte físico de cada pessoa.
Jardineira de segurança confeccionada em tecido sintético em Substituir quando
Proteção do tronco e membros
ambas as faces, com bolsos, suspensórios do mesmo material apresentar
inferiores e superiores do Após a manipulação se
Vestimenta da jardineira, elásticos e reguladores plásticos para ajustes, deformidades e/ou
usuário contra óleos, resinas estiver molhada deixar
Tyvek costuras através de solda eletrônica revestido de PVC, três conforme data de
proveniente de operações de secar a sombra.
cordões sintético utilizados para ajustes, costuras através de validade do
manutenção.
solda eletrônica. fabricante.

EPI CARACTERÍSTICA UTILIZAÇÃO CONSERVAÇÃO TROCA


Cinturão de segurança, tipo pára-quedista,
confeccionado de cadarço de material sintético,
Manutenção em telhados (telhas,
dotados de três fivelas duplas sem pino,
rufos, chaminés, exaustores etc.);
confeccionada de aço estampado sendo uma utilizada
Troca de telhas;
para ajuste na cintura e outras duas para ajuste nas Deverá ser mantido em bom Substituir quando
Pintura, limpeza, lavagem e
Cinto de pernas; uma fivela de aço, utilizada para ajuste de estado de conservações em apresentar
serviços de alvenaria nas fachadas
Segurança uma fita peitoral argola em "d" confeccionada de aço condições de higiene que deformidades e/ou
e estruturas;
com dois estampado, localizada na parte traseira, na altura dos possibilite o correto uso e não conforme data de
Instalação e manutenção elétrica;
talabartes ombros, regulável ao cinto através de um passador apresente imperfeição ou validade do
Manutenção de redes hidráulicas
plástico. O cinturão é utilizado com talabarte de avarias. fabricante.
aéreas. É toda a atividade
segurança, com um mosquetão de aço estampado, de
executada acima de 2 metros do
dupla trava, fixo em uma das extremidades através de
piso de referência.
encastroamento e laço na outra extremidade, fixo
através de encastroamento.

Elaborado pela empresa Manserv


Substituir quando
Confeccionado em tecido sintético recoberto com Deverá ser mantida em local
apresentar
Capa de material plástico, nylon emborrachado-tecido de com boa ventilação, limpo,
deformidades e/ou
chuva poliamida com base de polivinil cloreto, com Proteção do usuário contra chuva seco, evitando a exposição a
conforme data de
impermeável espessura total de 0,20mm, nas cores azul marinho, raios solares, manter sempre
validade do
azul royal ou amarelo. limpo
fabricante.
Destina-se a proteção dos Deverá ser aplicado pelo
trabalhadores contra o contato com menos 30 min. Ante de expor- Conforme data de
Creme protetor com fator de proteção solar – FPS =
Protetor Solar radiação não ionizante de se ao sol, e solicitar validade do
ou > que 30
exposição ao sol, protegendo substituição do recipiente fabricante.
contra doenças de pele quando estiver acabando.
A validade do
Deverá ser usado de acordo com a
produto vem no
instrução de uso que vem em cada
Deverá ser aplicado de acordo frasco e sempre que
Repelente Destina-se a proteção conta picada de insetos. produto assim como o uso do
com a necessidade. identificado o
repelente só deverá ser feito
vencimento deve ser
mediante consulta medica.
substituído.

Elaborado pela empresa Manserv


MATRIZ DE RISCOS
Agentes biológicos

 Uso de luvas de Látex ou PVC durante manipulação de materiais infectocontagiosos


 Uso de luvas de Látex ou PVC durante manipulação de resíduos de natureza orgânica
 Uso de Máscara de Proteção Respiratória tipo peça semi-facial Classe PFF1
 Uso de Óculos de Segurança tipo Ampla Visão ou do tipo Contra Borrifos
 Uso de Vestimenta de Mangas Longas, Avental Impermeável ou Jaleco, devendo os mesmos
serem descartados após o uso ou então higienizados / descontaminados corretamente
 Uso de Botina de PVC Meio Cano do tipo sete léguas
 Uso de Jardineiras de PVC com peito alto, tiras fixas, regoáveis por argolas e com botas de PVC
acopladas
 Uso de Creme de proteção das mãos e pele, classificação especial grupo II
Animais/ Insetos

 Uso de Luvas e/ou Mangas (mangotes) de Raspa ou Vaqueta de Couro


 Uso de Perneiras de Couro
 Uso de Vestimentas (uniformes) de Mangas Longas
 Uso de Botinas de Segurança do Tipo Coturno (Meio Cano ou Cano Longo)
 Antes de se vestir/calçar, inspecionar os uniformes e calçados, para a constatação de ausência de
insetos e/ou animais peçonhentos
 Inspecionar os locais de trabalho, antes da execução dos mesmos, verificando a ausência de
abelhas, marimbondos, vespas e etc.
 Inspecionar os locais de trabalho, antes da execução dos mesmos, verificando a ausência de
cobras, escorpiões, aranhas e etc.
 Uso de Repelente Contra Insetos
Anormalidade Comportamental

 Verificação na equipe, quanto a presença de empregados com sintomas de Alcoolismo


 Verificação na equipe, quanto a presença de empregados com fadiga e cansaço acentuado
 Verificação na equipe, quanto a presença de empregados com problemas particulares graves
 Verificação na equipe, quanto a presença de empregados com problemas graves de saúde
 Verificação na equipe, quanto a presença de empregados com problemas de condicionamento
físico, obesidade, limitações físicas, etc.
Asfixia

 Antes da execução das atividades, verificar se o local é classificado como Espaço Confinado
 Verificar com medidor de Nível de Oxigênio, o percentual de oxigênio do ambiente, antes da
entrada para a execução das atividades, garantindo a presença de oxigênio em concentrações na
faixa de 19,5 % e 22%
 Utilizar Equipamento Autônomo de Ar e/ou Linha de Ar Mandado, com Cilindro de Escape para
situações de Resgate
Calor

 Realizar o Revezamento de Equipes e manter um Acompanhamento Médico


 Realizar pausas para descanso em locais de temperatura amena
 Os empregados devem manter-se hidratados com água (inicialmente), complementando após,
com soluções hidroeletrolíticas e consumir alimentos leves
 Utilização de Vestimentas de Kevlar Grossas como Macacão, Capuz com Viseira incolor/tonalide,
Luvas e Mangotes protetor dos braços

Elaborado pela empresa Manserv


Choque elétrico/Circuito Energizado

 Testar antes do uso, a Rigidez Dielétrica dos Bastões Isolantes


 Utilizar Aterramento Elétrico Temporário
 Utilizar Aterramento Elétrico Duplo (Utilização de dois cabos em cada ponto de aterramento)
 Utilizar Luvas de Borracha Isolante 1000 Volts
 Utilizar Luvas de Borracha Isolante 7500 Volts
 Utilizar Luvas de Borracha Isolante 17000 Volts
 Manter a Distância de Segurança dos Equipamentos / Circuitos Energizados, respeitando as
diversas Classes de Tensão
 Instalar anteparos de proteção para evitar contato acidental com fontes de energia elétrica
 Desligar todos os circuitos elétricos através dos quadros de comando, sinalizando e trancando os
mesmos, para que não sejam religados acidentalmente
 Utilização de Botas Isolantes
Fadiga

 Promover o revezamento de equipes em atividades com jornada de trabalho prolongada e / ou


carga de trabalho e esforço físico excessivo
 Ao manusearem qualquer peso, efetuar força com os braços e pernas e nunca com a coluna, se o
peso exceder a sua capacidade, solicitar ajuda e ao movimentar-se carregando peso, fazê-lo com
todo corpo, evitando girar o tórax com o pés plantados no chão
 Tomar sempre postura corporal correta para cada atividade, evitando movimentar o corpo ou parte
do corpo com movimento bruscos
 Realizar pausas para descanso
Falha de comunicação

 Utilização de equipamentos Rádio Transceptores Portáteis


 Utilização de Telefone Celular convencional ou do Tipo Satelital (Global Star)
 Utilização de Baterias Reservas
 Testar os Equipamentos de Comunicação antes do deslocamento ao campo de trabalho
 Sinalizar os locais adequadamente, através de Placas de Sinalização
 Isolar e demarcar fisicamente o local de trabalho, com a utilização de placas, telas, cordas,
cavaletes, cones, pedestais, correntes plásticas e fitas amarela e preta
 Isolar e demarcar fisicamente o local de trabalho, com a utilização de Placas, Pedestais, Fitas
Laranja Cítrico e Amarelo-limão
 Realizar o DDS antes da Realização das atividades em campo, checando com a equipe, quanto ao
real entendimento das instruções transmitidas e as atividades a serem executadas
 Confirmar com a equipe de trabalho, através de solicitação de retorno, quanto ao entendimento
das ordens que foram transmitidas
 Ler atentamente todas as informações escritas nas Ordens de Serviço / Permissão de Trabalho,
sem desconsiderar qualquer um dos itens presentes nos documentos

Iluminação inadequada

 Substituição das Lâmpadas e Limpeza das Luminárias


 Substituição das Luminárias deficientes e / ou danificadas
 Utilização de Lanternas Frontais com Feixe Orientável, acopladas ao Capacete
 Utilização de Lanternas de Mão
 Utilização de Luminárias de mão, do tipo Pendente
 Utilização de Sistema de Luminárias Direcionais, apontadas para o local de execução das
atividades, e posicionadas de maneira a não ofuscar a visão dos trabalhadores executantes das
atividades ou outros circunvizinhos
Local de difícil acesso

Elaborado pela empresa Manserv


 Manter Supervisão constante durante a realização das atividades, sendo vetado o trabalho
individual.
 Manter no local sistema de comunicação eficiente.
Local confinado

 Monitorar continuamente a atmosfera nos espaços confinados nas áreas onde os trabalhadores
autorizados estiverem desempenhando as suas tarefas, para verificar se as condições de acesso e
permanência são seguras
 Manter sinalização permanente junto à entrada do espaço confinado
 Assegurar que o acesso ao espaço confinado somente seja iniciado com acompanhamento e
autorização do Supervisor de Entrada, que emitirá a Permissão de Entrada
 É vedada a realização de qualquer trabalho em espaços confinados de forma individual ou isolada
 Manter junto o acesso do Espaço Confinado equipamentos de comunicação, iluminação de
emergência, busca, resgate, primeiros socorros e transporte de vítimas
 Verificar com medidor de Nível de Oxigênio, o percentual de oxigênio do ambiente, antes da
entrada para a execução das atividades, garantindo a presença de oxigênio em concentrações na
faixa de 19,5 % e 22%
 Utilizar Equipamento Autônomo de Ar e/ou Linha de Ar Mandado, com Cilindro de Escape para
situações de Resgate, na existência de Atmosfera Imediatamente Perigosa à Vida ou à Saúde
 O acesso ao Espaço Confinado somente ocorra após a emissão, por escrito, da Permissão de
Entrada e Trabalho
 Identificar, isolar e sinalizar os espaços confinados para evitar a entrada de pessoas não
autorizadas
 Manter condições atmosféricas aceitáveis na entrada e durante toda a realização dos trabalhos,
monitorando, ventilando, purgando, lavando ou inertizando o espaço confinado
Movimentação máquinas, materiais e veículos

 Sinalizar com placas de sinalização, cones, cavaletes, cordas ou fitas, as áreas de movimentação
de cargas e materiais
 Agir com atenção e prudência solicitar apoio ao companheiro de trabalho, nas movimentações de
cargas e materiais em locais difíceis e próximos a equipamentos / circuitos energizados, dentro
dos pátios da subestação
 Agir com atenção e prudência solicitar apoio ao companheiro de trabalho, nas movimentações de
cargas e materiais em locais difíceis e próximos a equipamentos / circuitos energizados, dentro
dos pátios da usina
 Agir com atenção e prudência durante as movimentações de cargas e materiais em acessos /
locais difíceis, se resguardando quanto ao tombamento dos mesmos
 Agir com atenção e prudência ao realizar movimentação com veículos, máquinas e equipamentos
em rodovias ou em vias de circulação de carros e pedestres, sinalizando o local adequadamente
através do uso de placas de sinalização, cones, cavaletes e auxiliares portando coletes de tiras
refletivas e bandeiras de sinalização com mastro de mão
 Acionar o aviso sonoro de ré em máquinas, veículos, equipamentos, pórticos, ponte rolantes etc.,
durante a movimentação dos mesmos, alertando aos empregados e pessoas próximas aos locais
de trabalho, quanto a movimentação dos veículos, equipamentos, cargas e materiais
 Não realizar a movimentação de cargas e materiais sobre as pessoas e trabalhadores
 Não realizar o transporte de trabalhadores em carrocerias de máquinas, veículos e equipamentos
 Não utilizar empilhadeiras para realizar o transporte de trabalhadores
 Não utilizar empilhadeiras para elevar trabalhadores
 Não utilizar de retroescavadeira / pá carregadeira para realizar o transporte de trabalhadores
 Não utilizar de retroescavadeira / pá-carregadeira para elevar trabalhadores
 Não utilizar equipamentos de guindar para transportar trabalhadores
 Não utilizar equipamentos de guindar para elevar trabalhadores, caso não possuam dispositivos de
segurança apropriados.
 Utilizar plataformas de trabalho para a elevação de trabalhadores
 Respeitar os limites de velocidades das vias de circulação

Elaborado pela empresa Manserv


Piso irregular / escorregadio

 Utilizar Calçado de Segurança


 Manter os Pisos / Superfícies de Trabalho limpas e livres de óleos, graxas, água etc.
 Movimentar-se com cuidado e atenção sobre as pedras britas nos Pátios das Subestações
 Não andar sobre as Tampas de Canaletas
 Fazer a instalação de Guarda-Corpo para a realização de Serviços de Manutenção
 Não executar atividade durante chuvas (com as estruturas / equipamentos molhadas)
 Uso de Cinto de Segurança tipo Pára-quedista com Talabarte de Serviço e Talabarte de
Segurança tipo Y, atrelado em local seguro e resistente

Produtos químicos

 Utilizar Luvas de Látex ou PVC durante a manipulação de Substâncias Químicos


 Utilizar Protetor Facial Abaulado durante a manipulação de Substâncias Químicos
 Utilizar Óculos de Segurança contra Borrifo de Produtos Químicos
 Utilizar Vestimenta Impermeável (Tivek e/ou PVC) para manipulação de Substâncias Químicas
 Utilizar Máscara de Proteção Respiratória tipo Peça Semi-facial, dotada de Filtro Químico
compatível com a substância/produto químico utilizado
 Lavar bem as mãos antes de ingerir qualquer alimento ou bebida
 Instalar Chuveiro de Emergência e / ou Lava-olhos provisórios, próximo ao local de execução das
atividades em que ocorra manipulação de Substância Químicas
 Não Ingerir alimentos durante a execução das atividades em que ocorram manipulação de
Substâncias Químicas
 Utilizar Equipamento Autônomo de Ar e/ou Linha de Ar Mandado com Cilindro de Escape para situações de
Resgate
 Utilizar Vestimenta Impermeável (Tivek e /ou PVC) com Capuz e Viseira Acoplado

Queda de Diferença de Nível

 Uso de Capacete de Segurança com jugular e botina de segurança com solado antiderrapante
 Uso de Cinto de Segurança tipo Pára-quedista com Talabarte de Serviço e Talabarte de
Segurança tipo Y, atrelado em local seguro e resistente
 Instalar Corda Guia / Cabo Guia de segurança para fixação do Talabarte de Segurança Tipo Y ou
do tipo Guiado (linha de vida)
 Não executar atividades durante chuvas (com as estruturas / equipamentos molhadas)
 Amarrar a extremidade superior da escada junto ao equipamento / estrutura e apoiar firmemente a
sua base de sustentação (utilizar escada compatível com altura a ser alcançada)
 Utilizar Trava-Quedas Retrátil, durante a realização de deslocamento Vertical, em conjunto com o
Cinto de Segurança do tipo Pára-quedista
 Utilizar Trava-Quedas Guiado por Corda / Cabo em conjunto com o Cinto de Segurança do tipo
Pára-quedista
 Uso de Cinto de Segurança tipo Pára-quedista com Talabarte de Segurança tipo Y, durante o
deslocamento em estruturas e equipamentos
 Não andar sobre as tampas de canaletas
 Inspecionar os locais de ancoragem dos dispositivos de proteção contra quedas, antes da
instalação / fixação dos mesmos
 Inspecionar periodicamente os dispositivos de proteção contra quedas, antes da utilização dos
mesmos

Queda de objetos

 Durante a execução das atividades, não permanecer sob cargas suspensas e próximo aos
conjuntos de aterramento temporário
 Ferramentas, peças, equipamentos, acessórios, etc.; não podem ser atirados das torres /
estruturas / equipamentos ao solo, nem vice-versa; devem ser içados ou descidos através de
cordas / capangas (bolsas de lona / couro)

Elaborado pela empresa Manserv


 Uso de Capacete de Segurança com jugular
 Durante o uso de Equipamentos de Guindar e / ou Plataformas Elevatórias, verificar se as sapatas
estão bem apoiadas, instalando calços nas sapatas, nas rodas do veículo e acionar os sistemas de
frenagem
 Uso de Calçado de Segurança com Biqueira de Proteção

Radiação não ionizante

 Utilização de óculos de segurança tonalidade 3


 Utilização de Protetor Solar fator 30 (mínimo)
 Utilização de Vestimentas de Mangas Longas
 Promover o revezamento de equipes
 Utilização de sistema do tipo "barraca protetora" durante os trabalhos de longa duração com
exposição solar

Ruído

 Utilização de protetor auditivo do tipo inserção (plug)


 Enclausurar (abafar) a fonte geradora de ruído
 Sinalizar a área de trabalho com placas sobre a obrigatoriedade do uso de proteção auditiva
(protetor auricular do tipo concha e/ou do tipo plug)
 Utilização de protetor auditivo do tipo concha
 Utilização de protetor auditivo conjugado (tipo concha e tipo inserção/plug)
 Eliminar a fonte geradora de ruído desligando máquinas e equipamentos próximos as áreas de
execução dos serviços

Sinalização/Delimitação

 Sinalizar os locais adequadamente através de Placas de Sinalização com pictogramas e dizeres


 Isolar e demarcar fisicamente o local de trabalho, com a utilização de placas, telas, cercas, cordas,
cavaletes, cones, pedestais, correntes plásticas e fitas amarela e preta
 Isolar e demarcar fisicamente o local de trabalho, com a utilização de Placas, Pedestais e Fitas
Amarelo-limão fluorescente
 Sinalizar adequadamente os Painéis, com utilização da fita Cruza em "X" nas cores Laranja Cítrico
fluorescente e / ou Amarelo-limão fluorescente
 Sinalizar adequadamente os locais de trabalho em serviços noturno, com a utilização de
Sinalizadores Luminosos do Tipo LED e Strobo, com base imantada e /ou suporte para cone
 Demarcar fisicamente o local com o uso de Cercas de Isolamento na cor Laranja Cítrico
 Demarcar fisicamente o local com o uso de Correntes Plásticas na cor Amarela e Preta
 Sinalizar adequadamente o local com o uso de Bandeirola de Sinalização na cor Laranja Cítrico
fluorescente
 Sinalizar o local com de Bandeira de Sinalização com Mastro de Madeira na cor Laranja Cítrico
fluorescente
 Isolar e Sinalizar a área de trabalho onde houver aberturas no mesmo nível do solo, com a
utilização de Grade Metálica Dobrável
 Isolar e demarcar fisicamente o local de trabalho, com a utilização de Placas, Pedestais e Fitas
Laranja Cítrico fluorescente

Umidade

 Uso de luvas de Látex ou PVC


 Uso de Óculos de Segurança tipo Ampla Visão ou do tipo Contra Borrifos
 Uso de Botina de PVC Meio Cano do tipo sete léguas
 Uso de Jardineiras de PVC com peito alto, tiras fixas, reguláveis por argolas e com botas de PVC
acopladas
 Uso de Calça com Bota tipo pijama, com cadarço na cintura e botas de PVC acopladas
 Uso de Protetor Facial Abaulado tipo Viseira

Elaborado pela empresa Manserv


 Uso de Vestimenta Impermeável de Tivek e/ou PVC com Capuz/Viseira Acoplado
 Uso de Capa de Chuva de PVC ou similar (com forro interno)
 Uso de Creme de proteção das mãos e pele, classificação especial grupo III

Vibração

 Promover o revezamento de equipes


 Realizar Pausas para descanso
 Instalar dispositivos absorvedores de vibração nos bancos / assentos dos equipamentos e / ou
veículos
 Utilizar Luvas e Calçados Acolchoados para absorção de impactos e vibrações.

Elaborado pela empresa Manserv

Você também pode gostar