Você está na página 1de 8

"Desembarque de Cabral em Porto Seguro" (Oscar Pereira da Silva, 1900 – Museu Paulista )

Brasil Colonial (Administração)


Brasil Colonial (Administração) Contexto Europeu

Fatores Predecessores
➢ Expansão do catolicismo (Reforma Protestante)
➢ Crescimento e fortalecimento da burguesia mercantil
➢ Processo de Expansão Marítimo-comercial europeia
✓ 1415: Conquista de Ceuta
✓ 1453: Tomada de Constantinopla
✓ 1492: Chegada de Colombo à América D. Manuel I (O Bem
Aventurado) rei de Portugal
✓ 1494: Tratado de Tordesilhas
✓ 1500: Cabral toma posse do Brasil, em nome de D. Manuel I (O Venturoso)

Planisfério de Cantino (1502), um dos primeiros mapas ainda existentes mostrando o Iluminura francesa do século XVI mostra tintureiros tingindo
território do Brasil. A linha do Tratado de Tordesilhas também está representada. tecidos com pigmento extraído do pau-brasil.
Brasil Colonial (Administração) Primeiros contatos

Período Colonial (1532 a 1822)

Vídeo-animação sobre a
partida da esquadra de
Pedro Álvares Cabral, de
Lisboa (março de 1500) e
a chegada na Bahia (22
“Delle Navigationi et Viaggi” (Giovanni Battista Ramusio, 1556) de abril de1500) - Editora Tradicional retrato de
Biblioteca Digital de Cartografia Histórica — USP LeYa Brasil Pedro Álvares Cabral
Brasil Colonial (Administração) Pré-colonial (1500 a 1532)

➢ Período de pouco interesse Exploração do pau-brasil


português ➢ Principal atividade lucrativa do período
➢ Expedições de reconhecimento e ➢ Monopólio do Estado (estanco)
busca de riquezas ➢ Madeira tintorial muito usada na Europa
➢ Expedições guarda-costeiras ➢ Exploração intensa e predatória
➢ Construção de feitorias litorâneas ➢ Forte atuação de contrabandistas
➢ Uso da mão de obra indígena (franceses, etc.)
(escambo) ➢ Questionamento do direito português
➢ Devastação da mata Atlântica sobre o Brasil

NOVAES, Carlos E., LOBO César. História do


Brasil para principiantes. São Paulo, Ática - p.15

“O pau que nos tornou NOVAES Carlos E., LOBO César - História do Brasil para Pau-brasil, da semente à madeira: conhecer
brasileiros” (Eduardo Bueno) principiantes. São Paulo, Ática - p.40 para conservar. (Rita de Cássia L. F. Ribeiro)
Brasil Colonial (Administração) Capitanias Hereditárias
➢ Aumenta a ameaça estrangeira (franceses, etc.)
➢ Expedição de Martim Afonso de Sousa, em 1532
➢ Privatização da ocupação do Brasil (alto custo)
➢ Colônia é dividida em 15 lotes (12 donatários)
➢ Política praticada nas ilhas do Atlântico
➢ Carta de Doação: definia as condições de posse da Capitania
➢ Foral: estabelecia os direitos e deveres dos donatários
➢ Os donatários podiam doar lotes (sesmarias)

➢ As Capitanias não se desenvolveram como se esperava


➢ Enorme distância de Portugal e falta de apoio da metrópole
Mapa das Capitanias
➢ Grande tamanho das Capitanias e falta de recursos
hereditárias, criadas
➢ Constantes ataques de indígenas e de contrabandistas
no início do século XVI
➢ Desinteresse por parte de muitos donatários
(Crédito: Sonia Vaz)
➢ Duas prosperaram: São Vicente (interesses da coroa
portuguesa) e Pernambuco (agroindústria açucareira)

Capitania de São Vicente Capitania de Pernambuco


(João T. Albernaz, 1640) (Luis Teixeira, 1582)
Brasil Colonial (Administração) Governos-gerais

➢ Adotado por D João III, em 1548 (centralizava o poder político) Governador-geral


➢ Estado português retoma o controle da Capitania da Bahia Representava o rei e era a maior autoridade na colônia
➢ Salvador torna-se a sede do Governo Geral do Brasil (1ª capital),
em 1549
➢ Estendia o poder absolutista ao território colonial
➢ Enquadrava a colônia no sistema mercantilista Ouvidor-mor Provedor-mor Capitão-mor
➢ Promovia a consolidação das Capitanias Cuidava da Administrava as Comandava as
aplicação da lei e finanças e o forças militares e
da justiça na recolhimento de cuidava da defesa
colônia impostos colonial

Capitão-geral (Donatário)
Cuidavam de suas Capitanias,
sendo incentivados a promover
seu desenvolvimento

Câmaras Municipais
Indivíduos eleitos por seus pares
D. João III, enquanto Príncipe (“homens-bons”), para administrarem
NOVAES Carlos E., LOBO César - História do Brasil para Herdeiro, no Tríptico dos Infantes vilas, povoados e cidades
principiantes. São Paulo, Ática - p.61 (Mestre da Lourinhã – 1516)
Brasil Colonial (Administração) Governos-gerais

Tomé de Souza Duarte da Costa Mem de Sá


➢ Governou de 1549 a 1553 ➢ Governou de 1553 a 1558 ➢ Governou de 1558 a 1572
➢ Fundou Salvador (capital da colônia) ➢ Chegada de José de Anchieta ➢ Resolve os conflitos com jesuítas
➢ Primeiro bispado do Brasil ➢ Traz órfãs para esposar os colonos ➢ Doa a capitania do RJ a seu sobrinho
➢ Introduziu a pecuária ➢ Fundação de São Paulo (1554) ➢ Pacifica os Tamoios (Paz de Iperoig)
➢ Instalou os primeiros engenhos ➢ Franceses invadem a Guanabara ➢ Estácio de Sá funda o Rio de Janeiro
➢ Valorizou a agroindústria açucareira ➢ Surge a França Antártica ➢ Expulsa os franceses do RJ (1567)
➢ Construiu diversas fortificações ➢ Desentende-se com o bispado ➢ Incentivou a criação das Missões
Brasil Colonial (Administração) Organização do Sistema Colonial

Objetivos
Metrópole
➢ Prover interesses mercantilistas e gerar recursos
➢ Fornecer produtos tropicais e metais preciosos
Pacto Colonial
➢ Define e organiza a política de exploração colonial dos
Estados mercantilistas Manufaturados e Pacto Metais Preciosos e
✓ Monopólio metropolitano do comércio Equipamentos Colonial Gêneros Tropicais
✓ Proibição de manufaturas na colônia

Colônia

Predomínio de Produção visava a


Latifúndios Exportação

Uso intenso da Agricultura


Escravidão Monocultora

Sistema de Plantation
➢ Latifúndios: Predomínio de grandes propriedades rurais
➢ Monocultura: Produção agrícola centrada em um único produto
➢ Exportação: Produção voltada para os interesses metropolitanos
Slaves cutting the sugar cane - Ten Views in the
➢ Escravidão: Mão de obra cativa (negra africana – tráfico lucrativo)
Island of Antigua (William Clark - 1823)