Você está na página 1de 8

LABORATÓRIO DE

ELETRICIDADE BÁSICA

EL 4110 EL 7110 NE 9110

4. R - C - L EM CORRENTE ALTERNADA

data: / / turma:

número: nome:

RECUSADO ACEITO

HUGO BUTKERAITIS

FEV/07
ATENÇÃO: antes de montar este circuito, verifique se o seletor de tensões do variac
está todo girado no sentido anti horário, ou seja, na posição de mínima tensão; só
ligue o variac à rede após a montagem e conferência do circuito.

1. RESISTOR - RESISTÊNCIA ( R )
a-) Com a saída do variac inicialmente em zero, monte o circuito da fig. 1

fig. 1

b-) após conferir o circuito, ajuste a tensão do variac como indicado na tab. 1, anotando
na mesma as medidas efetuadas pelo alicate multifunção;

AJUSTAR VALORES LIDOS

V I P S Q
cos ϕ
(V) (A) (W) ( VA ) (VAR )

60
70
80
90
100

tab. 1

HUGO BUTKERAITIS FEV / 07 (04) Página 2 / 8


c-) na fig. 2 construa o gráfico que mostra V = f( I );

I(A)

V(V)

fig. 2

d-) calcular graficamente o valor de R , observando que:

∆V
R = L(Ω) ⇒ R = ................ Ω
∆I

e-) na tab. 1 calcular o valor médio de cos φ ⇒ cos φ = ............ ⇒ ϕ = ............ 0

f-) lembramos que, teoricamente, R = R / 00 ; podemos dizer que em


nosso caso:
R = .............. /............0 Ω

g-) que conclusão podemos tirar a respeito das potências num circuito puramente
resistivo?

Resp.:

2 CAPACITOR - REATÂNCIA CAPACITIVA ( XC )

HUGO BUTKERAITIS FEV / 07 (04) Página 3 / 8


2. CAPACITOR - REATÂNCIA CAPACITIVA ( XC )

a-) Retorne a saída do variac para zero e monte o circuito da fig. 3

fig. 3

b-) após conferir o circuito, ajuste a tensão do variac como indicado na tab. 2, anotando
na mesma as medidas efetuadas pelo alicate multifunção;

AJUSTAR VALORES LIDOS

V I P S Q
cos ϕ
(V) (A) (W) ( VA ) (VAR )

60
70
80
90
100

tab. 2

HUGO BUTKERAITIS FEV / 07 (04) Página 4 / 8


c-) na fig. 4 construa o gráfico que mostra V = f( I );

I(A)

V(V)

fig. 4

d-) calcular graficamente o valor de XC , observando que:

∆V
XC = L(Ω) ⇒ XC = ................ Ω
∆I

e-) na tab. 2 calcular o valor médio de cos φ ⇒ cos φ = ............ ⇒ ϕ = ............ 0

f-) lembramos que, teoricamente, XC = XC / - 90 ;


0
podemos dizer que
em nosso caso:

0
X C = .............. /............ Ω

g-) que conclusão podemos tirar a respeito das potências num circuito puramente
capacitivo? Calcular o valor de C.

Resp.:

1 1
XC = ⇒ C = = ..................... µF
2⋅π⋅ f ⋅C 2⋅π⋅ f ⋅ X C
3. INDUTOR - REATÂNCIA INDUTIVA ( XL )

HUGO BUTKERAITIS FEV / 07 (04) Página 5 / 8


a-) Retorne a saída do variac para zero e monte o circuito da fig. 5

fig. 5

b-) após conferir o circuito, ajuste a tensão do variac como indicado na tab. 3, anotando
na mesma as medidas efetuadas pelo alicate multifunção;

AJUSTAR VALORES LIDOS

V I P S Q
cos ϕ
(V) (A) (W) ( VA ) (VAR )

60
70
80
90
100

tab. 3

HUGO BUTKERAITIS FEV / 07 (04) Página 6 / 8


c-) na fig. 6 construa o gráfico que mostra V = f( I );

I(A)

V(V)

fig. 6

d-) observamos que o indutor em estudo é feito de fio de cobre, o qual


apresenta uma resistência ôhmica ( Rb = Rbobina ); podemos, pois,
representá-lo como uma associação série de uma indutância pura ( L )
com sua resistência ôhmica ( Rb ) , como mostra a fig. 7;

fig. 7

e-) calcular graficamente o valor de Z, observando que:

∆V
Z = L(Ω) ⇒ Z = ................ Ω
∆I

f-) na tab. 3 calcular o valor médio de cos φ ⇒ cos φ = ................ ⇒ ϕ = ................ 0

HUGO BUTKERAITIS FEV / 07 (04) Página 7 / 8


g-) lembramos que, no caso de uma bobina ideal, X L = X L / 900 ; mas,
para a bobina estudada, considerando sua parte resistiva, podemos escrever:

Z = .............. / ............0 Ω

h-) pela fig. 7 podemos escrever:

Rb = Z . cos φ = ................ ⇒ Rb = ................ Ω

XL = Z . sen φ = ................ ⇒ XL = ................ Ω

ainda:
se X L = 2 ⋅ π ⋅ f ⋅ L
com f = 60 Hz
L = ............... mH

i-) explique porque a bobina consumiu potência ativa;

Resp.:

j-) mostre num diagrama fasorial as componentes Rb , XL e Z da bobina ensaiada;

Resp.:

HUGO BUTKERAITIS FEV / 07 (04) Página 8 / 8

Você também pode gostar