Você está na página 1de 160

l PASTA DAS YURICYS

Vale do Amanhecer
CAVALEIRO E GUIA MISSIONÁRIA
DO ADJUNTO YURICY – MESTRE
EDELVES

CAVALEIRO FALEIRO VERDE GUIA MISSIONÁRIA


AVALCYARA VERDE

ADJUNTO YURICY – MESTRE EDELVES


AGRADECIMENTOS

MINISTRO AJARÃ GUIA MISSIONÁRIA


ACÁSSIA VERMELHA

TRINO AJARÃ – MESTRE GILBERTO ZELAYA


1.ª APONARA – NAIR ZELAYA
Salve Deus!

Não há poder maior que o Amor! Jesus nos ensinou nesta frase tão curta, mas
extensa em sua plenitude, que apenas pelo Amor, conhecemos a Deus e reencontramos
nossa essência. Ser um Missionário é buscar expandir esse ensinamento infinito, em nosso
íntimo e na dor dos que desconhecemos, que são nossos irmãos, e dentro da caridade
colocarmos em pratica tudo o que nos foi ensinado em favor dos menos esclarecidos, em
Cristo Jesus. Salve Deus!
Nossa Doutrina é perfeita, porque compreende o amor em Cristo, no trabalho e na
obra desprendida de Agla Koatay 108, nossa Mãe. E com a permissão de Deus, Jesus, Pai
Seta e Mãe Yara, viajamos na linha do tempo, em vidas, por novas vidas, novas
oportunidades em caminhos diversos, sendo presenteados com amigos e amores que vão
além do físico, que nos ajudam em árduas pelejas. E tudo para sermos personagens de um
enredo de entrega e caridade incondicionais pela verdade e o trabalho incessante. Assim,
firme nesse proposito, após muito caminhar e aprender com nossa amada e saudosa
Mestre Edelves, nesta missão sublime, e anos após sua partida, recebi a missão, em Cristo
Jesus, de conduzir a Falange de Yuricys nos Templos do Amanhecer. Com toda ternura e
amor, obrigado meu Pai Seta Branca!
Ao longo de todo esse tempo, buscando praticar com humildade, carinho e Amor
Incondicional, tive a bela oportunidade de me tornar uma pessoa melhor, uma verdadeira
Missionária, de remover o argueiro dos olhos lacrimosos daqueles que pelejam na busca
por remissão e evolução de seu espírito e da sua individualidade.
Salve Deus! Ministro Yuricy, chamo a Ti, meu Pai, para que me conduza e me torne a
cada amanhecer mais humilde e amorosa na Missão que me confiastes. Porque sei que
nela, residem os desprotegidos, sofridos e injustiçados, os que perderam o sentido da vida
e desacreditaram de si próprios. E sei como isso te entristece, meu senhor, pois amas todas
as ovelhas de seu rebanho. Aprendi que pessoas são universos distintos de emoções
diversas, mas de uma única busca, você, meu Mestre Jesus!
E nessa jornada árdua, porém gratificante e nobre, cria-se laços para além deste plano
terreno. Assim, venho meu Deus, meu Pai Simiromba querido, agradecer a alegria
indescritível de ter me concedido o maior dos presentes: aprender a olhar com olhos
solidários para dor e as dificuldades do meu próximo. E, nada disso seria possível sem os
ensinamentos de nossa mãe Clarividente. Salve Deus! E sem auxílio de almas belas e
afins, não caminharíamos jamais por uma estrada desafiadora com um sorriso no rosto e
às vezes, lágrimas de emoção.
Portanto, é momento do agradecer. Obrigado Trino Ajarã, Mestre Gilberto Zelaya e
minha estimada e amada irmã, amiga e companheira de jornada, Primeira Aponara Nair
Zelaya. Vocês não somente acreditaram no meu potencial, mas sim, acreditaram na minha
vontade de servir, e não há preço que pague isso. Sem o vosso apoio a caminhada teria
sido mais árdua, as lutas teriam sido mais solitárias e, talvez, não teria forças para seguir.
Sim, porque o homem olha no horizonte e quando sozinho, vislumbra apenas os obstáculos.
Tio Beto e Nair, vocês me ensinaram a olhar adiante, a enxergar as soluções onde antes
haviam apenas os obstáculos. Vocês são para mim um exemplo de vida, de amizade e de
missão por um sacerdócio divino. Nas dificuldades vocês me lembram de que sou Filha de
Pai Seta Branca, e irmã de todos que passarem pelo meu caminho, seja para ensinar, somar
ou diminuir. Porque o bem não queixa, o bem é uma luz que só conhece a felicidade de uma
missão, é amor, humildade e tolerância. Sou enormemente grata a Deus todo Poderoso
pelo dom da Vida, do Amor, da Amizade. Mas sou imensamente honrada de poder chamá-
los de meus irmãos, em Cristo Jesus. Obrigada por me darem essa grandiosa missão de
Primeira Yuricy Janda dos Templos do Amanhecer. Meus respeitos com carinho e ternura.
Salve Deus!

Núbia Damacena
1.ª Yuricy Janda dos Templos do Amanhecer
TRINO AJARÃ

Salve Deus!
O que dizer quando o amor nos ensina a caminhar, nos molda e nos faz pessoas
melhores capazes de olhar além de nossas próprias necessidades e fazer deste sentimento
tão nobre, nosso verdadeiro sacerdócio. Foi assim, meu querido e amado irmão, que você
caminhou neste mundo físico. Rebanhando, emanando, ensinado e curando aquele que o
mestre Jesus colocara em seu caminho. Um compromisso árduo e de incessante doação.
Com o despertar da missão, levando esta doutrina pelo universo, transformando
mundos no interior das pessoas, você meu mestre foi sábio, forte e incansável. Um
verdadeiro cavaleiro verde empunhando sua espada, trabalhando por vidas em favor de
vidas, ensinando o caminho e levando alívio às dores daqueles que desconheciam esse
acervo do Simiromba de Deus, nosso Pai Seta Branca. Você, meu irmão jaguar, deu o norte
a muitos de seus irmãos encarnados, fazendo com que estes, uma vez cavaleiros
mercenários não mais usassem suas espadas para guerrearem em nome de seus reis e
sim, abaixassem suas lanças permitindo que o amor incondicional e a compreensão do
sacerdócio os guiassem a solos sagrados, os guiassem a esse Sistema Crístico de nosso
senhor Jesus Cristo. Fazendo adentrar em seus corações a bandeira rósea do amor e
assim, os conduzindo ao caminho do amor, tolerância e humildade. Você, meu irmão e meu
mestre, deu norte a mestres e ninfas que cansados da caminhada não sabiam onde buscar
ou libertar seus espíritos aprisionados a inúmeras encarnações, em filosofias pagãs,
pensando estarem esquecidos do amor de Deus.
Não foram somente templos, casa de Pai Seta Branca que foram erguidas e sim,
portas abertas, canais de libertação, prontos socorros universais que puderam e ainda
poderão socorrer todos àqueles que desesperados nos procurarem.
Assim, com sua seriedade e comando, cumpriu o roteiro que um dia jurou a nossa
mãe Agla Koatay 108: apresentou ao mundo a doutrina de Jesus, orientou e encaminhou
homens responsáveis por vidas ao mais alto pedestal de forças neste mundo de transição e
ensinou a eles para que nasceu o doutrinador.
Fomos e somos uma grande tribo, muitas vezes perdida e por tantas outras
desacreditada e indomada pela selvagem e destemida coragem do jaguar. E você meu
mestre, nos mostrou que somos mais, que podemos cumprir nosso compromisso com o
planeta, sem perder nossa essência, porém de uma maneira mais sábia e caridosa.
E mesmo com pés cansados da caminhada, desistir nunca foi uma opção. A força e
a fé foram suas grandes parceiras e por esses longos 50 anos, você meu querido irmão,
cuidou desta seta imaculada que nossa Mãe Clarividente cultivou em seu seio com tanto
amor e zelo.
Portanto, o que dizer? Seria impossível nessas poucas palavras, narrar ou agradecer
tudo o que nos proporcionou e o que particularmente significou e significa para mim. Mas
acredito em Deus, que cumpristes com amor e devoção sua missão, com ela e por ela,
lutou enquanto esteve na Terra, e hoje só temos a agradecer. Agradecer seu carinho,
seriedade, amor, dinamismo, enfim, toda sua corajosa passagem por este mundo.
Agora, sem sua presença física, choramos sua partida. Com os corações pesarosos
tentamos nos reerguer, buscando em seus ensinamentos que o amor vai além de todos os
sentimentos, porém, mesmo sendo base para os demais, ele nunca andará sozinho; é
necessário todos os outros sentimentos para que o espírito, a mais bela prova do amor, se
enalteça e se liberte e principalmente se encontre.
Meu muito obrigado!
Meu amado e saudoso irmão, Trino Ajarã, Mestre Gilberto Zelaya.
Salve Deus!

Núbia Damacena
1.ª Yuricy Janda dos Templos do Amanhecer
AGRADECIMENTO SEGUNDO
A elaboração e publicação desta apostila foi possível mediante a colaboração
inestimável de missionárias e missionários de boa vontade, nas mais variadas fases de sua
construção.
A todos aqueles que tornaram possível esta realização, expresso de forma especial,
minha gratidão:

• Ninfa Yuricy Sol Ana Cristina – Guia Missionária Arana Verde;


• Ninfa Yuricy Janda Daniella Pessoa – Guia Missionária Avalane Branca;
• Ninfa Devas Dorcelina – Guia Missionária Adalva Azul;
• Ninfa Yuricy Janda Mônica Soares – Guia Missionária Abazana Lilás;
• Ninfa Yuricy Sol Adriana Reis – Guia Missionária Ataluza Azul;
• Ninfa Yuricy Sol Giulia Fontana – Guia Missionária Abaleza Verde;
• Ninfa Yuricy Lua Aparecida Santos – Guia Missionária Atuara Vermelha;
• Ninfa Samaritana Lua Maria da Glória Pessoa - Guia Missionária Alagana Azul;
• Ninfa Aponara Rose Moura – Guia Missionária Abazana Lilás;
• Mestre Marcos – Adjunto Anoro / 1° Devas Artes;
• Mestre Lua Jhonatan Wabster – Adjunto Saberos;
• Mestre Lua Advandes – Adjunto Agácio.

Pelo esforço de todos em favor da divulgação deste acervo doutrinário e evangélico,


o meu sincero reconhecimento.
Salve Deus!

Núbia Damacena
1.ª Yuricy Janda dos Templos do Amanhecer
9

SUMÁRIO

A HISTÓRIA DAS YURICYS ................................................................................... 12

FALANGE MISSIONÁRIA YURICY ......................................................................... 14

ADJUNTO YURICY – MESTRE EDELVES ............................................................. 16

CARTA DE TIA NEIVA PARA O AJUNTO YURICY MESTRE EDELVES ............... 17

GUIAS MISSIONÁRIAS ........................................................................................... 21

HOMENAGEM A TIA NEIVA EM SEU ANIVERSÁRIO ........................................... 23

MENSAGEM DE AMOR .......................................................................................... 23

PRIMEIRA YURICY JANDA DOS TEMPLOS DO AMANHECER ........................... 25

NÚBIA DAMACENA ................................................................................................ 25

RITUAL DA BÊNÇÃO DO MINISTRO ..................................................................... 27

NOS TEMPLOS DO AMANHECER......................................................................... 27

ORIENTAÇÕES PARA O TRABALHO E PREPARAÇÃO DA NINFA SOL YURICY


GUARDIÃ ESCALADA PARA O RITUAL DA BENÇÃO DO MINISTRO ........................... 33

ORÁCULO DE SIMIROMBA ................................................................................... 35

CONSAGRAÇÃO DE TALISMÃ .............................................................................. 43

MODELOS DE TALISMÃ ........................................................................................ 46

TALISMÃ KATSHIMOCHY ...................................................................................... 47

CRUZ DO CAMINHO .............................................................................................. 48

TERCEIRO SÉTIMO DOS TRÊS CAVALEIROS DA LUZ....................................... 57

OS TRÊS CAVALEIROS DA LUZ ........................................................................... 65

ESTRELA SUBLIMAÇÃO OU ESTRELA DE NERHU............................................. 66

TURIGANO .............................................................................................................. 72

ENTREGA DAS ENERGIAS DA ESTRELA CANDENTE ........................................ 87

ARAMÊ .................................................................................................................... 90

JULGAMENTO ........................................................................................................ 92

CLASSIFICAÇÃO E RECLASIFICAÇÃO DE MESTRES E NINFAS ....................... 96


10
LEITO MAGNÉTICO................................................................................................ 99

QUADRANTE ........................................................................................................ 101

ENTREGA DE ENERGIA DO QUADRANTE ........................................................ 103

CASAMENTO ........................................................................................................ 104

ABATÁ DAS NINFAS MISSIONÁRIAS.................................................................. 109

TRABALHO DE PRISÃO ....................................................................................... 113

A YURICY E AS CORTES MISSIONÁRIAS .......................................................... 115

A YURICY E O USO DA LANÇA ........................................................................... 116

EMISSÕES ............................................................................................................ 119

CANTOS DA FALANGE DE YURICY .................................................................... 120

ATON..................................................................................................................... 126

CONDUTA DA NINFA YURICY ............................................................................. 127

INSTRUÇÃO ÀS REGENTES YURICY ................................................................. 129

INDUMENTÁRIAS ................................................................................................. 132

DESCRIÇÃO DA INDUMENTÁRIA ....................................................................... 137

YURICY LUA ......................................................................................................... 147

GOLA YURICY LUA .............................................................................................. 147


11
12
A HISTÓRIA DAS YURICYS

A história das YURICYS está relacionada com a história de PYTIA, uma das

encarnações de Tia Neiva.

“Pytia, a Profetisa, era uma mulher simples e tendente a viver afastada do luxo e das

ilusões materiais, dedicando-se mais ao mundo real dos valores, do amor ao próximo, da

justiça e da caridade, do que ao mundo ilusório dos fatos.

Mas Pytia embora divina, também era humana. Com o tempo, e devido ao excesso

de profecias que lhe exigiam um jejum de vários dias, Pytia, após cada Oráculo, desfalecia,

e sua recuperação requeria vários dias de repouso.

Daí a razão pela qual ela escolher jovens, cujos maridos estavam na guerra, para

auxiliá-la na sua missão.

Essas jovens eram as YURICYS. Yuricy quer dizer "FLOR DO CAMPO" na

linguagem indígena. Elas percorriam as Planícies Gregas e Macedônicas, socorrendo, sob

a sua inspiração, os Soldados feridos em combate, famílias desgarradas de suas tribos,

etc. Uma delas, a Primeira YURICY, Indígena do Espaço, enviada de outros Planos, era a

Mestre da Ordem das YURICYS.

Como elas não incorporavam e nem profetizavam, PYTIA, pressentindo a morte

física, determinou que elas moldassem as MURUAICYS e as JAÇANÃS, que eram moças

fugidas das tribos mercenárias, que teriam a missão de fazer as profecias do Templo, através

de PYTIA.

Hoje, a missão das Yuricys já não é socorrer os soldados feridos fisicamente nos

campos de batalha, mas sim, de auxiliar, juntamente com os Soldados do Exército de PAI

SETA BRANCA a humanidade que se encontra perdida e ferida espiritualmente numa

batalha inglória pela posse das coisas materiais”.

Honrada por receber do Trino Triada Presidente Ajarã, Mestre Gilberto Zelaya, a

grandiosa missão de conduzir esta Falange nos Templos do Amanhecer, me coloco ao


13
inteiro dispor de todas as minhas irmãs, Missionárias Yuricys, Ninfas Sol e Ninfas Lua, para

qualquer orientação que necessitem a respeito da nossa missão e do nosso sacerdócio.

Que o Ministro Yuricy e a Guia Missionária Avalcyara Verde iluminem cada

missionária de Pai Seta Branca dos Templos do Amanhecer.

Carinhosamente,

Núbia Damacena
1.ª Yuricy Janda dos Templos do Amanhecer
14
FALANGE MISSIONÁRIA YURICY

Salve Deus!
Uma observação importante a respeito das Flanges Missionárias Yuricy e Príncipe
Maia, se faz necessária : estas Falanges foram conduzidas pela Ninfa Adjuração Mestre
Edelves, consagrada pela Clarividente, como Adjunto Yuricy, Koatay 108,Herdeiro Triada
Harpásios, 7º Raio Adjuração , Arcanos Rama 2000 ‘’que na contagem hierárquica é igual
e se posiciona junto aos outros Adjuntos Koatay 108, Arcanos Rama 2000, nos seus direitos
e deveres, pois fizeram o mesmo juramento e tem a mesma lei.”(Carta de Tia Neiva sobre
o Adjunto Yuricy , Mestre Edelves. Vale do Amanhecer, 08 de outubro de 1985.)
Mestre Edelves não gostava que nos dirigíssemos a ela como “Ninfa Edelves”,
preferindo que nós a chamássemos de “Mestre Edelves”, ou de “Adjunto Yuricy”.
Conforme citação até a terceira edição do Livro de Leis e Chaves Ritualísticas, como
Adjunto Arcanos, Mestre Edelves podia sentar-se no farol mestre da Mesa Evangélica.
Citação esta, que tornou – se desnecessária após seu desencarne, em 2005.

Importante ressaltar que, naquela época as Ninfas Sol podiam sentar-se nos faróis
(direito e esquerdo), não sendo recomendável que se sentassem no farol mestre, exceção
feita ao Adjunto Yuricy Mestre Edelves, que podia ocupar o farol mestre, se quisesse.

No ano 2001, o 1º Mestre Jaguar Trino Arakén corrigiu essa situação, esclarecendo
o fato de que não é conveniente à Ninfa Sol sentar-se nos faróis da Mesa Evangélica, e que
tal conduta foi permitida pela Clarividente por ter sido criada uma situação atípica em
relação ao Adjunto Yuricy, que, sendo tecnicamente uma Ninfa Sol, dispunha da condição
de Adjunto Arcanos.
Assim, a Falange de Yuricy Sol e Lua possui a proteção e a iluminação na luz da
Guia Missionária Avalcyara Verde como todas as demais Falanges de Ninfas Missionárias.
Porém, recebem também a força do Ministro Yuricy, por herança transferida do Adjunto
Yuricy Mestre Edelves.
A Clarividente sempre dizia que a Falange Yuricy é uma falange com missão
especial, por estar na decrescência de um Adjunto Arcanos, como veremos no texto a
seguir, transcrito do original em áudio na voz de Tia Neiva no acervo “Evangelho do
Terceiro Milênio na Voz de Koatay 108”:
“... As Yuricys, vocês sabem que elas têm, elas têm uma missão especial. Se trata
de um Adjunto, não é? E elas são mesmo pra fazer as invocações, que agora é que vão
começar as invocações! Só no Turigano a Yuricy já tem dois cantos...”
15
Por disporem de um Adjunto na Falange Missionária Yuricy, no mesmo acervo, a
Clarividente alerta a essas Ninfas sobre seu compromisso primeiro com seu Adjunto de
Origem:
“... As Yuricys, elas têm a obrigação de entrarem nas escalas, todas elas, não é? Elas
têm a obrigação de atender as escalas pra cada Adjunto quando eles precisarem, estiverem
escalados. Mas o serviço dela é na Origem! ...”
16

ADJUNTO YURICY – MESTRE EDELVES

O Adjunto Yuricy Mestre Edelves, MARIA EDELVES COUTO DOS REIS, nasceu na
Parnaíba – PI – Ilha de Santa Isabel , aos 02 de maio de 1921 às 21:00 horas. Ingressou
no Vale do Amanhecer no ano de 1972, tornou-se Adjunto no ano de 1978 e desencarnou
em 29 de setembro de 2005.
Mestre Edelves, foi a Comandante da Falange de Yuricy Sol e Yuricy Lua, bem como,
a Regente da Falange de Príncipes Maia. Com a primordial missão de promover os grandes
desenvolvimentos mediúnicos, foi responsável
pela realização do Trabalho de Teste Mediúnico; Cultura das Ninfas Luas para
Incorporação do Pai Seta Branca no Ritual da Benção de Pai Seta Branca; Cultura dos
Ajanãs para Incorporação do Pai Seta Branca no Oráculo, para incorporação do Mestre
Acapu no Ritual de Casamento e para Incorporação de João Batista no Ritual de Batizado;
Cultura das Ninfas Janda e responsável também, pelo Oráculo de Pai Seta Branca, o
Grande Simiromba de Deus.
17
CARTA DE TIA NEIVA PARA O AJUNTO YURICY MESTRE EDELVES

Salve Deus!
O Adjunto Yuricy Koatay 108, Mestre Edelves, é, na contagem hierárquica, igual e se
posiciona junto aos outros Adjuntos Koatay 108 Arcanos Rama 2.000, nos seus direitos e
deveres, pois fizeram o mesmo juramento e tem a mesma lei.
A Ninfa Adjuração Mestre Edelves representa o Ministro Yuricy a força do amor e da
ternura.
É um Adjunto Maior, que pode e deve agir por si, na individualidade, de acordo com a
Lei do Adjunto Koatay 108 Arcanos Rama 2.000.
É uma Mestre ligada aos grandes desenvolvimentos!
Ela não depende da Falange das Yuricys. Estas, sim, é que dependem e devem estar
harmonizadas com seu Adjunto Yuricy.
Mestre Edelves não terá Sétimos Raios. Ela é um Adjunto Maior e concentra em si
todo o potencial de forças, energias e heranças transcendentais de um Adjunto de povo.
Ela é o Adjunto e tem todo um acervo de conhecimentos, de conduta e amor. Terá
suas Regentes, que deverão estar sempre em sintonia com seu Adjunto.
Na ausência de Mestre Edelves, elas representam o Adjunto e, assim, todos os rituais
e Sandays serão sempre realizados com precisão e em perfeita ordem e lei.
O mesmo acontece com as Ninfas Adjuração Missionárias Yuricys, que serão
designadas pelo próprio Adjunto Yuricy, isto no que se refere a rituais e Sandays.
As Ninfas Luas Missionárias Yuricys têm por missão especial representar Koatay 108
nos rituais e podem participar das cortes.
Os Príncipes Mayas têm os seus Adjuntos de origem, mas são missionários do
Adjunto Yuricy e têm o dever de estarem harmonizados com o Adjunto Yuricy e seguirem
suas escalas de trabalho.
Mestre Edelves tem potencial de energia e forças doutrinárias e, com seu amor, tem
todo um acervo de dedicação e a capacidade para coordenar e comandar as Falanges
Missionárias Yuricys, que lhe foram confiadas por Pai Seta Branca.
18
Além das obrigações e deveres de uma Adjunto Koatay 108, Herdeiro Triada
Harpásios, 7º Raio Adjuração Arcanos Rama 2.000, contidos na Lei, o Adjunto Yuricy tem
as seguintes atribuições:
grandes desenvolvimentos;
designar mediunidades;
responsável pelo Oráculo de Simiromba (deve estar presente nos rituais do Oráculo
ou colocar uma sua representante, verificar se tudo está em ordem, estar atenta para que
haja a manutenção do ritual nos dias e horários prescritos pela Lei e deixar que o
comandante realize o trabalho naturalmente, dando-lhe, se for solicitada, as informações
sobre o ritual);
estar presente ou estar representada em todos os rituais e Sandays que exigirem
Yuricys;
fazer a cultura das ninfas missionárias para serem Jandas, que serão preparadas
para todos os rituais e invocações.
Por enquanto, estou designando as Ninfas Yuricys Julia Dorneles e Rosa para serem
Jandas.
Lembremo-nos sempre que estamos a remover séculos em busca das Raízes que
deixamos e abraçamos o que deixaram os nossos antepassados nos altos planos dos céus:
eis a única forma de favorecermos a paz em nossos corações.
Todos juntos, formamos uma grande força – formamos um Continente! Todos com
suas atribuições e deveres, assumimos, por amor, está singular missão, e é impregnado do
mais puro amor incondicional que cada um deve respeitar a individualidade dos outros, uma
vez que Lei é Lei, e ela existe para todos.
Somos Jaguares do Terceiro Milênio, meus filhos, e o que transmito a vocês eu
recebo de Deus, do Pai Seta Branca, em nome de Nosso Senhor Jesus Cristo.
O Adjunto Koatay 108, Herdeiro Triada Harpásios, 7º Raio Adjuração Arcanos Rama
2.000 tem maiores poderes e de seu plexo saem focos luminosos de luz curadora e
desobsessiva.
Dependendo de sua mente, de sua sintonia, de sua conduta e do amor, humildade e
tolerância, poderá emitir sua Força-Luz por todo este Universo, em Cristo Jesus.
Realizará curas e dará paz aos desesperados apenas à sua passagem! Somente o
amor e a humildade tornam o Homem iluminado! Este é o verdadeiro Mago do Evangelho,
este é o meu verdadeiro filho! Este é o meu Adjunto Koatay 108, Herdeiro Triada Harpásios,
7º Raio Adjuração Arcanos Rama 2.000!
Filha querida, Mestre Edelves, cumpra com amor o teu sacerdócio, a tua missão, em
19
Cristo Jesus! (...) Tantos anos de amor, de dedicação exclusiva e de trabalho constante para
ter formado e poder contemplar, com felicidade, o Continente... Sou muito feliz mesmo, e
me sinto realizada quando vejo tudo o que tenho e que tudo dei a vocês, com todo o meu
amor.
Mestre Edelves, eu queria lhe dizer que nosso Pai Seta Branca nunca gostou nem
quis que eu doutrinasse ou comandasse. E você, filha querida, não pode imaginar o que
sinto quando te vejo realizando tudo isso em favor e pelo amor de nosso Pai Seta Branca,
em Cristo Jesus!
Minha ninfa doutrinadora e, mais, Adjunto Koatay 108, Herdeiro Triada Harpásios, 7º
Raio Adjuração Arcanos Rama 2.000: eu quis lhe mostrar o quanto você me torna feliz e
realizada.
Sou sua Mãe Clarividente e a amo de modo especial. Vale do Amanhecer, 08 de
outubro de 1985
20

Salve Deus!
Minhas Filhas Missionárias.
Todas as Missionárias deverão colocar as suas Indumentárias, pelo menos de 15 em
15 dias, e é obrigatória a sua presença em todos os Rituais (Templo, Estrela, Turigano,
Estrela de Nerú, etc.).
O não cumprimento desta ordem implicará no afastamento da Falange.
As Primeiras Ninfas e as Regentes deverão se reunir com os Mestres Devas para
elaboração de uma escala de trabalho e para o recebimento das atribuições.
Em 27/11/83.
21
GUIAS MISSIONÁRIAS

As Guias Missionárias são espíritos de alta hierarquia, vindas do Reino de Zana,


destacadas para proteger e acompanhar as ninfas do Amanhecer, que as escolhem por
afinidade. Realizam grandes trabalhos no espaço, completando os que suas ninfas
protegidas fazem na Terra.
Em todas as situações, elas estão ajudando e participando da jornada das ninfas,
exceto quando alguma ninfa se coloca fora da conduta doutrinária, o que faz com que sua
Guia Missionária não tenha condições de se aproximar, por força do padrão vibratório. As
Guias Missionárias são como verdadeiros Anjos da Guarda, manipulando todas as forças
que as ninfas emitem ou recebem.
Quando uma ninfa está escalada para um trabalho, sua Guia Missionária comparece
antes, já tomando todas as providências, no Plano Espiritual, para sua correta participação.
Quando a ninfa está escalada e não comparece por motivo de força maior, sua Guia
Missionária participa do trabalho e irradia as forças necessárias para ajudar e proteger a ninfa
para vencer a dificuldade que a impediu de comparecer.
Mas triste é quando uma ninfa deixa de cumprir sua escala por preguiça ou
displicência, e fica isolada, abandonada por sua Guia Missionária que parte para fazer o
trabalho para o qual foram escaladas, deixando-a sem qualquer proteção e sem receber os
benefícios daquele trabalho.
Quando a ninfa desencarna, sua Guia Missionária a recepciona no plano astral,
conduzindo-a para Pedra Branca. Zana é o reino das grandes Falanges Missionárias do
Espaço e de lá se projetam as forças para serem manipuladas pelas Guias Missionárias e
pelas ninfas nos Sandays que trabalham com as forças das Estrelas. A força de uma ninfa
com sua indumentária de missionária, que se soma a todas que já possui procede
diretamente de Zana, através de sua Guia Missionária.
“Minha filha, Salve Deus! Não serás mais como a nuvem que vive a vaguear no
caminho do vento do mundo. Porque quis a vontade de Deus te agraciar com esta rica Guia
Missionária, companheira da última hora, vinda de mundos afins da luz e do amor, com a
missão, nesta jornada, de avaliar contigo, nos carreiros terrestres, e aliviar os tristes
destinos cármicos. Porque, filha, os cristãos apontam os Anjos, os cientistas engrandecem
a Terra. A Doutrina junta os dois e forma a Luz para a Nova Era! Contigo ela caminhara, se
tiveres a fé do teu amor. E não terás também crepúsculo. Jesus, que é testemunha dos
meus olhos, responderá por mim, na luz de nosso Pai, que é o Simiromba de Deus!" (Tia
Neiva, 5.7.80)
22
“Toda obra humana, sem exceção, cria, no espírito, a imagem pela ação do
pensamento e só depois se materializa. Sim, filhas, isto ocorre com a evolução, no desejo
de servir com amor, humildade e tolerância. Quanto mais evoluído o espírito, mais poderoso
se torna o seu pensamento criador, que vai se materializando na força mântrica que envolve
esses seres angelicais, que são essas vossas Guias Missionárias! (...) Em mil missionárias,
cada uma vibra sua harmonia, sua beleza, porque nela está o toque divino dos Grandes
Iniciados e de suas Guias Missionárias, nas concentrações das filas mântricas." (Tia Neiva,
6.6.80)
23

HOMENAGEM A TIA NEIVA EM SEU ANIVERSÁRIO


MENSAGEM DE AMOR

Aqui estamos tia, tuas filhas YURICYS e JAÇANÃS para prestar esta pequena
homenagem neste dia que nos é tão caro.
Mas, esta homenagem, TIA não é somente de hoje, do agora, pois, regredindo na
memória do tempo, simboliza uma vivência de quase três mil anos, quando vivemos juntas e
unidas trabalhamos nas terras de Delfos.
Ontem, como PYTIA, inspirada pelos vapores que emergiam da fenda vulcânica,
orientavas Reis, Príncipes, Povos e Nações.
Hoje, como CLARIVIDENTE, inspirada nas forças positivas da espiritualidade maior,
faz surgir num Vale, que também é uma suave fenda, aqueles que irão equilibrar o alvorecer
do III Milênio.
Ontem como PYTIA, inspirada por Apolo, o Deus da luz e da harmonia universal,
sentada sobre um tripóide, profetizavas o futuro e davas sentido esotérico das tuas
mensagens.
Hoje, com clarividente, inspirada por Seta Branca, a luz dos Andes e tendo como
tripoide Amor- Tolerância –Humildade, vaticinas o mundo de amanhã, explicando em tuas
aulas em mensagens, o sentido da verdadeira vida e a razão primordial de nossa existência.
PYTIA a profetiza, era uma mulher simples e tendente a viver afastada dos outros,
do luxo e das ilusões materiais, dedicando-se mais ao mundo real dos valores; do amor ao
próximo, da justiça e da caridade, do que ao mundo ilusório dos fatos.
NEIVA, a sacerdotisa do Templo do Amanhecer, também é uma mulher simples, sem
luxo, dedicada a servir mais aos seus semelhantes do que propriamente por eles ser servida.
24
Mas PYTIA embora divina também era humana. Com o tempo e devido ao excesso
de profecias que lhe exigiam m jejum de vários dias, PYTIA, após cada oráculo, desfalecia
e sua recuperação requeria vários dias de repouso.
Daí a razão dela escolher jovens, cujos os maridos estavam sempre na guerra, para
auxilia-la na sua missão. E essas jovens, as YURICYS, que quer dizer Flor do Campo, na
linguagem indígena, percorriam as planícies Gregas e Macedônicas socorrendo, sob sua
inspiração, os soldados feridos em combate, famílias desgarradas de suas tribos etc.
Uma delas a primeira YURICY, indígena do espaço, enviada de outros planos, era a
Mestre da ordem das YURICYS. Como elas não incorporavam nem profetizavam, PYTIA,
pressentindo a morte física, determinou que elas moldassem as JACANÃS, que eram
moças fugidas das tribos mercenárias, que teriam a missão de fazer profecias do templo.
Quase três mil anos são passados, TIA NEIVA, e nos hoje, YURICYS e JAÇANAS,
de ontem, aqui estamos novamente ao teu lado.
Aqui estamos com a mesma missão que recebemos um dia, em outros tempos –
auxiliar, compreender, cuidar da nossa clarividente.
A nossa missão já não é socorrer os soldados feridos fisicamente em campos de
batalha, de famílias desgarradas, mas é de auxiliar, juntamente com os soldados do exército
de seta Branca, a humildade que se encontra perdida e ferida espiritualmente numa batalha
inglória pelas poses materiais.
A ti PYTIA, a ti NEIVA, nossa CLARIVIDENTE, MÃE EM CRISTO, a nossa
profunda e singela homenagem pela passagem desta data que marca o tem
nascimento físico neste plano. Sabemos, porém, que estando contigo e vivendo contigo,
estamos nascendo a cada dia para uma nova vida, pois NASCER, não é somente o
nascimento do homem em certo dia do ano, é o RENASCER do CRISTO em cada homem
todos os dias do ano.
SALVE DEUS! TIA NEIVA. Templo do Amanhecer, 30.10.1979
25
PRIMEIRA YURICY JANDA DOS TEMPLOS DO AMANHECER
NÚBIA DAMACENA

GUIA MISSIONÁRIA NÚBIA DAMACENA


ARATUZA VERMELHA 1.ª YURICY JANDA DOS TEMPLOS DO AMANHCER

A Primeira Yuricy Janda dos Templos do Amanhecer, Ninfa Núbia Damacena de


Oliveira Sobrinho, iniciou sua jornada na Doutrina do Amanhecer em 06/05/1977, tendo sua
trajetória marcada por grandes realizações, ao longo de mais de 20 anos junto ao Trino
Triada Presidente Ajarã Mestre Gilberto Zelaya que a consagrou Primeira Yuricy Janda dos
Templos do Amanhecer. Sendo ela competente para expedir orientações às Ninfas
Missionárias Yuricys dos Templos do Amanhecer a respeito de qualquer assunto
relacionado à Falange Missionária.
Recebeu do Trino Ajarã, Mestre Gilberto Zelaya, a missão de fazer a cultura das
ninfas missionárias para serem Jandas, dando assim, continuidade ao trabalho do Adjunto
Yuricy - Mestre Edelves. Essa missão lhe foi confiada por ter sido aculturada por Mestre
Edelves, tornando-se com isso, um Raio do Adjunto Yuricy.
Tendo êxito na missão de aculturar as ninfas missionárias para serem Jandas,
alcançando os objetivos desejados, recebeu em parceria com a Primeira Aponara Nair
Zelaya a missão de fazer a cultura das Ninfas Aponara Lua para o Trabalho de Incorporação
26
do Pai Seta Branca no Castelo de Iniciação e de Representante de Koatay 108 nos Rituais
de Elevação de Espada.
27
RITUAL DA BÊNÇÃO DO MINISTRO
NOS TEMPLOS DO AMANHECER

O ritual da Bênção do Ministro nos Templos do Amanhecer, com Lei assinada pelo
Conselho de Trinos consagrado pela Clarividente (Trino Arakén / Trino Sumanã / Trino
Ajarã) em 1º de maio de 1999.
Este ritual foi instituído quando, pelo grande número de Templos do Amanhecer
existentes no Brasil e no exterior, o ritual de Bênção de Pai Seta Branca se tornou
impraticável de ser realizado nos moldes como vinha sendo feito.
A impossibilidade de se realizar a Bênção do Pai Seta Branca nos Templos do
Amanhecer nos moldes como era praticada antes da implantação deve-se ao fato de que,
naquela época, a então Coordenação dos Templos já contava com mais de 500
(quinhentos) Templos do Amanhecer implantados (atualmente, somente a CGTA conta com
aproximadamente 1000 (mil) Templos no Brasil e no exterior).
Considerando-se a grandiosidade da presença do Simiromba de Deus na Terra em
Espírito e Verdade para transmitir sua mensagem aos Jaguares, diferente da projeção desse
Grandioso Espírito no Oráculo dos Templos do Amanhecer, quando não existe a mensagem
e nem o atendimento direto aos Jaguares, tendo o ano 365 / 366 dias, se tornaria impossível
realizar uma Bênção do Pai Seta Branca por ano em cada Templo do Amanhecer sem
escolher menos da metade dos Templos para receber tal privilégio.

Calcados então no princípio de equidade, de justiça e de imparcialidade, foi que o


Conselho de Trinos (Arakén / Sumanã / Ajarã), com auxílio dos Devas (Alufã / Adejã /
Umaray), em 1.º de Maio de 1999, usando dos poderes a eles delegados pela Clarividente
Neiva Chaves Zelaya, assinaram a Lei deste Ritual, o qual é realizado a partir de então todo
primeiro domingo do mês.
Assim, todo 1º domingo do mês, em aproximadamente mil Templos do Amanhecer
administrativamente ligados à CGTA, os Ministros de Deus descem à Terra, formando um
Leito Magnético em todo o País.
A Lei instituiu o 1º domingo do mês, às 15h:00h, justamente por ser o momento em
que o Pai Seta Branca também está na Terra, possibilitando aos Ministros de Deus
trabalharem em conjunto e em ligação direta com o Pai Seta Branca, em benefício de todo
o Planeta.
28
No ritual, enquanto atende aos seus filhos e filhas, componentes daquele Adjunto,
esse Ministro de Deus também manipula com a nossa Força Decrescente Maior, o Pai Seta
Branca, possibilitando trazer a paz, a harmonia e o amor a todos os espíritos em trânsito na
Terra, encarnados e desencarnados.
Sabendo-se que esses Ministros estão na Terra no exato momento em que todos os
demais Ministros que formam Povos estarão também incorporados, e ainda, ao mesmo
tempo que o Pai Seta Branca também estará manifestado na Terra, temos a certeza de
que, independente de qual Templo que o Mestre ou a Ninfa esteja recebendo a Bênção do
Ministro, se houver a necessidade da emanação do Pai Seta Branca, ela ali se fará
presente, sem a necessidade da incorporação do Pai, ou seja, o Pai Seta Branca
transmitindo sua mensagem através do Ministro.
Também temos que considerar que a Bênção do Ministro é o momento máximo para
o corpo mediúnico, pois, conforme nos afirma nossa Mãe Clarividente, o Carma do Mestre
e da Ninfa está depositado nas mãos do Ministro que o (a) rege (e não nas mãos do Pai Seta
Branca), portanto, a Bênção do Ministro é onde podemos receber de forma mais direta os
benefícios da utilização dos nossos bônus para o auxílio na nossa jornada física e espiritual,
o lenitivo para as nossas dores e as forças para alcançar nossos objetivos como
Missionários e também como espíritos encarnados na Terra.
29
Lei da Bênção do Ministro nos Templos do Amanhecer

Por decisão dos Trinos Presidentes Triada, a partir do dia 1.º de Maio de 1999 será

implantada a Bênção do Ministro nos Templos do Amanhecer, no primeiro Domingo do mês,

no mesmo horário da Bênção do Pai Seta Branca no Templo Mãe, devendo ser observados

os seguintes procedimentos:

1. PREPARAÇÃO PARA O RITUAL

a) Um mestre Rama 2000 será designado pelo Presidente do Templo para coordenar o

Ritual;

b) Cabe ao Mestre Presidente do Templo ou a um outro Mestre designado por ele, a

abertura do Ritual;

c) A Bênção será concedida pelo Ministro do Presidente, porém nada impede que o

Ministro do Adjunto de Origem ou do Coordenador Regional se manifeste;

d) O Ministro se manifestará no Mestre Lua Padrinho do Presidente. Caso o Padrinho

esteja impossibilitado de participar poderá ser escolhido outro Mestre preparado, a

critério do Presidente, desde que seja RAMA 2000;

e) Para os Templos cuja incorporação do Ministro for muito prolongada, o Presidente

poderá deixar de sobreaviso mais 1 (um) ou 2 (dois) Mestres Lua preparados para

substituir, temporariamente, o seu Padrinho ou quem estiver no seu posto, se for o

caso;

f) A incorporação do Ministro deverá ser realizada no Aledá, em frente à Presença Divina;

g) O Mestre coordenador do Ritual deverá tomar as providências para que tudo esteja

em ordem, antes da abertura, observados os seguintes detalhes:

I. Arrumação do Aledá, instalando microfone e colocando cadeira própria, se


30
possível a mesma da Elevação de Espadas, ficando o Mestre Lua, no centro,

de costas para a Presença Divina (deverá usar Bata modelo da Iniciação

Dharman-Oxinto – Suriê / Cruz de Ansanta);

II. Posicionamento, na Pira, do sal e perfume em frente à Lua e do vinho próximo

ao Sol;

III. Verificar se os Mestres Lua participantes estão presentes com suas

respectivas Ninfas, bem como a Corte, inclusive Samaritanas para servirem

sal, perfume e vinho;

IV. Organizar o posicionamento dos participantes no Ritual;

h) A equipe da Recepção organizará as filas, devendo agir com segurança, não deixando

Mestres furarem fila e com muito bom senso, retirando pessoas muito idosas, doentes,

gestantes e crianças muito pequenas e de colo, fazendo-as passarem na frente.

2. RITUAL COM ABERTURA DA CORRENTE MESTRA

a) No momento da abertura da Corrente Mestra, às 15:00 horas, na Pira, Corte, os Mestres

Lua e suas respectivas Ninfas já devem estar posicionadas para preparação, à frente

dos Mestres escalados no comando dos Setores de Trabalhos e Faróis da Mesa

Evangélica. Os demais Médiuns devem fazer a sua preparação em frente à imagem do

Pai Seta Branca, se for o caso;

b) Após a preparação, a Corte e os Mestres Lua com suas ninfas vão ao Castelo do

Silêncio, Castelo do Doutrinador ou à esquerda do Radar, de acordo com as

características do Templo, onde permanecem em harmonia, aguardando a abertura do

Trabalho Oficial;

c) Terminada a abertura do trabalho, as Samaritanas tomam as suas posições no sal,

perfume e vinho e a Corte se desloca, a partir do Radar, cantando Mayanty,

conduzindo os Mestres na seguinte Ordem:


31
I. Presidente do Templo;

II. Mestre Coordenador do Ritual;

III. Padrinho e Madrinha ou representantes;

IV. Mestres Lua e suas Ninfas, se for o caso;

d) Ao passarem pela Pira, os participantes do Ritual se anodizam e após tomarem o vinho

vão se acomodando na parte Evangélica. O Presidente do Templo, o Coordenador do

Ritual e o primeiro par de Mestres (Ajanã e Ninfa Sol), sobem no Aledá, onde o

Presidente ou seu representante faz uma breve harmonização e pede a presença do

Ministro, momento em que todos emitem o Hino Oficial do Amanhecer;

e) Logo após o Hino Oficial, o Presidente e o Coordenador do Ritual fazem suas emissões

e cantos em frente ao Ministro e pedem a sua bênção, em seguida, a fila começa a

passar, sendo servindo o sal, perfume e vinho a todos. Os Trinos Triada, Arcanos e

Presidentes tem preferências tão logo se apresentem. Os dirigentes do trabalho devem

se revezar e ir passando, também, com preferência, para não causar transtornos nos

Setores de Trabalho;

f) A comunicação ficará restrita aos Trinos Triada, Arcanos e Presidentes. O corpo

Mediúnico e pacientes receberão somente a bênção do Ministro e a palhinha (o Ministro

a seu critério poderá dar mensagem ao Corpo Mediúnico);

g) Na hipótese de revezamento, interrompe-se a fila, todos cantam o Hino Oficial e o

Presidente agradece a presença do Ministro. O Ajanã desincorpora e, após a

substituição por outro par de Mestres (Ajanã e Ninfa Sol), o Presidente pede

novamente a presença do Ministro recomeçando o atendimento à fila;

3. RITUAL DE ABERTURA DO TRABALHO ESPECIAL

a) No momento da abertura do Trabalho Especial, às 15:00 horas, na Pira, a Corte, os

Mestres Lua e suas respectivas Ninfas já devem estar posicionados para preparação,

à frente dos Mestres escalados no comando dos Setores de Trabalhos. Os demais


32
Médiuns devem fazer a sua preparação em frente à imagem do Pai Seta Branca, se

for o caso;

b) Terminada a preparação, as Samaritanas tomam as suas posições no sal, perfume e

vinho e a Corte se desloca, a partir do Radar, cantando Mayanty, conduzindo os

Mestres na seguinte ordem:

I. Presidente do Templo;

II. Mestre Coordenador do Ritual;

III. Padrinho e Madrinha ou representantes;

IV. Mestres Lua e suas Ninfas, se for o caso;

c) Os passos seguintes são os mesmos do Ritual com abertura da Corrente Mestra.

4. OBSERVAÇÕES GERAIS

a) As Missionárias devem, sempre que possível ficarem até o término do Ritual, sempre

emitindo Mantras;

b) O (s) Mestre (s) Lua que for (em) incorporar o Ministro deverá (ão) usar Suriê.

Vale do Amanhecer-DF, 01 de maio de 1999


33

ORIENTAÇÕES PARA O TRABALHO E PREPARAÇÃO DA NINFA SOL


YURICY GUARDIÃ ESCALADA PARA O RITUAL DA BENÇÃO DO MINISTRO

1. Procurar cortar as palhinhas da folha de coqueiro na área do Templo, com sintonia,


harmonia e amor, mentalizando sempre o Ministro e os mentores de sua
individualidade;
2. Procurar cortar as palhinhas sempre do mesmo tamanho, comprimento e largura
(6cmx 1cm);
3. Lavar as palhinhas e acomodá-las em uma vasilha inox com o perfume Madeira do
Oriente;
4. Como Guardiã do Ministro, a Yuricy neste dia, deverá estar no interior do Templo na
abertura da Corrente Mestra, às 14:30h, à disposição do Adjunto Presidente e do
Coordenador da Benção;
5. Caso o templo disponha da Cruz de Ansanta usada na Elevação de Espadas, poderá
ser colocada no Ajanã assim que este chegar na Pira. Esta decisão deve ser do
Adjunto Presidente, pois não são todos os templos que dispõem da Cruz de Ansanta.
Caso o templo não tenha, o Ajanã deverá usar o Suriê de pano que acompanha a
Bata. Mesmo usando a Cruz de Ansanta, o Ajanã deverá estar com o Suriê de pano e
com a Bata.
6. O procedimento para colocação da Cruz de Ansanta no Ajanã pela Yuriy Sol, deverá
seguir os seguintes passos:
a) A Yuricy Sol retira a Cruz de Ansanta da caixa, vira-se para a Pira e a consagra,
elevando-a acima de sua cabeça desce a mesma ao plexo dizendo mentalmente:
“A minha missão é o meu sacerdócio, Jesus está comigo”;
b) Coloca a Cruz de Ansanta nas duas mãos do Ajanã, passa as alças atrás do seu
pescoço e abotoa com alfinete deixando a Cruz de Ansanta na altura do plexo do
Ajanã;
c) Ao terminar de acomodar o Ajanã, a Yuricy posiciona-se ao lado esquerdo do
ministro ficando a madrinha ao lado direito. Deve-se ficar na posição de honra e
guarda e nunca de plexo aberto. Devendo abrir o plexo somente quando o
ministro fizer uma prece, ou uma invocação para a cura de um paciente ou
mestre/ninfas da corrente.
1. Após a incorporação do Ministro, a substituição da missionária Yuricy Sol Guardiã
é de responsabilidade do Adjunto Presidente e do Mestre Coordenador da
34
Benção. Que no momento certo solicitará a uma outra ninfa Yuricy Sol para sua
substituição;
2. Nos templos que dispõem de missionárias, elas deverão ficar à disposição,
sentadas na área evangélica pelo menos em número de 3 Yuricys Sol para
revezarem com a Guardiã. As mesmas deverão ficar em sintonia e harmonia com
o ritual;
3. A preparação do Aledá, corte, vinho, entre outros é de inteira responsabilidade do
Adjunto Presidente e do Coordenador da Benção.
O Ritual da Benção do Ministro nos foi presenteado pelo Trino Ajarã Mestre Gilberto
Zelaya, nosso Trino Coordenador dos Templos do Amanhecer em 01 de maio de 1999. As
leis referentes a este ritual estão no realinhamento.

CRUZ ANSANTA
35

Salve Deus!

Minhas irmãs, devemos sempre nos lembrar que neste dia e neste mesmo horário
nosso Pai Seta Branca, o Simiromba de Deus, nos abençoa com sua Luz e nos emana com
seu amor na presença luminosa dos Ministros de Deus que se fazem presente em cada
Templo do Amanhecer. Seja este Templo de grande ou pequeno porte, a Centelha Divina
que nos é distribuída, é a mesma.

A Yuricy Sol Guardiã deverá manter-se em silêncio ao lado do Ministro, devendo


comunicar-se com os missionários ou pacientes que ali chegam caso seja solicitada,
sempre com amor, ternura, harmonia e em perfeita sintonia com os Grandes Iniciados que
se fazem presente nesta corte bendita de Benção do Ministro.

Enquanto o Ministro estiver comunicando e abençoando todos que pela benção de


Deus, nosso Pai, chegarem até sua presença luminosa, a Yuricy Sol Guardiã vai
suavemente apanhando as palhinhas em número de 03 e mentalizando, que elas sejam
emanadas de energias de tolerância, humildade, amor e proteção. Essa energia de
proteção, tão necessária à nossa jornada física e espiritual, perdurará no decorrer daquele
mês até a próxima Benção. A Benção do Ministro é o momento máximo para o corpo
mediúnico. É o lenitivo para nossos objetivos como missionários, bem como espíritos
encarnados na Terra. As palhinhas representam toda essa energia de amor e cura
desobsessiva, em favor de todos que as receberem. Salve Deus minhas irmãs! A perfeita
sintonia com o Ministro em sua manifestação através do aparelho do mestre Ajanã neste
Ritual, se tornará ainda mais perfeita se a sua mediunização e sintonia estiverem em
comunhão com os mentores da sua individualidade e com os Grandes Iniciados.

Sua responsabilidade é muito grande, procure refletir e irá sentir no seu coração.

É meu dever conscientizá-las, sei que são ninfas preparadas, mas devemos sempre
buscar a perfeição e o equilíbrio.

Meus respeitos com ternura!

Salve Deus!

Núbia Damacena
1.ª Yuricy Janda dos Templos do Amanhecer
36
ORÁCULO DE SIMIROMBA

Para este ritual, as Yuricys harmonizam-se no Castelo do Silêncio junto as outras

falanges missionárias, aguardando a ordem do Comandante para o início do ritual.

A Corte deve seguir a seguinte ordem: 2 Ninfas Samaritanas;

2 Ninfas Dharman-Oxinto;

2 Ninfas Muruaicys;

2 Ninfas Franciscanas;

Ninfa Yuricy Sol (na posição de Guardiã do Oráculo, à frente do Comandante);

1 Comandante e sua ninfa; (a Ninfa Lua que acompanha o Comandante pode estar

vestida de falange missionária ou não, devendo usar a indumentária de ninfa lua completa

com pente e luva);

2 Mestres Ajanãs com suas ninfas Sol, no mínimo; (a ninfa Sol pode estar vestida de

falange missionária ou não devendo usar a indumentária de ninfa sol completa com pente

e luva).

Dado início ao trabalho, a Corte segue do Castelo do Silêncio, passa em frente o

Radar, entra na Área Evangélica pelo lado dos mestres, contorna a Mesa Evangélica, sobe

o Aledá , desce e sai pelo lado que entrou. Passa novamente em frente ao Radar, segue

passando em frente ao Pai Seta Branca em direção ao Oráculo de Simiromba.

Após a abertura dos portões pela Ninfa Muruaicy, o Comandante entra com sua Ninfa

emitindo a chave “A MINHA MISSÃO É O MEU SACERDÓCIO, JESUS ESTÁ

COMIGO.’’

Em seguida entram as Samaritanas e logo após a Yuricy e os demais, em sequência.

Todos deverão emitir a chave acima.

Assim que os Mestres se posicionarem dentro do Oráculo, as Samaritanas se servem

do vinho, e logo em seguida as Muruaicys (que devem subir acompanhadas do Mestre


37
Comandante).

O Comandante faz a sua emissão, toma o vinho e retorna junto às Muruaicys para o

seu posto.

Se houver mais algum Mestre Sol ou mesmo alguma outra ninfa, pertencentes ou

não a outras Falanges Missionárias, e que não irão participar diretamente do ritual (mas

que permanecerão no Oráculo) deverão, também, ser servidos do vinho logo após o

Comandante.

Posteriormente, a Samaritana que fará a emissão e canto desce e logo em seguida

sobe os degraus junto com a Yuricy Sol Guardiã , viram-se para o portão, fazendo uma

reverência indiana, voltam-se para a Cabine e abrem os véus, verificando se tudo está em

ordem ( devem olhar se não tem insetos ou qualquer outra coisa que atrapalhe a

incorporação). Caso esteja tudo certo, fecham os véus e viram-se para frente onde a

Samaritana e a Yuricy fazem suas emissões e cantos, primeiro a Samaritana depois a

Yuricy Sol Guardiã.

Terminados os cantos, a Samaritana serve o vinho à Yuricy, pedindo a outra

Samaritana que conduza o Comandante e a Ninfa Sol até a sua presença, para fazer a

preparação da Ninfa Sol que acompanha o Mestre Ajanã.

O Comandante sobe os degraus conduzido pela Samaritana, paralelo a Ninfa Sol.

De frente para a Cabine, de costas para o portão, a Ninfa Sol toma o vinho e faz a sua

emissão, terminado, o Comandante e a Ninfa Sol descem.

A Ninfa Sol, juntamente com o Mestre Ajanã, sobem a rampa e a Samaritana serve

o vinho ao Ajanã, que é encaminhado para o interior da cabine, enquanto isso, o

Comandante desce conduzindo a Ninfa Sol para os fundos da cabine para fazer o convite

da presença de Pai Seta Branca.

A Ninfa Sol deve acompanhar o Comandante entrar pelo fundo da Cabine, cobrir o

rosto com o manto (véu roxo) e fazer o convite ao Grande Simiromba de Deus, Seta Branca
38
Nosso Pai, com firmeza, sintonia e amor.

CONVITE A PAI SETA BRANCA

“JESUS! DIVINO E AMADO MESTRE, NESTA BENDITA HORA REUNIDOS EM

TEM SANTO NOME, NÓS TE PEDIMOS A PERMISSÃO PARA QUE SE FAÇA

PRENSENTE ENTRE NÓS O GRANDE SIMIROMBA DE DEUS, SETA BRANCA NOSSO

PAI.”

Observações – 1:

Ao entrar no Oráculo deve-se emitir a seguinte chave:

“A minha missão é o meu sacerdócio. Jesus está comigo.”

Ao elevar a taça emite-se:

“Oh! Jesus, este é o Teu sangue, que jamais deixará de correr em todo o meu

ser. Ninguém jamais poderá contaminar-se por mim.”

O Mestre Ajanã poderá permanecer incorporado pelo período de até trinta

minutos.

Terminado o tempo de incorporação o Comandante pede a sua Ninfa que

o acompanhe até a Cabine (quando o Comandante está sem sua Ninfa, ele solicita a

outra Ninfa Lua, que não seja a Samaritana, disponível no trabalho). De frente ambos

emitem:

“A minha missão é o meu sacerdócio. Jesus está comigo.”

O Comandante se dirige ao Pai Seta Branca e, em voz baixa, diz:

“Meu Pai, está na hora de desincorporar o aparelho, o Senhor está de acordo?”

JESUS DIVINO E AMADO MESTRE! NESTA BENDITA HORA NOS

AGRADECEMOS A PRESENÇA LUMINOSA DO GRANDE SIMIROMBA DE DEUS,

SETA BRANCA NOSSO PAI.


39
Desincorporado, o Mestre Ajanã levanta-se, emitindo a seguinte prece:

“OH JESUS!

GRAÇAS A TI, JESUS QUERIDO, ME FOI DADA ESTA FELIZ

OPORTUNIDADE DE RECEBER EM TODO O MEU SER ESTA DIVINA LUZ

QUE FOI MEU PAI SETA BRANCA, O SIMIROMBA DE DEUS.

OH JESUS!

ME FAZ INSTRUMENTO DE TUA PAZ.

QUE AS FORÇAS SE DESLOQUEM EM FAVOR E PARA QUE EU

POSSA PARTIR SEM RECEIO.

ILUMINA MEUS OLHOS, MINHA BOCA E MEUS OUVIDOS COM – 0 –

0 – X //, EM TEU SANTO NOME, A TI JESUS QUERIDO.

SALVE DEUS!”

Em seguida, o Comandante vai buscar a Ninfa Sol nos fundos da Cabine. Esta, ao

receber o Mestre Ajanã, acompanha-o até a Ânfora para que a Samaritana os sirva da água.

Observações – 2:

Para cada trabalho de Oráculo serão escalados no mínimo dois mestres ajanãs que

irão se revezando nas incorporações.

Se porventura, um ou mais mestres Ajanãs se apresentarem voluntariamente, o

Comandante poderá integrá-los ao ritual, desde que disponham das condições necessárias.

Depois do Oráculo aberto, os Mestres poderão sair por alguns instantes, tantas vezes

quanto for necessário.

No decorrer do trabalho, só poderão entrar 10 (dez) pacientes, isto se houver Ninfas

Franciscanas e / ou Dharman-Oxinto para buscá-los.

As Ninfas Franciscanas e/ou Dharman-Oxinto deverão conduzi-los até a presença do


40
Pai Seta Branca.

De frente ao Pai fazem uma reverência, sendo em seguida conduzidos para os

bancos fora do Oráculo.

Sob a guarda das Ninfas Franciscanas, os pacientes aguardarão as Ninfas Dharman-

Oxinto para servi-los do vinho, em seguida liberando-os.

Para o encerramento, o Comandante se dirige à frente da cabine, e entre as Ninfas

Samaritanas e Yuricy, volta-se para o portão e faz o canto:

“JESUS!

ESTAMOS REUNIDOS EM TEU SANTO NOME, BENDIZENDO OS

MOMENTOS FELIZES QUE AQUI TIVEMOS, NA LUMINOSA HARMONIA

DO SIMIROMBA DE DEUS, MEU PAI SETA BRANCA, NOS DANDO A MAIS

PERFEITA LUZ.

JESUS!

QUE TODO ESTE ACERVO DE ENERGIA, SEJA LEVADO AOS

MUNDOS NECESSITADOS, DA CURA DESOBSESSIVA DO CAVALEIRO

DA LANÇA VERMELHA, DA CURA DOS CEGOS, DOS MUDOS E DOS

INCOMPREENDIDOS.

E, COM – 0 – 0 – X //, EM TI JESUS QUERIDO! SALVE DEUS!”

Observações Finais:

A Ninfa Sol Yuricy é a Guardiã do Oráculo.

Com a emissão do canto de encerramento pelo Comandante, todos os mestres se

retiram do Oráculo; não há mais nada a fazer, terminou o trabalho.

Caso não tenha pacientes para tomar o vinho a Ninfa Sol Guardiã poderá descer
41
juntamente com a Samaritana,

Os dias específicos para funcionamento deste ritual são: quartas, sábados e

domingos (dias de Trabalho Oficial), podendo, excepcionalmente, ser aberto num dia de

retiro, desde que o mesmo ofereça as condições necessárias. Recomenda-se ao mestre

Comandante que encerre o ritual antes de meia-noite.


42
Pequenos Conselhos

Salve Deus minha irmã missionária Yuricy Sol, Guardiã do Trabalho de Oráculo do
Simiromba de Deus!
Embora poucos tenham essa percepção e consciência, é o Trabalho de Oráculo que
dá sustentação à corrente mestra no templo.
Quando realizado em perfeita sintonia e harmonia, irradia de forma muito especial o
Amor do Grande Simiromba de Deus, Seta Branca Nosso Pai.
Esse amor emanado pelo Simiromba de Deus, vai muito mais além do que podemos
imaginar consolida em nossos corações a harmonia, a proteção, a cura desobsessiva, os
dons espirituais, o Bem, a luta incessante contra os instintos inferiores e inimigos internos.
Luta essa imprescindível a nossa reforma íntima, a nossa transformação moral, a nossa
evolução.
Salve Deus!
43
CONSAGRAÇÃO DE TALISMÃ
Para consagrar um Talismã, é preciso que a Missionária Yuricy tenha recebido o seu
Talismã consagrado, pois é necessário que a mesma disponha da energia recebida dos
Grandes Katshimoshy na Consagração de seu Talismã para transmiti-la.
Antes de ser consagrado, o Talismã deve ser entregue ao Comandante do trabalho
de Oráculo, é preciso que o mesmo permaneça fora de quaisquer embalagens em cima da
mesa do vinho por alguns minutos.
Durante a incorporação do Pai Seta Branca a Yuricy Guardiã segura o Talismã entre
as palmas das mãos, vira-se para o Oráculo de Simiromba e em sintonia, busca
silenciosamente as energias na alta magia de nosso Senhor Jesus Cristo, no poder e na
proteção dos Grandes Iniciados Katshimoshy. Em seguida, vira-se para o portão retornando
a sua posição e eleva o Talismã à altura dos olhos do mestre ou da ninfa que está recebendo
a sua consagração, olhando-os nos olhos diz a chave abaixo:

TALISMÃ DOS KATSHIMOCHY


Salve Deus!
Mestre, eu te consagro na Força Bendita dos Grandes Iniciados
Katshimoshy, JESUS que te faça espada viva e resplandecente por todo
esse Universo.
Salve Deus!

TALISMÃ MESTRE OU NINFA JAGUAR


Salve Deus!
Mestre, eu te consagro na Força Bendita do GRANDE ORIENTE DE
OXALÁ. Salve Deus!

Ao terminar de falar a chave, a Ninfa Yuricy coloca o Talismã no mestre ou na ninfa


que está recebendo esta Consagração, deseja-lhe boa sorte e o orienta que mantenha o
mesmo junto de si por sete dias consecutivos. (Não precisa tomar banho ou ficar o tempo
todo com o Talismã no pescoço, porém, deve tê-lo por perto, até mesmo na hora de dormir,
sendo colocado na cabeceira da cama ou debaixo do travesseiro.)
44
OBSERVAÇÃO
Devemos consagrar apenas os Talismãs abaixo conforme as fotos em anexo.
Devemos também mantê-los por dentro da indumentária, “Por cima de nossas armas
somente a fita”. Orientações estas transmitidas por nossa saudosa Mestre Edelves, Adjunto
Yuricy.
Só podemos consagrar o Talismã de um mestre ou ninfa Centurião.
Caso o Talismã consagrado se quebre ou arrebente a corrente devemos nos
desfazer dele e comprarmos outro. Não é necessário consagrar o Talismã novamente. A
consagração é dada no plexo do médium pela Yuricy e não no Talismã. Essa orientação
também se aplica aos mestres e ninfas que tiveram seus Talismãs consagrados.
O Talismã só deve ser consagrado na presença física do mestre ou da ninfa.
Fomos orientadas a não consagrarmos o Talismã para pessoas que não estejam
presentes no momento da consagração ou que não sejam da nossa doutrina.
45
46
MODELOS DE TALISMÃ
47
TALISMÃ KATSHIMOCHY
48
CRUZ DO CAMINHO

Quando Pytia saiu de Delfos e foi ao encontro dos reis de Esparta, o fez motivada

pela sentença que os soberanos espartanos haviam dado a um casal de reis, subordinados

a Esparta, que por não terem filhos, seriam executados para que dessem lugar a outra

dinastia.

Pytia, em sua clarividência, viu o quadro e partiu em socorro daquele jovem casal,

enfrentando todo um povo, que era o único na Grécia a não aceitar o Deus Apolo.

Chegando a Esparta, onde já eram conhecidos os fenômenos a ela atribuídos, foram-

lhe colocadas as atacas. Desafiada pelos reis perante o povo, para que demonstrasse sua

força.

Pytia fez com que os tambores da tropa rufassem para espanto geral. E,

reconhecendo os poderes da pitonisa, os reis concederam clemência aos condenados, que

partiram para o exílio e, localizando-se em um castelo solitário, passaram a se dedicar à

cura daqueles muitos necessitados que vagavam pela estrada. Para marcarem o caminho

de seu castelo, fincaram uma cruz. Daí a origem Cruz do Caminho.

A Cruz do Caminho é um trabalho altamente iniciático. Há poderosos cruzamentos

de forças curadoras, que exigem perfeito ritual e contagem, pois se realizam na presença

de Mãe Yemanjá, dos Ministros, Sereias e Magos.

“A Cruz do Caminho emite eflúvios quando estamos no trabalho. Ela gera uma força

giradora que sobe e que desce: sobe energia vital e desce energia extra-etérica. Dá forças

ao médium por 30 dias, conforme o dia da lua, pois possui a força da lua e também a força

do sol, sendo mais intensa a força da lua. A cruz do caminho é um trabalho de

energização. Ao participar de um trabalho como esse, você se ilumina interiormente, tem

força e prepara o seu sol interior e de uma lua para a outra você continua a receber toda

essa força que foi gerada”. (Tia Neiva)


49
FORMAÇÃO

Os Mestres Comandantes, as Falanges Missionárias e demais componentes do

Trabalho de Cruz do Caminho deverão se concentrar no Castelo do Silêncio. Buscando

mediunizarem-se para a boa realização do trabalho.

A Corte será composta na seguinte ordem:

2 Samaritanas, Magos e Nityamas;

2 Adjuntos: um será o Comandante tendo a sua direita o outro que será Ariano;

(ambos de capa);

Uma Ninfa Lua que será a Divina; (Tendo a sua direita a Yuricy que fará o 3º Sétimo,

seguida logo atrás, pela Yuricy que fará o Convite aos pacientes e corpo mediúnico para

reverência a Mãe Yemanjá);

2 Dharman-Oxinto que ficarão de honra e guarda da Divina; 2 Muruaicys, com a

missão de abrir e fechar o Portão;

2 Jaçanãs com a missão de colocar as morsas nos doutrinadores.

Obs.: Caso haja mais de duas missionárias de cada falange, as ninfas excedentes

ficarão de honra e guarda no fundo do Aledá.

No Castelo do Silêncio o Comandante convida os participantes para formarem o

cortejo (fora do Castelo). Após as missionárias da Corte, os Mestres Sol à direita dos

Mestres Lua e, caso haja Trino ou Adjunto Arcanos entre os participantes, deverão ficar à

frente dos Mestres logo atrás das missionárias.

Emitindo o Mantra de Yemanjá, (Hino da Mãe Yara) a jornada entra na parte

evangélica, contorna a Mesa e sobe no Aledá, onde param por alguns instantes. Neste

momento a Yuricy coloca as Atacas na Divina tendo o cuidado de colocar os grampos das

atacas no vestido da ninfa e não em seus mantos e golas. Em seguida entrega o manto

roxo ao Comandante que deverá pega-lo, virar-se para o Cristo da mesa Evangélica eleva- lo

acima de sua cabeça consagrando-o; virar-se para a Divina cobrindo-a com o manto.
50
Caso seja Necessário a Yuricy poderá ajudá-lo.

A seguir, a jornada prossegue em direção ao Radar, passa pelo Pai Seta Branca,

indo até o Oráculo.

Em frente ao Oráculo, ante o portão aberto, o Ariano segura suavemente a mão da

Divina e falam seguinte chave:

A minha Missão é o meu sacerdócio. Jesus está comigo!

Em seguida entram no Oráculo, a Divina senta-se na cadeira que será indicada pela

Franciscana, o Ariano fica em pé atrás Divina, os dois ficam mediunizando-se aguardando

a corte retornar para buscá-los.

Após a Divina e o Ariano entrarem no Oráculo, a jornada prossegue para o Castelo da

Cruz do Caminho.

A Corte para no portão, a Muruaicy abre o portão com sua emissão e chave e o

Comandante é o primeiro a adentrar, em seguida as Yuricys, as Dharmo-Oxinto e as

Jaçanãs, já tomando as suas posições.

A Corte permanece do lado de fora para buscar a Divina no Oráculo.

A Yuricy do Convite ascende as velas, verifica se a lei e a campainha estão na mesa,

e se posiciona ao lado direito do Comandante no Aledá e a outra ao lado esquerdo.

Assim que adentrar a Cruz do Caminho o Comandante para no centro da Seta em

frente ao portão e começa a distribuir os pares de Mestres: coloca os 2 primeiros pares na

Seta, na seguinte ordem: 1º um Jaguar Sol e Ninfa Lua; e 2º um Jaguar Lua e Ninfa Sol. O

Ajanã e a Ninfa Sol no fundo da Seta (o Doutrinador em frente ao Apará). Os demais,

alternadamente, à direita e à esquerda do Aledá, ou vice-versa.

A Yuricy do Convite caminha até o portão e pede a Muruaicy que abra o mesmo e do

lado de dentro do portão convida os pacientes para entrarem, tendo o cuidado de auxiliá-

los a sentarem-se caso tenham dificuldade.


51
Para a Seta deverá ser conduzido unicamente um paciente com dificuldade de

locomoção. Caso não haja este paciente especial, serão conduzidos o mínimo possível que

ficarão sentados. Os outros pacientes deverão ficar fora do Sanday, junto ao portão,

aguardando que a Yuricy os convide para entrar.

Depois de acomodados os pacientes as Jaçanãs colocam as morsas nos Mestres e

Ninfas Sol e voltam para o seu posto.

Yuricy do Convite sinaliza ao Comandante que tudo está pronto. O comandante toca

a campainha e a Corte de Samaritanas, Magos e Nityamas, parte para o Oráculo, a fim de

trazer a Divina. A Yuricy do 3.º Sétimo virada para a o Aledá cobre o rosto com o Manto

(véu roxo).

No Oráculo, o Ariano segura suavemente a mão da Divina e partem para a saída.

Chegando ao portão, viram-se para o Oráculo e emitem: Salve Deus! A minha missão é o

meu sacerdócio. Jesus está comigo. Em seguida saem, sendo conduzidos pela Corte em

direção à Cruz do Caminho.

INÍCIO DO RITUAL

O Comandante vai até o portão, recebe a Divina e a conduz até o Trono. As

Samaritanas ficam de honra e guarda do sal uma em frente à outra.

O Ariano se posiciona atrás da Divina, logo em seguida o comandante descruza as

Atacas e volta à sua posição no centro do Aledá e emite dando início a abertura trabalho.

Salve Deus! (Emissão). Ó, Simiromba, meu Pai! Na força do meu Terceiro Sétimo,

venho oferecer a energia magnética para a cura desobsessiva destes irmãos sentados à

minha frente. Ó, Jesus! Sinto a grandeza do Espírito da Verdade, sinto que o poder da força

absoluta, que vem de Deus Pai Todo Poderoso, vibra em nosso favor. Ministro (nome do

ministro do comandante)! Este é o nosso momento preciso de formarmos o nosso mantra

desobsessivo. Sinto que os poderes, silenciosamente, estão chegando. Somente tua

grandeza poderá distribuir toda a Luz desta manifestação! Concede-me, Jesus, esta graça
52
necessária a estes irmãos sentados à minha frente! Em nome do Pai, do Filho e do Espírito.

Neste instante, convido os mestres a cruzarem suas morsas para que a corrente magnética

animal encontre a base inicial deste poder iniciático. Em nome de Nosso Senhor Jesus

Cristo e de Deus Pai Todo Poderoso!

Neste momento, uma forte corrente magnética se manifesta nos Mestres Lua, porém

sem incorporações. Caso haja pacientes na Seta, os Mestres Lua lá postados incorporarão

seus Médicos de Cura silenciosamente. Os demais pares fazem o cruzamento das morsas

(o doutrinador eleva as mãos e o Apará faz o cruzamento à frente tendo o cuidado de não

tocar nas morsas). Após 3 minutos de manifestação da Corrente Magnética, o comandante

agradece, falando:

Graças a Deus!

A seguir o Comandante vai até a presença da Divina e faz o convite para a

incorporação de Mãe Yemanjá. Os participantes começam a emitir o Mantra de Mãe Yara

em voz baixa, para que o Canto do Terceiro Sétimo seja ouvido por todos.

A Yuricy que conduziu a Divina faz sua emissão e inicia a leitura do Terceiro Sétimo.

A outra Yuricy conduz os pacientes (iniciando pelo que se encontra na Seta, se

houver) para se servirem do sal e fazerem a reverência a Mãe Yemanjá. Caso haja

pacientes do lado de fora da Cruz do Caminho a Yuricy solicita abertura do portão e convida

os pacientes a entrarem e se servirem do sal e fazerem a reverencia a mãe Yemanjá em

seguida são conduzidas para fora novamente.

A Yuricy do convite, não deve deixar ninguém passar a sua frente, ela conduz todos

ao sal e os conduz aos lugares novamente.

Após os pacientes, são convidados os dois pares de Mestres que estão na Seta,

seguidos pelos pares de Mestres que se encontram no Aledá, alternadamente, à direita e à

esquerda, ou vice-versa (o Doutrinador sempre na frente do Apará).


53
A Yuricy deve começar o convite pelo lado que tem mais pares para que haja o

cruzamento de forças.

Logo em seguida as missionárias, primeiro as que estão em serviço e em seguida as

que estão no fundo do Aledá, farão a reverência.

Terminado o Canto do 3º Sétimo pela Yuricy, a mesma é conduzida a tomar o sal e

fazer a sua reverência a Mãe Yemanjá, seguida pela Yuricy do Convite. O Comandante troca

de lugar com o Ariano e este faz o uso do sal, faz a reverência e volta para sua posição. O

Comandante faz o uso do sal, faz a reverência a Mãe Yemanjá, em seguida agradece a

presença de Mãe Yemanjá e aguarda alguns instantes a desincorporação completa da

ninfa. Neste momento, após a desincorporação de Mãe Yemanjá, a Yuricy do Convite retira

o paciente ou os pacientes da Seta.

As Samaritanas assumem sua posição para servirem o vinho.

Em seguida o Comandante e o Ariano pegam nas mãos da Divina e a conduzem para

ser servida do vinho, na seguinte ordem:

Primeiro o Comandante e o Ariano, em seguida, a Divina auxiliada por eles é servida

ainda com o manto.. logo após as duas Yuricys (só depois de servida a Yuricy descobre

seu rosto), os dois pares que ficaram na Seta , as demais falanges missionárias e por último

as missionárias que ficaram no fundo do Aledá,

Ao se servirem do vinho, posicionam-se em frente ao portão, tendo à frente o

Comandante e o Ariano, seguidos da Yuricy e da Divina. Comandante retira o manto roxo e

a Yuricy retira as Atacas e as guarda na caixa.

Enquanto as missionárias tomam vinho, a Yuricy do convite vai apagando as velas

deixando a última para quando a segunda Samaritana tomar o vinho.

As missionárias, após tomarem o vinho, colocam-se na mesma ordem de entrada,

ficando os 2 pares de Mestres que trabalharam na Seta logo atrás.


54
As Samaritanas, concluindo o serviço do vinho, vão para a frente do cortejo, a

Muruaicy abre o Portão e inicia-se a jornada com a Corte saindo.

A Muruaicy fecha o portão e toma o seu lugar no cortejo, que segue passando pelo Pai

Seta Branca, circula a Mesa Evangélica, passa pelo Aledá, onde será retirado o manto da

Divina pelo Comandante e as atacas pela Yuricy Sol que a está conduzindo, a Corte segue

para o Castelo dos Devas, o Comandante faz um breve agradecimento e o trabalho está

encerrado.

PRISIONEIROS

Os mestres e ninfas que participarem deste trabalho na roupagem de prisioneiros

anotam 500 bônus.

OBSERVAÇÕES

Em reunião do Conselho de Trinos, em 28 de fevereiro de 2006, ficou estabelecido

que caberá ao Comandante a escolha dos pares que ocuparão a Seta da Cruz do Caminho,

não havendo qualquer prioridade por ordem de chegada.

Conforme a Unificação dos Trabalhos dos Templos do Amanhecer - Realinhamento

– Deve-se tirar as atacas da Divina dentro da Cruz do Caminho depois que a Divina tomar

o vinho. Como existe duas interpretações para esse procedimento sugerimos que as Ninfas

Yuricys se adequem ao comando do Adjunto Presidente.

Cabe ao Adjunto Presidente orientar qual o mínimo de pacientes será colocado na

Cruz do Caminho, pois cada templo dispõe de um espaço específico. Caberá ao presidente

também decidir se as morsas devem ser colocados nos mestres sol antes ou depois da

entrada dos pacientes pois como dissemos cada templo dispõe de um espaço. O trabalho

foi escrito conforme livro de Leis e a Unificação dos Trabalhos dos Templos do Amanhecer

– Realinhamento.
55
Observações à Yuricy Sol que fará o Terceiro Sétimo

A Yuricy que fará o Terceiro Sétimo deve ter uma boa dicção e lê-lo num tom um

pouco mais alto, com firmeza e sintonia, porém, pausadamente. E sem forçar a voz, deve

fazer-se ouvir por todos dentro da Cruz do Caminho, para que as forças se movimentem e

alcancem o objetivo de cura e libertação deste grandioso trabalho.

Se por ventura a missionária não dispor de uma boa leitura e dicção é melhor que não

se escale para esta posição do trabalho. Entretanto, nada a impede de junto a seus

mentores e ao Grandioso Ministro Yuricy que nos rege, preparar-se e avinhar-se para esta

posição do trabalho, e tão logo esteja pronta, a assuma em suas escalas. Devemos

conhecer a nós mesmos e saber das nossas limitações, despindo nosso espírito de

qualquer vaidade.

Minhas irmãs! Salve Deus ! Não é fácil fazer o Terceiro Sétimo decorado, mas o Pai

Nosso sim. Ao fazer o Pai Nosso busque em cada emissão a oportunidade de mentalizar

tudo o que quer alcançar na realização deste grandioso trabalho, lembrando que estamos

na lei do auxílio e devemos dar sem receber e receber distribuindo.

Observações à Yuricy Sol que fará o Convite

A Yuricy que fará o Convite deverá começar seu trabalho de convite aos mestres e

pacientes, caso tenha, no momento em que a outra Yuricy começar a ler o Terceiro Sétimo.

Deverá ficar atenta, pois o Terceiro Sétimo nunca pode terminar antes que todos os pares

façam reverência à Mãe Yemanjá. Ela não deve fazer o convite apressadamente,

lembrando-se sempre, que quando se convida um mestre e uma ninfa, os mentores da

individualidade deles também são convidados. Deve-se convidar da seguinte forma: Salve

Deus mestre doutrinador! Salve Deus ninfa lua! Salve Deus ninfa doutrinadora! Salve

Deus mestre Lua! Assim sendo, a Yuricy do Convite, conduzirá o mestre, a ninfa e os

mentores que os regem à presença de Nossa Mãe Yemanjá, para que juntos recebam suas

bênçãos e seus eflúvios luminosos.


56
Educação, elegância e respeito são deveres imprescindíveis à missionária escalada

para esta posição do trabalho.

A Yuricy escalada para esta posição deve previamente observar se há velas no

castiçal e se as mesmas são suficientes para ficarem acesas durante o trabalho, se há

fósforo para ascender as velas, e verificar também, se o livro do Terceiro Sétimo está no

Aledá. Deve deixar o manto roxo junto ao livro de Terceiro Sétimo e observar se há sal

suficiente para realização do trabalho. Isso deve ser feito antes da consagração do vinho

pelas Samaritanas.

A ninfa lua que for incorporar a Divina poderá estar vestida com indumentária de

falange missionária ou não, contando que esteja de pente e luvas.

MÃE YARA MÃE YEMANJÁ


57
TERCEIRO SÉTIMO DOS TRÊS CAVALEIROS DA LUZ

PRINCESA JUREMA

PRIMEIRO DO TERCEIRO SÉTIMO

ANODAY: Ó, Simiromba dos Mundos Encantados! Ó, Simiromba, meu Pai! Conceda-


me a graça deste Anodaê, de humildade, tolerância e amor, que irá impregnar todo o meu
ser!
Ó, Jesus Divino e Amado Mestre! Conceda-me a graça deste Anodaê, que na Tua
mão bendita a minha alma, aflita, Te implora perdão. São os males, Jesus, que restam em
mim. Pela dor que sinto, suplico a Ti esta graça, que no meu peito inflama e me dilacera a
alma. Ouve, Jesus! Sinto que os meus ais não têm ouvido na melodia universal, não se unem
as pérolas, deixando-me em ânsias de medo. Sinto a candeia em que se esvai o azeite,
deixando escura minha pobre visão. E as estrelas, silenciosamente, me abandonam, ó,
Jesus, e, em vez, enfeitam a grinalda dos meus pesares, minha paixão, sem que eu me dê
conta na minha consciência. Não saberei libertar-me sem a Tua misericórdia, sem a Tua
compaixão... Salve Deus!
Pai Nosso que estás no Céu e em toda parte,
Santificado seja o Teu Santo Nome,
Venha a nós o Teu Reino e seja feita a Tua vontade,
Assim na Terra como nos círculos espirituais!
O pão nosso de cada dia dá-nos hoje, Senhor
E perdoa as nossas dívidas
Se nós perdoarmos os nossos devedores...
Não nos deixes cair em tentação e livra-nos do Mal,
Porque só em Ti brilha a Luz Eterna,
A Luz do Reino e da Glória dos séculos sem fim!
ANODAI: Ó, Simiromba, meu Pai! Me consagre e me ionize de todo e qualquer mal!
Em nome do Pai, do Filho e do Espírito, Salve Deus!
58

PRINCESA JANAÍNA 1

SEGUNDO DO TERCEIRO SÉTIMO


ANODAY: Ó, Simiromba dos Mundos Encantados! Ó, Simiromba, meu Pai! Conceda-
me a graça deste Anodaê, de humildade, tolerância e amor, que irá impregnar todo o meu
ser!
Ó, Divina Estrela do Céu, meu Pai Simiromba! Ó, Jesus, este é o segundo Terceiro
Sétimo que aqui Te venho pedir pela obscuridade de minha alma. Porque, Jesus, meus
desejos se confundem, na desarmonia que ora sinto ao meu redor. Somente a Tua
grandeza poderá arrebatar o desencanto que vive em mim! Neste momento difícil de minha
vida, Jesus, sinto que o meu canto se esvai na doce prece universal. Sinto a revelação da
vida eterna, mas não vejo a cura material dos poderes físicos do Caminheiro, na presença
dos Três Cavaleiros da Luz, do Povo de Aruanda, do Povo de Cachoeira, do Povo de
Oxosse, a pureza de Yemanjá! Oxalá! Olorum! Obatalá! Ouçam, Ministros de Deus, os
meus ais... Salve Deus!
Pai Nosso que estás no Céu e em toda parte,
Santificado seja o Teu Santo Nome,
Venha a nós o Teu Reino e seja feita a Tua vontade,
Assim na Terra como nos círculos espirituais!
O pão nosso de cada dia dá-nos hoje, Senhor,
E perdoa as nossas dívidas
Se nós perdoarmos os nossos devedores...
Não nos deixes cair em tentação e livra-nos do Mal,
Porque só em Ti brilha a Luz Eterna,
A Luz do Reino e da Glória dos séculos sem fim!
ANODAI: Ó, Simiromba, meu Pai! Me consagre e me ionize de todo e qualquer
mal! Em nome do Pai, do Filho e do Espírito, Salve Deus!
59

PRINCESA IRACEMA

TERCEIRO DO TERCEIRO SÉTIMO

ANODAY: Ó, Simiromba dos Mundos Encantados! Ó, Simiromba, meu Pai! Conceda-


me a graça deste Anodaê, de humildade, tolerância e amor, que irá impregnar todo o meu
ser!
Ó, Simiromba, meu Pai! Ouve os meus rogos neste meu terceiro do Terceiro Sétimo.
Divino Mestre Jesus, conceda-me o poder desta graça tão necessária à minha evolução!
Não permitas que forças negativas desviem meus pensamentos, tirando-me esta feliz
oportunidade de realização nos meus caminhos terrestres. Dá-me, Senhor, esta graça!
Conceda-me este Anodaê, porque só Tu poderás libertar-me! Jesus, sei que o meu
sofrimento não está tão somente na imperfeição do meu passado e, sim, movendo- me em
direção do meu futuro. Cavaleiros da Luz, tende piedade de mim! Cavaleiros de Deus, ouvi
os meu rogos!... Salve Deus!
Pai Nosso que estás no Céu e em toda parte,
Santificado seja o Teu Santo Nome,
Venha a nós o Teu Reino e seja feita a Tua vontade,
Assim na Terra como nos círculos espirituais!
O pão nosso de cada dia dá-nos hoje, Senhor,
E perdoa as nossas dívidas
Se nós perdoarmos os nossos devedores...
Não nos deixes cair em tentação e livra-nos do Mal,
Porque só em Ti brilha a Luz Eterna,
A Luz do Reino e da Glória dos séculos sem fim!
ANODAI: Ó, Simiromba, meu Pai! Me consagre e me ionize de todo e qualquer mal!
Em nome do Pai, do Filho e do Espírito, Salve Deus!
60

PRINCESA JANDAIA

QUARTO DO TERCEIRO SÉTIMO

ANODAY: Ó, Simiromba dos Mundos Encantados! Ó, Simiromba, meu Pai! Conceda-


me a graça deste Anodaê, de humildade, tolerância e amor, que irá impregnar todo o meu
ser!
Ó, Jesus! Ó, Simiromba, meu Pai! Este é o meu quarto Terceiro Sétimo, em que Te
venho mais uma vez pedir clemência desta minha paixão! Não tenho medo da noite na
contagem das estrelas... Sopra o vento da despedida; emite, em seu ventre, o Sol e a Lua,
trazendo-me nova melodia universal. Que estremeça, ó, Jesus, a tempestade da Vida e da
Morte! Faze-me sentir o contato de Tuas mãos, de Tua verdadeira Luz! Tira o temor do meu
coração... Retira este véu negro que cobre o meu rosto... Ouve, Senhor, os meus gemidos,
pela tormenta que os meus conflitos proporcionam. Ouve, Jesus, os meus ais!... Salve
Deus!
Pai Nosso que estás no Céu e em toda parte,
Santificado seja o Teu Santo Nome,
Venha a nós o Teu Reino e seja feita a Tua vontade,
Assim na Terra como nos círculos espirituais!
O pão nosso de cada dia dá-nos hoje, Senhor,
E perdoa as nossas dívidas
Se nós perdoarmos os nossos devedores...
Não nos deixes cair em tentação e livra-nos do Mal,
Porque só em Ti brilha a Luz Eterna,
A Luz do Reino e da Glória dos séculos sem fim!
ANODAI: Ó, Simiromba, meu Pai! Me consagre e me ionize de todo e qualquer mal!
Em nome do Pai, do Filho e do Espírito, Salve Deus!
61

PRINCESA JUREMÁ

QUINTO DO TERCEIRO SÉTIMO


ANODAY: Ó, Simiromba dos Mundos Encantados! Ó, Simiromba, meu Pai! Conceda-
me a graça deste Anodaê, de humildade, tolerância e amor, que irá impregnar todo o meu
ser!
Ó, Simiromba, meu Pai, conceda-me esta quinta graça do meu Terceiro Sétimo!
Salve Deus! Ó, Jesus, Divino e Amado Mestre, ouve o que diz minha alma! Continuo
caminhando, na esperança de Te encontrar e obter minha graça pela Tua misericórdia.
Envia os Três Cavaleiros da Luz! A peleja é longa e requer paciência, sendo que não
podemos vencer sem grande esforço. Porém, minhas forças se esvaem e os meus olhos
estão sem luz!... Choram comigo os meus irmãos e desejam, também, tua firmeza, teu
amor. As pérolas da Lua e do Sol caem sobre o meu corpo e fortalecem o meu plexo, e
minha alma transbordará se Teu olhar me vier... Ó, Jesus, este dia termina, o meu dia
terminou... Eu me elevo a Ti e todo nevoeiro se esvai! Salve Deus!
Pai Nosso que estás no Céu e em toda parte, Santificado seja o Teu Santo Nome,
Venha a nós o Teu Reino e seja feita a Tua vontade, Assim na Terra como nos
círculos espirituais!
O pão nosso de cada dia dá-nos hoje, Senhor,
E perdoa as nossas dívidas
Se nós perdoarmos os nossos devedores...
Não nos deixes cair em tentação e livra-nos do Mal,
Porque só em Ti brilha a Luz Eterna,
A Luz do Reino e da Glória dos séculos sem fim!
ANODAI: Ó, Simiromba, meu Pai! Me consagre e me ionize de todo e qualquer
mal! Em nome do Pai, do Filho e do Espírito, Salve Deus!
62

PRINCESA JANARA

SEXTO DO TERCEIRO SÉTIMO

ANODAY: Ó, Simiromba dos Mundos Encantados! Ó, Simiromba, meu Pai! Conceda-


me a graça deste Anodaê, de humildade, tolerância e amor, que irá impregnar todo o meu
ser!
Ó, Simiromba, meu Pai! Venho no sexto do meu Terceiro Sétimo pedir mais uma vez
a Tua misericórdia! Ó, Jesus, esta é a noite obscura de minha alma!... Teu filho (ou tua
filha), um espírito Te quer falar... Sou aquele (ou aquela) que fala e cala quando deve...
Porque, Senhor, Tu me conheces como o oceano conhece sua profundeza e o espaço
conhece sua extensão. Só Deus conhece Deus, em sua figura simples hieroglífica! Venho Te
pedir a realização por quem suspiro, por quem tanto quero a realização, ó, Jesus, dos meus
desejos, das minhas necessidades nos meus caminhos materiais... Cavaleiros da Luz,
cultivai esta simplicidade que, em Cristo Jesus, vos peço! Salve Deus!
Pai Nosso que estás no Céu e em toda parte,
Santificado seja o Teu Santo Nome,
Venha a nós o Teu Reino e seja feita a Tua vontade,
Assim na Terra como nos círculos espirituais!
O pão nosso de cada dia dá-nos hoje, Senhor,
E perdoa as nossas dívidas
Se nós perdoarmos os nossos devedores...
Não nos deixes cair em tentação e livra-nos do Mal,
Porque só em Ti brilha a Luz Eterna,
A Luz do Reino e da Glória dos séculos sem fim!
ANODAI: Ó, Simiromba, meu Pai! Me consagre e me ionize de todo e qualquer
mal! Em nome do Pai, do Filho e do Espírito, Salve Deus!
63

PRINCESA IRAMAR

SÉTIMO DO TERCEIRO SÉTIMO

ANODAY: Ó, Simiromba dos Mundos Encantados! Ó, Simiromba, meu pai! Conceda-


me a graça deste Anodaê, de humildade, tolerância e amor, que irá impregnar todo o meu
ser!
Ó, Simiromba, meu Pai! Este é o meu Terceiro Sétimo. É tudo, meu Pai, que Te
revelei e o que não pude revelar nestas mensagens. Sei, Jesus, que esta dor vem para me
despertar em Ti. Porém, perdoa-me! Sou fraco nesta carne dolorida pelos temporais que
nestes carreiros terrestres se esvaem... Jesus, consola-me a serpente que criastes: má na
força vital, porém significativa. As luzes que sinto nesta concentração são forças dos
poderes absolutos que vêm ao meu encontro! Ó, Pai, minha alma não teme diante da
tempestade, porém meu plexo físico caminha com ela. Quando se dissolver o turbilhão de
minha parcela, este olhar triste que Te implora, verás onde pus meu coração... A hora em
que puder dizer: bendita escuridão, que venci todas as trevas de minha triste insatisfação,
que me fez encontrar comigo mesmo, porque a voz de Deus se fez ouvir em mim,
prescrevendo este pecado e devolveu o meu amor. “Eu sou a Verdade, o Caminho e a Vida!”
Assim nos dissestes, Jesus querido, e cumpristes. Contigo caminhei e recebi a verdade.
Materializastes o meu sonho, porque continuo em Teu caminho!
Salve deus!
Salve o Povo da Cachoeira! Salve o Povo de Aruanda! Salve o Povo das Matas!
Salve os Cavaleiros de Oxosse! Salve os Caboclos da Mata!
Salve as Princesas do Mar! Salve os Ministros de Deus: Olorum, Oxum, Oxalá,
Obatalá!

No termo deste meu Terceiro Sétimo, peço a divina proteção dos Senhores destes
Sétimos. Cavaleiros da Luz, que tenham compaixão!..
Pai Nosso que estás no Céu e em toda parte,
64
Santificado seja o Teu Santo Nome,
Venha a nós o Teu Reino e seja feita a Tua vontade,
Assim na Terra como nos círculos espirituais!
O pão nosso de cada dia dá-nos hoje, Senhor,
E perdoa as nossas dívidas
Se nós perdoarmos os nossos devedores...
Não nos deixes cair em tentação e livra-nos do Mal,
Porque só em Ti brilha a Luz Eterna,
A Luz do Reino e da Glória dos séculos sem fim!
ANODAI: Ó, Simiromba, meu Pai! Me consagre e me ionize de todo e qualquer
mal! Em nome do pai, do filho e do espírito, Salve Deus!
65
OS TRÊS CAVALEIROS DA LUZ
Os três Cavaleiros da Luz são Cavaleiros que representam o Trino de Ireshin que
movimenta a linha do Reino Central, a Raiz do Amanhecer, em benefício da nossa
individualidade, das dificuldades, em nossos caminhos materiais, na força do Sol (Anodai)
e da Lua (Anoday). Os três Cavaleiros aqui invocados são os Cavaleiros da lança Verde,
Lilás e Vermelha (LIVRO TERCEIRO SÉTIMO DOS TRÊS CAVALEIROS DAS LUZ)

Cavaleiro Faleiro Verde 1.º Cavaleiro Lança Vermelha 1.º Cavaleiro Lança Lilás

Nota - Segundo o Mestre Vilela – pintor oficial das entidades do Vale do Amanhecer-,
O Cavaleiro Verde é uma entidade da individualidade de cada mestre, como ele compõe os
três Cavaleiros da luz para representá-lo colocamos a foto do Cavaleiro do Adjunto Yuricy
Mestre Edelves - Cavaleiro Faleiro Verde.
66
ESTRELA SUBLIMAÇÃO OU ESTRELA DE NERHU
A Estrela de Nerhú ou Estrela Sublimação é fonte de energia da transição para uma
nova era e, com a Estrela Candente e o Turigano, formam a perfeita simetria que completou
a triangulação de forças dos Grandes Iniciados.
Traz toda uma nova energia espiritual, espíritos que formaram uma civilização super
avançada, e que, com o tempo, nos trarão grandes inovações. Foi ela quem guiou os Magos
do Oriente quando no nascimento de Jesus, o marco daquela era, o II Milênio.
Nerhú foi um grande sacerdote do Antigo Egito que conseguiu unir e cruzar essas
forças, em trabalho de grande precisão, no qual se purificavam e reforçavam as forças dos
sacerdotes do Templo de Karnak, onde está o Oráculo de Amon-Rá, quando o nível de
impregnação, pelas cargas negativas do povo que se reunia ao redor do Templo, chegava
a altos níveis.
Tia Neiva fez grande preparação para implantar este trabalho. Houve, até, uma
Estrela Candente especialmente montada, com a troca de lugares dos mestres e ninfas, com
os Aparás ocupando os esquifes e os Doutrinadores nos projetores Lua e nos banquinhos,
junto aos esquifes.
Agora, sua força se faz presente para nos guiar para o III Milênio, no cruzamento das
forças das Estrelas. Regida pelos Grandes Arcanos, é um trabalho preciso e exige harmonia
e concentração de quem dele participa.
O Ministro Eganaro é o responsável por toda a harmonização e manipulação dos
raios das Estrelas e das pesadas cargas das Esmênias.
O Ajanã que representa o Ministro Eganaro deve ser Vancares, para ter condições
de manipular as forças do ritual, conduzindo os raios que chegam para seus projetores na
medida ideal e necessária ao perfeito cruzamento destas mesmas forças, operando durante
todo o ritual como um estabilizador de forças, distribuindo-as de acordo com o potencial de
cada um dos respectivos representantes das Estrelas que estão projetando seus raios:
Gairo, Agamor, Agero, Enuro, Nezaro e Riva. Ali se faz presente o próprio Pai Seta Branca,
manipulando o conjunto de forças. Pelo elevado grau de forças envolvidas no trabalho, é
exigida a máxima concentração de todos os seus participantes.
67

Com seu ritual contido no Livro de Leis, as observações se dirigem às ninfas que vão
ser Esmênias, que representam as virgens que eram sacrificadas, cujos gritos de pavor
diante da morte liberavam a energia necessária para a realização dos fenômenos que, à
época, ocorriam. As ninfas se concentram no Turigano, com seus mestres, portando suas
lanças.
No momento em que o trabalho é aberto, na Estrela Sublimação, também se abre o
canal de força no Turigano, e as forças de que elas serão portadoras começam a ser
manipuladas no Plano Espiritual. É um momento perigoso, pois são forças das quais não
temos a menor noção, e as ninfas e mestres devem manter-se concentrados e em
harmonia, evitando falar, movimentar-se e, principalmente, fumar.
Não devem, inclusive, mentalizar lugares ou pessoas, mas, somente, seus Mentores.
Os Núbios eram um povo ao qual eram entregues, no Antigo Egito, diversas tarefas
de confiança, formando uma classe acima dos escravos. Trabalhavam nos templos, nos
palácios.
No Templo de Karnak haviam cerimônias em que nove Núbios carregavam um andor
onde estava o Deus Velado, Amon-Rá, onde se originou a denominação de Santo Nono.
(Fonte TUMARÃ)
• “A partir de agora, vamos adquirir uma linha de cultura para um trabalho de alta
precisão, que é o trabalho da Estrela de Nerhú, a Iniciação dos Arcanos.
Ela vem com forças que vão além do nosso interoceptível em termos de
receptividade, e vocês vão se colocar em condições de executarem este trabalho de
precisão.
Se começarmos a assimilar esta cultura para esta nova fase, se criarmos esta
consciência e procurarmos entender a grandiosidade do transcendente que somos, então
não há problema de estarmos à altura do trabalho a ser realizado.
A convicção íntima e a conscientização deverão acompanhar o Jaguar,
permanentemente, em suas vidas.
Estamos, agora, entrando diretamente na força iniciática do Vale dos Reis.

A partir do momento em que você for credenciado para a Estrela Testemunha, você
passa a receber algo mais em seu Interoceptível além das suas heranças naturais.”
(Trino TUMUCHY – “Curso sobre as Estrelas”)
68
FORMAÇÃO
Na Estrela Sublimação são escaladas duas Yuricys Sol que posicionam-se ao lado
direito do mestre representante do Trino Tumuchy. A Yuricy que fará a emissão e canto
posiciona-se ao lado direito do mestre representante do Trino Tumuchy e a outra Yuricy com
a morsa do mestre Vancares em seu braço esquerdo, posiciona-se à direita da Yuricy que
fará emissão e canto. A Yuricy da Morsa Representa a madrinha do comandante da Estrela
Sublimação.
Quando terminar sua emissão e canto, a Yuricy posiciona-se atrás da Corte de
Nityamas, tendo a ninfa Dharmo Oxinto a sua esquerda. A Yuricy com a morsa ficará logo
atrás, tendo o Ajanã que representa o padrinho também a sua esquerda.
Quando a corte chegar diante do mestre Vancares, representante do Ministro
Eganaro, a ninfa sol que o acompanha desce do projetor e a Yuricy com a morsa sobe,
colocando-a no Ajanã Vancares, entre o pescoço e a aba da capa. Após colocar a morsa a
Yuricy desce, a ninfa sol sobe novamente e então os quatro (ninfa Yuricy que fez emissão
e canto, ninfa Dharmo Oxinto, ninfa Yuricy que conduziu a morsa e mestre Ajanã que
representa o padrinho) abrem o plexo para a emissão e canto do Mestre Vancares (os
quatro devem fazer uma meia lua em frente ao projetor). Ao terminar a emissão e canto o
Ajanã Vancares e sua ninfa entram na corte atrás da Yuricy que conduziu a morsa e do
padrinho. Ao se aproximarem do mestre Sol Tumuchy, a ninfa Yuricy que fez emissão e
canto, tendo a sua esquerda a ninfa Dharmo Oxinto, segue com a Corte de Nityamas. A
Yuricy que conduziu a morsa e o Ajanã padrinho voltam para os seus devidos lugares. A
ninfa Yuricy com a Dharmo Oxinto irão continuar o cortejo e levarão o Ajanã Vancares
novamente ao projetor assim que terminar sua preparação.
Quando o Santo Nono entrar na Estrela Sublimação e a Corte de Nityamas se
aproximar das Yuricys, a Yuricy que fez emissão e canto entrará no fim da Corte de
Nityamas junto com a Dharmo Oxinto, para juntas servirem o vinho. O vinho ficará com a
Yuricy e as taças com a Dharmo Oxinto.
O vinho deve ser servido apenas aos nove pares que compõem o Santo Nono. A
Yuricy deve controlar para que o vinho seja suficiente e que não sobre nada.
Ao terminarem de servir o vinho, a Dharmo Oxinto e a Yuricy voltam para seus
lugares.
No fim do Ritual quando o Ajanã Vancares passar em frente as Yuricys, a Yuricy que
conduziu a morsa deve retirá-la rapidamente para não atrasar o ritual. Então, as duas
Yuricys entram no fim da corte de Ajanãs a frente das Dharmo Oxinto. Antes de saírem da
Estrela Sublimação, a Yuricy que conduziu a morsa, a entrega as Samaritanas. Juntas as
69
Yuricys do canto e da morsa seguem para a saída do portão. Feito isso, está acabado o
ritual.
As Yuricys escaladas devem ficar de pé durante a emissão do Comandante e dos
Representantes dos Trinos, devendo sentarem-se somente depois de buscarem o mestre
Vancares e levá-lo novamente ao projetor Eganaro. As Yuricys devem evitar conversas
paralelas para não atrapalharem o Comandante que está lendo a lei.

Concentração das Esmênias


no Turigano.

Yuricy da emissão e canto,


tendo a sua esquerda a Yuricy
da Morsa do Mestre Vancares.
70

Yuricy Sol fazendo sua emissão


e o Canto da Falange, Canto da
Yuricy Sol.

Cortejo para buscar o Mestre


Ajanã Vancares

Emissão e Canto do Mestre


Vancares – deve-se formar
uma meia lua–da esquerda
para direita – Dharmo-
Oxinto, Yuricy do Canto,
Ajanã Padrinho e Yuricy
Madrinha.
71

Retorno do Mestre Vancares ao


projetor levado pelo Mestre
Tumuchy, a ninfa sol que o
acompanha, a Yuricy e a
Dharman-Oxinto. Todos
conduzidos pela corte de
Nityamas.

Cortejo do Mestre
Vancares aos três Trinos
para a Consagração.
72
TURIGANO
SALVE DEUS!
MEU FILHO JAGUAR:
NOS DIZ AMANTO QUE AS ANTIGAS TRIBOS TINHAM SUAS
SUPERSTIÇÕES OU CRENÇAS. ANTES DE PARTIREM PARA UMA BATALHA
FICAVAM EM VOLTA DA CHAMA DA VIDA, INVOCANDO OS CAVALEIROS DAS
NUVENS, MANDADOS PELO GRANDE DEUS APOLO, QUE VIVIA NO TEMPLO DE
DELFOS. E DURANTE O TEMPO EM QUE PERMANECIAM NA GUERRA, OS REIS
MANDAVAM AS MULHERES LEVAREM SUAS OFERENDAS AO DEUS APOLO.
SOMENTE ESPARTA FICAVA DESAMPARADA, ESTAVA EXCLUÍDA DESTA
PROTEÇÃO. ENTÃO, A VISITA DE PYTIA A LEÔNIDAS, NÃO ERA SOMENTE O AMOR
E A CARIDADE PELA RAINHA EXILADA, E SIM, TODO ESTE ACERVO DO FENÔMENO
DOS TAMBORES, QUE FEZ TODA A ESPARTA RESPEITAR O DEUS APOLO.
TANTO QUE LEÔNIDAS ENTREGOU TODO O SEU POVO NAS MÃOS DE PYTIA
PARA PROTEGER ESTA DINASTIA. DEUS PORÉM MOSTROU A LEÔNIDAS QUE A
SUA VONTADE TÃO SOMENTE, NÃO IMPEDIA OS DESÍGNIOS DAQUELA RAINHA.
ENQUANTO LEÔNIDAS PARTIA COM AS SUAS TROPAS PROTETORAS, JÁ
ACONTECIA O GRANDE DESASTRE A FORÇA CONTRÁRIA JÁ ESTAVA ESCONDIDA
E NÃO SE SABE O QUE FOI FEITO DA RAINHA EXILADA. LEÔNIDAS AFLITO FOI SE
EXPLICAR À SACERDOTISA, TEMENDO SER RECRIMINADO POR ELA. E FICOU
ESTARRECIDO COM AQUELA MULHER ELA ERA REALMENTE ALGO DISTANTE DO
SEU ALCANCE E DE SUA TIRANIA E ESPIRITUALIZOU TODA A SUA TRIBO. E OS
SOLDADOS VOLTARAM TODOS. EIS PORQUE PAI SETA BRANCA AFIRMOU ENTRE
NÓS O TURIGANO. CADA VEZ QUE UM MESTRE ADJUNTO REPRESENTANTE DO
REINO CENTRAL ABRE O SEU PLEXO NO TURIGANO, E BUSCA O CAMINHO VERDE
DA REGÊNCIA DO CAVALEIRO ESPECIAL, HAVERÁ O FENÔMENO FÍSICO DO OURO
E DA PRATA.
EIS PORQUE O PAI SETA BRANCA DESEJA QUE TODOS OS DOMINGOS, SEJA
REALIZADO ESTE TRABALHO, PARA QUE OS SEUS FILHOS PARTAM TENDO TODA
A PROTEÇÃO DESTE AMANHECER.
É, REALMENTE.
73
TIA NEIVA
NOTA: SÓ QUEM PODERÁ FAZER ESTE TRABALHO É O CAVALEIROESPECIAL
CONSAGRADO NESTE AMANHECER, QUE TEM OS MISTÉRIOS DE PYTIA QUE VIVEU
AS HERANÇAS TRANSCENDENTAIS DO DELTA DONILO.
TIA NEIVA
VALE DO AMANHECER, 21 DE OUTUBRO DE 1984
(Fonte: Livro leis e Chaves Ritualísticas)

FORMAÇÃO
Para o ritual de Turigano serão escaladas três Yuricys Sol e cinco Yuricys Lua. Uma
Yuricy Sol para fazer emissão e canto do Ritual (Canto O Pão Nosso de Cada Dia, feito
somente no trabalho de Turigano) e cronometrar o tempo de incorporação dos Ajanãs na
Cassandra do Ministro.
Uma Yuricy Sol para fazer emissão e canto da falange (Canto da Yuricy Sol).
Uma Yuricy Sol para colocar as Atacas e Mantos nas ninfas lua que irão incorporar Mãe
Yemanjá e Mãe Yara.
Cinco Yuricys Luas que irão representar Pytia conforme descrito no ritual.
Vamos descrever aqui somente o trabalho das Yuricys, pedimos que a ninfa escalada
tenha noção de todo o ritual e compreenda que se atrasar a sua parte, atrasará todas as
outras falanges.
ORIENTAÇÕES À YURICY QUE FARÁ O CANTO DO RITUAL DE TURIGANO E
CRONOMETRAGEM DO TEMPLO
Canto da Yuricy no Turigano, O Pão Nosso de Cada Dia, feito somente no trabalho de
Turigano:
O PÃO NOSSO DE CADA DIA SALVE DEUS!
OH JESUS!
NESTE INSTANTE PISO O SOLO DO TURIGANO, FAZENDO PRESENTE NO
SANTUÁRIO DE DELFOS, O DEUS APOLO UNIFICADO EM DEUS PAI TODO
PODEROSO.
DEUS APOLO! DELFOS!
PODERES ENCANTADOS QUE ME ENVOLVERAM ATÉ AQUI, PARA ALCANÇAR
A NOVA ERA. É O PÃO NOSSO DE CADA DIA, GRANDEZA INFINITA DESTE
AMANHECER!
FAZE COM QUE EU SEJA O JAGUAR MEDIANEIRO DA CONQUISTA
UNIVERSAL. DAI-NOS SENHOR, O PODER DA MENTE E DO CENTRO NERVOSO QUE
74
É A MISERICÓRDIA DE TE CONHECER EM DEUS PAI TODO PODEROSO.
PARTO COM – 0 – / / EM CRISTO JESUS. SALVE DEUS!
A Yuricy que faz o canto do Ritual do Turigano deve atentar-se para a hora que as
Samaritanas buscam o padrinho, mestre Ajanã que está sentado na Via Sagrada junto a
ninfa sol. Quando o Ajanã chegar perto da Chama da Vida, a Yuricy deve levantar-se, abrir
a Cassandra e permanecer do lado direito dela.
O Ajanã deverá entrar na Cassandra, permanecendo em pé de frente para o Reino
Central e a ninfa sol que o acompanha, posiciona-se do lado de fora da Cassandra, à
esquerda, com o manto roxo na mão.
Assim que o coordenador do ritual autorizar, o Ajanã faz sua emissão e o canto do
ritual.
Ao terminar o canto do Ajanã, a Yuricy encaminha-se para debaixo do Arco da
entrada da Via Sagrada faz sua emissão e o Canto da Yuricy no Turigano, invocando com
muita sintonia, amor, firmeza e segurança as energias necessárias para a perfeita
realização deste ritual. Volta para a Cassandra e serve o vinho ao Ajanã conforme o ritual (
pega a taça traz ao plexo, a levanta acima da cabeça, a desce ao plexo novamente e a eleva
próximo aos lábios dando um suave sopro). Em seguida a entrega ao Ajanã, que fará a
chave do vinho antes de tomá-lo. Posteriormente, a Yuricy pedirá que a ninfa sol
acompanhante do Ajanã, o cubra com o manto roxo, abra o plexo, faça o Pai Nosso do Vale
do Amanhecer e faça o convite ao Ministro responsável por este ritual (deve- se ter em
mãos o convite e o agradecimento para auxiliar as ninfas acompanhantes dos Ajanãs).
A Yuricy fecha a Cassandra, senta-se ao lado direito dela e marca o tempo que o
Ajanã ficará incorporado conforme orientação do coordenador. A ninfa sol senta- se do lado
esquerdo da Cassandra.
Assim que acabar o tempo de incorporação, a Yuricy fica de pé, chama a ninfa sol,
abre a Cassandra e pede a ela que faça o agradecimento ao Ministro incorporado. A ninfa
sol retira o manto do Ajanã. O Ajanã retira-se da Cassandra do Ministro e ambos, ninfa sol
e Ajanã, passam por dentro do Arco da entrada da Via Sagrada e sentam-se próximo aos
outros Ajanãs e ninfas sol.
Assim que o primeiro Ajanã sair da Cassandra, deve-se ter um outro par de Ajanã e
ninfa sol para substitui-lo. Os próximos Ajanãs que entrarem na cabine, fazem somente
suas emissões e aguardam a Samaritana para tomarem o vinho servido pela Yuricy
conforme o ritual já descrito anteriormente, e repete o procedimento de incorporação.
Serão sete incorporações e sete emissões. Entretanto, em alguns templos o
presidente autoriza que se realize o trabalho com o mínimo de quatro Ajanãs. Caso não
75
tenham os sete Ajanãs, pode-se repetir o Ajanã, começando pelo que representa o
padrinho, seguido pelo próximo da fila, respeitando-se a ordem de incorporação já
realizada. O Ajanã fará a emissão e tomará o vinho todas as vezes que entrar na cabala.
Repetindo-se o procedimento do ritual do vinho pela Yuricy, e o procedimento da ninfa sol
que acompanha o Ajanã que cobrirá o seu rosto com o véu roxo, abrirá o plexo fará o pai
nosso e o convite ao ministro. (A necessidade de se repetir o Ajanã durante a incorporação
do Ministro será determinada pelo Adjunto Presidente e pelo coordenador do trabalho,
cabendo a Yuricy respeitar as ordens recebidas.).
O tempo de incorporação de cada Ajanã também varia de acordo com o trabalho dos
coordenadores. Alguns entendem que devemos deixar os primeiros Ajanãs incorporados
por 15 minutos e depois descontar o tempo que falta nas últimas incorporações. Outros
dividem o tempo de incorporação para cada Ajanã ,de acordo com número de ninfas que
emitirão na corte das falanges missionárias, cerca de 10 a 12 minutos para cada
incorporação, sendo marcados depois da cabala fechada.
Existem quatro observações que a ninfa Sol Yuricy que fará o Canto do Turigano
deve saber para melhor se conduzir nesta posição dentro do ritual . São elas:
1.º Quando a penúltima ninfa que representa as falanges missionárias começar a sua
emissão deve-se colocar o quinto Ajanã na Cassandra do Ministro.
2.º Quando o Cavaleiro Dubali e sua ninfa se encaminharem para o Reino Central
para fazerem suas emissões e canto, deve-se colocar o último Ajanã.
3.º Quando a última Maya que representa Policena entrar no seu canto, pode-se
agradecer o último Ajanã, no caso o sétimo.
4.º Antes de terminar o canto da última Maya que representa Policena, a Yuricy deve
fechar a Cabala do Ministro em conjunto com as Dharman-Oxinto, responsáveis pelo
fechamento da Cabala de Mãe Yara e Mãe Yemanjá. Feito isso, encerra-se o ritual.

CONVITE AO MINISTRO
JESUS! JESUS DIVINO E AMADO MESTRE, REUNIDOS EM TEU NOME, NÓS TE
PEDIMOS PARA QUE SE FAÇA PRESENTE ENTRE NÓS O MINISTRO RESPONSÁVEL
POR ESTE TRABALHO.

AGRADECIMENTO AO MINISTRO
JESUS! JESUS DIVINO E AMADO MESTRE, NÓS TE AGRADECEMOS A
PRESENÇA DO MINISTRO RESPONSÁVEL POR ESTE TRABALHO.
76
ORIENTAÇÕES A YURICY SOL QUE FARÁ O CANTO DA FALANGE

A ninfa Yuricy Sol escalada para esta posição no Trabalho de Turigano, irá compor
a Corte de Falange Missionária no presente ritual. Será a primeira missionária desta Corte,
seguida pelas demais ninfas de falange missionárias que se fazem representadas, de
acordo com a chamada oficial deste ritual. Sentará junto com as demais ninfas desta Corte,
do lado esquerdo da Cassandra do Ministro e junto as demais, aguardará ser convocada.
Assim que o Cavaleiro da Lança Vermelha fizer a chamada das falanges missionárias para
emissão e canto junto ao Reino Central, a Yuricy Sol, que será a primeira desta Corte e
conduzirá as demais missionárias, passará debaixo do Arco da entrada da Via Sagrada,
caminhará pela Via Sagrada, subirá junto ao Reino Central e fará sua emissão e o Canto
da Yuricy, invocando aqui mais uma vez, com muita sintonia, amor, firmeza e segurança as
energias necessárias à realização deste trabalho.
Ao término das emissões desta Corte, a Yuricy Sol que estará novamente no início
dela, conduzirá as ninfas missionárias a seus respectivos lugares, desta vez passando por
fora do Arco da entrada da Via Sagrada e aguardará o encerramento do ritual. Deverá
manter-se em sintonia com o trabalho e evitar conversas paralelas, mantendo-se
mediunizada para melhor servir nesta jornada.

ORIENTAÇÕES A YURICY SOL QUE COLOCARÁ AS ATACAS E MANTOS

A Yuricy escalada para esta posição, as Atacas, deve entrar para o ritual assim que
o Comandante Reino Central entrar e sentar-se ao seu lado esquerdo.
Entretanto, antes de assumir sua posição no trabalho, a Yuricy das Atacas, deve
conferir se na caixa tem um par de Atacas, um manto roxo para Mãe Yemanjá e um manto
vermelho para Mãe Yara.
Assim que as Dharmo-Oxinto posicionarem-se em frente à Yuricy Sol, ela deve
colocar as Atacas nas Jaçanãs tendo o cuidado de não prendê-las em seus mantos e sim
no ombro de seus vestidos. Deve colocar também o manto roxo, cobrindo seus rostos.
77
Temos que ter muito cuidado com nossas irmãs ninfas lua, pois já encontram- se
irradiadas e muitas vezes ansiosas com o trabalho. Nossa missão é recebê-las com um
belo sorriso e prepará-las o mais breve possível, para que elas possam aproveitar a
incorporação o maior tempo possível, desejando-lhes sempre boa sorte.
Assim, com precisão, harmonia e sintonia evitaremos que nos repreendam por
demorarmos ao executar nossa tarefa missionária com as atacas e o manto.
Nas ninfas lua que forem incorporar Mãe Yara, as Muruaicys, deve-se colocar apenas
o manto vermelho, com precisão e muito carinho, elas também estarão irradiadas.

ORIENTAÇÕES A YURICY LUA REPRESENTANTE DE PYTIA

Quando as Falanges Missionárias convocadas pelo Cavaleiro da Lança Vermelha


terminarem suas emissões e canto, e o Representante do Cavaleiro Verde terminar seu canto,
Pytia e sua Corte devem dirigir-se vagarosamente para a Via Sagrada e a Yuricy Lua que fará
o canto, deverá estar à frente das outras, subir junto ao Mestre Reino Central, fazer sua emissão
e o canto da Yuricy Lua.
Assim que terminar o canto, a Yuricy Lua deve descer e olhando nos olhos do Mestre
Reino Central fazer a lei do trabalho, lembrando-se que Pytia naquela situação estava
confiava, segura e determinada, com toda fé e amor no Deus Apolo. Depois de fazer a lei,
ela se encaminhará até Leônidas e lá fará o restante da lei. (Toda movimentação será feita
com auxílio dos coordenadores).
Salve Deus minhas irmãs Yuricys Lua!
Procurem sempre ter como sua maior missão, o Trabalho de Turigano. Evitem que a
Corte de Pytia seja composta por ninfas de outras Falanges Missionárias. No trabalho de
Turigano são necessárias cinco ninfas Yuricys Lua. Representar Pytia é uma missão muito
especial, conquistada nos planos físico e espiritual.
A ninfa Yuricy Lua escalada para ser a Representante de Pytia deve conscientizar-
se de que sua emissão, canto e falas traduzem o momento mais importante do Trabalho de
Turigano, é ali que o trabalho se realiza.
Pedimos as demais ninfas Yuricys Lua que compõem a Corte de Pytia que formem
uma perfeita sintonia com a irmã Yuricy Lua Representante de Pytia neste Ritual. É pela
comunhão de pensamentos em favor do bem, em favor da cura desobsessiva, na harmonia
do silêncio, que alcançaremos tudo que nos pertence na guarda deste trabalho.
Boa sorte e bom trabalho minhas irmãs! Sejam felizes!
78

Pytia e sua Corte posicionadas


para o Trabalho de Turigano.
79
LEI DO TRABALHO
Pytia, acompanhada por quatro missionárias, segue até diante do Mestre 1º
Cavaleiro da Lança Reino Central, onde para e emite seu canto:
SALVE DEUS! (...emissão e canto da Yuricy Lua) (De frente para o Reino Central
faz a primeira lei.)
SALVE DEUS!
MEU MESTRE PRIMEIRO CAVALEIRO DA LANÇA REINO CENTRAL, DIGNO
SENTINELA DO TEU REINO ESPARTANO, TENHO URGÊNCIA EM FALAR COM SUA
MAJESTADE LEÔNIDAS E LHE DIZER QUE VENHO PRECISAR DE SEUS CUIDADOS,
DE SUA GRAÇA E DE SUA BENEVOLÊNCIA. TRAGO COMIGO UMA RAINHA
EXILADA, POR SER ASSIM SUA ÚLTIMA DINASTIA, TENHO CAMINHADO POR
TODOS OS REINOS E, NO ENTANTO, SÓ ESTE REINO PODERÁ LIBERTÁ-LA DA
TIRANIA DO DEUS APOLO, APOLO, DE PYTON QUE EXIGE BENEVOLÊNCIA DE
LEÔNIDAS.

Fala o mestre 1º Cavaleiro da Lança Reino Central


LEVEM ESSA SACERDOTIZA À PRESENÇA DO PODEREOSO LEÔNIDAS E DE
SEU PODEROSO IRMÃO
Pytia chega em frente de Leônidas, seguida de sua corte e a corte de 7 ninfas Sol com
sete Mestre Lua, conduzidos pelo Cavaleiro Especial e o Primeiro Cavaleiro da Lança Reino
Central.
Pytia Fala:
PODEROSO TUMUCHY, PODEROSO REI. TENHO A MENSAGEM DE APOLO
PARA A LIBERTAÇÃO DA RAINHA EXILADA. ME CONCEDA A PRESENÇA DO
GRANDE LEÔNIDAS, POIS SÓ ELE COM SUA BENEVOLÊNCIA PODERÁ LIBERTÁ-
LA. SÃO ORDENS DE APOLO. SOU PYTIA DE PYTON, SOU TAMBÉM A NAJA DO SEU
ORÁCULO. RESPONDA-ME. QUERO TER A CERTEZA, E PARTIR DAQUI FELIZ EM
DEUS PAI TODO PODEROSO.
Fala Leônidas:
NÃO TEMAS, MINHA QUERIDA SACERDOTIZA! NÃO OUSO DESRESPEITAR
UMA ORDEM DE PYTON. O QUE MAIS DESEJAS? LIBERTAREI, FAREI A SUA
VONTADE. PORÉM, ANTES DE PARTIR, QUERIDA PYTIA, QUERIA OUVIR ESSES
TAMBORES RUFAREM, SEM QUE NINGÚEM LHESS TOCASSE A MÃO!
Leônidas se vira para o 1º Cavaleiro da lança Reino Central e o Cavaleiro Especial e
diz:
80
VOLTEM PARA SUAS PATENTES!
Nisto se ouve o rufar dos tambores, sem que ninguém os tocasse. Para a música e se
faz silêncio absoluto.
Leônidas diz a Pytia:
DE AGORA EM DIANTE, EM TUDO O QUE ME DISSERES ACREDITAREI. QUERO
SER UM DOS MUITOS DE ESPARTA A LEVAR OFERENDAS AO TEU ORÁCULO E
COLOCÁ-LAS A TEUS PÉS!
TRAGA A RAINHA, QUE NÃO MAIS SERÁ EXILADA.
VOLTARAS ESCOLTADA POR UMA DE MINHAS TROPAS, QUE TE
DEFENDERÁ DOS PÉS ATÉ O ÚLTIMO FIO DOS CABELOS DE TUA CABEÇA...

Pytia se ajoelha e diz:


VOLTAREI NESTE INSTANTE COM A RAINHA PARA TE AGRADECER!
Novamente os tambores começaram a rufar e Leônidas fala:
VOLTE, VOLTE DIVINA PYTIA! LEVE CONTIGO TMBÉM ESSES TMBORES. É
UM PRESENTE DE ESPARTA. LEVE-OS CONTIGO.
Pytia fala
LEÔNIDAS, REI DE ESPARTA! CAVALEIRO ESPECIAL! CAVALEIRO VERDE!
JÁ SE PASSARAM AS ERAS... UNIFICASTES O DEUS APOLO EM CRISTO JESUS.
UNIMOS AS NOSSAS FORÇAS. QUE RUFEM OS TAMBORES...
Novamente os tambores voltam a rufar e Pytia arremata:
SALVE DEUS! A NOSSA FORÇA UNIFICADA EM CRISTO JESUS!
81
PEQUENOS CONSELHOS
Salve Deus minhas irmãs missionárias Yuricys Lua! Meus respeitos com ternura!
Receberam por conquista, a rica e feliz oportunidade de representarem Pytia no
Trabalho de Turigano. Abracem com muito amor e perseverança esta rica oportunidade.
Vibrem com esse grandioso trabalho, pois o nosso Pai Seta Branca pede que seja realizado
todos os domingos.
Emitam com muita firmeza e segurança cada palavra contida em seu canto, como
uma Grande Sacerdotisa, que naquele momento bendito vocês estão representando.
Busquem seus encantos na alta magia de nosso Senhor Jesus Cristo e assim alcançarão
grandes libertações, neste plano físico e no espiritual.
Minhas irmãs, cada uma de nós dá o que tem, portanto eu vos peço que deem
sempre o melhor de si. Iluminem primeiramente o seu Sol Interior, para que possam iluminar
os caminhos daqueles que Jesus vos confiar.
Sejam sempre dignas Representantes de Nossa Mãe e Mentora Koatay 108, não só
em suas roupagens missionárias, mas em todos os instantes de vossas vidas, pois ela
sempre irá colocar alguém em sua frente, em seus caminhos, para receber de você um
sorriso, uma palavra de acalento.
Tenham sempre muito cuidado com o que ouvem, falam e pensam, pois de suas
bocas só poderão sair mantras luminosos para alcançarem a dor e transformá-la em bem, a
caminho de Deus. Tenham sempre no seu íntimo que a sua missão é o seu sacerdócio.
Que a nossa Mãe Mentora Koatay 108 possa estar contida em seu íntimo.
Busque e sinta sempre.
Procure sempre como uma verdadeira missionária buscar a perfeição e o equilíbrio.
Que suas indumentárias estejam sempre impecáveis, lindas e perfeitas para que
vocês apresentem-se diante da espiritualidade maior, lindas e maravilhosas, pois não era
permitido a Nossa Mãe apresentar-se de qualquer jeito e sim, sempre impecável em sua
beleza física. Lhe foi ensinado pela espiritualidade maior que “ninguém acredita no enfermo
e sim no enfermeiro”. Portanto, como dignas representantes de Koatay 108 devem seguir
seus passos e ensinamentos com muito amor, perfeição, respeito e equilíbrio.
Salve Deus!
Carinhosamente,

Núbia Damacena
1.ª Yuricy Janda dos Templos do Amanhecer
82
PYTIA

Pytia foi a Grande Sacerdotisa do Oráculo de Delfos (*), tendo como missão preparar
aquele mundo para a vinda de Jesus, aconselhando reis e nobres que chegavam a ela para
consultá-la sobre assuntos de diversas naturezas, ligados ao poder, às guerras e às
realizações sociais e de caráter particular, e que ficavam fascinados pelos fenômenos que a
pitonisa produzia pelos poderes da Alta Magia.
Pelos encantos de Pytia aqueles reis foram aceitando a ideia do Deus Único, do Deus
do Amor, na preparação dos povos para o cristianismo.
Quando foi submetida a um julgamento - o que acontecia sempre que houvesse
dúvida sobre a mensagem de uma pitonisa - Pytia produziu, pela primeira vez, o fenômeno do
rufar dos tambores. Entre a entrada do Templo e o anfiteatro existe um caminho, onde os
guardas se postavam com tambores. A cada passo que a pitonisa a ser julgada percorria,
rufava um tambor onde ela passava, de modo que o povo reunido no anfiteatro percebia sua
aproximação.
Quando Pytia já estava diante de seus juízes, provou sua força fazendo com que,
independentemente dos soldados, todos os tambores rufassem ao mesmo tempo, sendo,
então, reconhecidos seus poderes. Esse fenômeno ela reproduziu em Atenas, quando
comprovou seus poderes a Leônidas, para libertar a Rainha Exilada, como se revive
no Turigano.
Pytia organizou as Falanges Missionárias de Yuricy, Jaçanãs, Muruaicys e Dharman-
Oxinto, após a instalação da Cruz do Caminho no Delta do Nilo.
83
“Pytia, embora divina, também era humana.
Com o tempo e devido ao excesso de profecias, que lhe exigiam jejum de vários dias,
Pytia, após cada oráculo, desfalecia e sua recuperação requeria vários dias de repouso.
Daí a razão dela escolher jovens, cujos maridos estavam sempre nas guerras, para
auxiliá-la em sua missão.
Estas jovens - as Yuricys, que quer dizer Flor do Campo na linguagem indígena -
percorriam as planícies gregas e macedônicas, socorrendo, sob sua inspiração, os
soldados feridos em combate, as famílias desgarradas de suas tribos, etc.
Uma delas, a Primeira Yuricy, indígena do Espaço, enviada de outros planos, era a
Mestre da Ordem das Yuricys.
Como elas não incorporavam nem profetizavam, Pytia, pressentindo a morte física,
determinou que elas moldassem as Jaçanãs, que eram moças fugidas das tribos
mercenárias, que teriam a missão de fazer as profecias do Templo de Apolo.
Aqui estamos, com a mesma missão que recebemos um dia, em outros tempos:
auxiliar, compreender e cuidar da nossa Clarividente.
Nossa missão já não é socorrer os soldados feridos fisicamente nos campos de
batalha nem as famílias desgarradas, mas, sim, auxiliar, juntamente como os soldados do
exército de Pai Seta Branca, a Humanidade, que se encontra perdida e ferida
espiritualmente, numa batalha inglória pela posse das coisas materiais.” (Adjunto Yuricy,
s/d) (TUMARÃ)
Observação: O nome 'Pytia' vem de Pytho (cujo significado é serpente), o nome original de
Delfos na mitologia. Os gregos derivaram este topônimodo verbo pythein (πύθειν, "serpente"), assim
denominado por causa da sacerdotisa, a Pítia, que nele profetizava os oráculos. (Hino Homérico a Apolo
363-369.)

GOLAS USADAS POR SACERDOTIZAS E SACERDOTES NO EGITO ANTIGO


84

NEFERTITI e AKENATON

Nefertiti, cujo nome significa “a mais bela chegou”, foi uma importante rainha egípcia
da XVIII dinastia. Foi esposa do faraó Amenhotep IV (mais conhecido como Akhenaton).
Nasceu em 1380 a.C e morreu em 1345 a.C.
Foi seu marido, o faraó Akhenaton que substituiu o culto politeísta egípcio (crença
em vários deuses egípcios) pelo monoteísmo (culto a apenas um deus) no Egito Antigo.
Pela imposição do faraó, o rei-sol Aton deveria ser o único deus adorado. Nefertiti seguiu o
atonismo imposto pelo marido.
Nefertiti teve seis filhas com Akhenaton: Meritaton, Mecketaton, Ankhesenpaton,
Neferneferuaton, Neferneferuré e Setepenré.
Apesar de ser um símbolo de beleza fascinante, mesmo na atualidade, pouco se
sabe sobre a vida de Nefertiti.
Ela teve uma irmã que se chamava Mutnedjemet e foi criada pela ama Tiy, que era
casada com um funcionário da nobre corte, até conhecer e casar-se muito jovem com o
faraó Akhenaton.
A rainha teve grande importância na disseminação do culto monoteísta junto ao seu
marido, pois era uma das únicas que podia reverenciar e interceder diretamente com o rei-
sol Athon.
No reinado de Akhenaton, o faraó e a rainha eram responsáveis pela realização dos
cultos e eram figuras representativas dessa divindade, fortalecendo os laços com a
população. Por sua grande popularidade, alguns historiadores defendem a tese de que
Nefertiti tenha sido alvo de assassinato de alguns sacerdotes que defendiam o politeísmo.
Outros especialistas, ainda, acreditam que ela tenha se tornado co-regente de
Akhenaton, acumulando mais poder. Essa última tese é levantada graças a uma imagem
85
em bloco de pedra onde a rainha aparece golpeando um inimigo com uma maça, remetendo
à ideia de força.
Entretanto, sabe-se que após o término do reinado de seu marido, Nefertiti sumiu
misteriosamente, pois poucas escrituras e imagens retratam esse período de sua vida.
Alguns arqueólogos estimam que ela tenha morrido no ano de 1345 a.C.
Em dezembro de 1912, os alemães acharam em sua terra natal uma escultura que
identificaram como o ‘busto de Nefertiti’, obra que tornou-se a principal referência estética
de sua beleza e austeridade que marcou o período do Egito Antigo.
Atualmente, a obra pertence ao Museu de Berlim, na Alemanha. (Site
Suapesquisa.com).
Tia Neiva nos conta a História de Nefertiti em uma palestra ministradas ao corpo
mediúnico registrado no CD de nº 01 e transcrito pelo Adjunto Anoro 1º Devas Artes e sua
ninfa, no livro Evangelho do Terceiro Milênio na voz de Koatay 108.
A HISTORIA DE NEFERTITI
(Trino Arakén) : Salve Deus! Tia, a senhora falou em Nefertiti e em segredo das
Esfinges. Que segredos são esses e quem é Nefertiti?
(Tia Neiva) : Salve Deus!
O segredo da Nefertiti, eu digo que foram mais de duas falanges, mas a História diz
que foram parece que três... (1)
Salve Deus!
A Nefertiti eram... Querem ver... Iniciada, como uma Sacerdotisa, mas, como uma
Freira, como uma Clarividente, e elas eram sempre escolhidas e obrigadas a ser esposas
dos Faraós.
Elas viviam, iam até os túmulos onde eram o Vale dos Reis e faziam coisas lindas e
apresentavam, naquela época, apresentavam fenômenos, e inclusive abriam, abriam as
Esfinges, as Esfinges intocáveis.
E ela desvendou todo o segredo, porquê meus filhos, existe uma dúvida dentro de
mim, que as Esfinges viviam dentro d’água, foi a realização de outros, de outras vidas, de
outros planos.
Salve Deus!
E foi os Espíritos que mais souberam adorar e conhecer todos os mistérios, foram os
Ramsés e as Nefertitis.
Salve Deus!
(1) Nefertiti foi a esposa do Faraó Akhenaton (ou Akinaton). Sabemos que Nefertiti foi
uma das encarnações de Tia Neiva.
86
NERFERTITI E AKENATON
87
ENTREGA DAS ENERGIAS DA ESTRELA CANDENTE

A ninfa Yuricy Sol escalada deve apresentar-se ao Comandante Filho de Devas pelo
menos 20 minutos antes do início do ritual.
A ninfa Yuricy Sol posiciona-se no final da Corte a um metro e meio do Príncipe Maia,
pois, não faz parte da Corte, irá buscar o Comandante da Estrela Candente e o conduzirá
durante todo ritual.
Ao fazer o uso do sal e perfume no Turigano deve lembrar-se que está sozinha, não
fazendo cruzamento com nenhuma ninfa da Corte, entrando depois do Príncipe Maia
Assim que a ninfa Maia fizer o seu canto, a Yuricy passa entre a Nytiama e a Chama
da Vida e posiciona-se ao lado direito da Chama, já na Via Sagrada. A Yuricy Guardiã deve
ficar de pé em posição de honra e guarda, em sintonia com a emissão do Comandante da
Escalada e sua ninfa, e dos demais mestres e ninfas que farão suas emissões.
Após o Mantra de Simiromba, a Yuricy Guardiã deve esperar que a Samaritana
componha a Corte para que ela comece a caminhar, tendo o cuidado de sinalizar para o
comandante acompanhá-la. Como o Príncipe Maia estará a sua frente, ela deve continuar
mantendo à distância de um metro e meio do mesmo.
Assim que forem se aproximando da Pira, a Yuricy Guardiã conduz o Comandante
da Estrela Candente entrando pelo lado dos mestres. Faz a reverência na Pira e no sol e
sobe novamente para o Aledá que é também chamado de Presença Divina. Faz a
reverência conforme instrução do Filho de Devas e posiciona-se ao lado do Primeiro Orixá
do dia.
Quando o Primeiro Orixá do dia levantar a espada e em seguida abaixá-la, a Yuricy
Guardiã deve pagá-la com muita delicadeza, colocá-la em seu plexo e passá-la
delicadamente a ninfa que estiver ao seu lado esquerdo. Lembrando que a espada está
impregnada de energia da Estrela Candente por isso o cuidado em manuseá-la.
Após todos da Corte entregarem as energias, o Aledá será desfeito pelo Filho de
Devas seguindo a ordem que foi formado. A Yuricy novamente posiciona-se atrás do
Príncipe Maia e conduz o Comandante até a Chama da Vida no Turigano. Ao chegar na
Chama da Vida a Yuricy faz reverência indiana na chama e se senta em seu lugar
novamente, aguardando o final do ritual.
No trabalho de Estrela Aspirante a ninfa Yuricy Sol Guardiã posiciona-se como na
Entrega de Energias da Estrela Candente, sendo a última ninfa da corte, à distância de um
metro e meio do Príncipe Maia. Conduzindo o Comandante da Estrela Aspirante do
Turigano até o Radar da Estrela Candente, posicionando-se atrás do Comandante Ajanã.
88
Deve ficar em posição de honra e guarda, sem abrir o plexo, durante todo o trabalho, não
deslocando-se dali em hipótese nenhuma. Caso alguém da corte ou do Radar necessite de
alguma ajuda deve solicitar a outra pessoa que o faça. No momento que a ninfa sol que
acompanha o Comandante Ajanã fizer a elevação , a Yuricy Guardiã deve acompanhar,
bem como as demais ninfas sol que compõem o Radar.
Quando terminar o trabalho de Estrela Aspirante, ela deve conduzir o Comandante
Ajanã até o Turigano novamente, entrando pelo lado dos mestres e desse mesmo lado fazer
uso usa o sal e perfume. Aguarda a abertura do Trabalho de entrega de Energia da Estrela
Aspirante e após a emissão e canto da Ninfa Maia e posiciona-se ao lado direito da Chama
da Vida, já na Via Sagrada.
No caso da Entrega de Energia ser feita dentro do templo, deve-se seguir os passos
do trabalho da Entrega de Energia da Estrela Candente explicados acima. No caso da
Entrega ser feita no Turigano, a Yuricy Guardiã posiciona-se à direita do Comandante
Ajanã, ficando de honra e guarda, sem abrir o plexo. Quando a corte se retirar, ela é a última
a fazer reverência ao Comandante Ajanã e sua ninfa. Posicionando- se novamente a sua
frente e levando-o até a Chama da Vida para a reverência final.
“A Estrela Candente é cabalística e, nela, nós nos libertamos. Libertamo-nos porque
emitimos a nossa energia, e este ritual cabalístico nos conduz o poder das Amacês e das
Cassandras. (...)
Sim, filho, vamos iniciar tudo o que Deus nos deu e com o que temos um
compromisso!
Sinta a Estrela Candente: aqui na Terra, é o maior trabalho de desobsessão
cabalístico. Sim, filhos, algo para o que, hoje, meus filhos, já estão preparados!... (...)
A Estrela, com sua poderosa luz, paga o preço de sua Amacê, na responsabilidade
de um ritual cabalístico que implica a força extraída de uma jornada no horário e da emissão
de seus Comandantes.
A jornada é o desenvolvimento do plexo na formação de uma seqüência com o
Comandante na cabine; faz-se a preparação, o envolvimento com as Sereias e com o Povo
das Cachoeiras; mais uma jornada, que é a revisão final; e, por último, os Esquifes, os
Tronos, que são o resultado da cultura geral. ” (Tia Neiva, .8.80) - Fonte Tumarã
89

Côrte Aguardando as emissões na entrega de Energias Ninfa Yuricy Sol de honra e guarda na chama da
Vida

Entrada da Côrte no Templo Saída da Côrte do Templo


90
ARAMÊ
O Aramê é um trabalho onde a libertação de prisioneiros é feita em grupo, uma vez
que caracteriza-se por faltas cometidas na coletividades, isto é, combates e campanhas
que envolveram o desencarne de muitos inocentes e indefesos, em demandas territoriais,
pelas ocupações violentas, questões de terras e posse de bens materiais, sem a
característica de confrontos pessoais, transcendentais, que devem ser resolvidos no
Julgamento. No Aramê, de modo geral, o espírito só conhece aquele que foi sua vítima do
passado no momento do reencontro, porque não havia individualização nos confrontos. Reis,
nobres, governantes, generais, senhores de engenho e outras figuras de destaque e de
poder, empenhados em suas ações guiadas pela ambição, pela vaidade e pelo orgulho,
devastaram plantações e povoados, mataram ou mandaram matar milhares de pessoas
inocentes, cuja única falta foi estarem atravessados em seus caminhos, ocupando
habitações e terras objeto da cobiça desses poderosos, o que lhes custou perseguições,
violências e morte. No Aramê se juntam grupos de combatentes e perseguidores de uma
mesma época, de uma mesma campanha, com o objetivo de obterem o perdão e a
consequente libertação de suas vítimas. Isso deve estar bem claro para o comandante do
trabalho, especialmente no que diz respeito à fase final, na hora da Contagem, que deve
ser voltada para o esclarecimento e iluminação das mentes dos que ali estão, encarnados
e desencarnados, visando obter o perdão daqueles que ficaram perdidos, por tanto tempo,
no ódio, no rancor e na vingança. ( Tumarã)
Orientações a Yuricy Sol no Trabalho de Aramê no Turigano
Para o Trabalho de Aramê no Turigano será escalada uma ninfa Yuricy Sol que fará
sua emissão e o canto específico deste ritual, o Primeiro Canto ( em anexo nesta pasta).
A Yuricy escalada deve preparar-se bem para este grandioso momento, tendo a
consciência de que muitas vezes os prisioneiros recebem suas libertações ao ouvirem este
canto, devido à grande força manipulada neste momento. A Yuricy Sol deve saber o canto
de cor, evitando a leitura, pois o mesmo é feito de joelhos. Exigindo da missionária que o
fará , concentração, firmeza, equilíbrio e muita mediunização.
Sentada no Turigano, próximo as Samaritanas, a convite do Coordenador do
trabalho, a Yuricy Sol faz uso do sal e perfume, faz a reverência, entra à esquerda da
Chama da Vida e senta–se próximo ao Reino Central.
A Yuricy Sol é a primeira missionária a emitir.
No trabalho de Aramê realizado no Turigano não é necessária a presença da Yuricy
Lua que Representa Koatay 108.
91

Orientações a Yuricy Sol e Yuricy Lua no Trabalho de Aramê dentro do


Templo
Nos Templos sem Turigano, o Trabalho de Aramê é feito no Radar, dentro do Templo.
A Ninfa Yuricy Sol ficará à esquerda do Radar e a Ninfa Yuricy Lua, Representante de
Koatay 108, à direita do Radar ao lado da Representante da Condessa de Natarry. As ninfas
deverão seguir a orientação do coordenador do trabalho que fará a distribuição da corte de
acordo com o tamanho do templo.
A ninfa Yuricy Sol fará sua emissão e o canto específico deste ritual, o Primeiro Canto
( em anexo nesta pasta), seguindo as instruções citadas no Trabalho de Aramê com
Turigano. A Yuricy Lua , Representante de Koatay 108, não emite neste ritual.
A Representante de Koatay 108 permanece sentada durante todo ritual e abrirá seu
plexo no momento em que os prisioneiros, no final do trabalho, são liberados para se
retirarem. Todos eles passarão diante das duas Representantes, a de Koatay 108 e da
Condessa de Natarry. Então, como digna Representante de Koatay 108, a missionária deve
permanecer sentada e com seu plexo aberto, vibrar e mentalizar para que todos recebam
a energia e emanação de amor, vinda de nossa Mãe Mentora Koatay 108, através da força
da mediunização e da comunhão de pensamento. Isso deve ser feito com a mais perfeita
harmonia; a mente e o coração da missionária, devem estar em uma só sintonia, rogando
a Jesus pela libertação de perseguidos e perseguidores, pela libertação de um povo, que
Jesus, o Divino e Amado Mestre, lhe confiar na realização deste trabalho de libertação.
Salve Deus!
92
JULGAMENTO

Salve Deus! Meus filhos nunca se esqueçam que tudo é consciência. Não podemos
ficar alheios ao nosso passado, no que fizemos, ou deixamos de fazer, pois no ciclo
evolutivo da vida não podemos deixar marcas por onde passamos. Às vezes, por
inconsciência, vaidade ou mesmo autoafirmação, prejudicamos alguém e continuamos
nossa marcha como se nada tivesse acontecido, mas, um dia acontece o reencontro, tem
que haver o reencontro, e a prisão é o meio mais sutil, pois há amor e consciência, assim
como nesta história de ARAGANA. Veja como Deus não tem pressa: ARAGANA, hoje, é um
espírito muito evoluído, é uma GUIA MISSIONÁRIA, porém, na sua passagem pela Terra,
assassinou seu marido, que morreu com muito ódio e ficou aprisionado na escuridão.
Passaram-se muitos anos, ARAGANA encontrou sua ALMA GÊMEA, mas não podia voltar
à sua ORIGEM deixando um inimigo sofrendo as consequências... Todos se preocupavam
com o sofrimento de ARAGANA, pois era um espírito bom e trabalhador, e era impossível
voltar à Terra. Mas, tinham que tirá-la das garras daquele terrível espírito, e tinham certeza,
que ele só voltaria para Deus sentindo-se justiçado. Foi então reunido um Conselho de
ENTIDADES, incluindo MINISTROS. Assim, decidiram se reunir num PLANO SUPERIOR
e fazerem um tribunal para julgar ARAGANA na presença daquele espírito SOFREDOR,
que sentia por ela e por toda aquela gente um ódio terrível. O Advogado deu início ao
grande julgamento. Foi um choque terrível para ARAGANA, que chorava muito, sentindo
vergonha daqueles que se achavam presentes: CAVALEIROS, GUIAS MISSIONÁRIAS,
MINISTROS... enfim, sentia vergonha de todo aquele povo. Os debates eram terríveis... E
prosseguia aquele julgamento tão sério. O espírito foi sendo DOUTRINADO, enquanto
ARAGANA, sentada à sua frente, expressava todo o seu amor, pedindo que Jesus o
libertasse... O SOFREDOR, vendo que ARAGANA se humilhava, e lhe transmitia todo
aquele amor, não suportou mais e gritou que parassem, pois ele não desejava mais vê-la
naquele sofrimento. Por ele, ARAGANA estava perdoada e, em prantos voltou para Deus.
Terminado aquele sofrimento, tudo ficou bem, e tempos depois ele ingressou na LEGIÃO
DO GRANDIOSO MESTRE LAZARO. Passando muitos anos, eles se encontraram num
PLANO que ele não conhecia, mas a libertação total havia lhe dado fácil adaptação mesmo
ainda em lugares desconhecido.
ARAGANA, durante sua PRISÃO, não podia participar das GRANDES ESCALAS
com seus companheiros, em nenhum Trabalho onde sua LUZ pudesse aparecer.
ARAGANA e PAI SETA BRANCA acharam por bem contar esta história através da minha
CLARIVIDÊNCIA, buscando lhes mostrar a seriedade desta PRISÃO. Meus filhos, sem a
93
ajuda dos CAVALEIROS VERDES, seria impossível termos esta oportunidade de trazer até
aqui, um espírito milenar, para uma DOUTRINA, INCORPORADO, pois um espírito desses,
IRRADIA DO ESPAÇO até aqui. Eles não vêm até aqui, ou seja, não vêm a este PLANO
mas, nos PROJETAM e nos atacam de qualquer maneira. Mas, tudo acontece pela bênção
de Deus. Salve Deus! ( Livro de Leis e Chaves Ritualísticas).

Orientação a Yuricy Lua no Trabalho de Julgamento


Para o Trabalho de Julgamento será escalada uma ninfa Yuricy Lua que representará
Koatay 108 no ritual. A ninfa Yuricy Lua ao ser chamada pelo comandante do trabalho, deve
fazer uso do sal e perfume, passar por dentro do Arco da entrada da Via Sagrada e caminhar
suavemente pela Via Sagrada, seguindo a corte formada para conduzi-la até o Reino
Central. Deve sentar-se elegantemente ao lado esquerdo do comandante e acompanhar o
ritual em silêncio e sintonia, pois ela representa a Divina Koatay 108. Ela deve entrar
silenciosamente pela Via Sagrada, em sintonia com os mentores da sua individualidade,
com os mentores responsáveis pelo Trabalho de Libertação e com Nossa Mãe Mentora
Koatay 108. Deve permanecer em silêncio durante todo ritual, sentada em sua posição.
Quando a Representante da Condessa de Natarry for convidada a emitir, a Representante
de Koatay 108 é livre pra levantar-se ou não.
A Representante de Koatay 108 permanece sentada durante todo ritual e abrirá seu
plexo no momento em que os prisioneiros, no final do trabalho, são liberados para se
retirarem. Todos eles passarão diante das duas Representantes, a de Koatay 108 e da
Condessa de Natarry. Então, como digna Representante de Koatay 108, a missionária deve
permanecer sentada e com seu plexo aberto, vibrar e mentalizar para que todos recebam
a energia e emanação de amor, vinda de nossa Mãe Mentora Koatay 108, através da força
da mediunização e da comunhão de pensamento. Isso deve ser feito com a mais perfeita
harmonia; a mente e o coração da missionária, devem estar em uma só sintonia, rogando a
Jesus pela libertação de perseguidos e perseguidores, pela libertação de um povo, que
Jesus, o Divino e Amado Mestre, lhe confiar na realização deste trabalho de libertação.
Salve Deus!
94

CONDESSA DE NATARRY

Condessa Natarry a testemunha de todos os tempos, representa o Espírito da


Justiça, e se veste toda de preto porque é uma verdadeira projeção de Chapanã, o
Cavaleiro da Lança Negra, que aplica a Justiça Divina na Terra.
Presente nos Julgamentos e Aramês, por ela passam e fazem a reverência todos os
prisioneiros, antes de retirarem suas atacas e Exês.
É diante da Condessa que se faz – ou não – a libertação
Tia Neiva dizia que a Condessa era uma mulher rica, poderosa, altiva e era muito
influente na sociedade francesa da época, porém seu marido foi acusado, antes da tomada
do poder, de fazer parte desse movimento revolucionário.
A condessa assistiu ao julgamento de seu marido e mesmo com todo o seu poder e
influência, o mesmo foi condenado à morte, apesar de ser inocente. A partir deste dia, por
causa dessa injustiça, ela mudou seu comportamento e começou a participar de todos os
julgamentos que aconteciam naquela época, lutando para que a justiça sempre
prevalecesse.
95
Nos planos espirituais, quando um líder se desvia do roteiro traçado para sua
encarnação, correndo o risco de colocar a perder muitos mais, pela sua condição de
liderança, existe um julgamento, chamado de Leilão, que ocorre quando os mentores
daquele espírito, em conjunto com altas entidades, julgam se devem ou não desencarná- lo,
pois aquela conduta desviada pode levar inocentes a agravarem seus carmas.
Quando a Condessa desencarnou, a espiritualidade a colocou junto a estes Leilões.
Ela ainda se veste de preto devido ao seu papel de “testemunha dos tempos”, como também
por ter sido viúva de um homem injustiçado. Hoje é uma entidade de altíssima hierarquia e
teve várias encarnações junto aos Jaguares.
No ano de 1982, por determinação de Pai Seta Branca, Tia Neiva iniciou o trabalho de
Julgamento. Preparou, então, a representante da Condessa Natarry, na qualidade de
testemunha dos tempos vividos pelos Jaguares, figura que tornou-se obrigatória nos
Julgamentos e Aramês, perante a qual os prisioneiros e prisioneiras devem passar e
prestarem reverência antes de retirarem suas atacas e Exês, pois representa o espírito da
justiça zelando pelo cobrado e pelo cobrador.
Nota - É importante lembrar que o Mestre Vilela, pintor oficial da Doutrina do
Amanhecer, não conseguia pintar a imagem da Condessa de Natarry devido a sua imensa
luz. A ninfa Nair Zelaya convenceu o Trino Ajarã, mestre Gilberto Zelaya, a fazer um retiro
para que a entidade pudesse ser retratada. E por volta das 20:00hs daquele dia de retiro, o
Mestre Vilela chegou ao Templo Mãe com a pintura da Condessa de Natarry em um quadro.
Fato que deixou todos muito emocionados e muito felizes por tamanha conquista.
Salve Deus!
96
CLASSIFICAÇÃO E RECLASIFICAÇÃO DE MESTRES E NINFAS
A Ninfa Yuricy Sol escalada para o Ritual de Classificação e Reclassificação, deve
com muito amor e sintonia , com muita mediunização colocar a Cruz de Ansanta no pescoço
do Mestre Representante do Adjunto e logo em seguida, o manto roxo ( como se fosse uma
echarpe).
Enquanto coloca a Cruz de Ansanta, ela deve mentalizar seus mentores e pedir em
sua individualidade que todos ali recebam o que vieram buscar e assim proceder : pega a
Cruz de Ansanta traz ao plexo, eleva acima da cabeça e mentalmente diz “A MINHA MISSÃO
É O MEU SACERDÓCIO, JESUS ESTÁ COMIGO.” Em seguida a coloca no pescoço do
Representante do Adjunto. Repete o mesmo procedimento com o manto roxo (traz ao plexo,
eleva acima da cabeça e mentalmente diz “A MINHA MISSÃO É O MEU SACERDÓCIO.
JESUS ESTÁ COMIGO.”) e em seguida
o coloca no pescoço do Representante do Adjunto.
Depois de colocados a Cruz de Ansanta e o manto roxo, a Yuricy permanece de pé
,do lado direito do Representante do Adjunto, até o final do ritual.
A Yuricy não deverá pegar na mão dos mestres e ninfas classificados para
cumprimentá-los, ela está ali de honra e guarda do Comandante. Entretanto, se caso um
mestre ou ninfa lhe estender a mão, use o bom senso, e lhe retribua carinhosamente o
gesto, desejando-lhes boa sorte.
É aconselhável à ninfa Yuricy Sol escalada para este ritual, trazer consigo um alfinete
resistente para se caso necessário, usar como fecho da Cruz de Ansanta.

Pegue a Cruz de Ansanta em


sintonia com seus mentores.
Figura 1
97

Leve a Cruz de Ansanta até o plexo.


Figura 2

Eleve a Cruz de Ansanta acima de


sua cabeça e diga mentalmente: “A
minha missão é meu sacerdócio,
Jesus está comigo”
Figura 3

Coloque a Cruz de Ansanta no


pescoço do Adjunto ou seu
Representante, por dentro da aba
da capa de jaguar do mestre.
Figura 4
98

Eleve o Véu roxo acima de sua cabeça


repetindo mentalmente a frase: “A minha
missão é meu sacerdócio Jesus está
comigo”
Figura 5

Mantenha-se do lado direito do


Adjunto ou seu Representante de honra e
guarda, em silencio e com muita sintonia.
Não é necessário pegar na mão dos
Classificados.
Pode sinalizar para que os mesmos
façam reverência ao ministro que está
incorporado.
Figura 6
99
LEITO MAGNÉTICO
Para o Trabalho de Leito Magnético serão escaladas uma ninfa Yuricy Sol e uma
ninfa Yuricy Lua.
A ninfa Yuricy Sol será a primeira a fazer a emissão e o canto da falange, (O Canto
da Yuricy Sol). Ao ser chamada pelo mestre representante do Cavaleiro da Lança
Vermelha, que estará do seu lado esquerdo, deve levantar-se e falar a chave do Leito
Magnético: ‘’Salve Deus! Meu mestre, 1º Cavaleiro da Lança Reino Central Adjunto....
Koatay 108 7º Raio Adjuração Arcanos Rama 2.000 Mestre.... Parto com – 0 – Eu
(emissão), no final da emissão diz “Em missão especial do Adjunto
... mestre... Salve Deus!’’. Ao terminar sua emissão e a chave do trabalho, deve
acompanhar as missionárias Dharmo-Oxinto até o Comandante Reino Central e fazer o
Canto da Yuricy Sol com muita sintonia e firmeza, pois nesse momento invocará as forças
necessárias para a realização deste grandioso trabalho de cura desobsessiva. Ao terminar
o canto, deve virar-se para o Reino Central e falar a chave: “PEÇO LICENÇA A VOSSA
MERÇÊ PARA ME RETIRAR”. Em seguida, deve descer e acompanhar as missionárias
Dharmo-Oxinto que a conduzirão ao seu lugar novamente. A Yuricy Sol deve manter-se em
sintonia durante todo o ritual, evitando conversas paralelas.
A Yuricy Lua deve sentar-se antes das ninfas Aponara e Jaçanã. Ao ser chamada
pelo Representante do Cavaleiro da Lança Vermelha, deve dirigir-se até ele e fazer a chave
do Leito Magnético: ‘’Salve Deus! Meu mestre, 1º Cavaleiro da Lança Reino Central
Adjunto.... Koatay 108 7º Raio Adjuração Arcanos Rama 2.000 Mestre.... Parto com –
0 – Eu (emissão), no final da emissão diz “Em missão especial do Adjunto ... mestre...
Salve Deus!’’. Ao terminar sua emissão e a chave do trabalho, deve acompanhar as
missionárias Dharmo-Oxinto até o Reino Central e fazer seu canto com muita sintonia e
amor. Ao terminar o canto, vira-se para o Reino Central e fala a chave “PEÇO LICENÇA A
VOSSA MERÇÊ PARA ME RETIRAR”. Em seguida, deve descer e acompanhar as
missionárias Dharman-Oxinto que a conduzirão até o seu lugar novamente. A ninfa Yuricy
Lua deve manter-se em sintonia durante todo o ritual, evitando conversas paralelas.
OBSERVAÇÕES
Salve Deus!
A ninfa Yuricy Sol escalada para o Leito Magnético não segura lança. Entretanto,
caso esteja acompanhando o Cavaleiro Ajanã deverá segurá-la.
Por isso, aconselhamos as Yuricys Sol que ao acompanharem o Cavaleiro Ajanã,
usem a indumentária de Ninfa Sol, para evitarmos confronto com os coordenadores.
100
As ninfas Yuricys Luas ao fazerem o canto junto ao Reino Central, devem observar
se no Templo em que está sendo realizado o trabalho, entrega-se a lança ou não ao Reino
Central . O Coordenador do trabalho e o Presidente do Templo são quem decidem se a
lança deverá ser entregue ou não ao Reino Central.
Salve Deus!
101
QUADRANTE
FORMAÇÃO
Comandante com sua Ninfa;
Um mestre Regente com sua Ninfa (Se possível) Mestre Sol e mestres lua
componentes do trabalho; Duas samaritanas; Duas Muruaicys; Uma ninfa sol Yuricy;
Representantes das demais falanges escaladas no dia.
RITUAL
Na cabine da Estrela Candente o comandante faz uma breve harmonização, a
Emissão e o Canto, passando em seguida as Emissões das Ninfas representantes das
Falanges Missionárias de acordo com sua procedência. O Comandante invoca a presença
da Yuricy Sol, da Samaritana e Muruaicy, pois sem essas falanges não se realizam o ritual.
A ninfa Yuricy é a primeira a fazer emissão e o canto – Canto da Yuricy Sol- seguida pela
Samaritana e Muruaicy logo após as demais falanges escaladas para emissão naquele dia.
A Yuricy Sol permanecerá ao lado direito do comandante acompanhado as demais
Emissões e Cantos.
Em seguida o Comandante convida os participantes para formarem a fila e fazerem
o Coroamento. Partindo o cortejo para a Cabala. No Coroamento a Ninfa Yuricy Sol
posiciona-se atrás do Príncipe Maia que compõe a corte, guardando uma distância de 1,20.
A Yuricy Sol ficará a frente do comandante de honra e guarda por isso não portará lança,
pois no trabalho ela é a guardiã do Comandante, permanecerá a sua frente até o término
do trabalho. Ao chegar a Cabala a Yuricy Sol levará o comandante até sua posição ficando
ao seu lado direito, orientando os mestres que não sabem a chave do trabalho. “MEU
MESTRE REGENTE, EU (CLASSIFICAÇÃO) RAIO RAMA ADJURAÇÃO -0-0- PARTO
COM –X- PARA MELHOR SERVIR VOSSA MERCÊ NESTA JORNADA.”
OBSERVAÇÃO: Somente os mestres doutrinadores fazem a chave, os Ajanãs
apertam a mão do comandante e seguem se posicionando na corte.
Após o comandante proporcionar o roteiro a todos os componentes do trabalho a
Yuricy Sol deverá assumir seu lugar à frente do Comandante onde serão encaminhados à
frente da Corte pelas Samaritanas. O cortejo caminhará para a Cabala de Mãe Yemanjá.
Ao chegar a Cabala de Mãe Yemanjá depois da abertura feita pelas Muruaicys a
corte dará passagem ao Comandante e sua ninfa, que serão seguidos pela Yuricy e o
Príncipe Maia que vão se espiritualizar tomando o vinho. A Yuricy Sol e o Príncipe Maia
permanecerão ao lado direito do Comandante. Toda a corte se se espiritualizará tomando
o vinho.
102
Terminada a lei do Comandante o cortejo prossegue até o Quadrante do dia, onde o
comandante dará seguimento ao ritual distribuindo os mestres nos esquifes e nos bancos.
No Radar a Yuricy Sol deverá se posicionar ao lado direito do Comandante que seguirá
com a lei do trabalho.
No momento da emissão em conjunto a Yuricy e o príncipe devem também fazer
suas emissões, caso o Príncipe Maia que acompanha a Yuricy Sol for Ajanã poderá
incorporar junto com todos durante incorporação das Sereias, podendo aplicar o passe na
Yuricy Sol, que deverá aplicar –lhe o passe magnético no fim do trabalho.
Terminado todo o Ritual a Corte segue com a mesma formação para Pirâmide. Ao
adentrar a Pirâmide todos deverão fazer uso de sal e perfume e assinarem seus nomes no
livro.
O primeiro a assinar o livro é o Comandante e sua Ninfa, logo após a Yuricy Sol e o
Príncipe Maia, seguidos pelos demais componentes do trabalho. Fim do ritual, todos devem
seguir ao Turigano para entrega de energias que dará início as 19:00 hs. Caso algum
componente do trabalho esteja fazendo escalada na Estrela Candente deve seguir para a
concentração da mesma.
103
ENTREGA DE ENERGIA DO QUADRANTE
A Côrte de entrega de energia do Quadrante partirá no final da escalada de
Estrela Candente. Deve-se entrar atrás do último componente da Estrela Candente fazer
uso do Sal e perfume e assentar-se no final do Turigano. Assim que os comandantes
fizerem as suas Emissões, Cantos e o Mantra de Simiromba. A corte do Quadrante se
deslocará atrás do último componente da Estrela Candente. A Yuricy Sol Guardiã tomará
seu lugar atrás do Príncipe Maia tendo sempre o cuidado de guardar a distância de 1,20
cm. A Corte entrará no templo, passará em frente ao Radar, seguindo e passando à frente
de Pai Seta Branca onde todos deverão fazer reverência. Contornará o templo passando
em frente ao Cristo onde a Yuricy Sol Guardiã entrará pelo lado das ninfas e aguardará .
Depois de Fazer o Mantra de Simiromba toda a corte fará a reverência na Pira e subirá a
Presença Divina para entregar as energias. A Yuricy Sol Guardiã sobe as escadas, pega a
espada e a entrega ao mestre Comandante Primeiro Orixá do dia, vira para frente do
Cristo e faz reverência, descendo em seguida, contornando a mesa evangélica, fazendo
reverência ao Cristo (atrás da mesa, depois da corte e do Príncipe Maya, se tiver príncipe).
Nesse momento as duas cortes da Entrega de energias e do quadrante se unem ficando a
Yuricy do quadrante ao lado da Yuricy da entrega de energias. Somente as ninfas da
RECEPÇÃO da ESCALADA é que sobem novamente no ALEDÁ, as do quadrante não. Na
saída a corte já unida passa em frente ao Pai Seta Branca, Radar, conduzindo o
comandante até o TURIGANO .
No portal do TURIGANO, a Yuricy do quadrante fica na frente da Yuricy Sol Guardiã
da Escalada para fazerem a reverência e saem pelo portão das ninfas no TURIGANO.

PIRÂMIDE SETA DE MÃE YEMANJÁ


104
CASAMENTO

Salve Deus! A união dos Ciganos será feita somente após autorização do Mestre
Sacramento, mediante a apresentação dos documentos referentes ao ato civil. Em tempos
passados, a tradicional fogueira era o Aledá, onde as forças se entrelaçavam, e ali era
realizado o casamento. No Templo, é diante do Aledá que os noivos vão receber a bênção
de Pai Seta Branca para a união que se inicia. Ao iniciar-se o Ritual, a Profetisa que irá
anunciar o casamento já deverá estar no “Aledá”, juntamente com o Mestre Sacramento e
Ninfas representantes das diversas Falanges Missionárias. Não é conveniente a presença
de Prisioneiras no Aledá. (LIVRO DE LEIS – SUPLEMENTO)

ORIENTAÇÕES AS NINFAS YURICYS SOL ESCALADAS NO CASAMENTO


Para o Ritual de Casamento serão escaladas duas ninfas Yuricys Sol. Uma que
comporá o Aledá junto à Profetiza, posicionando-se a esquerda dela, e a auxiliando no que
ela precisar, como por exemplo, estar com a lei do trabalho em mãos, para sussurrar baixinho
a ela caso esqueça-se de algo. Bem como, ter o cuidado de saber o nome dos noivos, caso
também a Profetiza necessite.
Quando o Aledá for composto por duas Profetizas, a segunda normalmente auxilia a
primeira, que é a responsável pelo ritual. Entretanto, mesmo quando o Aledá estiver
formado por duas Profetizas, a presença da Yuricy Sol é necessária. Por isso, prepare-se
bem e fique atente ao ritual.
A outra Yuricy Sol escalada, auxiliará o mestre Ajanã e a Ninfa Sol que o acompanha
na continuação do ritual de Casamento na Cruz do Caminho. Servindo assim, com muito
amor, respeito e harmonia ao Grandioso Mestre Acapú, entidade responsável pela
realização desta união matrimonial.

RITUAL NA CRUZ DO CAMINHO


O Ajanã deverá aguardar a realização do casamento pela profetiza em perfeita
sintonia dentro da Cruz do Caminho, juntamente com a ninfa Sol que o acompanhará e a
ninfa Yuricy Sol que irá auxiliar. Devem evitar conversas desnecessárias, buscando uma
perfeita sintonia com a entidade de luz que se fará presente. É um momento de seriedade
e de responsabilidade por parte dos médiuns.
A Ninfa Sol pode colocar a morsa no Ajanã assim que começarem a jornada dos
noivos para a Cruz do Caminho evitando correrias, tudo com muito amor e harmonia.
105
Assim que os noivos chegarem a porta da Cruz do Caminho, a Ninfa Sol que
acompanha o Ajanã fica a sua frente e faz o convite ao Mestre Acapú.
JESUS! JESUS DIVINO E AMADO MESTRE! REUNIDOS EM TEU NOME, PEÇO
QUE SE FAÇA PRESENTE ENTRE NÓS O MESTRE ACAPÚ, PARA A REALIZAÇÃO
DESTA UNIÃO.
A Ninfa Sol identifica a entidade, pede a benção, se identifica e volta para o seu lugar
(lado direito do Ajanã), a ninfa Yuricy Sol que acompanha o Ritual também se identifica,
pede a benção e volta para o seu lugar( lado esquerdo do Ajanã).
Deverão ficar em frente a entidade: os noivos, um casal de padrinhos da noiva, ao lado
da noiva, um casal de padrinhos do noivo, ao lado do noivo, os pais dos noivos, as
profetisas os príncipes que participaram do Ritual, o restante dos padrinhos conforme for o
tamanho da Cruz do Caminho.
A ninfa Sol deverá solicitar aos noivos que se identifiquem a entidade, primeiro a
noiva depois o noivo.
As ninfas devem ficar atentas nesse momento para auxiliar com o nome dos noivos
caso a entidade precise.
A entidade pode dar uma mensagem aos noivos, não é necessário pressa, devemos
nos lembrar que este dia é um dia muito especial na vida dos noivos.
O Mestre Acapú pergunta aos noivos: ESTE CASAMENTO É DA VONTADE DE
(...nome do noivo...) E DA (...nome da noiva...)?
Os noivos respondem: SIM!
Pergunta o Mestre Acapú: ESPONTANEAMENTE VÃO SE CASAR?
Os noivos respondem: SIM!
A ninfa sol auxiliada pela Yuricy Sol colocam a ponta da morsa na mão esquerda do
mestre Acapú.
A ninfa Sol pede a noiva que coloque a sua mão direita virada para baixo, em cima
da mão esquerda do mestre Acapú, já forrada com a morsa. Em seguida, a ninfa Sol pede
o noivo que coloque a mão direita sobre a mão da noiva. As duas mãos juntas são
revestidas com morsa, coloca-se perfume e eleva suavemente até a altura do plexo e volta
para a posição normal
Assim que a entidade fizer o sinal da Cruz nas mãos dos noivos que estará em cima
da mão da noiva, cobre-se as mãos dos mesmos com a morsa branca. As mãos dos noivos
não são separadas pela morsa, devem ficar juntas.
A ninfa sol pede a madrinha da noiva que coloque a mão direita em cima da mão dos
noivos, a Yuricy Sol auxilia a entidade a colocar o sal na boca da madrinha da noiva e a
106
ninfa sol ajuda a entidade a molhar a flor no perfume levando a mão da entidade com
delicadeza. A mão da madrinha deve ser coberta com a morsa branca.
O Mestre Acapú pergunta a madrinha: : PODERÁ TESTEMUNHAR O QUE VIU E
COMO FOI ESTE CASAMENTO, EM QUALQUER CIRCUNSTÂNCIA DE SUA VIDA?
A madrinha responde - Sim
O Mestre Acapú repete o Ritual com o padrinho da noiva, madrinha do noivo, e
padrinho do noivo. Ficarão todas as mãos direitas, uma em cima da outra revestidas e
separadas pela a morsa. O Mestre Acapú pergunta a cada padrinho: PODERÁ
TESTEMUNHAR O QUE VIU E COMO FOI ESTE CASAMENTO, EM QUALQUER
CIRCUNSTÂNCIA DE SUA VIDA?
Os padrinhos responderão: SIM!
O mestre Acapú põe mão direita sobre as mãos dos noivos e padrinhos leva
suavemente a atura do plexo e volta a posição normal em seguida as duas ninfas Sol e
Yuricy vão retirando a morsa e os padrinhos ficando somente as mãos dos noivos.
A entidade pega uma pitada de sal e coloca na boca do noivo e diz: Salve Deus!
Filho, coloca o sal na boca da noiva e diz Salve Deus! filha
O Mestre Acapú diz - NOIVOS, CONSIDERO-OS MARIDO E MULHER
A ninfa Yuricy Sol pega as alianças e as coloca na mão da entidade para se dar a
benção das alianças. A entidade pega o sal e o perfume , faz a manipulação e anuncia:
Este é um ritual cigano e nos rituais ciganos a noiva é que pede o noivo em casamento.
Entrega a aliança a noiva que deve dizer: (nome do noivo) coloco em suas mão o elo do
meu amor, para esta união, dure para sempre, faz o mesmo com o noivo.
Terminadas a troca de alianças a entidade diz: JESUS SEJA VOSSO GUIA! IDE EM
PAZ. Beija a mão da noiva e leva a mão do noivo à sua testa. O Ritual está finalizado.
A entidade poderá dar uma breve mensagem aos noivos. Deixo aqui uma mensagem
muito bonita dada pelo Mestre Acapú como exemplo:
SALVE DEUS! FILHOS!
ASSIM QUIS A VONTADE DE DEUS.
DEUS VOS COLOCOU DIANTE DESTE GRANDE AMOR, E REALIZOU ESTÁ
UNIÃO AGORA, PROCUREM SEMPRE ACOMPANHA-LO, PARA NÃO PERDÊ-LO DE
VISTA SALVE DEUS!
JESUS VOS ILUMINE NESTA JORNADA. JESUS SEJA CONVOSCO, IDE EM PAZ.
As ninfas Yuricy Sol e a ninfa Sol do Ajanã, se despedem da entidade e a ninfa Sol
que fez o Convite agradece a entidade.
107
JESUS! JESUS! DEVINO E AMADO MESTRE! REUNIDOS EM TEU NOME, NOS
AGRADECEMOS A PRESENÇA DO MESTRE ACAPÚ. QUE SUA EMANAÇÃO
PERNAMEÇA EM NOSSAS MENTES E EM NOSSOS CORAÇÕES.

ORIENTAÇÕES À YURICY SOL QUE AUXILIARÁ O MESTRE AJANÃ


E À NINFA SOL
Salve Deus!
Nada impede que a Ninfa Sol ajude a entidade a colocar o sal na boca dos noivos e
padrinhos, e que a Yuricy Sol ajude a entidade a fazer o sinal da Cruz com o perfume. É
um momento em que as duas ninfas harmonizadas ajudam a entidade para que tudo ocorra
com perfeição e amor.
Devemos deixar que o Mestre Ajanã escolha a Ninfa Sol que o acompanhará, nos
colocando à disposição para auxiliá-la e ensiná-la no que ela precisar. Caso a Ninfa Sol
necessite de auxílio, devemos orientá-la previamente. Explicando-lhe o ritual com horas de
antecedência ou até mesmo no dia anterior ao casamento.
Nada impede que a Ninfa Sol que acompanha o Mestre Ajanã , seja também uma
Yuricy Sol.
Devemos nos atentar para auxiliarmos o fotógrafo nos momentos importantes do
Ritual: o revestimento das mãos com a morsa, a benção das alianças, a troca das alianças
e o beijo na mão da noiva. Tendo o cuidado de não atravessarmos nossas mãos no
momento das fotos.
Casais desquitados ou divorciados ou sem a documentação regularizada perante a
justiça terrena, só poderão receber a Bênção de Mestre Acapú. Não podendo ser feito o
revestimento das mãos com a morsa, a benção das alianças, a troca das alianças e o beijo
na mão da noiva. Será somente uma benção, que deverá ser autorizada pelo Adjunto
Presidente da Casa.
Salve Deus!

Chegada dos Noivos


108

Entrelaçamento da Morsa

Benção da Alianças

Benção final: Mestre Acapú


beija a mão da noiva e leva a
mão do noivo à testa, dizendo:
IDE EM PAZ MEUS FILHOS!
109

ABATÁ DAS NINFAS MISSIONÁRIAS


O Abatá é um trabalho de forças que deslocam eflúvios curadores, da Legião do
Grandioso Mestre Lázaro.
É também uma energia vital extra-etérica, manipulada na Conduta de uma Emissão.
São forças centrífugas que podem fazer um fenômeno físico.
É também uma força esparsa para os que gostam de brincar.
Este trabalho engrandece muito o médium em sua vida material. Se muitos abrirem
suas emissões, aumentarão suas heranças transcendentais, e os fenômenos vão
aumentando e iluminando.
É um trabalho indiano dos homens andarilhos que diziam: “No ciclo de um Abatá tem
um povo celestial: médicos, curandeiros, enfermeiros, negociantes, enfim, tudo o que o
homem precisa na sua hora.
O Abatá cura todas as dores.
( Livro de Lei e Chaves Ritualísticas – Vale do Amanhecer)

FORMAÇÃO DO TRABALHO
Segundo o Livro de Leis e Chaves Ritualísticas da Doutrina do Amanhecer, este
trabalho será composto pela Ninfa Comandante e seu mestre: um Trino Juremá ou Iramar
e sua ninfa ( na ausência do Trino Juremá ou Iramar poderá ser composto por um Adjunto
Arcanos ou Presidente de Templo); três ou mais ninfas Centuriãs Aponas ( desde que o
número de ninfas Aponas seja ímpar).
A Ninfa Comandante pode ser Lua ou Sol.
Só participarão ninfas de uma mesma Falange Missionária.
Poderá ser realizado nos horários entre 10h e 12h e entre 15h e 19h.
Os Mestres e Ninfas que participarão do Abatá reúnem-se no Turigano, ou em local
apropriado ( quando o Templo não dispor de Turigano), harmonizam-se e anodizam-se do
sal e do perfume e partem para a realização do trabalho.
Fica a critério da Comandante a quantidade de trabalhos a serem realizados.
Lembrando que, sem qualquer constrangimento, a ninfa Comandante poderá realizar
apenas um Abatá no dia, pois cada Abatá é um trabalho completo.
A comandante deverá escolher o local e o grupo formará uma elipse. A Ninfa
Comandante, após breve harmonização, faz primeiro a emissão e em seguida o Canto de
Abertura:
110
JESUS DIVINO E AMADO MESTRE!
ESTÁ É A HORA FELIZ DE MINHA VIDA, DE NOSSAS VIDAS.
PORQUE, JESUS! NOS SENTIMOS A PRÓPRIA ENERGIA PARA A FELICIDADE
DOS POVOS:
AO LADO DO CAVALEIRO DA LANÇA VERMELHA; DO PODER
DESOBSESSIVO, DOS CEGOS, DOS MUDOS E DOS INCOMPREENDIDOS.
E PARA HARMONIA DESTE ABATÁ EMITO, JESUS, ESTE MANTRA
UNIVERSAL:
PAI NOSSO QUE ESTÁS NO CÉU E EM TODA PARTE,
SANTIFICADO SEJA O TEU SANTO NOME,
VENHA NÓS O TEI REINO, E SEJA FEITA A TUA VONTADE ASSIM NA TERRA
COMO NOS CÍRCULOS ESPIRITUAIS.
O PÃO NOSSO DE CADA DIA DÁI-NOS HOJE, SENHOR.
PERDOA NOSSAS DÍVIDAS SE NÓS PERDOARMOS AOS NOSSOS
DEVEDORES; NÃO NOS DEIXES CAIR EM TENTAÇÃO, MAS LIVRA-NOS DO
MAL, PORQUE SÓ EM TI BRILHA A LUZ ETERNA, A LUZ DO REINO, DA GLORIA
E DO PODER, POR TODOS OS SÉCULOS SEM FIM.
SALVE DEUS!

Em seguida pede ao seu Mestre que faça a sua missão e o Canto da Individualidade
(ou o Canto do Cavaleiro Especial). A seguir pede ao Trino que faça sua emissão e canto,
em seguida a sua ninfa.
Logo após, as demais ninfas, designadas pela Comandante, começando pelo lado
de maior número, fazem a emissão e o canto, que de forma intercalada, formarão assim,
uma rede magnética.
As ninfas Yuricys Sol devem lembrar-se que a primeira ninfa Apona a emitir, deverá
fazer o Canto da Yuricy Sol, ficando as outras ninfas Yuricys Sol Apona, à vontade para
fazerem o mesmo canto ou os demais cantos referentes à falange de Yuricy Sol (Primeiro
Canto e Segundo do meu 1º Canto). A Yuricy Lua fará somente o canto da falange, ou seja,
o Canto da Yuricy Lua.
Realizado a última emissão e canto a Comandante libera o grupo onde estiver.
Não há encerramento.
111

OBSERVAÇÕES:

Salve Deus!
De acordo com o Livro de Leis e Chaves Ritualísticas da Doutrina do Amanhecer, a
Ninfa Comandante pode ser SOL ou LUA contando que seja Centuriã. Na ausência de um
mestre Trino Solitário Juremá ou Iramar, somente um mestre consagrado na condição de
Arcanos ou Presidente de Templo poderá proporcionar condições à realização desde
trabalho.
O mestre com indumentária de Príncipe Maya não poderá representar o Trino
Solitário, podendo apenas acompanhar a ninfa comandante (Manual Príncipes Maias
página 12).
Não é permitido formar casais de Yuricys e Príncipes Maias nos Abatás de Falange
Missionária, nesse caso, deixaria de ser Abatá de Falange e passaria a ser Abatá de
Mestres, onde o Comandante deve ser o Doutrinador ou o Ajanã.
As ninfas Yuricys Sol e Lua devem procurar ter a lei do Abatá decorada para
comandar com precisão, firmeza e amor.
O Abatá de Falange somente será registrado nos planos espirituais se todas as ninfas
estiverem vestidas com a indumentária de falange, não sendo permitido assim,
indumentárias de prisioneira, ninfas sol, ninfas lua e de gestante. Para o Abatá de Falange
Missionária, só poderão participar ninfas de uma mesma falange missionária.
Nos templos sem corrente mestre as ninfas poderão realizar os Abatás de Falange
nos horários entre 10:00h e 12:00h e entre 15:00h e 20:30h.
Nota : Na sua visão espiritual , o Trino Ajarã, Mestre Gilberto Zelaya, entendeu não
haver nenhum problema, a Ninfa Aponara completar o Abatá de Falange Missionária na
condição de Comandante, visto que nestes termos, ela fará o Canto da Lei do Abatá e não
o Canto da Aponara. Ainda segundo ele, esse lugar pertence a ninfa Coordenadora do
Templo e se trata de uma atitude de amor; amor de mãe que vibra, emana, trabalha e auxilia
suas filhas missionárias até que estejam em número suficiente para a realização do trabalho.
Entretanto esclarece, que a decisão de autorizar ou não a participação da Ninfa Aponara
no Abatá de Falange Missionária, na condição descrita acima, deve partir do Adjunto
Presidente do Templo. E caso o Adjunto Presidente do Templo autorize, ele, Trino Ajarã,
sempre autorizaria.
112

Mestre Lázaro 1.º Cavaleiro Lança Vermelha 1.º Cavaleiro lança lilás

Abatá de Falange Missionária


113
TRABALHO DE PRISÃO
A Prisão é um trabalho muito sutil e importante, porque é a libertação de nossas
vítimas do passado, de espíritos acrisolados no ódio e na vingança, que têm a oportunidade
de, através desse trabalho, se conscientizarem e de renascerem para a Luz, perdoando
seus algozes do passado e retomando suas jornadas interrompidas por nossos atos
impensados ou com trágicos motivos de violência, luxúria e ambição.
Para assumir uma Prisão, o médium deve estar bem, pois vai precisar de todo o seu
equilíbrio e de toda a sua força para conseguir alcançar o objetivo do trabalho. Pegar os
bônus em seu Livro e obter bônus pela participação nos trabalhos da Lei do Auxílio deve
ser a preocupação maior. (Tumarã)
As ninfas Yuricys Sol e Lua que estiverem prisioneiras, devem fazer o canto da
escrava/ninfa do cavaleiro especial segundo determinação do Trino Ajarã em documento
enviado ao Castelo dos Devas no dia 16 de abril de 2016.
114
CANTO DA ESCRAVA / NINFA DO CAVALEIRO VERDE ESPECIAL

MEU MESTRE REINO CENTRAL, ESTAMOS A VOSSA MERCÊ!


OH, JESUS, CAMINHAMOS NA DIREÇÃO DA ESTRELA
TESTEMUNHA QUE NOS REGE NESTE UNIVERSO!
CAMINHAMOS NA FORÇA ABSOLUTA DE DEUS PAI TODO
PODEROSO!
SOU ESCRAVA / NINFA (*) DO CAVALEIRO VERDE ESPECIAL!
CONFIANTE NOS PODERES DIVINOS, EMITO O MEU
PRIMEIRO PASSO PARA QUE O PODER DE NOSSAS HERANÇAS
TRANSCENDENTAIS NOS CHEGUEM, PARA A CONTINUAÇÃO DESTA
JORNADA!
E COM A LICENÇA DE VOSSA MERCÊ, PARTIREI
SEMPRE COM -0-// EM CRISTO JESUS!
SALVE DEUS!

(*) A Ninfa Lua emite sou “ESCRAVA”, a Ninfa Sol emite sou “NINFA” do
Cavaleiro Verde Especial.
115
A YURICY E AS CORTES MISSIONÁRIAS
Salve Deus minhas irmãs Yuricys Sol e Lua!

Sabemos que nossa falange foi criada para servir aos Adjuntos e ao mestrado.

Por isso, nada justifica dizermos que “Yuricy não faz Corte”.

Minhas irmãs, nosso nome costa na Chamada Oficial das Falanges Missionárias

como todas as demais falanges deste Amanhecer.

Isso, por si só, é motivo suficiente para nos colocarmos disponíveis para qualquer

trabalho de Corte, sendo ele realizado dentro ou fora do Templo.

Obviamente, devemos usar o bom senso; jamais deixaremos de fazer uma Cruz do

Caminho ou um Oráculo de Simiromba para podermos participar de uma Corte, seja ela

qual for.

Quando os trabalhos que exijam a presença da missionária Yuricy, estiverem com

suas escalas completas, podemos e devemos servir em qualquer outro trabalho com a

nossa indumentária de falange.

Com Carinho

Núbia Damacena
1.ª Yuricy Janda dos Templos do Amanhecer
116
A YURICY E O USO DA LANÇA

A LANÇA é potente captora de energia. Ao ser usada pela missionária, torna-se


condutora por onde as forças fluem continuamente, sendo distribuídas para enriquecimento
do trabalho. Existem conceitos de que a ninfa Sol deve portar a lança na mão direita, e a
Lua na mão esquerda. Isso não tem qualquer fundamento. Pode ser conduzida
indistintamente, à direita ou à esquerda. Caso necessário, para ajudar por um momento sua
companheira, a ninfa pode pegar outra lança, e manter as duas com uma só mão. Não se
deve pegar uma lança em cada mão, porque estaria anulando as forças. Também, não se
deve pegar uma lança com as duas mãos. (Tumarã)
Salve Deus!
Conforme orientação do Adjunto Yuricy, Mestre Edelves, tanto as Yuricys Sol quanto
as Yuricys Lua devem portar e segurar lança nos trabalhos de Corte que exijam esta arma.
Elas deverão usar lança com a ponta pintada nas cores da fita, amarelo e roxo, que significa
sabedoria e cura, conforme foto em anexo. Somente nos trabalhos de Leito Magnético
(Canto), Quadrante (Guardiã do Comandante) e Entrega de Energia da Estrela Candente e
Entrega de Energia da Estrela Aspirante (Guardiã do Comandante) é que a Yuricy Sol não
usará lança.
117
Nota: Salve Deus! Conforme pesquisa realizada com ninfas veteranas, nos arquivos
doutrinários da nossa falange, arquivos estes assinados pelo Adjunto Yuricy, Mestre
Edelves, chegamos à conclusão de que não existe nenhuma orientação espiritual deixada
por nossa Mãe Mentora Koatay 108, referente as nossas lanças serem pintadas nas cores
roxo e amarelo. Sabemos apenas, que foi com a autorização da Mestre Edelves e com a
permissão da espiritualidade maior que elas foram pintadas. Entre algumas veteranas
comenta–se que as lanças foram pintadas para evitar que se misturassem com as das outras
ninfas missionárias em trabalhos como o do Leito Magnético. Comenta-se também, que por
volta de 1990, ano em que Ninfa Nair Zelaya, a pedido de Tia Neiva, servia a falange de
Yuricy como 1ª Regente Yuricy Lua, presenteou suas irmãs com as lanças pintadas. Mestre
Edelves pedia as ninfas Yuricys que mantivessem suas lanças sempre limpas e brilhantes
para melhor captação das energias.

Salve Deus!

Núbia Damacena
1.ª Yuricy Janda dos Templos do Amanhecer
118

1° FILHO DE DEVAS
MINISTRO ALUFÃ MESTRE BARROS

2° FILHO DE DEVAS
MINISTRO ADEJÃ MESTRE FRÓES

1° DEVAS ARTES
MINISTRO ANORO MESTRE MARCOS
119

EMISSÕES
Da Lei do Auxílio vem o retorno das suas emissões. As emissões vêm na proporção
em que você se afina na Lei do Auxílio. Você vai podendo lançar suas emissões, e estas
emissões, que contêm toda a sua identificação, do que você é e do que é capaz, do que
você é herdeiro e de onde você vem, fecham então o ciclo, formando uma força giratória
que vai e vem, formando o contato com os planos superiores. As emissões fazem com que
você saia de sua personalidade e vá para a sua individualidade. A emissão faz, também,
com que os Grandes Iniciados desçam até você. É um perfeito trabalho de ida e volta. A volta
da emissão nada mais é do que a presença do Grande Iniciado evocado na emissão.
Estabelece-se o perfeito canal de emissão entre o Céu e a Terra. Com a emissão, você trás
a eternidade para o presente e, quando estivermos conscientes desta realidade, seremos
capazes de realizar grandes fenômenos. (Curso sobre as estrelas – Trino Tumuchy – fls 7).
Salve Deus minhas queridas irmãs Yuricys Sol e Lua!
Não posso deixar de esclarecê-las sobre a importância de uma emissão bem feita,
bem conduzida, realizada com muita sintonia, firmeza e amor. É com nossa emissão que nos
apresentamos para a espiritualidade maior, abrindo um canal de comunicação que ligará o
físico ao espiritual. Por conta disso, deve ser feita de forma compassada e nunca
apressadamente. Nossa falange é responsável por abrir esse canal e trazer a força
necessária para a realização dos trabalhos e rituais que participamos. Vejam minhas irmãs,
que grande responsabilidade é a nossa. Por isso, peço a vocês que sejam firmes em suas
emissões, que não alterem nenhuma palavra dela e que sempre tenham por hábito ler suas
emissões e cantos antes dos rituais que estiverem escaladas, para terem certeza que não
adquiriram nenhum vício.
Nossa emissão e canto devem ser feitos de cor, em uma sintonia de amor, humildade
e tolerância. Sabendo que os nossos mentores sempre nos recompensarão na hora exata
que mais necessitarmos e principalmente nos momentos que tivermos que ingerir nossa
taça amarga de fel (nosso Carma). Quero afirmar e confirmar a vocês, que uma emissão e
canto bem feitos tem o poder de curar, libertar, emanar e conduzir espíritos a Deus, de
mudar quadros até então considerados sem solução para o mundo físico.
Salve Deus!

Núbia Damacena
1.ª Yuricy Janda dos Templos do Amanhecer
120
CANTOS DA FALANGE DE YURICY
CANTO DA YURICY SOL
SALVE DEUS!
CAVALEIRO DA LANÇA REINO CENTRAL!
CAVALEIRO DA LANÇA VERMELHA!
CAVALEIRO DA LANÇA LILÁS! CAVALEIRO
DA LANÇA RÓSEA!
MEUS RESPEITOS COM TERNURA PARA
ENTRARMOS EM SINTONIA.
JESUS! ESTA É A HORA PRECISA DE
NOSSAS VIDAS, VENHO NESTE BENDITO
MOMENTO, FORMAR NOSSO CANTO UNIVERSAL
PARA MELHOR SERVIR NESTA ERA.
QUISERA OH JESUS!
QUE AS PÉROLAS DOS ANJOS E DOS
SANTOS ESPÍRITOS SE HARMONIZASSEM NO MEU ATON, QUE AS SETE ESTRELAS
DO ORIENTE, NA ESTRELA SUBLIMAÇÃO, EMITAM OS SEUS RAIOS NO CANTO DA
YURICY, NO TRISTE REINO DE DELFOS, MINHA MÃE CLARIVIDENTE, RESPONDA
AQUI NESTE MANTRA.
OS PODERES DE AKHENATON, DE ARAKÉN, DOS RAMSÉS E DE AMON-RÁ,
SEUS EFLÚVIOS A BRILHAR, NA SINTONIA DESTA FORÇA ABSOLUTA QUE VEM DE
DEUS PAI TODO PODEROSO.
SALVE DEUS!

(Este Canto deve ser feito somente com a Indumentária da Falange, nos trabalhos
de Oráculo de Pai Seta Branca, Estrela Sublimação, Turigano emitindo pela falange, Leito
Magnético, Quadrante, Abatá e Alabá )
121
PRIMEIRO CANTO
(Canto do Aramê Yuricy Sol)
OH JESUS!
ESTA É A HORA PRECISA NA INDIVIDUALIDADE DE NOSSAS VIDAS, DE MINHA
VIDA.
OH JESUS!
É A HORA QUE DENTRO DE MIM, ASSISTO O DESPERTAR DAS FORÇAS, NA
FORÇA ABSOLUTA QUE VEM DE DEUS TODO PODEROSO.
QUISERA OH PERFEIÇÃO, QUE AS PÉROLAS DOS ANJOS E DOS SANTOS
ESPÍRITOS, ENCONTRASSEM ACESSO NOS HOSPITAIS, NOS PRESÍDIOS, ONDE
GEMEM E CHORAM OS INCOMPREENDIDOS, NA DESARMONIA QUE HORA NÃO TE
CONHECEM.
DAI A LUZ DA VIDA E DA MORTE, ILUMINA O VIANDANTE NA SUA
OBSCURIDADE, ILUMINA OS CEGOS, TAMBÉM, NA SUA OBSCURIDÃO, ILUMINA, OH
JESUS, OS CAMPOS ORVALHADOS, AS CORDILHEIRAS SILENCIOSAS ÀS MARGENS
DO RIO CAUDALOSO, ONDE VIVE A CHOUPANA E O LAVRADOR, A CACHOEIRA DAS
MATAS, O CABOCLO E SEUS AMORES, O SAVEIRO NO MAR DISTANTE, O MENINO E
A MENINA, A JOVEM MÃE ABANDONADA, O ÓRFÃO DE PAI E MÃE VIVOS.
NOS LIBERTE SENHOR, DA CALÚNIA, DA FALSIDADE E DO DESPREZO.
MESTRES DESTA CONSAGRAÇÃO!
VAMOS EMITIR TODO O NOSSO AMOR, PARA QUE EFLÚVIOS LUMINOSOS
NOS ALCANCEM E NOS PROTEJAM, NA LUZ DOS NOSSOS CAMINHOS CÁRMICOS.
MEUS IRMÃOS E MEUS MESTRES, MENTALIZEMOS O QUE FORMAMOS NESTE
CANTO, PARA QUE OS GRANDES INICIADOS DISTRIBUAM DE NOSSAS MENTES,
PARA O FENÔMENO DESOBSESSIVO.
MUNDO ENCANTADO DOS HIMALAIAS! POVO DE DEUS! RAIO DE ARAKÉN!
PODER DA VIDA E DO AMOR! DO MEU AMOR, DO NOSSO AMOR, DO AMOR
INCONDICIONAL, QUE EM NOME DO PAI, DO FILHO E DO ESPÍRITO, DO SOL E DA
LUA.
SALVE DEUS!
122
SEGUNDO DO MEU PRIMEIRO CANTO
(Este Canto é feito no ABATÁ, ALABÁ)
SALVE DEUS!
OH JESUS!
NESTA BENDITA HORA, EU QUERO ENCONTRAR COMIGO MESMO,
QUERO SENTIR TODO O MEU AMOR, QUERO SENTIR RESPLANDECER O MEU
SOL INTERIOR, MESMO NAS NOITES DENSAS SEM LUAR.

QUERO SENTIR O AROMA DA MATA FRONDOSA. QUERO SENTIR,


QUERO RESPIRAR JUNTINHO AOS CABOCLOS E ÀS CABOCLAS, QUERO
SENTIR SUA BÊNÇÃO, SUA MÃO EM MINHA TESTA, TIRANDO OS MALES QUE
RESTAM NO FUNDO DO MEU CORAÇÃO.
QUERO OUVIR O RIACHO QUE CORRE, SUA ÁGUA CRISTALINA. QUERO
A FORÇA DE JANAÍNA, SUA BÊNÇÃO, SEU OLHAR!
QUERO O CANTO DE JUREMA E JUREMÁ, QUERO SENTIR A
FRANQUEZA DE MEUS PAIZINHOS NAGÔS, QUE DE LONGE VÊM AO MEU
ENCONTRO, ALIVIAR MINHA DOR.
PAIZINHO, EU QUERO O AROMA DESTA FLOR PARA O PROGRESSO DE
MINHA VIDA MATERIAL E ESPIRITUAL. QUERO LEVAR TUA BÊNÇÃO, DOS
MEUS MENINOS E DE MINHAS MENINAS, DOS MEUS AMORES E DO MEU
AMOR.
QUERO SUBIR NO PICO DESTA MONTANHA, QUERO ANDAR EM CIMA
DAS CORDILHEIRAS...
QUERO DESCER ATÉ O RIO CAUDALOSO, QUERO A PUREZA DOS
MANTRAS DE YEMANJÁ, QUE ME ENVOLVAM...
QUE RETIRE, OH MÃE! MEUS CONFLITOS, AS MINHAS DORES E AS
MINHAS NECESSIDADES, PARA QUE EU POSSA VIBRAR SEM DÚVIDAS,
AMANDO SEM VACILAR.
OH JESUS!
OH SIMIROMBA MEU PAI!
É A HORA DA INDIVIDUALIDADE, QUE AS MINHAS DORES TE VENHO
ENTREGAR. DEPOIS, FAZER A MINHA OFERTA, A QUEM DE MIM
NECESSITAR.
123
NÃO DEIXE MEU PAI, QUE EU SOFRA COM O COBRADOR A COBRAR.
QUE EU SINTA A COMPREENSÃO, E QUE VEJA A LUZ DA TUA RAZÃO, NÃO
DEIXE QUE MAUS PENSAMENTOS ME VENHAM DESAJUSTAR.
OH PODER! OH PERFEIÇÃO! QUE NA LUZ INICIÁTICA, NA CORRENTE
MEDIÚNICA DA NINFA E DO JAGUAR, QUE AMANDO E PERDOANDO, SEMPRE
ESTEJAM SEM CONFLITO A VIBRAR.
OH JESUS!
OH SIMIROMBA MEU PAI!
É UMA ESTRELA QUE APARECE, UMA VIDA A PAGAR, UM MUNDO EM
EVOLUÇÃO, NOVA LUZ QUE VAI DOMINAR O DIA E A NOITE!
EM NOME DO PAI, DO FILHO E DO ESPÍRITO. SALVE DEUS!
124
O PÃO NOSSO DE CADA DIA
(Feito somente no trabalho de Turigano)
SALVE DEUS! OH JESUS!
NESTE INSTANTE PISO O SOLO DO TURIGANO, FAZENDO PRESENTE NO
SANTUÁRIO DE DELFOS, O DEUS APOLO UNIFICADO EM DEUS PAI TODO
PODEROSO.
DEUS APOLO!
DELFOS!
PODERES ENCANTADOS QUE ME ENVOLVERAM ATÉ AQUI, PARA ALCANÇAR
A NOVA ERA.
É O PÃO NOSSO DE CADA DIA, GRANDEZA INFINITA DESTE AMANHECER!
FAZE COM QUE EU SEJA O JAGUAR MEDIANEIRO DA CONQUISTA
UNIVERSAL. DAI-NOS SENHOR, O PODER DA MENTE E DO CENTRO NERVOSO QUE
É A MISERICÓRDIA DE TE CONHECER EM DEUS PAI TODO PODEROSO.
PARTO COM – 0 – / / EM CRISTO JESUS. SALVE DEUS!
125
CANTO DA YURICY LUA

SALVE DEUS! OH JESUS!


ESTE É O MEU CANTO, O CANTO DA YURICY NA FORÇA BENDITA DO LUAR.
LUA! DIVINA FORÇA DECRESCENTE QUE IMANTRA A TERRA, EFLÚVIOS
LUMINOSOS NO RAIAR DE UMA NOVA ERA.
JESUS!
VIVO A ESPERANÇA DA NOITE E DO DIA! PEÇO QUE DESLOQUEM AS FORÇAS
DO CÉU EM MEU FAVOR. QUERO SENTIR O HOMEM DE MINHA TRIBO, O MESTRE
JAGUAR!
SOU TAMBÉM NINFA JAGUAR. VENHO JESUS, NA MINHA INDIVIDUALIDADE,
PEDIR OS MANTRAS LUMINOSOS PARA A ÚLTIMA CONCENTRAÇÃO NESTE ANO DO
FECHAMENTO DE UMA ERA MILENAR.
JESUS!
LEVAREMOS ROSAS DE AMOR, ENFEITAREMOS ESTA JORNADA, NO DESEJO
DE UM MUNDO MELHOR, ESTAREI SEMPRE COM – 0 – / / EM TI JESUS QUERIDO.
SALVE DEUS!
(Canto para ser feito somente com indumentária de falange)
126
ATON
ATON: Primeiro Sétimo Adjunto de Arakén, é uma Raiz de Simiromba(*) que age
diretamente no Sol Interior de cada médium na realização dos trabalhos, sendo necessário,
porém, que ele já tenha feito Consagração de Centúria, quando seu plexo já está preparado
para os grandes trabalhos desobsessivos e curadores. Tem o poder de alimentar todo o
fluxo energético dos médiuns, atuando sobre as partes mais delicadas de seu plexo físico e
do seu micro plexo, ampliando sua intuição, sua sensibilidade e seu poder de manipular
qualquer tipo de energia. É a força que conduz o Jaguar em sua jornada Crística. Tem uma
derivação, AKYNATON.
“Se não cultivarmos com muito amor e precisão, em nosso coração e em nossa
mente, no Templo, nos trabalhos de Retiro e, se não fosse a Corrente Mestra do Oriente
Maior, na Linha Indiana do Espaço, não teríamos as Três Portas Iniciáticas e nem,
tampouco, a força de um Aton. Um ATON é uma força concentrada que se limita e repousa
no fiel do Interoceptível. Fica sempre a se desagregar, buscando novas energias. Não é
força giratória, mas sim geradora. Sim, meu filho Jaguar, a força de um Aton! Ele pode
modificar a sua força, mas a força não gira. Ela trabalha nos movimentos centrífugo e
centrípeto, subindo e descendo. Aton é um poder iniciático. É, também, uma arma que o
seu condutor só consegue deter estando rigorosamente preparado. Um Aton é como um
acumulador de forças que gera a força de que você dispõe na necessidade, na hora do
trabalho, digo, trabalho de Sanday. Sanday é como denominamos os trabalhos iniciáticos na
Corrente Indiana do Espaço. Um Sanday só pode ser executado com a presença de um
Sétimo Raio. Um Aton é sustentado pelos trabalhos de Sanday. O Aton é formado de uma
esfera a qual sustenta a energia ectoplasmática para os fins determinados do Sanday. Um
Aton cresce, porque nele são impregnadas, também, energias diversas: a força absoluta,
que vem de Deus Todo Poderoso, energias etérica e extra-etérica, e, algumas vezes, o
Aroma das Matas, energia das campinas, energia silvestre e, por fim, mantras das águas -
da água salgada, das águas do rio caudaloso -, que se dividem, como se dividem o Aroma
das Matas virgens e o aroma silvestre das campinas, a força absoluta vibratória das
cordilheiras, do Sol e da Lua...Quando nos referimos ao nosso Aton, nosso imã verdadeiro,
só é ativado depois das 3 horas, após abertura do Segundo Intercâmbio. Um Sanday também
só deve ser realizado após o Segundo Intercâmbio ou em caso de suma necessidade.” (Tia
Neiva, s/d) (Tumarã)
127
CONDUTA DA NINFA YURICY
CONDUTA – Refere-se ao procedimento, ao comportamento e a maneira como as
pessoas agem em suas vidas, em suas ações em relação ao seu meio, em seu cotidiano;
são princípios morais como honestidade, bondade, respeito e virtude; são valores que
traduzem a conduta de um ser humano. A Ninfa Yuricy deve ter sempre uma conduta
exemplar e ser educada. Deve evitar desarmonias em suas escalas no Templo,
principalmente com os Comandantes. Lembrem-se dos ensinamentos de nossa Mãe
Mentora quando nos alerta de que esta doutrina é do Doutrinador.
POSTURA – Está ligada ao padrão de comportamento que devemos adotar em
público. É a maneira como nos posicionamos no meio social; são as opiniões que emitimos;
são o respeito, a educação e a simpatia que dispensamos a quem convivemos; é sermos
firmes e não grosseiras; são princípios éticos e morais, como também, a maneira de nos
apresentarmos ao vestir, ao falar; tudo isso são influências que determinam uma boa
postura.
INDUMENTÁRIA – É uma roupagem usada para a apresentação e o acesso aos
trabalhos espirituais. É também a representação de um povo, de uma origem. E para uma
representação com harmonia, equilíbrio e sintonia, devemos ter respeito, zelo e asseio com
nossas indumentárias. Devemos mantê-las limpas e impecáveis, com nossas armas
sempre lindas e brilhantes.
PONTUALIDADE – Significa exatidão, precisão, assiduidade. É a capacidade de
realizar os compromissos assumidos dentro de um prazo determinado, dentro de uma
contagem. A pontualidade nos trabalhos espirituais está intimamente relacionada à
disciplina e ao comprometimento que assumimos junto à espiritualidade maior. É assegurar
e garantir a realização dos trabalhos. Devemos sempre nos apresentar ao trabalho com
pelo menos com 30 minutos de antecedência, comunicando ao Comandante do trabalho a
nossa chegada, para que não haja atraso no ritual por nossa causa.
SINTONIA – Significa concordância, equilíbrio e reciprocidade dentro de uma
harmonia emocional. Estar em sintonia é vibrar na mesma direção, mesma frequência,
mesmo ideal. Sintonia nos pede silêncio e concentração, nos pede mediunização. A ninfa
Yuricy Sol e Lua devem evitar conversas paralelas durante os rituais, preocupando-se
sempre em não desarmonizar o ambiente.
RESPEITO À HIERARQUIA – Nossa doutrina é hierárquica. Devemos sempre
nos lembrar que os comandantes e os coordenadores são autoridades máximas nos rituais.
Jamais uma ninfa Yuricy deverá entrar em atrito com um comandante ou coordenador. Deve
128
sim, procurar saber o ritual e auxiliá-lo caso ele peça ajuda.
AMOR – É um sentimento de carinho, uma demonstração de afeto. É uma fonte
inesgotável de energia positiva. Amar é perdoar, é compreender, é compartilhar emoções.
E o que se espera do amor incondicional é o amor pleno, completo, sem limites, que não
espera nada em troca. O Amor é generoso, é infinito, é aceitação sem julgamento.
HUMILDADE – Significa simplicidade, modéstia, sobriedade. É uma qualidade que
está relacionada ao caráter. É agir com simplicidade, sem arrogância, prepotência ou
soberba; é a consciência do próprio ser; é reconhecer seus próprios erros; é reconhecer suas
próprias limitações e fraquezas. E o principal, é estar constantemente aprendendo.
TOLERÂNCIA – Tolerar é aceitar, é suportar. É uma atitude importantíssima para
vivermos em sociedade; é o respeito às diferentes opiniões; é saber ouvir e aceitar os outros
dentro de uma compreensão de valores; é ser aquele que desculpa, que aceita, que
suporta.
Salve Deus minhas irmãs missionárias!

Devemos sempre nos lembrar que estamos nesta Doutrina do Vale do Amanhecer a
caminho da nossa evolução, buscando sermos pessoas melhores.
Devemos incessantemente nos esforçar para nos aproximarmos das virtudes
ensinadas por Nossa Mãe Mentora Koatay 108 e nossos mentores.
Um médium desta doutrina, que diz “eu sou assim e não vou mudar”, perde uma
grande oportunidade de evoluir. Vamos procurar sermos melhores a cada dia, vamos
ensinar com nosso exemplo, vamos enxugar as lágrimas dos nossos irmãos menos
favorecidos, só assim alcançaremos a nossa evolução. Devemos buscar para a nossa
falange missionária a harmonia e a união.
Unidas, nos fortalecemos cada vez mais no cumprimento de nosso Sacerdócio
Divino.
Salve Deus!

Núbia Damacena
1.ª Yuricy Janda dos Templos do Amanhecer
129
INSTRUÇÃO ÀS REGENTES YURICY

O trabalho de uma regente de falange é muito importante e deve ser realizado com
muito amor e sabedoria, pois uma regente precisa ser justa, firme, amiga, amorosa e
cumpridora de suas tarefas.
O trabalho da regente não consiste apenas em fazer as escalas, ela deve ser sim, a
que mais participa dela, sendo o apoio a suas irmãs de falange.
As regentes são missionárias que com amor, dedicação e conscientização, estão
preparadas para auxiliarem a Primeira na orientação as demais missionárias, nos trabalhos
específicos da falange, atuando em sua força decrescente.
Não é um “cargo” ou uma ‘’posição de destaque’’. É uma missão, que sempre exigirá
delas amor, tolerância e humildade. Serão testadas a todo momento, devendo emanar
como resposta, a conduta doutrinária impecável e o equilíbrio moral frente a suas irmãs e
ao Adjunto que lhes confiou esta missão.
A regente deve conquistar o respeito e o comprometimento com a missão assumida,
sendo o exemplo maior a todas as componentes da falange da missionária.

O TRABALHO DA REGENTE CONSISTE:


1. Manter –se em contato com a Primeira da falange obedecendo seu comando na
Hierarquia do mestrado. Informar sobre os trabalhos realizados no templo para
que a mesma esteja em sintonia e vibração constante com todas as realizações
da falange.
2. Fazer reunião bimestral para esclarecimento de dúvidas de trabalho,
apresentação de novas componentes, avisos e decisões do Adjunto Presidente.
3. Fazer as escalas com atenção e organização para que todas as ninfas tenham as
mesmas oportunidades. Observando sempre para que as escalas sejam
mantidas com precisão, sem falhas ou atrasos.
4. Controlar as substituições das ninfas, bem como a troca de escalas entre as
mesmas.
5. Observar o padrão das armas das indumentárias, como tamanho do sol, descritos
na pasta, galão, posição da cruz nas costas, bordado do pente e luvas. Nas
Yuricys Luas observar: gola, colarinho, cinto, estrela, raios, luas, bordado do
pente e luvas. Enfim, orientar o que é correto, mantendo as armas padronizadas.
130
6. Manter-se em harmonia com o Adjunto e a Aponara Coordenadora para a perfeita
realização dos trabalhos.
7. Caso uma ninfa tenha dificuldade na emissão, canto ou leitura deve ajudá-la com
carinho a superar suas dificuldades.
8. Administrar os conflitos dentro da falange sem tomar partido, lembrando sempre
que pode haver grandes reajustes entre irmãs da falange e toda a história tem dois
lados.
9. Procurar sempre manter movimentações de Retiros, Escaladas, Abatás e demais
trabalhos ,com a participação da falange, bem como organizar confraternizações
para união e harmonização de todas.
Com Carinho!

Núbia Damacena
1.ª Yuricy Janda dos Templos do Amanhecer
131

“Calma, Neiva!
Não se esqueça de que, na vida, quando você está esperando o Céu, a Terra está
esperando por você.
Sim, filha, antes de você subir ao Céu, terá que baixar na Terra.
Não queira que as pessoas pensem como você.
Seja imparcial no seu raciocínio e nada aceite sem entender.
Não se esqueça de que ninguém possui a verdade total!”
(Mãe Yara)
132
INDUMENTÁRIAS
Vestido Yuricy Sol

Armas Yuricy Sol


133

Capa Yuricy Sol

Pente Yuricy Sol Coque do Pente Sol


134

Vestido Yuricy lua

Armas Yuricy Lua


135

Capa Yuricy Lua

Pente Yuricy Lua Coque Pente Lua


136

Gola Redonda, Cinto e Colarinho Yuricy lua

O bordado do colarinho e do cinto deverão seguir o padrão conforme foto em anexo.


Todas as peças devem ser pratas, não podendo usar missangas leitosas ou pérolas. O
cinto terá a medida de 5cm de largura e o colarinho 3cm de largura.
137
DESCRIÇÃO DA INDUMENTÁRIA
VESTIDO YURICY SOL

O vestido da Yuricy Sol é confeccionado na malha colegial preta ou helanca, com


decote em V, recorte em baixo do busto, saia cortada em godê. A costura do ombro deverá
ficar cerca de 2cm para frente para que ao prender a capa a costura fique em cima do
ombro. O comprimento do vestido deverá ser no peito do pé, o mais comprido que puder
sendo que não deve arrastar no chão.
Caso o tempo esteja muito frio pode se usar a blusa segunda pele da mesma cor da
sua pele. Não devemos usar outros tipos de blusas com nossa indumentária. Tia Neiva
sempre nos pedia que não usássemos blusas de frio por dentro da indumentária.

PENTE YURICY SOL

O pente deve ser confeccionado seguindo o padrão do Vale do Amanhecer, em lamê


dourado e bordado com missangas e lantejoulas douradas número 8 não pode usar pérolas
no bordado. Os véus são de tule brocado e liso nas cores do arco-íris, sendo que o tule
preto deve ser brocado e estar no centro do pente de forma que possa cobrir todos os demais
tules. O pente da Yuricy Sol deve ser quebrado conforme instruções da Mestre Edelves e
da Primeira Yuricy Núbia Damacena. Não é necessário que a regente ou a Primeira da
Falange quebre o pente da ninfa, devendo a mesma comprá-lo já quebrado.
138
LUVAS YURICY SOL

Luvas em telinha preta bordada com florzinha pequena dourada e prateada, apenas
uma carreira de cada. Bordadas na mão e no braço.

CAPA YURICY SOL

A capa tem por finalidade armazenar energias, evitando que as mesmas se


dispersem rapidamente dos mestres e ninfas participantes dos trabalhos iniciático
(Símbolos na Doutrina do Vale do amanhecer).
Primeira capa - Capa em organza preta
Segunda capa – Capa em renda amarela brocada
Terceira capa- organza na cor da Guia Missionária da individualidade da ninfa.
Deve-se usar pulseiras e não correntes nos pulsos. Caso a ninfa ainda não tenha
recebido sua Guia Missionária, deve-se confeccionar a indumentária somente com a
primeira e segunda capa.
139
FITA YURICY SOL

Fita bordada margeando o símbolo do doutrinador com lantejoula pequena dourada


número 6.
GALÃO

O galão da Yuricy Sol foi padronizado pelo motivo do mesmo ser muito resistente.
Deve-se contornar a capa com os dois galões ,na ponta da capa o galão dourado e em
seguida o galão prata.
140
LANÇA

A lança é uma potente captadora de energia. Por meio dela, continuamente, fluem
forças que são distribuídas para a realização do trabalho. ( Símbolos na Doutrina do Vale
do Amanhecer)
A lança da Yuricy Sol deve pintada conforme figura anexo, nas cores da fita, amarelo
e roxo, que significam sabedoria e cura. A medida apropriada da lança é de 2 metros de
cumprimento por 25mm de diâmetro mais a ponta.

ARMAS
O Sol representa o Oráculo de Simiromba. A Elipse no interior do Sol, na altura do
ombro simboliza o trabalho iniciático. ( Símbolos na Doutrina do Vale do Amanhecer)
1. O sol deve conter sete raios em tamanhos distintos.
2. O primeiro raio seguirá até o ombro esquerdo da ninfa. (Três centímetros abaixo
do ombro para não atrapalhar colocar as presilhas da capa.)
3. A Elipse ficará posicionado 5cm abaixo da linha superior do raio maior.
4. Cada raio do sol tem largura diferente, o raio maior não poderá ultrapassar de
7cm de largura, sendo que sua base inicia-se com 5cm. O cumprimento é de 56
cm para um sol pequeno.
5. O segundo raio deverá ficar em cima da costela esquerda da ninfa, na linha do
busto.
6. Os outros raios vão seguindo a simetria do desenho diminuindo o tamanho.
7. O último raio deve ser pequeno 12cm e não pode ultrapassar o joelho da ninfa.
8. A cruz também tem 5cm de largura 35 de cumprimento e 24 cm para os braços
da cruz. A morsa deve aparecer um pedaço atrás, na capa das ninfas, ficando mais
ou menos na curva da coluna entre os quadris e as nádegas. O pente ficará em
cima dos braços da morsa.
141
9. Caso a ninfa seja alta e necessite de um sol maior deverá amentar o tamanho dos
raios e não a sua largura.
10. Os raios não devem ultrapassar o corpo da ninfa para trás.

Observação: Colocamos em anexo fotos e medidas para a padronização das nossas


armas. Conforme o Ministro Yuricy nos pediu estamos buscando padronizar as armas as
Yuricys. É muito importante que nossas armas e indumentárias sigam um só padrão. Não
podemos perder a essência trazida por nossa mãe mentora Koatay 108. É nossa
responsabilidade cuidar da nossa indumentária. Peço a ajuda e o emprenho de vocês e
para mantermos nossas indumentárias dignas de respeito dos planos espirituais. Somos
exemplo devemos nos conscientizar disso todos os dias.

Núbia Damacena
1.ª Yuricy Janda dos Templos do Amanhecer
142
MEDIDAS DO SOL PEQUENO DA YURICY SOL

1.º RAIO DO OMBRO – 59 CM CUMPRIMENTO – 7CM LARGURA SENDO 5CM


EM SUA BASE. ESTE RAIO TERÁ UMA PEQUENA CURVATURA NA ALTURA DO SEIO,
ACOMPANHANDO O DESENHO DO CORPO.
2.º RAIO- 34 CM CUMPRIMENTO – 6CM LARGURA SENDO 4,5CM NA BASE.
3.º RAIO- 28 CM CUMPRIMENTO – 6CM LARGURA SENDO 4,5CM NA BASE.
4.º RAIO- 24 CM CUMPRIMENTO- 6CM LARGURA SENDO 4,5 CM NA BASE.
5.º RAIO-20 CM DE CUMPRIMENTO- 6CM LARGURA SENDO 4,5 NA BASE.
6.º RAIO- 17CM DE CUMPRIMENTO- 6M LARGURA SENDO 4,5 NA BASE.
7.º RAIO- 12 CM DE CUMPRIMENTO –5CM LAGURA SENDO 4 NA BASE 21.º CM
NA BASE DO DESENHO DO SOL E 11,5 NO DIÂMETRO.
143

MEDIDAS DO SOL MÉDIO DA YURICY SOL

1.º RAIO DO OMBRO – 64 CM CUMPRIMENTO – 7CM LARGURA SENDO 5,5CM


EM SUA BASE. ESTE RAIO TERÁ UMA PEQUENA CURVATURA NA ALTURA DO SEIO,
ACOMPANHANDO O DESENHO DO CORPO.
2.º RAIO- 35 CM CUMPRIMENTO – 6,5CM LARGURA SENDO 5,0CM NA BASE.
3.º RAIO- 28 CM CUMPRIMENTO – 6,5CM LARGURA SENDO 5,0CM NA BASE.
4.º RAIO- 24,5 CM CUMPRIMENTO- 6,5CM LARGURA SENDO 5,0 CM NA BASE.
5.º RAIO-21 CM DE CUMPRIMENTO- 6,5CM LARGURA SENDO 5,0 CM NA BASE.
6.º RAIO- 18CM DE CUMPRIMENTO- 6,5M LARGURA SENDO 4,5 NA BASE.
7.º RAIO- 13 CM DE CUMPRIMENTO –5CM LAGURA SENDO 4,5 NA BASE 21 CM
NA BASE DO DESENHO DO SOL E 11,5 NO DIÂMETRO.
144

MEDIDAS DO SOL GRANDE DA YURICY SOL

1.º RAIO DO OMBRO – 67 CM CUMPRIMENTO – 7CM LARGURA SENDO 5CM


EM SUA BASE. ESTE RAIO TERÁ UMA PEQUENA CURVATURA NA ALTURA DO SEIO,
ACOMPANHANDO O DESENHO DO CORPO.
2.º RAIO- 35 CM CUMPRIMENTO – 6CM LARGURA SENDO 4,5CM NA BASE
3.º RAIO- 29 CM CUMPRIMENTO – 6CM LARGURA SENDO 4,5CM NA BASE
4.º RAIO- 25,5 CM CUMPRIMENTO- 6CM LARGURA SENDO 4,5 CM NA BASE
5.º RAIO-23,0 CM DE CUMPRIMENTO- 6CM LARGURA SENDO 4,5 NA BASE
6.º RAIO- 20CM DE CUMPRIMENTO- 6M LARGURA SENDO 4,5 NA BASE
7.º RAIO- 14 CM DE CUMPRIMENTO –5CM LAGURA SENDO 4 NA BASE 21,5 NA
BASE DO DESENHO DO SOL 12,00 NO DIÂMETRO.
145
MEDIDAS DO SOL ESPECIAL PARA NINFAS DE ESTATURA ALTA E MEDIDAS MAIORES

1.° RAIO DO OMBRO – 70CM – CUMPRIMENTO – 7 CM DE LARGURA E NA BASE


DO RAIO 6CM. ESTE RAIO TERÁ UMA PEQUENA CURVATURA NA ALTURA DO SEIO,
ACOMPANHANDO O DESENHO DO CORPO.
2.º RAIO – 37 CM CUMPRIMENTO - 7CM DE LARGURA BASE DO RAIO - 6CM
LARGURA
3.º RAIO – 31 CM CUMPRIMENTO – 7CM LARGURA – 6CM BASE DO RAIO
4.º RAIO - 26 CM CUMPRIMENTO – 7 CM LARGURA – 6CM BASE DO RAIO
5.º RAIO – 23,5 CUMPRIMENTO – 7 CM LARGURA – 6CM BASE DO RAIO
6.º RAIO – 19,5 CUMPRIMENTO – 7 CM LARGURA – 6CM DO RAIO
7.º RAIO – 15 CM CUMPRIMENTO – 6,5 MC LARGURA --6M BASE DO RAIO 22CM
NA BASE DO DESENHO DO SOL E 13,5 CM NO DIÂMETRO.
146

ELIPSE DO SOL

MEDIDAS DA ELIPSE 11cm x 5cm

MORSA DA CAPA YURICY SOL

MEDIDAS DA MORSA YURICY SOL 35cm x 24cm x 5cm


147
YURICY LUA
VESTIDO YURICY LUA

Vestido é confeccionado em malha preta colegial ou helanca acinturado, barra em


godê, com decote da gola rente ao pescoço. Gasta-se em média, 2,80cm a 3,00m de malha.
Deve-se ter o cumprimento que no peito do pé, não devendo arrastar no chão. Devemos
evitar que o nosso vestido fique curto demais.
Tia Neiva nos ensinou que não deve aparecer o tornozelo da ninfa. Caso o tempo
esteja muito frio pode se usar a blusa segunda pele da mesma cor da sua pele. Não
devemos usar outros tipos de blusas com nossa indumentária.
Tia Neiva sempre nos pedia que não usássemos blusas de frio por dentro da
indumentária.

GOLA YURICY LUA

A gola simboliza a Indumentária de Nefertiti, herança


transcendental do Vale dos Reis, com os códigos das emissões e
os dois raios prateados, que representam a força da lua. (
Símbolos na Doutrina do Vale do Amanhecer). A gola da Yuricy
Lua deve ser redonda, seguindo o padrão deixado por Tia Neiva.
A medida da gola contando do colarinho até a barra é de 14 a 15
cm para gola
pequena, de 16 cm para gola média e de 17 a 18 para gola
grande. A gola é bordada com 5 carreiras de lantejoula número 8
na seguinte ordem de fora pra dentro: vermelho, roxo, verde
bandeira, prata e azul royal.
148

Com o símbolo – 0 – X – 0 – em lantejoula prata número 8, que nos diz:


“Oh! Mestre, Oh! Grandioso Mestre Lázaro, me ajude nesta hora. Eu sou a menor
de suas servas e parto para te servir.”
Essa explicação é resumida por ser muito complexa.
Escrevemos esta frase para que as Yuricys Lua tenham uma ideia do significado.
149

CAPA YURICY LUA

A capa tem por finalidade armazenar


energias, evitando que as mesmas se dispersem
rapidamente dos mestres e ninfas participantes dos
trabalhos iniciático (Símbolos na Doutrina do Vale
do amanhecer).
Primeira capa – Capa em organza preta
Segunda capa – Capa em renda branca brocada.
Terceira capa- organza na cor da Guia
Missionária da ninfa.
Deve-se usar pulseiras e não correntes no
pulso. Caso a ninfa ainda não tenha recebido sua
Guia Missionária, deve confeccionar a indumentária
somente com a primeira e segunda capa.

Observação: As armas da capa da Yuricy lua devem ser do mesmo


tamanho. Ficando como que encaixadas levemente uma na outra.

PENTE YURICY LUA

O pente deve ser confeccionado seguindo o padrão do Vale do Amanhecer, em lamê


prateado e bordado com missangas transparentes (não pode ser brancas ou leitosas),
lantejoulas prateadas número 8 e não pode usar pérolas.
150
Os véus são de tule brocado e liso nas cores do arco-íris, sendo que o tule preto deve
ser brocado e estar no centro do pente de forma que possa cobrir todos os demais tules. O
pente da Yuricy Lua deve ser quebrado conforme instruções da Mestre Edelves e da
Primeira Yuricy Núbia Damacena.

LUVAS YURICY LUA


Luvas em telinha preta, bordada com
florzinha prateada e dourada nas mãos e na
altura do braço. Primeiro uma carreira prata,
seguida de uma carreira dourada.

GALÃO YURICY LUA

O galão da Yuricy Lua foi padronizado por motivo de ser o mesmo


muito resistente. Deve-se contornar a capa com os dois galões ,na ponta
da capa o galão prata e em seguida o galão dourado.

FITA YURICY LUA

Fita bordada nas literais do símbolo do Apará com lantejoula


pequena prateada.
151

LANÇA

A lança é uma potente captadora de energia. Por meio dela,


continuamente, fluem forças que são distribuídas para a realização
do trabalho. ( Símbolos na Doutrina do Vale do Amanhecer). A
lança da Yuricy Lua deve ser pintada conforme figura em anexo,
nas cores da fita, amarelo e roxo que significam Cura e Sabedoria. A
medida apropriada da lança é de 2 metros de cumprimento por
25mm de diâmetro mais a ponta.
Duas lanças pintadas
nas cores da fita (roxo
e amarelo).

...
152

ARMAS
1. As armas só podem ser pregadas depois que a missionária vestir o vestido, a gola
e o cinto, pois cada ninfa terá suas armas em uma posição exclusiva de acordo com sua
altura e biótipo.
2. A lua pequena fica atrás na capa, junto com a morsa. A medida da lua pequena é
de 28cm X 7cm, sendo que 7cm é o seu ponto mais largo. A medida da morsa é de 4cm de
largura, 28cm de comprimento e 17,5 cm de cumprimento dos braços. A lua e a morsa devem
ser do mesmo tamanho e ficam levemente encaixadas uma na outra. As setas na foto do
molde das armas da Yuricy Lua em anexo, mostram a direção do bordado.
3. A lua grande fica do lado esquerdo do vestido e sua ponta superior fica um pouco
escondida sob a gola. A ponta inferior ficará como se estivesse encaixando no meio da
primeira estrela. A medida da lua é de 31cm X 7cm, sendo que 7cm é o seu ponto mais
largo.
4. A primeira estrela ficará logo abaixo do cinto, mais ou menos 2 dedos abaixo dele
e bem centralizada, na mesma direção do plexo. A medida da estrela 15cmx15cm.
5. A segunda estrela, que ficará à direita, deve ser posicionada um pouco abaixo da
seta maior, mais ou menos no meio da coxa. A medida da estrela de 15cm por 15cm.
6. A terceira estrela, que ficará do lado esquerdo, deve estar em cima do joelho
esquerdo da ninfa. A medida da estrela é de 15cmx15cm.
7. O Raio menor fica na parte de cima do vestido com sua ponta na mesma altura e
próxima da lua, e também estará escondida sob a gola. A medida do raio menor de 30cm
X8cm sendo sua base 5cm. A setas indicam a direção do bordado no desenho do molde
em anexo.
8. O Raio maior deve ser posicionado logo abaixo, um pouco inclinado. A medida do
raio maior é de 35cmX8cm de largura sendo sua base 5cm. As setas indicam a direção do
bordado no desenho do molde também em anexo.
9. O cinto terá 5cm de largura e três construções de bordado.
10. O colarinho terá 3cm de largura e três construções de bordado.
153
154
BOLSAS
Não usar bolsas comuns, esse acessório não faz parte da nossa indumentária. As
Yuricys Sol podem fazer uma alça no vestido na lateral da cintura e usar bolsas pretas
confeccionadas com a malha preta do vestido. As Yuricys Lua podem fazer bolsas pretas
na malha do vestido e pendurá-la no cinto na lateral da cintura.

SAPATOS
Nossas indumentárias foram trazidas pelo Plano de Zana, o Reino mais evoluído
próximo a Terra. É uma roupa de gala. Não devemos usá-las com chinelos, tênis ou sapatos
grosseiros que nos tiram toda elegância.
ÓCULOS DE SOL
Não devemos usar óculos escuros com nossa indumentária, a não ser que exista
algum problema sério na visão. Podemos fazer grandes curas com o nosso olhar e os
óculos escuros nos tiram está oportunidade de olharmos nos olhos dos pacientes e mestres.
Caso a ninfa tenha que usar por problemas físicos, pedimos que seja retirado na hora das
incorporações.
OBSERVAÇÃO
Não devemos pendurar chaves, leques e óculos de sol no decote de nosso vestido e
nem em nossas fitas. Vamos nos manter sempre elegantes, respeitando nossas
indumentárias.
155

VESTIDO BRANCO

O Vestido branco dever ser usado nos Retiros, Seção Branca ou em caso de gravidez
da ninfa. Deve estar sempre limpo e bem asseado. A cor branca tem um elevado poder de
proteção energética, por isso não devemos usar roupas escuras por baixo do vestido. Deve
ser usado com anágua, pois a transparência no vestido branco não e permitida.
O tecido é o tergal ou a malha branca. Deve ser usado com anágua e roupa íntima
de cores claras ou da cor da pele. Usar sandálias branca ou de cor clara, evitando tênis ou
sapatos grosseiros.
156
O UNIFORME DE JAGUAR

O uniforme de Jaguar deve ser usado nos trabalhos


oficiais – blusa preta de renda com mangas compridas
dobradas no tamanho 3/4. Deve-se usar com uma
camisete preta de malha ou modelador como forro, a
transparência não é permitida. A camisete ou modelador
deve ser usado de forma que não apareça na gola da
camisa ou nas mangas. Deve-se usar com fita, colete, e
morsas nas mangas. Saia marrom feita com seis nesgas,
sendo justa da cintura até o quadril, com o comprimento
até o peito do pé, metragem normal de 2,20 metros de
comprimento, com 1,40 metros de largura. Cinto largo
marrom ou preto. O calçado deve ser também marrom ou
preto.

O VESTIDO DE GESTANTE

Deve-se confeccionar um vestido azul marinho


em malha colegial, com folga para abrigar o aumento
do seu ventre. A capa é simples, na organza azul ,
podendo usar um pequeno galão caso a ninfa assim
desejar. Deve-se usar as armas no colo esquerdo para
a ninfa lua e no colo direito para a ninfa sol. A
indumentária da ninfa lua é composto por três
pequenas estrelas e uma lua, já a da ninfa sol é
composta por um pequeno sol. A gola é contornada por
galão. Não deve-se usar a indumentária de falange ou
o uniforme de jaguar após o terceiro mês de gravidez.
A gestante não poderá fazer trabalhos de Indução,
Angical, Trabalhos Especiais e Trabalho de Prisão.
Usando sempre o bom senso de não participar de
trabalhos muito demorados ou que cause muito esforço físico. Essa indumentária não
substitui a indumentária de falange, é uma indumentária para trabalhar na individualidade.
157
ANGICAL

Para o trabalho de Angical as ninfas usarão a blusa do


uniforme de jaguar sem morsas, com a fita e a placa com o nome da
sua princesa para doutrinadoras e preta velha ou preto velho para
as ninfas lua.
Não usa-se morsas. Saia comprida godê duplo, estampada
( ou chita) com rosas sobre um fundo escuro (costuma-se usar
fundo preto).

VESTIDO DE PREISIONEIRA
O vestido da indumentária de prisioneira deve ser feito
em malha, com o corpo baixo 8cm abaixo da cintura, na cor
preta, com uma pala verde de até 5cm abaixo da cava. A saia
possui quatro barras coloridas, sendo três obrigatórias: roxa,
vermelha e amarelo ouro. A última barra pode ser feita no azul
marinho ou azul royal. A capa poderá ser feita na cor da Guia
Missionária da ninfa, porém, não é aconselhável o uso da cor
branca e preta para capa de indumentária de prisioneira. O
Exê, arranjo da cabeça, é feito com flor montada junto a dois
lenços de organza, sendo que um deles deve ser da cor da
capa. Deve- se usá-lo do lado esquerdo da cabeça, tanto para
a ninfa lua como para aa ninfa sol ( conforme orientação do
Livro de Leis ). A ataca, corrente usada no braço esquerdo,
deve ser prateada para ninfa lua e dourada para ninfa sol. Não
é necessário desfazer-se do seu Exê depois da prisão, pode-
se usá-lo por várias prisões. Ao término de cada trabalho de
prisão, a ninfa deve deixar toda a indumentária de prisioneira ( vestido, capa, Exê,
ataca) do lado de fora da sua casa por três dias e três noites para haja a desimpregnarão
das energias. Somente lavar depois dessa data.
158
INDUMENTÁRIA DE MADRINHA
A indumentária de madrinha é uma homenagem ao seu afilhado.
Ela deve ser usada na Benção do Ministro, caso a ninfa seja a madrinha do Adjunto
Presidente, e também poderá ser usada quando seu afilhado estiver no comando da Estrela
Candente ou como Orixá do dia.

INDUMENTÁRIA DE NINFA SOL


O vestido de ninfa Sol pode ser confeccionada na
malha colegial ou helanca.
A primeira capa é de organza, a segunda capa de
renda na cor do vestido. A indumentária de ninfa sol deve
ser usada sempre que a ninfa não estiver escalada em
nenhum trabalho da falange missionária. Para trabalhar em
sua individualidade.
O galão poderá ser da escolha da ninfa a única arma
que é usada nesse vestido é o Sol, comum a todas as
falanges. Caso a ninfa escolha fazer o vestido de Ninfa Sol
com três capas, deverá acrescentar o lamê dourado ou na
cor do vestido entre a organza e a renda, nesse caso ficará
obrigada a usar Luvas e Pente.

INDUMENTÁRIA DE ESCRAVA

A indumentária de escrava deve ser usada pela ninfa


somente quando está ainda não consagrou a Centúria.
Não é aconselhável ficar trabalhando com esta
indumentária depois de consagrada, pois para Ninfa Lua
Centuriã existe a indumentária de Ninfa Lua e Ninfa Lua –
Luão que dará mais condições para a ninfa manipular as
energias de acordo com sua consagração.
159
INDUMENTÁRIA NINFA LUA

O vestido de ninfa Lua deverá ser confeccionado em malha


colegial, elenca ou helanquinha.
A capa deve ser na organza da cor do vestido, segunda capa
deverá ser na renda na cor do vestido e terceira uma capa de lamê
prata ou na cor do vestido que ficará entre a organza e a renda.
O galão poderá ser da escolha da ninfa. As armas são uma lua
e 21 estrelas e cinto. Deve ser usado com Pente e Luva

INDUMENTÁRIA NINFA LUA – LUÃO

O vestido Ninfa Lua - Luão deverá ser confeccionado em


malha colegial, helanca ou helanquinha.
Deverá ter três capas, a primeira de organza, a segunda
de Lamê prata ou na cor do vestido.
A terceira de renda todas na cor do vestido.
As armas são Lua, grande, 21 estrelas , colarinho e cinto.
Essa indumentária só poderá ser usada com Pente e Luvas.
160
Salve Deus!
A palavra “Ninfa” deriva do grego “Ninphe”, que significa “Noiva”, “Velado”, “Botão de
Rosa”. Em toda a mitologia grega, Ninfa está associada aos Deuses e Deusas maiores e
são conhecidas como “Filha de Zeus”, que é considerado o “Pai dos Deuses”. Por isso, na
Doutrina, nós ninfas representamos Ternura.
Nesta pasta trazemos às Ninfas Yuricys Sol e Lua informações de grande
importância para sua jornada, como Ninfas Sol e Lua e principalmente, como Missionárias
da Falange de Yuricy, visando uma padronização de comportamento e de procedimento
ritualísticos, de posicionamento e uso correto das nossas armas e indumentárias.
Este acervo foi elaborado pela Coordenação Geral dos Templos do Amanhecer –
CGTA, através da Primeira Yuricy Janda dos Templos do Amanhecer, Núbia Damacena de
Oliveira Sobrinho, devendo ser repassado às missionárias Yuricys Sol e Lua através de sua
Aponara Coordenadora, Regentes Yuricys de cada Templo e Regente Yuricy dos Templos
do Amanhecer.
Esta pasta atenderá as ninfas Yuricys que fazem parte da CGTA e também aquelas
que emitem comigo como Primeira de Falange em seus Templos. Assim, caso alguma
Yuricy que não faça parte da CGTA queira utilizá-la, recomendo que primeiramente procure
a sua Coordenadora e ou Adjunto Presidente e peça sua aprovação.
Coordenação Geral Dos Templos do Amanhecer, 1º de maio de 2018.

Núbia Damacena
1.ª Yuricy Janda dos Templos do Amanhecer