Você está na página 1de 136

Prof.

: Tonyvan Carvalho

@professortonyvancarvalho @ProfessorTonyvanCarvalho

https://t.me/professortonyvancarvalho
AUDITORIA CONTÁBIL

Prof. Tonyvan
AUDITORIA CONTÁBIL

Prof. Tonyvan
AGENDA DA AULA:
1.CONCEITOS INICIAIS DE AUDITORIA
2.AUDITORIA INTERNA
3.PLANEJAMENTO DE AUDITORIA
4.DOCUMENTAÇÃO DE AUDITORIA
5.AMOSTRAGEM
CONCEITOS INICIAIS DE AUDITORIA
Segundo o TCU:

“Auditoria é o processo sistemático, documentado e


independente de se avaliar objetivamente uma
situação ou condição para determinar a extensão na
qual critérios são atendidos, obter evidências
quanto a esse atendimento e relatar os resultados
dessa avaliação a um destinatário predeterminado.”
CONCEITOS INICIAIS DE AUDITORIA
CONCEITOS INICIAIS DE AUDITORIA
CONCEITOS INICIAIS DE AUDITORIA
CONCEITOS INICIAIS DE AUDITORIA
CONCEITOS INICIAIS DE AUDITORIA
CONCEITOS INICIAIS DE AUDITORIA
CONCEITOS INICIAIS DE AUDITORIA
CONCEITOS INICIAIS DE AUDITORIA
CONCEITOS INICIAIS DE AUDITORIA
CONCEITOS INICIAIS DE AUDITORIA
CONCEITOS INICIAIS DE AUDITORIA
CONCEITOS INICIAIS DE AUDITORIA
CONCEITOS INICIAIS DE AUDITORIA
CONCEITOS INICIAIS DE AUDITORIA
CONCEITOS INICIAIS DE AUDITORIA
CONCEITOS INICIAIS DE AUDITORIA
CONCEITOS INICIAIS DE AUDITORIA
CONCEITOS INICIAIS DE AUDITORIA
QUESTÕES
CONCEITOS INICIAIS

Prof. Tonyvan
(EXAME CFC/CONSULPLAN/2018.2)
A NBC TA 200 (R1) – Objetivos Gerais do Auditor
Independente e a Condução da Auditoria em Conformidade com
Normas de Auditoria apresenta vários termos e com seus
respectivos significados. Diante do exposto, analise as
afirmativas, marque V para as verdadeiras e F para as
falsas.
( ) Informação contábil histórica: informação expressa em
termos financeiros em relação a uma entidade específica,
derivada principalmente do sistema contábil da entidade, a
respeito de eventos econômicos ocorridos em períodos
passados ou de condições ou circunstâncias econômicas em
determinada data no passado.
(EXAME CFC/CONSULPLAN/2018.2)
( ) Ceticismo profissional: aplicação do treinamento,
conhecimento e experiência relevantes, dentro do contexto
fornecido pelas normas de auditoria, contábeis e éticas, na
tomada de decisões informadas a respeito dos cursos de ação
apropriados nas circunstâncias do trabalho de auditoria.
( )Administração: pessoa ou organização com a
responsabilidade de supervisionar de forma geral a direção
estratégica da entidade e obrigações relacionadas com a
responsabilidade da entidade. Isso inclui a supervisão
geral do processo de relatório financeiro. Para algumas
entidades, os responsáveis pela governança podem incluir
empregados da administração, por exemplo, membros
executivos de conselho de governança de uma entidade do
setor privado ou público, ou sócio-diretor.
(EXAME CFC/CONSULPLAN/2018.2)
( ) Distorção: diferença entre o valor, a classificação, a
apresentação ou a divulgação de uma demonstração contábil
relatada e o valor, a classificação, a apresentação ou a
divulgação que é exigida para que o item esteja de acordo
com a estrutura de relatório financeiro aplicável. As
distorções podem originar-se de erro ou fraude. Quando o
auditor expressa uma opinião sobre se as demonstrações
contábeis foram apresentadas adequadamente, em todos os
aspectos relevantes, as distorções também incluem os
ajustes de valor, classificação, apresentação ou divulgação
que, no julgamento do auditor, são necessários para que as
demonstrações contábeis estejam apresentadas,
adequadamente, em todos os aspectos relevantes.
(EXAME CFC/CONSULPLAN/2018.2)
A sequência está correta em
a) F, V, F, F.
b) V, F, F, V.
c) F, V, V, F.
d) F, V, F, V.
(EXAME CFC/CONSULPLAN/2018.2)
Comentários: Analisando cada item:
(V) Informação contábil histórica: informação expressa em
termos financeiros em relação a uma entidade específica,
derivada principalmente do sistema contábil da entidade, a
respeito de eventos econômicos ocorridos em períodos
passados ou de condições ou circunstâncias econômicas em
determinada data no passado. Informação contábil histórica
é informação produzida pelo sistema de contabilidade da
entidade auditada propriamente dita.
(EXAME CFC/CONSULPLAN/2018.2)
(F) Ceticismo profissional: aplicação do treinamento,
conhecimento e experiência relevantes, dentro do contexto
fornecido pelas normas de auditoria, contábeis e éticas,
na tomada de decisões informadas a respeito dos cursos de
ação apropriados nas circunstâncias do trabalho de
auditoria. Essa é a definição de Julgamento profissional.
(EXAME CFC/CONSULPLAN/2018.2)
(F) Administração: pessoa ou organização com a
responsabilidade de supervisionar de forma geral a direção
estratégica da entidade e obrigações relacionadas com a
responsabilidade da entidade. Isso inclui a supervisão
geral do processo de relatório financeiro. Para algumas
entidades, os responsáveis pela governança podem incluir
empregados da administração, por exemplo, membros
executivos de conselho de governança de uma entidade do
setor privado ou público, ou sócio-diretor. Essa é
definição de Responsável pela governança. Administração é
a responsável pelas operações e produção das informações
da entidade.
(EXAME CFC/CONSULPLAN/2018.2)
(V) Distorção: diferença entre o valor, a classificação, a
apresentação ou a divulgação de uma demonstração contábil
relatada e o valor, a classificação, a apresentação ou a
divulgação que é exigida para que o item esteja de acordo
com a estrutura de relatório financeiro aplicável. As
distorções podem originar-se de erro ou fraude.

Gabarito: B.
(TRF 2ªREGIÃO/CONSULPLAN/2017)
A NBC TA 200 trata das responsabilidades gerais do auditor
independente na condução da auditoria de demonstrações
contábeis em conformidade com as normas brasileiras e
internacionais de auditoria. De acordo com a NBC TA 200,
assinale a alternativa que apresenta uma definição
INCORRETA.
a) Administração é a pessoa com responsabilidade executiva
pela condução das operações da entidade. Para algumas
entidades, como no Brasil, a administração inclui alguns
ou todos os responsáveis pela governança, por exemplo,
membros executivos de um conselho de governança, ou sócio-
diretor.
(TRF 2ªREGIÃO/CONSULPLAN/2017)
b) Informação contábil histórica é a informação expressa em
termos financeiros em relação a uma entidade específica,
derivada principalmente do sistema contábil da entidade, a
respeito de eventos econômicos ocorridos em períodos
passados e futuros ou de condições ou circunstâncias
econômicas em determinada data no passado ou no futuro.
c)Premissa, relativa às responsabilidades da administração
e, quando apropriado, dos responsáveis pela governança, com
base na qual a auditoria é conduzida – que a administração
e, quando apropriado, os responsáveis pela governança tenham
conhecimento e entendido que eles têm as seguintes
responsabilidades, fundamentais para a condução da auditoria
em conformidade com as normas de auditoria.
(TRF 2ªREGIÃO/CONSULPLAN/2017)
d) Demonstrações contábeis são a representação estruturada de
informações contábeis históricas, incluindo notas explicativas
relacionadas, com a finalidade de informar os recursos
econômicos ou obrigações da entidade em determinada data no
tempo ou as mutações de tais recursos ou obrigações durante um
período de tempo, em conformidade com a estrutura de relatório
financeiro. As notas explicativas relacionadas geralmente
compreendem um resumo das políticas contábeis significativas e
outras informações. O termo “demonstrações contábeis”
geralmente se refere a um conjunto completo de demonstrações
contábeis, como determinado pela estrutura de relatório
financeiro aplicável, mas também pode se referir a uma única
demonstração contábil, que seria um quadro isolado.
(TRF 2ªREGIÃO/CONSULPLAN/2017)
Comentários: Há um erro sútil quanto ao período na “B”, pois
informação contábil história não faz referência a períodos
futuros. Daí a incorreção. Veja:
13. Para fins das NBCs TA, os seguintes termos possuem os
significados atribuídos a seguir:
[...](g) Informação contábil histórica é a informação expressa
em termos financeiros em relação a uma entidade específica,
derivada principalmente do sistema contábil da entidade, a
respeito de eventos econômicos ocorridos em períodos passados
ou de condições ou circunstâncias econômicas em determinada
data no passado. [...][grifo nosso]
Gabarito: B.
(TRF 2ª REGIÃO/CONSULPLAN/2017)
Na NBC TA 200 encontramos a definição de “risco de distorção
relevante”. Segundo a norma, “é o risco de que as
demonstrações contábeis contenham distorção relevante antes da
auditoria. Consiste em dois componentes: risco inerente e
risco de controle”. Assinale a alternativa que apresenta a
definição correta de risco de controle, de acordo com a NBC TA
200.
a) É a suscetibilidade de uma afirmação a respeito de uma
transação, saldo contábil ou divulgação, a uma distorção que
possa ser relevante, individualmente ou em conjunto com outras
distorções, antes da consideração de quaisquer controles
relacionados.
(TRF 2ª REGIÃO/CONSULPLAN/2017)
b) É a suscetibilidade de uma afirmação a respeito de uma
transação, saldo contábil ou divulgação, a uma distorção
que possa ser irrelevante, individualmente ou em conjunto
com outras distorções, que seja prevenida, detectada e
corrigida tempestivamente pelo controle interno da
entidade.
c) É o risco de que uma distorção que possa ocorrer em uma
afirmação sobre uma classe de transação, saldo contábil ou
divulgação e que possa ser relevante, individualmente ou
em conjunto com outras distorções, não seja prevenida,
detectada e corrigida tempestivamente pelo controle
interno da entidade.
(TRF 2ª REGIÃO/CONSULPLAN/2017)
d) É o risco de que uma distorção que possa ocorrer em
uma afirmação sobre uma classe de transação, saldo
contábil ou divulgação e que possa ser irrelevante,
individualmente ou em conjunto com outras distorções, que
seja prevenida, detectada e corrigida tempestivamente pelo
controle interno da entidade.
(TRF 2ª REGIÃO/CONSULPLAN/2017)
Comentários: Segundo a NBC TA 200(R1):

Gabarito: C.
(NOVA FRIBURGO/CONSULPLAN/2017)
O auditor é o responsável pela utilização e execução dos
diversos instrumentos do trabalho de auditoria, seja ela
externa ou interna. Assim, de acordo com as Normas
Técnicas de Auditoria editadas pelo Conselho Federal de
Contabilidade, são objetivos do auditor na consecução do
seu trabalho, EXCETO:
a)Comunicar-se com os gestores sobre os resultados do
trabalho.
b)Apresentar relatório com os apontamentos sobre as
demonstrações contábeis analisadas.
(NOVA FRIBURGO/CONSULPLAN/2017)
O auditor é o responsável pela utilização e execução dos
diversos instrumentos do trabalho de auditoria, seja ela
externa ou interna. Assim, de acordo com as Normas
Técnicas de Auditoria editadas pelo Conselho Federal de
Contabilidade, são objetivos do auditor na consecução do
seu trabalho, EXCETO:
c) Obter segurança de que as demonstrações contábeis estão
livres de distorções relevantes.
d)Punir os responsáveis por fraudes e falhas que
comprometam o funcionamento da entidade.
(NOVA FRIBURGO/CONSULPLAN/2017)
Comentários: Segundo a NBC TA 200(R1):

Gabarito: D.
(FBC/EXAME CFC/2016.2)
De acordo com a NBC TA 200 – Objetivos Gerais do Auditor
Independente e a Condução da Auditoria em Conformidade com
Normas de Auditoria, Risco de Detecção é:
a) o risco de que o auditor expresse uma opinião de
auditoria inadequada quando as demonstrações contábeis
contiverem distorção relevante.
b) o risco de que os procedimentos executados pelo
auditor, para reduzir o risco de auditoria a um nível
aceitavelmente baixo, não detectem uma distorção existente
que possa ser relevante, individualmente ou em conjunto
com outras distorções.
(FBC/EXAME CFC/2016.2)
c)o risco inerente à suscetibilidade de uma afirmação a
respeito de uma transação, saldo contábil ou divulgação, a
uma distorção que possa ser relevante, individualmente ou
em conjunto com outras distorções, antes da consideração
de quaisquer controles relacionados.
d)o risco que uma distorção pode causar em uma afirmação
sobre uma classe de transação, saldo contábil ou
divulgação, e que possa ser relevante, individualmente ou
em conjunto com outras distorções.
(FBC/EXAME CFC/2016.2)
Comentários: Segundo a NBC TA 200(R1):

Gabarito: B.
(FBC/EXAME CFC/2015.1)
De acordo com o que estabelece a NBC TA 200 – Objetivos
Gerais do Auditor Independente Auditoria de Demonstrações
Contábeis e a Condução da Auditoria, julgue os itens
abaixo, como Verdadeiros (V) ou Falsos (F) e, em seguida,
assinale a opção CORRETA.
I. O objetivo da auditoria é aumentar o grau de confiança
nas demonstrações contábeis por parte dos usuários,
mediante a expressão de uma opinião pelo auditor sobre se
as demonstrações contábeis foram elaboradas, em todos os
aspectos relevantes, em conformidade com uma estrutura de
relatório financeiro aplicável.
(FBC/EXAME CFC/2015.1)
II. As demonstrações contábeis sujeitas à auditoria são as
da entidade, elaboradas pela sua administração, com
supervisão geral dos responsáveis pela governança. A
auditoria das demonstrações contábeis não exime dessas
responsabilidades a administração ou os responsáveis pela
governança.
III. O conceito de materialidade é aplicado pelo auditor
no planejamento e na execução da auditoria; e na avaliação
do efeito de distorções identificadas sobre a auditoria, e
de distorções não corrigidas, se houver, sobre as
demonstrações contábeis.
(FBC/EXAME CFC/2015.1)
A sequência CORRETA é:
a) F, V, F.
b) F, V, V.
c) V, F, V.
d) V, V, V.
(FBC/EXAME CFC/2015.1)
Questão trata de informações gerais acerca de auditoria
independente, segundo a NBC TA 200.
Analisando cada item:
Item I: CORRETO.
Item II: CORRETO.
Item III: CORRETO.

Gabarito: E.
(ESTRATÉGIA/ 2020)
1. Analise as afirmativas a seguir sobre a Auditoria
Independente.
I. As demonstrações contábeis sujeitas à auditoria são as
da entidade, elaboradas pela sua controladoria, com
supervisão geral dos responsáveis pela governança.
II. As NBCs TA impõem responsabilidades à administração ou
aos responsáveis pela governança e se sobrepõe às leis e
regulamentos que governam as suas responsabilidades.
(ESTRATÉGIA/ 2020)
III. A auditoria em conformidade com as normas de
auditoria é conduzida com base na premissa de que a
administração e, quando apropriado, os responsáveis pela
governança têm conhecimento de certas responsabilidades
que são fundamentais para a condução da auditoria.
IV. A auditoria das demonstrações contábeis exime dessas
responsabilidades a administração ou os responsáveis pela
governança.
(ESTRATÉGIA/ 2020)
Assinale:
a) se somente as afirmativa I e II estiverem corretas.
b) se somente a afirmativa III e IV estiverem corretas.
c) se somente as afirmativas I e III estiverem corretas.
d) se somente a afirmativa III estiver correta.
e) se todas as afirmativas II e IV estiverem corretas.
(ESTRATÉGIA/ 2020)
Comentários: Analisando os itens:
Item I: ERRADO. As demonstrações contábeis sujeitas à
auditoria são as da entidade, elaboradas pela sua
administração.

Item II: ERRADO. As NBCs TA NÃO impõem responsabilidades à


administração ou aos responsáveis pela governança e NÃO se
sobrepõe às leis e regulamentos que governam as suas
responsabilidades.
(ESTRATÉGIA/ 2020)
Comentários: Analisando os itens:
Item III: CORRETO. Está em conformidade com a literalidade
da norma supracitada.

Item IV: ERRADO. A auditoria das demonstrações contábeis


NÃO exime dessas responsabilidades a administração ou os
responsáveis pela governança.

Gabarito: D.
(ESTRATÉGIA/ 2020)
Analise os conceitos abaixo, conforme a NBC TA 200 (R1).
I. Risco de Detecção é o risco de que os procedimentos
executados pelo Auditor para reduzir o risco de Auditoria
a um nível aceitavelmente baixo não detectem uma distorção
existente que possa ser relevante, individualmente ou em
conjunto com outras distorções.
II. Risco de Auditoria é o risco de que as demonstrações
contábeis contenham distorções relevantes antes da
Auditoria.
(ESTRATÉGIA/ 2020)
III. Risco de Distorção Relevante é o risco de que o
Auditor expresse uma opinião de Auditoria equivocada
quando as demonstrações contábeis contiverem distorção
relevante.

IV. Ceticismo profissional é a aplicação do treinamento,


conhecimento e experiência relevantes, dentro do contexto
fornecido pelas normas de auditoria, contábeis e éticas,
na tomada de decisões informadas a respeito dos cursos de
ação apropriados nas circunstâncias do trabalho de
auditoria.
(ESTRATÉGIA/ 2020)
V. Julgamento profissional é a postura que inclui uma
mente questionadora e alerta para condições que possam
indicar possível distorção devido a erro ou fraude e uma
avaliação crítica das evidências de auditoria.
(ESTRATÉGIA/ 2020)
Assinale:
a) se somente as afirmativa I, II e III estiverem
corretas.
b) se somente as afirmativas III e IV estiverem corretas.
c) se somente as afirmativas I, IV e V estiverem corretas.
d) se somente a afirmativa I estiver correta.
e) se todas as afirmativas I e II estiverem corretas.
(ESTRATÉGIA/ 2020)
Comentários: Item I: CORRETO. Definição correta de risco
de detecção.
Item II: ERRADO. Trata-se da definição de risco de
distorção relevante.
Item III: ERRADO. Trata-se da definição de risco de
auditoria.
Item IV: ERRADO. Trata-se da definição de julgamento
profissional.
Item V: ERRADO. Trata-se da definição de ceticismo
profissional. Gabarito: D.
(ESTRATÉGIA/ 2020)
A confiabilidade da evidência é influenciada pela sua
fonte e sua natureza e depende das circunstâncias
individuais em que é obtida. Em havendo dúvida a respeito
da confiabilidade das informações ou indicações de
possível fraude, nos termos da NBC TA 200(R1), exige-se
que o auditor
a) renuncie o trabalho.
b) amplie o tamanho da amostra e aplique procedimentos
adicionais.
c)comunique o fato ao responsável pela governança da
entidade e evite aplicar novos procedimentos de auditoria.
(ESTRATÉGIA/ 2020)
A confiabilidade da evidência é influenciada pela sua
fonte e sua natureza e depende das circunstâncias
individuais em que é obtida. Em havendo dúvida a respeito
da confiabilidade das informações ou indicações de
possível fraude, nos termos da NBC TA 200(R1), exige-se
que o auditor
d)faça investigações adicionais e determine que
modificações ou adições aos procedimentos de auditoria são
necessários para solucionar o assunto.
e) faça uso de outros profissionais para esclarecer o
assunto.
(ESTRATÉGIA/ 2020)
Segundo a NBC TA 200(R1):
A21. [...] Em casos de dúvida a respeito da confiabilidade
das informações ou indicações de possível fraude (por exemplo,
se condições identificadas durante a auditoria fizerem o
auditor crer que um documento pode não ser autêntico ou que
termos de documento podem ter sido falsificados), as normas de
auditoria exigem que o auditor faça investigações adicionais e
determine que modificações ou adições aos procedimentos de
auditoria são necessários para solucionar o assunto. [...]
[grifos não constantes no original] Gabarito: D.
AUDITORIA INTERNA

Prof. Tonyvan
AUDITORIA INTERNA
AUDITORIA INTERNA
AUDITORIA INTERNA
AUDITORIA INTERNA
AUDITORIA INTERNA
AUDITORIA INTERNA
DIF. AUDITORIA INTERNA E EXTERNA
QUESTÕES
AUDITORIA INTERNA

Prof. Tonyvan
(TSE/CONSULPLAN/2012)
Segundo a NBC T 12, “a Auditoria Interna deve assessorar a
administração da entidade no trabalho de prevenção de
fraudes e erros, obrigando-se a informá-la, sempre por
escrito, de maneira reservada, sobre quaisquer indícios ou
confirmações de irregularidades detectadas no decorrer de
seu trabalho”. Em relação à fraude e erro, assinale a
alternativa correta.
a)“Fraude” e “erro” correspondem ao ato intencional de
omissão de transações e operações.
b)“Erro” refere-se ao ato intencional de omissão de
transações e operações.
(TSE/CONSULPLAN/2012)
Segundo a NBC T 12, “a Auditoria Interna deve assessorar a
administração da entidade no trabalho de prevenção de
fraudes e erros, obrigando-se a informá-la, sempre por
escrito, de maneira reservada, sobre quaisquer indícios ou
confirmações de irregularidades detectadas no decorrer de
seu trabalho”. Em relação à fraude e erro, assinale a
alternativa correta.
c)O erro caracteriza-se por falta de atenção e
desconhecimento de fatos.
d) A fraude caracteriza-se por má interpretação de fatos e
omissões não intencionais.
(TSE/CONSULPLAN/2012)
Comentários: Segundo a NBC TI 01:

Gabarito: C.
(TSE/CONSULPLAN/2012)
O Planejamento em auditoria consiste na determinação
antecipada dos procedimentos a serem aplicados. Em relação ao
Planejamento do Trabalho de Auditoria Interna, é correto
afirmar que
a) compreende os exames preliminares das áreas, atividades,
produtos e processos, para definir a amplitude e a época do
trabalho a ser realizado de acordo com as diretrizes
estabelecidas pela administração da entidade.
b) não considera como os fatores relevantes na execução dos
trabalhos, o conhecimento detalhado da política e dos
instrumentos de gestão de riscos da entidade, das atividades
operacionais e dos sistemas contábil e de controles internos.
(TSE/CONSULPLAN/2012)
O Planejamento em auditoria consiste na determinação
antecipada dos procedimentos a serem aplicados. Em relação ao
Planejamento do Trabalho de Auditoria Interna, é correto
afirmar que
c) documenta os programas de trabalho informalmente
preparados, detalhando-se o que for necessário para complicar
os procedimentos que serão aplicados, em termos de natureza,
oportunidade, extensão, equipe técnica e uso de especialistas.
d) objetiva estabelecer de forma detalhada todas as etapas a
serem desenvolvidas no trabalho anual de auditoria, definido
pela experiência do auditor em empresas semelhantes à empresa
auditada.
(TSE/CONSULPLAN/2012)
Comentários: Segundo a NBC TI 01:
Questão extraída literalmente da NBC TI 01 – Auditoria
Interna -, referente ao 12.2.1, que menciona o
planejamento da auditoria interna. Senão vejamos:
12.2.1 – Planejamento da Auditoria Interna
12.2.1.1 – O planejamento do trabalho da Auditoria
Interna compreende os exames preliminares das áreas,
atividades, produtos e processos, para definir a amplitude
e a época do trabalho a ser realizado, de acordo com as
diretrizes estabelecidas pela administração da entidade.
Gabarito: A.
PLANEJAMENTO DE AUDITORIA

Prof. Tonyvan
PLANEJAMENTO DE AUDITORIA
PLANEJAMENTO DE AUDITORIA
PLANEJAMENTO DE AUDITORIA
QUESTÕES
PLANEJAMENTO DE AUDITORIA

Prof. Tonyvan
(ESTRATÉGIA/2020)
Realizar as atividades preliminares do trabalho de
auditoria no início do trabalho de auditoria corrente
auxilia o auditor na identificação e avaliação de eventos
ou situações que possam afetar adversamente a capacidade
do auditor de planejar e realizar o trabalho de auditoria.
Nesse contexto, o auditor deve realizar a seguinte
atividade no início do trabalho de auditoria corrente:
a) A definição de estratégia global para o trabalho e o
desenvolvimento de plano de auditoria.
b) Realizar os procedimentos exigidos pela NBC TA 220 –
Controle de Qualidade da Auditoria de Demonstrações
Contábeis;
(ESTRATÉGIA/2020)
c) Avaliação da conformidade com os requisitos éticos,
desconsiderando a independência, conforme exigido pela NBC
TA 220.
d) Estabelecimento do entendimento do trabalho a ser
executado, conforme exigido pela NBC TA 210 – Concordância
com os Termos do Trabalho de Auditoria.
e) Definir a materialidade e o risco de auditoria.
(ESTRATÉGIA/2020)
Questão aborda umas das atividades preliminares do
trabalho de auditoria, segundo a NBC TA 300(R1). Veja:
6. O auditor deve realizar as seguintes atividades no
início do trabalho de auditoria corrente:
(a) realizar os procedimentos exigidos pela NBC TA 220 –
Controle de Qualidade da Auditoria de Demonstrações
Contábeis, itens 12 e 13;
(b) avaliação da conformidade com os requisitos éticos,
inclusive independência, conforme exigido pela NBC TA 220,
itens 9 a 11; e
(ESTRATÉGIA/2020)
(c) estabelecimento do entendimento dos termos do
trabalho, conforme exigido pela NBC TA 210 – Concordância
com os Termos do Trabalho de Auditoria, itens 9 a 13 (ver
itens A5 a A7). [grifos não constantes no original]

Gabarito: B.
(ESTRATÉGIA/2020)
O planejamento de auditoria envolve a definição da
estratégia global para o trabalho e o desenvolvimento de
plano de auditoria. A NBC TA 300 (R1) estabelece que
a) a estratégia global deve ser mais detalhada que o plano
de auditoria.
b) a estratégia global deve incluir a natureza, a época e
a extensão dos procedimentos.
c) apenas excepcionalmente o auditor deve discutir
elementos do planejamento com a administração da entidade.
(ESTRATÉGIA/2020)
O planejamento de auditoria envolve a definição da
estratégia global para o trabalho e o desenvolvimento de
plano de auditoria. A NBC TA 300 (R1) estabelece que
d) há a possibilidade de o auditor discutir os elementos
do planejamento com a administração da entidade.
e) há o dever de o auditor discutir os elementos do
planejamento com a administração da entidade.
(ESTRATÉGIA/2020)
Questão aborda aspectos gerais do planejamento de
auditoria, segundo a NBC TA 300(R1).
Analisando cada alternativa:
Letra A) ERRADA. O plano de auditoria é mais detalhado que
a Estratégia Global.
Letra B) ERRADA. Quem deve incluir a natureza, a época e a
extensão dos procedimentos de auditoria é o Plano de
Auditoria.
Letra C) ERRADA. Essa comunicação é feita constantemente,
de forma a facilitar a condução e o gerenciamento do
trabalho de auditoria.
(ESTRATÉGIA/2020)
Questão aborda aspectos gerais do planejamento de
auditoria, segundo a NBC TA 300(R1).
Analisando cada alternativa:
Letra D) CORRETA. Ela está em conformidade com a norma
supracitada:
Letra E) ERRADA. Essa discussão é uma possibilidade, e não
uma obrigação, conforme explicação da alternativa “d”.

Gabarito: D.
(ESTRATÉGIA/2020)
Um planejamento adequado é benéfico para a auditoria das
demonstrações contábeis de várias maneiras. A natureza, a
época e a extensão do direcionamento e da supervisão dos
membros da equipe e a revisão do seu trabalho podem variar
dependendo de diversos fatores, EXCETO:
a) o porte e a complexidade da entidade;
b) a área da auditoria;
c) o estabelecimento do entendimento dos termos do
trabalho
(ESTRATÉGIA/2020)
d) os riscos de distorções relevantes (por exemplo, um
aumento no risco de distorções relevantes para uma dada
área de auditoria costuma exigir um correspondente aumento
na extensão e no direcionamento e supervisão tempestiva
por parte dos membros da equipe e uma revisão mais
detalhada do seu trabalho);
e) a capacidade e a competência dos membros individuais da
equipe que realiza o trabalho de auditoria.
(ESTRATÉGIA/2020)
Segundo a NBC TA 300(R1):
A natureza, a época e a extensão do direcionamento e da
supervisão dos membros da equipe e a revisão do seu
trabalho podem variar dependendo de diversos fatores,
incluindo:
(a) o porte e a complexidade da entidade;
(b) a área da auditoria;
(ESTRATÉGIA/2020)
(c) os riscos de distorções relevantes (por exemplo, um
aumento no risco de distorções relevantes para uma dada
área de auditoria costuma exigir um correspondente aumento
na extensão e no direcionamento e supervisão tempestiva
por parte dos membros da equipe e uma revisão mais
detalhada do seu trabalho);
(d) a capacidade e a competência dos membros individuais
da equipe que realiza o trabalho de auditoria.

Gabarito: C.
DOCUMENTAÇÃO DE AUDITORIA

Prof. Tonyvan
DOCUMENTAÇÃO DE AUDITORIA
DOCUMENTAÇÃO DE AUDITORIA
DOCUMENTAÇÃO DE AUDITORIA
DOCUMENTAÇÃO DE AUDITORIA
DOCUMENTAÇÃO DE AUDITORIA
QUESTÕES
DOCUMENTAÇÃO DE AUDITORIA

Prof. Tonyvan
(EXAME CFC/CONSULPLAN/2019.2)
Segundo a NBC TA 230 (R1), Documentação de Auditoria é o
registro dos procedimentos de auditoria executados, da
evidência de auditoria relevante obtida e conclusões
alcançadas pelo auditor (usualmente também é utilizada a
expressão “papéis de trabalho”).(Conselho Federal De
Contabilidade, NBC TA 230 (R1), item 6.)
Ao tratar dos papéis de trabalho, Almeida (2017) e
Crepaldi (2016) apontam que estes devem ser organizados
conforme sua natureza e finalidade, sendo a forma mais
prática mantê-los em pastas apropriadas de acordo com o
assunto a que se referem, sendo maneira usual separá-los
em pelo menos dois grupos: pasta permanente e pasta
corrente. Observe as informações a seguir.
(EXAME CFC/CONSULPLAN/2019.2)
(EXAME CFC/CONSULPLAN/2019.2)
Levando em consideração as informações, é correto afirmar
que o documento representado pela imagem constitui-se
em documento de auditoria que deve ser arquivado em:
A) Pasta Corrente.
B) Pasta Permanente.
C) Listas de Verificação.
D) Resumos de Assuntos Significativos.
(EXAME CFC/CONSULPLAN/2019.2)
Comentários: Quanto à sua natureza, Crepaldi, em sua
obra, na versão digital, “Auditoria Contábil: teoria e
prática. 10ª ed. São Paulo: Atlas, 2016,p.17” explicita
que os papéis de trabalho devem ser organizados conforme
sua finalidade, separando-os em dois grupos:
I- Pasta permanente: inclui todos os papéis que são de
importância de importância diária e contínua, ano após ano
para consulta, por conterem dados sobre o sistema, área ou
objeto da auditoria. Exemplos: histórico da empresa,
estatuto, composição do capital social, informações
contábeis, dos sistemas contábeis e operacionais e ainda
informações relativas a participação da empresa no
mercado.
(EXAME CFC/CONSULPLAN/2019.2)
Comentários:
II- Pasta corrente: é composta de todos os papéis do
exercício em curso. Exemplos: planejamento do trabalho,
balancetes, demonstrações contábeis e análise de contas
etc.[grifo nosso]

Gabarito: A.
(TRF 2ª REGIÃO/CONSULPLAN/2017)
“Um auditor, ao realizar seu trabalho, encontrou uma
circunstância excepcional e julgou necessário não atender
um requisito relevante de uma norma.” Segundo a NBC TA
230, neste caso, o auditor
a) deve documentar como os procedimentos alternativos de
auditoria executados cumprem a finalidade desse requisito
e as razões para o não atendimento.
b) não deve documentar como os procedimentos alternativos
de auditoria executados cumprem a finalidade desse
requisito e as razões para o não atendimento.
(TRF 2ª REGIÃO/CONSULPLAN/2017)
“Um auditor, ao realizar seu trabalho, encontrou uma
circunstância excepcional e julgou necessário não atender
um requisito relevante de uma norma.” Segundo a NBC TA
230, neste caso, o auditor
c) deve documentar como os procedimentos alternativos de
auditoria executados cumprem ou não a finalidade desse
requisito e as razões para o não atendimento.
d) deve documentar como os procedimentos alternativos de
auditoria executados cumprem a finalidade desse requisito
sem a necessidade de expor as razões para o não
atendimento.
(TRF 2ª REGIÃO/CONSULPLAN/2017)
Comentários: Questão aborda uma situação específica de
como o auditor deve proceder quando, ao realizar seu
trabalho, encontrar uma circunstância excepcional e julgar
necessário não atender um requisito relevante de uma
norma. Segundo a NBC TA 230(R1):
Não atendimento de exigência relevante
12. Se, em circunstâncias excepcionais, o auditor julgar
necessário não atender um requisito relevante de uma
norma, ele deve documentar como os procedimentos
alternativos de auditoria executados cumprem a finalidade
desse requisito, e as razões para o não atendimento (ver
itens A18 e A19). [grifo nosso] Gabarito: A.
(TRF 2ª REGIÃO/CONSULPLAN/2017)
Segundo a NBC TA 230, um auditor, na conclusão da montagem
do arquivo final de auditoria, pode fazer novas
modificações na documentação de auditoria durante o
processo final de montagem. Segundo a NBC TA 230, o
auditor pode fazer estas modificações, se elas forem de
natureza:
a)Civil.
b)Criminal.
c)Trabalhista.
d)Administrativa.
(TRF 2ª REGIÃO/CONSULPLAN/2017)
Comentários: Questão aborda aspecto específico quanto às
modificações que podem ser feitas na documentação de
auditoria durante o processo final de sua montagem.
Segundo a NBC TA 230(R1):
A22. A conclusão da montagem do arquivo final de auditoria
após a data do relatório do auditor é um processo
administrativo que não envolve a execução de novos
procedimentos de auditoria nem novas conclusões. Contudo,
novas modificações podem ser feitas na documentação de
auditoria durante o processo final de montagem se essas
forem de natureza administrativa. Exemplos de tais
modificações incluem:
(TRF 2ª REGIÃO/CONSULPLAN/2017)
(a) apagar ou descartar documentação superada;
(b) selecionar, conferir e acrescentar referências
cruzadas aos documentos de trabalho;
(c) conferir itens das listas de verificação evidenciando
ter cumprido os passos relativos ao processo de montagem
do arquivo;
(d) documentar evidência de auditoria que o auditor
obteve, discutiu e com a qual concordou junto aos membros
relevantes da equipe de trabalho antes da data do
relatório de auditoria.[grifo nosso]
Gabarito: E.
(ITABAIANA/CONSULPLAN/2010)
Entende-se por papéis de trabalho, o conjunto de
formulários e documentos que contêm informações e
apontamentos coligidos pelo Auditor Interno, no decurso do
exame. Identifique a principal finalidade dos papéis de
trabalho:
a)Fornecer dados ao contador para elaboração das
demonstrações contábeis.
b) Ajudar a empresa na maximização de seus lucros.
c)Ajudar o Auditor, independente do preparo das
demonstrações contábeis.
(ITABAIANA/CONSULPLAN/2010)
Entende-se por papéis de trabalho, o conjunto de
formulários e documentos que contêm informações e
apontamentos coligidos pelo Auditor Interno, no decurso do
exame. Identifique a principal finalidade dos papéis de
trabalho:
d) Registrar as evidências obtidas durante a execução do
trabalho de auditoria.
e) Constatar fraudes e desperdícios.
(ITABAIANA/CONSULPLAN/2010)
Segundo a NBC TA 230(R1):

Gabarito: D.
AMOSTRAGEM EM AUDITORIA

Prof. Tonyvan
AMOSTRAGEM EM AUDITORIA
AMOSTRAGEM EM AUDITORIA
AMOSTRAGEM EM AUDITORIA
AMOSTRAGEM EM AUDITORIA
AMOSTRAGEM EM AUDITORIA
QUESTÕES
AMOSTRAGEM EM AUDITORIA

Prof. Tonyvan
(EXAME CFC/FBC/2016.1)
De acordo com a NBC TA 530 – Amostragem em Auditoria,
quanto à definição da amostra, tamanho e seleção dos itens
para teste, julgue os itens abaixo como Verdadeiros (V) ou
Falsos (F) e, em seguida, assinale a opção CORRETA.
I. Em auditoria, é permitida somente a amostragem de
proporção estatística ou censo.
II. A consideração da natureza da evidência de auditoria
desejada e as eventuais condições de desvio ou distorção
ou outras características relacionadas a essa evidência de
auditoria ajudam o auditor a definir o que constitui
desvio ou distorção e qual população usar para a
amostragem.
(EXAME CFC/FBC/2016.1)
III. O nível de risco de amostragem que o auditor está
disposto a aceitar afeta o tamanho da amostra exigido.
A sequência CORRETA é:
a) F, V, F.
b) F, V, V.
c) V, F, V.
d) V, V, V.
(EXAME CFC/FBC/2016.1)
Questão aborda aspectos gerais de amostragem em auditoria,
segundo a NBC TA 530. Analisando cada alternativa:
Item I: ERRADO. Permite-se o uso de amostragem de
proporção não estatística também.

Item II: CERTO.

Item II: CERTO.


Gabarito: B.
(EXAME CFC/FBC/2015.1)
De acordo com o que estabelece a NBC TA 530 – Amostragem em
Auditoria, assinale a opção INCORRETA.
a) Ao considerar as características da população da qual a
amostra será extraída, o auditor pode determinar que a
estratificação ou a seleção com base em valores é apropriada.
b) Ao definir uma amostra, o auditor determina a distorção
tolerável, para avaliar o risco de que o conjunto de
distorções individualmente irrelevantes possa fazer com que as
demonstrações contábeis apresentem distorções relevantes e
forneça margem para possíveis distorções não detectadas.
(EXAME CFC/FBC/2015.1)
De acordo com o que estabelece a NBC TA 530 – Amostragem
em Auditoria, assinale a opção INCORRETA.
c) O tamanho da amostra é diretamente proporcional ao
risco que o auditor está disposto a aceitar, ou seja,
quanto menor o risco desejado, menor deve ser o tamanho da
amostra.
d) O tamanho da amostra pode ser determinado mediante
aplicação de fórmula com base em estatística ou por meio
do exercício do julgamento profissional.
(EXAME CFC/FBC/2015.1)
Comentários: Segundo a NBC TA 530:

Gabarito: C.
(EXAME CFC/FBC/2012.2)
De acordo com a NBC TA 530 – Amostragem em Auditoria, em
relação à definição da amostra, tamanho e seleção dos itens
para teste em Auditoria Independente, é INCORRETO afirmar que:
a) a amostragem de auditoria permite que o auditor obtenha e
avalie a evidência de auditoria em relação a algumas
características dos itens selecionados de modo a concluir, ou
ajudar a concluir sobre a população da qual a amostra é
retirada.
b) ao definir uma amostra de auditoria, o auditor deve
considerar a finalidade do procedimento de auditoria e as
características da população da qual será retirada a amostra.
(EXAME CFC/FBC/2012.2)
De acordo com a NBC TA 530 – Amostragem em Auditoria, em
relação à definição da amostra, tamanho e seleção dos itens
para teste em Auditoria Independente, é INCORRETO afirmar que:
c) o auditor deve selecionar itens para a amostragem, de forma
que cada unidade de amostragem da população tenha a mesma
chance de ser selecionada.
d) o nível de risco de amostragem que o auditor está disposto
a aceitar é afetado pelo tamanho da amostra exigido. Quanto
maior o risco que o auditor está disposto a aceitar, maior
deve ser o tamanho da amostra a ser efetuada.
(EXAME CFC/FBC/2012.2)
Comentários: Segundo a NBC TA 530:

Gabarito: D.
OBRIGADO
Prof. Tonyvan

Você também pode gostar