Você está na página 1de 391

GARRY KASPAROV

MEUS GRANDES PREDECESSORES VOLUME 1

Segunda Edição
2016
© Garry Kasparov 2002
Primeira edição em português: agosto de 2004
© Editora Solis 2004
Segunda edição em português: junho de 2016
© Editora Solis 2016
Editores: Francisco de Assis Garcez Leme e Jussara Chaves Garcez Leme
Impresso no Brasil
ISBN: 9788598628158
Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP)
(Câmara Brasileira do Livro, SP, Brasil)

Kasparov, Garry
Meus Grandes Predecessores: uma história moderna sobre o desenvolvimento do
uogo de xadrez/Garry Kasparov; com a contribuição de Dmitry Plisetsky; tradução da 1a edição
de Giovanni Portilho Vescovi - 2a edição Santana de Parnaíba, SP; Editora Solis 2016
Título original: Maí Velikiye Predschestvenniki: Tom 1
Conteúdo: V1 Steinitz, Lasker, Capablanca e Alekhine
1. Xadrez 2. Xadrez História I Plisetsky, Dmitry li. Título

04-5156 CDD -794.12

As fotografias e ilustrações incluídas neste livro procedem dos arquivos da revista "Shajmaty URSS " e do
Museu do Xadrez da Rússia, assim como dos arquivos pessoais do autor e dos arquivos da Editora So/is,
além de diversas colaborações de Jean-Michel Pechiné, Jsaak Linder, Jgor Botvinnik, Valter Heuer, Sergei
Voronkov e Boris Turov.

Direitos exclusivos para Brasil e países de expressão em língua portuguesa. Nenhuma parte desta publicação
pode ser reproduzida, annazenada ou transmitida em qualquer forma, nem por qualquer meio, seja eletrônico,
químico, mecânico, ótico, de gravação ou de fotocópia, sem autorização prévia e por escrito do editor. A infra-
ção dos direitos do autor e do editor pode constituir delito contra a propriedade intelectual.

A Editora Solis dedica a publicação da segunda edição deste livro à memória dos
Mestres Internacionais Alexandru Sorin Segai e Hélder Câmara do Brasil e do
Mestre Internacional Joaquim Durão de Portugal.

EDITORA

SOLIS
Alameda Itanhaém 810
06542-140 - Santana de Parnaíba - SP - Brasil
www.editorasolis.com.br
contatos: comercial@editoraso)is.com.br
SUMÁRIO

Introdução

O xadrez antes de Steinitz

Wilhelm Primeiro

Emanuel Segundo

Jose Raul Terceiro


Alexander Quarto

,
Indice de Partidas
INTRODUÇÃO
OS CAMPEÕES COMO SÍMBOLO DE SEU TEMPO

Há algum tempo desejava escrever um livro sobre a história moderna do xadrez. E além disso,
desviando do enfoque tradicional, demonstrar o progresso contínuo do jogo através das partidas dos
campeões mundiais, já que este é um grupo de elite de superestrelas (apenas 14 em 117 anos!) que fize-
ram as maiores contribuições ao xadrez: para conquistar o título supremo, tiveram que superar os melho-
res dos melhores, descobrir algo novo, e pegar desprevenidos adversários altamente experientes e talen-
tosos.
De acordo com a lenda mais aceita, um lento jogo de guerra semelhante ao xadrez foi criado
há aproximadamente dois mil anos na Índia, que a sofrer leves alterações, fez a longa e infindável jorna-
da através do sul da Ásia Central, Pérsia, países árabes do oriente médio para a Península Ibérica. No
entanto, a versão hindu da origem do jogo de xadrez tornou-se conhecida dos europeus somente ao final
do século XVII. Apenas uma coisa pode-se afirmar com certeza: o xadrez moderno originou-se no sécu-
lo XV no Mediterrâneo. E esta já é uma invenção puramente européia - um jogo intelectual, nos mol-
des de uma guerra psicológica.
Os melhores mestres de xadrez de cada época estão intimamente ligados aos valores das socie-
dades em que viveram e trabalharam. Todas as mudanças de fundo cultural, político e psicológico são
refletidas no estilo e nas idéias de seus jogos. Essa profunda conexão pode ser acompanhada através do
tempo. Não parece lógico que na era do Renascimento, nos séculos XV-XVII, o xadrez tenha se desen-
volvido mais rapidamente na Espanha e na Itália? Teria sido casualidade o fato de o primeiro mestre a
tentar criar uma teoria de jogo posicional, o grande François-André Philidor (casualmente um famoso
compositor e amigo de Diderot) ter vivido na época do Iluminismo e da filosofia do racionalismo? E
quanto ao slogan que formulara em meados do século XVIII: "Os peões são a alma do xadrez!" Não
escutamos aí ecos da vindoura Revolução Francesa?
Mais tarde, na primeira metade do século XIX, em total concordância com a realidade geopo-
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

lítica, o xadrez foi a arena para batalhas entre os melhores jogadores da Inglaterra e da França:
McDonnel- LaBourdonnais, Staunton - Staint-Amant. .. Nos meados do século, o ilustre romântico do
xadrez Adolf Anderssen era o principal jogador. Seu estilo era aquele de ataques destemidos ao rei, com
sacrifícios intrincados, personificando o triunfo da mente sobre a matéria (totalmente típico de um ale-
mão instruído e não alienado às idéias de Hegel e Schopenhauer) .
Também lembramos o brilhante vôo do gênio norte-americano Paul Morphy, que em um par
de anos (1857-59) conquistou ambos, o Novo e o Velho Mundo. Ele revelou ao mundo uma estrondo-
sa mistura de pragmatismo, agressividade e precisão de cálculo - qualidades que permitiram à América
realizar um poderoso salto na segunda metade do século XIX.
O torneio internacional de Londres em 1883 intrigou o público - quem era de fato o mais forte:
Wilhelm Steinitz ou Johann Hermann Zukertort? E em 1886 (somente após a morte de Morphy!) eles
finalmente se encontraram num match oficial pelo título de "Campeão do Mundo". Foi assim que este
título surgiu, fruto do reconhecimento público do resultado de um confronto entre os dois melhores
jogadores do planeta. Passando pela lista dos catorze campeões do mundo, novamente observamos um
inseparável vínculo entre o xadrez e o ambiente social.
Wilhelm Steinitz (campeão mundial 1886-1894)
Steinitz dominou de forma efetiva o cenário enxadrístico a partir do início da década de 1870. Era um
ardente seguidor do método científico, que em sua opinião podia prover a chave para a resolução de
qualquer problema que surgisse sobre o tabuleiro. Foi o primeiro a dividir a posição em seus elementos,
a captar seus fatores mais importantes e a estabelecer os princípios gerais de estratégia. Essa foi uma
grande descoberta, um ponto de virada na história do xadrez! Mas na prática Steinitz com frequência
superestimava a importância da teoria de jogo posicional que havia criado e confiava de forma excessi-
va em princípios abstratos. Bem, foi uma verdadeira criatura de sua época materialista, quando prevale-
cia a ingênua crença na onipotência da ciência e na inevitabilidade de que todos os processos naturais
logo seriam completamente compreendidos.
Emanuel Lasker (campeão mundial 1894-1921)
Nascido na Alemanha, doutor em filosofia e matemática, Lasker foi o primeiro, e até então o único joga-
dor a considerar a importância de fatores psicológicos. Excelente tático e estrategista, ao mesmo tempo
percebeu que a arte de explorar as deficiências do adversário era às vezes muito mais importante que a
habilidade de fazer os lances corretos. Um profundo conhecimento da psicologia humana e uma com-
preensão do valor relativo da estratégia no xadrez ajudaram-no a vencer quase todos os eventos em que
competiu, e a manter seu título de campeão por 27 longos anos. Um recorde absoluto! E quem eram
naquele tempo os mestres do pensamento? Einstein e Freud, é claro. Como dizem, comentários são
supérfluos ...
José Raúl Capablanca (campeão mundial 1921-1927)
''A máquina de xadrez", como o gênio cubano era chamado devido à pureza do seu estilo de jogo. Um
favorito do público, uma pessoa de maneiras refinadas e um homem do mundo. O grande Capa esma-
gou seus adversários aparentemente sem o menor esforço, com formidável facilidade e elegância.
Também era cativante o fato de conquistar suas brilhantes vitórias aparentemente sem qualquer traba-
lho sério de preparação. Mas agora recordemos aquela época, os anos da esperança e do otimismo, quan-
do o mundo gozava a paz e a tranqüilidade após os horrores da Primeira Guerra Mundial. Foi naquela
época que a exportação global dos valores culturais americanos começou, dos bestsellers literários às pro-
duções de Hollywood. Histórias envolvendo heróis de sucesso, com sorrisos deslumbrantes e invariáveis
finais felizes curavam as feridas da guerra recente. E Capa, como um desses heróis do mundo escolhido
pelo destino, correspondeu exatamente ao espírito da época.
Alexander Alekhine (campeão mundial 1927-1935, 1937-1946)
Filho de uma familia nobre e rica, e ao mesmo tempo o primeiro campeão da Rússia Soviética! Antes

6
Introdução

disso conheceu muito sofrimento nos duros tempos de guerra e revolução. Veio a imigração para a
França, o diploma de doutor em Direito, a grandiosa batalha com Capablanca, anos de viagens, vitórias
e denotas, a Segunda Guerra Mundial, torneios na Europa ocupada, acusações de colaboração com os
nazistas e a ameaça de desqualificação... O estilo de Alekhine foi a personificação da agressão psicológi-
ca. Enorme trabalho de preparação, energia explosiva no tabuleiro e uma determinação maníaca de liqui-
dar seus adversários, junto com uma rica imaginação combinatória. Tudo isso se assemelha de forma
espantosa às devastadoras guerras que abalaram a Europa na primeira metade do século XX. Perto do
fim, novo impulso foi dado ao pêndulo da vida de Alekhine: Botvinnik, o novo campeão soviético, desa-
fiou-o oficialmente para um match pela coroa mundial. Porém, o rei faleceu prematuramente, permane-
cendo dessa forma invicto.
Max Euwe (campeão mundial 1935-37)
Um símbolo da época de revolução científica e tecnológica, o começo da era da energia atômica e do
computador. Um fervoroso seguidor e popularizador dos ensinamentos de Steinitz, "um pragmático,
que estudou tudo o que havia sobre xadrez", Euwe foi também doutor em Matemática e proeminente
especialista em eletrônica; em certo momento foi o presidente da comissão Euroatom de programação
de xadrez. Foi o primeiro dentre os reis do xadrez a se tornar Presidente da Federação Internacional de
Xadrez - Fédération Internationale des Échecs - FIDE (1970), não sem a influência de Botvinnik, que
pensava que "somente um enxadrista que tenha sido um campeão mundial pode entender a importân-
cia da firmeza e correção das regras para a condução de um campeonato mundial."
Mikhail Botvinnik (campeão mundial 1948-1957, 1958-1960, 1961-1963)
Desde a juventude um comunista firme. O estilo frio e implacável do Patriarca da Escola Soviética de
Xadrez, baseado em profunda preparação de aberturas e também psicológica - não é isto o símbolo do
poder do regime de Stalin! Para jogar no mais alto níve~ Botvinnik estudou xadrez de forma muito séria,
científica e profissional. Foi campeão nos primeiros anos da Guerra Fria, quando o esporte emergiu na
ucna da política mundial, e foi transformado em um instrumento na batalha ideológica entre o Leste e
o Oeste. Mas o esporte profissional estava então apenas em sua infância, enquanto a ciência era dese-
nhada em especulações atômicas, cósmicas e de computadores. Vale lembrar que Botvinnik era doutor
cm tecnologia e um dos pioneiros na programação de xadrez.
Vaaily Smyslov (campeão mundial 1957-1958)
Sem dúvida um símbolo do início do degelo, a era comparativamente libertadora. A morte de Stalin, o
'lJJ" Congresso do Partido Comunista, o começo da reabilitação das vítimas da repressão, o festival mun-
dial de jovens em Moscou... Ao trono do xadrez escalou um homem moderado e inteligente, possuidor
de uma bela voz de baritono, que sonhava com uma carreira de cantoL Ele não era um comunista, e sua
profunda religiosidade parecia pressentir o renascimento da Igreja Ortodoxa. Além disso, o estilo de
Smyslov era muito mais suave e leve que o de Botvinnik, atropelante como um tanque de guerra. Esses
gigantes jogaram três matche.r entre si! Lamentavelmente Smyslov, que era então claramente o melhor
jogador do mundo, não manteve o título por muito tempo: a era passada não queria dar passagem.
Mikhail Tal (campeão mundial 1960-1961) ·
Embora sua manutenção do título tenha sido a mais curta, Tal sem dúvida permanece como uma das
mais brilhantes estrelas da história do xadrez. Seu estilo ousado e arriscado com suas surpreendentes
combinações e sacrifícios, sua juventude, seu irrefreável otimismo e sagacidade, tudo isto refletia as espe-
ranças da sociedade soviética, a qual mal havia despertado depois da escuridão do stalinismo e ansiosa-
mente respirara um quê de liberdade no degelo de Krushchev. Tal tomou-se campeão em 1960, mas seu
jogo fogoso havia cativado o público já em 1956. Sua vitória sobre Botvinnik foi o triunfo de um poeta
incansável sobre um técnico materialista (em 1951 Bronstein esteve perto disto, mas a hora ainda não
havia chegado). Porém, no match de volta realizado um ano depois o jovem romântico não teve qual-
quer chance contra a "muralha do sistema soviético". Casualmente, foi em 1961 que os primeiros sinais

7
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

do fim do degelo apareceram. Os apoiadores da linha dura haviam triunfado...


Tigran Petrosian (campeão mundial 1963-1969)
O perfeito filho da sua época, que veio substituir Botvinnik. Era o período do "início de Brezhnev", um
tempo de um metódico aperto de parafusos. Os processos contra Brodsky, o julgamento de Sinyavsky
e Daniel, a invasão da Tchecoslováquia, a completa asfixia da liberdade de expressão... A crença no
comunismo diminuiu, e seu lugar foi tomado pelo conformismo, reticência, cuidado e discrição. E para
Petrosian, com sua infância difícil, prudência sensata e enorme talento natural, qualidades que estavam
presentes em sua totalidade.
Boris Spassky (campeão mundial 1969-1972)
Um tipo de dândi soviético, o mestre do ataque espetacular, um ator natural no palco do xadrez.
Também um grande talento, mas ao mesmo tempo uma pessoa ousada e independente, conhecido por
seus comentários cáusticos e não preconceituosos. Em contraste com outras celebridades, ele nunca se
agarrou ao poder, não tentou tirar nada dele e jamais tentou retirar ganhos políticos de seu nome. O
comportamento dissidente de Spassky, como o de várias figuras proeminentes nas ciências e na cultura,
refletiu uma crescente hostilidade da geração pós-Stalin do povo soviético contra o regime decadente.
Uma nova onda de emigração começou... Em 1976 Spassky também fugiu para a liberdade, casou-se
com uma francesa e mudou-se para um subúrbio de Paris. Mas foi privado da bandeira vermelha e de
seu salário do Comitê de Esportes da URSS somente após Linares 1983, quando o ex-campeão mundial
terminou em primeiro lugar, à frente do então campeão Karpov.
Robert James Fischer (campeão mundial 1972-1975)
O mais incansável e ambíguo dos campeões. Ao alcançar sucesso sem precedentes tomou-se uma lenda
viva. O estilo enérgico de Fischer é aquele de um "assassino no tabuleiro": dedicação monstruosa, pres-
são furiosa, a varrer tudo no seu caminho... O gênio solitário desafiou a formidável Escola Soviética de
Xadrez e, para o deleite do Ocidente, venceu! Exigia de forma firme e inflexível melhorias nas condi-
ções de jogo e respeito ao xadrez e aos enxadristas. Fischer modernizou praticamente todos os aspectos
do antigo jogo e bem poderia ter implementado a sua conversão em linhas profissionais. Mas devido a
certos traços de seu caráter e ao seu individualismo extremo, ao final tomou-se um recluso e manteve-
se afastado do processo de desenvolvimento do xadrez. Uma pena, já que este podia ser trazido a um
nível fundamentalmente diferente somente por Fischer, um proeminente contemporâneo dos Beatles,
hippies e dos protestos estudantis que exigiam uma maior liberdade individual...
Anatoly Karpov (campeão mundial 1975-1985)
O poderoso instinto de sobrevivência de Karpov, multiplicado pelo seu talento singular, deu origem a
uma extraordinária fusão do refinamento psicológico de Lasker com a técnica impecável, quase mate-
mática, de Capablanca. Um favorito de Brezhnev e um símbolo vívido da "estagnação", a última déca-
da do regime, quando a URSS invadiu o Afeganistão, e as autoridades do partido, escondendo-se por
trás da decadente ideologia, fizeram de tudo para conseguir enriquecimento pessoal. Precisamente
durante esses anos a FIDE tomou-se uma organização dirigida por países do bloco socialista e do
Terceiro Mundo, de forma efetiva pela União Soviética e pelo seu campeão mundial Anatoly Karpov.
Corrupção, estagnação, cinismo e conformismo eram as características típicas da realidade soviética no
crepúsculo da era comunista. Mas o Ocidente aceitou a idéia de uma coexistência pacífica dos dois sis-
temas e estava preparado para viver com dois padrões por um longo período ainda. Os dois matches pela
coroa mundial entre Karpov e Kortchnoi (1978 e 1981) são uma excelente ilustração daquele período.
Kortchnoi, mesmo após tornar-se um ocidental e obter o apoio do mundo livre, não foi capaz de supor-
tar o impiedoso poder da máquina soviética.
Garry Kasparov (campeão mundial 1985-2000)
Vejo meu próprio estilo como sendo um tipo de simbiose dos estilos de Alekhine, Tal e Fischer. Tomei-
me campeão no ano histórico de 1985, o primeiro ano da Perestroika de Gorbachev, a qual conduziu ao

8
Introdução

rompimento da URSS e à mudança fundamental no mapa mundi. Uma tempestade de mudanças varreu
o planeta, alterando a vida de milhões de pessoas. No xadrez também a velha ordem não conseguiu
sobreviver. Depois de um número de tentativas desesperadas de retomar o passado (mais três matches
posteriores com Karpovl), manteve um um novo rumo e procura tornar-se um dos principais tipos de
esporte profissional. Não obstante, muitas mudanças ainda restam à frente, tanto no xadrez quanto no
mundo como um todo.
Vladimir Kramnik (campeão mundial 2000-?)
No limite dos séculos XX e XXI, na Rússia e também no Ocidente, chegou a época do mercado prag-
mático e de questões como "quanto vale sua empresa?" ou "quanto custa suas ações?". E surgiu no
Olimpo do xadrez uma pessoa que personificou este enfoque em seu estilo de jogo e de vida. A propor-
ção de seu talento, própria de um campeão, era evidente já no início da década de 90, quando eu insisti
na inclusão de Volodya na equipe olímpica russa, mas seu estilo alcançou sua plenitude somente perto
de nosso match em 2000. Este é o ápice do pragmatismo, uma singular síntese do insight psicológico de
Lasker, da profunda preparação de aberturas de Botvinnik e da extraordinária tenacidade de Karpov, cuja
coletânea de partidas era o livro de cabeceira de Kramnik...
Um local verdadeiramente representativo para a história do xadrez é Praga, cidade na qual em
1836 nasceu o primeiro campeão mundial e na qual em maio de 2002 o Presidente da FIDE Kirsan
Iljumzhinov, juntamente com os 13º e 14º campeões mundiais, assinou uma "Resolução para unir o
mundo do xadrez". Com isso, uma linha foi desenhada sob a histórica disputa relativa a quem pertence
o título de "Campeão do Mundo": como um resultado da unificação, o único detentor de direito e a
única organização a realizar o campeonato mundial oficial fica sendo a FIDE. Essa foi uma concessão
séria, mas necessária por parte dos campeões. Hoje não há outra forma de trazer para o xadrez o dinhei-
ro das grandes corporações e de garantir uma vida decente para centenas de profissionais.
Na seqüência está a criação de um sistema dinâmico para conduzir o campeonato mundial: um
ciclo bienal, consistindo em um torneio classificatório eliminatório, quartas-de-final e semifinais de mat-
ches de candidatos e um match pelo campeonato mundial de 12 partidas; além disso, o campeão agora
juntar-se-á no estágio das semifinais, e subseqüentemente até mesmo nas quartas-de-final.
Aparentemente, o anterior significado e simbolismo do título de "Campeão do Mundo" deve-
rá desvanecer-se no passado. O que fazer? A rápida aceleração no ritmo da vida, e a computadorização
e comercialização geral também exercem uma enorme influência no xadrez. Seu desenvolvimento está
entrando em nova fase, a da realização prática das idéias acumuladas ao longo dos anos, e à frente está
o elemento competitivo. É possível que meu match com Kramnik (Londres 2000) venha a ser o último
a fazer sérias mudanças no nosso entendimento do jogo...
Tal uma vez fez um comentário justo de que a história da batalha pelo campeonato mundial
não é criada somente pelos jogadores, mas também pelos seus brilhantes rivais. E, de fato, além dos cam-
peões mundiais há um outro pequeno grupo de elite de jogadores que tiveram um papel enorme no
desenvolvimento do xadrez (alguns deles estiveram muito perto do título supremo e não o conquista-
ram talvez pelos misteriosos caprichos do destino). Basta lembrar os nomes de Zukertort, Chigorin,
Tarrasch, Pillsbury, Schlechter, Rubinstein, Nimzowitsch, Réti, Keres, Bronstein, Geller, Larsen,
Polugaevsky, Korchnoi ... É claro, seus destinos também são indissociáveis de seus tempos, e vou me
esforçar para falar ao menos brevemente sobre cada um desses gigantes do xadrez.
Mas agora é hora de iniciarmos nossa caminhada. A esperar pelo leitor está uma maravilhosa
coleção de obras de arte, criadas pelos melhores enxadristas do mundo e estudadas sob o microscópio
dos últimos programas analíticos de computador - e por conseguinte, um grande número de maravilho-
sos achados e descobertas. Espero que este trabalho possibilite ver a colossal evolução do xadrez duran-
te os últimos cento e cinqüenta anos, que é totalmente comparável com o progresso científico e tecno-
lógico.

9
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

Espero que meu livro interesse não só aos profissionais e inveterados entusiastas do xadrez,
mas também a todos aqueles que ainda não estão imbuídos de um profundo amor por este jogo antigo
e verdadeiramente real.

Garry Kasparov
Abril 2003

10
CAPÍTULO UM
O XADREZ ANTES DE STEINITZ

As etapas no desenvolvimento histórico do jogo 12.l!fh.3+ We4 t3.l!id3 mate.


de xadrez lembram o caminho trilhado por todos l.e4 e5 2.f4 f5?! 3.ex5 'ifh.4+ 4.g3 't!ie7 5.l!fhs+?!
alpldes que evoluem de iniciantes a jogadores de alto (5.fxe5! 1!fxe5+ 6.1!fe2 é melhor) 5...©d8 6.fxe5
and. Inicialmente todos reproduzem de forma lixes 7.J;.e2 (7.1!fe2! 'ii'x5 8.J;.h3) 7... lz::\f6 8.1!fo
iaconsciente a maneira de jogar dos séculos XVI e d5 9.g4? h5! 10.h3? hxg4 ll.hxg4 ~hl 12.l!fxhl
XVII: nunca desperdiçar a chance de dar um xeque, 1!fg3+ 13.Wdl lz::\xg4 14.l!fxd5+ ii.d7 15.lz::IO
11:17.er a dama rapidamente para o jogo e, sem pensar lz::\f2+ 16.'it>el lz::\d3+ 17.©dl irei+ 18.lz::\xel lz::\f2
dne o desenvolvimento das peças, lançar um ata- mate.
que direto ao rei adversário. A combinação ou tem
sucesso, ou de forma repentina se mostra completa-
mente incorreta O nível de defesa é terrivel e há uma
ausência completa de qualquer plano profundo.
Este estilo, inspirado no talento e na imaginação
de seus realizadores, tomou-se conhecido no xadrez
como a Escola Italiana. Um manuscrito de seu len-
dário representante, Gioacchino Greco (1600-
1634), é repleto de miniaturas que se assemelham
àquelas que ocorrem com todos os novatos:
l.e4 e5 2.lz::10 'i!Hf6? 3.it.c4 1!fg6 4.0-0 1!fxe4?
5..i.xf7+! We7 6.~l 1!ff4 7.~e5+ ~f7 8.d4
1!ff6 9.li:\g5+ ©g6 10.1!fd3+ 'i!?h.5 l lg4 e mate.
l .e4 e6 2.d4 lz::lf6?! 3.li.d3 là:6 4.lz::10 ~7 5.h4 0- O que é isso senão um monumento à era! Basta
0? 6.e5 00 7.iv<h7+! @xh7 8.lz::\g5+ lv<g5 olhar a ala da dama das brancas...
9.hxg5+ Wg6 IO.l!fh5+ 'i!?f5 I I.l!fh7+ g6 No entanto, Greco também apresentou algumas

11
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

variantes de valor teórico, como por exemplo um O espírito combinatório dos gambitos reinou no
famoso ataque com sacrificio de torre na Abertura xadrez até meados do século XVIII, até o surgimen-
Italiana: 1.e4 e5 2.~f3 ~c6 3.~c4 ~5 4.c3 ~f6 to de François-André Danican Philidor (1726-
5.d4 exd4 6.cxd4 ..tl,4+ 7.~3 ~xe4 8.0--0 ~xc3 1795), um jogador fora do padrão e casualmente um
(8 ... ~c3!) 9.bxc3 ~c3? 10.l!fb3 (10 ..ta'.3! é famoso compositor e um dos fundadores da ópera
melhor ainda) 10 ...~al? (10 ... d5!) ll.~xt7+! cômica francesa. Na sua juventude Philidor frequen-
~ 12.~5 ~7 13.~5! ~d4 (ou 13 ... d6 tou o Café de la Régence em Paris, onde aprendeu o
14.~g6!)141'.g6! d5 15.l!ff3+ M5 16~f5 ~e5 jogo do mais forte jogador francês Legall (quem não
17.~e6+ ~ 18.~f6 e ganham. se lembra do famoso mate que traz seu nome: 1.e4
"Os mestres daquela época", escreve Lasker, e5 2.~c4 d6 3.~f3 ~4 4.~c3 g6 5.~xe5 ~dl
"encontravam um plano eficiente e frutífero: sem 6.~t7+We7 7.~5 mate). Em ummatchem 1747
preocupação com os peões, conseguiam um rápido ele arrasou Stamma, o talentoso jogador sírio inven-
desenvolvimento das peças para um ataque veloz ao tor da notação algébrica e autor de uma popular cole-
rei. Em oposição a isso, surgiu um contraplano: ção de 100 posições de problemas e estudos (1737).
desenvolvimento das peças em posições sólidas, acei- Philidor era tão mais forte que seus contemporâ-
tação dos sacrificios e então vencer graças à superio- neos, que desse momento até o fim da vida só jogou
ridade material. Os mestres do primeiro tipo encon- contra todos dando vantagem. Assim, o aconteci-
traram e desenvolveram combinações brilhantes, mento mais significativo para o xadrez na época não
enquanto os do segundo tipo perceberam a troca sis- foram as suas vitórias, mas a sua criação de um
temática das peças como meio de enfraquecer e parar manual absolutamente inovador, L'anafyse du jeu des
o ataque. Os mestres do primeiro tipo são os inven- Échecs (1749, 1777, no total de aproximadamente 100
tores dos gambitos, enquanto os do segundo tipo edições!). Philidor foi o primeiro a submeter as aber-
descobriram o Giuoco Piano (ie, 'Jogo tranquilo" na turas a um estudo sistemático e científico e a traçar
.Ahertura Italiana: /. e4 e5 2. éZJIJ éZJc6 3.11.c4 11.c5 certos princípios gerais de jogo.
4. dJ ou 4. éZJcJ - Garry Ka.sparov, referido G.K), o fian- Em oposição aos ataques imprudentes das peças
chetto e a Defesa Siciliana". Quem poderia imaginar ao estilo da Escola Italiana, que no século XVIII era
então que a modesta 'Siciliana' viria a ser a principal personificada pelos mestres de Modena - Lolli, del
e mais aguda abertura dos nossos tempos? Rio e Ponziani - ele foi o primeiro a propor um plano
posicional, baseado numa distinta teoria de peões:
''Peões são a alma do xadrez; de seu posicionamento
correto ou equivocado depende o sucesso do ataque
ou da defesa; a arte de jogar com os peões decide o
destino da partida".
Peões à frente, peças atrás: esse, em poucas pala-
vras, era o plano de Philidor. Darei um exemplo típi-
co do L'anafyse, ilustrando este argumento.

23.~g3 (com a ameaça inequívoca de f4-f5)

12
O xadrez antes de Steinitz

n_li)eJ 2. ''Peões, especialmente os centrais, que tenham


-O cavalo avança para cortar a comunicação entre as avançado além da quinta fileira, perdem parte de sua
peças [brancas] e quebrar a força de seus peões atra- força, uma vez que podem ser facilmente atacados
ws do avanço do peão g, mas as brancas impedem- pelos peões inimigos da sexta fileira" (um elogio
_, sacrificando sua torre." (Philidor) direto à Defesa Alekhinel).
M.llxe3! dxe3 25.!fxe3 llxa2 (o hwnilde 3. ''É sempre vantajoso trocar seu peão-f pelo
25.. lwe8 parece mais tenaz, embora ainda assim a peão-e, uma vez que isso leva ao domínio do centro
Wlll3geOl branca seja considerável) 26.llet! e também à abertum de uma coluna para a torre" (a
~ que o peão não seja desamparado quando se ideologia do Gambito do Rei e de uma abertura do
jogar f4-f5." (Philidor) 26.•.'i!fxb3 27.'ili'e4 'ife6 século XIX - a Abertum Vienense).
21.fS gxf5 29.gxt3 (aqui está, o sonho de Philidor!) O jogo de acordo com a teoria de peões frequen-
i,_1!fc15 30.'ffxds+ cxd5 31.i.xb5 (as brancas temente era demorado, chegando até a fase final das
aio têm sequer um peão pela qualidade, mas seu par partidas. O dom investigativo de Philidor manifes-
de peões passados unidos é muito forte) 3t .. .fz)b6 tou-se com ênfase também nesse campo: um enor-
me passo foi dado por suas agora clássicas análises
dos finais de "torre e peão contra torre", "torre e
bispo contra torre", "dama contra torre e peão", etc.
São de posições típicas de finais que se origina o con-
ceito de um plano.
Entretanto, o problema para o desenvolvimento
posterior do xadrez foi que o mestre francês estava
muito além de seu tempo, e ninguém foi capaz de
jogar com sucesso de acordo com as regras por ele
propostas - tudo se reduzia a um jogo de manobras
demoradas e infrutíferas. O mundo do xadrez sim-
plesmente ainda não estava preparado para os prin-
cípios gerais do jogo posicional, especialmente em
posições fechadas, e para além da metade do século
32.ffi "Se você tem um bispo de casas brancas, deve XIX a orientação romântica da Escola Italiana domi-
pJlicionar seus peões em casas pretas; se um bispo nou - o que não obstante, e como veremos, enrique-
• casas pretas, então nas casas brancas. Assim seu ceu enormemente o xadrez.
Jlispc> impedirá as peças inimigas de se estabelecerem
émre os seus peões." Uma das regras clássicas de Os Primeiros Matches pela Coroa
l'llilidor, mais tarde adotada por Steinitz. 32... llb2 Após a morte de Philidor, por um longo periodo
33.JulJ 00 34.i.t3 itJc4 35.~b5 (com o inevitá- não houve de maneira clara um jogador mais forte na
wl e5-e6) 35...llgS+ 36.i.g4 ~ 37.e6+ ©g6 Europa. No início da década de 1820 os aspirantes a
31.rT. "Então o peão (e6) é promovido a Dama e as este papel foram o francês Alexander Louis
bancas vencem." Por exemplo, 38...llf8 39.~f4+ Deschapelles (1780-1847) e o proeminente escritor
4á!i'g7 40.i.b5 e e6-e7. inglês William Lewis (1787-1870). Então seus discí-
Philidor descobriu os princípios eternos da coor- pulos chegaram à liderança: Louis Charles de la
deoação das forças - "ataques verdadeiros são leva- Bourdonnais (1795-1840) e Alexander
dos a cabo através dos esforços conjuntos de várias McDonnell (1798-1835).
peças" (nesse ponto seu melhor discípulo foi La Bourdoonais nasceu em uma familia nobre e
Morphy) - e ele formulou várias outras regras distinta, mas aos poucos esbanjou sua saúde e os
importantes: seus bens, passando a ganhar a vida com o xadrez -
1. ''Nunca se deve iniciar um ataque antes que os o que naqueles tempos era uma ocupação nada inve-
peões que o lideram estejam devidamente apoiados" jável mesmo para os melhores - e o grande mestre
(e dispostos numa cadeia compacta, como uma mal conseguiu ter um fim digno. Embora tenha estu-
&lange). dado o L'Anafy.re de Plúlidor, não obstante jogava
com um estilo diferente de ataque intuitivo, de acor-

13
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

do com seu temperamento. Nas palavras de 1.asker, empresa comercial, ou seja, um homem bastante
"qualquer que fosse a posição do adversário, La próspero e diferentemente de La Bourdonnais, um
Bourdonnais intrepidamente conduzia seu plano, enxadrista amador. Um jogador de estilo agressivo e
lutando com coragem e imaginação pelo domínio do combinatório, desde o começo da partida lançava-se
centro". em uma luta feroz e com frequência pagava por isso.
Basta olhar o seu gambito provocativo 1.e4 e5 2.f4
exf4 3.ê2it3 g5 4.~c4 g4 5.ltk3?!(se as ~cas não
querem jogar 5.lile5, então realmente e melhor o
Gambito Polerio-Muzo 5.0-0) 5... gxf3 6.'i!fxf3.
Uma das suas partidas com La Bourdonnais seguiu
6 ....ih6 7.d4 li:lc6 8.0-0 ~d4 9.~f7+ ©xf7
10.°t!fh5+ Wg7 ll..~xf4, e outra 6 ... li)c6 7.d4
lz:Jxd4 8.~f7+ ©xf7 9.~5+ Wg7 10.0-0 tam-
bém com ataque para as brancas, embora após
6 ... d6! 7.d4 ~e6 a vantagem seja das pretas.

O organizador da série de seis matches entre


McDonnell e La Bourdonnais foi outro disápulo de
William Lewis: George Walker, um teórico, historia-
dor e escritor, fundador do Clube Westminster. A
famosa "maratona de Westminster'' (Londres 1834)
foi na essência a primeira batalha pela coroa do
xadrez, a precursora dos matches oficiais pelo cam-
peonato mundial. O vencedor como se sabe foi La
Bourdonnais: +45 -27 =13 (de acordo com outras
fontes, +44-30 =14). A seguinte partida excepcional
Louis Charles de la Bourdonnals permanecerá para sempre como o cartão de visitas
do mestre francês.
Em 1833 ele publicou um manual, New T realise
On The Game Of Chess (publicado posteriormente
também na Rússia), no qual pela primeira vez são Partida 1
dados conselhos de como traba1har de forma inde- A.McDonnel-LLa Bourdonnais
pendente com um livro de xadrez e calcular variantes Quarto Match, Londres 1834, 16ª partida
mentalmente. E em 18361.a Bourdonnais fundou o Defasa Siciliana B32
primeiro periódico de xadrez do mundo - o mensal
Le Palamede (nome de um mítico herói grego, partici-
pante da Guerra de Tróia, a quem foi atribuída a 1. e4 c5 2. êz:Jf3
invenção do xadrez por um longo tempo na França; No parisiense C:ifé de la Régence preferiam 2.f4 -
a meu ver, esta é uma evidência indireta de sua ori- na sua época Deschapelles insistiu que "qualquer
gem mediterrânea: o mito pode bem ter surgido após outro lance é vantajoso para as pretas", e McDonnell
as guerras reais entre os séculos XIII-XV). muitas vezes jogou assim contra La Bourdonnais,
Antes em 1824, numa visita a Londres, La mas após 2 ... ezk6 3.êz:Jf3 e6 4.c3 d5 5.e5 f6 e ...lz:Jh6
Bourdonnais arrasou os mestres ingleses e foi pro- o francês teve mais sucesso (+4-8=1). Mais tarde
clamado por seus compatriotas como "o maior enxa- Staunton também pensou que 2.êz:Jf3 fosse um erro
drista da Europa". Os ingleses suportaram essa posi- e que 2.f4, como Saint-Amant jogou contra ele,
ção por 1O anos, até o surgimento de um adversário fosse melhor. Mas Morphy discordava categorica-
à altura para o francês. mente disso, chamando 2.f4 "um método completa-
O irlandês Alexander McDonnell (1798-1835) mente incorreto de jogo", e os lances 2.êz:Jf3 e 2.d4
era um comerciante, secretário de uma respeitável "os mais fortes". Está claro - concorda? - qual dos
adversários via o futuro. ..

14
O xadrez antes de Steinitz

2...loc6 3. d4 c><d4 4. ~><d4 eS! 8.li:JC3 0--0 9.lt.g5 l2Jxe4 (9 ...h6!?) 10.~e7 l2Jxc3
O ponto de exclamação é pelo rompimento com l I.1!i'xe5 &8 12.0--0 'tixe7 13.'i!ixc3 d5 14.ii.d3
a época! La Bourdonnais faz um lance que se tomou l!fd6 com igualdade, como em uma partida anterior
o ponto de partida de uma variante desenvolvida 150 no mesmo match.
anos mais tarde (O pelo grande mestre Sveshnikov. A Mas 7.0-0! é mais lógico. Na famosa partida
12" partida do match seguiu 4 ... ~d4? 5.'i!fxd4 e6 Morphy-Lõwenthal (Londres 1858) depois de
Uc4?! (6.li:JC3! é mais preciso) 6 ../iJe7 7.l2x3 7 ... d5?! (7 ... l2Jxe4?! 8.&1 d5 é ruim devido a
~ 8.'i!fdl Ac:5 9.0--0 0--0 com jogo ligeiramente 9.~e4 dxe4? 10.~f7+!) 8.exd5 cxd5 9.i.b5+
inferior. il.d7 10.~d7+ 'i!fxd7 11.&1 il.d6?! 12.~3
S.~c6 (12.it.g5! é mais preciso) 12 ...e4? (mesmo o supe-
Atualmente qualquer estudante sabe que se deve rior 12... 'i!ie6 13.il.g5 il.b4 14bf6 gxf6 15.l2Jxd5
jogar 5.loh5. Depois disso, a partir do final da déca- 0--0--0 16.c4 ~el 17.l!fxel teria deixado a iniciati-
à de 1950 costumava-se jogar 5 ... a6 6.l2id6+ ~d6 va com as brancas) 13.'i!fg5 e as pretas se encon-
7.1!'xd6 'i!ifü, por exemplo: 8.'i!idl (8.'i!fa3 ou até tram em grandes dificuldades. Entretanto, no caso
8.1'xf6 ~xf6 9.~3 também é bom) 8 ...'i!fg6 de 7 ...~e7! 8 ...~3 0--0 9.'i!id3 as brancas não
9.~3 fi:Jge7 10.h4 h5 ll.it.g5 d5 12.~e7 d4 contariam com muito. Elas têm um jogo livre, é ver-
13..ig5 dxc3 14.bxc3 'i!ixe4+ 15Jle2 fü 16.il.e3 dade, mas o resultado da abertura é satisfatório para
.ig4 com igualdade, Fischer-Tal, Torneio de ambos os lados...
Candidatos Curaçao 1962, mas 12.exdS! mantém a 7...il.e7 (Na 11 ª partida do match seguiu 7 ...il..c5
wntagem. Eot.ão Sveshnikov mostrou que 5 ... d6! 8.0--0 h6 9.~f6 'i!fxfü) 8.'ife2
6.c4 é mais sólido - aqui a vantagem branca é núoi- Concordo com Chigorin que propôs 8.~3
ma. Ab7 9.l!fe2 d5 10ltdl. Após 10... d4 11.0--0 0--0
Entretanto, 5.~c6 talvez seja melhor que a sua 12.~bl c5 13.00 l2id7 as pretas est.ão bem, mas
iq,utação. Na época pré Steinitziana buscava-se por até aqui as bmncas também não se comprometeram.
úpido desenvolvimento e ataque, e não se prestava 8... dS
atenção a tais nuaoças posicionais, como a fraqueza Esse lance é mais enérgico do que 8 ... 0--0, como
da casa d5. foi recomendado por vários comentaristas.
s... bxc6 6. ~4 ~f6 9. il.xf6?
Lõwenthal recomendou 6 ...il.a6 (com a ideia de Mas esse é um erro sério. ''As brancas poderiam
7ba6 'i!fa5+ (ou 7 ...'i!Ka5 8.0--0 ~fü 9.'i!fe2) ter simplificado a posição com vantagem; 9.exd5
8..tJxc4 'i!fe7 9.0--0 l!fc6 10.b3 ~f6 l I.i.b2 as cxd5 10.i.b5+ il.d7 ll.~d7+ l2Jxd7 12.~e7
brancas mantém alguma vantagem. 1Wxe7 13.~3 com pressão nos peões centrais."
(Neishtadt) Com licença, mas após 13 ... d4 14.~
'i!id6 15.c4 0--0 16.0--0 ~b6! essa pressão não vale
nada.
9...il.xf6 10. Ab3 ~ 11. 0-0 aS (com as
ameaças de 12 ... a4 e 12 ...il.a6) 12. e><dS c><dS 13.
ãdl d4 14. c4?
Aparentemente o erro decisivo: foi um equivoco
permitir aos peões pretos passassem, já que não será
possível bloqueá-los nas casas brancas. Após
14.00 a4 15.Ac4 a3 16.b3 i.b7 as brancas sim-
plesmente ficariam em posição pior (o adversário
tem o par de bispos, o centro, etc) mas ainda pode-
riam ter resistido.
14...'i!fb6 15. ~2 Ab7 16. ~ &e8
7.~?! O ganancioso 16...1Wxb2? teria jogado fora toda
Um lance fútil e contrário à posição: por que tro- a vantagem das pretas: 17.1Wd3 g6 18.&bl e4!
caros bispos? Também é inofensivo 7.'i!fe2 il.e7 19.~xe4 (19.!Ixb2 exd3 20.~d3 é igual)

15
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

l 9 ...iLxe4 20l!xb2 iLxd3 com provável empate. fxg2+ 27.Wxg2 'i!Ne4+ 28.Wglfil5.
17. ê'i:)e4 (mesmo assim 17.i.e4!? era mais 25. l::tc2!
tenaz) 17... itd8 (também era bom 17...ite7!'!) 18. A melhor chance de salvação! As brancas per-
c5 'i!Nc6 19. t'3 ite7 20. &cl f5! dem tanto após 25.cxb7? 'i!fe3+ 26.Whl fxg2+
O começo do fim: os bispos estão atirando de 27.Wxg2 ~+ 28.Wgl ~e2+ ou 25.gxf3 l!fe3+
longe e os peões rompem pelo centro, pelo que as 26.'i!thl 'i!i'xf3+ 27.'i!tgl lli3.
pretas não hesitam em sacrificar uma qualidade! 25•••'i!i'e3+ 26. Whl?
21.'i!Nc4+ Wh8 (mas não 21...l!fd5? 22.l!fb5 Retribuindo a gentileza. Com 26.lli2 (D. Le
itc6 em vista de 23.ii.b3 itxb5 24.itxd5+ Wh8 Moir) as brancas parariam o ataque: 26 .. .fxg2
25.êud6 iLxd6 26.cxd6 ~f6 27.&5 ID>8 28.f4!, 27.'i!Ne2!; 26 ... ~c8 (ou a8) 27.iLcl7! ou 26 ...li.a6!?
quando as pretas estão piores agora: 28 ... e4 29.ii.b7! 27.l!fxa6 ~5 28.'i!i'fl !
iLcl7 30.ãxd4! iLxb7 31 JJ..c7 i!xb2 32.!!xd7) 22. 26... itcS
h4 'i!fh6 Agora está tudo acabado. O computador tam-
bém sugere 26 ... d3 27.'i!fxd3 'i!fxd3 28.~d3 f2
29.~f2 30.h3 it.c8 3 l .c7 &2 32.~6 g6 ganhan-
do.
27.itd7 f2 (27 ... d3!'!) 28. l'.ifl d3 29. ãc3
it.xd7 30. cxd7 e4 (com a ameaça de 31...'i!i'e2
32.!kcl e3) 31. 'i!fc8 it.d8
Os comentaristas também apontaram outra
forma de vencer: 31...É!d8!? 32.~1 d2 33.~cdl
l!fe1 (JJ... HH'f4 34. HH'c4 :Jd6também épossível- G.K)
34.l!fc3 e3 35 ..lâdxel dxel'i!i' 36.!!xel .i.b4!
32. 'i!Nc4 (ou 32.~1 d2 33.&dl 'i!ff4! com as
ameaças 34....i.c7 e 34 ... e3) 32...'i!i'el 33. ãcl d2
34. 'i!i'c5É!g8 35. !!dl e3 36. 1!fc31!fxdl 37. !!xdl
23.itxeS? e2, e as brancas abandonaram. Que falange! Philidor
A última possibilidade de complicar o jogo era certamente se deliciaria com essa fantástica onda de
23.lZ:)d6! ~xd6 24.it.xe8 (ou 24.cxd6 ~c8 e peões.
ganham) 24 ...it.c7 25.c6 e4 26.cxb7 l!fxh2+
27.Wfl exf.3 28.gxf.3 it.g3! (Romanovsky apenas
considerou 28 ...l!fh3+ 29.We2 ~e8+ 30.Wd3
'i!fxf3+31.S'c2 'i!i'xb7 32.l!fxd4, embora mesmo
aqui após 32 ... h6 as pretas estejam ligeiramente
melhores) 29.'i!fxd4 ~xe8 e agora não 30.~?
~ l + 31.'i!i'gl \!fxf3 32.fü2 iLxf2 33.'i!i'xf2 'i!i'xb7
com dois peões de vantagem (Neishtadt) mas o lance
de computador 30.~c3! e as pretas ainda tem que
lutar pela vitória: 30 ...h5! 3 l.f4 h4 32.b8l!f! ~b8
33.!!d2 'it'hl+ 34.We2 'i!i'el + 35.Wd3 'i!i'fl +
36.Wc2 iLxf4 37.'i!Nf2 l!fxf2 38.~f2 g5 39Jâxf4
gxf4 40.É!hJ Wg7 41.~xh4 ãb4 com jogo vence-
dor. Este final inimitável é uma das posições mais
23... fxe4 (a avalanche de peões varre tudo no seu extraordinárias que ocorreram no século XIX!
caminho) 24. c6 (ou 24.l!fb5 li.a6 25.l!fc6 exf3 "O jogo tático de La Bourdonnais ao forçar o
26.gxf.3 l!fe3+ 27.Whl i.e2 ganhando) 24... ext3? avanço de seus peões passados cria uma forte
Uma imprecisão quase imperceptível mas substan- impressão," escreve Yaacov Neishtadt em seu livro
cial. Seria decisivo 24 ...'i!i'e3+ 25.Whl exf3 26.l!fb3 Nekoronovan1!JC Chempiof!Y (Campeões não Coroadas). "E

16
O xadrez antes de Steinitz

de forma incontestável esta partida revela sua supe- peariano de profissão, fundou e editou a revista Chess
rioridade estratégica. As combinações de La PJ.ryers Chronicle (1841-1854), escreveu uma coluna de
Bow:donnais eram baseadas em alicerces posicionais xadrez no 1/ustrated úndon News (1845-1874), estu-
mais sólidos. Foram esses os primeiros passos da dou teoria de aberturas (em particular criou o gam-
estratégia que seria demonstrada de forma tão bri- bito 1.d4 f5 2.e4!?), publicou quatro livros excepcio-
lhante ao final dos anos 1850 por Paul Morphy". É nais: Chess Pf(!yers Hmrdbook (1847 - com outras 18
dificil não concordar com isto: La Bourdoonais de edições nos 70 anos seguintes), uma coleção de par-
&to jogava mais profundamente que seu oponente, tidas dos seus três matches mais importantes, uma
enxergando trunfos estratégicos que o outro não coleção das partidas do primeiro torneio internacio-
pea:ebia, e isto decidiu os matches. nal em Londres (1852) e Chess Praxis (1860), que
Muito lamentavelmente logo em seguida ambos também incluía partidas de Morphy. Endossou as
os proeminentes jogadores morreram de forma pre- famosas "peças Staunton", que são usadas em todo
matw:a. A implacável disputa entre Inglaterra e o mundo por mais de século e meio, organizou o pri-
Fnnça continuou através de Howard Staunton meiro torneio internacional na história, sendo ainda
(1810-1874) e Pierre Charles de Saint-Amant o primeiro a tentar criar uma organização internacio-
(1800-1872). nal de xadrez...
Seu adversário Saint-Amant era então o melhor
jogador no Café de la Régence, aquele templo pari-
siense de Caissa, e gozava de considerável reputação
não somente como enxadrista e mercador de suces-
so, mas também como um editor (em 1842 ele revi-
veu a I.e Pa/amede) e como representante da França
em questões internacionais de xadrez.
As negociações sobre um match prosseguiram
com dificuldade, mas em novembro de 1843
Staunton finalmente chegou a Paris e no hall do Café
de la Régence, com um público recorde de especta-
dores, iniciou-se a batalha entre os dois melhores
jogadores do Velho Mundo. O vencedor seria o pri-
meiro a vencer 11 partidas. A agitação criada por
esta, como escreveram os jornais, "grande batalha de
xadrez entre França e Inglaterra" foi realmente gran-
de! Os franceses tinham certeza de que Saint-Amant
venceria (seis meses antes havia vencido seu oponen-
te num match curto: +3 -2 =1), mas um amargo
desapontamento lhe aguardava.
Após oito partidas o resultado estava + 7 = 1(!)
em favor de Staunton e após a 15ª partida o inglês
estava a apenas um passo de seu objetivo: +10-3 =2.
É bem verdade, isso provou não ser fácil: Saint-
Amant mostrou tenacidade e venceu a 16ª, a 19" e a
Howard Staunton 2<f partida. .. Mas o inevitável estava prestes a acon-
tecer.
Staunton aprendeu a jogar xadrez relativamente
tarde, e não conheceu pessoalmente McDonnell ou
Partida 2
La Bourdonoais, mas no começo da década de 1840
P.Saint-Amant-H.Staunton
já era superior a todos os seus rivais que pendiam, de
Match, Paris 1843, 21"partida
acordo com a já mencionada classificação de Lasker,
Defesa lndia da Dama E14
para mestres do "segundo tipo". A escalada de sua
atividade enxadóstica é impressionante! Um shakes-

17
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

l.d4 dS 2.c4
"O Gambito da Dama é um método bastante
seguro e instrutivo de abrir a partida; menos brilhan-
te, porque menos perigoso que os gambitos na ala do
rei, mas especialmente interessante ao estudante, pela
beleza e exigência da correção de jogo de ambos os
lados" (Staunton).
2 ... e6 3.e3 cS 4.•t'lc3 ~f6 5.~t3 iJ..e7
Por estranho que pareça, uma Defesa Tarrascli!
Além disso, antes da sétima e até a 17' partida
Staunton a havia jogado com sua variante principal
simétrica - ... ~6. 22.~h4?!
6.iJ..d3 b6 (6 ... dxc4!) 7.0--0 0--0 8.b3 iJ..b7 Uma manobra não menos estranha. Hoie em dia
qualquer candidato a mestre jogaria 22.€le5! sem
E agora a posição no tabuleiro é a da "variante cen-
pensar (em direção ao centro, mais próximo da casa
tral" da Defesa Índia da Dama. c5) com leve_E_orém duradoura vantagem.
9.cxd5 22...!!c7 23. 'i!fd2 ~h7
Outro lance bastante desnecessário, já que após o
Uma troca um tanto prematura, provocada pelo óbvio 23 ...ãfc8! não se deve jogar 24.iJ..xh6? gxh6
desejo de bloquear o bispo em b7. Hoje em dia se 25.'i!ixh6 devido ao con~_~olpe 25 ... ™! (com a
joga 9.~ cxd4 10.exd4 ~6 ll.'i!Ne2 ou 11.!!el. ameaça de ...il.h2+ e ...~xh6). Mas, por via das
dúvidas, Staunton se defende contra o sacrificio...
Contudo, é dificil condenar seriamente a abertura e o 24.'%!fc2 (não 24.2l.Xh6 gxh6 25.'i!i'xh6?? il.h2+ e
meio jogo desta partida: os jogadores estavam cami- ... 'i!fxh6) 24...~f6 25.'i:ttbl?!
nhando em território inexplorado, a tentar entender E mais um lance estranho. Como Spassky gosta de
brincar nesses casos, "se fosse possível, ele teria ido
de forma intuitiva os rudimentos do jogo posicional. ahO ..."
9... exdS 10.1!fc2?! (a dama está mal posicionada 24... ~e8
aqui; tanto 10.iJ..b2 quanto 10.'i!ie2 seriam lances 25 ...Ji.c8! é autosugestivo para controlar a casa f5 e
levar o bispo à casa normal e6.
melhores) 10... ~6 ll.a3 a6?! 26.~f5 (óbvio erro P.9sicional, trocando o cavalo
Um lance supérfluo. Se 11...&8 12.iJ..f5 não passivo em e7) 26... ~xf5 27.iJ..xf5 a5 28.W91>3
agradava as pretas, então 1l. .. cxd4 seria realmente axb4
Aqui a partida que já durava mais de oito horas foi
melhor. adiada por uma hora. Depois disso as pretas lança-
12.ãdl ram um ataque e tomaram a iniciativa
Mais lógico seria 12.dxc5 bxc5 13.~4, atacan- 29.axb4 ãc4 30.~ ~f6 31.Ji.d3
"Na vã esperança de deslocar a torre audaciosa. .."
do os peões colgantes (13 .. .!!c8 14.'i!ie2, corrigindo (Neishtadt)
seu leve engano).
12...cxd4 13.exd4 h6
''Impedindo o bispo inimigo de ir a g5, liberan-
do o cavalo da defesa do peão h7." (Saint-Amant)
14.b4?! (um enfraquecimento desnecessário.
14.iJ..f4 seria mais sólido) 14... iJ..d6! 15.ãel b5
(também desnecessário) 16.h3 .l:!c8 17.i!fb3 1!fc7
18.iJ..d2 1!fb6 19.iJ..e3 ~7 20.!!acl ~hS?! (uma
manobra bastante estranha) 21.'i!Ndl! ~f6

18
o xadrez antes de Steínítz

31 ...'i!fc6! (um protótipo do "sacrificio de quali- as pretas".


dade à la Petrosian"Q 32.'i!fb2 (32 ..ixc4?? dxc4) 42... Axe2 43.llxe2 "iie7 44.'i!fb2 ãe6 45.00
32...'i!fd7 33.Wgl! ãe4 46.1!fa2 ~?! (deixando passar o simples
Seria muito arriscado 33 ..ixc4? dxc4 46 ....ixf4 ganhando; o simples 46...~7 também
34.'i!?gl(parando a ameaça ...1!fxh3) 34 ... ~5 era bom) 47.g3
35.Ad2 JJ.c,7 36.'i!fc2 'i!fd6 37.g3 5 com ataque As brancas são forçadas a abrir caminho em sua
poderoso posição para a dama preta.
33...li)bS 47...'i!fb7 (47 ...g5!?) 48.'i!la3 ãe8 49.'i!fc3
Nem mesmo pensando em retirar a torre, embo- (49.E:el seria mais tenaz) 49.. .'t!i'hl 50.h4
D na minha opinião a preparação de ... f7-5 não
tenha muito a ver com o sacrificio de qualidade.
34.'i!fd2?!
Por algum motivo os comentaristas não mencio-
oacun que aqui 34..ixc4 dxc4 35.li)c3 seguido de
d4-d5 seria possível agora. É claro que as pretas tem
miita compensação pela qualidade, mas nada de ter-
dvel é aparente para as brancas.
34...fS 35.f4?
Um gravíssimo erro posicional, debilitando de
forma catastrófica as casas brancas. Seria melhor
35 ..ixc4 dxc4 36.f3, que não foi mencionado por
ninguém. Na partida Spassky-Petrosian (Moscou 7ª
partida do match 1966) as brancas tiveram que jogar
fl-f4 em uma posição similar, ao passo que aqui nin- 50...gS! 51.'i!fel 'i!Vh2+ 52.wtl 'i!fb.3+ 53.Wgl
guém as forçou a isso! Apesar disso, todos esses l!i'g4! 54.bxgS
erros são perdoáveis: isso aconteceu há quase 160 Neste momento já era passado da meia noite e a
anos, e convém notar o gigantesco progresso da partida foi adiada para o dia seguinte. Numa posição
maestria enxadrística. desesperada, Saint-Amant lutou até seu último cartu-
35...li)gJ 36.i.xc4 (não obstante...) 36...dxc4! cho.
(dando vida ao bispo em b7) 37.'i!fb2 fil6 38.li)cJ S4... Axf4 SS.Axf4 1!fxe2 56.1!fxe2 ãxe2
™39.lãe2llg6 57.gxh6 c3 58.'i!ifi ãe4 59.Acl Wg6 60.dS c2
Com a ameaça de 40 ...li:lxc3 41.'i!fxc3 (4l~c3 61.Adl ãxb4 62.d6 ãd4 63.We2 ãxd6 64.We3
1!fe7) 41...'i!le7 42.1:!b2 (41.1:!bl .ixf4) 42 ...1!fe4 Wxh6 65.We2+ Wg6 66.'i!tel b4, e as brancas aban-
43.!kc2 (43.1!fd2 e3!) 43 .. J~g3 44.&2 .ixf4 donaram. A partida durou 14 horas!
ganhando.
40.ãdl?! Staunton venceu o "match de sua vida" (+11-
Devolvendo a qualidade, mas nas palavras de 6=4), e conseguiu certa revanche pela derrota de
Staunton "aqui é extremamente dificil para as bran- McDonnell. O vencedor suportou tanto a pressão
cas determinar qual a melhor linha de jogo". dos fanáticos entusiastas parisienses quanto a cansa-
41 ...lt)xc3 41.'i!lxc3 i.t3 tiva espera pelas respostas de seu adversário (Saint-
A recomendação 41...'i!fe7?! (buscando ... l!fe4) Amant pensava interminavelmente em cada lance, e
não é muito bem sucedida devido a 42.d5! .ixb4 a duração média de cada partida chegou a nove
43.l!ib2 com complicações desnecessárias. horas).
42.ãdel Sim, este lento match foi muito diferente dos
''A outra torre deveria ser jogada" asseverou ferozes encontros entre La Bourdonnais e
Saint-Amant na L Palemede. l\fas Staunton refutou-o McDonnell! Staunton jogou com cuidado, tentando
no Chess Plqyer's Chronicle com 42 .....ixdl 43~dl captar de forma intuitiva os princípios do jogo posi-
'i!fe7 (43 ... ~ também é possível) 44.&l llxg2+ cional (o qual, exceto algumas poucas regras de
45.Wxg2 'i!fe4+ ou de imediato 44 ...'i!fe4 45.1:!b2 Philidor ainda não havia sido registrado e formula-
Axb4 e "em todos os casos a partida está ganha para do). De vez em quando jogava-se partidas fechadas e

19
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

semi-abertas, permitindo o tranquilo desenvolvi- uma ocas1ao conveniente: a Grande Exibição


mento das peças. Saint-Amant atuou da mesma Industrial em Londres (a partir do momento em que
maneira sólida, um tanto quanto seca, mas sem o príncipe Albert a propôs em 1849). Com o apoio
muito sucesso... Uma avaliação interessante foi feita do St. George's Chess Club, criou um comitê organi-
por Lionel Kieseritzky, um dos mestres mais origi- zador e enviou os convites para toda a Europa
nais daquele tempo: "Staunton joga de forma abso- (naqueles tempos a América não era ainda muito
lutamente correta para o desenvolvimento, com- notável).
preende a posição com profundidade, é sereno e
rapidamente se orienta. Mas Saint-Amant não alcan-
çou a força de La Bourdonnais e Deschapelles;
ambos os adversários jogaram as mesmas aberturas ...
as coisas acontecem lentamente".
E no entanto este match tomou-se, depois de
Philidor, no próximo passo significativo no desen-
volvimento da estratégia do xadrez, no entendimen-
to dos profundos métodos do jogo e na arte das
manobras. Quarenta e três anos mais tarde, num
nível mais alto, esta linha seguiu através do match
Steinitz-Zuk.ertort... A~derssen, Salnt-Amant e Harrwltz
Em 1846 Staunton recusou um desafio de
Entre os convidados estavam os mestres mais
Kieseritzky, mas por outro lado venceu de forma
fortes de todos os países: Saint-Amante Kieseritzky
convincente matches de 21 partidas decisivas contra (França), Lõwenthal e Szén (Hungria), Petroff,
os famosos mestres Bernard Horwitz (+14 -7 =3) e Jaenisch e Schumoff (Rússia), Lasa, Harrwitz e
Daniel Harrwitz (+12 -9 =1; em 15 dessas partidas Mayet (Alemanha). E embora por vários motivos
Staunton deu vantagem de um peão), reforçando Saint-Amant não pudesse participar, assim como os
dessa forma, com a ajuda de seu recém inventado jogadores russos e Lasa, o "número 1" da Alemanha
gambito 1.d4 f5 2.e4!?, a sua reputação de jogador (por uma decisão da Sociedade de Xadrez de Berlin,
número um do mundo. foi substituído pelo relativamente pouco conhecido
Apesar disso, Staunton não teve o reconheci- Anderssen), isto não diminui a importância do pri-
mento devido nem por seus contemporâneos nem meiro torneio internacional na história do xadrez.
por historiadores do xadrez. Mas, em 1964 Fischer Aparentemente com o objetivo de economizar,
incluiu-o na sua lista dos dez maiores mestres de eles não jogaram pelo costumeiro sistema de todos
todos os tempos, declarando: "Staunton foi o mais contra todos, mas em partidas eliminatórias (que é
adotado atualmente nos campeonatos da PIDE): os
profundo analista de aberturas de todos os tempos.
16 jogadores foram divididos em oito pares, em mini
Era mais teórico que jogador, mas no entanto era o
matches de duas vitórias (empates não eram conta-
melhor jogador dos seus dias. Ao repassar suas par-
dos). Os perdedores eram eliminados e os vencedo-
tidas, descubro que elas são completamente moder- res continuavam a batalha agora em mini matches do
nas; onde Morphy e Steinitz rejeitavam o jianchetto, primeiro a chegar a quatro vitórias - o número de
Staunton abraçava-o. Além disso, entendia todos os partidas foi aumentado por exigência dos jogadores!
conceitos posicionais pelos quais os jogadores Logo no primeiro match o sorteio juntou dois dos
modernos tem tanto apreço e assim, juntamente com potenciais favoritos: Anderssen e Kieseritzky. E
Steinitz, deve ser considerado o primeiro jogador embora o mestre alemão tenha vencido (+2 =1), em
moderno." uma série de partidas amistosas nos dias seguintes
Kieseritzky saiu por cima (+9 -5 =2).
Gênio das Combinações Entretanto, foi uma dessas partidas amistosas
O desenvolvimento das relações internacionais que ofuscou todas as vitórias de Anderssen em
em meados do século XIX se refletiu de imediato Londres e fascinou o mundo do xadrez. Kieseritzky
também no jogo de xadrez. O incansável Staunton, prontamente enviou o resultado por telégrafo para
sua revista La Rigence, Kling e Horwitz publicaram-
que há tempos sonhava em organizar um torneio
na na primeira edição de sua nova revista The Chess
com os principais jogadores do mundo, decidiu usar

20
O xadrez antes de Steinitz

Pk!Jer, e na revista Wiener Schachzeitung (1855) 7... ~h5?!


Falkbeer publicou uma análise detalhada desta parti- "Kieseritzky baseia seu jogo em ameaças táticas,
da e batizou-a de "a imortal". que são habilmente freadas por Anderssen".
(Neishtadt) Seria melhor 7 ....tc5 8.d4 .tb6 9.ê2lc3
.ib7 10..td3(Anderssen-Pollm.acher, Leipzig 1852)
Partida 3 10...g5 11.h4 l'.!g8! ou 10.e5!? (Hübner) 10...êz::lg4
A.Anderssen-L.Kieseritzky com jogo complicado.
Partida amistosa, Londres 1851 8.êz::lh4?!
Gambito do Rei CJJ Defendendo contra ... êz::lg3+, mas muito mais
esperto seria 8.~gl! com a ameaça de 9.g4
(O.Cordell), e se 8... lWbó, então 9.êz:::lc3 c6 IO.li.c4
l.e4 e5 2.f4 (Hübner) com enorme vantagem
O Gambito do Rei era a abertura mais popular 8... l!fg5
daquela época: a iniciativa a qualquer custo! O sacri- Também seria bom 8...g6 (Kieseritzky), e as pre-
&ào de material na fase inicial era considerado um
timl de bom gosto e sua recusa um comportamento tas não tem do que se queixar com a continuação
iq,rovável. 9.'i!fel IO.êz::lf3 c6 11..tc:4 0-0, nem de outras mais
2... exf4 3..tc4 'i!fh4+ 4.<t>fi b5? bruscas:
O lance favorito de Kieseritzky, distraindo o 1) 9.g3 li.e7 (Glazkov-Estrin 9 ... g5!?) 10.'i!ff3
bispo da casa f7, mas esse contragambito é ruim! ~ance de Hübner, recusando 10.'i!fg4?! devido a
lixb5 1O•.• c6 1l..tc4 f5! 12.exf5? d5) 10... .txh4
Quando fui forçado a jogar de pretas nesta posi- (10 ... a6!?) l l.gxh4 .tb7, com a ideia de êz:::lc6 e f7-
~ numa partida de exibição temática contra Short f5.
(l.oodres 1993), pensei por 10 a 15 minutos e queria 2) g4 êz::lf6 10.ê2lg2 'i!fh3 (10 ...g5!?) Il..ixf4
abandonar imediatamente. Simplesmente não enten-
t:i: a troco de quê este peão foi entregue? ~g4 (Glazkov-Estrin) 12.<it'gl! (mas não o lance
s...lz:::lffi 6/uf3 l!fli6 de Hübner 12.ê2ld2? devido a 12...g5 13.li.xg5 lãg8
Favorece as brancas tanto 6...\i'h.5 7/i}c3 .tb7 14.'i!Vf3 ifh5 ganhando) 12....tb7 ou 9 ...li.e7!?
li.c4 (Glazkov - Estrin) quanto 8.e5 (Hübner). .ixh4 ll.'i!Vg4 (conforme o Handbuch de Bilguer)
7.d3 1l...g5 ! - recomendação de Hübner, que também
É mais enérgico 7.êz:::lc3! g5 (contra 7 ....tb7, a indica 1l.'i!ff3 g5 12.e5? sem notar que 12...'i!fb6 é
wáante 8.d4 êzJxe4 9.'t!fe2 f5! 10.d5 .td6 é pouco vencedor.
ma, mas 8.'t!fe2! é melhor segundo Hübner) 8.d4, 9.êz::lf5 c6?!
px exemplo: 8...ii.g7 9.e5! (9.h4?! Glazkov -
Mas aqui 9 ... g6 deveria ter sido jogado e contra
F.strin) 9 ...~5 (Rafael-Morphy, Nova Iorgue 1857)
IO.'t>t2!? (com a ameaça de g2-g4; 10.tue4!? g4 10.h4 não 10... êz::lg3+ (11.Wel!? 'i!Vfü 12.~g3
11.~ Hübner) 10...g4 1I.êz)di!, ou como de fato fxg3 13.'t!ff3 Steinitz; 13.'i!Ve2 Gottschal) Il.êz:::lc3
joguei contra Short 8....tb7 9.h4 lãg8 10.~l gxh4 c6 12..ta4 (12..tc:4? d5) 12... êz::la6 13.d4 (13.@el
llllxh4 t!i'g6 12.'t!fe2 ~e4 13Jâxf4 f5 14.~4 ê2lc5) 13 ....ib4! (Hübner avalia 13 ... êz::lg3+
1lg3 15.êz::lxe4 e as pretas podem abandonar. 14.~g3 fxg3+ 15.l!ff3 1!fxd4 a favor das brancas,
mas após l 6..tb3 f6 17.li.e3 ou 16...tllg7 17.ii.g5
a iniciativa é das brancas) 14.mt3 {14 ..td2 0--0!
15.a3 .ixc3 16..ixc3 d5) 14... êz:::lc7 15.ê2lh6 .ixc3
16.bxc3 (16.~c3? êz::lg3+) 16... c5! com excelente
contrajogo.
IO.g4?!
Um lance audaz e provocador! Contudo, o pro-
saico 1O..ia4 prometia às brancas melhores perspec-
tivas:
1) 10..ia4 g6 11.êz::lg3 ~g3+ 12.hxg3 'i!fxg3
13.ê2lc3 .ic5 14.t!iel !(ameaçando colher o peão em

21
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

g3 após 15.'i!fxg3 fxg3) 14...'i!fxel+ (14 ... 'i!i'g4?! 11.!!gl! (um belo e intuitivo sacrificio de bispo)
15.ÉD14) 15.Wxel g5 16.mi5 JJ.e7 17.g3 fxg3 11 ••. cxbS?!
l 8.JJ.xg5 (Hübner) com final favorável; Depois disso as pretas entram em dificuldades.
2) 10... d5!? l l.g4 itJf6 12.h4 'i!fxg4 13.'i!fxg4 Havia duas formas de fugir delas:
lZ:\xg4 14.Axf4 e aqui não 14 ... dxe4?! Axf5 1) ll...d5 12.h4 lli'g6 13.h5 (é pior 13.Axf4?!
16.exf5 Ac5 17.lZ:lc3 0--0 devido a 18.ãel (mais h5! 14.gxh5 'i!fxh5 15.llfxh5 ãxh5 16.Axb8 cxb5)
forte do que o lance de Hübner 12.lZ:le4) mas o rápi- 13 ...'i!fg5 14.'i!i'f3 Axf5 15.exf5 cxb5 16.Axf4
do 14 ...Axf5 15.exf5 g6 16.lZ:lc3 Wd8! 17.ãgl 'i!fh4 17.~3("com ataque perigoso das brancas" -
gxf5 com jogo confuso. Hübner) 17...lZ:lc6! 18.g5 l!fxh5 19.'i!fe3+ Wd7
Hübner sugeriu 1l.'i!ff3 Axf5 12.exf5 lZ:\f6 20.gxf6 I!e8 21.'ili'f2 gxf6 22.'ifg2 l!fxf5
(12 ...'i!fxf5? 13.g4 ganhando) 13.'i!fxf4 "com posi- 23.l!fxd5+ l!fxd5 24.~d5 Ae7 com igualdade.
2) ll...h5! 12.h4 'i!fg6 13.g5 lZ:\g4 14.Aa4!
ção ganhadora para as brancas". No entanto, após
(seria vantajoso para as pretas 14.Axf4 d5! ou
12...'i!fh4 13.'i!fxd5 (13 .We2 lZ:lg3+) 13 ... lZ:\g3+
14.lZ:lc3 cxb5 15.00 fi1a6 16.Axf4 Jil,7 17.c4
14.hxg3 (14.Wgl lZ:le2+) 14 ... 'i!i'xhl+ 15.We2
Axd5 18.cxd5 'iWb6 Hübner) 14... d5 15.l!fel! dxe4
l!fxcl 16.Axc6+ lZ:\xc6 17.'i!fxc6+ We7 o melhor
16.l!fxe4+ Wd8 l 7.lZ:ld4 l!fxe4 18.dxe4 1J.c5
que as brancas tem é o xeque perpétuo.
19.Wg2! Axd4 20.ãdl c5 21.c3, recuperando a
Pode ser que o mais preciso fosse 1l.lZ:lc3, ainda
peça e mantendo equihbrio aproximado.
que depois de l l ...Axf5 12.exf5 'i!fxf5 13.'i!ff3 lZ:lf6
12.b4!
14.Axf4 'iàt>d7 15.lã.gl ! (15.&1 Ad6=) 15 ...h5! No caso de 12.'iff3 h5 (Hübner) 13.Axf4
16.gel 'i!fg4 17.Ae5 i!h6 com ideia de fi1a6-c7 e ~xg4! 14.Axg5 lZ:\xh2+ 15.We2 lZ:lxf3 16.WXf3 d5
ãe8 e as pretas podem esperar a igualdade. e as pretas passaram por um pequeno susto.
10... ~f6 12...'i!Ng6 13.bS 'i!Vg5 (13 ...~xh5? 14.gxh5
Muitos comentaristas condenaram essa resposta 'i!ff6 15.lZ:\c3 Jil,7 16.Axf4 Hübner) 14.lli'f3 (com
e recomendaram 10...g6 (é pouco claro 10...cxb5 a ameaça de .iV<f4) 14...lZ:\g8?!
1l.gxh5 g6 12.lZ:\d4 lZ:lc6 Hübner), todavia após "As pretas estão muito preocupadas em manter a
ll.gxh5 (contra 11.~4? ~712.c3 Axd4 13.cxd4 vantagem material", afirmou Euwe, que recomendou
é muito forte 13 ... d6!) l l ...gxf5 12.~gl !(o lance de 14.. .'~Jxg4. Mas Hübner indicou a seguinte variante:
14...lZ:lxg4 15.ãxg4 !fxh5 16.Axf4 g6 (16... d5
Hübner 12.h4? é ruim devido a 12...'i!fg3! ganhan-
17.lZ:lc3!) 17.lZ:ld6+ Axd6 18.Axd6 lZ:lc6 19.l!ff6
do) 12...'i!ff6 13.e5! l!fxe5 14.1'.a4 Ac5 15.ãg2 ãg8 20.lZ:lc3 ganhando. Entretanto, ao meu ver após
Ae3 16.lZ:\d2 d5 17.lZ:lf3 ou 12 ...'i!fh.413.'i!i'f3! (mas 16...Ab7! a posição é pouco clara
não a variante de Hübner 13.Ac4? fxe4 14.dxe4 d5 15.Axf4 'i!ff6
ganhando) 13 ... cxb5 (13 ... Ac5 14.ãg2) 14.exf5 É insuficiente 15 ... 'i!fd8 (Réti) 16.~c3 a6
~6 15.Axf4 Jil,7 16.~5 as brancas tem boa ( 16 .. .d6 ou 16 ... g6 - 17. lZ:lxb5 ganhando -
compensação pelo material sacrificado. Polikhroniade) 17.Ad6 Ad7 ( 17... lZ:\c6 18.00
etc.) 18.lZ:ld5 .iV<d5 19.exd5 Axd6 20.lZ:\xd6+ We7
21.~xf? (Hübner) ou 16 ... 'i!fa5 17.Ad6 ~c6
(17 ...Jil,7 18.~b5! 'i!fxb5 19.Axf8) 18.'~Jd5 lZ:\d4
19.'i!fg3 lZ:le6 20.Axf8 WXf8 21.h6 ganhando.
16.Czk3 lJ.cS?
Esse lance perde no ato. Contra 16... Jil,7 (Réti)
é decisivo 17.lZ:\xb5 'tifxb2 18.lZ:lc7+ 'i!i>d8 19.°i!i'dl
~a6 20.ãbl l!fxa2 21.&1 l!fb2 22.~xa8 ou
16...Ab7 l 7.'i!fg3 fi1a6 (17 ...lZ:lc6 18.g5 e ~b5)
18.itJxb5 'i!fxb2 19.lZ:líd6+ 1J.xd6 20.~d6+ @f8
21.Ae5 'iWb6 (Hübner) 22.g5!. Tampouco é melhor
16... lzJa6 17.lZ:lxb5 (17.g5!? Hübner) 17 ... 'i!fxb2
18.~bd6+ Axd6 19.lZ:\xd6+ We7 20.ãel! l!fxa2

22
O xadrez antes de Steinitz

21.e5 lix7 22.i.g5+ Wf8 23.c4 ganhando, ou 'i!fcl+ 26.00 t!fxc2+ 27.Wfl 'tircl+ 28.Wf2
16... g5 (16 ... g6 17.65! Amelung) 17.iul6! iJJJ7 li.b6+ 29.d4 com igualdade) 23 ...iJJJ6 24.t!fxb8+
(17 .. ~xd6 18.'~Jd5!) 18.lz::ixb5 'i!fxb2 (18 ...~a6 Ji.c8 25.00 .taS+ 26.We3 'i!fxc2 (26 ...Wcl+!?)
19.d4) 19.Wg2 ~a6 (19 ... 'i19xb5 20.il.xf8) 27.'i!fxa7 'i!Ncl+ 28.00 'i!fd2+ 29.Wg3 'i!Hel+
2().li:Jfd4 i.g7 21.l:!gfl ~6 22.it.a3! capturando a 30.Wg2 com igualdade.
dama. Mas além de 21...Ji.a6 ainda há outra tentativa
No entanto, mais tenaz seria 16...'i!fc6!? (G. e L interessante: 21...iJJJ7!?, por exemplo: 22.lz::ixg7+
Kollen; Fritz Junior) com pressão das brancas através (22.lix7+ Wd8 23.'i!fxb7 iJJJ6 24.lz::ixa8 .taS+
25.We3 'i!fcl+ 26.00 'i!Hxc2+ 27.Wgl t!fcl+
de 17.~,porexemplo: 17...'i!fb718.~xb5 ~6
28.@h2 'i!Hc8 com superioridade das p_retas)
19~6 (19.a4!? Hübner) 19...'i!fb6; 17 ... 'i!fb6
22 ...Wd8 23.'i!Hxt7 ~3+ 24.lz::ixe3 ~7 25.!!Vxe7+
18.li::idxb5 ~a6 19.a4 iJJJ7 20.a5 (20.i.g5!?) Wc8 26.iff6 (não é claro 26.e6!? .tc6 27.'i19t7 ~6
2it...t!fc6 21.l:!a4 (Hübner) ou 17...t!fc5 18.~b5 28.e7 'itb7 29.e8t!f &xe8 30.lz::ixe8) 26...'i19xa2
~ 19.g5 ..tb7 20.h6! com a ameaça de ~3. 27.~gf5 Wa5+! 28.We2 ge8 29.Ji.e7 ~a6
17.i'zJd5 (Réti observou que muito mais simples 30.~6+ Wc7 31.~xb7! Wxb7 32.'fWO+ Wb8
IClia 17.d4! e só então 00) 17...'i!fxb2 33.iul6+ lix7 34.~5 e o ataque das brancas é sufi-
ciente apenas para o empate: 34 ...&8 35.~f6 !!d8
36.00 &8, com igualdade.
Devo acrescentar que 20 ...g6? (ao invés de
20 ...il.xgl !) não funciona - não devido à variante
comumente aceita 21,gJ,}? gxf5! 22.âxb2 .âxd6
23.e5 .âxe5 24.t!fe3 (Hübner) mas devido ao belís-
simo 21.1:!e 1! (lance recomendado em 1965 por
Bengd Oaesson) 2 l...iJJJ7 22~xc5 gxf5 (na varian-
te de Hübner 22 ...il.xd5 23.exd5+ Wd8 são bons
tanto 24.~6 ~6 25.t!fe3 ~6 26.a3! quanto
24.iul4 'i!Nh4+ 25.Ji.c3 l!fc5? 26 ..taS+ Wc8 27.d4
ou 25.'i19a3 26.~g3, ou e3 etc) 23.exf5+ Wd8

18.Ad6?!
"O início de uma brilhante combinação, cuja cor-
a,çic> no entanto é duvidosa". (Euwe) Com esse
lance as brancas desperdiçam uma vitória fácil (e tal-
wz a própria vitória!): 18.d4 (também são decisivos
18.Ae3 ou 18.1:!el, conforme análise de
Nkhroniade) 18...t!fxal+ (18 ...ii.IB 19.lix7+ e
Dei) 19.'i!i>g2 'i!fb2 20.dxc5 ~6 21.~6+ WIB
22.li.e5! 'i!fxc2+ 23.Wh3 f6 24.lz::ixf6 com mate
(Hii>ner).
18....txgl?
Conforme demonstrado por Steinitz e depois Diagrama de análise
dele por Réti, 18...'i!fxal + 19.We2 'i!fb2! era essen-
cial. Depois de 20.'i!i>d2! {Amelung 20.&1?! iJJJ7 24.iJJJ6+!! axb6 25.t!fe3!
Um maravilhoso e discreto lance! As pretas não
21..txc5 .txd5 22.'i19e3 ~6!) 20 ....txgl! 21.e5
tem um xeq~e sequer, e se 25 ...Ji.xd5 segue
~ (Hübner) na minha opinião o ataque das bran- 26.'i!fxb6+ e &8 mate. Para um humano é muito
cas é suficiente apenas para o empate: 22.lz::ixg7+ dificil perceber um mate desses: prever o lance
âl8 23.t!fxt7 Wc8 24.'i!fe8+ Wb7 25.'tird8 Wc6 Ji.b6+! ! com antecedência é impossível, ao passo que
26..tlb4+ 'i!fxb4+ 27..âxb4 iJJJ7 28.'i!ff8 Wb6! o computador encontra tais sacrificios de forma ins-
29.1!fd8+ Wc6 com igualdade, ou 22.lix7+ 'iàW8 tantânea... Casualmente, um sacrificio de bispo simi-
23.1!fxa8 (23.~xa6 iJJJ6 24.'i!fxa8 .taS+ 25.We3 lar surgiu em uma das variantes da partida Tal-

23
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

Portisch (Bled, 2ª partida do match 1965), que está 22.°i!Vf6+!! (o sacrificio arrematador) 22...l2ixf6
analisada no volume 2. No entanto, voltemos ao sécu- 23.ile7 mate. Segundo alguns historiadores as pretas
lo XIX teriam abandonado no vigésimo lance.

De forma objetiva, a partida é um tanto fraca e


superficial, mas que final! Depois de sacrificar ambas
as torres, um bispo e a dama, o mate foi ao mesmo
tempo puro, econômico e preciso! "Um final com
elegância rara, quase forçando o esquecimento da
incorreção de toda a combinação". (Euwe) Mais
tarde ocorreram muitas vezes combinações com o
sacrificio de ambas as torres em suas casas iniciais,
inclusive em partidas de Steinitz, Alekhine e Tal...
Voltemos no entanto ao torneio eliminatório de
Londres. Nas quartas de final Anderssen superou
Szén (+4 -2), depois de perder as duas primeiras par-
19.e5! tidas. Se as regras iniciais tivessem sido mantidas (o
Outro lance discreto, com a ameaça elementar de
20.êz:lxg7+ Wd8 21.il.c7 mate. primeiro a vencer duas partidas) a história do xadrez
19 ... °i!Vxal+ (19 ... h6 20.êz:lc7+ Wd8 teria tido outro rumo... Então o sorteio pregou uma
21.êz:lxa6! - conforme nota ao lance anterior) peça cruel: nas semifinais Anderssen enfrentou o
20.We2 ê2ia6?! principal favorito Staunton e, para horror dos fãs
Também é ruim 20 .. .f6 2I.êz:lxg7+ Wd8
ingleses, ,infligiu-lhe uma derrota incontestável (+4 -
22'ilfxf7 lõh6 23.Cue6+ (Hübner). Steinitz procurou
uma forma de salvar a partida com 20 ...~6 1). Corri isto foram exauridas as dúvidas do torneio,
2 l.êz:lc7+ Wd8 (a defesa mais obstinada), mas o e na final Anderssen derrotou o "turista" local "Wyvill
lance de Falkbeer 22.êz:lxa6! não deixa qualquer (+4 -2 =1) e ganhou o primeiro prêmio.
chance às pretas: Staunton ficou em estado de choque, afinal sua
1) 22 .. .l!fc3 23.il.c7+ 'i!fxc7 24.ê2lxc7 <tlxc7
reputação de melhor jogador do mundo sofrera um
25.'i!Kxa8 ê2ic6 (25 ...il.c5 26.ê2id6 il.xd6 27:exd6+
Wc8 28.'i!fxa7) 26.ê2Jd6 êz:lxe5 27.êz:lxb5+ Wb6 duro golpe. Contudo, como organizador do torneio,
28.~8+ (Falkbeer) 28 ...Wc5 29.c4 com mate rápi- percebeu a sutileza do sistema eliminatório e antes
do- do início encontrou uma forma de se garantir: no
'2) 22 ......tl,6 23.'i!fxa8 'i!fc3 24.'i!Kxb8+ 'i!fc8 regulamento estava escrito que o vencedor era obri-
25.'i!fxc8+ 'it>xc8 26.iLIB h6 27.ê2id6+ Wd8
28.l2ixf7+ çtie8 29.l2ixh8 Wxf8 (Chigorin) gado a aceitar um desafio de qualquer participante.
30.êz:lg6+ Wf7 3l .c4 com um final ganho; Um tipo de direito a match de volta! E Staunton
3) 22 ... 'i!fxa2 23.il.c7+ çtieg 24.l2ib4 l2ic6 prontamente desafiou seu ofensor a um match (suge-
25.êzJxa2 ilc5 (Hübner) 26.ild6! ganhando. riu-se que eles jogassem 21 partidas decisivas). Mas...
21.l2ixg7+ ~d8 ele adoeceu e as férias de Anderssen terminaram e
.1 .t ele voltou para casa. É pena, esta batalha de titãs
nunca ocorreu de fato. ..
i O novo rei sem coroa do xadrez Adolf
Anderssen (6 julho 1818 - 13 março 1879) nasceu
em uma família pobre em Breslau (hoje Vratislávia),
onde se graduou na universidade e viveu quase toda
vida, ensinando matemática e alemão numa escola
secundária. Conheceu o xadrez aos nove anos e
aprendeu pelos livros de Philidor, Moses Hirschel
(um divulgador dos trabalhos de Greco e Stamma) e
do jogador vienense Johann Allgaier, o autor do

24
O xadrez antes de Steinltz

melhor manual no idioma alemão, permeado com o


espírito da Escola Italiana. Foi atraído por composi- Partida4
ções e publicou uma coleção, .Auftpbmf11r Schachspieler A. Anderssen-J.Dufresne
(1842 e 1852). Berlin 1852
Gambito Evans C52

1.e4 e5 2.~t3 it\c6 3.Ac4 Acs 4.b4!? (tam-


bém na moda da época) 4 ... Axb4
Como dizia Capablanca, "o modo de refutar um
gambito é aceitando-o!" Após 4 ...Al,6 5.a4 as bran-
cas tem mais espaço: 5 ... a5 (5 ... a6 é mais sólido)
6.b5 ~ 7.li)xd4 Axd4 8.c3 Ab6 9.d4 exd4 10.0-
0! (10.cxd4 d5!) 10...<tie7 ll.Ag5 h6 l2.Axe7
Wlxe7 l3.cxd4 e as pretas não conseguiram igualar
(Kasparov- Piket, Amsterdã 1995).
5.c3Aa5
A linha de defesa clássica. Devo mencionar que
Jean Dufresne era um pupilo de Anderssen e um
mestre muito competente, autor de alguns populares
manuais de xadrez.
Adolf Anderssen
Hoje em dia 5...~7 6.d4 lZ:la5 também está na
moda, por exemplo: 7.Ae2!? (7.liJxe5 liJxc4
Lá pelo meio da década de 1840 jogava num
8.liJxc4 d5 9.exd5 Wxd5 IO.li:ie3 é menos dinâmi-
nível amador, sendo inferior a Lasa, Bledow, :Mayet e co) 7 ...exd4 8.Wlxd4! liJfo (8 ... liJoo 9.Wlxg7 M6
Lõwenthal. .. :Mas fez tremendo progresso ao estudar 10.Wlg3 d6 é pouco claro) 9.e5 liJc6 10.Wih4 ~
os trabalhos da Escola de Modena, Lewis e Walker, e ll.Wlg3 g6 (11...0-0 l2.Ah6; 11...~!?) 12.0-0
ao analisar as partidas dos mestres antigos, especial- liJb6 13.c4 d6 14.gal liJ<l7 l5.ii.h6 com uma pode-
mente os encontros de La Bourdonnais-J\.1cDonnell. rosa iniciativa pelo peão e uma vitória rápida
Em visitas rápidas a Berlim media suas forças com (Kasparov - Anand, Riga 1995). A propósito, o
jogadores fortes, que ficavam impressionados com retomo aos antigos gambitos pegou mui.tos jogado-
suas combinações mágicas e logo foi considerado res da atualidade de surpresa, mas isso não durou
uma estrela em ascensão. muito e foram encontradas defesas satisfatórias para
as pretas em várias linhas.
Depois de Londres 1851 seus compatriotas orga-
6.d4! (se 6.0-0, então 6 ... d6 7.d4 Ab6! é forte
nizaram uma verdadeira coroação para Anderssenl
- Chigorin - Lasker, São Petersburgo 1895-96 - par-
:Mas ele ainda tinha que demonstrar que seu triunfo
tida 43, vt) 6...exd4
em Londres não fora um acaso. Na época havia pou- No século XX foi tentado 6 ...d6 7.'tib3!? Wid7
cos torneios e foi preciso provar sua força mais com 8.dxe5 Ab6!, com jogo complicado.
conquistas criativas do que competitivas. 7.0-0 d3?!
A partida que segue literalmente enfeitiçou seus Também é insuficiente 7 ... dxc3?! 8.l!i'b3 Wif6
contemporâneos, que a chamaram, seguindo o exem- 9.e5 Wlg610.liJxc3 liJge7 (Anderssen-Dufresne,
plo de Steinitz, ''uma sempre verde coroa de louros Berlim 1851), uma vez que após ll..h3! a posição
dos mestres alemães". Chigorin também, como mui- das pretas é bastante desagradável. A defesa correta
tos outros, considerou-a uma das partidas mais bri- com 7 ...liJge7! e 8 ... d5 estendeu-se pelos séculos
lhantes já jogadas. desde o match Anderssen-Meses, Vratislávia 1867
até as partidas Short-Adams, Sarajevo 2000 e
Morozevich-Adams Wijk aan Zee 2001.

25
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

8.'i!fb3! As brancas tem enorme uma vantagem. Chegou


Uma surpresa. Provavelmente Dufresne esperas- a hora de ação resoluta, e Anderssen jogou de acor-
se por 8.lZ:\g5?! êi::lh.6 9.e5, como Anderssen já joga- do com seu estilo romântico e com as exigências de
ra em matches contra ele e Mayer (Berlim 1851). sua época:
8...'i!ff6 9.e5 17.~6+?!!
É curioso que em seu match de 1855 Dufresne Os dois pontos de exclamação são para uma das
não temesse entrar nessa posição contra Andérssen, mais belas combinações na história do xadrez. E o
mas este jogou 9.B.el !? com a ideia de 9 ...lZ:lge7 ponto de interrogação é pelas complicações desne-
IO.it..g5 qg6 1l.~e7 éxe7 l2.e5, ao passo que cessárias: o prosaico 17.li)g3 l!fh6 18.Acl 'ife6
Zukertort em seu primeiro match contra Steinit:z 19.Ac4 lZ:ld5 (19 ...l!fg6 20.êi::lh.4 °i!Ng4 21.Axf7+)
(Londres 1872) foi tentado pelo desfavorável 20.lZ:lg5 lZ:lxc3 (20 ...l!fg4 21.~) 2 I .l!fb3 conclui-
9.Ag5?! °iWg6 10.~d3 êi::lh.6 I I.l2::lbd2 0-0 ria a partida sem qualquer problema. Mas... o tesou-
12.&dl Ab6 13.~h6 'ifxh6 14.e5 d5! 15.exd6 ro da arte do xadrez teria perdido uma importante
cxd6 etc. obra de arte!
9•••'i!Ng610.&1 lZ:\ge7 17...gxf6 18.exf6 âg8!
Ou IO ...Ab6 11.l!fdl! êi::lh.6 12.Axd3 l!fh5 A última chance das pretas é um contra-ataque
l3.h3 com forte iniciativa (Anderssen-Dufresne, ao longo da recém aberta coluna g.
Berlim 1855). 19.âadl!?
ll.Aa3 "Esta é a enormemente admirada introdução a
Mas não 11.l2::lbd2? b5! 12.~b5 En,g 13.'ifa4 espantosos sacrificios. Contudo, não se sustenta a
Axc3 14.En,l a6 15.Axc6 'ifxc6 l6.°i!Nxc6 l2::lxc6 críticas... As brancas podem vencer através de
l 7.ãxb8 <tlxb8 com final vencedor para as pretas l 9.Ae4 devido ser seu ataque irresistível, enquanto o
(Zukertort-Steinit:z, Londres 9" partida do match, das pretas é fadado ao fracasso. Por exemplo 19 .Ae4
1872). l!fh3 20.g3 âxg3+ 21.hxg3 'ifxg3+ 22.'~hl ~t2
ll ... b5? 23.lâe2 vencendo." (Lasker). No entanto, mais tarde
''.As pretas querem desenvolver sua ala da dama, aqui foi encontrado o golpe nocauteador 23 ... Nd4!!
mas era melhor 11. ..0-0".(Euwe) No entanto, aqui Dessa forma, eu preferiria a linha 23.Axe7 l!fh3+
também depois de 12.l2::lbd2 Ab6 13.l!fbl e ~d3 24.êi::lh.2 Axel 25.âxel com a iniciativa.
as brancas tém uma esplêndida posição de ataque. 19...'i!fxf3?
Mais forte teria sido ll...d5! 12.exd6 cxd6 e 0-0 Lasker criticou o lance anterior devido a possível
Qunior). resposta l9 ...âg4!, que foi analisada pelo mestre ale-
12.'i!Nxb5 âb8 13.'i!fa4 Ab6 (13 ... 0-0? mão Paul Lipke em Deutsche Schachzeitung (1898). Não
14.Axe7) 14.li:lbd2 Ab7?! quero cansar o leitor com todas as numerosas varian-
Também após 13 ... 0-0 14.ti'ie4 a posição das pretas tes, que pertencem a mais de uma geração de jogado-
é inviável. res. Vou apenas ressaltar que em 1930 Hoppe e
15.it\e4 'i!ff5? (como Lasker comentou 15 ... d2! Heckner tentaram demonstrar uma vitória para as
l 6. l2::lxe2 0-0 era agora simplesmente essencial) brancas, a qual no presente momento não pode ser
16.Axd3 'i!Ybs encontrada nem mesmo por um computador. Assim,

26
O xadrez antes de Steinitz

após 20.c4? I!xg2+! (ao invés de 20...fil4? 2 l.ii.g6! (Euwe)


ou2l.'ii'b5 li'h6 22~ 'i!ixto 23.I!xd7!) 21.~g2 Além de seu·trabalho de ensino, Anderssen con-
l!fg4+ 22.Wfl l!fxf3 23J!xe7+ êi:Jxe7 24.l!fxd7+ tribuiu para a revista SchachZ!it11ng (1851-1859) e Neue
Wxd7 25.~5+ We8 26.ii.d7-+WIB o rei se esconde Berliner SchachZ!it11ng (1864-1871 ). Em sete anos após
em g8 e a variante principal 20.i.c4 l!ff5 21.Iixd7 1851 ele jogou apenas duas 0) partidas sérias e che-
Wxd7 22.~5+ Wc8 23.êi:Jxg4 00 24.l!fdl ao gou para seu match altamente importante contra
invés de 24 ... ~8? 25.ii.d3! l!fd726.~5 'iWe6 Morphy (o qual será descrito mais tarde) longe de
27.itlxf7! vencendo, é muito mellior 24 ... ti:Jxfü! sua mellior forma. Apesar disso, depois que Morphy
25.ii.d3 l!fxg4 26.'iixg4+ êi:Jxg4 27.Jll'S+ @d8 partiu restabeleceu sua reputação de mellior jogador
28.~1 + ~4 29.~d4 ii.d5 30.cxd4 ~a2 com do mundo ao vencer um match contra o próximo
final equilibrado. Também não é claro 20.l!e4!? desafiante Ignác Kolisch (1861) e em seguida o
I!xe4 21.'iixe4 d6 22.&1! l!fg6! (mas não segundo maior torneio internacional de Londres
22 ... itle5? 23.~5+ c6 24.i.a4! vencendo). (1862), casualmente realizado no sistema todos con-
Assim, 19...~g4! teria feito as coisas mais dificeis tra todos.
para as brancas. No entanto, podemos realmente cri- Apesar da óbvia diferença de classe entre os dois
ticar Dufresne pela ameaça de mate em um lance, jogadores, a partida seguinte ilustra claramente a
não prevendo a ideia do truque do mágico das com- moda enxadristica na época de Anderssen.
binações?

Partida 5
J.Rosanes-A.Anderssen
Vratislávia, 1863
Gambito do Rei C39

l.e4 e5 2.f4 exf4 3.itlf3 g5 4.h4 g4 5.lue5


O Gambito Kieseritzky foi uma das tabiyas teóri-
cas do século XIX
5...itlf6!

20.ãxe7+! itlxe7!?
Para criar uma obra prima no xadrez você real-
mente precisa da participação generosa do seu adver-
sário! Um profissional moderno e, é claro, um com-
putador, sem hesitação responderiam 20 ... @d8 evi-
tando assim uma ruptura imediata: 21.I!xd7+! Wc8!
(21...WXd7 22.ii.f5+ We8 23.ii.d7+ Wd8
24.~c6+ e mate) 22.~8+! Wxd8 (22 ...I!xd8
23.gxf3 ganhando; 22 ... ti:Jxd8 23.l!fd7+! com o
mesmo tema da partida) 23.ii.e2+! it'id4 24.~f3
~f3 25.g3 ~dl 26.'iWxdl c5 27.cxd4 cxd4
28.ii.e7+ com um final tedioso mas vencedor. Nas partidas de Anderssen várias vezes ocorreu
A recomendação de Neishtadt 23.Jll:i+ 'iWxdl + 5... ii.e7 6.ti:Jxg4 ou 6.d4 e 5 ... h5 6.i.c4 lãh7
24.'iixdl+ itld4 25.g3 é menos clara em vista de (6 .. .itlh6? 7.d4 d6 8.00 f3 9.gxf3 etc) 7.d4, e
25.Jãg5! 26.ii.h3 ii.O! 5... d6!? 6.ti:Jxg4 -lance popular até os dias de hoje,
21.'i!fxd7+!! WXd7 22..i\15+ We8 (ou 22 ...Wc6 seguindo o exemplo do grande mestre Fedorov. as
23.ii.d7 mate)23.ii.d7+ Wt8 24.Axe7, e as pretas pretas respondem com 6.)uf6 (não se deixando
abandonaram. ''Vale notar que nessas duas partidas tentar pela antiga linha 6 ...ii.e7 7.d4 ii.xh4+ 8.lZJf2
célebres Anderssen deu o mate com o bispo em e7." 'iig5) quando Fedorov jogou inicialmente 7.lZJf2

27
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

gg8 8.d4 ~6 9.~3 ~6! (9 ...~e7 10.~ ~4 que isso indica não a fraqueza do jogo do campeão
foi jogado também) 10.lz:Jd5 lz:Jxd5 11.exd5 lz:)e7 mundial mas os defeitos no gambito das brancas...
12.~e2 etc, mas após ll...~e7+! 12.~e2 lz:Jb4 8... tz::lh5
13.c4 M5! 14.~a4+ Wf8 15.~xb4 &8 16.~d2
:Mais preciso que 8 ...l!fe7?! 9.~f4 lz:)h5 10.g3!
gxg2 17.~ Étg3 18.~dl ~e4 19.!íh2 f5
20.lz:Jxe4 fxe4 21.~4 e3 22.1i.O ~g7 23.~l (um ano antes Anderssen tentou sustentar essa posi-
l:!g2! com ameaças devastadoras - Fedorov-Shirov, ção de brancas) e provavelmente melhor que 8 ... 0-0
Polanica Zdroj 2000, terminou mudando para 9.0-0! (mas não 9.~f4 ~5 10.g3 f6 11.00
7.lz:Jxf6+! 'ifxf6 8.~3 lz:Jc6 (8 ... c6!? 9.~e2! gg8 lz:Jxg3! Pillsbury-Chigorin, Viena 1903) 9 ... ~
10.1ill) 9.lz:)d5 ~g6 10.d3 'ii'g3+ ll.Wd2 lz:)e7
10.lz:Jxg4 l!fxh4 11.tz::lhl lz:Jg3 (11...ge8 12.tz::lf3!
12.~el (mas não 12.lz:Jxc7+? Wd8 13.lz:Jxa8 'ii'e3+
14.Wc3 ~7+ 15.Wb3 ~6+) 12 ... lz:)xd5 13.exd5+ Alapin) 12J!el lz:)d7 13.tz::ld2 tz::lf6 14.tz::ldf3 'iih5
~e7 com chances iguais - Fedorov-Anand, Wijk aan 15.!!e5! com a iniciativa (Neustadtl-Pierce, partida
Zee 2001. por correspondência 1903.
6.il.c4
É duvidoso 6.lz:Jxg4?! Em uma série de partidas
amistosas com Morphy, Paris 1858, Anderssem pri-
meiramente refutou 6 ... d5 7.lz:)xf6+ 'i!fxf6 8.~e2
~d6 9.~3 c6 10.d4! 'i!fxd4 11.~ ~8 12.exd5+
Wd8 13.0-0-0! ~4 14.'ii'e4 'ii'xe4 15.lz:Jxe4
~xdl 16.lz:Jxd6 ~5 17 ~xf4 cxd5 18.lz:Jxb7+
We7 19.~b5! e depois mostrou a defesa correta
6 ... lz:Jxe4! 7.d3 lz:Jg3 8.~xf4 lz:Jxhl 9.'iie2+ fife7
10.lz:Jf6+ Wd8 ll.~xc7+ Wxc7 12.lz:)d5+ Wd8
13.lz:Jxe7 ~xe7 14.'ii'g4 (14.'i!i'h5?! lz:Jg3!) 14... d6
15.'ii'f4 gg8! com compensação suficiente pela
dama.
No entanto, nem mesmo na variante da última
moda 6.d4 d6 (6 ...~7?! 7.~3 d6 8.~ 0-0 9.~b5+?
9.lz:Jxf4 Anderssen-Zukertort, Vratislávia 1866) É correto 9.0-0! (9.tz::lc3 l!fe7!) 9 ... l!fxh4
7. lz:Jd3 as brancas conseguiram tirar alguma coisa: 10.'ifel. É curioso que Rosanes esteja copiando o
7 ...lz:Jxe4 8.~f4 ~7 (Spassky-Fischer, :Mar Del jogo de seu adversário contra Hirschfield (Berlim
1860), onde as pretas responderam ao xeque de
Plata 1960; 8...l!fe7!?) 9.c3 'ii'e7 com jogo agudo,
bispo com 9 ...Wf8?! :Mas Anderssen não esteve
ou 7 ...~6!? 8.c3 (8.lz:)c3 lz:)xd4 9.lz:)xf4 lz:Je6!)
ocioso e preparou um excelente sacrificio de peão,
8 ...lz:Jxe4 9.~f4 d5 10.lz:Jd2 ~6 11.tz=le5 0-0
seguido por outro de uma torre inteira!
(ll...fiff6!?) 12.lz:Jxe4 dxe4 13.'ii'c2 'ii'f6 com jogo 9... c6! 10.dxc6 bxc6 U.tz::lxc6 tz::lxc6 12.~xc6+
excelente para as pretas - Fedorov-Ivanchuk, Wijk Wf'8! 13.~xa8 tz::lg3 14.IDtl
aan Zee 2001. Rosanes, que era um jogador de clube pouco
6... d5! (eis o ponto!) 7.exd5 ~d6 8.d4 conhecido, se agarra ao material sem aparentemente
:Mais tarde o professor e milionário americano se dar conta da poderosa compensação pela torre
Isaac Rice inventou o gambito 8.0-0 ~e5 9.Etel e, sacrificada. Por outro lado, é dificil dar uma boa
como mecenas, fez o possível para encorajar o teste sugestão às brancas. Por exemplo, no caso de
da sua ideia em torneios temáticos. Lasker e Chigorin 14.Wf2 lz:Jxhl+ 15.Wxhl g3+ 16.Wel (16.Wgl
chegaram a jogar um match inteiro em Brighton ~c5!; 16.W J:¾8 17.~f4 'ii'f6 etc) 16 ...We7+
17.Wdl ~4+ 18.~ ~xf3+ 19.gxf3 gg8 20."i!fg2
1903 com o tema 8.0-0 ~e5 9.&l We7 10.c3 f3!
Wxh4 21.We2 'i!fh2 22.Wfl h5 e a marcha do peão-
(10 ...~5 ll.d4 lz:)d7 é ainda melhor) ll.d4 tz::le4
h é decisiva.
12.~e4 ~ + 13.Wxh2 l!fxe4 14.g3 0-0 e as pre-
14... il.f5 (também é boa a sugestão de Harrwitz
tas (Chigorin) venceram o match por 3,5-2,5. Acho

28
O xadrez antes de Steinltz

14...'i!fe7+ 15.©12 ™+!) 1S•.âd5 Mais tarde o primeiro campeão mundial diria
Após o mais tenaz (na opinião de Réti) 15.ii.c6, sobre Anderssen: ''Este foi o maior mestre de todos
segue 15 ... 'i!fe7+ 16.00 ™+ 17.Axe4 g3+ os tempos. Seu estilo brilhante, a beleza de suas com-
18.'i!tgl gxh2+ etc. binações e a profundidade de seu pensamento eram
1S... <i!?g7 (abrindo caminho para a torre) 16.~c3 notáveis..."
ãe8+ 17.Wtl l!fb6 Para arrancar a beleza de cada posição procurava
Vários jogadores modernos provavelmente olha- medidas drásticas e corajosamente queimava seus
riam o sacrificio de Anderssen com precaução e des- navios, ultrapassando os limites da segurança. l\:fas na
defesa era muito mais fraco, afirmando que "a
confiança, mas aqui a ameaça ....âe5 ! já é decisiva.
melhor defesa é o ataque!". Tal forma de jogar susci-
18.lt)a4 'i!fa6 (e agora a ameaça é 19...'i!fe2+
tou admiração, mas o progresso do xadrez foi inexo-
20.'tifxe2 ~e2, 21...&l+ e 22.Jãfl mate) 19.~c3
rável e a velha escola combinatória liderada por
Ainda no caso de 19.c4 'i!fxa4! 20.b3 (20.'i!fxa4
Anderssen mostrou-se sem poderes contra a técnica
&2+ leva ao mate) 20...'tifd7 e as brancas não tem moderna de Morphy (e depois também de Steinitz),
defesa.
a qual era baseada em firmes alicerces posicionais.

A Lenda Americana

19 ... AeS!! (outro lance discreto antes da com-


binação decisiva) 20.a4?
Procurando bloquear a dama com 21.~b5, mas
permitindo um mate altamente espetacular. Também
seria ruim20.dxe5? 'i!fxb6+21.©el 't!i'gl+ 22.$'d2
't!fe3 mate. No entanto, nem mesmo a melhor defe-
sa do computador 20.Wgl salvaria as brancas:
20 ...'i!fb6 (aqui a ideia de Anderssen não funciona
mais: 20 ... 't!ffl+? 21.'i!fxfl .i.xd4+ 22 ..i.e3!)
21.lãhl Axd4+ 22.ç!;>h2 'tiff6!
20...'t!ffl+!! (desvio!) 21.'if><fl .â><d4+ 22..âe3
ãxe3 (e não há como defender o mate no lance
seguinte) 23.'i!?gl ãel, e as pretas abandonaram.

Das demais façanhas de Anderssen, deve-se


mencionar o seu fantástico match em 1866 com
Steinitz (que será descrito mais tarde), sua vitória
num match com seu altamente talentoso aluno Paul Charles Morphy (22 junho 1837 - 10 julho
Zukertort (1868), e seu primeiro prêmio no forte 1884) nasceu em Nova Orleans, no estado da
torneio de duplo turno emBaden-Baden (1870), cor- Louisiana. Seu pai descendia de distinta família creo/e
roborado por duas vitórias contra Steinitz! de origem espanhola e irlandesa, e a sua mãe era

29
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

francesa. Na familia de Paul, o xadrez era jogado por rias e um empatei), onde esmagou o ainda pouco
todos os homens: seu avô, pai, irmão mais velho e o conhecido alemão Louis Paulsen, que vivia então nos
seu tio Emest, um dos jogadores mais fortes na cida- EUA. Morphy como de costume jogava de forma
de. Depois de aprender a jogar aos dez anos, já aos rápida, enquanto seu adversário jogava muito lenta-
doze infligiu uma espetacular derrota ao mestre local mente, e como não havia limite no tempo de refle-
Rousseau (esta foi a primeira partida publicada de xão, as partidas duravam de 10 a 11 horas (o empate
Morphy), e em seguida também derrotou Lowenthal, na segunda partida chegou a 15 horas, das quais
que estava em uma turnê pelos estados meridionais Paulsen pensou 121). A partida mais famosa deste
dos EUA. match é a sexta.
Paul era uma verdadeira criança prodígio: espan-
tava sua familia com sua memória e com a rápida
assimilação de tudo. Seu jogo se distinguia por seu Partida 6
espírito inventivo, cálculo preciso e implementação L.Paulsen-P.Morphy
metódica de seus planos. E mais importante, gra- Primeiro Congresso Norte-Americano
dualmente o jovem Morphy tomou-se o mais erudi- Nova Iorque 1857
to jogador de seu tempo. Fluente em francês, inglês, Abertura dos Quatro Cavalas C48
espanhol e alemão, leu o L'Anafyse de Philidor, a
revista parisiense La Régence, o Chess Plqyers Chronicle 1.e4 e5 2.~ ~c6 3.~t'3 Ac5 4.Ab5 4~f6
de Staunton, e possivelmente também o Schachzeitung É muito mais tranquilo 4 ....í:l.b4, enquanto a variante
de Anderssen (pelo menos conhecia todas as parti- Marshall-Rubinstein 4... 'i!ld4 estava ainda a meio
das publicadas de Anderssen). Estudou o Handbuch século de distância.
de 400 páginas de Bilguer - o qual consistia parcial- 5.0-0
mente em análises de aberturas de forma tabular, e Se 5.~xe5 é considerado bastante seguro res-
também o Chess Plqyers Handbook de Staunton. ponder com 5 ... ~xe5 (mas não 5 ... Axt2+?!
''Estes livros," considera Fischer, "são melhores que 6.W><t2 ~xe5 7.d4) 6.d4 ~6 (após 6 ...AM 7.dxe5
os modernos; não houve melhoria significativa em ~xe4 8.'i!ld4! as pretas não conseguem igualar) 7.f4
aberturas de peão do rei desde então, e o talento (7.dxe5 Axe5 com jogo igual) 7.JiJc6 (é inferior
natural de Morphy seria mais que suficiente para 7... ~eg4?! 8.e5 Janowski-Lasker, Cambridge
derrotar os melhores jogadores do século XX". Springs 1904) 8.e5 Ab4 9.d5 (9.exf6 \Wxf6 com
(Fischer é excêntrico sempre e em tudo, inclusi- jogo igual) 9...~4! 10.'i!fd3 '1)xc3 l l.bxc3 ii.J!7.
ve em suas opiniões. Na década de 1960 a teoria das 5...0-0
partidas abertas pode ainda "não ter avançado" de Morphy sacrifica um peão. Se 5... d6, então 6.d4
fato, mas pelo início do século XXI sofreu mudanças exd4 7.'1)xd4 .i1l.d7 8.'1)f5! (Paulsen-Zukertort,
revolucionárias!) Leipzig 1877).
Após ter brilhado no colégio, em dois anos Paul
6.làxe5&8?!
completou o curso na Universidade e aos vinte anos É sempre dificil para os pioneiros. Mais tarde
obteve o diploma de advogado. Mas como nos EUA
foram tentados tanto 6...~4?! (Schlechter) como
naquela época só era possível trabalhar neste ramo a
6 .. .'~)d4?! (Marshall), mas a variante principal setor-
partir dos 21 anos de idade, decidiu momentânea-
nou 6 ... '1)xe5 7.d4 .i:t.d6 8.f4 (8.dxe5 .be5 como
mente se dedicar inteiramente ao seu jogo favorito,
em Paulsen-Wtnawer, Baden-Baden 1870) 8... '1)c6
incentivado ainda pelo boom do xadrez que também
9.e5 ii.J!7! (9... a6 10.Ae2 Short-Adams, Inglaterra
havia alcançado o Novo Mundo após o primeiro tor-
neio internacional de Londres. No outono de 1857 o
1991; após 9 ....í:l.b4 10.d5 não é mais possível jogar
primeiro Congresso Norte-Americano de Xadrez foi 10... '1)e4 e 10... a6 ll.ii.J!2 Ac5+ 12.Whl làxd5
realizado, atraindo os 16 melhores jogadores no país. 13.'i!lxd5 d6 favorece as brancas) 10.d5 (10.exf6
Como o evento de Londres, foi realizado no sistema .bf6 com igualdade) 10...'1)b4 (10 ...Ac5+ llWhl
eliminatório: minimatches até o primeiro jogador a '1)d4 12.exf6 'i!lxf6 13.~ \We7 14.Ad3 Ab6
vencer três partidas, e na final eram necessárias cinco 15.f5 com ataque, Paulsen-Anderssen, Leipzig 1877)
vitórias. 11.exf6 (11.d6!? cxd6 12.exf6) 11....bf6 12.a3
Morphy com facilidade chegou à final (nove vitó- (12.'1)e4!?) 12....bc3 13.bxc3 '1)xd5 14.\Wxd5 c6

30
O xadrez antes de Steinitz

15.l!fd3 cxb5 16.fS com pequena iniciativa. (14 ... Ad7 15.'i!i'fl) 15.Axc6 (15.'i!i'e2 ~d8!)
7A)xc6?! 15.J~d8 16.l!ieS 'i!i'c2! (16...ii.d6? 17.l!ixb5 l!ic2
7. ~t3 ! assegura alguma vantagem, por exemplo: 18.'ii'a4) 17.ii.O Ad6 18.'i!fxb5 Ad3 19.'i!i'c6 'i!?fB!
7...~e4 8.d4 (8.~e4 !!xe4 9.d3 &8 10.d4 tam- As pretas mantenham a vantagem.
bém é bom) 8...~c3 9.bxc3 Ji.t'8 (9 ...1i.e7?! 10.d5 13... Ab6 14.a4 b><a4 15.l!Vxa4 Ji.d7?
~b8 l l .M4 :i\1aróczy-Pillsbury, Nuremberg 1896)) Devolvendo a gentileza. As pretas venceriam
IO.d5 êiJe5 ll.~e5 lãxe5 12.M4 &8 13.l!it3 c6 com 15 .. .Al,7 (mantendo o controle de a6) 16.lãa2
14.ii.d3 ou 7... lài4 8.e5 ~f3+ 9.gxt3! &e8 17.l!idl Aa6! 18.lãxa6 Wxa6 19.d4 'ii'c4
Teichmann-Rnbinstein, San Sebastian 1912. 20.Ad2 a5.
7... dxc6 8.ii.c4 bS (mas não de imediato 16.&2?
8... ~e4? devido a 9.~e4 lãxe4 10.1i.xf'7+ Wxf7 O erro fatal. A dama deveria ser deslocada de d3
11. l!it3+) 9.Ae2 com 16.l!ia6! quando a vantagem teria passado para
Dificilmente seria vantajoso para as brancas as brancas: 16... 'ti'xa6?! 17.~ &e8 18..ig4
9.Ab3?! .ig4 10.l!iel b4 11.làil lãxe4 12.li)e3. (mas não 18.d4? c5 19.bxcS Axc5) 18 ...Ac8
9... ~xe4 10.~xe4 (18 ...~6e7?! 19.Ji.xd7 làxd7 20.d4) 19.&1 lli6
Evidentemente não 10.AO? ~f2! ll.làxt2 20.ii.xc8 lãxc8 21.d4, ou 16...'ii'fS (é inferior
li'd4 12.™ (12.l!ifl? 'i!i'xf2+! 13.\!9xf2 &l 16 ... 'ii'g6?! 17.d4 &e8 18.Af4) 17.d4 &e8
mate) 12...!!xe4! ganhando. 18.Ae3 c5 19.bxc5 Axc5 20.Wlb7 (não 20.li'a5?
10...lãxe4 11.il.O ~g6 21.'ithl \!9xt3 22.gxt3 Ac6; ao passo que
Segundo Steinitz seria melhor ll.c3, quando 20.'ii'e2 Ab6 21..ig4 lãxe3 22.Ji.xf5 !!xe2
seria aceitável 11. .. Wfb.4, por exemplo: 12.d4 23.Ji.xd7 leva à igualdade) 20 ...Ad6 2l.c4 Ao invés
12...Ad6 13.g3 t!ih3 (ameaçando ...~4) 14.f4 Ad7 de ganhar, as pretas teriam que se defender...
15.AO &7 (e ...&e8), ou 12.g3 l!ie7! (seria pior 16...&e8 (com a ameaça de ...t!Vxfl+) 17.t!i'a6
12...t!ih3 13.d3! &8 14.AO Ad7 15.a4) 13.AO Também sem esperanças seria 17.'i!fdl c5
100 14.d4 ii.xfl 15.Axe4 l!ixe4 16.l!ixfl Ad6 (17 ... &5!? Neishtadt) 18.bxcS Axc5 19.Aa3
com uma partida confortável. (19 ..ig4 f5) 19...Ji.xa3 20.làxa3 Ab5. Finalmente
11...&6 12.c3? Paulsen encontrou a ideia correta, mas com um lance
Um lance simplesmente horrível. Quem pensa- de atraso. Naquela época a luta pelos tempos era
ria em deixar a dama invadir por d3? Ainda mais rara.
quando um lance como 12.d3 conservaria uma boa
posição.

17,... 'i!i'xtJ!!
Uma belíssima refutação.
12... l!idJ! (é claro! A dama paralisa totalmente a 18.gxt3 I!g6+ 19.<;1ibl .ü3 20.lãdl
posição branca) 13.b4?! Ou 20.l!id3 (20Jâgl? lãxgl+ 21.~gl &1+)
Este também é duvidoso. Parece melhor 13 .lãe 1 20 ... f5! 21.~dl (21.'i!ic4+ 'i!?fB!) 21....igl+
lãxel+ 14.l!ixel, embora depois de 14 ... AfS!
22.';!i>gl Axt3+ 23.Wfl Axdl vencendo.

31
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

20... it.gl+ 21.@gl .txf3+ 22.@fl it.gl+ (o 13.0--0--0 ~714.~4 a6 15.g3 lli6 16.ãhel ~5
discreto 22 .. Jâg2! ganharia mais rapidamente: 17..th5 .td7 18.l!i'e2 ãe8 conseguiram o empate.
23.'i!fd3 lâxt2+ 24.'ia!?gl i!gi+ 25.Whl l¾l mate - Aparentemente depois de 6 ...e3, sem querer entrar
Zukertort) 23.@gl .th3+ (as pretas poderiam dar o em detalhes, Spassky esperava melhorar o jogo de
Schulten em algum momento...
mate através de 23 ...1i.e4+ 24.Wfl .tf5! 25.l!i'e2
7..txe3 0-0 8..td2
.th3+ 26.@e 1 ãg 1 - Bauer) 24. Whl .txtl 25. 'i!ffl Não chega a ser melhor 8ie2 .txc3+ 9.bxc3
.txfl 26.ãxfl E!.e2 27.El.al El.h6 28.d4 .te3, e as ~xd5 10 ..td2 'i!ff6! nem 8.~ge2 &8 9 ..td2 .txc3
brancas abandonaram. 10..txc3 ~d5 (Schulten-Kolisch, Paris 1860).
Ao se tomar campeão dos EU.A, Morphy estabe- 8....txc3
leceu-se em Nova Iorque, onde jogou 161 partidas Eliminando o cavalo, que em alguns casos inter-
dando vantagem (+107 -36 =18) e 100 em condições ceptaria a coluna e. Por exemplo: 8...~d5 9.~d5
iguais (+87 -5 =8), nas quais dentre seus adversários Z!e8+ 10.~3 (10.1i.e2!?) 10 ...lãxe3+ ll.Wf2; ou
8...~e8+ 9..te2 (seria pior 9.~2?! Ac5 quando
incluíam-se os melhores jogadores daquele tempo,
não é possível 10.c4? ~g4 11.~ ~4+ 12.g3
tais como Paulsen, Stanley, Llchtenhein e Schulten.
~h2! e depois de 10.00 'i!fxd5 as pretas estão
Uma de suas vitórias sobre este último foi publicada bem) 9 ....tg4 10.~! com vantagem.
em todo o mundo. 9.bxc3 lãe8+
Mais tarde foi jogado 9...~xd5 10.'iWt3 (10.~t3
'i!ff6!) 10.Jà.e8+ 11.l2:le2 ~6 com jogo complica-
Partida 7 do, embora seja mais ativo 10.c4! &8+ 1l.1i.e2
J.Schulten-P.Morphy ~3 (11...~6 12.~t3 Wfr'e713.~5 ~6 14 ..tc3!
Nova Iorque 1857 Estrin) 12 ..txe3 lãxe3 13.Wf2 &8 (seria um erro
Gambito do Rei C32 13 ... 'i!fd4? 14.~t3 'i?exf4 15.'i?ecl - Petroff-
Scumoft: São Petersburgo 1862) 14.~t3 e as pretas
ainda devem lutar por uma compensação pelo peão
1.e4 e5 2.f4 d5 3.exd5 e4 (o contragambito (por exemplo 14....tg4 15.°i!fd2 .txn 16..txt3
Falkbeer, cuja avaliação não é clara nem nos dias
°iled4+ 17.Wg3! etc).
atuais) 4.ê'ikJ
10..te2 il.g4
É mais promissor 4.d3 êiJf6 (4 ... 'i!fxd5 5.'i!fe2, Já que Morphy venceu com rapidez, reluta-se em
ou como sugerido por Keres 5.~ exd3 6 ..txd3) criticar este lance. Especialmente porque como se
5.dxe4 ~xe4 6.00 .tc5 7.'i!fe2 .tf5 8.~3 l!i'e7 viu na nota anterior, após 10... ~xd5 ll.c4! não é
9.1i.e3 ! tão óbvio que as pretas consigam igualar.
4... ~f6 5.d3 .tb4 6..td2
Após 6.dxe4 ~xe4 7.Wfr'd4 l!i'e7 as pretas tem
um jogo confortável: 8..te2 0--0 9..td2 ~xd2
10.~xd2 c6! (também foi jogado 10....tg4) 1l.~t3
(ll.dxc6?! E!.d8 12.'i!fcl ~xc6; 11.0--0--0 cxd5
12 ...tn .te6 e ... ~c6) ll...cxd5 12.0-0 ~c6
(Bardeleben-Black.bume, Londres 1895).
6••• e3!?
''Totalmente de acordo com o estilo de Morphy!
Temos um excelente exemplo de sacrificio posicio-
nal." (Euwe) Posteriormente passaram a fazer este
lance automaticamente, de vez em quando tentando
também 6 ... exe3 7 ..txd3 0--0. Mas na partida
Spassky-Bronstein, Moscou 1971 as preferiram 6.0-
0 e depois de 7.~xe4 &8 8..txb4 ~e4 9.dxe4 11.c4?!
ãxe4+ 10..te2 lãxb4 ll.~t3 ãxf4 12.°t!fd2 Wfr'd6 ''Este lance 'guloso' é o erro decisivo. (? - G.K)

32
O xadrez antes de Steinitz

As brancas sairiam da cravada inicialmente com prio Morphy foi para a Europa. Em junho de 1858
l l.h3 ~e2 12.~e2 'file7 (12 .. .li:ixd5 13.~) chegou à Inglaterra, onde demonstrou sua superiori-
13.'4i12 (na minha ojinião é mais promissor I 3. c4 c6 dade sobre os mestres locais de forma fácil, vencen-
/4.dxc6 <[)xc6 15. rJ?/2 Wc5+ 16. <;/?gJ 1Je6 17. rJ?h2 do com brilhantismo um match contra Lôwenthal
11ae8 /8.qJ) 13 ... ~ 141:iel lz:le3 15.'i!fcl, em
(gastando em seguida o prêmio recebido em .. mobí-
segundo lugar também havia o lance mais útil
lia para o apartamento do seu adversário, que se
11.W, após o que não é fácil para as pretas
demonstrarem que sua iniciativa vale o peão sacrifi- encontrava em dificuldades econômicas!).
cado." (Neishtadt) Lastimavelmente depois de longas discussões,
De acordo com Estrin no entanto, após l l .h3 o Morphy não conseguiu seu principal objetivo - um
mais forte é II...'i!Vxd5! 12.~ (12.hxg4? 'ti'xg2) match com o camp<;ão inglês de 48 anos de idade.
12 ... ~e2 13.~e2 li'c5+! "com a iniciativa" A explicação e óbvia, e aqui novamente lembra-
(embora após 14.<itg3 a posição não seja clara); mos as palavras de Fischer: "Staunton parece ter
entretanto 11.~ é de fato um lance útil: l l ...~e2 temido o encontro com Morphy e penso que seus
12.~e2 'ti'xd5 13.fill (13.&l li)c6 14.~gl temores eram justificados. Morphy o teria derrotado,
l!fc5+ l 5.d4 !i'd5 com igualdade) 13 ... li::\c6 mas não seria um encontro de um só jogador, como
(13 ...li'c5+ 14.'~g3 lWh5 15.~4; 13 ...l2lg4+!?) muitos escritores afirmam. Teria sido uma grande
14.'itã'gl 'ti'c5+ 15.'t,h} l2lg4 16.~4 com pequena luta". Os demais jogadores foram triturados um após
vantagem. o outro pelo jovem norte-americano, e em estilo alta-
u...c6! 12.dxc6?? mente espetacular.
"Mas este sim é o erro decisivo, um lance de um
jogador de terceira categoria. Era absolutamente
Partida 8
essencial 12.h3 ~e2 13.~e2 cxd5 14.cxd5 'tii'xd5
H.Bird-P.Morphy
15.0-0 com um peão a mais, pelo qual as pretas têm
Londres 1858
compensação mas não mais que isso. Agora entre-
Defesa Philidor C41
tanto elas têm uma enorme vantagem de desenvolvi-
mento e um ataque irresistível.
12... ~xc6 (ameaçando ... ~ ) 13.'i!tfl 1.e4 e5 2.êilt3 d6 3.d4 fS?!
As brancas não salvariam a partida nem mesmo O lance de Philidor, que estava na moda naquela
com 13.h3 ~e2 14.~e2 ~4; ou 13.ii.c3 lzJd4 época, mas que de forma objetiva é mais que duvido-
14.~d4 'i!fxd4 15.l'ili:3 ~f'3 16.gxf'3 ru; ou so, talvez até mesmo perdedor.
13.W lib6+ (mas não 13 ...!Ixe2+? 14.l2lxe2 4.li::lcJ
~ 15 ..lãel) 14.<itg3 !Ixe2 15.~e2 lui4. Também é bom 4.ii.c4, assim como 4.dxe5 fxe4
13...l!xe2! (catástrofe na casa e2) 14.t2lxe2 itkl4 5.lug5 d5 6.e6 (6.luc3!?) 6 .. .ii.c5 7.li::lc3! (mas não
15.'i!Vbl ~xe2+ 16.00 (perde da mesma forma o imediato 7.lufl !i'f6 8.~3 d4 com contra-ataque,
16.~gl luxe2 ou 16.$)el 'i!fe7) 16... lug4+ Barnes-Morphy, Londres 1858) 7 ... c6 (7 ... 'i!ff6
17.~l 8.l2lgxe4 dxe4 9.1!fh5+ e !i'xc5) 8.l2lf7, sugerido
Se 17.~el (17.~g3 luf5+ e ... 'tii'h4 mate) então por J. Berger já em 1880.
17...li'h4+ 18.g3 'i!fe7 ou 18...&8! 4... txe4
17... lufJ+! (forçando o mate em sete lances) As pretas não igualariam com 4 ...luf6 5.dxe5
18.gxB 'tid4+ 19.~ 'i!ifl+ 20.~ 'tixt3+ l'2lxe4 6.luxe4 fxe4 7.l2lgs d5 8.e6 ii.c5 9.luxe4
21.~h4 êiJe3 22.~1 ~fS+ 23.'i!i>gS 'i19h5, e as ke7 10.li'h5+ g6 I 1.'i!fe5 l!g8 12.l2lg5 nem com
brancas abandonaram. 4 ... exd4 5.'tii'xd4 fxe4 6.ii.g5 t2lf6 7.~e4 ~e7
8.ii.c4 luc6 9.'i!ie3.
Morphy sonhava jogar com o rei do xadrez da 5.luxe4 d5
Ou 5 ... l'2lf6 6.~f6+ gxf6 {se 6 ...'t!Nxf6 7.ii.g5
década de 1840, o mestre inglês Staunton, e então
l!fg6 então 8.dxe5 Zukertort) 7.dxe5 fxe5 8.ii.c4
seus amigos o convidaram a visitar a 1\mérica. "Mas
'tii'f6 9.lug5 com clara vantagem
Staunton declinou do convite, e dessa forma o pró- 6.i2lg3?!

33
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

Conforme mostrou Zukertort, é mais forte artista, mas o simples 17 ...Ag4! era correto, ou ainda
6.êz::lxe5! dxe4 7.'i!fh5+ g6 8.êz::lxg6 êz::lf6 9.'i!fe5 e no de acordo com Euwe, o lento 17...M5 e ...Ag6)
caso de 9.Wf7 10..1'.c4+ Wg7 (10 ...Wxg6 ll.'i!fg5 18.it.xtl 'i!fa3!!
mate) 11..ih6+ ©xh6 12.êz::lxh8 ~ + 13.c3 'ilfxh8 Mas não 18...~ ? 19.'ilfe3! - infelizmente nem
14.cxb4 (Keres) a vantagem das brancas é quase mesmo essa brilhante manobra de dama dá mais que
decisiva. o empate. ..
6... e4 7.êz::ie5 êz::}f6 8.il.gS?! (o correto é 8.f3! ,
19.c3!
minando o centro com vantagem) 8...it.d6
Contra 19.'i!fg5 Maróczy indica a variante vence-
"Um lance típico de Morphy, buscando reparar
dora 19...'ilfxb2+ 20.Wd2 ~ + 21.We3 'ilfa3+!
seu atraso no desenvolvimento o mais rápido possí-
vel". (Euwe) Na opinião de Maróczy, seria mais pru- 22 ..il.d3 (22.@f4? il.e7) 22 ...~6 23.!illgl .ilffi! e
dente 8 ...it.e7. ... exd3, e se 19.'i!fc3 então 19...'ilfxa2 20.ãdgl g6
9.êz)hS?! ~ 10.'ilfd2?! 'ilfe8! 11.g4? 21.b3 ~ ! Em vez de 19 ...'ilfxa2 é ainda mais
Após uma série de lances incompreensíveis, Bird forte 19 ...M4+! 20.ãd2 'i!fxa2 21.'ilfa3 'i!fxa3
comete um erro decisivo. '½.pesar disso, não fosse 22.bxa3 e3 ganhando (Euwe) ou 21.b3 it.d6! (mais
por este lance a literatura do xadrez não seria enri- simples que 21...e3 22.i.xe3 i.xe3 23.fill a5! etc)
quecida com uma das combinações mais impressio- 22.ãddl ~ ganhando.
nantes e profundas de Morphy... Após 19...'i!fxa2
l 1.êz::lxf6+!(11.Axf6 'ilfxh5) 11...gxf6 12.Axf6 O Grande Mestre Murey tentou encontrar uma
ãxf6 (12 ... 'ifu5 13.g4) 13.'i!fg5+ i:!g6 . 14.êz::lxg6 vitória após 19 ... e3?! 20.i.xe3 il.6, mas não obteve
hxg6! 15.'i!fxd5+ (ou 15.h4) a partida estaria iguala- sucesso: 21.'i!fc2 'ilfxa2 22.W i.xd3 (22 ...~ ou
da ..." (Maróczy). Euwe não concorda com essa ava- 22 .. .~xb2 23 ..fi..xf5) 23.ãxd3 ~3 (23 .. Jlxb2
liação: "Na posição aberta resultante a força do par
24.'i!fxb2 ~ 25.'i!fxa3!) 24.'i!fbl! (24.bxa3 'ilfal+
de bispos deve ser notada rapidamente". :Mas, na
25.Wd2 'i!Vxhl 26.c4! 'i!Vxh2+ 27.Wc3 também
minha opinião as brancas teriam muita sorte em che-
serve) 24 ...i.xb2+ 25.@c2 'i!fa4+ 26.'i!td2 i.xc3+
gar a uma posição dessas, já que na verdade seriam
destruídas pela interposição 12... e3! (isso Morphy 27.ãxc3 ãxbl 28.ãxbl 'i!fa2+ 29.@cl parando o
não deixaria passar!) 13.'i!fxe3 ãxf6 14.(H)-0 ataque e mantendo superioridade material.
(14.'ilfg5+ ãg6) 14....ilffi etc. O erro de Bird é total- 20.b4 (forçado: a ameaça era mate em dois e se
mente compreensível: ele já tinha uma escolha dificil. 20.'ilfc2? pode-se optar entre 20 ...Ji.f4+ ou
ll .. .l2lxg4 12.êz::}xg4 'i!fxh5 13.~e5 êz)c6 20...ãxb2 2I.'ilfxb2 ~ 22.'ilfxa3 'ilfxa3+ 23.Wd2
14.Ae2 '9Wb3 IS.êz)xc6 bxc6 16..il.e3 ãb8 (o prelú- 'i!fb2+ 24.Wel 'i!fxc3+) 20...'ilfal+ 21.<~c2 l!la4+
dio para a combinação, embora o imediato 16...Ag4
fosse mais eficiente, com um saudável peão a
mais)l7.0-~
''É mais seguro 17.c3" (Maróczy), se é que se
pode dizer isso em uma posição dessas...

22.@b2?
De acordo com Maróczy 22.@cl! forçaria o
empate por xeque perpétuo (22 ...l!lal+), uma vez
que 22 ... Axb4 é um erro devido a 23.cxb4 l!xb4
24.'ilfg5 (também é possível 24.'ilfc2 'ilfa3+ 25.Wd2
17.. Jlxtl?! (tiro meu chapéu para este grande

34
O xadrez antes de Steinltz

I!b2 26.&l) 24 ...1!fa3+ 25.~ !!b2+ 26.<~el segundo no match com Anderssen), e também com
!!xe2+ 27.©xe2 1!ft3+ 28.<it>el l!fxhl+ 29.l!i'gl alguns adversários menos fortes, porém mais nobres!
1!ft3 30.1!fg3 ganhando. A mais famosa dessas partidas foi jogada contra o
Agora com a ajuda do computador pode-se esta- Duque Karl de Brunswick e o Conde Isouard, que
belecer que 22.~1 ..tf3! (não é claro 22... a5 jogavam em consulta, num camarote durante uma
23.'i!fc2 'i!fa3+ 24.1!fb2 axb4 25.'í!i'c2 ~6 apresentação do ''Barbeiro de Sevilha" no Teatro da
26.idl !) 23.~l! l!fal+ 24.Wc2 e3+ 25.'itb3 exd2 Ópera.
26.!!xal lâ.e8 27.~6 dxel'i!f 28.&xel !!xel
29.!!xel 1'.xh2 30.Jll,7 ~ 31.1'.xc6 'í!i't7 teria
dado uma mínima vantagem às negras (obviamente Partida 9
menor que após 17...~4!: aqui o empate é mais P.Morphy-Duque de Brunswick e Conde
real). Este é o nível de ataque e defesa hoje em dia, o Isouard
que ilustra o gigantesco progresso do xadrez nos últi- Partida amistosa, Paris 1858
mos cento e tantos anos. Defesa PhililÍfJr C41
22... Axb4 23.cxb4 ãxb4+ 24.l!t'xb4 1!fxb4+
25.©c2 (se 25.Wa2 as pretas vencem com 25 ... c5! l.e4 e5 2.li:lt3 d6 3.d4 il.g4?
26.dxc5 e3! 27.1'.xe3 d4) 25... e3! Hoje em dia qualquer estudante sabe que isto é
Esta resposta Bird não viu, mas é dificil exigir de ruim, mas então era jogado até mesmo por Harrwitz!
um mestre de meados do século XIX que ponderas- 4.dxe5 Axt3 5. 'i!fxt3 dxe5 6.Ac4 li:)ffi?
se todas as consequências de 18 ...1!fa3!! e O erro decisivo. É verdade, as pretas tinham uma
22 ...~b4, enquanto a análise profunda e a tática de escolha desagradável entre 6 ...1!ff6 7.1!fb3 Ac:5 (a
alta escala de Morphy lembra um grande mestre já variante espetacular 7 ... b6 8.~3 ~7 9.li:)b5 ~6
nos dias de hoje. Era simplesmente impossível com- 10.1!fa4 ~5 11.~6+ \W8 12.1!fe8 foi indicada
bater um furacão desses. no tratado de Greco!) 8.~ iLb6 9.a4 a5 10.~3
26.Axe3 AfS+ 27.ãd3(ou 27.Ad3 'i!fc4+) ~7 11.~3 ~7 12.&dle 6 ...1!fd7 7.'i!fb3, segui-
27...1!fc4+ 28.©d2 1!fa2+ 29.©dl 'i!fbl+, e as do de ~3, 0-0 e llil - em ambos os casos com
brancas abandonaram. vantagem óbvia das brancas.
7.'i!fb3 (um ataque duplo clássico) 7...1!fe7
No início do outono de 1858 Morphy se mudou Em uma partida jogada um mês antes Morphy-
para Paris, onde venceu um match contra o campeão Harrwitz (Paris, 8" partida do match 1858) as pretas
francês Daniel Harrwitz. O vencedor seria o primei-
preferiram sofrer com um peão a menos após
ro a vencer sete partidas, mas após uma série de fra- 7 ... Ad6 (7 ...l!fd7? 8.'i!fxb7) 8.1'.xt7+ e abandona-
cassos Harrwitz "adoeceu" e o árbitro decidiu que
ram no 59º lance.
ele fora derrotado (+5 -2 =1). Curiosamente,
8.êi:lcJ!?
Morphy considerou que o evento não estava total- Em prol de um rápido desenvolvimento Morphy
mente completo e destinou seu pequeno prêmio ao evita a troca de damas, embora após 8.1'.xt7+!
pagamento da viagem do grande Anderssen da (8.1!fxb7 'i!ft,4+ 9.l!fxb4 1'.xb4+ 10..td2 é
Vlastilávia a Paris, caso desejasse jogar um "matcb "pouco") 8 ... Wd8 (8 ...'i!fxt7 9.1!fxb7 vencendo)
amistoso". Anderssen naturalmente aceitou o desa- 9.1!fxb71!fb4+ 10.'i!fxb4 ~b4+ ll.c3 e as pretas
fio, mas informou a Morphy que não poderia aban-
podem abandonar.
donar seu trabalho de professor no meio do ano
8... c6 9.Ags b5?
escolar e que chegaria somente para as férias de Uma tentativa de resolver todos os problemas de
Natal ..
uma só vez. ''.As pretas dificilmente salvariam a par-
Enquanto esperava, Morphy ministrou algumas tida com 9 ... ~ 10.Axa6 bxa6 ll.'i!fc4 ou 9 ... h6
exibições simultâneas (como na Ioglaterra, com 10.1'.xf6 gxf6 1l.~-0, enquanto 9 ...l!fc7 10.0--0-
sucesso particular jogando às cegas), e algumas par- 0 Ac:5 seria refutado pelo simples l l.1'.xt7+ 1!fxt7
tidas amistosas com os mestres franceses, incluindo 12.lli8+''. (Neishtadt)
Arnous de Riviere e Saint-Amant (o seu futuro

35
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

10.lZ'lxbS! (mas não 10.~2? 'i!ib4!) 10...cxbS


11.Axbs+ ~bd7 (ou ll...Wd8 0-0-0+) 12.(H)-()
nds
Se 12...'i!fb4? então 13.Axf6.
B.nxd11
''.As brancas desferem golpes sucessivos, e cada
vez com um ganho de tempo" (Euwe). "Morphy em
seu elemento. A combinação brilhante com sacrifi-
cios faz desta partida uma das mais belas realizações
em toda a história do xadrez" (Maróczy).
13...nxd7 14.I!dl 'i!ie6 15.Axd7+ (15.Axf6
era uma alternativa mais seca) 15... ~xd7
Morphy x Anderssen
Novamente, como em seu match com Harrwitz,
Morphy começou com uma derrota. Mas depois
empatou e... venceu cinco partidas em seguida!
Anderssen simplesmente não sabia mais o que fazer:
com brancas perdeu a confiança em jogar l.e4 e
mudou para seu lance patenteado l .a3 (o qual ele
mais tarde chamou de ''loucura''), e com pretas ele
tentou sem sucesso l...e5, l. .. d5, l...e6 e l...c5.

Partida 10
P.Morphy-A.Anderssen
16.1!fh8+!! ~xb8 17.!id8, e as pretas abando- Match, Paris 1858, 9" partida
naram. "Um final espetacular!" (Euwe). Defesa Siciliana B44

:Mas então veio dezembro e Anderssen chegou a


Paris. Eles concordaram em jogar até sete vitórias e 1.e4 c5 (Anderssen, depois de La
alguns dias mais tarde, com Morphy mal recuperado Bourdonnais e Staunton, foi um dos pioneiros
de uma doença, começou o histórico match entre da Defesa Siciliana) 2.~f3 ~c6 3.d4 cxd4
aqueles que foram sem dúvida os dois jogadores 4.~xd4 e6 5.~bS d6
mais brilhantes e mais fortes da metade do século É difícil acreditar que esta moderna tabiya
XIX. ocorreu há um século e meio!
6.i.f4

36
O xadrez antes de Steinitz

O lance favorito de Fischer, mas posterior- 17.Wdl) 17.exd4 lãxf7 18.i.b5 mate. É pouco pro-
mente todos passaram a preferir o lance de vável que Anderssen tenha calculado todas as conse-
Karpov 6.c4. quências de 13 ...Wg6, contudo o seu senso combi-
6... e5 7.i.e3 f5? natório não o decepcionou: 14.l!fh.5+ WXf6
Mais de cem anos foram necessários para 15.l2Je8+ (Maróczy sugeriu "15.fxe3!, como na par-
mostrar que após7 ... l2Jf6 8.i.g5 i.e6 as pretas tida", mas aqui após 15 ...l!i'xc7 16.ru!+ l2Jf5 nada
não tem com o que se preocupar, por exemplo:
sai) 15 ...l!fxe8 16.l!fxeS l2Jxc2+ (16 ... d5 17.0-0-
9.l2Jlc3 a6 10.i.xf6 gxf6 11.~a3 d5! (Fischer
0!) 17.Wfl e2+! (17 ... l2Jxal 18.g4!) 18.ii.xe2
- Petrosian, Buenos Aires 1ª partida do Match
l2Jxal 19.g4! e as pretas, apesar do balanço material
1971). Entretanto, Anderssen com seu estilo
agressivo queria apressar uma crise no centro. favorável, não tem salvação contra a nova onda de
Antes desse match esses métodos sempre fun- ataque.
cionavam para ele. 14.i.xd5+
8.l2Jlc3! O momento critico da batalha.
Morphy sentiu que a lógica do xadrez esta-
va do seu lado e encontrou uma refutação ime-
diata contra a atividade prematura das pretas.
8... f4
Se 8 ... a6, então 9.l2Jd5! axb5 10.ii.b6 l!Hh4
11.l2Jc7+ Wd7 12.lzJxaS l!fxe4+ 13. 'i!fe2 é
decisivo. "E após 8 ... l2Jf6 9.i.g5 a6 (9 ... i.e7
10.i.xf6 gxf6? ll...Wd7 12.l!fxf5+ We8
13.'i!fh5+ Wd7 14.l2Ja3) 12.i.c4 l!fe8 13.l!fh.6
mate) 10.i.xf6 gxf6 11.l!fb.5+ Wd7 12.l!fxf5+
<i!?e8 13.'ifü5+ Wd7 14.l2Ja3 as brancas tem
um peão a mais e posição melhor". (Maróczy)

14... Wg6?
"Um erro de cálculo! As pretas pensaram que
após 15.l!fh5+ WXfü 16.'i!ff7+ (agora não é possível
l 6. fJe8+? devido a 16. .. 'i!fxe8 17. 'i!fxe8 ..ii.b4 vencendo
- GK) 16...Wg5 poderiam salvar seu rei, mas não
viram 16.fxe3! comumataquedecisivonacoluna 'f.
A partida foi jogada de forma muito rápida, de outro
modo Anderssen sem dúvida notaria esse lance sim-
ples", escreve Maróczy. "Seria possível evitar o peri-
go imediato com 14... 'iixd5 15.l2Jfxd5+ l2Jxf.3
16.gxf.3 ext2+ 17.'it>xt2 ~5+ 1s.'it>e2 m,s, e as
pretas com dois bispos contra dois cavalos não esta-
riam piores." Mas na minha opinião estariam sim-
9.lt)d5! txe3 Gá não há mais volta) 10.lt)bc7+ plesmente com um peão a menos, e após l 9.b4 i.f8
<i!?f7 n.l!fo+?! (19 ... i.d6 20.l2Jb5) 20.Ethdl (ou 20.c4 direto)
Provavelmente seria mais forte 1l.l2Jxa8, por 20 ...i.d7 21.c4 as brancas tem um final tecnicamen-
exemplo: ll...exf2+ 12.WXf2 l!fh4+ 13.g3 'i!fxe4 te ganho.
14.i.gl vencendo. Mas Morphy não queria distrair As pretas causariam mais problemas com a
seu foco do rei inimigo e essa presunção deu algumas sugestão de Zukertort 14... We7, por exemplo:
contrachances às pretas... 1) 15.l2Jg8+?! Wd6 16.l!ff7 l2Jxc2+ 17.Wdl
11 ... l2Jf6 12.i.c4 lt)d4 13.lt)x:ffi+ d5! (17.We2 i.g4+ 18.f.3 l2Jd4+ 19.WXe3 l!fxc7
É ruim 13 ... We7 14.l2Jfd5+ Wd7 15.'i!ff7+ i.e7 20.'i!fxc7+ 'it>xc7 21.fxg4 i.d6) 17 ... lzJxal
(15 ... Wc:6 16.l2Jb4+) 16.fxe3 Etf8 (ou 16... l2Jxc2+

37
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

18.t2::lxa8 ~4+ 19.f3 it.d7! e as pretas ganham.


2) 15.~5 gxf6 16.l!ff7+ Wd6 17.t2)xa8! (o único
caminho: 17.ltJe8+? l!fxe8 18.l!fxe8 t2::lxc2+
19.Wfl e2+ 20.Wgl ~xal) 17... ~xc2+ (17 ... l!fe7
18.0-0-0) 18.We2 l!fe7 19.l!fxe7+ ii.xe7 20.lãacl
~d4+ 21.WXe3 it.d7 22.!k7! .lãxa8 23.~b7 .ilc6
24 ..ilxc6 ~xc6 25.~cl t2::ld8 26.~dl+ We6 27.'fl.c7
.Êl.b8. De acordo com Maróczy, "a posição das bran-
cas é algo melhor", mas a meu ver após 28. b3 as pre-
tas não se sustentam.
15.l!fh5+ Wxf616.fxe3!
Talvez Anderssen contasse com que o seu jovem
adversário se perdesse nas complicações táticas, mas
Morphy manteve a cabeça fria. Ocorre que o rei
pode ser executado pela coluna "f' aberta não
somente no Gambito do Rei...
16... ~xc2+
Este perde imediatamente, mas 16 ...l!fxc7
somente prolongaria a agonia: 17.ãfl + {muito mais
claro que a sugestão de Maróczy l 7.exd4 We7 18.0-
0-0) 17 ... t2::lf5 (17 ... We7? 18.2:!f7+) 18.'f1.xf5+!
ii.xf5 19.l!fxf5+ @e7 20.l!fe6+ @d8 21.0-0-0!
¾i..d6 {ou 21...!fd7 22.ii.xb7) 22.ii.xb7 etc.
17.@e2, e as pretas abandonaram. Por exemplo:
17...~xal 18..Êl.fl+ We7 19.l!fxe5+ @d7 20 ..ile6+ Antes de Morphy deixar Paris um esplêndido
Wc6 21.&l+ @b6 22.l!fb5 mate. banquete de despedida foi organizado em sua honra,
Sob o aplauso do público, o presidente Saint-Amant
Uma derrota impressionante do campeão do colocou uma coroa de louros em um busto de már-
Velho Mundo! Esta partida durou meia hora. Depois more do "rei de todos os reis" especialmente feito
de ganhar uma revanche no lance 77 na partida para a ocasião, que se tomou, ao lado dos bustos de
seguinte, Anderssen brincou melancolicamente: Philidor e La Bourdonnais, uma atração do Café de
"Morphy vence em 17 lances, enquanto isso me la Régence.
custa 77. Mas isso ainda é suportável...". Ao vencer a Paul foi recebido ainda mais triunfantemente em
11ª partida Morphy venceu o match (+11 -2 =2) e Nova Iorque. Uma comemoração oficial ocorreu em
assim em apenas um ano demonstrou que não havia um ginásio com duas mil pessoas, onde enormes pla-
pares para ele no mundo. cas foram erguidas com os nomes de seus adversá-
''Morphy possui o segredo da invencibilidade", rios derrotados. Quando Morphy apareceu o hino foi
escreviam os jornais com entusiasmo. O perdedor, tocado; então o rei do xadrez recebeu o presente da
embora chocado, também avaliou com nobreza o nação: uma mesa de jacarandá incrustada com péro-
triunfo de seu adversário, declarando publicamente la e prata, um tabuleiro de· xadrez com casas em
que Morphy jogou muito melhor e mais solidamente madrepérola e ébano, com peças de ouro e prata em
que La Bourdonnais e admitiu: ''É inútil lutar contra pedestais comelianos... Morphy também foi presen-
este homem; é muito forte para mim. É preciso teado com um relógio de ouro com diamantes, onde
como uma máquina e não comete erros, enquanto as horas eram indicadas por peças de xadrez verme-
sou apenas um mortal..." Mais tarde Anderssen com- lhas e negras. Pela primeira vez na história do xadrez
partilhou uma importante observação: "Morphy uma vitória foi reconhecida como um evento de
encara o xadrez com a seriedade e a consciência de importância nacional!
um artista... Para ele, uma partida de xadrez é um Lamentavelmente depois disso Morphy abando-
dever sagrado". · nou a arena do xadrez para sempre. No início da

38
O xadrez antes de Steinitz

década de 60, quando a Guerra Civil irrompeu nos Capablanca: ''Revendo a história do xadrez, de
EUA, mostrou os primeiros sinais de desequihbrio La Bourdonoais aos mestres de nossos dias até
mental, e em poucos anos se tornou evidente que o Lasker, descobrimos que o grande estilista foi
grande estava mestre perdido não somente para o Morphy. Ele não procurava por combinações com-
xadrez... Na década de 70 podia ser visto uma vez ao plicadas, mas também não as evitava, que é de fato a
dia, sempre no mesmo horário, caminhando pelas forma correta de jogar... Sua principal força não resi-
ruas de Nova Orleans. Diz a lenda que, não muito de em seu dom combinatório, mas em seu jogo posi-
antes de sua morte, em 1882, trocou saudações com cional e estilo geral. Morphy conquistou a maioria de
Zukertort, que estava se apresentando na cidade. Diz suas vitórias a jogar de forma direta e simples, e é
ainda que em 1883 em sua casa bateu um papo de esse método simples e lógico que constitui o verda-
aproximadamente dez minutos com Steinitz... No deiro brilhantismo de seu jogo, considerado do
vecio de 1884, aos 47 anos de idade, o lendário ponto de vista de um grande mestre".
norte-americano faleceu.
Qual era o segredo da invencibilidade de Alekhine: "Quanto mais vívida e rica a figura de
Morphy? Acredito que foi uma combinação de raro Morphy aparece à nossa frente, mais claro se torna o
talento natural com uma brilhante erudição. Seu jogo segredo de seu sucesso e charme! Se nos transferir-
foi o próximo e mais maduro estágio no desenvolvi- mos em pensamento para aquela época, quando
mento do xadrez. Morphy possuía um "senso da viveu e se criou, se estudarmos um pouco que seja
posição" bem definido, e por isso ele certamente seus contemporâneos! Em Londres, e em particular
pode ser considerado "a primeira andorinha" - o em Paris, onde as tradições de Philidor continuavam
protótipo de um forte grande mestre do século XX. vivas, onde as imortais criações de La Bourdonoais e
Assim como Philidor anteriormente, Morphy McDonoell ainda estavam na memória, quando
estava muito à frente de seu tempo. Como Euwe Anderssen estava vivo, apenas com brilhantismo
seria quase impossível surpreender alguém. A força,
coloca: "Se a característica que distingue um gênio é
a invencível força de Morphy, era essa a razão de seu
a de que está muito à frente comparado com sua
sucesso e a garantia de sua imortalidade!"
época, então Morphy era um gênio do xadrez no
E a força de Morphy, de acordo com Alekhine era o
sentido absoluto da palavra". Espontaneamente esta-
seu "jogo posicional profundamente refletido, de um
beleceu os três principais princípios do jogo de aber-
caráter fundamentalmente agressivo".
tura: 1) rápido desenvolvimento das peças; 2) domí-
nio do centro; 3) a abertura de linhas. Para formular
Botvinnik "Até os dias de hoje Morphy é um
esses e outros princípios de jogo posicional foi
virtuoso absoluto do jogo aberto. Sua importância
necessário mais um quarto de século e o intelecto
foi tão grande que depois dele nada substancialmen-
poderoso do próximo titã do xadrez, Wtlhelm
te novo foi criado neste campo. Todo jogador, de
Steinitz...
principiante a mestre, deveria em sua prática voltar
Concluindo, eis aqui algumas interessantes opi-
constantemente às partidas do gênio americano".
niões dos campeões mundiais.
Lasker: "Em Paul l\íorphy o espírito de La Fischer: ''Uma teoria popularmente aceita sobre
Bourdonnais surgiu renovado, ainda mais vigoroso, Paul Morphy é a de que se voltasse ao mundo do
firme e orgulhoso... Morphy descobriu que o lance xadrez hoje e jogasse com os melhores jogadores
brilhante de um mestre é essencialmente condiciona- contemporâneos sairia perdedor. Nada é mais distan-
do não à súbita e inexplicável imaginação, mas ao te da verdade. Em um match, l\íorphy venceria qual-
posicionamento das peças sobre o tabuleiro. quer vivo hoje... Morphy foi talvez o mais preciso
Introduziu a regra: lances brilhantes e profundas enxadrista que já viveu. Tinha visão completa do
manobras vencedoras só são possíveis em posições tabuleiro e nunca errava de forma grosseira, apesar
nas quais o adversário enfrenta uma abundância de de jogar de forma muito rápida, raramente levando
energia ativa... Desde os primeiros lances, Morphy mais do que cinco minutos para decidir um lance.
tinha como objetivo liberar a energia interna das suas Seus adversários naqueles dias antes dos relógios de
peças. Subitamente revelavam possuir um dinamis- xadrez, freqüentemente levavam horas. Talvez sua
mo muito maior do que as forças do adversário''. única fraqueza fosse em posições fechadas, como a

39
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

Defesa Holandesa. :Mas mesmo assim, geralmente


vencia graças à sua grande habilidade".

Smyslov: ''Não resta dúvida de que para Morphy


o xadrez era uma arte, e para o xadrez Morphy foi
um grande artista. Seu jogo encantava pela novidade
de idéias e pela energia inexaurível. Jogava com ins-
piração, sem se preocupar em penetrar na psicologia
do adversário, jogava, se é possível dizer assim, um
'xadrez puro'. Seu entendimento posicional harmo-
nioso e a sua profunda intuição fariam Morphy um
adversário altamente perigoso até para qualquer
jogador de nossos tempos".

Aparentemente, cada campeão mundial conside-


rava o jogo de Morphy pelo prisma de seu próprio
enfoque do xadrez. Cada um encontrou nele a fonte
de sua própria forçai E então, juntando tudo o que
foi dito, Morphy pode ser considerado o precursor
do xadrez moderno.

40
CAPÍTULO DOIS
WILHELM PRIMEIRO

Wtlhelm Steinitz (14 truUO 1836 - 2 agosto numerosas variantes. Demonstrou este caminho em
1900) o primeiro campeão mundial, foi também um várias partidas magistrais com seu inestimável traba-
grande pesquisador e o criador de uma nova escola de lho analítico. O mundo não compreendeu então o
xadrezposicionaL O trabalho de sua vida foi integral- quanto Steinitz havia lhe dado; nem mesmo os enxa-
mente reconhecido pelo próximo rei do xadrez - dristas o compreenderam. E acima de tudo seu pen-
Lasker: "Quando Paul Morphy, em desespero aban- samento era revolucionário... Este principio funda-
donou o xadrez, Caissa caiu em tristeza profunda e mental e universal pode ser expresso de forma
pensamentos sombrios... As partidas dos mestres sucinta da seguinte forma: um plano deve sempre se
daquela época não tinham planos. Os grandes basear em uma valoração posicional Avaliar, julgar, esti-
modelos do passado eram conhecidos, e os mestres mar algo não significa conhecimento exato. Mas
tentavam segui-los sem sucesso. Entregaram-se conhecimento por estimativa, por julgamento, por
então a reflexões. E quando um deles refletiu inten- avaliação, mesmo que inexato, de acordo com os
samente sobre Paul Morphy, de forma graciosa princípios de Steinitz, é mesmo assim um guia efi-
Caissa o encorajou. E se alcançou então um marco ciente para o mestre".
fundamental na história do xadrez: Steinitz anunciou Steinitz isolou um número de características posi-
os princípios da estratégia, resultado de profundos cionais significativas e descobriu que ataques bri-
pensamentos e imaginação inspirada. Para distinguir lhantes são frequentemente bem sucedidos somente
entre os princípios verdadeiros e falsos, Steinitz teve devido a uma defesa muito fraca. Depois de elevar
que cavar fundo para expor as raízes da arte que consideravelmente a arte da defesa, nas palavras de
Morphy possuía... Euwe, "lançou dúvidas no axioma amplamente acei-
Com coragem própria de um genio, Steinitz afir- to graças às vitórias de Morphy e Anderssen, sobre
mou que toda posição se caracteriza por alguns indí- a necessidade de atacar!". Em lugar disso introduziu
cios, que permitem a elaboração de um plano sem a o conceito do ataque fundamentado, resultante do con-
necessidade de enormes e complicados cálculos de tínuo acúmulo de pequenas vantagens.
Seus ensinamentos tornaram-se um ponto de

41
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

virada na história do xadrez: foi a partir de Steinitz A primeira aparição internacional de Steinitz não
que a era do xadrez moderno começou. A contribui- foi ruim: sexto lugar entre 14 participantes (prêmio
ção do primeiro campeão mundial ao seu desenvol- de cinco libras esterlinas!), mas sua memorável vitó-
vimento é comparável com as grandes descobertas ria sobre Mongrédien foi mais. O vencedor do tor-
científicas do século XIX. neio, o lendário Adolf Anderssen, considerou-a "a
mais ousada e brilhante partida", chamando Steinitz
"0 Calabrês Moderno" de "uma estrela ascendente do xadrez". Em contra-
Steinitz nasceu em um gueto de Praga, na família partida, os organizadores chamaram a partida de "o
de um alfaiate na qual era o nono filho; os quatro diamante do campeão austríaco" e deram um prê-
seguintes morreram na infância e ele, o último rema- mio especial como a mais bela do torneio.
nescente, sustentou por toda a vida ser o décimo ter-
ceiro. Aprendeu xadrez vendo seu pai jogar. Após
concluir a escola em meados da década de 50, con- Partida 11
tinuou sua formação em Viena, que possuía uma W.Steinitz-A.Mongrédien
antiga tradição enxadristica (basta lembrar os nomes Londres 1862
de Allgaier, Hamppe e Falkbeer). Enquanto em Defesa Escandinava 13()1
Londres e Paris a fama de Morphy e Anderssen esta-
va no seu auge, em um pequeno café em Viena um
pobre estudante ganhava a vida jogando com apos- 1.e4 d5 2.exd5 'i!fxd5 3.~3 'i!fd8?!
tas ... Um lance já mencionado em antigos manuscritos.
:Mais popular e natural é 3 ...'i!fa5 com bom contra-
jogo, como ocorreu na 14ª partida do match
Kasparov-Anand, Nova Iorque 1995.
4.d4 e6 (contra 4 ... ~f6 Fischer jogava 5.ii.c4
M5 6.'i!ff3! e contra 4 ... g6 5Ji..f4 ii.g,7 6.'i!fd2!)
5.~t3 ~6 6.ii.d3 ii.e7 7.0-0
É pouco claro 7.'i!fe2 ~6 8.ii.e3 ~b4 9.ii.c4
~bd5.
7•••0-0
Surgiu uma pos1çao tipo "francesa" com um
tempo a mais para as brancas. Para justificar
Mongrédien, convém notar que uma posição similar
ocorreu na partida Alekhine-Schlechter, Carlsbad
1911.
8.ii.e3 (a alternativa é 8.'i!fe2 ~6 9.~dl ~b4
10.~c4 ~bd5 Il.êzJe4 ou 8.~5!? c5 9.dxc5)
8...b6 (ou 8 ...~bd79.êzJe5!) 9.~e5 ii.b7 10.f4
~bd7 (10 ...~6!?) ll.'i!fe2
"Deve ser considerado 1 l.f5", escreve Y
Neishtadt no livro "Perviy tchempiom mird' (O
Primeiro Campeão Mundial), de 1971. No entanto
não tenho certeza de que as brancas tenham qual-
quer vantagem após 11 ... exf5 12.~f5 (12.ii.xf5
O xadrez cativou Steinitz por completo. ~xe5 13.dxe5 ~ ) 12... ~xe5 13.dxe5 ~
Abandonou a escola superior politécnica, que pro- 14.~xd5 l!Nxd5 15.l!Ng4 g6.
metia uma vida confortável de engenheiro formado 11 ... ~5?! (é mais lógico l l ... c5, embora após
e logo era o melhor jogador de Viena. E quando em
12.&dl as brancas estejam um pouco melhor)
1862 chegou de Londres um convite para o segun-
12.~xdS exd5
do torneio internacional, a Sociedade Vienense de
Se 12 ...ii.xd5, sem fechar o bispo e controlando a
Xadrez decidiu enviar seu campeão de 26 anos.

42
Wilhelm Primeiro

casa f3, então 13.c4 ~7 14.~l. liguei meu computador e comecei a comparar
13.IDJ minhas conclusões preliminares com as opiniões
Com a ameaça clássica 14.~h7+ Wxh7 dos comentaristas anteriores desta partida. Meu
15.!'!hS!? ~f6 14.~ com ideia de 14...li.c8 "amigo de ferro" Fritz, como sempre, trouxe sur-
15.f5! presas com suas variantes interessantes, inexistentes
13... f5! na literatura enxadrística. Acredito que nem mesmo
Evitando a possível devastação após 13 ...~xe5?! Steinitz suspeitou quantas emocionantes aventuras
14.fxe5 f6 15.m-G (15 ... g6 16.lâxh7!) ou permaneceram nos bastidores desse "thrillef'!
13 ...itlf6?! 14.mG (com a ameaça de g2-g4-g5) Primeiramente, parecia que o simples 16."i!fxg4!
14 ...~8 (14 ...~ 15.~e4 dxe4 16.'i!Hh5 h6 ameaçando sacrificios em g6 e h7 seria decisivo.
17..lâg3! etc) 15.f5 li.d6 16.li.g5! h6 17.li.h4 &8 Contra 16...itlf6? Neishtadt sugeriu l 7."i!fg2 e se
18.li.bS! ~f5 19.li.xe8 l!fxe8 20.lãf3 li.g4 17...li.c8, então 18.ãxh7! Wxh7 19."i!fxg6+ @118
21.~f6 ~f3 22.l!fxf3 gxf6 23.~g4. 20.'í!ihl, mas mais forte seria 17."i!fe6+! Wg7 18.fS
14.I!b3 (é melhor 14.!i!afl !? com duradoura ini- li.c8 (18 ...hS 19.~g6 ID7 20.li.h6+!) 19.li.h6+
ciativa posicional) 14...g6 Wh8 20.~g6+ hxg6 21.~f8+ ~ 22.i!xhS+
Parando 'i!Hh5 com a pretensão de ...~f6. Seria gxh5 23.&6+ Wg8 24.l!fg7 mate (Fritz).
pior 14... c5? (14...l!fe8? 15.li.d5) 15.l!Hh5 ~f6 Assim, resta para as pretas apenas 16...itlxe5.
16.l!fxfS li.c8 17.l!fxh7+! ~h7 18.~h7+ $h8 Agora é importante não se deixar tentar por
19.itlg6 mate. l 7.l!fe6+? ~f7? 18.~g6 li.h4 19.'i!.fg4 hxg6
15.g4?! 20."i!fxg6+@118 21.~l! (mas não 21.&5+ Wg7
De acordo com Lasker "jogo vigoroso e 22.ãxh4 devido a 22 ...li.c8 23.'í!ihl li.f5 Fritz)
empreendedor'', mas a meu ver questionável, para 21...ãg8 22.l!fxf7 ãg7 23.'i!Hh5+ i!h7 24."i!:Ye5+
dizer o mínimo. li.f6 (24 ... "i!ff6 25.i!xh4!) 25.i!xh7+ Wxh7
15... fxg4? 26.l!Nf5+ Wg7 (ou 26 ... Wh8 27.~+ ~4
Era essencial 15 ...~xe5 16.fxeS li.c8! (mas não 28.ãgl li.c8 29.'i!fg2 l!i'g8 30.'i!.fg6 vencendo)
16... fxg4? 17Jãxh7!, como na partida) 17.gxfS 27.ãgl + rj;;;f7 28.&7+ 'iÍie6 29.fS+ rj;;;d6 30.~g6!
~f5 e as brancas não tem absolutamente nada! l!fe7 3 I.ãxf6+ l!fxf6 32.li.f4+ rj;;;c6 33.'i!fxc7+
Agora no entanto a defesa desmorona. rj;;;t,5 34."i!fxb7 l!fxd4 35.a4+! Wa5 36.°i!fxa8 e as
brancas vencem
O surpreendente 17...lãf7!! refuta a ousada saída
da dama: 18.~g6 (a única chance: 18.fxeS? li.c8
ou 18.'i!fxe5? li.f6 19.'i!fe6 li.c8) 18...hxg6 (não é
claro 18 ... ~xg6 19.ãxh7) 19.fxe5 li.c8 20.°i!fxg6+
lãg7 quando o ataque evapora e as brancas tem
material a menos.
O correto é 17.dxeS! (mas não l 7.fxe5? ..'iic8!
18.e6 fil6 ganhando), ameaçando ~g6, e as pretas
não tem defesa: l 7...li.c8 18.e6 lãf6 (18 ...l!fe8
19.f5)19.f5 19.f5 l!ff8 20.fxg6 hxg6 21.li.xg6
ilg7 22.ãg3 vencendo, ou 17...l!fc8 18.e6 fil6
'i!ff8 (19.....'iic5 20.li.xc5 bxc5 21.&l l!Ne8 22.fxg6
ganhando, e contra 19...cs há tanto o modesto
16.lãxb7!?
20.fxg6, quanto o extravagante 20.ãxh7 Wxh7
O início de uma combinação ousada, que deu a
21.~+ rj;;;g8 22.fxg6 lãxg6+ 23.~g6 ~4
Steinitz o premio de beleza. Mas o sacrificio da torre
24.li.fl+ Wh8 25.l!i'g4) 20.li.gS li.c5+ 21.'í!ihl
foi correto? As pretas não tinham uma defesa
melhor ou as brancas uma forma menos sangrenta i!xf5 (21...gxfS 22.~f6+ fxg4 23.~h7 mate)
de vencer? Após oferecer essas perguntas aos leito- 22.li.h6 "i!ff6 23.li.xf5 l!fxf5 24.'t!fxfS gxf5
res do LJJS Angeles Times e do We/t am Sonntag, que 25 ..lâg3+ rj;;;b8 26.e7 etc.
publicaram extratos do livro que estava por vir, Em segundo lugar, foi confirmado que o sacrifi-

43
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

cio de torre também vence, embora seja através de determinar se o rei branco conseguirá ou não inva-
wn caminho mais espinhoso. dir pela ala da dama) 28 ....liv<h6 29.&7 M4 30.h4
16... ~xe5 - as pretas não conseguem coordenar a ação dos
Ou 16 ... $>xh7 17.l!fxg4 e deve ser jogado seus bispos e o rei branco entra no jogo de forma
17 ... ~xeS, wna vez que é ruim 17 ... ~f6?: decisiva;
18.l!fxg6+ Wh8 19.'i!fhS+ 20.Whl! ganhando. 2) 23.'i!i'hS e as pretas não tem defesa: 23 ...'i!fd7
17.fxe5 $>xh7 (ou 23 ...l!fe6) 24 ..lã.gl ii..g7 25.'i!fh7+! $>f8
Contra o desesperado 17...ii..gS (l 7 ...ii.a6? 26 ..\b<f7 ~xf7 27 ..lã.xg7 'i!ffl+ 28 ..lã.gl l!ff3+
18.l:'.lli6) há a agradável escolha entre 18..\b<gS 29 ..lã.g2 ~fl+ 30.li.gl ou 23 ...JJ.g7!? 24.âgl!
18... l!fxgS 19.~c7 g3 (ou 19...it.c8 20.$>hl) (24.l!fh7+ Wf8 25.li.h6 só levaao xeque perpétuo:
20.hxg3! (20 ..lã.xb7? .lã.t2) 20 ...l!fxg3+ 21.'i!Hg2 25 ....\b<h6! 26.l!fxh6+ We7 27.'i!i'gS+ Wf8 com
'i!fe3+ 22.$>hl 'i!fb6+ 23.'i!fh2 e 18..\b<g6 ID'3 igualdade) 24 ...WfS 25 ..lã.g3!! (único lance; após
(casualmente, 17...ID:3 18..lb<g3 ii..gS chegaria no 25.li.xf7 'i!i'xf7 26.~6 't!i'fl+ 27 ..E!.gl iff7 as pre-
mesmo) 19.li.f2! (mas não 19 ..lb<gS? 'tifxg5 tas se salvam) 25 ...fill+ 26.Wg2 ganhando (Fritz).
20.:Sxc7 l!fxg6 21.~b7 &f8 22.l!fg2 'i!i'e4 e 19.'iWbS+ Wg7 20.'i!fh6+ (é claro que não
...l!ff4 com contrajogo suficiente) 19...li.f4 20.li.h4 20.'t!i'xg6+? Wh8!) 20...wf7 21.'i!fh7+ We6
ii..g5 21.'i!i'g2!! it.c8 22.!!fl!, e em ambos os casos (21.J:lg7 22:.lb<g6+ Wf8 23.l!fh8+ .lã.g8 24.li.h6
as brancas estão no comando. mate) 22.'i!i'h3+! 00
18.'tifxg4 .l:::!.g8?
Esse sem dúvida perde, assim como 18...!!fS? -
após 19..lb<f5 gxf5 20.'i!i'xf5+ Wg,7 (20 ...$'h8
21.'i!fbS+) 21.Whl ! o rei negro é liquidado com wn
xeque a partir da casa gl. Mas a mellior defesa
18 ...'i!i'e8! forçaria as brancas a jogarem com muita
precisão: 19.'iWh.5+ Wg7! (19 ...$>g8 20..lb<g6 '&7
21.Whl 1i.f8 22 ..lã.gl JJ.g7 23.li.h6! ganhando)
20.'i!fb6+ Wg8 21..lb<g6 !!f7 22.Whl! id'S.

23.!!fl + (também se concluiria a caça ao rei com


23.e6+, forçando o mate em oito lances) 23.•• WeS
24.'i!He6 !!g7 25.it.g5 (solução dupla - 25.it.b5+ e
25.li.h6!) 25...'i!fd7
Ou 25 ...it.c8 26.'i!i'c6+ li.d7 27.l!fxg6+ âxg6
28.li.xg6 mate.
26.it.xg6+ !!xg6 (26 ...Wd8 27.!!ffl+ e mate)
27.'i!Hxg6+ 'i!td8 28.!I.f'S+ 'i!He8 29.'i!i'xeS, e as pre-
tas abandonaram. "Partidas que foram consideradas
Aqui os leitores dos mencionados periódicos, brilhantes nos últimos torneios internacionais não
juntamente com o computador, descobriram duas são páreo para essa", declarou Chigorin em 1890.
variantes simpáticas:
1) 23 ..liv<f7+ 'i!i'xf7 24 ..lã.gl+ it.g7 25.'i!i'f6! &8 Depois do torneio Steinitz estabeleceu-se em
26.li.h6 'i!i'xf6 27.exf6 :Sei! 28 ..lã.xel! (após Londres, uma das capitais enxadrísticas do mundo, e
28 ..lb<g7 ~gl + 29.Wxgl Wf7 30.WQ it.c8 de forma rápida conquistou o público com seu esti-
3 l .We3 1i.f5 32.c3 We6 o final não é claro: o bispo lo agressivo e descompromissado. O antigo mestre
g7 está passivo e somente uma análise especial pode inglês Walker chegou a chamá-lo de o "calabrês

44
Wilhelm Primeiro

moderno" (era assim que Greco foi conhecido mui.- situação dificil, por exemplo: 15.li:ldf3 (também é
tos anos antes por vir da Calábria). Sim, o jovem bom 15.&4 li:lc6 16.~1 ~ 17.±3 li:lxc4
Steinitz era um fervoroso admirador de Anderssen e 18.li:lxc4 .lãfd8 19.g4 ~ 20.'i!Th2 ~8 21..lãh7)
parecia ser um sucessor digno dele, jogando no 15 ...li:lc6 16.li:lxf7 ~f7 17.li:lg5 .lãaf8 18.il.xf7+
velho e bom estilo combinatório... ~f7 19.l!fc4 li:la5 20.2&18+ iLf'8 21.'i!fe6! W!/e7
Em matches jogados em 1863 ele esmagou o 22.l!xf8+ Wxf8 23.&8+ @g7 24.lWhJ e ganham.
jovem Joseph Blackbume (+7 -1 =2), o belga de 13.0-0-0 a6?! (13 ... li:lf6) 14.li:lgS êzJf6
nascimento FrederikDeacon (+5-1 =1) e Valentine Não 14...h6 devido a 15.li:lxf7 ~f7 16.'i!fg4 etc.
Green (+7 =2). Durante esse período também ven-
ceu um match contra Augustus Mongrédien -
casualmente o último a enfrentar Morphy em um
match. O ambicioso Steinitz fez questão de melho-
raro resultado do norte-americano (+ 7 =1 ), ao ven-
cer sete partidas "a seco"! Uma dessas vitórias man-
teve seu valor didático.

Partida 12
W.Steinitz-A.Mongrédien
Londres 1863
Duplo Fianchetto B06

15.êzJxb7!
le4 g6 2.d4 il.g7 3.c3 Estritamente de acordo com seus próprios ensi-
"Típico de Steinitz: acima de tudo cuida em não
namentos: a combinação como fruto de uma vanta-
ficar com peões fracos no centro." (Euwe)
gem posicional.
3... b6 4.~ il.b7 5.~d2 d6 6 . ~ (as brancas 15...t':Dxh716.~h7!?
não se deixam levar pelo comprometedor 6.f4) "O caminho correto! O lance 16.'i!fh5 também
6...e5?! daria uma vantagem, mas não decisiva: 16... li:lf6
Seria mui.to mais sólido 6 ... Etxf7 e se 7.a4, então
17.W!/xg6 l!fc8 e depois ... 11:fg4." (Euwe)
7...a6, no espírito da partida Petrosian-Spassky Considerações ingênuas: aqui as brancas vencem
(Moscou, 16ª partida do match 1966).
tanto com o tranquilo 18.&4 e 2&ihl quanto com
7.dxe5! (fechando o bispo em g7) 7...dxe5 o espetacular 18.&7!! li:lxh7 19.il.h6.
8.il.c4 ~e7? (era essencial 8...l!fe7) 9.l!fe2?! 16... Wxh7
Os comentaristas deixaram escapar o sacrificio
Após a interposição de 16 ... b5 é decisivo
temático 9.il.xf7+! que imediatamente dá uma van-
l 7.2&ihl (ou l 7.'i!fh5 de imediato) l 7 ... bxc4
tagem decisiva: 9 ...Wxf7 10.1!fb3+ ~ (10 ... ~8
18.'i!fhs lãe8 19.~g7+ Wxg7 20.'i!fh6+ @g8
11.li:lg5) 11.li:lc4 Eles 12.0-0-0 c6 13.~ Gogo 21.'i!fh7+ (também é bom 21.il.xc5 E!e7 22.li:lxc4)
de computador!). Por que Steinitz não jogou assim?
21...~ 22.il.h6+ ~7 23 ..tg5+.
Acho que pensou de forma esquemática e já no sétimo
17.l!fh5+ Wg8 18.ãbl (também é possível
lance havia preparatÍ() um plano.
18.l!fxg6 'i!ff6 19.'i!fh5 b5 20.&1 ãfc8 21..i.g5!)
9...0-0 10.h4!
Um clássico ataque na ala com o centro fechado
18...ãe8 19.'i!fxg6 l!i'f6 20.il.xf7+! 'i!fxf7 (ou
20... ~ 2 l.il.xe8 ~e8 22.&8+ il.xh8 23.il.h6+
(o mesmo tema será encontrado em uma partida de
~7 24 ..i.g5) 21.ãb8+ ~h8 22.'i!fxf7, e as pretas
Chigorin - partida 25). É impreciso 10.0-0-0 Etxf7
abandonaram.
l l.h4 em razão de 1I...l2Jffi.
10...ê2)d7 (10 ...h5 Il.li:lg5) ll.h5 ~f6 12.bxg6
"O estilo agressivo e inventivo do Steinitz, que
~xg6 surgiu na escola alemã de combinação, agradava os
Um lance feio, embora após 12... hxg6 13.~5
amadores ingleses, pois eram capazes de aprender
li:lf6 14.0-0-0 l!fc7 as pretas também ficariam em

45
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

bastante com ele, como da mesma forma, Steinitz mática entre dois notáveis adversários, dois destemi-
aprendia com o jogo mais sólido dos ingleses", dos piratas do xadrez. Anderssen começou com seu
escreve Lasker. ''E como resultado dessa colisão de favorito Gambito Evans e abriu o placar: 1-0.
estilos diferentes, das combinações brilhantes e Steinitz revidou então com o ainda mais audaz
audazes de Anderssen, e do jogo posicional e siste- Gambito Salvio (l.e4 e5 2.f4 exf4 3.00 g5 4.it.c4
mático da Escola Inglesa, surgiu uma síntese na g4 5.~5 'i!fu4+ 6.Wfl ti:lh6 7.d4) e igualou o mar-
mente de Steinitz, que estava destinada a começar cador: 1-1. Então Anderssen começou a "se compli-
uma nova era no desenvolvimento do xadrez... Em car'', ao perder duas com brancas no Evans e nova-
um belo dia refletiu sobre como fora possível ao mente com pretas no Salvio. O placar passou a 4-1
mago Morphy vencer o mago Anderssen. Que um em favor de Steinitz!
mago vencesse era obvio, mas como pode um mago Na sexta partida Anderssen se lembrou da Defesa
perder? Ainda, como podia um mago não perder Siciliana e após (l .e4 c5 2.g3 êi:lc6 3 ..ig2) ele ven-
jogando com outro mago? Dessa forma, Steinitz, de ceu numa luta intrincada (que também ocorreu na
forma gradual foi levado a crer que o xadrez, enfim, 12ª partida). Empolgado, o mestre alemão de 48
deve ser sujeito a algumas regras lógicas... Toda posi- anos marcou três vitórias sucessivas: duas com bran-
ção deve possuir suas próprias caracteósticas, seus cas no Gambito Evans e finalmente uma com as
indícios. E isso o levou a concluir que nunca se deve pretas no Gambito Salvio! E novamente tomou a
buscar uma combinação decisiva se a posição não liderança: 5-4. Mas Steinitz prontamente ganhou sua
reúne certas vantagens". revanche em ambos os gambitos: 6-5! Então
Anderssen novamente empregou a Siciliana: 6-6.
Banho de Sangue Número Quatro Até este momento, conforme os comentaristas
Os sucessos em matches de Steinitz, um após o apontavam, Steinitz era mais como Anderssen que o
outro, induziram os ingleses a organizar seu encon- próprio Anderssen! Mas na 13ª partida seu jogo cla-
tro com Anderssen, que pode com tranquilidade ser ramente mostrou caracteósticas da futura escola
considerado o quarto na história a se assemelhar a posicional.
um match pelo campeonato mundial, depois dos
duelos La Bourdonnais-McDonnell, Staunton-Saint-
Amant e Morphy-Anderssen. E de fato, se existis-
sem ratings na época, os seis primeiros na lista mun-
dial de rating em 1º de Julho de 1866 estariam na
seguinte ordem: 1.Morphy, 2.Anderssen, 3.Paulsen
(segundo colocado, Londres 1862), 4.Steinitz,
5.Kolisch, 6.Lôwenthal. Mas já que as esperanças de
Morphy voltar haviam se dissipado, qualquer grande
match envolvendo Anderssen efetivamente tomar-
se-ia uma batalha pela coroa (mais ou menos como
o match Karpov-Korchnoi na final do torneio de
candidatos de 1974).
Jogava-se até o primeiro a vencer oito partidas,
não contando empates (e de fato não houve Anderssen x Stelnitz (D)
nenhum!). Finalmente surgiu um controle de tempo:
duas horas para cada 20 lances. Para os padrões
atuais a premiação era mais que modesta: 100 libras
esterlinas ao vencedor, e 20 para o perdedor.
Curiosamente, ao chegar com mais de 15 minutos Partida 13
atrasado para a partida era imposta ao jogador uma A.Anderssen-W. Steinit2
multa de um guinéu... Match, Londres 1866, 13ª partida
Staunton considerava Anderssen o favorito e ~LopezC65
escreveu que "Steinitz claramente superestimou sua
força". Entretanto, esta foi uma batalha feroz e dra-

46
Wilhelm Primeiro

l.e4 e5 2.,tm lLJc6 3..àb5 (desviando pela _pri- 11 ...làeS! (abrindo caminho para o peão t) 12.b4
meita vez no match de 3 ..tc:4 ~5 4.b4!?) 3••.tufü c><b4 13.ãxb4 c5 14.&4
4.d3 d6 S..àxc6+?! Uma jornada perigosa da torre; seria mais tranqui-
Essa troca é boa em conexão com d2-d4, mas lo 14.!l:.b2 B 15.00 ~f6 etc.
aqui é melhor 5.c3.
5... bxc6 6.b3
14....àd7 15.&3 tS
"As brancas perdem um tempo para prevenir '½. falange de peões começa a se movimentar."
....àg4. Anderssen parece ter considerado o cavalo (Lasker)
mais forte do que o bispo, uma avaliação sem moti- 16.'f!bl (seria correto 16.00 com ideia de
vo. O lance de peão enfraquece a cadeia de peões na 16... f4 17 ..àd2 g5 18.™) 16...'~h8?!
ala do rei , como veremos mais tarde. Essa partida Os comentaristas ficaram perplexos com a renun-
talvez seja o acontecimento histórico que levaria cia de Steinitz em ganhar um peão com 16... fxe4!?
Steinitz a conceber a sua teoria as falange." (Lasker) 17.~e4 (17.dxe4 .àxh3) 17....àxh3. Neishtadt
Convém notar que o plano com .àxc6 e h2-h3 é
sugeriu que no caso de 18.'i!i'b3+ ~8 (é pior
mais coerente na Defesa Siciliana (l.e4 cS 2.~f3
lz::lc6 3 ..àM g6 4 ..àxc6 dxc6 5.d3 .àg7 6.h3) e, 18 ... c4?! 19.dxc4 !i:.xf3 20.gxf.3 .àxfl 21.~fl)
com cores invertidas, na Abertura Inglesa - lá a for- 19.'i!i'b7?! "as coisas não são tão simples", mas após
mação de peões é diferente e é importante manter o 19 ...!i:.xf3 ! o computador não vê nenhuma compen-
cavalo em f3 (f6). sação pelo défiàt material. É claramente melhor
6... g6! 19.~e5 (mas não 19.~fgS?! c4! 20.'tWb7 .àd7)
''Preparação de uma avalanche de peões , no espí- 19....àxeS 20.gxh3 'f!c8 21.Wg2 (21.d4?! c4
rito de Philidot Para tanto as pretas querem contro- 22.'f!c3 .ilg7) com esperanças de igualdade.
lar o ponto d4 mediante ....àg7, de forma a paralisar
Mas se as pretas não queriam dar contrachances ao
o centro e então iniciar a ofensiva na ala." (Lasker) ,
7.~c3 .àg7 8.0-0 0-0 9..àgS?! adversário, então mais lógico seria 16...~7, uma
Um lance novo, mas infeliz. Evidentemente os vez que 17.'i!i'b7? não funciona devido a 17...!i:.b8
dois adversários se lembravam do match Anderssen- 18.'f/xa7 &8.
Paulsen (Londres 1862), cuja 5ª partida seguiu com 17.'i!fb7 as 18.!tbl (18.!i:.b3!?) 18... a4
9.lêJe2 cS 10.~g3 .àb7 ll.b3 (na 7ª partida as 19.'tifd5?!
brancas preferiram 11.!i:.el li::id7?! 12.!l:.bl fS Batendo em retirada. 1\,fais consistente seria
13.b4) 11...lêJe8 12.!i:.bl 'f/e7 13.&l f5 14.b4
19.00, por exemplo:
cxb4 15.!l:.xb4 cS 16.!l:.bl f4 17.~fl ~8 18.c3
!i'f6 19.d4 com uma luta longa e de dois gumes. 1) 19... fxe4?! 20.dxe4 .àxh3? e aqui Neishtadt
9... b6 10•.àe3 c5 (bloqueando o centro) 11.!tbl recomendou 2 l .gxh3 21 ...!i:.xf.3 22 ..àxc5, embora a
Anderssen permanece fiel ao plano. Após l l .a3 entrada espetacular da torre a3 seja muito mais forte
as pretas tem 11...a5 e contta ll.lilh2 l21i5 l2.l!fd2 após 21..àg5! hxg5 (21...'f/c8 22.™!) 22.~eS!
'itf:17 e se l3.f4, então l3 ...~f4 ]4 ..àxf4 exf4 (ameaçando ~g6 e !i:.xh3+) 22 .. ie6 23.~g6+
15.'f/xf4 f5 com excelente jogo pelo peão. Lasker c.t>g8 24.li::ide7+ 'i!?f7 25.~ffi ~ffi 26.™ 'f/c8
sugeriu 1l.'i!fd2 'i!?h7 12.g4?!, mas após 12... ~g8! 27.lli:3+ .àf6 28.'tife7+;
e ... f7-f5 as brancas entram em dificuldades.
2) 19... ~f6 (aparentemente o mais natural)
20 ..àxc5! (no estilo do "velho" Anderssenl)
20 ...~xdS (20 ... dxc5 21.~xeS .àe8 22.~f4!)
21..àxd6 fxe4 22.dxe4 ~f4 23.~xe5 .àe6
24 ..àxffi l!fxffi 25.~ com jogo complicado;
3) 19 ....àe6 20.~7 Wh7 21.~6 (mas não
21.~4?! f4 22 ..àd2 fü7 23.~xg6 ~7)
21...'tifc8 22.~7, e já que 22 ...'f/xb7 23.!l:.xb7
fxe4 24.dxe4 ~f6 25.~ não é favorável, é preà-
so jogar 22 ...'f/dS com igualdade.
19...tfcS 20.!tb6 &7 21.Wbl
Este lance profilático foi considerado um erro por
todos. Recomendaram 21.exfS (é incorreto
21.!!xd6?! ~d6 22.tfxd6 f4) 21...gxB 22 ..àd2

47
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

com a ideia de 22 ...!:!.gS (22 ...f4 23.liTu2!) 23.'i!fc4 perecem: 30.hxg4 (não é melhor 30.ti:lel gxh3
f4 24.'~b5 'f!lc7 25.~b5, mas após 22.'i!i'c7! a posi- 31.gxh3 f3! ou 30.liJgl f3!) 30 ...hxg4 31.~1
ção das brancas é pior. Aparentemente contra (31.li:lel ou h2, 3 l...'i!i"i!i'h4 32.©gl liJg5!)
2I.'i!i'c4!? Anderssen temesse o ataque 21...f4 3 I...'i!i'h4 32.'t!fb3 i.xb5 33.'i!fxb5 f3 34.gxf3
(21...i.e6 22.li:ld5) 22.i.d2 i.xh3!? 23.gxh3 li:lg5! 35.i.e3 li:lxf3 36.~xf3 gxf3 37.Wel i.h6!
'i!fxh3, embora após 24.ti:lel f3 25.êi:lds as pretas etc.
não tenham mais do que o empate. 21. .. g4 28.hxg4 hxg4 29.f3? (simplesmente
21...f4 22.i.d2 g5 23.'i!i'c4 'i!i'd8 24.!Ibl? favorece o ataque) 29...'i!i'h4 30.t2:'idl ~
Mas eis o verdadeiro erro! Muito mais enérgico "As peças se posicionam de forma ameaçadora
seria 24.~! com possibilidade de contrajogo por trás da falange. Logo as linhas serão abertas, o
ativo: 24 ...h5 25.&6! !Ixa6 26.'i!i'xa6 g4 27.i.aS! que permitirá às peças pesadas aproximarem-se do
(desviando a dama) 27 ...'i!i'bS 28.~4 Wh7 rei branco". (Lasker) Um verdadeiro modelo da
29.'t!ib6 (29.~b6 i.oo) 29... 'i!faS 30.'i!i'd8. moderna Defesa India do Rei!
24 .. /i:lf6?! 31.i.el 'i!i'h7 32.d4 (desespero!) 32 ... gxf3
Contra 24 ...h5 o paradoxal 25.h4! gxh4 26.~b5 33.gx13 l2:lh3 (é mais prosaico 33 ... cxd4 ganhando)
&6 27.tix3 ~7 28.êi:lds não é claro. Entretanto, 34.iill
valeria a pena proteger a casa b5 através de Ou 34.dxc5 liJxgl 35.Wxgl 'i!i'g6+ 36.<i:!?f2 i.h3
24 ...~c7!, após o que é dificil para as brancas evi- 37.i.M dxc5 38.i.xc5 ~7 ganhando.
tarrm o assalto à sua fortaleza real. 34... t2:'ixgl 35.dxc5 'i!i'h3+ 36.c;!;>et (36.~gl?
25.Wgl?! ãg8) 36...lz:lxf3+ 37.ãxfJ 'i!i'xf3 38.~ dxc5
Naturalmente nunca 25.~xa4? 'i!i'e8 (ou 39.i.xc5 l:!c7 40.t2:'id5 ãxc5 41.'i!i'xc5 !fxe4+
25 ...'iWe7 e ...l:!af8), mas no caso de 25.lZ::lb5! ainda 42.00 !k8 43.liJc7 ii'e3+, e as brancas abandona-
haveria muito jogo pela frente. ram. "Identifica-se na partida acima uma tendência
ao estilo de Steinitz em direção a Philidor e um dis-
tanciamento de La Bourdonnais. A teoria de Steinitz
aproximou-se de Philidor ao se basear no acúmulo
de pequenas, mas duradour(J.f vantagens... Debilidades
relacionadas à posição dos peões são duradouras e
dificeis de reparar." (Lasker)

Recusar o gambito do Rei não ajudou Anderssen


na 14ª partida, e este match "sangrento" terminou
com um placar de 8-6 a favor de Steinitz.
No entanto, o mundo do xadrez não teve pressa
em reconhecê-lo como campeão. Em primeiro
lugar, o invicto Morphy ainda estava vivo. Quando
no outono de 1866 Steinitz venceu com dificuldade
25... ~h7! o match contra Henry Bird (+7 -5 =5), que foi der-
"Com a proteção do peão g5 as pretas tem a rotado por Morphy por um placar de +10 -1 =1, o
oportunidade de reajustar a falange com h6-h5 e perdedor ressaltou que o norte-americano poderia
coloca-la em marcha". (Lasker) dar um peão e um lance de vantagem ao "Calabrês
26. Wfl? (provavelmente o descuido decisivo: moderno"! Tal comentário não foi esquecido:
26.t2:'ib5 ainda conservaria alguma intriga) 26... hS depois disso Steinitz massacrou Bird sempre que
27.t2'1gl jogavam durante muitos anos...
Pode parecer que ainda não seja tarde para Em segundo lugar, Steinitz não foi capaz de
27.~b5, pois após 27 ...&6?! 28.li:lc7 &7 29.ti:le6 demonstrar sua superioridade nos poucos torneios
não se vê nada de muito terrivel para as brancas. Mas seguintes: em Paris 1867 ele ficou em terceiro, atrás
após 27 ...ãb7! 28.'tifxa4 !!xb5! (Sorokhin; de Kolisch e Wmawer; em Dundee ele foi o segun-
28 ... g4!? Khalifman) 29.Él.xb5 g4 de forma rápida do depois de Neumann, e em Baden-Baden 1870 ele

48
Wilhelm Primeiro

foi segundo atrás de Anderssen, para quem perdeu prejudicar ao mesmo tempo o desenvolvimento har-
as duas partidas. monioso das pretas. Contemporâneos do primeiro
campeão mundial não conseguiram encontrar uma
O Nascimento de Uma Nova Escola receita contra sua estratégia revolucionaria. Somente
Naquele tempo o futuro campeão mundial inven- muito mais tarde é que o seu gambito foi questiona-
tou uma abertura extremamente aguda, que ficou do.
conhecida na teoria como o "Gambito Steinitz''. Quando em 1883 Morphy foi informado de que
Nela foram conjugadas de forma estranha as ideias Steinitz se encontrava em Nova Orleans, dizem que
de ataque dos mestres da velha escola, que frequen- ele respondeu: ''Eu sei... Seu gambito não é bom". A
temente deixavam seu rei no centro, com os primei- intuição não abandonara o grande gênio eremita do
ros lampejos da futura nova escola. Steinitz desen- xadrez! Mas para evidenciar a vulnerabilidade do rei
volveu uma tese original (bem verdade, como se branco e refutar o gambito faltava justamente a
verificou mais tarde, que não se aplicava a todas as genialidade de Morphy. Talvez exista um sentido his-
posições): "Se medidas cautelares necessárias forem tórico enxadristi.co nisso: o pioneiro elementar par-
tomadas, o rei pode se defender. .. Para um ataque o tia, abrindo o caminho para o filósofo: era chegada
adversário deve avançar seus peões, e no caso de a época de se formular novos princípios...
uma ofensiva sem sucesso os peões ficarão fracos."
Das muitas partidas jogadas por Steinitz com seu
gambito, a impressão mais completa é dada pela
seguinte, com Louis Paulsen, um dos melhores mes-
tres daquela época, que era altamente considerado
por Steinitz e pertencia aos "pioneiros da escola
moderna". Nesta partida de forma convincente
Steinitz demonstrou sua superioridade na avaliação
de fatores posicionais, tanto temporários quanto
permanentes.

Partida 14
W.Steinitz-LPaulsen
Baden-Baden 1870 5...d6
Abertura Vienense C25 O mais sólido. Nas partidas de Steinitz também
ocorreu tanto 5 ...'%!9h5+ 6.~f3 g5 7.~!, quanto
5 ... b6 6.êi:'ib5 (de acordo com Chigorin, é melhor
1.e4 e5 2,t2)c3 ~6 3.f4 exf4 4.d4?! 'i!fb4+ 6.l!i'd2! .ia6+ 7.~l ~fl 8.~f3 'iWh5 9.~fl)
s.c.tie2 6 ....ia6 7.a4 e 5 ...êz:'if6 6.êi'if3 'ii'g4 7.d5 ~5 8.h3
Tamanha ousadia do rei é um disparate nos dias l!ihs 9.~f4 luxo 10.gxf3 d6 ll.@d2 '%!9h4
de hoje. A ideia desse gambito audacioso nasceu de 12.~e3 com vantagem das brancas (Chigorin-
uma partida com Hamppe (Viena 1859): l.e4 e5 Steinitz, 21ª parti.da, Havana 1892).
2.'~Jc3 êi'if6 3.f4 d5 4.exd5 êi'ixd5 5.fxe5 êi'ixc3 Complicações intrincadas viriam de 5 ... d5!?
6.bxc3 '%!9h4+ 7/i;;e2 ~4+ 8.êi'if3 êuc:6 9.d4 0-0- 6.exd5, por exemplo:
0 com vantagem para as pretas - Steinitz. 1) 6 ...'i!fe7+ 7.'i!?f2 l!i'h4+ 8.g3! fxg3+ 9.@gl
Na medida em que o rei atrapalha o desenvolvi- ~d6 10.'i!fel+! êi'ice7 1l.hxg3 'i!fxd4 (Steinitz-
mento das próprias peças, as pretas de forma auto- Chigorin, Londres 1883) 12.~ com vantagem, ou
mática deveriam obter um jogo melhor. Entretanto, 9 ... êi'ixd4 (uma novidade infeliz: as pretas de repen-
Steinitz considerava que nessa posição fatores de te se encontram atrás no desenvolvimento) 10.hxg3
longo prazo são mais importantes que inconveniên- l!i'g4 11.'i!fel+ ~e7 12.~ (ameaça 13.Élli4)
cias temporárias. O plano das brancas é expulsar a 12...~f5 (12 ... @d8 13.~e4) 13.~f3 ~7 14.M4
dama preta com ganho de tempo e preparar um ata- f6 15.êi'ie4 êugh6 16.~h6 êi'ixh6 17.~h6 gxh6
que com a cobertura de seu forte centro de peões, a 18.êi'ixf6+ Wf7 19.êi'ixg4... 1-0 (Steinitz-Zukertort,

49
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

20" partida, Nova Orleans 1886) - essa vitória deu a d5 12.h3 ~xf5 13.g4 l!:Yg6 14.tz::lh4 'i!fe8+ 15.Wf2
Steinitz o titulo oficial de campeão mundial! ~e4 (Averbakh-Trifunovic, match URSS x
2) 6...~4+! 7.tz::\f3 0-0-0 (7 ...ii.xf3+!? 8.gxf3 Iugoslavia 1963) - e, como em todas as variantes
~e7+) 8.dxc6 Ji.c5 9.cxb7+ (9.'i!fel!? °i!9h5!
anteriores, as pretas tem excelente partida.
10.cxb7+ Wb8 Steinitz-Clube de Xadrez de
Liverpool, 1898/99) 9...Wb8 10.êz::lb5 êz::lf6 ll.Wd3 8.We3 'i!Vh5 (8 ...ii.xf3 9.'i!fxf3 f5 10.d5 tz::lge7
°i!9h5 (não é claro 11 ...Ji.B+ 12.Wc3 tz::lds+ 13.Wb3 ll.Wd2 fxe4 12.êz::lxe4 é favorável às brancas -
~f6 14.Wiel) 12.Wc3 Ji.xd4+? (o correto é Steinitz-Wmaver, Londres 1883, mas merece aten-
12 ... a6!) 13.êz::lbxd4 Wic5+ 14.Wb3 ~6+ 15.~b5 ção 8...'i!fe7!? 9.Wf2 f5 10.exf5 'i!fd7) 9.Ji.e2
Ji.xf3 16.~xf3 13.xd4 17.Wic6 'i!Ha5 18.c3 ... 1--0
(Steinitz-Zukertort, Londres1872).
6.êz::lt3 Ji.g4 7.Ji.xf4 0-0-0
A partida original Steinitz-Neumann (Dundee
1867) seguiu com 7...1l.xf3+ 8.Wxf3 tz::lge7
(8 ... êz::lf6 9.Ji.b5!; 8... g5!?) 9.Ji.e2 0--0--0 10.Ji.e3
l1Hf6+ 11.Wg3 d5 12.Ji.g4+ Wb8 13.es Wig6
14.Wf2 h5 15.Ji.113! f6 16.exf6 'i!Vxf6+ 17.l1Hf3
'i!fxf3+ 18.gxf3 g6 19.êz::le2! tz::\f5?! 20.ii.xf5 gxf5
21.c3 ~6 22.Ji.f4!. .. 1-0. ,
Em Baden-Baden contra Rosenthal, Steinitz expe-
rimentou o tentador 8.gxf3?! 'i!Vxf4 9.00 e após
9..."i!Bh6? (o correto é 9..."i!Bh4 10.tz::lxc7+ Wd8 9... i!fa5?
ll.êz::lxa8 Wc8 12.d5 êz::le5 13.'i!Yd4 Wb8 e se Ao temer 10.h3 as pretas desperdiçam um tempo
14.~c3, então 14 ...Wid8) IO.êz::lxc7+ Wd8 muito importante. Hoje em dia essa posição é joga-
ll.êz::lxa8 Wc8 12.d5 tz::\f6 (12 ... tz::le5 13.~d4 Wb8 da assim: 9... f5 10.h3 (10.tz::lg5?! tz::lf6 ll.Wd3
14.'i!Vc3! e o cavalo em a8 está salvo) 13.dxc6 d5 fxe4+ - Caldwell-Bisguier, Nova Iorque 1987)
14.~d4 ~6 15.'i!Hxa7 bxc6 16..ã:el &8 17.Wdl! 10...ii.xf3 ll.ii.xf3 i!fe8 12.Wf2 fxe4 com igualda-
dxe4 18.llxe4! gxe4 (18 ...tz::lxe4? 19.êz::lb6+ e 'i!Hd7 de gradual ou com o agressivo 9... g5! 10.tz::\xg5
mate) 19.fxe4 Wif4 20.Ji.113+ Wd8 21..ã:fl Wixe4 êz::lf6! (acredito que Morphy não deixaria passar essa
22.~6+ 'it>e8 23.&1 e as pretas abandonaram. ideia!) 11.h3 Ji.xe2 12.i!fxe2 i!i'g6 13.d5 tz::le5
Talvez o mais lógico seja 7... f5! (indicado por E. 14.tz::\f3 Ji.h6!, com ótima compensação pelo peão
Schmidt em 1895). Por exemplo: (Barle-Portisch, Portoroz/Ljubjana 1975).
1) 8.exf5 (não é melhor 8.êz::ld5 0-0-0 ou 8.h3 10.a3 (a dama também está mal na ala da dama)
fxe4 9.tz::lxe4 ~e7 10.hxg4 'i!Vxe4+ 11.~e3 tz::lf6) 10... Ji.xt3 11.W><t3!
8... 0-0--0 9.~3 ii.xf3+ 10.'i!?xf3 êz::lxd4+ ll.Wf2 O caminho correto! Paulsen esperava por
l l .ii.xf3 g5! 12.~3 ~7 com contrajogo.
~f6;
11 ... i!fh5+ (agora 11...g5? é ruim devido a 12.b4
2) 8.d5 tz::le5 9.ii.xe5 dxe5 10.g3 °i!9h5 11.~
~6 13.Ji.e3 com as ameaças d4-d5, tz::ld5 ou êz::la4)
êz::lf6! ou 9.We3 .i:V<f3 10.gxf3 g5! 11.ii.xe5 dxe5 12.We3 i!fh4 13.b4!
12.~d3 Ac5+; As brancas não só perseguem a dama como de
3) 8.e5 ii.xf3+ 9.Wxf3 Wig4+ 10.We3 dxe5 forma gradual preparam um ataque ao rei.
11.~xg4 (ll.Ji.xe5? tz::lxe5 12.dxe5 ~c5+) 13... g5 14.Ji.g3 '!!fh6 15.b5 tz::lce7 16.ãfl tz::lf6
ll...exd4+ 12.WdJ fxg4; 17.00 êz::lg618.Wgl!
4) 8.We3 'i!fe7 (8 ... ii.xf3!? 9.'i!?xf3 g5) 9.Ad3 "É dificil acreditar que as brancas em dezesseis
tz::\f6 10.~5 0-0-0; lances fizeram seis com o rei! A posição infeliz da
5) 8.'i!fd2 tz::lf6 9.exf5 0--0-0 10.g3 "i!Bh5 11.~ dama preta é evidente." (Neishtadt) O resultado da

50
Wilhe/m Primeiro

partida já está decidido: o exército desorganizado We8." (Neishtadt) No entanto, é melhor 31.exf5!
das pretas já não pode socorrer o seu rei. 'i!fxd4+ (31...lãxa8 32.f6+ e 33.fxg7) 32.'tifxd4
18 ... 'i!Vg7 19.'ifd2 h6 20.a4 !Ig8 ~d4 33.~+ Wc,7 34J~xd8 'it>xd8 35.~g8
ganhando. Mas do ponto de vista do computador,
28.'tifb4 forçaria o mate de forma mais rápida:
28 ...'it>c7 29.~8+ 'it>c8 30.ii.xf5+ ~7 31.ii.xd7+
'it>xd7 32.'tifxd6+ 'it>e8 33.~7+ Wf7 34.'tife6
mate. Mas é dificil criticar Steinitz por um "erro"
desse tipo.
28...'tiff7 29.ffi ~6 30.c4 (sem pressa mas sufi-
ciente) 30... ~7 31.l!fal ~b5
Desespero ..
32.~5
Novamente o computador prefere algo diferente:
32.l!fa8+ Wc7 33.l!fa5 com mate em três lances.
Naturalmente as pretas poderiam abandonar, mas
21.b6! (un sacrifício de peão para abrir a coluna a preferem ir até o mate.
um ataque direto ao rei - um procedimento que se 32...'tifxd5 33.cxd5 itJxd4 34.'tifa7+ Wc7
tornaria típico no século XX) 21 ... axb6 22.l'!xffi! 35.Etcl + l2x6 36.ãxc6, e as pretas abandonaram.
E mais um sacrifício espetacular de qualidade, que
deixa a casa d5 acessível ao cavalo. Na segunda metade do torneio Steinitz também
22...'i!Vxffi 23..tg4+ Wb8 24.~ 'i!Vg7 25.a5 derrotou Paulsen com as pretas em grande estilo
(todas as forças brancas ao ataquei) 25...fS posicional Começava um longo período de reavalia-
Uma tentativa desesperada de adiar o fim, ao tra- ção dos valores enxadristicos. ''Nos torneios de
zer a dama para a defesa. Outras respostas perde- Paris e Baden-Baden esperava conquistar o primeiro
riam de forma mais rápida: 25 ...~e7 (25 ... c5 prêmio", declarou mais tarde o campeão mundial.
26.axb6!) 26.axb6 cxb6 (26 ...~d5 27.&8+! "Ao falhar, fui forçado a refletir sobre as coisas e
Wxa8 28.l!fa5+ e mate) 27.~b6, ou 25 ...b5 26.a6 cheguei à conclusão de que jogo combinatório,
embora às vezes traga ótimos resultados, não é
b6 (26 ... bxa6 27.'tifa5) 27.a7+ Wb7 28.~c7
capaz de garantir um sucesso consistente. Após um
Wxc7 29.'tifc3+ Wb7 30.~7! etc.
estudo cuidadoso deste tipo de partida (incluindo, sem
26.axb6 cxb6 27.~xb6 /fàe7
dúvida aquelas de seu match com Amierssen - G.K) des-
Leva ao mate 27... fxg4 28.&8+ rttc7 29.'i!fc3+
cobri nelas um número de falhas. Muitos sacrifícios
Wxb6 30.'i!fa5+ Wc6 3 l.d5+ rt;d7 32.'tifxd8 mate.
tentadores e triunfantes se mostraram incorretos.
Cheguei à convicção de que uma defesa segura exige
muito menos desgaste de energia que um ataque.
Em geral, um ataque tem chances de sucesso
somente quando a posição do adversário já está
enfraquecida. Desde então meu pensamento tem
sido dirigi.do a encontrar um caminho simples e
direto de enfraquecer a posição inimiga." Um passo
revolucionário no entendimento do xadrez!
Anderssen & eia. ficaram no passado. ..
Em 1872 Steinitz venceu o torneio internacional
em Londres (2. Blackburne, 3. Zukertort), depois
um match contra o jovem Zukertort (+7 -1 =4), e
em 1873 venceu um importante torneio em Viena
28.ext5 (2.Blackbume, 3.Anderssen), intensificando dessa
"Muito mais forte do que 28.'tifc3, contra o qual forma a sua reputação de melhor jogador do
há 28 .. .là:6 29.&8+ 'it>c7 30.~5+ 'it>d7 3 l.ii.xf5

51
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

mundo. 8.VJ!ixd2 l!fe5 9.f4 VJ!ixb2 10.0-0 VJ!ixal 11.êulc3


Em seguida obteve uma tribuna regular - uma (Bronstein) ou 7 ...l!fxg2 8..tf:3 .txd2+ 9.'~)xd2
coluna de xadrez no jornal esportivo inglês The Fie/d, m.3 10..txc6 bxc6 11.~xc7+ Wd8 12.~xa8 lz::lf6
onde comentou por aproximadamente nove anos as 13.VJ!it3.
partidas magistrais mais interessantes. Foi um perío- 8.0-0 .txd2 9. 'i!i°xd2
do não apenas de relativa prosperidade material, mas Merece atenção 9.~xd2, por exemplo 9 ...l!ff4
também de incansável pesquisa na elaboração gra- 10.g3 'tWh6 11.lz::lc4 ~ge7 12.'i!fd3 a6 13.~
dual de novos princípios do jogo. lz::lxd4 14.VJ!ixd4 lz::lc6 15.'i!fc3 com compensação
No caminho Steinitz obteve uma vitória absoluta- suficiente, ou 9 ... VJ!ie5 lOJâel ~f6 (10... itlge7!?)
mente esmagadora: 7-0 num match contra 11..tc4 (11.lz::lt3!?) ll...l!ff5 (ll...~c5 12.c3!)
Blackburne, que na década de 1870 era o represen- 12.~t3 com a iniciativa (Sveshnikov-Sermek, Bled
tante mais vívido da escola combinatória. "Steinitz 1994).
se sentia obrigado a demonstrar aos seus adversários 9...a6!?
na prática que seus ataques eram prematuros e por "O cavalo avançado causaria problemas, então é
isso incorretos", escreve Euwe. "Essa era uma tare- rechaçado." (Lasker) Na za partida do match Steinitz
fa extremamente di.ficil, que o obrigava a desenvol- jogou 9 ...~f6 e após 10.lz::llc3 VJ!ie5 11..lliel a6
ver a teoria da defesa; e desde que a técnica defensi- 12.lz::la3 VJ!id4 13.l!fg5 !!g8 14.&dl h6 15.l!fg3
va estava então em seu início, foi forçado a ser o pio- 'i!fe5 16.'tWh4 l!fg5 17.l!fc4 as brancas tem com-
neiro". pensação pelo peão, embora ao final tenham perdi-
Acreditando piamente nas propriedades defensi- do a partida.
vas de suas posições retraídas porém não enfraque- 10.~lc3
cidas, Steinitz considerou seu dever refutar gambi- A tentativa 10.lz::l5a3 'ifd4 11.'ifgS+ 'iWf6
tos, e com frequência provocava de forma delibera- 12.'i!fd2 terminou em fracasso na 6ª partida:
da um ataque contra seu rei. A partida seguinte, 12...'i!i'xb2 13.lz::lc4 'ii'd4! 14.l!fcl lz::lge7 15.lz::lbd2
característica de seu mencionado match com
d6 16.!!dl .te6 etc.
Blackburne, foi muito apreciada por Lasker, que a
10... ~e5 11.itlaJ b5 12.~t3 lz::lge7
demonstrou muitas vezes em suas aulas.

Partida 15
J.Blackburne-W.Steinitz
Match, Londres 1876, 4ª partida
Abertura Escocesa C4S

l.e4 e5 2.00 êuc6 3.d4 exd4 4.êuxd4 !Hh4!?


"Concordando em se submeter a um ataque, mas
ganhando um peão." (Lasker) E devo acrescentar,
evitando a insípida luta pela igualdade após 4 .. .'~f6
5.luxc6 bxc6 6 ..td3 (a moda atual é 6.e5) 6 ... d5
7.VJ!ie2 .te7 8.0-0 0-0 9.it.f4 m,g 10.êõd2 !!e8 13.!!adl
ll.e5 i l 12.itlb3 êud7 13.~3 c5 14.c4 d4 15.f4 A posição das pretas é extremamente perigosa,
~ 16.&el (Blackbume-Steinitz, Londres 1875). conforme evidencia a variante 13.!!fel!? 'ii'f6?
5.l2lb5 .tb4+ (5 ... VJ!ixe4 6 ..te3! Paulsen-Steinitz, 14.:!:!xe7! e contra 13 ...'i!i'd6 as brancas manteriam a
19' partida, Havana 1892) 6..td2! pressão com 14.~ !!e8 15.&dl ou entrar em
Seria pior 6.~lc3 ~ ! final levemente superior: 14.l!fxd6 cxd6 15.lz::le4
6...'i!fxe4+ 7..te2 Wd8! Wc7 16.c4.
"O rei defende o peão, tomando uma posição 13...'i!i'fS 14Jlfel gb8!
relativamente segura." (Lasker) Outras réplicas de Nas palavras de Lasker, "a torre procura uma casa
forma clara favorecem as brancas: 7 ... .txd2+ segura."

52
Wilhelm Primeiro

15.1We2? O tão aguardado contra-ataque. Nada mais a


l\fas esse lance é simplesmente horrivel! Os comentar: as brancas tem material a menos e uma
comentaristas não responderam a pergunta: onde posição totalmente perdedora.
Blackbume cometeu o erro decisivo? Eu respondo: 26.'i!fdS 'i!fg5 27.\lfxgS txgS 28.!!g6 il.xg4
após esse lance as brancas perdem a compensação 29.ãxgS !!e8 30.$>gl ãf7 31.h3 il.d7 32.<i!tgJ
pelo peão, ao passo que após 15..í:i.Xc6! (urna troca ãe2 33.ãxbS ãexf2 34.ãcs+ ~6, e as brancas
inesperada, mas aqui o bispo não é necessário) abandonaram no lance 52.
15 .. .<~)xc6 16.~ JJJ,7 17.c4 elas manteriam urna
iniciativa bastante incômoda - é difícil para as pretas Depois deste match Steinitz não participou de
completarem o desenvolvimento. nenhuma competição séria por seis anos (!), ganhan-
15...d6 do a vida com exibições em simultâneas extrema-
''É muito interessante observar como o defensor mente bem sucedidas (algumas às cegas, que deram
origem à brincadeira: veio, não viu, e venceu) e com
pouco a pouco coloca as suas peças em posição de
seu trabalho incansável de comentarista no The Fie/d.
ataque." (Lasker)
Graças às suas profundas e espirituosas análises, sua
16.~ il.d7 17.'i!fe3 f6 (parece ainda melhor teoria posicional, que ainda não era compreendida
17...&8!?) 18.g4? por ninguém, pouco a pouco tomou fomia real...
Após essa estocada, combinada com o sacrifício Ao estudar as partidas daquela época, vemos
de cavalo que se segue, não há mais caminho de com.o de fomia gradual se tornam mais complica-
volta. das, como a qualidade melhora, e como a capacida-
18. ..'i!fg6 de de resistência dos jogadores e a sua técnica defen-
Ameaçando lançar o contra-ataque. siva aumentam. Por outro lado, os melhores mestres
também tiveram que desenvolver sua técnica de ata-
que, ao buscar novas continuações em posições
conhecidas. Aqui também Steinitz foi bem sucedido!
Além do mais, não ficou satisfeito na busca de
melhoras isoladas, desenvolveu orientações estraté-
gicas completas na abertura e no meio jogo com
base na sua teoria de acúmulo de pequenas vanta-
gens. Um exemplo clássico dessa inovação é a sua
''Variante Steinitz" na Defesa Francesa.

Partida 16
W.Steinitz-A.Sellmann
Baltimore 1885
19.fuxd6?! Defe.ra France.ra C11
Um desesperado sacrifício de peça, que somente
apressa o fim
19... cxd6 20.!!xd6 Wc7 21.il.xc6 1.e4 e6 2.d4 dS 3.~ -tiffi 4.eS (anteriormente,
Contra 2 I.'tifc5 Steinitz seria forçado a encontrar assim como Anderssen, Steinitz também jogava
a resposta certa: 21...'i!fg5! e após 22.!!xe7 'i!fxc5 4.il.g5) 4...-tifd7 5.f4!?
23Jiexd7+ <Ji;b6 24.!!xc6+ (ou 24.b4 \lfxb4 Antes disso, também seguindo o exemplo de
25.!!xc6+ 'i!ta5 26 ..E!dd6 !!a8 ganhando) Anderssen, considei:ava-se que o único caminho
24 ...'i!fxc6 25 ..í:i.Xc6 Wxc6 26.!!xg7 !!bg8 e tudo para lutar por vantagem era manter o centro de
estaria acabado. peões através de 5.'~JCe2 c5 6.c3 ~6 7.f4 'i!fb6
21...-tixc6 22.'i!fg3 <J:;;c8 23.ãedl !!b7 24.\lfg2 8.liJf:3 (Steinitz-Fleissig, Viena 1873). Hoje, em
-tib8 novo ciclo da evolução do xadrez, essa variante é
''Fortalecendo o ponto mais fraco, o bispo em empregada com grande sucesso por Anand.
d7." (Lasker) 5... cS 6.dxc5!?
25.lild4 hS! ''Marca registrada de Steinitz. O jogo sistemático

53
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

que se inicia com esse lance, buscando criar e explo- conseguia pensar a longo prazo.
rar uma base de operações para as peças em d4, cau- 12... 1!fb6?!
sou forte impressão sobretudo na geração de mes- Aqui seria natural 12... b4! (ganhando espaço na
tres a seguir." (Neishtadt) Atualmente esse plano ala da dama sem permitir que as brancas fixem as
clássico é normalmente realizado após 6.luf3 êzJc6 casas a5 e c5) 13.&l a5, com a ideia de ....ila6,
7..ile3!. embora após 14..ile3 as brancas permaneçam com
6... .ilxc5 (é mais seguro 6../2lc6 7.ê2\f3 .ilxc5) alguma vantagem.
7.lz:Jt3 (a alternativa é 7.°ii'g4!? 0--0 8.ê2\f3) 7...a6 13.b4!
Um lance supérfluo. Contra 7... 0--0?! 8..ildJ ''Iniciando o ataque na ala da dama, onde o adver-
ê2\c6, é simpático 9.h4! f6 10.lug5! fxg5 sário tem uma casa fraca em cS, enquanto a casac4
11..ilxh7+! 'i!txh7 12.hxg5+ Wg8 13.'i!ih5 lâlxe5 de Steinitz está defendida pelo peão d3." (Lasker)
14.fxe5 !!fS 15.g4 r!xe5+ 16.Wdl .ile3 17 ..ilxe3 13....ile7 14.a3 13?
ãxe3 18.lub5 ID'3 19.g6 WIB 20.'i!ibs+ We7 Na essência, o erro posicional decisivo: as pretas
21.°ii'xg7+ 1-0 (Steinitz-Golmayo, Havana 1888). anulam seu contrajogo. Foi recomendado 14...f6,
:Mas é melhor 7...êzJc6 8..ild3 f6!, minando de ime- mas ao meu ver o essencial era radicalizar com
diato o forte peão de e5: após 9.exf6 luxf6 10.°ii'e2 14... d4! 15."i!i't2 .ilb7, abrindo o bispo e mantendo
0-0 11..ildi ê2ld4 ou 1l....ild7 as pretas não tem a possibilidade de minar o centro com f7-f6.
problemas. 15.1:kl (15 ..ile3!?) 15....ilb7
8..ild3 luc6 9.'i!He2 l2lb4?! A última chance era 15 ...d4! 16.'i!ft2 .ilb7, sacri-
Um erro de prinópio: as pretas perdem o contro- ficando um peão em prol da atividade do bispo.
le do centro! É mais apropriado 9...'iWc7 10..ild2 b5 16..ile3 'i!Kd817.tud4
l l.a3 gb8 12.tudl lub6 com igualdade Eis o sonho de um jogador do século XX: um
(Boleslavsky-Pachmann, Interzonal de Saltsjõbaden cavalo poderoso em d4 contra um bispo moribundo
1948). Parece que Sellmann estava determinado a em b7. Agora as pretas apenas aguardam a execução
acompanhar seu adversário na criação de uma obra inevitável.
prima posicional, ao ajudar na demonstração do seu 17...lut'8 18.0-0 h5?!
plano na forma mais pura. Prevenindo o avanço g2-g4 que seria desagradá-
10.Ad2 b5 11.lz:J<il vel com o rei em f7. Entretanto, embora a partida
Eu preferiria l l.a3 !? luxd3 12.cxd3, sem distan- esteja decidida na outra ala, mais tarde as brancas
ciar o cavalo da casa chave d4. poderão se beneficiar da fraqueza da casa g5 e da
diagonal h4-d8. Jamais avance os seus peões sem
necessidade: essa é uma das regras básicas de
Steinitz!

ll ...luxd3+ 12.cxd3!
Pode parecer estranho atribuir um ponto de excla-
mação a um lance que atualmente seria feito por
qualquer candidato a mestre, mas na época, 1885, as 19.lz:Jc3!
consequências da captura com o peão não eram "O início de uma manobra de vários lances, cujo
óbvias e a maioria dos jogadores simplesmente não objetivo é criar uma base de operações em um

54
Wi/helm Primeiro

ponto fraco da posição inimiga." (Lasker) O cavalo Johann Hermann Zukertort (1842 - 1888) era
vai para a5. o aluno mais talentoso de Anderssen e jogou pelo
19...wt7 20.f2lbl! g6 21.ltid2 t2ld7 22.ltilb3 menos mil partidas com seu mestre, incluindo dois
ãc8 23.f2la5 matches: em 1863 (+3-8=1), e em 1871 (+5-2).
Finalmente! As brancas apertam a corda ao redor Então juntamente com seu professor editou a revis-
do pescoço do adversário. ta Neue Berliner Schachz.eitung, e também escreveu com
23....h8 24.ãxc8 'i!i'xc8 25.ãcl 'iWb8 26.'i!i'c2 Dufresne um manual popular. Em 1872 Zukertort
il.d8 27.t2lac6 'i!i'b7 28.ltixd8+ (trocando o defen- estabeleceu-se em Londres e, apesar de ter formação
sor das casas pretas) 28... lãxd8 29.'i!i'c7 (a invasão médica, abandonou sua prática e devotou-se inteira-
decisiva) 29...'i!i'bs mente ao xadrez. Em 1879 fundou Guntamente com
Sellmann defendeu suas debilidades principais, Lipót Hoffer) a revista .Chess Monthfy, nas páginas da
mas aqui Steinitz traz outra peça para o jogo. qual travou apimentadas discussões com Steinitz.
30.M! Era fluente em uma dúzia de idiomas, tinha uma
Ameaçando ii.M. Por fim as consequências de memória fenomenal, e quebrava recordes em exibi-
18...h5?! se tornam visíveis. Agora os recursos de ções de simultâneas às cegas. Nem é preciso dizer
defesa estão exauri.dos. que o elemento natural do notável mestre alemão
30...'i!Yb6 31.ltif3 'i!i'xc7 32.ãxc7 'i!í>e8 33.t2lg5 era a combinação. ..
{)f8 34.ilcS t2ld7 35.il.d6 (as pretas estão em zugz-
_,,g e são incapazes de defender os peões e6 e a6) ,
e as pretas abandonaram Que triunfo estratégico! Partida 17
J.Zukertort-J.Blackburne
Um Match Histórico Londres 1883
Steinitz voltou a jogar em 1882, dividindo o pri-
meiro lugar no torneio internacional de Viena.
Zukertort, que então se tornara notavelmente forte,
foi um pouco ofuscado (embora tenha derrotado
Steinitz em seu minimatch: 1,5-0,5), mas logo con-
quistou o maior sucesso de sua carreira, ao vencer o
&moso torneio de Londres de 1883: 1.Zukertort -
22 em 26; 2.Steinitz - 19; 3.Blackbume - 16,5;
4.Chigorin - 16. Pela primeira vez em muitos anos
se levantou a questão: quem era de fato naquele
momento o jogador mais forte do mundo?

23.f5! (segundo Steinitz, "o início de uma con-


cepção notável, de escala grandiosa") 23...êzJe4
As pretas depositavam suas esperanças nessa
defesa. Seria insatisfatório 23 ... gxf'S 24.ii.xf5 ~
25.ii.xe4 dxe4 devido a 26.lãgJ+ <ãti>h8 27.d5+ e5
28.d6
24.Jlxe4 dxe4 25.fxg6!
''Esse lance inesperado, que permite às pretas
invadir com sua torre via c2 e 'ganhar' uma peça,
com certeza foi previsto por Zukertort com antece-
dência. A essência da magnífica ideia combinatória
escondida neste lance ainda está longe de ser óbvia."
Johann Hermann Zukertort

55
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

(Romanovsky) dário encontro Morphy-Anderssen. No entanto,


25....lâc2 como os brincalhões da época disseram, "o maior
''Apesar de suas consequências perniciosas, talvez dos matches de nossos tempos exigiriam, se não as
essa seja a única chance. Não deixaria esperanças maiores, pelo menos as negociações mais longas".
para as pretas 25 ...hxg6 25.llgJ VJ9g7 27.dS e5 Enquanto isso, antes de Londres 1883 os editores
28.VWg5 &8 29.lli6". (Zukertort) do The Fie/d haviam encerrado a coluna de xadrez de
26.gxh7+ @h8 27.d5+ e5 28.'ilfM!! Steinitz (depois do torneio ela foi relançada... sob a
O sal da janta: desvio da dama inimiga! redação de Hoffer e ZukertortQ, e o mestre teve que
procurar outro trabalho. De modo lamentável, na
Inglaterra não foi capaz de encontrar. .. No outono
de 1883 Steinitz emigrou para a América, declaran-
do que estava pronto para enfrentar Zukertort em
qualquer lugar, exceto Londres. A partir de então,
seus numerosos comentários e artigos foram publi-
cados no New York Tribune e na sua revista
Internationa/ Chess Magazine, que fora lançada com a
ajuda de seus novos amigos em 1885.
Lá nos EUA, já após a morte do grande Morphy,
foi anunciada a organização de um match Steinitz-
Zukertort. Todos aceitaram a sugestão de Steinitz de
jogar até 10 vitórias, sem contar empates, e de con-
siderar esta competição - pela primeira vez na histó-
28...l'!8c5 ria! - um match qftcia/pelo título de CampeàlJ da Munda!
Contra 28 ... Wfr'xb4 segwna 29.ll.xe5+ 'i:t>xh7 Havia um detalhe importante: com o placar de 9-
30.ID13+ 'i:t>g6 3l.ãg3+ 'i:t>h6 (ou 31...Wh7 9 o match seria considerado encerrado em empate,
32.lli?+) 32.Wo+ <i!?bs 33.lli5+ <i!?h6 34.M4+ uma vez que os jogadores não queriam que o resul-
Wh7 35.ãh5 mate, e contra 28 ...VWe8 29.ãf8+ tado de um duelo tão importante dependesse do
VWxf8 30.ll.xe5+ 'i:t>xh7 3 l.'i!i'xe4+! resultado de uma partida. Tal regra seria aplicada
29.ãt'S+! posteriormente em um número de matches não
''Em conexão com os lances anteriores, criou-se limitados pelo campeonato mundial, e se tomou um
uma das combinações mais grandiosas, e quiçá, a obstáculo nos anos em que Fischer foi campeão
mais bela já executada sobre o tabuleiro." (Steinitz) onforme descrito no volume 4 dessa série).
29... Wxh7 (ou 29 ... 'i!i'xf8 30.ll.xe5+ Wxh7 O tão esperado match começou em 11 de janeiro
31.'i!!Nxe4+, com mate em breve) 30.'i!lxe4+ Wg7 de 1886 em Nova Iorque, frente a um grande públi-
31.~xe5+ @xf8 32.it.g7+! Wg8 (32 ... ii'xg7 co de espectadores, no Cartier} Rooms na Fifth
33.VWe8 mate) 33.Wfxe7+, e as pretas abandonaram. Avenue. Os lances eram exibidos em um tabuleiro
''Palavras são insuficientes para exprimir a admi- especial para demonstração, e o demonstrador era o
ração pela maestria com a qual Zukertort conduziu famoso mestre McKenzie! Jogaram por uma bolsa
esta partida," escreveu Steinitz na imprensa, e ao de $2.000 para cada lado, três partidas por semana,
mesmo tempo, como se antecipando o futuro, numa até quatro vitórias para um dos jogadores em Nova
carta para seu futuro biógrafo L Bachmann comen- Iorque, em seguida mais três em St Louis, e outras
tou: "Força verdadeira também presume força de três vitórias em Nova Orleans, cidade natal de
caráter, e por esta razão tenho dúvidas sobre o gênio Morphy. O controle de tempo seria de duas horas
de Zukertort..." para trinta lances, em seguida, após um intervalo de
duas horas para o jantar, uma hora para quinze lan-
Naturalmente, Steinitz estava ávido para recobrar ces (vale lembrar que, começando em Londres 1883,
a reputação de jogador número um no mundo: ime- eram utilizados os então modernos relógios de dois
diatamente após o torneio de Londres desafiou lados).
Zukertort para um match. A batalha entre as duas Como foi observado pela imprensa, em aparência
estrelas prometia ser um evento comparável ao len- Steinitz era o completo oposto de Zukertort. Este

56
Wilhelm Primeiro

eta um homem magro, com um rosto delicado, inte- propriedades da posição (temporárias e de longo
lectual, com uma barba rala. Steínitz mais parecia prazo), tais como: vantagem em desenvolvimento,
um representante do mundo dos negócios do que mobilidade das peças, domínio do centro, posição
um intelectual: em forma fisica gtande e grosseira, do rei inimigo, casas fracas na posição do adversário,
com porte decidido, grande rosto redondo, nariz melhor formação de peões, maioria de peões na ala
achatado, olhos afundados, despenteado, e uma da dama, linhas abertas, e a vantagem do par de bis-
barba desgrenhada como uma juba. Talvez a única pos.
característica que tinham em comum fossem seus Steínitz de forma particular valorizava fatores de
olhos "vivos e ardentes". longo prazo como a formação de peões, estudando
três tipos de peões (atrasado, isolado e dobrado), e a
fraqueza e a força não só dos peões em s~ mas tam-
bém das casas vizinhas. Em particular, estabeleceu
que um peão isolado no centro é uma fraqueza, um
alvo para um ataque sistemático, e a casa à sua fren-
te uma conveniente base de operações para uma
peça menor, especialmente o cavalo. E foi no match
com Zukertort que foi revelada pela primeira vez
uma clara concepção de como jogar contra o peão
isolado.
Um exemplo clássico é a nona partida, na qual
Steínitz mais uma vez provou ser um notável mestre
da defesa.

Partida 18
Steinitz (D) x Zukertort J.Zukertort-W.Steinitz
O match começou de forma catastrófica para Campeonato Mundial, St Louis 1886, 9a partida
Steinitz: após vencer a primeira partida em grande Gambito da Dama Aceito D26
estilo, sofreu então quatro derrotas sucessivas (além
«isso, na terceira partida superou estrategicamente
1.d4 dS 2.c4 e6 3.W ~ffi 4.~f3
por completo o seu adversário, e na quarta partida
Na -r partida, após 4.e3 c5 5.~f3 là6 6.a3 dxc4
~ u' uma peça em posição levemente supe-
7 ..ixc4 cxd4 8.exd4 .iu!7 9.0--0 0--0 10.ii.e3?!
lim:). Apesar disso, o futuro campeão mundial não
Steínitz pela primeira vez demonstrou uma forma-
ac desesperou: tal começo era algo com que ele não
ção exemplar de peças para as pretas: 10....td7
ptrisava se acostumar... Então o match foi para St.
Louis, onde Steínitz imediatamente conseguiu duas ll.'i!fd3 (ll.d5 com igualdade) 11...&8 12.&cl?!
fltórias, e o placar ficou mais equilibrado: 3-4. Na t!fa5 13 ..bi llid8 14.Wel?! ii.e8! 15~1 g6
CJitiva partida finalmente ocorreu o primeiro empa- 16.'i!fe2 ii.f8 17.&dl Ji.g7 18..bi ~7 com jogo
le. A tensão havia alcançado um ponto crítico: agora
excelente.
muito dependeria de quem vencesse a partida 4...dxc4 S.e3
seguinte. .. É mais ativo 5.e4! e após 5 ...ii.b4 6.Ji.g5 c5
Convém lembrar que neste match Steínitz lutava 7 ..ixc4 surge a popular variante Viena. Também é
aio somente pelo título de campeão mundial, mas possível a moda nova 5.'i!fa4+ c6 (5 ... ~bd7 6.e4)
laDhém pelo triunfo de seus princípios. Já há algum 6.t!fxc4, como jogou Karpov e depois também
armpo havia se conscientizado de que o xadrez esta- Kramnik.
ft sujeito a leis definidas, e de que se deveria jogar s...cs
aanpre de acordo com um plano, levando-se em Do ponto de vista da teoria moderna, as pretas
CXJDta as características da posição específica. E só se igualam facilmente com 5...a6! 6.a4 (6..ixc4 b5
: deveria atacar se um número suficiente de pequenas 7.i.b3 Ab7 com igualdade) 6... c5 7..ixc4 ~6
vantagens tivesse sido acumulado, relativas a certas 8.0-0 .iu!7, e em vista do seu prematuro ~3 as

57
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

brancas não conseguem defender o peão d4 através sante 15.f4) 15.•..te8


de 'i!fe2 e ãdl, por exemplo: 9.'i!fe2 (9.dxc5 'i!fxdl Um plano clássico! ''.A melhor casa para o bispo
10.~dl il..xc5 com igualdade) 9... cxd4 10.lidl e5 em posições assim: aqui não interfere com as mano-
l l.e><d4 exd4 12.~d4 ~xd4 13.'i!fe5 'i!fd6 com bras das outras peças pretas e, além disso exerce a
igualdade. importante função de defender f7." (Euwe) É evi-
6..1i.xc4 cxd4 (é um pouco mais preciso 6 ...~c6, dente que as brancas perderam a iniciativa da aber-
sem abrir por enquanto a diagonal do bispo e l) tura e que devem se preocupar em manter a igualda-
7.exd4 (7.~xd4 a6 com igualdade) 7... il.e7 8.0--0 de.
0--0
O primeiro campeão mundial também jogou
8... ~6! quando o ataque ao peão d4 impede o
lance 'i!fe2. Por exemplo: 9.M4 ~ 10.~l .td7
(10... 'i!fb6!?) ll.'i!fe2 'i!fa5 (11...&8!?) 12.~b5 a6
13 ..tc7 b6 14.~3 llic8 15.M4 b5 16.Ab3 'i!fb6
17.liedl (17.d5!?) 17... ~ ! 18.il.c2 ~ com
igualdade (Zukertort-Steinitz, 13" partida do match,
St. Louis 1886), ou 10.licl 'i!fb6 ll.'i!fd2 ãd8
12.fildl il.d7 13.'i!fe2 il.e8 14.il.d3 liac8 com
igualdade (Pillsbury-Steinitz, São Petersburgo
1895/96).
9.'i!i'e2 (9.~e5!'?) 9...~bd7?!
Apesar de tudo, seria melhor 9 ...itic6 10.ãdl 16.filt4!
~ ! 1l.il.d3 b6 e ...Ab7. Finalmente as brancas acertam na ideia de lutar
10.il.b3 pela casa d5. :tvfas enquanto perdiam tempo, as pre-
Zukertort nem considera 10.d5 exd5 11.~xd5 tas resolveram o maior problema de desenvolvimen-
~xd5 12.il..xd5 ~f6 13.Ab3 il.5 14.lidl 'i!fe8 to nesses esquemas, o do bispo de c8. (De acordo
15.liJd4 il.d7 com igualdade, pois nas palavras de com algumas fontes, a ordem dos lances foi 16.llie l
Euwe "ele de forma alguma considera o peão de d4 &c:8 17.il.h4 ~c3 18.bxc3 'i!fc7).
uma debilidade". 16... ~c3
10..•liJb6 ll.il.f4 Lances assim não são feitos sem necessidade: por
Seria mais preciso posicionar o bispo em g5 (luta que liberar o adversário do peão isolado? Entretanto
pela casa d5!) e o simples 11.~l ~bd5 12.il.g5 contra 16...liac8?! 17.~xd5 ~xd5 18.il..xe7 ~xe7
1Wa5 13.&cl mantém uma iniciativa duradoura. 19.'i!fxb7 ou 17... exd5 18.~g4 lixcl 19.~cl &8
Entretanto isso ficou claro muito mais tarde, graças 20.ãdl!
a Bótvinnik, que rompeu a defesa preta através de 17.bxc3 W.ic7
~5 e f2-f4-f5. ''Defendendo o bispo em e7. Seria prematuro o
11 ...~bdS 12.il.g3 bloqueio direto 17 ... b5 devido a 18.~g4."
Esta perda de tempo já demonstra de forma clara (Neishtadt) O computador não concorda com essa
que Zukertort está jogando sem um plano, quase avaliação: 18...~xg4 19.1Wxg4 (19.il..xe7? ~h2
como esperando que o jogo se complique, o que 20.'i!?xh2 'i!fc7+ 21.Wgl 'i!fxe7) 19 ... il.xh4
daria um pretexto para combinações." (Lasker) Mas 20.'i!fxh4 il.c:6 21.f4 'i!fa3 com igualdade.
mesmo para Lasker e Euwe a luta posicional em 18Jlfel &c8 19.'i!fd3?!
tomo do peão isolado consistia em 'terra desconhe- Um lance inútil. Zukertort não entende que peões
cida'. colgantes fracos devem ser avançados, quando
12.. .'i!i'aS (um detalhe sutil: com o bispo em g3 as podem se tomar fortes! É correto 19.il,g3 e se
brancas não conseguem incomodar a dama com 19...il.d6 então 20.c4 - Lasker considerou essa
il.d2; a alternativa é 12 ... b6! e ....td7) 13.âacl posição pouco clara, mas na minha opinião favorece
il.d7 14.~S lifd8 1S.'i!ft'3 (15.~xd7 lixd7 e às brancas: 20 ... ~7 21.~d7 ~d7 22.d5! il.xg3
&d8 não favoreceria as brancas, mas seria interes-

58
Wi/helm Primeiro

23.hxg3 exd5 24.'i!fe3 t!i'd8 25.cxd5, com um peão 24... f6


passado terrivel no centro (sua força ainda era des- A consequência da troca do bispo de b3: agora o
conhecida naquele tempo!). Por isso é melhor bispo de e8 pode sair para g6 ou h5.
19...'i!fb6! com chances para ambos os lados. 25.llh3!?
19.. iudS! ''Em busca de uma combinação." (Lasker) Na ver-
Provocando as trocas: quanto menos peças, mais dade as brancas estão com problemas: no caso de
evidente é a fraqueza do peão isolado. 25.li)O 1Wa6! (25 ....th5 26.'i!fb3 b6 27.h3 não é
20.~xe7 (20 ..tg3 'i!fa5!?; era possível 20.~2 claro) 26.00 e5 27.d5 'i!fxa2 não tem compensa-
g6 21.~e7 Víxe7 22.~3 b5! 23.~d5 .lãxd5 ção pelo material sacrificado. -
24.'i!fe3 com contrajogo graças à fraqueza das casas
pretas e o bispo deveras passivo em e8) 20...1!fxe7

25... b6!
Parando todas as ameaças e começando a tomar a
21.~xdS? iniciativa. Steinitz não tinha motivos para entrar em
Um erro posicional de prinópio. Nunca se deve complicações perigosas após 25 ... fxe5?! 26.'i!fxh7+
tomar em d5 antes de g7-g6! ':'\.s brancas deveriam 'i!?fS. Por exemplo:
ter mantido esse bispo excelente, mas na busca de 1) 27.llO+ ii.f7 28.'i!fhs (Neishtadt recomendou
forçar os lances e de combinações associadas, aca- 28.'i!fh8+ r:J;;e7 29.'i!fxg7 IDE 30.llbl b6 31.dxe5
bam até mesmo se desfazendo de suas peças fortes." "com ataque", mas após 3 l...'ifd4 não há compen-
(Lasker) É pouco claro 21.~2 ~to (21...VJh.4!?) sação pela peça) 28 ...&7 (28 ... 'i!fd7 29.'i!fh8+ r:J;;e7
22.~g4 g6 23.~5, mas o mais lógico seria -peões 30.'i!fh4+ com xeque perpétuo; 28 ...:Sd7?
colgantes a se mover! - 21.c4! li)f6 (21...'i!fg5?! 29.'i!fh8+) 29.c5 °i!i'd5 30.'i!fh8+ r:J;;e7 31.'i!fh4+
22.h4) 22.&dl com chances para ambos os lados. (mas não 31.'i!fxg7? llt'8 32.h4 'i!fxO! vencendo)
21 .. Jlxd5 22.c4 lldd8 23.lle3? com empate;
Jogo no nível da sua época: a tentativa de ataque 2) 27.:Sg3!? e aqui são ruins tanto 27 ...'f!.c7?
por meios inadequados. Que tipo de ataque é possí- 28.'i!fh8+ r:J;;e7 29.c5! (29 ..lãxg7+ ii.f7 30.1.!fhs
vel aqui?! ':'\.s brancas deveriam jogar 23.&dl e com igualdade) 29...'i!fd5 30..lãxg7+ ii.f7 31..lãxf7+
então quem sabe 'i!fb3, c4-c5 e li)c4--d6." (Euwe) ~xf7 32.'i!fh7+ ~6 33.'i!fxc7 exd4 34.l::!ci3
Mas após 23 ...b6 as pretas tem jogo confortável ganhando, quanto 27 ...ii.f?? 28..lãxg7 llc7 29.c5
Por isso, eu prefiro complicar a luta através de 'i!fd7 (29 ...1Wxc5? 30.'i!fh8+ r:J;;e7 31..lãxf7+ ~f7
23.d5!? b5 (era o que Steinitz tinha em mente) 32.'i!fh5+ ~e7 33.dxc5) 30.'i!fh8+ (30.~d3!?
24.'i!fh3! Ravinski) 30...r:J;;e7 31.'i!fh4+ r:J;;e8 32.&7 ganhan-
23...'i!fd6 24Jàdl do, e resta apenas o lance da 'máquina' 27.J:!d7!
Contra a armadillia 24.IDi3!? é possível 24 ...h6! 28.'i!fh8+ ~e7 29.'i!fh4+ (29.llxg7+? 'i!?d8
30..lãxd7+ ~d7 31.'i!fg7+ ~8 32.Vlg5+ ~7
(mas não 24 ...Vfxd4? 25.°i!i'xh7+ 'íàtif8 26 ..lãe3!)
favorece as pretas) 29...~ 30.'i!fh7 com igualda-
25J:!dl f6 26.li)g4 'i!ff4, transpondo para uma posi-
de.
ção da partida.

59
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

26.itlg4 34.'i!flh7) 34.°i!fg6 Z!e8 35.h4 ganhando, ou


É desfavorável 26.itlg6 .ilxg6 27.Wfxg6 "i!.xc4, e 31...Vlff8 32.!!g3 dxc4 (é salvador 32...Dd7!
se 28.ãxh6 então 28 ... Wfxd4! 29.Wfh7+ Wf8 JJ.flxh6+ rJ?h8 34.flg4 l!e8! 35.fle3 dxc4
30.Wfh8+ Wf7 31.Wfxd8 Wfxd8 36. W!xc4 'i!Jf7 37..lfhJ+ rJ?g8 38. 'i!fh4 'i!!g6
ganhando.Zukertort deseja sacrificar o cavalo em f6 39. 'i!!c4+ 'i!!f7 com igualdade - GK) 33.~xh6+ Wh8
ou h6, entretanto a resposta das pretas põe fim a 34.'i!:Vxd8 "i!.xd8 35.ãxd8 'i!:Vxd8 36.'~Jf?+. Por isso
essa ideia. é correto 30 ...°i!fe5 31.Z!g3 (31.itlc2 ou 31.~fl
26... Wff4! 27.~ (contra 27.~3 Steinitz plane- então o tranquilíssimo 3 l...exd5) 3 l...exd5 32.'i!Vg6
java 27 ... b5 !, e 28.cxb5? é ruim devido a 28.J~xd4! "i!.c7 e ...~e8 (é claro que não 33.°i!fxh6? devido a
29.itlxh6+ Wf8 30.Wfa3+ Wid6) 27... ~4! 33 ...'i!f/xg3!)." (Euwe)
"Para tirar a torre da primeira horizontal, o que as Na vanante 30.d5! 'i!:fe5! O computador introduz
pretas conseguem em seguida." (Lasker) uma correção: após 31.°i!ffl! exd5 32.cxd5 ii.d7
28.ãf3? resta sobre o tabuleiro uma posição bastante com-
Nenhum comentarista notou a melhor possibili- plicada, na qual as brancas podem se defender ao
dade das brancas: 28.~! b5 29.lli'.3 (mas não custo da iniciativa, ao passo que 30.Z!g3? vai de
29.cxb5? !!cl + 30.~l ou 30.~dl Wíxd2 ganhan- encontro a um muro.
do) 29 ...'i!fb8! (29 ... bxc4? 30.Wfa3; 29 ...Wfc7
30.c5 e5 31.~f5 exd4 32."i!.g3 Wixc5 33."i!.xg7+
Wf8 34.g4 'ifcl+ 35.Wg2 ~c2 36."i!.xc2 'ifxc2
37.WJO Vlfxf5 38.Wfxf5 ~g7 39.h4 d3 40.h5 com
igualdade) 30.Wfg6! (Steinitz considerou apenas
30.cxb5? Z!cl+ 31.~1 e5! ganhando) 30 ...Wh8
(30 ... bxc4? 31.êê::lg4!) 31.!!g3 (é pior 31."i!.xf6?!
"i!.c7! ! 32.Z!xe6 bxc4) 31...~7 32.c5 b4! e embo-
ra a vantagem seja das pretas, resta uma longa luta à
frente.
28...'i!fd6 29.I!d2 (29."i!.xf6? ~dl ganhando)
29... ~c6?
Como veremos no lance seguinte, esse é um erro
grave. Muito mais forte é o golpe tático sugerido
30... f5!
pelo mestre V. Vukovic 29 ... b5!. Agora perdem
Essa resposta, subestimada por Zukertort, decide
tanto 30.cxb5?! &1+ 31.êê::lfl (31.~1 'i!Vxd4!
de forma efetiva a partida.
32.'i!f/xd4 !!xd4 33.!!xd4 ~xdl ganhando)
31.ãg6?
31...~, quanto 30."i!.g3? bxc4 31.°i!fg6 Wff8 Um lance de terceira categoria! Havia mais senti-
32.itlg4 Wh8 33.~h6 ~e8! 34.~f?+ 'i!fxf7 ou do em 31.c5 (31."i!.h3!?) 31...°i!fe7 32.êê::lc4 (ou
30.h3 bxc4 31.itlxc4 "i!fb4 32.itle3 ~5 33.a3 32.f4 ~e4 33.'i!:Ve2 'i!f/f6 34.'i!f/f2! b6) 32 ...~5
"tlfa5, ganhando. E mesmo após a melhor continua- 33.a4 .ilxc4 34.'i!:Vxc4 !!xc5 35.dxc5 !!xd2 36.h3,
ção 30.°i!fg6 "i!fe7 31.IDD "ilff7, todas as chances com uma posição feia, mas ainda não totalmente
estão do lado das pretas. destnúda.
30.ãg3? 3t.•• ~e4 32.'i!fb3 Wh7
Retribuindo o erro, que nesse caso fatal. Também Seria errado 32 ... f4 33.c5 fxe3 34.cxd6 exd2
é ruim 30.Z!xf6? gxf6 31.°i!fg6+ éf8 32.°i!fxf6+ 35.°i!fxe6+ Wh7 36."i!.xh6+ gxh6 37.°i!ff?+ Wh8
We8 ganhando. No entanto, 30.d5! é impositivo. 38.'i!f/f6+ Wg8 39.°i!fe6+ Wg7 40.'i!:Ve7+ com xeque
"Steinitz considerou que esse lance seria refutado perpétuo, mas 31...Wf?! 32.c5 'i!:Ve7 33.Z!g3 f4
por 3 l...exd5 3 l.cxd5 3 l....ilxd5 32.itlxd5 "i!fxd5 34."i!.g4 fxe3 venceria com tranquilidade.
33.'i!fxd5+ Z!xd5. Mas em lugar de 3 l.cxd5 é mais 33.c5 "i!.xc5 34.!ixe6
forte 31.~f5!, por exemplo: 31...°i!fe5? 32."i!.e3 Ou 34.°i!fxe6 &1+ 35.~1 (35.~ 'i!f/xe6
"i!fal + 33.!!dl (e se 33 ... Wfxa2 34.~h6+); se 36."i!.xe6 ii.d5 37.'ã.e7 1'.c4 ganhando) 35 ...'i!:Vf8!
3 l...'i!fd7? 32."i!.g3 dxc4 33.~h6+ Wh8 (33 ... éfS

60
Wilhelm Primeiro

(35 ...l!Hxe6 36.~e6 iLd5 37.&l ~a2 38.~a2 por contraste, pouco brilhantismo. Lembrou-se com
Jlxd4 ganhando - Steinitz) 36.ãg3 ju;2 37.l!He2 entusiasmo os tempos de Morphy e Anderssen, a
'lle8 38.@fl f4 ganhando. ignorar completamente o caminho que o xadrez
34...lãc1+35.~1? havia tomado em um quarto de século, esquecendo
Seria mais resistente 35.~fl, contra o qual há a que Steinitz e Zukertort jogaram num nível mais
opção entre 35 ...l!Hf4 36.l!He3 Wc7! e o rápido forte que qualquer adversário de seus legendários
'35 ...l!Hc7, por exemplo: 36.lãdl ~dl 37.'i!fxdl predecessores, e que por isso seu confronto mortal
W'd7 38.&5 l!Hxd4 39.l!Hxd4 ~d4 40.f3 ju;6
0
foi jogado sob tensã_o nervosa incomparavelmente
41.~3 f4 42.~5 W2 43.&7 'i!?g6 ganhando. maior que no passado, assim como seriam as muitas
· 35...l!Hf4 36.'i'b2 lãbl 37.'i!fc3 lãc8 38.lãxe4 batalhas sequenciais pela coroa...
IJ'xe4, e as brancas abandonaram. Mas por que Zukertort 'fritou' tão rapidamente?
Parece-me que após o terço inicial do match, Steinitz
Uma partida muito desequilibrada, é difícil havia se adaptado e se ajustado completamente ao
comentá-la do ponto de vista do século XXI: pelos estilo de jogo do adversário e descoberto o seu pró-
padrões atuais, contém muitos erros. Mas é preciso prio, o que não foi fácil: Zukertort era afinal de con-
lembrar que mesmo os melhores jogadores daquela tas um excelente profissional. Depois disso, Steinitz
época progrediam na abertura e no meio-jogo de fez o que quis, jogando um xadrez que era incom- ·
bma puramente intuitiva, tateando seu caminho. E preensível para seu adversário! De forma gradual
Steinitz, de forma clara era superior ao seu adversá- Zukertort perdeu a cabeça, e surgiu uma sensação
lio no jogo posicional e no entendimento da força e de desesperança: ele simplesmente não sabia o que
da fraqueza de peões centrais. Na época, nada se fazer com Steinitz...
sabia sobre isso, e de forma objetiva a partida teve Muitos anos mais tarde Lasker chamou este match
1llll papel importantíssimo no desenvolvimento do de "um evento que decidiu o resultado da batalha
entendimento do xadrez. Foi necessário aproxima- entre as escolas combinatória e posicional", e deu
damente meio século e o surgimento de Botvinnik uma descrição muito clara dele: "ao se repassar as
para que posições com um peão isolado fossem rea- partidas do maior match que Steinitz venceu, contra
wliadas a favor das brancas, e mais 30 anos para o Zukertort, se torna evidente quão novas, quão sur-
smgimento de Petrosian para que o G.unbito da preendentes e quão contrárias a toda opinião da
Dama Aceito novamente se tornasse uma abertura época eram as concepções de Steinitz. Zukertort
popular, e para que os jogadores se relacionassem confiava em combinações, e nesse campo foi um
com o peão isolado sem emoções, vendo os seus inovador, um gênio. Por tudo isso, na maioria das
pós e contras. E nos dias de hoje prevalece um partidas, sem perder nenhuma das suas habilidades,
enfoque concreto e complexo, baseado em quanti- foi incapaz de usá-las. Steinitz parecia ter o misterio-
dade gigantesca de informações assimiladas... so dom de prever as combinações muito antes de
No match a nona partida também desempenhou serem realizadas no tabuleiro - encorajava aquelas
mn papel muito importante. O placar se igualou (+4 que lhe eram favoráveis e evitava as que não lhe
-4 =1), e embora no caso de um escore 9-9 os joga- favoreciam. Zukertort não conseguia entender
dores concordassem em jogar até mais oito vitórias, como Steinitz podia prever as combinações e nem
o match seguia agora em uma só direção. Em Nova como poderia vencer sem elas, uma vez que até
Orleans, com o marcador em 5-7 e após deixar de aquele momento parecia ser esse um método indis-
-vencer a quase ganha 17" partida e perder a 18ª, cutível para as suas belas vitórias. Zukertort tentou
Zukertort desmoronou por completo, e dentro de resolver esse enigma por quatro anos, mas nunca se
mais duas partidas Steinitz celebraria a vitória final: aproximou um passo nessa direção, e nessa busca
10-5 =5. Surgia assim o primeiro campeão nrundial perdeu a maestria que possuía. Morreu relativamen-
oficial. te jovem (de um iefarto aos 46 anos - G.K). O nrundo
A imprensa saudou de forma fria o triunfo de do xadrez na época também não compreendia
Steinitz: foi dito que Zukertort "não era o mesmo", Steinitz, nem sua maneira de jogar, nem a sua pala-
que houve de certo modo muitos erros crassos e, vra escrita, a qual tratava de sua 'Escola Moderna".

61
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

Chigorin - O Primeiro Desafiante se tornou o jogador mais forte no país por um quar-
to de século. Era notável por seu estilo incrivelmen-
te vívido, embora pouco usual.

Partida 19
M.Chigorin-E.Schiffers
Match, São Petersburgo 1879
1½1LpezC68

1.e4 e5 2.ffi ~c6 3.ii.b5 a6 4.ii.xc6


Este é muito mais seco do que o amado Gambito
Evans de Chigorin, mas como se verá, mesmo aqui
é possível criar problemas.
4...dxc6 5.d3 ii.c5 6.~3 ii.g4 7.h3 ii.xt3
8.'i!:Yxt3 ~e7 9.~2 0-0 10.g4!? 'i!:Yd7 11.ii.eJ
ii.b4+ 12.'~fl!? Qunto com 10.g4, esta é uma
forma original de preparar o ataque) 12...&dS
13.~g3 °i!fe6 14.h4 a5 15.~gl @h8 16.~t'S g6
17.a3 ii.d6
Mikhail Ivanovic!Í C:hlgorln
Em 1888 o rico Clube de Xadrez de Havana, com
o qual Steinitz mantinha boas relações, convidou o
campeão a escollier seu mais valoroso adversário e
jogar o próximo match pelo campeonato mundial
em Cuba. Steinitz imediatamente concordou, e sem
hesitação nomeou Chigorin.
Naquela época, o grande mestre russo Mikhail
lvanovich Chigorin (1850-1908) possuía apenas
um breve histórico, mas era o adversário mais dificil
e perigoso para o campeão: em Viena 1882 empata-
ra com Steinitz em 1-1, e em Londres 1883 vencera
as duas partidas! Além disso, revelou-se o principal
critico e opositor de Steinitz, que por sua vez o cha-
mou de "um gênio do jogo prático, que toma a liber- 18.'i!?e2!
dade de desafiar os princípios da teoria moderna do Este moderno sacrifício de cavalo é um exemplo
xadrez a cada oportunidade conveniente." Chigorin do pensamento paradoxal de Chigorin.
jogava em estilo combinatório agudo, era virtuoso 18... gxf5?! (é mais cauteloso 18... c5!? com ideia
em vários gambitos, e posteriormente quando toda de c5--c4) 19.gxf5 °i!fd7 20.i.h6!?
uma geração de seguidores da nova escqla entrou Talvez Schiffers tivesse calculado 20.'i!eg4 ~f5
em cena, ficou famoso como "o último romântico 21.iVxf5 'i!fxf5 22.exf5 com um final um pouco
do xadrez". mellior para as brancas. Mas Chigorin não se deixa
Mikhail Ivanovich aprendeu a jogar aos 16 anos, e levar por pouco.
de forma séria somente aos 24, no famoso Cfé 20.. J~g8 21.ii.g5 ãxg5 22.hxg5 c5 23.~1 ~g8
Dominik em São Petersburgo. Para se dedicar inte- 24.f6 i.f8 25.ãh3 c4! 26.ãahl cxd3+ 27.cxd3
gralmente ao xadrez abandonou seu trabalho e a (27.'i!fxd3 h6) 27...h6 28.g6 fxg6 29.t7 ~e7??
partir de 1876 editou a revista Shakhma!f!Y Iistok, e O computador corrige esse erro grave. Após
em meados dos anos 80 Shakhma!1!J Vestnik. Após 29 ...Wfd4! 30.fxg8'i!f+ @xg8 ainda teria luta:
vencer matches contra os principais mestres russos, 31.l:!g3 'i!fxb2+ 32.@fl gd6 33.'i!ff5 @g7

62
Wilhelm Primeiro

34.&gl l!i'cl + 35.@g2 l!i'f4 36.'i!fc8 'r!it7 etc. dama e desenvolver a ala do rei através de 15 ...lzJe7
30.ãxb6+ Axh6 31.ts'i!f+ ãxf8 32.\!9xf8+ ~ e depois ...ãe8 ou ...ãfS." (Steinitz) Provavelmente
33.ãxb6+, e as pretas abandonaram. nesse caso as brancas continuariam com 16.a4, com
jogo complicado.
Após sua estréia na arena mundial (Berlim 1881: 16.a4 éut,717.AeJ ~g6
1.Blackburne; 2.Zukertort; 3-4.Wmawer e Steinitz sugeriu o tenaz, mas passivo l 7...l!i'd8
18.~b6 axb6, mas 17...&8!? parece-me mais
Chigorin), Chigorin conquistou reconhecimento
interessante.
universal. "Suas combinações são muito engenho- 18.Axb6 cxb619.l!i'b4 'i!fe7
sas", escreveu Zukertort. "Com um salto ele se jun- Não funciona 19...ilg4 20.&cl ~f3 (20 ...l!i'e7
tou às fileiras dos mestres internacionais." 21.lzJg3) devido a 21.&7+ ~8 22.gxf3 l2Jh4
Na primavera de 1889, ao retornar para casa após 23.lzJg3 lzJxf3+ 24.ég2 l2Jh4+ 25.'i&hlcom ata-
seu primeiro match com Steinitz (seus duelos serão que.
20.~ !ibc8 21.~4 llc5 22.f4 llac8 23.l!i'dl
descritos mais à frente) Chigorin dividiu os 1º-2"lu-
Eic4
gares em um torneio importante em Nova Iorque, o Contra o lance de Steinitz 23 ... lzJf8, para prevenir
mais longo da história do xadrez (64 dias: um duplo a invasão do cavalo inimigo em e6, é desagradável
turno com 20 jogadores), onde jogou uma de suas 24.&el, com a perigosa ameaça lzJgt'S e possivel-
partidas mais conhecidas. mente e4-e5. (Vasiukov, Nikitin) Minha alternativa
é 23 ...ég8!? 24.lzJgf'S (24.lzJe6 &2) 24 ...~f'S
25.exf'S lzJf8.
Partida 20
M.Chigorin-W.Pollock
Sexto Congresso Americano
Nova Iorque 1889
Gambito Evans C5

l.e4 e5 2.~t3 ~6 3..tc4 Ac5 4.b4 Axb4 5.c3


Ac5?! (5 ...Aa5; 5 ...Ae7) 6.(H) (6.d4!) 6... d6
7.d4 exd4?! (7 ...Ab6! -partida 43, v1) 8.cxd4 Ab6
9.~ ™ 10..tg5!
O ''Ataque Góring", uma tabiya de Mikhail
lvanovich: sua posição preferida.
10... f6 11 ..ilt'4!?
É menos convincente l l..th4 ~c4 12.\!9a4+ 24.~!~b4
l!i'd7 13.\!9xc4 V!Bt7 14.00 l2Jh6 (Chigorin-
Naturalmente não se pode capturar duas vezes em
Yakubovich, partida por correspondência 1879).
ll ... ~xc4 12. 'i!la4+ 'it>f7 13.'i!fxc4+ .te6 14.d5! e6 devido ao garfo f4-f'S. "Mas talvez valesse a pena
Ad7 tentar desorganizar o ataque com o sacrificio de
''Após 14 ... ilg4 as pretas precisam considerar o qualidade: 24...&2 25.1!i'xc2! ~c2 26.lzJf5 ~e6
sacrificio de peça em prol do ataque: 15.e5! (?- GK) 27.~e7 lzJxe7 28.dxe6+ W><e6". (Vasiukov,
15 ... fxe5 16.luxe5+ dxe5 17.Axe5" escreveram Nikitin). E de fato, a posição após 29.filcl &5 não
E.Vasiukov e A.Nikitin no livro Mikhail Chig)rin parece ser clara.
(1972). Mas após o simples l 7...lzJf6! as brancas 25.!idl! Axe6?
não vão a lugar nenhum. Por exemplo, 18.~f6
Na minha opinião um erro grave que não foi
1Wxf6 19.l!i'xg4 'i!fxc3, ao passo que a "ofensiva
mencionado pelos comentaristas. Era preciso jogar
posicional" 15.GzJd-4! e a2-a4 dá às brancas excelen-
te compensação pelo peão. 25 ...©g8! e contra 26.'tifg4, então 26 ... 5 27.exf5
15.~2 'i!fe8?! (27.lzJxf3 ~f'S 28.exf'S \Wf6) 27... &2.
Perda de tempo. ''Melhor seria não perturbar a 26.dxe6+ ég8 27. 'i!fg4!

63
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

"O ataque ao rei, elemento natural de Chigorin,


conduzido com rara maestria nessa partida."
(Steinitz) Apesar disso, também não era ruim
27.f5!? g5 28.ãfl (28.fxg6!?) ameaçando 29.~d2
seguido por e4-e5. (Vasiukov; Nikitin)
27... li::ig6 28.~fS! !Nc7
É claro que não 28 ... 'i!Hxe6?? 29.li:fu6+!

32.e5!!
Uma ruptura no ponto mais fortificado! Na opi-
nião do computador as brancas também vencem
através do frio 32.e8°i!i'+ Wxe8 33.li:lxg7+ Wf7
34.W9d7+ li:le7 35.li:le6 °i!fh5 36.li:ld8+.
32...fxe5 (também é bonito 32 ... dxe5 33.ãd8 !!e6
34.ãf'S+!, ou 32 ...'i!fxe5 33.li:lxd6+! llxd6 34.fxe5)
33.li:lxd6+
Os comentaristas atribuíram um ponto de excla-
29.e7!? mação para esse "golpe esmagador'', embora
O ponto culminante da batalha. ''Tudo serve ao 33.e8'i!f+ Wxe8 34,êi.)xg7+ Wf7 35.'i!fd7+ con-
cluísse de forma mais rápida.
propósito do ataque ao rei. O cavalo em g6 está cra-
33.. J~xd6 34.fxe5+ !if6 35.eS'ti'+! Wxe8
vado e se ameaça o terrível h2-h4-h5. Entretanto, 36.!Nd7+ Wf8 37.exf6, e as pretas abandonaram.
muitos mestres dos tempos recentes, 'cautelosos', Neste tipo de jogo, complicado e dinâmico,
dificilmente separariam de seus vizinhos esse peão Mikhail Ivanovich era superior aos seus contempo-
râneos. Tinha uma intuição muito sutil para a iniàa-
passado avançado, o que garante a vitória."
tiva e não tinha medo de sacrificar material.
(Spielmann) Anderssen também tinha sucesso em posições de
''.Após o direto 29.h4?! as pretas tem a defesa desvantagem material, mas no seu tempo o nível de
29 ...lâxe4 30.h5 lz::ie5! 31.'i!Ng3 ~ e ...'i!Nc5+, defesa ainda era muito fraco. Chigorin superou
resistênàa muito mais séria! Sob muitos aspectos
mas após 29 ..l&iel ! com a sucessiva marcha do peão
seu estilo foi o precursor do estilo de Alekhine, e em
h, as pretas aparentemente não teriam defesa. meados do século XX o jovem Spassk:y jogava de
(Vasiukov; Nikitin) maneira sinúlar, um importante indíào da criativida-
29...'i!?t7? de de Chigorin...
O erro decisivo. A sugestão de Steinitz é muito A seguir uma outra partida clássica de Chigorin,
da "final do match de candidatos" com Gunsberg,
mais tenaz: 29 ... Éte8! (mas não 29 ...!ixe4 jogada em Havana 1890. Embora o duelo feroz
30.li:lxd6). Na variante de Vasiukov e Nikitin, 30.h4 tenha terminado em empate (+9 -9 =5), o jogo do
llxe7 31.h5 li:lf8 32.li:lxe7+ WHxe7 33.&cl!? mestre russo deixou, de longe, forte impressão.
'i!i'xe4 34.llcel! W9d4+ 35.Whl o resultado ainda é
incerto. Por isso sugiro 32.h6 g6 33.li:lxe7+ WHxe7 Partida 21
34.&el llxe4 35.WHdl, e a posição das brancas é I.Gunsberg-M.Chigorin
melhor. Match, Havana 1890, 2ª partida
30.&dl °i!i'c5+ 31.Whl llc6 !½'LJJPeZ.07
Um enfraquecimento fatal da oitava fileira.

64
Wilhelm Primeiro

l.e4 e5 2.li)f3 li)c6 3.fil>S a6 tempo ameaça-se 20 ... fS!.


No segundo match com Steinitz (Havana 1892) 20.~5 li)bS! 2I.lz:Jxe6 txe6!
Chigorin preferiu 3 ...lz:Jfü 4.d3 d6 5.c3 g6 6.lz:Jbd2 Abrindo a coluna f para o ataque; também é pro-
J..g7 7.lz:Jfl 0--0 8.~3 d5!, ou 8 ..ia4 d5!?, mas cedimento de livro nessa posição. A vantagem das
não 8 ... lz:Jd7- partida 25, vi). pretas cresce paulatinamente.
4.h4 lz:Jffi S.d3 d6 6.c3 g6 7.lz:Jbd2 JJ.!i!,7 8.00 22.~ &7 23.ãbfl &f7 24.f3 lz:Jc6 25.'i!Nd2
l-0 9.h3?! (atividade inapropriada nas alas, que é lif4 26.ãadl 'ilfe7 27.'ilfel Affi 28.'ilfe2
ttspondida com uma reação no centro) 9...d5! "Se 28.Acl .1i.h4 29.'i!fc3 (29.\!fe2 lz:Jd4), então
A posição é ainda mais favorável às pretas do que 29...ãxf3! 30.ãxf3 ãxO 31.~O 'iffü+ 32.@gZ
ms partidas com Steinitz citadas anteriormente: 'i!ft2+ 33.'it>hl 'i!ff3+ e mate em três lances."
odas não havia a possibilidade de deslocar direta- (Chigorin)
mente o bispo ... b7-b5. 28....ü4 29.Abl b5 30.a3 bxg4 31.bxg4 'it'gS!
IO.\!fe2 (com a ameaça mortal 32 ...ãxO! 33.ãxO 'i!fxg4+)
Contra IO..íb<c6?! bxc6 ll.lz:Jxe5 o mais simples 32.Cst>h3
é t l...lz:Jxe4, embora também sirva l l ...'i!fe8. Também é ruim 32.Acl ~4! 33 ..íb<f4 lixf4
10... bS 11.Ac2?! 34.1!6h2 lz:Jxf3 35.Whl 'i!fxg4 36.'tig2 't!ih5 e as
"Após esse lance o bispo permanece fora de jogo brancas podem abandonar.
até o fim da partida. Faria mais sentido jogar 32...li8f7! 33.ãcl
U..ib3 e somente após ...lz:Jas, Ac2. Dessa forma Ou 33.Acl &7! 34..íb<f4 ~3+! 35.'it>gZ miz+
·9Cria mais dificil às pretas ocuparem a casa d4." 36.'it>gl 'i!fxf4, vencendo. A debilidade das casas
(Vasiukov, Nikitin) pretas e o posicionamento infeliz das peças torman
11 ...d4 (ganhando espaço) 12.g4 'i!Nd6 13.lz:Jld2 a posição das pretas sem esperanças.
Se 13.lz:Jg3, então é possível 13 ...\!fcS, da mesma 33... 'i!fh6 34.'it>gl ãb7 (a ameaça é ...Ael!)
mia forçando a captura em d4. 35.ãbl
13...Ae614.cxd4
"Se 14.0--0 é possível o imediato 14...h5, ou pri-
meiramente 14.Jâad8; em ambos os casos a posi-
ção das brancas é dificil." (Chigorin)
14...lz:Jxd4 15.lz:Jxd4 'tixd4 16.lz:Jf3 t!fb4+
17.<i!?fl l!fd6 18.b3 (a vantagem já está do lado das
pretas, por exemplo: l 8.d4 Ac4 19 id3 .íb<d3
20.'ifxd3 lz:Jd7 21.dS c6 etc.) 18...cS 19.Ab2

35...ãxfJ!!
"Uma combinação de rara profundidade e bele-
za." (Steinitz) "Somente um grande mestre poderia
encontrar uma combinação assim." (Gunsberg) É
de fato espetacular!
36.'i!fxf3
"Se 36.l:!xh4, então 36 ... ãg3+! 37.'it>xg3
'i!fxh4+ 38.'it>O 'i!fh3+ 39.c;t,fl ãt7+ 40.'it>el!
19...li)d?! 'i!fg3+ 41.'it>dl ãt2 ganhando a dama." (Chigorin)
O início de uma manobra profunda, que se tor- Apesar disso, também é suficiente o simples
nou padrão: o cavalo se dirige a d4. Ao mesmo 36.ãxh4 'i!fxh4 37.'iàt'xf3 i!fh.3+ 38.'it>f2 'i!Nh2+

65
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

39.Wel 'i!Hg3+ 40.Wdl .lã.111+ 41.Wd2 mi2 ficou partidas inteiras, para demonstrar o que enten-
ganhando. dia por princípios posicionais sólidos. E acredito, há
36... 'i!Hd2+ 37.Wgl iil'l+ que se admitir que paguei um preço bastante alto
Todos atribuem a esse lance um ponto de excla- pelos experimentos, ao levá-los a cabo em uma luta
mação, embora também não seria ruim 34 ...cz:::id4!? feroz sob a pressão do tempo limitado, e também
38.~d4 ~+. sem qualquer teste prático anterior. Por isso, minhas
38.Wfl (38.'i!Hxf2 lã.xhl 39.Wg2 lã.h2+) aventuras na defesa contra o Gambito Evans custa-
38...cz:::id4! (o ultimo golpe, com o tema de peça ram-me, pelo menos, cinco das sete derrotas. 1fas
sobrecarregada) 39.Axd4 'i!Hxcl+ 40.We2 lã.xhl estou satisfeito com o fato de que mesmo assim
41.il.xtl 'i!fxbl 42.g5 'i!ffl+, e as brancas abando- consegui vencer quatro partidas e empatar uma (aqui
naram. Uma partida magnífica e completa: "a péro- também foram incluídas as partidas em ronsulta pós matclr
la do match", como foi chamada pelos comentaris- G.K), o que não é um sucesso insignificante, se for
tas. levado em conta a novidade e a dificuldade do expe-
Chigorin também venceu várias outras partidas rimento."
significativas contra Gunsberg (6ª, 20j, que também Usando exemplos do match eu gostaria de confir-
se tomaram um passo à frente no desenvolvimento mar a validade das palavras de Steinitz e sua incrivel
do xadrez. 1fas, de forma bastante estranha, o match obstinação quando jogando com as peças pretas.
terminou empatado. Ocorreu um fenômeno inco-
mum com Chigorin: no geral, jogava de forma mais
interessante, mais vívida e mais forte que seu adver- Partida 22
sário, mas seu manuseio inseguro de certos tipos de M.Chigorin-W.Steinitz
posições e seus descuidos grosseiros reduziam sua Campeonato Mundial, Havana 1889, 17a partida
superioridade criativa a nada. Gambito Evans C52
Assim era o principal rival do campeão mundial
no final da década de 1880 e início de 1890. ''É
como se estivesse em outro tÚvel em relação aos 1.e4 e5 2.~f3 ~6 3.Ac4 Ac5 4.b4 Axb4 5.c3
mestres do século XIX, uma figura especial", escre- .tas
veu Alekhine. "O talento de Chigorin é enorme, e é Um bom lance, embora não se possa dizer o
possível que seja um verdadeiro gênio. Às vezes a mesmo de 5 ...~?! 6.d4 'i!He7?! 7.0--0 d6 8.~3
profundidade de suas ideias pode ser inacessível a g6 9.dxe5 dxe5 10.~dl Ah6 11.cz:::ibd2! ~f6
meros mortais." 12.Aa3 cz:::ige7 13.AdS!, com morte agônica das
pretas no lance 41 (Chigorin-Steinitz, Viena 1882).
Sob o Sol de Havana 6.0-0 (antes de Lasker não se sabia que 6.d4! é
O primeiro match Steinitz-Chigorin (Havana mais preciso) 6...t!ff6 (6 ... d6 7.d4 Ah6! -partida 43,
1889) foi jogado em uma melhor de 20 partidas e vi) 7.d4 ~ge7
resultou numa luta extraordinária e descompromis- Uma defesa superficial, que antes dessa partida
sada: houve apenas um empate, e bastante sangren- Steinitz dizia ser "em princípio correta e saudável" e
to, na última partida. Chigorin venceu no começo e até mesmo "a melhor'', mas que por algum motivo,
estava liderando após sete partidas e então sofreu com exceção de uma única vez, nunca mais voltou a
três derrotas consecutivas. Recuperou-se com uma jogar...
vitória, mas... de novo perdeu três partidas seguidas 8.d5!
e tudo estava terminado: Steinitz venceu o match Na primeira partida, Steinitz perdeu após
por 10,5-6,5. 8.cz:::ig5?!, mas não devido à abertura. A ''única vez"
Logo após o match, o campeão mundial escreveu: mencionada no comentário anterior foi 8.~a4?!
''Este foi um match entre um velho mestre da nova il.b6 9.il.g5 'iWd6 10.~ exd4 11.cz:::ib5 lWg6
escola e um jovem mestre da velha escola. A nova 12.cxd4 a6 13.d5 ~5 14.cz:::ixe5 'i!fxg5 15.cz:::if3
escola venceu, apesar da idade de seu mestre. O ~6 16.~ 0-0 17.&cl c6 18.cz:::ibd4 c5 19.~2
jovem mestre da velha escola sacrificou peões e d6, e as pretas venceram de forma gradual
peças. O velho mestre da nova escola foi além: sacri- (Gunsberg-Steinitz, 18ª partida do match, 1890/91).

66
Wilhe/m Primeiro

8...'f)d8 9.'it'a4! com o empate no lance 71.


É menos exato 9.~51!fd6 10.1!fa4, mas o cam- Essa foi a última partida do match.
peão mundial só conseguiu demonstrar isso após Estatísticas imparciais demonstram que a vitória de
duas derrotas: Steinitz no match foi assegurada pela sua enorme
1) 10...1i.b6?! 11.~ lig6 12.ii.xe7 WX.e7 vantagem ao jogar com as brancas (+7-1 ), consegui-
13.~xe51!ffü 14.~f.3 lixc3 15.e5 c6 16.d6+ 'i!tf8 da com a ajuda do rigoroso 1.~t3 (epístola a
17.1i.h3! h6 18.'i!fh4 g5 19.twh5 'it'd3 20.&dl! (Jª Kramnik!), em geral seguido de 1... d5 2.d4 /Lg4
partida); 3.~5 /Lb5 4.Wfd3 l!fc8 5.c4 (? partida), 3.c4!
2) 10...b6?! 11.~ a6 12.i.d3! ii.xc3 13.&bl! /Lxt3?! 4.gxt3 (4ª e 6ª partidas), 3... ~c6 4.e3 e5
/Lb7 (13 ...Wfg6 14.Ji.xe7 WX.e7 15.Wfc4) 14.~ 5.'i!fb3! 1Lxf3 6.gxt3 (10" e 14" partidas) e 4...e6
l!fc5 (14 ... Wfg6 15.Ji.xe7 WX.e7 16.Wfa3+) 15~e3 5.~ /Lb4 6.1Ld2 ~e7 7.W .i.f5 8./LxfS
etc (11 ª partida); lZ:lxfS 9.cxd5 exd5 10.'ii'bJ /Lxc3 ll.ii.xc3 l:!b8
3) 10... f6! (o caminho correto) 11.iLcl 1Lb6 12.0-0 0-0 13.ãacl (12ª partida). A teoria da ori-
12.~ c6 13.1i.b3 (13.!&11,!?) 13 ...1Lc5 com jogo ginal Defesa Cbigorin (cf. partida 31, v1) dava seus
pouco claro: contra 14.!&ll há 14... b5 15.Wfa5 primeiros e tímidos passos...
lZ:lb7 16.l!:i'a6 ~8 com igualdade (13ª partida). No
entanto, as pretas recusaram a repetição de lances e...
perderam outra vez!
9... /Lb6 10./LgS lid6 ll.~a3 c6 (l l...f6?
12.~b5) 12.!iadl 1Wb8 (12 ... f6 13.dxc6 1!fxc6
14.~b5!) 13./Lxe7 WX.e7 14.d6+ 'i!?f8 15.'i!fb4!
Na 15ª partida foi jogado 15.~e5?! contra o
qual era possível 15 .../Lc5. Agora as brancas tem
excelente compensação pelo peão e mais, Chigorin
está em seu elemento!
15... f6 16./Lb3 g6 17.~c4 Wg7 18.a4 ~f7
19.~xb6 axb6 20./Lxf7! WX.f7

Isidor Gunsberg
Outro merecido candidato à coroa mundial
naquela época foi o mestre anglo-húngaro Isidor
Gunsberg (1854-1930), vencedor dos torneios em
Hamburgo 1885 e Bradford 1888. Após empatar
com Cbigorin em um match crucial (Havana 1890),
enviou um desafio a Steinitz. Onze meses depois se
encontraram em um match pelo campeonato mun-
dial (Nova Iorque 1890/91). Jogaram uma melhor
de 20 partidas, e uma vez mais o campeão manteve
21.~xe5+! (um golpe brilhante!) 21 ... Wg"! o titulo, ao vencer por 10,5-8,5. O desafiante não
Após 21...fxe5 é decisivo 22.f4! com a abertura ameaçou seriamente o trono, mas mostrou-se um
&tal da coluna f jogador posicional bastante sólido: conforme
22.~c4 b5 23.axb5 Wfa7 24.b6 1!fa4 25.WfcS Tarrasch escreveu posteriormente, "Gunsberg foi o
&8 26.t3, e com o bispo preso em c8 Chigorin primeiro adversário de Steinitz a lutar contra ele
deveria vencer com facilidade, mas quase perdeu com suas próprias armas".
(que salto de nível na qualidade do jogo!), e ao final Um ano antes em Nova Iorque o primeiro volu-
os adversários, "cansados pelo sol", concordaram me do famoso guia de aberturas de Steinitz The

67
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

Modern Chm Instructor fora publicado, o qual incluía Uma manobra sutil: o bispo abre lugar para o
wn artigo temático ''.A escola moderna e suas ten- cavalo.
dências" (extratos de seu manual foram publicados 12...1'.c7
regularmente em revistas russas de xadrez). No Ou 12 ...ii.cS 13.<tlc4 l!ff8 14 ..ib<d8 Wxd8
Instmctor afirmou-se que a melhor defesa contra o (14 ... b5 15.'i!i'aS bxc4 16.dxc6) 15.<tifxeS f6
Gambito Evans depois de l.e4 e5 2.<tlf3 êzJc6 16.dxc6! etc.
3.1'.c4 ii.c5 4.b4 .ib<b4 5.c3 Aa5 6.0-0 é 6...l!ff6 13.<tic4 'i!i'f8
7.d4 <tih6?!, e que a melhor retirada na Defesa dos Típico de Steinitz. No entanto também é ruim
Dois Cavalos após l.e4 e5 2.<tlf3 êzJc6 3.1'.c4 <tlf6 13 ...'i!i'cs 14.d6! 1'.b8 (14 ....ib<d6 15.1'.e3) 15.ii.e3
4.<tlg5 d5 5.exd5 ~ 6.ii.1>5+ c6 7.dxc6 bxc6 'i!i'b5 16.'i!i'c2 ameaçando <tlb6, assim como
8.1'.e2 h6 é 9.~!? A propósito, três quartos de 13 ...'i!i'g6 14..ib<d8 .ib<d8 15.<tifxeS 'i!i'f6 16.'i!i'a3
século mais tarde Fischer concordou com esta últi- ii.e7 17.d6
ma afirmação. Mas essa forma de jogo indignou
Chigorin, que convidou Steinitz a jogar wn mini-
match de duas partidas por telégrafo com essas
variantes de abertura (com wn controle de tempo de
três dias por lance e wn intervalo durante a partida
para o match pelo título mundial com Gunsberg).
Steinitz, como sempre, aceitou o desafio, mas
tudo terminou de forma triste para ele: inicialmente
rumores (provavelmente falsos) de que a polícia de
Nova Iorque, ao saber da transmissão telegráfica
com códigos suspeitos, o prendera como wn espião
russo. E em segundo lugar, Chigorin venceu ambas
as partidas de forma brilhante! Veja que derrota
esmagadora ele infligiu ao campeão mundial no 14.d6! (e isso é típico de Chigorin!) 14...1'.xd6
Gambito Evans. No caso de 14...i.l,8 15.1'.e7 ou 14... bS 15.dxc7
<tlb7 16.'i!i'b3 as pretas desmoronam de forma rápi-
da (16 ... <tic5 17.lWM bxc4 l8.'i!i'b8!).
Partida 23 15.<tlb6 .lãb8 16.1Wxa7 li:)e6
M.Chigorin-W.Steinitz É peculiar que o campeão também ousasse tentar
Match por telégrafo 1890/91, 1ª partida essa variante no seu match com Gunsberg. Quando
Gambito Evans C52 na 12ª partida utilizou o Gambito Evans pela pri-
meira vez, antes de jogar 6...1Wf6?! de forma inespe-
rada perguntou: "O senhor pensa que sou obrigado
1.e4 e5 2.li:)f3 tzk6 3.1'.c4 Ac5 4.b41'.xb4 5.c3 moralmente a mesma defesa que joguei contra
.h5 6.0-0 'i!ff6?! (6 ... d6!) 7.d4 <tlb6 Chigorin?" Gunsberg respondeu: "Obrigado não,
No match de 1889 Steinitz tentou sustentar mas a sociedade espera que o senhor defenda a sua
7... <tlge7 (.partida 22, v1) e contra Gunsberg 7... h6, teoria!"
mas não voltou a repetir novamente essas experiên- De forma lamentável, após l6 ... <tlg4 17.<tih4!
cias. êi::le6 18.1'.xg4 <tlxg5 19.<tlf5 <tle6 20..lãfdl! ii.c7
8.ii.g5 'i!fd6 21.<tia8! ~a8 22.l!fxa8 'it>d8 23 ..lãxd7+! Wxd7
Contra 8.. JWg6 9.d5 <tlb8 10.1'.xh6 l!fxh6 24 ..lãdl + as pretas perderam de forma vergonhosa.
11.<tlxeS 0-0 12.d6 êzJc6, Vasiukov e Ni.kitin reco- A continuação 16 ... <tle6 parece ser wn pouco mais
mendam 13.<tlg4! 'i!fg6 14Jàel com iniciativa. sólida, mas. .. não para uma partida com o controle
9.d5 li:)d8 10.'iWa4 1'.b6 11.~ c6 (11...0-0 de "três dias por lance".
12.1'.d3! 'i!i'g6 13.<tic4 etc) 12.1'.e2!

68
Wilhelm Primeiro

como uma prova final contra a aplicação de minhas


teorias nas duas posições disputadas, e menos ainda
como prova contra as doutrinas da escola moder-
na... As táticas do mestre russo parecem mostrar
uma conversão para as ideias novas, ou pelo menos
que os princípios modernos imprimiram o seu esti-
lo, assim como na maioria dos jogadores da nova
geração. Lances como o seu décimo segundo, déci-
mo sétimo e décimo oitavo no Gambito Evans tra-
zem a distinta marca registrada da escola moderna...
Foi uma luta lenta e um combate corpo a corpo por
posição, na qual o mestre russo ganhou espaço pelos
princípios mais consagrados da estratégia moderna
17.Act! no xadrez."
''Estupendo. Esse lance, assim como o 1'Z' e o 14º Mas o próprio Mikhail Ivanovich não considerava
lances das brancas, leva a marca do gênio." (Steioitz) que pertencesse nem à escola velha nem à nova, ao
l 7...it}g8 18.hJ (ameaçando 'i!fxb8) 18... c5 explicar que "os gênios Morphy e Anderssen não
19.ãadl lt)ffi precisavam de qualquer entendimento abstrato," e
Contra 19...Ac7 Chigorinpreparou20.Ab5 lt)f6 que ele próprio com frequencia "era guiado não por
21.êz::ld5 Ad6 22.êz::lh4! êz::lxd5 23 .I!xd5 Ac7 entendimentos teóricos abstratos sobre força com-
24.-tlf5 g6 25.!!fdl gxf5 26.I!xd7 Axd7 27.I:Ixd7 parativa das peças etc, mas somente por fatos que
!fh.6 28.Axc5! êz::lxc5 29.'i!fxc5 'i!fcl + 30.I:Idl pareciam corretos após uma detalhada e, se possível,
matei precisa análise. Cada lance que faço é uma conclusão
20.Ac4Ac7 factível de um número de variantes, na análise das
Não salva 20 ... êz::lxe4 21.êz::lxc8 I!xc8 22.'i!fxb7 quais 'princípios de jogo' teóricos podem ter apenas
&6 23.êz::lxe5 nem 20 ...'i!fe7 21.Axe6 fxe6 significado limitado." Não obstante, Chigorin tinha
22.-tlc4 Ac7 23.Axc5 êz::ld6+. um profundo respeito por Steioitz, o que fica evi-
2V~)d5! Ad6 22.lt)h4! êz::lxd5 23.~fS! g6 dente na carta enviada ao seu adversário logo após o
l4.~xd6+ 'i!fxd6 25.Axd5 'i!fc7 26.Axe6 txe6 match por telégrafo: "Verdadeiros amigos do xadrez
27.Axc5 ãa8 28.'i!fxa8 'i!fxc5 29.'ilfa4 Wd8 devem ser gratos ao senhor pelo interesse que cons-
30.ãd2 @c7 31.ãbl! tantemente desperta com suas inovações e a sua
As brancas convertem com precisão a qualidade a aversão ao jogo estereotipado. Como é de seu
mais. conhecimento, não compartilho por completo da
31 ...ãd8 (3 l...d6 32.!!b4!) 32.ãb5! 't!fc6 sua teoria e princípios, o que no entanto, não me
33.'i!fb4 d6 34.a4! l!fe8 (34 ...Ad7 35.I!xd6!) impede de apreciá-los."
35.ãb6 'i!fts 36.'i!fa5 d5 (36...<itt>8 37.c4) 37.exd5 A batalha telegráfica provocou um aumento sem
~ 38.d6, e as pretas abandonaram. precedentes na popularidade do xadrez em muitos
países. Novamente a questão de quem era o melhor
E a segunda partida se tornou em resumo uma jogador do mundo vinha à tona. A Sociedade de
das mais marcantes na história do xadrez: Chigorin Xadrez de São Petersburgo e o Oube de Xadrez de
jogou com as peças pretas e com a mesma consis- Havana fizeram ofertas simultâneas para organizar
tência inexorável, desenvolveu um ataque terrível ao um novo match Steioitz-Chigorin pelo campeonato
rei e concluiu a questão com um inesperado e espe- mundial. A escolha do local foi dada ao campeão,
tlleular sacrificio de dama. '½.s partidas no match que escolheu Havana.
por telégrafo causaram-me uma impressão muito O match começou em 1º de janeiro de 1892 no
forte", lembrou muitos anos mais tarde o segundo prédio luxuoso do clube 'Centro .Arturiano'. Nesta
campeão mundial Lasker. "Esmagar Steioitz de tal ocasião o campeão seria o primeiro a ganhar 1Opar-
maneirai Isto parecia inacreditável!". tidas, e no caso de 9-9, mais três. A bolsa ($2.000) e
Ao admitir o merecimento da vitória do adversá- o controle de tempo dobraram a "fonte original"
rio, Steioitz escreveu: "Não aceito minha derrota Steioitz-Zukertort. O campeão, agora com quase 56

69
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

anos de idade, anunciou que este possivelmente seria 17.&xdl 0-0 18.:sd7 ou 15 ...il.c7 16.exd6 il.xd6
seu último match... Na primeira partida o desafiante 17.~xd6+ l!t'xd6 18 ..i:l.a3 e :ê:el.
jogou, como de costume, 1.e4, e o mundo viu outra 16.~6+ 'iÍ]f8 17..i:l.83 ~8 18.~bl! ~hf5?!
"parada do Capitão Evans"! Se 18...lz:::ic8, então 19.a5! ~d6 20.exd6 il.xa5
21.~5 'i!fc8 22.d7 ii'c7 23.'i!fh5 il.b6 24.lãfel
ganhando, mas 18 ...ãb8 era mais tenaz.
Partida 24
M.Cbigorin-W.Steinitz
Campeonato Mundial, Havana 1892, 1ª partida
Gambito Evans C52

1.e4 e5 2.~t3 êzJc6 3.il.c4 il.c5 4.b4 il.xb4 5.c3


h5 6.0-0 (6.d4!) 6... d6 (chega de 6... 'i!ff6?!) 7.d4
il.g4
É melhor o lance de Lasker 7 .. .il.b6! (partida 43,
v1), mas 7 ...il.d7 8.l!fb3 'i!ff6 9.dxe5 dxe5 10.:sdl
h6 também é mais ou menos seguro (Jª e 9ª parti-
das). Os dois jogadores também tentaram 7 ... exd4
8.cxd4 il.b6 9.~c3 ~ 10.~5 f6 11.M4 ~xc4
12.'%!fa4+ '%!fd7 13.ii'xc4 ii'fl 14.làl.5! com um 19.~17! (muito mais ousado que o óbvio 19.a5;
ataque perigoso (Londres 1883) e 8... ~f6 9.e5 dxe5 o sacrificio de cavalo a seguir foi publicado em todo
10.~ ~6 11.il.h5 ii'd5 12.ii'a4 com iniciativa o mundo) 19...'~xt7 20.e6+ 'i!txe6 21.~ 'i!fc8
(Hastings 1895; São Petersburgo 1895/96). Ou 21...ii'e8 22.lãel Wf6 23.il.xe7+! etc.
8.il.b5 exd4 9.cxd4 il.d7 10.il.b2 22.&1 '.t>f6 23.'i!fh5! g6 (23 ...~g6 24.g4!)
24.Axe7+ 'i!txe7
É claro que não 24 ... ~xe7? 25.'i!fh4+ g5
26.~g4+ Wf7 27.'%!fxg5.
25.~g6+ '.t>f6 26.~xh8 il.xd4
É igualmente triste 26 ... ii'xh8 27.!!e5 'i!fc8
28.g4 ou 26 ... 'i!fd7 27.!Th3! ~h8 28.lãt3 .l:!g8
29.~e5 ~g5 30.'ffii6+ É!g6 31.lãexf5+ 'i!fxf5
32.'i!ff8+
27.!!b3 'i!fd7 28.ãt3 I!xh8 29.g4 lãg8 30.'i!fh6+
:ê:g6 31.2'!xf5+, e em vista de 31...'i!fxB 32.'i!ff8+,
as pretas abandonaram.

Outra vez uma derrota horrível... Felizmente para


o campeão, depois disso respirou um pouco através
de dois empates e para a quarta partida já tinha
10... ~ce7? recomposto completamente seu equihbrio mental.
A que preço Steinitz chegou à verdade enxadristi- Naquele dia o mundo do xadrez finalmente viu o
ca! Naturalmente o correto é 10.. .'~)f6! 11.~a3 e
verdadeiro Steinitzl
aqui não 11...0-0 12.d5 ~7 ou 12... ~b8 que deu
De acordo com seu ensinamento, um ataque na
o empate às pretas nas 3ª e 5ª partidas, mas
ala deve ser defendido com um contra ataque no
ll...~xe4! 12.d5 ~e7 13.ii'a4 il.c3! 14.&bl
centro, e isso só pode ter êxito com um centro
il.xb2 15.lãxb2 ~5 com vantagem material decisi-
fechado ou bem apoiado. Foi o que Steinitz
va (13ª partida).
ll.il.xd7+ °ifxd7 12.~a3 ~h6 13.~c4 il.b6 demonstrou na partida seguinte, cuja grande pro-
14.a4! c6 (14 ... a6 15.l!fb3!; 14.a5 15.~b6 cxb6 fundidade reside não só no belo ataque de arremate,
16.~3 ~c8 17.d5) 15.e5! d5 mas de onde surgiu esse ataque, a sua fonte. Foi aqui
Não é melhor 15 ... dxe5 16.dxe5! l\Vxdl que se revelou a diferença na compreensão de posi-

70
Wllhelm Primeiro

ção entre os adversários. É claro, Chigorin era mais sugerido 8 ... a6, por exemplo: 9.li:le3 b5 10.~3
"avançado" que Zukertort, e jogava xadrez numa ~ 1l.~2 d5, com igualdade (Euwe) ou 9.lZ)g:3
escala mais ampla, mas nem mesmo ele podia com- b5 10.~3 d5 11.1/Be2 ~8 12.0-0 ~7, com igual-
petir com Steinitz em jogo posicional! É uma parti- dade (Keres). Em resumo, as brancas não tem nada
da incrível, inexplicável para o século XIX: Steinitz em particular e chegam mesmo a até estar um pouco
parecia manobrar nas três primeiras fileiras, mas por atrás no desenvolvimento. Por outro lado, há ouao-
toda parte as coisas saíam mal para as pretas. Numa ças na posição que causam certo desconforto a
posição tranquila e semifecbada seus problemas Chigorin: ele não tem como iniciar uma batalha táti-
cresciam como uma bola de neve. .. ca concreta. E Steinitz de forma sutil explora esse
fator!
9.~lZ\cs
Partida 25 ''Recomendaram 9 ... f5, e se 10.b4, então 10... f4
W.Steinitz-M.Chigorin 11.lud.5 g5, com jogo complicado. Entretanto, após
Campeonato Mundial, Havana 1892, 4ª partida 10.exfS gxf5 11.00, as chances estão do lado das
~Lopez as brancas." (Neishtadt)
10.~c2~
Mas não o imediato 1O••• f5 devido a l 1.exf5 gxf5
1.e4 e5 2.l2:if3 l2:ic6 3.~b5 l2:ifti 4.d3 (sem apre- 12.d4!. Mas agora parece dificil para as brancas
tensão de vantagem na abertura) 4...d6 S.c3 g6 fazerem algo ativo, ao passo que as pretas projetam
No match Steinitz-Lasker (Nova Iorque, 2" parti- ...f7-f5 ou talvez ...li:le7 e ...d6-d5.
da, 1894) seguiu-se com 5 ...~7 6.Ji.a4 g6 7.l2:lbd2
~7 8.l2:lc4 0--0 9.~3 ~7 10.~3 c6, e após
II.h4! WBc7 12.~5 d5 13.0 &d8 (13 ... h6!?)
14.g4! dxe4 15.fxe4 h6?! 16.l!IO! ~8 17.~c2
làl7 18.l2:lh3 l2:lc5 19.l2:lt2 b5 20.g5 h5 21.li:lf5!
gxf5?! (21...li:le6) 22.exf5 f6 23.g6 li:lxg6 24.fxg6
~g6 25ligl e4? (25 ...~d3! Chigorin) 26.dxe4
Citb7 27.lâxg6! 'i!?xg6 28.'i!if5+ Wf7 29.'iixh5+
<;tig8 30.l!fxc5 as brancas venceram em seguida.
Outra vitória excelente!
6.li:lbd2 Ag1 1.lZ\n o-o s.Aa4
Preservando o bispo (ao contrário de Anderssen
-partida 13, v1). Na 2"partidaocorreu 8.~3 d5!, e
as brancas tiveram que jogar o desajeitado 9.l!fc2. E
contra 8.l!fe2 Steinitz demonstrou que as pretas 11.b4!
conseguem um jogo excelente através de 8 ...~7 ''De uma forma geral, não sou perigoso em parti-
9.Ji.a4?! ~d4! 10.cxd4 ~a4 ll.dxe5 dxe5 cular no começo da partida, mas nesse caso notei
12.li:lxe5 ~5. um ponto débil na ala do rei do adversário e não
8...l2Jd7?! fiquei chupando o dedo: apesar de minha idade
Um momento importante da abertura: as pretas avançada, ainda posso morder." (Steinitz)
estão em uma encruzilhada. ''Ao levar meu cavalo Penso que esse lance chocou Chigorin: com base em
via c5 para e6, estava procurando impedir d3-d4 no que as brancas iniciam um ataque?! Steinitz deve ser
futuro imediato, e também o plano (impossível) com punido, mas como? E Mikhail Ivanovich decidiu
... f7-f5." (Chigorin) Totalmente no espírito da nova responder (conforme os ensinamentos clássicos)
escola! Embora seja mais simples 8 ...d5!? 9.'t!fe2 (é com um contragolpe central, embora no caso se
desfavorável 9.~c6 bxc6 10.li:lxe5 l!fe8 l l.f4 prove ser um golpe no ar, pois o centro das brancas
dxe4 etc) 9 ...l!fd6 10.~2 b6 (10...~e6!?) 11.ti)g3 está bem fortalecido.
~6 12.0-0 dxe4 13.li:lxe4 ~e4 14.1/Bxe4 ~b7
11 ... ~7
com igualdade, como na 14ª partida. Também foi
É duvidoso ll...h6?! 13.~f5 e d3-d4, com van-
tagem. "Só posso lamentar que eu próprio não

71
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

tenha 'mordido', a continuar com 11...f5. As conse-


quências desse ataque são difíceis de se precer. Eis as
mais próximas: 12.h5 f4 13.~d5 g5 14.h6 M6
15 ..i1l.b3 <;tih8, ou 12.exf5 gxf5 13.~d5 ~e7
14.~xe7+ 'i!ixe7 15.~g5 h6 (15 ... 'i!Ye8!?)."
(Chigorin)
''Realmente l 1. .. f5 era arriscado, para dizer o
mínimo: após 12.exf5 gxf5 as brancas podem jogar
13.d4! com excelentes perspectivas de ataque."
(Neishtadt) As análises demonstram a correção
dessa avaliação.
12.h5 d5 (mas não 12... g5?! 13.h6!) 13.bxg6
fxg6?
Um erro sério, provavelmente o decisivo: o bispo 20.'i!ffl! (preparando o temático d3-d4, após o
da Ruy Lopez em c2 de súbito ganha vida.
que o ataque aio rei se tomará irresistível) 20...a5
Evidentemente é correto 13 ...hxg6 (para o centro!),
''Um golpe no vazio, que demonstra a confusão
como Chigorin queria jogar inicialmente. Nesse
das pretas. Seria melhor 20 ...lli5 e ... ~". (Euwe)
caso, conforme suas palavras, "as pretas teriam
Mas na minha opinião, após 21. Wb 1 as brancas tem
sucesso em posicionar seu rei em segurança:
14.exd5 ~d5 15.~xd5 'i!Yxd5 16.~6 .i:l.Xh6 vantagem significativa.
17.~xh6 Wg7 18.'i!fd2 ~f4." Na verdade, é muito Tanto Steinitz quanto Chigorin pensaram que
mais forte 14.'i!Ye2!, seguido de .i1l.d2 e 0-0-0 com fosse mais lógico 20...~f4, entretanto contra esse
iniciativa. Entretanto, essa é uma posição muito lance, as brancas tem uma escolha agradável entre
aguda e ainda muito longe de uma avaliação de 21.~g5 21...h6 22.lz}f?+ Wh7 23.d4! 'i!ixg2
"grande vantagem das brancas" (a luta poderia se 24.'i!Yxg2 ~xg2 25 ..i:l.Xh6! (Ravinsky), ou o imedia-
desenvolver de acordo com a partida com Lasker, to 21.d4! li.g4 (21...exd4 22J:!xd4!) 22.~g5 h6
citada nos comentários do quinto lance das pretas). 23.0 (Neishtadt)
14.exd5! ~xd5 15.~d5 'i!Yxd5 16..i1l.b3 'i!Yc6 21.d4! exd4 (forçado em vista da ameaça d4-d5)
17.'i!Ne2 22.~xd4 .i1l.xd4
Evitando ... e5-e4. De forma gradual começam a Naturalmente a troca desse bispo parece suicídio.
se fazer sentir fatores de longo prazo, que Chigorin Mas seria pior ainda 22 ... ~xd4? devido a
ainda desconhecia. Resulta que os defeitos crônicos 23.l:1xh7+! WXh7 24.'i!fhl +; também é feio
da posição preta (em particular a debilidade do rei) 22 ...'i!Ya6 23 ..i1l.c4 'i!Ya8 24.00 ganhando. Como o
não podem mais ser eliminados. menor dos males, Neishtadt recomendou 22 ...'i/9e4
17... .i1l.d7 23 ..i1l.c2 'i!Yg4 24.0 'i!Yg3 25.~f5! (25.~2 'i!Ye5)
Chigorin lamentou depois que não tivesse jogado 25 ... gxf5 26.~xd7. Entretanto é melhor
17... a5, apresentando a seguinte variante: 18.a4! 24 ...~xd4! 25.~d4 'i!fe6, e por isso ao meu ver é
(18.~6 .i:l.Xh6 19.l:1xh6 a4) 18 ...~6 correto 22.~O! 'i!fc6 24.'i!9d3 ganhando.
19 ..i:l.Xe6+(?) .i:l.Xe6 20.~g5 .i:l.f5 21.~h7ruas. 23.ãxd4! (o ponto culminante da estratégia pro-
Entretanto, Neishtadt recomenda 19.'i!fc2 e li.e3, e
funda das brancas) 23... ~xd4?
eu 19.li.c4! com vantagem óbvia.
Catástrofe! "O lance 23 ... ãe7 teria evitado o
18.~e3 (não havia sentido jogar 18.~xe5?
sacrifício da torre, mas não vi como escapar após
'i!Yxg2 19.~xd7 'i!Yxhl+ 20.Wd2 Wh8 21..i1l.xe6
24.lâdh4. Se 24...l:1ff7 então 25.g3 ameaçando
'i!Yh2 22.~xf8 l:1xf8 com igualdade) 18...Wh8
Steinitz sugeriu l 8 ...l:1f7 19.0-0-0 li.h8, mas 26..i:l.d4+ Wg8 27.'i/9d3 e 28.'i/9g6, contra o qual
após 20.d4 a posição das pretas é inviável. não há defesa." (Chigorin) Talvez fosse mais tenaz
19.0-0-0 (penso que o grande roque tardio tam- 25 ...Wg8 26.'i!9d3 'i!9b5, embora de forma objetiva
bém tenha chocado Chigorin: nada mal para uma não reste esperança para a posição das pretas.
Ruy Lopez!) 19...llae8

72
Wilhelm Primeiro

foi mal jogada de forma assombrosa pelo desafian-


te, que rapidamente chegou a um final dificil. :Mas
então, no entanto, ocorreram alguns verdadeiros
milagres.

Partida 26
M.Chigorin-W.Steinitz
:Match de Campeonato Mundial - Havana 1892
23ª partida

24.ãxb7+!
Um arremate espetacular! Sem levar em conta o
normal 3 .~5 e o avanço h4-h5xg6, essa é a pri-
meira vez que as brancas ultrapassam a linha demar-
catória. E com o mate em seguida!
24...'i.t>xb7 25.ti'bl+ ~g! 26.i1.b6+ ©f6
27.l!i'h4+ ~eS 28.'i!Vxd4+, e um lance antes do
mate as pretas abandonaram.

Uma partida muito profunda, a demonstrar que a


superioridade de Steinitz sobre seus contemporâ-
neos era a sua compreensão global do xadrez. Aqui
superou seu adversário de forma simples e imper- 22... b4?
ceptível, sem mover além da terceira fileira. E este O despretensioso 22 ...lz:lxg3 mantém a vanta-
não era um adversário comum, mas um dos mais gem: 23.~g3 (contra 23.bxg3 lãe5 24.~ há a
notáveis jogadores daquela época, um verdadeiro manobra 24 ...ãb5!, e o peão não pode ser apoiado:
rival pelo titulo supremo. 1-fas não pode fazer nada! após 25.b3 ãxc3 a posição das brancas é dificil)
Steinitz literalmente previu o futuro: seu plano furti- 23 ...ãe2 24.2:ID h4+ 25.Wf.3 ii.hS+ 26.g4 hg4+
vo com d2-d3, c2-c3, OO-fl-e3 e .i.c2 tomou- 27.<tlgZ ãce8 etc.
se o protótipo do jogo de manobras moderno... 23.J1.d6 lud4?
Essa derrota dolorosa desanimou um tanto Uma decisão muito estranha! As pretas de repen-
Oiigorin: após respirar com um empate, também te entregam uma peça, ao invés de jogarem
perdeu a sexta partida. E então se inspirou e de 23 ...ãcd8 (é interessante 23 ...&6!?) 24.I!fdl
forma retumbante anunciou sua reivindicação ao (24.&dl <tlcl!) 24 ...ii.hS, por exemplo: 25.lili.3
trono, vencendo uma série de partidas e mantendo a (25.ãd2 ~f4!) 25 ...h3 26.gxh3 (26.g3 ~gl!)
liderança por um bom tempo: 5-3, 7-6... Na 18ª par- 26 ... 5 27.ãd2 (27..i.c:7!?) 27... f4 com contrajogo.
tida Steinitz conseguiu igualar o placar, mas em 24.cxd4 ãc2+ 25.@gl ~2 26.llael!
seguida novamente Chigorin passou à frente: 8-7. Eis o que Steinitz não viu!
:Mas a essa altura, como confessou, não conseguiu 26.. l!xg2+ 27.Wbl ©g7 28.I!e8
mais suportar o calor tropical opressivo e enfraque- ':i\ continuação 28.lãe7 ãgt2 29.l'.!x12 I!x12
ceu seu jogo de forma clara. Seu adversário mais 30.l'.!xb7 h6 31.'iÍtgl levaria à vitória com mais segu-
idoso mostrou-se mais resistente - talvez por visitar rança", escreve Chigorin, sem notar o simples
Cuba com mais frequência. Chigorin perdeu a 20" e 28 ...ãxg5 !. Entretanto 28 .J1.e5+ !? conservaria
a '2Z' partidas, mas ainda assim acalentava esperan- todas as chances de vitória: 28 ...@ffl 29.lãgl (ou
ças de vencer o match. .. 29.~O, mas não a variante de Steinitz 29.d5? I!xg5
A abertura da 23ª partida - um Gambito do Rei - 30.d6?? devido a 30 ...ãcl!!) 29...ãgd2 30.d5!

73
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

:Sxd5 31.i.tlxh7+! ou 29 ...:Sgf2 30.i.tlxh7+! Wg8 dial. "É pouco provável que esqueçamos aquele
3 l .i.tlf6+ ~ 32.d5 ganhando, "e o peão branco momento decisivo," escreveu a imprensa cubana.
marcha para a promoção enquanto o rei e o bispo ''1.-fais de mil pessoas estavam presentes à 23ª parti-
pretos não podem se mover." (V: Lebedev) da, e todos falavam sobre o jogo brilhante de
28... f5 (é claro que não 28.J!xg5?? 29.~ Wg8 Chigorin. A resignação de Steinitz era esperada a
30.~6 mate) 29.i.tle6+?! qualquer momento. De súbito, houve uma comoção
Apuro de tempo! Seria mais fácil 29.!:te7+, por extraordinária: os espectadores se levantaram, e
exemplo: 29 ...Wh6 (29 ... Wfü?? 30.i.tle4 mate) todos viram como o mestre russo, nervoso, com a
30.M4!? (a máquina faz esse lance ao invés do nor- expressão alterada, segurava sua cabeça com as
mal 30.i.tle6 :Sxb2 31.M4+ Wh.5 32.h3 ameaçando mãos: havia movido o bispo que o defendia contra
i.tlg7 mate) 30...Wh5 31.itlxh7 ~h7 32.~h7+ o mate. 'Que pena!', repetiram centenas de vozes.
Wg6 33.ãxb7 :Sxb2 34.ãxa7 :Sxa2 35.ãxa2 ~a2 Que final frustrante e terrível para um match mara-
36.d5 ganhando, ou 29...Wg8 30.i.tle6 f4 31.i.tlxf4 vilhoso pelo campeonato mundial! Chigorin pode se
:Sxh2+ 32.Wgl h3 (32 ....l:!xb2 33.~e5! li..f7 sentir orgulhoso: nunca Steinitz esteve tão próximo
34.E!d7 ganhando) 33.filel! (mas não 33.~e5 da derrota como agora."
lãhl+ 34.WXhl ~4+) 33 ....l:!xb2 34 ..l:&17 iJ.f7 E foi de fato um match tremendamente dramáti-
35.~e5 ~a2 36.M6, construindo uma rede de co, um embate feroz entre o artista e o dentista.
mate. Provavelmente Chigorin tenha jogado de forma
29 ... 'it>f6 30.lãe7 :Sge2! (mais tenaz que mais vistosa, mas Steinitiz jogou de forma mais cor-
30.Jâxb2 31 êz:Jc5 ãxh2+ 32.~h2 'it>xe7 33 .d5 reta. O próprio campeão mundial chamou sua vitó-
ganhando) 31.d5 :Scd2 ria de "uma vitória de Pirro" e admitiu: ''Permanece
o fato de não conseguir competir com o mestre
E aqui Chigorin não anotou o lance secreto,
embora o árbitro já tivesse preparado o envelope russo com o mesmo sucesso com o qual lutei com
os outros grandes mestres, inclusive Zukertort."
(devo lembrar que o controle de tempo era de duas
Apesar disso, a vitória de Steinitz foi justa. Se era
horas para trinta lances, após o que a partida era sus-
até certo ponto um dogmático posicional, um joga-
pensa.
dor de regras estritas, então por sua vez Chigorin era
32.il.b4?? (realmente a "besteira do século'')
um dogmático tático, um apaixonado por aventuras
33.. Jlxh2+, e em vista de 33.Wgl :sdg2 mate, as
(neste sentido foi sucedido por Alekhine, mas já em
brancas abandonaram. Por outro lado, após o gélido
outro ciclo do desenvolvimento do jogo). A teoria
32.E!xb7 materiam todas as chances de vitória!
de Steinitz era mais sólida e bem fundada, vez que
"Contra 32...ãxe6 (32 ...~xd5? 33.tzJf4) seguiria
englobava mais tipos de posições. Steinitz derrotara
33.dxe6 ãxd6 34.e7 ~8 35Jlcl." (Chigorin) Chigorin, em particular graças ao seu maior alcance
Neishtadt acrescenta as variantes 32 ... f4 33 ..l:!xf4+ visual. Nas "suas" posições - com a iniciativa, com
.1i.f5 34.fill :Sxd5 35.i.tlg7! E!xd6 36.i.tlxf5 ganhan- ataque, Mikhail Ivanovich era invencível, mas em
do e 32 ... h3 33.M4 !:tf2 34.ii.g5+ (34.:sbl :Sxd5 posições "estranhas", onde os caminhos corretos
35Jâel :sg2 36.ii.g3) 34 ...'it>e5 35.:Sel+ .lâde2 deveriam ser tateados com paciência, cometia erros
36,gxe2+ :Sxe2 37.Wgl; aqui, é verdade, e era inferior. E de uma maneira geral sempre lhe
37 ...:Sg2+ 38.Wfl Wxd5 39.~f4+ Wc6 40.~xa7 faltou alguma coisa...
E!:xg5 prolonga a luta, por isso é mais preciso
34.E!:bl! ãxd5 35.&l (ameaçando ilg5) 35...~g2 Paixões ao redor do Monte Olimpo
36.ii.g3! ganhando. Steinitz considerou 32 ...~5!? Após outra coroação de Seinitz, o mundo do
(ameaçando~+) 33.:sb3 iJ.f7 contra o qual há a xadrez se fazia a eterna pergunta: quem seria o pró-
opção entre 34.~8 e 34.~f4! !!xh2+ 35.Wgl ximo adversário do campeão? Ou de forma mais
ganhando. Na minha opinião, também é vencedor precisa, dado o avanço de sua idade, quem seria o
33.!!g7!? :Sxe6 (33 ...~xd5? 34.~f4) 34.dxe6 próximo rei do xadrez?
Wxg7 35.~5+ 'it>g8 36.~B h3 37.Wgl ~g2+ O desafiante mais provável parecia ser o campeão
38.'it>fl ii.g6 39.e7 iJ.f7 40.b4 lãg6 41.il.d4. alemão Dr. Sieghert Tarrasch, de 30 anos, que
Dessa forma o placar ficou em +10 -8 =5 a favor vencera os importantes torneios em Breslau (1889),
de Steinitz, que manteve o título de campeão mun- Manchester (1890) e Dresden (1892) de forma bri-

74
Wilhelm Primeiro

lliante. Já poderia ter enfrentado Steinitz depois de Chigorin não tinha nenhuma intenção de se entre-
Manchester, mas recusou a tentadora oferta do gar, especialmente em sua terra natal: ao vencer a r
Oube de Xadrez de Havana, alegando que estava e a 8" partidas em grande estilo, igualou o placar.
ocupado com seu exerdcio da Medicina.

Partida 27
M.Cbigorin-S.Tarrasch
M'atch, São Petersburgo 1893, 8ª partida
Defesa Francesa ClJO

1.e4 e6 2.t!ke2!?
A marca registrada de Chigorin (na opinião de
Tarrash "feio''), que foi testada no match com um
resultado geral de +5-3=2. Chigorin contou que
essa ideia foi inspirada no jogo de Steinitz em uma
das partidas que jogaram: 1.e4 e5 2. ~f3 cà6
3..1i.1>5 ~ 4.d3 d6 5.c3 g6 6.~d2 Ji.g7 7.~fl 0-
0 8 ..b4 d5 9.t!ke2! (Havana, 14ª partida, 1892).
"Desse modo Steinitz evitou ter que tomar e4xd5.

·- Isso deu início ao meu plano inicial com g2-g3,


JJ.g2 e d2-d3, que em seguida aperfeiçoei."
Normalmente Tarrash conseguia boas posições na

' ' abertura e a propósito, obteve vitórias de livro na 4ª

~~
,.., /
Dr. Siegbert Tarrasch
/ .:
~
e 14ª partidas, onde "o ataque das brancas na ala do
rei foi parado com o auxílio de um contra-ataque na
ala da dama." M'as em geral, esse sistema que se asse-
melha muito à estrutura da Índia do Rei (que era
ainda rara naquela época), se adaptava ao estilo ori-
Também estava em clara ascendência o jovem
Emanuel Lasker, de 24 anos. M'as até então não ginal de Chigorin: no jogo complicado e obscuro
havia conquistado sucessos suficientes, e por esse que resultava, era capaz de confundir seu formidável
motivo Tarrasch, de forma bastante compreensível, adversário com seu pensamento lógico, o notável
recusou seu desafio para um match de candidatos. discípulo da escola de Steinitz.
Embora fosse bastante provável que o Doutor fosse
na época capaz de derrotar tanto o inexperiente
Lasker quanto o debilitado Steinitz, escolheu outro
caminho: desafiou o recém candidato "número
wn", Chigorin, para ummatch!
Este match (São Petersburgo, outono de 1893)
merece uma menção especial, uma vez que se tor-
nou uma verdadeira batalha de campeões, não só
pelo seu formato (o primeiro a vencer 10 partidas; se
9-9, então seria empate), mas também pela riqueza
de seus contendores. Os participantes lutaram lite-
ralmente até o último peão: nas primeiras nove par-
tidas e nas últimas seis não houve sequer um empa-
te!
A vitória daria a Tarrasch todo o direito de um 2...c5
match com Steinitz, e o Doutor de Nuremberg rapi- M'ais tarde Tarrash mudou para 2 ...~7 (partida
damente abriu os trabalhos: 1-0, 4-2... Contudo, 30, vt). Também é possível 2 ... ™ (2 ... e5 3.f4!)

75
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

3.~f3 e5 4.c3 lz::\f6 5.d3 ~7 6.g3 d5 com igualda- "inevitável ...d7--d5 permite ao preto adotar um
de, mas vejam esse ·~taque Índio do Rei" na inter- plano que normalmente é utilizado pelas brancas na
pretação de Mikhail Ivanovitch: 7.ii.g2 dxe4?! Abertura Inglesa", e além do mais "o lance 'i!fe2
8.dxe4 ~6?! 9.li:lbcl2 0-0 10.~ ii.e6 11.0-0 pode se mostrar inapropriado".
~8 12.b4! a6 13.ãdl 'f.ie7 14.a4! f6 15.~ b5? 5.~?!
Gá um erro: as pretas enfrentavam problemas muito Bloqueando o peão e - naquela época os cami-
dificeis para a épocaQ 16.axb5 axb5 17.~3 ID>8 nhos corretos começavam a ser trilhados. Hoje qual-
18.ii.cl ~8 19.&7 tz:'lc6 20.&6 ~8 21.~ quer um sabe que é mais enérgico 5.l2Jf3 d5 6.d3
'i!fd7 22.li:lel c6 23.li:le3 'i!fb7 24.ãal ii.c7 ~f6 7.0-0 0-0 (7 ... b6?! 8.e5 ~7 9.c4!) 8.ãel ou
25.lz::\f5! ii.b6 26.~3! (debilidade da casa c5Q 8.e5 t;}e,g (8 ... ~7 9.c4!) 9.c4 ~7 JO.ii.f4 (fal-
26 ...ii.xe3 27.'i!fxe3 !!f7 28.00 ii.c8? 29.lz::\xe5 Debarnot, Las Palmas 1977).
fxe5 30.ãxd8 ii.e6 31.lz::ld6 1-0 (Chigorin- Mas após 8.~3 temos no tabuleiro outra tab!Ja
Teichman, Hastings 1895). do sistema Chigorin, por exemplo: 8 ... d4 (farrash
Jogo posicional profundo, mais típico de meados na 4ª partida jogou 8...a6 e Schiffers tentou ambos
do século XXI Chigorin demonstrou todas as ideias 8... li:ld4 9.'i!fdl dxe4 10.dxe4 'i!Nb6 e 8 ... dxe4
básicas de esquema com o raio-X do bispo em g2 e 9.dxe4 e5) 9.~l e5 10.li1e,1! 'i!fb6 11.'ithl Ji.g4
peões simétricos em e4 e e5; restrição do cavalo em 12.f.3 ii.d7 16.f4! !!ac8 14.b3 (Chigorin-Shiffers,
c6 com c2-c3, manobra do cavalo para c4, avanço match São Petersburgo, 1895). Uma posição de
dos peões a e b, exploração das casas d5 e f5, a asfi- duplo corte, no espírito da moderna Índia do Rei
xia gradual do adversário... Este era o estilo do futu- com cores invertidas (cabe uma analogia com a
ro! Muitas décadas mais tarde o Ataque Índio do Rei famosa partida Taimanov-Fischer, 3ª partida do
entrou na moda - a propósito: foi utilizado por match em Vancouver, 1971).
Fischer contra: I vkov (Santa Mônica 1966), Joaquim 5...'i!Nc7
Durão (Havana, olimpíada 1966), Miagmarsuren ''Nunca o imediato 5 ... lz::lf6? em vista de 6.e5,
(Sousse Interzonal 1967), Oscar Panno (Buenos contudo é mais forte 5 ...làt4." (farrash) Contra
Aires 1970) etc. isso é possível 6.'i!fdl lz::lf6 7.d3 e l2Jce2, com jogo
Devo acrescentar que contra 2 ...~6 também há pouco claro.
3.f4!? (3.itlc3 e5 com igualdade, Chigorin-Lasker, 6/2lb3!? a6 7.li~f4 (prevenindo por um bom
Londres 1899) 3 ...~4 (3 ...~ge7 4.~f3 d5 5.e5 ... tempo o lance ... d7--d5) 7...~4 8. 'i!Ndl
com vitória das brancas, Chigorin-Gunsberg, Monte Contra 8.'i!fd3?! as pretas planejavam 8...ii.f6,
Carlo 1902) 4.'i!Hd3 c5 5.00 lz::\c6 (é melhor ameaçando ...c5-c4.
5...~f3+) 6.!Ve2! ii.e7 7.~3 d5 8.d3 lz::lf6 9.g3 8...f2lf6 9.d3 b5 10.0-0 ii.b7 ll.ii.e3 (mas não
- assim Chigorin massacrou o jovem Rubinstein 11.e5?! devido a ll...ii.xg2 12.exf6 ii.D! 13.fxg7
(Kiev 1903). ãg8) 11 ...ãc812.a4
3.g3
Na segunda partida seguiu 3.~3?! ili 4.ê'.2Jf3
a6 5.g3 ê'.2Jd4 6.'i!fd3 'i!fb6 7.ii.g2 li}e,7 8.li:\xd4
cxd4 9.li1e,2 ~6 10.c3 dxc3! e ...ii.c5 com exce-
lente jogo para as pretas, mas elas... levaram mate!
ou 3.f4 l2Jc6 4.d3 ~7 (4... ~e7!?) 5.ê'.2Jf3 d5
6.ê'.2Jc3 lz::\f6 com igualdade (Chigorin-Tarrash,
Ostende 1905).
3 •• .êuc6 4.ii.g2 (na 4ª partida Chigorin jogou
4.ê'.2Jf3) 4... ii.e7
Na 6ª partida as pretas conseguiram igualdade
através de 4 ... li:\d4 5.'i!i'd3 (5.'i!fdl d5) 5 ...~7
6.tz:'lc3 ii.f6 7.ê'.2Jb5 ~b5 8.'i!fxb5 'i!fb6 9.'i!fe2 d6
10.ê'.2Jf3 ii.d7, mas nessa ocasião "não quis repetir os
mesmos lances, mas desviar o quanto antes para 12... b4
novos caminhos." De acordo com Botvinnik, tam- "O primeiro erro, mas com consequência grave: a
bém não é ruim 4 ...lz::\ge7 5.~3 g6 6.d3 JJ.g7 e o entrega da casa c4. Era correto 12 ...'i!i'b6 com um

76
Wilhelm Primeiro

jogo razoável." (farrash) Entretanto, nesse caso 17... bS


Chigori.n tomaria a iniciativa com 13.axbS axb5 "No meu âmago havia me conformado com a der-
14.eS .ixg2 15.~g2 li)g8 (15 ...00?! 16.~d5 rota." (farrash) De fato, o cavalo em d4 está em
exd5 l 7 ..ixd4 cxd4 18.li)f4) 16.b4! (é pouco claro perigo e após l 7, .. li)f5 (l 7... d6? 18.Jih3 lãd8 19.c3
16.~ d5 17.exd6 .ixd6 18.c3 li)f5 19.b4 ~e3 ganhando) 18.ii.dZ g6 19.g4! ~7 (19 ... ™?
20.fxe3) 16... cxb4 17.t!fg4 etc. 20.d6 .ixd6 21.i.gS ganhando) 20.f4 a posição das
13.êubl! e5!? pretas não é invejável.
"O segundo erro, decisivo. Pensei que o cavalo
18.f4 êutS 19.ii.dl exf4 20.Axf4 d6 21.t!fe2?!
não pudesse ir a d5, uma vez que as trocas nessa casa
É mais forte a sugestão de Tarrash 2 l.Jih3 ! g6
o peão ficaóa fraco. Esse erro me custou a parti.da...
22 ..ixf5 (eu acrescento 22 ... gxf5 23.ii.f5 ~d5
Após 13 ... 0-0 14.~2 llid8 15.c3 bxc3 16.bxc3
~6 17.d4 cxd4 18.cxd4 d5 ou 14.c3 bxc3 24.ãxhS ganhando) ou 2I...-tJg4 22 ..ixg4 hxg4
15.bxc3 ili 16.d4 cxd4 17.cxd4 li:lb4 as pretas 23.t!fxg4.
teóam um jogo bastante aceitável." (farrash) 21 ....l::!d8
14.l2)ds! ii.xd5? ''Seóa melhor 21...li)d4 22.l!fd2 lãd8" (farrash),
''.Após 14... ~dS as brancas ficaóam melhor mas após 23.&el 0-0 24.c3! as pretas também
jogando 15.exdS 1/id6 16.c3 bxc3 l 7.bxc3 li)fS choram, assim como 22 ...h4 23.!:àael Wd8 24.c3.
18.c4, e o bispo b7 está condenado a um longo 22 ..l::!ael Wf8 (tampouco funciona 22 ... 0-0
período de inatividade. Mesmo assim, seóa preferi- 23.Jih3 ~4 24..ixg4 hxg4 25.'i!fxg4 ganhando)
vel." (farrash) É claro, ainda mais que tirar a torre 23.c3 aS?!
de c8, jogar ... d6-d6 e ...ii.c8 não tomaria tanto ''Se não tivesse perdido o moral há alguns lances,
tempo. Mas ainda depois de 15 ...l!i'd6 (o moderno jogaóa 23 ...bxc3 24.bxc3 &8" (farrash), embora
15 ... b3!? 16.cxb3 0-0 17.00 não é suficiente) tudo também aqui esteja suficientemente claro:
16.c3 é mais preciso 16...li)f5! (sem se apressar 25.l!ftJ g6 26.E!bl Wg,7 27.ãb6 ganhando.
com 16 ... bxc3?!), por exem~ 17.c4 li)xe3 24.ii.d2 bxc3 25.bxc3 fzJb6
18.fxe3 'i!fh6 19.'t!ftJ 0-0 20. f5 com jogo Ou 25 ...g6 26.Jih3!
agudo.
15.exdS 'i!fd6?
Depois de um erro estratégico vem um tático.
Tarrash não viu "uma sutil combinação do adversá-
rio", pois não percebeu que não seria possível tomar
emd5.
16.fi)dl! 'i!fc7 (ao que parece, após 16.)L)xd5
17.~ t!fe6 18.ii.xd4 exd4 19 ..ixdS t!fxd5
20.li)b6 as pretas perdem a qualidade) 17.ltk4
Mas agora elas tem uma posição estrategicamente
perdida.

26.-tJxaS! lzJbg8
''A que seniços vis podemos descer, Horácio" escreve
Tarrash citando de forma espirituosa as palavras de
Hamlet na cena do cemitério.
27.lix:6 .l::!e8 28.c4 't!fd7 29.ii.f4 b4 30.g4 lzJxg4
(desespero: 30 ...1!fxg4 3 I.t!fxg4 32.-tJxg4
32.lzJxe7 ãxe7 33 ..ixd6 ganhando) 31.ii.hJ fzJsf6
32.Ags .l::!bS 33.Axf6 gxf6 34.t!fxg4!, e as pretas
abandonaram: 34...!!gS 35.l!fxgS!.

77
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

Uma bela demonstração do estilo original e fora responder com 21...Wf8, mas não 21...Wh8?
da rotina de Chigorin. Convém ressaltar que o seu 22.ii.h2! lz::\xe6 23.c4! !!ad8 24J.ãxe6! ganhando,
adversário era um dos jogadores mais fortes do Smyslov-Ragozin, 13° Campeonato da URSS,
mundo, um tático excelente, que havia absorvido as Moscou 1944.
ideias de Steinitz e percebia as nuanças do jogo posi- 13... lZ)g6 14.l!i'e2 (agora a ameaça é 15.l!i'hS h6
cional. Apesar disso, nem mesmo ele foi capaz de 16.lz:lxe6) 14... l!i'd7! 15.ke3
combater a originalidade de Chigorin! Isto mais uma ''Após 15.ifbS?! h6 16.tz:lxe6 (ou 16.~xf7
vez confirma o grau do talento ao qual Tarrasch se ii.xf7! 17.ii.xg6 ii_xg6 18.'i!fxg6 ~f2!) 16...'i!fxe6
sujeitou neste match... as brancas acabam em uma posição inferior devido
No entanto, logo no dia seguinte, o Doutor con- à dificuldade em defender o peão em e5 e da pres-
seguiu vencer outra, e de novo passou à frente. são em f2, por exemplo: 17.M5 'tlle7! 18.ii.xg6
fxg6 19.'tllxg6 ~f2! ou 18.e6 lz:lh4 19.exf7+ l:!xf7
20.kd3 ãxf2! com ataque vitorioso." (Tarrash)
Partida 28
15... kg4! 16.'tlid3
S.Tarrascb-M.Chigorin
As brancas na realidade já devem tomar cuidado:
:i\,fatch, São Petersburgo 1893, 9'" partida
após 16.f3?! (16.tz:lf3? ii.xf3!) 16 ...kxe3+
futJ,úpezC82
17.'tllxe3 M5 18.~xf5 (18.iü.13 h6) 18...l!i'xfS
19.f4 h6 seu cavalo fica fora de jogo.
16...kxe3 17.'i!fxe3 h6
1.e4 e5 2.00 l2)c(i 3.ii.b5 ~6 4.0-0 ~xe4
Forçando as trocas. Contra 17... MS! ? Tarrash
5.d4 a6 6.Aa4 b5 7.kb3 d5 8.dxe5 ke6 9.c3 kc5
recomendou 18.ii.h3! h6 19.tz:ltJ &e8 20.°i!fd4 c6
(9 ...ke7 -partida 65, vt) 10.~bd2 0-0 11.kc2
21.lliel com igualdade. Vamos tentar continuar
Uma das tabiyas da variante aberta da Ruy Lopez.
essa variante: 21...'i!fc7! 22.a4 .ile4 23.axb5 axb5
ll...~xd2?!
24.&7 l!i'b8 25.tz:ld2 ãxe5 26.tz:lxe4 ~xe4
Uma continuação antiga, que não goza de popu-
27.~e4 dxe4 28.'i!fe3 com compensação suficien-
laridade atualmente devido à sua passividade. No
te pelo peão.
século XX foi jogado tanto 1l...~xf2 (Smyslov-
Botvinnik, Moscou 1943/44) quanto 11...f5
(Smyslov-Reshevskym, match por rádio URSSxUSA
1945), mas desde a partida Fischer-Larsen (Santa
Mônica 1966) está em moda 11....ili.5!, o que nos
faz recordar dos duelos Karpov-Kortchnoi (1978,
1981) e a vitória de Karpov sobre Yusupov (50º
Campeonato da URSS, Moscou 1983). Estas parti-
das importantes serão examinadas no volume 2 e volu-
me 3.
12.'i!fxd2! (ameaçando l!i'd3) 12... ~e7
O lance principal é 12 ... f6 (partida 66, v1), mas nas
partidas de Tarrash, Schlechter, Maróczy e Bernstein
também se jogou 12.J:!e8, contra o qual Janovsky
jogou e Keres mais tarde recomendou 13.l!i'f4!?. 18.e6! (uma ruptura espetacular que leva a ... uma
13.lZ)gS?! igualdade absoluta!) 18...fxe6
''Uma tentativa tentadora, porém prematura de É claro que não 18...ii.xe6? 19.lz:lxe6 llie8
ataque. É mais sólido 13.~d4". (Tarrash) Também 20.lz:\c5 ganhando.
é interessante 13.l!i'g5!? tz:lg6 14.ifb4 ke7 19.lz::\xe6
15.lz:ló4 (Mason), mas a linha principal é 13.b4 i.b6 Tarrash avaliou a favor das pretas 19.ii.xg6 hxg5
14.~g5 MS 15.ii.xf5 lz::\xf5 16.l!i'd3 g6 17.'i!fh.3! 20.'i!fxg5 .ili.5 21.ii.xfS?! ~ . mas é mais preciso
com iniciativa (contra l 7.e6!? f6 18.êzJf? l!i'e7 21.&el! fil6 22.ii.xfS ~f5 23.l!i'g3 com igualda-
19.l!i'xd5 file8 20.&l tz:lg7 21.<tih6+ é necessário de.

78
Wilhelm Primeiro

19...'i!ixe6 51.ãxa2 rtig6 com igualdade) 46.ãxa2 @g5


É favorável às brancas 19...ID'e8?! 20.lâ:5 ãxe3 47.&3 !Th5 com igualdade, ou44.&6+ 'i!?f5 45.h5
21.li)xd7 &7! (21...&2? 22..1'.dl) 22.là:5. &5! 46.ãxai rtig5 etc. É melhor 45.'ith4! ma+
20.'tifxe6+ Axe6 21.Axg6 46.~4 ~2 47.&6+ 'i!?g7 48.rtig5 lãb5+ 49.<;.t'M
O final é quase empate morto e Tarrash propôs
lãb2 50.g4 (ameaçando 51.h6+ g;;f'/ 52.'ith5), mas
empate. Mas Chigorin, possuindo uma maioria de
peões na ala da dama e possibilidades de criar um aqui também se chega ao ernate: 50... 00! 51.&4
peão passado primeiro, recusou. .. (51.h6 ~ ! 52.&7+ 'i!?g6) 51...'i!?g7! 52.&7+
21 ... cS 22.ãfel ãf6 23.AhS ãd8 24.ãeS! @f6! 53.g5+ 'i!?f5 54.h6 ãhi+ 55.@g3 ãhl
(impedindo d5-<l4) 24... Wf8 56.ãxa2 'i!?g6 com igualdade. (Maizelis)
''É melhor 24 ... g6!, seguido de Ji.f7 e ID'd6." Casualmente, mais tarde o próprio Tarrash for-
(Tarrash) Pode ser que as pretas tenham uma vanta- mulou uma regra de ouro: a torre deve ficar atrás do
gem milimétrica. peão passado! No pior dos casos ao lado dele, mas
2S.&el ãd6?! (25 ... Af?!) 26.f4! g6 27.Axg6 nunca à sua frente... Hoje essa é uma verdade
lãxg6 28.t'S ãffi? comum e nenhum jogador com um mínimo de
Era muito mais simples 28 ... Axf5 29.ãxf5+ competência jogaria 43 ...ãai. Mas alguém tinha que
ãgf6 com igualdade. ser o primeiro a expressá-la! A importância histórica
29.fxe6 We7 30.ãdl ãf'xe6 31.ãdxdS ãxdS de Tarrash também consiste na formulação desse
32.ãxdS lãe2 33.ãxcS ãxb2 34.&6 tipo de regras gerais, a desenvolver as ideias de
''Embora as brancas ganhassem um peão, as pre-
Steinitz, que representa o grande feito da sua vida...
tas conservam chances de empate, como de costume
em finais de torre: 34.a4 bxa4 35.&5 &2 36.ãxa4
44.Wg4 &1 4S.lãa6+ 'i!?f7 46.'i!?gS a2 47.g4
(mas não 47.h5? làgl) 47... We7 48.&7+ 'i!?e8
ãxc3 37.ãxa6 h5 38.&5 h4 39.&4 h3 levaria ao
49.hS 'i!?f8 50.h6 làbl
empate." (Tarrasch)
''.As pretas finalmente cedem o peão devido a
34 ... ãxa2 35.lãxh6 as 36.h4 a4 37.&6 ãc2
38.ãaS 'it>ffi 39.làxbS ãxc3 40.'i!?h2 Wg6 41.&5 ameaça 51.h7 lãhl 52.'i!?g6. O final resultante de
a3 42.g3 l1c2+ 43.'i!?h3 torre e dois peões contra torre (o mesmo foi venci-
O momento chave da partida. do por Zukertort contra Steinitz em Londres 1883)
é bastante dificil. Em particular é preciso evitar o
avanço prematuro de h6-h7 em função de eventual
empate por afogamento." (farrash)
St.ãxa2 'ittg8 52.&8+ 'i!?h7 S3.&7+ 'rt>h8
54.ãf7 lãbS+ 55.Wg6 lãb6+ S6.ãffi ãb8 S7.g5
&8 58.ãt'S (com intenção de jogar ~5 e g5-g6)
58...'i!?gS 59.ãdS!
Precisão invejável! No caso de 59.~5 &l 60.g6
lãhl+ 61.@g5 ãgl+ 62.~ 'i!?h8 6°3.g7+ (63.h7?
ãxg6+) 63 ... Wh7 64.~ ãg2 as coisas seriam bem
mais dificeis para as brancas.
S9 ... ãb8 60.<it>IIS &8 61.g6 'rt>h8 62.ãt'S
(ameaçando mate após h6-h7 e <;;th6) 62...ãgS
43...&2? 63.g7+, e as pretas abandonam: 63 ... $lh7 64.ãfs
ãxIB 65.gxIBA ou ~ - somente assim! A partida
Um lapso espantoso! Afinal, Kling e Horwitz
durou oito horas.
publicaram as análises desse final já na metade do
Na 1()3 partida foi registrado o primeiro empate
século XIX e o método para conseguir o empate era
no match, e na 11ª .Mikhail Ivanovich sofreu outra
bastante conhecido: 43 ... a2! 44.h5+ ~ 45.g4! catástrofe terrível.
&5! (Tarrasb apontou 45.J:!b2 46.~4 ma+
4H!Jg3 lãb2 48.&6+ rtig7 49.h6+ ~ 50.g5 ãb6

79
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

fora dada em São Petersburgo: ''.As longas vigílias


noturnas se prolongavam até três, quatro, e até
mesmo seis da manhã, o que afetou a habitual dis-
posição para a batalha. As libações excessivas, que
me eram dificeis recusar, também tiveram seu peso".
Na 18ª partida Chigorin venceu um famoso final
de torres, cujas análises se estendem por mais de um
século.

Partida 30
M.Chigorin-S.Tarrasch
Tarrasch x Chigorin, 1893 Match, São Petersburgo 1893, 18ª partida
Defésa Francesa COO

Partida 29
1.e4 e6 2.'i!fe2 ~e7 3.b3
S.Tarrasch-M.Chigorin
''Um lance original, dirigido contra ... d7-d5"
Match, São Petersburgo 1893, 11ª partida
(farrash) É inócuo 3.~3 d5 4.d3 êt)f6 5.g3 0-0
(ou 5 ... b6 6.ii.gl 1JJ:J7 7.rn dxe4 8.~e4 êt)xe4
9.~e4 ~e4 10.'i!i'xe4 ~d5 com igualdade,
Chigorin-Maróczy, Nuremberg 1896) 6.~g2 fà:6
7.lzm e5 com igualdade (10" partida).
Mas também é interessante outro truque da
"Índia do Rei": 3.g3 d5 4.d3 êz::lf6 (4 ... b6!?
Chigorin-Marco, Berlim 1897) 5.ii.gl 0-0 6.lt:fu3
c5 7.0-0 êz::lc6 8.c3 dxe4 (8 ... b6! com igualdade)
9.dxe4 e5 10.<t\a3 h6 11.fà:2 ~e6 12.f3 'i!fd7
13.êz::lf2 .&d8 14.lue3 g5 15.Whl '.th7 16.'i!fc2
Wh8 17.itJfS ~xf5 18.exfS ~g8 19.g4 ~g7
20.~el a6 21.~fl ~e8 22.~d3 ~c7 23.h4! &8
24.Wg2 gxh4! 25.~e4 êz::ld5 26.~x.d5! bd5
27.êz::le4 &d8 28.~e2 'i!fd7 29.f6+! ~xf6
30.~h6+ Wxh6 31.~f6 1-0 (Chigorin-Zinkl,
51 ... aS?! (o imediato 51...°iWgS! com as ameaças Berlim 1897).
52 ...~xg3 e 52.Jãdl ~c2 seria decisivo) 52.êt)d7 3... d5
~c7?? É mais artificial 3 ...M6 4.là:3 ~6 5.~b2
Horrivel! "Após 52 ...~6 as pretas venceriam li:Jge7 6.f4 d6 7.êz::lt3 êz::lg6 8.g3 ~7 9.h4 h5 10.0-
essa partida planejada de forma sutil e conduzida 0-0 etc. (Chigorin-Schiffers, 2ª partida do match,
com vigor." (farrash) São Petersburgo 1897).
53. êt)f8+ 1-0 4.~b2~f6
O duelo durou sete horas. Até certo ponto foi por "O normal 4 ... êz::lfü! permite a deterioração da
falhas como essas que Chigorin sucumbiu ao seu estrutura de peões na ala do rei - 5.exd5 exd5
poderoso adversário. (5 ...'i!fxd5?! 6.fà:3) 6.~f6 gxf6, mas as pretas
Após dezessete partidas Tarrasch liderava por 8-5 tem compensação excelente graças ao par de bispos,
e estava a apenas dois passos do objetivo almejado. à coluna g aberta e ao enfraquecimento da ala da
Mas aqui ocorreu o inacreditável: o rigoroso Doutor dama do adversário por b2-b3 (digamos 7.NJJ Nc6
perdeu três partidas em seguida! Mais tarde, expli- 8.d4 Bgl- 9.c3 Qdl com igualdade - GK). E após 5.e5 a
cou isto pela recepção incrivelmente cordial que lhe partida assume o caráter tradicional da Francesa e as

80
Wilhelm Primeiro

pretas estão bem." (Tarrash) Por exemplo: 5 .. .'~Jfd7 método de ataque favorito de Chigorin. Após
6.g3 c5 7.ii.g2 t2lc6 8.f4 f5 9.~ 0-0 10.h4 ~b6 8.l!fxg7 ~g6 as pretas buscam trocar as damas, o
11.t2lc3 .i.d7 (Chigorin-Schiffers, 4ª partida do que llies garante jogo mellior: 9.h4 l!fe7 10.h5 f6
match, São Petersburgo 1897). Contra Alapin, ou 9 ..i.d3 15.f5 e ...'i!!Ve7." (Tarrash)
Chigorin tentou ambos, 5.t2Jc3 0-0 6.f4 (Monte 8.f4 luc6
Carlo 1901) e 6.~f3 (São Petersburgo 1905), mas ''Nos nossos dias qualquer mestre jogaria 8 ... c5".
também sem sucesso. (Botvinnik) i\1as, de acordo com Tarrash "o lance de
5..i.xf6?!
cavalo é muito mais forte, já que o cavalo ameaça
As brancas mudam de rumo uma vez que não
um ataque na ala da dama de imediato."
obtiveram nada com 5.e5 (5.t2lc3 dxe4 com igual-
9.~f3
dade - Chigorin-Burn, Viena 1898) 5 ....i.e7 6.'i!Vg4
Na 22ª e última partida, Míkhail Ivanovich "se
~ 7.~f.3 (7.~ c5 8.f4 t2lc6 9.a3 lzJ116 com
igualdade, 12' partida ) 7 ... c5 8.~5+ (8.t2lc3!? corrigiu'' com 9.c3, mas após 9 ... d4! as pretas tam-
Keres) 8...~7 9.~d7+ l!fxd7 10.~3 ~6 bém conseguiram vantagem (embora em seguida
11.0-0 ~ge7 com igualdade, 14ª partida. errassem e perdessem em um duelo de titãs). É
5... ~xf6 6.es ~fd7 7.l!i'g4 engraçado que o duelo teórico no match tenha se
''As brancas precisam desenvolver o bispo. Não concentrado em posições onde as brancas. .. já pode-
há tempo para o fianqueto: 7.f4 0-0 8.g3 f6 9.~f.3 riam pensar em abandonar!
fxe5 10.~e5 ~e5 ll.fxe5 t2lc6 12.ii.g2 l!:Vg5! 9... t'5?!
(Vasiukov, Nikitin) ''Perdendo o momento mais adequado para um
ataque com 9... ~b4!" (Tarrash) De fato, agora são
ruins tanto 10.~?! f5 ll.l!i'g3 c5 12.c3 'i!i'a5
13.cxb4 t!fxa3, e 10.li::ld4?! c5 l l.a3 ifa5 12.c3
cxd4 13.cxb4 ifc7 (Chigorin). Resta o deajeitado
10.édl, contra o qual é possível 10... c5 (Tarrash
também examinou 10...~5) ll.c3 t2lc6 12.~ f5
13.l!fh3 ~b6 (mas não 13 ... c4? 14.~g5) com jogo
excelente para as pretas.
10.'i!fh3 (ameaçando ~g5) 10...!!e8 11.ê2lc3 (é
pouco claro ll.g4!? Tarrash) 11 ... ~f8 12..i.e2!?
"Característico de Chigorin: prefere evitar com-
plicações, mesmo a preço alto. Ao jogar 12.~5 e
dependendo da oportunidade ~c6, as brancas se
7... 0-0
assegurariam contra todos os perigos." (Botvinnik)
Na 20" partida Tarrash jogou 7 ... g6 - "pelo diver- ''Ainda seria muito forte 12.g4". (Tarrash)
timento, para ver se as brancas conseguiriam explo- É estranho que nenhum comentarista considere o
lll.I essa debilidade". Após 7 ... g6 8.f4 ~6 (8 ... f5!?)
simples ganho de espaço com 12.d4!? Eu teria joga-
9.t2lc3 lub4 10.édl t2lc5 ll.l!i'e2 a6 12.a3 ~6 do assim! Por exemplo: 12 ...~g6 13.t!fg3 ~b4
13.~f.3 b6 14.d4 li::ld7 15.'i!!Ve3 ~7 16.~ c5 as 14.0-0-0 c5 15.h4 ou 12 ...~b4 13.0-0-0 c5
pretas iniciaram uma ofensiva na ala da dama e ao 14.dxc5 l!fa5 15.~2 l!fxc5 16.a3 t2ic6 17.g4,
21,º lance conseguiram uma posição dominante. :Mas
com jogo de corte duplo.
então... "lvíeu aparelho racional deixou de funcionar
12....~Jg6 13.l!i'g3
oormalmente", escreve Tarrash, "e deixei escapar
''Após 13.g3 a dama branca seria cortada do cen-
uma vitória merecida". E trinta lances depois deixou
tro e o bispo de c8 desenvolveria perigosa atividade
passar também o empate. .. na diagonal c6-hl ." (Tarrash)
"O lance mais forte é 7... ~e5, sugerido por 13... d4 14.-t)a4 ~b4 15.~1
Heyde em seu livro sobre o match: refuta todo o
Profilaxia contra d4--d3.

81
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

(23.ii.xd5? exd5 24.it)xdS it.b7! com vantagem das


pretas) 23 ... exdS 24.il.xdS+ .iie6, a debilidade do
peão em e5 garantia às pretas partida excelente."
(Tarrash) De qualquer forma, não seria pior: 25 ..iif.3
a6 26.bxa6 'ãxa6 27.wt2 .iid7 28.lz::lb4 &3 etc.
21.b4! °i!ff8 22.0-0!
''.Ao rocar no 22º lance as brancas ganham o peão
d3 de imediato, uma vez que o cavalo em f4 é obri-
gado a bater em retirada." (Botvinnik)
22.êz:le2+ (22 ... êz:ldS 23 ..iif.3!) 23.êz:lxe2 dxe2
24.1t.xe2 .iid7 25.l!i'c3
Começa a fase de conversão da vantagem.
25... .iixc6 26.bxc6 Wh8 27.d4
15... d3?! "O plano vencedor mais simples seria com .iia6-
"O principal motivo da derrota das pretas. Seria a7 e a captura do peão a7 com a dama ou com a
correto 15 ...bS 16.lz::lb2 c5 17.0-0 ~7! Com van- torre (&b 1-b3-a3). Também era muito forte
tagem clara no centro e na ala da dama." (Botvinnik) 27 ..iihS." (Tarrash)
Entretanto, parece-me que após 18.it)gS a posição 27•• J~edS 28.il.c4 l!i't7 29.&dl ?! êz:le7 30.b5
não é totalmente clara e eu prefiro a recomendação lz::ld5 31.%let3?! (é mais preciso 3 l.l!i'b3) 31 ...'i!le7
de Tarrash 15 ...lz::ldS! 16.lz::lxd4 lz::ldxf4 17.êzJf.3 32.a3?! (32.l!i'b3!) 32... lz::lb6 33.'i!fb3
il.d7 18.~3 .tc:6, "com excelente jogo para as pre- Se 33 ..iial, então 33 ... a6!
tas, pois as brancas não podem rocar em vista de 33...êz:lxc4
...1t.xf.3 e •.. °i!fxd2 ou ..."i!Hd4+." "Contra 33 ... it)dS seguiria 34 ..iixdS !!xd5
16.c4 b5?! 35.'ãxfS 'ãxd4 36.'ãxd4 exf5 37.'ilfdS h6 38.e6, e
"Uma ideia um tanto selvagem. Depois de as brancas vencem com facilidade." (Chigorin)
l 6...1l.d7 17 .il.c3 .tc:6 as pretas manteriam vanta- 34.1!fxc4 g6
gem posicional e dado o apoio devido ao peão: Seriam ruins tanto 34...WS? 35.'ãxfS quanto
18.a3 ~2+ 19.ii.xc2 dxc2 e as brancas seguiriam 34 ... "i!Hxa3? 35."i!Hxe6 "i!He3+ 36.Whl !ixd4
sem rocar, ou 18.0-0 a5 19.a3 lz::la6 e ... lz::lc5" 37.'ãxd4 "i!Hxd4 38.'ilfxfS ganhando.
(Tarrash) Aparentemente o Doutor queria castigar
seu adversário pelo jogo artificial e por algum moti-
vo entregou o peão, criando ao mesmo tempo um
''buraco" na sua posição na casa c6.
17.cxb5 lz::ld5 18.lz::ld4!
''Um lance excelente, que provavelmente escapou a
Tarrash. Se 18.0-0 então de imediato 18 ... ~xf4".
(Botvinnik) É verdade, aqui nem tudo está claro
após 19.lz::lcS.
18... it)dxf4 (é pior 18... êz:lgxf4?! 19.0-0!
20.êz:lg6 20.~6 'i!i'h4 21."i!Hxh4 it)xh4 22.~5)
19.it)c6 °i!fd5 20.êz:lc3!
Um golpe nada óbvio. Parece que Tarrasch havia
calculado 20.~?! "i!Hxb5 com vantagem das pre-
35.d5?
tas: 21.êz:le7+ 'ãxe7 22.ii.xa8 "i!Hxe5+ ou 21.it)c3
Se com seus lances anteriores Chigorin deixou a
"i!Hc5 22.b4 ~6 23.lz::le7+ 'ãxe7 24.ii.xa8 c6 (tam-
vitória escapar por pouco, então esse é simplesmen-
bém serve 24 ..."i!Hxb4).
te um erro grosseiro, que leva à perda do peão a
20... Wlc5? mais. Botvinnik recomendou 35.a4 I!d5 36.!!d.3
O lance perdedor. "Era essencial 20 ...°i!fxg2, e
Wg7 37.lãbl wt7 38.a51ãb8 39.1ãb4 Wg7 40 ..l3.dl
após 21.1d':3 "i!Hxg3+ 22.hxg3 lz::ld5 23.êz:lxdS!

82
Wilhelm Primeiro

©f7 41.Wb 1 e não é possível impedir b5-b6; con- 43.~3 ~ 44.h4 ãd5 45.!!bl axb5 46.axb5
tudo, é mais tenaz 37 ...'t!i'h4!? 38.'i!lb4 (ou c3) \t>d6 e as brancas estão presas à defesa do peão b5.
38 ...Wg8. Chigorin considerou a variante análoga 43.We3 <i!ã>es 44.llcl g5
35.l!fc5 'i!ff7! 36.a4 W5 37.'i!fc4, "e não obstante Já é tarde para 44...a6? 45.b6! ou 44 ... f4+!?
teve suas dúvidas se era ou não possível vencer". 45.Wf.3 W4 46.a5 ãb4 47.&5+ <i!â>d4. (farrash)
Mas, conforme mostrou Tarrash, após 35.l!fc5 45.g3 h5
'ti'f7!, as brancas venceriam com 36.d5! exd5 "O erro decisivo Após o tranquilo 45 ... Wd6 difi-
37.e6! 'i!fxe6 38.ãfel 'i!fd6 (38 ...'i!ff6 39.&7 &c8 cilmente as brancas invadiriam (após a troca das tor-
40.W7 ganhando) 39.'i!fxd6 ~d6 40.lle7 a6 res elas perdem): 46.&4 lle5+ 47.'i!?f.3 (47.00
(40 ...&8 41.Wel eW7)41.a4 axb5 42.axb5 !!b8 ãclS+ e não 48.$'c3? devido a 48 ...&5) 47 ...~ ,
43.~c7 ~b5 44.&1 !!b8 (ou 44...~8 45.&e7 e o perigo de b5-b6 não é tão grande." (farrash)
d4 46.&d7 &8 47.c7) 45.~7 Wd8 46.~h7+ ''Mais simples e forte era 45 ...h6, apoiando o peão
~8 47.&g7+ 'i!?f8 48.c7 !!bt+ 49.~ &8 g5." (Botvinnik)
50.W7 ~8 (50 ...~8 51.~e7 'i!?f8 52.&5) Entretanto, como veremos, o plano de defesa
51.~8+ ~d8 52.~8+. escolhido pelas pretas também não foi ruim.
35...exdS 36.ãxdS llxd5 37.!i'xdS ãd8! (eis o 46.llc4 g4
ponto!) 38.'i!fa2 (38.'i!fc4 'i!fxe5 com igualdade) Fixando o peão h2! "Agora a troca das torres leva-
38...'t!i'xeS ria à derrota das pretas: 46 ...Wl 47.&5+ ( 47.M
Por algum motivo ninguém observou o óbvio gxh4 48.gxh4l!el+49.tJ?ci2 l!hJ-G.K} 47 ...W5
38 ...'i!fc5+! 39.'i!f:12 't!i'xb5 (colhendo um peão 48.~d5+ Wxd5 49.h4!", escreve Tarrash, em vista
importante) 40.'t!i'xa7 \!fxe5 com um empate de 49 ... gxh4 50.gxh4 ©c5 51.M4 'itb4 52.Wg5
morto! Wxa4? 53.<i!ã>xh5 <i!ã>xb5 54,ç!jlg5 a5 55.h5 a4 56.h6
39.'ilfal! a3 57.h7 a2 58.h8'i!f, mas sem perceber o fatal
A transição para um final de torres dá algumas 52 ... f4! 53.Wxf4 Wxa4 54.Wg5 Wxb5 55.~h5 a5
chances práticas de vitória às brancas. ganhando. Botvinnik sugeriu 46 ...Wl 47.&5+
39... 'ilfxal (mas não 39 ... ãd4? 40.ãel 'tiff6 We6 48.a5 llhl 49.00 ç!j,fü 50.'i!i>c2 ãb4 51.'it>c3
41.&6! ~1+ 42.\!fxdl l!fxe6 43.'ti'd8+ l!fg8 llhl 52.ãclS We6 53.W7 ~b5 54.~c7 ãxa5
44.'i!fxc7 ganhando) 40.llxal 'i!i>g7 41.W ~ com igualdade, considerando o lance ...g5-g4 ape-
42.a4 nas "um novo enfraquecimento".
47.llb4 <i!ã>e6
'½.s pretas deviam jogar 47 ...Wd6, por exemplo:
48.W4 ~d4! (mas não 48. .. ítc5? 49.lixd5+ fi?xd5
50.~4 Wc4 51.fi?xf5 Wb4 52.We6! G.K)
49.Wxd4 ~ 50.a5 <.t?d6 51.a6 ~ 52.~3 lt>d6
53.<.t?d4, e o empate é inevitável (Botvinnik) Mas. ..
deviam mesmo?
48.aS!
Única chance: 48.W4 &5+! 49.Wd3 lâel
50.<.t?dZ ~l, com igualdade. (Botvinnik)
48..."
Vasiukov e Nikitin sugerem 48 ...ãc5!?
(48 ...~5? 49.b6 axb6 50.axb6 cxb6 5l.c7 &5
52.ãb5! ganhando; 48 ...Wd6 49.!!b2! e ç!j,[4 com
42...ãdS
Tarrash disse que a vantagem das brancas é "enor- alguma iniciativa) 49,ç!j,[4 ç!j,fü ou 49.Wd4 <.t?d6
me", ao passo que para Botvinnik é simplesmente impedindo o rei branco, e resumem: '"'As pretas
~determinada". Este recomendou o simplificador conduzem a luta de forma insegura e a cada lance
pioram a sua posição." Vamos ver, vamos ver...
42 ... a6 43.ãbl axb5 44.~b5?! ~6 45.&5 W4
Í46.a5 ~ 47.<ii?e3 &4 e ...Wd6 com igualdade, ou 49.b6 axb6 50.axb6 cxb6 51.c7 ãcS 52.llxb6+
Wg5

83
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

"O erro decisivo. Ainda manteria chances de 62.Wd4!, e as pretas abandonaram: 62 ... .lãcl
empate 52 .. .'i!.'f7!, por exemplo: 53.!Th7 We6 63 ..lãas+ e .lãc5. "Todo esse final interessante e difi-
54.Wf4 Wd7 55.c8'i!f+ 'it>xc8 56.~7 &2 57.ãxh5 cil foi jogado com maestria por Chigorin. A partida
lli2+ 58.'~e5 'it'd7 59.~f5 ãxb2 60.Wf4 <i!,ie6 durou oito horas." (Tarrash)
6l.Wxg4 ~8. com empate." (Bot:vinnik)
Mas cento e dois anos após a partida (!) o mestre Outra ilustração vívida dos pontos fortes e fracos
G. Fridstein mostrou nas páginas da revista de ambos aspirantes ao trono, de Chigorin em par-
Shakhma!J v Rossii (número dois, 1995), que as pretas ticular. Jogou de forma bastante criativa e muito
foram dadas como mortas cedo demais. arriscada, no sentido estratégico. E mais uma vez
53.!l.b7 h4 54.Wd4 Tarrasch, após conseguir excelente posição, atrapa-
O ápice dessa batalha emocionante, que não foi lhou-se nas complicações, no jogo não racional era
notado por nenhum dos comentaristas anteriores. inferior ao adversário! Mas quando era o momento
de se defender, Tarrash fazia muito bem. Chigorin,
no entanto, criou um caos na sua tarefa de conver-
ter sua enorme vantagem - até mesmo entregou um
peão. Para sua sorte, o adversário criou algumas difi-
culdades para si próprio e deixou passar o empate
em um momento cótico.
Tarrasch não se abalou e sobreviveu às três derro-
tas sucessivas. Na 21ª partida alcançou sua nona
vitória. Mas na 22ª deixou passar um empate sim-
ples, e com isso escapou a vitória no match: a gran-
diosa batalha terminou com o placar +9 -9 =4.
Para o orgulhoso Doutor essa foi uma surpresa
desagradável Afinal de contas, havia jogado o match
de forma "mais correta" que Chigorin (era, de
54...ãcl? forma geral, um jogador "mais correto'') e, por lógi-
Agora sim, o erro decisivo! "Após 54 ...&2! ca, deveria ter vencido... Mas o adversário provou ter
55.We5 (não tem sentido 55.Wd3 !!c6 ou potencial enxadrístico maior! É outra questão se a
55.gxh4+ Wxh4) 55 ... h3! tudo se esclarece: as Chigorin faltasse com frequência a precisão para a
brancas não tem nenhuma chance de vitória. Por realização de suas ideias cósmicas, e isso é o tipo de
exemplo: 56.&7 !!e2+ 57.'it'd6 ~ + 58.Wc6 coisa que pode ocorrer a qualquer grande mestre.
.lãxb2 59.c8'i!f .lãc2+ 60.Wd7 .lãxc8 61.Wxc8 h2 No sentido histórico, foi muito importante que a
62.1Th7 f4 com igualdade. "Se Tarrash tivesse nova Escola de Steinitz-Tarrasch tivesse naquela
encontrado esse recurso, certamente o tom dos época um adversário tão poderoso como Chigorin.
comentários seria completamente diferente, e sobre Quando faltam as disputas criativas no xadrez,
seu jogo escreveriam 'uma brilhante defesa' . Este é começa a estagnação! Nos grandes matches havia
o preço de um lance infeliz." (Fridstein) um combate feroz, cabeça a cabeça entre tendências
55.We5 hxg3 56.bxg3 r!c3 criativas - pode-se dizer até mesmo de ideologias
''As pretas também falham com 56 ... f4 57.gxf4+ enxadrísticas diferentes - e era no curso desses
Wh4 58.Wd6 !!dl + (ou 58. ..gJ 59.Iib8 g2 60.c8'if! embates que o pensamento enxadrístico moderno se
l!xc8 6!.l!xc8 g I 'if! 62.11h8+ - G.K) 59 .We7 & 1 formava. Afinal, das disputas nasce a verdade. ..
60.Wd7 .lãdl+ 61.Wc8 g3 62.'i!?b8 &l 63.c81!:V Steinitz foi não só o primeiro a expor os priná-
gxc8+ 64.Wxc8 Wg4 65.gn Wf3 66.fS g2 67 ..lãg7 pios posicionais, mas também, e é outro de seus
ganhando. De forma alguma esse é o único caminho méritos históricos, criou uma tradição segundo a
para a vitória, há outros." (Chigorin) qual os principais mestres, de forma diferente das
57.Wd6 (57.&7!) 57... .lãd3+ 58.We7 !!e3+ estrelas do passado, consideravam uma questão de
59.Wd6 r!d3+ 60.'i.t>es r!c3 6t.lla7! f4 honra formular e defender suas opiniões enxadrísti-
Após 61.Jâcl 62.Wd6 o rei se esconde dos cas. Talvez não tão revolucionárias como aquelas do
xeques em a8 e o peão c7 promove a dama. primeiro campeão mundial, mas de qualquer modo

84
Wilhelm Primeiro

urna opinião! Assim, Chigorin, que criticava Steinitz


pela "absttação" e pela natureza um tanto dogmáti- Partida 31
ca de sua teoria, advogava um enfoque diferente, E.Lasker-M.Chigorin
mais concreto, e de forma continua buscava seus Hastings 1895, 2ª rodada
próprios caminhos. Defesa Chigorin D07
De forma geral, a tradição de além de ganhar urna
partida também explicar por que foi vencida remon-
ta a Pbilidor, que era guiado de forma excessiva por 1.d4 dS 2,-t}f3
conceitos gerais, que já não apresentavam resultados Contta 2.c4 poderia seguir 2... li.:::ic6!? A ideia da
ao final do século XIX, tamanho o crescimento do pressão de peças sobre o centro, seguida por um ata-
nível de entendimento do jogo. E urna vez que neste que e bloqueio, estava muito à frente da época, ante-
âmbito nada de significativo ocorrera desde a época cipando as descobertas da era hipermoderna: a
de Pbilidor, pode-se considerar que foi Steinitz Defesa .Alekhine, a Defesa Grünfeld e todos os
quem inaugurou a era da explicação cientifica das esquemas complexos da Nimzoíndia (não é à toa
partidas ganhas. O grande confronto Steinitz- que Nimzowitsch chamava Chigorin de seu profes-
Chigorin foi talvez o primeiro estágio desta era. O sor~
campeão venceu com todos os méritos e a sua teo- 2... ~4 3.c4 Axf3
ria prevaleceu Chigorin iniciava com mais frequência com
Apesar disso, não se concebe o xadrez moderno 3...lLlc6? 4.e3 e6 (contra 4 ...e5?! Steinitz jogou
sem a contribuição de Chigorin. Em comparação 5.'i!i'b3!) 5.lLlc3 Ab4 6.Adi ~e7 ou 6.'i!i'b3 Ji.xf3
(6 ...luge7!? 7.Ji.d2 0-0 ou 6...Ji.xc3+!? 7.bxc3
com, por exemplo Zukertort - que era um aluno
ilustre e até certo ponto seguidor de Anderssen -
.txo 8.gxf3 l2la5 9.'tii'c2 luxc4 10..ixc4 dxc4
ll.'tii'a4+ c6 12.'i!fxc4 'i!fd5!) 7.gxt3 ti::Jge7 8.itil2
Mikhail Ivanovich deixou uma quantidade de ideias
0-0 etc.
e orientações completamente novas e revolucioná-
Na minha opinião, é mais vivo 4.cxd5 .ixf3
rias, as quais porém, como muitas das ideias de 5.gxf3 Wxd5 6.e3 (Kasparov-Smyslov, 11ª partida,
Steinitz, não tiveram reconhecimento completo na Vilnius 1984). Mas não 5.dxc6 .ixc6 6.li.:::ic3 e6 7.e4
época, pois estavam muito à frente de seu tempo Ab4! 8.f3 f5! A batalha pelas casas brancas! No
(esse era o caso por exemplo com os primeiros duelo Pillsbury-Chigorin (São Petersbw:go 1895/96)
"experimentos na Índia do Rei''). Além disso, seguiu-se com 9.e5?! (é correto 9.Ac4! t!fh.4+
Chigorin nem sempre foi capaz de demonsttar sua 10.g3 'i!fe7 11.0-0 com jogo agudo) 9.Ji~7 (é
correção no tabuleiro: como seu histórico adversá- pouco claro 9... t!fh.4+!? 10.g3 1!fti5 l l..ig2 0--0-0
rio, era obstinado em excesso a sustentar seus siste- 12.0-0) 10.a3 .t.a5 1l.Ji.c4 .id5 12.'t!i'a4+?! (são
mas de aberturas, que sofriam de sérios defeitos melhores tanto 12.1!fb3 e 12..txd5 luxd5 13.'i!i'b3
posicionais. ou 12 ....ixc3+ 13.bxc3 'i!fxd5 14.m,1 b5 15 ..ig5)
O match Tarrasch-Chigorin constituiu importan- 12 ... c6 13 ..1'.d3 1Wb6! 14 ..1'.c2 'i!fa6! 15.Adl
te estágio no desenvolvimento do entendimento do (15.b4 'i!fc4! 16..ib2 Ab6 etc.) 15 ...Ji.c4!
:udrez. É bem verdade, enquanto estavam em São
Petersburgo determinando qual deles seria o desa-
fiante principal, na distante América o impaciente
Lasker persuadiu Steinitz a jogar um match pela
ooroa mundial. E na primavera de 1894 o mundo
ganhava um novo e jovem rei do xadrez.
Convém lembrar que um ano mais tarde Lasker
m:usou uma oferta da Sociedade de Xadrez de São
Petersbw:go para organizar um match entre ele e
Origorin, e o primeiro encontro entre ambos ocor-
mi em agosto de 1895, no início do histórico tor-
neio de Hastings. Nesta famosa partida Chigorin
acolheu urna defesa pouco usual, que leva seu
nome na teoria de aberturas.

85
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

16.f4? [era mais tenaz 16.b4 ii.1>6 17.'i!Hxa6 i.xa6 10.¾l (a alternativa é 10.c4 e 11.f4) 10...'i!fh5
18.ii.e3 gd8? (18 ... f4? 19.ii.f2 itlf5 20.ii.e2! i.xd4 ''É mais forte 10... 0-0 ll.c4 (contra ll.'i!fb3 é
21.i.xd4 itlxd4 22.i.xa6 bxa6 23.0--0-0) 19.ii.e2 possível ll...!fxt3 12 ...tgi 'i!fh5 13.'i!fxb7 !fxh2
i.xe2 20.itlxe2 ltJ<l5] 16.0--0-0 17.ii.e3? (era 14.0--0-0 ~8!) 11...'iWhs 12.il.c3 <t)g6 13 .~
essencial 17.b4 ii.b6 18.!fxa6 bxa6 19.itle2 a5) e5 14.d5 l:à:,e7 (Vasiukov, Nikitin) .
17 ... ltJ<l5 18.~ itlb6 19.!fc2 ~d4 20.gcl 11.'i!fb3! (ameaçando 12Jâxg7 ~g6 13.l!6'xb7)
(20.~ ~d5!) 20 ...ii.d3 21.'i!Yb3 ~ 22.~ ll ...~d8?!
itlxd2 23.Wfr'xe6+ Wb8 24.iif.3 WVM 25.'i!Hg3 itlxt3 "Após o natural 11...0-0 12.gg3 (12.'i!9xb7
26.gxt3 .ic4 27.'i!Hxf5 .ixc3 28.bxc3 ~d2 ... 0-1. 'i!Hxh2 13.gg3 filc8, seguido de &8-b8-b6 e 00
O jovem Pillsbury não entendia essa posição pouco
provavelmente favorece às pretas) 12...~8 13.e4!
conhecida. Lasker não perderia de forma tão fácil!
~g6 14 ..lâh3 'i!9a5 15.il.d3 e5! Chega-se a uma
4.gxf3 ~6 5.~ e6 6.e3 il.b4 7.cxd5 'ili'xd5!?
posição em que, embora melhor para as brancas, de
É mais sólido 7 ... exd5, mas Chigorin quer pres-
sionar o centro com as peças. forma definitiva as pretas tem contrajogo."
8.ii.d2 (Vasiukov, Nikitin)
Um exemplo da prática do 10º campeão mundial: 12.'ffb5+! (mas não 12.~g7? ~g6) 12...'i!fxb5
8..tg2 'i!Hd7 9.0-0 ~ge7 10.f4 ~8 l l.a3 .ixc3 13.il.xb5+ c6 14..id3
12.bxc3 ~a5 13.'i!fh5 (13.°i!fc2!?) 13 ... b6 14.a4 Pelos critérios atuais esse final já é virtualmente
~d5 15.il.a3 ~ 16.llicl c5 17.'i!He2 ~xa3 vencedor para as brancas: o poderoso par de bispos
18.gxa3 0-0 com igualdade (Taimanov-Spassky, garante uma vantagem enorme. :Mas as pretas jogam
27º Campeonato da URSS, Leningrado 1960). como se nada tivesse acontecido. ..
8... il.xc3 14... ~6 15.f4 0--0 16.We2 (é cedo para 16.5?
A troca exemplar do bispo pelo cavalo foi uma devido a 16...lL}il4) 16...!!cS?!
reprovação à nova escola que de forma clara prefe- Uma implementação imprecisa do plano correto
ria os bispos e peões centrais fortes. A propósito, foi ... c6-c5-c4. Era essencial 16.. .f5, embora aqui tam-
graças a Chigorin que o jogo habilidoso com os bém após 17.a4 &8 18 ..icl ID7 19.il.a3 todas as
cavalos passou a ser considerado uma característica chances estejam do lado das brancas.
distinta da "escola russa". 17.¾3
É mais flexível 8...!fd7, por exemplo: 9.'i!Ha4?! Deveria ser dada atenção séria à abertura do jogo
itlge7 10..ib5?! a6 ll.a3 i.xc3 12.i.xc3 0-0 através de 17.f5! exf5 18 ..ixf5 gc7 19.c4
13.ii.e2 ltJd5 14.~ ~d8 15.&l e5 16.dxe5 (Levenfish) ou 18...itle6 19.f4 files 20.$12 com
itlf4! com vantagem das pretas (Steinitz-C~t· sólida vantagem.
Londres 1899). Naturalmente 9.f4! ~ge7 10 · é
17...c5 18.&gt?
mais promissor.
Ainda não era tarde para l 8.f5 ! mas Lasker tinha
9.bxc3 ~ge7
outros planos. ''As brancas planejam um ataque com
"Chigorin., um gênio do jogo prático, considera
seu privilégio desafiar os princípios da teoria enxa- 19.h4 ou 19.f5. Isso parece bastante ameaçador,
dristica moderna a cada oportunidade que lhe con- mas se refuta com relativa simplicidade."
vém", escreveu Steinitz sobre a abertura dessa parti- (Romanovsky)
da. E estava certo! 18... c4! 19.il.c2 f5! 20.il.ct I!r7! 21.hJ

86
Wilhelm Primeiro

21 ...ãc6! 22.Ac5 ãa6 liberando o rei da defesa do peão c3.


As pretas manobram com sucesso "no espírito de 35... gS?!
bloqueio de Nimzovitsch" e Lasker não consegue Fora de hora! Se 35 ...ãaS então 36.'i!?e2! e e3-
demonstrar as vantagens de sua posição. e4. Entretanto era possível criar uma fortaleza atra-
23.a4 (limita a atuação do bispo c2, mas era fraco vés de 35 ... .tid6! 36.@e2 fü7! 37.Ad2 ãaS.
23.a3?! b6 24.Ab4 .tlc6 25.a4 ~b4 26.cxb4 0ie7 É verdade, de acordo com Romanovsky "é bastante
e •••00!) 23... tZ:lc6 24.ãbl ãd7 25.ãggl Cilge7 duvidoso que as pretas impeçam o avanço do peão,
26.ãb2 por exemplo: 37 ... 'i&ffi 38.~ @e7 39.~3 ~f6
Através de 26.~e7!? ~e7 27.@d2 tZ:ld.5 40.ãaal, depois ãfl, &el e de qualquer forma
28.~5 as brancas ainda manteriam alguma vanta- e3-e4."
gem. 36.©e2! (ameaçando 37.fxg5 '2Jxg5 38.e4)
26... tZ:ld5 27.00 &5 36... gxf4 37.e4 'Llffi 38.Axf4! (o jogo se abre a
O centro das brancas está fixo, os bispos "apáti- uma vantagem óbvia das brancas) 38...tDb5
cos" ... Com seu modo original de jogar (como
assim, prender a própria torre em a5?!) Cbigorin
confundiu Lasker! O campeão não consegue encon-
trar nenhum plano razoável.
28.l!gbt b6 29..bJ g6 30.ãb5 ãa6! 31.Acl
~8
"As manobras das pretas, embora forçadas, estão
longe de uma natureza de espera. Ao ameaçar infil-
trar o cavalo em e4 quer induzir f2-f3 e depois
organizar um ataque sobre o peão inimigo no cen-
tro." (Romanovsky)
32.ãal tZ:lf7 (também é interessante 32 ...tZ:lb7
33.AaJ li:las) 33.ãbbl?!
Em razão da possível resposta das pretas, é
melhor 33.AaJ!? (mas não 33.h4 .tid6 34.~bl 39.Ae3?!
tZ:le4+!). prevenindo tanto 33 ...g5 34.ãgl ! como No apuro de tempo reáproco as brancas deixam
33 ... .tid6 34.~d6! 35.a5. passar uma chance de fortalecer sua vantagem ines-
33...~6?! perada. Os comentaristas recomendaram 39.Ad2,
De acordo com Steinitz, seria forte 33 ...g5! mas parece-me que oferece mais perspectivas
Então "as brancas teriam que fazer uma escolha 39.ãgl+!? éf8 40 ..icl! ãa5 41.&1.
desagradável: entregar o peão f4 ou admitir a inva- 39...f4! (outro bloqueio!) 40..tfl ãa5
são do cavalo em e4 após 34.fxg5 tZ:lxg5". Aqui os A recomendação de Vasiukov e Nikitin 40 ... e5?!
cavalos de Cbigorin realmente são bons! 41.ãgI+ éf8 (e se 42.dxe5?! tZ:lxe5 43.ãg5? então
''Steinita considerou que 33 ... g5 34.fxg5 tZ:\xg5 43 ...l::td2+!) é refutada através de 41.aS! (Sorokhtin)
35.ãa3 tZ:\e4+ 36.~e4 fxe4 e ...ãg7 levaria a um com o desmantelamento do bloqueio.
ataque vitorioso. Mais tarde Lavendish assinalou que 41.ãgl+ Wt8 (não 41...ãg5?! 42.ãxg5+ tZ:lxg5
35.1l.b2 era um lance mais ousado para as brancas, 43.aS!) 42.ãaal?! (é mais enérgico 42.e5! b5
mas aqui também após 35 ...tZ:le4+ 36.~e4 fxe4 o 43.ãaal) 42...e5! 43.ãabl Cilg7 44.ãb4
cavalo domioant; das pretas força a análise da posi- No caso de 44.d.5!? 0ie8 45.~ ~8 45.ãg5
ção a seu favor. E verdade, sua vantagem dificilmen- 'Llg6 47.Aa a defesa das pretas seria bastante difi-
te será suficiente para a vitória: é possível 37.ãgl+ cil.
ãg7 38.ãxg7+ r:Jilxg7 39.@e2 (preparando f2-f3) 44... ãc7 45.Abl (impõe-se 45.ãb5 ãxb5
com bons recursos para uma luta obstinada pelo 46.axb5 .tid6 47.Aa4) 45... tDe6 46.ãdl ?!
empate." (Romanovsky) (46.Aai!) 46...™8!
34.t3! (finalmente as brancas acertam o plano O jogo começa a ''balançar''. Em uma situação
correto de romper com e3-e4) 34... tZ:lf7 35.ãaJ! nada fácil Cbigorin joga com muita engenhosidade

87
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

(ameaçando ...~ ) e no momento critico Lasker campeão mundial, e se manteve fiel aos seus princí-
não consegue suportar a tensão... pios! Foi uma batalha entre o par de cavalos contra
47.l:idl? o par de bispos em uma posição semifechada e com
Um erro crasso! Seria cômodo para as pretas centro de peões bloqueado. E no todo, embora
47.d5 ~6 48.~2 êu8b7 49..El.gl .El.g7 50 ..El.xg7 Lasker tivesse melhores possibilidades, não demons-
rtlxg7, mas o tranquilo 47.~c2! ainda deixaria as trou superioridade nas manobras estratégicas. No
brancas com as melhores chances. jogo complicado Chigorin manteve a flexibilidade
Vasiukov e Nikitin recomendaram "abrir o jogo de pensamento por toda a partida. Não é surpresa
através de 47.dxe5! l2::lc6 48.e6! [mas não 48 ..El.b5 que mais tarde Lasker tenha sempre procurado jogar
.El.xb5 49.axb5 l2::lcxe5 50.:13.dS We7! {embqra aqui a de forma mais simples contra ele.
vantagem seja das brancas: 5Uld4 lte6 52h4 - G.K)] Na opinião de muitos, o mestre russo jogou
48 .. .êufe5 49.it.c2 tàl3 50.ID>5 e as pretas teriam melhor que qualquer outro no torneio e antes da 203
que superar as maiores dificuldades." Mas após e penúltima rodada liderava de forma solitária! Mas
48 ...êZlxb4! 49.cxb4 ~a4 50.exf7.El.xb4 com igual- então, após não conseguir manter a tensão e "violan-
dade, as dificuldades seriam superadas bem depres- do o regime competitivo", perdeu uma partida
sa. inconcebível com as brancas para Janovsky, prova-
47...lZlc6! velmente a pior de sua vida.
Agora a iniciativa foi para as pretas e Lasker não
consegue encontrar o caminho da salvação.
48..El.b5 Partida 32
Tanto 48 ..El.xc4? êud6! quanto 48.1t.c2! exd4 M.Chigorin-D.Janovsky
49.~d4 êuxb4 50.cxb4 !:!h.5 são ruins para as Hastings 1895, 203 rodada
brancas.
Abertum Vienense C26
48... ãxa4 49.dxe5 êufxe5 {chegou a hora de
falar sobre a vantagem dos dois cavalos) 50.Ab4
ãg7 51.00 ãg6 52..E!.dd5 &153.~d8 1.e4 e5 2.êucJ êuffi 3.d3 (Chigorin nunca jogou
assim!) 3... d5 4.exd5? êuxd5 5.!Ne2? ~6 6.Ad2?
Ae7 7.0-0-0? 0-0 8.'tift3?? ~e6 9.~ge2 fS
10.'t!ih3 'i!fd6 11.êuxd5? 'tifxd5 12.~3 'tifa5

53...êud3+! 54.~xd3 (54.Wfl lt:icb4! com mate)


54...cxd3 55.ãxd3
Se 55 ..tg5, então 55.Jâxg5! 56Axg5 d2.
13.a3 Axa3 14.itibl Axb2+ 15.WXb2 'tifa2+
55....El.agl! 56.ID'S+ We8 57.it.g5 (desespero:
16.Wcl itid4, e as brancas abandonaram.
57Jàxf4 .El.6g2+ 58.We3 l:!el mate) 57....E!.6xg5, e
Os apontamentos nos lances das brancas foram fei-
as brancas abandonaram. Que massacre!
tos pela própria vítima.
Neste duelo de grande tensão, entretanto não sem
Este fato, em minha opinião, é ainda mais trágico
erros, importa não as variantes, mas o próprio con-
que o final da 23ª partida do segundo match contra
texto da partida. Chigorin jogava afinal contra o
Steinitz (Partida 26). Na verdade, como Tal costuma-

88
Wilhelm Primeiro

va dizer, todo enxadrista forja seu próprio destino 1.e4 eS 2.00 ~ 3..ic4 .icS 4.c3 <tlf6 S.d4
no torneio! No fim, Mikbail Ivanovich terminou a exd4 6.cxd4 .ib4+ 7.otic3!?
meio ponto do campeão, Pillsbury, a.quem derrota- A velha variante de gambito de Greco. A conti-
ra na primeira rodada em wn Gambito do Rei, mas nuação "principal" 7..td2 .ixd2+ 8.<tlbxd2 d5
à frente de Lasker, Tarrasch e Steinitz. 9.exd5 <tlxd5 IO.l!t'b3 é inofensiva em vista de
"Em Hastings uma vez mais constatei a força 10 ...<tlas! (mais simples do que lO ...<tice7 II.O-O
excepcional de Chígorin," escreveu Lasker poste- 0-012.lli'el c6) II.'tifa4+ilicomigualdade.
riormente. "Fiquei convencido de que inevitavel-
mente jogaria wn match com ele pelo campeonato
mundial." Lamentavelmente, o destino decidiu de
outra forma ...

O Velho Leão

7... dS?!
Bardeleben evita repetir a partida Steinitz-
Schlechter, na qual :pós 7 ...<tlxe4! 8.0-0 .ixc3
9.bxc3 d5 10..iaJ?! ~6? 1I.i.b5 ~6 12..ixc6+
bxc6 13.lz:le5 0-0 14.<tlxc6 'i!ffü as pretas mantive-
ram o equihbrio com dificuldade. O caminho corre-
to foi encontrado mais tarde no match revaoche
Steinitz-Lasker (Moscou, 3ª P.artida, 1896):
10... dxc4! 11.&1 .te6 12.nxe4 Wd5 13.1We2 0-
Wilhelm Steinltz 0-0 14.0ie5 .E.llie8, com saudável peão a mais.
E então, Steinitz concedera seu trono, tornando- Devo acrescentar que em 1899 surgiu o perspicaz
se assim. .. o primeiro ex-campeão mundial na histó- Ataque Mõller com 9.d5!? (ao invés de 9.bxc3) e
exatamente cem anos depois foram jogadas duas
ria do xadrez. O peso da idade se fazia sentir, mas
notáveis partidas nesse tema em Fritz6-Anand
em partidas isoladas o velho leão ainda podia mos- (Frankfurt, xadrez rápido 1999):
trar suas garras, relembrando a todos sua antiga 1) 9 .....ttõ 10.&1 lz:le7 11.nxe4 d6 12.~5, e
força. aqui no lugar de 12... 0-0? 13.<tlxg5 h6 14.1We2 as
No ápice do torneio de Hastings 1895, o verda- pretas deveriam jogar 12 ....ixg5 13.<tlxg5 h6
deiro "torneio do século", o ex-campeão, com seus 14.ife2 (favorece as pretas 14.<tlf3 0-0 ou
cinquenta e nove anos, venceu uma partida magnífi- 14.il,5+ .td7 15.lie2 .ixb5! 16.l!fxb5+ ifd7
ca, que recebeu o prêmio de beleza. Até então seu 17.'iWe2 l!;t'8 Barczay-Portisch, Hungria 1969)
adversário Curt Bardelebeo estava invicto, com 7,5 l4 ...hxg5 15.&1 .te6! 16.dxe6 f6, com uma luta
em 9, incluindo-se aí uma vitória sobre Lasker! aguda;
2) 9... lz:\e5! 10.bxc3 <tlxc4 I I.'iWd4 0-0! {mas
não l 1...oticd6? 12.'iWxg7 iff6 13.'iWxfü <tlxf6
14.&1+ ou ll...f5 - Schlechter-Lasker, Londres
Partida 33 1899) 12.'iWxe4 ~6 {é agressivo 12 ... b5!? -
W.Steinitz-C.Bardeleben Dzindzikhashvili-Karpov, l\íarzatlán, xadrez rápido
Hastings 1895, 10" rodada 1988) 13.'iWd3 b6! (isso já foi jogado várias vezes)
Giuoco Piano 04 14.hJ 'iWf6 15.l!fd4 'iWxd4 16.<tlxd4 .ib7
17.~d6 cxd6 18. <tlf5 g6 19.<tlxd6 ~d5 e as pre-

89
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

tas convertem o peão a mais. A forma moderna de 15.'i!le2?!


combater os gambitos consiste na devolução do Um imperceptível "arranhão no diamante". Por
material no momento certo, e está tudo acabado... quase todo um século os comentaristas procuraram
Essa informação de abertura explica porque a o caminho mais eficiente para o ataque. Em 1978 o
Italiana clássica com 4.c3 e 5.d4 ocorre com tão grande mestre 1. Zaitsev sugeriu 15.~a4!, mas após
pouca fre4?ência nos dias de hoje. 15 ...Wf7 (15 ... c6? ou 15 ...'iVd7? 16.~!, e contra
8.exd5 ~xd5 9.0-0! ~e6 15 ...Wd8?! há a escolha entre 16.&2, 16.~ e
É favorável às brancas 9 ... ~c3 10.bxc3 0-0
16.~ lãe8 17.&cl) não progrediu: 16.&cl
11.'ili'c2 h6 12.gel ~e6 13.~xh6 (Steinitz-
Schiffers, Rostov-on -Don 1896) ou 9 ... ~b6 'i!fd6! 17.'i!Yb3+ ~d5 ou 16.~ &e8 17.&cl
10.lãel+ ~e7 ll.~b3 0-0 12.d5 li:la-5 13.~2 a5! 18.°i!fa3 ~6 etc. E somente em 1983 Geller
<tlac4 14.'i!fd3 f5 15.~b3 làl6 16.ill'4 ~7 descobriu 16.~5+ fxe5 (16...Wf& 17.00! amea-
17.'i!fe3 lãf7 18.~d4 ~f6 19.&dl(Steinitz- çando ~f4, e se 17...g5, então 18.&cl c6 19.~a3
Blackburne, Nuremberg 1896). Também não se vencendo) 17.!!xe5 ~d6 18.°i!fc4+! Wf8 19.&el
obteve a igualdade com 9...~c3 10.bxc3 ~7 ~g8 (19 ... ~6? 20.lãf5+ ou 19...ges 20..lãle4 g6
(10 ... ~c3 Il.lib3 ~112.ii.xti+Wf'S 13.iW+ 21.&6! vencendo) 20.~ 'i!fc6 21.~+! Wf7
~e7 14.lãxal e as brancas ganham) 11.ill'4. 22.&5 °i!fd6 23.~c4+ Wf8 24.!!xc7 vencendo.
(Bilguer) 15...'i!ld7 (15 ...~d6? 16.lib5+ ~c6 l 7.t!i'b4 ~d6
10.Ag5~e7?! 18.°i!fxb7) 16.&cl
À luz dos acontecimentos, é melhor 10...°i!fd7 Keres sugeriu aqui 16.°i!fe4 c6 17.&2 Wf7
11.~xd5 ~d5 12J~el+ ~ ! (12 ... ~e7? 18.&el ~ 19.'i!fh.4 com alguma pressão, oma-
13.~xd5 'i!fxd5 14.~e7 ~e7 15.°i!fe2 'i!ld6 novsky sugeriu 16.d5 Wfi 17.lãadl &d8
16.'ifb5+) 13.&3 ~c3 (13 .. .f6 14.~d5 ~xd5 (17 ... ãhd8!?) 18.~e6+! (18.~d4 ~xd5)
15.ill'4) 14.bxc3 f6 15.M4 &8 16.~ com
18 ...'i!fxe6 19.dxe6+ 'it>g6 20.itih4+ Wh5 21.~7
pequena vantagem das brancas.
11.~xd5! ~xd5 12.lLJxdS ~d5 22.lãxd8! (22.luf5 lãxd7 23.exd7 lãd8
Se 12.~e7 ~e7 13.lãel 0-0 14.!!xe7 então 24.~g7+ Wh6! com igualdade) 22 ...!!xd8 23.~f5
14 ...~xf3! 15.t!i'el ~c6 16.'iVe5 lãe8 com igualda- Wg6 24.g4 com um peão a mais, mas será que é
de. suficiente para a vitória?
12...'i!lxd5 13.~xe7 ~e7 Também parece lógico 16.&dl !? Agora, confor-
Contra 13 ... çt>xe7 garante grande vantagem me análise de Zaitsev, é ruim 16...Wf7 (16 ...Wd8
14.lãcl mte8 (14 ...Wd7 15.°i!fa4) 15.&5 l!fd6 17.d5) 17.'i!fc4+ ~ (17 ...~ ? 18.~5+! fxe5
(15 ...°i!fxa2 16.'i!Vc2 Wd6 17.~5) 16.~c2, embo- 19.!!xe5) 18.d5 com grande vantagem, assim como
ra na partida Weiss-Seibold (por correspondência 16...~8 17.~c4 c6 (17 ...~ 18.~ c6 19.d5!
1933) as brancas obtiveram sucesso com 14.lãel+ cxd5 20.làl4 Wf7 21.~ E!de8 22.t!i'g4 ~f5
Wf8 15.'i!le2 f6 16.&cl !!c8? (16 ...Wf7!?) 17.lãc5 23.~xg7 com vantagem) 18.r!d.3 'it>ffi 19.~5!
'iVd6 18.'i!fc4 (18.'ifb5!?) 18...làls 19.WS ~c6 fxg5 20.ID:3+ ~f5 21.g4 g6 22.gxf5 gxf5
20.~e2! ~f7 21.~e7+ Wg8 22.~7 °i!fc4 23.d5! 23.°i!fc5+ etc. Entretanto após 16...Wffi! 17.d5?
14.&1 f6 (l 7.~c4 00! 18.~ Wf7 19.~ &e8 com
A posição crítica da variante.
igualdade, ou 18.lãe2 c6 19.~e 1 Wf7 com igualda-
de) 17... ~xd5 18.~g5! &8 (é inferior 18...fxg5
19.!i'O+ ~f7 20.'i!fxd5 ou 18...c6 19.~6+ @g8
20.~f4 lãd8 21.'ii'h.5 ~ti 22.'i!fO) 19.~O c6
20.°i!fa3+ @g8 21.~ (21.'iWW !i'c8!) 2 l...b6
22.b4! as brancas não tem mais a iniciativa pelo
peão. É verdade, as pretas precisam jogar com muita
precisão. Por exemplo, é ruim 22 ... f5? devido a
23.lug5 lãxel+ 24.!!xel g6 (24 ... h6? 25.~xa7
com superioridade).
16...c6?
Seria essencial 16... 'i!?h7!, sem temer o sacrifício
de qualidade - 17.~xe7+?! 'i!fxe7 18.!!xe7+ WXe7
19.I!xc7+ em vista de 19.. .'it'd6 20.!!xg7 (é ainda

90
Wi/helm Primeiro

pior 20 ..lâxb7? !!hb8 21..lâxg7 .lâxb2 22.h3 !!xa2 22.ãxe7+!


23 ..lâxht a5!) 20 ...!!ac8! 21.g3 &7, e as pretas tem Uma combinação maravilhosa! Também seria
um final bom. E se 17.l!lc4+ há (em comparação possível o prosaico 22.li)xh7 'i!fxg4 23.~f6+ e
com a variante com 16.~l) a resposta 17...00. ~xg4 com um peão a mais.
O sacrificio imediato do cavalo não dá em nada: 22...<t>fs!
17.lzJe5+ fxe5 18.dxe5 l!le6 19.ãxc7 ~d8! Contra 22 ... rtlx.e7 Steinitz calculou a variante
20.!!xb7 'i!?g8 ou l 7.~g5+ fxg5 18.l!lt3+ ~f5! 22 ... @xe7 23.ãel + ~d6 (23 ...~d8 24.~+ 'it>e7
19.g4 mte8. (Neishtadt) 25.~5+) 24.l!fb4+ ~7 25.~+ (25.&l+)
Tentei encontrar vantagem após 17.00, mas 25 ... ç!;it,8 26.l!ff4+ &7 27.~c7 1!fxc7 28.&8
sem sucesso: 17... c6 18.~ b6! (restringindo o mate, mas o computador mostra que 23.'t!Kb4+
cavalo) 19.'i!Nc4+ 'i!?g6! 20.'i!Nd3 (20.&3 ~f5 com ganha ainda mais depressa: 23 ...rJ.?es 24.&1+ ~8
igualdade) 20 ... 00 21.'i!Nb3+ ~f5 com igualdade. 25.™+ ou 23 ...'i!fd6 24.1!fxb7+ 'i!fd7 25.&l+
17.dS!! ~d6 26.l2\t7+.
Uma ruptura clássica no centro, estritamente de
23.ãf7+! (é evidente que não 23.'t!Kxd7?? !!xcl+
acordo com a sua própria teoria: aquele que tem a
nem 23.~c8+? - o motivo veremos no comentário
vantagem é obrigado a atacar! Ainda mais se isso
ao 25º lance) 23...c;t,gs (é sem esperança 23 ...1!fxt7
ganha forçado...
17...cxdS 24.!!xc8+ ãxc8 25.l!fxc8+ 'tife8 26.~xh7+)
Para a sorte do xadrez, Bardeleben não suspeitou 24.ãg7+! ©h8!
da ideia brilhante de Steinitz, caso contrário teria Evitando 24 .. ,g.>fg 25.li)xb7+! WXg7
jogado 17...Wf?. :Mas aqui também após 18.dxc6 26.'t!Kxd7+.
bxc6 (18 ...~c6 19.&dl) 19.&dl (também é
desagradável 19.'i!fc4+ 't!Kd5 20.'i!fxd5+ cxd5
21.&7 !!he8 22.~4) o computador indica por
toda parte +-, 19 ... 'i!Ne6 20.1!fxe6+ WXe6
21.~4+ ~ 22.~c6 ou 19... ~5 20.~4
&c8 2 l .1!fc4 com o inevitável ~c6 (por exemplo,
21...'tifg4 22.h3 't!Kf4 23.g3 l!fe4 24.&l l!fg6
25.li)xc6).
18.~d4 00 19.~6 (ameaçando &7)
19.. Jlbc8
Também não salvaria 19...&c8 20.l!fg4 g6
21.li)g5+ 'it>e8 22.!!xc8+ ou 19 ...lix6 20.~5!
!ff5 (20... 't!Kc8 21.l!fhs+) 21.~b7 l!fd7 22.là5
1!ff5 23.~ &c8 24.l!fa6 ~7 25.!!xc8 !!xc8
26.h3 &4 27.t3! com vantagem decisiva. 25.!!xh7+! O toque finall As pretas abandona-
ram. De forma mais precisa, Bardeleben repentina-
20.'t!Kg4! g6 21.~ 'i!te8
mente se levantou e deixou o salão em silêncio.
Depois enviou uma nota por portador apresentando
o seu abandono da partida.
:Mas Stei.nitz de bom grado demonstrou aos
espectadores o que aguardava as pretas: 25 ...Wg8
26.l:!g7+! Wb.8 27.'tih4+ @xg7 28.'i!Nh7+ Wf8
29.'tih8+ <tle7 30.'it'g7+ ©e8 (30 ...©d8 31 .'@f8+
l!fe8 32.~t7+ e l!fd6 mate ou 30 ...©d6 3 I .'tifxf6+
e a torre e 1 impede o rei de passar pela coluna e)
3 l .'i!fg8+! <tle7 32.'ii't7+ ©d8 33.1!ff8+ 1!fe8
34,li)f7+ Wd7 35.'i!fd6 mate.

Lembro as palavras sublimes de Hannak, biógra-


fo do primeiro campeão mundial: "Este foi o lampe-

91
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

jo final do sonho de juventude de Steinitz, do seu 12... cxd4! 13.~ (ou 13.exd4 ii.xb4 com iniciati-
brilhantismo, grandeza e alegria, ao vencer no final va ameaçadora) 13 ...ii.d7 14.~a6 dxe3 15.fxe3 c6
de um dia quente em 17 de agosto de 1895 a parti- 16.~2 ~ 17.~g3 fàl6 18.ii.d3 'i!fa8 19.'i!Nxa8
da mais bri1hante de sua vida." ~8 20.là:3 ~8 com grande vantagem (Lemer-
Hastings 1895 determinou os cinco jogadores Geller, 52° Campeonato da URSS Riga 1985).
mais fortes do mundo: 1.Pillsbury - 16,5 de 21 (a 7.lLlxe4! (mas não 7.ii.d3?! lLlxc3 8.bxc3 b6!
sensação do torneio!); 2.Chigorin - 16; 3. Lasker - com igualdade) 7...dxe4 8.'i!fc2 f5 9.ii.c4
15,5; 4. Tarrasch - 14; 5. Steinitz - 13. Mas qual Expondo a fraqueza do ponto e6.
deles era o mais forte? Por um breve período foi 9... ~ 10.a3 (prevenindo ~b4-d5 e liberando a
estabelecido um tipo de "república no xadrez". casa a2 para o bispo no caso de tà:6-a5) 10... ii.f6
Em seguida, em São Petersburgo (1895/96), foi
realizado um match torneio em seis rodadas entre os
quatro gigantes (Tarrasch recusou o convite), termi-
nando com um triunfo inequívoco de Lasker. E
ainda assim, em uma das partidas o jovem campeão
sofreu um desapontamento amargo.

Partida 34
W.Steinitz-Em.Lasker
São Petersburgo 1895/96, 4ª rodada
Gambito da Dama D35

l.d4 dS 2.c4 e6 3.W ~f6 4.il.f4 11.0-0-0!


Com frequência as brancas, se não jogam 4.Ji.g5 Uma decisão concreta: Ao pei:ceber que um ata-
(Steinitz-Anderssen, Viena 1873) ou 4.cxd5, jogam que de peões na ala da dama será respondido com
em primeiro lugar 4.~f3 e somente contra um contragolpe ... e6-e5, Steinitz muda o plano.
4 ... ii.e7!? 5.M4 0-0 6.e3, por exemplo: 6 ... c5! Agora as brancas planejam atacar o enfraquecido
7.dxc5! etc. (Steinitz-Burn, Hastings 1895). centro inimigo (f2-f3!) e potencialmente também a
4...ii.e7 ala do rei das pretas.
É mais enérgico 4 ... c5!, como jogou Lasker na u ...Wh8
sexta rodada: após 5.e3 (5.~b5?! cxd4!) 5 .. .t2:ic6 ''Esse lance e o seguinte preparam o avanço ... e6-
(também não é ruim 5 ... cxd4 6.exd4 dxc4 7.ii.xc4 e5: somente por esse caminho é possível realizar
~6 ~f3 ii.e7 com igualdade Zukertort-Steinitz, alguma coisa contra f2-f3" (Romanovsky) E, de
Nova Orleans, 13ª partida 1886) 6.~ a6 7.dxc5 fato é desfavorável 11...~7 (11...b6? 12.d5!)
ii.xc5 8.cxd5 ~xd5 9.~d5 exd5 10.ii.d3 ii.b4+ e 12.f3! êiJdS?! 13.fxe4 ~f4 14.exf4.
as pretas tem um jogo confortável. 12.t3 'i!fe7?!
5.e3 0-0 6.cS!? (na 2ª rodada foi testado 6.&l As pretas se apressam em jogar ... e6-e5, não se
c5 7.dxc5 ii.xc5 8.cxd5 exd5 9.~f3 ~6 10.ii.d3 satisfazendo com 12... exf3 13.~f3 'i!Ne7.
d4 ll.exd4 ~xd4 com igualdade) 6...™?! 13.ii.g3!
Até mesmo o grande Lasker subestimou o perigo Aceitar o sacrificio de peão com 13.fxe4? entre-
da restrição da ala da dama das pretas: a tentativa de garia a iniciativa para as pretas: 13 ... eS! 14.d5 exf4
organizar contrajogo no centro se revela favorável 15.dxc6 'i!Nxc5 ou 14.dxe5 ~e5.
ao adversário. 13... f4?!
O caminho correto foi encontrado quase um Muito típico de Lasker: ao cair em posições duvi-
século mais tarde: 6 ... b6! 7.b4 a5 8.a3 axb4 9.axb4 dosas, criava um monte de complicações, e desse
jeito conseguiu vencer um grande número de parti-
~xal 10.~xal ~6 11.~a4 bxc5!! 12.~xc6?
das interessantes e com muita luta. Mas nesse dia
(12.bxc5 ii.d7 13.ii.bS ~a8 com igualdade)
Steinitz estava impossível!

92
Wilhelm Primeiro

14.'i!i'xe4!! 24.!Khl!
Surpresa! Um belo sacrifício de peça, puramente Esse é muito mais forte do que 24.g6?! ~g6!
posicional. O cálculo das pretas se baseou no "natu- Após ~1-hl a catástrofe sobre o ponto h7 é inevi-
tável. O resto é simples.
ral" 14.ii.xf4? e5 15.dxe5 ~e5 16.'i!fxe4? .ifS!
24...!Kg6 25. 'WbS! !K6g7 26.!Kdhl ! 't!fxhS
17.'i!fxf5 ~c4 com vantagem
27.!KxhS !Kf8 28.!Kxh7+ !Kxh7(28 .. .'~g8
14...fxg315.hxg3 29.~g7+ r:Ji;xg7 30.I!h7+) 29.!!xh7+ ç!;>gs
As brancas tem apenas dois peões pelo bispo, mas 30.!!xd7 !!f7 31.it.c4!, e as pretas abandonaram
sua iniciativa é inesgotável.
15... g6?! O espírito de luta e energia demonstrados por
Lasker entrega o terceiro peão, esperando utilizar Steioitz, que estava com a saúde debilitada e longe
de sua melhor forma, não só nessa partida como em
a coluna g para a defesa. Se 15...h6, então 16.Ad3
todo o torneio, provocaram enorme admiração.
ou 14.f4 iu17 17.-tlf3 e g3-g4. Seria conveniente
Um ano mais tarde em Moscou (1896/97) o ex-
considerar 15 ... g5, contra o qual Steioitz disse que campeão perdeu para Lasker no primeiro match
pretendia jogar 16.f4 g4 17.-tle2 iu17 18.'t!fc2 revaoche da historia, ao iniciar com quatro derrotas
seguido de e3-e4-e5, e se possível dobrando as tor- sucessivas. Isso, no entanto, não o impediu de escre-
res na coluna h. Não seria fácil para Lasker suportar ver e enviar uma carta de congratulações ao seu eter-
a pressão. no rival Chigorin, que recentemente vencera o tor-
neio internacional de Budapeste:
16.'i!fxg6 .td7
".Meu caro amigo e estimadíssimo colega!
É ruim 16 ... e5? 17.d5!, enquanto o guloso
Por favor, aceite minhas mais efusivas felicitações em
16.Jãg8 17.'t!fe4 !lxg3 ?! apenas ajudaria o cavalo a
respeito à sua gloriosa vitória em Budapeste. Admiradores
chegar ao ataque: 18.-tle2 ~7 19.-tlf4. de nossa nobre arte ficarão sinceramente felizes pelo fato de
17.f4 !Kt7? o vencedor ter sido um representante da Rússia, que em
Agora as pretas estão condenadas. Seria mais anos recentes tem feito tanto pelo xadrev graças principal-
tenaz l 7 ...!Kg8, embora após l 8.'t!fe4 ~g3 mente ao seu gênio e à sua autoridade.
19.-tle2 !Kg7 20.I!h6 e !!dhl a pressão das brancas Permita-me assegurar-lhe que, dentre todos os mestres de
continuasse muito desagradável. xadrez que conheço, é ao senhor que desejo o maior suces-
18.g4 gg, (18...~8 19.'i!fh5 e g4-g5) 19.'t!fh6! so no futuro.
(o impreciso 19.!fh5? permitiria às pretas defende- Com saudações amigas, W.SteinitZ:"
Por algum motivo não me lembro de cartas assim
rem-se através de ~8-g6) 19...!Kxg4 20.W !Kg7
no severo século XX .. E isso apesar do caráter difi-
(é ruim 20 ...I!h4 21.~h4 iixh4 22.-tlf3 ~
cil, antissocial, e até mesmo brigão do primeiro cam-
23.&l ii.xe3+ 24.'i!ibl) 21.&LJt3 'i!ff7 22.g4! (o peão! "Ele tinha discussões onde quer que se insta-
ataque anda sozinho) 22...!KagS 23.gS .td8 lasse," escreve Znosko-Borovsky. ''Durante breves

93
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

visitas era animado, agradável e arguto, um aprecia- 25.~ee2 êz:ld3 as brancas teriam que combater a
dor de anedotas, capaz de recitar longos versos sem combinação 26 ... êz:ldxb2 27.!!xb2 êz:lxc3, por
nunca tê-los estudado, mas apenas de lê-los um par exemplo: 25 ..lãee2 êz:ld3 26.&d2 Aa5 27.iiliS 'i!fe7
de vezes. Admirava a música de Wagner, a qual 28.êz:le2 (defendendo o peão c3 no caso de
podia escutar por várias horas. Mas tomava-se intra- ... êz:lxb2) ou 26.'i!fal Aa5 27.b4 ii.b6 28.iv<b6
tável onde quer que se estabelecesse de forma per- éz:::ixb6 29.êz:::iel êz:lf4 e 30 ... a5, e em ambas as varian-
manente. Fazia, dizia e escrevia o que considerava tes com um jogo dificil para as brancas." (Euwe)
necessário ou correto, ao ignorar por completo a 25...gxh4 26.êz:::ixh4 êz:ld3 27.!Ifl
repercussão que resultasse, ou a resposta que provo- Um sacrificio de peão praticamente forçado.
caria. Pouco depois da sua chegada à América, difi- Contra 27.~ee2 é forte 27...~g8! (27 ...êz:ldxb2
cilmente encontrava uma cidade disposta a convidá- 28.~b2 êz:lxc3 não é claro) 28 ..th5 (281!ed2
lo a ministrar uma exibição de partidas simultâneas. ii.b6) 28 ...l!!Yf8 29.êz:lfl .tb6! 30.ii.xb6 axb6 segui-
Isso é compreensível: uma de suas primeiras ações do de ...l!i'h6 ou ...êz:lf4.
ao chegar foi criticar de forma destrutiva a Morphy, 27...êz:laxb2 (27 ...!!g8?! 28.b4) 28.'i!VB ii.b6
o gênio norte-americano." 29.Wh2 .l:!g8!?
Durante o match de volta em Moscou Steinitz ''As pretas podiam trocar os bispos (29 ...iv<e3)
começou a sofrer problemas de saúde bastante mas não se apressam com essa troca, na medida em
sérios. Posteriormente veio a passar quase um mês
que, após a saída do bispo em e3, o seu bispo em b6
inteiro internado numa clinica. Mas mesmo sob
impedirá a manobra de ataque com .lãhl e Wgl."
condições tão dificeis, jogando contra um adversário
(Euwe)
jovem e muito forte, o velho mestre era capaz às
30.ii.h6 W!fe7 31.êz:lhS (aparentemente preparan-
vezes de criar obras genuínas de arte estratégica.
do uma combinação) 31 ... i.e8!
Um elo muito importante da defesa!
Partida 35 32.W!fh3 (ou 32.êz:lg3 êz:::ia4 33 ..th5 Aa5 34.êz:le2
Em.Lasker-W.Steinitz êz:lac5 etc.) 32...êz:la4
Match Revanche Surgiu uma posição bastante pitoresca: onde já se
Moscou 1896/97, 8ª partida viu tantas peças na coluna h?

33.i.13?!
Retirada! Muitos analistas não entenderam por
23... g5!
Atrasando o ataque das brancas e buscando a que Lasker não jogou 33.êz:lg6+!? O computador
invasão do cavalo em d3. É ruim o imediato resolve esse problema em poucos minutos:
23 .. .'~)bc5? em vista de 24.fxg6 hxg6 25.iv<d7 33 ...i.xg6 (é claro que não 33 ...hxg6? 34.êz:lxf6!
êz:lxd7 26.'i!fg4 .lãg8 27.êz:lhf5! com vantagem. ~g7 35.iv<g7+ 'i:t>xg7 36.'ilfb7+ 'i:t>xf6 37.fxg6+
24.êz:lt3 êz:lbc5 25.h4!? êz:lf4 38.'i!fh4+) 34.fxg6 i!xg6 35.êz:lxf6 (35.~f6?
''Abrindo linhas para favorecer o ataque. Após ~xf6 36.~5 êz:lf4!) 35 ...!!xf6! 36.i.g5 &f8 (é

94
Wllhelm Primeiro

mais modesto 36.. J:!xfl 37.ii:xe7 AgI+ 38.©hl


(38.Wg3?! lãg8!) 38 ...~+ com xeque perpétuo)
37.~f6 E!xf6 38.id'S <i!?g8 39.1Wh4 (ou o imediato
39.ib<f6 l!fxf6 40.l!fxh7+ 'i!tffi) 39...~d8 40.~6
l!fxf6 41 .'i!fxh7+ ~ e além da vantagem material
as pretas mantém as chances de vitória.
33... ~acS (33 ...h5!?) 34.ãel
E novamente Lasker rejeita 34.li:)g6+!? Ji:xg6
35.fxg6- é bem possível que não visse nada de bom
após 35 ... lãxg6 36.li:)g3 &g8 37.~f5 l!fd7
38.~ ~xe4! 39.ii:xg6 lãxg6 40 ..te3 .iaS.
34... ~d7 (34....ias vencendo) 35.g3 as (agora
as brancas estão muito mal) 36.~ b4 37.~ 55...ãdS?
l!c8 (é mais simples 37...kxe3 vencendo) 38.~dl Resultado do cansaço. As pretas venceriam facil-
(38.cxb4 axb4 39.ãc2 c3!) 38... bxc3 mente com 55 ...IDc7, ou 55 ...&1! 56.~g2 ãsc2+
'½inda mais forte seria 38 ... b3 e .Ji:J7c5." 57.©f.3 &3+ 58.<i!?g4 &4 59.lãb8+ &8.
(Euwe) 56.ãb7!, empate em vista de 56 ... l!fxb7
39.~xc3 Ad4 40.Adl (40.~l ~ ) ·(56 ...ãc7? 57.lãxc7 'flxc7 58.'flxf6+ Wg8
40... ~7c5 (40 ... lãbS!?) 41.'i!ih4 AxhS 42.~hS 59.Af?+!) 57.'i!fxf6+ 'tilg7 (57 ...<i!?g8? 58.'i!fxdS+
ãb843.~1~4 <i!?g7 59.~!? &8 60.f6+ 'i!ih.6 61.'i!fxd6 etc.)
Ameaçando c4-c3. Também não é ruim 58.'i!fxd8+ 'i!fg8 59.'i!ff6+ com xeque perpétuo.
43 ...1:!bl !?.
Ao final do match revanche, Steinitz com muita
44.~xas &8 45.Ad2
dignidade esclareceu à imprensa seu jogo fraco: "Por
Ou 45.~el ~el 46.1:!fxel c3 47.&2 l2lb2 que estou perdendo de forma tão infame?
48.~c3?! lãgc8 49.~b2 (49.&cl? 00 vencen- Principalmente porque Lasker é o jogador mais
do) 49 ...~xc3 50.&e2 ib<b2 51.lãxb2 ãcb8 forte que já enfrentei, talvez o melhor de todos que
52.&2 ãb4 vencendo. já existiram, e simplesmente não estou em condições
45... c3 46.~xc3!? de suportar neste momento uma luta com um mes-
Uma chance desesperada. Contra 46.~6 as pre- tre de alto nível. Um enxadrista, como um coman-
tas tem a escolha agradável entre 46 ...l2lab2 47.l2le3 dante no campo de batalha, não tem o direito de
Axe3 48.ib<e3 ãxa2 e 46 ...E!gc8 47.l2le3 ib<e3 adoecer."
Sua última proeza heróica foi conquistar o quarto
48.ib<e3 c2.
prêmio no torneio maratona de Viena em 1898. Em
46... ~xc3 47.~xc3 ~xc3 48.!If3 li)ct 49.Iicl
seguida as forças de Steinitt o abandonaram. No
liN2 50.ãfxc3 ~ 51.Iixc3 Iigc8 final do século, participou de seu último torneio
Chigorin recomendou 51...E!g5!? 52.At:3 (ou (Londres 1899), e apesar de não ganhar um prêmio
52.g4 &2+ 53 .'éth3 l!fa7 54.Ag6 &3 55.lãxa3 pela primeira vez em sua carreira, no final venceu
1!fxa3+ 56.<i!?gi l!fa7) 52 ...&2+ (52 ...Wg7!?) uma partida contra Janovsky, que viria a ser a última
53.'i!ih.3 Wg7 54.g4 h5 55.gxh5 'i!fa7 56.'i!fel de sua vida.
(56.h6+ 'i!ih.7) 56 ...'i!ff2 57.'i!fxf2 E!xf2 58.~l O grande mestre terminou seus dias no despertar
ID1 59.Af3 ©h6 seguido de ...ãggl e ...Wg5-f4. do século XX, na pobreza em um asilo mental em
52.Iib3!? Iial+ 53.Wh3 &cl (53 ...&l vencen- Ward's Island, não muito longe de Nova Iorque.
Chegou lá de barco, agarrando ao peito um peque-
do, mas não 53 ...&c2?! 54.lãb8+ <i!?g7 55 ..te2!
no tabuleiro de xadrez, que imaginava produzir uma
com igualdade) 54.!!b6 (última tentativa de agitar a
corrente elétrica a mover suas peças e a derrubar as
água) 54...Iilc3 55.i.g6 (ameaçando E!xd6) inimigas. Ansiava por jogar contra Lasker e contra
Deus, e estava certo de que venceria ambos. ..

95
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

Uma inscrição adequada para a sua lápide teria Xadrez é dificil, exige trabalho, reflexão séria e pes-
sido as palavras de Chigorin: ''Este foi sem dúvida quisa zelosa. Somente a critica honesta e imparcial
um gênio do xadrez, um dos maiores que já viveu. leva ao objetivo. Infelizmente muitos consideram a
Considerava o xadrez uma arte, o que respeitava critica um inimigo, ao invés de verem nela um guia
sobremaneira nele. Nossa luta sobre o tabuleiro for- para a verdade".
çou-me a passar tanto momentos de intenso prazer
quanto períodos de desalento". Lasker: "Steinitz foi um pensador que merecia
Nos seus anos de declínio Steinitz uma vez afir- uma cátedra universitária. Não foi um jogador, ao
mou sobre si: "Não sou um historiador do xadrez, contrário do que o mundo acreditava, o seu tempe-
sou um elemento da historia do xadrez, o que nin- ramento estudioso tomava isso impossível. O pen-
guém pode negar. Não escreverei sobre mim sador foi tomado por um jogador e ao final morreu
mesmo, mas tenho certeza que alguém o fará ..." E pouco valorizado pelo mundo."
de fato muitos escreveram sobre ele. Os mais ilus-
tres divulgadores de suas ideias foram Tarrasch, Capablanca: "Foi Steinitz o primeiro a estabele-
Lasker e mais tarde Euwe. Da sua escola surgiram cer os princípios básicos gerais da estratégia no
Pillsbury, Schlechter, Maróczy, Rubinstein, xadrez. Foi um pioneiro e um dos pesquisadores
Capablanca... e Alekhine - que admitiu aprender mais profundos da verdade do jogo, ignorada por
mais com Steinitz do que com qualquer outro mes- seus contemporâneos".
tre do passado.
É claro, muita água rolou desde então, e muito Alekhine: ''.A contribuição de Steinitz em seu
mudou no enfoque ao xadrez. Assim, com a melho- auge à teoria do xadrez é muito superior à dos nos-
ria na técnica defensiva tomou-se extremamente sos estudiosos domésticos, mas é evidente que não
dificil conseguir alguma vantagem sem risco. É pre- se pode concordar com suas opiniões desmerecedo-
ciso lutar pela iniciativa por outros meios muito ati- ras sobre Morphy."
vos, por vezes arriscados, mesmo ao custo de enfra-
quecer a própria posição. Isso dificilmente alegraria Fischer: "O conhecimento 'de livro' de Steinitz
Steinitz. No entanto, não há outra forma de se aper- não se compara ao de Morphy. Onde Morphy se
feiçoar a defesa. satisfazia em jogar uma linha conhecida na abertura,
Quero novamente concluir este capítulo com Steinitz procurava sempre alguma completamente
algumas notáveis opiniões dos reis do xadrez. original. Em comparação a Morphy, entendeu
melhor o uso das casas e contribuiu bem mais à teo-
ria de xadrez".

Petrosian: "O significado dos ensinamentos de


Steinitz é que mostrou que o xadrez em princípio
tem natureza lógica estritamente definida".

Steinitz: ''Xadrez não é para os covardes, absor-


ve a pessoa por completo. Para chegar ao fundo
deste jogo, é preciso sacrificar-se à escravidão.

96
CAPÍTULO TRÊS
EMANUEL SEGUNDO

O segundo campeão mundial Emanuel Lasker jogador, mas também um pesquisador do xadrez.
(24 dezembro 1868 - 11 janeiro 1941) manteve a Quando não estava jogando, estava pensando (e nem
coroa por vinte e sete anos, e é pouco provável que todos os mestres são capazes disso) preparava-se
seu recorde com o título de campeão do mundo para os torneios e alcançava o sucesso. Lasker foi tal-
venha a ser quebrado. Era um homem de vasta cul- vez o primeiro dos grandes mestres a compreendei: a
tura, doutor em filosofia e matemática, autor de tra- importância da preparação para as competições.
balhos científicos e livros, incluindo-se aí o seu Antes dele evidentemente estudava-se xadrez, mas
famoso Manual oJ Chess e até dramas histórico filosó- de forma genérica, e ainda não se sabia fazer uma
ficos. preparação concreta, voltada de forma específica
Sabedoria, poderoso intelecto, profunda confian- para um torneio. A preparação de Lasker contribuiu
ça em si e em seu senso comum, e é claro, seu enor- para sua universalidade enxadristica. Não tinha 'gos-
me talento natural para o xadrez permitiram que tos', não tinha um 'estilo', fazia tudo igualmente
Lasker competisse com sucesso com os melhores bem: na defesa e no ataque, em posições tranquilas e
jogadores do mundo até os 68 anos! Antes dele a his- nas complicações, no meiojogo e no final Por isso, o
tória ainda não tinha visto um caso do gênero, e em principal objetivo de sua preparação era estudai: as
anos posteriores somente vem à mente os nomes de características do estilo de seu adversário. Lasker
Smyslov e Kortchnoi. .. sempre se esforçava pan criar uma situação no tabu-
Lasker era, juntamente com Tarrasch, seguidor leiro na qual seu adversário se sentisse insegui:o. ..
da teoria posicional de Steinitz, mas ao compreender Conhecia seus adversários à perfeição, suas virtudes
com profundidade notável as leis da luta no xadrez, e suas fraquezas. Lasker era um grande psicólogo...".
foi mais além Botvinnik expressa isso muito bem: Lasker manifestou-se a favor de profissionalismo
"É surpreendente que, ao longo de uma carreira no xadrez e pela ''união do mundo do xadrez em
tão longa e brilhante, Lasker tenha jogado relativa- uma oi:ganização efetiva" (como a F1DE ou a
mente pouco. .. Isto indica que não era somente um GMA). Sugeriu que fossem dados direitos autotais

97
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

aos jogadores sobre suas partidas, enxergando nisso


a base material do profissionalismo; apesar disso, Partida 36
atualmente esta ideia, que tem sido de forma ardoro- Em.Lasker-J.Bauer
sa sustentada pelo grande mestre Sveshnikov, dificil- Amsterdã 1889
mente será exequível... Abertura Bird A03

Xadrez ou Matemática?
Lasker nasceu na pequena cidade de Berlichen, 1.f4 d5 2.e3 l2ll"6 3.b3?! (é mais preciso 3.~f3!
perto da fronteira de então entre Prússia e Rússia, não permitindo 3... d4!) 3... e6 4.i.b2 JJ.e7 5.i.d3
numa família pobre de um cantor de sinagoga local. b6 (também não é ruim 5... c5) 6.~f'3 (6.~e2!?)
Aos doze anos o garoto, que demonstrava uma habi-
6...i.b7 (6 ... ~a6!?) 7.~3 ~bd7 8.0-0 0-0
9.~e2(9.~5!) 9...c5
lidade rara em matemática, foi mandado para uma
Evidentemente é mais seguro 9 ... ~5 e ... ~d3.
escola em Berlim, sob os cuidados de seu irmão mais
10.~ ~c7 (10 ...ê2:Je4!?) 11.~eS ~xe5
velho Berthold, que estudava na faculdade de medi-
Na opinião de V. Zak, é melhor l l...d4 12.exd4
cina. Foi ele quem ensinou Emanuel a jogar xadrez,
cxd4 13 .ii.xd4 .tc5 ! com igualdade, mas aqui nem
o presenteou com um livro de xadrez e começou a
tudo está claro após 13.~e2! ~d6 14.&el ~5
levá-lo a um café, onde conseguia algum trocado
15.f5.
jogando a dinheiro. 12.i.xeS ~c6
O garoto ficou tão cativado pelo jogo que seus Com a ideia óbvia de d5-d4.
pais ordenaram a Berthold transferi-lo para uma
outra escola. Contudo (ah, Providência.,, seu diretor e
professor de matemática era o presidente e campeão
do clube de xadrez local! Assim, felizmente o xadrez
andou de mãos dadas com a matemática até terminar
a escola em 1888. Lasker ingressou na faculdade de
matemática da Universidade de Berlim e, como seu
irmão mais velho, ajudava a ganhar o seu sustento
jogando a dinheiro (teria nascido aí seu hábito dura-
douro de jogar cada partida com total intensidade,
como se fosse a mais importante de sua vida?).
Lasker terminou seu primeiro torneio no
Kaiserhef Ct:(é com um escore de 100%, e logo tam-
bém venceu um torneio secundário no Sexto 13.\!He2!
Congresso da União Alemã de Xadrez (Breslau Um lance psicologicamente sutil ao defender de
1889). É curioso que o vencedor do torneio interna- forma profilática o ponto f2 e ameaçar M5, o que é
cional principal tenha sido seu futuro adversário um engodo, pois o bispo está de olho em outra dire-
(casualmente, um colega e amigo de seu irmão ção! "Se Lasker de fato planejou tudo até o fim,
Berthold) Doutor Siegbert Tarrasch, aclamado pela então por que ele jogou o 13º lance com a dama?",
imprensa como o "sucessor de Anderssen"... escreve Boris Vainstein em seu livro Jv!yslitel (O
Após conquistar o primeiro lugar e o título de Pensador, 1981). ''Afinal de contas, a combinação
mestre, o jovem Emanuel, com seus vinte anos de também funcionaria com a dama em dl..." Nada
idade, recebeu também seu primeiro convite para um disso! Após 13.~ d4! não há uma vitória aparen-
torneio internacional, o de Amsterdam 1889: 1.Bum te para as brancas:
7 em 8; 2.Lasker 6; 3.Mason 5,5; 4.Van Vliet 5; 1) 14.lât2 dxe3 (também é aceitável 14... ~xh5
5.Gunsberg 4; 6.Bauer 3,5 etc. Aqui teve a felicidade 15.~xh5 f5 16.exd4 ~d7 17.c3 ii.c6, mas não
de conduzir uma combinação brilhante, que setor-
14...~e8? 15.ii.xg7! ii.h4 16.~g4 ii.xf2+ 17.~f2
nou um exemplo clássico do sacrificio destrutivo do
f5 18.~g5 dxe3+ 19.dxe3 .l:!t7 20.i.e5+ Wf8
par de bispos.
21.~dl) 15.dxe3 ~h5 16.ii.xh7+ (16.'i!fxh5 f.5

98
Emanuel Segundo

17.lãdl &d8 com igualdade) 16...Wxh7 17.'i!i'xh5+


Wg8 18..ixg7 Wxg7 19.'i!i'g4+ 'it1h.7 20.'t!Bh5+
Wg7com igualdade (21.E'.O 'i!fxf3 22.gxf3 !!.h8 com
igualdade).
2) 13.~ d4 14.~f6+ gxf6! (é perigoso para
as pretas 14....ixf6 15.'i!i'g4 .ixe5 16.fxe5 dxe3
l 7.dxe3 &d8 18.!!.0 com vantagem) 15 ..ixh7+
(15.'i!i'g4+ ~8 16.'i!9hl 'i!i'xg2+!) 15 ...Wxh7
(15 ...Wh8? 16.e4! fxe5 17.'t!i'h5 Wg7 18.E'.O)
16.'i!ihS+ Wg7 17.!!.0 !!g8 18.!!.gJ+ Wf8 19.'i!rb6+
'it'e8 20 .!!.xg8+ 'iatd7 21.!!.g4 (ou 21.!l.g7 fxe5
22.fxe5 !fe4 23.00 E'.f8) 21...fxe5 22.fxe5 dxe3
23.'fWxe3 f5 com jogo de duplo corte.
13...a6? 15..ixb7+! (é claro que não 15.t!fxh5? f5)
Bauer cai na rede, embora tivesse uma opção 15... WXh716.'i!Bxb5+ <i!?g8 17..ixg7!!
razoável entre 13 ... l2Je4 (13 ... E'.fd8?! 14.fS) Esse duplo sacrificio de bispo é marca registrada
14.i.t:\xe4 dxe4 15 ..tc4 (15.~5 'i!fc8 16.'i!i'g4 f6 de Lasker (posteriormente, em São Petersburgo
17.~2 ~ com igualdade) 15 ... f6 16.~3 !fd7 1914, Tarrash bateu Nimzowitsch de forma similar -
17.fS ~ 18.fxe6 !fxe6 19 ...ixdS !fxd5 20.!fg4 partida 51, vf). Modernos programas de computador
E'.f7com igualdade e 13 ... i.t:ld7 14.~ (14.~2 encontram essa combinação com uma velocidade
idõ) 14... f6 (não 14...~e5? 15.fxe5) 15.~5 assustadora: no cálculo da linha principal de 15 lan-
!fc8 16.'iig4 E'.f7 17.~2 a6 18.li.e2 !fc6 com ces o Fritz por exemplo não gasta mais do que 13
igualdade. segundos!
14.i.t:lh5! (o sinal para o início de uma tempesta- 11...wxg7
de feroz sobre a fortaleza do rei preto) 14... i.t:lxh5 Contra 17... fS há a opção entre 18.E'.f3 .tf6
Incóvel, mas a posição das pretas já está pratica- 19..ixf6 !!.xffi 20.&3! Wf8 21.!fg5 e5 22.!!.h7
mente pen:lida: vencendo, e 18..ie5 E'.f6 19l!f3 Wf8 20.E!g3, ven-
t) 14... d4 15 ..txf6 .txf6 I6.!fg4 'i!?h8 (16 ...e5 cendo, e contra l 7... f6 as brancas podem optar entre
17..ie4!) 17.!!.0 !!.g8 (17... dxe3 18.~ffi gxf6 18..th6 e 18.!!.0 !fe8 19.'i!fh8+ W 20.'i!rb7 !fc6
19.'t!i'h4) 18..ixh7! !!.gd8 19.'i!rb3 li.e7 20 ..ie4! 21.Wh.5+!, vencendo.
vencendo; 18.'iig4+ 'i.t>b7 19.ãt'3 e5 20.E'.h3+ 'i!fb6
2) 14 ...i.t:le8 15 ..ixg7! c4 (15 ...~g7 16.'iig4 21.E'.xh6+ WXh6 (ao entregar a dama as pretas evi-
ou 15... fS 16..ixf8.ixf817.a4) 16.1'.d4f517.bxc4 tam o mate, mas não a derrota) 22.'i!Bd7!
dxc4 18 ..ixc4 b5 19.~3, vencendo (Fritz); Ganhando uma peça e com ela a partida.
3) 14 ... h6 15 ..ixf6 (ou 15.i.t:lxg7 Wxg7 22...~ 23.'i!Bxb7 Wg7 (23 ...exf4 24.'i!Bxb6
16.'i!i'g4+ 'i!a1h8 17.l!fh4 Wg7 18.!!.fl vencendo) Wg7 25.llil vencendo; 23.Jlab8 24.\!lxdS lâbd8
15 ....ixf6 16.~f6+ gxf6 17.!fg4+ 'ith8 18.E'.O! 25.Vc6 Wg7 26.d3 vencendo) 24.E'.fl E'.ab8
(mais preciso que 18.l!fh4 rJi1g7 19.E'.O E'.fd8 25.\!ld7
20.!l.g3+ Wf8 2I.'i!fxh6+ 'it'e7) 18 ...!!.g8 19.'i!fh4 Ou 25.'i!BxdS &d8 26.'i!i'O !!.xd2 27.'i!Vg4+
Wg7 20.!!.g3+ Wf8 21.E'.xg8+ Wxg8 22.!fxh6 f5 'i!a1h7 28.!ffS+ <t1g7 29.fxe5 vencendo.
23.E'.fl vencendo; 25...E'.fd8 (25 ... e4 26.!fxdS E'.fd8 27.!fxe4
4) 14...E'.fd8?! (única forma de evitar um colap- !!.xd2 28.g4 !!.h8 29.g5 vencendo) 26.!fg4+ 'i&t'8
so imediato) 15.i.t:lxf6+ .ixf6 (15 ... gxf6 16.'i!fh5 27.fxe5 .tg7 (27 ....txe5 28.!ff5) 28.e6 E'.b7
Wf8 17.ii'h6+ e .ixf6 vencendo) 16..ixh7+! 29.'i!fg6 f6 30.E'.xf6+! .ixf6 31.'9!fxf6+ 'i.t>e8
(16 ..ixf6 gxf6 l 7.!fg4+ ©ffi, mas não l 7...'i!ib8? 32.'i!fh8+ We7 33.!fg7+, e as pretas abandonaram:
18.'i!Hh4 f5 19.!ff6+ e E'.f3) 16... rJ;tB (16 ...Wxh7? 33 ...Wxe6 34.!fxb7 lãd6 35.\!lxa6 etc.
17.'i!ihS+ 'i!?g8 18~xf6 gxf6 19.l!fh6! e E'.f3 ven-
cendo) 17..ixf6 gxf6, resistindo com um peão a Após voltar a Berlim, Lasker venceu um mini
menos. match contra Bardeleben (+2-1=1) e em seguida

99
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

esmagou pelo placar de +5=3 ninguém menos que com o resultado de 13 vitórias nas 13 partidas dispu-
J\fieses, o terceiro colocado no congresso em tadas (quatro pontos e meio à frente de Albin e seis
Breslaul à frente do jovem Pillsbury). Isso de imediato causou
Em 1890 viajou para a Inglaterra, onde derrotou uma boa impressão, mas mesmo antes disso, em
Birei, Englisch e vários outros mestres. O nome de agosto, enquanto Tarrasch e Chigorin apenas se pre-
Lasker tornou-se conheàdo por toda a Europa. Um paravam para o match de candidatos, Lasker., sem
ano mais tarde, o futuro campeão mundial novamen- maiores delongas, lançou o desafio a Steinitz. O
te visitou a nevoenta costa britânica e logo se estabe- velho campeão, que já havia declarado ter sido seu
leceu em Londres por um bom tempo, como já o match com Chigorin "o último", aceitou o desafio,
tinham feito Steinitz e Zukertort, respectivamente pois nunca evitava uma boa briga!
trinta e vinte anos antes. Lá as apostas eram mais O match Steinitz-Lasker foi realizado de 15 de
altas, e havia a sedução da imagem, ainda não total- março a 26 de maio de 1894 em Nova Iorque,
mente perdida, de capital mundial do xadrez ... Filadélfia e Montreal. Jogaram, como era o costume
então, até o primeiro a ganhar dez partidas, com con-
O Rei Não Reconhecido trole de tempo de duas horas para os primeiros trin-
Conforme já comentamos, em 1892-1893 ta lances e em seguida uma hora para cada quinze
Steinitz tinha três rivais sérios para o trono: lances. O prêmio era de $2.250 para o vencedor e
Chigorin, que disputara os dois matches anteriores $750 para o perdedor. No caso do campeão perder,
pelo título mundial (1889 e 1892), Tarrasch, que fora teria o direito a um match revanche.
o vencedor dos torneios de Breslau 1889, O iníào da disputa realmente foi intrigante e san-
Manchester 1890 e Dresden 1892, e Lasker, que esta- grento. Na primeira partida Lasker passou a perna
va em ascenção. Os sucessos de Lasker ainda eram em seu adversário "à la Bronstein", mas Steinitz teve
modestos mas constantes: vitórias convincentes nos sua revanche de forma espetacular na segunda parti-
dois torneios na Inglaterra em 1892, e vitórias mas- da. Então os jogadores novamente trocaram golpes
sacrantes sobre Blackbume (+6=4) e Bird (+5=0). pesados e continuaram com dois empates com muita
Percebendo que para se candidatar à coroa mun- luta (em ambos os casos Steinitz tinha um peão a
dial isso seria insufiàente, Lasker desafiou Tarrasch mais). Após seis partidas o placar estava igualado em
para um match. Como resposta, Tarrash informou 3 a 3, e o momento de virada foi a tremendamente
que aceitaria o desafio, mas somente quando o intensa e dramática sétima partida.
"jovem rapaz" alcançasse o primeiro lugar em um
torneio internaàonal forte, explicando sua recusa
imediata da seguinte forma: ''.Já que no momento Partida 37
existem no mundo jogadores cujos sucessos são Em.Lasket-W.Steinitz
superiores às vitórias de Lasker na Inglaterra, seria Camp. Mundial, EUA/Canadá 1894, 7" partida
injusto com eles. Se Lasker quisesse testar a própria RJ9'úpez_C.i2
força, não deveria ter evitado partiàpar no torneio
de Dresden...".
E naquele momento Tarrasch deàdiu jogar um 1.e4 e5 2.00 li)c6 3...ib5 d6 4.d4 .itd7 5.~
match contra Chigorin. Mas o seu embate em São l2:)ge7
Petersburgo no outono de 1893 não determinou um A defesa clássica de Steinitz.
vencedor: +9-9=4 (este match foi descrito no 6..ile3
Capítuh Dois desse livro). Até então Lasker jogava 6..itc4, mas na 5ª parti-
Mas o que o desprezado Lasker faria com as suas da após 6...exd4 7 . ~ ~d4 8.'i!fxd4 tZ\c6
ambições? Não havia nenhum grande torneio em 9.'i!fe3 ~ (não iguala 9...0.e5 10..tblf6 ll.'i!fg3
perspectiva, e ao final de 1892 partiu para uma longa ou 10...Ae6 l l.f4 lõg-4 12.l!fg3, como na 1ª e 3ª
temporada na América, onde venceu matches contra partidas; 9 ... Ae7!?) 10.00 Ae7 ll..itd2 0-0
Schowalter (+6-2=2) e outros mestres cubanos e 12.0-0 ~5 13.Ji.b3 Axd5 14.~d5 c6 15 ..tb3
americanos. Depois, no outono de 1893, ganhou o l2:)d7 16.&dl a5 17.c3 a4 18..ilc2 &8 19.'i!fh3
primeiro prêmio em um torneio em Nova Iorque, ~f8 20.Ae3 'i!fa5 as pretas obtiveram posição sufi-
cientemente sólida.

100
Emanuel Segundo

6... ~6 7.'i!id2 ii.e7 8.0-0-0 (se 8.0-0 0-0 c5! 19.ii.c3 d5 20.'i!fxd5 .tlf4 21.°i!fxf5 ~e2+
9.iwll, então 9...ii.g4! Dvoretsky) 8...a6 9.ii.e2 22.C~bl .tlxc3+ 23.bxc3 'i!lb6+ 24.Wal 'i!t'xf6
e><d4! (24 ... g6!? 25.'i!ff4 &6 Dvoresky) 25.'i!fxf6 gxf6
Contra 9 ... 0-0?! é desagradável 10.dxe5!, por com peão a mais, e após l 6.exd5 lãxe3 ! l 7.fxe3 (ou
exemplo: 10... êz:)gxe5 ll.liJxe5 ~e5 12.f4 com ini- 17.gxf6~5 18.fxg7 'i!ff6) 17...ii.xg5 e 'i!fe7 as pre-
ciativa. tas tem compensação estável pela qualidade: come-
10.~xd4 ~xd4 ll.'tifxd4 çam a aparecer os contras do avanço g2-g4.
"Não permitindo a troca dos bispos após 16...ãeS 17.'tifdl
1l.ii.xd4 ii.g5!" (Zak). É verdade, 12.ii.e3 ii.xe3 Após 17.'i!ixb7 ii.xg5 18.ii.xg5 ãxg5 migl
13.'i!fxe3 resulta em mínima vantagem para as bran- &5! as pretas tem jogo fácil: ...a6-a5, ...ID>8 e
cas. depois ataque aos peões da ala do rei com ... 'i!fh4 ou
11 ... Ji.f6 12.'i!fdl ii.c6 (ou 12...0-0 13.f3 &8 ataque ao rei pelas colunas b e e. "Ou 19...ãxgl!
14.làl5) 13.lLJd5 20.lãxgl ID>8 21.°i!fa7 (21.'i!fxa6? 'iff6) 21...:sb6,
Também é possível o preparatório 13.'iátbl. com a ameaça de 'i!ff6". (Dvoretsky)
13... 0-0 17...ii.xg5
Da abertura as brancas só conseguiram um jogo É possível que Lasker esperasse por 17 ...lãxg5?
um pouco mais livre, mas lasker de forma repentina 18.f4 ãg2 19.'i!fel (19.'i!ld3!? Dvoresky), e a torre
rompe drasticamente o equihbrio posicional. preta está "em impedimento".
18.f4! ãxe4! 19.fxgS Wfe7 20.ãdfl?
Chama a atenção 20.Ji.0 ãxe3 21.ii.xb7, por
exemplo: 21...ID:,8 {é pouco claro 21...~2 22.miel
lãxd2 23.ãxe7 lãxdl+ 24.~dl liJxe7 25.ii.xa8 a5)
22.miel ãxel {não é promissor 22 ...~5 23.ii.xa6
'i!ixg5 24.'i!ixg5 ãxg5 25.ii.c4 .tle5 26.ii.d5)
23.ãxel l!i'd7 24.Ji.d5 (24.ii.xa6?! 'i!t'a4) 24 ....tle5
com apenas pequena vantagem das pretas.
21 ...ãxe3 21.Ji.c4
Já com dois peões a menos, em posição objetiva-
mente perdida, as brancas tentam criar um ataque
com h2-h4-h5 etc.

14.g4?!
Peões não voltam para trás! É dificil dizer se esse
lance agressivo foi feito com o intuito de incomodar
seu adversário obstinado ou se ocorreu alguma falha
de cálculo. Parece lógico jogar 14.f3 (Lasker), 14.g3
!It:8 15.f3 com ideia de h2-h4-h5 (Dvoretsky) ou
14.~f6+ 'i!ixf6 15.f3 Ji.l,5 16.c4 _ta4 17..EWel
com pequena vantagem
14.. JleS 15.gS
''No caso de 15.f3 ii.xd5 16.l!fxd5 ii.e5 o con-
trole sobre a casa f4 daria às pretas um bom jogo.
Contra 15.~f6+ l!i'xf6 16.f3 seguiria 16...'i!fe6
17. Wb 1 d5 ou 17.c4 b5 com perspectivas excelentes. 21 ....tlhS!?
(Neishtadt) ''Em ambos os casos é mais forte Típico de Steinitz! Os comentaristas admiraram
17...ii.xe4! 18.fxe4 'i!fxe4". (Dvorevsky) esse lance extravagante, embora na aparência não
15...ii.xd516.'i!ixd5 seja o mais forte. Algwna vantagem se manteria atra-
É duvidoso 16.gxf6?! ii.xe4 17.f3 ii.f5 18.ii.d4 vés de 2l...'i!fxg5, por exemplo: 22.lãxfl ~8

101
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

23 ..E'.xc7 &e8 24.~1 ~5 25.h4 ~f4 26 ..i.dS b5 ripo de compensação crônica, que poderia também
ou 22.!i.hgl 'iWh6 23.~f7+ Wh8 24.~g6 hxg6 resultar após 29.1!Hh2 'i!fg5 30.Wbl c5 31..E'.fgl
25.!i.xg6 'i!fxg6 26.'i!fxe3 &8. No entanto, era mais l!He5 32.'i!t'h6+ Wf6 33.'i!t'h4+ We6, por isso é inte-
lógico 21..l!f8! e contra 22.h4 &4 23.h5, tanto ressante 31.a3 !? (Dvoretsky)
23 ...!!xc4 24.hxg6 hxg6 25.&1?! (também não 29..."f!/eS 30.a3
trás alegrias 25.Wbl ãe4) 25 ...ãe4! (Zak conside- Os dois últimos lances serenos de Lasker foram
rou somente 25 ...\!Hd8? 26.ãegl) 26.!i.xe4 '!Wxe4 inexplicáveis por completo para seus contemporâ-
27.'i!i'h.2 f5 vencendo, quanto 23 ... ~e5!? neos. Como jogar assim com dois peões a menos?
(Neishtadt) 24 ..i.dS !!g4 25.g6 hxg6 26.hxg6 30... c5
~xg6 27.~b7 'i!fg5 e as pretas devem vencer. "Seria muito forte 30...:se6, interrompendo a
22.h4 c6 23.g6! manobra da dama que foi realizada na partida.
A única chance. Era sem esperanças 23 .filg 1 d5 Contra 31.1!912 seguiria 31...lli6". (Neishtadt) No
24.Ji..d3 ê2:lg6 25.h5 ~f4 ou 23.1i.d3 &8 24.!i.hgl entanto, após 3 l.1!9b4! b5 32.1!Hh4 nada disso é
~e6 25.Wbl b5 26.h5 c5. Agora se inicia um jogo assim tão claro.
não racional, no qual Lasker, como fica claro, supe- 31.'i!ff'2 (31.c3?! b5 ou 31...d4 32.c4 f5;
rará o seu adversário. A chave nessa posição é que 31.1i..e2?! c4 32.c3 d4! 33.cxd4 l!He4+ 34.Wcl
em quase todas as variantes as pretas estão perto da .E'.c8) 31 ... c4 32.1!9h4
vitória, mas sempre as brancas mantém alguma con- Mas não 32.~g6? fxg6 33.l!fh4 li'if7 com van-
trachance. Avaliar onde tem mais ou menos não é tagem.
fácil e por mais de doze lances Steinitz se vê obriga- 32... f6
do a resolver um problema bastante irritante: como Conforme Chigorin, seria totalmente seguro
não perder a sua vantagem? 32...'it>fS, evitando o enfraquecimento do ponto g6.
23... d5?! Mas após 33.1i..f5 gxf5 (não 33 ....E'.g3? 34..t'17! '&7
Esse lance possivelmente ainda não desperdice a 35 ..E'.dl com a ideia de ãxd5, e é ruim 35 ...!i.xd7?!
vitória, mas de forma clara seria melhor 23 ...hxg6 36.~el Dvoresky; Neishtadt sugeriu o "comedido"
24.h5 gxh5! 25.lãxh5 &8 26.&hl l!He5! com van- ; 33 ...ãe7?!, sem perceber 34.~g6! li'ixg6
tagem. Seria mais fraco 24 ...g5 (Vukovic): 25.h6 35.ffiigl vencendo) 34.ãhgl f6 (quase como na
gxh6 (25 ... g6?! 26.h7+ Wg7 - (26. .. é/8 27.~x/7!) partida, exceto o rei em f7) 35,gg8+ ctie7 36.filgl
- 27.1!9h2! f5 28.1!9h6+ Wf6 29.Ji..g8!) 26.1!9h2! .El.e4 37.1!912 é totalmente indefinido quem ganha.
(26.!i.xh6? :Se8! com vantagem) 26 ...1!9f8 devido à Por esse motivo, "evidentemente tem sentido
variante indicada por Dvoretsky: 27.fil6! Wie7 33 ... d4!? 34JThgl Wg7 (defendendo-se de
(única defesa) 28.iãffl l!He5 (28 ...'i!Hf8 com igualda- 35.1i..xg6) 35.ID\1 'it>fS, com igualdade."
de) 29.'!Wxh6 "f!/g7 30.1!9xd6, e "a enorme atividade (Dvoretsky)
das peças brancas sem dúvida compensa os dois
peões a menos".
Também não é claro 24 ... d5 25.hxg6 li'ixg6
26.1i..d3 M?! 27.1!9h2 f6 28.1i.f5 com compensa-
ção pelo material sacrificado. Contra 26 ...!i.xd3
(Neishtadt) Dvoretsky iguala através de 27."f!/xd3
:Se8 28.Wbl e recomenda 26 ...l!Hg5! 27.fil(h)gl
1!9e5!
24.gxh7+ Wxh7 25.1i..d3+ 'i!?g8
Na opinião de Steinitz, "o ponto é certo", mas
Lasker continua a luta.
26.h5 ãe8 27.h6 (27.lligl!? Neishtadt) 27...g6
28.h7+ Wg7 29.~bl!
Nessa partida há algo que lembra o estilo de Tal:
33.iUs
o ataque das brancas é bastante abstrato, mas não
Um momento chave. Para manter vivo o fogo do
termina. Sempre aparece uma nova ameaça! É um

102
Emanuel Segundo

ataque, Lasker agora entrega uma peça. Ele sentiu 41.:Sxf5 :Se4 42.1!fxa6+ @c5 43.l!fa7+ @d6
sutilmente que o rei preto mal posicionado e o cava- 44.ifb6+ Wd7 45.1!fxb5+ @d6 46.ifb4+ @c6
lo "em hibernação" em h8 dariam às brancas ótima 47.:Sf8 vencendo.
compensação: 33 ...gxf5 34.&gl+ Wf'l 35.li'h5+ 35. ifbs+ @e7 36.iãg8
<l)e7 36..Elg8 etc. Então, como devem jogar as pre- No caso de 36..lãxf5 1!fe6 37..Elg7+, na opinião
tas? Até mesmo um computador poderoso precisou de Dvoretsky, as pretas se salvam com 37...@d6 !
de tempo considerável para entender essa posição [37 ...@d8? 38.l:!xf6! t!fe4 (38 ...1!fxf6 39.'i!:fxd5+)
intrincada... 39.ifb2 'i!Ve5 40.°tifh4 lãe4 41.°tifh3 ou 40 .. .r.!?c8
33...00 41.l!fg4+ 'í.t>b8 42.l!fd7 vencendo] 38.ifh2+ lãe5
Uma escolha dificil. :Mais tarde, aqueles que pes- 39.l!ft2! .lãxf5 40.ifb6+ r:Ji;e5 41.l!fe3+.
qtnsaram as criações de Steinitz e Lasker sugeriram 36...@d6?
dois "caminhos para a vitória": Um erro, provavelmente decisivo. Entretanto,
1) 33.Jãg3?! 34.'ii.?a2! (34.i.g4!?, mas não somente uma análise detalhada da sequencia da par-
34.&1? 'i!Vxel+ 35 ..lãxel .lãxel+ 36.~ .Elggl ti.da permite tirar tal conclusão.
wncendo) e aqui, de acordo com as análises de Era essencial 36... @d7! 37..lãxf5 °tife6 (37...'t!fe4
Dvoretsky, vencem não as pretas mas as brancas: 38.lãxd5+ @c6 39.lãfS Dvoretsky) 38..lãxd5+ @c6
a) 34...'i!Vd6? 35Jãfgl! lãee3 (35 ....lãxgl 36.li'h6+ (o lance de Neishtadt 38...@c7 também é bom:
'it>f7 37..lãxgl) 36..lãxg3 'i!Vxg3 (36....lãxg3 37.:Sel 39.ifb2+ &5 40.&5+ @d6 (ou b6) 41..lãxe8
I(g5 38.iãe8 &5 39.°tifxh5! gxh5 40.:Sg8+ @h6 'tifxe8 42 ..lãxc4 com jogo pouco claro) 39.lãdl
41..lãxh8) 37.li'h6+ Wf'l 38.iãhJ!? (ou 38.~g6+ :Sxg8 40.°tifhl + :Sg2! ! (mas não 40 ... @c7?
~g6 39.h8°tif ~xh8 40.°tifxh8 vencendo) 41.:Sd7+! @xd7 42.l!fxb7+ @d6 43.l!fb6+)
38...'i!Ug5 39.~g6+ ~g6 40.°tifxg5 fxg5 41.lãxe3 4 l.l!fxg2+ @b6 42.°tifd2 @87 43.l!fd4+ l!fb6
~cendo; 44.°tifxb6+ 'í.t>xb6 45.:Sd8 com igualdade, ou
lt) 34 ....Elg5 35.i.g4 ~fl 36.&1 'tifxel 37.lãxel 41...~7 42.1!fd2 M (42 ... @b8 43.!!gl ~fl
ltxg4 38.'i!Vxg4 .lãxel 39.°tifd7 lãhl 40.°tifxd5 .lãxh7 44 ..Elg8+ @c7 45.l!fa5+) 43.l!fa5+ b6 44.l!fxa6
41.l!fxb7; &1 45.l!fa7+ @c6 46.l!fa8+ @b5 47.a4+ @b4
e) 34... gxf5 35J:!el .Elg6! 36..lãxe5 fxe5 37.1!ft2!, 48 ..lãxel l!fxel+49.~ 1!fe6 50.°tifa6@c5 51.a5;
•e novamente em posição aberta a dama é mais forte i.) 41...@b6 42.l!fd2 @a7 43.1!fd4+ °i!fb6
que a torre e o cavalo"; 44.l!fxb6+ @xb6 45.lãd8 com igualdade.
2) 33 ...l!fg3 34.ifb6+ @fl e aqui, ao invés de 37.lãxfS l!fe6 38.lãxe8 (38.l!fh2+?! :Se5)
35.lãhgl? :Sel+ 36.@a2 ifxgl! vencendo 38... l!fxe8 39.:Sxffi+ (39 ..lãxd5+ @c7) 39...@cS
(Neishtadt), não é claro 35~7! (35.~!? amea- (tampouco é doce a vida após 39...@c7 40.l!fxd5
pndo lãhgl Dvoretsky) 35 ...lãd8 (após 35 ...&1 + ou, de acordo com Dvoretsky 40.°tifh6 com a ideia
36.~ :S8e7 há xeque perpétuo: 37.lãxf6+ @xf6 de :sfS) 40. 'i!fh6
38.t!ff8+ @g5 39.li'h6+ Dvoretsky) 36.&3
Wel+! 37..lãxel lãxel 38.~ .lãxd7.
34.iãhgl!
É demasiado lento 34..!hl e ~ -
34... gxt'S
''Ei-lo, o erro decisivo!", "Suicídio!" - exclama-
mn os comentaristas ao afinnar que as pretas não
90friam qualquer ameaça e recomendando o "vito-
lioso" 34 ... b5 (mas não 34...g5? 35.°tifh6! Hübner)
e se 35.li'h6, então 35 ...iãg3! Na verdade, é muito
mais forte 35.~g6+! ~xg6 36.1!fg4! (36 ..lãxg6?
Del+) 36... ~8 37.1!fg7+! (37.1!fd7+ &7 38.1!fd8
De8 39.°tifd7+ é suficiente para o empate) 37 ...@e6
38.t!fb7 com ataque ameaçador: 38... f5 39.iãg8
40...lãe7
\!i>d6 40.lãxe8 (40 ..Elg7!? Dvoretsky) 40 ...'tifxe8

103
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

Parando 41.:S.f8?, em vista de 4I.Jâxh7!. Como 43.a4+ W><a4 44.l!i'c5 :S.el+ 45.Wa2 &1+!
foi dificil para Steinitz se defender! Posteriormente 46.Wxal W'xf6 47.Wa2 l!i'f3 48.'i!fb6 'i!fe2!
Chigorin recomendou 40 .. J!i'e7 (e se 41.'i!ff8?, 49.l!i'xb7 l!fxc2 com igualdade -Hübner) 43 ...:S.el+
então 4 l...l!i'xf8 42.:S.Xf8 êz:lg6 43.:S.g8 :s.h3), mas (43 ...:S.e4 44.a4+ Wb4 45.:s.b6+ Wc3 46.'i!fg3+
após 41.:S.f8! não consegui encontrar um empate Wd2 47Jâd6! Neishtadt) 44.Wb2 &3 45.bxc4+
para as pretas, embora essa posição ficasse no meu Wa4 46.cxd5 .l:!e4 47 .d6 vencendo. Contra 4 l...:s.d7
computador por um bom tempo. Ao que parece o é decisivo 42.'i!fgl +! (ou 42.'i!ft2+ d4 e agora não
ataque das brancas é irresistível: 43 ..l:!f8? 'i!fe4 44.!:!xh8 devido a 44 ... :S.Xh7, mas
1) 41 ...&6 42.l!i'd2! (manobra muito importan- 43.W'd2! c3 44.b4+ Wd5 45.W'g2+ ou 43 ...'i!fd8
te; anteriormente só foi examinado 42.!ik8+ Wb6! 44.lâf8! 'i!fe7 45.'i!fa5+ Wc6 46.lãxh8 vencendo -
com jogo de duplo corte, mas não 42 ...:S.c6? Dvoretsky) 42 ...d4 43.l!i'g5+ lâd-5 44.'i!Yd2! l!i'b5
43.'i!Yd2!! l!i'xh7 44.:S.xh8! l!i'xh8 45.Vb4+ Wd4 45.l!i'el! vencendo. Ou 41...lãe6? 42.'i!fgl+!
46.'i!fc3+) 42 .. .'i!i'xh7 43.:S.C8+ :S.c6 44.t!xh8 l!i'f7 (42.'i!ft2+ Wb5 43.lãfS &l+ 44.Wal 'i!fe3 com
45.lâf8 W'd7 46.'i!rb4+ Wd4 47.ID'l l!i'd8 48.l'.!tll+ igualdade - Hübner) 42 ...Wb5 43.W'g8 lãe5
We5 49.:S.el+ Wf6 50.'i!i'c3+ Wf7 51.l!i'h3 Wg7 44.Wal! com ataque irresistível. (Dvoretsky)
52.lâhl vencendo; Ao final de 2003 Hübner encontrou uma defesa
2) 41...:S.el+ 42.Wa2 !!e6 43.l!i'd2! (aquela mais tenaz com 41...&1+ 42.Wal 'i!fe7! (não
mesma manobra chave) 43 ...l!i'xh7 44 ..lâc8+ .lâc6 42...'i!fe5? 43.'i!fh6! 'i!fe7 44.:sIB c3 45.:S.xh8 cxb2
45.'i!Yb4+ Wd4 46.:S.Xh8 Vxc2 47.:s.h4+ We5 46.:S.c8+ Wb5 47.W><b2 'i!fe5+ 48.:S.c3) e se
48.'i!fe7+ :S.e6 49.W'c7+ !!d6 50 ..lâh3 l!i'g6 43.'i!Yt2+, então 43 ...'i!fe3 44.'i!i't'S 'i!Ygl 45.'i!fc8+
51.W'e7+ :S.e6 52.!!e3+ Wf5 53.l!i'd7 'i!Yg8 @d4 46.c3+ @d3 47.'i!ff5+ @d2 48.'i!fxd5+ Wcl
54.l!i'xd5+ Wf6 55.:s.t'3+ We7 56.'i!fxb7+ e caem as 49.'i!fxc4 'i!fh2 com igualdade.
cortinas. Na verdade, após o sutil 43.l!i'f4! ! (não 43.l!f5!?
Em certo momento pareceu-me que as pretas se c3!!) da mesma forma as pretas não conseguem se
salvariam com 40 .. ,ge2!? 41.l!i'g7 &7 42.l!i'gl+ safar:
lãe3 (42 ... d4?! 43.l!i'g5+ .lâe5 44.l!i'g8 d3?! 45.cxd3 1) 43 ...'i!fd8 (43 ... b6 44.'i!Yf5!; 43 ... 'i!fe5
cxd3 46.'i.!i'b3 !) 43.'i!fg8! (não 43.l!i't2 l!i'e4! 44.l!i'h6! ver comentário anterior) 44.'i!f:12+ Wb5
44.l!f8 Wb5 Sorokhtin) 43.J~e7 44.:S.f8 (44 ...l!i'd7 45Jâh6 :S.e5 46.a4+! W><a4 47.l!i'c5 E!.e3 48.:s.b6
45.:S.c8+; 44 ...l!i'h5 45.'i!fgl+! Wb5 46.fil6! ou vencendo;
45 ... Wc6 46.:S.f6+ Wd7 47.'i!fa7! vencendo); 2) 43 ... .l:!e5 44Jâf8 êz:lg6 45 ..lâc8+ Wb5
45.l!c8+ Wd6, mas após 46J!i'd8+ (Dvoretsky tam- (45 ...Wb6 46.'i!Yd4+ @b5 47.a4+ WaS 48. &5+ b5
bém sugeriu 46.'i!fxh8 'i!fxh7 47.'i!fd8+ We5 49.lâc6!) 46.l!i'h6 i!e6 47.l:!g8 êz:lh8 48.'i!Yd2! Éte5
48.l!i'b6 com ataque) 46 ... We6 47.l!i'b6+ We5 49.:S.xh8 &5 50.l:!c8 :ãxh7 51.'i!fxd5+ Wb6
(47 ...Wfl 48.'i!i':12+ We6 49.:S.Xh8 lãxh7 50 ..Ekl8! 52.'i!Yd4+;
1Nif7 51.'i!fe3+! Wf5 52.!!f8 vencendo) 48.'i!fe3+ 3) 43 .. ..lâe3 (43 .. J:!e4 44.'i!f:12+ d4 45.W'xf5+
1We4 49.'i!fg5+ Wd6 50.W'f6+ l!i'e6 5I.'i!fxh8 :S.Xh7 :ãe5 46.l!i'c8+ Wb5 47.'i!fxh8) 44.lâf8 ID13
52.'i!fd8+ .Ekl7 (52 ... We5 53.'i!fg5+ We4 54.'i!fg2+ 45.:ãc8+ Wb5 46.'i!fd4 :s.h5 47.:S.xh8 ãxh7
Wf5 55.:S.g8 ou 54...We5 55.l!i'g3+ We4 56.ãg8! 48.l!i'xd5+ Wb6 49.l!i'd4+ Wb5 (49 ... WaS 50.~g8)
vencendo) 53.'t!fb6+ We5 54.'i!fe3+ Wt'S 55.Vh3+ 50.E!.d8 b6 51.ãd6 vencendo;
Wf6 56.'t!fb.6+ Wt'5 57.'t!fb.5+ Wf6 58.:s.h8! e as 4) 43 ... ãe2 44.lãf8 .E!.xc2 (44 ...êz:lg6 45 ..Ek8+
brancas também vencem. Wb5 46.'t!fd4 ãxc2 47.'i!fxd5+ Wb6 48.'~'dl! :S.g2
41.1Nib2?! 49.'i!i'd4+ Wb5 50.1Nfd5+) 45 ..E!.xh8 :S.xb2+
Bonito, mas não o mais preciso. ''A desgraça se 46.W><b2 'i!Yg7+ 47.Wal Vxh8 48.'i!fc7+ Wb5
aproxima do outro lado de forma sorrateira. Era (48 ...Wd4 49.'i!fb6+ We4 50.'t!fg6+!) 49.'i!fxb7+
muito forte 41.1Nfd2! 1Nfd8 42.l!i'b4+ Wd4 43.!!d6!? Wc5 50.'i!fc7+ Wb5 51.a4+ W><a4 52.'i!fc6+ Wb4
ou 43.a4!! (ameaçando 44.'i!Yc3+ Wc5 45.b4 mate) (52 ...WaS 53.'i!fxd5+ Wb4 54.l!i'g8) 53.'i!fb6+ Wa4
43 ... We5 44.'i!fc3+ d4 45.'i!ff3 vencendo 54.l!i'xa6+ Wb4 55.°%Wa3+ Wb5 56.'i!fh2+ vencen-
(Dvoretsky) Também é ruim 41...l!i'd7 42.l!i'b4+ do.
Wd4 43.1Wc3+ We4 44.l!i'el + Wd4 45.l!i't2+. 42.°%Wgl+ d4 (caso contrário, mate) 43.°%Wg5+
41 ...l!i'd7?! °i!fd5 44.ID'S °%Wxf5 45.'i!fxfs+ Wd6 46.°%Wf6+, e as
A tentativa de 41...'i!fd8? é refutada através de pretas abandonaram. Nesta partida, balançando à
42.l!i't2+! Wb5 43.b3! (não 43 ..l:!f8?! :ãe8 ou beira do abismo, o jovem Lasker demonstrou as qua-

104
Emanuel Segundo

Jidades que lhe permitiriam manter a coroa mundial niu toda a elite do xadrez mundial, a ser portanto o
por tanto tempo. Em posição dificil conseguiu criar torneio mais importante do século XIX Conforme
problemas bastante capciosos ao adversáóo, típicos foi escrito pela imprensa, "apenas pelo fato de que
do nível de xadrez da segunda metade do século XX entre os participantes está o quarteto de estrelas -
- similares aos que adversáóos muito fortes foilUil Lasker, Steinitz, Tarrasch e Cbigorin - o evento é
submetidos por Tal ou, digamos, Shirov. Lasker esta- revestido de importância histórica."
va muito além de seu tempo, é difícil culpar Steinitz
por seus erros: lutou com todas suas forças, sucum-
bindo a um ataque contínuo e selvagem. Devido ao
fato dessa partida estar à frente de seu tempo foi
ofuscada e subestimada por seus contemporâneos,
que simplesmente não conseguiram entender o que
tinha acontecido
Acredito que a sétima partida tenha sido a decisi-
va no match, ao quebrar a resistência de Steinitz. Ele
vivenciou um horror quase místico: seria isso real-
mente possível?! Tais coisas não acontecem!! ''Ao
passo que o campeão suportava com firmeza derro-
tas puramente enxadósticas, mobilizando-se em
seguida para a próxima partida, essa derrota psicoló-
gica o afetou de forma profunda. Todas as conexões
sistêmicas em seus métodos defensivos e em suas
regras desabaram. Depois disso, Steinitz perdeu mais
quatro partidas em seguida!" (B. Vainstein)
O resultado do match estava decidido, e sua parte Harry Nelson Pillsbury
em Montreal simplesmente determinou o placar No entanto, o até então desconhecido jovem
final: +10-5=4 a favor de Lasker, que assim se tor- norte-americano Harry Nelson Pillsbury (1872-
nou o segundo campeão mundial na história. Após 1906) de forma inesperada interveio na guerra das
perder a 19ª e última partida, Steinitz levantou-se da estrelas. Após perder na primeira rodada para
cadeira com dificuldade, apoiando-se em sua benga- Cbigorin, imprimiu um ritmo furioso (9 ,5 em 1O!) e
la, e exclamou três "urras" para o novo "rei do irrompeu no grupo dos líderes, surpreendendo a
xadrez mundial", e em seguida. .. foi jogar cartas com todos com seu poderoso jogo de pressão Basta ver,
alguns amigos. por exemplo, sua vitória sobre Tarrasch!
Embora Lasker conquistasse uma vitória convin-
cente, o mundo do xadrez não teve pressa em reco-
nhecê-lo como o verdadeiro campeão: muitos justifi- Partida 38
caram que a derrota de Steinitz se dera devido à
H.Pillsbury-S.Tarrasch
idade avançada, por não estar bem de saúde.
Hastings 1895, '2' rodada
Tarrasch, que a propósito havia vencido o seu quar-
Gambito da Dama D55
to torneio internacional em seguida - Leipzig 1894,
também deu sua alfinetada: ''A última partida do
match apenas provoca uma lamentação profunda.
Enquanto nas primeiras, especialmente na sétima, já 1.d4 dS 2.c4 e6 3.~ ~
não é visível a força usual do velho mestre, as demais, Mais tarde Tarrash se tomou um seguidor fervo-
de forma crescente se assemelham às últimas parti- roso da defesa 3 ... c5, que leva o seu nome
das de Zukertort, que ao final da vida perdeu por 4.il.gS
completo sua força inerente, sua resistência, iniciati- Esse lance, conhecido desde a metade do século
va e confiança..." e testado por Steinitz contra Anderssen (Viena
1873), tomou-se uma arma extraordináóa nas mãos
Tragédia Americana de Pillsbury.
Para esclarecer a situação no Olimpo do xadrez 4... .te7
foi organizado o torneio de Hastings 1895, que reu- O próprio Pillsbury logo em seguida sugeriu a
defesa original 4 .. .<~)bd7 5.e3 c6 6.iDO l!i'a5, que

105
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

passou a ser conhecida como "sistema Cambridge 11.!!el?!


Springs". A perder um tempo importante, assim como
5.~f3 11.~bl?! li:le4! com igualdade (Pillsbury-
No caso de 5.e3 0--0 6.li:lf3 b6 7.cxd5 exd5 Schlechter, Hastings 1895). No entanto não deve-
(7... lz:lxd5!?) 8.~d3 as brancas economizam um mos nos esquecer de como são difkeis os primeiros
tempo com o lance & 1, e eis o que acontece após passos... É prematuro ll.li:le5 devido a ll...li:lxe5
isso: 12.dxe5 li:le4! igualando, (Marshall-Janovsky, 3ª par-
1) 8 ...~7 (8... li:le6!?) 9.lz:le5 (Rubinstein jogou tida do match, Paris 1905). Por isso as brancas preci-
9.1Jflc2!? li:lbd7 10.0-0--0 partida 60, v1, e Geller
sam encontrar a ordem correta dos lances. A teoria
9.0-0 li:lbd7 10.1Jfle2 c5 ll.it.a6!) 9 ... li:lbd7 10.f4
moderna recomenda 11.MS, mas naqueles anos
c5 11(10... li:led4!? ll..ilxe7 'ff!xe7 12.~e4 dxe4
considerava-se melhor o lance de Schlechter
13 .0-0 f5, com jogo pouco claro, Pillsbury-
ll.'i!fe2:
Schiffers, Viena 1898) 11.0--0 c4 (11...a6 12.'f!if3
ãe8 13.&dl cxd4 14.exd4 b5 15.a3 'fl.c8? 16.MS 1) ll...c4 (após ll...cxd4?! 12.exd4 e lz:le5
'fl.c7 17.li:lxd7 li:lxd7 18.~e7 ~e7 19.li:lxd5 com surge a ameaça it.a6) 12.~1 a6 13.li:le5! b5 14.f4
vantagem, Pillsbury-Gottschal, Hannover 1902; h6?! (14 ... lz:le4 15.~e4 dxe4 16.li:lxd7 'i!fxd7
ll...cxd4!?) 12.~c2 a6 13.'f!if3 b5 14.~ g6 17.Ji.xe7 1Jflxe7 18.f5 to 19.lli4 com iniciativa,
15.f5 b4 16.fxg6 hxg6 17.'f!ih4! bxc3 18.li:lxd7 Vidmar-Yates, Londres 1922; é mais sólido
'i!Vxd7 19.ãxfü! e as brancas venceram, Pillsbury- 14....l~e8!? 15.r!f3 li:le4 16.&3 li:lf8) 15 ..th.4 &8
Marco, Paris 1900); 16.~f3 li:le4 l 7.~e7 'ff!xe7 18.~e4 dxe4 19.ãg3
2) 8... li:lbd7 9.0-0 c5 10.li:le5 lz:lxe5 (10 ...~b7 li:lf6 20.a4! b4 21.li:ldl c3 22.bxc3 bxc3 23.~c3 e
ll.f4) ll.dxe5 lz:ld7 12.M4 ~7 13.'f!if3 &8 as brancas venceram de forma gradual, Pillsbury-
14.Vli3 li:lf8 15.&dl li:lg6 16.~3! ~ 17.f4 a6 Janovsky, Viena 1898;
18.~c2 b5 19.e6! fxe6 20.f5 exf5 21.1Jflxf5 com 2) 11...li:le4!? 12.M4 li:lxc3 13.bxc3 c4 14.MS
ataque, Schlechter-Janovsky, Ostende 1905. (é inferior 14.~1 ?! b5 15.lz:le5 a5 16.1J!Jf3 ~xe5
5... li:lbd7 6.2::tcl 0-0 7.e3 b6 (7 ... c6!) 8.cxd5 17.~e5 ~a6! Euwe-Menchik, Carlsbad 1923)
exd59.~d3 14...g6 15 ..ilxd7 'i!fxd7 16.li:le5 'i19e6 17 ..th.6 "com
Ou de imediato 9.li:le5 (9.1Jfla4 - partidas 79 e 89 vantagem para as brancas" (Tartakower), embora
v1) 9 ...~b7 10.f4, por exemplo: 10 ... a6 11.~ c5 após 17...llie8 não seja visível nenhuma vantagem
12.0-0 c4 13.M5 b5 14.!ID 2::te8 15.&3 g6 em particulat
16.~bl lz:lxe5 17.fxe5 lz:ld7 18.~e7 ~e7 19.1Jflf3 11 ... c4 (aqui também não é ruim 11...li:le4, mas
li:lf8 20.fill 'f!id7 21.1'9f6 b4? (21...Eíe6!) 22.li:la4!
Tarrash está jogando para vencer) 12.Ji.bl a6
1!9c7 23.li:lc5 ~c8 24.ID16 a5 25.ãf4 ãb8
13.~e5!
26.~g6! 1-0 (Pillsbury-Wolf, Monte Carlo 1903).
O início do ataque clássico de Pillsbury, sobre o
9... ~b7 10.0-0 c5
qual mais tarde foi dito: "Se Pillsbury jogou lz:le5,
Uma tabiya da variante conhecida na teoria como
o "fianqueto ortodoxo". então a vitória não está longe!"
13...b5
Favorece as brancas 13 ... lz:lxe5?! 14.dxe5 lz:ld7
(14 ...li:le8? 15. ~e7 e li:lxd5; 14... li:le4? 15.~e7
VJ!ixe7 16.li:lxd5 ou 15 ...lz:lxc3 16.~h7+!) 15.M4!
li:lc5 16.1Jfld2 b5 17.:S.Cdl (Tartakower).
14.f4 .ãe8 15.VJ!if3 ~t'8
Economia na defesa da ala do rei - de acordo
com Steinitz! - seguido por uma ruptura na ala da
dama.
16.~2?!
Se manteria na prática uma igualdade através de
16.a3, por exemplo: 16 ... lz:le4 17.Ji.xe7 ~e7
18.li:lxe4 dxe4 19.VJ!ig3 (mas não 19.~e4? ~e4
20.1Jflxe4 f6! com vantagem) 19...VJ!id6 com igualda-
de.

106
Emanuel Segundo

16... ~4 (típica manobra de alívio; não é claro 29A)g4! (com a clara intenção de responder
l6...1ia5 17.li)g3 iLb4 18.lãe2) 17•.ãxe7 !!xe7 29 ...°i!fxa2? com 30.l2)xfõ! gxtõ 31.t!fxtõ+ ãf7
18.Axe4 d><e4 19.t!fg3 32.ãg4 com vantagem) 29... fz:xl7 30.ã4t2!
É inferior 19.'i!lh3?! f6 20.l2)g4 AfS. Abrindo caminho para o cavalo.
19...f6 20/i:)g4 Wh8 (a ameaça era l2)xf6+; 30...'i!?gS
20.f5? 21.lili6+ e l2)xf5) 21.f51id7 22.!!fl !id8?! Agora é ruim 30...'tifxa2? devido a 30.l2)f4 e
É mais preciso o imediato 22 ...&e8 (apoiando o após 31...Af? as brancas tem duas possibilidades
peão e4) 23Jãf4 ii.d5 com excelente contrajogo na tentadoras:
ala da dama. 1) 32.l2)g6+ 'i!?g8! (mas não 32 ... Axg6?
23.ãf4 'tifd6 (é mais enérgico 23 ....ids e ... b5- 33.fxg6 h6 34.l2)xh6! gxh6 35.l!fxh6+ $)g8 36.fil4
b4) 24.1ih4 !!de8 2s.~ Ads com vantagem, ou 33 ...l2)f8 34.l2)xf6 gxtõ 35 ..lãxf6
Agora 25 ... b4?! não é vantajoso devido a e ãf7 com vantagem) 33.l2)xe7+ .lãxe7 34.°i!fg3
26.ltJa4. ~ - após indicar essa variante Chigorin pergun-
26.l2)f2 tou: "Os dois peões passados das pretas, é evidente
Pillsbu.ry permanece a manobrar, sem se deixar que após ...'i!fb3 ou ...'i!fa4-b5 ou c6 e ... a6-a5, não
tentar pelo questionável 26.l2)xd5 'ii'xd5 27.l2)xf6?! se mostram decisivos para o futuro das brancas?" Eu
gxf6 28.'i!fxf6+ ãg7 29.1!fxa6 &8 30.'tiff6 'tifg8 respondo: dificihnente. Após 35.°i!fd6! 'ifa5 36.&2
311!12 ãxa2. l2)b6 37.&cl 'i!fb5 38.&1 (não é claro 38.ãf4
26. ..'ii'c6! 27.!!fl b4 28.~2 l2)c8 39.'i!i'd8+ ãe8 40.t!fc7 l2)e7) 38 ... ltJa4
Após 28.l2)xd51Wxd5 29.&l as pretas também 39.l2)f2 a5 40.lz:xil Ah5 4 l.fil4 as brancas tem con-
chegariam primeiro: 29 ... c3! 30.bxc3 t!fxa2 trajogo suficiente;
31.cxb4 t!fd2 32.Wl 1!fxe3 etc. 2) 32.d5! l2)e5 33.l2)xf6 gxf6 34.'i!fxf6+ 'i!?g8
35.d6 W7 36.lz:Jé6 com vantagem (Tartakower) ou
32 ...&8 33.l2)g6+ Axg6 34.fxg6 (também não é
ruim 34.d6, por exemplo: 34 ...lãee8 35.fxg6 l2)f8
36.d7 ou 34 ... Ax5 35.dxe7 Ag6 36.W2) 34 ... l2)f8
35.l2)xf6 gxtõ 36 ..lãxf6 l2)xg6 37.ãxg6 'i!fxb2
38.'tifxe7 com vantagem
31.li)cl c3 32.b3 'i!fc6
De boca seca...

28...t!fa4?
Até aqui, apesar de uma ou outra imprecisão,
Tarrasch jogou em bom estilo posicional, mas agora
ao ir atrás de um peão distanciou a dama da defesa
do seu rei. ''Era essencial 28 ...c3!, e se 29.bxc3
(29.b3 a5 30.it\cl a4!), então 29... Ac4 30.lãel
.A.xe2 31..lãxe2 bxc3 32.&2 't!i'b5!" (Lasker). É ver-
dade, aqui seria pouco claro 33.°i!fg4! !k7 34.'fid, e
por isso eu preferiria 29 ...bxc3 30.ludl (30.&1? c2 Já se pode ver o novo plano das pretas: ...a5-
31.a4 ãb7 32.a5 !:llil com vantagem) 30 ... c2
a4xb3 e ...&8-a3, destruindo a ala da dama inimi-
3l.l2)dc3 Ac4 32.'i!fel ãb7 33.'i!fd2 ãb2 34.&1
ga. A única esperança das brancas reside em um
.A.xe2 35.l2)xe2 &8 36.li)g3 ãxa2 37.l2)xe4 lz::xl7,
ataque contra a fortaleza real, o qual Pillsbu.ry con-
e o poderoso peão passado força as brancas a pensa-
duzirá com ímpeto, criatividade magistrais.
rem de forma primordial na defesa.

107
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

33.h3!
Sinalizando o ataque. "À primeira vista, não há
perigo a ameaçar as pretas. Além disso, a vantagem
está ao seu lado: só restam dois passos para a promo-
ção do peão passado. :Mas as brancas, após o cálculo
matemático preciso das variantes, desenvolvem seu
ataque com calma e de forma literal passo a passo."
(Gunsberg)
33...a5 34.~h2 a4 35.g4! axb3?! (na minha
opinião, seria mais prudente 35 ...h6!?) 36.axb3 &8
(36 ... h6!? 37.&2 &8) 37.g5 &3
A jogar de forma consistente para a vitória. Após
37 ... fxg5 38.'i!fxg5 ~f6 (38 ... 'i!ff6 39.'ifg3 e ~g4)
39.~g4 'ifd6 40.~! as brancas repirariam, com 44.'i!i'g3+!
mais facilidade: por enquanto seu peão b3 não está Uma surpresa desagradável! A sequenoa
caindo. 44.Whl? 'ifc4 45.ãgl + c.tif8 46.!:1.g8+ 'i!fxg8
38.~g4~xb3? 47.~xg8 c2 levaria ao resultado diretamente oposto.
:Mas aqui, forte seria o profilático 38 .. .fxg5! 44...<i!?xh6 (44 ... Wf8? 45.'i!fg8+ e 'i!fxb3)
(38 .. .'.!th8?! 39.lãg2; 38 ...lãxb3? 39.~b3 ~b3 45.Whl!
40.i!g2 Wh8 41.gxf6 gxf6 42.l'z::le5! ti::lxe5 43.dxe5 Com a ameaça mortal !:1.gl. :Mas 45.fil4? ~l+
com vantagem) 39.'ifxg5 ~6 40.~g2 WfS! 46.Wg2 ~2+ levaria somente ao empate.
(Chigorin), por exemplo: 41.ti::\e5 'ifa6! 42.h4 45...'i!fd5 (45 ... c2? 46.!:1.gl cl'ilf 47.'iVh.4 mate;
(42.~e2? &1!) 42 ... ~xb3 43.h5 li.c4 44.h6?! também não serve 45 ... ~f8 46.!:1.gl 'ife8 47.'ifg7+
~fl 45.hxg7+ $1g8 46.~g4 ti::lxg4 47 .Wilxe7 'iWc8 WhS 48.'i!fxf6 ti::le6 49.fxe6 vencendo) 46.!!gl
48.ãxg4 ~ 49.'iWxb4 ~g4 50.Wifxa3 'iWxf5 'i!fxf'S 47.'i!fh4+ 'i!fh5 48.'i!ff4+ ifg5 49.lãxg5 fxg5
51.'i!fxc3 'i!ft3 e essa batalha selvagem termina van-
50.ii'd6+ Wh5
tajosa para as pretas.
''A tragédia das pretas é que após qualquer lance
39.~g2! <i!?h8 (já é tarde para 39 ... fxg5
do rei as brancas capturam o cavalo ou com xeque ou
40.Wifxg5 c.t>f8 devido a 41.f6! com vantagem)
40.gxf6 gxf6?! ameaçando mate, a impedir dessa forma o avanço
"Contra 40 ... ~xf6 resolve 41.ti::le5 'i!fd6 c3-c2." (Reri)
42.~g6+ ~8 43.ti::lxe7 'iWxe7 44.~b3 lãxb3 51.ifxd7 c2 (evitando o agonizante 51...~l+
45.Whl !:1.a3 46 ..lãfgl ãa6 47.ãxg7+ 'tiixg7 52.Wh2 gb2+ 53.Wg3 Wg6 54.'i!fe6+ etc.)
48.i!xg7+ $1Xg7 49.°tifg3+ e as pretas não podem 52. 'i!fxh7 mate.
mover nem o peão b nem o peão e sem perder um Chigorin e o novo campeão mundial Lasker tive-
deles." (Chigorin) ram desempenhos não menos brilhantes em
Uma melhoria significativa: contra 46 ...&6? há Hastings. Três rodadas antes do fim a posição dos
47.Wilh6! com vantagem, e também não salva líderes era a seguinte: Lasker-14,5 em 18(!); Chigorin-
46 ...c.tifS 47.ãxg7! 'ifxg7 48.lãxg7 r.tixg7 49.°tifg3+ 14; Pillsbury-13,5; Tarrasch-11 etc.
W 50.ii'c7+ 'i!tg8 51.ii'c4+ Wg7 52.'ifxb4 &l+ Nesse momento, ocorreu o primeiro encontro
53.Wg2 &2+ 54.Wg3 c2 55.'i!fb7+ c.tih.6 56.'ifc8! dos principais adversários: Tarrasch contra Lasker,
Wg7 57.Wf4 com vantagem; no entanto, após que influenciou fortemente o resultado final do tor-
42 ... c2! (ao invés de 45 ...ãa3?) 46.~c2 lãxe3 neio. Com as pretas, o campeão adotou o "Muro de
47.ik8+ Wf7 48 ..Ei.fcl ãc3 49.~lxc3 bxc3
Berlim", que atualmente está em moda: l.e4 e5
so,gxc3 'ifa7 as pretas sobreviveriam (51.'ifg3
2.~o ti::lc6 3.il.b5 ti::lffi 4.0-0 ti::lxe4 5.d4 ti::ld6
'ifal + 52.Wg2 'ifb2+ 53.Wfl 'ifbS com igualdade).
6.~c6 dxc6 7.dxeS ti::lf5 8.'i!fxd8+ r.tixd8 (partida
4l.~xb3 ãxb3 42.~h6 1¾7 (42 ...'i!fc8 ou
42 ...'ifd5 43.'tiig4) 43.lãxg7 wxg7 47, v1). As brancas, a forçar a todo custo, transfor-
Parece que o ataque das brancas murchou e os peões maram o final que parecia tedioso em uma batalha
pretos estão prestes a se pronunciarem... extremamente feroz.

108
Emanuel Segundo

e Steinitz ainda mais distantes. ..


Partida 39
Dessa forma, Hascings 1895 não esclareceu a
S.Tarrasch-Em.Lasker
situação no topo, mas a confundiu ainda mais: o
Hascings 1895, 19ª rodada
campeão mundial não conseguiu demonstrar sua
superioridade, e além disso surgiu um novo desafian-
te. ''Pillsbury é um jogador brilhante e seu jogo é
repleto de idéias profundas", escreveu Tarrasch,
"mas ao meu ver foi o famoso mestre russo Chigorin
quem melhor jogou O terceiro colocado Lasker
mostrou pela primeira vez que também é um jogador
muito forte. Todos os seus sucessos anteriores foram
exagerados por uma publicidade sem paralelos".
Foi uma pena que o quarto colocado Tarrasch,
novamente alegando estar ocupado com o trabalho,
tenha evitado uma luta decisiva com seus rivais no
match torneio de São Petersburgo (1895/ 1896). Os
quatro mais fortes - Lasker, Steinitz, Chigorin e
Pillsbury - jogaram seis vezes entre si. É necessário
dizer qual o prestígio e quais os direitos seriam
41.'it>ts?! adquiridos pelo vencedor de tal batalha aos olhos do
Um lance desesperado! Após 41.~d4 b5 mundo do xadrez?!
42.lz::\c2 b4 43.~3+ ~5 o bispo é mais forte do A primeira metade do match torneio desenvol-
que o cavalo. As brancas também não estavam satis- veu-se em uma acirrada disputa entre Pillsbury e
feitas com o final de damas empatado com peão a Lasker. Inicialmente o enérgico jovem americano de
menos, bastante desagradável após 41.~c3 ~c3 23 anos de idade tomou a liderança. Foi emparceira-
42.Wf5 b5 43.g5 ~g5 44.~g5 $'1,2 45.h4 ~a2 do com o campeão mundial logo na primeira rodada.
46.h5 b4 47.h6 b3 48.h7 b2 49.h8'i!i' bl"if Com as brancas Lasker jogou extremamente mal
41...r.tí'd3?? contra uma Defesa Petroff e sofreu uma catástrofe
Lasker, Tarrasch e outros comentaristas conside- na abertura.
raram que 41...c2! daria às pretas somente o empa-
te: 42.g5 ~g5 43.~g5 <i!?d3 44.là:l+ <i!?d2
45.~b3+ ~ l 46.a4 (46.h4 b5 47.h5 a5 48.h6 a4) Partida 4()
46 ... a5 47.~ (47.h4 b5) 47... b5 48.axb5 a4 Em.Lasker-H.Pillsbury
49.~1 ~cl 50.b6 a3 51.b7 a2 52.b8li' alt!f São Petersburgo 1895/96, 1ª rodada
53.1!ff4+ r.t>bl 54.t!fe4 "etc". No entanto, após
54 ...t!fc3 as pretas vencem! Aqueles interessados em
aprender o método vitorioso podem consultar o
livro de Y Averbakh Compreensive Chm Endings...
42.i:'õxc3! (agora não há como parar os peões
passados) 42...'i!?xcJ 43.gS Ab6 44.b4 ~4 45.hS
bS 46.b6 b4 47.g6 aS 48.g7 a4 49.g81!i, e as pretas
abandonaram
Na rodada seguinte Cbigorin também caiu, per-
dendo em 16 lances para Janovsky (partida 32, vf).
Mas Pillsbury venceu suas três últimas partidas e,
para espanto geral, terminou em primeiro lugar, à
frente do formidável "quarteto de estrelas"! Chigorin
ficou meio ponto atrás, Lasker um ponto, e Tarrasch

109
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

17...~xd4! 18.'i!fdl l:!xel 19.'i!fxel t'i)xf3!! 1.d4 d5 2.c4 e6 3.~ i.t}í6 4.tDf3 c5 5.i.g5
20.WxfJ {se 20.'i!fdl ent.ão 20 ...~5) 20... f4! O lance preferido de Pillsbury. Nos dias de hoje
Também não é ruim 20...tz:)e5+!? 21.We2 'i!i'e8 a preferência é por 5.cxd5 ou 5.e3.
com ataque. 5... cxd4 6.i!fxd4 {contra 6.-tlxd4, conforme
21.'ilj'dl estabelecido no século XX, 6 ... e5 iguala) 6... ~6
Contra 21.We2 âe8+ 22.tz:)e3 fxe3 23.fxe3 há o É mais tranquilo 6 ...Ae7!? (Lasker) 7.cxd5 exd5
espetacular 23 .. .'~d4+! ! {também é possível 8.e3 êz::lc6 e ... 0-0.
23 ...l!i'g4+ 24.Wd2 êz::ld4!) 24.Wdl (24.cxd4 l!i'g4+ 7.'i!fh4?! {é correto 7.~f6! - partida 42, v1)
25.Wd2 iili4+ ou 25.Wf2 filS+) 24 ...'ilj'a4+ 25.b3 7... i.e7
êz::lxb3 vencendo. A origem dessa variante remonta à partida
21. •.lues+ 22. 'i!?e2 i!fg4+ 23. Wd2 'ilj'xdl+ Blackbume-Schowalter (Nova Iorque 1889), que
24. Wxdl i.t}xd3, e as pretas venceram. seguiu com 7 ... d4? 8.0--0-0 e5 9.e3 Ac5 10.exd4
exd4 ll.0.d5 l!i'a5 12.~f6 gxf6 13.li)xf6+ 'i!?f8
No segundo turno Pillsbury derrotou novamen- 14.~el i.e6 15.~e6! fxe6 16.'i!fb.6+ com um mas-
te Lasker (!), desta vez em um clássico final de cava- sacre.
lo contra bispo (cf. o comentário ao nono lance na 8.0-0-0?!
partida 55, vf), e no terceiro turno conseguiu um Uma ideia arriscada. No entanto, contra 8.e3 é
empate sem maiores dificuldades, outra vez numa desagradável 8 ... 'i!i'b6, por exemplo: 9.!!bl h6!
Defesa Petroff. Além disso, esmagou Chigorin três 10 ..i..d3 dxc4 l 1..i..xc4 0-0, e agora é ruim
vezes e somente o "velho leão" Steinitz suportou a 12.i.xh6?! gxh6 13,'ilj'xh6 em vista de
pressão do americano. De outro lado, Lasker marcou 13 ...'ilj'c5!.Talvez seja mais sólido 8.cxd5 exd5
2,5 em 3 contra Steinitz e Chigorin, e após três tur- 9.!'!dl, no entanto não foi para isso que Pillsbury
nos a situação era a seguinte: 1. Pillsbury 6,5 em 9; 2. jogou 5.~5 e 6.'i!i'xd4.
Lasker 5,5; 3. Steinitz 4,5; 4. Chigorin 1,5. 8. ..'i!i'a5 9.e3
Passada a primeira metade do torneio foi estabe- Em uma simultânea em 1900 Lasker arriscou tes-
lecido um intervalo de cinco dias. Os participantes tar 9.cxd5 exd5 10.e3 .i..e6 11.-ti<l4 lãc8 12.Wbl h6
comemoraram o Ano Novo e, assim como Tarrasch 13.-tlxe6 fxe6 14.'i!fh.3 Wf7 15.~4, mas isso pode-
ria lhe sair caro no caso de 15 ...-tlb4! 16.a3 l:!xc3!.
havia feito um par de anos antes, quando jogara seu
9... i.d7 10.Wbl h6!
match com Chigorin em São Petersburgo, mais tarde ''Um lance simples na aparência, mas brilhante
lembraram por um bom tempo a hospitalidade na realidade." (Vainstein) ''As pretas ou bloqueiam a
extraordinária dos organizadores juntamente com dama branca onde está ou forçam a troca do bispo
todos os prazeres da vida na capital russa. O que não g5." (Lasker)
se aplica, no entanto a Chigorin que, na posição de 11.cxd5 exd5 12.i.t}d4 0-0 13.Axf6 (contra
diretor da Sociedade de Xadrez de São Petersburgo, 13.~h6?! é forte 13 ... -tle4! Zaitsev) 13... Axf6
carregou um pesado ônus de problemas administra- 14.i!fhS
tivos durante todo o torneio. Desdenhando o comedido 14.'i!i'g3.
E então chegou o dia do quarto encontro entre o 14... i.t}xd4 15.exd4 Ae6! (Lasker já sabe como
líder e o campeão mundial, em 4 de janeiro de 1896. enfrentar a marcha do ~ão f) 16.f4 (16.êz::le4?
~d4!; 16.i.c4 ID'd8! e ...&c8) 16... &c817.f5
Se Pillsbury vencesse, e ele jogava com as brancas, o
resultado do match torneio estaria praticamente
decidido. O talentosíssimo norte-americano de
forma clara se tomaria o desafiante "número um", e
Lasker possivelmente jogaria um match oficial pelo
campeonato mundial, sob condições altamente des-
favoráveis ... Mas as coisas sucederam de forma dife-
rente.

Partida41
H.Pillsbury-Em.Lasker
São Petersburgo 1895/96, 10" rodada
Gambito da Dama D50

110
Emanuel Segundo

17...ãxc3!! 23.i.e2 'ii'e4+ 24.Wal ID2 com ataque vitorioso:


Uma belíssima combinação, profundamente cal- 25.&l 'ii'd4+ 26.~l 'i!id2 vencendo) 20 ...!k8+
culada, da qual qualquer grande mestre de hoje em 2 I.Wd2 l!fxd4+ 22.Wel (22.iu13? ãc2+! !
dia se orgulharia. Uma concepção assim é superior às 23.~c2 'i!fb2 mate) 22 ...l!fe3+! 23.ii.e2 fxe6
forças de um forte computador, aqui é necessário 24.'ilh31i.c3+ 25.'iàt>fl ãf8+ 26.~ ~!! 27.'i!i'g3
ajuda adicional... Após o prosaico 17...JuJ.7 18.l!fO ii.b6 (Sorokhin), e as brancas, apesar da torre a mais
ambos os lados teriam chances. perdem: 28.h4 e5 29.ãxd5 e4 30.W7 'i!fc3!.
18.txe6 Mas seria mais tenaz 20 ..tb5! (o método de
Contra 18.bxc3 é ganhador 18 ... ãc8! defesa de Pillsbury sem inserir I 9.exf7+? ãxf7)
(18 ...l!fxc3 19.l!fO! é modesto demais) 19.fxe6 20 ...l!fxb5 21.~l (Sorokhin) 21...fxe6 (21...&8
(19.ãd3 &6) 19... l!fxc3 20.exf7+ (20.l!fxf7+ ~8 22.exf7+ @f'8 23.l!fh3! &2 24.'i!fb3; 21...'i!fc4
21.l!fg6 't!fb4+) 20...@f'B 21.l!fe2 ib<:d4 22.'i!fe8+ 22.'i!fg4) 22.'i!fg4 &8! 23.ãhfl h5 24.'i!IO
.f!xe8 23.fxe8'i!I+ ~e8 24.ãxd4 'i!fxd4 vencendo (24.'i!ixh5? ib<:d4+) 24 ...&8 25.ãdi e5 com exce-
(Sorokbin), e mesmo 18...JuJ.7! 19.'i!IO &8 com lente compensação pela qualidade (Zaitsev):
ataque decisivo: 20.& 1 20...ib<:d4 2 l.cxd4 ib<:f5+ e 26.'i!ff5?! 'i!fc4 27.ãfdl e4 28.'ii'e6+ ~8 29.'i!ff5
1!b4+; 20.~2 ib<:f5 21.i.e2 .te4 22.'ilh3 ãc6 h4 30.g3 e3!, mas é melhor 26.a4 'i!fc4 27.ãfdl, e
vencendo; 20.&3 kb5 21.&3 ib<:d4 22.ib<:b5 se 27 ... exd4, então 28.ãd3 (Sorokhin).
(22.cxd4 'i!lb4+ 23 ..lâb3 'i!le 1+) 22 ...'i!lxb5+ 19...ãxf7 20.bxa3 'ii'b6+ 21.ii.bS!
23.'~al ib<:e3 (23 ...M6 24..lâbl 'i!lc4 25~b7 d4) A melhor chance. Não há esperanças em 21. Wa l
24.1lfxe3 'i!lc4 25.Wl,2 ãc6 vencendo. ib<:d4+, tampouco em 21.'i!?c2 !k7+ 22.Wd2
18..Jla3!! 'i!fxd4+ 23.~el (23.ii.d3? &2+!) 23 ... 'i!fc3+!
O ápice da combinação! Esse sacrificio de torre 24.ãdi &7+ 25 ..te2 .tgs vencendo.
pw:adoxal força o rei a iniciar a luta pela sobrevivên- 21 ...Wfxb5+ 22.~1 lk7?
Que pena ... Após o emprego de tanta energia e
aa
esforço criativo, no apuro de tempo Lasker deixa
escl;; uma vitória fácil: 22 ... l!fc4!, por exemplo:
23 . l!fc3+ou23.l!fg4&7! (ameaçandoãe4ou
&2) 24.ãhel ib<:d4+ 25.'i!fxd4 ãxel etc.
23.ãd2 &4 24.ãbdl?
Respondendo com outro erro. Não levaria a nada
24.l!fe2?! 1!fb6! 25.ãhdl ãxd4 26.ãxd4 ib<:d4+
27.ãxd4 l!fxd4+ 28.~1 l!fe4+, mas um belo
emeate viria através de 24.&1! Wla5! (24 ... ãxd4?
25.ãe8+ Wh7 26.l!ff5+ g6 27.l!fxf6 Wfxe8
28.Wfxd4 vencendo) 25.&8+ ~7 26.l!ff5+ g6
27.&7+!! (27.l!fxf6?? &1+ 28.Wb2 l!fc3 mate)
27 ...ib<:e7 28.l!ff7+ Wh8 29.'i!fe8+ ©g7 30.l!fe7+
com xeque perpétuo.

19.exf7+?
O tentador 19.e7 também não consegue des-
coordenar as peças pretas: 19...&8! (após
19...&8?? 20.'i!i'f5! a dama volta para a defesa)
20.bxa3 'i!Nb6+ 21.'it>c2 (21.Wal ib<:d4+ e ...ãxe7
vencendo) 21...&8+ 22.Wd2 ib<:d4, e as brancas
não tem mais defesa: 23.e8'i!f+ ãxe8 24.JuJ.3 1lfa5+
25.Wcl &8+ ou 23.'iàt>e2 'i!i'e6+ 24.'iàt>t3 l!fe3+
25.'i!i>g4 g6 26.'i!fxd5 h5+ com mate.
Também é insuficiente 19.bxa3 l!fb6+ 20.'it>c2?
(20.Wal? ib<:d4+ 21.ãxd4 'i!ixd4+ 22.~ l fxe6!

111
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

24....El.c3? 30.'i!fe2 'i!fb4+ 3 l.i!b2 it.xb2 32.'i!fxb2 'i!fe4+


Outro erro grave que também não foi indicado 33.Wal &4 etc.
pelos comentaristas. Seria vencedor 24 ...'i!fc6!, por 28.'i!?xa3?!
exemplo: 25.'i!?bl .1i.g5 26.'i!fe2 it.xd2 27.'i!fxd2 Ferido pelo feroz ataque das pretas, Pillsbury
'i!fd6 etc. encaminha seu rei para o mate. No entanto, de nada
25.W9f5 adiantaria 28.ii'f5+ (28.Wbl? it.xd4! 29.'i!ffS+ g6!
Seria possível 25.~l !? l!Hc4 (25 ... 'iUs? 26 ..El.12! 30.l!9d7+ .1i.g7) 28 ...Wg8! 29.Wbl (29.'i!fe6+ Wh8!
e i!xf6+, e após 25 ...!k8?! as brancas tem clara van- 30.'i!He8+ Wh7, como na nota ao 27º lance)
29...it.xd4! 30.!!el 'i!Hb4+ 3 l.Wcl 'i!Hc3+ 32.'i!fc2
tagem) 261!e8+ 'i!7h7 27.'i!ffS+ g6 28.i!e7+!, for-
'i!fal+ 33.t!Hbl !'!c3+ 34.i!c2 .1'.e3+ 35.!!xe3
çando o empate: 28 ... .1'.g7 29.!!xg7+ <t;xg7
'i!fxbl+ 36.Wxbl i!xe3 vencendo (Sorokhin) com
30.'i!fd7+ Wg8 com igualdade (mas não 30.. .'~f6? um prosaico final de torres.
31.~+ Wg5 32.'i!fe7+) ou 28 ...it.xe7 29.'i!fti+ 28... 'i!fc3+ 29.Wa4 bS+! (ponto final) 30.WxbS
Wh8 30.'i!fe8+. 'i!i'c4+ 31.WaS .ild8+, e em vista de 32.'i!fb6 .1'.xb6
25...'i19c4 (é pouco claro 25.Jàxa3?! 26.'i!fc8+ mate, as brancas abandonam. Anos mais tarde
<i!?f7 27JTh2) 26.Wb2? Lasker classificou essa como a melhor partida da sua
O afã do apuro do tempo de Lasker também carreira.
influenciou a serenidade de Pillsbury: sente que o
adversário perdeu o fio da meada e. .. começa a ficar Um tremendo drama humano, de alta importân-
nervoso. 16.@bl! (26.WHfl?! 'i!fa4; 26.1!fbl ~a3 cia histórica! Naquele dia Caissa escolheu Lasker e,
27.1!fb2 &3 28@bl b5 com igualdade) 26 ...~a3 como sabemos agora, a deusa do xadrez não estava
27.i!cl! (foi considerado anteriormente somente o errada. I'vfas seu capricho cruel influenciou o destino
insípido 27.'i!fc2 i!c3 28.1!fb2 b5! 29.&2! it.xd4 de ambos os jogadores.
30.i!xc3 it.xc3) criaria problemas desagradáveis às Pillsbury ficou tão amargurado que sofreu cinco
pretas: 27 ... W9b5+ (27 ...i!c3? 28.!!xc3 'i!fxc3 derrotas sucessivas e ao final não ficou nem mesmo
com o segundo lugar. De acordo com algumas fon-
29.'i!fxd5+ 'it>h8 30Jldl vencendo) 28.Wal 'i!fa5
tes, foi então que começou a demonstrar os primei-
29.i!c8+ Wt'7 30.~2, e o ataque já é das brancas.
ros sinais da doença que viria a levá-lo à morte dez
Um par de lances precisos e a história do xadrez
anos mais tarde. Há notícias de que um diagnóstico
tomaria um rumo diferente.
repentino, feito no dia anterior ao desta partida fatal
chocou o jovem mestre. Em todo caso, reclamava
mesmo de dores de cabeça, insônia e neurose, moti-
vos pelos quais várias de suas partidas foram transfe-
ridas para outros dias...
I'vfas o inspirado campeão venceu de forma con-
vincente tanto o match-tomeio (1.Lasker 11,5 em 18;
2.Steinitz 9,5; 3. Pillsbury 8; 4.Clúgorin 7), como o
supertomeio de Nuremberg 1896 (1.Lasker 13,5 em
18; 2. I'vfaróczy 12,5; 3-4.Pillsbury e Tarrasch 12;
5.Janovsky 11,5; 6.Steinitz 11), e em seguida o match
revanche contra Steinitz (]\foscou 1896/1897) com o
escore de +10-2=5 e manteve a coroa por um quar-
to de século!
Quem há de saber por quanto tempo Pillsbury
26....l::1.xa3!! sofreu as dores daquele dia trágico em São
Parece algo místico: a segunda torre também é Petersburgo, ao lembrar as chances desperdiçadas.
sacrificada na mesma casa! Penso que Pillsbury não Posteriormente, conforme um dos historiadores
acreditava no que via... registra de forma hábil, passou o resto de sua vida
27.'i!fe6+ <i&h7 tentando voltar a ser o Pillsbury de 1895, e não foi
Venceria de forma mais nítida 27 ... Wh8 capaz disso: tentava alcançar a si mesmo, enquanto
28.'i!fe8+ (28 .Wbl .1'.xd4) 28 ... Wh7 29.Wbl Lasker seguia em frente ...
(29;c.t?xa3 W9c3+ 30.Wa4 a6 vencendo) 29 ...it.xd4

112
Emanuel Segundo

Seis meses mais tarde em Nuremberg novamen- 13.t!ff4 !tg8 14.Ci)e5 Ci)xe5 15.'i!fxe5 Ag7!?
te ficou atrás de Lasker na contagem geral, mas con- (15 ... a6 16.0--0 !tc8 com igualdade) 16.t!fd6
seguiu uma revanche brilhante na partida individual, Axc3+ 17. bxc3 !ixg2 18.'i!fb4 'i!fb6 com jogo con-
recebendo um prêmio especial de Rotschield por sua fortável, ou 11.t!i'xc4 Ag7 12.'tifb3 Axc3+
bela vitória sobre o campeão. E oito anos depois em 13.'i!fxc3 t!fa5 14.'i!fxa5 Ci)xa5 15.Ci)e5 Aa4
Cambridge Springs, embora já longe de sua melhor 16.!td4 Ci)c6 17.!ixa4 Ci)xe5 18.Ab5+ 'é!?e7 com
forma, encontrou em si a força para um último sus- igualdade, Duz-Khotimirsky-Znosko-Borovsky,São
piro de seu brilhantismo. Petersburgo 1905.
Euwe sugeriu 10.. ..te7. Após 11...Axc4 t!fa5
Partída42 12.0-0 :f5 13.t!ff4 0--0--0 e ...&g8-g6 as pretas tem
H.Pillsbury-Em.Lasker um contrajogo claro (Fuster-Cuellar, Havana 1966).
Cambridge Springs 1904 11.Ci)xes
Gambito da Dama D50 Após 1l..te2?! !tc8 12.Ci)xe5 fxe5 13.'i!fg3
t!fa5 não é visível uma compensação real pelo peão
(Guimard-Grau, Argentina 1938).
l.d4 dS 2.c4 e6 3.~ Ci)f6 4.Ci)f3 c5 s.i.gs 11 ...fxeS 12.l!i'xc4 1!fb6 13..te2!
cxd4 6.t!fxd4 Ci)c6 (6 ....te7!?) 7.Axf6! Um sacrificio ousado de peão, totalmente justifi-
Novidade que esperou a sua vez por muitos anos. cado. As brancas de forma rápida terminam o desen-
7... gxf6 volvimento e lançam todas suas forças contra o rei
Mostra-se favorável às brancas 7... Ci)xd4 8.Axd8 inimigo. Seria muito passivo 13.!t<li Ac6.
(8...Ci)xf3+ 9.gxf3 ~ 8 10.cxd5 exd5 11.0-0--0 13...'i!fxb2 14.0-0!
ou de imediato ll.Ci)xd5 com um peão a mais) Não é claro 14.i.h5 &8! 15.Axf7+ ©xf7
9.'é!?d2 Ci)xal 10.Ac7 (1 0.i.114 Ad6 11.e3) 16.!ixd7+ Ae7 17.'!i~dl !ixc4 18.Ci)xb2 ~cl+
I0...dxc4 ll.e4 Ci)b3+ 12.axb3 cxb3 13.Ac4 etc. 19.Ci)dl !tdS.
8.'iWh4 dxc4 (8 ... d4?! 9.0--0--0! e5 10.e3)
14...ãc8 15.'i!fd3 ãc7 (15 ... Ac6 l6.Af3)
9.lldl!?
16.Ci)e4 Ae7 (outra linha de defesa é l6...'iic2!?
Contra 9.'i!fxc4 não é ruim 9...ii'b6, e contra
9.e3,9...:f510.'i!fxd8+Ci)xd811..ixc4Ci)c612.Ab5 l7.lud6+ Axd6 18.'i!fxd6 'i!fc5) 17.Ci)d6+
JuJ7 13.c;t>e2 a6 14.Axc6 Axc6 15.&dl JJ.g7 Pouco oferece 17.ãd2 'i!fb6 18.ãbl 'illc6
16.&cl 'é!?e7 l 7.g3 &d8 com igualdade, 19.AO lia6! 20.'i!fxa6 bxa6 com um final defensá-
(Bogoljubov-Alekhine, Munique 1942. vel
9... Ad710.e3 17...@18
A posição critica da variante. '½.pós l 7...Axd6 18.'i!fxd6 'i!fb6 (] 8...'i!fc3?
19.Ab5!) 19.'i!fxe5 a posição das pretas é catastrófi-
ca: 19...~8 (19... 0-0 20.ãbl ou 20.'i!fg5+!? 'ith.8
21.'i!ff6+ ~8 22.ãd4 e5 23.t!fxe5) 20.!td6 l!fc5
2l.'i!fxc5 !ixc5 22.fildl ãc7? 23.!ixd7 '.ãxd7
24.Ab5." (B. Vainstein) No entanto, é mais forte
22 ...Aa4! e por isso as brancas precisam jogar
20.AhS! 'i!fc6 21.e4 com ataque (é ruim 21...'i!fc5?
22.Axf7+ 'é!?xf7 23.!ixd7+).
18.~ 'ifb5 19.f4! exf4?
É muito mais sólido 19... Ac6 20.fxe5
(20.Ci)xe5?! t!fxd3 21.Axd3 Ac5!) 20 ... t!fd5
21.'i!fxd5 Axd5 22.Ci)d6 Axd6 23.exd6 ~c2
24.AO e as brancas tem apenas uma mínima vanta-
gem.
10•..lDeS?! 20.t!fd4! f6 (se 20 ...~8 ou 20 ... ©g8 então da
Lasker vacila! Em seguida recomendou 10... :fS, mesma forma 21.t!fxf4) 21.'i!fxf4 l!fcS (mas não
. por exemplo: l l .t!fg3 h5 (l l ...'i!fb6!?) 12.Axc4 h4 21...&8 22.'i!fd4 Ac6 23.!ixf6+!) 22.Ci)eS Ae8

113
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

23.li:)g4 turnê pelo mundo todo fazendo tais exibições,


Também é interessante 23.i!d4, por exemplo: jogando mais de mil partidas às cegas em mais de
23 ...!ig8 24.!!c4 'i!Bd5 25.iú'.3 t!lxe5 26.t!lxe5 setenta eventos! Estabeleceu o recorde mundial
!!xc4 27.'i8xe6 ou 23 ...Wg7 24.ti:lg4 e5 25.'i!fu6+ daquela época em Moscou 1902, contra 22 tabuleiros
Wg8 26.~+ vencendo. (+17-1=4). Essa exibição impressionou o menino
23... fS Alekhine com seus nove anos de idade, que mais
Tendo em vista o que seguiu, seria mais tenaz tarde lembrou o episódio: ''.A façanha de Pillsbury
23 ... .i.g6! 24.~xf6 (24.!!d4 &6 25.~f6 <it>g7 teve um efeito assombroso em mim, assim como em
26.~7 'i!Bg5) 24 ...Wg7 25.lài7 t!fc3 26.1'.g4 com toda a comunidade enxadrística". E um pouco antes,
posição de ataque para as brancas. uma exibição similar havia sido observada em
24.'ifh6+~ Havana pelo jovem Capablanca, então com onze
o momento culminante desse duelo cativante. anos de idade, que também lembrou o fato por toda
a vida: ''Pillsbury desconcertava a todos com a força
e a sutileza de seu jogo brilhante".

25..i.c4!!
No alvo! Não é claro 25.!ixf5+ t!fxf5
(25 ... exf5? 26.~+! t!lxc4 27.~5+ e ~xc4)
26.llil &5!
25... l:!c6 (25 ... t!lxc4? 26.~5+) 26.i!xfS+!
'i!Bxf5 27.llil 'i8xfl+ (ou 27...!!xc4 28.!!xf5+ exf5
29.ti:le5+) 28.~fl .i.d7 29.'i!fbs+ ©f8 30.~5, e
as pretas abandonaram.

Uma bela descrição do "meteoro americano" foi


feita anos mais tarde por Alekhine: ''Pillsbury, depois Pillsbury a jogar partidas simultâneas às cegas
de Morphy, foi sem dúvida o maior talento norte-
americano para o xadrez. No entanto, suas carreiras Por outro lado, Lasker achava que jogar às cegas
prejudicava a saúde já debilitada de Pillsbury, que "a
foram completamente diferentes. Enquanto a vela da
batalha da vida se tomou muito dura para ele", a
vida de Morphy foi se apagando de forma lenta, tris-
repudiar a avareza do mundo do xadrez, "que, com
te e tranquila, Pillsbury desejava que a vela da sua os núseros prêmios que ofereciam forçou Pillsbury a
vida queimasse de forma constante dos dois lados! se submeter a esforços excessivos...".
'Vinho, mulheres, charutos fortes e nada de canções No verão de 1906 a doença fatal "anunciou
melosas' - era o princípio de vida de Pillsbury. E isso mate" ao lendário americano. Pillsbury faleceu antes
tudo, juntamente com exibições simultâneas às cegas, de chegar aos 34 anos de idade, e permaneceu como
partidas de buraco e novamente simultâneas às cegas uma das estrelas mais brilhantes a ter luzido no fir-
de jogo de damas...". mamento do xadrez. O resultado final de seus
De fato, deve se registrar as sensacionais exibi- encontros dramáticos com Lasker foi +5-5=4, e se
ções de Pillsbury sem olhar o tabuleiro. Fez uma lamenta que não tenham jogado um match pela

114
Emanuel Segundo

coroa mundial, sobre o qual muito se discutiu na


virada do século XIX para o século XX. ..
"Um gênio se foi", escreveu o campeão nrundial
em sua revista Laiker's Chess Ma!fJzjne. ''.Aqueles que
conheceram Pillsbury em seus dias de juventude
nunca esquecerão a fisionomia cheia de vida, seu
rosto quase magnífico caracteóstico daqueles dias.
Os olhos expressavam inteligência, sonhos, senti-
mentos poéticos e integridade. Alguns diziam serem
angelicais, davam ideia de como seriam os olhos dos
antigos profetas. O semblante tinha o selo da nobre-
za natural. Da longa linhagem de seus ancestrais
puritanos herdou a rigidez moral. músculos de aço e
uma quase religiosa capacidade de inspiração. No
homem adulto, a vida se consumiu em seu único 8.a4
grande amor., Caissa." Infelizmente Mikhail Ivanovich evita o atual
8.dxe5 (no século XX também se jogou 8.ila3 e
A Defesa Lasker 8.h3) 8... dxe5! (às vezes também são encontrados os
Assim, após o ano triunfal de 1896, Lasker setor-
menos naturais 8...Ag4, 8...i.e6 ou 8... luge7) com
nou não somente o campeão formal, mas também o
duas continuações possíveis:
rei do xadrez reconhecido no mundo inteiro.
Distinguia-se pela tenacidade, pela busca de reairsos 1) 9.'i!fxd8+ (é desvantajoso 9.~bd2 'i!ff6
táticos, pela excelente técnica de finais e pela sutil 10.AdS ~ge7 e de todo incorreto 9.Axt7+? c:Jiixf7
percepção psicológica. Antes disso Schiffers já 10.êiJ><e5+ @e8! 1l.'i!fh5+ g6 12.êiJ><g6 ~f6 etc.)
comentara que Lasker "não tem nenhuma fraqueza e 9... ~xd8 10.êiJ><e5 Ae6, e em vista da fraqueza dos
é capaz de determinar e explorar as debilidades dos peões da ala da dama das brancas, as pretas tem um
adversários". final favorável (Chigorin-Pillsbury, Londres 1899);
Lasker era indiferente ao estudo da teoria das 2) 9.'i!fb3 'i!ff6 (9 ...\i'e7?! 10.Aiu 'i!ff6)
aberturas, ao considerar que o ponto principal era 10.Ag5 (to.rui h6; 10.Ab5 h6 ou to ...Ae6
conseguir posições que pudessem ser jogadas. tl.1!fa4 Ad7) to ...\!fg6 tl.Ad5 (ll.Ab5 f6
Mesmo assim, inventou duas defesas que levam seu 12.Ah4 ~ge7 etc.) ll...liJge7 (é pouco claro
nome: no Gambito da Dama (cf. seu match contta
I l...fo!? 12.Axg8 ~ 13.êiJ><e5 fxe5 14.\!fd5
Marshall, em 1907) e no Gambito Evans, onde seu
~c6) 12.Axe7 c:Jiixe7 13.Axc6 (13.a4?! ~5
plano defensivo deixou a "abertura do século XIX''
fora de uso por quase cem anos!
14.1!fa3+ 'i!fd6 15.~e5? ~5 com vantagem)
13 ...\!fxc6 14.~e5 l!fe6 15.là:4 (é pior 15.'~JO
\!fxb3 16.axb3 rus 17.~f4 c6 ou 15.1i'a3+ \!fd6!
Partida43 16.\!fxd6+ cxd6). A propósito dessa última, que é a
M.Chigorin-Em.Lasker variante principal da defesa, os dois jogadores con-
São Petersburgo 1895/96, 3º turno duziram uma discussão acirrada através das páginas
Gambito Et1a11S C52 das revistas que editavam. Para Chigorin os recursos
de ataque favorecem as brancas, enquanto Lasker
considera que os dois bispos e ausência de debilida-
1.e4 eS 2.lufJ ~ 3.Ac4 Ac5 4.b4 Axb4 5.c3 des posicionais prometem a vantagem para as pretas,
Ac5 rus
por exemplo, após 15 ... 16.\!fa3+ $'e8.
Para empregar a ideia que se seguiu é mais preci- 8... ~
so 5....h5! Também é seguro 8....i.g4 (contra 8... exd4 com
6.0--0 (6.d4!) d6! 7.d4 Ab6!
ideia de 9.cxd4 Ag4 10.Ad21!ffo é possível o agres-
O valor desse lance, que já fora utilizado em uma
partida do distante match McDonnell-La sivo 9.a5!? êiJ><a5 10Jãxa5 Axa5 11.l!fb3 "i!i'd7
Bourdonnais (Londres 1834/1835) passou desaper- 12.e5 d5 13.Axd5 c6 14.Ac4 b5 15.e6 fxe6
cebido até Lasker. 16.Axe6 1Wxe6 17.l:!el 1Wxel+ 18.~xel
Blackburne-Gunsberg, Londres 1900) 9 ..ib5 Axt3

115
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

IO.'i!fxf3 a6 11.iv<c6+ bxc6 com wn bom jogo !te8 19.f4 Bb7, embora aqui também as brancas
(Swidersky-Gunsberg, Monte Carlo 1904). passassem por sofrimentos.
9..ib5 14...làxc3! 15.luxc3 .ixd4 16.'i!fd3 (é sem
Não seria melhor 9 ..id5 luxd5 10.exd5 luas esperança 16..tb2 ~ 17.lua4 iv<h2 18.luxb2 c5)
ll.dxe5 0-0!? 12..ig5 'i/fd7 13.&l dxe5 14.l2\xe5 16... c5 17.'i/fg3 .ie6! 18.Ag5 (18.'i/fxg7 ~7!
l!ff5 15 ..th4 f6 16.liJO .id7 17.lua3 ãae8 19.&3 lâg8 20.'i/fxh7 iv<e5 vencendo) 18... ii'd7
(Chigorin-Llpke, Viena 1898). 19.ãacl f6!
9... a6 10.Axc6+ bxc6 11.a5 Aa7 Abrindo rapidamente a coluna g, com efeitos
decisivos.
20.exf6 gxf6 21..if4 ãg8 22.'i!ft3 0-0-0
23.ãfel
Contra 23.lue2 é possível tanto 23 ....ig4
24.'iWd3 c4 25.'i/fxd4 iv<e2 26.r!fel (26.'iWa7 fic6
vencendo) 26 ...ãxg2+! (mas não a indicação de Zak
26 ...l!fg4 27.g3 AO? em vista de 28.fia7! ãg7
29J~bl) 27.Wxg2 (27.~l fih3 28.&3 AO etc.)
27...'i/fg4+ 28 ..tg3 AO+ 29.'it>gl fih3 vencendo,
quanto 23 ... .th3! 24 ..ig3 (24.lug3 't!fg4
25.fixg4+ iv<g4 26.Ae3 Ae5 27.iv<c5 Wd7 28.f4
Ji.Jj6 29.ID2 &8 30..ixd6 Wxd6 31.l:!d2 ãge8
32.h3 Ji.Jj7 vencendo) 24 ...Ag4 25.l!fd3 iv<e2
26.l!fxe2 c4 27.fildl ãge8 28.l!ff3 l!fe6 29.©fl
12.dxe5 Aa7 vencendo.
Tentativas posteriores de melhoria do jogo das
23...c4 24.'i!fe2 (ou 24 ..tg3 kg4 25.l!ff4 Ae5
brancas foram mal sucedidas: 12.lubd2 exd4 vencendo) 24....ifS 25.'i!fa2?
13.cxd4 0-0 14.l!fc2 .id7 15 ..ib2 "ãe8 com peão a Esse perde no ato, mas também não ajudaria
mais (Schiffers-Marco, Viena 1898), ou 12.l!fa4 25 ..ig3 .ixc3 26.ãxc3 !!de8 27.l!fd2 ãxel+
exd4! 13.e5?! (sem se submeter a 13.'i/fxc6+ .id7 28.l!fxel it.d3 29.1:!cl d4 30.l!fd2 l:!e8 vencendo, e
14.l!fxa6 luxe4) 13 ... dxe5 14..ta3 e4 15.cxd4 Ji.Jj7 nem mesmo o melhor lance 25.l!fdl ! .td3 26 ..ig3
16.'i!fc4 c5 17.lue5 0-0 18.l!fxa6 &8 19.luxd7 iv<c3 com final vencedor.
'i!fxd7 20.dxc5 iv<c5 etc. (Duz-Khotimírsky-Salwe,
São Petersburgo 1905).
12...luxe4 13.l!fe2?
'½. continuação planejada pelas brancas é incor-
reta e leva a uma posição perdedora. Lutariam pelo
empate através de 13.exd6 0-0! (13 ... cxd6 14.'iWe2
d5 15.lud4 iv<d4 16.cxd4 0-0 17.lud2 é inofensi-
vo para as brancas; embora após 17. .. fJd6! elas não
tenham a igualdade- G.K) 14.dxc7 'i/fxc7 15.'i/fe2 ou
13.'i/fa4 ~5 14.'i/fxc6+ .td7 15.l!fd5 0-0 16.exd6
.ib5 17.l:!dl (17.c4?! c6) 17...'i/fxd6 18.'i'Nxd6
cxd6 19 ..ie3!" (Zak). É verdade, após 19... filc8
20.lz:Jh4 lue4 21.iv<a7 !!xa7 22.f3 luxc3 23.luxc3
lâxc3 24.lâxd6 g6 25.f4 '&7 as pretas manteriam
melhores perspectivas. 25...ãxg2+! 26.'í&hl
13... d5 14.~d4? Ou 26.Wxg2 .th3+ 27.Wgl l!fg4+ 28 ..tg3
Mesmo assim, seria melhor 14 ..ie3 0-0 l!ff3 e mate.
(14 ...Ag4 15.iv<a7 .l:!xa7 16.'i/fe3 ~7 17.~bd2) 26... ãxtl, e as brancas abandonaram.
15.iv<a7 lâxa7 16.lud4 Ji.Jj7 17.f3 l2lc5 18.lud2

116
Emanuel Segundo

Após confirmar sua autoridade de campeão,


Partida 44
Lasker abandonou o xadrez por dois anos e meio e
S.Tarrasch-D.Janovsky
se dedicou a estudos sérios de matemática e filosofia.
Viena 1898
O maior evento de xadrez daqueles anos foi o Defesa Siciliana B33
torneio internacional de Viena 1898: 1-2. Tarrasch e
Pillsbury 27,5 em 36; 3.Janovsky 25,5; 4.Steinitz 23,5;
5.Schlechter 21,5; 6-7.Burn e Chigorin 20, etc. Ao 1.e4 c5 2.W e6 3.itlfJ itlc6 4.d4 cxd4
vencer o match de desempate pelo primeiro lugar 5.~xd4 ~ 6.ludb5 d6
por 2,5 a 1,5, Tarrasch reconquistou a reputação de Um desafio insolente à nova escola: Tarrash con-
desafiante "número um''. Entretanto, ao invés de siderou esse lance... o erro decisivo!
tentar obter um match pela coroa mundial, ele tam- 7.M4 e5 8.Ags a6 9.-*.xf6 (é mais preciso
bém deixou o palco do xadrez por quatro anos. .. 9.lz:Ja3! b5 -variante Sveshnikov ou Cbeliabinskyl)
O retomo de Lasker não foi menos triunfante. 9... gxf6 10.~a3 f5! 11.i!fhs (11.Ac4 &7!)
Venceu com larga margem os torneios de Londres 11... b5!
1899 (1.Lasker 23,5 em 27; 2-4.Ma.róczy, Pillsbury e Bem como na segunda metade do século XX. ..
Janovsky 19; 5.Schlechter 18; 6.Blackbume 16,5;
7.Chigorin 16) e o de Paris 1900, onde o primeiro
empate gerava nova partida (1.Lasker 14,5 em 16;
2.Pillsbury 12,5; 3-4.Ma.róczy e Marshall 12; 5.Burn
11; 6.Chigorin 10,5).

12.~xb5!? (livrando-se do cavalo "ruim'')


12... axb5 13.Axb5 ü7! 14.h4
É duvidoso 14.exf5?! 'tifa5! ou 14.'iWxfS?! ~7
15.0-0-0 0-0 16..&.xc6 Jvcc6 17.!W3 Ad7!
18.t!fh5 Ae6 (Sveshnikov).
David Janovsky
14... 'i:!ff6 15.~5 'i:!fg6 16làc7+ Wtt8
Logo após o torneio de Londres, Lasker foi desa- 17.'i!fxg6 txg6 18.~xaS Axa8 19.Ad5 W<:7, e
fiado para um match pelo título mundial pela primei- após 20 ...~6!, com o sucessivo movimento do
ra vez. O desafiante era o mestre franco-russo David cavalo c6, a torre e os dois peões das brancas não são
Janovsky (1868-1927), jogador com forte estilo de mais fortes que o par de peças menores.
ataque, que havia derrotara todas as estrelas, inclusi- Janovsky estava então em ascensão (um pouco
ve o próprio Lasker, muitas vezes. Seis meses antes, depois venceu brilhantemente os torneios de Monte
em uma turnê pela América, desafiou Pillsbury para Carlo 1901 e Hannover 1902), mas seu sonho de dis-
um match de candidatos, mas disso nada saiu. ''Uma puta com Lasker teve que ser adiado. O campeão
gtande pena", escreveu a imprensa, "uma disputa inventou uma "nova defesa": primeiro, propôs que
entre os dois jovens brilhantes traria ao mundo do se jogasse até o primeiro a conseguir oito vitórias
xadrez nruitas obras primas." (empates não contavam), enquanto que obstinado
Por falar em obras primas, de forma involuntária desafiante, "baseado na experiência de matches ante-
a abertura da seguinte partida é relembrada, pois riores pelo campeonato mundial", insistia em jogar
estava muito à frente de sua época. até dez vitórias; em segundo lugar, exigia uma alta

117
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

premiação, a qual Janovsky tentava angariar com 4.Schlechter 17 etc. Infelizmente este torneio foi
desespero. Dizia-se em tom de biague que "ninguém ofuscado por um incidente escandaloso, o qual tem
investiria dinheiro em um empreendimento sem alguma importância histórica em minha opinião.
esperanças". E após longas discussões, o match de "Chigorin chegou de São Petersburgo", escreveu
fato não se realizou a imprensa, "para passar por algo incrível: seu com-
patriota, Principe Dadian de Mingrelia, um conheci-
O Incansável Marshall do falsificador de partidas 'brilhantes' com jogadores
desconhecidos, imaginando-se um patrono do
xadrez por algumas centenas de francos, ameaçou
retirar-se da presidência do comitê do torneio, se
Chigorin, a quem dizia ter lhe ofendido uma vez,
fosse autorizado a jogar. E os organizadores, defen-
dendo os interesses da casa de apostas, e não do
xadrez, excluíram Chigorin do torneio". Uma ques-
tão sem precedentes! Mas e quanto aos outros parti-
cipantes? Pressionados por compreensíveis conside-
rações materiais, engoliram o sapo. Somente
Janovsky, que não jogaria o torneio, ficou verdadeira-
mente indignado: "O Dr. Tarrasch, presidente da
União dos "Mestres Internacionais de Xadrez, real-
mente não teria autoridade suficiente para evitar
isso? Faço a requisição de que meu nome seja remo-
vido da lista de membros da União Internacional.
Frank James Marshall Essa decisão é final".
As vitórias de Lasker em torneios trouxeram-lhe Nos nossos dias, "patronos" similares, tentando
fama lendária. ''Lasker esteve lá, Lasker o primeiro, colocar uma capa bonita no problema, atuam de
Lasker o único", resumiu o Wiener Schachzeitung. Mas forma mais refinada: eles incansavelmente repetem
o campeão permanecia em seus profundos estudos, que as portas estão abertas, e com um sorriso força-
e em 1900 defendeu a sua dissertação de doutorado do a pessoa é convidada a jogar... sob condições deli-
em matemática... O "monarca absoluto" não compe- beradamente inaceitáveis!
tiu em torneios de xadrez por quatro anos! Depois da vitória em Monte Carla, Tanasch
Naquela época, brilhavam nos torneios Janovsky, finalmente desafiou Lasker, e até assinaram um acor-
Pillsbury, Schlechter e Maróczy, os três últimos cam- do para um match, planejado para o outono de 1904.
peões em conjunto do 12" Congresso da União de Mas o destino decretou de modo contrário: o desa-
Xadrez da Alemanha (Munique 1900) - Maróczy fiante estava a esquiar e caiu, sofrendo grave fratura,
ficou em terceiro lugar após o desempate. Lá, casual- e não havia qualquer possibilidade de jogar xadrez
mente, ocorreu um evento de grande importância: por muitos meses...
foi fundada uma União dos Mestres Internacionais O fortíssimo torneio de Cambridge Springs, na
de Xadrez, em reunião presidida por Lasker. O pri- primavera de 1904, onde Lasker voltou a jogar após
meiro presidente eleito foi Berger, e o segundo, em um longo intervalo, produziu enorme sensação: a
uma reunião em Monte Carlo 1902, o Dr. Tanasch. seguir por todo o torneio invicto e com um escore de
O secretário permanente da entidade era Marco, edi- 13 em 15 O), o vencedor foi o jovem norte-america-
tor da revista Wiener Schachzeitung, que se tomou o no FrankJames Marshall (1877-1944). Esse deste-
órgão oficial da União. E apesar da atividade dessa mido cowbqy do xadr~z, um amante de complicações
organização ter logo se dissipado, o antigo sonho de e armadilhas inimagináveis, .já se distinguira em Paris
Staunton, um precedente histórico com a criação de 1900, ao infligir a única derrota ao campeão. E em
associação de enxadristas tomou-se realidade. Cambridge Springs terminou à frente de Lasker e
Voltando à arena, Tarrasch lembrou a todos sua Janovsky, que dividiram a segunda posição com dois
formidável força em Monte Carlo 1903: 1.Tarrasch pontos a menos!
20 em 26; 2.Maróczy 19; 3.Pillsbury 18,5; Marshall de imediato desafiou o campeão para

118
Emanuel Segundo

um match, mas em resposta Lasker exigiu uma bolsa que nos induzam, e se necessário nos forcem a entrar
de não menos que $2.000 para cada lado. "Com base em batalha. Se o mundo do xadrez assim o desejar,
em que direito devo preferir um desafiante ao obterá um match Lasker-Tarrasch."
outro?'' escreveu ao editor da revista canadense Enquanto isso, Marshall não se acalmou: após
Ckckmate. "Se um desafiante não consegue satisfazer vencer o forte torneio de Nuremberg 1906, nova-
as condições, é bem provável senão evidente, que o mente desafiou Laskerl E o campeão "reconheceu
mundo do xadrez não o considera qualificado pelo uma derrota" ao baixar a bolsa do vencedor para
seu histórico a disputar o título de campeão mundial. $1.000. Os apoiadores americanos entusiastas do
Por consequência, deve procurar outra pessoa e de desafiante angariaram a quantia necessária e o duelo
inicio mostrar que está a ser subestimado. Não seria entre Lasker e Marshall, o primeiro match pela coroa
ctificil no caso de Marshall organizar um match entre mundial em dez anos (!), tomou-se realidade. Foi rea-
ele e Janovsky." lizado em 1907, em seis cidades americanas. Jogaram
Mais tarde, a lembrar o triste fim de Steinitz, de acordo com a nova moda, até o primeiro a conse-
Lasker deu uma explicação clara para suas altas exi- guir oito vitórias. "Se Marshall vencer, ele será real-
gências financeiras: "Se o mundo do xadrez deseja mente reconhecido como campeão mundial?'' per-
ter satisfação, apreciar alguma agitação e aprender guntou com perplexidade a revista Deutsche
dos melhores, isto é, obter tudo que será dado por Schachzeit1111g.
um match pelo campeonato nrundial para milhares No entanto, Lasker não deu a menor chance ao
de jogadores modernos e para gerações futuras, por seu adversário. Conhecendo bem a impulsividade e o
cpie não pagar por isso? Afinal, os jogadores sacrifi- caráter excessivamente otimista de Marsball, rapida-
am tempo e saúde de forma considerável Por que o mente encontrou "medidas tranquilizadoras".
IDJlldo do xadrez espera todos esses sacri.ficios dos
mestres, por que não cria as condições, quando toda
Partida45
a questão se resume, em essência... à remuneração?!"
Em resumo, !vfarshall teve que jogar um match F.Marshall-Em.Lasker
Campeonato Mundial, EUA 1907, 1ª partida
com Janovsky, que por sua vez também estava ávido
por uma luta. O match de "candidatos" (Paris 1905) ~úpezC65
fui vencido pelo americano por um placar de +8-
5=4, depois do qual lançou um desafio a ... Tarraschl
l.e4 eS 2.~ ~6 3.Ab5 lz)fti 4.d4 (somente
Este imediatamente aceitou, declarando que estava
4.0--0 dá chance de vantagem) 4... exd4 5.0-0 Ae7
"'feliz pela oportunidade de enfrentar tal adversário".
(5 ... a6!?) 6.e5
.Jogaram também até o primeiro a conseguir oito
A alternativa é 6.'tWe2 (6.lz)xd4 0--0 7.li:X3 &8,
ttórias (Nuremberg 1905). Tarrasch demonstrou
com igualdade, Black-Lasker, simultânea 1907)
quem era quem: +8-1 =8. Ele concluiu seu pronun-
6 ... 0--0 7.e5 lz:Je8 8.~l d5 9.c3!? (9.Axc6 bxc6
áamento no banquete final com uma colocação
IO.êz:)xd4 'tifd7 com igualdade) ou 6.&l 0--0 (6 ... d6
ugulhosa:
7.lz)xd4 1J.d7 leva à Defesa Steinitz; 6 ... a6!?) 7.e5
''Depois desta conquista, minha mais recente e
maior, não há motivo para considerar que alguém no
lz:Je8 8.M4 com leve vantagem.
mundo do xadrez seja melhor que eu De fato, é 6...tue4 7.lz)xd4
mnto mais dificil derrotar o jovem Marshall que o Na partida Tal-Furman (25º Campeonato da
idoso Steinitzl Estou preparado para jogar um match URSS, Riga 1958) após 7.i9e2 0.c:5 8.~l 0--0
com Lasker sob condições aceitáveis, mas não tenho (8...~!?) 9 ...ixc6 bxc6 IO.lz)xd4 i9e8 11.0.c:3 f6
a intenção de desafiá-lo: isto deve ser feito por quem 12.lz)fS 1ui8 13.!fc4+ ~ 14.lt'.ld4! as brancas
oão tem reputação e sucessos adequados. Meus mantiveram alguma iniciativa.
sucessos nos últimos vinte anos são pelo menos 7... 0-0!
equivalentes aos dele; quando há dois anos lancei-lhe Sem perder tempo com 7 ... lz)xd4?! 8.t!fxd4
um desafiou, restou em vão. É uma questão para o 0.c:5, que pode resultar num desastre: 9.f4 (é mais
mundo do xadrez organizar este match, se for de tranquilo 9.0.c:3) 9 ... b6? 10.fS! lz)b3 l l.t!fe4!
interesse... A União de Xadrez Alemã e os clubes lz)xal (ou ll...ii.b7 12.Axd7+! 'i!?t'8 13.t!fxb7
americanos devem estabelecer condições aceitáveis, lz)xaI 14.f6) 12.f6! .i.c5+ 13.~l m,g 14.e6 ~8

119
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

15.~xh7 vencendo (Bird-Steinitz, Londres 1866). 15...'%!ff6 16.~xd4?!


8.~f5 (uma tentativa de se lutar pelo menos por Novamente o que conta é o conhecimento de
uma sombra de vantagem) 8...dS 9.~xc6 Lasker da natureza humana: :Marshall não quer "sen-
Conforme se evidenciou anos mais tarde, tam- tar" sob ataque após 16.~ (16.'%!fd2?! dxe3
bém pouco oferece 9.~xe7+ ~e7, por exemplo: 17.!Yxe3 ii.h3 ! já não é tão atraente) 16 ...'%!ff2+
10.c3 (10.f3 ~5 11.b4?! ~7! 12.~2 ~a4) 17.Whl ii.h3 18..l:!gl. Depois disso, na opinião de
10... c6 11.~2 ~g6 12.f3 ~5 13.b4 ~d7 14.f4 Zak, "seguiria 18...h5, e as brancas não tem salvação
lãe8 15.~d2 ludf8 16.lub3 M5 17.~5 !!b8 18.g4 contra a ameaça ...~4, uma vez que 19.'%!fxh5? ou
~c8 19.~3 f6 com igualdade (Spielman-Eliskases, 19.~el? leva mate em dois lances: 19...!Yxgl
Linz 1932). 20.WXgl fil1 mate (Réti)". Aqui houve alguma
9... bxc6 10.luxe7+ ~xe7 11.lãel 'i!Kb4!? falha, já que após 19.~a3 ~g4 20.llil! ~dl
''Na busca por complicações as pretas evitam 21.iâxf2 .lâxf2 22.ãxdl não são as brancas que estão
l 1...f6, que leva a uma boa posição: 12.f3 ~g5 mal, mas as pretas. Por isso é correto 18 ...~ !
13.ii.xg5 fxg5 14.~3 ~e6 seguido de ...c6-c5". (ameaçando ~2-f3) 19.~1 '%!fe3 20.~ ~2
(Zak) 21.~cl ~+ 22.êê::lxf3 °i!Vxf3+ 23.lãg2 !Yfl+ sem
12.~e3 (pode ser que o rápido 12.f3!? fosse nada mais do que um xeque perpétuo.
melhor) 12... f613.t3 16...exd4 17.!ifl '%!fxf1+!
Não tem sentido 17 ... '%!fe5 18..lâxf8+ WXf8
19.~f3+ We7 20.!Yf4, ou 17...!Ye7 18.~f8+
'i!Vxf8 19.'%!fxd4 1ili3 20.<tic3 !!d.8 21.!Ye3 iâd6
22.<tie2 e êê::lf4.
18.'%!fxf1 Z!xfl+ 19.WXfl
Ao evitar o perigoso 16.~, é provável que
l\1arshall tenha considerado este final empatado, mas
Lasker tem outra opinião a respeito. ..
19...!!b8! 20.b3 l!bS! (nesta partida a torre
opera verdadeiros milagres) 21.c4
Um desejo compreensível de evitar o enfraqueci-
mento do peão c2, no entanto 21.êê::ld2 (não serve
21.c3? &5 ou 21.<tia3? ãe5 22.lãel &5; também
13... fxeS! é duvidoso 21.a4 lãc5 22.<tia3 ~4 23.Wg2 !!c3
É mais prudente 13 ... lug5, mas Lasker fez uma 24.lãfl d3 etc.) permitiria às brancas atingirem o
escolha psicológica sábia. É pouco provável que o empate almejado, apesar das dificuldades:
campeão tenha calculado todas as variantes, deve ter 1) 21...gc5 22.ãcl ~6+ 23.Wfl (23.Wel?
sentido de forma intuitiva que o caráter das posições !!c3!) 23 ...~d3 (23 ...lãc3 24.-tlbl!) 24.-tlf3 !!xc2+
resultantes após o sacrificio de peça seria bastante 25.lãxc2 ~c2 26.-tlxd4 ~e4 27.<tie6 ~bl 28.a3
confortável para ele e, ao contrário, bem desagradá- ~ 29.luc5 com igualdade;
vel para l\1arshall. 2) 21.. - ~ 22.h4 (22.Wg2?! &5! 23.&1
14.fxe4 d4 15.g3?! gc3; 22.Wgl Wf7 e, de acordo com Zak, "o rei ini-
Lasker viu bem! Naturalmente as brancas não cia uma invasão decisiva") 22 ...&5 23.luf3 gxc2
podem mover o bispo: 15.~d2? (ou 15.~1? ~f2+ 24.-tlxd4 ii.h3+ 25.Wel Z!g2 26.!kl r!xg3
16.Whl ~g4) 15 ...~g4 16.°i!Vcl gf2! 17.~g5 27.!!xc6 .Elg4 28.~f3! 2:!xe4+ 29.Wfl &7 30.&6
iâxg2+! 18.WXg2 iihl+ 19.'ithl 'i!Vf2 e mate. No c5 31 _gc6 com igualdade.
entanto, 15.°i!Vd2! dxe3 16.'i!Vxe3 (e lud2!) manteria 21 ...!IhS 22.Wgl (após 22.h4? g5! 23.hxg5
ao menos chances iguais - aqui, é evidente, parece lãhl+ a torre paralisa as duas peças brancas) 22.cS
ser melhor 16...lli6 17.~ ~4, impedindo o 23.~d2<M'/
cavalo de ir a f3.

120
Emanuel Segundo

24.ãtl+? 30.<itigi .l:1f6 31.&l d3 32.fltl 'i!?d4


O erro decisivo. A fantasia de l\1arshall seca no Infelizmente a torre heróica não está presente
deserto dos finais! Era essencial o ativo 24.a3! a5 para testemunhar o triunfo das pretas...
33.!!xffi gxf6 34.©fl c6 3S.a5 (ou 35.'Llbl a5
(24 ...We7 25.b4; se 24.. .We6 então não 25.b4?!
36.Wel Wxe4 37.~ 'i!?d4) 3S... a6
~eS! 26.bxcS d3, mas primeiro 25.!!fl!
Z1JJ!,Z!V(111~ O resto é claro, sem qualquer comen-
(Shereshevsky) 25.!Ibl! We7 (25 ...We6 26.b4 axb4 tário:
27.axb4 WeS 28.bxcS d3 29.!Ib8 ~ 30.nd8) 36.~tl W><e4 37.Wel h2 38.00+ (38.Wd2
26.b4 cxb4 27.axb4 axb4 (ou 27... ~ 28.bxaS f5) 38... WeJ 39.~bl e; 40.00 bS 41.~bl Wf3
nxaS 29.~b3) 2s.nxb4 naS 29.'Llh3 &2 30J!bs 42.luc3 WXg.l 43.~4 f4 44.lõxcS o 45.ft:)e4+
Ah3 31.~d4 com conttajogo suficiente para o Wf4 46.~6 cS 47.b4 cxb4 48.cS b3 49.lõc4 Wg3
empate. so.~ b2, e as brancas abandonaram.
24...We7 25.a3?! (infelizmente uma atividade Depois disso l\1arshall nrudou para l.d4, espe-
tardia) 25...IDl6! (a torre está alertai) 26.h4 rando poder adotar com sucesso o ataque favorito de
Pillsbury no Gambito da Dama. Mas recebeu em res-
Se 26.b4, então 26...&6! 27..lID (27.bxcS !!xa3
posta 1...d5 2.c4 e6 3.~3 ~6 4.il.gs ~7 5.e3
28.~f3 Ah3 vencendo) 27 ...il.g4 28.&3 ~ l
™!?, outra ''Defesa Lasker'' (mais tarde melhora-
29.!Ibl ilc2 30.&l d3 etc. E contra 26.~1 não é
da com os lances 5 ... 0-0 6.~f3 h6 7.il.h4 ~ ) .
ruim 26 ... aS 27.h4 il.g4 28.ãfl ID,6!? Nesta nova variante as pretas venceram a terceira e a
26...&6! última partidas.
Como resultado da impressionante manobra O resultado final do match, +8=7 a favor do
.. l!b8-b5-h5-h6-a6 as pretas tem enorme vanta- campeão, indica que os dois jogadores simplesmente
gem. pertenciam a categorias diferentes. Embora, pelos
27.&l próximos vinte anos o desafiante ainda fosse um dos
Dificilmente seria muito melhor 27.a4, por melhores grandes mestres do mundo, conhecido
exemplo: 27 ...il.g4 28 ..ID'4 h5 29.~ nh6! {não é como o "Dom Quixote do xadrez". Em uma oca-
sião, numa partida contra Lewitzky, em Breslau 1912,
claro 29...We6 30.~f3) 30.Wel a5 31.~ &8
l\1arshall aplicou o inigualável golpe 23 ...'tWg3 !!, que
(31...g6!?) 32.Wel We6, preparando a invasão
ficou conhecido como "o lance mais brilhante da
... d4-d3 e ... <i!?e5-d4. história do xadrez".
27....tg4! 28.00 We6 29.a4 (também é ruim o Lasker demonstrou sua superioridade absoluta
final de torres após 29.~f3 il.xf3 30.'i!?xf3 WeS) sobre l\1arshall, mas ficou claro para todos que o ver-
29... WeS dadeiro desafiante era Tarrasch. Isto foi confirmado
Um quadro surpreendente: uma dezena de lances pelo "torneio dos campeões", a quatro turnos em
simples e a posição das brancas está em núnasl Ostende 1907: 1.Tarrasch 12,5 em 20; 2.Schlechter
12; 3-4.l\1arshall e Janovsky 11,5, etc.

121
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

Quem és tu, Doutor Tarrasch? tamente com sua erudição cresceram rapidamente.
Após o torneio em Cambridge Springs o cam- Não é surpresa que tenha sido Tarrasch o primei-
peão mundial permaneceu na América, onde publi- ro a apreciar de forma correta as ideias do primeiro
cava a sua esplendida revista LLlsker} Chess lvf.agazine. campeão mundial e a conseguir levar de forma inte-
Contudo, a revista foi fechada por falta de verbas, e ligível a uma grande audiência os ensinamentos de
o Dr. Lasker voltou para a sua terra natal, a Steinitz. Tarrash foi em essência o mentor de mais de
Alemanha. A esperar por ele estava seu velho e uma geração de mestres. Chegou até mesmo a ser
implacável rival, o Dr. Siegbert Tarrasch (1862- chamado de "o professor da Alemanha". Este foi um
1934). estágio importante e necessário para o desenvolvi-
mento do xadrez. Para que mais tarde, nos primeiros
vinte e cinco anos do século XX, o mundo visse o
surgimento de Rubinstein, Alekhine e os hipermo-
demistas foi necessário em primeiro lugar a assimila-
ção das lições de Steinitzl
Do enorme legado do Dr. Tarrasch, além das
partidas contra Chigorin e Lasker mostradas neste
livro, selecionamos alguns outros exemplos marcan-
tes de seu jogo.

Partida46
S.Tarrasch-1.Gunsberg
Quinto Congresso da União de Xadrez Alemã,
Frankfurt 1887

O Dr. Tarrasch, grande vencedor do Torneio de


Ostend em 1907
Já falamos sobre o papel desempenhado por
Tarrasch, um dos jogadores mais fortes desde o iní-
cio da década de 1890. Ele nasceu e cresceu em
Breslau, a cidade de Anderssen e Zukertort, onde
vários outros mestres também viveram: Harrwitz,
von Scheve, Riemann e Schottlander. É simbólico
Essa pos1çao surgiu de uma Defesa Francesa
que Siegbert freqüentasse a mesma escola que o pró-
com 3 ... dxe4, lance que recebia críticas de Tarrash.
prio Anderssen. ''Eu vi o velho mestre apenas uma
Conduzindo as peças pretas não estava um garoto
vez, observei com admiração o seu jogo a uma dis-
tânàa respeitosa", escreveu Tarrasch. "O rei do qualquer, mas o vencedor do Quarto Congresso e
xadrez não dava a honra a seus súditos, ocasional- um futuro desafiante à coroa mundial, um adversário
mente comandando a Riemann ou Schottlander a de Steinitz e Chigorin em matches. Contudo, as
jogar uma partida consigo". :Mas o jovem jogava brancas de forma ousada sacrificaram seu peão b
constantemente contra mestres, e estudava os livros para criar um ataque direto ao rei inimigo.
de Philidor, Stamma, von der Lasa e o Handbuch de
22,gb6!
Dufresne e Zukertort, e a sua força enxadristica jun-

122
Emanuel Segundo

Tarrash também considerou o inesperado 32.'ifxe4 bxa6 33.'ifxc6+ 'ilb7 34.'ile8+ 1'6b8
22 ..h6?! bxa6? 23.1'6a5! 1'6f4 24.g3 com vanta- 35.'ile4+ 'ilb7 36.c6! Vc7 37.lWe8+ 'ili'b8
gem, mas rejeitou em vista de qualquer resposta 38.t!fd7!
neutra das pretas. Por exemplo, 22 ....lãhe8 e "trocas Um lance simples e elegante. O cavalo desafortu-
getais" em b7 não dão em nada: 23.~b7 .ítxb7 nado em h6 ilustra a famosa máxima de Tarrash
24 ..ítxb7+ 'i!fxb7 25 ..lãxb7 ~b7 etc. sobre o "cavalo ruim" na borda do tabuleiro.
22...eS! 38... 'ilbt+ 39.<i!>h2 l2:\t5 40.c7, e as pretas aban-
O moderno contragolpe central na coluna e. É donaram.
mais passivo 22 ... ~g8 (22 ... axb6? 23.cxb6 e
!fa5+) 23.Étlb4 ~7 e ... li:'ld5. Ao estudar a partida clássica seguinte, é interes-
23.ãl b4 ãbe8 sante comparar os comentáóos de Tarrasch com
Novamente é ruim 23 ... axb6? 24.cxb6 e contra aqueles de seu eterno critico Nimzowitsch, que neste
a saída da dama 25.&4+ 'i!;b8 26.&8+ ~ 8 caso ficou bastante satisfeito com o jogo de seu
27.1'6a5+ Wb8 28.1'6a7 mate.
velho colega.
24.dxeS fxeS 25.&4 e4
Merecia atenção 25 ...'i!ib8!? 26.'ifc3 (26.~g5
iLf5 27.~ .txe4 28.~e4 ~f5 ou 28 ...~g8) Partida47
26 ...~fS 27..1'.e4 ~4 28.~d4 exd4 29 ..lãxd4 M.Harmonist-S.Tarrasch
~d4 30.'ifxd4 1'6f4, forçando 31.ãM (Neishtadt). 6o. Congresso União de Xadrez Alemã, Breslau
26.'i!faS 1'6b8 27..1'.xe4 ..tfS? 1889
''Um lance muito precipitado, que leva à derrota. RJ91upez.C65
Após 27...ãdl+ 28.~1 l2:\f5 o cavalo, que por bom
tempo permaneceu inativo, entraria em jogo e as
chances seriam aproximadamente iguais." (farrash) l.e4 eS 2.li:lt3 l2:lc6 3.AbS l2:lf6 4.0-0 l2:\xe4
S.d4 l2:ld6!?
Tarrasch fez esse lance de forma alegre, conside-
rando-o (em comparação com 5...1'.e7 - partida 55,
vf) "a defesa mais simples, que leva a um jogo igua-
lado." Posteóormente foi jogado com sucesso por
Pillsbury, por Romanisbin nos anos 1970 e atualmen-
te o bastão está a ser carregado por Kramnik.
Essa partida, de forma efetiva a fonte original de
uma vaóaote na moda, introduziu várias das ideias
básicas das pretas.
6.Axc6
O Doutor também testou com as brancas 6.dxe5
l2:lxb5 7.a4 d6 (7... ~bd4!?) 8.axb5 ~e5 9.Étel
28.&6! .1'.e7 10.~xe5 dxe5 11.l!fxd8+ ~d8 12.~e5 Ad6
Um belo golpe, que de forma involuntária trás à com igualdade, ou 8.e6!? (o agressivo ataque de
mente as palavras de Fischer: "O jogo de Tarrash era
Janovsky) 8 ... fxe6 9.axb5 ~7 etc.
cortante como uma navalha, e apesar de sua devoção
6... dxc6 7.dxeS liJts 8.l!i'xd8+ ~d8
ao método científico, suas partidas eram brilhantes e
Uma das tabfyas da Defesa Berlinesa, apelidada de
engenhosas".
''Muro de Berlim'', dada a sua solidez. Os recursos
28...ãdt+
desse final complexo foram subestimados por um
Forçado (28 ... bxa6? 29 ..ítxc6+), mas nem por
longo período até o match pelo campeonato mundial
isso salvador. Ao jogar 28.&6! as brancas teriam
que ter calculado uma longa variante forçada: (Londres 2000), quando essa variante foi empregada
29.~1 ~el+ 30.l!i'xel Axe4 31.~e4 ãxe4 por Kramnik.

123
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

Kramnik 9' partida, Londres 2000);


3) 10.h3 ii.d7!? ll.b3 We8 {ou ll...Wc8
12.ii.b2 b6 13.&dl Kasparov-Kramnik, 3a partida,
Londres 2000; Shirov-Kramnik, Astana 2001)
12.1J.b2 ãd8 13.&dl 0,e7 14.filel êz:Jg6 15.là:4,
e o descuidado 15 ...êz:Jf4 permitiu às brancas um
forte ataque após 16.e6! (Kasparov-Kramnik,
Astana 2001 ).
9... We8! {mas não 9 ...ii.e7?! 10.g4! êz:Jb6 l l.h3)
10.l'ikJ h6 11.il.f4 ii.e6
''A maioria de peões das brancas tem pouca
mobilidade". (Nimzowitsch)
12.!!adl ãd8 13.êz:Je4 c5
''Ameaçando 14 ... êz:Jd4, as pretas provocam a
"Embora as pretas temporariamente tenham difi- troca das torres, o que lhes dá a possibilidade de tra-
culdades devido à perda do roque, graças ao seu par zer sua torre do rei para o jogo." (Tarrash)
de bispos e à maioria de peões na ala da dama obtém 14.23.xd8+ ~d8 15.ãdl+ Wc8 16.h3 (amea-
boas chances de vitória." (Tarrasch). Além disso, çando 17.g4 0ie7 18.êz:Jxc5) 16... b6 17.Wfl ii.e7
comparado a esquemas agudos, aqui o valor de cada 18.a3
lance não é tão grande e as pretas podem variar a ''As brancas claramente passam por dificuldades
forma de se defendet na busca de um bom plano. No caso de 18.Wel?
Essa posição possui várias nuanças e é muito difi- ii.xa2, trancar o bispo com 19.b3 não dará certo em
cil encontrar uma linha de jogo correta para as bran- vista de 19 ... c4, por exemplo: 20.êz:Jed2 {se
cas. Por ora, apenas uma coisa é certa: as brancas tem 20.êz:Jfd2, então 22.Wfl 1J.xd2 23.êi)xd2 tL\d4".
vários lances úteis (como tõc3 e h2-h3), mas depois
(Tarrash)
disso cada um joga como quiser. No século XXI 18...ãd8 19.ãxd8+ çt,x(i8 {"a troca das torres
parece que de forma gradual as brancas vão encon- aumenta de forma substancial o raio de ação do rei
trando algo, embora seja um processo longo, doloro- preto" - Nimzowitsch) 20.c3
so e longe de ser óbvio. Em resumo, atualmente a ''Esse lance, que enfraquece ainda mais a ala da
variante continua viva. dama, é necessário devido a ameaça de 20...êz:Jd4.
9.iLg5+?! Agora as pretas ganham cada vez mais espaço."
Perda de tempo. De qualquer modo o rei deve
(Tarrash)
sair de d8. É mais lógico 9.tõc3 h6 com as seguintes 20... Ji.dS 21.l'àfd2 Wd7 22.We2 g5 (não é claro
possibilidades: 22 ... êz:Jh4 23.g3 êz:Jg6 24.$>e3 We6 25.êz:Jf3)
1) 10.b3 {é pouco claro 10.iui2 ~6 11.êz:Je2 c5 23.ii.h2 êz:Jh4 24.g3 êz:Jg6 25.f4 We6 26.'i!i>e3 c4
12.1J.c3 Tarrasch-Lasker, Hastings 1895) 10...~6 27.êz:Jt3 gxf4+ 28.gxf4 (ameaça ambos, tanto
ll.il.b2 1J.e7 {ll...Wc8!? Romanishin) 12.&dl+ 28.êz:Jd4+ como o inesperado 28.f5+ WXf5 29.êz:Jd4
çt,cg 13.~fel ?! (13.êz:Je2!) 13 ... g5! 14.là:4 b6?! mate) 28...cS!
(14 ... ~e8) 15.tL\d4? (15.tL\d6+! 1i.xd6 com igual-
dade) 15 ...êz:Jxd4 16.23.xd4 Wb7 l 7.êz:Jf6 a5 18.a4 c5
19.ãd3 c4 20.bxc4 1J.xc4 21.ãd4 1J.e6 22.êz:Je4
ãad8 23.&dl Ji.f5 24.f3 1J.xe4 25.!!xd8 23.xd8
26.l3.xd8 1i.xd8 27.fxe4 çt,c6 28.1J.a3 b5 29.axb5+
çt?xb5 e as pretas venceram (Porges-Tarrasch,
Dresden 1892);
2) 10.ãdl+ We8 ll.h3 {ll.b3 g5 ou, de acordo
com Pillsbury, 11...~ com a ideia de 12.1J.b2
1J.xc3!?) 11...aS 12.Ji.f4 (12.b3 il.b4! - FritzS-
Anand, xadrez rápido 1998) 12...ii.e6 13.g4 êz:Je7
14.êz:Jd4 êz:Jd5 15.tõce2 ii.c5 16.êz:Jxe6 fxe6 17.c4
êz:Jb6 18.b3 com pequena vantagem {Kasparov-

124
Emanuel Segundo

Nimzovitsch dá essa partida como ilustração do e glória sejam dados ao Dr. Tarrasch pelo conheci-
poder do par de bispos na luta contra uma maioria de mento dessas regras nos dias por qualquer jogador
peões, e essa posição como um exemplo da ação graduado! É claro, certos aforismos seus às vezes
milagrosa do bloqueio: ''As peças brancas estão bas-
provocam um sorriso, por exemplo, "se uma peça
tante restringidas. Este gratificante estado das coisas
está mal posicionada, a partida toda vai mal", ou "um
é uma consequência quase automática do bloqueio
dos peões e5 e f4". cavalo na borda do tabuleiro sempre está mal". Em
29.~ l2\h4 (evitando f4-f5) 30.l2\xh4 Axh4 alguns casos é possível conseguir alguma vantagem
31.l2\e4 ~7 (caso contrário 32.làl6) 32.il.gl Ac6 até mesmo com um cavalo "ruim". Basta lembrar,
"Com o intuito de 33 .. .'i!?d5 e .. ~7-f5 deslo- entre outras, as partidas Lasker-Schlechter
cando ainda mais o cavalo." (Nimzowitsch) (Viena/Berlim, 10" partida 1910 - Partida 58, v1) e
33.Arl Ad7 34•.ig3! Kasparov-Karpov (Londres/Leningrado 16ª partida
"Conforme Metger apontou de forma correta, o
1986). Apesar disso, os "dogmas" de Tarrasch não
lance 34.l2\<16! manteria chances de empate para as
são verdades eternas, mas meramente material ins-
brancas; após 34 ...1'xd6 35.exd6 restam sobre o
trutivo apresentado em uma forma acessível e diver-
t2buleiro bispos de cores opostas." (Tarrasch) Isso
tlllnbém foi indicado por Nimzowitsch. Devo acres- tida, rudimentos necessários com os quais se pode
centar somente 34...b5 35 ..tg3 f5 36.li.f2 com começar a tatear os segredos do xadrez...
igualdade. A partida seguinte, jogada após uma maratona de
34...'it>d5 35.lZ:\tl? trinta e seis dias de torneio, além das trocas de gol-
Uma retirada fatal. Era essencial 35.l2\d6!? pes no match desempate, decidiu o primeiro lugar do
~ 6 36.exd6 ..txh3 37.f5 ..txf5 38.1'.h2, embora torneio de Viena 1898.
isto ainda não garanta o empate: é preciso verificar
38... Ad7 seguido da lenta transferência do rei e do
awnço do peão b. Partida48
35... h5 36.00 (ou 36.h4 Af5 e o cavalo não S.Tarrasch-H.Pillsbury
pode entrar em jogo) 36... ~ Viena 1898, 3ª partida
''Bloqueio!" - exclama com alegria Nimzowitsch, Abertura dos Quatro Cavalos C49
que resume: "Pode-se dizer que a limitação da mobi-
Jidade de uma maioria de peões leva de forma auto-
mática à restrição dos movimentos do cavalo: ou 1.e4 e5 2.l2\:13 l2\c6 3.Ab5 liJf6 4.lZ:\cJ (evitan-
ltja, os peões bloqueados podem se transformar do a Defesa Berlinesal) 4... Ab4 5.0-0 0-0 6.d3 d6
0)01 facilidade em obstáculos para os próprios cava-
7.Ags Axc3 8.bxc3 li:Je7
b".
37.<it'e3 b5 38.00 a5 39.<it>eJ (as brancas estão A manobra favorita de Pillsbury. Mais tarde pas-
.rogadas) 39...b4 40.00 <i!tc6 41.axb4 (41.h4 saram a preferir o lance de Metger (1893) 8...l!fe7
~5 42.l2\e4 'i&d4 vencendo) 41 ...cxb4 42.cxb4 com ideia de 9.&l liJd8 10.d4 l2\oo ou 10...ii.g4.
axb4 43.~4 Wd5 44.l2\d6 Axd6 45.exd6 c3 9.Ac4
.t6.bxc3 b3, e as brancas abandonaram. ''De forma objetiva é mais forte 9. l2\h4 !"
É óbvio que uma série de vitórias deste gênero (Tanash). Por exemplo: 9... li:Jg6 10.l2\xg6 fxg6
dava os fundamentos para um dos famosos aforis- 11.Ac:4+ ~8 12.f4! h6 13.fxe5 dxe5 14.Jili4 g5
mos de Tarrasch: "O futuro pertence a quem tem os 15.ii.g3 V!Je7 16.d4 com vantagem Qanovsky-
bispos". Vale lembrar também o final clássico da par- Spielmann, Nuremberg 1906) ou 9 ...c6 10.Ac:4
rida Tarrasch-Rubinstein (San Sebastian 1912), onde Ae6? (é correto 10... d5 ll..tb3 l!fd6) Il.Axf6
oa verdade a vítima foi o DoutoL .. gxf6 12.Axe6 fxe6 13.1!ig4+ 'i!?f7 14.f4! com um
Tanto em seu jogo quanto em seus comentários ataque típico (Capablanca-Steiner, Los Angeles
Tartasch seguia regras gerais, e de forma metódica as 1933).
formulava, a completar o trabalho de Steinitz. Honra

125
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

9....te6 20.lixf6!
Um gc;>lpe espetacular, que não foi previsto por
Lasker em seu match contra Janovsky (Paris nenhum dos mestres que analisavam a partida na sala
1909) fortaleceu o jogo das pretas através de ao lado. Eles esperavam 20.'i!ff3 IDE, que não é sufi-
9 ... ~g6! 10.tZ:lh4 <tlf4! ll.li.xf4 exf4 12.<tlt3 .1i.g4 cientemente claro.
20...©xf6 21.1!i'f3+ ©g7 (se 21...Wxg6, então
(12 ....te6!?) com perspectivas excelentes tanto com 22.lã.g4+ ©h7 23.'i!Be4+ Wh8 24.'i!fxa8+) 22.'t!fxaS
13.h3 i.h5 14.E!.bl b6 15.'Wid2 li.xf3 16.gxf3 <tihs c5 23.ãbl !!xg6 24.!!fl VJHe7 25.c4
l 7.Wh2 'Wif6 (2" partida) quanto com 13.'i!i'd2 li.xf3 E as brancas converteram sua vantagem:
25... e4 26.VJHxe4 1!fxe4 27.dxe4 l!g4 28.&1
14.gxf3 tZ:iliS! (4ª partida).
©!6 29.g3 ©e5 30.c3 ãg7 31.©22 l::tb7 32.a4 a6
l0..ãxf6 33.h4 b5 34.axbS axbS 35.cxbS l'!xbS 36.©h3 c4
Janovsky também testou 10 ..tb3!? .txb3 37.©g4 !!b2 38.hS !!c2 391:!hl &2 40.h6 &8
ll.axb3 li:ld7 12.d4 f6 13 ..te3 lê::lg6 14.'Wid3 Wh8
41.h7 !!h8 42.<i!;ieS ©xe4 43.©g6 ©d3 44.Wg?
ãxh7+ 45.'i!?xb7 ~c3 46.!!dl, e as pretas abando-
15.lê::ld2 a6 16.f4. naram.
10... gxf6 11 ..txe6 fxe6 12.lê::lh4 lug6 13.lê::lxg6 Anteriormente vimos como Lasker superou com
naturalidade em um final :Marshall, o vencedor de
hxg614.f4!
Cambridge Springs (parlida 45, v1). Algo similar foi
É íncrivel que vários anos mais tarde, em outro obtido um par de anos antes por Tarrasch.
torneio triunfante (Ostende 1907), Tarrasch tenha
massacrado de forma similar o obstinado Janovsky.
14 ... ©g7?! Partida 49
F.Marshall-S.Tarrasch
A tentar corrigir a "desastrosa posição dos peões
Match de Candidatos, Nuremberg 1905
na ala do rei", Tarrasch sugeriu 14... fS, contra o qual 7ª partida
os comentaristas recomendaram 15.fxeS dxe5
16.~l !? (mas não 16.g4 f4) 16...b6 l 7.'i!i'b3 'Wid6
18.exfS gxf5 19.lã.ael com alguma vantagem.
15.fS exfS 16.exfS E!.h8 17.fxg6 E!.h6
É muito perigoso para as pretas l 7...Wxg6
18.VJHg4+ Wf7 19.IDJ 'Wie7 20.&fl E!.h6 21.E!.g3
&h8 22.E!.xf6+! VJHxf6 (22 ... Wxf6? 23.!!f3 mate;
22 ... E!.xf6 23.'i19g7+ We6 24.'i19xh8 vencendo)
23.E!.f3 ameaçando 'Wid7+.
18.ãbl! (para transferir a torre para a ala do rei
com ganho de tempo) 18... b619.!!b4 'i!fd7

126
Emanuel Segundo

20.. Jla5!? (muito mais vívido que 20 ... e5 levava ao empate: 29 ...We7 40.Wd3 ~+ 41.Wc2
21.gfS 'ite6 com igualdade) 21.00?! I:l.c5 22.lltl ~g3 42.~ ãgi+ 43.Wb3 ~a2 44.'i!txa2 g5
gb5! 23.b3 ãb5! 45.hxg5 h4 46.d5 h3 47.d6+ ou 39...Wd7 40.Wd3
Há de se convir que essa torre não é menos "rai- ~+ 41. 'i!?c2 com igualdade.
vosa" que a de Lasker. .. 38...g5 (agora as brancas estão em zugzwang)
24.h3 b5! 25.b4 .lãgS 26.llf4 e5 27.llf.2 ãg6 39.'i!td3 b4 40.Wc:4 b3+ 41.'i!txb3 ~d4 42.~a2
28.ãtS ãe6 29.<iftel? ãxe4 43.&6 &3+ 44.Wc2 ãxh3 45.ãxb6+ Wxe5
Marshall não tem sensibilidade para posições 46.ãb4 ãe3 47.Wd2 ãe4 ~t
simples. Após 29 .!!lt5 ! as brancas não teriam E agora uma partida conhecida e instrutiva do
nenhum problema: 29...&6 30.~h7 Wf6 3 l.~8 seguidor do primeiro campeão mundial, a percorrer
~a3 32.We2 ou 29...h6 30.We2 g5 31.h4. os passos da partida clássica Steinitz-Sellmann (parti-
29...g6 30.llft &6 31.&l b6 32.Wcll &4 da 16, vf), onde o resultado também foi decidido em
33.c3 c5 34.cxd4! função da ocupação da casa d4 pelas brancas.
No momento de calcular o campeão norte-ame-
ricano rejeitou 34.'i!?c2 dxc3 35.m,l?! 'i!td6 36.m,3
Partida 50
cxb4 37.ãxb4 'i!?c5! e, como mostra o computador,
S.Tarrasch-R.Teichmann
fez bem: 38.~a4 bxa4 39.Wxc3 b5 40.h4 h5 41.g3 San Sebastian 1912
b4+! 42.axb4+ Wb5 vencendo, ou 38.ãb3 b4 Defesa Francesa C14
39.axb4+ Wd4 40.ãxc3 &2+ 41.Wb3 ~ +
42.Wxa3 Wxc3 43.Wa4 'i!txd3 44.Wb5 Wxe4
45.'&<b6 Wd5 46.b5 e4 47.'i;;c7 e3 48.b6 e2 49.b7
elli' 50.b8li'li'e5+ 51.WcS 'i/6xb8+ 52.'i!txb8 We5 l.e4 e6
vencendo. Devo recordar que o Doutor também jogava essa
34...cxb4 abertura com as pretas de forma magistral, mesmo
A nada leva 34 ... exd4 35.bxc5 bxc5 36.m,l &5 quando Chigorin optou pelo plano raro com 2.li'e2
37.Wc2, por exemplo: 37 ...Wd6 38.Wb3 We5 (partidas 27 e 30, vf).
39.&l c4+ 40.dxc4 bxc4+ 41.~c4 ~e4 42.&7 2.d4d53.W
d3 43.&7+ 'i!td4 44.ãd7+ We3 45.&7+ Wf2 Ainda nos anos 1890 Tarrasch introduziu na prá-
46.W7 ou 37 ... c4 38.dxc4 bxc4 39.Wl d3+ tica "a continuação muito boa de ataque" 3.ê2ld2.
40.Wc3 &4 41.Wl We6 42.Wd4 com igualdade. Em comparação, atribuíra um ponto de interrogação
3 5.dxe5 We6 36.d4 bxa3 37.W&:3 a2 ao lance 3.e5, desde a sua vitória sobre Louis
As pretas criaram muitos problemas para as brancas, Paulsen (Nuremberg 1888) e sobre esse tema teve
e Marshall não consegue se conter. .. um duelo crítico com Nimzowitsch em San
Sebastian 1912 (partida 92, 111).
3...~
A propósito, a variante com 3 ...Jlü,4, que em
alguns lugares recebe o nome de Nimzowitsch, já
fora testada por Tarrasch contra Gottschall
(Nuremberg 1888) e após 4.e5 fu.e7 5.f4?! c5 6.a3
1l.xc3+ 7.bxc3 c4 s.lz:)o 1Wa5 9.1!fd2 li:Jbd7!?
10.lz:)h4 ê2Jb6 realizou o plano de bloqueio com a
manobra de uma peça menor para a4, o que foi uti-
lizado com sucesso por Botvinnik meio século mais
tarde - por exemplo, contra Tolush (14º
Campeonato da URSS, Moscou 1945).
4.iLg5
Também não é ruim a variante "pura" Steinitz
38.g4? 4.e5 lz:)fd7 5.f4, como foi jogado na já mencionada
Por estranho que pareça, 38.h4! h5 39.g3 ainda partida contra Sellman.

127
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

4... ~e7 tendo em mente 1l.exf6 'i!fxf6 12.0--0-0 a6


AtuaJmente está em moda lutar pela igualdade 13.kgl GLJb6 14.IDlel CzJc4 15.l!ff2 b5 16.dxc5!?
através do lance simplificador de Rubinstein lzJxb2? 17.c;.t;xbz b4 18.CLJd4! bxc3+ 19.<i&al com
4 ... dxe4. Tarrasch considerava totalmente inaceitável vantagem (Rubinstein-Levenfish, Carlsbad 1911), ou
isso ou 3 ... dxe4 (entregando o centro!), mas o tempo ll...GLJxf6 12.0--(H) (12.dxc5 e5!; 12.kgl cxd4
deu razão a Rubinstein. De forma geral, Tarrasch 13.lzJxd4 e5!) 12 ... cxd4 13.li)xd4 e5! 14.fxeS
com frequência empregava suas populares ideias filo- l!fxe5 com jogo excelente.
sófico enxadrísticas - que eram válidas para princi- 11.~gl b5?! (definitivamente é melhor
piantes - em disputas cruciais contra os melhores do ll...GLJb6! 12.b3 ~7 13.lzJe2 cxd4 com igualdade)
mundo, e às vezes se dava mal. 12.0-0!
5.e5 lz)fd7 6.~xe7 (6.h4 - partida 112, vt) É perigoso 12.0--(H)?! devido a 12... c4, em
6... 'i!fxe7 7."i!fd2 seguida ...GLJb6 e ... b5-b4 com ataque.
Lance de Englisch (1878). Steinitz começava com 12... cxd4 l3.lzJxd4
7.f4 e o próprio Tarrasch anteriormente prefiria Um pouco mais tarde, Tarrasch texto contra
7 ..td3, com o qual derrotou Bartmann (Nuremberg Lowtzky (Breslau 1912) o lance 13.lzJe2!? de forma
1888). Ele considerava essa vitória, juntamente com correta: por que trocar as damas? A partida seguiu
outra sobre Noa (Hamburgo 1885), o "protótipo" com 13 ... êz:lb6?! (aqui o cavalo fica cortado; melhor
do duelo que estamos comentando. seria 13 ...CLJc5 14.lzJexd4 li)xd4 15.li)xd4 iJJJ7,
7••.0-0 (é ~ 7 ... c5?! 8.lzJb5 0--0?! 9/i)c7 enxergando um cavalo em e4, na esperança de con-
cxd4 10.liJxa8 etc.) 8.f4 c5 trajogo) 14.b3 ~7 15.lzJexd4 l!fc5 16.ID2! (após
Não tem sentido perder tempo com 8... a6 ( uma obter o controle de d4 o Doutor conduz de modo
vez que aqui lzJb5 não é ameaça): após 9.GLJf3 c5 o firme seu plano clássico) 16.J~ac8 17.GLJxc6 .a.xc6
plano de Steinitz ganha força com 10.dxc5. 18.l!fd4 .a.rcs 19.~ êz:la8?! 20.a4! bxa4 21.Exa4
9/ 2:)f3 (contra 9.GLJb5?! é bom 9 ...a6 10.CzJd6 a5 22.l!fal! 'i!fb6 (22 ...l!fe3 23.~d3! .a.xc2?
cxd4 11.lz)f3 f6 !) 9...CLJc6 10.g3 24.~c2 .a.xc2 25.l!fd4 l!fxf2+ 26.1Wxf2 .a.xt2
''Esse lance sugerido por Rubinstein está total- 27.~xaS! vencendo) 23.êz:ld4 ãxc2 (23 ... .a.cs
mente de acordo com o sistema, criado não para um 24.b4!) 24.GLJxc2 .a.xc2 25J&i4! ... 1-0. Um bom
ataque pela diagonal bl-h7, mas para o enfraqueci- complemento ao duelo com Teichmann!
mento do centro das pretas." (Tarrasch). Também foi 13...GLJxd4 l4.1Wxd4 'i!fc5 15.'i!fxcS GLJxc5
jogado 10.0--0--0 GLJb6 ll.h4 ~d7 com igualdade, Nessa posição Teichmann ofereceu o empate,
mas o plano principal até os dias de hoje permanece mas recebeu uma recusa polida.
sendo o de Steinitz com 10.dxc5!

16.CLJel!
10...a6 ''.As brancas tem mais espaço, as pretas estão pre-
''.As pretas evitam o lance 10... f6 para não cair sas não somente pelo peão e5, mas também pelo seu
nas intenções do adversário", escreve Tarrasch, próprio peão e6. O cavalo branco vai ocupar uma

128
Emanuel Segundo

posição dominante em d4, de onde não poderá ser


expulso, enquanto o cavalo preto não poderá obter
algo semelhante." (Tarrasch)
16....tc:1717.~4 lãac818.W!
''Embora as pretas controlem a única coluna
quase aberta, em contrapartida as brancas tem vanta-
~ ~ignificativa: podem conduzir ao centro a peça
mais ttnportante nos finais - o rei, o que as pretas
oão poderão fazer." (Tarrasch)
18. ..ãc7 19.~e3 &8?!
Jogo a esmo, sem plano (aparentemente as pretas
temiam f4-f5). Atualmente em posições do gênero
as pretas se aproximam do empate através de, diga-
mos, 19...ãfc8 ou 19... a5!? (com ideia de ...ãb8 e 36.g6?
•..b5-b4) 20.f5 exf5 21~d5 ãe8 etc. De forma inesperada as brancas cometem um
20.llil! li:lb7 21.ii.fl erro grave. O lance de Euwe 36.&8?! também é
''É preciso por fim posicionar o bispo de forma duvidoso em vista de 36 ....ic8 37.a4 bxa4 38.bxa4
vantajosa, uma vez que em g2 tinha existência bas- ii.b7 39.&7 ~d7 40.c4 (ou 40.c3 ~c8 41~xa6
tante miserável." (Tarrasch) il.xa6 42.ãxa6 ãc4+) 40...Wc8 41.cxd5@b8 42.d6
21 ...li:las 22.bJ h6?! &8 com empate provável
"Quando há falta de lances bons são feitos lances "Seria melhor imediatamente 36.&7!", escreve
ruins - essa é uma verdade antiga. Nada prejudica
Tarrasch. "Se 36 ...~e8, então 37.c3 e ll.e2-h5 com
tanto uma posição, e de forma irreparável, como
ataque duplo sobre o peão f. E contra 36 ...Wf:'8
maus lances de peões." (Tarrasch). Palavras doura-
seguiria 37.g6 fxg6 38.il.xg6 ~g8 39.lli'l Wh8
das! Naturalmente era preciso jogar 22 ... ~6 - para
40.1Lh7!, e as pretas estão afogadas. :Mas o imediato
que criar mais fraquezas para si próprio?
g5-g6 também leva à vitória."
23..tc:13
Se as coisas são assim ou não veremos em segui-
':,\gora essa peça também está melhor que sua
da, mas por enquanto vamos conferir a recomenda-
antagonista. Em geral, o trio de peças no centro
ção de Bri.ockmaoo 39 ... b4! (em lugar de
opera de forma maravilhosa." (Tarrasch) Foi atingida
39...Wh8?) 40.iLhS! a5 (ou40 ...Wh8 41.il.g4! ~8
uma dominação total do centro, e de agora em dian-
te o plano das brancas é uma ruptura na ala do rei.
42.lãxd7! ãxd7 43.il.xe6+ lâf7 44.~d5 com igual-
Até certo ponto jogam com nruita precisão. dade) 41.il.g6 a4 42.1Lh5 a3 (é insuficiente
23... li:lc6 24.~xc6! ii.xc6 25.Wd4 42 ...ãxc2 43.ãxd7 a3 44.1Lf7+ Wf8 45.il.xe6 .lâxa2
''Até o final da partida o rei estará a toda hora pron- 46.il.xd5 ~1 47.e6 Wl + 48.Wc:5 a2 49.lâf7+ Wg8
to para invadir em c5 e atacar os peões inimigos, e 50.&7 alii' 51.lãxal ãxal 52.e7+) 43.il.g6 Wh8
por isso a torre preta precisa defender constante- 44.1Lh7. Aqui Neishtadt avalia com "igualdade",
mente a coluna e." (Tarrasch) mas na minha opinião é preciso fazer mais um lance
25....tc:17 26.g4! - 44 ... ~3! (contra 44 ...&6 a máquina sugeriu
A mostrar os defeitos do erro 22 ... h6: agora as 45.1Ld3! .tc8 46.&7 Wg8 47.&4 com igualdade),
brancas tem algo em que se agarrar. e a vitória não é assim tão óbvia:
26... ii.c8 27.b4 (ameaçando 28.g5 h5 29.g6!) 1) 45.ãxd7? &7 46.ãd6 ~h7 47.ãxe6 l:!xc2
27... g6 28.lãbl (naturalmente não 28.g5?! h5!, e as 48.~d5 ãxa2 49.Wc:5 ãc2+ 50.~b4 a2 51.E!a6
pretas fecham a ala) 28... ~ 29.b5 ãb8 30.IDh.2 Wg7 52.&7+ (52.<;t,l,5 w 53.b4 We7) 52 ... ~g6
ii.d7 31.g5! 53.e6 (não se sabe se aqui há ou não vantagem deci-
Leva a uma abertura inevitável de uma das colu- siva) 53 ...~6 54.e7 W 55.@b5 We8 56.b4 W
nas e à invasão da torre. 57.~b6 'it>e8, com empate. Uma bela brincadeira!;
31 ... bxg5 32.fxg5 ãxb5 33.lãxb5 (mas é ainda 2) 45.ii.d3! (este felizmente ganha!) 45 ...âc7
pior 32 ...il.e8? 33.hxg6 lãxh2 34.gxf7! vencendo) 46.ii.b5 ~8 47.ãxd7 ãxc2 48.&7 ãxa2 49.ii.d7
33... gxb5 34.ãxb5 Wt8 35.ãb8+ We7 &1 50.il.xe6+ Wf8 5 l.il.xd5 a2 52.e6 '.l:!dl+

129
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

53.Wc5 al V19 54.e7+ We8 55.Ac6+ e acabou. 1.d4 dS 2.00 cS 3.c4 e6 4.e3 (é mais direto
36 ... fxg6 37.Axg6 b4! 4.cxd5 exd5 5.~3 ~6 6.g3 - partida 64, vt)
Certamente não 37 ...~c8? 38.&7+ Wd8 4...taf6 s.~d3 ~6 6.0-0 ~d6
39.~c7 ©xc7 40.Wc5 (finalmente!) 40 ... Ad7 Também não é ruim, no espírito do Gambito da
41.W Ac8 42.~81il>7 43.b4 ~8 (ou 43 ...~8 Dama Aceito, 6... dxc4 7.Axc4 a6 Oanovsky-Lasker,
44.W Wd7 45.Wb6 vencendo) 44.~c6 Ad7 4ª partida, Berlim 1910), mas Tarrasch era mais feliz
(44 ... ~b7 45 ..ixb7 Wxb7 46.Wd6 vencendo) a jogar essas posições com as brancas.
45 ..ixd7 ~d7 46.'it>b6 vencendo. 7.b3 0-0 8.~b2 b6 9.êê:'lbd2 Ab7 10.l:ict
38.ãb7+ 'ittd8 39.Ad3 (10.4Je5!?) 10...1!9e7 11.cxdS exdS 12.êê:'lh4 g6
O último ponto critico dessa partida. 13.êê:'lhO l:iad8
É prematuro o temático 13 ... ~?! em vista de
14.dxc5! bxc5! 15 ..ixe4 dxe4 16.êê:'lxe4 1!9xe4
l 7.~xd6 com vantagem.
14.dxcS?! bxcS 15.AbS?!
Nimzowitsch trata esse sistema clássico de forma
passiva e infeliz, sentindo-se menos confiante nele
do que nos "seus" sistemas modernos. Não havia
onde pudesse empregar sua imaginação, e é provável
que foram partidas como essa que o fizeram pensar
que no xadrez era preciso jogar de forma diferente...
15...êê:'le416.Axc6 Axc617.Vllc2 (contra 17.b4
há 17...1il>5!) 17...êê:'lxd2! (para distrair o cavalo de
f3) 18.êê:'lxd2
"Também após o melhor 18."i!9xd2 as pretas tem
39 ....l:Ic3? ricas chances de ataque". (Euwe)
Um erro crasso. Tarrasch é lacônico: "Seria melhor 18... d4!
39...l'!c6". Mas depois desse lance eu não encontrei Uma ruptura temática. Dos numerosos casos
o ganho. Digamos, 40.&l <:j;;r,7 41.a3 bxa3 42.&l similares, os primeiros que me vem à mente são as
@b6 43.~a3 a5 é simplesmente um empate morto, partidas Spassky-Tal (Montreal 1979), Kortchnoi-
uma fortaleza! O que significa que, como ocorre Karpov (Merano, 1ª partida 1981) e, com cores
com frequência, Teichmann deixou escapar na última invertidas Kasparov-Portisch (Nisic 1983).
hora uma inesperada chance salvadora... 19.exd4?
40.a3! as 41.!!118+ We7 (ou 41...Wc:7 42.&8 Erro decisivo. Seria essencial resignar-se com um
@b6 43.&6+) 42.l:ia8, e as pretas abandonaram. jogo simplesmente inferior após 19.e4 l:ife8 ou
19.l'!fel l:ife8 20.~ ~c7.
Na quinta rodada da fase preliminar do super tor-
neio de São Petersburgo 1914, Tarrasch, nas palavras
de um historiador, "jogou uma partida cujo final é
conhecido por qualquer jogador iniciante: o inova-
dor Nimzowitsch sofreu duramente nas mãos do
clássico". Além disso, numa Defesa Tarrasch!

Partida 51
A.Nimzovitsch-S. Tarrasch
São Petersburgo 1914, fase preliminar
Gambito da Dama D30

130
Emanuel Segundo

19....i.xhl+!? 29.Wxf4 llf8+ 30.We5 (30.We3 llf3 mate)


Tarrasch se rende à famosa partida Lasker-Bauer 30... 'i!lh2+ 3t.'itie6 nes+ 32.'í!td7 (32.Wf6 'i!lf4
(partida 36, v1). Naturalmente não consegue resistir à mate) 32 ... .i.bS mate.
tentação de vencer no modelo clássico , com o sacri- Uma vitória excelente, que só não recebeu o prê-
ficio dos dois bispos! Embora chegasse mais rápido mio de beleza do torneio porque o tema da combi-
ao objetivo 19....i.xg2! 20.Wxg2 (20.dxc5 t!fg5!) nação já tinha um precedente. Esse prêmio foi con-
20... \!Wg5+, e o exército das brancas não tem força cedido à partida Capablanca-Bemshtein (.partida 83,
para defender seu rei: 21.<i!ihl (21.Wh3 'i!fb.5+) v1), mas na minha opinião a partida de Tarrasch é
21...'i!rf4 22.'í!,,g2 \!Wxh2+ 23.WO llfe8 24.~ melhor!
t!ff4+ 25.Wg2 ~e4 ou 21.WO llfe8! (o mais dire- Como se vê, o "dogmático posicional" Tarrasch
to) 22.!igl \!Wf4+ 23.Wg2 !ie2 vencendo. não desdenhava as combinações. Depois da guerra o
20.Wxh2 Wh4+ 21.Wgl .i.xg2 22.t3! velho Doutor, às vezes, passou a experimentar
Perderia sem luta 22.Wxg2? \!Wg4+ 23.<i!ihl variantes novas e arriscadas. Assim, em Miihrisch-
IWs! 24.\!Wxc5 mi5+ 25.\!Wxh5 'ii'xh5+ 26.Wg2 Ostrau 1923 contra Lasker ele escolheu... a Defesa
t!fg5+ 27.<i!ih2 'ii'xd2. Alekhine! Nesse mesmo torneio foi jogada a seguin-
22...llfe8 (mas não 22 ...'i!lg3? devido a 23.~) te partida, altamente instrutiva.
23.'~Je4
Também não ajuda 23.filel(23.Wxg2 &2+)
23 ...llxel+ 24.!!xel 'ii'xel+ 25.Wxg2 We2+ Partida 52
26.Wg3 ãd5 27.f4 mi5 vencendo. AR.Spielmann-S.Tarrasch
23... Wbl+ 24.00 .i.xtl 2S.dS Miihrisch-Ostrau, 1923
Uma tentativa desesperada de criar contra-amea- Gambito do Rei C32
ças na diagonal al-h8. Tomar o bispo ainda é tabu:
25.~fl? 'i!fh.2+ e ...'i!lxc2.
25...fS! 26.'i!lc3 (ou 26.itif6+ Wf7 27.itixes l.e4 eS 2.f4
l!xe8 vencendo) 26...'i!lg2+ 27.We3 Devo lembrar que Spielmann era um fervoroso
Mas não 27.Wel? 'i!le2 mate. neo romântico do xadrez, um seguidor de Anderssen
e Chigorin "o último cavaleiro do Gambito do Rei".
E para compreender melhor a natureza critica deste
encontro, convém ler o que escreveu sobre o adver-
sário:
"Dificilmente o estilo de ataque direto teria dado
lugar ao posicional , quando surgiu Tarrasch com sua
defesa dos 'novos princípios' de jogo. Se esses prin-
cípios são seguidos nas partidas do próprio Tarrasch,
fica claro que nelas não há espírito de ataque. De
forma lenta, terrivelmente lenta, as forças entram em
jogo. Seu lema é evitar, tanto seja possível uma luta
aberta e o objetivo é meramente cercar o adversário,
bloquear e esperar até seus recursos vitais se extin-
guirem, até o 'seu ar e a sua água' terminarem e então
27...llxe4+! estrangulá-lo lentamente. Por um longo tempo esse
Um sacrificio arrematador espetacular! Aqui sem método de Tarrasch tem sido extremamente bem
dúvida o Doutor lembrou de uma de suas máximas sucedido. Seus adversários ou perderam a paciência e
imortais: "O xadrez, como o amor e a música, tem a sangraram até a morte em saídas intempestivas, ou
capacidade de fazer os homens felizes". permaneceram passivos e foram submetidos a um
28.fxe4 f4+!? aperto absoluto".
Mais elegante do que o "seco" 28 ...'i!lg3+! 2...dS 3.exdS e4 (o clássico contragambito
29.Wd2 'i19f2+ 30.Wdl 'i!le2 mate. Falkbeer, como jogado há muito tempo por
Morphy!) 4.d3

131
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

Aparentemente este promete mai que 4.êà:3 8.g4?


<tlf6 5.d3 it.b4, como na partida Schulten-Morphy O ponto intrigante é que esse lance foi recomen-
(partida 7, V 1). dado por Spielmann na mais recente edição do
4... <tlf6 (4 ...\!fxd5 5.'t!fe2 etc.) 5.dxe4!? "HandbuclJ' de Bilguer como a refutação a 7...it.f5.
O plano de Berger, conhecido desde o final da Mas Tarrasch descobriu algo!
década de 1860. Naturalmente é correto 8.<tlc3 V:!fe7 9.it.e3!,
5... <tlxe4 6.~t3 como proclamaram em seguida Spielmann no famo-
Mais tarde, em 1941, Keres introduziu na prática so artigo From the síckbed ef the King 's Gambit e
6.it.e3 !?, por exemplo: 6 ... it.d6 7.<tlf3 0-0 Tartakower em sua obra fenomenal Die '-!Jpermoderne
(Bronstein-Unzicker, Olimpíada de Moscou 1956) Schachpartie:
8.ii.d3! l!e8 9.0-0 <tif6 10.<tle5 <tlbd7 ll.<tlc4 tZlf8 1) 9 ... <tlxc3 10.ii.xc5 <tlxe2 11.ilxe7 <tlxf4
12.Whl! com iniciativa (Muchnik) ou 6 ...it.c5 12.~3!! com vantagem das brancas, realizada no
7.ilxc5 <tlxc5 8.'t!fe2+ 'f!ie7 9.<tic3 it.g4 10.'f!ixe7+ duelo Bronstein-Tal (Riga 1958) - veja o excelente
Wxe7 ll.h3 it.f5 12.0-0-0 h5 13.<tJB com clara livro de Bronstein 200 partidas aberta,,
vantagem (Spassky-Limbos, Olimpíada de Varna 2) 9...ii.xe3 10.'f!ixe3 <tlxc3 11.'f!ixe7+ Wxe7
1962) ou ainda 6... 't!fh4+ 7.g3 <tlxg3 8.<tJB (é mais 12.bxc3 it.xc2 13.Wd2 it.g6 14..làel+ Wd6
arriscado 8.hxg3?! 'f!ixhl 9.'f!ie2, como jogaram 15.<tid4! com final melhor. Por isso Tartakower
Keres e Tal) 8...'i!Ye7 9.hxg3 'i!Yxe3+ 10.'i!Ye2 recomendou o "igualador'' 12...ii.e4, e somente
'i!Yxe2+ 11.ii.xe2 it.g4 12.êà:3 it.b4 13.<tlg5 com quase meio século mais tarde descobriram que
final um pouco melhor (Spassky-Matanovic, 13.<tlg5! ii.xd5 14.0--0-0 coloca problemas dificeis
Belgrado 1964). para as pretas.
6... ii.c5! 8... 0-0!
Certamente não 6 ...it.f5? 7.it.e3! c6 8.it.c4 b5 Brilhante sacrifício do bispo, que deve ter choca-
9.ii.a3 c5 10.d6! c4 11.'i!Yd5 com vantagem óbvia do Spielmann.
das brancas (Alekhine-Tarrasch, São Petersburgo 9.gxf5 l'.!e8 10.it.g2
1914). Para esta ocasião, o Doutor preparara uma Merece atenção 10.'i!fg2 (mas não 10.<tle5?
surpresa... 'f!ih4+). O perdedor e outros comentaristas refuta-
7.'i!fe2 (7.it.d3!? Tartakower) 7...it.f5! ram esse lance com 1O•..'i!fxd5 11.ii.e2 êà:6 12.êà:3
Uma melhora importante na posição principal da (?- G.K) 12... V:!fxf5 com numerosas ameaças. No
variante. Anteriormente as brancas foram bem suce- entanto, na minha opinião, é mais forte o lance inter-
didas após 7 ... f5 (7 ...'i!Yxd5 8.<tlfd2!; 7 ... 'i!Ye7 mediário 12.f6! e somente agora 12...g6 ou
8.it.e3; 7 ... 0-0 8.'f!ixe4 &8 9.<tle5 f6 10.it.b5! 12.. .'~Jxf6, 13.<tJc3, e as pretas ainda precisam
Krause) 8.it.e3! V:!ixd5 9.it.xc5 'f!ixc5 10.êà:3 Vie7 demonstrar que o seu ataque compensa o déficit
11.<tld5 (Spielmann-Wolf, Dusseldorf 1908) ou material. Ao invés disso, talvez seja melhor
7 ...ilt:2+ 8.Wdl Vixd5+ 9.<tlfd2! f5 10.êà:3 'f!id4 10...<tlg3+ ll.<tle5 <tlxhl 12.'f!ixhl f6 13.d6 ii.xd6
1I.<ticxe4 fxe4 12.c3 (Réti-Breyer, Budapest 1917). 14.it.c4+ Wh8, ainda assim com vantagem das pre-
tas.
10... ~f2 11.~ <tlxhl 12.it.xhl ~d7!
Um lance genial: de imediato as coisas ficam
ruins para as brancas! É prematuro 12 ... f6? devido a
13.d6! fxe5 (13 ... cxd6? 14.it.dS+) 14.'i!Yc4+ Wh8
15.V:!fxc5 <tlc6 16.'i!ff2 'i!fxd6 17.~c3 e as pretas
estão mal.
13.~ f6! 14.~e4
É difícil dizer se seria mais tenaz 14.it.d2 fxe5
15.0-0--0 exf4 16.'i!fc4 it.d6 com qualidade a mais.
14... fxe5 15.~xc5 ~xc5 16.fxe5 i'Hh4+
11.wn
Ainda pior é 17.Wdl? 'f!id4+. Mas agora também os
dias do rei branco estão contados.

132
Emanuel Segundo

ao passo que o desafiante começara a perdê-la, e


junto com isso a sua antiga clareza de raciocínio.

Teste de Princípios

l 7...Iif8! 18.Wgl ?!
Também é perdedor 18.'i!ff3 'i!fxh2 19.M4
1fxc2 20.f6 làl3 21.'i!fg3 I!f7, assim como 18.f6
Lasker (D) x Tarrasch, 1908
&e8! 19.e6 (19.~ 'i!fd4!) 19....lãxf6+ 20.Wgl
9d4+ 21.~3 .1¾6+ 22.~ 'i!fxd5 vencendo, mas Em 1908 a União de Xadrez Alemã finalmente
valia a pena tentar 18.e6! .lãxf5 19.'~i'gl &f8 {tam- conseguiu angariar a quantia para o tão esperado
bém não é claro 19...'i!fd4+ 20.~3 °i!fxb2 21~1 match pela coroa mundial entre Lasker e Tarrasch.
Wc3 22 ..itd2) 20.~3 ™ 21.~ - aqui ainda há
Aos 17 de agosto, em Düsseldorf, ante um público
de quase duas mil pessoas, os dois rivais i n i ~ a
alguma luta.
batalha. Jogavam até o primeiro a conseguir oito
18... 'i!fd4+! 19.hJ 'i!fxe5 20.I!el lz)d7! (o
vitórias, com um ritmo de jogo de duas horas para
mais rápido possível para a ala do rei!) 21.1"c4 Wb8
cada quinze jogadas, sendo a partida suspensa após
22.Ae4 Iiae8 23..id4 1Wf4 24.&2 ~6
seis horas de jogo. A bolsa do match era de 6.500
Mas não 24 ... .lãxe4? 25 ..lãxe4 1Wxe4??
marcos, sendo 4.000 para o vencedor e 2.500 para o
26..ixg7+ e 1Wxe4.
perdedor, mais honorários de 7.500 marcos para o
25.Axtli gxffi 26.b3 (26.&I ~8+ 27.~l
campeão.
90!) 26... lilgS+, e as brancas abandonaram. O match com Tarrasch representou um teste
Uma partida muito complicada, conduzida com
muito sério para os princípios criativos de Lasker.
~deira inspiração por Tarrasch. Mas ele já conta- Seu adversário era um rigoroso guardião das leis de
'ft com sessenta e dois anos de idade, e em cinco
Steinitz, tão rigoroso que mais tarde seus críticos
anos viria a se'retir.u: das disputas. injustamente rotularam-no de "dogmático". Na ver-
Em geral Tarrasch seguia uma orientação clássica dade Tarrasch, defensor da escola posicional (embo-
e possuía sem dúvida o potencial e a categoria de um
ra, como já vimos também tivesse um brilhante
campeão mundial, mas tinha também sua dose de
talento combinatório), excelente teórico, comentaris-
problemas competitivos (como, por exemplo,
ta e escritor, fez uma inestimável contribuição ao
Chigorin, que não suportava a tensão da luta). ~ desenvolvimento do xadrez. No tabuleiro seguia fiel-
momentos cruciais da história do xadrez, especial-
mente os seus princípios: o seu ideal era um jogo de
mente na década de 1890, quando tinha que demons-
acordo com a posição, a busca do melhor lance. Por
uar a todos aquilo que era capaz, Tarrasch com fre- sua vez, o ideal de Lasker era o lance mais incômodo
quência se esquivava de seus adversários mais perigo- ao adversário!
sos, preferindo p~teger o seu sistema nervoso de Inicialmente o match prometia ser intrigante:
uma tensão excessiva. Lasker venceu a primeira partida na variante das
Provavelmente naquele momento ele poderia ter Trocas da Ruy Lopez, e também a s~~, mas na
derrotado tanto Steinitz quanto o próprio Lasker, ou terceira Tarrasch respondeu com uma vit<_>na espeta-
no mínimo oferecer uma séria resistência. Mas no cular. ''Após dois dias de descanso ele Jogou com
início do século XX Lasker era visivelmente mais leveza, sem apresentar nenhum dano psicológico de
suas derrotas iniciais". (Lasker)
furte: o campeão mantinha sua enorme força prática,

133
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

Partida53
Em.Lasker-S.Tarrasch
Match de Campeonato Mundial,
Düsseldorf/Munique, 1908, 3ª partida
~Lopez.C98

1.e4 e5 2.-ruJ ~6 3.il.b5 a6 4.il.a4 <tlf6 5.~


Oil.e7 6.&1 b5 7.il.b3 d6 8.c3 <tias?!
É mais preciso 8 ...0-0 9.h3 <tia5 l0.il.c2 c5
11 .l!f4 l!fc7, no entanto naquela época contra 8... 0-
0 temia-se 9.d4, ignorando-se que 9 ...il.g4 dá bom
jogo para as pretas.
16.-tlg3
9.il.c2 c5 10.d4 't!i'c7 11.<tlbd2 <tic6 12.h3 Na Sª partida Lasker testou com sucesso l 6.il.g5
Um lance não forçado que nos leva de volta a (16.b3 d5; 16.il.b3 ~ 17.il.g5 &71) h6 17.il.h4
uma posição teórica. É passivo 12.-tlfl ?! (partida 78, ~ 18.'i!fd3 g5 (18 ...~8 19.gedl il.e6 com igual-
v1), mas seria possível jogar 12.d5, 12.a4 ou dade) 19.il.g3 il.e6 20.&dl i!fc8 21.il.bl ~7
12.dxc5, tentando levar adiante o plano de Rauzer 22.e5! <tlf8 23.'i!Yf3! d5 24.'i!fhS Wg7 25.f4 f5? (é
com um tempo a mais. mais tenaz 25 ... <tlg6) 26.exf6+ il.xf6 27.fxg5 hxg5
12... ~ 13.-tlfl ?! 28.il.e5 d3+ 29.Whl <tlg6 30.l!fxg5 il.f7 31.<tlg3
il.xe5 32.~e5 ãh8 33.il.xd3 ~7 34.~el Wf8
Decisão duvidosa: agora as pretas podem sim-
35.il.xg6 l!fxg6 36.l!i'e3 ~7 37.<tlf51!fc6 38.l!fg5
plesmente capturar o peão. O sistema Rauzer real- 1-0. ''Pela primeira vez fui dominado do começo ao
mente é melhor - 13.dxc5 dxc5 14.-tlfl (14.a4!?) e fim". (Tarrasch)
êzJe3. Assim jogou Fischer, embora com irregulari- Devo lembrar que o desafiante jogou a quinta
dade: por exemplo, perdeu para Kholmov (Havana partida em estado depressivo devido à quarta. Caso
1965). contrário, com facilidade encontraria a forte respos-
Mas o mais forte é 13.d5! Gustamente devido a ta 16...l!fc5!, encontrada pelos analistas após o
esse lance ... <tia5-c6 atualmente tem baixa populari- match.: 17.il.h4 il.e6 18.&1 l!fb4 19.b3 l:!ac8
20.<tlg3 d5 com vantagem das pretas. E a qual, ao
dade) 13 ... ~8 14.a4 gb8 15.axb5 axb5 16.b4,
meu ver, após 21.il.xf6 il.xf6 22.exd5 il.xd5
como nas partidas Karpov-Spassky (41 º
23.il.xh7+ WXh7 24.'i!fhS+ Wg8 25.l!i'xd5 ~cl
Campeonato da URSS, Moscou 1973) e Karpov- 26.~cl l!i'd2 não é tão grande, embora seja claro
Unzicker (Olimpíada de Nice, 1974), que são anaçi- que o limite do sonho das brancas é o empate.
sadas no volume 3. 16... <tid7
13... cxd4 14.cxd4 <tlxd4 É mais fraco 16...g6 l 7.il.b3 ~ 18.il.h6 &8
Também não é ruim 14... exd4 (com ideia de 19.l!ff3 il.e6 20.lz::\f5! com vantagem das brancas
'i!fb6, il.e6 e -tld7) 15.&2 (15.b3 d5!; 15.il.g5 h6 (Euwe-Kramer, 3" partida Amsterdam 1941) - dizia
a teoria por mais de meio século, mas após 20 ...il.fS!
16.il.h4 .l:!e8 17.&1 ~ 18.'i!i'd2 il.e6 19.il.bl
por algum motivo essa vantagem não é visível.
lzJe5! Leonhardt-Rubinstein, San Sebastian 1911;
17.il.b3?!
15.-tlg3 g6 ou 15 ...ge8 com igualdade) 15 ...'i!fb6 Segundo Euwe é mais simples 17.lz::lf5 ! il.f6
16.gd2 d5 17.exd5 <tlxd5 18.<tlxd4 il.b4, e é pouco 18.ge2 (18.il.b3 l!i'b6 19.il.d5 il.b7 com igualdade)
provável que as brancas tenham alguma coisa. 18..."i!fb6 (18 ...il.b7 19.-tlxd4 lz::lc5) 19.gd2, "recu-
15.-tlxd4 exd4 perando o peão com um bom jogo". Mas aqui tam-
Uma rara tabfya desse match. bém as pretas estão perfeitamente bem: 19... ~5!
20.-tlxd4 -tic4 (20 ... il.g5!?) 2l.gd3 il.b7 22.b3
il.xe4! (na minha opinião esse é mais forte que a

134
Emanuel Segundo

indicação dos comentaristas 22 ... lz:\eS) 23.bxc4 20.. Jla7 21.'i!lbJ (ameaçando 22.ê;)xd4 l!fxd4?
~d4! 24.~d4 .txc2 etc. 23.Ae3 e i.xa7) 2t ...ãc7 22.g4 g6 23.ê;)h6+ Wg1
''Era possível recuperar o peão sem maiores 24.g5 i.d8 25.'i!fg3 ffi!
esforços , se essa fosse a minha intenção", escreve Uma ruptura precisa, levando a atividade do
Lasker, "mas eu estava inclinado ao ataque, pois a adversário a um ponto morto.
tentação era muito grande. O ataque não obteve 26.ê;)f5+!?
sucesso e isso determinou o resultado da partida." Com desgosto, uma vez que 26.gxf6+ .txf6, e
17...l!ib6 26.h4? fxg5 27.hxgS !!xf4! 28.'i!fxf4 Axg5!
Também seria possível 17 ...g6, permitindo às (29.t!fxgS? l;)O+ e...ê;)xgS) também é ruim para as
brancas recuperar o peão d4. A debilidade em d6 é brancas.
compensada pela debilidade em e4, e as pretas tem 26...<i!th8!
uma posição bastante razoável (o que foi demonstra- A chance de empate para as brancas consistia em
do com sucesso por Keres em esquemas similares). 26 ... gxfS?! 27.gx:tõ+ Sh8 (27...Wxf6?? 28.'i!fgS
18.ê;)t'S .t.f6 19.i.f4?! mate) 28.~6 ãff7 29..txíl !!xi/ 30..ig7+ Wg8
Schlechter com certa razão sugeriu 19.ii.dS &7 31.~6+.
20.b3, contra o que Tarrasch respondeu 20...lz:leS 27.ê;)h4 (infelizmente forçado) 27... fxg5
21Ji.b2 i.xfS 22.exfS d3 (ameaçando ... l;)f3+ e 28.Axg5 Axg5 29. 'i!fxgS d3!
...i.xb2), no entanto aqui 23.!!bl! (mas não Catástrofe no ponto t21 ''.Após repelir um ataque
23 ..txeS? i.xe5 24.!!cl 'i!fd4 com vantagem) aparentemente tlll.11to perigoso, as pretas lançaram
23 ...&7 24..txeS i.xe5 25.'i!fxd3 ainda manteria o um contra-ataque irresistível". (Lasker) "Pude deci-
equihbrio, por isso ao meu ver é mais interessante dir a partida com a ajuda desse peão rejeitado".
23 ...Eld8!? 24 ..icl !!e7. (Tarrasch)
30.'i.thl (30.'i!fg3 &2; 30.ãfl .txh3) 30...ãcl
3l.E!e3 .ãfxfl 32.ing2
Contra o astuto 32.~0 é decisivo 32 ...!!><0
(mas não 32 ... ~xf3?? 33.'i!ff6 mate) 33.âxf3
E!h2+! 34.WXh2 l;)xf3+ e ...ê;)xgS.
32...dl 33.i!gl &l 34.'i!fe7 !!xgl+
Também ganha 34 ... dl 'i!f 35.'i!fe8+ <!tg7
36.'i!fe7+ ~í/, mas era naturalmente mais simples
34 ...Eiffl! 35.'i!fe8+ @g,7 36.l!fg8+ (ou 36.'i!fe7+
ê;)í/ 37.!!xfl !!xfl+ e ... dl't!f} 36 ...<!Jh6 37.íixfl
!!xfl e ... dl 'i!fm
35.'i.txgl dt\!i+ 36.'i!.>xfl !i'f3+ 37.'i!í>et
Uma posição pitoresca.
19...ê;)eS!
É importante manter o bispo de casas pretas!
"Provavelmente o campeão baseou o seu cálculo em
19...i.eS? 20 ..txeS (20.1/fg4 g6 21.0e7+ fi;g7 -
G.K) 20 ...dxeS? (é relativamente melhor 20 ...ê;)xeS
21.ê;)xd4) 21.'i!fg4 'i!f:tõ 22.ii.dS &7 23.&cl com
forte ataque (Neishtadt). Mas na minha opinião, após
23 ... ê;)b6 24.!!c6 i.e6 as coisas não estão claras.
20.i.d5
Contra o guloso 20.ê;)xd4 seguiria 20 ... ê;)c4!
21.lz:le2 (não há nada melhor: 21.i.xc4? i.xd4
22.ii.dS i.xt2+; 21.i.e3?! ê;)xe3 22.fxe3 i.b7)
21 ...i.e6 com iniciativa.

135
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

37...it'aS+ 11.ii.g5
É pouco provável que Alekhine, que também Também é sensato 11.M4!?. Capablanca sugeriu
teve a oportunidade de dar mate com duas damas ll.'f:!fc3 c6 12.ê2id4, no entanto é melhor 11...a6!
(partida 125, v1) tivesse deixado escapar 37 ... ~ + 12.ê2id4 ê2id7 13.ê2if'5 M6 l 4.'fi!fg3 ê2le5 com igual-
38.Wd2 (38.~xd3 l!ibf2 mate) 38 ...ir'a5+ 39.Wc2 dade.
(39.Wxd3 it'dl mate) 39 ...it'xg2+ 40.Wxd3 it'gd2 11 ... h6 12.ii.h4 !'te8 (12 ... ê2lg4!?) 13.&dl
mate. (ameaçando e4--e5) 13... ~7 14.ii.xe7
38.i!cl ii.xh3 39.it'xd6 it'axc3+ (é mais rápido Se 14.ii.g3, então 14... M6 15.'i!fc4 a6!
39 ...'i!Hg3+!) 40.bxc3 \!i'xc3+ 41.We2 (41.Wfl 16.ê2ixc7 E!c8 17.ii.xd6 ii.e5 18.ii.xe5 !'txe5
'f:!ff3+ 42.Wel 'i!fg3+ 43.Wdl ii.g4+ 44.Wcl 19.'f:!fd4 'i!Hxc7! com igualdade.
ê2id3+) 41 ... i+'c2+ 42.We3 \!i'd3+ 43.Wf4 g5+! e as 14....lâxe7 15.'f:!fc3!?
brancas abandonaram: 44.Wxg5 (44.Wxe5 'i!Hc3 Planejando ê2id4-f5 e ao mesmo tempo a bater
mate de problema!) 44... ê2if7+ e ...ê2ixd6. no peão c7. Após 15.c4 cairia na posição da partida
O desafiante levantou a cabeça! Agora muito Capablanca-Marshall (4ª partida, Nova Iorque 1909),
dependia de qual dos dois conseguisse dar o próximo onde após 15 ...iâe6 16.f4 a6 17.ê2ic3 ê2if6 18.00
golpe. E então foi jogada uma das partidas mais .:2ixd5 19.exd5 iâe7 foi assinado o empate. Mais
famosas, determinante para o resultado final. tarde foi recomendado 15.f4!? a6 16.~3 &6
17..fill 'i!ff6 18.'iWM com alguma vantagem.
Partida 54
S.Tarrasch-Em.Lasker
Match de Campeonato Mundial,
Düsseldorf/Munique, 1908, 4ª partida
&t,,upezC66

1.e4 e5 2.~t'3 ê2ic6 3.ii.b5 ê2if6 4.0-0 d6


Não somente Lasker, mas também Capablanca (ver
partida 81, v1) seguiam o primeiro campeão e joga-
vam a passiva mas sólida Defesa Steinitz. Mas
Tarrasch condenava os esquemas com ... d7-d6, ao
dizer que "toda posição travada carrega o germe da
derrota".
5.d4 ii.d7 6.ê2ic3 ii.e7 7.&1 exd4 8.~xd4 Tarrasch deve ter ficado satisfeito com o resulta-
ê2ixd4 do da abertura: as brancas tem uma pequena e dura-
Na 2ª partida, após 8 ... 0-0! 9.ê2ixc6 ii.xc6 doura vantagem e chances de aumenta-la sem maio-
(segundo Steinitz é mais sólido 9 ... bxc6 10.il.d3 res riscos. Por exemplo: 15 ... ê2if'8 (15 ...ê2if6?! 16.e5)
iâe8) 10.ii.xc6 bxc6 12 ..:2ie2 'i!fd7? (essa casa é para 16..:2id4!, e 16...g6 visivelmente enfraquece a defesa
o cavalo!) 12.ê2ig3 ~fe8 13.b3 as brancas consegui- do rei, ou 15 ... ê2lc5 16.f3 (o tentador 16.e5?! é frea-
ram clara vantagem. Mas rocar mais tarde serviu do através de 16 ... 'i!fd7 17.~d4 El.xe5 18.~e5
Lasker fielmente em matches posteriores contra dxe5 19.'i!Hxc5 exd4 20.~d4 &8! 21.h3 'i!He7 com
Janovsky (1909), Schlechter (1910) e Capablanca igualdade) 16...'i!fd7 l 7.ê2id4 ê2ie6 18.~f5 ~e8
(1921). 19.'f:!fb4 &b8 20.e5 d5 21.'f:!fg4 etc.
9.'i!Hxd4 (9.il.xd7+ .:2ixd7 com igualdade) Lasker entendeu perfeitamente que a sua única
9...ii.xb5 10.ê2ixb5 0--0 chance de evitar uma defesa dificil e extenuante con-
Após 10 ... a6 ll.~c3 0-0 12.ii.g5 ê2id7 sistia em deslocar Tarrasch de seu estado de confian-
13.he7 'i!fxe7 14..:2id5 'f:!fd8 15.El.e3 as brancas ça. Para tal seria preciso fazer algo insólito, que fosse
tem uma leve iniciativa (Capablanca-Thomas, contra todas as regras do jogo posicional e todos os
Hastings 1919). A propósito, nessa partida ocorreu padrões de sabedoria enxadrística!
um final muito curioso (partida 87, v1). 15...ãeS! (uma forma brilhante de defender o

136
Emanuel Segundo

peão c7) 16.~4! paração com a partida) 2 l...axb3 22.axb3 &a5 (e se


Por ora Tarrasch está nas alturas: ameaça êz:lf5 e 23.êz:lb5 t1:fe7 24.'i!ff2, então 24 ...ãal).
f2-f4. No caso de 16.l!fxc7? (16.êz:lxc7? ãc5 com No entanto, conforme assinalou Dvoretsky, o
igualdade) 16 ... ~b5 17.'i!fxd6 ~b2 ]8.l!fxd7 caminho mais seguro para a vitória foi encontrado
1!fxd7 19.~d7 &8! as pretas tem um final melhor. por um aluno da sua escola, I. Makariev com
16...ãcS! 19... êz:la4!, por exemplo: 20.e5 (20.b3?! êz:lc3;
Naturalmente, do ponto de vista puramente posi- 20.'i!Bb3 êz:lb6 2 l.'t!i'f3 lz:la4 com igualdade)
cional, este lance é muito perigoso: a torre pode cau- 20 ... dxe5 21.'i!fxb7 ãd8 22.lz:lb3 (22.l!fxa7 ~d4
sar sérios problemas às pretas. Mas primeiramente 23.~d4 exd4 24.l!fxa4 'i!Bxf4) 22 ...~dl 23.~dl
~c2 24.l!fe4 'i!fg6 25.f5 'i!fc6 etc.
16...êz:lc5 l 7.f3 deixa com as brancas as vantagens da
20.c3! (sem perder o estado de espírito) 20...a5!
posição, e em segundo lugar o comportamento
(ao socorro da torre!) 21.b3
imprudente da torre está prestes a abalar a compos-
Contra 21.l!i'd3 Tarrasch não gostou de
tura do adversário...
21...&5. "Era tentador 21.ltlh3 ãb5 (21 ...&4
17.l!fb3 (contra 17.t1:fg3 não é ruim 17...t1:fg5) 22.aJ!? - G.K) 22.l!fe2, tendo em vista 22 ...c6
17... <tlb6 (]7 ... a5!?) 18.f4 23.lz:ld4 &5 24.t1:ff2 com vantagem óbvia No
Cortando o caminho de volta da torre. Muitos entanto, as pretas responderiam com 22 .. l!f5! 23.g3
comentaristas condenaram este lance, dizendo que a4" (Dvoretsky). Porém aqui é desagradável 24.e5!
"Tarrasch foi influenciado pelo pensamento psicoló- 'i!fg6 (24 ... axb3 25.exf6!; 24 ... dxe5 25.lz:ld4!)
gico de Lasker", e recomendaram 18.lãe3 ou 25.t!lb5! "&7 26.lz:ld4 &5 (26 ...~f4? 27.exd6)
18.êz:lf5. No entanto, uma avaliação mais próxima da 27.f5 ~f5 28.êz:lxf5 'i!fxf5 29.c4!.
verdade é a de Mark Dvoretsky: '½.o avançar seu 21 ...a4 22.b4
peão para f4 as brancas tomam o controle das casas Parece que Tarrasch ficou nervoso. O consisten-
e5 e f5, e se preparam para travar o adversário atra- te 22.c4! axb3 23.axb3 teria "apagado" a torre em
vés de 'i!Bf3, b2-b3 e c2-c4. Do fato de Tarrasch ter c5 e condenado as .Pretas a uma defesa dificil:
perdido a partida não segue a conclusão de que todas 1) 23 ... c6 24.tili'5! (o mais enérgico) 24 ...d5
as suas decisões serem equivocadas". 25.'iWt2 (ou 25.l!fe3!? lz:ld7 26.'t!fh3 ~e4 27.~e4
18. ..'i!ff6 19.'i!ff3 dxe4 28.lz:ld6 Makariev) 25 ...lz:ld7 26.g4! (segundo
Um momento importante para a avaliação da Dvoretsky, também não é ruim 26.êz:lg3) com forte
correção da ideia das pretas. pressão;
2) 23 ... ~ 24.lz:lb5! l!fe7 25.'i!ft2 (mas não
25.e5?! d5!) ameaçando êz:lxd6 e novamente com as
melhores perspectivas ( associado a e4-e5 ou êz:lc3-
d5).
Sobre o lance da partida, que também conserva
uma vantagem considerável, Dvoretsky fez o seguin-
te comentário sutil: '½.pós 22.c4 a posição tem um
caráter claro e estabelecido e o jogo subsequente das
brancas é simples. Após 22.b4 a posição é mais mais
complicada, menos comum. Lasker superava o
adversário na tática, e se orientava melhor em posi-
ções dinâmicas. Além disso, era mais jovem que
Tarrasch, mais vigoroso e robusto. Fica claro a quem
favoreceu a complicação da luta em seguida".
19...ãeS? 22...ãc4
Aparentemente atraído por uma armadilha: Embora a torre esteja presa, exerce pressão cons-
20.b3? (com a lógica intenção de c2-c4) 20 ...lz:lds! tante em c3 . Agora é esse o seu trabalho!
21.êz:le2 (21.exd5? ~el+ e ...l!fxd4) 21...êz:lb4, e 23.g3 (se de imediato 23.êz:lb5?! ãd8 24.&3,
os problemas são das brancas. Posteriormente então 24 ... d5! 25.e5 'ilfxf4 26.l!fxf4 ~f4) 23...nds
Lasker sugeriu 19... a5!? 20.b3 a4 21.c4 (após 21.b4 Preparando o contragolpe ...c7-c5. É ruim 23 ... c5?
&4 22.c3 as pretas tem um tempo a mais em com- 24.~b5.

137
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

Guiado por uma vontade louca de punir seu


adversário pela violação das leis do xadrez, Tarrasch
"sai dos trilhos". Mais tarde ele lamentou: "Se eu não
tivesse me deixado levar pela aquela ideia do sacrifi-
cio de torre, teria jogado 25.~2 cxb4 26.~b4
com uma boa partida, graças ao ataque sobre o peão
d6."
Também é válida a recomendação de Teichmann
25.bxc5! gxc5 (25 ... dxc5? 26.e5 ou 26.~b5)
26.lã\,l ~ 27.l:!dJ e ~2-e3-d5 com igualdade.
25... cxb4 26.llxd6? (aquela combinação "deses-
perada; é mais sóbrio 26.cxb4! .lâxb4 27.~3 &8
28.!!ed3 gc6 29.a3 m,3 30.~2 a manter ainda
24.&3? possibilidades de defesa) 26...ãxd6 27.eS
Na opinião de Réti, ''Lasker dominou seu adver-
sário, que não tem nenhuma defesa contra ... c7-c5
do ponto de vista posicional. Por isso Tarrasch pro-
cura uma combinação decisiva, a qual no entanto não
segue adiante como na maioria das combinações
fundadas em medidas desesperadas".
É desses elementos, sob a influência do resultado da
partida e das impressões que a acompanham, que
nasce a mistificação enxadristical Por que o desespe-
ro? Afinal, mesmo o seco 24.e5 dxe5 25.~e5 man-
tém alguma vantagem. E se alguém quer mais, é fácil
encontrar uma defesa posicional para ... c7-c5, e não
somente uma! Por exemplo:
1) 24.'i!He3!? (Rellstab) 24 .. Jãe8 (24 ... c5?! 27...gxf4!!
25.~b5; 24 ... a3 25.~b5 ~a4 26.e5! dxe5 27.fxe5 Eis a refutação! E por ironia do destino, o golpe
'f9e7 28Jãxd8+ 'i!Hxd8 29.e6 Wle7 30.'i!i°d3 com fatal é desferido pela repugnante torre "hooligan"!
vantagem - Dvoretsky) 25.l!fd3! gd8 26.~b5 Na opinião de Dvoretsky, a combinação das brancas
ameaçando e4-e5 ou ~e3; "é incorreta mesmo sem essa réplica. Também é
2) 24.m,1!? (Chemin), planejando 'f9d3, &3 e muito forte 27 ...lâdl+!? 28.'ifxdl 'f9c6". Mas nesse
~b5-a3, e se 24 ... c5?! (24 ... a3?! 25.!fu3), então caso, após 29.'i!Nd8+ $'h7 30.e6! fxe6 31.'iid3+
25.bxc5 dxc5 26.e5; Wg8 (31...g6?! 32 ..tid4) 32.l!fd8+ $'h.7 33.'i!i°d3+
3) 24.~!? (Makariev) 24 ... c5?! 25.bxc5 2ãxc5 as brancas manteriam o equihbrio.
(25 ... dxc5 26.~5!) 26.!!bl etc.; 28.gxf4
4) 24.a3! (Tarrasch). Na minha opinião, o Também é sem esperanças 28.l!fxf4 !!:dl+
melhor dos lances profiláticos - a torre em c4 está 29.Wf2 Wixf4+ 30.gxf4 .tid5 ou 30.Jãd2+, e
sufocada, e no caso de 24 ... c5?! 25.~b5 cxb4 28.exf6 gxf3 29_gxf3 gdl+ 30.'i;5'g2 ãd2+
26.cxb4 o peão d6 fica extremamente débil e as (30 ... .tid5!?) 31,gf2 gxf2+ 32.Wxf2 b3 ou
brancas tem uma clara vantagem. 32 ...~ . (Tarrasch)
A propósito, o próprio Tarrasch esclareceu os 28... l!fg6+ 29.<.!i>hl?!
seus erros de forma bastante simples: ''Até esse Em nada ajudaria 29.Wfl 'i!i°bl+ 30 ..E!.el 'i!Nd3+
momento conduzi a partida de forma irrepreensível, 31.'i!i°xd3 ãxd3 32.<.!i>e2 ~ 33.cxb4 ~ ! ven-
mas aqui fui tomado pela ideia infeliz de um sacrifi- cendo. O restante é claro sem qualquer comentário.
cio de torre, que não pôde ser calculado da forma 29... Wlbl+ 30.<.!i>g2 ãd2+ 31.ãe2 l!fxa2
devida em vista do apuro de tempo". 32.ãxd2 'i!Hxd2+ 33.<;!;>g3 a3 34.e6 'i!Hel+ 35.<;!;>g4
24••• cs 25.'LlbS? 'i!Hxe6+ 36.fS 'i!Nc4+ 37.~4 a2 38.'i/Ndl ~5

138
Emanuel Segundo

39.1!fa4 ~c3 40.!leS+ Wh7 4Vit>h5 all!f, e as da abalou a confiança do desafiante em seu poten-
brancas abandonaram. ''Nesta partida, como em cial, e uma semana mais tarde em Munique, diante de
muitas outras, cavei minha própria cova". (farrasch) mil e quinhentos espectadores, o match saiu dos tri-
lhos para ele: urna derrota sem luta na quinta partida,
urna vitória desperdiçada no final da sexta, e outra
derrota na longa sétima partida.
Dispondo de uma vantagem de 5-1 no marcador
Lasker travou, o que é típico de situação como esta
em um match, uma verdadeira "crise do líder". Após
dois empates nn.úto disputados, Tarrasch buscou
suas forças e venceu a décima partida, provavelmen-
te a sua melhor no match. Nos comentários da fase
da abertura é interessante seguir o desenvolvimento
do pensamento enxadristico nos cem anos seguintes.

Partida55
S.Tarrasch-Em.Lasker
Match de Campeonato Mundial,
Düsseldorf/Munique, 1908, 10- partida
~úpezC67

l.e4 eS 2.00 ~ 3..tbS ~ffi 4.0--0 ~ 4


Após a 4ª partida do match Lasker não voltou a
utilizar 4 ...d6.
Com o placar em 3-1 a favor de Lasker, o match S.d4
foi transferido de Düsseldorf para Munique. O cam- No século XIX, sob a influência de Steinitz, tam-
peão mundial fez um balanço inicial, com uma pro- bém se jogava 5.&l ~6 6.tlz)xe5, mas após
fundidade de raciocínio que estava à frente de sua 6 ...ii..e7 7.ii..d3 0-0 8.~3 ~e5 9.!!xe5 c6 10.b3
época: '½moos os jogadores puderam sentir um
~8! ll.ii..b2 d5 12.!lf3 ii..f6 13.í'!e2 luc7
pouco a força que enfrentam. Em um match é neces-
sário entender a psicologia do adversário, a fim de (Steinitz-Zukertort, 14ª partida Nova Otleans 1886)
decidir como conduzir a ofensiva. De forma quase ou 8 ...~8!? 9.00 iLf6 10.q4 d6 Qanovsky-
subconsciente, às vezes até mesmo de forma invo- Lasker, Nuremberg 1896) as pretas não tem proble-
hmtária, cada um cria uma imagem do outro em sua mas.
mente. Este trabalho é indispensável, já que o con- s...i1..e7
ceito de força de jogo é uma questão nn.úto compli-
Após o drama na partida com Tarrasch em
cada. Como reage o adversário ante a alegria e a
decepção, em situações simples e complicadas, em Hastings 1895 Lasker esfriou com s....~:J<i6 (partida
posições duvidosas e tranquilas, nos momentos em 47, 111).
que nasce ou desmorona a esperança, tudo isso 6.!le2! ~6 7.Axc6 bxc6 8.dxe5 ~b7
cai:acteriza a força de jogo, que é composta de vários A variante 8...liJf3 9.1!fe4! g6 é considerada uma
componentes distintos. E por isso, para avaliar os sub linha devido a 10.~ (10.~3!?; 10.b3!?)
recursos psicológicos dos dois lados, deve-se exami-
10... ~d4 ll.'i!lxd4 0-0 12.ii..h.6 &8 13.~3
nar uma série de partidas, onde o adversário se
encontre em diversas situações. Este conhecimento (Tarrasch-Taubenhaus, Monte Catlo 1903). No
deve ser útil na luta a seguir''. entanto, é melhor 11...dS!, como meu antigo assis-
Mas para Tarrasch, de forma diferente de seu tente GM E . Vladimirov gostava de jogar (veja
rival, isso foi de pouca utilidade. A fatal quarta parti- Shalema!J 11 SSSR número 12/1979.

139
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

Nuremberg 1896, seguiu: 10... ~5 11.lZlfS (11.lãdl


'i!ie8 12.M4 l2:ld8 13.i.g3 lãb8 14.&bl ™
15.l2:lf5 f6! Com igualdade, Kostro-Smyslov,
Olimpíada de Leipzig 1960) ll...d5 12.\!Yg4 ~f5
13.'i!ixf5 lãe8 14.M4 ~4! 15.lãfel ~5 16.&dl
~c3 17.bxc3 'i!ic8! com vantagem das pretas.
Também promete pouco 10.lãdl em vista de
10... dS {Tal-Pachman, Moscou 1967) ou 10... ~5
ll.M4 l2:le6 12.~g3 d5! {Shirov-Timman.
Dordrecht 1999).
10 ... lZlcs
A ativar de imediato o cavalo "ruim". Contra
10 ... &8 (Pillsbury-Lasker, Londres 1899) há
9.é;)cJ l l.'i!fc4!? ~5 12.l2:lg5 (ideia de Chigorin; 12.i.g5
O plano principal. No antigo match Neumann- ~6?!- 12...dS!- 13.bxe7 ~c4 14.~d8 lãaxd8
Anderssen (Berlim 1864-1865) muitas vezes foi tes- 15.&dl com um final melhor, Hübner-Spassk:y, 1ª
tado 9 ..íte3 0--0 10.lãdl 'i!ie8 11.~3 lZ\d8 e partida, Veneza 1988) 12...~g5 (segundo Fine, é
ll...d5!? 12.itld4 ~5 13.f4 itle6, de onde todo sis- mais sólido 12... lãfS 13.~e4 ~6 14.'i!Nc3 l2:lxe4
tema com 4 ... itlxe4 veio a ser chamado ''Defesa 15.l2:lxe4 f5 16.~5 ~c5 17.'i!Nxc5) 13.~g5
Berlinense". 'i!Nxg5 14.'i!Hxc5 lãe6 (14 ...'i!i'e7!?) 15.'i!Hd4! com
Também é conhecido há tempos 9.c4 0---0 pressão, Schlechter-Janovsk:y, Paris 1900.
(Zukertort-Anderssen, 1ª partida, Berlim 1868) Outras possibilidades são 10 ... f6 11.M4!
10.~3, por exemplo: 10... ~5 ll..íte3 {llb3 f6! {Teichmann-Tarrasch, Monte Cario 1902), e 10...dS
Tal-Smyslov, Moscou 1971) ll...itle6 12.&dl f6 (mesmo assim!) l l .exd6 ~xd6 12.li.g5 'i!fd7
13.itld4 l2:lxd4 14.~xd4 fxe5 15.'i!ixe5, com · 13.&dl (Martinez-Lasker, simultânea 1902) ou
pequena vantagem {Petrosian-Ivkov, match Moscou- 13.l2:le4 c5 14.lãadl (Balashov-Smyslov, Leningrado
Belgrado 1978) ou 10... f6 11.lãel {ll.~e3 'iie8!; 1977) e as pretas ainda precisam lutar pela igualdade.
11.~!? Tal-Panno, Rio Rondo 1987) ll...fxe5 11.itlrl4
12.l2:lxe5 M6 13.M4 (13.'i!9h.5 itlc5!?) 13 ...~e5 Atualmente está na moda 11.M4!? itle6 12.~
14.~xe5 d6 15.~d4 'i!9h.4 (15 ...M5!?) 16.'i!fd2 lãb8 (12 ... d5 13.exd6 e lãadl; 12... fS 13.exf6)

'i!Nf4 l 7.lãe3 lZ\d8! 18.tue4 19.~c3 ~d7 com 13.b3 f5 14.exf6 ~f6 15.itle5 ~e5 16.ii'xe5
igualdade {Tal-Dorfinan, 44º Campeonato da URSS, (plano de Geller), assim como 1l.~e3 l2:le6
Moscou 1976). 12.lãad 1!? com a1gwna iniciativa das brancas e após
E no duelo Pillsbury-Lasker (São Petersburgo 12 ... f6 13.l2:ld4 l2:lxd4 14.~d4 fxe5 15.~e5
1895/1896) foi jogado 9.b3 0---0 10.~b2 {10.li.a3!? (Geller-Lengyel, Moscou 1975), e após 12 ...dS
Romanishin) 10 ... d5 ll.exd6 cxd6 12.l2:lbd2 M6 13.exd6 cxd6 14.l2:ld4 ji,d7 15.lZlf"S d5 16.l2:lxe7+
13.~xf6 'i!fxf6 com igualdade, embora após 'i!ixe7 17 .'i!id2! {Karpov-Kortchnoi, 2ª partida
14 ..Effel l2:lc5 15.itle4 itlxe4 16.\!Yxe4 ~d7?! Merano, 1981) ou 14 ...l2:lxd4 15.~d4 .íte6 16.'i!if3
(16 ... d5) 17.c4 llie8 18.\!Yd4 lãxel+ 19Jãxel d5 17.l2:la4 ..l!i18 18.~5 (Tal-Portisch, Bruxelas
\!Yxd4 20.l2:lxd4 @f8 21.Wfl a5? 22.a4! lãe8 1988).
23.lãxe8+ Wxe8 24.We2 as brancas conseguiram 11 ... ~ 12.~e3
um final favorável, convertido em vitória. Também foi jogado 12.l2:lf5 f6!, assim como
9... 0-0 12.l2:lxe6 fxe6 13.b3 (13.tue4 d5! com igualdade;
É prematuro 9 ... ~5 10.l2:ld4 ~?! devido a 13.~e3 d5 14.l2:la4 d4!? 15.&dl c5 16.~cl 'i!i'd5!
ll.'i!ig4! ~fl 12.'i!ixg7 lãf8 13.WXfl {Schowalter- etc.) 13 ...'i!i'e8 (13 ...~b7!? e c6-c5) 14.~e3!?
Tarrasch, Viena 1898). (14.~b2 ~b7 15.'i!ig4 ½ - ½ Spassk:y-Smyslov,
10.lãel! Tilburg 1979) 14...lãf"S 15.itle4! (Anand-Timman,
Ideia de Pillsbury: as brancas dificultam d7-d5. Wijk-aan-Zee 1999) e é preciso escolher entre
Contra 10.l2:ld4 na partida Wmaver-Lasker, 15...lãxe5 16.M4 lãt"S 17.~c7 'i!NIB e 15 ...ii.h7.

140
Emanuel Segundo

18.'ifxe8+ "i!6'xe8 19.~e8+ gxe8 20.~d6 cxd6


21.0 ~ 22.~ Ac6 23.l2:ld5 ~ 24.l2:le3 g6
25.c4 ~7 26.!kl3 a5 27.&3 a4 28.l2:ldl g5!
29.l2:lc3 ~6 30.luxa4 ~h2 e o empate não está
longe.
16... Ji.b7
Mas não 16... ~h2+ 17.~h2 'ifh.4+ 18.Wgl
°i!6'xe4 19.~5 'ifxe2 20.~e2 com um final obvia-
mente superior para as brancas". (Keres) Mas na
minha opinião após 20 ...Ji.a6! (20...WS?! 21.E'.e7!)
essa afirmação deve ser provada: 21.E'.e7 (21.~!?)
21...llic8 22.&el Ac4 23.~a7 (23.b3 Ae6)
23 ... h6! com igualdade. Vukovic recomendou
12...l2:lxd4 23 ...~a2? 24.b3 Ji.bl, mas após 25.~bl ~7
Nos dias de hoje também se emprega o sacrificio 26.!kil) 24.a3 as pretas podem abandonar.
agudo do peão a7 - 12 ...ID>S, conhecido desde os 17.luxd6!? (as brancas se livram do bispo peri-
anos 1980. Por exemplo: 13.l2:lxe6 13 ... fxe6 goso sem se preocuparem com os bispos de cores
14.ii.xa7 m,,i!? 15.ii.e3 JàJ7 16.b3 c5! comcontta- opostas) 17...cxd6
jogo, 13.b3 i.b4 14.luxe6 (14.l!fd2!?) 14... fxe6
15.l!fd2 ID>5! ou 13.E'.ebl luxd4 14.~d4 c5
15.Ji.e3 d5 16.exd6 ~d6 etc.
13.Ji.xd4 c5!
Muito mais fraco na dada situação é 13 ... d5?!
(também não causou boa impressão 13 ... f6?!
14.&dl Zukertort-Wtnaver, Londres 1883) devido
a l4.lua4! Ji.b4 15.c3 Aa5 16.lWh.5 Ab6 17l!e3
Ae6 18.~3 Wh8 19.Wl Y!ie7 20.b4 com bloqueio
do ponto c5 (Pillsbury-Tarrasch, ? partida, Viena
1898).
"O lance da partida é o início da variante V tanna,
chamada em sua origem de variante Rio de Janeiro".
(Keres) Uma ano antes do match Teichmann trouxe 18.c4
a "ideia brasileira" 13 ... c5! de uma turnê pela Novidade, fixando o peão attasado d6. Na parti-
América do Sul Conforme escreveu Lasker, "essa da original Marco-Teichmann (Ostende II 1907)
defesa entrou na teoria para nela permanecer por um após 18.M4 d5 19.°i!6'b5 "i!6'b6 20.'ifxb6 axb6
bom tempo". 2 l .Ac7 b5 as coisas terminaram em empate.
14.Ae3 d5 1S.exd6 .1i.xd6 (naturalmente não Das tentativas recentes, menciono 18.&dl l!ff6
15 ... cxd6? 16.~c5) 16.~! 19.0!? (Tseshkovsky-Ivkov, Bled-Portoroz 1979) e
Provavelmente o mais forte. Na 8ª partida foi 18.l!fg4 °i!ff6 19.l!fg5!? 'ifg6 20.l!fxg6 hxg6
jogado 16.~5 Ab7 17.&dl (17.Axc5? g6) 21.&dl gfd8 22.0 com leve vantagem no final
17 ...ge8 18.l2:lb5 (é um pouco melhor 18.0) (Tseshkovsky-Hort, Moscou 1999).
18... l!ff6 19.luxd6 cxd6 20.Acl ~ com igualda- 18...l!ff6
de. Também é possível 18...E'.e8 19.0 (19.&dl
Na 14ª partida Tarrasch tentou 16.&dl e após E'.e6) 19...1!fh4 20.b3 ~ 21.°i!fd2 gg6 22.ii.f4
16...l!fh4?! 17.h3 l!fb4 18.Acl conseguiu vanta- l!ff6 23.l!fe3 h5!? 24.&dl ~8 25.gd3 h4
gem, mas o correto é 16 ... Ji.b7! (16 ... l!ff6!? 26.E'.edl h3 com contrajogo (Selezniev-Réti, Berlim
17.~5 ~8 18.Acl l!if5 com igualdade, 1919).
Capablanca-Réti, Viena 1914) 17.M4 (17.~c5? 19.~dl !tfe8 (depois de 80 anos 19...&e8
l!fg5) l 7... 2::1.e8 com igualdade, por exemplo:

141
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

20.f3 &6 21.t!ff2 file8 22.b3 h6 com chances pretas "se seguram": 26 ..ilxc5? &l+ (continuemos:
iguais) 20.'i!fg4! 27.fi?'12 l!xdl 28.Ji.d4 f6 29.l1xd/ Hfe2 JO.l1cl
Cálculo preciso. O problema da defesa das pretas Hfxh5+ 3/.Wgl com igualdade- G.K) ou 26.M4 d5
em tais posições "secas" é que para manter o equilí- 27.cxd5 .ilxd5 28.~d5? !!el +!" (Neishtadt) No
brio elas são forçadas a encontrar os lances únicos o entanto, após 28.ii.e3 as brancas tem clara vantagem,
tempo todo. E Lasker não conseguiu manter a ten- por isso ao invés de 27...ii.xd5?, é correto 27. Jâe l+
são... 28.~el 'i!Bxel+ 29.Wh2 .Etxd5 30.lãxd5 i.xd5.
22.'ifg3 't!ie6 (se 22 ...E!xc4, então 23.~d6 !!d8
24.E!xd8+ 'i!Bxd8 25.h3! ameaçando ~ e i.h6)
23.h3!
"Seria possível 23 ..â'.xd6 (23.'t!ixd6?! !!g4!)
23 ... 'i!Bxc4 24.&d2 com iniciativa, pois aqui
24 ...!'!g4? não funciona em vista de 25.:sd8+ ii.e8
26."i!fxg4! "i!i'xg4 27.~a8" (Neishtadt). :Mas após
24 ...t!fxa2 25.h3 .Ete6 as coisas não são tão claras.
23.. J~dS (Schlechter sugeriu 23 ...'i!Bxc4 24.i.h6
g6 25.lãxe4 !fxe4, mas após 26.lãxd6 existe a
ameaça lãxc6! e se 26.Jâe8, então 27.Wh2 amea-
çando f2-f3) 24.ãed2 ãe5 25.i.h6!

20...i.c6?
Na opinião de Tarrasch, o erro decisivo. Também
é ruim 20...'i!fxb2? 21.!!bl 'ifc3 (ou 21...lãxe3
22.fxe3 t!fc3 23.!!e2) 22.!!ecl i.c8 (contra
22 ... ifa3 não segue 23.!!xb7? Wxcl+, mas
23.i.h6! g6 24.'iff4 com as ameaças "i!ff6 e !!xb7)
23.'i!Bf3 ~8! 24.'i!Bc6! ~e3 25."i!fxd6! com vanta-
gem.
Naturalmente era preciso jogar 20 ...!!e6!.
''Nesse caso a posição das brancas também é melhor
em vista da desagradável debilidade do peão d6, no
entanto após defesa correta as pretas seriam capazes
de obter o empate graças aos bispos de cores opos- 25... t!fg6?
tas". (Keres) Na minha opinião, isso não é dificil: Naturalmente é ruim 25 ...'i!Bxh6 26."i!i'xe5, mas a
21..ilf4 (21.!!e2?! !!ae8 22.!!ed2? We5! ou resistência poderia se prolongar com 25 ... g6 26.M4
22.t!fg3 t!fg6!; 21.b3 &e8 22."i!fg3 h6 com igual- .Ê'.el+ 27.âxel t!fxel+ 28.Wh2 etc. Agora as pretas,
dade) 21...&e8 22.~e6 !!xe6 23.h4 (23.b3? quase como no jogo de damas, perdem cada um dos
'i!Be7!) 23 ...h6 com igualdade ou 21.t!ff4 'i!Bg6 22.f3 peões d6 e c5.
&e8 23 ..ilf2 ~el+ 24.~el lãxel+ 25 ..ilxel 26.M4 Ele6 27.i.xd6 t!fh5 (Tarrasch conside-
'i!Bd3 26 ..ilc3 f6 com igualdade. rava mais tenaz 27 ... h5) 28.t!fg4 (28.Ji.e6??
21Jâe2! (após esse lance Lasker refletiu por 'i!Bxdl+! 29.lãxdl ~dl + 30.Wh2 !!g6 com vanta-
quase uma hora) 21 ... lle4? gem) 28... l!fxg4 29.hxg4 âe4 30..ilxc5 E!xd2
Não é por acaso que se diz que erros vem em 31.âxd2 h5 32.âd6, e as pretas abandonaram.
duplas. Já não servia 21...&6? devido a 22 ..ilg5, "O resultado desta partida me inspirou nova-
mente", declarou Tarrasch e... perdeu de forma ver-
mas ainda assim é melhor a recomendação de
gonhosa a décima primeira. :Mas a seguir, após uma
Vukovic 21...h6!? 22 ..Ê'.ed2 &d8 23.'i!Bg3 (23.'i!Bf4
luta titânica, venceu a décima segunda e o marcador
t!fxf424 ..ilxf41'.!e6 com igualdade) 23 ...âe6 24.h4 ficou em 6-3. Um pouco abalado, Lasker solicitou
(24 ..ilxc5? t!ff5 e ...1'.!g6) 24 ...'i!fe7 25.h5 Wh8, e as um intervalo de quatro dias.

142
Emanuel Segundo

Em seu artigo sobre a partida que perdera recen- 60.gx:ffi?


temente (ambos os jogadores cobriram o match na O infeliz último lance antes do controle de
imprensa) o campeão mundial escreveu que "tem a tempo! ''Era vencedor o imediato 60.~, por exem-
intenção de explicar suas derrotas, mostrá-las sob um
enfoque correto, e filosofar sobre suas causas" (remi- ' plo: 60...'i:t>c:6 61.&7 fila (61...!!xa7? 62.bxa7
niscências da escola Steinitz-Chigorinl). E, de fato, c.tib7 63.gx:to ~ 64.txg6 ou 62 ...Wd7 63.txg6
detalhou a análise psicológica da disputa, explicando We7 64.g7) 62.&7+ Wb5 63 ..tc5 l:ig8 64.gxf6
porque era justificada a vitória de seu adversário, que vencendo; 60 ... Wb8 61.&7 fila {ou 61...~b7
havia repelido um ataque aparentemente perigoso: 62.fxg6 l:ig7 63.~4 !ixg6 64.~f6) 62.gxfo i!xf6
''Ele repeliu um ataque desesperado com habilidade 63.M4+ 'i:t>c:8 64.&7+ Wd8 65.~5; 60... 'i:t>c:8
e encontrou uma ideia salvadora. O xadrez é justo.
6 l.fxg6 ~g6 62.&8+ Wb7 63 .!fa7+ Wc6
Aquele que joga de forma correta e procura, sempre
acha. Talvez esta seja o aspecto mais maravilhoso de 64.!ixf7 ~f7 65.gxfo. A continuação que escolhi
nosso antigo jogo de estratégia". ganha o bispo, mas não a partida." (farrasch)
O reinício dos jogos demonstrou qu a força de 61 ...gxf6 61.ik7+ 'i&a6 62.&7+ 'i!tb5 63.b7
Lasker ainda estava ausente. Na décima terceira par- ~xb7 64.~b7+ 'it>c4 65.'i!?f4 gxf5 66. ©e5 !ttS, e
tida o campeão escolheu l .d4 pela primeira vez no as pretas conquistaram o empate.
match, e o desafiante respondeu com a defesa que Seguiu-se outro empate tenso na décima quinta
leva seu nome l...dS 2.c4 e6 3.~3 c5. No vigési-
mo lance as pretas tinham uma posição com excelen- partida e, por fim, um erro crasso por parte do desa-
tes perspectivas de ataque, quando o cavalo foi remo- fiante no apuro de tempo da décima sexta partida
vido do centro e sua posição se tomou quase irreme- resultou no término do match, com a vitória convin-
diável Lasker converteu sua vantagem e aumentou a cente de Lasker por +8-3=5.
liderança para 7-3. ''Agora que meu adversário tinha Dessa forma, Tarrasch não foi capaz de encon-
que vencer apenas mais uma partida, joguei como se trar a chave para decifrar seu astuto adversário. Foi
a espada de Dâmocles estivesse sobre minha cabe-
traído sobretudo pela teimosa adesão à teoria dos
ça", escreveu Tarrasch.
"lances corretos", sem levar em consideração os
Contudo, a décima quarta partida foi a mais
demorada de toda a experiência em matches de fatores psicológicos. Na busca da efêmera verdade
Lasker. Ao obter uma vantagem de um peão num absoluta foi longe demais, perdeu o controle da
final, Tarrasch atormentou seu adversário por três situação, e para simplificar cometeu mais erros que
dias e 119 lances! Houve um momento, durante o seu adversário.
apuro de tempo, no qual Lasker cometeu um par de É uma pena que este match não tenha ocorrido
erros e esteve a um passo da derrota. entre dez e quinze anos antes. O fracasso de
Tarrasch, com seus quarenta e seis anos foi bem ilus-
Partida56 trado pelo notável escritor e mestre de xadrez
S.Tarrasch-Em.Lasker Evgeny Znosko-Borovsky: ''Inteligência, erudição,
Match de Campeonato Mundial, técnica e talento, tudo isso que o destino lhe presen-
Düsseldorf/Munique, 1908, 14ª partida teara com abundância provou ser insuficiente frente
à força interior, a intuição premonitória e a originali-
dade de um gênio".

Um Osso Duro
Outros possíveis candidatos ao trono naquele
momento eram dois eminentes jogadores posicio-
nais, o húngaro Géza Maróczy (1870-1951) e o aus-
tríaco Karl Schlechter (187~1918). O húngaro não
conseguiu organizar um match com o campeão, e
Schlechter, vencedor de Ostende 1906 e com gran-
des sucessos no ano de 1908 nos importantes tor-
neios de Viena e Praga (com um resultado geral de
+18 -1 =19), lançou um desafio imediato a Lasker,
que aceitou a princípio. Entretanto, antes disso era

143
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

preciso enfrentar Tarrasch, e o match Lasker- No outono do mesmo ano em Paris, Lasker tru-
Schlechter foi transferido para janeiro de 1910. cidou Janovsky numa série de dez "partidas de trei-
No peóodo entre esses dois matches algwis tor- namento" (+7-1=2), uma vez que o mestre franco-
neios interessantes foram realizados. O principal russo encontrara um rico mecenas, o artista Leo
deles foi o Memorial Chigorin, o mais importante
Nardus, que investiu 6.000 francos nesta empreitada.
torneio internacional em São Petersburgo, em feve-
reiro de 1909. Schlechter fora emparceirado com as Foi proposto que o match Lasker-Schlechter
brancas contra Lasker logo na primeira rodada. O (Viena/Berlim 1910) fosse jogado até uma melhor
austríaco foi totalmente dominado por seu formidá- de trinta partidas, mas por problemas financeiros o
vel adversário, na mesma Defesa Steinitz da Ruy número de partidas foi reduzido para dez: um caso
Lopez. Aparentemente o que salvou o desafiante foi sem precedentes! Também pela primeira vez o texto
o fato do campeão estar fora de forma. completo do acordo do match não foi publicado.
Apesar disso, Lasker acabou encontrando sua Apenas algwis de seus itens vazaram para a impren-
velha forma, o que não se pode dizer de Schlechter,
sa: a premiação de 3.000 coroas vienenses e 2.000
pela classificação final: 1-2.Lasker e Rubinstein 14,5
marcos de Berlim, o ritmo de jogo de uma hora para
em 18 Q); 3-4.Duras e Spielmann 11; 5.Bernshtein
10,5; 6.Teichmann 10; 7.Perlis 9,5; 8-10.E.Cohn, cada quinze lances, com um intervalo a cada duas
Salwe e Schlechter 9 etc. Esta atuação medíocre do horas. Entretanto, a julgar pelo todo, um dos pontos
desafiante desagradou o campeão, que declarou que estabelecia que para ganhar o titulo o desafiante pre-
dificilmente seu match seria interessante para o cisava vencer com uma vantagem de dois pontos, e
mundo do xadrez. Não obstante, mais tarde Lasker no caso de Schlechter vencer por um ponto (5,5-4,5)
admitiu que o fiasco de Schlechter fora causado pela o match seria declarado empatado!
sua enfermidade durante o torneio, e elogiou a maes-
Este foi um match dificílimo para Lasker! Logo
tria de seu futuro adversário.
na primeira partida de forma milagrosa escapou num
final de torres com dois peões a menos, e na segwi-
da após um erro na abertura, foi obrigado a buscar o
empate com uma série de lances únicos. E muito
embora o campeão tenha dominado a maior parte
das partidas a partir de então, Schlechter provou ser
um osso duro de roer: um notável seguidor da
Escola Steinitz e um conhecedor das aberturas,
jogou com rara tenacidade, não se deixando envolver
pelas armadilhas psicológicas, e era dificil quebrar
sua resistência. l\fais tarde Botvinnik deu a seguinte
explicação: "De certa forma o jogo de Schlechter
não tinha identidade, e Lasker não tinha onde se
apoiar".
A primeira partida com definição, após quatro
empates, foi a quinta. Ao sair da abertura, outra vez
uma Defesa Steinitz na Ruy Lopez, chegou-se a uma
posição de empate morto, mas Lasker começou a
jogar para ganhar com as pretas, inventando uma
surpreendente manobra de seu rei para a ala da
dama. Seu adversário foi totalmente dominado, mas
no apuro de tempo as coisas simplesmente mudaram
Karl Schlechter de figura ...

144
Emanuel Segundo

(35.l!fa2?! tfe6 Romanovsky) 35... ffi! (sem temer


Partida 57 a3-a4; 35 ... &8 36l!lhs Tarrasch) 36.l!fb3
K.Schlechter-Em.Lasker Uma linha cautelosa. Lipke e Tarrasch recomen-
Match de Campeonato Mundial, Viena/Berlim daram 36.a4, no entanto aqui também após
191 O, Sª parti.da 36 ... bxa4 37.l!fxa4 'i!tb7 38.l!fc2 {mas não 38.&3?
'i/9xe4+ 39.~ \!fd4! 40.l!fa6+ c!/c7 41.l!fa7+
'i!fxa7 42.~a7+ 'i!tb6 43.~g7 ile4 com vantage~
Romanovsky) 38 ...&8 ou 38 ...'i/9e6 as pretas man-
teriam alguma vantagem
No entanto, Dvoretsky escreve que aqui as bran-
cas tem boas contrachances, e acrescenta: "O lance
da partida é privado de sentido e só leva a uma perda
de tempo. Se não for para jogar a3-a4, então vale a
pena seguir a sugestão do GM Viorel Bologao
36.llt'h5!?, dificultando o plano das pretas (...l!fe6 e
.J~h8) e a preparar eventual troca dos peões com
h3-h4".
36...'tie6 37.'tidl
Mas não 37.ti'xe6? ~e6. ''Em vista da debilida-
de do peão a3 e da possibilidade de ... c6-c5, o final
27...@eS!? de torres é inaceitável para as brancas".
"As pretas sem medo marcham com seu rei em (Romanovsky)
uma intrépida viagem à ia Steinitz!" (Krefelder Zeit1111iJ. 37...ãbS! (a provocar nova debilidade, pois
Que autoconfiança e imaginação ele precisava ter! 38.'i/9g4?! é desfavorável) 38.g4
28.'We2 gJd8 29.l!fd2 ~7 30.a3 (30.a4!?)
30...ãe7 31.b4
Aqui era mais simples 31.a4. "As brancas iniciam
algo semelhante a uma tempestade de peões, com o
objetivo de criar ameaças ao rei preto. Lasker de
forma corajosa aceita o desafio." (Romanovsky)
31 ... bS!
Um excelente lance secreto! ':Jogado sem medo e
de forma enérgica, como se espera de um grande
campeão. Embora nesse processo a posição do rei
fique exposta, o peão a3 se toma atrasado. E as pre-
tas esperam criar um peão passado com o avanço a
seguir do peão cf'. (Tarrasch) Após a suspensão, a
parti.da seguiu:
32.cxbS 38...'tic4
Contra 32tfd3 não é ruim 32 ... f6!? {Dvoresky) ''Uma presunçosa invasão da dama. Sem dúvida
ou 32 ...'illal+ 33.~ g5!?, mas não 33 ...'illcl?! deveria seguir 38 ...&8, cortando pela raíz a princi-
34.cxbS axb5 35.'i/9d4 e nem 33 ...'i/9a2 34.c5 dxc5 pal (e talvez, única) chance das brancas: a3-a4".
35.bxcS ~7 36.l!fc3 ti'd2! 37.l!fe5+ 'i!tb7 (reco- (Romanovsky). Mas pode ser que Lasker não tivesse
mendação de Romanovsky) 38.l!fxg7 (mais preciso considerado necessário impedir o duvidoso contrajo-
ainda é 37.'Wxg7! com igualdade) 38 .. .'ii'xf2 39.!lf3 go? ''E realmente, como as pretas fortalecem a posi-
1!fxc5 (39 ...li'a2 40.l!fc3 ou40.ID'6 com igualdade) ção após 38...&8 39.'tic2 ? Penso que Lasker jogou
40.~f7 ~f7 41.l!fxf7+ 'i!ib6 42.l!ff6 com igualda- da melhor forma. (Dvoretsky)
de (Dvoretsky). 39.a4?!
32 ••• axbS 33.g3 g5 34.'iÍtg2 ãe8 35.ti'dl Ao encontrar dificuldades, o desafiante começa a

145
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

atirar para todos os lados. ''Um sacrificio de peão


que oferece ótimas chances; após 39.'i!ff3 .lãe8
40.'i!ff5 &5 (40 ...'i!ff7 Dvoretsky) 4 l .'i/Hh7 iff7 ou
41.'i!fg6 'i!i'g8 as brancas teriam um jogo dificil."
(Schlechter) No entanto, é mais sólido 39.°ifel!?
!Ie8 40.Wgl (Dvoretsky) ou 39.°ifd2!? &8 40.f3
'i!fe6 41.'i!fc2 ife5 42.&3 ~ 43.ifb3 com posi-
ção defensável.
39... 'i!i'xb4?!
De forma evidente deixa escapar a vantagem. Se
39 ... bxa4 40.°ifxa4 !Ib8 (Capablanca), então
41.'i!fa5+ $'c8 42.'i!fa7 !fu7 43.'i!fa8+ !!b8 44.'i!fa7
com igualdade.E contra 39...&8 40.axb5 'i!fxb5
(Romanovsky), é bom segundo Dvoretsky 4 l .!Ic3 !, 46...cS?!
preparando ti'd5 ou ~3 (41...'i!fxb4 42.~c6+). Agudo em excesso! Agora as brancas ativam a
Era mais forte 39.J?b8! 40.axb5 ~b5 41.'i!fa4 sua dama e de forma repentina há vários xeques e
Wb7! (41...°iWxb4?! 42.'i!fa7+ lâb7 43.'i!fa2) e após sacrificios no ar... Capablanca sugeriu46 ...!fu5!?. Na
42.'i!Ndl 1!i'xb4 ou 42.WD ~b4 43.'i!Na5 g6 as opinião de Romanovsky, esse lance é freado com
brancas perderiam o peão sem compensação. ''A 47.!Ia4, e se 47 ...!Ibl, então 48.°iWa5+ Wd7
melhor chance é o sacrificio de um dos peões (como 49.'i:!ff5+". Mas após 47 ...Wd7! não é fácil sugerir
ocorreu mais tarde na partida): 42.&3!? 'i!fxe4+ algo de bom às brancas: 48.'i!i: / al !Ib3! (Dvoretsky)
43.Wh2 (ou 43.Wgl) 43 ...'i!Nxb4 44.'i!Na7+ $'c8 ou 48.&7+ 'it>e6 etc.
45.!Ie3 !Ie5 46.'i!fa8+ (46.&3 'i!Nb7) 46 ... Wc7 "Os comentaristas consideraram ser o melhor
plano 46... ~ ameaçando &3. No entanto o final
47.&3 m,5 48.&3 d5. As brancas ainda precisam
de damas após 47.!Th3 (47.'i!fcl ~!; 47.!Ib2 &4!
demonstrar que a atividade das suas peças compensa
Bernshtein) 47 ... 'i!fxb3 48.Wfxa5+ 'it>b7
o material sacrificado". (Dvoretsky)
(48 ...~ ! ? Schlechter) 49.'i!Nd8 't!Ve6 50.f3 d5
40.axbS t!fxb5 41.!Ib3 'i!i'a6 42.t!fd4? 51.exd5 cxd5 52.'i!fa5 'i!fd7 53.'i!Nb4+ Wc7 54.'i!fd4
"O plano das brancas com 'i!Nb4 e &3 é tardio.
não é nada simples e é pouco claro que as pretas pos-
A possibilidade mais forte foi assinalada por sam vencer. Lasker não estava tão certo disso...".
Bologan: 42.~! com ideia de 'i/Hb3 ou &4, por (Romanovsky) Mas, na minha opinião 52 ...'i!fe2+!
exemplo: 42 ... c5 43,ga4 'i19b7 44.'i!Nal Wb8 53.Wg3 (53.Wgl 'i!i'xf3) 53 ...'i!fe5+ 54.Wg2 d4
45.'i!Na2! &8 46.f3 com a ameaça desagradável deve levar as pretas à vitória.
!Ia3. É possível que as pretas devam repetir lances: 47.&4 c4 (é mais forte 47 ...Wd7!, mas como
42 ...'i!Na3 43.!!b3 l!fr'a6 44.~". (Dvoretsky) não tomar o peão e4?!) 48.t!fal
42...!1e8 (obstruindo a manobra 'i!Nb2 e &3, Também merecia atenção 48.'t!Vb4!? (48.f3??
mas mais importante, centralizando a dama) 43.!Ibl 'i!fc2+ e ... 'i!fxa4) 48 ...'i!fxe4+ 49.Wg3 !Ic5
!Ie5! 44.t!fb4 'i!i'b5 (44 ...ãb5? 45 .'t!Vc4!; agora as 50.!Ia7+ Wc8 51 .!Ixg7 com uma luta aguda:
brancas estão simplesmente sem um peão) 45.'i!Nel 51...'i!Nf4+ 52.Wg2 &7 53.!Ig8+ ou 51...'i!fe5+
'i!i'd3?! 52.Wg2 'i!fd5+ 53.Wgl '&7 54.~6 c3 (54 ...'i!ff7
Ninguém notou o momento: é mais preciso 55.'t!Vbl e 'i!ff5+) 55.r!li6 c2 56.ID18+ Wd7
45 ...'i!fa4! com óbvia vantagem. Após 46.~ (ou 57.ID17+ com xeque perpétuo.
46.f3 !1b5) 46 ...'i!Na5! 47.'i!Nbl 2Th548.l:!xb51!fxb5 ''A questão é se há algo melhor para as brancas
as pretas tem uma posição tecnicamente vencedora. do que entrar no final de torres com peão a menos
46Jib4! após 49 ... 'i!fd4!?, e como avaliar esse final."
''Não somente defendendo, mas também amea- (Dvoretsky)
çando a forte manobra de ataque com o lance 'i!Nal.
48...'i!ixe4+ 49.Wh2 !Ib5 (ameaçando eliminar
o contrajogo das brancas com a toca das damas, por
As brancas conseguiram ameaças reais contra o rei
exemplo: 50.&7+? Wb8 51.!Ixg7 t!fe5+!)
preto." (Romanovsky)
50.t!fa2!!

146
Emanuel Segundo

O único recurso! Em uma posição dificil 56 ... c3! (ao invés de 56 ... 'it'd6?) 57.&8 c2
Schlechter procw:a com incrível engenhosidade a 58 ..l:!e7+ ~6 59.1!i'e6+ <i!tc5 60.1!fc8+ @d4
mínima chance de prosseguir a luta e consegue! A 61..l:!xb7 'i!fc4! 62.&7 cll!f 63.~c4 'i!ixc4
ameaça é ...~c4+ ou ...&7+ e ... ~g7. 64.'i!fd7 '.t>c3 65.'i!ixg7 'i!ic6 as pretas tem de fato
50... 'i!feS+ (50 ... .l:!b3?? 51.'i!fxb3 't!ff4+ boas chances de vitória.
52.'t!fg3+ com vantagem - Schlechter) 51.©gl Meu computador conferiu essas sutilezas por
t!fel+ 52.'r!?hl (52.'r!tgZ!? Romanovsky) S2... d5 algumas horas, e por fim cheguei à conclusão de que
53..l:!a8! (ameaçando 54.'i!fa7+ .l:!b7 55.'t!fc5) a atividade das peças pesadas das brancas é suficien-
53...'illb4 te para salvar a partida, somente que ao invés de
Nã~dá mais que o empate 53 ...'i!fe5+. 56.'i!:Ve3? devem jogar 56.'t!fa6!, por exemplo:
54.©gl 56 ... ifb6 57.'t!fa3 1Wb4 58.1!fa6 Wel 59 ..l:!g8
"Se o rei já estivesse em g2 as brancas poderia 1!fe4+ 60.~ 'iie5+ 61.<it>g2 f3 62 ..1:!IB com igual-
jogar 54.'t!fa6, que agora não é possível devido a dade, ou 56 ... 't!lel 57.r!g8! We4+ (57 ...We7
54 ...'i!fd6+". (Romanovsky) 58.'t!fa5+ Wc6 59.'t!la6+) 58.~ We7, e aqui não
59.'t!fa5+?! <iitd7! 60.'i!ixd5+? 't!fd6+, mas 59.'i!'ia8
ou59.Wg2;
2) 54 ...ãb7 - Sclechter considerou ser essa a
melhor chance, mas após 55.Va6!? (também é pos-
sível 55.'t!fe2 't!fd6 56.'i;fe8 ou mesmo 56.'t!fel 't!fe5
57.'t!fa5+ Dvoretsky)/55 ...'t!fel 56 ..l:!g8 chega-se à
mesma situação do parágrafo anterior, aparentemen-
te empatada.
SS.'t!fa6! lib8
Parecia-me que fosse esse o erro decisivo, mas
depois ficou claro que aqui as pretas já não tem sal-
vação:
1) 55 ...ãb7 56.'t!le6! (com a bela ameaça &8
mate) 56 ...iâl,8 57.'t!lf7+ Wc8 58.'t!fe8+ etc., (tam-
O ápice de uma batalha furiosa: as brancas tem
bém assinalado por Schlechter);
dois peões a menos mas ocuparam a coluna a e
2) 55 ... c3!? (recomendação de Lasker com ideia
ameaçam invadir com a dama em a6. Parece que elas
de 56.&8+ 'r!?d7 57.~c5 "suficiente para o empa-
já não perdem mais!
te"). E isso é a pura verdade: 57...~c5 58.1!i'b7+
54... l!fcS??
Dezenas de pontos de interrogação foram atri- (58.'t!la4+ ~7 59.'t!lc2 d4) 58 ...Wd6 59.'t!fb6+ (ou
buídos a esse lance no apuro de tempo, e Schlechter 59.'t!fxg7 c2 60.'i!ixf6+ Wd7 com igualdade)
o considera "o erro decisivo". Análises recentes de 59 ...&6 60.'i!fd8+ 'iàt?e6 61.i!'g8+ Wd6 62.'i!fxg7
computadores provam que de fato assim o é. c2 63.'t!fxf6+ Wd7 64.'i!'ig7+ Wc8 com igualdade.
Vejamos outras possibilidades: No entanto, após a indicação de Hübner 56.&7+!
1) 54.Jâb8 (após 54 ...c3 55.&8! &5 56.l!fe2 Wb8 (56...'i!fxa7 57.'i!fxa7+ Wd6 58.'t!fxg7 vencen-
ou 55 ... nh8 56.i!'a7+ ãb7 57.'i!:Va8 as brancas tem do) 57.~g7 d4 (57...c2 58 ..l:!g8+ ©c7 59.'i!fe6
vantagem) 55.'i!:Va7! (Tarrasch sugeriu 55.&7+?! Wb7 60.!ig7+ 't!fc7 61 .~c7+ ©xc7 62.'i!ff7+ Wb8
llb7 56.&8, mas após 56 ... ifb5! 57.i!'a3 d4 63.1!fg8+ Wa7 64.'i!ih7+ e 1!fxc2) 58.ãg8+ '.t>c7
58.i!'e7+ i!'d7 ou 57.Wal Wd7 58.Wel Wc6 59.ãc8+ çt,d7 60.~c5 ~c5 61.i!'a4+ @c7
59.'i!fe8+ Wd6 60.WIB+ We5 o rei escapa dos 62.'i!ixd4 &6 63.1!fa7+ <it>d6 64.'i!ia3+ @d7
65.'i!icl c2 66.h4 gxh4 67.~ We6 68.W><h4 <it>f7
xeques) 55 ...ãb7 56.'t!fe3 't!fd6 "ganhando para as
pretas" - variante de Lasker contestada por 69.Wg3 e f2-f4 as brancas conseguem vencer;
Schlechter através de 57.!ig8 d4 58.'i!fe4 "com forte 3) 55 ...'t!fb6!? 56.'i!ic8+ Wd6 - recomendação
ataque das brancas", mas também serve 57.'t!fel de Capablanca com a ideia de 57.&6 1!fxa6
llb8 58.&7+ ãb7 59.&8 com igualdade. :Mas após 58.Wxa6+ @c5. No entanto é mais forte 57.'t!fffl+!
Wc6 [57...@e5 58 ..l:!b8! ifb7 (58 ...1!fxb8?

147
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

59.'i!fe7+ 'í!?d4 60.'i!fe3 mate) 59.'t!i'a3! E!b3 forma repentina e inesperada se abrem sobre o tabu-
60.'i!fal+ Wd6 6l.E!xb7 E!xb7 62.'t!i'a6+ 'í!?c7 leiro, nervoso, incapaz de sentar quieto por um ins-
63.'i!fe6 ~ 64.'i!fxd5 &6 65.'i!fa5+ e 'i!fc3+ ven- tante sequer, ajeitando constantemente o cabelo com
cendo] 58.&8+ Wd7, e agora não 59.'i!fe8+ Wd6 as mãos. Parece pensar com o corpo todo, no qual
60.E!d8+ 'i!fxd8 6l.'i!fxd8+ Wc6 62.'i!fe8+ Wb6 tudo está em constante movimento, tudo exceto seu
63.'i!fe6+ ~ 64.'i!ff7 c3 65.'i!fxg7 &5 com igual- rosto, onde ao que parece se congelou o pensamen-
dade, mas a sugestão de Dvoretsky 59.E!e8!, por to enxadristico... Do outro lado está Schlechter, um
exemplo: 59 ... d4 60.'i!ff7+ Wd6 6l.'i!fe6+ Wc5 homem pequeno e insignificante à primeira vista,
62.!k8+ Wb4 63.'i!fxc4+ Wa3 64.E!a8+ &5 com testa larga, charuto preso à mão, econômico e
65.'i!fcl+ ~4 66.'i!fal+ Wb5 67.'i!9b2+ Wc5 frio em cada movimento. Seus olhos se direcionam
68.E!c8+ e as brancas também vencem. diretamente ao tabuleiro, e parece que os pensamen-
56.E!a7+ Wd8 (já é insuficiente 56 ... 'i!fxa7 tos se ocupam somente com os lances".
57.'i!fxa7+ E!b7 58.'i!fc5+ etc.) 57.l!xg7 'i!fb6
58.'i!i'a3 Wc8 (58 ...'i!fb4 59.'i!fa7!) 59.'i!ft'S+, e as Partida 58
pretas abandonaram: 59 ...'i!fd8 60.'i!fc5+ seguido de Em.Lasker-K.Schlechter
mate. :Match de Campeonato Mundial, Viena/Berlim,
Uma interessantíssima luta corpo a corpo! Este 1910, 10ª partida
final dramático me fez lembrar o final da oitava par- Defesa Eslava D94
tida de meu match com Karpov em Nova Iorque
1990, onde também ocorreu um final complicado de
Jama e torre, no qual meu adversário tinha um peão 1.d4 d5 2.c4 c6 3.<tlt3 <tlf6 4.e3 g6!?
Ao evitar pela primeira vez no match l .e4 Lasker
, a mais e perspectivas de vitória :Mas com o rei
exposto sempre há contrajogo, e após uma dura encontra uma surpresa: o sistema que leva o nome
batalha consegui o empate. do seu adversário, a Defesa Schlechter! Naquela
Com isso Schlechter tomou a liderança: 3-2. Teve época, lances do tipo 4 ...g6 iam de encontro às nor-
início a fase do match de Berlim. As quatro partidas
mas gerais de abertura. ''Não queria jogar pelo empa-
seguintes terminaram em empate, com Lasker a ado-
te na última partida e escolhi uma continuação pouco
tar a Defesa Siciliana com as pretas: depois de 1.e4
c5 2.lí'.:lf3 líJc6 3.d4 cxd4 4.lí'.:lxd4 lí'.:lf6 5.lí'.:lc3 na conhecida, levando a complicações interessantes."
sétima partida Lasker tentou 5 ...g6, e na nona (Schlechter)
5 ... e5!?, o que era muito audacioso na época. O cau- 5.<tic3 iJ.g7 6..iil.d3 0-0
teloso Schechter respondeu com o "monstruoso", Já então Schlechter acenava com a ideia 6 ...1'.g4,
segundo Tarrasch, 6.<tlb3?! (6.<tidb5!), permitindo que no entanto no momento é um tanto prematuro
6 ...~ ! 7.~ d5! com partida confortável para as devido a 7.'i!fb3 .
pretas. Após uma batalha complicada e erros de 7.'i!fc2?!
ambos os lados chegou-se a um final onde o cam-
Lasker evita 7 ...1'.g4 ao custo de um tempo. É
peão desperdiçou uma vitória aparentemente certa.
mais natural 7.0-0 1'.g4 (patente de Smyslov) 8.h3
O placar estava 5-4 a favor do desafiante, e o dia
da última e decisiva partida chegou. Tudo ou nada! Jl,xf3 9.'i!fxf3, e se 9 ... dxc4 (Smyslov preferia 9 ...e6,
Um momento histórico para o xadrez mundial: 9 ...E!e8 ou 9 ...'i!fd6) 10.Jl.xc4 <tlbd7 11.E!dl e5,
somente uma vitória interessava a ambos os jogado- então após 12.d5! (12 ..iil.b3 'fi/e7 13.e4 exd4
res! :Mas seria interessante saber no entanto, o que 14.E!xd4 líJc5 15.~2 E!fe8 16..iil.e3 &d8 17.E!el
teria ocorrido se eles tivessem empatado: Lasker E!xd4 18 ..iil.xd4 <tlfd7 com igualdade, Kasparov-
ainda seria reconhecido como o campeão mundial?
Hübner, Colônia blitz 1992) 12 ... e4!? 13.<tJxe4
Ou seria necessário outro match com Schechter?
(13.'i!ff4!?) 13 ... <tlxe4 (13 ...<tJe5!?) 14.'i!fxe4 lí'.:lb6
A imprensa nos deixou um 'retrato' dos dois
jogadores no dia de sua última partida: ''Lasker, com 15 ..iil.b3 cxd5 l 6 ..iil.xd5 <tlxd5 17 .E!xd5 'i!9b6
o rosto pálido de um pensador, com seu nariz carac- 18.'i!fd3 e as brancas mantém uma vantagem mínima
terístico, olhos pequenos e quase fechados, que de (Bareev-Kramnik, Novgorod 1994).

148
Emanuel Segundo

veremos em breve, naquele dia isso não significou


nada.
11 ... bxa3 12.bxa3 (naturalmente não
12.\llxc6?! ~b4 13.'i!fxa8? lz:Jxd3+ com ataque
vitorioso) 12... i.b7 13.É!.bl
Contra 13.0-0!? Lasker não gostava de
13 ...~7 (com ideia de ck5), embora aqui tam-
bém após 14.gi,1 \llc815.e4 c516.d5 aposição das
pretas não cause inveja.
13... \llc714.~
''Na sua época, para Steinitz bastaria cerca de
uma dúzia de lances para destruir a posição das pre-
tas. :Mas Lasker começa a desviar do desenvolvimen-
7... ~a6 to tranquilo e consistente, e de forma nervosa força
''.Jogado de forma muito corajosa", escreve o ataque, a permitir chances graduais ao adversário."
Schlechter, "é mais sólido 7...~bd7". E ... muito mais (Tarrasch)
passivo! A recomendação de Euwe está mais próxi- Parece que por não ter vencido nenhuma das
ma da verdade: 7 ... dxc4 8.ii.xc4 c5 9.dxc5 ~bd7. nove partidas anteriores, Lasker perdera a autocon-
:Mas em 191 O a ideia da Defesa Grünfeld - minar o fiança Em situação normal as debilidades crônicas
centro das brancas com o bispo em g7 - ainda era das pretas lhe sugeririam o simples 14.0-0!?
desconhecida e o lance 7 ... c5! parecia inverossímil. (Capablanca sugeriu "de forma corajosa" 14.h4, mas
Atualmente no entanto é obvio: após 8.dxc5 l!t'a5 é provável que ele mesmo tivesse rocado) 14...~7
(também é bom 8 ...êz:la6!? 9.cxd5 ~b4 10.l!t'd2 15.'ife2 êz:lab8 16.i.d2 com vantagem transbordan-
~fxd5 11 .lz:Jxd5 \llxd5 12.\llxb4 \llxd3) 9.cxd5 te.
~xd5 10.~ ~b4! ou 9.0-0 dxc4 10.ii.xc4 \llxc5 14...~h5
e as pretas igualam com facilidade. É claro que não 14...~7? 15.É1.xb7 \llxb7
No entanto, como observou um dos comentaris- 16.i.xa6 ou 14...&c8? 15.ii.xa6 ii.xa6 16.~5
tas, "nesta partida o jogo igualado não interessava i.b5 17.a4. :Mas pode ser que a melhor reação ao
nem a Schlechter nem a Lasker''. salto do cavalo fosse 14 ... ~ 15.0-0 ii.xe5 (em
8.a3 dxc4?! nada melhora 15 ... f6 16.~O) 16.dxe5 ~b6, embo-
É mais sólido 8...~7 9.0-0 -'.e6 (Bernhtein- ra após 17.e6! as pretas da mesma forma tenham
Alekhine, Vilnius 1912), mas o mais enérgico é nova- uma posição desagradável: l 7 ... lz:Jxa4 l 8.\llxa4
mente 8 ... c5!, por exemplo: 9.cxd5 cxd4 10.exd4 ~5 19.exf7+ bt7 20.1!fc2 lz:Jxd3 21.t!i'xd3 segui-
~c7 ou 9.0-0 ~4 10.lz:\e5 -'.e6. do de f2-f3 e e3-e4.
9.i.xc4 b5?
Uma debilidade irreparável. Na opinião de Euwe
9 ... ~7 10.e4 (10.0-0 i.e6) 10...~4 igualava o
jogo, no entanto já no século XXI sabemos que em
tais posições, digamos após 11.-'.e3, as chances das
'brancas são um pouco melhores.
10.i.d3 b4?! (outra decisão nervosa e impulsi-
va) 11.~4
Não tem sentido tomar o peão: l l .i.xa6?!
(11.axb4?! lz:Jxb4 12.tlle2 a5! ll...ii.xa6 12.axb4
\llc8 13.e4 l!t'g4 14.É!.gl i.b7 15.-'.e3 (15 ... c5
16.h3) pois agora as pretas tem apenas um "cavalo
morto" em a6, a ala da dama "esburacada" e uma
posição estrategicamente perdida. A experiência da 15.g4?
abertura do desafiante foi um fracasso, mas como

149
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

De forma involuntária vem à mente a r partida 22.~g7+! W><g7 23.d5 'i!fxd5 24.'i!fg4+ Wf6
do match com Steinitz (partida 37, vi). Lasker expli- 25J~xb7! com vantagem) resolve tanto 22 ..iie2
cou seu lance antiposicional assim: "Quando tanta ~1 23.~xg7! W><g7 24.d5 l!fxd5+ 25.l!fxd5
coisa depende de uma partida, os jogadores ficam ~d5 26 ..iixa6, quanto 22.~b7 \!fxb7 23.dxc5
muito agitados e sua imaginação vira aventura..." 'i!ff3 24.~a6 'i!fxt2+ 25 ..iie2 com vantagem.
Tarrasch de forma sábia observou que "em prin-
cípio é errado abrir a ala d°"-rei, dando ao adversário
compensações pelos defeitos\ da ala da dama", assi-
nalando a variante inofensiva 15.~a6?! .iixa6
16.'i!fxc6 ~e5 17.'i!fxa6 ~h2 18.g3 (18.ii.dl
.iid6 19.g4 lz::lt'6 com igualdade) 18 ....ilxg3 19.~h5
gxh5 20.fxg3 'i!fxg3+, e recomendando 15.f4, con-
tra o qual Lasker temia 15 ... .iixe5 (mas não
15 ....l:!tb8? 16.'iWc4 ~e5 17.fxe5 c5 18.0-0 com
vantagem) 16.dxe5 tl::ig7 17.0-0 c5 "com igualda-
de", no entanto após 18.'i!fc4 .iic8 19.e4 !!d8
20 ..iie3 as pretas estão mal - o seu cavalo não sai de
a6.
Também era possível o prosaico 15.0-0, pois
15 ....iixe5 16.dxe5 'i!fxe5? não funciona devido a 19.tigl!?
17.~xb7, e contra 15 ... c5 16.tl::ixc5 tl::ixc5 17.'i!fxc5 Um lance tentador, criando a ameaça !!xg6.
~xc5 18.dxc5 ~g2 19.W><g2 ~e5 20.f4! Af6 "Após 19.~g6 .iie6 20.il.xf7+ il.xf7 21.l!fxa6
2 l.~t2 as pretas tem um final dificil. (Zak) .iid5 as pretas tem um forte ataque" (Schlechter).
15....iixeS? Mas na minha opinião, a variante 22.~gl 'i!fxh2
Essa troca justifica a ideia de Lasker. De forma 23.iVfl &b8 (23 ... e5 24.dxe5) 24.ãxb8 ~b8
surpreendente ninguém observou o calmo 15 ... ti:if6! 25.tl::ic3 .lâb3 26.Wd2 refuta essa avaliação e é
(Steinitz provavelmente jogaria assim). O avanço do melhor 20...~xf7! 21.'i!Hxa6 Ad5 com contrajogo:
peão g prejudicou a posição das brancas, e embora 22.~gl iVxh2 23.l!ffl &f8 24.ãb2 (24.f4? 'i!Hc2)
após 16.0-0 ti:id5 elas ainda mantenham alguma 24... e5 25.tl::ic3 exd4 26.exd4 't!fc7 etc., 22.fill
vantagem, o jogo passa a ter caráter de duplo corte: ~g2! [é pouco claro 22 ...l!fxh2 23.ti:ib6 m,g
17.f4 ti:ib6 18.ii.dl c5 19.tl::ixc5 ãac8 etc. 24.tl::ixd5 (24.l!fxa7 .ilc4!) 24 ...!!xbl 25.'i!fxc6]
Se até esse momento os jogadores tatearam seus 23.'i!9b7 (23.!!b7? il.xfl) 23 ... 'i!Hxb7 24.~xb7 ~fl
caminhos em território desconhecido, agora se inicia 25.W><fl e5 ou 22.ãb7! 'i!fd6 23.fill Agi 24.f4
a fase que dá um valor especial à partida. Fatores .iixfl 25.\!fxfl, e pela iniciativa as brancas devem
posicionais cedem seu lugar para o cálculo das entregar a qualidade.
variantes e a intuição. Começa o "jogo sem regras" Além disso, ainda havia duas belas oportunida-
no qual ambos notáveis jogadores demonstram via- des:
gens excepcionais de imaginação. 1) 19..ild2!? (um lance de desenvolvimento
\16.gxhS! (é claro que não 16.dxe5 tl::ig7 e sugerido por Tarrasch) 19...!!b8 (19 ... ~d6 20 ..ile4)
...ti::ie6) 16... .iig717.hxg6 hxg6 18.'iWc4! 20.ãxb8 tl::ixb8 21.ti::ic5 ou 19... e5!? (recomenda-
Este era o golpe com o qual o campeão contava, ção de Euwe) 20.Axg6 exd4 21..ile4 dxe3 22.~xe3
a esperar decidir a partida através de meios táticos. A com óbvia vantagem;
ameaça é dupla: ~g6 e ~xb7. Contra 18.h4?! é 2) 19.h4! (a continuação lógica do ataque)
bom 18... c5! 19.!!gl &c8, e contra a recomenda- 19...'%!:Ya5+ (aparentemente não há nada melhor:
ção de Tarrasch 18.f4 c5 19.~gl - 19...&c8 19... c5?! 20.dxc5) 20.ii.dl 'i!Hd5 21.l!fxd5 cxd5
20.~a6 ~a6 21.ti:ixc5 l!fd6 com luta aguda. 22.h5 !, e as pretas tem problemas, por exemplo:
18... Ji.c8! 22 ... g5 23.~gl Af6 24.e4!, "ganhando o peão e
Única defesa! É ruim 18... c5? devido a 19.!!gl mantendo o ataque." (Zak)
'i!fxh2 20.ãxg6 l!fhl+ 21.Wd2, e contra 21...l!ff3! Lasker aparentemente estava receoso em trocar
(21...cxd4? 22.~xg7+! Wxg7 23.'i!fxd4+ e5 as damas, mas não havia motivo para tal. Pelo con-
24.'i!fg4+ Wh6 25.~b7 com vantagem; 21...ti:ic7? trário, com as damas no tabuleiro o rei branco cen-

150
Emanuel Segundo

tralizado sempre prometerá algum contrajogo às pre- 23..ixg6?


tas. Lasker subestima o cootrajogo das pretas ao abrir
19...'i!fa5+ a coluna f. Ele próprio depois recomendou 23 .& 1
Mas não 19...'Wxfil 20.Z!xg6 'i!fhl+ 21.~ \!fxh2 24 ..lãfl (24.'~e2 !fh5+ 25.Wel Wle2)
'IWD 22 ..tb2! (ameaçàndo &gl) 22 ... 'i!fxt2 24 ... 'i!fc7?! 25 ..txg6?! fxg6 26."i!fb3+ .lãf7
23.Ji.e2 com vantagem. No entanto, era possível 27.li'xb7 "vencendo", no entanto após 27 ...&8!
uma continuação não mencionada pelos comentaris- 28.l!9xc7 I!xbl+ 29.'i!te2 I!xfl+! 30.I!xf2 /'iJxc7 as
tas: 19... e6!? 20.~ (ou 20.f4 W8) 20 ...W8, e pretas estão perfeitamente bem. Na minha opinião, é
após 2 l ..td2 a vantagem das brancas é menor que a correto 25 ..tc4! e6 26.l!Vd3 ~8 27.liJc5 .tc8
da partida. 28 ..lãh l com iniciativa ameaçadora, e por isso a
20•.td2 !t'd5 2Ulc1
melhor defesa é 24 ....tc:8! 25.!fxc6 &8.
Ao meu ver, após 2l.liJc3!? (esse também nin-
Zak sugeriu "um maior fortalecimento da posição
guém notou) 2l...'i!fxc4 22 ..ixc4 $h8 23.™ as
através de 23 ..tc4 e6 24.'t!9d3 <i:x7 (24 ...Wxh2
pretas tem uma posição nruito desagradável: as bran-
cas tem um grande número de opções, entre as quais 25.t!ffl !) 25.liJc5 .tc8 26.™ etc.", mas após
a marcha do peão h. Mas como já disse, Lasker temia 26 ...00 (ou26.'t!9e40027.il.e21!i'h3) a situação
vender-se barato com a troca das damas. é menos favorável às brancas do que na posição do
21 ....tb7 (aqui 2l...'i!lxc4?! 22.I!xc4 era obvia- diagrama. E aparentemente, a melhor de todas é a
mente ruim) 22.'i!fcl!? recomendação de Capablaoca 23."i!fb3! .lãab8
Buscando complicações! Euwe sugeriu o frio 24.I!xg6 'i!fxh2 25 ..te4 - ao meu ver, as brancas
22.'i!fxd5 cxd5 23.f4, e do ponto de vista prático tem forte pressão, e o mais importante, as pretas
estava certo: com um cavalo em a6 as brancas tem continuam a sofrer com seu cavalo mal posicionado
uma vantagem duradoura, e o plano com h2-h4-h5 ema6.
continua forte. Penso que Capablaoca procuraria No aspecto geral, deve-se novamente enfatizar
lidar com a posição dessa maneira. No entanto, que sem as damas no tabuleiro diminuem de forma
lasker já não podia trocar as damas por razões pura- sensível os problemas das brancas, como veremos a
mente psicológicas, pois já evitara isso em situação seguir. ..
mais favorável. 23•••l!ixh2! 24.l!fl f><g6 2S.'i!fh3+ l:!f7
22... 'i!i'bs 26.l!ixb7 &18!
A dama ataca o peão h2 e atormenta o rei bran- Schlechter entrou no espírito. Pela primeira vez
co. ''A ameaça 23.I!xg6 fxg6 24 ..tc4 seria freada de após um longo período a posição passa de ruim para
hma mais precisa com 22 ...'t!id6" (Zak). Uma afir- as pretas para confusa: 27.'Wxa6? falha devido a
mação questionável: no caso de 23.1!fb3! 27 ...I!xfl 28.I!xf2 I!xf2 com vantagem Este "gam-
(l3 ..ixg6?! 't!9xh2 24..lãfl fxg6, como na partida) bito do cavalo" me faz lembrar uma grandiosa Ruy
• pretas da mesma forma precisam jogar ...t!ixh2 de Lopez em meu match revaoche com Karpov (16ª
imediato ou após 23 ....lãab8 24.I!xg6. partida, Leoingrado 1986), onde meu adversário cap-
Agora surgiu a posição critica: como as brancas turou um cavalo em a3 e se viu sob ataque de mate.
hm o ataque adiante? Com Schlechter tudo saiu de forma diferente:
por ironia do destino, perdeu todas as outras peças,
exceto seu maldito cavalo. Que paradoxo: é o cavalo
oferecido em sacrificio que permanece vivo! Na apa-
rência por castigo: realmente ele está muito mal ..
27.l!VbJ
Lasker evita 27.f4 não somente devido a
27 ... li:lb8!? (mas não 27 ... e5? 28.l!ixa6 exf4
29.l!Vc4! fxe3?! 30 ..ixe3 com vantagem) com jogo
agudo: 28."i!fb3 (28.t!fb.4 g5!?) 28 ... @g3+ 29.Wdl
(29.c;i;,e2?! .txd4 30.l:!gl "tilh2+ 31.Wd3 .tg7 e
...W8 Euwe) 29 ... .txd4 30.'i!.?c2 .tg7 3 I.liJc5 'ii'h3
etc., mas também pelas pretas simplesmente darem

151
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

xeque perpétuo através de 27 ...t!Nh4+ 28.ID'.2 'ilfhl+ sões mais dramáticas da história do xadrez!
29.@e2 'i!i'h5+ 30.Wd3 l!if5+ 31.We2 l!ih5+
32©el (seria arriscado 32.lli3?! e5! 33.l!ixc6 exf4
34.e4 l':i:x7) 32 ...'i!ful +. Não sei se Schleschter joga-
ria assim ou não, mas teria o empate.
27...©h8 28.f4 g5!?
É duvidoso 28.l!ig3+?! 29.©dl .lâxf4 30 ..lâxf4
!!xf4 31.@<:2! (Lasker). E de fato o rei branco se
esconde, enquanto o preto permanece sob ataque:
31...fü2 32.ãhl+ .th6 33.'i!Vd3 Wg7 34 ..lâxh6!
Wxh6 35.'i!i'xa6 (contra 35 ...l!fxe3? a cravada
36.t!i'd3 é decisiva). Muito mais interessante é a con-
tinuação pouco estudada 28 ... e5!? 29.dxe5 'i!lg3+
30.We2 !!xf4 3I.!!xf4 !!xf4 32.~l+ ãh4
33 ..lãxh4+ !fxh4 com jogo agudo. Aparentemente 33.IDJ (é errado 33.©e3? .lâxf4! 34.llxf4 .th6
após 34.e6 o mais provável é o empate, mas em 35.!kfl ~7! 36.'i!i'e4 ãxf4 37.!!xf4 <tld5+
todos os casos as chances das pretas não são piores. 38.wt2 'i!fu2+ 39.WO? A>cf4 40.A>cf4 'i!fhl+)
Penso que 28 ... e5 pelo menos não seja pior que o 33...itlc7!
lance da partida. Contra 33 ... lZlb8?! Lasker planejara 34.ãhl
29.'i!i'd3 'i!fxhl 35.!!hl+, embora também dê vantagem
A posição das brancas é boa de forma suficiente, 34.lZlc5. Mas com o cavalo em c7 a troca 34.ãhl
como se vê na variante 29..lâxc6 lZlb8 (alguns 'i!fxhl 35.ãh3+ é duvidosa devido a 35 ...'i!fxh3
comentaristas dão 29 ... gxf4? 30.ãxa6?? fxe3 36.'i!Vxh3+ Wg8 37.là:5 itlb5! 38.~6 itlxd4+
3 l.!!xf7 'i!fxd2+ 32.Wfl e2+, mas o correto é 39.itlxd4 kxd4 e as brancas estão em situação até
30.exf4! <tlb8 31.&3) 30 ...'i!fg3+ (é pior 30 ... gxf4 um pouco pior.
3 l.exf4 A>cd4 32.'i!fd5 'i!fg3+ 33.Wdl M6 34.lZlc3 34.llxc6?!
ãh7 35.@<:2) 31.Wdl llxf4 32.ãhl+ ãh4 33.Wlb7 ''Nessa partida impressionam a incansável ousa-
!!xhl+ 34.t!i'xhl+ Wlh4 35.Wlb7 ~5! 36 ..lãxe7! (é dia de Schleshter no ataque e o sangue frio de Lasker
pouco claro 36.&3 kd6 37.@<:2 g4) 36 ...kd6 na defesa." (B. Vainstein) ''Incrível! Lasker se vê
37.ãe4 'i!ful + 38.@<:2 A>ca3 39.lZlc3 ou 39.itlc5 ameaçado pela destruição por todos os lados e vai
com melhores perspectivas. capturar um peão! Isso lembra um general que acen-
29...gxf4 30.exf4 (mas não 30.'i!fxa6?? fxe3 de seu charuto sob uma chuva de balas!" (fari:asch).
com vantagem) 30... 'i!ib4+ Naturalmente seria mais sensato trazer o cavalo para
Pode ser que o campeão tenha calculado a luta - 34.lz::lc5, pata contra 34 ...lz::ld5 jogar 35.itle6
30 ... itlb8? 31.lz::lc5! .th6 32.itle6 ãg8 33.d5 com com jogo muito agudo e aparentemente em equilí-
óbvia vantagem: 32...'i!fu4+ (ou 33 ...!!f6 34.~3 brio dinâmico. De qualquer modo as brancas sairiam
'i!fu4+ 35.Wdl etc.) 34.'.!?dl l!fh5+ 35.@<:2 'i!ff5 da zona de risco, ao passo que agota estão à beita do
36.ãhl ãg6 37.ãbl lz::ld7 38.'i!fxf5 ãxf5 39.dxc6 abismo, embom as análises do computador mostrem
ãxe6 40.cxd7 !!f'8 41.f5 &6+ 42.~3+ Wh7 que, de forma diferente da opinião de muitos
43.r!bel com vantagem. comentaristas, as pretas não tem vitória forçada.
31.We2 34...itlb5!
Evitando 31.@dl 'i!fg4+ 32.@<:2 'i!ff5 com sim- Schlechter considerou "muito forte e provavel-
plificações e empate: 33.ãhl+ Wg8 34.ãcgl mente decisivo" 34... 00, no entanto foi refutado
'i!fxd3+ 35.Wxd3 iid8 com igualdade, ou 33.'i!fxf5 por Lasker atmvés de 35.'i!fg6! (mas não 35.&5?
!!xf5 34.!!cel (34.Wd3?! l:!d8) 34 ...A>cd4 35 ..lãxe7 i!xf4! 36.A>cf4 <tlxf4+ 37.Wdl e5! 38.'i!ffl itlg6
!!8f7 com igualdade. Lasker está ávido pela vitória! com vantagem) 35 ... 'iixg6 36.llxg6 itlxf4+ (é pior
3t ...'i!ih2+ 32.lla 'i!Khs+ 36.Jãxf4?! 37.!!h3+ ©g8 38.rfug3! ã8f7 39.lZlc5
Aqui (ou no lance anterior) a partida foi suspen- i!4f6 40.lZle6 etc.) 37.A>cf4 iixf4 38.!!hl+ Wg8
sa e continuou no dia seguinte. Foi uma das suspen- 39.ãhg3 (39.itlc5 .lã.8f6 40Jág2 ~6 41.We3 .lã.f7

152
Emanuel Segundo

com igualdade) 39.Jl4f7 (?- G.K) 40.,tic5 com dos são possíveis.
vantagem das brancas. Mas 39 ...~+! leva imedia- Provavelmente, do ponto de vista puramente
tamente ao empate: 40.00 (40.&3 com igualdade) prático, maiores perspectivas oferece a recomenda-
40...ãxd4+ 41.'i!?e3 ãxa4 42.ãxg7+ ~8 43.'i!?e2 ção de Tarresch 35 ... lixi6!? 36.!!cS ~ , mantendo
com igualdade. a pressão. Por exemplo: 37.'i!?el (mas não 37.il.e3
3S.ãc4! 'i!fg4, ameaçando luh4 - 38.'it'f2 luxe3 39.l!fxe3
Levaria a uma catástrofe imediata 35.!!c5? Jix.f4 com vantagem) 37 ...l!fh4+ (37 ... l!fhl+
~xd4+! 36.l!fxd4 l!fxf.3+ 37.Jix.g7+ ©xg7 38.!!fl 1Wg2 39.ti'O) 38.'i.Wl 'i!fg4 39.'i!icl 'i!lgl+
38.1!i'c3+ e5 39.&7+ Wh8 com vantagem decisi:va. 40.!!fl l!fxd4 41.t!ixd4 êuxd4 com um final algo
melhor, ou 37. ©d 1 !!d8 (Lasker avaliou esse lance a
favor das pretas; 37...t!ig4 38.ri!?cl! l!fgl+ 39.!!fl
com vantagem) 38.©cl ! e aqui não consegui encon-
trar qualquer vantagem em particular para as pretas.
Assim, embora Schlechter tivesse uma iniciativa
considerável, em nenhum momento teve um ganho
direto. O jogo era de duplo corte e Lasker não tinha
intenção de entregar a sua coroa...
36.it.xf4 ãxf4 37.llcS+ JUS 38.W!
Finalmente as brancas respiram mais aliviadas.
Em várias fontes foi recomendado 38.!!d8 e5!
(38 ... e6 39.l!fe3; 38 ...'i!lg4 39.~) 39.dxe5 l!fg4
40.1!i'e3! (mas não 40.~ ãxf.3+ 41.1!fxt3 l!fh4+
34...llxf4? 42.We21!fxd8) 40 ... lài4+ 41.~d4 ~d4 42.,tic3
Um tipo de blecaute. ''Esta combinação está ..txa3 (42 ...iLc:5) 43.e6 il.e7 44.Wfl "com vanta-
errada. Calculei a variante 36.Jix.f4 ãxf4 37.&8+ gem''. Mas na realidade 44 ...!!M! conduz ao empa-
i l 38 ...'i!fh4+ 39.'it>g2! (39.'it>e2 l!i'h2+ 40.'i!?e3 te com facilidade: 45.l!fes+ Wh.7 46.llf7+ 'it>g8,
com igualdade.
i:Ixf.3+ 41.'it>xO 1!fh3+ e ...1!fxc8) 39...1!i'g4+, per-
cebendo muito tarde 40.!!g3! 'i!fxc8 41.t!i'g6",
38...'i!ih2+ (evitando a variante mencionada
38...l!fh4+ 39.Wg2! li'g4+ 40.!!g3! li'xc8 41.li'g6
escreve Schlechtet ''É decisivo 35 ...!!dS!, e se
com vantagem; as pretas ainda não estão perdidas)
36.il.e3 então 36... e5". De fato, após 37.&5 (37.d5
-tid6) 37...~xd4+ 38..ixd4 (38.l!fxd4 l!fxf.3+)
38 ...ãxf4 39.l2:x:3 ID'xd4 40.'f:Ve3 !!d3 as brancas
podem abandonar.
Também não serve 36.d5? (ao invés de
36.il.e3?) 36 ...ãxd5 37.&8+ ID"8 38,gxf8+ Jix.f8
39.iLc:3+ ~7 40.1!fc4 (40.1!fe3 i.d4! com vanta-
gem) 40 .. ,t~)xc3+ 41.luxc3 &5 com vantagem
decisiva. No entanto, após a descoberta genial do
mestre N. Minev 36.'it>el!! são as pretas que devem
encontrar a sua salvação: 36 ...l!fhl+ (36 ... luxd4?
37.1.ThJ vencendo) 37.l!ffl 1!fxfl + 38.~fl êuxd4
39.1.ThJ+ Wg8 40.<i!i>g2 com igualdade.
Anos mais tarde Capablanca sugeriu 35 ... e5!?.
Isto leva a uma posição louca, de difícil avaliação: 39.©el 39...t!i'bl+?
36.dxe5 ..txe5 37.'i!?el M6 38.&5 Wfhl+ 39.!!fl Permitindo que o rei com sucesso fuja dos
1rh4+ 40.Wdl lixi4 41.!!d5 'i!fg4+ 42.'ikl ~2+ xeques, o que não ocorreria com 39 ...l!fh4, que
43.Wbl. E aqui também não se pode falar em uma garantiria ao menos o empate às pretas:
"vantagem decisiva das pretas": todos os três resulta- 1) 40.Wfl (40.!!g3? l!fhl+ 41.<it'd2 !!t2+;

153
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

40.Wdl? 't!fhl+ 41.We2 l'Xxf3 42.l!i'xf3 ~d4+)


40 ... iYb.3+ 41.Wf2 ãxf3+ 42.l!i'xf3 'i!fxc8
43.'i!fu5+ Wg8 44.'i!fxb5 l!i'c2+ e as brancas ainda
precisam fazer vários lances precisos para igualar:
45.Wg3 l!i'g6+ 46.çt,o 'i!ff6+ 47.We4 'i!Kh4+
48.'it>d3 'i!fh3+ 49.';tic2 com igualdade;
2) 40.Wd2 'i!fh2+ 41.Wel (é perigoso 41.~3
ãxf3+ 42.'it>xf3 'i!fu3+ 43.$e2 t!fxc8 44.l!i'xb5
l!i'c2+ 45.WO 'i!fdl+ 46.We4 'i!Vhl+!) 41...iYh.4+
com xeque perpétuo: após qualquer tentativa de fuga
a torre em c8 estará perdida.
40.llfl t!fh4+ 4t.Wd2 lãxfl (41...lãxd4?
42.!kxf8+ 'it>g7 43.EHf?+ e mate) 42.t!fxfl 50... i!fb2+?
't!fxd4+ 43.'t!fd3 Outro erro que não foi observado por ninguém!
Pela primeira vez após o começo das selvagens Seria essencial 50 ...'i!fb6!, forçando o rei a voltar
complicações a vantagem passa para Lasker. para a sua ala: 51.Wc2 l!i'b2+ 52.Wdl l!i'al+
43... 'i!Kf2+ 53.We2 l!i'h2+ 54.çt,{3 (não dá nada 54.'i!i'd2 'i!fxa3
É sem esperanças 43 ...l!i'xd3+ 44.Wxd3 Wg7 55.fi:Jxg7 Wxg7 com igualdade, ou 55.gg5 'i!i'a6+
45.là5 ou 43 ...'t!ff4+ 44.'i!fe3 l!fxe3? (é mais tenaz 56.Wel 'i!i'al+ com xeque perpétuo) 54 ...t!ff6+
44 ...'i!fh2+) 45.~e3 Wg8 46.là5 com vantagem, 55.lz::lf4 fi:Jf7. Certamente as brancas jogam para
não 46 .. /2ixa3? devido a 47.~6. ganhar, mas com um rei assim este é um resultado
44.Wdl~d6 pouco provável.
51.Wa400?
"Contra44 ... a6 seguiria45.li:lb6, e se44 ...'i!fgl+
Último erro grave. A única chance consistia em
então 45.Wc2 li:ld4+ 46.Wh2 l!fg2+ 47.Wal l!i'hl+
51...'i!i'g2 52.li:lxg7 Wxg7 53.'i!i'd4+ W 54.llc5,
48.Wa2 'i!fg2+ 49.li:lb2 com vantagem decisiva". segundo Lasker "as brancas ganham", mas após
(Lasker) O plano vitorioso das brancas é coordenar 52 ... l!fe2! (ao invés do ruinoso 54 ... 'i!fb7?
suas forças, trocar as damas, capturar o peão a e 55.'i!i'd5+ 'i!i'xd5 56.lãxd5 We6 57.ãa5 fi:Jc8
avançar seu próprio peão para a coroação. É dificil 58.Wb4 Wd6 59.W<:4 com vantagem) isso ainda
impedir esse plano, especialmente tendo em vista precisa ser demonstrado. O rei das brancas está
que o campeão o realiza com consistência impiedo- exposto, enquanto o cavalo das pretas defendido
sa, enquanto o desafiante está visivelmente abalado. pelo peão, protege de perto seu monarca e é extre-
45Jâc5 1'h6 46.lãd5 Wg8 mamente dificil construir uma rede de mate, por
Segundo Schlechter, 46 ...'i!i'a2 daria mais chances exemplo: 55.'i!i'd5+ Wf6 56.&3 'i!i'a6+ 57.Wb3
'ifb6+ 58.Wai l!i't2+ 59.Wbl 'i!i'fl+ 60.&l 'ti'f2
de empate, mas não vejo motivo para isso: 47.!!h.5
61.'i!i'c5 'i!i'e2, e se 62.'ifxa7? então 62 ...'i!i'b5+
Wg7 48.là5 fi:Jf'l 49 ..lãds etc. O lance da partida
63.Wa2 'ti'e2 com igualdade.
não é de todo ruim: as pretas ainda tem possibilida- Em geral, não estou completamente convencido
des defensivas e não é tão claro que a posição seja de que Lasker estivesse em definitivo prestes a ven-
ganha para as brancas. cer esse final. Uma coisa é óbvia: Schlechter, abalado
47.fi:Jc5 'tifgl+ (talvez valesse a pena jogar por seu infeliz sacrificio 35 ...lãxf4?, não utilizou
47 ...'i!i'g2, embora seja pouco provável que fizesse todos os seus recursos defensivos.
diferença significativa após 48.lãe5 1'g7 49.&l) 52.~xg7
48.Wc2 'i!i'cl+ 49.Wb31'g7 50.fi:Je6?! Um plano mais intrincado seria 52.fi:Jg5+ We8
Na minha opinião é mais preciso 50.'i!?a4. 53.'i!Kg6+ éd7 54.'i!i'f5+ éc6 55.'i!i'd3 'i!i'a2 56.&5
1'd4 57.fi:Jf3 etc.
52...!fxg7 (52 ...Wxg7 53 ..E!g5+ çt,f8 54.'i!i'f3+)
53.'i!i'b3 We8 (ou 53 ...éf6 54.l!i'h2+ 00

154
Emanuel Segundo

55.'i!fxg7+ r:!;xg7 56.&5 lixB 57.~5 ~6 58~c7 dias de hoje, o jogo original começa por volta do
com vantagem) 54.1!fb8+ 'i!i>f7 55.1!:fxa7 décimo quinto lance. Nesta partida, começou muito
Com a queda do peão a7 a posição das pretas antes, e Q valor de cada lance foi muito alto. Os dois
agora está irremediavelmente perdida e elas só jogadores de imediato começaram a jogar de forma
podem prolongar a resistência. Lasker caminha para criativa, e a tensão foi incrível. A partida tem impor-
o objetivo com manobras confiantes de peças pesa- tância competitiva colossal, e devido a isso, ao meu
das. ver, todos os erros são perdoáveis.
55...'t!i'g4+ Uma partida brilhante e uma grande realização
Se 55 ... <tle4, então, se não houver nada melhor para Lasker, que conseguiu uma vitória bastante difí-
56.!If5+ 'it'e6 57ID:3 1!:fg4 58.1!:fe3 'it'd7 59.'t!i'f4. cil. Deve ser lembrado que em seus melhores anos
56.'i!fd4 't!i'd7+ 57.'it11>3 'i!fb7+ 58.S>a2 't!i'c6 sempre venceu as partidas decisivas. A habilidade de
59.1!:fd3 'it'e6 60.ãgs 'it'd7 61~ 'ti'g2+ 62.!Ie2 realizar tais façanhas é que diferencia os campeões...
'ti'g4 63.!ldl 'ti'a4?! E então esse duelo curto e feroz terminou empa-
Seria mais tenaz 63 ...t!fh5 64.1!:fd5 'ti'h6 tado em 5-5, e Lasker manteve o título de campeão
65.'ti'b7+ 'it'e8 66.'ti'c6+ ~ 67.WJ etc. mundial Dá para imaginar quão fácil deve ter sido
64.1!:ffS+ 'it>c7?! para ele o match seguinte pela coroa (Berlim 191 O),
Capitulação, mas também após 64 ... 'it'd8 um verdadeiro passeio, contra o incorrigível otimista
65.'t!i'e6! a troca das damas seria forçada em breve. Janovsky, que já estava longe da melhor forma. Leo
65."i!fc2+ 1Wxc2+ 66.!Ixc2+ 'it>b6 (ou 66...'it'd7 Nardus sacrificou 5.000 francos para ver seu protegi-
67.a4 ti:Jb7 68.$>a3, depois 'itb-4 e a4-a5-a6) do ser massacrado de forma impiedosa: +8=3.
67.!Ie2 ~8 68.'it>b3 'it>c6 69.!Ic2+ c;tib7 70.c;tib4
ti:Ja7 71.'it>cS, e as pretas abandonaram. O Grande Akiba

''Ele ainda poderia ter se defendido por mais


tempo. Um final similar em uma das partidas entre
La Bourdonnais e McDonnell terminou em empate.
Mas atualmente o final é jogado incomparavelmente
melhor". (farrasch)
Uma batalha de titãs! Naturalmente, houve mui-
tos erros, mas que luta intensa! E com quanta criati-
vidade jogaram ambos os lados! A partida estava à
frente de sua época, e os comentários, mesmo os
mais recentes, com frequência não são irrepreensí- Akiba Rublnsteln
veis, tão complicadas e profundas são as variantes. Enquanto isso, uma nova geração de seguidores
Seu estudo, começando com a novidade teórica tra- de Steinitz invadiu de forma resoluta a arena interna-
zida por Schlechter, permite-aos acompanhar o cional. O mais brilhante desses novos talentos,
desenvolvimento do pensamento enxadrístico. Nos Akiba Rubinstein (1882-1961), ainda hoje assom-

155
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

bra pela profundidade de suas ideias. De origem O lance 22.h3 perde em vista de 22 ...~c3 !
polonesa, era o décimo segundo filho de wn modes- 23.~c3 (23.~xb7 ~h3+ e mate; 23.'i!Vxg4 ~h3!
to professor. Pela pureza e lógica de seu estilo, esse 24.'i!Hxh3 'i!Hxh2+ 25.gxh3 ~e4+ 26.S>h2 i!d2+
grande artista do xadrez foi comparado a wn antigo 27.S>g3 ~+ 28.S>b4 li.d8+ 29.'it'hS Ji.g6 mate)
escultor, cujo trabalho delicado e monumental pro- 23 ...~xe4 24.l!fxg4 (24.l!fxe4 'i!fg3 vencendo)
voca admiração... 24 ...l!fxg4 25.hxg4 ~ ! 26.S'h2 ~c3 vencendo.
Seu primeiro livro de xadrez foi o modesto Agora as pretas exploram o enfraquecimento
manual ''Xadrez" de Sosnitz, escrito em hebraico fatal da diagonal hl-a8.
(Akiba também era fluente em polonês, russo e ale-
mão). Passou sua juventude em Lodz, onde havia
uma comunidade enxadrística bastante forte liderada
pelo mestre Georg Salwe, o primeiro adversário sério
do jovem talentoso.
Rubinstein foi reconhecido como mestre após o
terceiro lugar no torneio de Ostende 1906 (atrás de
Schlechter e Maróczy), mas teve um desempenho
ainda melhor no ano seguinte, vencendo o torneio de
mestres em Ostende 1907, depois Carlsbad 1907 e,
na sua cidade natal Lodz, o quinto torneio Pan
Russo. Eis provavelmente a sua mais famosa criação:

Partida 59 22...!!xc3!!
G.Rotlewi-A.Rubinstein ''Uma das melhores combinações jamais realiza-
Lodz 1907 /1908 das. O lance das brancas, de rara beleza, revela a pro-
fundidade da ideia combinatória de Rubinstein".
(Romanovsky)
23.gxh4
É forçado tomar a dama, pois não há esperanças
em 23.~c3 ~e4+ 24.l!fxe4 l!fxh2 mate, nem
23.~d7 ~g3 24.!!f3 (24.~ ~xh2) 24 ... ~f3
25.~xo ~+ 26.@gl (26.~g2 'i!fb3+ 27.@gl
~e4+ 28.Whl ~g3 mate) 26 ... ~ + 27.Wfl
~ + 28.Wg2 ~xf3 29.l!fxf3 (29.Wxf3 l!fhS+)
29 ...!!d2+.
23...!!<12!!
"Lances assim são eternos!", exclamam Y
Razuvaev e V. Murakhveri no livro Akiba RNbinstein
(1980). ''.As pretas tem a dama a menos e quase todas
as suas peças estão atacadas".
24.'i:!fxd2
Contra 24.l!fxg4 ou 24.~xc3 é fatal
20... ~g4! (ao jogar 19.eS? lil,6+ 20.'i!?hl, as
24...~e4+, e contra 24.~xb7, 24 ...~e2 25.Ji.g2
brancas obviamente subestimaram essa resposta)
~!!.
21.~e4
Revela-se que também é ruim 21.l!fxg4 ~xd3,
24... ~xe4+ 25. 'i!Vg2 ãb3, e em vista do inevitá-
vel ... ~h2 mate, as brancas abandonaram. A verda-
assim como 21.~h7+ ~h7 22.l!fxg4 !!d2, ou
deira "imortal" de Rubinstein!
21.~ ãxd3! 22.'i!:Vxd3 ~e4 23.l!fxe4 l!fh4
24.h3 l!fg3 25.hxg4 l!i'h4 mate.
Não sem motivos Réti afirmou que Rubinstein
22 ...l!i'b4 22.g3
criava os exemplos mais completos de arte enxadrís-

156
Emanuel Segundo

tica em toda o período pós Steinitz: "As partidas do ção: para maior comodidade as cores das peças
próprio Steinitz, o criador da teoria, não são os foram invertidas) 19...'ii'b6 20.'i!i'g4 i l 21.~cl
melhores exemplos de sua correção. Uma geração Akiba ainda demorou um bocado para realizar seu
inteira de mestres extraiu dessa teoria tudo o que é de peão de vantagem.
valor prático. Rubinstein foi a figura central dessa 10...cS
geração, e suas partidas são a mais perfeita personifi- Merece ser testado 10... l;:)e4!?. Na partida
cação dos ensinamentos de Steinitz". Rubinstein-Znosko-Borovsky (São Petersburgo
1909) seguiu ll.h4! f5 12.Wbl c5 (é pior 12...h6
13 ..ixe7 'flxe7 14.l;:)xe4 dxe4 15.l!fxc7 ~5
Partida60 16.~!) 13.dxc5 bxc5? (13 ... l;:)dxc5? 14.l;:)xd5!,
A.Rubinstein-R.Teichmann mas após 13 ...&8! 14.cxb6 ~xb6 15.l;:)d4 a vanta-
Match, Viena, 1908, 4ª partida gem das brancas não é grande) 14:tlxe4! (com o
Gambito da Dama D61 tema da famosa partida Steinitz-Anderssen, Viena
1873) 14... fxe4 15 ..ixe4! dxe4 16.1Wh3+ <;t:h8
17.'fHxb7 exf3 18.1lxd7 l!Ve8 19.1lxe7 l!Vg6+
t.d4 d5 2.c4 e6 3.l;:)c3 l;:)n, 4..tgs ~bd7 5.e3 20.Wal &b8 21.'ife4 'ifxe4 22.1lxe4 e as brancas
Ae7 6.l;:)f3 0-0 7.t!fc2!? (uma das primeiras tenta- venceram.
tivas com o formidável "Ataque Rubinstein") 7... b6 ll.h4! c4?!
É mais decidido 7... c5!, como foi jogado mais Novidade duvidosa. Em Caclsbad (1907)
tarde no match Lasker-Capablanca (jJartida 90, vf) Teichmann perdeu após 11...&8 12.Wbl &8
8.cxdS exdS 9..td3 .i.b7 10.~ (como vimos, não iguala 12 ... cxd4 13.l;:)xd4)
Alekbine contra Yates (Hamburgo 1910) preferiu 13.dxc5! ~xc5?! (13 .. /L}xc5? 14.M5 l;:)cd7
10.h4!? (prevenindo 10...lâi4) 10...c5 11.0-0--0 15 ..ixf6) 14.l;:)d4 lài4?! (14 ... a6!) 15 ..ixe4 dxe4
cxd4 12.l;:)xd4 &8 13.<~bl a6 14.g4! b5 15 ..ixf6! 16.l;:)db5! ~6 17.'i!fa4 .ixb5 18.l;:)xb5 .ixg5
~f6 16.g5 lâi4 17.l;:)xe4 dxe4 18 ..ixe4 .ixe4 19.hxg5 &7 (19...l!Vxg5 20.l;:)d6 &7 21.'flxa7)
19.t!fxe4 20.W-4 (na minha opinião 20.~a7!? 'ifc7 21.~b5
'i!fc6 22.l!cl6! 'ifxb5 23.'iWa8+ l2:)f8 24.~8 com
vantagem, é mais no espírito) 20 ... t!fa8 (ou
20 ...1lxg5 21.&dl 'ife8 22.~7 b5 23.'i!fxa7)
2 l.b4! &8! (21...1lxg5 22.&1!) 22.l;:)d6 b5??
(22 ... ~8) 23.~c8! 1--0.
No entanto, obviamente é melhor 13 ... bxc5!.
Aqui, na opinião de Razuvaev "as brancas tem uma
forma interessante de desenvolver a iniciativa:
14..ixf6! ~f6 15.,tlg5 h6 (contra 15 ... g6 é muito
forte 16.~5 ~f8 17.h5 com ataque - mas na minha
opinião, após 17. .. Wlb6 a situação não é clara - G.K)
16.J:!f8, e agora tanto 17.~ quanto l 7.e4 dá van-
Diagrama de análise tagem às brancas". No entanto, contra l 7.e4 serve o
simples 17...g6!, e se 17..i.c4!, então também 17.g6
Aqui Yates mordeu a isca com 19....ixg5? e após
e na variante 18.i.t}ge4 ~xe4 19.~d5 ~t2
20.~! t!fe7 21.hxg5 h6 (21...g6 22.1lxh7! com
20."i!fxt2 Wg7 21.~f6 .ixf6 22.1lxd8 &xd8 as
vantagem) 22.gxh6 t!fxe6 23.'ifd4 'i!fe4+ 24.'i!i'xe4
pretas tem compensação razoável pela dama.
1lxe4 25.hxg7 ~g7 26.2:!dgl+ çtf6 27.!fu6+ We7
12.At'S !!e8 (com intenção de ... ~f8) 13..i.xffi!
28.~cl &7 29.&c6! e logo baixou as armas.
l;:)xn, 14.g4 lul6 15.g5 ~4 16.h5!
O mais surpreendente é que três anos antes disso
O jogo de Rubinstein, como sempre, é consisten-
a posição do diagrama, mas com a torre de a8 em c8,
te e lógico: no presente caso pensa somente no ata-
ocorreu com cores invertidas (1) na partida Duz-
que! Desnecessário para as brancas é 16.~xe4 dxe4
Khotimirsky-Rubinstein (Lodz 1907) e após (ateo-
17.00 c3! 18.l;:)xe4 cxb2+ 19.~b2 (19.Wbl

157
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

~ ) 19...~b4 20.0 V!id5 21.1ixh7+ Wh8.


16... \!9e7 (contra 16...êz:::lxg5?! 17.êz:::lxg5 \!9xg5
Tarrasch mostrou 18.~xh7+ Wf8 19.h6! gxh6
20.r!dgl) 17.l'!dgl a6?
Talvez o erro decisivo: o contra-ataque chega
tarde. Era essencial l 7... g6 (mas não 17... l2lxt2?!
18.°ifxt2 \!9xe3+ 19.\!9xe3 ~e3 20.r!fl) 18.hxg6
hxg6. Agora, conforme análise de Razuvaev, é preci-
so calcular duas combinações perigosas:
1) 19.~e4 dxe4 20.l'àl2 &c8 21.mi4, "e é
dificil para as pretas se defenderem", sim, dificil, mas
após 21...Wg7! ainda totalmente possível;
2) 19.1ixg6!? fxg6 20.mi6 Wg7 (? - G. K.)
21.êz:::lh4 "com forte ataque", a meu ver simplesmen- 21 ... f6
te decisivo: 21 .. llli8 22.êz:::lxg6 \!9d7 23.êz:::ixh8 ~h8 "Contra 21...exf3 seguiria 22.gxf7+ \!9xf7
24.f3 com vantagem. Mas após 20 ...\!9g7! 21.êz:::lh4 (22 ...'i!?xf7 23.\!9g6+ Wg8 24.hxg7) 23.hxg7! com
r!e6 22.êz:::lxe4 dxe4 23.êz:::lf"5! gxf5 24.~e6 ~e7 a dupla ameaça ID18 mate e \!9h7 mate" (Euwe).
25.\!9xc4 Wf8 26.'i!fb5 as brancas ainda precisam Muito mais interessante é 21 ... fxg6, por exemplo:
trabalhar. 1) 22.~g6? exf3 23.\!9xc4+ (é pior ainda
23.~g7+?! Wlxg7 24.hxg7 ~e4! 25.\!9xc4+ <tlxg7
26.!=!.gl+ Wf6) 23 ...'i!?h7 24.~g7+ Wh8 25.r!xe7
~e7 com perigoso contra-ataque;
2) 22.h7+ Wf7 (22 ...Wh8?! 23.êz:::lh4 vencendo)
23.êi:lh4! (após 23.êz:::lg5+ ~6 o ataque entra em um
beco sem saída) 23 ...g5 24.êz:::lf"5 V!if6 (ou 24 ...\!9e6
25.gxg5 g6 26.êz:::lh6+ vencendo) 25.~g5 \!9xg5
26.êz:::lxd6+ We7 27.êz:::lxe8 ~e8 28.\!9xc4 Wd6
29.°ifg8 com vantagem decisiva;
3) 22.êz:::lM!? (recomendação de Razuvaev, com o
sinal verde do computador) 22...g5 23.êz:::ig6 'ili'f6
24.h7+ ~ 25.h8'i!i' ~h8 26.êz:::lxh8+@IB 27.~
vencendo.
18.ii.xh7+!! 22.bxg7! ext3
"Como um raio em céu sem nuvens! Uma com- ''Não é possível 22 ...\!9e6 devido a 23.mi8+
binação assim não pode ser calculada até o fim, e 'i!?xg7 24.~7+ Wf8 25.~b7 exf3 26.g7+ Wg8
essa é a maior dificuldade em tomar decisões em 27.\!9h7+ e mate em dois lances" (Euwe). Devo
situações similares." (Razuvaev) acrescentar que contra 24 ... Wg8 resolve tanto
18...'i!?xh719.g6+ 'i!?gS 25.~b7 exf3 26.~l f5 27.g7 ~7 28.~b6!
Contra 19 .. .fxg6? Tarrasch sugere 20.êz:::lxe4 'i!fxb6 (28 ...°iff7 29.~h6) 29.'i!fxf5 com vantagem,
dxe4 21.êz:::lg5+ Wh6 (21...Wg8 22.\!9xc4+) quanto 25.~1 f5 26.êz:::lg5! V!id5 27.~b7 (ou
22.hxg6+ ~xg6 23.êz:::lxe4+ <Bf7 24.\!9xc4+, mas 27.êi:lf7!? ii.f8 28.f4!! exf3 29.'i!i'b2 t2 30.l::ni8+
devo acrescentar 22.êz:::lf7+! e mate. Wg7 31.\!9h6+ Wf6 32.g7+ 'i.!?e7 33.g8êz:::l+ 'i!?d7
20.~e4 dxe4 21.h6!! 34.êz::lf6+ Wc6 35_gxf8 ge6 36.a4!? r!xf8
"O prego do ataque! As pretas não podem impe- 37.êz::le5+) 27 ...'i!i'xb7 28.'i!ie2! 'i!id5 (28 ... 'i!fc7
dir a abertura das colunas g e h, após o que as torres 29..mt7 vencendo) 29.'ii'h5 ég7 30.\!9h6+ Wf6
brancas decidem a questão com rapidez. Já ameaça 3 l.êz:::lh7+ ~7 32.'i!ig7+ Wd8 33.êz:::lf"6 ii.f8 34.!lli8
22.gxf7+ e gxg7+". (Euwe). Esse quadro impressio- \!9d6 35.'i!if7 V!ie7 36.1Wxe8+ 'i!fxe8 37.êz:::lxe8
nante é o ápice de toda partida. WXe8 38.g7 e as brancas vencem.
23.!Ilt8+ Wxg7 24.&7+ Wg8 25.'i!ffS! (o ulti-

158
Emanuel Segundo

mo golpe: as brancas tem um mar de ameaças, a muito claras e até mesmo duvidosas era um traço
começar por \!8h5) 25...c3 (desespero) 26.Ibce7, e típico de Lasker!
as pretas abandonam.
Causou forte impressão no mundo do xadrez o
desempenho de Rubinstein no Memorial Chigorin,
torneio internacional realizado em São Petersbwgo
1909. Iniciou o torneio com quatro vitórias sucessi-
vas e dentre os derrotados estava o próprio campeão
mundial. E com que estilo foi superado!

Partida 61
ARubinstein-Em.Lasker
São Petersbwgo, 1909, 3ª rodada
Gambito da Dama D32

7... ~6?!
"Uma imprecisão que leva a dificuldades. É cor-
l.d4 d5 2.~f3 ~ffi 3.c4 e6 4.Ags!?
Contra 4.lz)c3, Lasker jogava tanto 4 ...ii.e7 reto 7 ...ii.e7 8.e3 0-0 e as pretas não tem pontos
fracos." (Lasker) :Mas como demonstra a prática do
quanto 4 ...c5 (partidas 41 e 42, vf). ''Rubinstein, que
fez do Gambito da Dama objeto de estudo especial, século XX, após 9 ie2 ou 9 ..i.d3 ainda é preciso
estava convencido que a Defesa Ortodoxa era insa- lutar pela igualdade.
tisfatória para as pretas, e de forma muito inteligente 8.e3
levou a partida para uma posição similar a esta defe- Aqui contra 8.e4 é bastante bom 8... .i.c5!
sa." (Tarrasch) 9.~c6 bxc6 10.exd5 0-0!. Segundo Tarrasch é
4...c5?! perigoso 8..i.xf6!? 'i!fxf6 9.fcdb5 (ltixd5?? 'i!fxd4
O campeão evita o Ataque Rubinstein - 4....i.e7 com vantagem) 9....i.M "com vantagem das pretas",
5.li.)c:3 li:)bd7 6.e3 0-0 7.W!ic2, com o qual seu mas após 10.li:lc7+ 'it>f8 11.~d5 as brancas sim-
adversário massacrara Znosko-Borovsky na primeira plesmente tem um peão a mais. Como no entanto
rodada e um ano antes Teichmann (partida 60, vf). também ocorre, após 9...'i!fe5 10.~d5 .i.1,4+
Mas agora as pretas não alcançam a posição mais 11.ltixb4 'i!fxb5 12.ltixc6 'i!fxc6 13.&1 'i!fb6
vantajosa de peão isolado. 14.'i!fa4+ ..td7 15.'i!fa3!
5.cxd5 exd5 6.li:)cJ cxd4 8... .i.e7 (no caso de 8.. ib4 9.&1 ou 9ib5,
Sem se envolver nas discussões sobre a variante com uma cravada desagradável do cavalo f6) 9..i.b5!
6 ....i.e7 7.dxc5! .i.e6 suscitadas um ano antes por .i.d7 1O..i.xf6
Marshall contra Salwe e Rubinstein. Contra o lance "O ganho do peão é apenas temporário. É mais
de simultânea 6...c4?! há tanto 7 ..i.xf6! quanto sólido 10.0-0, após o que o peão d da mesma forma
7.e4!?. Após 6... ê2Jc6 também é necessário conside- deverá ser perdido." (Lasker)
rar 7..i.xf6. Finalmente, contra 6 ....i.e6, que ocorreu 10....i.xffi 11.ltixdS .i.xd4
na partida MbDonnell-La Bourdonoais (Londres Não dá compensação pelo peão 11...ii.e5?!
1834), o próprio Lasker jogou com sucesso 7.e3, ou 12.0-0 0-0 13 ..i.xc6 bxc6 14.li:lc3 ~8 15.'i!fd2
como jogado mais tarde por Aleldúne 7.e4!? 'i!fc7 16.ltifJ i l 17.&cl etc.
7.lLlxd4 12.exd4 'i!fg5! (única forma de criar algum con-
A ideia de Lilienthal 7..i.xf6!? gxf6 8.W!fxd4 trajogo) 13..i.xc6
.i.e6 9.e4 -tJc6 10..i.b5 dxe4 1l.'i!fxe4 é interessan- Naturalmente não 13.li:lc7+? Wd8 14.~a8
te. É verdade, aqui é preciso considerar o agudo t!fxb5.
7...'i!fxf6 8.~d5 'i!fd8 9.'i!fxd4 li:lc6 e ....i.e6, no 13•••.i.xc6 14.ltie3
espírito do Gambito Schara-Henning. A atração do Promete menos 14.'i!fe2+ (14.ltic7+? Wd7
adversário para posições sinúlares, ricas, porém não 15.ltixa8 ~8+) 14...~7 15.ltie3 .i.xg2 16.2:!gl

159
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

'i!la5+ 17.'t!fd2 'i!fxd2+ 18.Wxd2 ii.e4 com igualda- devem superar dificuldades técnicas consideráveis".
de (19 ..lâxg7 .ig6). Mesmo assim, do ponto de vista do xadrez moderno,
14...0-0-0?! sua posição é ganha de forma objetiva! E até mesmo
Depois Lasker sugeriu 14...~g2 15.l!gl (mas na óbvia variante secundária 20.f4? ~6 21.'i!9xe6
não 15.itlxg2? °i!fxg2 16.'i!9e2+ ~d8 17.0--0-0 l!fxg2+ 22.'it>xg2 fxe6, na qual segundo Razuvaev
't!fg6 com jogo excelente: 18.°i!fd3 &8+ 19.Wbl "as pretas tem boas chances de empate", alcançar
lãe8 etc.) 15 ... 'i!fa5+ 16.°ifd2 't!fxd2+ 17.Wxd2 isso após 23.lãdl não é tarefa fácil.
~e4, mas Bershtein assinalou que através de 19.fxe3 l!d7 (19...lãd6 20.ãxt7 etc.) 20.'t!fxc6+
18.lãg4! (18.gxg7 .ig6) 18...~6 19.f4 as brancas 'it>d8
mantém alguma vantagem (da minha parte, acrescen- Se agora as brancas vacilarem, seu peão a mais
to 19...~8 20.f5 ~ 21.I!h4 Ji.f3 22.l!gl). não desempenhará qualquer papel. Afinal, seu rei
15.0--0 ghe8 também está exposto.
Com a ameaça óbvia ...ãxe3.

21.lãr4!!
''Uma concepção magnífica. As brancas amea-
16.l!cl!!
Concordo com Lasker: uma sutileza incomum! çam decidir a partida com um ataque direto ao rei -
Ameaça &5 e d4-d5. 22.ii'a8+ e ~+ ou lãc4+. Para evitar isso, as pre-
16...l!xe3 tas necessariamente devem admitir a troca das
"Também após 16 ... Wb8 l 7.l!c5 (é passivo damas, com um final perdido." (Lasker)
17.Wfd2 ffe4! 18.licdl, mas não /8.d5? ffxd5 - 21.fS
"Se 21...'i!9a5, então 22.°i!fa8+ ~7 (22 .. /J;;c7
G.K) 17...'i!9f4 18.d5 l!xe3 19.ii'cl! &4 20.dxc6
bxc6 21.°i!fc3 as pretas estariam mal." (Lasker) Mas 23.lãc4+) 23.~+! ~6 24.°i!fc6+ 'it>g5 25.h4+"
(Lasker). E contra 21.. .l!dl+ Tarrasch deu 22.éf2
parece-me melhor 17 ... 't!fxc5! 18.dxc5 lãxdl
2&12+ 23.Wel 'i!fxg2 23.lãd4+ We7 25.'t!fg6+ com
19.lãxdl a5 com esperanças de salvação no final.
mate; devo acrescentar 23 ..."i!fa5 24.&4 lãd6+
17.âxc6+ bxc6 18.'i!lcl!!
"É aqui onde mora a coruja! As pretas evidente- 25.lãxa5 l!xc6 26.l!xa7 com vantagem. No entanto,
mente calcularam somente 18.fxe3? 'i!fxe3+ ao invés de 22 ...!!d2+?, na minha opinião é melhor
19.Whl .l:!xd4, que lhes é vantajoso." (farrasch) É 22 ..."i!fa5! 23."i!fa8+ ~7 24.l!xf7+ Wxf7 25.°i!ff3+
engraçado que Rubinstein também tenha derrotado We8 26.'t!fxdl 'i!fxa2 27.°i!fh5, com vantagem das
Capablanca (partida 64, v1) com um lance similar de brancas, mas as pretas evitam um desastre imediato.
dama. 22.°i!fc5! (ameaça "i!ff8+) 22...°i!fe7
18...!!xd4 Única defesa. Contra 22 ...lãdl+ (22 ... iff6
Segundo Lasker, é mais tenaz 18 .. .!!e5 23.lãd4) 23.Wf2 lãd2+ 24.Wel 'f!i'xg2 segue
19.°i!fxc6+ (não 19.f4?! lãc5!) 19... Wb8 20.dxe5 25.'i!fa5+ e 'i!i'xd2.
(não 20.f4?! l!e6) 20 ... "i!fxe5. Ao acrescentar 23.l!Hxe7+ WXe7 (ou 23 ...l!xe7 24.lãxf5 ãxe3
21.lãcl Razuvaev escreve que "as brancas ainda 25.lãf7 com vantagem) 24.l!xfS lãdl+ 25.~!

160
Emanuel Segundo

Após 25.fill ?! l:!d2 26.m,l (Kmoch) 26 ... ~ uma hora e meia para 23 lances, seguido de uma hora
(Dvoretsky) as pretas manteriam chances de empate. para 15 laoces). As brancas não tem pressa em entrar
25...ãdl+ 26.00 gxb2 27.l:!as! gb7 2~6! na variante forçada 37.Wg6 ~ (37 ...I!b5 38.&6;
O local ideal para a torre! As brancas criam um 37... WfS 381&18+ We7 39.ãg8) 38.<i!?xg7 !!xg4+
final de torres de literatura, um daqueles finais mag- 39.<i!?xh6 &4 40.&6 !!xe5 41.Wg6 com vantagem
níficos que fez surgir um dos famosos aforismos de decisiva.
Tartakower: "Rubinstein é o final de torres de uma 37 ... <M'! 38.~6 Wf8 39,gc6!?
partida de xadrez íniciada pelos deuses há mil anos". Lasker também examinou 39.i!d8+ rJ;;;f7 (contra
28...'it>fS 29.e4 gc7 30.b4! 39 ... <tie7 as brancas ganham com 40.&8 Wf7 4 l .a4
''Não somente prepara maior atividade da torre, ou 40.ãg8 Wf7 41.&8 We7 42.a4 i!d7 43.Ê{g8
como também previne possível contrajogo decor-
Wf7 44.e6+!) 40.e6+ We7 41.i!d7+ (mas não
41.lãg8 lãbs+ 42.Wg6 lãg5+ 43.Wh7 lãxg4
rente de ...&2". (Levenfish, Smyslov)
44.lãxg7+ lãxg7+ 45.W>eg7 <i!?xe6 46.'i!?xh6 Wf6
30...wt'7 31.g4 'it>f8 32.ç&t'4 We7 33.hS!
empate).
Com a intenção óbvia de abrir caminho para o
39 ... 00 40.a3 1-0
rei. Tttaodo a casa da torre. As pretas abandonaram,
estão em Zf1!,Z?U111g. 40 ...&7 41.e6+ 'i!?g8 42.c.!ig6
&8 43.e7! @h.8 44.i!d6 e i!d8; 40...WfS 41.Wg6
m,3 42.lãc8+ <tie7 43.lãc7+ We6 44.lãxg7;
40 ... @e7 41.Wg6 @d7 (41...~ 42.lãc8+)
42.i!d6+ We8 43.<;!ih7 $>f8 44.i!d8+ Wf7 45.lãg8 e
lãxg7 vencendo.
Uma partida histórica, sem dúvida. Mas vejamos
o que o grande Akiba realizou em seguida. Na nona
rodada, com sete pontos em oito possíveis, ele per-
deu de forma inesperada para o mestre russo Dus-
Khotimirsky (que também derrotou Lasker na déci-
ma sexta rodada!) e, como se nada tivesse aconteci-
do, íniciou nova arrancada.

33... h6
Criando uma abertura via g6. Se 33.J~b7, então
34.g5 &7 35.e5 m,7 36.<i!?t3 "ík,7 37.g6! h6 38.a4 Partida 62
I!b7 39.~+! s!i'd7 (39...Wf'S 40.&6 s!i1e7 41.&8) E.Cohn-A.Rubinstein
40.gf6 We8 41.lli7! !!xf7+ 42.gxf7+ W>ef7 43.e6+ São Petersbw:go, 1909, 10" rodada
<tie7 44.We5 com vantagem decisiva.
O resultado é mais ou menos o mesmo após
33.h5 'i!;d8 34.e5 <tie8 35.g5 &4+ 36.MS &7
37.g6 h6 38.~+! ou 33 ...00 34.~5 (também é
possível 34.h6 gxh6 35.!!xh6 rj;;g7 36.&6 Wf7
37.W5 &7 38.e5 m,7 36.&6 seguido de a4-a5-
a6 com vantagem) 34 ... <tie7 35.g5 rJ;;;f7 36.e5 We7
37.g6 h6 38.~+! Wf8 (38 ... Wd7 39_gfl5! We8
40.lli7 etc.) 39.i!d6 We7 40.&6 Wd7 (40 ...m,7
41 J!c6 i!d7 42.&8 e !!g8) 4 l .fil6! (Lissitzin).
34.wt'S Wf7 35.eS gb7 36,gd6 rj;;e7
Também é sem esperanças 36 ...&7 37.i!d7+!
!!xd7 38.e6+ We7 39.exd7 W><d7 40.Wg6 e, como
vimos, 36 ... Wffi.
37.&6
Lance do controle de tempo (o regulamento
determinava duas horas e meia para 37 laoces, depois

161
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

24.ãcl? 35.e4
Naturalmente seria preciso jogar 24.f4 (obstruin- Contra 35.fxg4, segundo Averbakh, era mais
do a manobra ...ID14) 24 ... b5 25.'i!i>d3 com boas simples 35 ... fxg4! 36.Wgl e4, depois 37 ...h4 e
chances de empate. "Cohn, no entanto pensou que o 38... g3!. Na variante 35 ...hxg4 36.Wgl f4 37.exf4
final de peões era a forma mais simples de chegar a exf4 38.Whl a recomendação de Maizelis de
esse resultado". (Levenfish, Smyslov)
38... g3? (com ideia de 39.hxg3? fxg3 40.f3 g2+
24.. Jlxcl 25.WXcl <i!i>f6!
O notável mestre dos finais iniàa um ataque ao
41.Wgl Wg3 42.f4 WXf4 43.WXg2 We3 vencendo)
peão h2 que se revela decisivo. ''.Apesar dos meios leva ao empate após 39.fxg3! fxg3 40.hxg3 WXg3
exíguos, a realização de um ataque de modo brilhan- 41.'i!;gl! 'iàt>f3 42.Wfl <it>e3 43.'i!;el Wd3 44.Wdl
te." (Lasker) 'i!;c3 45.a4!.
26.©dl 'it>g5 27.ci!i>el Não obstante, os GM Mestel e Speelman desco-
O contra-ataque na ala da dama é tardio: após briram um ganho sesse caso - 38 ... f3! ao invés de
23.Wd3 @h.4 28.Wc:4 Wh3 as pretas conseguem 38... g3?: 39.'i!?gl <;;tih4, por exemplo: 40.Whl Wg5
tomar o peão h2 e levar à promoção o peão h7. Aqui 41.h3 gxh3 42.@h.2 <it>g4 43.'i!;gl Wf4 44.Wh2
apenas é importante que em resposta a Wc7 jogue We4 45.'i.t>xh3 (45.Wg3 h2!) 45 ...Wd3 46.Wg4
...b7-b5." (Averbakh, Maizelis) We2 47.Wg3 a6! ou 40.Wfl Wh5! 41.Wel Wg5
27...Wh4 28.Wfl Wh3 29.~1 42.Wfl (42.'i!?cl2 'i:t>h4) 42 ...Wf4 43.Wel We4
"O rei branco está preso à defesa do peão h2. Ele
44.Wcl2 Wd4 45.Wc2 Wc4 46.Wd2 Wb3 47.we3
se vê impotente contra o iminente ataque dos oeões
WXa3 48.Wf4 WXb4 49.WXg4 a5 vencendo.
pretos na ala do rei." (Levenfish, Smyslov)
29... e5 30.<i!i>hl 35... fxe4! 36.fxe4 (ou 36.fxg4 hxg4 37.Wgl e3
Também é ruim 30.f4? exf4 3 l.exf4 Wg4 e 38.fxe3 e4 39.Whl g3) 36... h4 37.Wgl g3 38.hxg3
ganham, ou 30.e4 g5 31.Whl h5 32.Wgl h4 hxg3, e as brancas abandonaram: 39.fxg3 'i:t>xg3 etc.
33.Whl g4 34.fxg4 'i!i>xg4 35.Wgi h3+ 36.Wfl O mesmo procedimento foi utilizado no final de
'iàt>f3
vencendo, mas na opinião dos analistas seria peões que surgiu na partida Sveshnikov-Kasparov
mais resistente 30.a4! b6 3 l.b5, contra o qual é ven- (47º Campeonato da URSS, Minsk 1979), com a dife-
cedor 31...f5! 32.Whl g5 33.Wgl h5 34.Whl h4 rença de que o rei de Akiba pela terceira fileira a par-
35.Wgl e4 36.fxe4 fxe4 37.Whl (37.f3 exf3 38.e4 tir de h3 e o meu de a3.
g4 39.e5 g3 vencendo) 37... Wg4 38.Wg2 h3+ Na déàma terceira rodada Rubinstein também
39.Wgl $)f3 40.Wfl g4. arrasou completamente Schlechter, o então desafian-
30... b5 (as pretas ganham mais um tempo, a7- te ao trono, e de acordo com Lasker "jogou com
a6, que poderá vir a ser útil) 31.'it>gl f3 32.<i!i>hl g5 uma força excepcional, e em dados momentos, com
33.'it>gl h5 34.<i!i>hl g4
muita sutileza". Sobre o complicado final de torres a
Não parece que estamos à frente de um estudo?
seguir, que foi publicado em revistas de todo o
mundo, o campeão disse: ''.A arte com que
Rubinstein conduziu este final é superior a qualquer
elogio".

Partida 63
R.Spielmann-A.Rubinstein
São Petersburgo, 1909, 11' rodada

162
Emanuel Segundo

enfrentam problemas dificeis: a ameaça ...l::!d4 e con-


tra 46.l::!d3 é possível 46 ... f6 e ... <tif5-e5
(Dvoretsky).
43...<tie6 44.00?!
Dvoretsky encontrou o modo correto de realizar
a ideia de Lasker de "manter o rei preto longe":
44.l::!e3+! com excelentes chances de empate:
44 ... <tid7 (44...<tid5 45.l::!e7) 45.l::!f3!? f6 46.d5
l::!d4 47.l::!b3 ou 45.~ 'i!?c6 46.&3+! ~d5
47.&7 ~a3+ 48.Wg2 @e6 49.d5+ <tif6 50.~7
&6 5l.h4.
44...'i!?dS 45.'ittel?!
Vale a pena pensar em45.h4 (45 ...~d4 46.~3
Para empatar basta às brancas entregarem seus com igualdade), que teria bloqueado os peões dobm-
peões fracos de a3 e d4 pelo peão de d6. Mas de dos e restringido a atividade das pretas na outm ala"
bma surpreendente elas não serão capazes de fazer (Levenfish, Smyslov).
isso!
40...&8!
''É possível ganhar um peão através de 40 ...!!l,3
41.&2 ~ . mas então após 42.a4! ~d4 43.a5
lk4 44.a6 &8 45.a7 &8 46.©g3 e ~-e3-d4
Dão há como se falar em vitória das pretas. Se elas
tentarem capturar o peão de a7, então perdem o final
de peões." (Levenfish, Smyslov)
41.lkJ
Uma escolha difkil. "Como regra deve-se procu-
rar posicionar a torre por trás do peão passado",
escreve Spielmann No entanto, isto é vantajoso se o
peão já chegou à metade do tabuleiro ou já a tenha
cruzado: então, a torre atrás do peão tem espaço para 45...gS!
manobrar. Mas aqui 41.&2 teria paralisado comple- "Evitando uma armadilha astuta: se 45 ...I!xd4,
tamente o jogo das brancas após 41...&4! 42.©g3 então 46.~3! e somente as brancas podem vencer"
'ite7! (mas não 42 ...~d4 43.a4 &4 44.a5 &7 (Averbakh). "O peão passado a não permite às pre-
45.a6 &7 46.cj.)f4 <tie7 47.'ite4 @e6 48.<tid4 com tas trocar as torres". (Spielmann)
igualdade) 43.~ <tJe6 44.~ d5+ 45.W <tif5 e 46Jlb3 ffi!
as pretas ganham''. Contra 46 ... Wxd4 (46 ... I!xd4? 47.~3!)
Avaliação discutível. É mais precisa a indicação Spielmann sugere 47.l::!b7, Averbakh acrescenta
de Levenfish e Smyslov 45.W ! <tid6 46.@c3 <tJc6 47 ... f6 (47 ...~a3? 48.I!xf7 ~h3 49.~g7 com
47.<ticl3 <tib5 48.2:!b2+ com igualdade. É provável igualdade) 48.I!xg7 ~a3 49.h4 gxh4 50.lãg4+
que contra 45 ...$>[5 as brancas tivessem em vista @c3 51.~b4 "com boas chances de empate",
46.<tic3 <tif4 (46...~ 47..E!e2+! com ideia de .E!e7 Levendish e Smyslov prosseguem com 51...&2+ e
Dvoretsky) 47.$>b3! ~b4 48.a4 2&13+ 49.$>b4 escrevem: "Também sesse caso, a defesa das brancas
~h3 50.a5 We4 51.a6 &8 52.<tic5 d4 53.a7 &8 envolve grandes dificuldades". Por isso merece estu-
54.<tib6 com igualdade. do 47.lãg)!? (ameaçando lãg4+) 47 ...&5 48.a4
41 ...ã&4 42Jld3 'lle7 43.'i!tgJ (Dvoretsky) ou 47.l::!f'3!? &7 (47 ... f6 48.h4!)
"Naturalmente seria essencial 43.d5, que mante- 48.~+.
ria o rei longe: contra 43 ...<tif6 há 44.~+, e contra 47.'i!?e.3
43 ... f5? 44Jãe3+ e .E1e6" (Lasker). No entanto, após Agora após 47.i!b7? ~a3 48.I!xg7 I!xg3 (tam-
43 ... g5! 44.Wg3 ~ 45.l::!f3+ Wg6 as brancas

163
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

bém é decisivo 48 ...Wxd4) "da mesma forma, o 59.&l+ Wb4 60.Wd4 com igualdade) 59.Wd4
peão d não tem defesa" (Spielmann), e se 49.lli'? (ou (59.ãb7? ãc4 60.ãxg7 <i.t>b5) 59...&2 60.ãb7
g6), então 49 ...~ vencendo. ~t2 61.ãxg7 com chances de empate (Levenfish,
47...<i.t>c4! (de novo: 47...ãxd4? 48.ãd3) Smyslov).
48.i!d3 (48 ..E!l,7? ãxa3 49.@e4 d5+ 50.'i!?f5 ãxh3 E realmente, embora a posição após 61...ãd2+!
51.ãxg7 ãf3+ Dvoretsky) 48...dS 49.<i.t>d2 &8 62.©c5 Wb3 63.lli'? d4 64.i!xf6 Wc3 pareça peri-
A torre vai da defesa para o ataque. "O plano das gosa para as brancas, não consegui encontrar um
pretas se torna claro: as brancas caem em zugzwang" ganho após 65.&6! d3 66.&3+ Wb2 67.Wb4 !'!dl
(Levenfish, Smyslov). 68.ãc3 com igualdade. Ou 65 ...Wd3 66.@d5 <i.t>e3
50.<i.t>c2 (50.<i.t>e3? .E!l,8 51.Wd2 ãb2+) 67.ãe6+ Wf4 68.lli6+ Wg3 69.2¾6 com igualdade
50... &7! 51.Wd2 &7! (Dvoretsky).
"Como resultado de todas essas manobras, as 56... d4+! 57.$Jd2 ilfS! 58.'i!.>el
brancas são forçadas a entregar um dos seus peões Se 58.a5, então 58 ...ãxt2+ 59.@el ãb2 (não
sem qualquer compensação" (Spielmann). 59 .. Jâh2? 60.&4+ Wb5 61.a6!) 60.a6 ãb8 61.a7
52.âcJ+! &8 62.Wd2 Wc5 63.00 @b6 64.Wxd4 ãxa7,
É ruim tanto 52.Wc2 &2+ 53.ãd2 ãxd2+ vencendo (Spielmann). É verdade, mas seria mais
54.WXd2 Wb3! vencendo, como 52.&3 .E!l,7! tenaz 64.ID>l+ ~a7 65.Wxd4 (K Muller)
53Jàd3 ãb2+ (Lasker} ou 52 ... ãxe3! 53.fxe3 65 ... Z!b8! etc.
(53.WXe3 Wb3) 53 ... f5! 54.~2 g6 (Zf1gZJV11ng} 58•••Wb4 59.<i.t>e2 <.tias!
55.Wd2 (55.Wl,2 g4) 55 ...Wb3 com vantagem deci- "O rei bloqueia o peão passado e a torre começa
siva (Dvoretsky). a eliminar os peões brancos. Perderia a vantagem
52...<i.t>xd4 53.a4! &7 54.&3 &s! 59 ...&5? 60.Wd3 !!.xa4 6l.ãxa4+ <i.t>xa4
"O final de torres ainda é desvantajoso para as 62.WXd4" (Levenfish, Smyslov}.
pretas. Por isso elas bloqueiam o peão, para se libera- 60.&3 (60.ID>l Wxa4 61.!!b7 g6! vencendo,
rem para fortalecer a posição" (Levenfish, Smyslov). Dvoretsky) 60... ilf4 61.&2
55.ilal Wc4 Também não é melhor 61.Wfl ãh4 62.Wg2
"Plano temático: as pretas transferem o rei para 'it'b4! 63.!!al d3 64.a5 d2 65 .a6 ãh8 66.a7
a5 e a torre fica livre para atacar os peões fracos do (66.Wfl 'it'c3) 66 ...&8 67.WO ãxa7 vencendo.
adversário" (Averbakh). (Spielmann)
61..Jlh4 62.Wd3 (62.&3 Wb4) 62...ãxh3+
63.'i!i>xd4 llh4+ 64.WdJ (64.@e3 ãxa4 65.Xkl2
Wb6! 66.!!d7 &7 vencendo - Dvoretsky)
64...i!xa4 65.&2 ãf4!
Naturalmente não 65 ... Wb6? 66.ãe6+! Wc5
67.ãe7. Aqui já era possível abandonar, mas
Spielmann deve ter se lembrado de que nunca é tarde
para abandonar.
66.'i!le3 'i!?b6 67.!!.c2 'í!>b7! (parando &8-g8 e
, lanejando ~-a6-c6) 68.2'.kl &4 69.l'!hl Wc6
70.ãh7 &7 71.©e4 Wd6 72.©f'S (apressando o
fim) 72... g6+! 73.WXg6 i!xh7 74.WXh7 ©e5
75.'i!.>g6 g4, e as brancas abandonaram.
Este é um final de torres clássico, eterno! Como
56.We3?
também o são o final da partida com Lasker (.partida
Spielmann não comenta esse momento, mas os
61, v1), a sua escapada milagrosa contra Tarrasch
analistas dos nossos dias mostram a defesa correta -
(San Sebastian 1911), e suas vitórias precisas sobre
lançar um contra-ataque através de 56~1+! Wb4
Alekhine (Carlsbad 1911) e Schlechter (San Sebastian
57 ..E!l,1+! Wxa4 (57 ... WaJ 58 ..E!l,7 ãxa4 59.ãxg7
1912).
ãf4 60.We2 Wb3 61.ãc7! Averbakh} 58.Wd3
Ao falar dos méritos de Rubinstei.n em finais,
(58JTh7 ãb5! Dvoretsky) 58 ...&5! (não 58 ...ãb5?

164
Emanuel Segundo

lembro que os principais mestres daquela época des-


cobriram as posições que se tornaram teóricas em Partida 64-
finais de partidas por processo empírico, e essas A.Rubinstein-J.R.Capablanca
posições foram publicadas em livros de finais. Na San Sebastian, 1911, 13ª rodada
coleção do grande Akiba há nniitos desses finais, Gambito da Dama D33
cada um mais sutil e mais belo que o outro! Por
exemplo, a instrutiva realização de uma vantagem
posicional no final de bispo contra cavalo de sua par- 1.d4 dS 2.êut3 cS 3.c4 e6 4.cxdS exd5 S.~3
tida contra Réti (Gotemburgo 1920). Ou ainda, o l!z)c6 6.g3 .i.e6?!
final de torre e peão contra bispo e peão - primeiro "Queria desviar de caminhos já percorridos. O
Rubinstein derrotou Salwe em Praga 1909 jogando lance normal nessa variante é 6...l!z)fü, O desenvolvi-
com a torre: (Brancas - 'í!?g3, .i.g5, 8h4; Pretas - mento das brancas foi introduzido por Schlechter e
<&e4, !!f8, &5), onde meio século mais tarde mais tarde elaborado por Rubinstein. Busca isolar o
Baranov descobriu no meio do caminho uma forma peão d das pretas, sobre o qual as peças brancas se
de empatar típica de composições artísticas, e outros concentram de forma gradual". (Capablanca)
nove anos depois disso :Maizelis indicou o caminho 7..IJ..g1. .i.e7 8.0-0 l:lc8 (8 ... ~ - partida 75, v1)
correto para a vitória. .. Depois, ao se encontrar numa 9.dxc5 .i.xc5 10,l!z)gS!?
posição difícil em sua partida contra Tartakower "Eu ainda não estava familiarizado com o ataque
(Viena 1922), Rubinstein encontrou um empate baseado nesse lance seguido da troca do bispo em
magnífico, desta vez com o bispo: (Brancas - 'í!?f.3, e6" (Capablanca). Outra alternativa em explorar o
..icl, ~4; Pretas - 'í!?d3, !!g8, ~5; a passagem do atraso no desenvolvimento do l!z)g8 das pretas é atra-
rei por baixo via c2 não funciona devido a .i.xg5!). vés de lO.i!z)a4!? .i.e7 11.~3.
Como resultado de uma competição fascinante 10... l!z)ffi U,l!z)xe6 txe6 12•.i.b3!?
no torneio de São Petersburgo, Lasker, graças à con- "O início de uma combinação complicada. Este
quista de 9,5 pontos em 10 (!) no meio do torneio e não é o único caminho para desenvolver a iniciativa.
a uma vitória na última rodada sobre Teicbmann, Merecia também atenção o natural 12.e4, por exem-
conseguiu alcançar seu inesperado rival e dividir a plo: 12... dxe4 13.'ii'b3!? (13.i!z)xe4 'i!fxd] 14Jãxdl
primeira colocação com Rubinstein. Os concorren- i!z)xe4 15 ..i.xe4 0-0 16.~3) 13 ...l!fe7 14.i!z)xe4 ou
tes mais próximos ficaram a 3,5 pontos de distância! 12... d4 (!-G.K) 13.i!z)a4 ~7 (13 ...l!fe7?! 14.i!z)xcs
Ficou evidente que pela primeira vez depois de l!fxc5 15.'ii'b3) 14.'i!fb3 e as pretas tem uma defesa
Chigorin surgira um candidato potencial ao título de dificil'' (Razuvaev). Mas a meu ver, após 14 ...l!fd7!
campeão mundial. Um detalhe importante: no tor- 12.i.d2 0---0 a situação não é totalmente clara.
neio secundário Pan Russo para amadores, realizado 12...l!fe7 13..i.gS ~o
simultaneamente ao principal, o vencedor foi o futu- ''Tarde demais! Agora começa a tempestade"
ro rei do xadrez, Alexander Alekhine, com seus (Kmoch). ''Um erro. Era essencial 13.Jãd8 para
dezesseis anos de idade. .. tirar a torre do raio-X do bispo h3 e apoiar o peão d.
Talvez o momento crucial no destino de Contra o lance da partida, as brancas respondem
Rubinstein tenha sido o importante torneio interna- com uma combinação muito sutil, a qual na verdade
cional de San Sebastian (1911), onde estreou vi, mas esperava poder refutar'' (Capablanca).
Capablanca, aos vinte e dois anos de idade. O talen- 14..i.xffi l!fxffi
toso cubano logo tomou a liderança, enquanto Akiba ''Também examinei 14 ...gxf6 com jogo razoável,
começou o torneio em ritmo lento. Meses escreveu mas considerei que a combinação subsequente das
no livro do torneio que "ele perdeu pelo menos dois brancas fosse incorreta e devido a isso não a evitei, o
pontos e meio, uma vez que nas partidas contra que em seguida só pude lamentar'' (Capablanca).
Teichmann, Vidmar, Bernshtein, :Marshall e
Contra a captura do peão seguiria 15.i!z)xd5! exd5
Spielmann deixou passar vitórias claras em função de
16..i.xc8 lãxc8 17.l!fxd5+ 'í!?h.8 18.e3 ~8 19.l!ff5
um jogo desatento" (o que nunca lhe havia aconteci-
com vantagem óbvia, embora sua realização não seja
do!). Apesar disso, Rubinstein alcançou o líder a duas
tão simples.
rodadas do final, ao derrotá-lo brilhantemente em
seu encontro individual.

165
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

''No caso de 22.lliel Cz:lc2 23.ãxe8+ ãxe8 as


pretas definitivamente tem contrajogo" (Tarrasch).
Mas ainda assim insuficiente após 24.1:!dl.
Capablanca sugeriu 24.&1!? &2 25.~ li:Jd4
(25 ...1:!d2 26.~+ ©f8 27.~d5) 26.&8+ Wf7
27.l:!c7+ &7 28.&5 "vencendo" e criticou o lance
do bispo: "Isto dá às pretas chances de salvação".
22... ãd6! 23.!tfel ãxel 24.ãxel l:!b6! 25.l:!e5
Para superar a obstinada resistência do cubano é
necessário uma técnica preciosa de finais. Também é
possível 25.b3!? &6 26.l:!e5! .lâxa2 27 ..lâxd5 Cz:lc6
(27 .. ./:Z::ixb3? 28.~e6+ 'i!?f8 29.1:!f5+ e ~b3)
28.~e6+ 'i!?f8 29.~d7 êue5 30.~b7, "e as brancas
15.Cz:lxd5! !i'h6? venceriam de forma rápida" (Razuvaev).
Mas esse sim é um erro! A intuição não enganou 25... l:!xb2 26.l:!xd5 Cz:lc6 27.~e6+ @f8
o cubano: as pretas igualariam as chances através de 28.I!f5+ (mas não 28.l:!d7?! ~e5) 28 ... @e8
15 ...~xf2+! (mas não 15 ... exd5 16.'i!fxd5+ Wh8 29.~ti+ @d7 30.~c4
17 .~xc8 vencendo) 16. Wg2 (16. 'i!?h 1 'i!fh6
l 7.Cz:lf4?! ~g3!) 16...'i!fe5 (Sorokhtin; 16...'i!ff7
17.lzJf4 com vantagem) 17.ãxf2 ãxf2+ 18.Wxf2
!!d8 19.êue7+ 'i!?h8 20.l!ib3 (20.ci:ixc6 'i!ff6+)
20 .. .'~Jd4 21.'i!fd3 'i!ef6+ e ...'i!fxe7 com igualdade,
l 7.Cz:lc3 !!cd8 15.Wfb3 Cz:ld4 19.'i!fxb7 Cz:lc2! ou
17.lz:lf4 ~cd8 18.l!ib3 (l8.~e6+ Wh8 I9.'i!fb3
~e3!) 18 ... Cz:ld4 19.~e6+ (l9.'i!fxb7 ~3 20.~
'i!fh5!) 19... Wh8 20.'i!fxb7, e o mais simples
20... Cz:lxe2 com igualdade.
16.Wg2!
O cubano calculou somente l 6.~g2? l2le5 ! com
excelente jogo para as pretas: 17.Cz:lf4 (17.&1?
'i!fxcl! 18.t!i'xcl ~f2+) 17 ... ~g4 18.h3 (18.~ 30... a6?!
~f2+) 18... ~xf2 19.~f2 ~f2+ 20.Wxf2 g5 ':,\ única chance das pretas é o peão a mais na ala
com vantagem decisiva. da dama", escreve Razuvaev e atribui um ponto de
16.. J~cd8 (nas palavras de Capablanca, "subme- exclamação a esse lance. Capablanca pensava de
tendo-me ao inevitável") 17.t!i'cl!! outra forma: ''Um lance muito ruim que desperdiça
Um golpe brilhante, previsto com certa antece- qualquer chance legítima de empate: as pretas per-
dência, que repete de forma assombrosa aquele con- dem um tempo importante. Seria correto 30...Wd6,
tra Lasker (partida 61, vi). Rubinstein derrotou dois e se 31.!!bS (? - G.K), então 3 l.J~xb5 32.~b5
campeões mundiais quase com o mesmo procedi- ~d4 33.h4 b5. Em vista da posição dominante do
mento! cavalo em d4, do peão a mais na ala da dama e da
17... exd5 (não há nada melhor: 17 ... ãxdS posição insegura do seu rei, as brancas teriam que
18.'i!fxh6 gxh6 19.~xe6+; 17 ...'i!fxcl 18.~e6+ trabalhar muito para empatar".
Wh8 19.&xcl) 18.'i!ifxc5 'i!fd2 19.l!ib5 <txl4 Concordo, 30...Wd6! daria às pretas melhores
20.t!i'd3 'il!Yxd3 21.exd3 gfe8 chances de empate, por exemplo: 31.1:!dS+ We7
''No final resultante as brancas tem um peão a
32.l:!b5?! (uma ideia errada desde a raiz) 32 ...ãxb5
mais, bispo bom e como consequência chances de
33.~b5 li:Jd4 34.h4 b5 35.~l a5! (mas não
vitória. O único trunfo das pretas consiste numa
35 ...'i!?d6 36.f4 'i!?c5 37.Wfl 'i!?b4 38.We3 'i!?c3
pequena vantagem de desenvolvimento" (Razuvaev).
39.g4 a5 40.f5 h6 41.h4 vencendo) 36.f4 Cz:lc6
22.~4!?

166
Emanuel Segundo

37.li!?fl itlb4 38.a3 ti:Jc6 39.Wf2 @d6 40.We3 'it>cs 54.<,!?f4 !Vd2+ 55.'i!?fS l!fc2+ com empate.
aim compensação suficiente pelo peão. Parece ser tentador 39.&6!? &2 40.h5. Aqui
No entanto, após 31.ID'?! a análise impassível do Razuvaev dá duas variantes supostamente vencedo-
cxxnputador promete ainda assim uma vitória das raspara as brancas: 40 ... b3 41.&6 b2 (?- G.K)
brancas: 31...ID'? b5 32.ii.b3 tàl4 33.ãxa7 itlxb3 42.~ &l 43.h6 &l 44.h7 .ãxa2 45.h81W bl'ti
34.axb3 .ãxb3 35 ..ãxg7 .ãxd3 36 ..ãxh7 'i!?c6 46.'i!eb8+ e 40 ...a3 41.&6 a2 (? - G.K) 42.&1
371!h8 Wc7 38.&4 'i!?d6 39..ãM 'i!?c5 40.m,1 b4 itid4 43.h6 b3 44.h7 &8 45.li.g8.
41.h4 vencendo, ou 31...li:le5 32 ..ãxg7 b5 33.ii.b3 No entanto, após 40 ... b3 41.É!.oo é mais forte
a5 (33 ... itlxd3 34 ..ãxh7 .ãxf2+ 35.Wgl É!.b2 41...&5! 42 ..ixc6 .ãxc6 43 ..ãxc6+ WXc6 44.h6 b2
36ltxa7 itlcl 37.&5 itlxb3 38 ..ãxb5 .ãbl+ 45.h7 bl'ti 46.h8l!f l!fxd3 com empate provável
l9.@g2 itid2 40.É!.xbl itlxbl 41.a4 ti:Jc3 42.a5) (47.l!fe8+ l!fd7). E o que ainda é pior, no caso de
34.d4 00 35.Wf3 ti:Jcl 36.li.g8 itlxa2 37ltxh7 40 ...a3 ! 41.&6 &5! A vantagem passa para o lado
(k:3 38.&6+ We7 39.&6 a4 40.h4 itidl 41.d5 das pretas!
llxf2+ 42.'i!?e4 vencendo. O computador ajudou os leitores do site
31.ãt7+ @d6 32.!!xg7 b5 33...ltgS a5 34.É!.xh7 ChessBase.com a encontrar outra tentativa engenhosa:
a4 35.h4 b4 36.ãh6+ Wc5 37.ãhS+ 'it>b6 39.É!.g5!? b3 40.h5 &1 41.É!.g6! Wc5! (41...b2?
38.i.«15? 42.É!.xc6+ Wa5 43.Ac4 blli' 44.&6+ Wb4
"Com esses três últimos lances as brancas voltam 45.~+ ou 42 ...Wl,5 43.&8! bll!f 44 ..ixc4+
a dar chances. O lance do texto é um erro crasso" ~ 45.m,8+ ~ 46 ..ãxbI .ãxbl 47.h6 lãb7
(Capablanca). Creio que isso ocorreu devido a uma 48.g4 vencendo) 42.Ji.xc:6 b2 43.~ a3 44.h6
&diga nervosa. Assim como Fischer meio século
mais tarde, Rubinstein também tinha uma queda pelo
bispo de casas brancas e mais de uma vez realizou
milagres com ele... Havia um ganho relativamente
fácil com 38.Ac4!, e se 38.b3 então 39.axb3 a3
40..ãb5+ r:JiJc7 41.b4.

Se 44 ...a2? então 45.h7 .ãhl (45 ...bll!i' 46.h81!f


vencendo) 46.d4+! <;!;>xd4 475.!?xhl bll!f+
48 ..ixbl axbl'i!f+ 49.'i!ih2 1Wxg6 50.h8l!i'+ ven-
cendo.
No entanto, após 44 ....ãhl! ! (Sorokhtin) a vitó-
ria novamente escapa das brancas: 45.<.!?xhl (45.d4+
38 ... b3? ~d4 46.ii.bl .ãxbl 47.h7 &1!; 45.É!.c6+ Wb5
Desperdiçando uma chance de salvação inespera- 46.&8 a2 com igualdade) 45.blli' 46.~3(46.'i!?h2
da - 38 ....ãxa2! !. ''.A melhor continuação seria 'iib2!) 46 ...a2 47.&6+ (47.d4+ ~d4 48 ..ixbl
39.Ac4 (39.Axa2? b3) 39 ...&2 40.m,5+ çt;c,7 axbl'i!f 49.h7? 'i!t'b7+) 47 ...ç!;t,S 48.&8 l!fel etc.
41.li.g8 a3 42.h5 a2 43 ..ixa2 .ãxa2 44.h6 &6! 39.axb3 (também é decisivo 39.Axb3!?) 39...a3
(mas não 44 ... &8 45.g4), com excelentes chances (39 ... axb3 40.É!.h6 vencendo) 40.Axc6! !!xb3 (ou
de empate" (Capablanca). A máquina confirma essa 40 ... a2 41.ffi)S+ $a6 42.ffi)S! alif 43.&8+ e
avaliação: 45.g4 li:le7 46.g5 (46.h7 &8) 46 ....ãb6 .ãxal vencendo) 41.i.«15 a2 42.!!b6+!, e as pretas
47..ãxb6 @xb6 48.f4 b3 49.h7 itlg6 50.f5 b2 abandonaram: 42 ...Wa7 43 ..ãh8 ou 42 ...Wa5
51.fxg6 bll!f 52.h8l!i' l!i'c2+ 53.r:Ji;O l!i'xd3+ 43.Ac4! e a torre chega a tempo na coluna a.

167
Garry Kasparov - Meus Grandes Predecessores

Mas mesmo assim, o primeiro lugar ficou com Ab7 10..1i.b5+ c6 1l.~c6+?! ~c6 12.~xc6
Capablanca: na última rodada Rubinstein deixou 't!fd5! e depois de 13.~5 l!fxg2 14.l!ff3 l!fxf3
escapar a vitória em um lance (0 contra Schlechter. 15.~xf3 .iãc8 as pretas venceram o final na partida
''Rubinstein, que tem a reconhecida virtude de saber Schlechter-Rubinstein, San Sebastian 1912. E embo-
ganhar as posições ganhas, para surpresa geral nesta ra sua ideia na Siciliana não tenha encontrado muitos
partida que lhe era tão importante, deixou passar sua seguidores, sua variante das trocas na Francesa per-
chance." (Mieses) Assim, surgiu no cenário do manece no centro das