Você está na página 1de 2

Igreja Evangélica Assembleia de Deus em Pernambuco

Superintendência das Escolas Bíblicas Dominicais


Pastor Presidente: Aílton José Alves
Av. Cruz Cabugá, 29 - Santo Amaro - Recife-PE / CEP. 50.040.000 Fone: 3084.1524 / 3084.1543
LIÇÃO 01 – CARTA AOS EFÉSIOS – SAUDAÇÃO E DESTINATÁRIOS
2º TRIMESTRE DE 2020 (Ef 1.1,2; At 19.1-7)
INTRODUÇÃO
Nesta lição estudaremos sobre algumas informações da igreja de Éfeso como: autoria, destinatários, propósitos e
curiosidade; veremos o contexto histórico e geográfico da igreja d os efésios como sua: localização, seu fundador e sua
liderança; pontuaremos algumas características desta igreja; e por fim, notaremos algumas lições da igreja de Éfeso.
I – INFORMAÇÕES SOBRE DA EPÍSTOLA AOS EFÉSIOS
1.1 Autoria e destinatários. A autoria é classicamente atribuída ao apóstolo Paulo quando de sua primeira prisão em
Roma (Ef 1.1; 3.1; 4.1; 6.20). Paulo implantou a igreja em Éfeso durante a sua segunda viagem missionária. Depois de ter
passado 18 meses em Corinto (At 18.11), ele visitou Éfeso com Áquila e Priscila (At 18.18), e voltou a Éfeso durante sua
terceira viagem missionária e permaneceu ali por três anos (At 19.8-10; 20.31). Durante o tempo que ali passou, Deus
operou poderosamente através do apóstolo (At 19.11), em Éfeso houve várias conversões (At 19.18,19), batismo no
Espírito Santo (At 19.6,7), curas divinas e expulsão de demônios (At 19.12), e a propagação do evangelho (At
19.10,20,26), resultando no temor a Deus e a glorificação do nome do Senhor Jesus (At 19.17).
1.2 Propósito. Essa epístola não foi escrita para combater alguma heresia específica ou mesmo problemas na igreja local,
antes foi enviada com a finalidade de fortalecer e encorajar os crentes de um modo geral (Ef 1.15-17). Paulo em oração
anseia que seus leitores cresçam na fé e que sejam cheios do poder do alto (Ef 3.14,16), para que assim vivam uma vida
digna da vocação com que foram chamados (Ef 4.1-3; 5.1,2).
1.3 Curiosidades. A carta aos Efésios é considerada a “coroa dos escritos de Paulo”, e a “rainha das epístolas paulinas”
(LOPES, 2009, p. 9), também é considerada uma “carta gêmea de colossenses”, visto que são escritas do mesmo local, no
mesmo período e levadas às igrejas pelo mesmo portador e ambas tratam basicamente das mesmas coisas (Ef 6.21; Cl
4.7,8). A igreja em Éfeso é a única do Novo Testamento que recebeu cartas de mais de um escritor bíblico, além do
apóstolo Paulo, o Senhor Jesus também tinha uma mensagem para aquela igreja através do apóstolo João (Ap 2.1-7).
Essa igreja teve mais pregadores famosos do que qualquer outra, isso incluiu homens como Paulo, Apolo, João e Timóteo.

II - CONTEXTO HISTÓRICO E GEOGRÁFICO DA IGREJA DOS EFÉSIOS


2.1 Localização. O nome Éfeso significa “desejável”. A cidade encontra-se no pequeno continente da Ásia Menor. Esta era a
capital da província romana da Ásia. Com Antioquia da Síria e Alexandria no Egito, formavam o grupo das três maiores cidades
do litoral leste do Mar Mediterrâneo. O templo da Diana dos efésios (At 19.28) foi considerado uma das sete maravilhas do
mundo antigo. Éfeso era conhecida, também, como o foco de adoração da deusa da fertilidade, Ártemis ou Diana (At 19.27).
Historiadores calculam a população da cidade de Éfeso no primeiro século entre 250 e 500 mil habitantes.
2.2 Fundação da igreja. A igreja de Éfeso foi fundada por Paulo e, provavelmente, com a ajuda de Áquila e Priscila, por volta
do ano 52 d.C. (At 18.18-28). “A mensagem de Paulo atingiu o coração de tudo o que aquele povo considerava mais
precioso” (At 19.26). Paulo levou o Evangelho a esta cidade durante a sua segunda viagem missionária (At 18.19), e ensinou a
Palavra de Deus ali, durante três anos (At 20.31). “Assim, a Palavra do Senhor crescia e prevalecia poderosamente” (At
19.20). Pelo menos duas vezes Paulo esteve nessa cidade (At 18.19 e 19.1). Em sua terceira viagem por aquela região, ele não
chegou até lá, mas, estando em Mileto, “mandou a Éfeso chamar os anciãos da Igreja” (At 20.17). Durante a sua primeira
prisão em Roma, Paulo escreveu a carta aos efésios, agradecendo a Deus o profundo amor que havia na igreja.
2.3 Liderança. Essa igreja recebeu duas cartas: uma de Paulo, a Epístola aos efésios (Ef 1.1-5), e outra de Cristo (Ap. 2.1-7). A
primeira em 64 d. C., a segunda em 96 d.C. (SILVA, 1996, p. 29). “Na igreja de Éfeso […] estabelecida por Paulo e pastoreada
por João (segundo a tradição cristã dos primeiros séculos), foi assistida por dois outros excelentes obreiros: Timóteo e Tíquico
[…] Éfeso era a igreja teológica por excelência” (ANDRADE, 2012, p.15 - grifo nosso). A igreja de Éfeso era afortunada por ter
tido o ministério de Paulo. A igreja tinha muitos inimigos, alguns ferozes como animais selvagens (1Co 15.32), e isso explica
ainda mais a proximidade de Paulo com a congregação. Ser crente em Éfeso não era popular. Muitos crentes estavam sendo
perseguidos e até mortos por não se dobrarem diante de César e perseguidos por não adorar a idolatrada Diana dos Efésios.
III – CARACTERÍSTICAS DA IGREJA DE ÉFESO
A igreja de Éfeso, “Além de viver nas regiões celestiais, possuía um ministério completo” (ANDRADE, 2012,
p.18). O NT diz que Paulo esteve em Éfeso, levando consigo Priscila e Áquila; e deixou-os ali (At 18.19); retornou mais
tarde e desta vez permaneceu dedicado à pregação do Evangelho onde pregou a palavra de Deus por três anos (Atos 19.10;
20.31). “porque jamais deixei de vos anunciar todo o desígnio de Deus” (At 20.27). Pelo teor e conteúdo da Epístola de
Paulo aos Efésios, observa-se que aquela igreja era muito espiritual. “[…] Dessa maneira, todos os que habitavam na
Ásia ouviram a palavra sobre o Senhor Jesus, assim judeus como gregos " (At 19.10). Éfeso chegou mesmo a tornar-se o
centro do mundo cristão. Vejamos o que encontramos nesta distinta igreja:
3.1 Éfeso era uma igreja poderosa no combate aos falsos líderes. Na igreja de Éfeso surgiu alguns falsos líderes que
foram combatidos: “[...] os que dizem ser apóstolos e o não são [...]” (Ap 2.2-b). Está em foco neste versículo, os chefes
gnósticos, que tinham arrogado para si o título de apóstolos de Cristo. Paulo diz que tais “[...] falsos apóstolos são
obreiros fraudulentos, transfigurando-se em apóstolos de Cristo” (2Co 11.13-b). Paulo os chamou de “[...] lobos cruéis,
que não perdoarão ao rebanho” (At 20.29-a). A igreja de Éfeso não suportava os tais gnósticos, e, por isso, foi louvada
pelo Senhor: “puseste à prova”. Esta expressão é o equivale no grego a “reprovaste-os”. Paulo já havia avisado os
presbíteros dessa igreja sobre os lobos que penetrariam no meio do rebanho (At 20.29-30). A igreja de Éfeso tinha
discernimento espiritual e tornou-se intolerante com a heresia e com o pecado moral.
3.2 Éfeso era uma igreja poderosa no combate as heresias. Na igreja de Éfeso haviam verdadeiros crentes que não
aceitaram as heresias: “[...] Tens, porém, isto: que aborreces as obras dos nicolaítas [...]” (Ap 2.6). Os nicolaítas
pregavam um evangelho sem exigências, liberal e sem proibições. Eles queriam gozar o melhor da igreja e o melhor do
mundo. Eles incentivavam os crentes a comer comidas sacrificadas aos ídolos, ensinavam que o sexo antes e fora do
casamento não era pecado e acabavam estimulando a imoralidade.
3.3 Éfeso era uma igreja poderosa na paciência e no trabalho. Na igreja de Éfeso haviam verdadeiros crentes pacientes
e trabalhadores:“...tens paciência; e trabalhaste pelo meu nome” (Ap 2.3-a). A igreja de Éfeso era conhecida pelas boas
obras: perseverava no trabalho; não cansava no serviço de Cristo. Notemos como se repete a palavra “paciência”; eram
perseverantes no lidar (Ap 2.2 ), e perseverantes no sofrer (Ap 2.3).
3.4 Éfeso era uma igreja poderosa nas Escrituras, mas que haviam os que perderam o primeiro amor . Paulo chegou
até a convidá-los a participarem da “...largura, e a altura e a profundidade” do amor de Deus, […] que excede todo o
entendimento” (Ef 3.18-19). Na igreja de Éfeso também haviam crentes que deixaram o primeiro amor: “...abandonastes
o teu primeiro amor” (Ap 2.4). A presente expressão não significa “declínio da fé” como alguns pensam, mas, antes,
sugere um esfriamento no amor (Mt 24.12). O desaparecimento gradual do amor fraternal no coração do salvo (Mt 24.12),
tem como resultado, o abandono do “primeiro amor”. Pedro disse aos seus leitores: “...sobretudo, tende ardente
caridade...” (1Pd 4.8). Se o cristão não tem amor, a vida espiritual também não tem sentido (1Co 13.3-4).
IV – LIÇÕES APRENDIDAS DA IGREJA DE ÉFESO
Notemos algumas lições da igreja de Éfeso:
4.1 Voltar ao primeiro amor. Paulo instruiu os efésios sobre a importância do amor como alicerce da vida do cristão (Ef
3.17; 4.2,16: 5.2; 6.23). O primeiro amor, é Cristo ter primazia em tudo em nossa vida: “Tenho, porém, contra ti que
deixaste o teu primeiro amor” (Ap 2.4). Não devemos distorcer esta advertência para criar um conflito entre o amor e a
verdade. Podemos defender a verdade, como os efésios fizeram e, ao mesmo tempo, praticar o amor. Foi isso que Paulo
pediu aos efésios: “Mas, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo” (Ef 4.15).
4.2. Lembrar de onde caiu. É do ponto onde o homem cai que Cristo os espera: “Lembra-te, pois, de onde caíste” (Ap
2.5-a). Para os efésios se arrependerem, teriam que lembrar da comunhão com Deus que deixaram para trás. O Filho
pródigo não só se lembrou da Casa do Pai, mas voltou para lá. Lembrança sem arrependimento é remorso. Essa foi a
diferença entre Pedro e Judas. Arrepender é mudar a mente, é mudar a direção, é voltar-se para Deus, é deixar o pecado. É
romper com o que está entristecendo o Noivo. Uma vez que caímos, é necessário desenvolver novamente o amor.
4.3 Arrepender-se. Éfeso, uma igreja cujo amor esfriou-se e que precisou se arrepender. Arrependimento não é emoção, é
decisão, é atitude. Não precisa existir choro, basta decisão: “Arrepende-te” (Ap 2.5 -b). O arrependimento é a mudança de
atitude. Quando decidimos deixar o pecado e fazer a vontade de Deus, nós nos arrependemos. O pecador precisa se
arrepender para obter perdão dos pecados (At 2.38). O cristão que tropeça precisa se arrepender (At 8.22).
4.4 Voltar as primeiras obras. Pelas obras, a pessoa arrependida mostrará a sinceridade da sua decisão. A igreja em Éfeso
precisava voltar à prática do amor: “Volta à prática das primeiras obras” (Ap 2.5-c). A mudança de atitude (o
arrependimento) produzirá frutos (Mt 3.8).
4.5 Ouvir a voz do Espírito Santo. Os efésios provaram àqueles que falavam, agora eles seriam provados pela maneira de
ouvirem: “Quem tem ouvidos, ouça” (Ap 2.7-a): Frequentemente, Jesus chama os ouvintes a ouvirem a sua mensagem
(Mt 11.5; 13.9,43). Um coração teimoso se reflete nos ouvidos tapados que recusam ouvir a verdade (Mt 13.15).
4.6 Perseverar para salvação. A recompensa aguarda os vencedores que perseveram no amor e na verdade. Aqueles que
desistem, abandonando para sempre o seu amor, não receberão o galardão: “Ao que vencer, dar-lhe-ei a comer da árvore
da vida [...]” (Ap 2.7-c). Aqueles que andam com Deus têm a esperança da vida no paraíso do Senhor.
CONCLUSÃO
Vimos que a Epístola aos efésios revela um resumo da salvação e suas implicações para a vida cristã. Pontuamos
que suas exortações nos impelem a viver em santidade e, alicerçados em Cristo - a cabeça da Igreja.
REFERÊNCIAS
 STAMPS, Donald C. Biblia de Estudo Pentecostal. CPAD.
 CABRAL, Elienai. Comentário da Carta aos Efésios. CPAD.
 HAHN, Eberhard; BOOR, Werner. Comentário Carta aos Efésios. EDITORA ESPERANÇA. PDF
 LOPES, Hernandes Dias. Comentário Expositivo Efésios. HAGNOS.