Você está na página 1de 7

MINISTÉRIO DA DEFESA

EXÉRCITO BRASILEIRO
DEPARTAMENTO DE ENSINO E PESQUISA
(Insp G Ens Ex / 1937)

PORTARIA Nº 155 - DEP, DE 07 DE DEZEMBRO DE 2006

Aprova as Instruções Reguladoras para o


Reconhecimento e o Suprimento do Notório Saber, no
âmbito do DEP (IR 60-47).

O CHEFE DO DEPARTAMENTO DE ENSINO E PESQUISA, no uso das atribuições


que lhe conferem o inciso II do art. 10 e o inciso I do art. 23 do Decreto nº 3.182, de 23 de setembro de
1999 - Regulamento da Lei do Ensino no Exército, o art. 117 das Instruções Gerais para a
Correspondência, as Publicações e os Atos Normativos no âmbito do Exército (IG 10-42), aprovadas pela
Portaria nº 041-Cmt Ex, de 18 de fevereiro de 2002, e a delegação de competência de que trata a Portaria
nº 138-EME, de 24 de dezembro de 1999, resolve:

Art. 1º Aprovar as Instruções Reguladoras para o Reconhecimento e o Suprimento do


Notório Saber, no âmbito do DEP (IR 60-47), as quais com esta baixa.

Art. 2º Determinar que esta Portaria entre em vigor na data de sua publicação.

Art. 3º Revogar a Portaria nº 069-DEP, de 02 de setembro de 2002.

____________________________________
Gen Ex IVAN DE MENDONÇA BASTOS
Chefe do DEP
(Fl 2 das IR 60-47)

INSTRUÇÕES REGULADORAS PARA O RECONHECIMENTO E O


SUPRIMENTO DO NOTÓRIO SABER, NO ÂMBITO DO DEP (IR 60-47)

ÍNDICE DOS ASSUNTOS

Art.
CAPÍTULO I - DOS PRECEITOS GERAIS
Seção I - Das Finalidades...................................................................................... 1º
Seção II - Das Referências...................................................................................... 2º
CAPÍTULO II - DO NOTÓRIO SABER NO ÂMBITO DO DEP................................... 3º - 6º
CAPÍTULO III - DA CONCESSÃO DO NOTÓRIO SABER.......................................... 7º - 10
CAPÍTULO IV - DO ATO DE RECONHECIMENTO DO NOTÓRIO SABER............. 11 / 12
CAPÍTULO V - DO PROCESSAMENTO E DA EXPEDIÇÃO DO NOTÓRIO
SABER................................................................................................... 13 - 17
DOS CERTIFICADOS E
CAPÍTULO VI 18 - 21
DIPLOMAS..................................................
CAPÍTULO VII - DAS PRESCRIÇÕES FINAIS............................................................... 22 - 26

Anexos

ANEXO A - FONTES DE REFERÊNCIAS DAS IR 60-33

ANEXO B - FICHA DE IDENTIFICAÇÃO DO CANDIDATO AO NOTÓRIO SABER

ANEXO C - MODELO DE DIPLOMA DE NOTÓRIO SABER - LICENCIATURA

ANEXO D - MODELO DE CERTIFICADO DE NOTÓRIO SABER - GRAU DE PÓS-


GRADUAÇÃO LATO SENSU - ESPECIALIZAÇÃO

ANEXO E - MODELO DE CERTIFICADO DE NOTÓRIO SABER - GRAU DE PÓS-


GRADUAÇÃO LATO SENSU - APERFEIÇOAMENTO

ANEXO F - MODELO DE DIPLOMA DE NOTÓRIO SABER - GRAU DE PÓS-GRADUAÇÃO


STRICTO SENSU - MESTRADO

ANEXO G - MODELO DE DIPLOMA DE NOTÓRIO SABER - GRAU DE PÓS-GRADUAÇÃO


STRICTO SENSU - DOUTORADO

ANEXO H - MODELO DE AVERBAMENTO DE CERTIFICAÇÃO E DE DIPLOMAÇÃO


(Fl 3 das IR 60-47)

INSTRUÇÕES REGULADORAS PARA O RECONHECIMENTO E O


SUPRIMENTO DO NOTÓRIO SABER, NO ÂMBITO DO DEP (IR 60-47)

CAPÍTULO I
DOS PRECEITOS GERAIS

Seção I
Das Finalidades

Art. 1º As presentes Instruções Reguladoras (IR) têm por finalidades:

I - viabilizar e regular o reconhecimento e o suprimento do Notório Saber (NS) nas


linhas do ensino militar bélico, de saúde e complementar, no âmbito do Departamento de Ensino e
Pesquisa (DEP);

II - definir o texto dos certificados do NS;

III - atender à transição entre a atual legislação de ensino do Exército e a que foi
revogada pela Lei nº 9.786/99;

IV - complementar a legislação do Sistema de Ensino Superior Militar no âmbito do DEP


(SESM/DEP);

V - permitir a continuidade da prática do ensino superior no âmbito do DEP destacando


os desempenhos funcionais ou escolares;

VI - fomentar a pesquisa científica, a investigação e o estudo de temas militares, de


defesa nacional e áreas afins;

VII - regulamentar, no âmbito do SESM/DEP, o artigo 66 e seu parágrafo primeiro da


Lei nº 9.394, de 20 Dez 96, Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDBEN);

VIII - atender às necessidades específicas dos Estabelecimentos de Ensino (Estb Ens) e


das Instituições de Ensino Superior (IES) subordinadas ou vinculadas às Diretorias do Departamento de
Ensino e Pesquisa (DEP); e

IX - adotar procedimentos correntes no Sistema Federal de Ensino.

Seção II
Das Referências

Art. 2º Estas IR fundamentam-se nas fontes de referência descritas no ANEXO A destas


Instruções.

CAPÍTULO II
DO NOTÓRIO SABER NO ÂMBITO DO DEP

Art. 3º O NS, no âmbito do SESM/DEP, é título acadêmico verificado em função de


rendimento escolar, desempenho profissional, atividades de pesquisa, investigação e produção científica
em Defesa Nacional ou em áreas afins, e bem assim, pela aprovação em processo seletivo para fim de
atuação no magistério do Exército.
(Fl 4 das IR 60-47)

Parágrafo único. A titulação ou certificação de NS no âmbito SESM/DEP é considerada


de caráter excepcional, concedida a pessoas de alta qualificação, demonstrada por experiência e
desempenho que a coloque em destaque intelectual no âmbito dos pares e que, desprovidas do título
correspondente, são consideradas possuidores de conhecimento em áreas de interesse do Exército, com
comprovação de trabalhos relevantes para o saber.

Art. 4º O reconhecimento do NS corresponderá ao suprimento dos seguintes graus e


títulos acadêmicos:

I - graduação de licenciatura plena;

II - pós-graduação lato sensu de especialização;

III - pós-graduação lato sensu de aperfeiçoamento;

IV - pós-graduação stricto sensu de mestrado;

V - pós-graduação stricto sensu de doutorado.

Art. 5º O reconhecimento e suprimento do NS ocorrerá nas seguintes áreas, e subáreas do


conhecimento e de estudo:

I - Defesa;

II - Segurança Nacional;

III - Estratégia;

IV - Política, Estratégia e Administração Militares;

V - Ciências Militares;

VI - Operações Militares;

VII - Educação e Cultura Militares; e

VIII - outra área afim aplicada às Ciências Militares.

Art. 6º O NS de civis também será reconhecido nos níveis de graduação e de pós-


graduação, com a certificação ajustada ao seu desempenho funcional.

CAPÍTULO III
DA CONCESSÃO DO NOTÓRIO SABER

Art. 7º O NS será concedido pelo Chefe do DEP.

Art. 8º Para fim de concessão do NS será elaborada a seguinte documentação:

I - Ficha de Identificação do Candidato ao Notório Saber (ANEXO B) - documento em


duas vias, ficando uma arquivada no Estb Ens responsável pela solicitação e outra remetida ao DEP;

II - Certificado ou Diploma - conforme o nível de ensino superior correspondente e de


acordo com os modelos constantes dos anexos destas IR.
(Fl 5 das IR 60-47)

Art. 9º O registro da certificação de NS será feito pelo DEP e indicará:

I - número de registro;

II - o número do Boletim Interno do DEP e de sua página, pertinentes à concessão do


Notório Saber;

III - data do registro.

Art. 10. O numero de registro será composto de dois conjuntos:

I - primeiro conjunto - com três algarismos, indica a ordem seqüencial de concessão do


NS;

II - segundo conjunto - com quatro algarismos, indica o ano de sua concessão.

CAPÍTULO IV
DO ATO DE RECONHECIMENTO DO NOTÓRIO SABER

Art. 11. O reconhecimento do NS será concedido ao oficial, brasileiro ou estrangeiro, das


Forças Singulares e Auxiliares ou ao civil possuidor de diplomação em ensino superior, integrante ou não
ao Corpo Permanente do Estb Ens ou da IES.

§ 1º O candidato ao NS deverá possuir conhecimentos que sejam do interesse dos Estb


Ens e das IES.

§ 2º Somente poderão ser indicados para certificação de NS as pessoas que estejam,


efetivamente, desempenhando atividades de docência, pesquisa ou investigação, na forma presencial, em
proveito do Estb Ens ou da IES.

Art. 12. O NS será reconhecido mediante a comprovação dos conhecimentos e da alta


qualificação do candidato, conforme prescrito nos incisos do art. 14 destas IR.

CAPÍTULO V
DO PROCESSAMENTO E DA EXPEDIÇÃO DO NOTÓRIO SABER

Art. 13. O processo de reconhecimento do NS e do suprimento do título acadêmico


pertinente tem início no Estb Ens ou IES interessado.

Art. 14. São procedimentos necessários aos atos de reconhecimento do NS e o


suprimento decorrente:

I - seleção do candidato ao NS pelo Estb Ens ou IES, mediante análise de seu (sua):

a) curriculum vitae;

b) memorial descritivo de desempenho profissional;

c) prova de títulos acadêmicos;

d) participação em congressos, seminários, simpósios, jornadas e ciclos de estudos;

e) trabalhos científicos elaborados correspondentes ao nível de ensino;

f) artigos publicados;
(Fl 6 das IR 60-47)

g) desenvolvimento de pesquisa ou investigação;

h) produção intelectual comprovada;

i) contribuição ao desenvolvimento do saber;

j) exame escrito ou oral;

l) defesa direta de tese (se realizada);

m) entrevista;

n) exercício do magistério;

o) outros instrumentos julgados válidos pelo Colegiado Especial de Docente ou pela


Banca Especial que analisarão o processo.

II - designação de um relator pelo Estb Ens ou IES;

III - indicação pelo Estb Ens ou IES do grau acadêmico desejado, observado o contido
no art. 5º destas IR;

IV - parecer do Colegiado Especial de Docente ou de Banca Especial, designados para


análise do processo;

V - homologação do parecer do Colegiado Especial de Docente ou da Banca Especial


pelo Diretor de Ensino do Estb Ens ou IES;

VI - encaminhamento do processo à Diretoria enquadrante;

VII - encaminhamento do processo pela Diretoria ao DEP; e

VIII - avaliação do processo e emissão de parecer final pela Coordenadoria de Avaliação


e Desenvolvimento do Ensino Superior Militar (CADESM).

Art. 15. Caso o parecer da CADESM seja favorável, o Chefe do DEP reconhecerá o NS e
suprirá o título acadêmico correspondente, mediante publicação em Boletim Interno e expedição de
diploma ou certificado.

Art. 16. Caso o parecer da CADESM seja desfavorável, o processo será arquivado,
mediante publicação em Boletim Interno, e será dado conhecimento ao Estb Ens ou IES interessado.

Art. 17. Caberá solicitação de reconsideração pelo Estb Ens ou IES, quando o DEP não
aprovar o processo de NS.

CAPÍTULO VI
DOS CERTIFICADOS E DIPLOMAS

Seção I
Dos Textos de Certificação e de Diplomação do Notório Saber

Art. 18. Os textos de certificação e de diplomação do NS, estabelecidos a partir da Port


nº 1.043-Min Ex, de 01 Nov 85, são os constantes dos modelos anexos a estas IR.
(Fl 7 das IR 60-47)

§ 1º As medidas, textura e tipo de papel a serem adotados para impressão dos


certificados e diplomas serão definidas pelo Chefe do DEP.

§ 2º A certificação e a diplomação deverão ser feitas em papel branco, de forma que os


apostilamentos e registro não sejam transparentes ao anverso.

§ 3º A impressão dos textos, apostilamentos, chancelas e registro deverá ser com tinta na
cor preta.

Art. 19. Os apostilamentos, chancelas e registro deverão ser impressos no verso do


diploma ou certificado, respeitando-se o mesmo limite da moldura do anverso e indicando o documento
de publicação (Diário Oficial da União, Boletim do Exército, etc...).

Art. 20. A documentação emitida em 2ª (segunda) ou mais vias deverá ter essa condição
carimbada no anverso do que for expedido.

Art. 21. O diploma ou certificado originais serão entregues ao requerente e as cópias


eletrônica ou impressa serão arquivadas na CADESM/DEP.

CAPÍTULO VII
DAS PRESCRIÇÕES FINAIS

Art. 22. O NS reconhecido pelo DEP suprirá a exigência de título acadêmico na


composição do corpo docente dos Estb Ens e das IES.

Art. 23. O reconhecimento do NS não substitui a realização dos cursos do Exército.

Art. 24. A certificação de Notório Saber não será computada para a pontuação do
Sistema de Valorização do Mérito dos Militares do Exército ou para a concessão de direitos
remuneratórios para o militar.

Art. 25. O registro e o apostilamento do NS também poderão ser averbados em IES


pública ou privada credenciada e registrada pelo Ministério da Educação, por iniciativa do requerente e a
critério e juízo desta.

Parágrafo único. O averbamento citado no caput deste artigo deverá ser feito na parte
desocupada no verso do certificado e do diploma, conforme modelo constante do ANEXO H destas IR.

Art. 26. A CADESM e as IES deverão manter atualizada a legislação de referência


constante do ANEXO A destas IR.

Rio de Janeiro, RJ, de dezembro de 2006.

____________________________________
Gen Ex IVAN DE MENDONÇA BASTOS
Chefe do DEP

Você também pode gostar