Você está na página 1de 4

Interações: Onde está a arte na infância?

Neste capítulo podemos entender que além de um espaço em si ser


educador, o ambiente que criamos também pode e deve ser educador. Vale a
pena ressaltar como complemento, uma citação de Lella Gandini: “O ambiente
é visto como algo que educa a criança; na verdade, ele é considerado o
“terceiro educador”, juntamente com a equipe”.

Primeiramente, ao organizarmos um espaço, devemos nos perguntar: ‘tenho


vontade de participar e de interagir com esse espaço’? Pois, uma boa
organização é um dos objetivos de um professor, por isso precisa ser bem
planejado. É importante montar um cenário de um jeito que as crianças
consigam modificá-lo e adequá-lo conforme as brincadeiras. Um espaço para
brincadeiras, nunca será sem intenção, pelo contrário, deve ser um espaço que
instigue as crianças a desenvolver novas ideias.
Segundo a artista e Professora Louise Weiss, as escolas devem ter um espírito
aberto ao lúdico, com salas adaptadas, bastante espaço e liberdade.
Louise também menciona que os espaços devem proporcionar encontros,
pesquisas e criação.
Uma sala de arte precisa ser bem preparada, e com materiais adequados para
a faixa etária de idade, é preciso criarmos um ambiente em que as crianças
possam usufruir, se sujar, se expressar sem muitas restrições, porém isso
exige planejamento.
Sempre que possível, o espaço usado deve ser na oficina de arte mesmo, ou
em um espaço criado em um cantinho na sala de aula, pois o espaço-oficina
deve ser acolhedor e trazer segurança para que a criança possa se
desenvolver, se expressar e se liberar com toda a sua intensidade. E a medida
que ela vai se relacionando com o espaço, vai se interagindo, se soltando,
ficando mais espontânea, flexível, ágil e alegre. Assim a criança pode
estabelecer seu próprio ritmo.
Não podemos esquecer que cada criança tem seu próprio ritmo e interesse, por
isso, não se deve obrigar a criança a fazer algo que ela não queira no
momento, mas sim oferecer um bom acesso aos materiais, incentivando-a que
aquilo é ou pode ser agradável.
E o que falar da decoração das paredes? Para se proporcionar uma boa
experiência estética e produtiva em um ambiente escolar, é preciso expor a
própria produção das crianças, isso precisa ser exposto com rigor estético,
considerando as necessidades dos trabalhos a serem mostrados, usar um
painel limpo, pendurar os trabalhos com harmonia, distribuídos para que não
fiquem entulhados. A exposição dos trabalhos deve mostrar o cuidado do
professor com a produção de seus alunos; uma forma de valorização, é a
exposição. E isso contribui muito mais para a formação de todos na escola,
sendo um ambiente de trocas, apresentando uma forma de comunicação,
dando mais vida a escola.

Em relação as crianças com os espaços culturais, é de grande importância


visitar museus e ser apresentado a elas obras de pintores famosos, para se
familiarizarem mais.

Portanto, todas as experiências prazerosas, envolvendo o aprendizado,


podem ser excelentes, mas para que isso aconteça é preciso pensar bem na
maneira de oferecê-las e planejá-las.
E.E.M Governador Celso Ramos
Aluna: Nathielle Farias
Turma: 4º magistério
Professora orientadora: Siomara
Disciplina: FUNDAMENTOS TEÓRICOS E METODOLÓGICOS DO ENSINO
CURRICULAR DA EDUCAÇÃO INFANTIL E DOS ANOS INICIAIS.
Livro: Interações: Onde está a arte na infância?
Autora: Stela Barbieri
Resumo: Capítulo 2, páginas 45-60
Joinville/2018