Você está na página 1de 11

A batalha é do Senhor 2CR 2.

1-28

Introdução:

O rei Josafá reinou aproximadamente entre 872 e 848 a.C.

Ele reinou em Judá, ou seja, no reino do sul que consistia no


território das tribos de Judá e Benjamim, na época em que o reino
estava dividido.

Josafá era filho de Asa. Sua mãe Azuba.

O nome “Josafá” significa “Jeová tem julgado”.

Apesar de ter um relato oficial de seu reinado no livro de 2 Reis


(22:41-50) é no livro de 2 Crônicas (Cap. 17-21) que estão os
registros mais detalhados sobre sua historia.

Em Judá, o rei Josafá foi um grande administrador, conhecido como


um homem de eminente piedade. Ele reorganizou o poder judiciário,
designando juízes para todas as cidades importantes de Judá, e
estabeleceu uma importante corte de apelações especiais em
Jerusalem, composta por levitas, sacerdotes e anciãos, sob a
liderança do sumo sacerdote (2CR 19:5-11).

1 - Quando estamos em uma batalha, devemos


crer no Senhor.

Os moabitas, os amonitas e os edomitas, se uniram com o objetivo


de invadir Judá, cruzando o que é hoje a região do mar morto.
Nesse momento, a Bíblia relata que o rei Josafá sentiu medo e
buscou ao Senhor.

Ler (2CR 20:1-3).


Depois disso, os moabitas e os amonitas, com alguns dos
meunitas, entraram em guerra contra Josafá.
Então informaram a Josafá: "Um exército enorme vem
contra ti de Edom, do outro lado do mar Morto. Já está em
Hazazom-Tamar, isto é, En-Gedi".
Alarmado, Josafá decidiu consultar o Senhor e proclamou
um jejum em todo o reino de Judá. 2 Crônicas 20:1-3

Oque fazer quando não sabemos como agir. Muitas vezes estamos
encurralados com nossos problemas e dificuldades e não temos
capacidade de reverter a situação, talvez por falta de experiência,
seja no serviço na escola ou no lar, parece que tudo conspira contra
nos.

A situação fica tão critica que não sabemos a quem recorrer.


Quando chega uma luta maior que nossa força o caminho que
temos é orar. Quando chicote estrala e somos ameaçados, caímos
de joelhos. Quando o inimigo nos ataca, devemos orar.

Será que estamos sendo ameaçados ante os valores do reino?


Violência urbana? Oque fazer nessa hora, é buscar a Deus em
oração.
O povo de Deus se une na hora da crise.

O rei Josafá proclamou um jejum no reino de Judá, e todo o


povo se comprometeu em buscar o auxílio do Senhor. Josafá então
reuniu a todos, homens, mulheres e crianças (até as de colo), e, em
frente ao pátio novo, no Templo do Senhor, ele orou a Deus
(2Cr 20:6-12).
e orou: "Senhor, Deus dos nossos antepassados, não és tu
o Deus que está nos céus? Tu governas sobre todos os
reinos do mundo. Força e poder estão em tuas mãos, e
ninguém pode opor-se a ti.
Não és tu o nosso Deus, que expulsaste os habitantes desta
terra perante Israel, teu povo, e a deste para sempre aos
descendentes de teu amigo Abraão?
Eles a têm habitado e nela construíram um santuário em
honra do teu nome, dizendo:
‘Se alguma desgraça nos atingir, seja o castigo da espada,
seja a peste, seja a fome, nós nos colocaremos em tua
presença diante deste templo, pois ele leva o teu nome, e
clamaremos a ti em nossa angústia, e tu nos ouvirás e nos
salvarás’.
"Mas agora, aí estão amonitas, moabitas e habitantes dos
montes de Seir, cujos territórios não permitiste que Israel
invadisse quando vinha do Egito; por isso os israelitas se
desviaram deles e não os destruíram.
Vê agora como estão nos retribuindo, ao virem expulsar-
nos da terra que nos deste por herança.
Ó nosso Deus, não irás tu julgá-los? Pois não temos força
para enfrentar esse exército imenso que está nos atacando.
Não sabemos o que fazer, mas os nossos olhos se voltam
para ti". 2 Crônicas 20:6-12

Oramos quando não sabemos oque fazer. Quando não temos força
e reconhecemos nossa fragilidade, dai nos lançamos nos braços do
Pai. Muitas vezes nós oramos quando temos o sentimento de
fraqueza.

ILUSTRAÇÃO

Numa situação de afogamento, qualquer salva-vidas lhe dirá: você


não pode salvar ninguém enquanto eles estiverem se debatendo. Se
você tentar, essa pessoa também o afogará. Existe uma técnica na
qual o salva-vidas tem que ir por trás da pessoa e salva-la.

É o mesmo com o nosso relacionamento com Deus. Quando


tentamos combater os problemas da vida por conta própria,
afundamos. Em vez disso, Deus quer que paremos de lutar e confie
nele para fazer o trabalho.

Deus ensinou essa lição ao exército de Israel. Três exércitos


inimigos estavam se preparando para lutar contra eles. Israel estava
em menor número. Mas, em vez de se preocupar, o rei Josafá levou
seu exército a adorar a Deus, dependendo dele para salvá-los.
a) Ele orou: “Não sabemos o que fazer, estamos
implorando por sua ajuda” (2 Crônicas 20:12).
Então Deus lhes disse: “Não tenhas medo nem desanime por
causa deste vasto exército. Pois a batalha não é sua, mas de
Deus ” (2 Crônicas 20:15).

Numa citação do Pr. Hernandes Dias Lopes ele diz:

“Oração é unir a fraqueza humana com a onipotência divina.


Oração é conectar o altar da terra com o trono do céu.
Oração é quando juntamos nossa impossibilidade com o
Deus que tudo pode.”

“Pois não temos força para enfrentar esse exército imenso


que vem nos atacar. Não sabemos o que fazer, mas os
nossos olhos se voltam para ti” 2 Crônicas 20:15 (NVI).

A resposta do Senhor veio por meio de Jaaziel, filho de Zacarias,


neto de Benaia, bisneto de Jeiel e trineto de Matanias, levita e
descendente de Asafe (2Cr 20:14).

Deus quer a mesma coisa de você: Ele quer que você pare de travar
batalhas e deixe que ele as lute por você.

A história de 2 Crônicas continua: “Você não terá que lutar


nesta batalha. Assuma suas posições; fica firme e vê a
libertação que o SENHOR te dará. . . Não tenha medo; Não
seja desencorajado. Saia para enfrentá-los amanhã, e o
Senhor estará com você ” (2 Crônicas 20:17).

Não são essas ordens estranhas? Deus está dizendo ao exército de


Israel para ir ao campo de batalha, mas não para lutar.
Aplicação

No que quer que você esteja enfrentando hoje, é isso que


Deus está pedindo a você também. Ele está pedindo para
você ficar firme, em uma confiança tranquila nele. Ele está
pedindo para você não ter medo ou desanimar.
Se você fugir de seus inimigos - de seus problemas – a
situação não vai mudar. Deus quer que enfrentemos nossos
inimigos, más confiando na vitória pelo Senhor.
O que quer que você esteja lutando hoje, confie em Deus
para vencer a batalha por você.

Perguntas de aplicação:

 Que batalha você está lutando com suas armas e seus


recursos? Porque as armas da nossa milícia não são
carnais, mas sim poderosas em Deus para destruição
das fortalezas; 2 Coríntios 10:4

 Por que devemos confiar em Deus para lutar por você?


 O que você consegue lembrar quando se sente com medo ou
desanimado?

2 – A adoração a Deus como arma de batalha


Quando Israel e seu rei, Josafá, foram superados em número por
três nações inimigas, o rei optou por não se preocupar.
Em vez disso, o rei Josafá levou seu povo a adorar a Deus.

Josafá direcionou o povo a adoração a Deus pela vitória


antecipadamente.
Estava quase na hora de começar a batalha, e Israel estava de um
lado do vale, seus inimigos do outro.

Nas grandes crises o povo foi conclamado a orar e jejuar,


nas grandes crises o Senhor deu livramento ao seu povo,
mediante a oração e jejum e nós precisamos aprender esta
lição.
“Aconselhou-se com o povo e ordenou cantores para
o SENHOR, que, vestidos de ornamentos sagrados e
marchando à frente do exército, louvassem a Deus, dizendo:
Rendei graças ao SENHOR, porque a sua misericórdia dura
para sempre.” (2 Crônicas 20:21).

Em vez de escolher guerreiros para liderar as tropas na batalha, o


rei montou um coro. Podemos imaginar o que aqueles homens
pensavam enquanto caminhavam, cantando e desarmados, no
campo de batalha? Pegaram os instrumentos ficaram de prontidão,
se juntou com os vocais do coral e partiram cantando “Rendei
graças ao Senhor, porque a sua misericórdia dura para sempre.”

Avançaram louvando e adorando, porque apesar de não estarem


equipados com munições e espadas, estavam confiando no maior
general de guerra.
Judá se voltou a Deus, as escrituras e sabiam dos feitos de Deus,
Josafá havia promovido uma reforma espiritual em todo reino do
Sul.

Então os levitas saíram na frente louvando e adorando ao Senhor,


enquanto o exercito de mais de um milhão de soldados os seguiam
atrás. Más no ver.22

“Tendo eles começado a cantar e a dar louvores, pôs


o SENHOR emboscadas contra os filhos de Amom e de Moabe
e os do monte Seir que vieram contra Judá, e foram
desbaratados. Os amonitas e os moabitas atacaram os dos
montes de Seir para destruí-los e aniquilá-los. Depois de
massacrarem os homens de Seir, destruiram-se uns aos
outros.” (2 Crônicas 20:22-23).

Algumas vezes nos pegamos adorando a Deus e cantando louvores


durante o nosso dia, essa é a atitude de quem tem um
relacionamento com o Pai, um coração adorador recorre ao reino.

Apesar da estranheza da estratégia, os homens obedeceram. O coro


marchou em frente ao exército, declarando o amor interminável de
Deus e agradecendo antecipadamente por entregá-los.
É assim que Deus também quer que você se aproxime de suas
batalhas. Deus quer que você lhe agradeça antecipadamente por
resolver seus problemas. Deus quer que confiemos nEle, e isso não
se ensina é pela fé. Nós não estamos vendo nada, más o nosso
Deus é o Deus da guerra.

“Pela fé, Abraão, sendo chamado, obedeceu, indo para um


lugar que havia de receber por herança; e saiu, sem saber
para onde ia. Pela fé, habitou na terra da promessa, como
em terra alheia, morando em cabanas com Isaque e Jacó,
herdeiros com ele da mesma promessa.” HB 11.8-9.

O agir de Deus começou a se tornar evidente quando no


versículo seguinte, vemos o efeito desse plano de batalha
incomum:

O povo de Deus nem precisou pegar uma arma.


Eles experimentaram da confiança plena no Senhor.

“Deleita-te também no Senhor, e te concederá os desejos


do teu coração. Entrega o teu caminho ao Senhor; confia
nele, e ele o fará.” (Salmos 37:4,5).

Isso é o que Deus quer para você e para mim também. Ele quer que
baixemos nossas armas - todas as maneiras pelas quais você está
tentando resolver seus problemas por conta própria.
Devemos confiar nele enquanto enfrentamos o inimigo. Muitas
vezes os nossos recursos não nos traz o resultado esperado.

Agradeça a ele pelas vitorias e libertação. Deus luta em seu


favor.

Perguntas práticas

 Que batalhas estão no horizonte da sua vida hoje? Quais armas


e recursos você tem usado para travar suas batalhas?
Traga a memoria aquilo te traz esperança.

 Lembremos dos livramentos que o Senhor já nos concedeu.


“Quero trazer à memória o que me pode dar
esperança. As misericórdias do Senhor são a causa de
não sermos consumidos, porque as suas misericórdias
não têm fim; renovam-se cada manhã. Grande é a tua
fidelidade. A minha porção é o Senhor, diz a minha
alma; portanto, esperarei nele.” LM 3.21-24.

 Podemos praticar esta experiência ao orar e expressar sua


gratidão a ele ao invés de reclamar. Podemos passar alguns
minutos orando com fé, agradecendo a Deus antecipadamente
pela vitória sobre nosso inimigo.

3 – Junto com a vitória vem a benção do


Senhor.

No final de 2 Crônicas 20, há uma cena dramática: Deus acabou de


fazer com que os inimigos de Israel se voltassem um contra o
outro.

“Quando os homens de Judá foram para o lugar de onde se


avista o deserto e olharam para o imenso exército, viram
somente cadáveres no chão; ninguém havia escapado.
Josafá e os seus soldados foram saquear os cadáveres e
encontraram entre eles grande quantidade de
equipamentos e de roupas e também objetos de valor;
passaram três dias saqueando, mas havia mais do que eram
capazes de levar”(2 Crônicas 20:24-25 NVI).

Ao longo desta história, o povo de Deus escolheu adorá-lo, em vez


de se preocupar. Eles permitiram que Deus resolvesse seus
problemas, em vez de lutarem eles mesmos pela batalha. O
resultado final foi mais bênção do que eles poderiam suportar.

Ele demoraram 3 dias para pegar os despojos, era muita coisa que
ficou, entre roupas e tesouros.
Eles voltaram e foram pra igreja, para o templo e na casa de Deus
eles agradeceram. Muitas vezes recebemos uma benção e vamos
pra praia.

“No quarto dia eles se reuniram no vale de Beraca, onde


louvaram o SENHOR. Por isso até hoje esse lugar é chamado
vale de Beraca. Depois, sob a liderança de Josafá, todos os
homens de Judá e de Jerusalém voltaram alegres para
Jerusalém, pois o SENHOR os enchera de alegria, dando-lhes
vitória sobre os seus inimigos” (2 Crônicas 20:26-27 NVI).

Judá confiara em Deus para vencer a batalha por eles. E ele fez,
mas ele também excedeu as expectativas deles. A batalha foi
vencida e eles foram para casa mais ricos. Deus os abençoou física
e espiritualmente.

Aplicação

Se você está travando uma batalha avassaladora hoje, Deus


quer levá-lo ao vale das bênçãos. Isso acontece quando
você escolhe adorar em vez de se preocupar. Ele pode não
te livrar da batalha , más na batalha.

3 Exemplos de confiança:

1 – Davi no Salmo 40.3: Pôs um novo cântico na minha boca,


um hino de louvor ao nosso Deus. Muitos verão isso e
temerão, e confiarão no SENHOR.

Mesmo na perseguição Davi tinha um cântico novo nos lábios

2 – Sadraque, Mesaque e Abdnego em Daniel 3:7-18: Se formos


atirados na fornalha em chamas, o Deus a quem prestamos
culto pode livrar-nos, e ele nos livrará das suas mãos, ó rei.
Mas, se ele não nos livrar, saiba, ó rei, que não
prestaremos culto aos seus deuses nem adoraremos a
imagem de ouro que mandaste erguer".

Os 3 jovens não se prostraram em meio a situação que foi imposta.

3 – Habacuque 3:17-19: Porque ainda que a figueira não


floresça, nem haja fruto na vide; ainda que decepcione o
produto da oliveira, e os campos não produzam
mantimento; ainda que as ovelhas da malhada sejam
arrebatadas, e nos currais não haja gado;
Todavia eu me alegrarei no Senhor; exultarei no Deus da
minha salvação. O Senhor Deus é a minha força, e fará os
meus pés como os das cervas, e me fará andar sobre as
minhas alturas.

Confiar em Deus em meio a crise é exercitar a fé num Deus que tudo


pode.

Conclusão

Depois de vermos oque ocorreu com o reino de Judá, podemos


entender que não é por nossa força que conseguimos o êxito em
meio às crises.

Estamos em meio a uma situação inédita global e não sabemos o


desfecho, talvez alguns dos nossos tenha caída em meio a batalha
ou seu conflito interno.
Aprendemos hoje que embora estejamos amedrontados como
Josafá e ao olhar ao redor parece que iremos ser destruídos pelo
inimigo.

Josafá não hesitou em trazer a memoria as promessas e se pôs em


posição de combate buscando ao Deus que tudo pode.

Podemos louvar a Deus por sua misericórdia e bondade


antecipadamente, crendo, pela fé Ele agirá em nosso favor.

Pode estar difícil, más continue buscando, continue adorando e


louvando ao criador.

Haverá situações que a voz não sairá, más suspire exaltando a


Deus.

O povo de Judá experimentou crer e louvar antecipadamente e foi


abençoado com uma vitória sobrenatural e a consequência foi
vencer a batalha, pegar muitos despojos. (2CR 20.22-30).

Ângelo Ribeiro 17/04/2020. ADF Guarapiranga.

Você também pode gostar