Você está na página 1de 384

ISRAEL BELO DE AZEVEDO

BOM DIA AMIGO


2016

Igreja Batista Itacuruçá

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 1 29/09/2015 18:05:51


Bom dia amigo
Israel Belo de Azevedo
Rio de Janeiro – Igreja Batista Itacuruça, 2016.
384 páginas

ISBN – 978-85-68190-02-9
248 A994b
1. Religião – Reflexões. I. Título.

Copyright © 2016, Israel Belo de Azevedo

Equipe de voluntários:
Capa: Marcelo Leiroz Pinto (sobre foto de Miriam Farid)
Revisão: Amurabe Farel Bernardes de Andrade, Ana Maria Suman Gomes,
Genilse Pinheiro, Itamar Alves, Margarethe Távora
Projeto gráfico e diagramação: Sonia Peticov

Primeira edição — Janeiro de 2016

Publicado pela Igreja Batista Itacuruçá.

Praça Barão de Corumbá, 49 – Tijuca


20 510.170 - Rio de Janeiro, RJ
www.itacuruca.org.br
(021) 33449700

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 2 29/09/2015 18:05:52


Este é um presente de

para

com a esperança de que a leitura de cada


texto seja palavra de Deus para você.

MENSAGENS DIRETAS DIA APÓS DIA

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 3 29/09/2015 18:05:52


Para você, com esperança
Preparamos este livro com o desejo de que acompanhe sua vida
cada dia neste ano.
BOM DIA AMIGO contém reflexões mensais, apresentadas em
forma de poemas, e meditações para cada dia.
Cada página contém um pensamento, extraído de diferentes
fontes, uma meditação original e um versículo do livro dos Salmos
da Bíblia.
Ao final de cada página, há a indicação para a leitura de uma par-
te da Bíblia. Se você ler todas as seções indicadas, terá lido toda
a Bíblia — uma coletânea de 66 livros — ao final do ano, numa
jornada capaz de transformar a sua vida. (Nesta leitura, se você
encontrar algum desafio e tiver alguma pergunta, escreva para o
autor, que lhe responderá.)
Nosso desejo é que este BOM DIA AMIGO 2016, que chegou às
suas mãos pela iniciativa de algum amigo ou amiga, inspire você a
fruir uma vida de qualidade eterna.
Com esperança, por estarmos juntos,

Israel Belo de Azevedo


israelbelo@gmail.com

Igreja Batista Itacuruçá (Tijuca, Rio de Janeiro, RJ)


www.itacuruca.org.br

BOM DIA AMIGO


www.bomdiaamigo.com.br

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 4 29/09/2015 18:05:52


Para ler no dia
do seu aniversário
Só por um dia
Quando você fizer aniversário, não deixe esse dia ser como qual-
quer outro.

1. Reúna os familiares, para um tempo de comemoração. Chame


até aqueles com quem esteja com os laços estremecidos.
Cante com todos. É a sua vida se renovando.
2. Reúna os amigos. Prepare-se para gastar dinheiro com uma
festa, que pode ser simples, mas tem que ter festa.
3. Escolha uma música e deixe que ela permaneça junto ao seu ou-
vido. Se não for uma canção, escolha uma citação, uma frase
ou uma atitude, que lhe sejam companheiras o dia inteiro.
4. Relaxe. Ponha as pernas pro ar. Não é dia de ser de ferro.
Não trabalhe, se puder.
5. Passe longe daquilo que for desagradável. Fique longe das
mensagens desagradáveis, que não fazem bem.
6. Agradeça a Deus por este tão grande presente, que é a sua vida.
Registre de alguma forma a sua gratidão. Presenteie al-
guém. Escreva uma página de recordação.
7. Agradeça quem se lembrou do seu aniversário. Agradeça quem
procurou. Não anote os nomes de quem se esqueceu.
8. Peça aos que vão lhe dar presente, para o enviarem a algum pro-
jeto social que você apoia, no qual você acredita. Um abraço lhe
basta. Um sorriso lhe é suficiente.
9. Peça a Deus para fazer aniversário de novo. Não peça muitos
anos de vida, mas um, só um, de cada vez.
10. No dia seguinte, faça uma revisão da sua vida. Veja como fazer
melhor o que você faz.

Torne melhores seus próximos 364 dias. Cada um deles é um


presente, mas o do seu aniversário é especial, como um grande
conteúdo embrulhado num papel muito bonito. Desfrute a sua
vida todos os dias, sobretudo no dia do seu aniversário.

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 5 29/09/2015 18:05:52


JANEIRO
Raízes para cima
(Salmo 1)

Não quero ter raízes no chão fincadas.


Quero-as no céu espalhadas,
para receber seiva que alimenta,
para ter a força que sustenta.

Não quero fazer meu caminho na estrada


mais comumente trilhada,
levado para onde tantos vão
como se não houvesse outro portão.

Quero conectadas minhas raízes


com as fontes que percorrem o céu
para fazer as almas felizes.

Quero ficar firme, em pé,


raízes apontadas para cima
de onde vem a força que as anima.

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 6 29/09/2015 18:05:52


A paz vem quando não há nenhuma

JANEIRO
1 nuvem entre nós e Deus.
Charles H. Brent

A escolha
(Dia Mundial da Paz)
Todos somos alvos de uma pressão, para que nos comportemos de
um modo padronizado.
Diante disto, antes de nos deixarmos influenciar, devemos in-
fluenciar. Não precisamos fugir do grupo, mas podemos mudá-lo,
a menos que notemos que estamos perdendo a batalha e, se persis-
tirmos, corramos o risco de nos perdermos juntos.
Não temos que pensar o que todo mundo pensa, usar o que todo
mundo usa, frequentar o lugar que todo mundo frequenta. Somos
livres para influenciar e livres para sermos influenciados.
Se queremos influenciar as pessoas de modo positivo, devemos
seguir o roteiro apresentado pela Bíblia. Os salmos bíblicos estão
repletos de orientações para uma vida plena de esperança.
Precisamos olhar o mundo com os olhos de Cristo, disposição
que nos faz ter nossas raízes plantadas junto ao riacho de onde
vem água pura.
Precisamos permitir que a Palavra de Deus cresça em nós. Isto
acontece quando levamos a sério seus ensinamentos, o que nos
habilitará a estar prontos para dar a razão da esperança que move
nossa vida.
Precisamos ser críticos de nossas próprias práticas e das práti-
cas do mundo em que estamos, uma vez que a maioria se deixa
influenciar por uma minoria. Por que pensamos de certo modo,
gostamos de certas coisas e aprovamos determinadas atitudes?
Não precisamos seguir a onda. Por melhor que seja, a onda é pés-
sima, porque não é algo que sai de dentro de nós, mas vem de fora.
É sempre uma imposição.
A nossa satisfação deve ser conhecer e seguir as recomendações
de Deus para termos uma vida verdadeiramente boa.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 1 e Marcos 1 a 3
“Bem-aventurado o homem que não anda no conselho dos ímpios, não
se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escar-
necedores”. (Salmo 1.1)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 7 29/09/2015 18:05:52


A adversidade é nossa mãe;

JANEIRO
2 a prosperidade é apenas uma madrasta.
Montesquieu

Uma vida além


das intenções
Temos um ano todo pela frente. Como iremos terminá-lo?
Temos uma vida toda pela frente. Como iremos vivê-la?
Conhecemos pessoas que, como alguns jogadores de futebol,
nunca deixaram de ser “promessas”. São pessoas que passam a vida
esperando alguma coisa boa lhes acontecer, mas nada (ou quase
nada) fazem para que coisas boas aconteçam.
Prometem que vão estudar, mas não estudam. Garantem que
vão emagrecer, mas não começam seriamente um programa de re-
educação. Afirmam que desejam reclamar menos, mas continuam
pondo a culpa nos outros.
Algumas são muito capazes, mas não transformam sua capaci-
dade em realização.
São pessoas que se contentam com as migalhas que lhes caem da
mesa, quando poderiam se assentar à cabeceira.
Quem deseja realmente viver tem que desejar realmente viver. Uma
vida boa, no entanto, não se contenta com desejos. Vai além.
Quem quer realmente viver precisa saber que a vida requer es-
forço, nem sempre recompensado à sua altura, mas o esforço é
sempre algo digno. O jogador que quer ser titular tem que treinar
mais do que os que já estão no time principal.
Quem quer realmente viver precisa de metas claras, alcançáveis.
Quem, por exemplo, quer aprender vários idiomas precisa apren-
der o primeiro deles. Quem quer ser chefe no emprego tem que
começar comandado.
A atitude perante a vida prepara a derrota ou a vitória. Vale a pena
viver, por mais que a condição atual escancare a porta para o pessi-
mismo. Viver de cabeça erguida tem um preço, mas custa menos que
viver de cabeça baixa, achando que nada vai dar certo.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 2 e Marcos 4 a 6
“Servi ao SENHOR com temor e alegrai-vos nele com tremor”.
(Salmo 2.11)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 8 29/09/2015 18:05:52


Com Deus, nenhum problema é grande

JANEIRO
3 demais e nenhum detalhe é pequeno demais.
Woodrow Kroll

No caso de ser o seu caso


A Bíblia conta a história de um cego que foi curado por Jesus (Mar-
cos 10.46-52).
Morador de uma cidade de porte médio, quando soube que Jesus
passaria por perto, posicionou-se num lugar onde poderia ser vis-
to. Quando o alarido revelou que Jesus se aproximava, ele começou
a gritar pedindo insistentemente que o Mestre olhasse para ele.
Jesus mandou lhe chamar. Imediatamente, ele se levantou, li-
vrou-se da sua capa e se aproximou do Salvador, que lhe perguntou
o que queria e ele não pediu esmola. Pediu para ser curado. E foi.
O grande gesto do cego Bartimeu foi lançar fora a sua capa, capa
que o protegia e o limitava.
Se for o seu caso, lance fora sua biblioteca de amarguras.
Se for o seu caso, lance fora a convicção de que só lhe acontecem
coisas ruins, como se tudo conspirasse contra você. Jesus, no caso, in-
tercedeu a favor de Bartimeu. Uma sucessão de coisas ruins é apenas
uma sucessão de coisas ruins e não toda uma vida ruim.
Se for o seu caso, lance fora a ideia de que a vida acabou. Por mais
duras que sejam as suas condições, a vida não acabou. Bartimeu
era cego, mas seu projeto de vida era voltar a ver. E ele viu. A vida
pode ser recomeçada a qualquer hora.
Se for o seu caso, lance fora a atitude de que não adianta lutar.
Não adianta lutar sozinho, mas adianta lutar tendo a Jesus ao lado.
Pedro lutou contra o seu temperamento e Deus o transformou.
Davi lutou contra sua sexualidade desenfreada e Deus o transfor-
mou. Jacó lutou contra sua desonestidade e Deus o transformou.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 3.1-4 e Marcos 7 a 11
“Com a minha voz clamo ao SENHOR, e ele do seu santo monte me
responde”. (Salmo 3.4)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 9 29/09/2015 18:05:52


O leão não é tão feroz quanto o pintam.

JANEIRO
4 George Herbert

Noites tranquilas
Dormir tranquilo é o sonho de muitas pessoas, especialmente da-
quelas que têm dificuldade para pegar no sono.
Entre estas, estão algumas que têm distúrbios, que devem ser
tratados por profissionais.
Os problemas precisam de avaliação e cuidado, sempre de modo
responsável. Se há pessoas que se recusam a tomar um remédio ca-
paz de repor o que lhes falta no corpo, há outras que tomam remé-
dios desnecessariamente, para evitar qualquer desconforto. Ora, um
pouco de desconforto pode fazer parte da vida e não necessariamen-
te temos que tomar uma pílula para calá-lo.
Há também pessoas que não pegam no sono por excesso de pre-
ocupações ou mesmo por cansaço demasiado. Elas também devam
cuidar para que não percam horas necessárias para o repouso.
Um dos cuidados que precisamos é conhecer nosso próprio cor-
po e, a partir daí, desenvolvermos hábitos saudáveis, que contribu-
am para uma noite bem dormida.
Além dos cuidados corporais, há os cuidados espirituais. Todos
precisamos desenvolver a confiança em Deus. Tendo trabalhado o
dia inteiro, confiantes em Deus que nos abençoa em nossas ativi-
dades, temos certeza de que Deus continuará trabalhando por nós
enquanto repousamos. Precisamos confiar, como o salmista, que
Deus nos protege.
Fizemos o que devíamos ter feito? Podemos dormir tranquilos.
Não fizemos? Podemos pedir sinceramente perdão pelos nossos
pecados, experimentar a alegria do perdão e, por fim, dormir sos-
segados.
Uma manhã é um dom de Deus. Confiemos.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 3.5-8 e Marcos 12 a 14
“Deito-me e pego no sono; acordo, porque o SENHOR me sustenta”.
(Salmo 3.5)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 10 29/09/2015 18:05:52


O homem é um aprendiz, a dor a sua mestra.

JANEIRO
5 Alfred de Musset

Quando as adversidades
parecem nos sufocar
Há momentos na vida em que imaginamos, mesmo sabendo que
isto é impossível, que Deus está aborrecido conosco e resolveu des-
pejar sua ira sobre nós.
Quem não se sente assim, por vezes, diante do silêncio de Deus?
Quem não se sente como um poeta da Bíblia que se disse cansado
de tanto gemer, exausto de tanto chorar, envelhecido de tanto su-
plicar, confuso de tanto esperar?
Parece que nossos ossos vão ser moídos; nosso coração dispara; o
ar falta; a vida parece estar próxima do fim. Nesses momentos não
sabemos o que pedir, senão misericórdia.
Muitas pessoas vivem este drama. Nós mesmos podemos estar
vivendo na adversidade.
O mesmo sofrimento ocorreu com diversos homens e mulheres
da Bíblia. Um deles, um poeta, nos conforta, narrando sua própria
experiência. Ele registra que Deus ouviu o seu lamento. Embora te-
nha demorado, o seu choro foi encerrado pela bondade de Deus. O
poeta nos mostra que, nas horas difíceis, precisamos nos lembrar
da graça de Deus.
Quando oramos, esta certeza deve nos mover.
Quando agimos assim e esperamos, percebemos Deus ouvindo a
nossa oração e atendendo ao nosso pedido.
E a paz vem.
Então sabemos que Deus não está aborrecido conosco, que va-
mos suportar as adversidades, que sempre somos alvos da bonda-
de do nosso Senhor, a quem podemos cantar “aleluias”.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 4 e Marcos 15 a 16
“Responde-me quando clamo, ó Deus que me fazes justiça! Dá-me alí-
vio da minha angústia; tem misericórdia de mim e ouve a minha ora-
ção”. (Salmo 4.1)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 11 29/09/2015 18:05:52


A adversidade desperta em nós capacidades que, em

JANEIRO
6 circunstâncias favoráveis, teriam ficado adormecidas.
Horácio

Você não é Caim


O caminho seguido por Caim para enfrentar o seu problema foi
fugir. Depois que seu erro foi descoberto, o filho de Adão e Eva saiu
da presença de Deus, seguindo o padrão de seus pais. Podemos se-
guir este mesmo passo. Diante de um conflito, podemos nos tornar
peregrinos em busca de lugares onde as pessoas não nos causem
dano. Podemos fugir de nós mesmos, nunca enfrentando nossos
próprios problemas. Não enfrentamos nossos conflitos interiores,
quando fazemos de conta que eles não existem ou não têm solução.
Somos, nessa condição, peregrinos dentro de nós mesmos, sem
nos encontrar verdadeiramente, sem uma vida com boa qualidade.
Podemos fugir dos lugares, nunca enfrentando os dilemas que
encontramos onde nos achamos naquele momento. Se o colega de
trabalho nos perturba, pedimos transferência ou saímos do empre-
go. Se o chefe nos persegue, ficamos apavorados e buscamos outras
paragens. Se o casamento nos causa dano, em lugar de resolver as
dificuldades, saímos do relacionamento, em vez de buscar uma ajuda
que nos ajude a conviver com as diferenças. Se o professor não é justo
conosco, trancamos a matrícula no curso. Se um amigo nos decep-
ciona, procuramos um ambiente em que ele não esteja. Pode ser que
o desconforto nos encontre no próximo endereço. Quando fugimos,
transferimos para amanhã o dia em que a felicidade será a nossa casa.
Uma boa alternativa é uma recusa: recusemo-nos a ser Caim. Se
pecamos, peçamos perdão; se ferimos alguém, fazendo um inimigo,
peçamos perdão. Se não erramos e ainda assim nos sentimos rejeita-
dos, como se tivéssemos falhado, decidamos enfrentar o problema.
Enfrentar dói, mas dói menos do que fugir de um lugar após o
outro. Enfrentar dói, mas confrontar o que nos perturba dói menos
muito e abre uma avenida de esperança na nossa história.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 5 e Gênesis 1 a 3
“De manhã ouves, Senhor, o meu clamor; de manhã te apresento a mi-
nha oração e aguardo com esperança”. (Salmo 5.3)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 12 29/09/2015 18:05:52


Devemos encontrar tempo para parar e agradecer às

JANEIRO
7 pessoas que fazem diferença em nossas vidas.
John F. Kennedy

Felizes os que agradecem


Felizes são os que, tendo pedido, agradecem o que receberam, seja
de um amigo de Deus, seja do Deus amigo. Os que não pediram, ou
não se lembram de ter pedido, mas agradecem o que receberam,
são também felizes.
Sábios são os que, importando-se com o outro, mesmo havendo
um preço a ser pago, interessam-se pelo outro e lhe dão a mão, seja
por meio de um olhar compreensivo, de um ombro firme, de uma
lágrima irmã, de um abraço doce, de um sorriso receptivo, de uma
palavra consoladora, de um gesto aproximador, de um passeio inu-
sitado, de uma generosa doação em dinheiro, de uma atenção à sua
história, todas experiências postadas por Deus no nosso caminho
de uma vida a caminho de ser sábia.
Realizados são os que olham para dentro de si mesmos e veem
sombra e veem beleza iluminando os seus desejos, mas já tomaram
a decisão de querer, de todo o coração, que a beleza tome conte de
toda a sua vida, a vivida dentro e a que floresce fora, no jardim dos
projetos pessoais, na encruzilhada dos relacionamentos, no eleva-
dor das realizações.
Agradecer demanda aprendizagem. A aprendizagem começa
com o desejo de agradecer. Depois da decisão, vem o exercício. A
aula dura a vida toda, mas o conhecimento adquirido vale a pena,
porque faz com que agradecer seja natural em nós.
Ser grato o dia todo e todos os dias, diante dos eventos da vida,
como se fosse a nossa natureza, deve ser o desejo de todos.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 6 e Gênesis 4 a 7
“O Senhor ouviu a minha súplica; o Senhor aceitou a minha oração”.
(Salmo 6.9)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 13 29/09/2015 18:05:52


A felicidade existe e eu sou testemunha!

JANEIRO
8 Para mim, felicidade é compartilhar a vida
com quem se ama! Compartilhar a vida!
Com suas lutas, derrotas e vitórias.
Acidalia Tymchak

A felicidade existe (1/12)


Para muitas pessoas, ser feliz é ter saúde. Entre as pessoas felizes,
no entanto, estão algumas que convivem com doenças permanen-
tes, suportando a ausência de órgãos como os olhos, por exemplo.
Saúde produz bem-estar, mas não necessariamente gera felicidade.
Talvez a maioria das pessoas pense que ser feliz é ter dinheiro,
com tudo o que ele possibilita em termos de consumo. A cada se-
mana, diante das lojas lotéricas, formam-se filas imensas com pes-
soas que, sem reclamar, esperam a hora para fazer suas apostas em
busca dos milhões à disposição. Dinheiro permite aventuras, mas
não obrigatoriamente descortina a felicidade.
Muita gente considera como felicidade o reconhecimento que
vem em forma de fama e aplausos. Prestígio não traz felicidade.
Alguns imaginam que o conhecimento, algo valorizado pela so-
ciedade da informação, traz a felicidade. Um diploma na parede é
apenas um diploma na parede. Outros procuram preencher todo o
seu tempo, com trabalho, lazer e muitas atividades, como se o tem-
po não preenchido fosse tédio a ser evitado, e não apenas um tem-
po para descanso, reflexão e revisão a ser buscado. Por outro lado,
predomina cada vez mais a ideia de que a felicidade não existe. No
máximo, dizem essas pessoas, podemos desfrutar momentos fe-
lizes, mas não sermos felizes. A felicidade existe, desde que não
dependamos daquilo que nos pode faltar. Não devemos depender
do dinheiro, esse pássaro que voa; nem do poder, essa planta que
morre, nem de relacionamentos, essa areia que se move; nem da
profissão, esse brilho que se esquece; nem da paixão, esse fogo
que se apaga. A felicidade existe se dependemos de Deus, que não
mente, não dorme, não falha e não muda. [CONTINUA em 15/2]
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 7.1-9 e Gênesis 8 a 11
“O Senhor é quem julga os povos. Julga-me, Senhor, conforme a minha
justiça, conforme a minha integridade”. (Salmo 7.8)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 14 29/09/2015 18:05:52


“Aqui é Dom Helder. Está preso aí (na delegacia)

JANEIRO
9 o meu irmão”.
O policial levou um susto.
“Seu irmão, eminência?”. “É. Apesar da diferença de
nomes, somos filhos do mesmo Pai....”
Zildo Rocha

Por causa de Deus


Nós nos alegramos quando um sonho se torna uma realidade em
nossas vidas, mas logo acalentamos outros sonhos.
Nós nos alegramos porque fizemos uma viagem que muito dese-
jávamos, mas o efeito do prazer aos poucos se perde na memória.
Nós nos alegramos porque adquirimos uma propriedade que
julgamos importante para nossas famílias, mas logo passamos a
desejar outros bens.
Nós nos alegramos porque participamos de uma festa que nos
enche de prazer, mas ela não demora em acabar.
Uma maneira de conservar nossa alegria é vivenciar situações
que nos dão prazer. Isso exige esforços sempre constantes. Chega
um momento em que ficamos sozinhos, porque, afinal, a vida não
é uma sucessão de eventos. Por mais que nos alegremos, trabalha-
mos pesado, experimentamos conflitos e até nos afligimos.
Se a nossa confiança está em Deus, não dependeremos de reali-
zações ou de momentos para nos sentir bem. As realizações, aqui-
sições e festas são bem-vindas, mas serão vividas na perspectiva de
que são passageiras.
Se o prazer maior da vida está concentrado num relacionamento
de amor com Deus, nós nos alegramos por causa dele e na experi-
ência do seu amor para conosco, amor que festejamos com louvo-
res ao Deus Altíssimo.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 7.10-17 e Gênesis 12 a 15
“Darei graças ao Senhor por sua justiça; ao nome do Senhor Altíssimo
cantarei louvores”. (Salmo 7.17)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 15 29/09/2015 18:05:52


O Deus sábio o suficiente para criar a mim e o mundo

JANEIRO
10 em que vivo é sábio o suficiente para cuidar de mim.
Philip Yancey

O primeiro passo
Quando uma doença no corpo, seja suave e persistente ou grave e
devastadora, nos cassa a alegria e nos tolhe a esperança, precisamos
reconhecer que podemos lutar para que a saúde volte, com decisões e
disciplinas que nos tragam mais prazer ou menos dor. Quando uma
doença emocional, como, por exemplo, a depressão, que nos suga
toda a vontade de viver, nos alcança, precisamos reconhecer, em-
bora seja muito difícil, que devemos procurar ajuda.
Quando ofendemos alguém ou nos sentimos ofendidos por al-
guém e vamos vendo nossas vidas sendo corroídas pela praga da
mágoa, precisamos reconhecer que devemos tomar, mesmo que
doa, a iniciativa da reconciliação. Quando, por iniciativa própria
ou seguindo a onda, trilhamos o percurso da corrupção, oferecen-
do ou recebendo vantagens indevidas, precisamos reconhecer que
estamos errados, inapelavelmente errados.
Quando, diante de um hábito que sempre fez parte do nosso
jeito de ser, seja o da precipitação ou da procrastinação, seja o da
indisciplina nos horários e nas tarefas, seja o da alimentação noci-
va, precisamos reconhecer que será necessário mudar, em busca de
mais qualidade de vida. Quando percebemos que nossa vida parou,
por razão que sabemos ou por razão que sequer imaginamos, pre-
cisamos reconhecer que podemos voltar a existir, desejando, so-
nhando, projetando, realizando. Quando olhamos para aquilo que
sempre acreditamos e descobrimos, lendo a Bíblia, que estamos no
caminho que não deveria ser o nosso, e decidimos crer como Deus
espera que creiamos, teremos dado o primeiro passo.
E o primeiro passo deve ser acompanhado do segundo.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 8 e Gênesis 15 a 18
“Quando contemplo os teus céus, obra dos teus dedos, a lua e as es-
trelas que ali firmaste, pergunto. Que é o homem, para que com ele
te importes? E o filho do homem, para que com ele te preocupes? Tu o
fizeste um pouco menor do que os seres celestiais e o coroaste de glória
e de honra”. (Salmo 8.3-5)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 16 29/09/2015 18:05:52


Não decidir é decidir.

JANEIRO
11 Harvey Cox

A história de
uma intimidade
Deus escreve uma história conosco. E esta história é uma história
sagrada. Ao longo da Bíblia, como fez com Abraão, Ele nos convida
para escrever com Ele uma história, uma história sagrada.
Nossa profissão é parte desta história. Nosso casamento é par-
te desta história. Nossa vida é sagrada. É sagrada toda a história
que escrevemos em parceria com Deus. É sagrado todo o lugar onde
Deus é convidado para estar. É sagrada toda atividade humana de-
senvolvida com a consciência da missão, seja uma coisa pequena
(como um passeio, de férias), seja uma grande coisa (como atuar
num resgate de pessoas depois de um acidente).
Quando escrevemos nossa história sem que Deus seja convidado
para participar dela, não sabemos como vai terminar. Se Deus faz
parte desta história, temos intimidade com Ele; podemos peregri-
nar pelo deserto, mas nosso destino final será a terra prometida.
Temos intimidade com Deus quando desistimos de confiar em
nossa própria competência e permitimos que Deus nos torne com-
petentes para a salvação, isto é, tornando-nos justos por Deus,
por meio da morte de Jesus na cruz. Temos intimidade com Deus
quando entendemos que, sozinhos ou por nós mesmos, não somos
ninguém. Tudo o que somos foi Deus quem fez sem que o soubésse-
mos. Quando Ele nos salvou, estávamos mortos. Temos intimidade
com Deus quando confiamos nele. Confiar é mais que acreditar que
Ele responderá às nossas orações. Confiar é acreditar que Deus tra-
balha para nós, mesmo quando nada lhe pedimos. Confiar é mais
que acreditar: é saber que somos parte da sua família.
Foi assim que Abraão viveu. Podemos viver como ele.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 9.1-6 e Gênesis 19 a 23
“Ó SENHOR Deus, eu te louvarei com todo o coração e contarei todas
as coisas maravilhosas que tens feito”. (Salmo 9.1)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 17 29/09/2015 18:05:53


Não existe em nenhuma faculdade uma disciplina

JANEIRO
12 do egoísmo, mas não é preciso, é a própria experiência
social que nos vai fazendo assim.
José Saramago

A arte de matar
Ao longo da vida, matamos e fazemos viver, mesmo que não dispo-
nhamos de armas capazes de ferir.
Matamos quando vivemos na perspectiva de que a única pessoa
que interessa seja a gente mesma. Quando só os nossos desejos são
prioridades, quem está ao nosso redor vai definhando como uma
folha pisada no chão. Matamos quando, escravos das realizações
pessoais, só enxergamos metas a bater, dinheiro a ganhar, sexo a
desfrutar, aplausos a receber, como se não fossem conquistas que o
vento leva num vento ligeiramente mais forte.
Matamos quando, não compreendendo a dinâmica da alma,
condenamos os que sofrem, não damos a mão para os que estão
atravessando o vale da sombra da ansiedade, da insegurança, do
pânico ou da depressão, achando que, para atravessá-lo, basta-lhes
tomar coragem. Matamos quando nos recusamos a mudar os pa-
drões, que podem vir de longe na história da nossa família, mas
são ruins porque motivados pela satisfação dos próprios instintos,
mesmo que assassinos.
Diferentemente, porém, podemos fazer viver.
Fazemos viver quando o outro, em casa ou fora de casa, nos im-
porta, como alguém realmente igual a nós.
Fazemos viver quando, revisando nosso jeito de ser e de agir,
passamos ao outro a bola para que ele faça o gol e celebre.
Fazemos viver quando nos recusamos a ser insensíveis, embora
tenha sido esta a herança que nos tenha tocado no latifúndio da
infância. Então, decidimos sorrir, abraçar, ouvir, apesar do modo
como fomos moldados.
Fazemos viver quando aceitamos as pessoas como elas são e as
ajudamos a ser o que precisam ser.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 9.7-12 e Gênesis 24 a 27
“O SENHOR é um abrigo para os que são perseguidos; ele os protege
em tempos de aflição”. (Salmo 9.9)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 18 29/09/2015 18:05:53


Nós somos responsáveis pelo que fazemos,

JANEIRO
13 mas também pelo que não fazemos.
Jean Moliére

É mais fácil
culpar os outros
Um jovem morreu depois de tomar excessivas rodadas de álcool
numa festa estúpida em que havia um concurso para eleger quem
bebia mais e mais rápido. Da polícia à família, as vozes se levan-
taram para dizer que a responsabilidade era dos organizadores da
macabra gincana por não terem disponibilizado uma ambulância
bem equipada. A responsabilidade não foi atribuída ao bêbado, que
livremente participou daquela roleta russa, nem aos fabricantes do
líquido mortífero. Antes que o assunto virasse apenas estatística,
nada se falou contra o modo de viver segundo o qual não se pode
viver sem álcool ou não se pode festejar sem excessos. Nenhuma
palavra se levantou contra os outros jovens que o pressionaram a
beber mais e mais.
Para não assumirmos culpas, negamos os fatos. Quando não po-
demos negá-los, jogamos a responsabilidade sobre os ombros de
outros, atribuindo-lhes fardos que são nossos. Quando a pressão
aumenta por causa de nossos erros, tendemos a fazer como aqueles
que, flagrados, explicam seus gestos e pedem discretas desculpas,
não porque tenham se arrependido, mas porque querem diminuir os
pesos que acham que talvez tenham que carregar.
Pessoas maduras erram. Erram privadamente. Erram publica-
mente. Quando erram, pessoas maduras pedem perdão.
Pessoas maduras sabem que pedir perdão nasce da confiança de
que Deus nos perdoa. Ele não nos livrará de ouvir as vozes que nos
condenam e nem mesmo das necessárias penas que precisaremos
cumprir, mas nos tirará do inferno da culpa que tínhamos e não te-
mos mais, porque fomos perdoados. O perdão nos faz viver em paz.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 9.13-26 e Gênesis 28 a 30
“Os pobres não serão esquecidos para sempre, e os necessitados não
perderão para sempre a esperança”. (Salmo 9.18)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 19 29/09/2015 18:05:53


Você pode ver Deus em todos os lugares se sua mente

JANEIRO
14 está pronta para amá-lo e obedecê-lo.
A.W. Tozer

Deus se importa
Qual o futuro dos explorados?
Pensemos numa criança que vive nas ruas, muitas vezes explo-
rada por adultos. Ou numa mulher vendida como escrava sexual.
Ou num trabalhador escravizado. Ou num grupo social condenado
a não ser livre.
A existência do sofrimento em geral e dos explorados em parti-
cular levou os poetas bíblicos a se perguntarem: “Meu Deus, onde
te escondes?”
O poeta brasileiro Castro Alves (1847-1871) demonstrou a mes-
ma indignação, quando cantou:
“Deus! ó Deus! onde estás que não respondes?
Em que mundo, em qu’estrela tu t’escondes
Embuçado nos céus?”
Ele não se aborrece quando fazemos perguntas como estas.
Deus parece longe, mas está perto.
Deus parece desaparecido, mas está presente.
Tanto é que aqui e ali, ele inspira pessoas que gritam por justiça
e lutam pela paz.
Em outras palavras, Deus se importa com as pessoas exploradas
através de pessoas livres.
E pessoas livres que não se importam com as pessoas exploradas
não são verdadeiramente livres, porque escravas da indiferença e
do desamor, que o egoísmo produz.
Deus parece desinteressado quando nós nos desinteressamos.
Permitiremos que as pessoas exploradas achem que Deus lhes
está distante?
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 10.1-14 e Gênesis 31 a 33
“Mas tu, ó Deus, vês e percebes o sofrimento e a tristeza e sempre estás
pronto para ajudar. Os que não podem se defender confiam em ti; tu
sempre tens socorrido os necessitados”. (Salmo 10.14)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 20 29/09/2015 18:05:53


Nós nunca oramos pelas pessoas sobre quem fofocamos

JANEIRO
15 e nunca fofocamos sobre pessoas pelas quais oramos.
Neste caso, a oração é um grande obstáculo.
Leonard Ravenhill

A maledicência mata
Chamamos de fofocas os comentários desfavoráveis que fazemos
sobre os outros.
“Fofoca” é palavra de possível origem africana e vem de “reme-
xer”; fofocar é remexer na vida alheia, como aquele que remexe a
lata do lixo, com a diferença que não procura o que serve, mas o
que não presta. A fofoca é como um furto, porque a pessoa se apro-
pria de uma história de vida que não é a sua.
Melhor que “fofoca” é a palavra “maledicência”, porque sua eti-
mologia revela o que tem de pior: é o ato de maldizer.
A maledicência não pode ser apenas um passatempo, como insi-
nuam as publicações especializadas em disseminá-las.
A maledicência destrói porque é uma invasão da privacidade
alheia. O maledicente compartilha notícias, falsas ou verdadeiras,
sobre pessoas que não aprovariam a maioria delas.
Escutar maledicências é ser cúmplice no assassinato do outro.
Andar “como mexeriqueiro” é “atentar contra a vida do próximo”
(Levítico 19.16). É pecado ouvir fuxico; é pecado passar adiante
uma informação não autorizada.
Com a proliferação da internet, há um outro tipo de maledicên-
cia, que vem no reencaminhamento de notas, algumas começando
assim: “Não sei se é verdade, mas, pelo sim, pelo não, encaminho a
mensagem que recebi...”. Quem repassa uma informação que pode
ser mentirosa mentiroso é. Antes de passar, devemos conferir; na dú-
vida, só nos cabe deletar. Nos comentários postados nas redes sociais
e nas páginas noticiosas, a maldade humana se revela em toda a sua
intensidade. Predominam os xingamentos, os palavrões, num ódio
gratuito, visando aniquilar pessoas ou ideias. Nossas palavras devem
ser sempre para bendizer.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 10.5-18 e Gênesis 34 a 36
“SENHOR Deus, tu ouvirás as orações dos que são perseguidos e lhes
darás coragem”. (Salmo 10.17)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 21 29/09/2015 18:05:53


Em nossa quietude, reconhecemos a grandeza de

JANEIRO
16 Deus e experimentamos a paz na vida. A quietude nos
enche da Presença de Deus.
E’yen A. Gardner

Diga “não”
Todas as vezes em que você for alvo de uma injustiça ou de uma
coleção de maldades, releia a história de José.
As crueldades que recebeu não produziram nele sentimentos de
pena de si mesmo (Gênesis 37-45).
Recordemos sua trajetória negativa: de filho predileto foi torna-
do escravo em terra estranha; de funcionário-padrão conheceu o
cárcere por fazer a coisa certa, ao recusar a tentação movida pela
patroa; de um homem cheio de sonhos virou um anônimo, um
prisioneiro; de arrimo de família foi abandonado pelos irmãos; na
prisão, foi esquecido pelo copeiro a quem ajudara num caso de vida
ou morte (Gênesis 40.23).
Por que José não cedeu à autocomiseração?
José sentiu o impacto do abandono, mas não se submeteu ao
desamparo. Ele chorou copiosamente, mas não ficou no choro.
José não permitiu que sua dor se tornasse um motivo para a
“piedade” dos outros. Ele não se transformou em vítima. Ele não
ficou procurando culpados para sua situação.
José teve uma perspectiva correta acerca dos fatos da sua vida,
marcada por quatro certezas: Deus estava na direção da sua vida;
Deus cuidava dele; Deus continuava Senhor até das situações ad-
versas; a sua vida tinha uma razão de ser.
Se queremos seguir as boas pegadas de José, devemos nos lem-
brar de quem somos para Deus (Salmo 8.5). Como José, devemos
ter sonhos, sonhos de grandeza e de vitória. Sonha quem tem a
cabeça erguida. Devemos, como José, externar os sentimentos de
perda, mas não nos deixar dominar por eles.
Não se torne um coitado. Tenha certeza do cuidado de Deus.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 11.1-3 e Gênesis 37 a 40
“Com Deus, o SENHOR, estou seguro. Não adianta me dizerem. ‘Fuja
como um pássaro para as montanhas’”. (Salmo 11.1)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 22 29/09/2015 18:05:53


Toda decisão tem uma consequência e todo caminho

JANEIRO
17 tem um destino.
Andy Stanley

As razões de uma decisão


Tomar decisões é um processo essencialmente racional, no qual
avaliamos as possibilidades e escolhemos uma delas, depois de pe-
sar as consequências.
Em nosso processo de decidir entram muitos vetores, entre os
quais a própria razão.
Tomamos decisões a partir daquilo que nossos pais decidiram
por nós. Nossas heranças pavimentam as estradas que percorre-
mos com grande sensação de liberdade.
Decidimos em função do cadinho ético e estético em que somos
fundidos, sob intenso calor e alta velocidade.
Dirigem nossas decisões os sentimentos paradoxais de amor e
raiva, alguns dos quais não sabemos porque nutrimos.
Precisamos humildemente reconhecer a fragilidade da nossa
mente, dócil diante dos dardos inflamados vindos em nossa direção.
Essa humildade deve incluir a difícil virtude de admitir o erro,
quando é o caso, e corrigir a rota, se for preciso. Se a decisão to-
mada não nos vai levar ao destino desejado, por que insistir nela?
Como achar, ainda assim, que decidimos racionalmente?
Para tomar uma decisão que justifique a etiqueta de racional,
precisamos vigiar as oportunidades que almejam decidir por nós,
tal qual a serpente do Jardim do Éden.
Uma decisão que nos conduza bem precisa ser antecedida pelo
discernimento, que põe de joelhos as influências que querem se
assenhorear de nós. O discernimento implica em conhecimento, a
começar pelo mais difícil, que é o de nós mesmos, mas inclui a com-
preensão da realidade de que somos parte e da qual fazem parte os
vetores que tornam tensa a tomada de uma decisão.
Nunca nos arrependemos quando decidimos bem.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 11.4-7 e Gênesis 41 a 44
“O SENHOR faz o que é certo e ama a honestidade; as pessoas que são
obedientes a ele viverão na sua presença”. (Salmo 11.7)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 23 29/09/2015 18:05:53


Deus ama tanto a cada um de nós como se não existisse

JANEIRO
18 ninguém mais a quem pudesse dedicar seu amor.
Agostinho de Hipona

Mais é menos
Há alguns anos, um homem de destaque em seu segmento con-
vidou um autor, que escrevera a história de uma outra pessoa no
mesmo segmento, para escrever então a sua biografia. Ele explicou
a escolha do biógrafo, mas não achou necessário justificar a biogra-
fia. Era algo evidente, razão pela qual ficou perplexo com a recusa
ao trabalho por parte do escritor.
Os editores têm que rejeitar centenas de textos originais can-
didatos a livros com as histórias de pessoas que se candidatam a
deixar o seu legado.
Rumamos nos extremos. Uns achamos que nada temos a dizer,
com vidas comuns demais. Outros achamos que temos muito a di-
zer, com experiências exemplares.
É triste, mas não somos tão importantes assim. Nem sempre
nossa vida dá um livro. Nem sempre nossas vidas não são tão inte-
ressantes quanto julgamos.
Nosso legado bom começa quando, sentindo-nos amados por
Deus, recebemos dele os princípios que nos orientam e aceitamos
o modelo de felicidade ensinado e vivido por Jesus, procurando
seguir-lhe o seu exemplo.
Nosso bom legado começa em casa, onde ninguém está vendo,
porque os holofotes não estão acesos, as câmeras não estão ligadas,
os aplausos inexistem.
Nossa vida, que pode incluir palavras e mesmo livros, deve ser o
nosso maior legado, reconhecido ou não.
Nossa vida deve ser digna dos elogios que nunca ouviremos, que
são aqueles desferidos diante do caixão que guarda o nosso corpo.
Eles podem ser até exagerados, por causa do amor, mas, se forem
sinceros, terá valido a pena viver.
Precisamos saber disto agora.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 12 e Gênesis 45 a 47
“As palavras do Senhor são puras, são como prata purificada num for-
no, sete vezes refinada”. (Salmo 12.6)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 24 29/09/2015 18:05:53


A arte de descansar é uma parte da arte de trabalhar.

JANEIRO
19 John Steinbeck

A sabedoria do descanso
Um dos terríveis inimigos que temos a enfrentar é o cansaço físico.
Ele vem quando desenvolvemos tarefas além de nossa capacidade
de as realizar.
O cansaço é um déficit. Ficamos cansados quando as energias
gastas não são repostas em tempo hábil para serem novamente
empregadas. O cansaço é um desequilíbrio entre a força real e a
força necessária, o que faz com que o peso daquela tarefa nos che-
gue como uma sobrecarga.
O cansaço se torna uma realidade quando ignoramos o nosso
ritmo e nos pomos a correr numa velocidade além de nossa com-
petência. O cansaço nos deixa fracos até para fazer o que sempre
fizemos. Diante desta perspectiva, podemos continuar cansados
ou podemos descansar. Não há meio termo.
Como as exigências são muitas e queremos dar conta do que nos
cabe — ou achamos que nos caiba —, continuamos mais cansados
hoje do que ontem, mais exaustos amanhã do que hoje.
Como queremos competir com os mais velozes, como se não fôs-
semos pessoas diferentes, arrebentamos os nossos músculos, às
vezes irrecuperavelmente e, quando isto acontece, somos deixados
de lado pelo sistema ao qual servimos.
Como queremos provar a nós mesmos que não somos frágeis, nos-
sas forças vão sendo drenadas, como a água desperdiçada na rua por
um cano rompido. A atitude simples a ser tomada é a mais difícil. Na
hora do cansaço, não adianta resistir-lhe. É hora de se entregar a ele,
que é sempre é o único caminho para a vitória.
Essa perda se chama descanso. Descanse. Depois do descanso, as
forças voltarão, as atividades serão mais leves.
E você observará que o mundo não acabou porque, por um tem-
po, você parou de girar a sua feérica roda. Os sábios descansam.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 13 e Gênesis 48 a 50
“Eu, porém, confio em teu amor; o meu coração exulta em tua salva-
ção”. (Salmo 13.5)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 25 29/09/2015 18:05:53


Nossos momentos mais brilhantes de alegria são

JANEIRO
20 geralmente alimentados por faíscas inesperadas.
Samuel Johnson

Quando as coisas mudam


Como crer, se a vida fica de cabeça para baixo?
Muitas são as situações sob as quais o nosso corpo se curva, pelo
peso da decepção e da tristeza. As coisas mudam.
Educamos nossos filhos no caminho em que devem andar, mas
eles se desviam, fazendo escolhas que julgamos mais próximas da
morte do que da vida.
Dedicamos nossa vida a um cônjuge, mas, contra tudo e contra
todos, ele nos trai. A amargura se torna a mãe de nossas manhãs.
Amamos e somos amados por nosso cônjuge, mas a morte nos
separa e encerra nossa história de amor. Ficamos sós, reféns da
saudade, que parece incurável.
Vivemos vidas regradas, longe dos vícios, mas a doença nos
come por dentro até virar um diagnóstico, de morte próxima ou de
uma vida cujo dia a dia é a degeneração galopante.
Seguimos saudáveis, cheios de sonhos, realizações e viagens,
mas a depressão se aninha na nossa mente e nos doma.
Sempre trabalhamos, mas a demissão nos alcança, massacrando
nossa autoestima. Sempre buscarmos viver de modo digno e gene-
roso, mas a mentira e a calúnia põem no lixo a nossa credibilidade.
Precisamos de uma atitude sábia diante das mudanças.
Devemos estar preparados para as mudanças. Devemos parar de
reclamar quando isto ou aquilo não corre como imaginamos.
Devemos nos autocriticar. Devemos prestar atenção às críticas que
nos fazem, para que sejam instrumentos para que mudemos. Deus
pode até intervir e nos livrar, mas muito provavelmente esperará que
mudemos para que não continuemos errando e sofrendo. Devemos
orar. Deus nos atende sem que oremos? Atende, excepcionalmente
atende. A história da oração na Bíblia mostra que Deus espera que
falemos com Ele na hora da dificuldade.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 14 e Êxodo 1 a 4
“O Senhor olha dos céus para os filhos dos homens, para ver se há alguém
que tenha entendimento, alguém que busque a Deus”. (Salmo 14.2)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 26 29/09/2015 18:05:53


Os homens deviam ser o que parecem ou,

JANEIRO
21 pelo menos, não parecerem o que não.
William Shakespeare

Para não dizerem que


não falamos de flores
Ficamos horrorizados quando homens e mulheres em funções públi-
cas tentam manipular a opinião dos outros. Geralmente conseguem
seus intentos e saem incólumes de seus malfeitos, mesmo que pare-
çam inverossímeis como os finais das telenovelas.
Eles manipulam quando calculadamente prometem fazer o que
os eleitores desejam, quando dizem que agem sempre dentro da lei,
quando plantam notícias para ver a reação e depois as desmentem,
quando compram aplausos dos seus iguais ou dos seus diferentes.
Eles manipulam porque é prometendo ilusões que ganham votos
reais. Eles manipulam porque é “dentro da lei” e fora da moral que
eles roubam. Eles manipulam porque nós nos deixamos manipular,
embora batamos no peito, para dizer:
— Eles pensam que somos bobos!
Eles manipulam porque também gostamos de manipular, agindo
igualmente de modo calculado para alcançar o que desejamos. En-
tão, cultivamos a arte do elogio e do afago. Vamos, por exemplo, a
lugares e eventos, mesmo sem querer, mas pelo que possa a nossa
presença ali nos render.
Nosso pecado alcança até a seara sagrada da oração quando dize-
mos palavras a Deus imaginando que Ele gostará de ouvi-las e nos
recompensará, esquecidos que Ele não aceita subornos (Deutero-
nômio 10.17).
Podemos cultivar a humildade, reconhecendo que estamos a ca-
minho de ser o que queremos ser. Podemos buscar a sinceridade,
calando-nos para não mentir, se o que tivermos que falar não for a
verdade. O melhor é que podemos celebrar a amizade, esse relacio-
namento que podemos ter em que a transparência se exerça com
amor e cuidado.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 15 e Êxodo 5 a 7
“Senhor, quem habitará no teu santuário? Quem poderá morar no teu
santo monte?”. (Salmo 15.1)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 27 29/09/2015 18:05:53


Não perguntavam por mim, mas deram por minha falta.

JANEIRO
22 Na trama da minha ausência, inventaram tela falsa.
Clarice Lispector

Ponha fogo naquilo que


mancha a honra do outro
Chegam até nós todos os dias inúmeras informações sobre pesso-
as. A maioria é fala maldita, porque tenta colocar alguém na lista
de suspeitos ou mesmo de culpados de malfeitos.
Nossa natureza tende a acreditar que este tipo de informação é
verdadeira sempre. Às vezes, somos vítimas das práticas que nós
mesmos alimentamos, quando lhes damos importância ou quando
estimulamos a indústria da fofoca comprando revistas que as veicu-
lam ou vendo programas de televisão que garantem que “aumentam
mas não inventam”. Ora, quem aumenta mente.
Temos que radicalizar contra os malditos que nos dizem sobre ou-
tras pessoas. Enterre as informações sobre outras pessoas que che-
gam ao seu conhecimento. A.W. Tozer nos dá uma sugestão radical:
“Nunca passe adiante algo sobre alguém que possa feri-lo. O
mexeriqueiro não recebe o favor de Deus. Se você tem uma
informação que vai manchar ou prejudicar a reputação de um dos
filhos de Deus, enterre-a para sempre. Procure um pequeno lugar
nos fundos do quintal e quando alguém lhe trouxer uma história
ruim, pegue-a e a enterre, com as seguintes palavras: ‘Aqui jaz em
paz uma história sobre meu irmão’”.
Talvez você não tenha um quintal, mas tem uma lixeira que
manda para longe de sua casa os materiais inservíveis. Coloque ali a
informação que mancha a reputação de alguém. Trate as coisas que
lhe foram ditas como um segredo que nunca pode ser contado. Quem
revela um segredo não é digno de confiança. Não espere ser vítima de
fofocas para ser radical. Seja radical agora, mesmo que isto lhe traga
impopularidade. Não vale a pena ser popular agradando fofoqueiros.

Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 16.1-6 e Êxodo 8 a 11


“Como são admiráveis as pessoas que se dedicam a Deus! O meu maior
prazer é estar na companhia delas.” (Salmo 16.3)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 28 29/09/2015 18:05:53


Às vezes, Deus acalma as tempestades em nossa

JANEIRO
23 vida e, às vezes, Ele permite que elas se agitem.
Mas, não importa qual seja o clima, Ele sempre
acalma e conforta seus filhos.
Lisa Harper

Acalme-se
Lemos a promessa feita numa hora de grande turbulência: “O Se-
nhor lutará por vocês. Tão somente, acalmem-se” (Êxodo 14.14).
De modo aparentemente contraditório, somos chamados a lutar
e, ao mesmo tempo, a nos acalmar.
Observamos que, nesta instrução, quem luta é um e quem se acal-
ma é outro. Essa é a grande questão da vida. E, às vezes, nós somos
tentados a trocar o sujeito da oração. Tendemos a inverter as posi-
ções. Nós queremos lutar e queremos que Deus se acalme.
A promessa é clara: Deus luta por nós. Então, podemos nos acal-
mar. Nós, às vezes, contudo, lutamos contra Deus, quando Ele come-
ça a lutar por nós e a fazer coisas por nós. Por não compreendermos a
sua dinâmica, queremos que Ele lute com as nossas armas, do nosso
jeito, no nosso ritmo. Mas Deus luta com o jeito dele, com os recursos
dele, no ritmo dele, e a nós cabe a calma.
Como é que vamos nos acalmar se as ondas estão bravias? Como
é que vamos nos acalmar, se a poeira do deserto nos asfixia? Como
é que vamos nos acalmar, se não sentimos na noite que está chegan-
do o dia? Como é que vamos nos acalmar, se segue intensa a porfia?
Paremos de brigar contra Deus. O adversário não é Ele; são os
nossos problemas, nossas adversidades, nossos temores. O nosso
amigo, o nosso comandante, o lutador por nós, este é Deus. É por
isso que podemos nos acalmar. Por que estamos agitados? Pode-
mos nos acalmar, porque Deus luta por nossa vida.
Se interferirmos, vamos atrapalhar. Não sejamos como aquele
que se coloca no lugar de Deus. Deixemos que Ele lute por nós.
Quando Ele luta,nós vencemos.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 16.7-11 e Êxodo 12 a 14
“Estou certo de que o SENHOR está sempre comigo; ele está ao meu
lado direito, e nada pode me abalar”. (Salmo 16.8)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 29 29/09/2015 18:05:53


O deserto é um lugar de revelação e revolução. No

JANEIRO
24 deserto, esperamos, choramos e aprendemos a viver.
Alan Jones

A mala da vida não é leve


Seria perfeito se a vida fosse perfeita, mas não é. Bom seria se a vida
acontecesse num terreno aparado para nós por Deus, mas não é. A
vida é como ela é, não como gostaríamos que fosse. Bom seria se
nela só se cumprissem os propósitos de Deus, de bem e de paz para
nós, mas a maldade também tem suas agências.
E o que Deus faz? Ele nos chama para reconstruir a vida como ela
deve ser e, enquanto isto, nos ensina a viver.
A história é o resultado da ação humana e também o resultado
da ação divina. A humana é visível. A divina é invisível. Parte de
nossas dificuldades na vida advém de uma clara visão da ação hu-
mana, quase sempre nublada de crueldades e erros, e uma visão
embaçada da ação divina.
Deus nos guia, mas a caminhada é nossa. Ele indica o caminho e
nós escolhemos seguir o seu caminho ou o nosso. Escolher a Deus
tem preço e glória. Escolher o nosso caminho tem apenas preço.
A distância da rota proposta por Deus varia conforme a nossa fé.
Se nossa fé nele é pequena, Deus nos conduz por rotas que nos for-
talecem. Vemos o seu poder em ação na hora da nossa fragilidade.
Cantando ou chorando, desenvolvemos a nossa fé quando so-
mos provados. O tamanho de nossa fé tem a ver com o tamanho de
nossa provação. Não podemos querer aumentar a nossa fé (não é
assim que oramos?) e, ao mesmo tempo, desejar que as provações
passem ao largo de nós. Só o pacote inteiro (fé e provação) nos
torna verdadeiramente crentes.
Deus nos ensina a amadurecer. A maturidade nos faz bem.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 17.1-6 e Êxodo 15 a 18
“Eu oro a ti, ó Deus, porque tu me respondes”. (Salmo 17.6a)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 30 29/09/2015 18:05:53


Integridade é manter o compromisso mesmo

JANEIRO
25 que as circunstâncias tenham mudado.
David Jeremiah

Relacione-se com
integridade (1/2)
Todos queremos nos relacionar bem uns com os outros. Todos que-
remos ter relacionamentos saudáveis. Eis, para tanto, alguns bons
ensinamentos para cada um de nós.
1. Beba de Deus os seus valores, não junto aos ídolos deitados nos
panteões e postos em pé ao lado nas avenidas. Os ídolos seduzem com
ofertas de coisas fáceis em letras gigantes, mas escondem nas le-
tras pequenas o alto custo da adoração que requerem. Quanto a
Deus, o que Ele nos pede é realmente bom para nós. Sem dúvida,
“ter fé ou confiança em qualquer coisa que Deus não prometeu é
pura idolatria, numa adoração de sua própria imaginação em lugar
de Deus”. (William Tyndale)
2. Adore a Deus, não adore a si mesmo. Rejeite pensar em você
como se fosse uma trindade egocêntrica (eu, eu, eu). Infelizmente,
“a mente do homem é como uma loja de idolatria e superstição.
Quanto mais o homem crê em sua própria mente, mais abandona
a Deus e forja algum ídolo em seu próprio cérebro”. (João Calvino)
3. Vigie para não cair na malha da idolatria, seja ela religiosa, ide-
ológica ou psicológica. Na idolatria religiosa, Deus é posto de lado,
trocado por ídolos. Na idolatria ideológica, sacrifica-se a verdade.
Na idolatria psicológica, pessoas admiráveis são colocadas nos al-
tares para adoração.
4. Tenha com as mercadorias uma relação saudável. Mercadorias são
mercadorias. Dinheiro é dinheiro; é para ser dominado, não para do-
minar. Carro é carro, um móvel motorizado que o transporta; não
deve ter nenhum valor além de sua utilidade prática. Conhecimento
é conhecimento; quem o tem deve utilizá-lo para tornar melhores as
vidas das pessoas, não apenas a sua. [CONTINUA amanhã]
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 7.7-15 e Êxodo 19 a 20
“Protege-me como protegerias os teus próprios olhos e, na sombra das
tuas asas, esconde-me dos ataques dos maus”. (Salmo 17.8-9)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 31 29/09/2015 18:05:54


A integridade é parte de nosso caráter e deve se

JANEIRO
26 desenvolver em três atitudes: fale a verdade, cumpra
suas promessas e seja responsável por seus atos.
Ross Campbell

Relacione-se com
integridade (2/2)
Seguem outros ensinamentos para que mantenhamos relaciona-
mentos saudáveis:
5. Relacione-se com pessoas como sendo pessoas, não como se fossem
coisas. Coisas são descartáveis e descartadas. Pessoas nem a morte as
leva de nós. Lamente quando é descartado. Não aceite fazer o mes-
mo. Não use as pessoas e depois jogue fora como laranjas sem doce.
6. Valorize as pessoas pelo que elas são, não pelo que podem lhe ofere-
cer. Não mercantilize seus relacionamentos. Dê, dê afeto, dê coisas,
não troque. Não tente comprar as pessoas.
7. Relacione-se com pessoas sabendo que são falíveis, como você.
Não faça das pessoas imagens de escultura. Não espere demais das
pessoas. Não espere demais de você mesmo. Não adoeça os outros
com suas exigências. Não se adoeça.
8. Se for o caso, pare de jogar com as pessoas para alcançar seus fins.
Por mais que pareça, pela profusão de programas televisivos neste
modelo, a vida não é um “reality show” em que ganham os que jogam
com os sentimentos das pessoas, para aniquilá-las.
9. Seja o que você é, sem querer parecer o que você não é. Um bom
teste é verificar o seu avatar ou perfil nas redes sociais eletrônicas:
que mensagem sobre você mesmo quer passar? Essa mensagem é
verdadeira? Não se estribe em perfis falsos, porque você sabe que
são falsos.
10. Busque, como foco de sua vida, a fidelidade aos valores de Deus,
não o sucesso. A fidelidade leva ao céu. O sucesso pode terminar no
inferno. Prefira ir para onde Deus quer lhe levar.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 19.1-5 e Êxodo 21 a 23
“Ó SENHOR Deus, como eu te amo! Tu és a minha força”. (Salmo 18.1)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 32 29/09/2015 18:05:54


Duas coisas projetam o homem acima das coisas

JANEIRO
27 mundanas: a simplicidade e a pureza. A primeira
busca Deus; a segunda o encontra e nele se rejubila.
Tomás de Kempis

O inimigo dentro de nós


Sabemos porque fazemos o mal. Na verdade, nós justificamos sua
prática, como um recurso para fugirmos à admissão da inadmissível
ideia de que somos maus. Na verdade, para fazer o mal não precisa-
mos empreender esforço algum. É algo natural em nós.
Para falar bem do outro, precisamos estabelecer o bem-dizer como
uma meta. Para deixar um vício que dizemos abominar, precisamos
de um desejo profundo, uma decisão radical e uma disciplina de ca-
serna. Para parar de odiar um ofensor, precisamos nos negar a nós
mesmos, em nossa pretensão por vingança, a que damos o suave
nome de “justiça”. Para ajudar o próximo, precisamos deixar de pen-
sar no prêmio, seja o aplauso dos homens ou o sorriso de Deus.
E quando ajudamos o próximo, que é a melhor coisa que faze-
mos, o mal pode estar presente. Para ajudar o outro, dizemos a nós
mesmos que lhe somos superiores e nos divertimos. Para ajudar
o outro, reduzimos o outro a um número em nossas estatísticas.
Para ajudar o outro, esperamos que ele se humilhe em seu pedido
de socorro. Para ajudar o outro, pisamos nos outros.
O mal, portanto, superintende as nossas motivações.
São as nossas motivações que precisamos vigiar. Esta constante
vigilância nos fortalece para começar bem e continuar bem, ao nos
ajudar a ver no espelho quem somos nós. Sem esta percepção, a
humildade se torna um disfarce, a disponibilidade se transforma
numa máscara, a bondade busca o reconhecimento, o amor se ali-
menta do resultado obtido.
Podemos superintender as nossas motivações.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 19.6-13 e Êxodo 24 a 28
“No meu desespero, eu clamei ao SENHOR e pedi que ele me ajudasse.
Do seu templo no céu o SENHOR ouviu a minha voz, ele escutou o meu
grito de socorro”. (Salmo 18.6)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 33 29/09/2015 18:05:54


Nunca devemos limitar a capacidade de Deus em

JANEIRO
28 transformar a experiência mais dura de nossas vidas
em algo produtivo, benéfico e positivo.
Charles Stanley

O refúgio
O poeta diz que ama a Deus.
“Ó Senhor Deus, como eu te amo! Tu és a minha força”.
(Salmo 18.1)
Nós dizemos que amamos a Deus. Depois desta confissão, as de-
mais são consequências.
Só quem ama a Deus pode considerá-lo a rocha da sua vida, isto
é, a base sobre a qual os seus passos se dão. Só quem ama a Deus
clama por Ele com a certeza que vai ser atendido. Só quem ama a
Deus procura guardar todos os seus mandamentos, que são per-
feitos, embora não seja fácil ser fiel assim. Só quem ama a Deus
se sente capaz de superar as defesas dos inimigos. Só quem ama
a Deus lhe canta louvores que o glorificam. Só quem ama tem real
interesse pelos necessitados. Quem ama a Deus assim pode olhar
para a sua vida e recordar, com alegria:
“Quando eu estava em dificuldade, (...) o Senhor me protegeu”
(Salmo 18.18)
O relacionamento de amor com Ele nos mostra que Deus é aque-
le que transforma em luz as nossas trevas. Em outros termos, é
Deus quem nos purifica de nós mesmos, de nossos desejos egoís-
tas, de nossos desvios, de nosso prazer no que é errado.
Deus é aquele que nos dá força para prosseguir avante, mesmo
que adiante esteja um mar aparentemente intransponível.
Deus é aquele que nos serve de refúgio quando somos atacados
por inimigos internos (nossas emoções ruins e nossos maus hábitos,
por exemplo) e externos (nossos problemas difíceis e sedutores, que
nos levam aos lugares elevados e mostram o que podemos ganhar,
se os obedecermos). Deus é aquele que nos ama. Que mais importa?
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 19.14-19 e Êxodo 29 a 31
“Lá do alto, o SENHOR me estendeu a mão e me segurou; ele me tirou
do mar profundo”. (Salmo 18.16)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 34 29/09/2015 18:05:54


Procure ser uma pessoa de valor, em vez de procurar

JANEIRO
29 ser uma pessoa de sucesso. O sucesso é consequência.
Albert Einstein

Os benefícios
da honestidade
Ficamos surpresos quando uma pessoa, geralmente pobre (uma
faxineira, um gari, um taxista ou um transeunte), encontra uma
bolsa ou carteira recheada de dinheiro e procura o dono para devol-
ver o que achou. Não devíamos nos surpreender com a honestidade,
vinda dos pobres ou dos que não precisam, porque ser honesto é um
dever. No entanto, de tanto ver a desonestidade sendo premiada,
tendemos a achar que a desonestidade é um recurso honesto.
A honestidade deve fazer parte de nossos planos de vida e de
nossas práticas no dia a dia. Nunca devemos planejar fazer algo
desonesto, por mais que a recompensa pareça elevada.
Por isto, devemos aplaudir os honestos, para que a desonesti-
dade não suba para o pódio como se virtude fosse. Devemos agir
para que ninguém tenha vergonha de ser honesto. A maioria das
pessoas é honesta. Embora não deva se orgulhar da sua virtude,
deve ter a alegria de se olhar no espelho.
Os pais devem ensinar, com palavras e exemplos, a honestidade
aos seus filhos. Sua mensagem ficará para sempre.
Em nosso caso, se a tentação vier para reter o que não nos per-
tence, devemos resistir.
Se outros planejam e nos convidam para participar de suas frau-
des, por mais comum que seja, nossa resposta deve ser a recusa em
participar de qualquer esquema. Não vendamos nossa consciência.
Quando errarmos, tenhamos vergonha, vergonha de ser desonesto,
não do contrário, não importa que música esteja tocando mais alto.
Lembremos sempre que a desonestidade beneficia uns poucos e
traz prejuízo a muitos. Por outro lado, a honestidade pode trazer
prejuízo a uns poucos, mas beneficia a muitos.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 19.20-29 e Êxodo 32 a 34
“Eu tenho feito a vontade do SENHOR e nunca cometi o pecado de
abandonar o meu Deus”. (Salmo 18.21)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 35 29/09/2015 18:05:54


O medo pega um gigante e o transforma

JANEIRO
30 numa imensa população.
Charles Swindoll

O medo
O medo é saudável quando nos inspira a cuidar de nosso corpo
porque preocupados com as consequências dos venenos da alimen-
tação errada e da falta de exercício.
O medo nos faz bem quando nos ajuda a evitar de cair nas redes
sufocantes do vício.
O medo é prudência quando nos faz fugir de um inimigo mais
poderoso que nós.
O medo nos leva para longe do abismo.
Viva o medo!
O medo nos leva para longe de coisas novas e boas e nos faz fazer
as mesmas coisas todos os dias, até aquelas que não devemos fazer.
O medo nos encapsula num esconderijo por causa de um inimigo
que não existe mais.
O medo nos impede de dar o primeiro passo para a liberdade,
quebrando as algemas do vício.
O medo nos proíbe de tomar decisões e agir de modo a ter uma
vida saudável.
Morra o medo!
O medo é um território fértil para o crescimento do passado e
para o minguamento do nosso futuro.
O medo é empecilho para aceitarmos o convite para uma vida
cheia de alegria, a alegria completa, que não depende de como as
coisas vão ou daquilo que enfiamos no nosso corpo, mas de como
estamos, porque podemos estar seguros de que o amor de Deus
nos chama para fora da caverna do medo.
Viva a coragem!
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 19.30-39 e Êxodo 35 a 38
“Este Deus faz tudo perfeito e cumpre o que promete. Ele é como um
escudo para os que procuram a sua proteção”. (Salmo 18.30)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 36 29/09/2015 18:05:54


Todas as nossas palavras serão inúteis se não

JANEIRO
31 brotarem do fundo do coração. As palavras que
não dão luz aumentam a escuridão.
Teresa de Calcutá

Em busca das
palavras certas
Há momentos em que precisamos de palavras que nos animem.
Diante de uma doença, em nosso corpo ou no corpo de uma pes-
soa querida, precisamos de palavras que nos estimulem a lutar
pela vida. Há momentos em que precisamos de palavras que nos
despertem. Diante do erro em que nos metemos ou dos caminhos
equivocados que nos soam como bons, precisamos de palavras que
nos mostrem melhores itinerários.
Há momentos em que precisamos de palavras que nos confor-
tem. Diante da perda de uma pessoa que era parte de nossa his-
tória, dilacerada agora por sua presença esculpida com a certeza
dolorosa da saudade, precisamos de palavras que recolham as nos-
sas lágrimas. Há momentos em que precisamos de palavras que
nos alegrem. Diante de uma festa, para celebrar um nascimento,
um aniversário, um casamento, uma vitória, precisamos de pala-
vras que se juntem à nossa celebração.
Dizer essas palavras exige de nós um coração que se importa com
a vida do outro, que não se alimenta de palavras feitas, mas de pala-
vras produzidas pelo sentimento verdadeiro. Dizer palavras verda-
deiras exige de nós sabedoria para aparar a sedução dos excessos e
conter a tentação das mentiras. Palavras que animam, despertam,
confortam ou alegram não podem doer, amargurar ou matar. Por
isto, em muitos casos, nossas palavras precisam ser mínimas ou
mesmo nenhumas, porque simplesmente substituídas por abraços
generosos. Antes de lhes falar, precisamos pensar as palavras que
vamos dizer. Para pensar palavras que tragam vida, precisamos
orar, pedindo a Deus sabedoria, coragem, solidariedade e alegria.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 19.40-50 e Êxodo 39 a 40
“O SENHOR vive. Louvem aquele que é a minha rocha, anunciem a
grandeza do Deus que salva a minha vida”. (Salmo 18.46)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 37 29/09/2015 18:05:54


FEVEREIRO
Convite à alegria
“O Senhor Deus é a minha luz e a minha salvação;
de quem terei medo?
O Senhor me livra de todo perigo;
não ficarei com medo de ninguém.
Confie no Senhor.
Tenha fé e coragem.
Confie em Deus, o Senhor”.
(Salmo 27.1 e 14)

Sim, amigo, há momentos na travessia


— que fazem parecer seu dia um tempo vão —
em que perseverar é palavra vazia,
inútil como uma mesa onde falta o pão.

Você lê que deve manter viva a alegria


para conservar firme o coração
— mas como? se foi toda a energia
despejada, a contragosto, no chão?

Como esperar pelo Senhor,


— como pede, pela fé, o salmista —
se não há nenhum amanhã à vista?

Contudo, não há palavra melhor;


escute-a, de novo, para que não desista:
persevere até sentir que Deus é amor.

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 38 29/09/2015 18:05:54


As tempestades fazem com que o carvalho tenha

FEVEREIRO
1 raízes mais profundas.
George Herbert

Em torno de uma tragédia


Diante das tragédias, sejam coletivas (como a queda de um avião)
ou individuais (como uma doença devastadora), é comum que boa
parte de nós faça muitas perguntas, como também é comum que
boa parte de nós ouça diferentes respostas.
A vida é complexa demais para ser compreendida com frases fei-
tas (da filosofia e da ciência).
O Salmo 19 nos ajuda a pensar alguns princípios reguladores da
vida.
1. Para reger as nossas vidas, Deus fixou leis, que põem ordem no
mundo. São leis que precisamos conhecer pela fé e pela ciência. É
também por meio dessas leis que Deus fala (Salmo 19.3-4).
Quando quebramos essas leis, pagamos um preço.
2. A liberdade inclui o risco. Não podemos desejar a liberdade e re-
cusar o risco. Deus respeita a nossa liberdade, no erro e no acer-
to. Embora seja soberano, Deus respeita até a escolha errada que
fazemos.
3. Nossa vida é grandemente beneficiada pelas aplicações cientí-
ficas, transformadas em produtos tecnológicos, em diversas
áreas, como a medicina e o transporte. A notícia de um acidente
aéreo, com vítimas, próximas ou distantes de nós, é um convi-
te para desidolatrarmos a tecnologia; é um convite à humildade
(Salmo 19.13).
4. Deus intervém nos nossos assuntos, mas a seu critério e com
cuidado para não nos tornar irresponsáveis. Não devemos espe-
rar que um pai que nos lega leis, corra, quando as desobedece-
mos, para impedir as consequências das nossas escolhas.
Deus estabelece leis necessariamente imutáveis, para que haja
harmonia no universo e na vida (Salmo 19.14).
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 19.1-7 e Levítico 1 a 4
“Os céus proclamam a glória de Deus, e o firmamento anuncia as obras
das suas mãos”. (Salmo 19.1)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 39 29/09/2015 18:05:54


A prioridade é sermos honestos conosco.

FEVEREIRO
2 Nunca poderemos ter um impacto na sociedade
se não nos mudarmos primeiro. Os grandes
pacificadores são todos gente de grande integridade
e honestidade mas, também, de humildade.
Nelson Mandela

Que mais importa?


Deus é aquele que transforma nossas trevas em luz.
É Deus quem nos purifica de nós mesmos, de nossos desejos ego-
ístas, de nossos desvios, de nosso prazer no que é errado.
Deus é aquele que nos dá força para prosseguir avante, mesmo
que adiante esteja um mar aparentemente intransponível.
Deus é aquele que nos serve de refúgio quando somos atacados por
inimigos internos, que são as nossas emoções ruins e nossos maus
hábitos, por exemplo. Ele faz o mesmo diante dos nossos inimigos
externos, que são os nossos sedutores, que nos levam aos lugares
elevados e mostram o que podemos ganhar se os obedecermos.
Deus é aquele que nos ama.
E o modo como nos mostra seu amor nos enche de ânimo.
Num dia, estamos diante de uma situação que nos tira a tranqui-
lidade. Compartilhamos.
Sem propaganda, Deus envia a solução. Sem esperarmos, portas
fechadas são abertas por mãos que não vemos.
Sem alarde, Deus engrossa o fio de esperança até que se torna
uma corda grossa e firme por onde podemos subir para lugares
mais altos.
Com doçura, Deus faz um córrego se tornar em rio caudaloso por
onde nossos barcos podem navegar. Com prazer, Deus faz que um
discreto e tênue sorriso escondido em nossos lábios se converta
numa gargalhada cheia de sonoridade.
Deus faz a morte perder para a vida.
Deus se importa.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 19.8-11 e Levítico 5 a 7
“Os preceitos do SENHOR são retos e alegram o coração; o manda-
mento do SENHOR é puro e ilumina os olhos”. (Salmo 19.8)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 40 29/09/2015 18:05:54


Deus geralmente não nos revela para onde

FEVEREIRO
3 está nos levando porque Ele quer que confiemos
nele a cada passo.
Stormie Omartian

Coragem para confiar


Tenha a coragem de confiar em si mesmo. Lembre-se sempre de
sua verdadeira identidade: você foi criado por Deus e é amado por
Deus. O sucesso depende desta autoconfiança.
O sucesso também depende da confiança em outras pessoas. A
sociedade depende de confiança mútua para prosperar. Segundo
o economista, Kenneth Arrow, prêmio Nobel na sua área, garan-
te, após longos estudos, que a maior parte do atraso econômico de
muitos países pode ser explicada pela falta de confiança mútua.
A conclusão pode ser aplicada aos relacionamentos pessoais,
bem como às organizações, às famílias e às empresas.
Sem confiança mútua, não há amizade.
Sem confiança mútua, os negócios definham, porque o dinheiro
desaparece.
Sem confiança mútua, os projetos não se realizam, por melhores
que sejam em suas propostas.
A pior crise é a crise de confiança. Superá-la exige coragem. A
questão é: como confiar em quem falhou?
Voltar a confiar é retomar uma caminhada interrompida.
Neste desejo, devemos nos lembrar que todos nós falhamos.
Voltamos a acertar quando as pessoas passam a confiar em nós.
Confiar no outro é uma maneira de respeitá-lo.
Façamos isto com os outros. Todos ganharemos.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 19.8-11 e Levítico 5 a 7
“As palavras dos meus lábios e o meditar do meu coração sejam agra-
dáveis na tua presença, Senhor, rocha minha e redentor meu!”.
(Salmo 19.14)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 41 29/09/2015 18:05:54


Sua oração nada mais é do que

FEVEREIRO
4 o sentimento da presença de Deus.
Irmão Lourenço

Os nomes dos problemas


Os poetas bíblicos falam claramente dos seus problemas. Contudo,
como eles não dizem quais são os seus problemas, aos quais chamam
genericamente de inimigos, isto nos permite dar nomes aos nossos.
Pode ser o pai que perdeu repentinamente uma filha ainda jo-
vem, mas já mãe de adolescentes. Pode ser um homem cheio de for-
ça e projetos que o câncer alcança, embora não estivesse sequer no
grupo de risco. Pode ser uma mulher que vive entre grandes proje-
tos e grandes temores, que lhe impedem de realizar seus sonhos,
nem que seja uma viagem internacional para visitar sua filha. Pode
ser uma família que foi escolhida para inimiga por vizinhos e se-
quer consegue saber o porquê.
Nossos problemas são inimigos que querem nos vencer. Não pre-
cisam ser necessariamente pessoas, mas podem ser. Não precisam
ser enfermidades que nos enfraquecem, mas podem ser.
Sejam quais forem estes inimigos, embora possamos viver bem
com todos, devemos apresentá-los a Deus para que Ele os derrote.
Para problemas reais, devemos orar ao Deus vivo, com a sinceri-
dade de quem crê.
Não precisamos ser hipócritas, fazendo de conta que tudo vai
bem, se não vai. Não precisamos achar que Deus não vai se impor-
tar, porque Ele se importa.
Não devemos orar a Deus por todos os problemas do mundo,
mas por alguns. Não devemos pedir perdão por todos os nossos
pecados, mas por determinados pecados.
Deus sabe que, por vezes, passamos por dificuldades. Quais são
elas? Deus sabe que, por vezes, temos medo? De que? Digamos.
Diante de Deus, não precisamos disfarçar. Podemos ser nós
mesmos.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 20 e Levítico 11 a 12
“Uns confiam em carros, outros, em cavalos; nós, porém, nos gloriare-
mos em o nome do SENHOR, nosso Deus”. (Salmo 20.7)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 42 29/09/2015 18:05:54


Há muitas maneiras pelas quais praticamos a

FEVEREIRO
5 idolatria sem nos curvarmos diante de pedaços de
madeira ou pedra.
Bill Bright

Chega de idolatria
A idolatria é a uma tentação constante. Sua tentação vem do que
oferece. Diante do que oferece, é difícil resistir. Parece que os ine-
xistentes deuses nos oferecem o que buscamos: felicidade, sucesso,
riqueza, poder, beleza, brilho.
Podemos idolatrar o Deus verdadeiro, tornando-o um ídolo. Po-
demos idolatrar pessoas, atribuindo-lhes até mesmo qualidades
que não têm. A maneira como nos relacionamos com as pessoas
pode ser idólatra. Isto acontece quando nos relacionamos com elas
em função daquilo que podem nos dar. Quando alguém faz aniver-
sário, por vezes ouve:
— Parabéns! Que Deus lhe dê muitos anos de vida para continu-
ar nos abençoando.
As pessoas não percebem que suas palavras querem dizer que
não amam o aniversariante pelo que são, mas pelo que, eventu-
almente, pode oferecer. Podemos nos idolatrar a nós mesmos,
curvando-nos diante da trindade formada pelo eu, eu, eu. O que
importa é o que sentimos e como nos sentimos. O que importa é
que a nossa autoestima esteja alta. Achamos que as pessoas pre-
cisam nos aceitar como nós somos, mesmo com nossos defeitos
de caráter que não admitimos e não queremos mudar. Boas são as
coisas que nos dão prazer, mesmo que nos furtem a consciência.
Temos que estar sempre bem. Idolatramos a felicidade.
Lendo a Bíblia, percebemos bem a quem estamos adorando, se a
Deus ou a algum ídolo. Se é a algum ídolo, precisamos nos conver-
ter em direção ao Deus verdadeiro, que pede menos culto e mais
misericórdia para com os necessitados. É assim que seremos verda-
deiros. É assim que nos relacionaremos, com Deus, com as pessoas
e com as coisas de modo sincero. Este é o caminho da integridade.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 21 e Levítico 13 a 15
“Exalta-te, SENHOR, na tua força! Nós cantaremos e louvaremos o
teu poder”. (Salmo 21.13)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 43 29/09/2015 18:05:54


A evidência sobre Deus nos dá a base para uma fé

FEVEREIRO
6 que satisfaz nossas necessidades de sermos amados,
aceitos e seguros. Este tipo de fé gera alegria.
Josh McDowell

Quando Deus é o
nosso pastor (1/5)
“O Senhor é o meu pastor”, canta o poeta.
Então, tem certeza o cantor: “Nada me faltará”.
Deus, a quem temos como o Senhor de nossas vidas, dirige-nos
os passos, conduz os nossos corações, orienta as nossas decisões,
aconselha-nos nos nossos propósitos, alimenta-nos com sua pala-
vra, livra-nos dos perigos, corrige-nos dos nossos erros, organiza
as nossas emoções. Deus, a quem temos como o Senhor de nossas
histórias, não deixe que nos falte o pão, não permite que sejamos
derrotados, garante que mantenhamos a esperança, transforma a
solidão em comunhão, faz com que dancemos depois de chorarmos.
E todos nos fortalecemos com promessa tão clara, tão firme, tão
real, como esta.
Para que a promessa nos alcance, devemos, em todos os instan-
tes, relacionar as duas frases do verso. Porque o Senhor Deus é o
nosso pastor, nada nos faltará. Nada nos faltará quando o Senhor
Deus for o nosso pastor. Nossa tendência é que nós mesmos nos
pastoreemos e exijamos de Deus que nada nos falte.
Permitamos que Deus seja o nosso pastor. Então, nada nos falta-
rá. Fazemos também uma confusão entre desejos e necessidades.
A promessa tem a ver com necessidades, não com desejos. Muitos
desejos nossos são ilegítimos, ditados de fora para dentro. Nada
muda em nossas vidas quando são satisfeitos. As necessidades,
quando não supridas, trazem problemas. Os desejos, sempre aten-
didos, trazem outros tipos de problemas.
Permitamos que Deus nos instrua de modo a que vejamos com
clareza o que são necessidades e o que são desejos. Em nossas ne-
cessidades, nada nos faltará. [CONTINUA amanhã]
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 22.1-10 e Levítico 16 a 18
“Contudo, tu és santo, entronizado entre os louvores de Israel. Nossos
pais confiaram em ti; confiaram, e os livraste”. (Salmo 22.10)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 44 29/09/2015 18:05:55


A essência da tentação é o convite a que vivamos

FEVEREIRO
7 independentemente de Deus.
Neil T. Anderson

Quando Deus é o
nosso pastor (2/5)
O bom Pastor nos faz descansar em jardim de gramas bem verdes.
O bom Pastor nos faz beber águas que nos revigoram as forças
para a jornada.
O bom Pastor nos faz andar pelos caminhos que nos levam a
lindos lugares, não a precipícios.
Na grande floresta da vida, há muitas trilhas. Umas levam a fon-
tes de águas boas, que podemos beber. Outras nos levam a fontes
de águas poluídas, capazes de matar quem delas bebe. Por qual de-
las seguir? Não precisamos ficar desesperados. O bom Pastor nos
garante que nos guiará pelas trilhas que terminam nas fontes de-
senhadas para nos renovar o vigor.
A floresta é para ser conquistada. Há muito trabalho a ser feito.
Há casas a serem construídas, para nelas nos abrigarmos. Há estra-
das a serem abertas, para com elas nos comunicarmos. Há praças
a serem preparadas, para nelas nos encontrarmos. Teremos que
trabalhar até morrer? Não precisamos ficar desesperados. Temos
que trabalhar e descansar. O bom Pastor nos garante que nos dará
força para o trabalho no tempo do trabalho e oportunidade para o
descanso na hora do descanso e para o prazer na hora da alegria.
Sim, são muitas as possibilidades, mas o bom Pastor vai conosco
por aquelas que resultam em felicidade. São muitos os esforços,
mas o bom Pastor nos mostra aqueles que valem a pena e produ-
zem esperança. São muitas as fontes a jorrar águas, mas o bom Pas-
tor experimenta primeiro aquelas que devemos tomar. São muitos
os prazeres, mas o bom Pastor estará conosco naqueles que nos
levantam e nos tornam pessoas melhores. [CONTINUA amanhã]
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 22.11-14 e Levítico 19 a 21
“A meus irmãos declararei o teu nome; cantar-te-ei louvores no meio
da congregação; vós que temeis o SENHOR, louvai-o; glorificai-o, vós
todos”. (Salmo 22.22-23a)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 45 29/09/2015 18:05:55


Segurança não é ausência de perigo,

FEVEREIRO
8 mas a certeza da presença de Deus.
Miriam Iwashige

Quando Deus é o
nosso pastor (3/5)
Os vales de trevas e morte são escavados pela natureza das coisas.
São escavados no nosso corpo, como uma depressão, por exem-
plo. São escavados por causa das circunstâncias da vida, como a
economia que faz uma empresa naufragar e demitir empregados.
São escavadas por acidentes que matam sonhos em definitivo, dei-
xando apenas saudade em seu lugar. São escavados com a morte de
uma pessoa que muito amamos.
Os vales de trevas e morte são escavados também por causa da
crueldade das pessoas. Eles tomam a forma, por exemplo, de assal-
tos violentos, que levam bens e, às vezes, vidas. Eles são cobertos
pelas flores amargas dos invejosos cujo desejo é destruir as outras
pessoas por causa daquilo que eles são. Eles surgem com as decep-
ções que vamos acumulando.
Quando percorremos esses valores, não precisamos ter medo.
Se temos o Senhor como nosso pastor, Ele nos guardará. Ele está
conosco e nos protegerá.
Há vales de trevas e morte escavados ainda pelos nossos peca-
dos, os quais vão destruindo os planaltos e afundando os solos por
onde caminhamos, quando traímos, mentimos, enganamos, des-
viamos; quando trocamos amores sólidos por paixões passageiras;
quando preferimos mentiras em lugar das verdades; quando humi-
lhamos os iguais a nós com o dinheiro e poder que temos nas mãos.
Nestes vales, Deus está conosco, primeiro para nos perdoar, quan-
do confessamos os nossos pecados e nos dispomos a mudar de vida.
Quando Ele nos perdoa, o vale de trevas e morte se transforma num
planalto protegido pelo bom Pastor, com luz e vida.[CONTINUA
amanhã]
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 22.25-31 e Levítico 22 a 24
“De ti vem o meu louvor na grande congregação; cumprirei os meus
votos na presença dos que o temem.” (Salmo 22.25)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 46 29/09/2015 18:05:55


É fácil caminhar em triunfo a cada dia quando

FEVEREIRO
9 sabemos que não existe mais condenação e que
estamos livres para viver em vitória.
Bob Moorehead

Quando Deus é o
nosso pastor (4/5)
Na vida, todos, sim, todos podemos passar por momentos difíceis,
que podem vir em diferentes situações: num acidente, numa de-
pressão, num desemprego, numa violência, numa traição. Mesmo
quem ama a Deus não está isento de coisas ruins lhe acontecerem.
O mesmo pode se dar conosco.
Quando passamos por dificuldades, podemos olhar para Jesus
(aquele que nos lembrou que passaríamos por aflições) e vê-lo ao
nosso lado. Sua promessa de presença constante é vívida para nós,
para ser vivida por nós.
Então, podemos olhar para as dificuldades (que o poeta chama
de “inimigos”) e vê-las superadas.
Podemos imaginar o drama do poeta. Vindo correndo do vale
escuro, onde seus inimigos quase o alcançaram, ele chega a uma
cabana segura, ainda no deserto. Entra correndo e se sente prote-
gido. Mais que protegido, se sente acolhido. Mais que acolhido, se
sente reconhecido. Aquele que o recebe dá-lhe comida; na verda-
de, não lhe dá o resto, mas prepara-lhe um banquete. Trata-o com
honra. Trata-o como uma pessoa amada. Põe fim ao vale. Cessa as
dificuldades.
Para ele e para nós, a chegada e a partida das dificuldades são
uma prova do amor de Deus para conosco. Por isto, pode relaxar e
sorrir. Por isto, podemos descansar e nos alegrar.
Vitoriosos, pela graça de Deus, podemos ver o copo (símbolo da
alegria, por conter o vinho nele) diante de nós. O copo diante de
nós é a garantia da alegria de volta a nós.
Sim, o Senhor é o nosso Pastor. A alegria, mesmo que hoje perdida,
voltará. Eis a promessa do Bom Pastor. [CONTINUA amanhã]
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 23.1-3 e Levítico 25 a 27
“O SENHOR é o meu pastor; nada me faltará”. (Salmo 23.1)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 47 29/09/2015 18:05:55


Nós temos um futuro glorioso

FEVEREIRO
10 nos esperando atrás da porta da morte.
Kirk Cameron

Quando Deus é o
nosso pastor (5/5)
A bondade e o amor de Deus ficarão conosco enquanto vivermos.
Sabemos disto por experiência própria. Nossas memórias podem
ser fontes de força. O Senhor é o nosso pastor e nos lembrará de
como nada nos faltou ao longo da vida e de como fomos conduzidos
por caminhos bons e floridos e de como nossa sede foi satisfeita e
de como fomos renovados em nossas forças.
As adversidades nos lançaram no vale da sombra da morte, mas,
como Deus estava lá também, fomos retirados e colocados na pla-
nície com uma ordem: corram!
O suor da corrida ainda corre, até alcançarmos um lugar seguro
onde somos recebidos em festa, participando de um banquete com
uma mesa farta, na presença de Deus.
Deus conosco é garantia de amor dedicado e permanente. Um
dia corremos; agora é como se a bondade e o amor de Deus corres-
sem atrás de nós para não permitir que escapemos jamais.
Falta-nos entrar na casa de Deus e agradecer. Pode ser num tem-
plo de barro, tijolo e pedra. Pode ser no barro de que é feito o nos-
so próprio coração, capaz de guardar a bondade e o amor de Deus
como melhores tesouros. Nossa jornada pode ser feita como se es-
tivéssemos num templo onde só o bom Pastor importa, como cen-
tro de nossas atenções. Nosso coração pode ser este templo. Nossa
reunião com os que creem pode ser este santuário. Nossa vida pode
desfrutar da presença de Deus, certos de que a consciência dela nos
enche de alegria para vida, sejam boas ou sejam difíceis as circuns-
tâncias. Se é noite, Ele está conosco para expulsar o medo. Se é dia,
Deus está conosco para festejar junto.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 23.4-6 e Números 1 a 3
“Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal
nenhum, porque tu estás comigo; o teu bordão e o teu cajado me con-
solam”. (Salmo 23.4)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 48 29/09/2015 18:05:55


A aritmética mais difícil de dominar é aquela que nos

FEVEREIRO
11 capacita a contar nossas bênçãos.  
Eric Hoffer

Quando Deus abençoa


com graça e paz
Entre as orações da Bíblia, uma das mais conhecidas é:
“O Senhor Deus te abençoe e te guarde; o Senhor Deus faça res-
plandecer o rosto sobre ti e tenha misericórdia de ti; o Senhor
Deus sobre ti levante o rosto e te dê a paz”. (Números 6.22-26)
“Abençoar” é desejar o bem-estar. Quando você ora para que
Deus abençoe uma pessoa, está pedindo a Deus para agir de modo
que aquela pessoa alcance o bem-estar que precisa.
“Guardar” é proteger, sobretudo, da calamidade. Quando você
ora para que Deus guarde uma pessoa, está pedindo a Deus para
que proteja aquela pessoa do mal.
“Fazer resplandecer” é fazer brilhar como o sol. Quando você ora
para que Deus faça o rosto de uma pessoa resplandecer, está pedin-
do a Deus para agir de modo que aquela pessoa brilhe.
“Ter misericórdia” é ser gracioso. Quando você ora para que
Deus tenha misericórdia de uma pessoa, está pedindo a Deus para
que mostre a bondade dele na vida daquela pessoa.
“Levantar” o rosto de alguém é olhar para alguém com afeto.
Quando você ora para que Deus levante o rosto de uma pessoa,
está pedindo a Deus para prestar atenção àquela pessoa em suas
necessidades.
“Paz” é completude, saúde, bem-estar, segurança, prosperidade,
sossego, tranquilidade, contentamento, amizade. Quando você ora
para que Deus dê paz a uma pessoa, está pedindo a Deus para com-
pletar a vida daquela pessoa.
Nós podemos fazer esta oração para as pessoas. Deus abençoa
pessoas através de pessoas.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 24.1-6 e Números 4 a 6
“Ao SENHOR pertence a terra e tudo o que nela se contém, o mundo e
os que nele habitam”. (Salmo 24.1)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 49 29/09/2015 18:05:55


A honestidade ou a desonestidade é demonstrada em

FEVEREIRO
12 cada pequeno gesto da vida.
Mabel Hale

Se o juiz não viu...


Numa partida de futebol, as regras são claras.
Por isto, há uma comissão de arbitragem para vigiar os lances
dos que estão em campo e mesmo à margem dele.
Do lado de fora, nas arquibancadas ou nos sofás da sala, fazemos
também nossos julgamentos.
Todos querem vencer. Os jogadores querem sair vitoriosos. Os
torcedores querem que seu time vença.
E pode ser até que enganar faça parte do jogo.
Se, do nosso time, um atacante toma um leve empurrão, cai na
área e o juiz, enganado, assinala “pênalti”, não questionamos e es-
peramos que o batedor nos faça gritar: “gol!”.
É como se, a favor do nosso time, tudo fosse permitido. Se o juiz
não viu, não aconteceu! Podemos chegar ao ápice de comemorar
um título obtido com um gol feito com a mão.
A noção de “certo e errado” fica suspensa. Em nenhum outro
campo somos tão condescendentes. Os mesmos que não toleram
que o professor minta, que o pastor trapaceie ou que o político
furte são capazes de aplaudir o jogador que simula uma falta para
que o adversário seja punido, que retarda o jogo para continuar
vencendo, que encena uma violenta cotovelada no olho quando ga-
nhou apenas um toque suave no peito.
Alguém poderá argumentar: isto é o futebol. O problema é que o
argumento só prevalece para os vencedores. Os perdedores ficam
indignados. Quando se calam, é para não serem alvo do deboche
dos vencedores. No jogo das quatro linhas, a linha do certo e do
errado não deveria depender do que o juiz viu. Nunca deveríamos
achar que o errado se tornou certo porque ele não viu. A paixão não
pode estar acima da moral. Em nenhum campo da vida.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 24.7-10 e Números 7 a 9
“Quem é o Rei da Glória? O SENHOR, forte e poderoso, o SENHOR,
poderoso nas batalhas”. (Salmo 24.8)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 50 29/09/2015 18:05:55


O eu deve ficar de lado,

FEVEREIRO
13 para que Deus possa trabalhar.
Hannah Whitall Smith

Eu idolatro, tu idolatras,
nós idolatramos
Quando lemos sobre um empresário que tinha um carro no meio
da sala de uma de suas muitas casas, ficamos surpresos, mas não
devíamos, porque somos realmente capazes de criar ídolos. Na
verdade, não somos iconoclastas (aqueles que derrubam ídolos);
somos idólatras (aqueles que levantam ídolos).
Podemos idolatrar as coisas, com as quais devíamos ter uma re-
lação sadia, já que são apenas coisas. Podemos idolatrar os objetos
eletrônicos que possuímos, mesmo sabendo que ficarão obsole-
tos. Podemos idolatrar o conhecimento que adquirimos. Podemos
decorar as paredes dos nossos escritórios com diplomas e certifi-
cados. Podemos idolatrar as ideologias, tanto as políticas ou filosó-
ficas quanto as de consumo, que se tornam moda. Sentimo-nos na
obrigação de pensar o que nos dizem para pensar ou de vestir o que
nos dizem para vestir ou frequentar o restaurante que nos man-
dam ir. Dizemos que nossas escolhas são racionais, porque assim
nos são vendidas. Elas podem ser racionais para os seus formula-
dores, não para os seus consumidores. Podemos idolatrar pessoas
públicas, celebridades e subcelebridades. Nós olhamos para suas
imagens como se olhássemos para elas. Nós as vemos na televisão
e achamos que nos relacionamos com elas. Não há imagem mais
perfeita para a idolatria.
Objetos, conhecimentos, ideologias e pessoas públicas são coisas, a
menos que lhes sopremos o fôlego da vida. Quando Jesus deu ao di-
nheiro o nome de um deus (Mamom), estava nos lembrando que pode-
mos idolatrar as coisas. Por isto, o mandamento bíblico é claro: “não
faças para ti imagens de escultura” (Êxodo 20.4).
Ou adoramos livremente o Deus verdadeiro ou nos tornamos
escravos das coisas. Podemos escolher.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 25.1-7 e Números 10 a 12
“Guia-me na tua verdade e ensina-me, pois tu és o Deus da minha sal-
vação, em quem eu espero todo o dia”. (Salmo 25.5)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 51 29/09/2015 18:05:55


A avareza cresce com os anos, porque vai tomando no

FEVEREIRO
14 homem os espaços que, com o tempo, outras formas
de egoísmo deixam vazios.
Monteiro Lobato

Há vida lá fora
Devemos olhar para dentro de nós mesmos.
Esta é uma tarefa para todos os dias, para vários momentos num
mesmo dia. No entanto, a velocidade das nossas horas mal permite
que pensemos no que estamos fazendo, quanto mais no como esta-
mos fazendo ou como estamos sendo. Precisamos nos olhar.
Quando nos olhamos, um horizonte se abre diante de nós e per-
cebemos que a nossa vida pode ser mais do que é; um universo se
descortina diante nós e notamos que podemos contribuir para que
as vidas de outras pessoas sejam mais do que são.
Podemos viver na convicção de que somos amados por Deus.
Podemos deixar de lado o tempo em que éramos o centro do mun-
do. Curados do egoísmo, eis o paradoxo, nós olhamos para dentro de
nós para olharmos melhor para fora. Há vida fora de nós.
Não precisamos ser vítimas, mesmo que nos tenham feito mal. O
que já vivemos é apenas um trampolim para os próximos saltos.
Para nos olharmos, precisamos parar. Parar de fazer o que não
sabemos porque fazemos. Parar de fazer o que fazemos errado.
Para de fazer o que nos destrói. Parar de achar que o pecado é uma
virtude. Parar de achar que somos o que não somos.
Para nos olharmos corretamente, precisamos nos assentar sob o
sol da graça de Jesus e deixar que ele nos bronzeie.
E a graça de Deus nunca fica na superfície. Ela adentra ao nosso
ser. A cada movimento dela pelos corredores de nossa vida, vamos
sendo confrontados.
Confrontados e reprovados:
— Senhor, remove de mim o que está errado e, por favor, dirige-
me pelo caminho certo. Confrontados e aprovados:
— Senhor, é por tua graça que sou o que sou.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 25 8-13 e Números 13 a 15
“Ele é fiel e com amor guia todos os que são fiéis à sua aliança e que
obedecem aos seus mandamentos”. (Salmo 25.10)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 52 29/09/2015 18:05:55


Ser feliz é buscar estar no centro da vontade

FEVEREIRO
15 de Deus. Não é estar sempre em euforia.
Há momentos que podemos estar tristes,
mas a nossa alegria deve estar em Cristo.
Antonio Carlos Matheus

A felicidade existe (2/12)


Já que a vida é regida pelo desejo, pela decisão e pela disciplina,
DESEJE. O desejo é coisa tão profunda que se mostra no sonho da
noite, em forma de festa ou de pesadelo.
Alguns falham por falta de clareza no seu desejo. Como uma
criança que, num momento, quer uma bola de futebol, no outro
uma bicicleta e, a seguir, uma viagem, muitas pessoas não sabem o
que querem. Então: o que você quer?
Quem vai fazer uma viagem sabe que precisa comprar a passagem
para a cidade que pretende alcançar. O lugar de destino é o seu dese-
jo. Deseje. Deseje, por exemplo, se livrar de um trauma, de um mau
hábito ou de um vício, que você já entendeu que lhe traz prejuízos.
Não aceite o desagradável como inevitável. Deixe de ser vítima.
Deseje, por exemplo, ser aprovado num curso ou num concurso.
Não fique satisfeito com o que já alcançou; você pode ir além, para
melhor. Escreva o seu desejo. Quando você escreve o seu desejo, ele
fica mais claro. Desejos são alvos que se possam ver. Ao escrever
o seu desejo, note se ele é alcançável, mesmo que com esforço ou
a longo prazo. Vale a pena buscar a utopia de hoje que pode virar
uma realidade amanhã. Quando o escrever, imagine como o seu
desejo pode ser medido. Desejos são metas e têm que ser mensurá-
veis, para que sejam metas.
Quando delimitar seu alvo, veja se ele depende de você. Não so-
nhe para os outros; sonhe para você. Antes de se pôr a caminho
para realizar o seu desejo, ponha-se de joelhos para pedir a Deus
que o ajude a concretizar aquilo de bom que você sonha, dormindo
ou acordado. Ele o ajudará. Deseje. [CONTINUA em 26/3]
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 25.14-22 e Números 16 a 19
“O SENHOR Deus é amigo daqueles que o temem e lhes ensina as con-
dições da aliança que fez com eles”. (Salmo 25.14)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 53 29/09/2015 18:05:55


Quando Deus fala, a razão humana e as emoções

FEVEREIRO
16 sentimentais devem se calar.
Archibald Alexander

A autoridade última
A ideia de que existe uma autoridade última capaz de nos orientar
é, cada vez mais, vista como obsoleta. Para boa parte das pessoas,
ser moderno é ser independente. Para muitos, dar ouvidos a pala-
vras de terceiros representa uma negação da própria autonomia.
Parece que o homem de hoje se acha superior aos dos períodos an-
teriores, aos quais chama de “primitivos” ou “antigos”, sejam os
gregos com seus deuses humanizados, sejam os judeus-cristãos
com seu Deus transcendente. Prestar atenção a estes “antigos” é
ser antigo, dizem os modernos, crentes no ideário da autonomia,
que acabou entronizada no panteão, o lugar dos deuses.
Os modernos dizem rejeitar todo tipo de heteronomia, tornada
sagrada, embora usem as roupas que todo mundo usa, apreciem di-
zer o que todo mundo diz, cultivem a ideologia que todos seguem.
Se tem uma coisa que os ditos modernos fazem é seguir. Não por
acaso, as redes sociais são feitas de “seguidores”.
Melhor seria se admitíssemos que não somos autônomos. Somos
idealmente autônomos, mas não somos realmente autônomos. Por
isto, nossa autonomia deve começar com a autocrítica.
A boa autonomia é coisa da razão que se torna humilde ao pon-
to de reconhecer sua limitação e sua necessidade de Deus, a auto-
ridade maior. A boa autonomia é teonômica (isto é, centrada em
Deus). A autonomia teonômica parte do pressuposto que existe
uma autoridade última, que decide entre o que é certo e o que é
errado, entre o que é bom e o que é ruim, entre o que gera vida e
o que produz destruição. A autonomia teonômica vai à Bíblia em
busca de orientação, para com ela tecer sua teologia e sua prática.
A autonomia teonômica procura ajuda, seja para aclarar suas ideias
ou para equilibrar suas emoções.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 26.1-7 e Números 20 a 22
“Examina-me e põe-me à prova, ó SENHOR; julga os meus desejos e os
meus pensamentos, pois o teu amor me guia, e a tua verdade sempre
me orienta”. (Salmo 26.2-3)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 54 29/09/2015 18:05:55


A gratidão é a atitude que estabelece a altitude em

FEVEREIRO
17 que vivemos.
James MacDonald

Gratidão por
palavras amargas
Gostamos de palavras suaves, sejam elogios, sejam votos de “su-
cesso”.
Essas palavras têm um grande poder sobre nós, ao nos anima-
rem para a realização de nossos projetos. Nós emolduramos pa-
lavras agradáveis. Nós as memorizamos para nos acompanharem
nas horas tensas. Elas são como ventos favoráveis.
Mais do que gostar, nós precisamos de palavras agradáveis.
Mas também precisamos de palavras desagradáveis. São aquelas
que recebemos como se fossem “contra” nós. Elas estão contra uma
prática ruim, um hábito destruidor, um jeito de ser tóxico, um pe-
cado resiliente em nós.
Nós não gostamos de ouvir que estamos errados, mesmo quando
estamos errados.
Pois, diferentemente de nossas atitudes comuns diante das pala-
vras amargas, nós deveríamos agradecer a quem no-las oferece. Em
lugar de as evitar, gritemos “bem-vindas” às palavras que nos des-
pertam da preguiça, que nos acordam da indisciplina, que tocam a
nossa insensibilidade, que nos provocam para perceber a realidade,
que nos desmascaram, que nos advertem contra o nosso pecado.
Palavras duras nos fazem mais suaves; palavras ruins nos fazem
melhores, desde que as ouçamos.
Parte do que somos devemos às pessoas que nos disseram pa-
lavras que nos fizeram sorrir e parte do que somos tributamos às
pessoas que nos proferiram palavras que nos arrancaram lágrimas.
Por estes dois tipos de palavras, sejamos agradecidos.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 26.6-8 e Números 23 a 26
“Ó SENHOR Deus, eu amo a casa onde vives, o lugar onde está presen-
te a tua glória”. (Salmo 26.8)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 55 29/09/2015 18:05:55


Somente quem diz ‘o Senhor é a força da minha vida’

FEVEREIRO
18 pode dizer: ‘de quem terei medo’.
Alexander MacLaren

Vivendo na
dinâmica do perdão
Jesus nos ensinou a pedir e a oferecer perdão. Por meio de Jesus, Deus
nos perdoou. Perdoados, precisamos viver a dinâmica do perdão, per-
doando: perdoando-nos a nós mesmos, perdoando os outros. Quem
perdoa é livre, porque o perdão fecha a ferida. Quem não perdoa san-
gra. Precisamos ser membros da comunidade dos perdoados que
perdoam, prestando atenção às seguintes palavras:
1. Seja menos exigente com as pessoas.
2. Seja menos crítico das pessoas.
3. Ouça antes de julgar.
4. Para ser honesto consigo mesmo, lembre-se que a ofensa que
recebeu, você mesmo poderia tê-la feito.
5. Saiba que você nunca se arrependerá por ter perdoado, mas po-
derá se arrepender de não ter perdoado (ou por ter julgado mau
uma pessoa ou a pessoa morrer antes de vocês celebrarem a pos-
sível reconciliação).
6. Como um teste prático, deseje agora reencontrar no céu o “desafe-
to” de hoje, até porque lá você não poderá escolher onde vai viver
ou quem vai se relacionar. Lá é o céu, não o inferno. Lá as ruas não
dividem, os bairros não segregam, as cidades não escondem.
7. Para ter forças para viver na dinâmica do perdão, olhe para o
exemplo de Jesus.
8. Deseje seguir o exemplo de Jesus.
9. Peça a Jesus para ser igual a Ele na arte de perdoar.
10.Para demonstrar a sua fidelidade diante do Deus perdoador, “or-
gulhe-se” de perdoar, não de cobrar as dívidas ou devolver as ofen-
sas. Se você é “duro”, “justo”, você pode não ser assim. Você pode
perdoar, suavemente, graciosamente, assim como é perdoado.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 27.1-7 e Números 28 a 30
“O Senhor é a minha luz e a minha salvação; de quem terei temor? O
Senhor é o meu forte refúgio; de quem terei medo?”. (Salmo 27.1)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 56 29/09/2015 18:05:55


Não podendo regularizar os outros,

FEVEREIRO
19 regularizo-me a mim mesmo.
Michel de Montaigne

Dominando nossos desejos


Se os nossos sentimentos nos definem, nossos desejos nos cons-
tituem. Nós somos aquilo que desejamos. Como ensinou Jesus,
onde estiver o nosso tesouro, isto é, os nossos desejos, aí estará
também o nosso coração (Mateus 6.21).
Desejamos coisas legítimas e também coisas ilegítimas. Nem
todos os nossos desejos são pecaminosos. Sejam quais forem, no
entanto, se eles nos controlarem, passam a ser pecaminosos. Dese-
jamos coisas realmente necessárias e coisas suavemente impostas.
Já não sabemos a diferença entre coisas básicas e coisas supérfluas.
De qualquer modo, no entanto, podemos dizer que grande parte de
nossas necessidades simplesmente não existe. É parte da máquina
do mundo, que nos torna primeiramente consumidores e depois
cidadãos.
A maior desgraça do desejo é quando ele se converte em vício.
Há pessoas viciadas em falar da vida alheia; todo encontro social
se transforma em espaço privilegiado para a fofoca. São pessoas
que não controlam suas línguas.
Há pessoas viciadas em guardar dinheiro; guardam sempre e de
modo tão doentio que nunca usufruem dele. São pessoas que não
controlam sua cobiça.
Há pessoas viciadas em mentir. Algumas criam histórias para jus-
tificar seus erros, em lugar de os assumir. Dizem a Deus que o estão
adorando, mas estão apenas buscando uma benção. Dizem que têm
apreço por seu irmão, sendo até capazes de abençoá-los da boca
para fora, mas não têm a menor disposição de ajudá-lo a carregar as
suas cargas. São pessoas escravas da aparência.
Ter domínio próprio é controlar os próprios vícios, não os vícios
dos outros, que já éum outro vício. Desejar que os nossos desejos não
nos dominem é um excelente desejo, com frutos para toda a vida.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 27.-14 e Números 31 a 33
“O SENHOR Deus é amigo daqueles que o temem e lhes ensina as con-
dições da aliança que fez com eles”. (Salmo 25.14)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 57 29/09/2015 18:05:55


Ensina-nos, ó Deus, a disciplina da paciência, pois

FEVEREIRO
20 esperar é geralmente mais difícil do que trabalhar.
Peter Marshall

Palavras de força
Se considero como divinas as palavras de Jesus fincadas nos Evan-
gelhos, preciso meditar nelas.
A palavra vem da mesma raiz de medicar, de cuidar, mas também
de exercitar-se, de preparar. Meditar nas palavras de Jesus é cuidar
das suas palavras, arrumá-las no nosso coração, para que possam
ser eficazes em nossas vidas. Assim, se medito nas palavras de Je-
sus, eu falo as palavras de Jesus.
• Estou sendo tentado? Eu ponho em prática a advertência de Jesus:
“Vigiem e orem para que não caiam em tentação” (Mateus 26.41).
• Pequei? Eu me recordo da missão de Jesus: “Não são os que têm
saúde que precisam de médico, mas sim os doentes. Eu não vim
chamar justos, mas pecadores ao arrependimento” (Lucas 5.31-32).
• Fui ofendido? Eu digo, como Jesus: “Pai, perdoa-lhes, pois não
sabem o que estão fazendo” (Lucas 23.34).
• Estou cheio de planos para o futuro? Eu me rendo à sabedoria de
Jesus: e serei “como um homem que, ao construir uma casa, cavou
fundo e colocou os alicerces na rocha. Quando veio a inundação, a
torrente deu contra aquela casa, mas não a conseguiu abalar, por-
que estava bem construída” (Lucas 6.47-48).
• Estou doente? Eu me inspiro no ensino de Jesus: “Neste mundo
vocês terão aflições; contudo, tenham ânimo! Eu venci o mundo”
(João 16.33).
• Vivo cansado? Eu sorvo o convite de Jesus: “Venham a mim, to-
dos os que estão cansados e sobrecarregados, e eu lhes darei des-
canso. Tomem sobre vocês o meu jugo e aprendam de mim, pois
sou manso e humilde de coração, e vocês encontrarão descanso
para as suas almas”. (Mateus 11.28-30).
As palavras de Jesus são a luz de nossa vida. São elas que nos
sustentam e nos fazem crescer.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 28.1-6 e Números 34 a 36
“Ouve as minhas súplicas quando clamo a ti por socorro, quando ergo
as mãos para o teu Lugar Santíssimo”. (Salmo 28.2)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 58 29/09/2015 18:05:56


Nós somos frutos do nosso passado,

FEVEREIRO
21 mas não temos que ser prisioneiros dele.
Rick Warren

Abra a porta
Um campo de teste para conferirmos se estamos amadurecendo, e
não apenas envelhecendo, é a maneira como tratamos nossos pró-
prios erros.
As pessoas maduras se preocupam com os seus erros. O erro tem
consequências e não gostamos delas, por mais que, por vezes, errar
seja prazeroso, o que explica porque pecamos tanto. Uma pessoa
madura procura não errar. Estamos progredindo como pessoas
quando admitimos que erramos, poderemos errar ou já erramos.
Parece passo fácil, mas não é. Tendo errado, o segundo passo é re-
conhecer que erramos. Não devíamos, mas erramos.
O reconhecimento do erro não nos deve gerar outro pecado: o
de nos rejeitarmos a nós mesmos, considerando-nos indignos dos
outros, de nós mesmos e até do amor de Deus. Não devemos tam-
bém pendular para o extremo de banalizar o erro. Nenhum erro é
banal. O reconhecimento do erro deve contribuir para solidificar
em nós o desejo de não errar mais. Para que este desejo pise cada
vez mais o território da realidade, precisamos refletir sobre a nossa
inclinação para o erro. Se perdemos algo, perdemos: o objeto não
saiu voando de nossas mãos e se escondeu em algum lugar. Se inge-
rimos o que não devíamos, o copo não se assentou em nossa mesa.
Se ferimos alguém, ferimos.
Em muitos casos, precisamos admitir que continuaremos erran-
do, potencialmente até alcançar o fundo da destruição, se não bus-
carmos ajuda. Talvez, por mais que doa, tenhamos que abrir mão de
nossa soberania, para permitir que alguém intervenha e nos socor-
ra. Pode estar aí a chance de realizarmos nosso desejo de não errar
mais. Talvez Deus mesmo esteja batendo à nossa porta, esperando
que a abramos, para nos orientar na estrada do amadurecimento.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 28.7-9 e Deuteronômio 1 a 3
“O Senhor é a minha força e o meu escudo; nele o meu coração confia, e
dele recebo ajuda. Meu coração exulta de alegria, e com o meu cântico
lhe darei graças”. (Salmo 28.7)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 59 29/09/2015 18:05:56


A questão não é se você pode sonhar,

FEVEREIRO
22 mas se tem coragem de agir.
Jentezen Franklin

Tenha coragem
de colocar os valores
acima dos benefícios
Na moral de muitas pessoas, os fins justificam os meios.
Se o resultado da mentira é o lucro, elas mentem.
Se, para subirem, a bajulação funciona, elas bajulam.
Se o errado se torna certo, elas se alegram com o erro.
Os frutos de uma vida segundo os padrões dos benefícios ime-
diatos são capazes de nos cegar, para não ver os malefícios, nem
sempre imediatos. Mesmo que as consequências não venham, o
errado não se torna certo por isto.
Por isto, colocar os valores acima dos benefícios demanda coragem.
Ninguém deve preferir ficar com os valores pelos benefícios que
possam trazer. Fazer assim é como, por exemplo, tomar o nome de
Deus em vão. É parecer bom, quando não se é.
Em nossa trajetória, precisamos sempre avaliar nossos gestos,
começando por nossas motivações. Antes de avaliar o que faze-
mos, precisamos nos perguntar por que fazemos o que fazemos.
Demandará coragem.
Precisamos também de coragem para enfrentar as consequên-
cias. De modo bem claro, precisamos nos dispor a sofrer pelos va-
lores ensinados por Deus. Fiquemos bem com Deus, mesmo que
tenhamos que ficar mal com o resto do mundo. Alegremo-nos por
sermos considerados dignos de sofrer afrontas pelo nome de Deus
(Atos 5.41).
Coragem é coisa que vem do coração. Precisamos dela para usar
santamente o nome de Deus. Quando fazemos as coisas que as
pessoas dizem ser certas, tememos suas amizades. Quando segui-
mos corajosamente os dizeres de Deus, temos a amizade dele
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 29.1-6 e Deuteronômio 4 a 7
“Atribuam ao Senhor a glória que o seu nome merece; adorem o Senhor
no esplendor do seu santuário”. (Salmo 29.2)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 60 29/09/2015 18:05:56


Perdemos tempo quando não vivemos

FEVEREIRO
23 uma vida humana plena, num tempo sem
a riqueza da experiência, do esforço criativo,
da alegria e do sofrimento.
Dietrich Bonhoeffer

Depois do desânimo
O desânimo não escolhe idade. O desânimo vem por causa de uma
decepção, nem sempre percebida, com pessoas e causas. O tempo
e o talento investidos, na amizade ou no ideal, soam como tempo
e talento desperdiçados e como um aviso de que lutar não vale a
pena. O desânimo vem em meio ao cansaço, esse ladrão de energia
que usa diferentes disfarces para assaltar de surpresa. O desânimo
vem por causa do sucesso. Havia um projeto que concentrava todos
os esforços, noite e dia. O fim do projeto é o início do vazio.
Não devemos nos desesperar por experimentar um período de-
sanimado, mesmo que sejamos geralmente animados. Devemos
nos preocupar se a condição se insinua como permanente.
Precisamos de criatividade para formular projetos bons, mas nós
não somos nossos projetos. Nós os temos, mas somos maiores que
eles. Nossa vida não pode acabar quando um projeto termina.
Se o desânimo se instalou por causa da frustração, sabemos que pre-
cisamos avaliar as origens do mal-estar e retomar nossos feitos para
dificultar que ela nos retorne. Se o desânimo é filho do cansaço, sabe-
mos o que fazer. Por isto mesmo Deus estabeleceu o dia do descanso.
Temos muito ainda para ser. Ainda não somos o que podemos
ser. Há mais para nós. Não importa o que conquistamos.
Temos muito ainda a contribuir. Ainda não entregamos tudo o
que podemos. Há mais para os outros a partir de nós. Não importa
o quanto tenhamos ajudado.
O mundo (nossa família, nossa rua, nosso trabalho, nossa co-
munidade, nosso corpo, nossa mente) pode ser melhor. É o que
queremos? Viver para um mundo melhor seja a nossa ideologia.
Prossigamos.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 29.7-11 e Deuteronômio 8 a 11
“O Senhor dá força ao seu povo; o Senhor dá a seu povo a bênção da
paz”. (Salmo 29.11)  

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 61 29/09/2015 18:05:56


Somos cercados por muitos milagres na vida

FEVEREIRO
24 e ainda assim não conseguimos reconhecê-los.
Tim Hansel

Trafegando por uma


curva na montanha
Motorista experiente, ela conduzia seu carro por uma pista na
montanha.
De repente, apesar do traçado correto, numa curva, o farol de
um ônibus foi crescendo célere e cheio em sua direção, para bater
de frente.
No entanto, houve um desvio na exata distância de um triz.
Dentro do automóvel, uns tremiam, passado o impacto do susto.
Outros choravam de gratidão.
A motorista, capaz, por sua profissão, de avaliar os graus dos pe-
rigos, recorda:
— Não fui eu. Eu não fiz nada para desviar o carro. Foi um anjo
do Senhor. Quando fecho os olhos, ainda vejo o farol do ônibus
vindo em nossa direção, aterrorizante. Deus, que voltou o seu ros-
to para o nosso bem, nos deu a chance de continuar vivendo e sem
um arranhão sequer.
Os milagres acontecem. E o que fazemos quando eles NOS acon-
tecem? Primeiramente, devemos nos lembrar que a vida é breve.
Sempre devemos nos lembrar que somos como uma neblina. De-
pois, devemos agradecer pelo livramento recebido. Esta gratidão
deve estar constante conosco. Era para estarmos mortos, e esta-
mos vivos. “Obrigado, meu Deus”.
Mais ainda, devemos rever nossos valores, reafirmando os bons,
rejeitando os ruins que, por ventura, tenham se incrustado nos
cascos do navio da nossa existência.
Nesta revisão, podemos ver como o nosso dia se passa, com uma
olhada sobre a nossa agenda, que revela, de modo inequívoco,
quais são as coisas mais importantes da nossa vida.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 30.1-5 e Deuteronômio 12 a 15
“O choro pode persistir uma noite, mas de manhã irrompe a alegria”.
(Salmo 30.55b)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 62 29/09/2015 18:05:56


É um grande erro ficar olhando para os obstáculos,

FEVEREIRO
25 quando podemos olhar para Deus.
D. L. Moody

A dança
Há coisas que nos parecem impossíveis de ser transformadas.
Pensamos que é impossível àquele morador de rua ser restaura-
do, tão degradada está a sua autoimagem.
Achamos que é improvável àquele ladrão passar a viver de modo
honesto, sem nada tomar dos outros.
Julgamos ser zero a chance daquele que tem o corpo pronto para
responder rispidamente a algo que ouviu ou recebeu.
Consideramos incontrolável aquela língua preparada para divul-
gar maledicências sobre os outros.
Estamos certos de que a depressão que alcançou uma alma será
para sempre.
Afirmamos que aquela menina que foi alvo de abuso na infância
nunca terá uma vida normal.
Se pensamos assim, estamos errados, completamente errados,
porque estamos colocando a graça de Deus dentro de uma caixinha.
O que julgamos impossível Deus transforma em realidade. Não
há impossível para Ele.
Por causa do seu amor, moradores de rua são recuperados, la-
drões passam a viver do que ganham com o seu trabalho, pessoas
prontas para explodir têm seus temperamentos controlados, male-
dicentes se tornam pacificadores e doentes, físicos ou emocionais,
são curados.
Deus muda as coisas. Ele transforma o nosso choro em riso, para
que cantemos. Ele permite que voltemos a dançar. Os feridos já po-
dem na ponta dos dedos. Os braços curtos podem alcançar lugares
altos. O corpo curvado pode fazer movimentos pelo salão.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 30.6-12 e Deuteronômio 16 a 19
“Mudaste o meu pranto em dança, a minha veste de lamento em veste
de alegria”. (Salmo 30.11)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 63 29/09/2015 18:05:56


Nosso valor não depende de nossa capacidade de

FEVEREIRO
26 obter a instável aceitação das pessoas, mas, antes,
tem sua fonte no amor e na aceitação de Deus.
Robert McGee

Imagem não é tudo


A nosso respeito vão se dizendo coisas. Quando nos são favoráveis,
aceitamos como sendo verdadeiras, mesmo que não nos descrevam.
Sem que precisemos pagar a um especialista, nossa imagem pes-
soal vai sendo construída, com a nossa participação.
No cardápio das imagens boas estão adjetivos como afetuosos,
bondosos, confiáveis, doces, elegantes, felizes, generosos, honestos.
Se estamos no caminho destas virtudes, devemos aceitá-las com
humildade.
Se estamos longe destas marcas, devemos preferir a libertadora
verdade.
O problema é que a libertadora verdade desmente o que dizem
que somos e o que dizemos que somos. Preferimos, então, a con-
fortável mentira, mesmo que secretamente ela nos chicoteie.
Se o que nos caracteriza, mesmo que por razões alheias ao nosso
expresso desejo, é uma ou mais características tristes, como a indife-
rença, a maldade, a infidelidade, a amargura, fúria, a tristeza, o ego-
ísmo, a mentira, podemos e devemos almejar outro estilo de vida.
A mudança começa quando decidimos que não seremos o que es-
tamos sendo e continua quando buscamos a ajuda de alguém para
nos apoiar em nossa nova caminhada.
Persistir em nossos defeitos não enriquece o nosso currículo. O
que nos enriquece é o desejo sincero de os superar.
Tentar mudar sozinho é tão enganoso quanto negar o que so-
mos. Precisamos de ajuda e devemos buscá-la.
Subestimar nossos defeitos e seus danos, a nós e aos outros, é fa-
zer pouco da nossa própria inteligência e da percepção dos outros.
Imagem não é tudo.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 31.1-8 e Deuteronômio 20 a 25
“Sim, tu és a minha rocha e a minha fortaleza; por amor do teu nome,
conduze-me e guia-me”. (Salmo 31.3)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 64 29/09/2015 18:05:56


Quando nos tornamos conscientes de nossos

FEVEREIRO
27 problemas e defeitos de caráter, Deus nos mantém
responsáveis para lidar com eles e enfrentar as
duras mudanças que precisamos fazer.
Henry Cloud e John Townsend

Parando a destruição
Por causa de nossa natureza, temos a incrível capacidade de nos
autodestruir.
Como o filho pródigo da parábola contada por Jesus, deixamos
a serenidade em busca do vendaval que pode arrastar, juntos, pes-
soas a quem amamos.
Nós nos destruímos em nome do amor, do amor a nós mesmos,
que é o que ignora o outro, que desrespeita o outro, que agride o outro.
Não dilaceremos o que construímos. Não nos firamos a vida in-
teira, com noites em que o silêncio não embala o sono, por causa
de uma experiência traumática de infância que repugnamos, mas
repetimos. Se fomos vítimas, não nos tornemos algozes de inocen-
tes. Não são os inocentes que temos que derrotar. Temos que en-
frentar nossos traumas, para ser curados. Precisamos interromper
o ciclo da destruição, da qual nos tornamos dóceis soldados.
Não aceitemos o domínio do vício, mesmo aquele referendado
como aceitável pela sociedade, porque não fomos feitos para a morte.
Como faz o motorista embriagado de álcool ou autossuficiência, os
acidentes que provocamos ceifam também pessoas que amavam viver.
Tomemos coragem para fazer hoje o que não deve ser feito
amanhã. Tenhamos sabedoria para não fazer agora o que deve
ser decidido amanhã ou talvez jamais. Se precisamos dar um pas-
so para uma vida realmente boa, o dia é este. Se precisamos de
alguém que nos pegue pela mão, estendamos a nossa, como um
pedinte. Pode ser que, como uma injeção, doa, mas o benefício é
incomparável. Se o nosso passo precisa começar com um pedido de
perdão, não resistamos em dobrar os joelhos.
A vida ainda nos espera, como o pai da parábola.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 31.9-14 e Deuteronômio 26 a 28
“Mas eu confio em ti, Senhor, e digo. Tu és o meu Deus”. (Salmo 31.14)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 65 29/09/2015 18:05:56


O mundo procura por pessoas que realmente

FEVEREIRO
28 creem e vivem o que dizem.
Kay Arthur

Inteiramente íntegros
Quando vemos imagens de corruptos e corruptores indo para ca-
deia, nem que seja por apenas alguns dias, com alguns deles en-
capuzando seus rostos, não podemos esquecer que atrás daqueles
nomes há histórias de indivíduos, famílias e instituições.
Não é pequena — e nem deveria ser — a nossa indignação, mas
não podemos deixar de fazer algumas perguntas. Do alto dos seus po-
deres, aqueles homens desviaram dinheiro de suas finalidades para
outras. Corruptos e corruptores não nasceram assim. Tornaram-se.
Havia neles a tendência de serem corruptos e corruptores, como
há em cada um de nós, e não podemos ser ingênuos em pensar que
nascemos bons. É possível que, durante todas as suas vidas e até
recentemente, esses agora corruptos e corruptores nunca tenham
se apropriado de dinheiro alheio. Então, surgiu a oportunidade,
para eles e centenas de outros. Centenas resistiram, mas eles ce-
deram. Eram íntegros e se tornaram bandidos. Talvez fossem ínte-
gros por fora mas não o eram por dentro.
Eles aproveitaram as oportunidades porque eram boas para eles.
Talvez no início tenham resistido, mas seus colegas mostraram as
vantagens. Aderiram. Talvez tenham tido medo de ser descobertos,
mas a leitura dos jornais lhes mostrou que o crime compensa. Aderi-
ram. Pode ser até que alguns tenham sido primeiramente forçados,
mas lhes faltou a coragem de pular do trem em movimento. Ade-
riram. Pode ser que achem que nada fizeram de errado. Aderiram.
Esta é a anatomia de toda adesão. Aderimos até as práticas com
as quais não concordamos. Quanto aos que aderem, só lhes resta
o arrependimento, com a disposição de devolver o que roubaram e
contribuir para que a cultura da corrupção diminua.
Quanto a nós, espectadores dos crimes alheios, cabe-nos vigiar
para sermos íntegros por fora e por dentro.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 31.10-20 e Deuteronômio 29 a 31
“Como é grande a tua bondade, que reservaste para aqueles que te te-
mem, e que, à vista dos homens, concedes àqueles que se refugiam em
ti!”. (Salmo 31.19)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 66 29/09/2015 18:05:56


Cristo sabe como recriar um coração

FEVEREIRO
29 tomado pelo preconceito.
Charles Ware

O preconceito mata
Desmond Tutu, que ganhou um prémio Nobel da Paz, recordou o
evento mais determinante da sua vida: “Quando eu era criança, vi
um homem branco cumprimentar com o chapéu uma mulher ne-
gra. Peço que entendam que tal gesto era totalmente desconhecido
em meu país. O homem branco era um bispo episcopal e a mulher
negra era a minha mãe”.
Nós somos naturalmente preconceituosos, embora nos aborre-
çamos profundamente diante dos preconceituosos quando somos
as suas vítimas.
Quem vê o outro como igual tem o Espírito de Deus. Quem vê
o outro como inferior distribui destruição. O autor de “Meia-Noi-
te, Cristãos”, Placide Capeau de Roquemaure (1847) canta que no
nascimento de Jesus,
“O Redentor tirou todo o agravo.
Eis livre a terra, o céu se pode ver.
Torna um irmão quem antes era escravo.
O amor o medo fará desfazer”.
Raramente admitimos, mas o preconceito tem a ver com a eco-
nomia. Na verdade, a economia tem sua origem na psicologia.
Quando os empregos diminuem, os nacionais querem fechar as
portas para os imigrantes, mas não dizem que estão com medo de
perder suas posições de trabalho; assacam frases feitas contra os
estrangeiros, como “preguiçosos”, “doentes”, “sujos”, etc. O pre-
conceito estava dentro e aflorou. O preconceito só precisa de um
pretexto para disparar a bala, seja uma palavra ou um ato.
O preconceito mata o outro, sem direito de defesa.
O preconceito aniquila o outro, sem que tenha feito algo.
O preconceito massacra o outro, ao lhe negar o direito de ser.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 31.21-24 e Deuteronômio 32 a 34
“Bendito seja o Senhor, pois mostrou o seu maravilhoso amor para co-
migo quando eu estava numa cidade cercada”. (Salmo 31.21)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 67 29/09/2015 18:05:56


MARÇO
Sem tempo
Sem tempo.
Para retribuir.
Para agradecer.
Para reconhecer.
Para recordar.
Para abençoar. Com tempo.
Para homenagear. Para temer.
Sem tempo para viver. Para reclamar.
Para amaldiçoar a espécie
Sem tempo. humana.
Para distribuir Para ver apenas as sombras,
flores a quem se ama, nunca a luz que as projeta.
chocolates a quem se gosta, Para detestar o ponto preto na
confissões a quem se afeiçoa, branca página.
“muito obrigado” para quem abençoa, Para celebrar que a vida é
abraços para quem precisa, mesmo imperfeita.
afagos para quem não os banaliza. Para ter certeza que quem errou
Sem tempo para sorrir. jamais fará diferente.
Para achar que nada vale a
Sem tempo. pena.
Para ver o que Deus faz. Para gritar que Deus está
Para tentar enumerar as bênçãos que ausente.
Ele multiplica, consuetudinárias. Com tempo para, aos poucos,
Para perceber sua palavra em meio ao morrer.
silêncio.
Para notar seu cuidado atrás da
coincidência.
Para arrancar das coisas comuns as
suas coisas realmente extraordinárias.
Para viver em paz.

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 68 29/09/2015 18:05:56


Uma pessoa sábia tem seus pensamentos na cabeça;

MARÇO
1 uma pessoa insensata, na língua.
Ivan Panin

Culpa e perdão
O rei Davi, de Israel, foi um pecador, como todos somos.
Diante de um de seus pecados, primeiro ele negou, como, às ve-
zes, fazemos.
Confrontado, confessou, caminho que deve ser o nosso.
Com a história de Davi, aprendemos algumas verdades, das
quais não podemos fugir:
1. O perdão divino é uma necessidade humana básica. A experi-
ência da falta de perdão é a mais dramática do ser humano. Nós
não podemos conviver com a culpa. A não confissão do pecado
nos faz adoecer física, emocional e espiritualmente, tirando-nos
a razão de viver. Precisamos de perdão.
2. Deus perdoa todo tipo de erro que cometemos. O perdão divino
é abrangente. Não há um tipo sequer de erro que Deus não apa-
gue das páginas de nossas vidas, seja errar o alvo dele para as
nossas vidas, seja o delito consciente de ultrapassar um limite
estabelecido (como no trânsito). Deus quer perdoar os nossos
pecados. Ele é o esconderijo onde podemos depositar os nossos
pecados. Quando depositamos nele nossos pecados, ficamos li-
vres da angústia e cantamos poemas de libertação da culpa. Pre-
cisamos de perdão.
3. Há pessoas que se sentem tristes não por terem pecado, mas por-
que foram descobertas em seus pecados. Não há arrependimento,
mas decepção. Precisamos aprender a pedir perdão a Deus. Pedir
perdão é um estilo de vida, que abre o portão no caminho da feli-
cidade. Temos dificuldade de pedir perdão porque confessar dói.
A aprendizagem da confissão é dolorosa. Precisamos aprender
que ser perdoado é ser cercado pela misericórdia de Deus. O per-
dão divino é algo à nossa disposição. Precisamos aprender esta
realidade e mudar nossas vidas. Precisamos de perdão.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 32.1-7 e Mateus 1 a 2
“Tu és o meu abrigo; tu me preservarás das angústias e me cercarás de
canções de livramento”. (Salmo 32.7)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 69 29/09/2015 18:05:56


Ser mãe de especial é como navegar em mares

MARÇO
2 desconhecidos, enfrentar tempestades imprevisíveis,
aproveitar quando a maré está tranquila, é aprender
a ter esperança e, com ela avistar o melhor horizonte
e ver em Jesus o único porto seguro.
Sylvia da Costa

Lições para a vida


(Dia Internacional da Conscientização do Autismo)
Temos muito a aprender com mães e pais de autistas.
A primeira lição é o amor irrenunciável deles pelo filho, que os
leva a colocar na boca da sua criança uma frase como esta: — O
especialista me disse: ‘tens autismo’. Minha mãe me deu as mãos,
olhou nos meus olhos e disse: você é perfeito!
A segunda lição é o transbordamento deste amor, que não fica cir-
cunscrito ao segredo da família, mas leva os pais a se envolverem con-
tra o preconceito: — Não queremos mudar a forma com que nossos
filhos veem o mundo. Queremos mudar a forma como o mundo vê
nossos filhos. O autismo é apenas uma palavra, não uma sentença.
Outro recomenda: — Os médicos determinaram um tratamento
efetivo para pessoas com autismo. Chama-se respeito! Ainda outro
sugere outro: — Pessoas com autismo têm sentimentos também.
A comunicação que há entre eles, de uma forma radicalmente
amorosa, com os ouvidos e olhos, está no coração: — Uma mãe de
verdade entende o que o filho não disse. É encantadora é a disposi-
ção dos pais para mudar a visão da sociedade. Não é a sua criança
que é diferente; é o mundo. — Deveríamos parar de tentar encai-
xar as pessoas onde elas não cabem. Os pais dos autistas gostam
de destacar como aprendem com eles. — Pessoas com autismo não
mentem, não julgam, não fazem jogos mentais. Talvez possamos
aprender alguma coisa com elas. A dimensão mais tocante é o cui-
dado com que os pais cuidam dos seus filhos autistas: — Ser pai ou
mãe de uma pessoa com autismo nem sempre é fácil, mas eu não
trocaria meu filho por isso. Como “o autismo não se cura, se com-
preende”, viveremos melhor se nos juntarmos aos seus pais para que
seus filhos vivam melhor. (Fonte: www.http://meucerebro.com)
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 32.8-11 e Mateus 3 a 4
“Muitas são as dores dos ímpios, mas a bondade do Senhor protege
quem nele confia”. (Salmo 32.10)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 70 29/09/2015 18:05:56


Lembre-se, hoje é o amanhã sobre

MARÇO
3 o qual você se preocupou ontem.
Dale Carnegie

Preocupação mata
Quando sofremos diante de situações realizadas (como uma doen-
ça, um desemprego, uma decepção), sofremos por razões certas.
Quando sofremos diante de situações não realizadas (como uma
doença, um desemprego, uma decepção), sofremos por antecipa-
ção, logo sem razão.
No entanto, o sofrimento, também nestes casos, é real.
Vem de dentro um terror pelo que não aconteceu, e talvez jamais
aconteça. Vem do fundo um sentimento de inadequação diante de
expectativas que formamos ou formaram para nós.
Era um casamento que não aconteceu, como se todos tivéssemos
que nos casar... e logo.
Era um emprego estável que não chegou, como se a estabilidade
financeira fosse nosso objetivo de vida.
Era uma perfeição que sabemos nunca alcançaremos mas que
nos enche de uma culpa corrosivamente covarde.
Ouvimos Jesus nos dizendo para não ficarmos preocupados com
essas coisas, já que, por exemplo, não podemos produzir a altura que
gostaríamos de ter ou alcançar a idade que sonharíamos ter antes de
morrer. Se nestas coisas tão essenciais, nada podemos fazer, por que
vamos sofrer com aquelas com as quais podemos viver sem realizar?
Devemos ter metas, as nossas, não as dos outros.
Devemos ter metas, as nossas, corrigindo-as para que não gerem
atitudes que impeçam o seu alcance.
Devemos desejar ser melhores, chegando cada vez mais perto da
perfeição, sabendo que só a alcançaremos no céu.
Quando errarmos REALMENTE, precisamos saber que o erro
integra a nossa condição (limitados somos), sempre com a disposi-
ção alegre de recomeçar, do zero até, se for o caso.
Deus estará sempre conosco neste projeto.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 33.1-9 e Mateus 5 a 6
“A palavra do Senhor é verdadeira; ele é fiel em tudo o que faz”.
(Salmo 33.4)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 71 29/09/2015 18:05:57


Minha honesta confissão de impotência

MARÇO
4 abre a porta para a onipotência de Deus.
Jack Hayford

Ponha na cocheira
seus cavalos de guerra
Muitas pessoas nos dizem:
— Eu sou ansioso.
Nem todas as pessoas que admitem a sua ansiedade querem dei-
xar essa condição.
A liberdade se esboça com a sábia descoberta que, por mais que
nos dediquemos ou nos arrebentemos, não resolveremos todos os
problemas, não venceremos todos os conflitos, não tiraremos nota
dez em todos os quesitos, não satisfaremos todas as expectativas
que têm a nosso respeito.
Há outras atitudes. Uma delas é evitar aquelas situações que nos
deixam ansiosos, desde que evitá-las não implique em evitar a vida.
Outra é, sabendo-nos amados por Deus, ter certeza que não pre-
cisamos provar nada para ele ou para os outros ou para nós mes-
mos. Os que não confiam em nós continuarão a não confiar, por
mais que mostremos nossas virtudes. Os que confiam em nós con-
tinuarão a gostar de nós, mesmo que falhemos.
A atitude melhor e mais difícil é confiar em Deus. Tomaremos
cuidado, mas é Deus quem nos protege. Faremos nossa parte no
trabalho, mas é Deus quem fará que tudo se encaixe e o negócio
prospere. Procuraremos ser corretos, mas é Deus quem testemu-
nhará a nosso favor.
No meio do caminho, não se desespere por descobrir que você
não é tão bom quanto imaginava. Outras pessoas podem fazer o
que você faz e, quem sabe, ainda melhor.
PÓS-ESCRITO — Experimente, de vez em quanto, deixar para
fazer amanhã o que teria que fazer hoje. No dia seguinte, talvez
você se descubra que a tarefa urgente podia esperar.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 33.10-17 e Mateus 7 a 8
“Como é feliz a nação que tem o Senhor como Deus, o povo que ele
escolheu para lhe pertencer!”. (Salmo 33.12)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 72 29/09/2015 18:05:57


A Palavra de Deus triunfa. Não é conversa do povo,

MARÇO
5 pregação e mais cântico. O que importa é a Palavra.
É a Palavra que realiza. A Palavra é o próprio Jesus.
Enéas Tognini

A espada
Entre as frases de Jesus que nos deixam atordoados, uma diz: —
Não pensem que vim trazer paz à terra; não vim trazer paz, mas
espada. (Mateus 10.34) Príncipe da paz, definitivamente, Jesus é
contra o uso da força bruta. Ele nunca a empregou.
A espada é um objeto capaz de cortar um corpo ao meio. Jesus
sabe que sua mensagem é completamente revolucionária, por pro-
por um outro tipo de vida, que rejeita, por exemplo, a enraizada
ideia do mérito. Ele viveu pela graça de Deus e nos convida a viver
como ele viveu. O convite será aceito ou rejeitado. É sobre a espada
da decisão que Jesus nos fala. A espada é um objeto longo e simbo-
liza a escolha de muitos que vivem sem olhar para dentro de si mes-
mos, sem olhar para o que está acima do que os seus olhos alcançam,
sem admitir que a vida nos chega embrulhada como mistério, o qual
entenderemos um pouco se nos esforçarmos ou ignoraremos como
se não existisse. Viver é mistério; não é apenas levantar, trabalhar e
dormir. Morrer é mistério; não é apenas fechar os olhos pela última
vez. Amar é mistério; não é escolher numa gôndola uma marca de
pessoa, com um tipo de sorriso e levar para casa.
Ao trazer a espada, Jesus veio nos mostrar que há um outro tipo
de vida e ela se encontra abaixo da superfície. Essa espada é pala-
vra que divide entre uma vida vegetativa e uma vida criativa, uma
vida que recebe e uma vida que oferece, uma vida medrosa e uma
vida corajosa, uma vida fechada em si mesma e uma vida aberta
para o outro, uma vida sem sentido e uma vida cheia de plenitu-
de, tornada possível pela graça oferecida na cruz de Jesus Cristo, o
maior mistério da história, graça que não é para ser inteiramente
compreendida mas completamente recebida.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 33.18-22 e Mateus 9 a 10
“O cavalo é vã esperança de vitória; apesar da sua grande força, é inca-
paz de salvar. Mas o Senhor protege aqueles que o temem, aqueles que
firmam a esperança no seu amor”. (Salmo 33.17-18)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 73 29/09/2015 18:05:57


O fracasso pode ser seu amigo porque ele é um grande

MARÇO
6 mestre.
John Townsend

A arte de lidar com


as nossas frustrações
Noticiaram os jornais que um homem atirou várias vezes num mé-
dico que o operou. Antes de disparar, gritou que queria matar o
profissional porque a cirurgia o deixara impotente. Depois, ele se
suicidou. O médico sobreviveu.
O desespero deste homem é um ícone das nossas reações diante
das frustrações.
Por vezes, eliminamos aqueles que nos frustram, como se, par-
tindo eles, cessassem junto as nossas dores.
Outras vezes, deixamos que as frustrações nos acompanhem
como um fardo do qual não podemos nos livrar e elas vão se acu-
mulando e talvez um dia nos sufoquem.
Podemos também fazer de conta que, já que a vida é assim mes-
mo, não temos frustrações, e vamos nos contentando com um file-
te de água doce na imensidão do oceano amargo.
Podemos, porém, seguir por outra rota.
Devemos reconhecer que, vivendo, colhemos frustrações. Elas
são inevitáveis.
Devemos igualmente reconhecer que, vivendo, colhemos reali-
zações. Elas são autênticas. Precisamos pesar umas e outras. Pos-
sivelmente, veremos que temos mais realizações a comemorar do
que frustrações a lamentar.
Se é assim, devemos colocar o foco nas nossas realizações, não
nas frustrações; nas alegrias, não nas nossas tristezas; no futuro
de possibilidades, não no passado de dificuldades.
As frustrações têm o poder de nos paralisar, mas a percepção de
nossas realizações nos empurra para o alto e para a frente.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 34.1-7 e Mateus 11 a 12
“O anjo do Senhor é sentinela ao redor daqueles que o temem, e os
livra”. (Salmo 34.7)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 74 29/09/2015 18:05:57


Uma vez que todas as coisas contribuem

MARÇO
7 para o seu progresso, você deveria incluir
todas as coisas em sua gratidão.
Ralph Waldo Emerson

Desembrulhe
o seu presente
Cada manhã, além de ser uma manhã, é um símbolo de um dia e
representa uma vida.
Podemos receber, então, cada manhã, como um presente, um
presente de Deus para nós. Este presente vem embrulhado.
O que fazemos com ele?
Se o deixarmos embrulhado, não será um presente, porque será
um presente apenas em potencial. O objeto pode vir a ser um pre-
sente, mas ainda não o é. Falta-nos recebê-lo de fato.
Quando abrimos esse presente, podemos, então, desfrutá-lo ou
podemos jogá-lo fora.
A vida é como um presente que nos foi entregue embrulhado.
Podemos desembrulhá-la e desfrutá-la. Podemos até mesmo de-
sembrulhá-la e descartá-la.
Nós jogamos fora a nossa vida quando deixamos o tempo sim-
plesmente passar, quando não fazemos hoje o que devemos.
Precisamos desembrulhar o nosso presente. Podemos usar bem
o nosso tempo, o tempo que nos foi dado como presente. Desem-
brulhamos bem o nosso presente — que pode ser uma pesquisa,
um trabalho, um passeio, um exercício —, quando pesquisamos,
trabalhamos, passeamos ou brincamos.
Desfrute o seu dia. Receba-o como um presente, um lindo pre-
sente de Deus para a sua vida.
O dia de hoje é um símbolo de toda a sua vida, um símbolo de
tudo aquilo que Deus pode fazer e tem feito para você.
Desembrulhe o seu presente de hoje.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 34.8-15 e Mateus 13 a 14
“Provem, e vejam como o Senhor é bom. Como é feliz o homem que nele
se refugia!”. (Salmo 34.8)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 75 29/09/2015 18:05:57


As carícias, de diferentes tipos, são necessárias para

MARÇO
8 a vida dos afetos como as folhas o são para a vida de
uma árvore. Se forem inteiramente contidas, o amor
vai morrer nas raízes.
Nathaniel Hawthorne

Elogie sua mulher


(Dia Internacional da Mulher)
A mulher é a coluna que sustenta a família. Seu papel é insubstituí-
vel. Por isto, elas devem ser elogiadas, a começar pela sua casa, pelo
seu marido e por seus filhos.
1. Marido, como você trata sua esposa? A primeira boa maneira
de exaltá-la é amá-la. Se você a amar, ela será feliz.
A segunda boa maneira de exaltar sua esposa é compreendê-la.
Ele não reage como você reage e talvez nem ame como você ama.
Vocês são pessoas diferentes, mas um não é melhor do que o outro.
A terceira boa maneira de exaltar sua esposa é ficar ao seu lado,
em casa, nas compras, nos passeios. Sempre que puder, esteja com
ela. Seja seu melhor e mais constante companheiro.
Do amor, da compreensão e do companheirismo vem o elogio,
elogio ao seu amor, elogio à sua dedicação, elogio ao seu esforço.
Diga com palavras, e não apenas com gestos, o que ela significa
para você. Se você não é bom de palavras, use as palavras da Bíblia.
2. Filho, como você trata a sua mãe? Não importa a sua idade;
ame sua mãe, ame e demonstre; demonstre com gestos; demonstre
com palavras.
Não pense só em suas realizações: pense também nas delas.
Se ainda mora em casa, ajude-a. Se não mora mais, procure por
ela. Vá sempre a sua casa. Receba-a na sua sempre.
Valorize a sua mãe.
Elogie a sua mãe.
Se tiver chegado este momento, cuide
Se tiver partido, honre a sua memória.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 34.16-22 e Mateus 15 a 16
“O justo passa por muitas adversidades, mas o Senhor o livra de to-
das”. (Salmo 34.19)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 76 29/09/2015 18:05:57


As provações revelam o que pensamos sobre Deus.

MARÇO
9 Jude D’Souza

Rocha e fortaleza
Os poetas da Bíblia gostam de comparar a segurança que Deus nos
oferece à solidez da rocha e ao abrigo da fortaleza.
A mensagem é clara. No entanto, pode parecer menos forte para
pessoas que moram em regiões formadas por planícies.
Não era este o caso dos poetas bíblicos. Israel é um pais de mui-
tas montanhas e muitos vales. Para qualquer lado que se olhe, lá
estão as montanhas de formação rochosa.
As montanhas eram também lugares de profundas experiências
com Deus. Abraão foi aprovado por Deus numa montanha. Moisés
se encontrou com Deus numa montanha. Elias viu o poder de Deus
numa montanha. Davi construiu sua cidade numa montanha. Je-
sus mostrou sua glória aos discípulos numa montanha.
Além disto, todas as cidades dos tempos antigos tinham um ide-
al: serem cercadas por muros, formando fortalezas que bandidos
ou soldados não podiam entrar com facilidade.
Destas experiências de vida, os poetas bíblicos nos oferecem
uma certeza: podemos confiar em Deus sem medo. Deus não é
comparado a um mar de areias que se movem sob os nossos pés.
Ele é como uma rocha, que, uma vez pisada, dá segurança. Deus é
comparado a uma fortaleza que não pode ser destruída. Quem está
na fortaleza não pode ser alcançado pelo adversário.
Crer em Deus assim é viver uma vida marcada pela confiança que
não desconfia.
Quem confia em Deus, como rocha e fortaleza, encontra ânimo
para enfrentar todas as dificuldades da vida.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 35.1-9 e Mateus 17 a 18
“Defende-me, Senhor, dos que me acusam; luta contra os que lutam
comigo”. (Salmo 35.1)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 77 29/09/2015 18:05:57


Eu não sou homem que recuse elogios. Amo-os;

MARÇO
10 eles fazem bem à alma e até ao corpo. As melhores
digestões da minha vida são as dos jantares em que
sou brindado.
Machado de Assis

Palmas para o
sucesso do outro
O que faz o professor quando o trabalho do seu colega é reconhecido?
O que faz o aluno quando o companheiro do lado tira notas melhores?
O que faz o executivo quando a empresa do outro acumula bons resul-
tados? O que faz o pai quando o filho do seu amigo é aprovado num
concurso? O que faz a mulher estéril quando sua amiga engravida?
Diante do sucesso do outro, podemos avaliar que ele o alcançou
apenas porque as condições lhe foram favoráveis. Neste caso, es-
tamos reagindo com despeito. O sucesso do outro pode nos levar
a perguntar porque não alcançamos o mesmo brilho que merecía-
mos. Neste caso, a inveja nos domina.
Podemos também, contemplada a alegria do outro, lamentar o
seu triunfo. Neste caso, a amargura nos marca. Podemos também
mentir a nós mesmos, dizendo que não queremos o sucesso.
Devemos aplaudir o sucesso do outro, se foi obtido dentro de
regras limpas e como resultado do esforço da inteligência e da cria-
tividade. Devemos dar graças a Deus pelo sucesso do outro e lhe
desejar ainda mais sucesso. Devemos aprender com o outro, não
para fazer igual, porque temos ritmos e contextos diferentes, mas
para permitir que sua trajetória ilumine a nossa caminhada, co-
meçando pela percepção de que o trabalho vale a pena. Com quem
acertou podemos aperfeiçoar o que fazemos ou eventualmente
mudar o modo como procedemos.
Mesmo que o triunfo do outro não seja do tipo que almejamos, por
serem outros os nossos ideais, devemos recebê-lo como uma prova
de que também podemos escrever nossa própria história de sucesso.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 35.10-18 e Mateus 19 a 20
“Todo o meu ser exclamará. Quem se compara a ti, Senhor? Tu livras
os necessitados daqueles que são mais poderosos do que eles, livras os
necessitados e os pobres daqueles que os exploram”. (Salmo 35.10)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 78 29/09/2015 18:05:57


O homem não descobre novos oceanos enquanto

MARÇO
11 não tem a coragem de se afastar da costa.
André Gide

Mude o seu passado


Tornou-se uma frase comum que, como não podemos mudar o
nosso passado, devemos escrever o nosso presente.
Viver é também guardar lembranças, umas doces e outras amar-
gas. Umas nos inspiram e outras nos deprimem. Algumas nos fa-
zem voar e outras nos levam a esconderijos. Nossas atitudes diante
do passado compõem as canções de nossas vidas. Andar em círcu-
los em torno do passado é nos afundar nos sulcos que o peso do
nosso corpo vai formando, ao ponto até de nos sufocar.
Há situações do passado que precisam ser mudadas.
Há passados que precisamos reescrever, porque são falsos. Foram
construídos para nós, para que acreditássemos na versão, ou constru-
ídos por nós, para que parecessem o que não foram. Neste processo,
muitas infâncias dolorosas foram descritas como maravilhosas. Pode
ser que a sensação nos ajude, mas pode ser também que os fatos reais
sejam o fio que nos conduziu pelo resto da jornada até agora. Nes-
te caso, precisamos mudar o passado, reescrevendo-o como foi, não
como o compuseram para nós ou nós mesmos o imaginamos.
Há passados que precisamos mudar, porque continuam presen-
tes. Não escreveremos o nosso presente se não mudarmos o passa-
do. O filho violento de um pai violento precisa saber que é violento
porque seu pai o foi. Uma filha depressiva de uma mãe depressiva
precisa entender que ela continua a história da sua mãe.
Mudamos o passado ruim quando escrevemos a nossa própria
história, rejeitamos o figurino que esse passado tenta nos impor
ou recusamos os papéis de vítimas, dispondo-nos com coragem
a assumir que, apesar de nossas fraquezas e de nossas heranças,
temos um lindo presente para viver. Deus não é Deus dos mortos
mas dos vivos (Mateus 22.32).
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 35.19-28 e Mateus 21 a 22
“Minha língua proclamará a tua justiça e o teu louvor o dia inteiro”.
(Salmo 35.28)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 79 29/09/2015 18:05:57


Amigo é aquele que sabe tudo a seu respeito e, mesmo

MARÇO
12 assim, ainda gosta de você.
Kim Hubbard

Proposta de reencontro
Quando nos vai para sempre um amigo, dizemos que a morte nos
separou.
Nem sempre a frase é completamente verdadeira. Talvez só seja
real para os que se reencontram periodicamente, mesmo que com
menos um a cada reunião.
Quanto aos demais, notamos que dos amigos que vamos tendo
também deles nos vamos separando.
Separa-nos a geografia. Saímos pelo mundo, em endereços mui-
tas vezes ignotos. Afastam-nos os projetos de vida, que demandam
intensidades diversas. Distanciam-nos as agendas, com cada vez
menos linhas em branco para encontros que não entrem na rubrica
de “produtivos”. Entrincheiram-nos as intrigas, quando ouvimos
palavras que o outro nunca disse.
Para todas as esgarçaduras há a solução do encontro. Se quere-
mos, ajuda-nos, por exemplo, a infotecnologia, que nos pode pôr
em contato, para compartilharmos histórias, novos personagens
(os filhos, por exemplo), projetos comuns e boas realizações. Se
queremos, podemos marcar encontros periódicos para rirmos jun-
tos de novo e sonharmos novamente todos.
Só não há solução para o desinteresse, que lança no fundo do
mar memórias doces que não poderiam ser apagadas como se não
tivessem existido. Para o desinteresse pelo encontro, não há remé-
dio senão o desejo.
Embora o nosso tempo seja hoje, o que somos agora é também
aquele tempo em que acreditávamos que iríamos mudar o mundo.
Se fomos amigos ontem, devemos ser amigos hoje.
Vamos nos reencontrar?
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 36.1-6 e Mateus 23 a 24
“A tua justiça é firme como as altas montanhas; as tuas decisões in-
sondáveis como o grande mar. Tu, Senhor, preservas tanto os homens
quanto os animais”. (Salmo 36.6)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 80 29/09/2015 18:05:57


O segredo é não correr atrás das borboletas... É cuidar

MARÇO
13 do jardim para que elas venham até você.
Mario Quintana

Cuidar de nós
mesmos é nossa tarefa
Temos dificuldade em lidar com a nossa enfermidade, seja física,
seja emocional.
A doença é uma quebra de uma lei natural, seja ela psíquica, seja
ela corporal; ficamos doentes quando alguma coisa no nosso cor-
po/mente para de funcionar. Se nós conhecemos essa lei ou não
conhecemos, isso não importa, a lei funciona do mesmo jeito. Às
vezes, Deus impede que as leis naturais funcionem conosco e às
vezes ele permite que elas aconteçam. Por que? Não sabemos.
Nós somos responsáveis para cuidar do nosso corpo, segundo
as leis. Não é tarefa do nosso pai, de nossa esposa, de nosso filho,
de nosso irmão. A tarefa de cuidar do nosso corpo/mente é nossa.
Temos que fazer exercícios, porque a vida sedentária leva a que-
bra de uma lei natural. Se você, por exemplo, acumula gordura no
seu corpo, ele vai entupir. É simples, é muito simples! Temos que
nos alimentar bem, nos horários, na qualidade e na quantidade.
Não é com muita comida, mas algumas vezes ao dia, de três em
três horas. Precisamos comer coisas boas, saladas, legumes, frutas.
Quando não fazemos isto, pagamos o preço. Então, oramos a
Deus pra nos curar, mas Ele espera que cuidemos do nosso corpo. É
claro que, às vezes, nós cuidamos e ainda assim temos problemas,
porque uma lei natural se quebra, sem uma razão que saibamos.
Se sabemos qual é a razão, se sabemos que precisamos fazer
exercícios, se sabemos que precisamos nos alimentar, se sabemos
que temos que cultivar uma mente sadia e nós não o fazemos, por
que não o fazemos?
Deus nos deu a tarefa de cuidar de nossa vida, corpo e mente.
Ele espera que nos previnamos, evitando o que pode ser evitado.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 36.7-12 e Mateus 25
“Pois em ti está a fonte da vida; graças à tua luz, vemos a luz”.
(Salmo 36.9)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 81 29/09/2015 18:05:57


Explicações são substitutos para a confiança.

MARÇO
14 Tullian Tchividjian

Convite à entrega
Ponha a sua vida nas mãos de Deus.
Somos chamados a entregar a nossa vida ao Senhor Deus.
Sigamos caminhando, mas entreguemos nossa caminhada ao
Senhor Deus. Ele nos redime do passado. Ele nos ilumina o presen-
te. Ele nos sinaliza o futuro.
Se as finanças estão apertadas, paremos de gastar o que não ga-
nhamos; esta é a caminhada que Deus abençoa.
Se o futuro parece sombrio, estudemos mais para ter um empre-
go melhor; esta é a caminhada que Deus abençoa.
Se os relacionamentos não duram, paremos de ser agressivos
com os outros; esta é a caminhada que Deus abençoa.
Se nossas emoções estão em frangalhos, procuremos ajuda; esta
é a caminhada que Deus abençoa.
Se a Bíblia não tem sido Palavra de Deus aos nossos corações,
voltemo-nos para suas páginas de vida; esta é a caminhada que
Deus abençoa.
A bênção de Deus inclui a parte que nos foi delegada para fazer.
É parte da nossa parte a paciência, que, portanto, faz parte da
caminhada, que tem momentos de corrida e descanso, suor e sono.
A paciência produz o descanso. Descanse em Deus. O homem
rico, que procurou Jesus, fez uma oração diferente e equivocada:
ele queria descansar nos seus bens, que trazem mais fadiga (Lucas
12.19). Perdeu o principal, embora tenha conservado o secundá-
rio. Nossa oração deve ser a do salmista: “Descanse somente em
Deus, ó minha alma; dele vem a minha esperança” (Salmo 62.5).
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 37.1-7 e Mateus 26
“Descanse no Senhor e aguarde por ele com paciência; não se aborre-
ça com o sucesso dos outros, nem com aqueles que maquinam o mal”.
(Salmo 37.7)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 82 29/09/2015 18:05:57


Desistir... eu já pensei seriamente nisso,

MARÇO
15 mas nunca me levei realmente a sério; é que tem
mais chão nos meus olhos do que o cansaço nas
minhas pernas, mais esperança nos meus passos,
do que tristeza nos meus ombros, mais estrada no
meu coração do que medo na minha cabeça.
Cora Coralina

“Sobrou?”
Em muitas ruas de cidades empobrecidas, é comum, no começo da
tarde, pessoas chamarem os moradores ao portão de sua casas com
uma indagação: — Sobrou? A pergunta é feita por pessoas que, não
tendo comida em suas mesas, pedem aos que, tendo-a, podem ofere-
cer o que lhes sobejou. Quem tem e diz “sim” é solidário. Bom seria
que a solidariedade precisasse se exercitar em palavras de conforto e
ânimo aos que estão desolados mas não pela fome.
É valiosa a solidariedade dispensada a quem está na dependência
química. É confortador notar um gesto amigo que atenua o peso de
uma tragédia. É digno de registro a acolhida a quem vê no próprio
corpo as feridas deixadas pela perda. É dramático quando as mãos se
estendem em busca de alimento como vozes sem conta perguntando
se sobrou. É um insulto à humanidade quando o que sobra vai para
o lixo. É uma expressão de severa desumanidade não escutar o “so-
brou?” que alguém, estranho ou próximo, profere. É aviltante para
quem precisa comer ouvir explicações sobre a sua condição ou conde-
nações para o seu triste estado, por causa de crônica insensibilidade
ou preconceitos enraizados. Ninguém deveria precisar ir em busca do
que sobrou. Humanos são os que vão ao encontro dos que não têm.
Solidariedade não devia precisar ser ensinada, porque a nossa
igualdade uns com os outros a impõe. Solidariedade devia ser algo
natural em nós, pelo que a falta dela nos deveria envergonhar. So-
lidariedade não devia ser elogiada, mas praticada como dever moral
de cada um de nós, Solidariedade é gesto de pessoas espirituais, que
são aquelas que almejam ir além de satisfazer os desejos da sua pele.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 37.8-17 e Mateus 27 a 28
“Melhor é o pouco do justo do que a riqueza de muitos ímpios”.
(Salmo 37.16)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 83 29/09/2015 18:05:57


Promessas feitas na tempestade

MARÇO
16 são esquecidas na calmaria.
Thomas Fuller

Precisamos de coragem
Na hora do medo, temos medo. O medo é para todos. Sentimos
medo quando as coisas que estavam arrumadas, caminhando bem,
ficam fora de controle. Quando Josué teve que substituir Moisés,
precisou ouvir:
“Seja forte e corajoso! Não se apavore, nem desanime, pois o Se-
nhor, o seu Deus, estará com você por onde você andar”. (Josué 1.9)
Ele precisava de coragem. Nós precisamos de coragem. Precisa-
mos de coragem quando temos para realizar uma tarefa que julgamos
maior do que nós. Tarefas precisam de pessoas corajosas. Precisamos
de coragem quando perdemos um companheiro (líder, cônjuge,
filho, pai, irmão) e doa muito. Tragédias precisam de pessoas de
coragem. Precisamos de coragem quando estamos doentes. Temos
que enfrentar nossas enfermidades físicas: buscar o diagnóstico; se
demandar uma cirurgia, enfrentá-la. Precisamos enfrentar nossas
enfermidades psíquicas: buscar o diagnóstico, aceitar o diagnósti-
co e buscar a terapia, seja para a cura ou para a convivência. Doen-
ças precisam de pessoas de coragem.
Precisamos de coragem quando temos que mudar a nós mesmos.
Se há um hábito ou um vício a ser abandonado, um perdão a ser
oferecido, uma herança familiar a ser rejeitada, precisamos de co-
ragem. Nossa vida depende da coragem. Nossas autotransforma-
ções precisam de coragem.
Então, a promessa se repete aos nossos ouvidos: “Não se apavore,
nem desanime, pois o Senhor, o seu Deus, estará com você por onde
você andar”, mesmo que esteja doendo a travessia das mudanças pes-
soais, mesmo que esteja num leito de hospital, mesmo que as coisas
lhe pareçam hoje sem sentido, mesmo que haja um mar a ser vencido,
como foi com Moisés, um rio a ser atravessado, como foi com Josué.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 37.18-24 e Josué 1 a 3
“O Senhor cuida da vida dos íntegros, e a herança deles permanecerá
para sempre”. (Salmo 37.18)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 84 29/09/2015 18:05:57


Para os pobres, é ‘dura lex, sed lex’. A lei é dura,

MARÇO
17 mas é a lei. Para os ricos, é ‘dura lex, sed latex’.
A lei é dura, mas estica.
Fernando Sabino

A desigualdade mata
Não há oportunidades para todos. Por causa do pecado, a desigual-
dade é o fio que conduz a história.
No século 21 o mar Mediterrâneo, que liga a rica Europa à pobre
África, se tornou um cemitério de adultos e crianças africanos, to-
dos em busca de oportunidades que o seu continente lhes nega. A
desigualdade leva ao desespero, que é explorado por traficantes de
seres humanos. É tanta a diferença que Winnie Byanyima, presi-
dente de uma ONG que monitora a desigualdade perguntou:
— Vocês querem realmente viver em um mundo em que 1% das
pessoas possui mais do que o resto de todos nós, somados?.
A denúncia do profeta Amós, há quase 3 mil anos, parece tirada
das organizações sociais proféticas de hoje: “Ai de vocês que gos-
tam de banquetes, em que se deitam em sofás luxuosos e comem
carne de ovelhas e de bezerros gordos! (...) Bebem vinho em taças
enormes, usam os perfumes mais caros, mas não se importam com
a desgraça do país” (Amós 6.4-6).
De onde vem esta riqueza toda? Pode vir de fonte honesta, mas
se multiplica com a exploração da mão de obra. Só interessa o lu-
cro, que vem, entre outras estratégias, pelo pagamento de salários
iníquos em comparação aos ganhos ou pelo engano.
Um homem prestes a se aposentar, depois de 40 anos de traba-
lho braçal, foi convencido por um gerente a receber seu vencimento
pelo banco como conta corrente. O bancário provavelmente bateu
sua meta, mas o banco ficava com 10% do valor da aposentadoria, a
título de remuneração dos desnecessários serviços do banco. A desi-
gualdade torna os humanos menos humanos, arrastando-se apenas
para sobreviver. Não podemos aceitar a desigualdade como natural.
É um atentado contra o sexto mandamento bíblico: “não matarás”.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 37.25-33 e Josué 4 a 6
“Já fui jovem e agora sou velho, mas nunca vi o justo desamparado,
nem seus filhos mendigando o pão”. (Salmo 37.25)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 85 29/09/2015 18:05:58


É preciso coragem para crescer

MARÇO
18 e tornar-se quem você realmente é.
E.E. Cumming

Fé e coragem
A fé nos ensina a ver certo.
Diante de um problema, temos que avaliá-lo.
Para enfrentá-lo, precisamos de coragem.
Coragem não é pressa para decidir.
Coragem não é dimensionar errado as forças e as adversidades,
supervalorizando aquelas e menosprezando estas.
Coragem não é se lançar sem avaliar prós e contras.
Coragem não é confiar demasiadamente em si mesmo.
O corajoso é destemido mas não é irresponsável. O corajoso é des-
temido mas não é leviano. O corajoso sabe que Deus está com ele.
Para conquistar nosso alvo, precisamos da coragem que vem da
fé-confiança.
De que um soldado, ao pé da montanha, com uma bandeira na
mão, precisa para fixá-la no topo? Ele precisa olhar para o alvo com
a certeza que chegará ao topo. Ele sobe até fincar a bandeira no
alto, à vista de todos. Ele não pensa nos obstáculos, embora saiba
que existam. Ele não duvida de suas forças, embora esteja cansado.
Ele confia que o seu general deu a ordem certa. E sobe, até ao topo.
Quando esta força de vontade vem da confiança que o nome do
comandante é Jesus Cristo. Foi Ele quem nos colocou o alvo e Ele
mesmo nos puxa para cima. Esta força-de-vontade tem um nome:
fé, fé por parte de quem confia na vitória prometida.
Enquanto ouvimos a promessa, devemos prosseguir, para ven-
cermos.
A vitória vem com a luta.
Se Deus estiver conosco, se a nossa luta for uma coisa de Deus,
lutaremos e venceremos. Lutemos.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 37.34-40 e Josué 7 a 9
“Espere no Senhor e siga a sua vontade. Ele o exaltará, dando-lhe a
terra por herança; quando os ímpios forem eliminados, você o verá”.
(Salmo 37.34)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 86 29/09/2015 18:05:58


A adversidade é um trampolim para a maturidade.

MARÇO
19 Charles Colton

Quando parece que


não vamos aguentar
Todos nascemos para ser felizes e sonhamos com isto e vigiamos
para isto. No entanto, em certos, e às vezes longos, momentos,
nossas vidas ficam despedaçadas. Nada dá certo.
A sensação de caos alcança todas as áreas da vida. Quem está
nesta condição se sente como atravessado por flechas de todos os
lados. Viver se tornou um fardo pesado e insuportável. O corpo
está esmagado pelo peso do mundo.
Quem vive esta situação só tem uma oração a fazer:
“Ajuda-me agora, ó Senhor, meu Salvador” (Salmo 38.21).
Ora assim aquele que espera no Senhor, sabendo que Ele agirá e
que responderá, com palavras e ações, por amor, apenas por amor.
Se você está passando por uma tempestade, viva também a espe-
rança, não apenas a desolação.
Firmado na certeza do cuidado de Deus, ore assim:
“Senhor, diante de ti estão todos os meus anseios; o meu suspiro
não te é oculto”. (Salmo 38.9)
Deus conhece o seu anseio. Deus escuta seus gritos e mesmo
seus suspiros. Talvez você não saiba porque está nesta condição,
mas não fique atrás de respostas, que não trazem alívio.
Lembre-se das situações em que parece que você não ia aguen-
tar. A corda se esticou e resistiu. A experiência virou história.
Se tiver que esperar calmamente, espere. Se tiver que lutar, lute.
Siga a Palavra de Deus. Confie nas suas promessas.
Deus está atento. No passado, Ele o socorreu. Ele virá em seu
auxílio agora também.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 38.1-9 e Josué 10 a 12
“Senhor, diante de ti estão todos os meus anseios; o meu suspiro não te
é oculto”. (Salmo 38.9)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 87 29/09/2015 18:05:58


Quem perde seus bens perde muito;

MARÇO
20 quem perde um amigo perde mais;
mas quem perde a coragem perde tudo.
Miguel de Cervantes

A beleza do outono
Há dias em que nos sentimos no outono, embora seja primavera.
Há dias em que acordamos cansados, conquanto tenhamos dormi-
do a noite toda. Há dias em que nos faltam as forças para as traves-
sias que os momentos requerem e ainda vão requerer. Há dias em
que olhamos para cima e não vemos o céu, apenas o firmamento.
Há dias em que tememos por chuvas, a despeito de o sol brilhar
forte. Há dias em que nossas pernas, sempre firmes, cambaleiam.
Há dias em que nossos pensamentos — de que tanto nos orgulha-
mos — não fluem. Há dias em que amar pesa. Há dias em que as
palavras amigas chegam como comida sem sal, pudim sem doce.
Felizes somos nesses dias escuros dentro de nós, porque, se não
tínhamos percebido a nossa humanidade, acabamos de descobri-la.
Felizes somos por sabermos que não somos tão fortes quanto pa-
recemos diante dos outros.
Felizes somos quando não nos reconhecemos completamente
nos sorrisos das fotos que estampamos como nossos avatares nas
redes sociais.
Somos felizes porque podemos entrar no silêncio de nós mes-
mos e abrir as janelas do coração e admitir diante de Deus a nossa
fragilidade. Ele a conhece, mas nós negávamos.
Somos felizes porque, enquanto caem as folhas no outono, pode-
mos pedir a Deus que nos mantenha cheios de esperança, trazendo de
volta a alegria partida, o vigor ainda lívido, a beleza perdida da graça.
Somos felizes porque podemos orar ao Deus que se importa co-
nosco e sopra sobre as folhas no chão até que formem um colorido
buquê que perfume de novo as nossas vidas.
Então, veremos que o outono também é bonito, mesmo que não
segure flores.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 38.10-12 e Josué 13 a 15
“Senhor, em ti espero; tu me responderás, ó Senhor meu Deus!”.
(Salmo 38.15)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 88 29/09/2015 18:05:58


Você não escolhe sua família. Ela é um dom de Deus

MARÇO
21 para você, assim como você é um dom para ela.
Desmond Tutu

Nós e a nossa família


A Bíblia é também um livro de pais e filhos.
Nela encontramos a biografia de Josué, sucessor de Moisés. Sua
história nos ajuda na tarefa da paternidade. Nada sabemos sobre
a família de Josué, mas nós o ouvimos cantar que ela serviria ao
Senhor Deus.
O povo levou a sério o seu compromisso e o tornou seu também.
Certamente, o povo olhava para a família de Josué e a respeitava.
Era outro o tempo, tempo em que autoridade não se questionava
nem se dividia. Era um tempo em que a família era um valor maior
que o indivíduo. Era um tempo em que a religião do pai era a fé dos
filhos, sem que isto fosse recebido como invasão de privacidade.
Então, neste contexto, um pai podia falar por seus filhos. E era
natural para os filhos serem conduzidos pelos pais.
E hoje? Mudou o contexto, mas o desejo pode ser o mesmo. Um
pai pode ter o desejo que sua família toda sirva ao Senhor. Ele não
pode decidir por seus filhos, mas pode desejar que eles amem a
Deus. O pai precisa saber que ele é o pastor dos seus filhos.
Se pastor é o que ensina, o pai ensina aos seus filhos. Se pastor é
o que orienta, o pai orienta os seus filhos. Se pastor é o que lidera, o
pai lidera os seus filhos. Se pastor é o que alimenta, o pai alimenta os
seus filhos. Se pastor é o que apascenta, o pai apascenta os seus filhos.
Deseje pastorear os seus filhos.
Ao desejo, segue-se a decisão.
À decisão, segue-se o empenho nas ações que serão tomadas
para que o pastoreio se realize.
Esta foi a trilha de Josué.
Você pode dizer: “no que depender de mim, eu e minha família
serviremos ao Senhor”.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 39.1-7 e Josué 16 a 19
“E agora, Senhor, o que posso esperar? A minha esperança está em ti”.
(Salmo 39.7)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 89 29/09/2015 18:05:58


A água de boa qualidade é como a saúde

MARÇO
22 ou a liberdade: só tem valor quando acaba.
João Guimaraes Rosa

Água sempre
(Dia Mundial da Água)
Todos precisamos avaliar nossas atitudes em relação aos recursos
naturais, procurando nos informar para sermos mais consciente-
mente responsáveis.
Não sejamos poluidores, não queiramos ser destruidores, não
desejemos ser assassinos, não amemos ser gastadores dos recur-
sos que Deus colocou sob nossa administração. A solução da crise
ambiental passa pela aceitação do senhorio de Deus sobre a terra
e inclui uma atitude responsável para com o meio ambiente por
parte daqueles que aceitam este senhorio.
Por isto, não desperdicemos água, no banheiro, no jardim, na
calçada, na garagem. A água não é inesgotável. Um banho de ducha
por 15 minutos, com a torneira meio aberta, consome 243 litros,
mas se a pessoa fechar o registro enquanto se ensaboa, diminuin-
do o tempo de banho para 5 minutos, o consumo cai para 81 litros.
Não vamos desperdiçar energia, seja elétrica ou de qualquer ou-
tra fonte. Não saiamos de casa (ou do quarto) deixando a(s) luz(es)
acesa(s). Não vamos descarregar na atmosfera o ozônio que puder-
mos não descarregar. Não vamos desperdiçar alimento, o que implica
pormos no prato só que devemos e podemos comer, em casa ou no
restaurante. Não vamos jogar lixo (copo, papel, garrafa, objetos) na
rua, na praça, no parque, no ônibus, no trem, no rio ou na praia. Que-
remos a calçada limpa para quem caminhar depois de nós. Queremos
o rio limpo para que as águas corram. Queremos a praia limpa para
quem vier amanhã. Não vamos sujar o que pudermos não sujar, para
que mais água não seja gasta para limpar o que já poderia estar limpo.
É difícil mudar, mas precisamos nos esforçar para usar a água
como uma bênção de Deus e bênção de Deus não se desperdiça.
Desperdício é pecado.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 39.8-13 e Josué 20 a 22
“Ó SENHOR Deus, ouve a minha oração! Escuta o meu pedido. Não te
cales quando choro. Como todos os meus antepassados, sou teu hóspe-
de por pouco tempo”. (Salmo 39.12)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 90 29/09/2015 18:05:58


Os textos bíblicos me lembram que Deus

MARÇO
23 me ama muito e tem um plano para mim.
Susan McCarthy Peabody

Um mundo novo
(Dia Internacional do Livro)
Diz a sabedoria popular que nós somos o nosso nome. Devemos
prezar por ele. Valorizando-o, temos mais valor. Podemos colocar
essa sabedoria nas seguintes palavras: “Um homem vive quando
recita seu nome”. Concorda?
Essa frase está num texto escrito há 3.300 anos, no Egito.
Por essa mesma época, Moises perguntou a Deus: — Qual é o
seu nome? A resposta foi: — Eu sou o que sou.
Nós pensamos coisas novas, revolucionários até, seguindo tri-
lhas já abertas, que vamos deixando para os outros que vêm de-
pois. Como descobrimos onde estão as trilhas? Como sabemos o
que pensavam os que vieram antes de nós?
Lendo, eis a resposta.
Pode ser um texto de hoje, de ontem, de 100 anos ou de dois mil
anos. Quando o lemos, é uma revelação.
Ler é descobrir. Nascemos para descobrir. Ler é mergulhar num
mar cheio de tesouros. Nascemos para ir mais fundo. Ler é nos
aventurar por uma floresta cheia de jardins secretos. Nascemos
para contemplar a beleza. A leitura pode ser alienação ou envolvi-
mento. Que ela seja descanso que nos revigore.
Pode ser preguiça ou reflexão. Que ela nos faça pensar. É sonho
acordado regido pelo tilintar de cada capítulo percorrido. Pode ser de-
pressão diante de nossa absurda ignorância, mas pode ser uma cata-
pulta para a transformação, a nossa e a do mundo. Pode gerar tristeza
pelo que descobrimos sobre nós mesmos. Que nos infunda alegria
pelo que podemos ser, guiados por páginas tão densas. Podemos ler
para esquecer ou podemos ler para lembrar. A decisão é nossa.
Então, pare tudo e leia um livro ou vários na sequência. Ė um
mundo novo à sua espera.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 40.1-10 e Josué 23 a 24
“Esperei com paciência no SENHOR, e ele se inclinou para mim, e ou-
viu o meu clamor”. (Salmo 40.1)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 91 29/09/2015 18:05:58


Paciência não é ausência de ação; antes,

MARÇO
24 é um relógio que espera o tempo certo para agir,
pelos motivos certos e do modo certo.
Fulton J. Sheen

Aprendendo a
esperar com paciência
Você se considera uma pessoa paciente?
Se não é, talvez queira ser.
Ser paciente não é ser resignado, suportando passivamente to-
das as cargas da vida. Antes, é ter a capacidade de ponderar os fa-
tos, tomar decisões sem precipitação e aguardar confiantemente
os resultados.
A impaciência é um jeito de ser, forjado por nossa biologia e pelo
aprendizado. Se aprendemos a ser impacientes, podemos aprender
também a paciência.
Matriculados na academia da paciência, o conteúdo da nossa pri-
meira aula é concordar que ser paciente é bom e, logo, desejável.
Na segunda aula, precisamos descobrir que a raiz da impaciência
é o nosso desejo por controlar, verbo que vem do esquecimento que
Deus luta conosco e que, por fim, tem o controle de todas as coisas.
Como aprendemos isto?
Precisamos fazer o dever de casa.
O primeiro é ler regularmente a Bíblia, cujas histórias, orações e
instruções nos moldam. A leitura da Bíblia nos transporta para um
outro mundo, em que a voz de Deus é ouvida.
O segundo é orar regularmente. Ao orarmos, vamos contra a
nossa natureza e admitimos a nossa fragilidade. A oração nos põe
na trilha da ação, ação que precisa ser regada pela esperança.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 40.11-17 e Juízes 1 a 3
“Eu sou pobre e necessitado; mas o Senhor cuida de mim. tu és o meu au-
xílio e o meu libertador; não te detenhas, ó meu Deus”. (Salmo 40.17)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 92 29/09/2015 18:05:58


Irei a qualquer lugar, desde que seja para frente.

MARÇO
25 David Livingstone

Para recuperar
a nossa saúde
Quando ficamos doentes, devemos buscar os recursos médicos ou
os recursos divinos?
Esta é, na verdade, uma falsa pergunta, porque imagina que os re-
cursos médicos não são recursos divinos. Ela parte também do erro
de achar que Deus não usa os recursos médicos, estimulados por Ele.
Paul Miller teve esta certeza quando inventaram um aparelho
com o qual a sua filha podia falar. A menina tinha uma deficiên-
cia no aparelho fonador. A família orava pela cura da garota. Anos
depois, perto de sua cidade, uma fábrica começou a testar um ex-
perimento, que consistia num equipamento que, preso às costas,
transformava as vibrações internas em som, em som audível, em
voz, com a qual a menina se comunicava. A resposta à oração veio
por meio da engenharia médica.
Quando ficamos doentes, devemos buscar os recursos médicos e
os recursos divinos.
A nossa atitude primeira deve ser orar. Em nossa oração, peça-
mos confiantemente para Deus agir. Podemos e devemos pedir por
cura. Podemos e devemos esperar que Deus aja conforme a vonta-
de dele. A nossa segunda atitude é buscar os recursos médicos, que
são recursos que Deus põe à nossa disposição para nos curar. As ci-
ências da saúde (medicina, farmácia, psicologia, fisioterapia, entre
outras) são meios que Deus usa para nos ajudar. Ele pode nos curar
sem esses recursos; Ele pode nos curar por meio desses recursos.
Depois de orar e buscar os recursos, devemos fazer o que nos
tiver sido indicado (seja tomar um remédio, passar por uma cirur-
gia, fazer uma terapia psicológica, cumprir sessões de fisioterapia,
entre outras). Em todo o processo, devemos confiar que Deus está
nos dando saúde novamente.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 41.1-3 e Juízes 4 a 7
“Como é feliz aquele que se interessa pelo pobre! O Senhor o livra em
tempos de adversidade”. (Salmo 41.1)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 93 29/09/2015 18:05:58


Ser feliz é sentir-se pleno e em contentamento,

MARÇO
26 mesmo nos momentos mais difíceis; é o exercício da
confiança e do descanso em Jesus Cristo.
Bianca Bittencourt

A felicidade existe (3/12)


A felicidade é a busca que move todas as pessoas, em todos os tem-
pos, em todos os lugares, mesmo quando a palavra “felicidade” não
aparece explicitamente. A busca pela felicidade está no olhar que
pede afeto, nos braços que se oferecem, no poema que confessa.
A procura se mostra no gesto de bondade que pede correspon-
dência, no cântico que celebra o amor de Deus à espera de mais
amor, na solidariedade que se satisfaz em si mesma. O desejo se
esconde no domínio pela guerra em que uma pessoa, uma empresa
ou uma nação se impõe sobre a outra. A busca se revela no corpo
que se exibe ou na mente que humilha. A busca pela felicidade não
é necessariamente uma ilusão. A felicidade existe.
Podemos pensar nela como sendo o encontro da serenidade,
para a qual espoucam imperfeitos sinônimos: tranquilidade, paz,
descanso, calma, suavidade, etc.
Inspirados pela oração que o pastor Reinhold Niebuhr (1892-
1971) deu forma e foi adaptada pela organização Alcóolicos Anôni-
mos (AA), podemos firmar o conceito de serenidade.
Ser sereno é ter coragem para mudar o que deve ser mudado. Mais
ainda: é ter sabedoria para conviver com aquilo que não pode ser
mudado. Somos felizes quando temos coragem para mudar o que
precisamos mudar em nós, porque há desejos, atitudes, vícios, trau-
mas e práticas em nós que nos vedam o acesso à felicidade. Se corajo-
samente nos pomos a removê-los, experimentamos a felicidade. Se
corajosamente nos envolvemos com as causas destinadas a tornar o
mundo realmente melhor, encontramos o nosso lugar na história.
Somos felizes quando, seguindo o exemplo dos primeiros cris-
tãos, somos conhecidos como aqueles que alvoroçam o mundo. Al-
voroçar o mundo é fazer diferença. [CONTINUA em 4/4]
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 41.4-13 e Juízes 8 a 10
“Por causa da minha integridade me susténs e me pões na tua presença
para sempre”. (Salmo 41.12)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 94 29/09/2015 18:05:58


Você diz a Deus. ‘Nunca vi nada que tenhas

MARÇO
27 providenciado para mim’. Deus lhe diz.
‘Você nunca confiou em mim’.
Corallie Buchanan

Hora de confiar
Viver é colecionar notícias. Sabemos lidar com as boas notícias, as
quais celebramos. Temos dificuldade em enfrentar as notícias ruins
e são muitas as suas constelações: danos, desempregos, difamações,
doenças, dúvidas. Diante das notícias dolorosas, temos, na verdade,
um caminho (não uma coisa, mas uma plêiade de atitudes) a tomar.
1. Não devemos nos surpreender. Só se surpreendem os que têm
uma visão “romântica” da vida, imaginando-a rósea e vendo os
seres humanos como bons e as empresas como gratas. No mun-
do real, podemos ser descartados, por causa de uma crise exis-
tente ou de uma crise fabricada a serviço de outros interesses.
2. Não devemos tomar decisões irrefletidas, fazendo mudanças
bruscas. Muitas vezes, precisamos tomar medidas radicais, até
mesmo rápidas, mas nunca precipitadas. Um bom critério é ima-
ginar as consequências das nossas decisões; se durarem um tem-
po curto, podemos decidir logo; se alcançarem a longa duração,
devemos ponderar até à exaustão. Devemos conversar com pes-
soas queridas e também com pessoas que nos possam orientar
nos passos a serem dados.
3. Não devemos perder a confiança, achando que estamos sozinhos
e que Deus perdeu o poder de reverter notícias ruins em novi-
dades boas ou que não estará conosco no vale que encharcamos
de lágrimas. Se, antes, quando tudo ia bem, não precisávamos
confiar, agora, com espadas pendendo sobre nossas cabeças, pre-
cisamos confiar. Tudo pode ter mudado ao nosso lado e mesmo
dentro de nós, mas Deus continua o mesmo, firme e forte, aten-
to e amoroso, Senhor de todas as coisas, até das surpresas desa-
gradáveis e das piores injustiças. Nós podemos confiar.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 42.1-6 e Juízes 11 a 12
“Por que estou tão triste? Por que estou tão aflito? Eu porei a minha
esperança em Deus e ainda o louvarei. Ele é o meu Salvador e o meu
Deus”. (Salmo 42.5)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 95 29/09/2015 18:05:58


A tristeza é um livro sábio que se tem no coração

MARÇO
28 e que nos diz centenas de coisas. Ela nos impede
de apodrecer como um cogumelo debaixo de
uma árvore e pouco a pouco vai fabricando uma
provisão de ensinamentos para a vida.
Juliuz Slowacki

Olhando para
a nossa tristeza
A tristeza é uma condição humana antiga. Jesus mesmo experi-
mentou muitos momentos de tristeza em sua jornada conosco.
Cada época lida com ela ao seu modo. Na nossa, em que é repelida
como uma desgraça, os remédios são receitados e usados como se
fossem capazes de produzir alegria.
É bom distinguir tristeza de tristeza, tristeza temporária e tris-
teza permanente, tristeza como uma circunstância e tristeza como
uma condição. É claro que ficamos tristes quando não somos bem
tratados numa loja ou numa igreja. Ficamos tristes quando não
conseguimos comprar um produto que tanto almejávamos ou,
quando o recebemos, notamos que não tem tudo o que desejamos
que tivesse. Ficamos tristes quando perdemos uma pessoa que-
rida, por morte ou por separação. Ficamos tristes quando somos
obrigados a ficar em casa, embora quiséssemos estar em outro lu-
gar. Ficamos tristes quando alguém a quem amamos está sofrendo.
Ficamos tristes quando somos confrontados com a miséria social
de nosso mundo. Ficamos tristes quando estamos cansados física,
emocional ou espiritualmente. Diante da tristeza, o que fazer?
Você precisa de uma visão adequada do que seja a tristeza. Não
confunda “momentos tristes” com “tristeza”, que é um sentimento
profundo, doloroso e intenso. A vida real não é só festa. A semana
tem sete dias e não apenas fins de semana. Diante da morte de uma
pessoa querida ou de uma frustração na vida profissional, por exem-
plo, é normal e saudável ficar triste. Não recuse estes momentos tris-
tes. Com ela, você compartilha da dor do outro, sofrendo com ele.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 42.7-11 e Juízes 13 a 16
“Que ele me mostre durante o dia o seu amor, e assim de noite eu can-
tarei uma canção, uma oração ao Deus que me dá vida”. (Salmo 42.8)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 96 29/09/2015 18:05:58


Quando somos jovens, temos manhãs triunfantes.

MARÇO
29 Vitor Hugo

Unindo jovens e velhos


(Dia Internacional da Juventude)
Com os avanços da medicina, o tempo do início da velhice pode ser
adiado em muitas vidas. De qualquer modo, no entanto, se a morte
não vier antes, a velhice chegará.
Talvez venha acompanhada de alguma restrição. Talvez os pas-
sos sejam mais lentos. Talvez as palavras fluam com menos rapi-
dez. Talvez a memória tenha instantes de falha.
Assim, não se pode esperar que os velhos produzam na mesma
velocidade. A questão é mesmo de velocidade e quantidade, não de
intensidade e qualidade.
Quem está na velhice não deve se sentir pior porque o corpo lhe
pese ou lamentar que não se lembre de tudo como antes. Ao con-
trário, deve agradecer a Deus por ter chegado ao tempo que che-
gou. Deve pedir a Deus para que continue sendo relevante.
Os que convivem com os velhos serão sábios se se aproximarem
deles, ouvirem seus conselhos, alegrarem-se com suas histórias,
inspirarem-se com os seus projetos.
O ideal é que os mais novos e os mais velhos se juntem para fazer
o que separadamente não conseguiriam fazer.
Em projetos bem sucedidos, como num time de futebol, em que
se mesclam jogadores maduros com jogadores inexperientes, os
jovens entram com o ímpeto, os velhos participam com a sabedo-
ria. Os jovens entram com o vigor; os velhos contribuem com a
estratégia. Os novos avançam com coragem; os velhos se firmam
na serenidade. Se novos e jovens se unirem, farão coisas de grande
valor. Avós e netos, em casa, podem fazer muito por todos. Com-
panheiros novatos juntos com companheiros bem experientes po-
dem produzir muito na empresa. Uma faixa etária é apenas uma
faixa etária, não uma ilha.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 43 e Juízes 17 a 19
“Então eu irei até o teu altar, ó Deus, pois tu és a fonte da minha
felicidade. Tocarei a minha lira e cantarei louvores a ti, ó Deus, meu
Deus!”. (Salmo 43.4)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 97 29/09/2015 18:05:58


Onde acaba o amor têm início o poder,

MARÇO
30 a violência e o terror.
Carl Gustav Jung

Nada de espadas
Gostamos de espadas. Tanto gostamos que as temos guardadas em
casa. Dizemos que é para uma emergência, mas é uma forma de
dizer que somos capazes de nos defender sozinhos.
Tanto gostamos de espadas que as polimos para que não enfer-
rujem. Nossas espadas podem ser de metal mas podem ser de ou-
tros materiais.
Podem ser diplomas que penduramos na parede, não para agra-
decer, para enaltecer nossos méritos. Podem ser nossos currículos
acadêmicos que atualizamos sempre, não para registrar, mas para
humilhar.
Pode ser nossa lógica pessoal, pronta para respostas, próprias e
impróprias, pensadas e impensadas. Pode ser o nosso braço rete-
sado para empurrar o outro. Pode ser a língua, a caneta ou o tecla-
do que usamos para responder rápida e ofensivamente os que nos
questionam.
Disseram-nos que, se queremos a paz, devemos estar preparados
para a guerra e acreditamos. Reclamamos da agressividade no mundo,
mas agredimos. Lamentamos a mentalidade guerreira nos relaciona-
mentos e no trabalho, mas mantemos afiadas as nossas espadas.
No fundo, acreditamos no poder da nossa força. Estamos sem-
pre medindo forças, acreditando em nosso próprio poder. Estamos
convencidos que somos capazes de convencer os outros, com as ar-
mas dos argumentos demolidores ou com as espadas da violência.
E quando as espadas nos ferem, o que fazemos? Reclamamos.
Reclamaríamos menos se não crêssemos no poder das espadas e
jogássemos no lixo as nossas. Trata-se de um outro modo de viver;
na verdade, trata-se de um modo feliz de viver.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 44.1-5 e Juízes 20 a 21
“Não foi com espadas que os nossos antepassados conquistaram
aquela terra; não foi com o seu próprio poder que eles venceram. Eles
venceram com o teu poder, com a tua força e com a luz da tua presença.
Assim tu mostraste o teu amor por eles”. (Salmo 44.3)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 98 29/09/2015 18:05:59


Não basta ver para ver,

MARÇO
31 é necessário olhar para o que se vê.
António Vieira

Não espiritualize o que


não é realmente espiritual
Por vezes, negamos a dinâmica espiritual das coisas, pensando que
tudo é o resultado das forças da natureza ou a consequência das
leis sociais.
Por vezes, ao contrário, atribuímos tudo a Deus: nossos esqueci-
mentos, nossas falhas, nossos erros. Coisas ruins são vistas como
castigos de Deus, não consequências dos nossos erros ou dos peca-
dos dos outros. Procuramos até justificar nossos equívocos. Se per-
demos um avião, dizemos que Deus estava querendo nos proteger
de uma coisa ruim. Se avançamos um sinal, explicamos que Deus
estava nos livrando de algo pior.
Do outro lado, quando atribuímos ao Adversário de Deus os nos-
sos erros, estamos agindo covardemente, tirando a responsabilida-
de de quem a tem: nós mesmos. O papel de Satanás é o de tentar:
o nosso é o de cair ou resistir. No final, nós somos responsáveis.
Quando não prestamos atenção às leis de Deus, confiados que,
por crermos nele, estaremos livres das suas leis, tomamos o nome
dele em vão. Por crermos em Deus, por vezes queremos que isto
nos seja uma vantagem que nos liberte de cumprir as regras que
Ele nos fixou. Há forças poderosas no mundo. No entanto, nem
sempre os eventos de nossas vidas têm a ver com estas forças, por-
que estão ligados à nossa desatenção, aos nossos maus hábitos ou
aos nossos defeitos de caráter. Diante dos nossos pecados, deve-
mos desejar ser corrigidos, para não errarmos mais
É um equívoco naturalizar todos os acontecimentos da vida, por-
que alguns fazem certamente parte do nível sobrenatural.
É também uma falsidade espiritualizar o que é natural, na tenta-
tiva de fugirmos a responsabilidades que são nossas, apenas nossas.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 44.6-17 e Rute 1 a 4
“Não é no meu arco que eu confio, e não é a minha espada que me dá a
vitória”. (Salmo 44.6)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 99 29/09/2015 18:05:59


ABRIL
Ansiedade
Reunida a multidão, que o ouvia atenta,
Jesus nos vê e radicalmente nos orienta
com uma questão que incomoda e alenta:
O ser não é mais do que aquilo que o alimenta?
O corpo não é mais que a sua vestimenta?
A vida não é mais que a água que a dessedenta?
Quem à sua história um segundo sequer inventa?

Reunida a multidão, que o olhava toda atenta,


Jesus nos contempla e com força nos apresenta
o convite para olhar o meio que nos ambienta:
a ave não guarda, mas Deus não a sustenta?
a flor não corre, mas Deus a beleza não lhe aumenta?
como faz com todo aquele cuja busca se assenta
na confiança que a ave, voando, experimenta
no esplendor que a flor, crescendo, ornamenta.

Parte da multidão que a ansiedade atormenta,


faço a oração que toda a minha vontade intenta:
“Senhor, livra-me do medo que me persegue e tenta,
a dor não de ter, que me esgota e mais me adoenta;
o que quero mesmo é ser parte do Reino que contenta
numa entrega que em mim a tua imagem sacramenta”.

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 100 29/09/2015 18:05:59


Nada torna uma viagem mais difícil do que

ABRIL
1 uma mochila pesada e cheia de coisas agradáveis,
mas desnecessárias. Os peregrinos viajam leve.
Randy Alcorn

Seja simples (1/2)


No discurso, ninguém acredita que dinheiro traga felicidade, mas,
na prática, todos correm atrás do dinheiro para alcançar a felicidade.
Então, o décimo Mandamento diz: “Não cobiçarás”. É o último
da lista, mas quando cobiçamos uma promoção no emprego, por
exemplo, transformamos em deus o objeto do nosso desejo. Não
descansamos no domingo porque cobiçamos ganhar mais. Quando
furtamos, primeiro cobiçamos. Adulteramos porque cobiçamos.
Falamos mal de alguém, porque cobiçamos o que ele tem.
A cobiça não começa ruim, porque principia na contemplação e
na admiração. Por nos relacionarmos, vemos o que o outro é e tem.
Vendo o que o outro faz, podemos aplaudir. Podemos até traçar boas
metas para nós a partir daí. O problema tem início quando, depois
de contemplar o outro, nós nos comparamos com ele. A comparação
faz nascer o desejo que, quando se estabelece no coração, se torna
cobiça. Desejar não é proibido. Proibido é desejar ter o que é do ou-
tro, fazer o que o outro faz, ser o que o outro é. Um dos subprodutos
da cobiça é a inveja. Se cobiçar é se preocupar em ter alguma coisa,
invejar é se preocupar com a pessoa que tem alguma coisa.
A boa notícia é que podemos ser livres. Podemos ser saudáveis.
Podemos deixar de ser impulsionados por necessidades irreali-
záveis e falsas. Não precisamos nos comparar com o outro. Não
precisamos ser melhores do que o outro. Não precisamos comprar
uma joia mais bonita, um carro mais rápido, uma casa maior ou
roupas mais caras. Podemos ser simplesmente nós mesmos, cheios
de vida, cheios de Deus. Quando nos tornamos livres da cobiça,
a paz finalmente chega. Ficamos em paz conosco mesmos, com o
nosso vizinho, com o nosso Deus. Haja paz. [CONTINUA em 6/4]
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 44.18-22 e Romanos 1 a 3
“Mas por causa de ti estamos em perigo de morte o dia inteiro; somos
tratados como ovelhas que vão para o matadouro”. (Salmo 44.22)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 101 29/09/2015 18:05:59


A eternidade depende do uso correto do tempo.

ABRIL
2 Jonathan Edwards

Quinze minutos
A senhora, bem vestida, carrega pela calçada seu copo de plástico,
café, leite e colherzinha para mexer o açúcar. Sem parar, toma um
gole após outro.
O rapaz, com o laço inacabado na gravata, aproxima-se suando,
aos saltos, da entrada do banco onde trabalha. No peito o crachá
também saltita.
O pai arrasta a criança para a escola, sob os olhares dos colegas
que conversam do lado de dentro da casa do conhecimento.
A moça tira os sapatos de saltos altos para correr melhor em di-
reção ao ônibus que acaba de perder.
Em frente à igreja, a família puxa, envergonhada, um pelo outro
para entrar e pegar as partes do serviço religioso que ainda faltam.
Nossas manhãs retratam realidades sem palavras. Se ouvísse-
mos, ouviríamos lamentos, xingamentos, explicações. “É duro ter
de trabalhar. Os horários deviam ser flexíveis. As escolas deviam
ser mais tolerantes. O motorista do ônibus poderia ter esperado.
O domingo tem que ser tranquilo”.
Se, em lugar de lamentar, xingar ou explicar, parássemos de
transferir nossas responsabilidades, tomaríamos café como se
deve, não começaríamos suados o dia, brincaríamos antes de a
aula começar, correríamos menos risco de tropeçar, esperaríamos
assentados o início do programa, não perderíamos a hora da prova
do concurso, não seríamos barrados na porta do teatro, não jogarí-
amos fora o dinheiro da passagem, leríamos um capítulo da Bíblia
a cada manhã, teríamos mais saúde.
Basta que, diante dos nossos compromissos, acordemos 15 mi-
nutos mais cedo, o que talvez inclua dormir, na noite anterior, 15
minutos antes.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 44.23-26 e Romanos 4 a 6
“Levanta-te e vem ajudar-nos. Salva-nos por causa do teu amor”.
(Salmo 44.26)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 102 29/09/2015 18:05:59


Eu gosto de delicadeza. Seja nos gestos, nas palavras,

ABRIL
3 nas ações, no jeito de olhar, no dia a dia e até no que
não é dito com palavras, mas fica no ar.
Manuel Bandeira

Em busca de palavras
bem ditas (1/2)
Quando nos vemos no meio de um conflito entre pessoas amigas,
não devemos aceitar apenas o papel de testemunhas. Temos que agir.
E a primeira boa atitude a não tomar é não falar nada. Calarmo-
nos passa longe da posição impossível de neutralidade. Calar é a
atitude sábia na hora pesada, em que as palavras duras são jogadas
de um lado para o outro como verdades que precisam ser proferi-
das, como se dizê-las nessas horas servisse para construir pontes
ou para manter abertas as portas. Nessas horas tensas, na verdade,
a verdade é nocauteada, porque uma verdade movida pelo ódio não
está a serviço da verdade. E nós não devemos participar desta core-
ografia amarga de palavras malditas.
Precisamos tirar o ódio do tatame e levar temporariamente cada
lutador para longe um do outro. Talvez cada um descarregue seu
ódio sobre nós. O risco faz parte do nosso papel. Precisamos ouvir
os dois lados, mesmo que um deles já nos tenha convencido de sua
condição de ofendido. Ouvir os dois lados implica em não ter lado.
Quem não tem lado pode continuar ouvindo os dois lados.
Quando o coração do ofendido não estiver mais saindo pela boca,
devemos falar. Então, em particular — e quem sabe, em conjunto
um dia — lembremos dos afetos que os dois lados já trocaram, dos
bons desejos que já nutriram um pelo outro, dos compromissos que
já assumiram em conjunto, dos projetos que já realizaram juntos,
da necessidade que um tem do outro para tocarem bem a sua vida.
Quanto a nós, devemos saber que promover a paz pede paciên-
cia, muita paciência, mas quase sempre a aposta pela reconciliação
ganha, mesmo que demore o prêmio.
Não desistamos. [CONTINUA em 10/8]
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 45.1-7 e Romanos 7 a 8
“O teu trono, ó Deus, subsiste para todo o sempre; cetro de justiça é o
cetro do teu reino”. (Salmo 45.6)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 103 29/09/2015 18:05:59


Ser feliz é ter a paz de Deus a fim de viver com

ABRIL
4 confiança nos planos de Deus e soberania dele em
nossa vida nos mais diversos momentos.
Danieli Ferraz

A felicidade existe (4/12)


Há muitos sentimentos tóxicos. Um deles é o de que o mundo gira
em nosso redor. Com este tipo de droga na mente, somos domi-
nados pelo ciúme. Podemos ficar limpos do narcisismo. Há muitos
sentimentos falsos. Um deles é o de que temos poder. O poder nos
deixa cegos, achando que sempre alguém nos porá um tapete ver-
melho para subirmos. Podemos viver de jeito simples. Há muitos
sentimentos equivocados. Um deles é de que não somos afetados
pelo meio, como se aquilo que mais ouvíssemos não nos influencias-
se. Não somos tão fortes assim. Há muitos sentimentos mentirosos.
Um deles é o de que nossas heranças, biológicas, emocionais ou de
caráter são imutáveis. Precisamos marcar e demarcar cada dia o ter-
ritório de nossa liberdade, com a qual decidimos que tipo de vida
queremos viver. Há muitos sentimentos inadequados. Um deles é
o de que nossos problemas não têm solução. Não têm, se lutamos
sozinhos. Deus é aquele que nos protege, preserva-nos a vida e nos
faz felizes (Salmo 41.2). Podemos chamá-lo para lutar conosco.
Bons sentimentos nos habitam quando nos deixamos habitar
pelo sentimento inaugural de que somos amados por Deus. Toda
a Bíblia é a história deste amor, que ficou escancarado quando o
Filho primeiro de Deus se deixou pregar na cruz. Quando olhamos
para a cruz, vemos o amor de Deus em sua plenitude. Ninguém
amou como Jesus amou. Ninguém nos ama como Jesus nos ama.
Amados por Jesus, somos livres do narcisismo e da paixão por
dominar os outros. Não precisamos fazer o que os outros pensam
para que nos aceitem, uma vez que já fomos aceitos por Deus.
Deixemo-nos atrair por Deus, que nos convida para um relacio-
namento feito de amor, de puro amor. É este relacionamento que
nos torna pessoas serenas. [CONTINUA em 5/5]
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 45.8-17 e Romanos 9 a 11
“Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na angústia”.
(Salmo 46.1)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 104 29/09/2015 18:05:59


A humildade se retira da cena pública.

ABRIL
5 E. M. Bounds

Manual de
Sobrevivência para
um novo estilo de vida
Ao longo da vida, somos atacados, perdemos a vontade de viver,
ficamos agitados, perplexos, cansados. Sentimo-nos sós.
Como reagiremos?
1. Você foi atacado? Saiba que Deus é o seu refúgio e a sua fortale-
za, auxílio sempre presente na adversidade. Deixe Deus brigar por
você. Acalme-se.
2. Você anda sem vigor? Deus está em sua vida, como um rio que
se renova. Beba da água do rio de Deus. Acalme-se.
3. Você está agitado? Recorde-se das vezes em que Deus veio em
seu auxílio em lindas manhãs. Ponha seus ouvidos na boca de Deus
para escutar a sua voz libertadora. A agitação drena suas energias;
acalmar-se concentra suas forças. Acalme-se.
4. Você está perplexo? Ao ver os senhores do mundo em ação, você
se pergunta onde Deus está? Veja o que Deus tem feito. Junte-se
ao seu exército. Ele está com você nas lutas que precisa travar. Ele
lhe dá a cobertura para enfrentar os seus adversários. Acalme-se.
5. Você está cansado? Está na hora de você descansar, desacele-
rar, desagitar. Está na hora de erguer um canto pessoal e coletivo a
Deus, para celebrar que Ele é o Senhor Deus, mesmo que não esteja
vendo a sua vontade prevalecendo, mesmo que tudo à sua volta es-
teja esboroando-se, mesmo que sua fé esteja pequenininha. Deus é
o Senhor Deus apesar de você. Acalme-se.
6. Você se sente solitário? Lembre-se que, ao final de sua vida, o
reformador religioso e social John Wesley suspirou: “O melhor de
tudo é que Deus está conosco”. Acalme-se.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 46.1-7 e Romanos 12 a 14
“O SENHOR Todo-Poderoso está do nosso lado; o Deus de Jacó é o
nosso refúgio”. (Salmo 46.7)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 105 29/09/2015 18:05:59


A simplicidade é o último degrau da sabedoria.

ABRIL
6 Khalil Gibran

Seja simples (2/2)


Estar bem não é ter bens. Precisamos parar de desejar o que o ou-
tro é, faz ou tem, como se lhe fôssemos melhores ou mais mere-
cedores ou como se as coisas que ele tem fossem melhores do que
as que temos. Nossa felicidade não se mede pelo estilo de vida do
outro, em termos de fama ou patrimônio.
Se queremos ser simples, devemos admirar o outro.
Diante do que o outro tem, devemos nos alegrar.
Diante do que o outro faz, devemos aplaudir.
Elogiar o outro faz com que a ação do outro seja referência para
nós. Elogiamos a quem consideramos exemplo para nós. E precisa-
mos de exemplos bons.
Quando, em lugar de admiração ou respeito, ficamos ressentidos
e nos sentimos ofendidos, devemos nos cuidar, porque estamos no
mau caminho. Estamos bem quando desfrutamos da felicidade e
do sucesso do outro. Em relação ao outro, podemos ser generosos.
Não devemos ter medo da riqueza, mas do que ela pode nos fa-
zer. Como Francis Bacon escreveu: “Se o dinheiro não é seu servo,
será seu mestre. Não se pode dizer do homem cobiçoso que ele pos-
sui riquezas, deve-se dizer que as riquezas o possuem”.
Encontremos prazer em criar condições para que as pessoas se
alegrem. Sejamos hospitaleiros. Sejamos generosos.
Felizes são as pessoas que, no dia do seu aniversário, por exem-
plo, não pedem presentes para si mesmas, porque pedem que seus
amigos tornem melhores as vidas de pessoas em condições de po-
breza. Para isto, pedem doações para projetos sociais nos quais
acreditam e apoiam.
Ser feliz não é reter. Está bem quem não fica ansioso com o pre-
sente ou com o futuro. Podemos e devemos trabalhar pelo presente
e antecipar o futuro, mas sem achar que tudo depende de nós.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 46.8-11 e Romanos 15 a 16
“O Ele diz. “Parem de lutar e fiquem sabendo que eu sou Deus.Eu sou o
Rei das nações, o Rei do mundo inteiro”. (Salmo 46.10)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 106 29/09/2015 18:05:59


As regras concentram-se no comportamento.

ABRIL
7 Os princípios concentram-se no coração.
Scott Turansky e Joanne Miller

Precisamos de regras
Precisamos de regras para viver, mas gostamos de brigar contra
elas. Lutamos contra a hora de acordar. Desafiamos as leis do trân-
sito. Recusamos, como se fosse razoável, até as leis naturais que
coordenam o cosmos, como a da gravidade.
Se há regras ruins — e há —, feitas por aqueles que querem im-
por a desigualdade em benefício próprio e de seus iguais, temos
que enfrentá-las até mudá-las. A existência de regras ruins não nos
exime de seguir as boas.
Se predomina o autoritarismo — e, às vezes, predomina —, na
elaboração ou na coordenação das regras, o processo pode e deve
ser discutido, nunca a necessidade delas.
Uma criança sem regras bem definidas não sabe por onde ir. Um
adolescente sem regras interpreta que não é amado. Um jovem
sem regras não sabe sequer o que não deve pensar. O profissional
sem regras não tem esperança de crescer na sua empresa ou orga-
nização, como se estivesse num pesadelo.
Precisamos de regras, lembrados que algumas delas funcionarão
independentemente do que pensamos a seu respeito.
A ilusão de um mundo sem regras é apenas isto: uma ilusão. Até
os grupos que querem se manter informais precisam de regras para
conservar a sua informalidade.
As regras não são apenas para a vida em comunidade; elas são
boas para a vida em família e indispensáveis para o indivíduo, mes-
mo em sua expressão máxima de solitude. Até quem deseja um
mundo sem regras precisará carregar as suas próprias tábuas de
mandamentos na jornada, para continuar vivo.
Um mundo em que tudo pode não faz bem a ninguém. Um mun-
do assim não é sequer verdadeiro.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 47 e 1Samuel 1 a 3
“Os que governam os povos se reúnem com o povo do Deus de Abraão, pois
todo poder neste mundo pertence a Deus; ele domina tudo”. (Salmo 47.9)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 107 29/09/2015 18:05:59


A calma dos sábios nada mais é do que a arte

ABRIL
8 de guardar a agitação que vai nos seus corações.
François La Rochefoucauld

Quem nos vai parar?


Corremos de um lado para o outro, de baixo para cima, para todos
os lados, como se tudo dependesse de nós, a nossa felicidade e a
alegria dos outros, sem um instante para refletirmos se vale a pena
fazer o que estamos fazendo.
Quem nos vai parar?
Saímos apressados para o trabalho e para a festa, tropeçando em
objetos que não vemos e em pessoas que não percebemos, num
ritmo que consideramos o suprassumo da civilização.
Quem nos vai parar?
Matamos quem se interpõe no caminho para o dinheiro, que
julgamos nosso. Matamo-nos na busca do ouro que consideramos
eterno.
Quem nos vai parar?
Andamos em círculos em torno de nossos conflitos e nossas do-
res, procurando culpados inexistentes, assumindo compromissos
impossíveis, firmando alianças imaginárias.
Quem nos vai parar?
Que não seja a doença, que, quando chega, e muitas vezes como
um grito lancinante da alma tumultuada, não consulta nossa agen-
da e não comparece aos nossos compromissos. Ela simplesmente
nos amarra ao leito e nos impõe uma confissão de impotência.
Que não seja a doença a nos parar.
Que seja a lucidez do silêncio.
Que seja a sabedoria dos encontros.
Que seja o gemido dos nossos joelhos quando se vergam dian-
te daquele que, sabendo tudo e podendo tudo, nos convida a nele
confiar.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 48.1-8 e 1Samuel 4 a 6
“O SENHOR Deus é grande e merece ser louvado na sua cidade, em
Sião, o seu monte santo”. (Salmo 48.1)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 108 29/09/2015 18:05:59


Tudo o que vale a pena ser feito merece e exige ser

ABRIL
9 bem feito.
Philip Chesterfield

Realize seus bons desejos


O nosso Deus não é contra os desejos. Há desejos legítimos, que
são aqueles que temos quando andamos com Deus.
Para nos ajudar na decisão de quais desejos são legítimos, temos
a perfeita lei de Deus, codificada na Bíblia, e temos também as leis
dos homens, sedimentadas em códigos. Todos nos deixam seus
“sim” e seus “não”, os quais devemos conhecer.
Desejos vêm, desejos vão. Os bons devem se tornar projetos cla-
ros, que demandam esforço em sua obtenção.
Como os desejos vêm da nossa biologia, da nossa cultura e dos
eventos de que participamos, eles passam a fazer parte de nossa
vida de modo muito sutil. Como uma guarda da fronteira, precisa-
mos enxergar bem longe, para que deixemos que se aproximem os
bons desejos e fiquem distantes os ruins.
Deseje ter atitudes que promovam as pessoas.
Na família, aprendemos, com ou sem palavras, a promover ou a
rebaixar as pessoas. Rebaixamos quando, por exemplo, competi-
mos umas com as outras. Os pais podem disputar quem traz mais
dinheiro para casa ou quem é mais inteligente. Neste caso, os fi-
lhos, possivelmente, serão egoístas e insuportáveis em sua arro-
gância. Se os pais se apoiam mutuamente, valorizando o esforço
do outro, compartilhando amor recíproco, os filhos muito possi-
velmente crescerão confiantes e solidários.
Como não escolhemos a família em que nascemos, precisamos
estar atentos, para melhorar o que aprendemos de bom ou deixar a
trilha abominável em que nos puseram.
Não deixe que os desejos ruins prosperem. Não seja vítima de-
les. Estude o seu passado. Construa o seu futuro. Deseje bem.
Realize bem.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 48.9-14 e 1Samuel 7 a 8
“No teu Templo, ó Deus, ficamos pensando no teu amor. Tu és louvado
por todos os povos, e a tua fama se espalha pelo mundo inteiro, pois tu
governas com justiça”. (Salmo 48.9-10)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 109 29/09/2015 18:05:59


Somente aqueles que se arriscarem mais

ABRIL
10 longe descobrirão o quão longe se pode ir.
T. S. Eliot

Escondidos na bagagem
Deus escolheu Saul para ser o primeiro rei de Israel. Contudo, o
fato de ter sido escolhido por Deus não isentava Saul de fazer a
sua parte.
Deus nos escolheu para viver como reis, mas isto não significa di-
zer que podemos nos acomodar e relaxar na vida, porque, quando
relaxamos (desobedecendo), pagamos o preço.
Diante da tarefa, primeiro Saul ficou feliz, depois teve medo.
Embora de estatura elevada, Saul procurou se esconder no meio da
bagagem. Foi logo descoberto.
Muitas vezes, também nos escondemos na bagagem da vida,
com medo de viver.
O gesto de Saul mostrava que ele se recusava a ser rei. Nós, por
vezes, nos recusamos a ter vidas de reis, por causa do medo.
Saul mostrou-se pequeno, ao se esconder. Um pouco antes, dera
um exemplo de grandeza, quando não se preocupou com o grupo
de desocupados que o ofendeu publicamente. Ele mostrou sua for-
ça, não reagindo aos ataques.
Depois, infelizmente, Saul mostrou sua fragilidade. Diante da
grande oportunidade da sua vida, tremeu. Na hora de escrever seu
nome na história, tentou fugir.
Que Saul queremos ser: o Saul, forte, que não reage com violên-
cia aos ataques verbais sofridos? Queremos ser o Saul que procura
a bagagem para se esquivar?
Seja a paz a nossa escolha, mas paz corajosa.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 49.1-10 e 1Samuel 9 a 11
“Mas ninguém pode salvar a si mesmo, nem pagar a Deus o preço da
sua vida, pois não há dinheiro que pague a vida de alguém. Por mais
dinheiro que uma pessoa tenha”. (Salmo 49.7-8)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 110 29/09/2015 18:05:59


Viver na constante consciência da presença de

ABRIL
11 Deus traz paz, segurança e direção através da vida.
Thomas Blackaby

Para se reencantar
com a vida
É um engano pensar que você começará a viver quando tiver saúde,
quanto tiver resolvidos os seus problemas. Mesmo que enfrente-
mos dificuldades, não devemos desistir de viver. Para que a vida
volte a ter sentido, há uma tarefa a ser executada:
1. Mantenha a visão de quem Deus é. O desencanto com a vida
advém de uma falta de visão de quem Deus é. Ele se relaciona co-
nosco. Deus é como um marido cuidadoso, fiel, infalível. Deus é
forte e está acima de qualquer força e de qualquer obstáculo. Deus
é perfeito. Não há limite em sua ação para conosco.
2. Louve a Deus, pelo que Ele fará. Embora não veja, creia de todo
o coração que Ele agirá.
O desencanto com a vida se expressa na lamentação. Acontece
por causa da ilusão, que é o encanto com pessoas e causas. Perde-
mos a visão de Deus quando olhamos apenas para nós mesmos e
nos detemos apenas nos nossos problemas. Louve aquele Deus que
está atento às suas necessidades.
3. Faça grandes coisas. Mesmo que pareçam sem sentido, faça
grandes coisas, mesmo que movido apenas pela fé. Faça inteiro.
Faça grande. Não deixe nada pela metade.
4. Faça grandes coisas para Deus. Seja o propósito da sua vida fa-
zer grandes coisas para Deus, como aconteceu com o missionário
William Carey.
Quando estava próximo da morte, notou que as pessoas come-
çavam a falar dele e do seu trabalho. Ele, então, chamou um amigo
e disse:
— Dr. Duff! Você tem falado acerca do Dr. Carey. Quando eu par-
tir, não diga nada sobre o Dr. Carey; fale sobre o Deus do Dr. Carey.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 49.11-15 e 1Samuel 12 a 13
“O ser humano, por mais importante que seja, não pode escapar da
morte; como os animais morrem, ele também morre”. (Salmo 49.12)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 111 29/09/2015 18:05:59


A vida alheia nos parece sempre

ABRIL
12 mais fácil porque não é vivida por nós.
Marguerite Yourcenar

O prazer de falar
bem do outro
No topo das virtudes está o prazer de falar bem do outro.
É virtude rara porque é pouco buscada.
É virtude rara porque demanda virtudes que lhe antecedem.
É virtude rara porque exige prestar atenção no outro.
É virtude rara porque é de nossa natureza buscar defeitos.
É virtude rara porque fala bem do outro quem tem uma autoes-
tima equilibrada e não pende para a inveja diante do sucesso que
vê ao seu redor.
É virtude rara porque fala bem do outro quem é humilde, sendo
a humildade a arte de reconhecer o que se é, embora desejando o
que se pode e se deve ser.
É virtude rara porque fala bem do outro quem admite que o ou-
tro lhe é superior, numa área ou em muitas áreas, e tem a coragem
de tê-lo como uma referência para fazer melhor o que faz.
É virtude rara porque fala bem do outro quem é grato ao outro,
por, longe ou perto, no passado ou no presente, direta ou indireta-
mente, lhe ter aberto novas avenidas a percorrer, seja com um gesto
cheio de graça, com uma palavra plena de vida, com um livro arre-
batador, com um favor inesperado ou com uma ideia iluminadora.
E virtude rara porque fala bem do outro quem pensa bem do
outro.
Dizemos que temos montanhas de virtudes que se destacam da
planície das nossas fragilidades. Perguntemos em que lugar está
o nosso prazer de falar bem do outro, sem reservas. Que esteja
no topo.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 49.16-20 e 1Samuel 14 a 15
“Não se preocupem quando alguém fica rico, e a sua riqueza aumen-
ta cada vez mais. Pois, quando morrer, ele não poderá levar nada; a sua
riqueza não irá com ele para a sepultura”. (Salmo 49.16-17)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 112 29/09/2015 18:06:00


Curiosamente, a Bíblia fala pouco sobre

ABRIL
13 sucesso, mas muito sobre o coração,
o lugar onde o verdadeiro começa.
Charles Swindoll

Sem vergonha
Não devemos ter vergonha de começar um projeto novo, seja um
curso, um concurso, um emprego, um negócio, um ministério, por
nos acharmos incapazes ou velhos. Devemos ter vergonha em não
começar e deixar a vida acabar diante dos nossos olhos e nossos
braços cruzados.
Não devemos ter vergonha de confessar os nossos pecados, se-
jam considerados leves ou pesados, porque a confissão é o primeiro
passo para nos livrarmos deles. Devemos ter vergonha em nos es-
conder, em parecer o que não somos, em rejeitar o perdão que Deus
nos oferece e permanecer na culpa que pode ser extirpada.
Não devemos ter vergonha em decidir mudar, não importa a área
que precise ser transformada; se decidimos é porque acreditamos
que podemos trilhar um caminho novo. Devemos ter vergonha em
desistir de viver, quando a vida está apenas um salto.
Nunca é tarde para começarmos. Nunca estamos suficientemen-
te velhos que não possamos dar início a um projeto novo, talvez
postergado a vida toda. Nunca somos tão incapazes para começar
algo novo que não possamos aprender.
Nunca é inoportuno reconhecer nossos erros, admitir nossos
traumas, lutar contra nossos vícios. Inoportuno é reclamar e nada
fazer, sem nada esperar, sem que a vida já tivesse terminado.
Nunca terá passado o tempo de darmos início ao processo de re-
tomada de nossa vida, mentoreada pelas mentiras, arrastada pelo
ódio, despedaçada pela decepção, sufocada pela solidão, fustigada
pela frustração. Não somos obrigados a viver, não importam as he-
ranças que tenhamos herdado ou os erros que tenhamos cometido.
Podemos e devemos passar nossa vida a limpo.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 50.1-6 e 1Crônicas 9 e 10
“O Deus poderoso, o SENHOR, falou e chamou a terra desde o nasci-
mento do sol até ao seu ocaso”. (Salmo 50.1)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 113 29/09/2015 18:06:00


Tão-somente o infortúnio pode converter

ABRIL
14 um coração de pedra num coração humano.
François Fénelon

Para vencer o gigante


Pode ser que haja gigantes ameaçadores sobre as nossas vidas.
Há sempre um vale nas nossas vidas. É nestes vales que enfren-
tamos os golias, com suas sombras de morte. Preferimos habitar
nas montanhas do sucesso, mas, mesmo para chegar lá, temos que
passar pelos vales. Eles fazem parte de nossas vidas.
Devemos saber que na vida precisamos enfrentar gigantes. Não
devemos fugir dos gigantes. Não precisamos temer os gigantes.
Há sempre pessoas (nós mesmos, parentes e amigos) a nos dizer
que não temos condições de vencer os gigantes da vida.
O tamanho do gigante é do tamanho do nosso medo. O tamanho
do nosso medo tem a ver com a altura da nossa fé.
Precisamos compreender que crescemos em nosso caráter e em
nossa fé (dependência de Deus) quando enfrentamos gigantes.
Vencemos quando entendemos que a nossa luta é do Deus.
É Ele que luta e nós somos seus parceiros. Perdemos quando va-
mos lutar contra o gigante em nosso próprio nome e com a nossa
própria força.
Precisamos confiar que Deus SEMPRE faz a parte dele.
Vencemos quando enfrentamos um gigante de cada vez.
Para vencer, precisamos de fé em Deus e uma visão correta a nos-
so respeito.
Não precisamos de recursos artificiais. O que já temos é suficiente.
Quando fez os milagres das multiplicações de pães e peixes, Je-
sus só precisou do que estava à mão (uns poucos pães e uns poucos
peixes).
Muitas vezes esperamos por condições favoráveis (geralmente
de fora) para então começarmos a lutar. Já temos os recursos (a fé
em Deus e a visão que Ele nos ensina a ter sobre Ele e nós mesmos)
necessários para começar a batalha.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 50.7-14 e 1Samuel 16 a 18
“Oferece a Deus sacrifício de louvor e paga ao Altíssimo os teus votos”.
(Salmo 50.14)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 114 29/09/2015 18:06:00


Há mais pessoas que desistem

ABRIL
15 do que pessoas que fracassam!
Henry Ford

Por que não desistir


Há muitas formas de desistir.
Há muitas formas de persistir.
Quando persistimos, raramente nos arrependemos.
Quando desistimos, raramente acertamos.
Desistir é verbo de fraqueza.
Persistir é verbo de força.
Desistência é doença.
Persistência é saudável crença.
Um pai nunca se arrependerá de persistir por seu filho. Pode até
não colher o fruto desejado, mas fez a coisa certa.
Um cônjuge nunca se arrependerá de insistir para que o relacio-
namento dê certo. Pode até ser que o outro desista, fazendo a coisa
errada, mas o persistente fez a coisa certa.
Um amigo ou irmão nunca se arrependerá de apostar na amiza-
de, mesmo que arranhada por uma maldade ou por um mal-enten-
dido, porque o que esperar pelo outro fará a coisa certa.
O que turva as águas do convívio não é definitivo. Se foi a sedu-
ção que desviou o outro, ela não é para sempre. Se foi a depressão
que afundou o outro, ela não é para sempre. Se foi a doença que fez
o outro murchar, ela não é para sempre. Se foi uma palavra maldita
que acabou virando um muro entre as pessoas, ela não é para sem-
pre. Tudo o que é destrutivo é passageiro. Só o amor é para sempre.
Só o amor é definitivo. É o amor que põe a fé em ação. É o amor que
transforma a esperança em realidade.
Só temos um jeito bom de amar: é amar até o fim, como Jesus
fez conosco.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 50.15-23 e 1Samuel 19 a 22
“E invoca-me no dia da angústia; eu te livrarei, e tu me glorificarás”.
(Salmo 50.15)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 115 29/09/2015 18:06:00


Geralmente observo que a misericórdia

ABRIL
16 traz frutos mais ricos que a justiça estrita.
Abraham Lincoln

Uma história, dois finais


Era uma vez um homem que errou. Como seu gesto foi abominá-
vel, vilipendiando gratuitamente a honra de um jovem, milhares
de pessoas gritaram. Sua ofensa foi respondida com ofensas im-
publicáveis. Sua violência breve provocou violências múltiplas. Seu
veneno matou um morto. As pedradas afiadas que recebeu eram
suficientes para sufocar um vivo. O homem que errou decidiu pedir
desculpas. Profissional de palavras, escreveu:
— Eu fui mal interpretado. Não foi isto que eu quis dizer.
Ele queria apenas limpar a sua imagem. Não foi perdoado. Talvez
não fosse mesmo, não importava o que dissesse. Perdoar é para
poucos. Assim mesmo, ele deveria ter primeiramente refletido
para concluir que errara e, então, tomar a iniciativa de admitir isto
publicamente, já que fora global a sua ofensa. Admitir o erro, no
entanto, é também para poucos.
Era uma vez um homem que errou, outro homem, outra história.
Quando foi advertido, primeiramente negou. Foi por pouco tem-
po, é verdade. Quando as palavras sobre seu erro foram se alojando
no seu coração, as lágrimas começaram a pingar dos seus olhos, até
virarem soluços incontroláveis.
A tristeza diante do mal que fizera inundou seu corpo. Ele não
pecara sozinho, mas admitiu sozinho o peso da sua transgressão:
“Senhor Deus, pequei contra ti, contra ti pequei.
Cedi. Caí. Desci ao abismo mais escuro.
Pronto estou para reparar o dano que causei.
Perdoa-me, para que o meu coração seja puro”.
Esse segundo final é o único digno quando escrevemos histórias
tristes.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 51.1-7 e 1Samuel 23 a 24
“Tem misericórdia de mim, ó Deus, segundo a tua benignidade; apaga
as minhas transgressões, segundo a multidão das tuas misericórdias”.
(Salmo 51.1)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 116 29/09/2015 18:06:00


Veja onde Deus está agindo e junte-se a Ele.

ABRIL
17 Henry Blackaby

Vida que Deus sopra


Quando uma pessoa passa por dificuldade, faz-lhe bem ouvir: —
Fique firme: tudo vai dar certo. “Dar certo” é o doente ser curado.
“Dar certo” é o desempregado ser contratado. “Dar certo” é o per-
dão ser ofertado. “Dar certo” é o passeio terminar animado. “Dar
certo” num curso ou concurso é ser aprovado. “Dar certo” é o filho
ser reencontrado. “Dar certo” é o adversário ser derrotado.
Desejo é uma coisa, esperança é outra. A esperança no amor de
Deus para conosco não nos dá este tipo de certeza.
Na verdade, Deus não é necessário para este tipo de convicção.
Esperança tem mais a ver com incerteza.
Nosso querido geme no hospital, e não sabemos se voltará para
casa. Nossa empresa treme, e não sabemos se seremos mantidos.
Nossa viagem vai começar, mas não sabemos se chegaremos.
Queremos que a unidade familiar não se rompa, mas é uma in-
cógnita o que o nosso cônjuge fará.
É na incerteza que precisamos da esperança. É na incerteza que
Deus derrama a esperança sobre nós.
Certeza é coisa humana. Esperança é promessa divina.
Certeza é pagã. Esperança é cristã.
Esperar em Deus é crer contra a incerteza. Esperar em Deus é
crer que Deus agirá, mas não sabemos como. A esperança nasce no
solo da entrega. Esperar em Deus é crer que Deus não nos deixa-
rá sozinhos. A esperança segue o roteiro da confiança. Esperar em
Deus é crer que Deus fará. O que? Não sabemos. Esperança é fé no
que ela tem de melhor.
Não precisamos de certeza. Precisamos de esperança. Esperança
é barco na tempestade. Esperança é cor no CTI. Esperança é ali-
mento na escassez. Esperança é sol depois das nuvens. Esperança é
vida que Deus sopra sobre o nosso corpo.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 51.8-14 e 1Samuel 25 a 26
“Torna a dar-me a alegria da tua salvação e sustém-me com um espíri-
to voluntário”. (Salmo 51.12)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 117 29/09/2015 18:06:00


O conhecimento serve para encantar

ABRIL
18 as pessoas. Não para humilhá-las.
Mário Sérgio Cortella

A humilhação mata
Parece que, para sermos alguém, precisamos negar que o outro
também seja alguém de valor.
É por causa desta disposição interna que, por vezes, humilhamos
as pessoas, salientando, por exemplo, um defeito que imaginamos
que elas tenham. Assim, nós as chamamos em função de sua altu-
ra, do seu cabelo ou da sua fala ou da sua profissão. Nesses casos,
as pessoas não têm nomes, mas características. Um é baixinho. O
outro é careca. Aquele é gago. Ela é negra. Ela é especial. Ela é feia.
Somos capazes de eleger algumas características como ruins, para
humilhar as pessoas, às vezes como uma forma de diversão.
Por que as piadas têm, necessariamente, que humilhar as pesso-
as? Por que nossas brincadeiras na escola, quando éramos crianças,
escolhiam palavras que encolhiam os colegas? Mesmo entre os pe-
quenos, ai do que manca, ai do que usa óculos de grau forte, ai do
gago, ai do gordo, ai do tímido.
Quando humilhamos uma pessoa em público nós lhe tiramos a
motivação para viver. Se ela estiver certa, nós desestimularemos
sua vontade de continuar a fazer o que é correto. Se ela estiver er-
rada, não será desafiada a se arrepender e mudar. Quando publica-
mente destruímos a reputação de alguém, o seu caminho da volta
será mais difícil pelas impressões negativas que deixamos naqueles
que testemunharam o deboche que promovemos.
Humilhar é uma forma de matar. Para controlar o nosso ímpeto,
devemos nos imaginar no lugar daquele a quem humilhamos.
Não há graça alguma em palavras divertidas que humilham. Pa-
lavras matam. Palavras que humilham são palavras que aniquilam.
Há graça em valorizar as pessoas.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 51.15-19 e 1Samuel 27 a 29
“Os sacrifícios para Deus são o espírito quebrantado; a um coração
quebrantado e contrito não desprezarás, ó Deus”. (Salmo 51.17)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 118 29/09/2015 18:06:00


Deus caminha conosco em

ABRIL
19 meio às tempestades da vida.
Rich Mendola

Na difícil hora da aflição


Nosso corpo vai bem e, de repente, surge uma alteração. A dor nos
deixa inseguros sobre o que será de nossa vida a partir de agora.
Nosso convívio vai bem e surge uma mágoa. A dor nos deprime
e ficamos confusos. Avaliamo-nos e concluímos que não falhamos,
mas os rostos continuam franzidos. Se nos avaliamos e estamos
dispostos a reconhecer, não sabemos como o outro nos receberá,
se é que nos atenderá.
Uma pessoa querida vai bem e afunda no sofrimento, seja no
corpo tomado por uma doença cujo prognóstico parece sombrio,
seja na mente convulsionada pelas nuvens do desequilíbrio, seja
no espírito envolvido pelas trevas do pecado que a afasta de Deus,
das pessoas e de si mesma.
Essas horas nos servem para ver o que nem sempre nos parece
claro: somos limitados, seja para pensar saudavelmente, seja para
resolver os problemas que nos impedem de continuar bem. Elas
também nos estimulam o desejo de ouvir a voz de Deus.
Quem busca a Deus o ouve. Deus não fala através de sombras, tem-
pestades ou terremotos. A primeira palavra que nos diz, como a que
proferiu para o profeta Elias há quase três mil anos, suavemente é:
— A caverna não é o seu lugar. Vem.
A caverna do medo, do ressentimento, da desesperança, da inse-
gurança ou qualquer outra, não é o nosso lugar.
A segunda palavra que Deus disse a Elias e agora nos convida é:
— Levante-se. Vá.
Se somos fracos, Deus é forte. Há muito que precisamos fazer,
por nós mesmos, por nossa família, por nossa missão, e Deus nos
capacitará a prosseguir, seja confiando ou mesmo tropeçando.
Podemos nos levantar e igualmente expandir os nossos hori-
zontes.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 52 e 1Samuel 30 a 31
“Mas eu sou como a oliveira verde na Casa de Deus; confio na miseri-
córdia de Deus para sempre, eternamente”. (Salmo 52.8)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 119 29/09/2015 18:06:00


Você não recebe a graça se acha que

ABRIL
20 ela é um prêmio por algo que tenha feito.
Paul e Nicole Johnson

Fiquemos com a graça


Entre extremos, opomos graça e culpa. Que bem nos faz a culpa,
senão a de nos sentir culpados?
A culpa é um convite ao pecado, como se o nosso fracasso o tor-
nasse inevitável.
A culpa é real mas não pode ser o horizonte baixo das nossas
vidas.
A culpa é o nosso salário, mas exclusivamente pelo que fizemos.
A culpa pode ser até pedagógica, conduzindo-se para a redenção,
mas quase sempre é caverna de difícil liberdade.
A boa religião não nega a culpa, mas vive para a possibilidade da
sua derrota.
A boa religião se alimenta da graça.
A boa religião alimenta a graça.
A graça nos alimenta.
A graça só nos faz bem.
A graça é um convite à liberdade digna como o compasso de nos-
sas trajetórias.
A graça é sempre pedagógica, porque a jornada pode ser longa.
Quando nos rendemos a ela, a graça nos sopra a atmosfera da
alegria.
Precisamos ouvir histórias de graça.
Precisamos da graça.
Por causa da graça, podemos orar assim:
Seja o meu desejo por ti a minha oração,
seja a minha prece te querer como pão,
ver sondado pelo Espírito o meu coração,
ser menos para que Cristo me seja real,
tendo menos para te ter como essencial.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 53 e 2Samuel 1 a 4
“Os tolos pensam assim. ‘Para mim, Deus não tem importância’. Todos
são corruptos e cometem injustiças horríveis; não há uma só pessoa
que faça o bem”. (Salmo 53.1)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 120 29/09/2015 18:06:00


Perder a esperança tem sobre nós

ABRIL
21 o mesmo efeito de parar de respirar.
Brent Curtis

O convite à esperança
Quando a aflição entra em casa, entram sem bater os convites. O
mais temível é o convite ao desespero. Junto com o desespero, vem
o convite à busca de soluções fáceis. Quem se deixa levar por estes
convites termina ou num rodamoinho que joga a vida de um lado
para outro ou num túnel cujo fim é invisível e inalcançável.
Nem todos os convites são sombrios, porque há o convite do
Evangelho à esperança.
O convite evangélico à esperança não é aquele oferecido com pa-
lavras leves do tipo “vai passar” ou “tudo vai dar certo”.
O convite do Evangelho não vem embrulhado em palavras que
trazem culpa. Quando há responsabilidade pela aflição dentro de
casa, o Evangelho não a nega, mas uma vez, admitida, seu perdão
fortalece para as próxima etapas, não como carga, mas como alívio.
O convite do Evangelho não rejeita também a realidade da vida,
muitas vezes aflitiva. Jesus mesmo, que o trouxe, enfrentou afli-
ções e Ele nunca pecou.
O convite do Evangelho é um desafio: lute. A luta pode demo-
rar, pode doer, pode abater, pode machucar, mas não deve jamais
desesperar. Não deve desesperar porque o convite do Evangelho
inclui uma promessa: Deus estará conosco durante a luta, seja uma
luta contra a saudade de quem se foi, seja uma guerra travada junto
com o bisturi ou com o remédio que corta o corpo, seja uma bata-
lha contra o transtorno que quer empurrar a mente para o fundo
da caverna, seja a busca pelo fim da decepção que a certeza da in-
justiça introjeta como se fosse para sempre,
O convite do Evangelho não diz que Deus impede a luta, mas
garante que Ele luta conosco. A alternativa é o desespero.
Fiquemos, enquanto lutamos, com o convite do Evangelho à es-
perança. Há esperança.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 54.1-4 e 2Samuel 5 a 6
“Eu sei que é o Senhor Deus quem me ajuda, sei que é ele quem me
defende”. (Salmo 54.4)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 121 29/09/2015 18:06:00


As pessoas nascem, criam-se entre massas de concreto,

ABRIL
22 caminham ou rodam sobre asfalto, as aventuras que
experimentam lhes são proporcionadas pela TV ou
vídeo. Já não sabem o que é sentir orvalho no pé
descalço, admirar de perto a maravilhosa estrutura
de uma espiga de capim, observar intensamente o
trabalho incrível de uma aranha tecendo sua teia.
José A. Lutzemberger

Cuidar da terra
é tarefa nossa
(Dia Mundial da Terra)
É por causa do pecado que o homem amaldiçoa a terra, com seu
descuido e sua ganância. Nosso parâmetro, no entanto, não pode
ser a maldição humana, mas a bênção divina para a terra. Na nar-
rativa da criação, temos duas expressões. Uma é, várias vezes, apli-
cada à obra geral: “Deus viu que ficou bom”. A outra é utilizada no
contexto da criação dos seres vivos, os humanos incluídos: “Deus
os abençoou”. Devemos aceitar a bênção divina e recusar a mal-
dição humana. O estrago foi feito; o estrago está sendo feito. No
entanto, se queremos viver como imagens e semelhanças de Deus,
não devemos amaldiçoar a obra do Criador.
Embora não possamos zerar todos os malefícios que já causamos
ao nosso planeta, é nosso dever nos empenhar para minimizar es-
ses ataques. O mandamento divino para a criação (em Gênesis 1)
não foi revogado na queda (em Gênesis 3). Deus renova, ao longo
da Bíblia, o cuidado que devemos ter com toda a sua obra, que in-
clui os seres humanos, os animais e o meio ambiente.
Com o pecado, esta tarefa tornou-se mais difícil, mas continua
como encargo do ser humano, mesmo decaído. A criação será redi-
mida. Enquanto isto não acontece, a criação geme e espera que os
filhos de Deus se manifestem para que haja paz na terra. O esca-
pismo deixa a terra à mercê dos destruidores. Deus não abandonou
a terra por causa do pecado humano. Ele ainda ama a sua criação.
Devemos amar também terra e cuidar dela.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 54.5-7 e 2Samuel 7 a 10
“Deus me livrou de todas as minhas angústias, e os meus olhos contem-
plaram a derrota dos meus inimigos”. (Salmo 54.7)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 122 29/09/2015 18:06:00


A verdadeira vitória em tudo

ABRIL
23 o que fizemos é alcançada em segredo,
por antecipação, por meio da oração.
Samuel Gordon

A oração fez
dele um vencedor
Dar um nome a um filho é tarefa de alegria e responsabilidade.
Você daria ao seu bebê o nome de “tristeza”? A mãe dele o fez.
Jabez (que quer dizer “tristeza”) era o seu nome. Em lugar de
ficar se lamentando, ele fez uma oração a Deus:
“Oh, Senhor. Abençoa-me. Sim, abençoa-me! Dá-me terras, gran-
des extensões de terra. Protege-me com a tua presença. Livra-me
do mal” (1Crônicas 4.10)
Jabez pede que Deus o abençoe. Nada vale a pena sem Deus co-
nosco, que é a nossa maior bênção. Jabez sabe que Deus nos aben-
çoa com toda a sorte de bênçãos espirituais, que englobam todas as
outras mais visíveis que gera.
Ele pede que Deus amplie as suas terras, que podemos atualizar
como sendo nossas realizações, sejam elas materiais ou emocionais.
Com mais terras, sua família poderia crescer. Jabez foi atendido.
Ele pede que a presença de Deus o acompanhe. O que virá não
importa. O que importa é a presença de Deus, para que caminhe
em segurança. Jabez foi acompanhado.
Ele pede que seja livre do mal, algo que também devemos pedir,
segundo o ensino de Jesus na oração do “Pai Nosso” (Mateus 6.13).
Jabez não quer ser tirado do mundo, mas ficar livre do mal (João
17.15). Jabez foi ouvido.
A oração de Jabez resume todas as nossas.
Jabez, um homem sem credenciais, um homem sem fama, um
homem como qualquer um de nós, uma pessoa de oração que cada
um de nós pode ser.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 55.1-8 e 1Crônicas 1 a 4
“Escuta a minha oração, ó Deus, não ignores a minha súplica”.
(Salmo 55.1)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 123 29/09/2015 18:06:00


No caráter, na conduta, no estilo, em todas as coisas,

ABRIL
24 a simplicidade é a suprema virtude.
Henry Wadsworth Longfellow

O veneno da comparação
Em qualquer área da vida, há pessoas que se destacam.
Há pessoas que fazem coisas melhores do que nós. Não temos
como não comparar. Não temos como não nos comparar.
Num primeiro momento, a comparação nos faz bem. É quando,
vendo o que os outros fazem, somos estimulados a fazer melhor o
que realizamos.
A partir daí, a comparação perde seu valor e se torna um veneno.
Se não tomarmos cuidado, a comparação revelará o que há de
pior em nós.
Diante do sucesso do outro, que sequer sabemos se é real, des-
prezamos o que o outro faz, julgando suas intenções como más e
seus métodos como indignos.
Diante do brilho do outro, nós nos sentimos injustiçados. Acha-
mos que não estamos sendo reconhecidos no que fazemos. Lamen-
tamos que não tenhamos a mesma oportunidade do outro.
A comparação, quando se apossa de nós, nos leva a pensar que
somos fracassados. Passamos a reprovar o nosso próprio modo de
fazer as coisas, não porque seja errado, mas porque não dá os re-
sultados que o outro colhe.
O passo seguinte é sermos possuídos pela inveja, esse terrível
desejo de ser o que não devemos ser e ter o que não vale a pena ter.
A inveja nos corrói.
A inveja nos torna amargos. A inveja estanca a nossa disposição
de nos dedicar ao que amamos fazer. A inveja mata a nossa criati-
vidade. A inveja mina o trabalho em equipe. A inveja tem o poder
de nos tornar homicidas, ao nos fazer desejar eliminar aquele com
quem nos comparamos.
A inveja tira de nós a possibilidade de aprender com o outro, em-
bora a única coisa boa em nos comparar com outro é precisamente
perceber o que podemos fazer melhor.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 55.9-16 e 1Crônicas 5 a 8
“Eu, porém, clamo a Deus, e o Senhor me salvará”. ( Salmo 55.16)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 124 29/09/2015 18:06:00


É imoral pretender que uma coisa desejada se realize

ABRIL
25 magicamente, simplesmente porque a desejamos. Só
é moral o desejo acompanhado da severa vontade de
prover os meios para sua execução.
José Ortega y Gasset

As duas mãos da decepção


Você está decepcionado com alguém? Infelizmente, todos que se
relacionam enfrentam a dura desilusão da decepção. Por isto, a lis-
ta é grande e vai aumentando com o passar do tempo. Alguém que
ajudamos nos virou as costas. Alguém em quem confiávamos pas-
sou adiante um segredo. Alguém com quem nunca falhamos, exce-
to uma vez, que foi suficiente para afastá-las de nós. Talvez haja
gente decepcionada com você. Já parou para pensar em quantas
pessoas estão magoadas com você? A decepção pode ter, portanto,
duas vias. Ficamos decepcionados. Decepcionamos.
Se você está decepcionado com uma pessoa, talvez já a tenha ris-
cado da agenda telefônica. Este não é um bom caminho. Lembre-se
dos velhos tempos: não foram bons?
Procure compreender o que houve, colocando-se no lugar da ou-
tra pessoa. Talvez, com calma, você possa ajudá-la a se livrar do
lado sombrio da sua natureza. Não procure se livrar dela, afastan-
do-se, desacreditando para sempre dela. Isto vai apenas afugentá
-las para a amargura e para a infelicidade. Reaproxime-se. Perdoe.
Se você se decepcionou, saia da defensiva. Procure compreender.
Coloque-se no lugar da outra pessoa. Dê um passo. Aproxime-se.
Peça perdão. Peça a Deus para lhe ajudar na sua própria luta em
procurar viver os padrões dele. As pessoas terão prazer em se rela-
cionar com você.
Busque a conexão.
Peça a Deus para lhe ajudar a amar, seguindo o perfeito e sin-
gular exemplo de Jesus Cristo, decepcionado por Judas, a quem
amou, e por Pedro, a quem restaurou e confiou uma grande missão.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 55.17-23 e 1Crônicas 11 a 12
“Entregue suas preocupações ao Senhor, e ele o susterá; jamais permi-
tirá que o justo venha a cair”. (Salmo 55.22)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 125 29/09/2015 18:06:00


Deus é mais belamente louvado quando

ABRIL
26 as pessoas ouvem sua Palavra, amam
sua Palavra e obedecem a sua Palavra.
Albert Mohler Jr.

Louvar é servir uma


xícara de café
Depois do almoço, os adultos conversavam. Um deles ofereceu
café. Entre os que aceitaram estava uma jovem mãe, acompanhada
da sua filha, aparentemente alheia ao momento.
O adulto foi preparar o café.
Então, uma menina de nove anos, correu com ele para a cozinha.
Quando ele começou o processo, ela se antecipou.
— O café da minha mãe eu faço.
Procurou a melhor xícara. Escolheu a cápsula com o pó, que, ti-
nha certeza, era o sabor que sua mãe gostaria. Selecionou um pires.
Pronta a bebida, levou-a para sua mãe, que feliz sorveu seu café.
Não diz a Bíblia que é das crianças que nasce o perfeito louvor?
A menininha quis agradar a sua mãe. Não queria nada em troca.
Queria vê-la feliz. Não disse, mas queria agradecer, com seu gesto,
tudo o que a sua mãe fazia para ela.
Louvar a Deus é, nada querendo em troca, agradecer o que Ele
nos faz. É servir a Ele apenas por prazer. Louvar a Deus não é agra-
decer como uma forma de habilitar a receber mais. Ele conhece
o nosso coração, não apenas nossos lábios. Louvar a Deus não é
cumprir um protocolo, porque aprendemos a repetir algumas ex-
pressões que o exaltam. Quem gosta de ouvir as mesmas palavras?
Louvar a Deus não é esquecer quem somos, entregando-nos em
êxtase. Louvamos porque sabemos quem somos e quem Deus é,
numa radical diferença que nos enche de esperança. Louvar a Deus
é estar na sua presença, sentindo-a, sorvendo-a. Louvar a Deus é
simplesmente correr para lhe levar uma xícara de café.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 56.1-9 e 1Crônicas 13 a 14
“Mas eu, quando estiver com medo, confiarei em ti. Em Deus, cuja pa-
lavra eu louvo, em Deus eu confio, e não temerei. Que poderá fazer-me
o simples mortal?”. (Salmo 56.3-4)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 126 29/09/2015 18:06:01


O medo da vida nos enfraquece

ABRIL
27 mais que o medo da morte.
H. Norman Wright

Enfrente seu medo


De que temos medo?
Há pessoas com medo de viver, preferindo entregar-se à doença,
ao desânimo, ao desamor, à preguiça, à inutilidade. O medo tem
um poder destruidor. O medo se assemelha a um gás paralisante.
Quem está com medo não age.
Outro deve ser o nosso caminho.
Devemos escolher o caminho da coragem.
Então, se este é o nosso claro desejo, precisamos dar alguns passos:
1. Devemos refletir sobre as perdas acumuladas por causa do medo.
O inventário poderá doer, mas pode ser libertador. Ver o que o
medo nos tirou pode mostrar que devemos reformular nossa vida.
Quantas viagens não foram feitas? Quantos prazeres não foram
compartilhados? Quantas conquistas não aconteceram?
2. Revejamos nossa condição diante da vida. Se a nossa vida tem
sido marcada pelo lamento, ela pode ser transformada em canto;
se nos afundamos em reclamação, podemos subir a montanha. Se
fizemos da caverna nosso esconderijo, podemos sair para a luz. Po-
demos desejar uma vida de liberdade. Nossa vida pode ser sacudi-
da, logo preparada para novos vôos.
3. Memorizemos a verdade bíblica segundo a qual não pode haver
medo onde há o amor de Deus. Está escrito na Bíblia que “no amor
não há medo; o amor que é totalmente verdadeiro afasta o medo.
Portanto, aquele que sente medo não tem no seu coração o amor
totalmente verdadeiro, porque o medo aponta para o castigo. Nós
amamos porque Deus nos amou primeiro” (1João 4.17-19). Viva-
mos esta verdade.
4. Decidamos que vamos enfrentar o medo. Vamos lutar contra o
medo e seguiremos na vida em busca de águas profundas.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 56.10-13 e 1Crônicas 15 a 16
“Pois me livraste da morte e os meus pés de tropeçarem, para que eu
ande diante de Deus na luz que ilumina os vivos”. (Salmo 56.13)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 127 29/09/2015 18:06:01


A adversidade restitui aos homens todas

ABRIL
28 as virtudes que a prosperidade lhes tira.
Eugène Delacroix

Estamos nos
braços de Deus
Olhe para um bebê no colo de sua mãe ou do seu pai ou do seu avô.
De que ele precisa?
Ele precisa de cuidado. Ele precisa de roupa. Ele precisa de ali-
mento. Ele precisa, sobretudo, de segurança.
Estar seguro é se sentir aceito.
Estar seguro é se sentir protegido.
Estar seguro é se sentir amado.
Fomos bebês, mas nossa necessidade de segurança não mudou.
Ainda precisamos nos sentir seguros, especialmente quando nos
sentimos ameaçados pela falta de carinho (para desfrutar o amor),
pela falta de dinheiro (para pagar as contas), pela falta de saúde
(para continuar firme).
Precisamos nos sentir seguros diante da indiferença das pessoas
ou do ódio dos rostos diante de nós.
Precisamos nos sentir seguros diante da morte, sobretudo para
saber que podemos esperar que, depois da morte, a nossa vida con-
tinua nos braços de Jesus.
Continuamos bebês e Deus nos faz nos sentir seguros.
Por isto, podemos cantar:
“Que segurança sou de Jesus
E já desfruto as bênçãos da luz
Sou por Jesus herdeiro de Deus
Ele me leva à glória dos céus”.
(Fanny Crosby)
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 57.1-5 e 1Crônicas 17 a 18
“Tem misericórdia de mim, ó Deus, tem misericórdia, pois em ti procu-
ro segurança! Na sombra das tuas asas eu encontro proteção até que
passe o perigo”. (Salmo 57.1)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 128 29/09/2015 18:06:01


Estejamos conscientes ou não disto, o trabalho que

ABRIL
29 fazemos é também uma expressão do nosso caráter.
Gordon MacDonald

A missão do trabalho
Podemos usar a nossa profissão para ganhar a vida ou podemos
usar a nossa profissão também para ganhar vidas. Em outras pala-
vras, podemos simplesmente fazer do nosso trabalho uma agência
para receber o dinheiro para tocar nossas vidas ou podemos fazer
dele um meio para tocar os corações das pessoas.
Nosso emprego é uma providência de Deus para transformar o
mundo. Pelo trabalho, feito numa empresa ou em casa, podemos
ser agentes de mudança, sem ir diretamente aos campos. Somos
agentes de transformação quando trabalhamos e usamos o dinhei-
ro resultante para sustentar os que vão a esses campos para aten-
der os que estão em necessidade.
O trabalho bem feito, honesto, criterioso, é uma mensagem que
anunciamos. Uma relação profissional em que as pessoas — sejam
chefes, iguais ou subordinadas — realmente importam é uma mis-
são de grande valor.
Precisamos de uma visão missional do trabalho. Nossos talentos
não nos são dados apenas para nosso deleite, mas para abençoar
outras pessoas.
Para tanto, devemos cuidar muito cuidado para não entrarmos
na dança da competição e da corrupção, porque nossa escolha de-
via ser sempre a cooperação e o companheirismo. Essa espiral só
nos leva a pensar em nós mesmos. Trabalhar só para nós mesmos
não tem sentido.
Devemos vigiar constantemente para permanecermos fieis à
nossa vocação.
Devemos, também no dia a dia do trabalho, crer que estamos
num lugar onde Deus nos colocou.
Quando trabalhamos assim, as horas passam logo.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 57.6-11 e 1Crônicas 19 a 21
“O meu coração está firme, ó Deus, bem firme; eu cantarei hinos em
teu louvor”. (Salmo 57.7)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 129 29/09/2015 18:06:01


Palavras, palavras, só palavras.

ABRIL
30 Tem-se acendido fogueiras em nome da caridade,
tem-se guilhotinado em nome da fraternidade.
No teatro das coisas humanas, o cartaz é quase
sempre o contrário da peça.
Jules Goncourt

Podemos ir além
“Deus te abençoe” — podemos dizer a alguém que pede nossa ajuda.
“Ó, Deus, ajude-a” — oramos sinceramente por uma pessoa em
dificuldade.
Estamos sendo sinceros, mas a sinceridade é apenas um dever
nosso que não gera qualquer mudança na vida do outro.
Devemos continuar desejando coisas boas para os outros. Deve-
mos continuar pedindo a Deus pelo aflito. No entanto, podemos
orar com outro conteúdo, que revele um outro coração:
“Senhor, o que é que eu posso fazer para ajudar?”
Quando dizemos “Deus te abençoe” para uma pessoa em difi-
culdade, talvez estejamos apenas tentando nos livrar do problema
ou talvez estejamos reconhecendo que não temos nada mesmo a
fazer. E pode ser que não tenhamos mesmo e, neste caso, só nos
resta pedir que Deus a abençoe.
Quando dizemos “Ó, Deus, ajude-a” para uma pessoa que está
sofrendo, podemos estar em busca de uma solução ou simplesmen-
te transferindo para Deus um passo que poderíamos dar.
No entanto, quando dizemos “Senhor, o que é que eu posso fazer
para ajudar”, diante do sofrimento do outro, estamos de fato nos
importando com o outro, crendo que Deus pode agir, esperando
que Deus aja e nos colocando disponíveis para Deus se Ele quer
agir através de nós.
Podemos ir além. Devemos ir além.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 58.1-5 e 2Samuel 11 a 13
“Será que vocês, autoridades, dão sentenças justas? Será que julgam
com justiça as pessoas?”. (Salmo 58.1)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 130 29/09/2015 18:06:01


MAIO
Mãe não é singular
Mãe é o corpo que nos recebe primeiro.
Quando ainda somos desejo,
ela nos vê por inteiro
na entranha que nos guarda,
no útero que nos nutre,
no ventre que nos forma.
Foi seu colo que nos protegeu.
Quando nosso corpo a luz encontra,
ela chora não de dor, embora real,
mas de alegria porque a manhã aconteceu.
Mãe é a mão que nos coloca no berço primeiro,
leito que emula o lugar da espera,
casa colorida que é também um porto seguro,
acompanhada de lágrimas para celebrar
o primeiro encontro do lácteo seio,
o primeiro olhar entre os dois trocados,
o primeiro sorriso da suave bochecha,
o primeiro passo pelo quarto adornado,
a primeira palavra (e se for “mamãe”!..., ela vai delirar),
gestos que um álbum pode perenizar.
Mãe é o pé que pisa primeiro,
para nos mostrar como andar pelo tapete do quarto,
depois pela rua que será o nosso itinerário,
ainda pela vida que será a nossa morada.
Mãe não mostra como firmar o pé.
Ela firma o seu e nós firmamos o nosso.
Mãe não diz como ir: ela vai na frente,
desde aquela tarde no primeiro parque,
desde aquela manhã na primeira aula.
E quando ela retirou o pé, por necessário,
ficou em distância suficiente para intervir
numa velocidade maior que o som, se necessário.

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 131 29/09/2015 18:06:01


Mãe é o som, sonido, balbucio, ouvido primeiro.
É voz que o filho não esquece.
É a voz que não devemos esquecer,
quando vamos dobrar a esquina (“cuidado!),
quando precisamos tomar uma decisão (“pense bem!”)
quando nos preparamos para casar (“isso é para sempre, meu filho”),
quando estamos às vésperas de uma viagem (“não está esquecen-
do nada?”),
quando desejamos mergulhar em águas mais profundas (“perigo!)
quando estamos imersos em alguma tristeza (“filho, eu te amo”)
quando trilhamos o caminho do erro (“volta, meu filho!”).
Mãe é mente que nos ensina a pensar.
Mãe é coração que nos mostra como amar.
Para uma mãe nossas palavras nunca exageram.
nossas imagens jamais excedem.
Mãe é mãe sempre.
Sua ternura a torna eterna.
Filho, o filho bom, é filho sempre,
mesmo depois que mamãe parece que se tornou
apenas uma foto ou uma coleção de imagens na memória.
A mesa tem o cheiro dela.
A casa tem o seu jeito.
Nossa vida tem o seu perfume.
Mãe, mesmo morta, é amor que nos encanta.
É presença que ainda nos acalanta.
É balanço — e tantos foram para hoje lembrar —
que ainda nos faz muito alto voar.
Mãe é um coletivo de palavras,
umas descrevem, outras imaginam.
Mãe é um buquê de imagens,
e tão boas são que, por verdadeiras, nos fascinam.
Ao filho, cabe ajoelhar-se diante de Deus
e por sua mãe agradecer.
Quem nunca agradeceu pode hoje começar.
À mãe, cabe curvar-se diante de Deus
para à sua imagem corresponder,
sabendo que há uma boa jornada a realizar.

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 132 29/09/2015 18:06:01


Deus honra o trabalho; então,

MAIO
1 honre Deus no seu trabalho.
Max Lucado

Seja de rei o seu trabalho


(Dia do Trabalhador)
Uns amamos trabalhar. Outros odiamos trabalhar. Na verdade,
são raras as pessoas que odeiam de trabalhar. O que gera desgosto
em alguns é especificamente o que fazem ou o ambiente em que o
fazem. Um trabalho não pode ser bom se o ambiente é hostil, le-
viano, maledicente. Um trabalho não pode ser amado se as relações
não são boas, se há injustiças flagrantes. Um trabalho não pode ser
bom se é exercido sob as chibatas da escravidão, modernamente
desenvolvida por meio de metas absurdas ou de jornadas abusivas
ou de remunerações iníquas.
Quem está nesta condição tem duas coisas a fazer: pedir a Deus
um novo trabalho e começar a olhar à sua volta em busca de novas
oportunidades, mesmo que demandem mais estudo e mais esforço
e muita paciência. A libertação poderá tardar, mas virá. Deus, que
é justo e bom, é um trabalhador. Jesus mesmo o disse, quando can-
tou: “Meu Pai trabalha até agora”.
Por isto mesmo, felizes são os que se levantam com vontade de
começar a desenvolver as suas atividades, sem ficar durante o dia
mirando o relógio à espera da hora de parar.
Felizes são os que têm colegas ou sócios honestos, com os quais
vale a pena estar. Felizes são que notam que seu trabalho faz dife-
rença na vida das pessoas. Felizes são os que podem ver o seu tra-
balho como parte de sua vida, não como um apêndice abominável.
Quem é feliz no trabalho deve e pode se empenhar para não tor-
ná-lo ruim para os outros.
Quem é feliz no trabalho será ainda mais plenamente, se fizer
do seu ofício um trabalho de rei, como se estivesse num templo
trabalhando a vida toda para o Rei do universo.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 58.6-11 e 2Samuel 14 a 17.23
“Os bons ficarão contentes ao verem os maus sendo castigados; os bons
lavarão os pés no sangue deles. E as pessoas dirão: De fato, os bons são
recompensados”. (Salmo 58.10-11)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 133 29/09/2015 18:06:01


Doce é descansar depois do trabalho.

MAIO
2 Doce será nos céus quando nossa jornada terminar.
George Whitefield

A invenção do descanso
Gostamos de ir além dos nossos limites.
Por isto, trabalhamos muito.
Mesmo quando fazemos aquilo que gostamos — o que nos colo-
ca na categoria dos privilegiados porque a maioria das pessoas tra-
balha apenas pelo dinheiro que recebem — sim, mesmo fazendo o
que amamos ficamos cansados.
Pode ser que trabalhemos demais por causa das exigências que
nos são impostas ou porque nós mesmos nos tenhamos imposto
um ritmo insano, seja para ganhar uma competição, real ou imagi-
nária, seja para provar que somos bons.
Quem aplaude o nosso trabalho não fica cansado. Nós ficamos.
O cansaço afeta todas as áreas da nossa vida, prejudica pode-
rosamente os nossos relacionamentos e solapa profundamente a
nossa vontade de viver e fazer o que é bom.
Nesta hora, é bom pararmos diante do espelho e nos perguntar:
— Onde você quer chegar?
Descansar faz bem à saúde física e emocional. Descansar faz bem
aos relacionamentos. Descansar nos faz trabalhar melhor. Descan-
sar faz com que nos encontremos conosco mesmos, ao nos permi-
tir ver que o trabalho é apenas uma das dimensões da vida, porque
há outras, muitas outras.
Quem inventou o trabalho inventou também o descanso. E Ele
(Deus) sabe das coisas.
Peça a Ele sabedoria e coragem para descansar pelo menos um
dia por semana. Os próximos dias serão melhores.
Peça a Ele a oportunidade de sair de férias, sozinho (se for soltei-
ro) ou com sua família. Você voltará outro. O descanso nos melhora.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 59.1-9 e 2Samuel 17.24 a 20.26
“Ó Deus, eu confio no teu poder; tu és a minha fortaleza”.
(Salmo 59.9)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 134 29/09/2015 18:06:01


Quando percebo que não dou conta de nada, assento-

MAIO
3 me e, então, a vida de Jesus em mim realiza a vontade
perfeita de Deus.
Ivênio dos Santos

Deus nunca nos demite


Olhamos para as pessoas e vemos tantas falhas, sejam emocionais,
espirituais e mesmo morais, que nada de bom esperamos delas. En-
tão, desistimos de esperar que façam coisas dignas de notas boas.
Especialista em ser humano, Deus nunca as demite.
No bêbado (Noé), ele vê um homem de visão extraordinária. No
mentiroso (Abraão), ele enxerga um homem de fé audaciosa.
No trapaceiro (Jacó), ele capta um homem de fidelidade completa.
No violento (Moisés), ele pressente um amante da paz e um prati-
cante da paciência. No tímido (Gideão), ele vislumbra um gigante
da coragem. Num homicida (Davi), ele sente um coração tomado
de amor que não espera reciprocidade. Num queixoso (Jeremias),
ele percebe olhos marejados de esperança. Num que buscava apro-
vação (Neemias), ele nota um homem capaz de se sacrificar pelos
outros. Numa jovem sem atributos (Maria), ele destaca a dispo-
nibilidade. Num inseguro (João Batista), ele sublinha a ousadia.
A um traidor intempestivo (Pedro), ele oferece a liderança de um
projeto que transcende o tempo. Numa ansiosa (Maria de Betâ-
nia), ele entrevê segurança. Num perseguidor ressentido (Paulo),
ele enxerga a capacidade de mudar. Numa inquieta (Priscila), ele
registra a grandeza da hospitalidade. Em um temperamental (Bar-
nabé), ele nota o dom da amizade.
Deus olha assim para nós.
Quando colocamos diante dele nossas fraquezas e nossas quali-
dades, Deus nos faz ir além de nossos defeitos, para que eles não
nos dominem, e nos torna capazes de tocar com graça as vidas de
outras pessoas, conhecidas e desconhecidas, próximas e distantes,
no presente e no futuro, que é como vale a pena viver.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 59.10-17 e 2Samuel 21 a 22
“Porém eu cantarei a respeito do teu poder; de manhã louvarei bem
alto o teu amor, pois tu tens sido uma fortaleza para mim, um refúgio
nos meus dias de aflição”. (Salmo 59.16)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 135 29/09/2015 18:06:01


Reconhecer suas imperfeições não significa

MAIO
4 que você fracassou; é admitir que você é humano.
Gary Chapman

O que fazemos com


as nossas fraquezas
Temos forças e fraquezas. O que fazemos com as nossas fraquezas?
O que fazemos delas depende das vitórias que nós queremos alcan-
çar. O que fazemos com as nossas fraquezas, nossas debilidades,
nossas limitações, nossas dificuldades?
1. Podemos estar enganados com relação às nossas fraquezas.
Até pode ser que o que nos pareça fraqueza seja uma força. Por
exemplo, somos muito cautelosos para tomar decisões e por ve-
zes achamos que essa nossa cautela é fraqueza, mas ela pode ser
força, que nos leva a tomar decisões acertadas.
2. Devemos considerar que as nossas reais fraquezas não são defi-
nitivas. Nós precisamos fazer os nossos próprios caminhos, não
os caminhos de nossas debilidades. Podemos, por exemplo, dei-
xar de ser ranzinzas, reclamando de tudo, enxergando as coisas
negativas em tudo, sem perceber coisas boas. Se hoje somos vai-
dosos, amanhã não precisamos continuar sendo vaidosos.
3. Uma boa atitude é fixar os nossos olhos em nossas forças, forças
que nos impulsionam para fazer aquilo que nós podemos fazer.
4. Uma boa maneira, ainda, é tirar proveito de nossas fraquezas,
sejam elas físicas ou emocionais. Vamos tirar proveito delas,
quem sabe vamos rir delas. Vamos ridicularizar a nós mesmos,
colocando as nossas debilidades como um motivo de riso, para
que elas não façam parte efetivamente de nossas vidas.
5. Podemos também, trabalhar mais em equipe, não nos achando
aqueles que fazem sozinhos, mas aqueles que fazemos uns com
os outros.
6. Precisamos sempre aprender a depender de Deus, menos de nós
mesmos e mais daquele que é o Senhor todo poderoso de nossas
vidas.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 60 1-4 e 2Samuel 23 a 24
“Salva-nos com o teu poder; responde à nossa oração para que o povo
que tu amas seja salvo”. (Salmo 60.5)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 136 29/09/2015 18:06:01


Ser feliz é servir, cuidar ou viver para o próximo.

MAIO
5 Fernanda Defáveri Alcântara

A felicidade existe (5/12)


A felicidade é um conhecimento. O conhecimento nos descortina
os horizontes da razão, nos faz viajar pelos meandros das emoções,
nos permite entender o mundo que nos cabe transformar e nos
ajuda a compreender as pessoas em suas intensas complexidades.
Bem-vindo o conhecimento, que vem pela leitura, pelo estudo,
pela pesquisa, pela viagem, pela interação, pela experiência! Bem-
vindo o conhecimento que nos revela o sentido da vida, que é “acudir
o necessitado” (Salmo 41.1). Esta é a descoberta que nos faz felizes.
Não é gastar até a exaustão o nosso corpo. A diversão é bem-vin-
da, mas ela se esgota na própria festa. Não é consumir sem pensar
no limite. A liberdade de poder comprar é bem-vinda, mas sua força
se esvai quando percebemos que continuamos como estávamos an-
tes de fazer a aquisição. Não é amar e ser amado. O amor é uma bela
busca, é um sublime sentimento, é um líquido que faz a nossa histó-
ria pessoal desabrochar. Amar e ser amado pode conhecer os sabo-
res amargos da deserção. Ser feliz é amar quem não nos ama, logo,
é amar sem a angústia da espera da reciprocidade. Ser feliz é amar
quem não nos conhece, o que jamais gere um “muito obrigado”.
Não nos faltam necessitados que esperam por anjos, anjos que
os chamem para suas cabanas, que lhes dirijam palavras de vida
nas horas devidas, que lhes olhem como iguais e queridos, que en-
cham os seus pratos despidos, que toquem os seus corpos carcomi-
dos, que se entristeçam com suas histórias perdidas.
Quando, apenas por amor — não para sermos reconhecidos, não
para mostrarmos uma suposta superioridade por causa do gesto es-
tendido, não para subirmos degraus para o palco do imaginário prê-
mio a ser recebido —, acudimos os necessitados, descobrimos que
o amor que nada espera é dádiva que Deus mesmo nos oferece para
restaurar nossas próprias asas quebradas. [CONTINUA em 6/6]
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 60.5-12 e 1Crônicas 22 a 25
“Com Deus do nosso lado, venceremos; ele derrotará os nossos inimi-
gos”. (Salmo 60.12)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 137 29/09/2015 18:06:01


Os melhores carecem de qualquer convicção, enquanto

MAIO
6 os piores se encontram cheios de intensa paixão.
W.B. Yeats

Diante do mal (1/2)


O mal existe. O mal existe sob diferentes formas, como a doença e
a morte, a corrupção e a injustiça, o incidente e o acidente, a traição
e a decepção.
O mal existe sob diferentes disfarces, como o elogio interessado,
a diversão destrutiva, o culto mercantilizado e o egoísmo inadmi-
tido. O mal existe por causa do pecado, embora nem todo mal seja
consequência direta do pecado.
O mal é provocado por causas naturais (geralmente associadas
com fatores sociais, como as “tragédias da natureza”) e humanas
(tanto individuais quanto coletivas). O mal alcançou sua realização
mais trágica na crucificação de Jesus Cristo.
O mal parece onipresente, por sua propaganda vigorosa, e oni-
potente, pelo seu poder de destruição. Ele não é onipresente por-
que não está onde Deus está. Ele não é onipotente porque só age
quando é permitido.
Nem sempre evitamos o mal, por causa de suas causas (naturais
ou sociais), mas devemos procurar passar ao largo dele, no que de-
pender de nós. O mal existe, mas devemos apostar no bem.
Apostar no bem é falar do bem, pensar no bem, imaginar como
podemos fazer o bem.
Certa vez um jovem se aproximou de um teólogo, que fazia con-
ferências em seu país, e pediu:
— Dr. Barth, fale-nos sobre o mal.
Karl Barth respondeu:
— Para que, se ainda não esgotamos o tema do bem. Vamos falar
da bondade de Deus.
O mal não pode ocupar o centro de nossas atenções. Quando
apostamos no bem, fazemos como Deus faz. [CONTINUA amanhã]
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 61 e 1Crônicas 26 a 27
“Ó Deus, ouve o meu grito de angústia! Escuta a minha oração. No
meu desespero, longe do meu lar, eu te chamo pedindo ajuda. Põe-me
em segurança numa rocha bem alta”. (Salmo 61.1-2)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 138 29/09/2015 18:06:01


A melhor academia são os joelhos de uma mãe.

MAIO
7 James R. Lowell

Diante do mal (2/2)


O mal existe. O mal assume várias faces para nos afligir. O mal é
real, embora nem sempre seja visível.
Quando representamos o mal, somos cuidadosos e, então, nós o
representamos de uma forma a provocar repulsa.
Esta prática, que tem uma dimensão didática, não nos deve con-
fundir. Muitas vezes, o mal não tem cara de mal.
Se uma pessoa má parecesse má, nunca chegaríamos perto dela.
A sedução é sedução precisamente porque não parece ser uma se-
dução. Por isto, ela nos atrai.
Além disso, o mal está em todos os lugares. Está no governo, está
na empresa, está na família, está na igreja.
Quando o mal predomina no governo, com políticas que empo-
brecem os pobres, com corrupção que beneficia as elites, gritamos
e com razão. Quando o mal faz carreira na empresa em que tra-
balhamos, com promoções arrancadas na bajulação e com salários
indignos, gritamos e com razão. Quando o mal se insinua dentro
da nossa casa, por meio da infidelidade e do desrespeito, gritamos
e com razão.
Além de gritar contra o mal fora de nós, também devemos man-
ter sempre diante de nós a percepção triste que o mal existe dentro
dos nossos corações e estará onde estivermos.
Devemos fazer perguntas sobre o mal, mas devemos tomar cui-
dado para não gastarmos tempo e energia de mais com as discus-
sões. Explicar o mal não o elimina. Em toda a hora, devemos estar
cientes que o mal nasce no coração, por vezes dentro de nós. Por
isto, precisamos orar para que Deus nos dê um coração em que o
mal não predomine. Por isto, admitirmos que o mal existe, fora e
dentro de nós, precisamos pedir, todos os dias, a Deus que nos livre
do mal. Jesus nos ensinou a orar assim.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 62.1-6 e 1Crônicas 28 a 29
“Somente em Deus eu encontro paz; é dele que vem a minha salvação”.
(Salmo 62.1)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 139 29/09/2015 18:06:01


Ser feliz é ter gerado outra vida

MAIO
8 e ver nesta nova vida a graça de Deus.
Soraia Valarka

Felizes os filhos
cujas mães cantam
(Dia das Mães)
Ela vivia cantando.
Ela cantava enquanto costurava.
Ela cantava enquanto arrumava a casa.
Ela cantava enquanto lavava ao tanque.
Ela cantava enquanto preparava a comida.
Ela cantava enquanto esperava a chegada dos filhos.
Ela continuou o cantar quando o canário da casa ficou ferido
num acidente doméstico e parou de cantar. Desaprendeu. Depois
de um tempo, de tanto ouvi-la, reaprendeu.
Ele parou de cantar outra vez. Foi quando ela ficou seriamente
doente. Desde o momento em que a ambulância parou à porta para
levá-la, o pássaro parou de piar. Quando, dias depois, o veículo re-
tornou para trazê-la, restaurada, o canário voltou a encantar a casa.
Como todas as pessoas, ela passou por problemas, principal-
mente a perda precoce do marido, que deixou pequenos os filhos,
que, pelo resto de suas vidas, vão se lembrar dela como uma mu-
lher que cantava.
A mãe que cantava não cantava para os filhos, mas os filhos vão
se lembrar dos cânticos dela. A mãe que cantava enquanto traba-
lhava para sustentar os meninos também lhes legou o valor do tra-
balho, herança que vai atravessar gerações. A mãe que cantava e
orava, assentada e de joelhos, partiu, mas seus filhos e netos vão
sempre honrá-la como uma mulher que orava por eles.
Felizes as pessoas que podem ser lembradas assim.
Para ler HOJE na Bíblia:
Salmo 62.7-12 e 1Reis 1 a 2 e 2Crônicas 1
“Não confiem na violência, nem esperem ganhar alguma coisa com
o roubo. Ainda que as suas riquezas aumentem, não confiem nelas”.
(Salmo 62.10)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 140 29/09/2015 18:06:01


A mudança demanda uma nova aprendizagem.

MAIO
9 Rosabeth Moss Kanter

Marchemos
Nós gostamos de coisas que nos aconteçam num piscar de olhos.
Apreciamos surpresas, desde que sejam agradáveis.
Talvez por isto ainda nos encantemos com os mágicos, que fa-
zem ilusões diante dos nossos olhos. Até pensamos:
— Ah, se na nossa vida fosse assim, com coisas boas ocorrendo
num passe de mágico.
O problema é quando queremos que aconteçam mágicas dentro
nós, dos nossos olhos para dentro. O passo da mágica não existe.
Por não vigiar, vamos deixando que os traumas nos firam e es-
culpam suas direções em nossas vidas. Quando os descobrimos,
achamos que podemos nos livrar deles no momento seguinte.
Seduzidos, vamos nos viciando, seja na droga de um produto
químico ou na da mentira. Felizmente descobrimos o poder des-
truidor dos vícios. A descoberta nos leva a achar que amanhã esta-
remos limpos definitivamente.
Por gostarmos, vamos nos moldando por hábitos ruins, que nos
levam a comportamento que, felizmente, decidimos que não serão
mais os nossos. Então, achamos que esses hábitos nocivos não nos
habitarão desde já.
Não mudamos nossa vida porque lemos um livro ou escutamos
um recado, por mais claro e contundente que seja. A função da lei-
tura ou da audição é gerar em nós uma desejo.
O que vem depois é uma caminhada, cuja duração depende de
cada um e cujo ritmo é peculiar a cada um.
Em todas as situações, o importante é que nos ponhamos a ca-
minho. Como disse Moisés ao povo sob sua liderança, o importan-
te é que marchemos rumo ao alvo que queremos, seja em linha reta
ou seja em círculos. Marchemos.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 63.1-4 e 1Reis 3 a 4
“O teu amor é melhor do que a própria vida, e por isso eu te louvarei”.
(Salmo 63.3)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 141 29/09/2015 18:06:01


Cada um de nós pode, com nossos humildes

MAIO
10 esforços, fazer uma bela e notável contribuição
para a nossa geração.
W. Phillip Keller

Somos o que lemos


Você é o que você recebeu, como herança, tanto a biológica como
a aprendida.
Você é o que você ouve. Você é o que você come. Você é o que você
lê. Nós somos o que lemos.
Tendemos a achar que somos livres, mas já nascemos com algu-
mas predisposições. Com as nossas predisposições, começamos a
interagir, mesmo que nada saibamos sobre nossas predisposições e
pouco conheçamos o nosso meio, seja ele familiar ou extrafamiliar.
É parte de nosso processo de aprendizagem a leitura. Quem sabe
ler lê, mesmo que pouco. Alguns só leram os livros a que foram obri-
gados. Mesmo quem lê pouco lê as capas dos jornais nas bancas ou
as revistas nas salas de espera. Mesmo quem lê pouco e tem acesso
à rede mundial de computadores procura informações no seu.
E o que lemos nos influencia. O que lemos não nos determina,
se somos críticos, mas nos ajuda a entender as coisas. O que lemos
dos OUTROS vai formando o NOSSO pensamento. Nós somos o
que lemos.
Precisamos avaliar seriamente o que temos lido.
Precisamos avaliar seriamente nossos hábitos de leitura. Quan-
tos livros já lemos este ano? Quantos ainda leremos este ano?
Precisamos avaliar seriamente o conteúdo de nossa leitura. Não
temos necessariamente que ler o que todo mundo está lendo, a me-
nos que seja livro bom.
O livro não morreu, embora esteja em mudança o formato e,
logo o jeito de ler. Ler continua fundamental.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 63.5-11 e 1Reis 5 a 7
“Senhor, a tua mão direita me segura bem firme, e eu me apego a ti”.
(Salmo 63.8)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 142 29/09/2015 18:06:02


A igreja mantém sua verdadeira identidade

MAIO
11 quando ela existe para a humanidade.
Dietrich Bonhoeffer

Somos o que comemos


Você é o que você recebeu, como herança, tanto a biológica como
a aprendida.
Você é o que você ouve. Você é o que você come. Você é o que você
lê. Nós somos o que comemos.
Prestemos atenção aos nossos hábitos quanto ao alimento.
Se, por exemplo, voamos da cama e pomos o pé na rua apenas
com um achocolatado na mão, passaremos o dia subnutridos, com
pouca energia para produzir, embora o corpo talvez não fale.
Se nos enchemos de comidas gordurosas, elas vão entupir os ca-
nais internos que irrigam a vida de um lado para o outro e teremos
menos vida, mesmo que não vejamos se formando a cadeia inevitá-
vel da causa e da consequência. Se não nos alimentamos várias ve-
zes ao dia, mas poucas e muito, o corpo vai buscar nutriente onde
houve algum, sobrecarregando o sistema.
Se comemos muito, nosso estômago vai sendo esculpindo a partir
da quantidade ingerida e tomando a forma que queremos lhe dar.
Podemos mudar nossos hábitos alimentares, para comer me-
lhor, sem perda de prazer. Fomos educados a comer muito. Fomos
cobrados, desde crianças, a ficar gordinhos, como evidência de saú-
de. Podemos nos livrar destas heranças ignorantes.
Precisamos avaliar seriamente o que temos comido. Para ter pra-
zer em comer, não precisamos comer mal.
Assim, quanto a ler, ouvir e comer, pensamos no curto prazo,
mas nossas práticas de leitura, audição e alimentação devem ser
avaliadas nos seus longos efeitos. Nossa vida é um somatório de fa-
tores. Mesmo que não vejamos um fator em ação, ele está em curso
e deixará suas consequências, mesmo que não as percebamos.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 64 e 1Reis 8 a 9
“A alegria daqueles que obedecem ao SENHOR Deus vem dele; é no
SENHOR que eles encontram segurança. Todos eles lhe darão gló-
ria”. (Salmo 64.10)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 143 29/09/2015 18:06:02


Tolo é aquele que afundou seu navio

MAIO
12 duas vezes e ainda culpa o mar.
Publilus Syrus

Se erramos de novo
Quando um amigo ou um líder cai, cometendo um pecado que es-
candaliza a muitas pessoas, dizemos para nós mesmos que nunca
erraremos desse jeito.
Nosso desejo é verdadeiro, mas não há garantia que seremos
fieis ao nosso desejo.
Por isto, quando pecamos, nós nos sentimos derrotados.
Temos razão de nos sentirmos derrotados. Em muitas situações,
sabíamos como terminaria a história, mas não paramos com as
nossas atitudes.
É muito ruim nos sentirmos assim.
Precisamos ser realistas em relação a nós mesmos. O apóstolo
Paulo deu um suspiro para dizer que era um pecador miserável.
Na verdade, precisamos ser pessimistas em relação a nós mesmos.
Precisamos pedir a Deus que nos sonde e nos toque, para nos des-
pertar ou mesmo para nos lançar para fora do caminho ruim. Nem
sempre percebemos o precípicio que nos espera, mesmo tão perto.
Precisamos confiar na graça. Esta é a parte boa. É bom saber que
Deus nos perdoa, até nestes casos.
Em nossos relacionamentos, quando advertimos uma pessoa
sobre o seu erro e ela continua no seu caminho, muitas vezes lhe
dizemos:
— Eu não lhe falei?
Deus age diferente. Ele nos perdoa. Ele nos perdoa completa-
mente. Ele só quer de nós que confessemos e nos disponhamos a
não pecar mais.
Assim mesmo, se errarmos de novo, Ele nos perdoa.
Para ler HOJE na Bíblia:
Salmo 65.1-5 e 1Reis 10 e 11 e 2Crônicas 9
“Tu nos respondes com temíveis feitos de justiça, ó Deus, nosso Salva-
dor, esperança de todos os confins da terra e dos mais distantes mares”.
(Salmo 65.5)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 144 29/09/2015 18:06:02


A verdadeira realização somente existe

MAIO
13 quando nossa confiança vem de Deus e
o nosso lucro vem de uma vida de integridade.
Pam Farrel

Sobre a derrota
Ao longo da vida, vamos colecionando vitórias e derrotas. As vi-
tórias celebramos, no que fazemos bem, mas deveríamos meditar
também nelas. Já que sabemos que as vitórias de hoje não garan-
tem as de amanhã, precisamos vencer e nos preparar para vencer
de novo. Se as vitórias nos animam, as derrotam nos deprimem.
E ficaremos apenas deprimidos, se não refletirmos sobre elas.
Uma derrota pode ser uma curva na estrada ou pode ser o seu fim.
Derrotados, precisamos assumir as nossas responsabilidades, mas
só as que nos pertencem, e sem culpar os outros que não podem
ser trazidos para o palco da história porque não participaram dela.
Derrotados, precisamos organizar nossas emoções, para que, equi-
libradas, nos deem forças para a vida que se descortina daqui para
a frente. Derrotados, precisamos fazer uma autoavaliação moral de
nossas atitudes. Não terão, por exemplo, as vitórias anteriores nos
catapultado para o planeta do orgulho, de onde só vem a queda?
Quem nos derrotou: o excesso de confiança ou o medo?
Derrotados, precisamos fazer uma avaliação intelectual em tor-
no do modo como lutamos: estudamos bem a adversidade para
vencê-la, levando-a a sério ou tratando dela com displicência?
Derrotados, precisamos saber que a derrota é o que ela é: uma
derrota. Se tudo correr bem, esta não foi a última.
A humildade, que começa com o reconhecimento dos erros na
derrota, nos capacita para o retorno do triunfo. Afinal, como diz
uma antiga canção,
“Não é dos fortes a vitória nem dos que correm melhor!
Mas dos fiéis e sinceros, como nos diz o Senhor!”
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 65.6-8 e 1Reis 12 a 14
“Por causa das grandes coisas que tens feito, o mundo todo está cheio
de espanto. Por causa das maravilhas que tens feito há gritos de ale-
gria de um lado da terra ao outro”. (Salmo 65.8)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 145 29/09/2015 18:06:02


O amor é o emblema da eternidade;

MAIO
14 ele confunde a noção de tempo e apaga toda
a lembrança de um começo e todo medo de um fim.
Germaine de Stael

A rejeição mata
Somos pessoas muito sensíveis.
Por isto, as palavras que nos dizem ou dizem sobre nós, desde
o berço (e talvez deste o ventre materno), são essenciais. Elas nos
fazem nos sentir pertencentes ou estranhos. Elas nos acolhem ou
nos repudiam. Eis como nos sentimos.
Um menino que ouve do seu pai ou da sua mãe que não vai dar
certo na vida lutará a vida inteira para dar certo e talvez dê errado,
a menos que se trate.
Uma menina que escuta que sua chegada ao mundo transtornou
a vida dos seus pais carregará uma culpa que não tem pelo resto da
vida, a menos que seja curada.
Uma criança entregue para adoção precisará de afeto redobrado
da mãe ou do pai do coração para se sentir realmente amada.
Uma pessoa recém-chegada a um novo grupo precisará ser rece-
bida com carinho para se sentir pertencente a ele.
Uma palavra negativa, um gesto de indiferença, um olhar de
reprovação, um golpe no corpo são formas de rejeição capazes de
matar o outro, no sentido que o impede de viver de fato.
Precisamos cuidar de nossas atitudes, para que não sejam assas-
sinas. Quando a percepção de que somos rejeitados nos alcança,
precisamos reconhecer que as pessoas são capazes de nos rejeitar,
sem que nada tenhamos feito.
Precisamos parar de depender da aprovação dos outros, que nos
julgam pela forma que falamos, andamos ou nos vestimos.
Precisar corajosamente confiar que Deus nos ama e nos aprova.
EM TEMPO: Precisamos também refletir sobre se não fizemos o
mesmo com os outros, rejeitando-os.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 65.9-13 e 1Reis 15 a 17
“Cuidas da terra e a regas; fartamente a enriqueces. Os riachos de
Deus transbordam para que nunca falte o trigo, pois assim ordenaste”.
(Salmo 65.9)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 146 29/09/2015 18:06:02


Deus planejou a família para ser um jardim

MAIO
15 espiritual onde crescem flores para hoje
e sementes para amanhã.
Dennis e Barbara Rainey

Vivam as diferenças!
(Dia Mundial das Famílias)
A vida familiar é quando todos se esforçam para torná-la saudável.
No entanto, quando os corações que a integram, por falta do amor
de Deus, colocam a satisfação dos seus desejos como os fins supre-
mos das suas vidas, o resultado é a fragilização do vínculo familiar.
A razão é simples: nossos desejos, como aprendemos na Bíblia, es-
tão contaminados com o pecado.”O coração é mais enganoso que
qualquer outra coisa e sua doença é incurável” (Jeremias 17.9).
Quando o coração, isto é, os desejos que dele nascem, se constitui
no fundamento da casa, cada um só vê o seu bem-estar, os seus
projetos, os seus sonhos. As prioridades na família não são as mes-
mas, quando as há. O egoísmo mata o amor; o egoísmo inviabiliza
o convívio. O egoísta só olha numa direção: para si mesmo. O ego-
ísta não se relaciona: ele usa os outros. O egoísta ama apenas a si
mesmo. O egoísta não vive realmente em família. Quando os de-
sejos pessoais prevalecem, os familiares não conseguem conviver
com as suas diferenças. Elas passam a ser vistas como impeditivas
ao relacionamento, quando devem ser vistas como desafios, jamais
como impedimento.
Reconhecer, valorizar e cultivar as diferenças são os verbos que
permitem a boa vida familiar.
Não faltam diferenças, de gostos, de hábitos, de estilos, de tem-
peramentos. Uns gostam de música clássica, outros de reggae. Uns
se deliciam às noites, outros preferem as luzes do sol. Uns vão di-
reto ao ponto, outros fazem circunlóquios. Uns são calados, outros
são falantes. Essas diferenças não são para estilhaçar os relaciona-
mentos mas para fortalecê-los.
Vamos valorizar e cultivar as diferenças em casa?
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 66.1-15 e 1Reis 18 a 19
“Como é grande a colheita que vem da tua bondade! Por onde passas,
há fartura”. (Salmo 65.11)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 147 29/09/2015 18:06:02


A dor é como uma dessas varetas de ferro

MAIO
16 que os escultores enfiam no meio do barro;
ela sustém, é uma força!
Honoré de Balzac

O que fazemos
com as nossas forças
Com nossas forças e fraquezas nós realizamos o que nós realiza-
mos ou deixamos de realizar o que deveríamos.
O que fazer, então, com as nossas forças? Às vezes, podemos
estar enganados e aquilo que nos parece ser uma força pode ser
uma fraqueza. Por exemplo, alguém pode achar que é uma força ser
rápido na tomada de decisões, não ser indeciso, ser firme. Mas em
alguns momentos essa força pode ser uma fraqueza.
Não podemos esquecer que as nossas forças não podem ser usa-
das para oprimir as outras pessoas, para ferir as outras pessoas.
Por exemplo, estudamos muito, alcançamos graus elevados na car-
reira acadêmica, lemos muito. Não podemos usar o nosso conhe-
cimento para humilhar as outras pessoas, mas, antes, para tornar
melhores as outras pessoas também.
Devemos, portanto, colocar as nossas forças a serviço das vitó-
rias que queremos alcançar; são para isto que elas existem. Pode-
ríamos até dizer que, para tal, nos foram dadas por Deus. Logo,
devemos usar as nossas forças com o sentimento de gratidão a
Deus, que no-las deu.
Se nós queremos realmente vencer, com as forças que temos,
precisamos de disposição para usar.
Nossas forças, para funcionarem, precisam da força da disposição
e sobretudo força da disciplina. Precisamos nos disciplinar, nos or-
ganizar ou mesmo reorganizar as nossas vidas, para que as nossas
forças sejam bem usadas e redundem nas vitórias que queremos.
Sim, nós temos forças, forças para realizar, forças para vencer,
forças para triunfar. Usemos bem as nossas forças no dia de hoje.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 66.16-20 e 1Reis 20 a 22
“Eu louvo a Deus porque ele não deixou de ouvir a minha oração e nun-
ca me negou o seu amor”. (Salmo 66.20)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 148 29/09/2015 18:06:02


Junto com o amor, o equilíbrio

MAIO
17 é a coisa mais importante.
John Wooden

Em dia com as
oportunidades
Em meio às nossas forças e fraquezas, nós nos encontramos com
oportunidades, que nos fazem ir além de nossas fraquezas e pôr
em destaque as nossas forças.
É uma boa oportunidade a herança que recebemos, seja uma for-
mação emocional, moral e espiritual sólida, seja uma empresa para
tocar, uma ideia para viver. Devemos ver como oportunidades as
mãos que nos mostram a avenida depois do beco ou os livros que
nos abrem horizontes que antes não vislumbrávamos.
Oportunidades são ideias que ninguém teve antes de nós e com
as quais podemos compor músicas ou abrir negócios.
As oportunidades podem ser grandes, mas começam pequenas,
razão pela qual algumas pessoas param no tempo porque não ima-
ginam o tempo adiante. As oportunidades podem ser até eventos
que nos expulsam da bolsa da sombra da tranquilidade e nos fazem
colocar a mochila às costas e partir, rumo, por vezes, ao desconheci-
do, como aconteceu com Abraão quando era Abrão e morava em Ur.
Oportunidades são desejos de mudar o mundo. Se recebemos
oportunidades, devemos torná-las nossas e agradecer, vibrando com
os olhos. Se criamos oportunidades, devemos nos colocar em ação
com corações agradecidos a Deus, que é um sentimento próprio dos
que confiam. Com as oportunidades nas mãos, devemos organizar
nossas vidas para não desistir, até realizá-las, uma a uma.
Só assim transformaremos as oportunidades em realizações, mui-
to além dos desejos, em que muitos podemos ficar. Com todas as le-
tras digamos: quem tem uma oportunidade e não a realiza fracassou.
Diferentemente, quando vencemos, realizando as oportunida-
des, devemos mirar novas oportunidades. Elas fazem nossas vidas
vibrar e brilhar.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 67; 2Reis 1 a 3 e Obadias 1
“Que Deus tenha misericórdia de nós e nos abençoe, e faça resplande-
cer o seu rosto sobre nós”. (Salmo 67.1)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 149 29/09/2015 18:06:02


A violência movimenta-se apenas

MAIO
18 na direção de criar mais violência.
Margaret J. Wheatley

Deus, nosso
modelo de justiça
Entre as virtudes de Deus está a justiça.
Ele trata a todos igualmente. Não aceita propina para dar razão
ao culpado. Ele se põe ao lado dos mais fracos.
No Antigo Testamento, os fracos eram sobretudo os órfãos, as
viúvas e os estrangeiros. Nos nossos dias, ainda vemos crianças
dormindo nas ruas das cidades médias e grandes. Nos grandes cen-
tros, migrantes vindos de cidades ou países mais pobres ainda são
submetidos a trabalhos semelhantes à escravidão.
Pela Bíblia toda ressoa o louvor a Deus como sendo o Senhor
da justiça. Mais ainda, pela Bíblia toda somos convidados a amar
os órfãos, as viúvas e os estrangeiros. Deus ama a essas pessoas.
Quando as amamos também, nós refletimos o amor de Deus.
Quando lemos a Bíblia toda, vemos que o amor de Deus é sempre
concreto, nunca apenas de palavras. É assim que devemos amar.
Deus é o Deus da justiça. Para os órfãos, Ele é um pai. Para as
viúvas, Ele é um advogado.
A injustiça no mundo é um desafio à bondade de Deus.
Deus é o Deus da solidariedade. Para os solitários, Ele providen-
cia uma família. Para os presos arrependidos, Ele indica um cami-
nho de vida. A solidão dos seus filhos é um desafio à bondade de
Deus. Aqueles que têm experimentado estas verdades, temos o de-
safio de sermos corpos de Deus para que a sua bondade saia do céu
e se espalhe pela terra.
Ao narrar sua história de conversão, uma senhora deu o seguinte
testemunho: — Aqui eu encontrei uma família.
Ela se referia a uma igreja. Toda igreja deve ser assim.
Toda família deve ser assim.

Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 68.1-5 e 2Reis 4 a 8


“Pai para os órfãos e defensor das viúvas é Deus em sua santa habita-
ção”. (Salmo 68.5)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 150 29/09/2015 18:06:02


As misericórdias divinas de hoje são para os

MAIO
19 problemas de hoje. As misericórdias de amanhã
serão para os problemas de amanhã.
Ray Pritchard

O impossível não existe


O impossível existe para o homem, porque o homem é limitado. O
impossível existe para o homem, porque o homem confia pouco em
Deus. O impossível existe para o homem, porque o homem não en-
trega completamente seus problemas a Deus. O impossível existe
para o homem, porque o homem foi contaminado com a enfermi-
dade do pessimismo. O impossível existe para o homem, porque
o homem não consegue ver depois da curva ou do outro lado da
montanha ou abaixo da superfície das águas. O impossível existe
para o homem, porque o homem não lê a Bíblia. O impossível exis-
te para o homem, porque o homem apaga suas próprias lembran-
ças. O impossível existe para o homem, porque o homem ora muito
pouco. O impossível existe para o homem, porque o homem está
submetido às leis da natureza.
Para o homem, o impossível existe; para Deus, não. O impossível
não existe para Deus, porque Deus não está submetido às leis que
Ele criou e sobre as quais é soberano. O impossível não existe para
Deus, porque Deus não muda, mas Ele muda as coisas. O impossível
não existe para Deus, porque Deus vê todas as coisas, estejam no pre-
sente ou no futuro. O impossível não existe para Deus, porque Deus
sempre aposta no ser humano. O impossível não existe para Deus,
porque Deus tem todo o poder possível. O impossível não existe para
Deus, porque Deus ama de modo absoluto. Para Deus, o impossível
não existe; para o homem, sim. Apesar disto, acontece-nos também
termos medo de pedir algo a Deus por parecer difícil demais?
Embora Ele já tenha feito o impossível em nosso favor, facil-
mente nos esquecemos e ficamos paralisados diante destas coisas
impossíveis. Quando Deus está conosco, todas as coisas são possí-
veis, se concordarem com o propósito do Senhor da história.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 68.6-11 e 2Reis 9 a 10
“Deus dá um lar aos solitários, liberta os presos para a prosperidade,
mas os rebeldes vivem em terra árida”. (Salmo 68.6)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 151 29/09/2015 18:06:02


O sucesso é aceitarmos o objetivo de Deus

MAIO
20 para nossas vidas e, por sua graça, nos
tornarmos o que Ele nos chamou para ser.
Neil Anderson

Para ser grande


Ninguém começa grande.
Lembremos uma história de três milênios: quando os recons-
trutores do templo em Jerusalém começaram, era um tempo de
humildes começos, com poucos recursos financeiros e poucos re-
cursos humanos.
Depois, o que se viu foi um templo majestoso. No entanto, eles
precisaram começar pequenos.
Todos precisamos começar pequenos para realizar grandes obras.
Podem ser coisas pessoais ou profissionais.
Uma pessoa precisa perder 15 quilos. Ela começa perdendo gramas.
Uma pessoa precisa apresentar uma tese de 200 páginas. Ela
precisa começar com a primeira frase.
Uma pessoa precisa abandonar um vício. Ela precisa começar.
Erramos, quando queremos começar por cima. Devemos ser hu-
mildes para começar humildemente e crescer. Tudo o que é grande
hoje foi pequeno um dia.
Uma pessoa precisa construir uma casa. Ele precisa começar pla-
nejando e depois ir colocando cada parte, que se junta a outras e
formam a sonhada casa.
Uma organização com cem filiais começou com a sede, depois
abriu uma filial e depois outras, uma a uma.
Todos precisamos saber que as verdadeiras conquistas começam
pequenas. Pode ser que, vendo os nossos humildes começos, al-
guns duvidem, até nos mesmos duvidamos. Quem viver verá que
os pequenos começos viraram grandes realizações.
Todos começamos pequenos, mas nem todos realizamos.
Todos começamos pequenos e realizaremos se chamarmos Deus
para liderar a nossa obra.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 68.12-19 e 2Reis 13 a 14
“Bendito seja o Senhor, Deus, nosso Salvador, que cada dia suporta as
nossas cargas”. (Salmo 68.19)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 152 29/09/2015 18:06:02


Muitas pessoas têm uma ideia errada

MAIO
21 do que seja a verdadeira felicidade. Ela não é
alcançada através da autogratificação mas
através da fidelidade a um propósito digno.
Helen Adams Keller

O apito do juiz
A tecnologia nos distrai, como se ela estivesse construindo uma
nova terra, em que tudo funcione perfeitamente.
O dinheiro nos entusiasma, como se pudéssemos comprar com
ele o sentido da vida.
O poder nos seduz, como se, com ele, pudéssemos fazer tudo o
que devemos.
A tecnologia de ponta hoje será sucata amanhã.
O dinheiro volumoso hoje pode virar notas sem valor amanhã.
A fama brilha hoje mas amanhã pode estar encoberta pelo pó
num túmulo.
Quem tem poder hoje pode ser substituído amanhã.
O único que subsiste, e para sempre, é o nosso Deus.
Nossas vidas podem estar arrasadas hoje como Jerusalém ao
tempo do profeta Zacarias, mas Deus as reconstruirá.
Quando Ele apitar o final de uma vida, vai começar uma nova.
Quando deixar o campo, chamará os que creem nele para uma vida
feliz junto com Ele. Iremos?
Esta é a resposta que cada um precisa dar para si mesmo.
Jesus Cristo veio para nos mostrar o caminho para uma vida
feliz aqui e na eternidade. Ele mesmo abriu o caminho. “Não há
outro meio de ir” — como diz uma antiga canção.
Jesus Cristo já foi na frente preparar nossa casa final e agora
espera por nós. Iremos?
De todas as perguntas, esta é a mais importante.
De todas as certezas, a melhor é ter a certeza que vamos, não por
nossos méritos, mas por causa da graça de Deus, que mantém o
convite enquanto estamos vivos.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 68.20-31 e Jonas 1 a 4
“A favor de vocês, manifeste Deus o seu poder! Mostra, ó Deus, o poder
que já tens operado para conosco”. (Salmo 68.28)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 153 29/09/2015 18:06:02


Gratidão na adversidade é a coroa

MAIO
22 mais bonita e preciosa da alma.
Ludovicus Blosius

Educação emocional (1/2)


“Bendito seja o Senhor!
Dia após dia, Ele nos carrega.
Ele é nosso Salvador, o nosso Deus! Sim, Ele é!
Ele é Deus para nós, é o Deus que nos salva”.
(Salmo 68.19-20)
Deus nos carrega educando nosso caráter, nossa memória, nosso
conhecimento, nossa emoção. Cada um de nós carrega uma his-
tória. Na verdade, cada um de nós é uma história, que começou
muito antes de nós nascermos. Nós temos características bioló-
gicas que denunciam as nossas heranças. Essa história é também
formada de traumas, palavras pesadas, conflitos e histórias tristes.
Imaginemos uma criança que viva todos os seus dias com a culpa
do mal casamento de seus pais ou da separação deles. Como será
uma pessoa equilibrada? Imaginemos aquela criança que ouve de
seu pai, por alguma razão, que ela não dará certo na vida. Como
ela vai dar certo na vida se seu pai já decretou que não iria acertar?
Imaginemos uma criança formada num ambiente de violência físi-
ca e verbal. Como terá uma vida feliz? Precisamos de uma educação
emocional, pela qual Deus nos carrega. Deus nos carrega, oferecen-
do-nos os mais variados recursos. Deus nos ensina que precisamos
primeiramente desejar ser educados emocionalmente por Ele. A
segunda é reconhecer que nos fizeram mal, nos feriram, nos mago-
aram, nos machucaram, nos traumatizaram, nos infelicitaram. Há
um terceiro passo a ser dado: é convidar a Deus para a restauração:
“Senhor, restaura a minha vida. Eu não fui criado como devia, eu
não fui amado como precisava ser amado.”
Não importa a idade que você tenha, você pode começar a viver.
[CONTINUA em 25/5]
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 68.32-35 e Amós 1 a 3
“Como Deus é maravilhoso no seu Templo! O Deus de Israel dá força e
poder ao seu povo. Louvem a Deus”. (Salmo 68.35)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 154 29/09/2015 18:06:02


Não precisamos de mais força ou mais

MAIO
23 habilidades ou melhores oportunidades.
Precisamos usar o que temos.
Basil W. Walsh

Ajustando o relógio
Orar é entregar o nosso problema a Deus. Podemos entregá-lo de
verdade ou podemos fazer de conta que o entregamos.
Quando não entregamos de verdade, controlamos. Fazemos
como aquela pessoa que, tendo uma aplicação financeira, todo dia
confere para ver quanto ganhou. Quando não entregamos, marca-
mos as horas para a resposta, como se entendêssemos melhor de
calendário do que Deus. Quando entregamos, descansamos.
Dizemos a Deus:
— Quando quiseres responder, está ótimo. Tu sabes das coisas.
Orar e entregar é um ato duplo de fé. Por si só, orar demanda
fé. Entregar também demanda fé. Como vamos confiar, se a hora
do vencimento do boleto se aproxima e não temos dinheiro para
quitá-lo? Como vamos confiar, se a hora da programada cirurgia
se aproxima e o risco tem que ser corrido? Como vamos confiar, se
sempre confiamos em nós mesmos e em mais ninguém?
Também nessas horas, temos que orar, dizendo que esperaremos
pelo relógio de Deus.
O profeta Elias conheceu bem este relógio. Numa situação de
grande adversidade, Deus prometeu que mandaria chuva. Elias en-
viou o seu secretário para se aproximar do mar Mediterrâneo e ver
se vinham nuvens. Na segunda vez, não havia qualquer sinal. Na
terceira, uma nesga mínima de nuvem se formava no alto. Elias per-
cebeu que o tempo da resposta de Deus se avizinhava. Para espanto
do secretário, ele o enviou a dizer ao povo que iria chover. Na hora
marcada no calendário de Deus, choveu. Elias confiou no Deus do
calendário, sem se apressar, porque ele confiava.
O relógio de Elias era o relógio da confiança em Deus. A confian-
ça em Deus sincroniza o nosso relógio com o dele.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 69.1-7 e Amós 4 a 6
“Ó SENHOR, Deus Todo-Poderoso, não deixes que aqueles que con-
fiam em ti passem vergonha por causa de mim”. (Salmo 69.6b)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 155 29/09/2015 18:06:02


A dura adversidade é o melhor cadinho

MAIO
24 para testar a integridade de um homem.
William Scott Downey

Contra a solidão
Por vezes, nós, seres humanos, queremos fazer as coisas sozinhos.
Não conseguimos. Precisamos uns dos outros.
Deus, por sua vez, que realmente poderia fazer tudo sozinho,
procura parceiros.
Deus busca homens e mulheres que orem para terem seus pró-
prios corações cheios do próprio Deus, para que desejem o que é
bom, perfeito e agradável. Deus busca homens e mulheres que
anunciem que Ele está pronto a perdoar.
Deus busca homens e mulheres que vivam no compasso da sua
extraordinária graça. Deus busca homens e mulheres que amem a
justiça como Ele ama e se ponham prontos para promover a paz.
Deus busca homens e mulheres que ainda se indignem diante da
desigualdade, que faz tantas vítimas, perto e longe.
Deus procura parceiros.
Se olhar para nós, Deus verá que somos seus parceiros?
Estamos nós empenhados realmente em ser pessoas melhores?
Estamos nós envolvidos na construção de um mundo melhor?
Estamos nós interessados em viver do modo como Deus deseja?
Queremos gastar o dinheiro que ganhamos do modo que Deus
quer?
Queremos olhar para as pessoas do mesmo modo que Deus olha?
Muitas vezes, vamos a Deus não para pedir por outras pessoas,
mas por nós mesmos. Muitas vezes, oramos, não para que Deus
faça a sua vontade, mas execute expressamente a nossa. Muitas ve-
zes, queremos que Deus seja o nosso parceiro, sem que queiramos
ser parceiros dele.
Deus nos chamou para sermos seus colaboradores. Ele quer restau-
rar o mundo e procura por pessoas que queiram trabalhar nesta causa.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 69.8-14 e Amós 7 a 9
“Porém eu, ó SENHOR Deus, faço a minha oração a ti. Ó Deus, respon-
de-me quando achares por bem, pois me amas muito! Salva-me como
prometeste”. (Salmo 69.13)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 156 29/09/2015 18:06:02


Não existe nada mais perigoso

MAIO
25 do que ficar cego pela prosperidade.
João Calvino

Educação emocional (2/2)


Ferido, traumatizado, magoado, desprezado, rejeitado, não impor-
ta o que lhe tenham feito e nem a sua idade, você pode começar a
viver. Deus carrega os fardos que colocaram sobre seus ombros.
Para tanto, Deus coloca a sua Palavra ao nosso serviço. Desenvolva
o hábito de deixar Deus lhe falar, por meio de histórias, salmos, man-
damentos, cartas, como as contidas na Bíblia. Nessas paginas, Ele
nos diz onde quer que chegamos. E então nos poremos a caminho.
Deus coloca também outros meios de graça, para nos curar,
como pessoas ou organizações, para que sejamos restaurados em
nossas emoções.
A restauração emocional é a mais importante das restaurações.
Não pode ser desprezada em nome da privacidade ou eu nome da
fé. Deus nos quer inteiros, não em parte. Ele não quer salvar ape-
nas a nossa alma; Ele quer resgatar a nossa vida.
Se tivermos uma crise financeira mas tivermos uma boa educa-
ção emocional, vamos sair da crise financeira. Mas, se junto com a
crise financeira, temos dificuldades emocionais, vamos nos afun-
dar cada vez mais.
Sua saúde pode ser restaurada.
Peça a Deus: “Senhor, dá-me de novo a alegria da salvação” ou
“Restaura-me a alegria de viver”, e Deus vai providenciar os meios
para a sua restauração.
A forma como Ele vai carregar você pode incluir pessoas, pode in-
cluir até remédios, pode incluir uma psicoterapia, pode incluir a par-
ticipação de um grupo de ajuda. Deus pode enviar várias formas pela
quais você será educado emocionalmente, ter os seus sentimentos
organizados, suas reações equilibrados, seus desejos harmonizados.
Não adie a sua vida para amanhã. Começa a viver hoje. Permita
que Deus eduque as suas emoções.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 69.15-17 e Oseias 1 a 3
“Ó SENHOR Deus, tu és bom e amoroso; responde-me e vem me aju-
dar, pois é grande a tua compaixão”. (Salmo 69.16)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 157 29/09/2015 18:06:03


Precisamos conscientemente refletir sobre

MAIO
26 as alegrias da vida. Talvez possamos tentar
arrolar as bênçãos de cada dia. Devemos começar,
mas nunca vamos terminar. Não há caneta
ou papel suficientes no mundo inteiro.
George A. Buttrick

Receber é uma
forma de agradecer
A família (o casal e seus dois filhos adolescentes) assentou-se à
mesa para receber os convidados. Esperou-os, embora fosse tarde.
Os convidados vinham de longe. Estavam na cidade a trabalho.
Chegaram e pediram os pratos. O casal tirava fotos e elogiava os
convidados recentes cujos nomes eram mencionados com prazer.
No meio do jantar, a menina se vira para um dos convidados e
dispara a seguinte pergunta:
— Quando serão as suas férias? Se forem demorar muito, eu
mesma vou ligar para o seu chefe para lhe dar férias logo, para você
passar uns dias lá em casa.
Diante do espanto do outro convidado, o pai, acompanhado pelos
ouvidos alegres da esposa, foi arrolando os nomes das pessoas que
eram amigas dela. Os olhos da filha brilhavam diante dos nomes.
Naquele mesmo dia, seu pai tinha deixado de lado os compro-
missos da manhã e da tarde para conduzir os amigos pela cidade.
Receber com alegria os convidados era a forma que aquela fa-
mília tinha para agradecer a Deus pelas vida que tinham e pelos
amigos com que podiam desfrutar os presentes de Deus.
O gesto da menina à mesa evidencia que a atmosfera de gratidão
dos pais se tornou o ar que os filhos respiravam.
Cada um de nós, seja filho ou pai ou irmão, pode contribuir para
que o ar respirado em casa seja de gratidão.
Nosso ambiente de trabalho também pode respirar o prazer do
encontro, a cada dia.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 69.18-29 e Oseias 4 a 6
“Eu estou sofrendo, desesperado; ó Deus, levanta-me e salva-me!”.
(Salmo 69.29)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 158 29/09/2015 18:06:03


Pequenas coisas feitas são melhores

MAIO
27 que grandes coisas planejadas.
Peter Marshall

Os realizadores
Quando olhamos para as histórias empreendedoras, escritas al-
gumas por nós mesmos, vemos algumas atitudes comuns, umas
aprendidas de forma inesperada.
Uma história de sucesso começa com o desejo de mudar a própria
história. Um menino pobre de Fortaleza decidiu mudar a sua vida
procurando emprego. Encontrando-o numa loja, precisou, roupa ras-
gada, subir numa árvore para destrançar uns fios. Tendo deixado a
sandália arrebentada sobre um tambor que lhe servia de escada, viu
do alto passar um homem e levar a sua sandália. Naquele momento,
ele decidiu que não iria calçar as sandálias dos outros e seria um em-
preendedor. Anos depois, tornou-se um empresário de livros, com
várias lojas. A primeira dela começou no quarto do filho pequeno.
Uma história de sucesso inclui a observação das coisas que os
outros fazem e como as fazem. Nesse momento nasce o desejo de
fazer igual, ao agregar um elemento que faça diferença no negócio
ou na missão. Quem aprende faz bem. Quem se basta a si mesmo,
apenas se repete e quem se repete fica onde chegou.
Uma história de sucesso se escreve com um sentido de missão. A
certeza da relevância gera perseverança, que enfrenta adversidades,
atravessa rios, supera aflições, sobe montanhas, vira noites, dribla
obstáculos, ignora incompreensões, não teme os cenários som-
brios, para seguir sempre em frente. Há uma missão que precisa
ser cumprida... e será cumprida. Uma história de sucesso é marcada
pela gratidão. Todo sucesso se estabelece sobre vários ombros. O
bom empreendedor é grato a Deus pelos sonhos e pelas orienta-
ções que recebeu. O bom empreendedor sabe que não é uma ilha,
mas um arquipélago. O bom empreendedor não é amargo, embora
firme; pode ser sério, mas não rude; líder, reconhece o esforço da-
queles que construíram com Ele uma história coletiva de sucesso.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 69.30-36 e Oseias 7 a 10
“Louvarei a Deus com uma canção; anunciarei com gratidão a sua
grandeza”. (Salmo 69.30)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 159 29/09/2015 18:06:03


A graça cresce melhor no inverno.

MAIO
28 Samuel Rutherford

Graça é brisa
que vence o vendaval
A graça de Deus nos basta porque é certeza de vida, mesmo que
nossos ossos estejam virando pó. A graça de Deus faz o pó acordar,
se ajuntar e se levantar, trazendo a vida de volta.
A graça de Deus é companhia constante, mesmo naqueles lu-
gares que imaginamos Deus não poderia estar, mas está, em sua
discreta e poderosa majestade. O poder de Deus pode ser ruidoso
como um trovão e suave como um assobio distante.
A graça de Deus é braço que nos aponta feliz um futuro diferente
do presente. Enquanto temos esperança, ficamos firmes. É por isto
que a graça nos põe foco, ao nos dizer que Deus é infinitamente
poderoso para fazer mais do que imaginamos.
A graça de Deus é sopro soprando vida onde a decepção tornou-
se uma caveira que nos contempla. A alegria que se foi pode ser
alegria que volta, porque a graça é Deus sorrindo, embora só te-
nhamos soluços nos lábios.
A graça de Deus é força para nos ajudar a resistir à fraqueza, para
então nos permitir fugir da fraqueza.
A graça de Deus é milagre que nos tira do fundo do poço. Mesmo
que tenham fechado o poço com uma rocha, a graça de Deus man-
da: “Tirem a pedra!”.
A graça de Deus é muro onde podemos nos firmar, na certeza
de que o muro está ali e estará ali, firme sempre, sempre firme. A
graça pode ser a voz de um amigo (“estou aqui”) ou uma melodia do
céu, que encanta nossos ouvidos e nos reanima.
A graça de Deus é palavra de consolo, mesmo que a desolação
pareça o único cenário. A graça é como uma ressurreição. A graça
de Deus é presença em forma de brisa que vence o vendaval.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 70 e Oseias 11 a 14
“Eu sou pobre e necessitado; vem depressa em meu auxílio, ó Deus. Tu
és a minha ajuda e o meu libertador; não te demores em me socorrer, ó
SENHOR Deus!”. ( Salmo 70.5)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 160 29/09/2015 18:06:03


A falsa humildade é puro orgulho.

MAIO
29 Blaise Pascal

O legado dos nossos pais


Nossos pais escreveram suas histórias, das quais somos parte.
Deixaram legados, legados completamente bons, legados par-
cialmente bons, legados muito ruins, legados inexpressivos.
Que faremos com estes legados? Agora é conosco.
Se os legados não foram suficientemente bons, devemos, sem
amargura, reter alguns valores, mínimos que sejam, e seguir nosso
roteiro. Se os legados foram bons, devemos tomar cuidado para
não fazer julgamentos. As nossas épocas são diferentes, com opor-
tunidades diferentes. Se for o caso, devemos nos perguntar se, nas
mesmas condições, faríamos o mesmo ou melhor que eles.
Devemos também honrar a memória dos nossos pais. Nós faze-
mos isto quando continuamos o que eles fizeram. Se escreveram
livros, podemos reeditá-los e divulgá-los. Se deixaram uma organi-
zação, podemos mantê-la, mesmo que adaptando as ações para os
nossos dias. Podemos honrá-los ainda dando seus nomes a proje-
tos que desenvolvemos. A memória está no nome.
Nós honramos nossos pais quando vamos tão longe quanto eles.
Pode ser que a tarefa seja muito difícil, tão longe tenham ido; pode
ser que as oportunidades não sejam as mesmas. Talvez não consi-
gamos ir tão longe, mas devemos ir bem, com intensidade, mesmo
que menos longe.
Podemos desejar ir além dos nossos pais, em muitas áreas ou em
algumas. Não se trata de comparação, mas de inspiração.
É um bom projeto para os filhos estudar mais que seus pais, ter
mais bens que seus pais, doar mais que seus pais. Os filhos devem
desejar (e trabalhar) alargar as fronteiras conquistadas por seus
pais. Este desejo deve se desenvolver no interior de princípios mo-
rais saudáveis.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 71.1-5 e 2Reis 15 a 18
“Ó SENHOR Deus, tu és a minha segurança; nunca deixes que eu sofra
a vergonha da derrota”. (Salmo 71.1)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 161 29/09/2015 18:06:03


Antes que decidíssemos olhar para Deus,

MAIO
30 Deus já estava olhando para nós.
John Stott

“Deus é fiel”
A frase (“Deus é fiel”), retirada da Bíblia, está presente em mui-
tos lugares, sobretudo como dizeres colocados como adesivos nos
móveis e automóveis ou mesmo inscritos nas pedras ao longo das
estradas. Vem da Bíblia, onde lemos:
“Deus é fiel; Ele não permitirá que vocês sejam tentados além do
que podem suportar. Mas, quando forem tentados, Ele mesmo
lhes providenciará um escape, para que o possam suportar” (1
Coríntios 10.13).
Sim, Deus é fiel e esta certeza nos deve animar para a vida. Por
sua fidelidade, Ele mantém “a aliança e a bondade por mil gerações
daqueles que o amam e obedecem aos seus mandamentos” (Deu-
teronômio 7.9).
Devemos nos agarrar a esta certeza.
Com o mesmo vigor, devemos nos empenhar em ser fiéis para
com Deus.
Se é verdade que a fidelidade de Deus é unilateral, o que nos en-
che de alegria, não devemos banalizar esta fidelidade, como se fos-
se uma frase mágica.
A fidelidade de Deus é uma promessa sublime e deve nos servir
como uma bandeira, bandeira que nos indica a nossa identidade
(amados por Deus) e aponta para o cuidado dele para conosco. Ao
mesmo tempo, esta bandeira, sob a qual nos sentimos seguros, nos
deve inspirar a viver de modo digno dela.
Não podemos ser fiéis como Deus é, mas devemos desejar ser
fiéis para com Ele e para com as pessoas com as quais convivemos.
Nossa fidelidade deve refletir a fidelidade de Deus.
Deus é fiel.
“Senhor, ajuda-nos a ser fiéis” — eis como devemos orar.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 71.6-14 e 2Reis 19 a 23
“Toda a minha vida tenho me apoiado em ti; desde o meu nascimento
tu tens me protegido. Eu sempre te louvarei”. (Salmo 71.6)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 162 29/09/2015 18:06:03


Você nunca deixará marcas que duram

MAIO
31 se sempre caminhar na ponta dos pé.
Leymath Gbowee

Mãe honrada
Aconteceu na China do século 21. Uma mulher chegou numa casa
habitada por mulheres, mulheres tiradas das situações de risco,
mulheres que estudavam para servir em suas comunidades.
Então, chegou uma mulher. Estava encurvada pelo sofrimento.
O que viria pedir? Ela não viera pedir nada.
Viera trazer uma oferta. Na verdade, viera trazer tudo o que ti-
nha. Era o dinheiro guardado durante toda a sua vida.
Quando ela soube que havia um lugar em que as mulheres eram
respeitadas, ela decidira entregar seus bens todos para esta casa.
Seus bens todos cabiam numa pequena bolsa de mulher.
Não tinha família, mas tinha um desejo muito grande de fazer
algo bom. Por isto, quis levar todo o seu dinheiro, que não era mui-
to, para doar. Dava para comprar alguns vestidos.
Entregou a sua oferta e estava pronta para partir. O missionário lhe
disse para ficar um pouco mais. Ela ficou. No diante seguinte, também
ficou. Foi continuando. Acabou se tornando conselheira das mulhe-
res mais jovens, que lhe deram o nome de La Oma (mãe honrada).
Para as outras mulheres, La Oma era a mãe que Deus lhes man-
dou para lhes ensinar a ser felizes.
Ela tinha tão pouco, mas lhes deixou tudo o que tinha.
Ela tinha Deus e quem convivia com ela via Deus.
Por vezes, imaginamos que podemos fazer muito se temos mui-
to. Por vezes, imaginamos que podemos receber muito de quem
tem muito. Sabemos que estamos errados, mas persistimos no mo-
delo. Por isto, queremos ter amigos fortes, famosos e poderosos.
Eles nos tiram mais do que dão, na verdade.
Como aquela mãe honrada, que seguiu o exemplo da viúva po-
bre, cuja história está nos evangelhos, podemos fazer muito com o
pouco que temos, se tivermos a mesma disposição.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 71.15-18 e 2Reis 24 a 26
“Anunciarei que tu és fiel; o dia inteiro falarei da tua salvação, embora
não seja capaz de entendê-la”. (Salmo 71.15)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 163 29/09/2015 18:06:03


JUNHO
A coragem do casamento
Das decisões, casar é delas a maior.
Compartilhar todas as noites a mesma cama
na promessa de trocas tecidas de amor
é coragem para quem profundamente ama.

Das decisões, ficar casado é a melhor,


porque é querer para o outro toda a estima,
ver defeitos, mas as virtudes no alto pôr.
É baixar a voz quando tenso está o clima.

O amor é de Deus, como o mais belo poema,


dele e nosso, que juntos criamos com paixão
se o cultivo das diferenças for um lema...
que aqueça a todo instante o nosso coração.

O casamento, ainda que a razão trema,


é plano de Deus para a nossa salvação.

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 164 29/09/2015 18:06:03


Eu nada sei, exceto o que todos sabem:

JUNHO
1 quando a Graça dança, eu devo dançar.
W.H. Auden

Prontos para as promessas


A Bíblia é o livro das promessas de Deus:
• Deus “me faz repousar em pastos verdejantes. Leva-me para jun-
to das águas de descanso” (Salmo 23.2).
• Disse Deus: “Ninguém te poderá resistir todos os dias da tua
vida; como fui com Moisés, assim serei contigo; não te deixarei,
nem te desampararei” (Josué 1.5).
• Disse Jesus: “Até agora nada tendes pedido em meu nome; pedi e
recebereis, para que a vossa alegria seja completa” (João 16.24).
• Paulo escreveu: “E o meu Deus, segundo a sua riqueza em glória,
há de suprir, em Cristo Jesus, cada uma de vossas necessidades”
(Filipenses 4.19).
• João escreveu: “No amor [de Deus] não existe medo; antes, o
perfeito amor lança fora o medo. Ora, o medo produz tormento;
logo, aquele que teme não é aperfeiçoado no amor” (1João 4.18).
Em nosso prazer, devemos tomar o cuidado de não impedir que
essas bênçãos nos alcancem. Impedimos as bênçãos de Deus quando
confiamos em nós mesmos e não em Deus. Confiar em nós mesmos é
idolatria. Impedimos as bênçãos de Deus quando confiamos na sorte
(Isaías 65.11). Confiar no destino é idolatria. Impedimos as bênçãos
de Deus quando, dizendo crer no seu amor para conosco, deixamos
que o medo nos domine. Ter medo, sem motivo, é idolatria. Impedi-
mos as bênçãos de Deus quando queremos que elas convivam com
os nossos pecados deliberadamente cometidos, esquecidos que os
nossos pecados não confessados nos separam de Deus
A idolatria nos impede de ver Deus em ação, porque o trocamos
por outros deuses, mesmo que tenham outros nomes.
Deus quer que nossas vidas estejam livres, sem muros, para que
os rios das suas bênçãos entrem em nossas casas.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 71.19-24 e João 1 a 3
“A tua fidelidade, ó Deus, chega até o céu. Tu tens feito grandes coisas,
e não há ninguém igual a ti”. (Salmo 71.19)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 165 29/09/2015 18:06:03


No campo de provas da vida, a justiça que buscamos

JUNHO
2 para aqueles que são oprimidos e vitimizados, a
misericórdia que estendemos para aqueles que
necessitam de bens materiais ou conforto espiritual
e a fidelidade que demonstramos nos nossos
relacionamentos são os testes reais do que a nossa fé
é, não o quanto mantemos as regras.
Robin Chaddock

Para que a justiça seja


como uma árvore bonita
O exemplo melhor vem de cima.
Devemos desejar que, a partir dos nossos governantes, a justiça
floresça,
O líder, seja o da família, o da igreja, o da empresa, o da comuni-
dade, o do país, não é um igual. Ele sabe que é um exemplo.
Seu exemplo pode ser bom ou ruim. Os filhos imitam os seus
pais. Os participantes de uma igreja observam o que fazem os seus
líderes. Os empregados prestam atenção no que fazem seus chefes.
Os cidadãos reproduzem o que fazem os seus políticos.
Por isto, devemos orar pelos pais. A sociedade do futuro está nos
corações deles. Devemos orar pelos líderes religiosos, porque eles
são capazes de modelar gerações. Devemos orar pelos dirigentes
empresariais, porque a economia do país está em suas mãos. De-
vemos orar pelos governantes, porque a justiça florescerá ou min-
guará a partir deles.
Todos devemos saber que o que fazemos influencia outras pes-
soas. Nosso erro influencia. Nosso acerto influencia. Nossa justiça
floresce. Nossa injustiça se espalha.
Oremos por nós mesmos também.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 72.1-10 e João 4 a 6
“Que a justiça floresça durante a sua vida, e que haja prosperidade
enquanto a lua brilhar!”. (Salmo 72.7)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 166 29/09/2015 18:06:03


A mudança é o processo pelo

JUNHO
3 qual o futuro invade nossas vidas.
Alvin Toffler

Os capítulos que
escrevemos
Sabemos um pouco sobre o nosso nascimento, pelas fotos, se fo-
ram feitas e guardadas; ou pelos relatos, se nos são feitos. Nas-
cemos antes junto com os padrões de nossas famílias. Antes de
nascermos já tínhamos a propensão para uma doença ou estáva-
mos marcados para a força; dezenas de anos antes da palmadinha
primordial nas nádegas, estava inscrito como andaríamos; o modo
como nossos pais tratavam o dinheiro já era o nosso jeito de nos
relacionar com o meio de pagar ou ser feliz; o jeito como nossos
avós enfrentavam os seus desafios nós o reproduzimos.
Então, com pompa e circunstância, nascemos, tendo diante de
nós três alternativas, entre outras: carimbamos tudo como sendo
a nossa vida, nos recusamos a receber as heranças todas ou vamos
fazendo mudanças no roteiro.
Precisamos tomar consciência da vida que somos. Em nossa sin-
gularidade, carregamos traços que nos precedem e vamos fazendo
marcas que nos acompanham. Não somos apenas resto de fumaça,
porque podemos ser fogo. Não somos apenas papel amassado, por-
que podemos ser folha nova. Não somos laranja bichada, porque
podemos ser produto limpo. Não somos gado no quintal, porque
podemos ser o vaqueiro.
Diante das heranças (de ontem) e das influências (de hoje), ao
som dos embates do momento, vamos dando contorno aos nossos
músculos. A história que escrevemos é a nossa história. Talvez não
peguemos do primeiro capítulo, mas temos o poder de mudar o
enredo e preparar a capa do romance da nossa existência.
Nossa história será a que fizermos dela. Não estamos condenados
a repetir o passado ou a fazer o que todo mundo faz. Fomos feitos
por Deus para vidas plenas e não podemos aceitar senão a plenitude.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 72.11-20 e João 7 a 8
“Louvem para sempre o seu nome glorioso, e que a sua glória encha o
mundo inteiro! Amém! Amém!”. (Salmo 72.19)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 167 29/09/2015 18:06:03


Às vezes, não há respostas fáceis, mas

JUNHO
4 as promessas de Deus continuam verdadeiras.
Bruce Carroll

Oração contra a maldade


Diante da maldade no mundo, tendemos a concluir que Deus não
é bom.
Quando vemos os orgulhosos e os maus prosperando, tendemos
a pensar que Deus não os vê. Parece que não sofrem. Parece que
são premiados por sua maldade. Falam mal de Deus, que parece
não se importar.
Por terem tanto prestígio, honra e dinheiro, há pessoas que os
louvam e os seguem, e parece que Deus não se importa.
Nosso primeiro grito, diante desta realidade, deve ser o grito da fé.
— Senhor Deus, tu és bom. O Senhor é bom para os que têm
corações puros.
Nosso segundo grito, diante da maldade, é de protesto. Não acei-
tamos que a vida deve ser assim. Não aceitamos que a nossa vida
seja assim. A vida pode ser diferente. Nossa vida será diferente
quando os nossos corações forem puros. A pureza do nosso cora-
ção vai influenciar os nossos relacionamentos. A pureza do nosso
coração não nos permitirá seguir os maus.
— Senhor Deus, dá-nos corações puros, corações apaixonados
pela bondade.
Nosso terceiro grito é o desejo de estarmos sempre perto de
Deus, perto dos seus mandamentos, perto da sua Palavra, perto
dos seus desejos para a humanidade.
— Senhor Deus, mesmo que eu não te compreenda, quero estar
perto de ti.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 73.1-17 e João 9 a 10
“Verdadeiramente, bom é Deus para com Israel, para com os limpos de
coração”. (Salmo 73.1)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 168 29/09/2015 18:06:03


Quando você tem uma escolha a fazer

JUNHO
5 e não faz, você já escolheu.
William James

Cuidado com o conforto


(Dia Mundial do Meio Ambiente)
Cuidado com o conforto.
Não há nada de errado com a tecnologia, que torna nossas vidas
mais seguras e mais confortáveis.
Nem sempre ela torna a vida mais sustentável, do ponto de vista
dos danos que traz também ao meio ambiente. O chamado pro-
gresso deve ter um fim, quando ameaça com o fim das condições
de vida no planeta. Fixados no conforto, nem sempre nos damos
conta dos seus malefícios, em termos globais.
Há ainda outro problema. É quando o conforto se torna a razão
de ser de nossas vidas.
Quando tudo vai bem conosco (ou achamos que vai), tendemos a
nos acomodar. Quando não temos problemas, oramos menos.
Quando temos alimento, não o valorizamos. É por isto que mui-
tos o desperdiçam.
Quando temos uma casa que nos aquece no frio e nos acalma no
calor, tendemos a nos sentir orgulhosos com nossas conquistas.
Quando temos o que precisamos tendemos a esquecer as pesso-
as que não têm.
O conforto, portanto, pode nos destruir.
Os pais devem se lembrar disto quando, preocupados com seus
filhos, lhes dão tudo o que pedem. Ao fazer isto, podem estar plan-
tando a destruição deles.
A sociedade deve se lembrar que o excesso de conforto a prepara
para o fim.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 73.18-24 e João 11 a 12
“A quem tenho eu no céu senão a ti? E na terra não há quem eu deseje
além de ti”. (Salmo 73.25)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 169 29/09/2015 18:06:03


Ser feliz é enfrentar todas as batalhas

JUNHO
6 que a vida te impõe e mesmo assim ter esperança.
Ser realmente feliz é ter Cristo na vida,
pois sem Ele é impossível a felicidade.
Mônica A. Abreu de Brito

A felicidade existe (6/12)


O que é a duração de nossa vida, comparada à história vivida pela
humanidade, por mais que vivamos?
Chegamos à história há pouco e daqui a pouco desceremos dela.
Enquanto estamos no seu andar, devemos vivê-la com toda a in-
tensidade; tão intensa pode ser a nossa vida que a julgamos eterna.
Então, durante muitos anos, nós nos dedicamos ao trabalho. E o
nosso tempo no trabalho termina.
Durante toda a nossa vida, procuramos nos divertir, em festas,
viagens e encontros, até descobrirmos que esses tempos passam,
mesmo tão bons.
Podemos descobrir outras formas de uma vida boa e longa, cheia
de satisfação, mas a nossa finitude é absoluta.
O reconhecimento de nossa efemeridade não nos faz infelizes,
se, ao mesmo tempo, reconhecemos que estamos de passagem.
Depois que Jesus Cristo nos abriu o caminho, o nosso itinerário
está dado. Nossa casa definitiva, mesmo que seja boa a daqui, é o céu.
Estamos a caminho. Ser feliz é amar o presente e relativizá-lo,
seja bom, seja ruim. Ser feliz é amar o futuro como o nosso tempo
definitivo, na esperança de que será a festa prometida.
Ser feliz é viver intensamente o presente, na perspectiva do que
o que virá será muito melhor, porque construído não pelos pés hu-
manos mas pelas mãos de Deus, que nos põe na presença dele para
sempre (Salmo 41.12).
A tristeza perde o seu furor e a alegria encontra o seu devido lu-
gar, quando conseguimos ouvir os rumores do mundo novo que nos
espera, com Jesus no alto da escadaria de mãos estendidas para nós
enquanto percorremos o tapete vermelho. [CONTINUA em 8/7]
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 73.25-28 e João 13 a 14
“Mas, para mim, bom é aproximar-me de Deus; pus a minha confiança
no SENHOR Deus, para anunciar todas as tuas obras”. (Salmo 73.28)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 170 29/09/2015 18:06:03


Nós escolhemos que atitudes tomaremos agora.

JUNHO
7 Esta é a escolha contínua.
John C. Maxwell

Nossas escolhas
Não há criatividade no pecado. Geralmente, pecamos do mesmo
modo. Muitas vezes, pecamos como nossos pais pecaram.
A aprendizagem tem um poder maior do que admitimos.
Um pai mentiroso será um exemplo na história na vida do seu
filho.
O comportamento de um pai violento estará presente na atitude
dos seus filhos.
A infidelidade, seja a Deus, seja ao cônjuge, pode ser a prática
dos filhos.
Pais desorganizados tendem a ter filhos indisciplinados.
O vício pode, muitas vezes, ser herdado.
Os filhos, no entanto, precisam saber que as consequências dos
seus gestos, mesmo os aprendidos, recairão sobre eles, não sobre
os seus pais. Suas vidas lhes pertencem.
Assim, precisamos saber que não estamos obrigados a cometer
os mesmos pecados dos nossos pais.
Podemos escolher outros caminhos.
Se nossos pais eram mentirosos, podemos ser verdadeiros.
Se nossos pais eram violentos, podemos ser pessoas de paz, em
casa e na rua.
Se nossos pais eram infiéis, podemos escolher a fidelidade como
nosso alvo.
Se nossos pais eram desorganizados, sem horário, atrasando os
compromissos e as contas, nós podemos ser pessoas organizadas.
Se nossos pais tinham algum vício, podemos passar longe de
qualquer um deles.
Qual a nossa escolha?
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 74.1-3 e João 15 a 17
“Lembra do teu povo, que há tanto tempo escolheste para ser teu e que
livraste da escravidão para ser a tua própria gente” (Salmo 74.2)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 171 29/09/2015 18:06:03


Procuramos muito mais a comodidade

JUNHO
8 e a segurança do que a interrogação.
Interrogação que é conhecimento, que é pôr
em questão, que é imaginação e descoberta e que,
com tudo isto, é caminho de verdade e liberdade.
António Alçada Baptista

Quem sabe faz a hora


Uma das canções mais conhecidas da música popular brasileira es-
tabelece que “quem sabe faz a hora, não espera acontecer”.
Trata-se de um convite à ação, contra todo tipo de conformismo
e alienação.
Para o poeta, se se quer mudar a realidade, não se deve esperar.
É preciso partir para a prática.
O conselho se choca com a sugestão bíblica de que devemos es-
perar pela intervenção de Deus?
Se queremos algo, não devemos esperar acontecer. Se queremos
algo, devemos colocar nosso desejo diante de Deus.
Diante dele em oração, devemos lhe pedir que, tendo aprovado
o que desejamos, nos oriente sobre as ações que devemos tomar
e, ao mesmo tempo, intervenha para que os obstáculos sejam re-
movidos.
O projeto não é mais apenas nosso, mas de Deus também. Ele
agirá, nós também.
Ele fará o que lhe cabe. Nós faremos o que nos cabe.
Não daremos um passo sem que Ele aprove. A nossa dependên-
cia de Deus é o caminho da liberdade. Esperar em Deus não é con-
formismo, nem alienação. É ação. Esperar em Deus é agir.
A letra da canção faz uma crítica necessária. Falta-lhe a perspec-
tiva da fé, que torna a ação algo com um propósito firme e forte.
Não é uma luta pela luta, mas uma luta abençoada por Deus. A
vitoria virá porque Deus luta junto conosco.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 74.4-12 e João 18 a 19
“Mas tu, ó Deus, tens sido o nosso Rei desde o princípio e nos salvaste
muitas vezes”. (Salmo 74.12)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 172 29/09/2015 18:06:03


Se você tentar obter coisas de Deus sem antes

JUNHO
9 orar para obter mais do próprio Deus, suas súplicas
soarão mais como as manhas de um pirralho mimado
que com os pedidos de uma criança dependente.
Larry Crabb

Comece pela manhã


Esta é a verdade que ecoa por toda a Bíblia: Deus está conosco.
Esta é a esperança que a Bíblia nos autoriza a ter: Deus está co-
nosco.
A Bíblia é, na verdade, a história de Deus se mostrando presente
ao homem, quando parecia ausente. Lendo as páginas sagradas,
vemos Deus tomando pessoas pela mão, para sustentá-las em sua
caminhada. A Bíblia é, portanto, um monumento ao companhei-
rismo de Deus. Um monumento a uma pessoa nos faz lembrar do
homenageado. A Bíblia nos lembra quem Deus é.
Se queremos ver Deus, precisamos ler a Bíblia, preferentemente
toda ela.
A tarefa tem sido realizada por muitas pessoas, que a cada ano
planejam lê-la por inteiro. Dos que planejam, muitas pessoas con-
seguem. Não é difícil. Se você tem este desejo, saiba que precisará
de uns 15 minutos por dia. Acorde mais cedo e leia a Bíblia antes
de sair de casa. Começando o dia pela leitura da Bíblia, as chances
de realizar o projeto serão maiores; além disso, você terá um texto
para meditar ao longo do dia.
Quando lemos a Bíblia de modo regular, ela passa a fazer parte
do nosso mundo. É claro que ela vem de outro mundo, tanto em
termos históricos quanto geográficos, mas a principal diferença é
que, lendo-a e meditando em suas palavras, os valores de Deus pas-
sam a ser os nossos valores. Organizar a vida para caber na agenda
a leitura regular das páginas da Bíblia nos torna pessoas melhores
e torna melhor o nosso mundo.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 74.13-23 e João 20 a 21
“Não deixes que os perseguidos sejam humilhados, mas permite que os
pobres e os necessitados te louvem”. (Salmo 74.21)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 173 29/09/2015 18:06:04


Tendemos a nos tornar aquilo que a pessoa mais

JUNHO
10 importante em nossa vida pensa que seremos.
Pense o melhor, creia o melhor e fale o melhor dos
outros. Sua afirmação não somente o tornará mais
interessante para as pessoas, como será parte
integrante do desenvolvimento pessoal delas
John C. Maxwell

A arte de elogiar
A verdadeira beleza de uma pessoa não está nela; está em quem a
ama.
Quem ama vê beleza onde alguns não veem, força que alguns
não percebem, saúde embora todos vejam doença, futuro que nem
todos enxergam.
Quem ama admira a quem ama.
Esse é um dos testes do amor conjugal.
Se o nosso cônjuge tem mais defeitos do que qualidades, o nosso
amor está morrendo. Nesse caso, é preciso que reflitamos um pou-
co: quando a balança começou a pesar mais para a crítica e menos
para o elogio? Esse cuidado é essencial. Se a nossa amargura domi-
nar nosso relacionamento conjugal, dentro de pouco tempo não
haverá mais casamento verdadeiro.
Precisamos de um olhar sempre apaixonado, de um modo positi-
vo de ver nosso querido ou querida. Isto não quer dizer que ele/ela
não tenha problemas, mas que, juntos, vamos superá-los.
A convivência conjugal nos torna melhores. Nós, maridos, so-
mos influenciadas por nossas esposas. Nós, esposas, somos in-
fluenciados por nossos maridos.
A reciprocidade é o jardim em que o amor cresce.
A falta de admiração mútua é a lama onde o amor afunda.
Continuemos admirando o cônjuge que Deus nos deu para amar.
Casais que se admiram não se separam.
Para ler HOJE na Bíblia:
Salmo 75.1-6 e Cântico dos Cânticos 1 a 3
“Damos-te graças, ó Deus, damos-te graças, pois perto está o teu
nome; todos falam dos teus feitos maravilhosos”. (Salmo 75.1)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 174 29/09/2015 18:06:04


Um amigo me chamou pra cuidar da dor dele,

JUNHO
11 guardei a minha no bolso. E fui.
Clarice Lispector

Amar é cuidar
Amar é acompanhar o cônjuge ao médico, mesmo que tenha que
cancelar todos os outros compromissos.
Amar é levar o café na cama, se isto agrada ao outro.
Amar é defender o cônjuge dos perigos potenciais e reais da vida.
Amar é fazer uma coisa desagradável desde que seja agradável
para o seu querido.
No livro de Cantares (ou Cântico dos Cânticos), todo ele dedi-
cado ao prazer da vida conjugal, o casamento é apresentado como
o tempo em que aparecem as flores na terra. Com ele, acabou o
inverno da espera. Chegou o tempo em que o casal estará junto
sem separação. É o tempo das flores, que embelezam o ambiente e
lembra que é tempo de viver.
As flores não ficam vivas e coloridas para sempre, a menos que as
reguemos e cultivemos. A vida conjugal é para ser cultivada.
A tarefa dos cônjuges é cuidar para que as raposas não venham
colher o que não plantaram. Os cônjuges devem cuidar para que
elas não lhes furtem a vida.
Para isto, cada um deve pastorear o outro. Pastorear é cuidar um
do outro como uma missão desenvolvida a serviço de Deus. Cada
cônjuge deve desenvolver a vida espiritual do outro. A pessoa ama-
da deve ser vista como alguém que deve ser levada à presença de
Deus.
Para ler HOJE na Bíblia:
Salmo 75.7-10 e Cântico dos Cânticos 4 a 6
“Quanto a mim, para sempre anunciarei essas coisas; cantarei louvo-
res ao Deus de Jacó”. (Salmo 75.9)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 175 29/09/2015 18:06:04


Aquilo que está escrito no coração não

JUNHO
12 necessita de agendas porque a gente não esquece.
O que a memória ama fica eterno.
Adélia Prado

Tudo passa, menos o amor


(Dia dos Namorados)
Quando veio ao nosso encontro, Jesus deixou sua divindade no
céu. Abriu mão de saber todas as coisas e de poder todas as coisas,
mas conservou seu grande amor por nós, amor que sempre teve
desde antes que existíssemos (Efésios 1.11).
Quando chegarmos ao céu, deixaremos aqui a nossa humanida-
de. Ficarão aqui as nossas virtudes. Permanecerão aqui os nossos
defeitos. A roupa do nosso corpo será o amor. Nem mesmo a fé e a
esperança nos vestirão (1Coríntios 13.13). O amor estará conosco.
Quando amamos, somos como Deus.
Quando amamos, somos imortais.
Quando amamos, somos fiéis.
Quando amamos, arrastamos ondas de luz e calor.
Quando amamos, Deus vive em nós.
Quando amamos, não cobiçamos.
Quando amamos, não desejamos mal, não pensamos mal.
Quando amamos, não odiamos, não guardamos rancor.
Quando amamos, curamos e somos curados.
Quando amamos, construímos pontes e avenidas.
Quando amamos, levamos pessoas para o céu.
Quando amamos, nos levantamos para um grande dia, mesmo
sem saber como será o próximo segundo, cheios de vontade de viver.
Quando amamos, somos aquilo para o qual Deus nos projetou
com amorosa inteligência.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 76.1-4 e 1Coríntios 13
“Oh! Quão majestoso és! Excedendo em brilho as enormes pilhas de
despojos!”. (Salmo 76.4)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 176 29/09/2015 18:06:04


Um amigo é alguém com quem podemos derramar

JUNHO
13 todo o conteúdo do nosso coração, joio e trigo juntos,
sabendo que as mãos gentis peneirarão, guardando o
que é de valor e soprando o resto com gentileza.
Dick Innes)

Fiéis e companheiros
Houve um dia, mais provavelmente uma noite, em que, ao nos ca-
sarmos, fizemos livremente votos um para o outro.
Talvez tenhamos dito que seriamos fiéis. Talvez tenhamos afir-
mado que seríamos companheiros.
Por isto, trocamos alianças. Estavam na mão direita e aterrissa-
ram na esquerda. Essas alianças gravaram os compromissos.
Neste poema, a mulher quer o seu nome gravado no coração do
marido. Ela quer também o seu nome no anel que está na mão dele.
Ela está falando dos dois pilares do casamento: a fidelidade e o
companheirismo.
Um nome gravado no coração não pode ser apagado. Foi um ato
voluntário. Uma vez inscrito o nome dentro do coração, não tem
como ser arrancado, a não ser com muita violência. Gravar o nome
no coração do cônjuge é para sempre. Gravar no coração o nome é
um compromisso de permanente fidelidade, mesmo que venham
os conflitos, as dores e as tentações.
Gravar no anel o nome é um compromisso de companheirismo.
A aliança tem gravado o nome do companheiro. Onde estiver, ele
verá aquele nome e se lembrará.
O companheirismo é para as horas boas, dos passeios, dos suces-
sos, mas é também para as horas duras, quando nada parece valer a
pena, mas um ajuda o outro e ambos são fortes. O companheirismo
é fonte de prazer. Nós nos casamos para ser companheiros e não po-
demos permitir que os caminhos da vida nos afastem um do outro.
Para ler HOJE na Bíblia:
Salmo 76.5-12 e Cântico dos Cânticos 7 a 8
“Faça ao Eterno o que você disse que faria — afinal de contas, ele é
seu Deus. Que todos na cidade tragam ofertas ao Único que Vê cada
movimento nosso. Ninguém passa despercebido, ninguém brinca com
ele”. (Salmo 76.11-12)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 177 29/09/2015 18:06:04


Uma pessoa que não seja honesta está

JUNHO
14 em algum lugar entre a dor e a catástrofe.
Henry Cloud e John Townsend

Uma palavra aos honestos


Os honestes sofrem. Eles têm que conviver com colegas e superio-
res que roubam. Enquanto eles ganham o seu dinheiro servindo, os
desonestos ganham o seu desviando o que não lhe pertence.
Eles veem colegas postos ao seu lado por outros interesses, a
quem servem, serem promovidos e aplaudidos.
Nas empresas e nas organizações, nas casas e nas igrejas, eles são
a maioria. Uns são honestos porque são. Outros são porque nunca
tiveram oportunidade de não o ser. Estes sofrem de inveja. Aqueles
sofrem com a injustiça.
Quando o nome da sua empresa vai para a lama, seu crachá mer-
gulha junto. Quando pisam na sua empresa, não cospem nos de-
sonestos, nos corruptos, nos corruptores, nos que desviam, dos
que deviam se envergonhar; xingam a todos. Os desonestos se im-
portam apenas com o que ficou em sua conta bancária ou com o
patrimônio que guardaram mesmo que em nomes de outros. Os
honestos se importam com a honra que perderam por causa dos
golpes dos bandidos de ternos, gravatas, diplomas, anéis e placas
de benfeitores.
Quando a sua categoria profissional é atingida pelo desvio que
colegas, conhecidos ou desconhecidos, próximos ou distantes, co-
metem e merecem o desprezo, os honestos são desprezados juntos.
Quando sua organização é ameaçada, são ameaçados juntos.
Quando sua empresa é desvalorizada, ficam também sem valor.
Quando sua casa é destruída, ficam feridos do mesmo modo.
Se o tempo não julgar, os honestos podem confiar que, na hora
certa, Deus os julgará e os honrará. Então, saberão, vendo as al-
gemas crispando as mãos dos corruptos e corruptores, que vale a
pena ser honesto.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 77.1-6 e 2Crônicas 25 a 26
“Clamei a Deus com a minha voz; a Deus levantei a minha voz, e ele
inclinou para mim os ouvidos”. (Salmo 77.1)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 178 29/09/2015 18:06:04


Para cada pessoa que vive com a lembrança de um

JUNHO
15 pai terreno que falhou, há uma promessa de um Pai
celestial que não falha, que não pode falhar.
Ed Young

O futuro da imaginação
Futuro é imaginação. Imaginando o futuro, decidimos. Decidimos
para definir o futuro. A incerteza, portanto, é o nosso inescapável
território. Não podemos ter certeza se seremos felizes em nossas
escolhas, mas temos que fazê-las. Dizer “sim” é decidir. Afirmar
“não” é determinar. Murmurar “não sei” é escolher.
Agimos bem quando imaginamos bem. Imaginamos bem quan-
do unimos poesia (mesmo que sem palavras) e humildade. Quan-
do imaginamos bem, pensamos sons bonitos, escutamos imagens
coloridas, modelamos cenários felizes. Quando pensamos com
humildade, reconhecemos que, no caminho, talvez tenhamos que
recalcular a rota. Reimaginaremos, novamente com humildade.
A força da humildade não pode ser maior que o poder da imagi-
nação. A força da humildade está em nos mostrar que não precisa-
mos transformar sozinhos o sonho em realidade. Podemos crer em
Deus como amigo na jornada.
Para muitos, o problema é que fé também é imaginação. Se, para
se realizarem, admitem o poder da imaginação em todas as áreas
da vida, no capítulo da fé querem certezas materializadas. Perdem
estes o poder da fé.
Faz bem à razão imaginar que Deus está presente. Podemos vê-lo,
seja de mãos dadas conosco ou com os braços abertos no alto da mon-
tanha onde nos espera. Podemos notar suas pegadas no chão para
facilitar nosso percurso, sentir seu calor nas horas sombrias, perceber
seus músculos levantando obstáculos humanamente intransponí-
veis, escutar sua instrução para a tomada de decisões sábias.
A fé se robustece nas experiências já vividas, mas se alimenta da
imaginação corajosa.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 77.7-11 e Isaías 6 e Isaías 1 a 2
“Lembrar-me-ei, pois, das obras do SENHOR; certamente que me lem-
brarei das tuas maravilhas da antiguidade”. (Salmo 77.11)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 179 29/09/2015 18:06:04


Muitas pessoas passam pela vida obstruídas para o

JUNHO
16 aprendizado. Não investem tempo para aprender.
Hernandes Dias Lopes

Um bom troféu (1/2)


Quem viaja para um lugar onde o fuso horário é muito diferen-
te sofre na volta. Pode ter sido curto o tempo de permanência na
terra distante, mas o relógio biológico ficará confuso, sobretudo
quanto ao sono. Poderá demorar alguns dias para que a rotina do
dormir-e-acordar volte a ser tranquila. Só com o passar do tempo,
a passagem das horas voltará silenciosamente ao fuso esperado.
O relógio biológico é uma boa metáfora para os nossos hábitos.
Se é impossível com uma palavra de ordem informar ao corpo que
o horário mudou, também não é com uma palavra que nossos há-
bitos serão alterados.
A mudança dos hábitos é mais complexa que a mudança das ho-
ras. No entanto, ambas são possíveis.
A mudança dos hábitos começa com a percepção de que não é de
paz o caminho que temos percorrido. Se uma pessoa amarga acha
que deve continuar sendo amarga, continuará ferindo e se ferindo.
Se uma pessoa dura acha que deve continuar dizendo o que imagina
ser a verdade sobre os outros e para os outros, sem os ouvir, con-
tinuará magoando. Se uma pessoa tornada refém do vício justifica
sua prática, continuará maltratando seu corpo e sua mente, com
produtos e mentiras. Se uma pessoa usa os óculos do pessimismo
e gosta deles, continuará vendo a vida sob essa perspectiva. Se uma
pessoa está convencida que faz bem em reclamar de tudo, continua-
rá encontrando prazer na sua murmuração. Se uma pessoa gosta de
pecar, continuará pendurando na parede seus troféus ímpios.
Quando, no entanto, o amargo visa a doçura, o duro quer a sua-
vidade, o viciado aspira a liberdade, o pessimista namora o otimis-
mo, o murmurador almeja ser grato, o pecador se alegra diante da
perspectiva pessoal da santidade, o primeiro passado está sendo
dado. [CONTINUA em 23/9]
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 77.12-15 e Isaías 3 a 5
“Tu és o Deus que fazes maravilhas; tu fizeste notória a tua força entre
os povos”. (Salmo 77.14)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 180 29/09/2015 18:06:04


Nós tomamos nossas decisões e, depois,

JUNHO
17 nossas decisões nos cercam e nos fazem.
Francis William Boreham

Antes de decidir
Você recebeu um desafio.
Se a ideia é moralmente aprovada, você precisa fazer três per-
guntas, antes de decidir se vai aceitar ou recusar o convite:
1. Você quer?
Pode ser apresentar um estudo num congresso, escrever um li-
vro, colaborar regularmente para um veículo de comunicação.
Pode ser liderar uma equipe, mudar de emprego, trocar de cidade.
Pode ser fazer uma viagem internacional.
Pode ser prestar um concurso.
Você quer?
2. Você é capaz?
Você é capaz, se se dedica. Você é capaz, se estuda e pesquisa. Você
é capaz, se busca ajuda. Você é capaz, se está disposto a aprender.
Você é capaz?
3. Você está disposto a pagar o preço?
Neste processo, você não pode se esquecer que o novo desafio
cobra um preço. Você vai ter que reorganizar a sua vida. Vai ter que
encontrar mais tempo, o que implica em deixar de fazer algumas
coisas. Vai ter que aprender a fazer coisas que nunca executou.

Você quer? Você é capaz? Você está disposto a pagar o preço?


Siga em frente. Não olhe para trás. Não siga o exemplo da mulher
de Ló.
Para ler HOJE na Bíblia:
Salmo 77.16-20 e 2Crônicas 27 e Isaías 8 a 9
“Guiaste o teu povo, como a um rebanho, pela mão de Moisés e de
Arão”. (Salmo 77.20)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 181 29/09/2015 18:06:04


A primeira tarefa do amor é escutar.

JUNHO
18 Paul Tillich

Felizes são os que escutam


Escutar é um verbo muito difícil de ser conjugado.
Para escutar, precisamos transferir a sede de nossas vidas do
coração para os ouvidos. Acontece que é com o coração que deseja-
mos, sentimos e pensamos. No entanto, desejaremos bem, sentire-
mos melhor e pensaremos muito melhor, se ouvirmos.
Para escutar, precisamos nos mover em direção ao outro, que se
torna o centro de nossas vidas, e não mais o que sabemos, não mais
nossas histórias, não mais nossas percepções.
Se os lábios são o território da arrogância possível, os ouvidos
são a casa da humildade em toda a sua força.
Quem ouve faz do outro o seu mestre, a quem presta atenção.
Ouvir é dizer que o outro é mais importante.
Quando ouvimos, conquistamos o privilégio de ter sobre o que
refletir.
Quando escutamos, damos um passo em direção a mudar o que
precisa ser mudado em nossa vida ou a confirmar os valores que
temos abrigado como nossos.
Temos que nos perguntar se temos ouvido mais do que falado,
aprendido mais do que ensinado.
Quem escuta mais acerta mais.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 78.1-8 e Isaías 10 a 12
“Então eles porão a confiança em Deus; não esquecerão os seus feitos e
obedecerão aos seus mandamentos”. (Salmo 78.7)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 182 29/09/2015 18:06:04


Deus não desanima de você; então,

JUNHO
19 não desanime de você.
C.C. Crafton

Quando o desânimo
parece até que vai vencer
Os desanimados são cansados que, por razões diferentes, tendem a
se curvar sob o peso ameaçador da desesperança.
Ele está desanimado porque as energias gastas estavam acima
das reservas. Ela está desanimada porque as frustrações foram se
acumulando, tentativas após tentativas.
Este está desanimado porque há um déficit crônico de saúde emo-
cional e qualquer esforço lhe drena as forças para o ralo do nada.
Esta está desanimada porque o tempo de espera para que suas
orações sejam respondidas por Deus já se esgotou.
Os desanimados precisam respirar e guardar energia porque a
vida pode enviar telegramas convocando para novas lutas. E o car-
teiro pode chegar a qualquer momento.
Os desanimados podem gritar, com todas as suas forças: “Se-
nhor, estou cansado”. Ele ouve. Ele renova as forças dos cansados
para que continuem lutando.
Os desanimados devem buscar atividades e desenvolver atitudes
que contribuam para que sua taxa de confiança em Deus aumente
em níveis capazes de lançar a paz para o interior de suas vidas.
Os desanimados farão bem se, como o rei Salomão da Bíblia, não
pedirem as soluções que precisam, mas rogarem a Deus sabedoria
para ver, agir e viver.
Os desanimados — pode ser — talvez precisem da coragem para
buscar uma ajuda externa que os animem a entender a misteriosa
dinâmica interna das suas mentes e corações.
Os desanimados — por mais cansados que estejam — sabem
que Deus dá força aos cansados e que Ele os convida a esperar um
pouco mais enquanto Ele está trabalhando com aquele seu método
sem microfone ou megafone.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 78.9-17 e Isaías 13, 14 e 21
“Deus dividiu o mar para que pudessem passar; fez a água erguer-se
como um muro”. (Salmo 78.13)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 183 29/09/2015 18:06:04


Fé não é crer sem provas; é confiar sem reservas.

JUNHO
20 Elton Trueblood

Para que serve a fé


Pela fé sabemos que Deus fez o mundo e nos colocou nele para
cuidar da terra, das coisas, dos animais e das pessoas.
Pela fé reconhecemos que Deus sempre tomou a iniciativa de nos
encontrar, mesmo quando fugíamos.
Pela fé percebemos que Deus nos providencia uma família onde
cuidamos e somos cuidados e nos chama para fazer dela o modelo
do que pode ser toda a sociedade humana.
Pela fé esperamos que o mundo será recriado e serão recriadas as
coisas e as pessoas..
Pela fé conhecemos quem é Deus e nos relacionamos com Ele
como um amigo.
Pela fé sentimos que somos amados por Deus antes mesmo que
pudéssemos corresponder.
Pela fé entendemos que vivemos para amar e ser amados.
E a fé, que é a nossa confiança que Deus nos pastoreia, pode ser
aumentada. Hoje podemos ter mais fé que ontem. Amanhã nossos
olhos poderão perceber melhor o amor de Deus para conosco.
E o crescimento de nossa fé pode ser medido. A régua é o amor
pelo próximo, o que habita conosco na mesma casa, o que convive
conosco no trabalho e o desconhecido que frequenta as nossas ruas.
A fé se faz com palavras, mas não pode se contentar com elas.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 78.18-35 e Isaías 23 e 24
“Contudo, Deus deu ordens às nuvens e abriu as portas dos céus; fez
chover maná para que o povo comesse, deu-lhe o pão dos céus”.
(Salmo 78.23-24)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 184 29/09/2015 18:06:04


A maturidade não vem com a idade;

JUNHO
21 vem com a aceitação da responsabilidade.
Ed Cole

Sinais de maturidade
Em tese, todos estamos a caminho de nos tornarmos maduros.
O adjetivo não é bom. Maduro é rima perfeita para obsolescên-
cia, na cultura dos dias que correm. Você tem uma palavra melhor
para quem consegue viver de modo equilibrado?
Supondo que todos aceitamos a palavra, em que pesem suas co-
notações, reflitamos sobre a maturidade que não tem a ver com
idade.
Maturidade é um processo, de baixo para cima, mas sem topo.
A pessoa madura gosta de vencer, mas vencer verdadeiramente,
sem equívocos, sem gritos, sabendo que perder também pode ser
vencer.
A pessoa madura se dispõe a ceder, seja a vez numa fila, a mão
numa caminhada, o dinheiro numa necessidade, a vitória numa
discussão.
A pessoa madura sabe que não é verdadeiramente livre, porque
há pesados condicionantes à liberdade, que implica em pesada res-
ponsabilidade.
A pessoa madura se alegra em aprender, como o professor que
estuda, como o pastor que ouve, como o jovem que presta atenção.
A pessoa madura pergunta quando não sabe e pergunta quando
sabe.
A pessoa madura dialoga com o seu passado pessoal, mas não se
deixa escravizar por ele.
A pessoa madura se cala quando o silêncio é santidade.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 78.36-44 e Isaías 15 a 17
“Com a boca o adulavam, com a língua o enganavam”. (Salmo 78.36)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 185 29/09/2015 18:06:04


As estruturas mais rígidas e mais impermeáveis

JUNHO
22 à mudança entrarão em colapso primeiro.
Eckhart Tolle

Transigir ou não
Não é tarefa fácil saber quando devemos ceder e quando devemos
ficar firmes.
Tendo um ideal e enfrentando oposição, não devemos desistir
dele, mesmo que tenhamos que marchar sozinhos. Desistir de um
ideal dado por Deus é desistir de Deus.
Havendo um valor moral elevado, não devemos dispensá-lo por-
que os que nos cercam o abandonaram. Dispensar um ideal é des-
valorizar o Deus amoroso que nos legou o mandamento.
Diante de um serviço a ser executado, não devemos parar por
causa das dificuldades ou das críticas. Parar no meio de uma mis-
são é deixar que o vazio seja a nossa causa.
Os nossos olhos devem continuar brilhando, mesmo que não ve-
jam. O nosso coração deve continuar vibrando forte, mesmo que
nos achem teimosos. O ideal deve crescer dentro de nós, mesmo
que silenciosamente. O projeto deve continuar, mesmo que tenha-
mos que recuar uma vez ou tomar algum atalho.
Sabemos, pelo suor e pelo sangue, que continuar não é tarefa
fácil, como também sabemos que, em toda e qualquer circunstân-
cia, nunca devemos ofender, mesmo que a causa seja nobre. Quem
ofende se torna igual ao seu ofensor. Nossa primeira causa será
sempre amar.
Quando cremos com amor, não agrediremos quem pensa dife-
rente.
Quando discutimos com amor, não desclassificaremos o outro.
Quando fazemos com amor, não colocaremos os resultados aci-
ma dos valores.
Quando agimos com amor, não desistiremos dos nossos ideais.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 78.45-52 e Miqueias 1 a 3
“Mas tirou o seu povo como ovelhas e o conduziu como a um rebanho
pelo deserto”. (Salmo 78.52)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 186 29/09/2015 18:06:04


Estou convencido das minhas próprias

JUNHO
23 limitações e esta convicção é a minha força.
Mahatma Gandhi

Apesar de
nossas limitações
Quando nascemos, foi como se nos dissessem:
— Supere os seus limites.
Viver de forma relevante implica em seguir os exemplos de nos-
sos pais ou, se for o caso, fazer mais e melhor do que os nossos pais
conseguiram. Viver de forma que valha a pena é deixar melhor o
mundo que pegamos.
Vivemos assim quando não aceitamos os limites que nos são dados.
Mas limites são também limitações.
Precisamos conhecer as nossas e decidir quais vamos aceitar e
quais vamos buscar ultrapassar.
Precisamos saber quais são os limites do nosso corpo, se que-
remos tirar o máximo dele. Precisamos conhecer nossas próprias
histórias, se queremos escrever biografias diferentes. Precisamos
perceber porque sempre trilhamos a mesma estrada, para que an-
demos por outra.
Se o nosso corpo não permite que sejamos atletas de elite, ainda
assim podemos ser corredores cuja vitória é chegar. Se a nossa his-
tória tem marcadores trágicos, não somos obrigado a repeti-la. Se
a estrada de sempre tem uma trilha que nos leva para fora da vida,
podemos seguir por outra onde o coração dispare.
A vida transbordante que Jesus promete não é a que os outros
vivem, mas aquela que nós podemos viver e vivemos cheios de en-
tusiasmo.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 78.53-61 e Miqueias 4 a 5
“Ele os guiou em segurança, e não tiveram medo; e os seus inimigos
afundaram-se no mar”. (Salmo 78.52-53)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 187 29/09/2015 18:06:04


Pode-se ficar alegre consigo mesmo durante

JUNHO
24 certo tempo, mas a longo prazo a alegria tem
de ser compartilhada por duas pessoas.
Henrik Ibsen

A alegria tem
que ser completa
Uma das manifestações da alegria é o riso e o sorriso. O sorriso é
uma forma de comunicação visual, enquanto o riso é uma expe-
riência auditiva (Robert Provine). A propósito, as mulheres riam
20% a mais que os homens.
Para não serem apenas expressões momentâneas, o riso e o sor-
riso devem vir de dentro, para que seja realmente frutos da alegria.
Alegria para ser alegria precisa ser completa.
A alegria completa vem da certeza de que somos amados. Quan-
do nos sentimos amados, suportamos a doença, aguentamos a crí-
tica e resistimos ao medo.
A alegria completa forma a nossa identidade, que não é dada pe-
las circunstâncias, sejam felizes ou tristes, mas pelo retrato que
Deus pinta com um pincel formada por fios de amor.
A alegria completa dispensa aditivos externos, porque nasce do
coração onde o Espírito de Deus faz a sua casa e faz fluir um paz
que transborda.
A alegria completa contempla o presente, mesmo que sombrio,
com os olhos da esperança, que divisam o sol sob as nuvens, a luz
sob as trevas, a reta depois da curva, o sorriso depois da decepção,
a saúde após a aflição e a harmonia depois da discussão.
A alegria completa olha confiante para o futuro. A esperança faz
que a alegria não dependa das circunstâncias.
A alegria completa encontra-se disponível, não numa bula de
remédio, mas nas receitas de Deus em sua Palavra, onde nos en-
contramos com Jesus, a alegria dos homens, e, sob o seu comando,
começamos a fazer a travessia pelo mar até o porto seguro.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 78.62-72 e Miqueias 6 a 7
“O Senhor construiu o seu santuário como as alturas; como a terra o
firmou para sempre”. (Salmo 78.69)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 188 29/09/2015 18:06:04


Deus caminha conosco. Ele nos toma nos braços

JUNHO
25 ou se assenta conosco em silêncio até que não
consigamos evitar o esplêndido reconhecimento
que Ele, neste momento, está aqui.
Gloria Gaither

Nada de medo
Quando nos põe em alerta para o perigo o medo é bom. Fora disso,
não faz bem.
Não faz bem a começar por sua origem.
Nós temos medo por causa de alguma experiência no passado,
como por exemplo, um ataque de cães, que nos faz ter medo de
animais.
Temos medo por causa daquilo que nos ensinaram. Para pôr
limites, muitos pais ameaçam com aflições, hospitalizações, inje-
ções, lacerações, queimações, separações, e se não funcionarem,
com bichos papões.
Temos medo por causa da religião. Disseram-nos que devemos
amar a Deus, se não o castigo virá. Que devemos dar o dízimo, se
não o gafanhoto comerá tudo o que guardamos. Que devemos ser
fiéis à verdade, se não o inferno arderá em nós. Que devemos fazer
o bem, se não vamos colher o mal.
Contaram que Deus está no céu, mas tem olhos de Raios X e nos
pega para derrubar. Mas, não devemos e nem precisamos ter medo
da religião anunciada por Jesus Cristo. Quando Ele nasceu em Be-
lém, os pastores escutaram que não precisavam ter medo, porque
surgia a notícia que causaria alegria em todos que a ouvissem. As-
sim, conhecedor de nossos temores infundados e terrores sem fim,
Deus inspira os autores da Bíblia a dizerem e a repetir centenas de
vezes: “Não tenham medo!”
Quem tem medo, seja do que for, ainda não entendeu. Quem
não entendeu o evangelho pode entender, começando agora.
Para ler HOJE na Bíblia:
Salmo 79.1-8, 2Crônicas 28 e Isaías 7 e 30
“Não cobres de nós as maldades dos nossos antepassados; venha de-
pressa ao nosso encontro a tua misericórdia, pois estamos totalmente
desanimados!”. (Salmo 79.8)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 189 29/09/2015 18:06:05


No transcurso da vida, as pessoas vão acumulando

JUNHO
26 toxinas de natureza emocional, psicológica e
espiritual. Tais toxinas tendem a impedir o nosso
desenvolvimento e nossa realização pessoal. Temos
de substituir as crenças erradas da nossa mente por
valores eternos que nascem em Deus.
Lecio Dornas

Desintoxique-se
Viva a sua vida, não a dos outros, nem a que os outros acham que
você deve viver. Para isto, você precisa se desintoxicar de algumas
práticas e ideias.
1. Desintoxique-se, por exemplo, da ideia que a bênção de Deus
decorre do mérito humano. Bênção é graça de Deus em ação. Se
viesse para quem merece, não seria graça, esse favor divino que
ninguém merece.
2. Desintoxique-se, por exemplo, da cultura do conformismo, se-
gundo a qual, havendo coisas a serem transformadas, não adian-
ta o empenho para a mudança, seja no campo emocional, seja no
campo profissional.
3. Desintoxique-se, por exemplo, de uma prática pecaminosa, que,
por mais que seja justificada e até mesmo infelizmente aceita,
afasta você do propósito de Deus para a sua vida.
4. Desintoxique-se, por exemplo, da cultura da força, aquela que os
reis da terra adotam para subjugar os mais fracos, aquela que os
mais fortes utilizam para se prevalecer nas ruas e nos tribunais.
De tanto soarem os tambores de guerra, as pessoas acabam por
acreditar que este é o caminho, não o da cultura da paz.
5. Desintoxique-se, por exemplo, da cultura das marcas de produ-
tos. Certas pessoas estão cativas de certas marcas e pagam mais
caro por isto. Há, por exemplo, camisas em que a marca ocupa
toda a parte superior; é como se o usuário dissesse: eu não uso
camisa, eu uso a marca, como se a marca, e não a camisa, cobris-
se o seu corpo.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 79.9-11 e Isaías 20 e 22
“Ajuda-nos, ó Deus, nosso Salvador, para a glória do teu nome; livra-
nos e perdoa os nossos pecados, por amor do teu nome”. (Salmo 79.9)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 190 29/09/2015 18:06:05


Deus não ama uma pessoa ideal,

JUNHO
27 mas seres humanos como nós somos, não
um mundo ideal, mas o mundo real.
Dietrich Bonhoeffer

Os recursos de Deus
Deus tem um propósito para cada pessoa que criou. Seu propósito
é um plano que se desenvolve em parceria. Se não há parceria, não
há plano, não há propósito. A escolha é nossa.É feliz quem permite
que a sua história se entrelace com a história de Deus. Feliz é quem
sabe que sua história está escrita na história de Deus.
Para cumprir o seu propósito, poderoso (Salmo 32.19), para co-
nosco, Deus nos dá força e coragem e nos livra.
Deus faz mais que nos dar força e coragem. Ele intervém. Nas expe-
riências dos homens e mulheres de Deus, ao longo da história bíblica
e depois dela, Deus livra agindo de modo sobrenatural, em resposta à
oração, seja ou não do nosso conhecimento o que Ele nos faz.
A Bíblia está repleta desses relatos de intervenções de Deus. E
Deus continua o mesmo. Ele nos livra enviando pessoas (algumas
que aparecem e desaparecem) que nos resgatam de situações das
quais sozinhos não tínhamos como sair.
Ele nos livra orientando-nos para seguir uma trilha diferente da
que estamos seguindo, por saber que ela leva para a morte. Sofremos
muito por nos recusarmos a ouvir a voz de Deus, por meio da sua Pa-
lavra revelada ou pela palavra inspirada de pessoas santas e sábias!
Ele nos livra inspirando pessoas que intervém e ficam ao nosso
lado, falando ou em silêncio. Essas pessoas integram a família de
Deus (Efésios 2.19-22). A família de Deus é um meio pelo qual ele
alcança as pessoas.
Deus usa a igreja, mesmo com suas falhas, para consolar, para
ensinar, para fortalecer. Na igreja somos filhos do mesmo Pai, que
carregam as cargas uns dos outros como forma de viver de modo
digno do evangelho de Jesus Cristo (Gálatas 6.2).
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 79.9-11 e Isaías 25 a 26
“Então nós, o teu povo, as ovelhas das tuas pastagens, para sempre
te louvaremos; de geração em geração cantaremos os teus louvores”.
(Salmo 79.13)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 191 29/09/2015 18:06:05


É próprio dos amigos, quando eles

JUNHO
28 partem, partirem com uma oração.
Matthew Henry

Confiança e amizade
É muito comum, ouvir-se nas ruas, a seguinte expressão:
— O homem lá de cima está olhando para isto.
Às vezes, é uma frase de advertência. Em outras, é um tipo de au-
toindulgência, em que a pessoa se aprova no que está fazendo, seja
certo ou errado. Em outras circunstâncias, é um pedido de ajuda.
A frase é infeliz, porque Deus não é homem. No entanto, a frase
revela um certo grau de confiança em Deus.
Sim, Deus, lá de cima, olha para nós. Seu olhar é de cuidado.
Temos que ser honestos porque esse olhar pode ser de reprovação.
Somos convidados a olhar para Deus. Quando olhamos para ele,
nossa confiança é renovada.
Confiantes, pedimos que nos livre. Ele nos livra porque somos a
árvore que Ele plantou no jardim e quer que seja vigorosa.
Nossa confiança não pode ser apenas para as horas difíceis, mas
para todas. Nossa confiança deve fortalecer a nossa amizade para
com Deus.
Precisamos aprender a desenvolver esta confiança quando tudo
vai bem conosco. Nessas horas, precisamos reafirmar que Deus
está conosco. Nas horas difíceis, exercitaremos nossa confiança
a partir da reserva emocional e espiritual que temos acumulado.
Sem esta reserva, tendemos a nos desesperar. Antes do problema,
sabemos que podemos confiar no socorro divino, para que, na hora
no sofrimento, a confiança nos acompanhe.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 80.1-7 e Isaías 27 a 28
“Restaura-nos, ó Deus! Faze resplandecer sobre nós o teu rosto, para
que sejamos salvos”. (Salmo 80.3)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 192 29/09/2015 18:06:05


Todos dizem que perdoar é uma ideia admirável,

JUNHO
29 até que tenham algo para perdoar.
C. S. Lewis

É difícil pedir perdão


Um jovem morreu depois de tomar excessivas rodadas de álcool
numa festa estúpida em que havia um concurso para eleger quem
bebia mais e mais rápido.
Da polícia à família, as vozes se levantaram para dizer que a res-
ponsabilidade era dos organizadores da macabra gincana por não
terem disponibilizado uma ambulância equipada com recursos do
tipo CTI no local. A responsabilidade não foi atribuída ao bêbado,
que livremente participou daquela roleta russa, nem aos fabricantes
do líquido mortífero. Nada se falou contra o modo de viver segundo
o qual não se pode viver sem álcool ou não se pode festejar sem ex-
cessos. Nenhuma palavra se levantou contra os outros jovens que o
pressionaram a beber mais e mais, mesmo já sem lucidez.
Para não assumirmos culpas, negamos os fatos. Quando não po-
demos negá-los, jogamos a responsabilidade sobre os ombros de
outros, atribuindo-lhes fardos que são nossos, totalmente ou prin-
cipalmente nossos. Quando a pressão aumenta por causa de nossos
erros, tendemos a fazer como aqueles que, flagrados, explicam seus
gestos e pedem discretas desculpas, não porque tenham se arrepen-
dido, mas porque querem diminuir os pesos que acham que talvez
tenham que carregar. Pessoas maduras erram. Erram privadamente.
Erram publicamente.
Quando erram, pessoas maduras pedem perdão. Pedir perdão pri-
vadamente ou publicamente beira a raridade, porque implica em as-
sumir responsabilidades, o que inclui a prontidão para pagar o preço.
Pessoas maduras sabem que pedir perdão nasce da confiança de
que Deus nos perdoa. Ele não nos livrará de ouvir as vozes que nos
condenam e nem mesmo das necessárias penas que precisaremos
cumprir, mas nos tirará do inferno da culpa que tínhamos e não te-
mos mais, porque fomos perdoados. O perdão nos faz viver em paz.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 80.8-16 e 2Crônicas 29 a 32
“Volta-te para nós, ó Deus dos Exércitos! Dos altos céus olha e vê!
Toma conta desta videira”. (Salmo 80.14)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 193 29/09/2015 18:06:05


Ontem eram ideias contra ideias. Hoje é este fraterno

JUNHO
30 abraço a afirmar que acima das ideias estão os
homens. Um sol tépido a iluminar a paisagem de paz
onde esse abraço se deu, forte e repousante. Que belo
e que natural é ter um amigo!
Miguel Torga

Esperando o
trânsito melhorar
Os dois professores se encontraram depois de muito tempo, agora
reunidos para participarem de uma banca numa universidade, ati-
vidade que desenvolveram muitas vezes na instituição em que tra-
balharam por anos a fio. A história se encarregou de lhes designar
diferentes geografias. Agora terminado o exame, tomaram o cami-
nho da rua. Postos os pés na calçada, o mais velho deles propôs:
— O trânsito está péssimo. Que tal tomarmos um café?
Encontraram cadeiras vazias e ocuparam uma mesinha.
E o diálogo teve como roteiro a narrativa de suas vidas desde a
separação.
Duas horas depois, como se tivessem sido alguns minutos, le-
vantaram-se para ir embora e ainda permaneceram tecendo suas
histórias. Um deles anotou:
— Quando morreu o JS, estive no seu funeral, mas não fôra visitá
-lo. Não temos tempo nem para as pessoas que um dia se assentaram
do nosso lado e com as quais rimos e falamos do futuro que juntos
sonhávamos. A vida não pode ser isto. Decidi buscar essas pessoas e
valorizar os encontros amigos, como Jesus tantas vezes fez.
Carreira tinindo, o outro, mais moço, admitiu:
— Eu tenho muitas dificuldades nesta área.
No auge de sua vida, o primeiro também confessou:
— Eu também não sou bom nisto, mas a vida é muito curta.
Seguiram mais um pouco e o mais jovem, agradeceu:
— Esta nossa conversa fez valer o meu dia.
E foram para as suas casas.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 80.17-19 e Isaías 36 a 37
“Faze com que prosperemos de novo, ó SENHOR, Deus Todo-Poderoso!
Mostra-nos a tua misericórdia, e seremos salvos”. (Salmo 80.19)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 194 29/09/2015 18:06:05


JULHO
O que, por que
e para que vivemos?
“O que vivemos?” é pergunta que não fazemos.
“Por que vivemos?” é indagação sempre presente.
“Para que vivemos?” é a resposta que queremos.

“O que vivemos?” é questão que não pode ficar reticente


porque é decisão que, querendo ou não, fazemos:
nossa vida pode ser de plenitude clara ou ausente.
Plenos somos quando amar a Deus e ao outro escolhemos.

“Por que vivemos?” é certeza que alimentar podemos:


vivemos por causa do que Deus todos os dias nos faz,
experiência que nutrimos sobretudo na saúde e na paz.

“Para que vivemos?” é projeto que de Deus recebemos:


ser luz onde há escuridão,
ser alimento onde falta o pão
ser visita para quem está na prisão
ser para o imigrante um irmão.
(Isaías 38.16)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 195 29/09/2015 18:06:05


Ah! Se a vossa liberdade / Zelosamente guardais, /

JULHO
1 Como sois usurpadores / Da liberdade dos mais?
Manuel Bocage

Quando Deus nos pede


Passamos a vida colecionando coisas.
Guardamos até coisas sem serventia, pelo prazer de colecionar
objetos. Em geral, queremos que Deus nos dê coisas, mas Ele, às
vezes, nos tira coisas. Aconteceu com Enéas Tognini (1914-2015).
Ele tinha uma biblioteca imensa e bem atualizada. Nesse ambien-
te, escrevia seus livros e preparava seus estudos.
Ele teve uma experiência iluminadora num encontro com Deus,
no qual Deus não lhe deu coisas, mas lhe confiou uma tarefa que
motivou toda a sua longa existência. Ele tinha o dom da palavra em
todos os seus espaços, com um poderoso jeito de animar pessoas
que saíam dos encontros com ele com uma férrea vontade de fazer
mais e melhor na vida.
Houve, no entanto, um momento que Deus lhe pediu coisas.
Deus lhe pediu livros.
De bem com a vida, Enéas Tognini perguntou a Deus:
— O que queres de mim?
A resposta foi chocante:
— Quero a sua biblioteca.
Deus queria os livros onde ele estudava todos os dias, passando
horas na companhia daqueles autores.
A biblioteca era o seu refúgio. A biblioteca era a sua segurança.
Enéas Tognini entendeu que tinha convertidos os livros, bem arru-
mados, classificados, utilizados e anotados, em ídolos da sua vida.
Ele amava mais os seus livros do que a Deus, como Pedro amava
mais os peixes, os barcos e as redes.
Enéas Tognini perdeu os livros, que distribuiu entre bibliotecas
de instituições de ensino, mas ganhou um senso de missão que
nunca arrefeceu. Deus nos pede coisas. Diante do pedido feito a
nós, a decisão nos cabe. Do que precisamos abrir mão?
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 81.1-7 e Isaías 38 a 39
“Quando estavam aflitos, vocês me chamaram, e eu os salvei. Lá de onde
eu estava escondido, na tempestade, eu lhes respondi”. (Salmo 87.1a)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 196 29/09/2015 18:06:05


Junto com o compromisso espiritual e a

JULHO
2 sobrevivência física, a maior necessidade de um ser
humano é ser compreendido, afirmado e apreciado.
J. Allan Petersen

Vivendo e fazendo viver


A vida é feita para ser vivida.
Alguns de nós, olhando para trás, podem concluir que apenas
sobreviveram: sobreviver é desenvolver atividades que garantam o
mínimo para continuar vivo.
Outros de nós, fazendo uma reflexão, podem entender que ape-
nas subviveram: subviver é viver, diante das possibilidades, aquém
do que poderia.
O melhor é quando podemos nos ajoelhar, encontrando-nos
com Deus e conosco mesmos, e agradecer por ter vivido.
Depois de ter olhado para trás — seja qual for a conclusão — po-
demos olhar para frente. Sim, podemos olhar para frente.
Podemos viver.
Vivemos quando, apesar das dificuldades, vamos além da pró-
pria sobrevivência ou da subvivência.
Vamos além quando ajudamos pessoas a sobreviver, tornando
menos duras as suas vidas, seja materialmente, emocionalmente
ou espiritualmente.
Vamos além quando despertamos nos que subvivem o desejo de
viverem, a partir do que viram em nós.
Vamos além quando aquilo que somos estimula outras pessoas
a almejaram ser como nós somos, contagiadas por nossa alegria
ou nossa coragem ou nossa paz ou nosso bazar de ideias ou nosso
bazar de ideais.
Fomos feitos por Deus para viver.
Fomos feitos por Deus para fazer viver.
Para ler HOJE na Bíblia:
Salmo 81.8-16, 2Crônicas 33 e Isaías 29 a 31
“Como gostaria que o meu povo me ouvisse, que o povo de Israel me
obedecesse! (...) A vocês eu daria o melhor trigo e os alimentaria com
mel do campo, até que ficassem satisfeitos”. (Salmo 81.13 e 16)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 197 29/09/2015 18:06:05


Queremos justiça para os outros

JULHO
3 e misericórdia para nós.
David Hawkins

O juiz que não erra


Muitas pessoas, sobretudo os que ocupam cargos de liderança, es-
queceram-se que um dia foram simples e comuns. Muitas trabalha-
ram pesado, durante muitos anos, para chegarem onde estão. No
entanto, tendo chegado, perderam-se no caminho. Já não sabem
para que estão ali.
Agora fazem o que lhes interessam, surdos para os direitos dos
necessitados e dos oprimidos. O Deus único e verdadeiro não age
assim. Ele livra os fracos, libertando-os das mãos dos governantes
gananciosos.
Todos devemos saber que Deus é o Senhor. Deus é o juiz. No
futebol, é como um juiz que jamais erra nos lances dentro da área.
No tribunal, é como um juiz que julga certo e rápido. Apesar da
injustiça imperante no mundo, Ele tem a história sob o seu con-
trole. Quando lemos a Bíblia com cuidado, vemos esta verdade se
confirmando na história.
A justiça na terra é um assunto de grande interesse para Deus.
Por isto, Ele pede aos que creem nele que “defendam os direitos
dos pobres” (Salmo 82.3). Se ouvíssemos a Deus, haveria justiça e
direito na Terra.
Fomos feitos como deuses (Salmo 84.6), pouco abaixo de Deus.
No entanto, o pecado nos distanciou de Deus, de onde recebíamos
a sabedoria para uma vida santa e justa. Sem esta sabedoria, torna-
mo-nos pessoas muito comuns, tendo perdido a grandeza daquilo
que fazemos, seja onde for. Felizmente, Jesus Cristo veio restabe-
lecer o acesso ao Pai, que de novo nos capacita a ser aquilo para o
que fomos criados.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 82 e Isaías 32 a 35
“Defendam os direitos dos pobres e dos órfãos; sejam justos com os afli-
tos e os necessitados”. (Salmo 82.3)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 198 29/09/2015 18:06:05


A atenção funciona como um músculo:

JULHO
4 pouco utilizada, ela definha; bem utilizada,
ela melhora e se expande.
Daniel Goleman

Vigie para não


perder o foco
Vigie para não se permitir perder o foco.
O sucesso momentâneo pode fazer com que relaxemos ou mes-
mo que nos desviemos do foco. O verdadeiro sucesso será medido
no final.
Se você fez bem uma curva, ótimo, mas você fez apenas uma cur-
va; há outras a frente.
Se precisa perder 20 quilos e já perdeu dois, bata palmas para
você mesmo, mas se você emagrecer apenas dois, você fracassou.
O sucesso, neste caso, tem um nome: 20 quilos a menos. Use a
alegria da conquista temporária como um incentivo, apenas como
um incentivo, numa demonstração de que você pode emagrecer o
quanto precisa.
Elogios podem distrair você, bem como as críticas.
O respeito conquistado pode lhe envaidecer, bem como as oposi-
ções mais duras podem lhe desanimar. No século 5 a.C., Neemias,
um político que tomou para si a tarefa de reconstruir uma cidade
(Jerusalém), tendo tão elevada missão, imaginou que haveria una-
nimidade ao seu redor. Enfrentou uma oposição tão dura que teve
que acrescentar armas de defesa aos seus equipamentos de traba-
lho. Quando os adversários pediram uma conferência, que poderia
representar, no mínimo, perda de tempo, ele mandou-lhes dizer o
seguinte:
— Estou fazendo uma grande obra.
E não perdeu o foco.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 83.1-12 e Naum 1 a 3
“Ó Deus, não te emudeças; não fiques em silêncio nem te detenhas, ó
Deus”. (Salmo 83.1)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 199 29/09/2015 18:06:05


Deus não será diferente amanhã do que é hoje.

JULHO
5 Seu amor por nós é o mesmo. Seu poder para atender
nossas necessidades não mudou.
Jim Cymbala

Deus não está calado


Nossa inquietação diante do silêncio de Deus, isto é, do aparente
silêncio de Deus, se vai quando lemos suas intervenções na história.
Abraão já estava certo que seu filho Isaque seria mesmo sacrifi-
cado, até Deus entrar em ação e lhe mostrar o cordeiro. Moisés já
antevia seu povo boiando morto nas águas do mar Vermelho, até
Deus empurrar as águas para os lados. Inúmeras vezes o povo de
Israel se via derrotado nas batalhas, até Deus tomar o seu lado e
produzir a vitória.
O povo de Israel já estava conformado com o cativeiro e a disper-
são, até Deus retomar suas promessas e os mandar de volta para
casa. Os judeus já estavam cansados do fracasso da lei, que fazia da
sua fé uma religião de castigo e dor, até Jesus rasgar, pela graça, o
véu que os separava do Pai.
Os parentes e amigos de Lázaro já estavam conformados com a
perda do seu querido, até Jesus mandar tirar a pedra e dar a ordem
espetacular: “Sai daí”. Os discípulos já imaginavam como seria sua
vinda sem Jesus Cristo ao seu lado, até Deus o ressuscitar dentre
os mortos.
Devemos confiar que Ele fará, na grande história e nas nossas
histórias, como deseja (Isaías 46.11), como Ele quer (Salmo 115.3).
Confiar é trazer a realidade da soberania de Deus do território da
razão, da história, da Bíblia, para as nossas vidas.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 83.13-18 e 2Crônicas 34 a 35
“Saibam eles que tu, cujo nome é Senhor, somente tu, és o Altíssimo
sobre toda a terra”. (Salmo 83.18)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 200 29/09/2015 18:06:05


Coragem é simplesmente fazer o que precisa

JULHO
6 ser feito mesmo que você esteja assustado e cansado.
Rick Johnson

Tenha a coragem de
assumir compromissos
Tenha a coragem de assumir compromissos. Uma das facetas do
medo é a falta de coragem para firmar compromissos, como se a
vida pudesse ser vivida sem eles. Uma das fontes do medo é a ati-
tude diante da crítica que poderá vir. O medo da crítica mata a
ousadia. Por isto, soa ainda necessário recordar um dos discursos
do presidente norte-americano Theodore Roosevelt em 1910:
“Não é o crítico que importa; nem aquele que aponta onde foi que
o homem tropeçou ou como o autor das façanhas poderia ter fei-
to melhor. O crédito pertence ao homem que está por inteiro na
arena da vida, cujo rosto está manchado de poeira, suor e sangue;
que luta bravamente; que erra, que decepciona, porque não há es-
forço sem erros e decepções; mas que, na verdade, se empenha em
seus feitos; que conhece o entusiasmo, as grandes paixões; que se
entrega a uma causa digna; que, na melhor das hipóteses, conhece
no final o triunfo da grande conquista e que, na pior, se fracassar,
ao menos fracassa ousando grandemente”.
Aquele que sabe que faz parte da família de Deus, e não é mais
estrangeiro e peregrino (Efésios 2.19), pode firmar compromissos.
Os fortes se comprometem. Os fracos se escondem.
O cronista bíblico registra a atitude de Saul. Escolhido rei, quan-
do foi procurado para tomar posse, estava escondido entre a baga-
gem (1Samuel 10.22).
Há muitas pessoas escondidas na bagagem. Creem em Deus,
mas não o suficiente para confiar nele. Creem em Deus, mas não
têm o poder de Deus, porque não pedem para serem fortalecidos
segundo a riqueza da glória de Deus (Efésios 3.14-16).
Seja o seu caminho ousar. Quem ousa realiza.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 84.1-4 e Jeremias 1 a 4
“Como são felizes os que em ti encontram sua força, e os que são pere-
grinos de coração!”. (Salmo 84.5)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 201 29/09/2015 18:06:05


O perdão é a necessidade mais profunda

JULHO
7 do ser humano e a sua maior realização.
Horace Bushnell

Completamente perdoados
Deus é bom. Por isto, continua viva a promessa da restauração,
tanto no plano espiritual quanto no plano emocional.
Nossos pecados foram lançados no fundo mar (Miqueias 7.19).
A sentença foi rasgada e não sobrou cópia (Colossenses 2.13-15).
No plano espiritual, não permitamos que nada nos tire a alegria
deste perdão.
No plano emocional, não nos deixemos escravizar outra vez.
Se temos um vício, não façamos dele uma prática na expectati-
va do abrigo do perdão de Deus. Ponhamos nosso vício diante de
Deus, para que Ele nos perdoe e nos liberte.
Se temos um trauma, não façamos dele uma desculpa para con-
tinuar nos ferindo. Ponhamos nosso trauma no colo de Deus e vi-
veremos livres.
Se temos uma compulsão, seja ela qual for, não façamos dela
um guarda-chuva para a uma vida enfraquecida. Ponhamos nossa
compulsão no altar de Deus e peçamos a Deus que nos ajude a ficar
libertos.
Perdoemo-nos a nós mesmos. Sejamos misericordiosos conosco.
Deus já nos perdoou.
Decidamos viver como somos ou podemos ser: perdoados por
Deus, completamente perdoados.
Não aceitemos a mentira que nos diz que o que o fizemos ou até
fazemos é grave demais para ser perdoado. As pessoas podem não
nos perdoar. Nós mesmos podemos não nos perdoar. Deus, quan-
do vamos a Ele em sinceridade, nos perdoa sempre e totalmente.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 84.5-12 e Jeremias 5 e 6
“O Melhor é um dia nos teus átrios do que mil noutro lugar; prefiro
ficar à porta da casa do meu Deus a habitar nas tendas dos ímpios”.
(Salmo 84.10)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 202 29/09/2015 18:06:05


Ser feliz é desfrutar de um sentimento plantado e

JULHO
8 regado no nosso íntimo. Este sentimento nos ajuda a
aprender a enfrentar diariamente, situações difíceis
que surgem em nossas vidas, sem perdermos a
verdadeira ‘alegria do Senhor, que é a nossa força’.
Maria de Jesus Evangelista

A felicidade existe (7/12)


Há uma diferença entre o real e o ideal. O real é o que é. O ideal é o
que pode ser. O problema é quando, contentando-nos com o ideal,
não nos pomos a caminho para levá-lo à condição de verdade.
O ideal descreve o que queremos ser. A verdade oferece os con-
tornos do que somos. Se este cuidado não nos ocupa, podemos nos
satisfazer com as idealizações que fazemos de nós mesmos, de nos-
so trabalho, de nossa família, de nossa organização.
No plano do trabalho, o ideal é que todos os colegas se respeitem e
visem o bem comum. Se a maioria se empenhar, independentemen-
te da hierarquia preenchida, na procura do ideal, ele terá chances de
se realizar, nem que seja parcialmente. No plano da família, o ideal é
que os laços de amor sejam tão fortes que o interesse pessoal ceda ao
da família, de modo que a felicidade seja vista como um bem comum
e não como algo apenas individual, numa celebração escancarada do
egocentrismo. Como somos naturalmente egoístas, precisamos nos
lembrar que o ideal da solidariedade não se torna real sem que nos
dispamos do nosso excessivo individualismo.
Devemos ser ambiciosos (no bom sentido) em projetar o ideal.
Devemos ser modestos (também no bom sentido) na descrição dos
passos dados. Devemos idealizar, sem fantasiar.
Quando nos apresentamos aos outros como gostaríamos de ser,
continuamos sendo o que somos. O próximo passo pode ser a decep-
ção quando o outro se encontra conosco. Não devemos ter medo da
verdade — a de que somos de carne e osso —, isto é, somos imper-
feitos. Ao mesmo tempo, devemos buscar a perfeição como um ideal
permanente em nossas vidas. [CONTINUA em 17/8]
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 85.1-7 e Jeremias 7 e 26
“Perdoaste a iniquidade de teu povo, encobriste os seus pecados todos”.
(Salmo 85.2)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 203 29/09/2015 18:06:05


Um dos maiores obstáculos que enfrentamos na

JULHO
9 tentativa de realizar o nosso potencial é o medo de
cometer um erro, o bem humano temor do fracasso.
E, no entanto, a excelência se baseia no fracasso,
geralmente um fracasso após o outro.
Ted Engstrom

Somos cascas de ovos (1/2)


Uma chuva fina cai sobre o jardim. Se as nuvens se recolherem, o
sol secará cada gota lançada sobre a terra. A Bíblia mesma compara
a nossa vida a uma chuva fina, que pode cessar em instantes, sem
deixar muita lembrança. As Sagradas Escrituras nos lembram que
a vida é como a grama que embeleza um jardim. Podemos contem-
plar suas formas ou pisar sobre ela, amassando-a ou mesmo secan-
do-a de vez. Outras imagens são possíveis. Há gente, por exemplo,
que é como casca de ovo. Um sorriso que não foi lhe dado é recebido
como uma prova inequívoca de desamor. Ao longo da vida, vamos
sendo atacados, voluntariamente ou não. Uns vamos ficando mais
fortes a cada golpe. Outros vamos ficando mais fracos a cada ataque,
prisioneiros de uma prisão sem grades.
Nossos corpos são também como gramas de um jardim ou casca de
um ovo. A grama anuncia o jardim. A casca contém alimento que gera
força. Mesmo que cuidemos do corpo, ele pode cessar de uma hora
para a outra. Pode ser depois de uma doença dura; pode ser depois de
uma cirurgia considerada simples e que se complica. Nesse momento,
o futuro termina e, para os que ficam, se torna uma amarga saudade.
Então, nosso negócio é o presente. O futuro tem regras que não
conhecemos. O passado é lembrança como o sonho da noite.
Se temos esperança que a vida é mais que a duração dos anos
aqui e que já temos para nós o lugar que Jesus está preparando,
vivemos o presente sem medo, embora ele seja assustador.
E o que fazemos diante da nossa evidente fragilidade no presente?
Eis o que cada um de nós deve pensar para viver bem. [CONTI-
NUA amanhã]
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 85.8-13 e Jeremias 8 a 10
“Escutarei o que Deus, o SENHOR, disser, pois falará de paz ao seu povo
e aos seus santos; e que jamais caiam em insensatez”. (Salmo 85.8)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 204 29/09/2015 18:06:05


Reconhecer suas imperfeições não significa que você

JULHO
10 [é um fracasso, mas que você admite que é humano.
Gary Chapman

Somos cascas de ovos (2/2)


Já que somos relva fina em que se pisa, raio de sol que brilha e se
esconde atrás da nuvem, casca de ovo que não resiste ao toque, o
primeiro ato de coragem a tomar é reconhecermos que somos re-
almente frágeis e efêmeros, mas sem nos esquecermos que somos
amados por Deus.
Amados por Deus, devemos nos importar com o que importa.
Quando ouvimos mentiras sobre nós (etiquetas que não nos defi-
nem, como “feio”, “burro”, “incapaz”, “diferente”), devemos colocá
-las no lugar delas: no lixo, a fim de que sigam seu destino.
Se somos sensíveis às brisas dos eventos em nossas vidas e dos
comentários a nosso respeito, devemos nos perguntar por que. Já
não basta a nossa fragilidade?
Perdoemos aos que nos oprimiram e reprimiram, peçamos a
Deus para que nos transforme para que não oprimamos e repri-
mamos os outros — em tola repetição de nossas desgraças — e
sigamos em frente de cabeça erguida, porque temos muito a ser, a
amar, a fazer e a ter.
Vivamos intensamente a nossa vida, que, mesmo que longa por
aqui, será breve, se comparada à eternidade. Viver intensamente
é não perder tempo com o que nada nos acrescenta, com traba-
lhos que adoecem, com relacionamentos que nos destroem, com
diversões que não divertem, com afirmações que, se acreditarem,
não farão a menor diferença, com demonstrações de status que nos
deixam apenas ridículos, com disfarces para exibir uma força que
não temos.
E aqui vamos nós, relva fina, raio de sol, casca de ovo, com proje-
tos a realizar, pedindo a Deus que nos ajude a ser o que Ele deseja
que sejamos, com humildade e coragem. Somos o que somos, mas
podemos ser o que devemos ser.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 86.1-5 e Sofonias 1 a 3
“Ó SENHOR Deus, escuta-me e responde-me, pois estou fraco e neces-
sitado!”. (Salmo 86.1)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 205 29/09/2015 18:06:06


São quatro os passos para o sucesso:

JULHO
11 planejar bem, preparar em oração, agir
positivamente e persistir com perseverança.
William Arthur Ward

Nossa certeza
Devemos pedir insistentemente que Deus veja o nosso estado de
necessidade e supra a nossa vida dos elementos que precisamos
para seguir em frente. Precisamos ter de volta a alegria do nosso
coração, desaparecida diante das circunstâncias ruins da vida.
Nossa oração deve se fundamentar no caráter de Deus, que res-
ponde as orações dos seus filhos e que faz coisas incríveis na vida
daqueles que o amam.
Por experiências próprias, como o poeta bíblico, sabemos que,
no turbilhão das dificuldades, aquele que crê em Deus sabe que Ele
está atento ao seu pedido e age para suprir as carências dos aflitos.
Esta é a nossa certeza.
Nas palavras bíblicas, Deus é suficientemente poderoso para
nos fazer mais do que pedimos ou pensamos (Efésios 3.20). Sim, é
suficientemente poderoso para nos fazer o que pedimos e é igual-
mente poderoso para nos conceder o que pensamos em pedir, mas
ainda não pedimos.
Podemos ampliar, para dizer que Deus é suficientemente pode-
roso para nos oferecer aquilo que apenas imaginamos. Talvez não
venhamos a receber, por não pedirmos. Talvez recebamos tendo
apenas imaginado, porque Deus conhece os nossos pensamentos,
até aqueles ainda não claramente formulados. Dependerá dele.
Quanto a nós, devemos pedir, na certeza de que somos ouvidos.
Para ler HOJE na Bíblia:
Salmo 86.6-10, 2Crônicas 36 e Isaías 18 e 19
“Em tempos de angústia eu te chamo, pois tu me respondes”.
(Salmo 86.7)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 206 29/09/2015 18:06:06


Pouco importa a fonte de nossa dor; devemos aceitar

JULHO
12 que Deus sabe, Deus ama e Deus está em ação.
Charles Stanley

A dor que mais dói


Viemos à vida em meio a sorrisos e lágrimas. Partiremos em meio
a dores no nosso corpo e na alma dos que nos amam.
E o intervalo entre estes dois momentos é feito de dores, das
quais as cólicas renais e biliares ocupam o topo das escalas.
No entanto, as dores não são realmente comparáveis. Como
pode alguém dizer que a sua dor é maior do que a do outro, se a
recepção da dor é exclusiva e intransferível?
Não são algumas dores bem recebidas, como a do parto que traz
a vida e a do atleta que quer vencer? Não somos até gratos pela dor
da cirurgia que nos salvou da morte?
Dores são reais; por isto, fazemos tudo para não senti-las em
nosso corpo. Difícil é nos livrar das que mais doem, que são as do-
res na alma. A dor da depressão nos incapacita para a luta. A dor
da rejeição nos fecha para o amor. A dor do medo nos aprisiona. A
dor do abandono é como uma agulha que não sai da carne. A dor
psíquica nos faz andar em círculos, sem sentido.
Nessas horas, precisamos reunir as débeis forças que nos restam
para pedir socorro. Não é fácil porque dói pedir socorro. Na caverna,
em que a escuridão nos impede de ver, carecemos de alguém que
nos conduza para onde o sol bate. A porta da prisão se abre por fora.
Quando sofremos no corpo, saímos em busca de ajuda, mesmo
cambaleantes.
De igual modo, se estamos sofrendo as dores invisíveis da alma,
precisamos pedir ajuda, mesmo com voz tênue, mesmo que nos
arrastando por entre os escombros de nossas lembranças tristes.
E se estamos no lugar de perceber a dor do outro, devemos agra-
decer a Deus por tê-la visto, pedir a Ele que nos capacite e, com
firmeza, tomar pela mão carinhosamente o que sofre para ajudá-lo
a caminhar em direção à vida.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 86.11-17 e Jeremias 28 a 31
“Ó SENHOR Deus, ensina-me o que queres que eu faça, e eu te obedece-
rei fielmente! Ensina-me a te servir com toda a devoção”. (Salmo 86.11)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 207 29/09/2015 18:06:06


Muitas vezes temos dificuldade em ver

JULHO
13 além da nossa dor, mas devemos tentar.
Ruth Graham

De volta à vida
Deus “não é Deus de mortos e sim de vivos” (Mateus 22.32) —
Esta é uma das mais enigmáticas frases de Jesus.
Desde muito cedo, os chamados à morte são poderosos.
Uma decepção, com uma pessoa, com uma ideologia, com uma
religião, com um sistema ou com a nossa própria família nos mos-
tra que não vale a pena viver. É difícil pensar o contrário.
Uma frustração faz com que diminuamos o ritmo da corrida e
pode nos levar a parar de andar. É difícil ter de volta o vigor.
Uma doença nos chega como um decreto que, se não for certa
a morte, a vida também não valerá a pena. É difícil imaginar uma
história viva para nós.
A morte de uma pessoa muito próxima nos empurra para dentro
do lamento como uma afirmação da completa falta de sentido da
vida sem aquele ou aquela que nos deixou. É difícil ter vontade de
acordar a cada manhã.
No entanto, promete Jesus, Deus nos chama para a vida. Deus
nos atrai para a vida, como se fosse um ímã. Deus nos envia pesso-
as que nos aceitam e se assentam ao nosso lado. Deus nos dá ou-
tros sonhos, ao nos garantir que está conosco. Deus nos empurra
para novos horizontes, percorridos com Ele ao nosso lado. Deus
nos alimenta com esperança, mesmo que, por dentro, a enfermida-
de nos corroa ainda. Deus nos enxuga todas as lágrimas e inspira
nossos lábios, mesmo marejados, a esboçar um sorriso.
Deus “não é Deus de mortos e sim de vivos” — Esta é uma das
mais poderosas frases de Jesus, porque nos mostra que Deus nos
chama para a vida.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 87 e Jeremias 36, 45 e 25
“O SENHOR escreverá uma lista dos povos, e nela todos eles serão ci-
dadãos de Jerusalém”. (Salmo 87.6)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 208 29/09/2015 18:06:06


No fundo, nossas palavras revelam

JULHO
14 sempre os sintomas de nossa enfermidade.
Karen Burton Mains

A temperatura
das palavras
As palavras têm temperatura. Às vezes, estão com febre.
Quando as ideias circulam, aplaudimos umas, como se as tivés-
semos pensado, e discordamos de outras, que julgamos impró-
prias, impertinentes, inadequadas, infelizes, injuriosas.
Diante das ideias que não aprovamos, é que a febre pode vir, re-
velando a nossa enfermidade.
Em lugar de apenas apor nosso selo de rejeição, nós partimos
para o debate, o que é muito salutar. Ideias devem ser partilhadas
e compartilhadas, ideias devem ser debatidas e combatidas. O pro-
cesso se aplica às nossas ideias e às ideias dos outros.
Diante das ideias dos outros, devemos argumentar, como aceita-
mos que façam quando esposamos as nossas perspectivas.
Não precisamos atacar o emissor das ideias com as quais não
concordamos. Por mais absurdo que nos soe o que alguém nos
diz, devemos combater o que foi dito, não quem o disse. As ideias
merecem adjetivos, não os seus autores. Quando nos exaltamos e
ofendemos aquele que se posta no campo oposto ao nosso, perde-
mos a razão que imaginamos ter. E se o outro lado se expressa com
violência, lembremos que nós nos tornamos iguais a quem comba-
temos se, por exemplo, apelamos para o xingamento.
No debate, nunca devemos deixar de lado o respeito pelo outro.
No debate, sempre devemos tratar o outro como gostaríamos de
ser tratados, mesmo quando estamos errados. No debate, deve-
mos também considerar que podemos trocar de lado, defendendo
ideias hoje que ontem repudiávamos.
Desclassificar o outro nos desclassifica. A razão não precisa ser
gritada. A verdade não precisa de palavrão. Quando debatemos,
precisamos prestar atenção no termômetro das nossas palavras.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 88.1-13 e Jeremias 40 e 41
“Ó SENHOR, Deus da minha salvação, dia e noite clamo diante de ti”.
(Salmo 88.1)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 209 29/09/2015 18:06:06


Cada dia é um dom, certamente

JULHO
15 precioso e de grande valor.
Luci Shaw

Desapologia do futebol
O futebol tornou-se mais que jogo para quem joga e passatempo
para quem vê. Futebol é economia. Parte do capital do mundo gira
em torno do que acontece nas quatro linhas. Por esta razão, a desi-
gualdade é um dos seus paradigmas, como no mundo real. Uns jo-
gadores recebem milhões num mês e outros atuam subnutridos ao
longo da sua vida. Futebol é ideologia. Nele, o lazer recebe o con-
dão de ser visto como a finalidade da vida Futebol é idolatria, como
se fosse uma religião, na qual os jogadores são reverenciados como
deuses. Para os torcedores, vencer é adentrar os muros do céu.
Precisamos colocar o futebol no seu lugar.
Torçamos, mas não esperemos o dia do jogo como se fosse um dia
de adoração Apreciemos a arte da bela jogada, mas não a tratemos
como o sentido da nossa vida Recordemos que a derrota ou a vitória
do nosso time não nos acrescenta nada. Foi apenas um jogo.
Não ataquemos os torcedores dos outros clubes, como se fossem
piores do que nós porque torcem por outros clubes Não faltemos
aos nossos compromissos por causa de uma partida num campo.
Não aplaudamos as faltas numa partida, nem as fraudes levanta-
das em busca de um triunfo. Não absolvamos os dirigentes que
mentem dentro e fora do campo. A moral não está suspensa. Não
obriguemos nossos filhos a escolher os nossos times.
O futebol é apenas diversão, espetáculo e brincadeira. Dura al-
guns minutos. Não pode ser uma paixão
Assim, a camisa, que identifica o nosso time e vende marcas
alheias, é para ser usada nos estádios, nas ruas, não nas reparti-
ções e nas igrejas.
O futebol não é uma ideia. Não tem ideal. Não tem significado.
Deve ser celebrado quando for arte e abominado quando for estu-
pidez. É apenas uma forma de lazer, como outras.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 88.14-18 e Jeremias 35 e 22
“Ó SENHOR Deus, eu te chamo pedindo ajuda; todas as manhãs eu
oro a ti”. (Salmo 88.13)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 210 29/09/2015 18:06:06


Você tem talentos, habilidades e competências.

JULHO
16 Quais dos seus dons enriquecem sua vida e as vidas
das pessoas ao seu redor?
Virginia Ann Froehle

Aperte com
capricho o parafuso
Ele era um jovem recém-formado em Direito. Foi aprovado num
concurso para trabalhar na área administrativa de nível técnico,
aquém de sua formação, num Tribunal de Justiça.
O ex-menino pobre que passou dificuldade para comer e estudar
passou no concurso.
Já no seu trabalho, entra um dia uma juíza do Tribunal. Ela pede
um processo. Vários funcionários estão na sala. Procuram pelo
processo. A juíza deixa a sala. Todos param de procurar, menos um.
É o recém-formado. Em sua busca, localiza o processo. Está no
alto de uma pilha numa estante muito elevada.
Ele improvisa uma escada e sobe para pegar a pasta. Os colegas
debocham.
A juíza entra, de novo. Todos se calam. O novo profissional ainda
está descendo, com o volume na mão. Entrega-o à juíza.
A vida segue. Anos depois, a juíza é promovida a desembargado-
ra e, depois, escolhida para presidir o Tribunal. Ela precisa de um
diretor. Chama o jovem que lhe pegara o processo no alto de uma
pilha anos atrás e o convida para o cargo. Ele pergunta:
— Por que?
Ela responde:
— Eu preciso de pessoas dedicadas como você.
Na verdade, ele fez apenas a sua obrigação, mas fez com dedi-
cação.
Desperdiça uma oportunidade aquele que faz de qualquer ma-
neira o que lhe vem as mãos para fazer, mesmo que ninguém esteja
vendo. Pode ser que a nossa tarefa seja apertar um parafuso. Quem
o aperta com dedicação é feliz.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 89.1-7 e Jeremias 11 a 14
“Cantarei para sempre o amor do Senhor; com minha boca anunciarei
a tua fidelidade por todas as gerações”. (Salmo 89.1)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 211 29/09/2015 18:06:06


A fé maior nasce na hora de desespero.

JULHO
17 Quando não vemos a esperança e nem saída,
então a fé surge e conduz à vitória.
Lee Roberson

Buscando a vitória
A grandeza de Deus é a base para a nossa coragem.
Esta verdade está na base das grandes vitórias, como as registra-
das na Bíblia.
Sem esta visão, não nos levantamos para vencer.
Se fôssemos espiões vasculhando a terra prometida, nós nos ali-
nharíamos entre os dez, que viram os inimigos como invencíveis, e
não como os dois, que viram Deus como maior do que eles.
Se fôssemos Débora, nós diríamos que guerra é coisa para ho-
mem e colheríamos a derrota junto com o povo.
Se fôssemos Gideão, passaríamos a tarefa para os irmãos mais
velhos.
Se fôssemos Davi, não ousaríamos desafiar o invencível Golias,
porque preferiríamos ficar no papel que nossa família nos designou.
Se fôssemos Elias, tremeríamos diante de 400 profetas e, depois,
nem precisaríamos nos esconder em alguma caverna.
Se fôssemos Jeremias, concordaríamos em falar o que os gran-
des da terra pediam, não o que Deus mandava, já que o risco era
grande.
A fé em Deus nos faz ver os problemas de um modo diferente.
Como aprendemos na história de Neemias, precisamos orar e
trabalhar (Neemias 4.9). Orar pode ser um refúgio para a inércia.
Trabalhar pode ser um refúgio para a autodependência. Orar e tra-
balhar — eis o segredo da vitória. Só orar é insuficiente. Só traba-
lhar é incompleto.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 89.8-14 e Jeremias 15 a 17
“Ó Senhor, Deus dos Exércitos, quem é semelhante a ti? És poderoso,
Senhor, envolto em tua fidelidade”. (Salmo 89.8)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 212 29/09/2015 18:06:06


A inveja é uma doença infecciosa.

JULHO
18 Da mesma forma como a infecção se espalha
corrompendo o que é saudável, assim também tão
logo surge a inveja, ela transforma até mesmo as
melhores ações em mau cheiro.
Francis Bacon

Genealogia da inveja
A raiz da inveja é a comparação. O invejoso primeiro olha e desdenha.
Depois lamenta: “por que eles têm e eu, não?” O invejoso colhe as fo-
lhas da amargura e da tristeza. Portanto, não adianta ceifar os ramos
ou recolher os frutos. É preciso radicalizar, de dentro para fora.
Se nos amamos, não devemos nos comparar ao outro, por amor
a nós mesmos. Se amamos o nosso próximo, devemos ficar felizes
com o que ele tem, como ele está, mesmo que, aparentemente, es-
teja melhor que nós. O que nós somos, o que nós temos, não de-
pende do que o outro é. Quando a tentação da comparação chegar,
atente para os seguintes cuidados:
1. Admita que você sente inveja, de vez em quando ou como um
estilo de vida.
2. Corajosamente chame a inveja do que ela é: pecado. Pecado porque
se trata de uma suspeita que Deus não está sendo justo com você.
3. Pense também no que ela fez com você, na pessoa amargurada
que você se tornou.
4. Corte a raiz e lance-a fora. Pare de se comparar aos outros. Você
sequer os conhece.
5. Reavalie os seus desejos. Se são legítimos, cultive-os até os re-
alizar. Isso lhe trará paz, porque “a paz de espírito dá saúde ao
corpo, mas a inveja destrói como câncer” (Provérbios 14.30).
6. Lembre-se de que tudo é graça. O que você recebe e o que o ou-
tro recebe. Talvez o outro não o mereça. Nem você. Mas o que é
recebido de Deus não é merecido: é graça.
Tenha como alvo viver pela graça. Nesse compasso, não há inveja
nem amargura.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 89.15 e Jeremias 18 a 20
“Como é feliz o povo que aprendeu a aclamar-te, Senhor, e que anda na
luz da tua presença!”. (Salmo 89.15)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 213 29/09/2015 18:06:06


A solidão é muito bela... quando

JULHO
19 se tem alguém a quem o dizer.
Gustavo Adolfo Becquer

Quem é o outro
Para rir, precisamos do outro.
Para falar, precisamos do outro.
Para chorar, precisamos do outro.
Para amar, precisamos do outro.
Para cultuar, precisamos do outro.
Para nos entendermos a nós mesmos, precisamos do outro.
Para sermos relevantes, precisamos do outro.
Pessoas de verdade são relacionais.
Deus é relacional.
Cada um de nós precisa do outro, que devemos ter como melhor
do que nós.
Se olharmos para as pessoas de nossa família ou de nosso traba-
lho ou de nossa igreja e as julgarmos como piores do que nós, não
teremos amizade com elas. Poderemos usá-las e depois descartá-
-las. Poderemos ter breves contatos para nossos próprios interes-
ses, como se fossem apenas coisas.
Não temos amigos para receber deles, mas para lhes oferecer.
Somos como instrumentistas numa orquestra, oferecendo o me-
lhor para a música que todos tocam. A beleza da orquestra não vem
do maestro ou de um instrumentista em particular; antes, vem da
entrega de cada instrumentista ao seu instrumento.
Temos amigos para os fortalecermos. Quando eles fazem o mes-
mo conosco, também somos fortalecidos. O círculo virtuoso pode
começar conosco, mesmo que o outro não responda. Quando co-
meça com o outro, sejamos sábios para responder.
Há um outro modo de viver, longe da escravidão ao egoísmo e
ao interesse próprio. Se acreditarmos que a alegria do outro nos
fortalece, nós a veremos em nossos próprios rostos também.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 89.16-37 e Jeremias 46 a 48
“Senhor, tu és a nossa glória e a nossa força, e pelo teu favor exaltas a
nossa força”. (Salmo 89.17)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 214 29/09/2015 18:06:06


Num mundo que se faz deserto,

JULHO
20 temos sede de encontrar um amigo.
Antoine de Saint-Exupéry

O prazer do elogio
(Dia do Amigo)
Se o ambiente em que vivemos é minimamente saudável, somos elo-
giados. Uma palavra boa que proferimos pode receber um parágrafo
de aprovação. Um gesto generoso de nossa parte pode gerar uma
coroa de flores de gratidão. As formas do elogio podem ganhar di-
ferentes contornos, como um comentário, um sorriso, um abraço.
Nestes casos, como devemos reagir?
O elogio pode polir a nossa vaidade. Neste caso, podemos ser
levados a pensar que somos mais capazes ou mais fortes ou mais
velozes ou mais bonitos do que somos. Podemos passar a depen-
der dos elogios. Podemos passar a comprar os elogios ou mesmo a
mendigá-los. Está acesa a luz vermelha do perigo.
O elogio pode colidir com a avaliação que fazemos de nós mes-
mos. Talvez por um problema nosso, de autoestima baixa, descar-
tamos palavras sinceras, as quais deveríamos receber como um
estímulo para fazer melhor o que já fazemos.
Todo elogio exige muito cuidado de nossa parte.
Se forem sinceros, privados ou públicos, devem receber, pelo me-
nos, um “muito obrigado”. Nossa gratidão estimulará o elogiador
a continuar vendo virtudes nos outros, num movimento capaz de
ajudar o mundo a ser melhor porque a virtude muda as coisas.
Se forem mentirosos ou interesseiros, devemos incinerá-los.
Além de recebermos os elogios honestos como estímulos, deve-
mos viver de tal modo a merecê-los como verdadeiros. Se disse-
ram que falamos bem, vamos falar melhor. Se disseram que fomos
atenciosos, vamos ser ainda mais cuidadosos.
Diante de um elogio bom, notemos o quanto ele nos fez bem e
também nos lembremos que o elogio que proferimos fará bem a
quem o ouvir, como nos animou aquele que escutamos.
Vamos criticar menos e elogiar mais?
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 89.38-52 e Jeremias 49 a 51
“Que homem pode viver e não ver a morte, ou livrar-se do poder da
sepultura?”. (Salmo 89.48)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 215 29/09/2015 18:06:06


Estamos todos num mesmo barco, em mar tempes-

JULHO
21 tuoso, e devemos uns aos outros uma terrível lealdade.
G.K. Chesterton

Convivendo com pessoas


imperfeitas (1/2)
Pessoas imperfeitas se aproximam de nós. Algumas estão em nos-
sas casas. Outras são colegas de trabalho ou de outros ambientes.
Entre as suas imperfeições estão coisas banais. Falam alto ou
baixo demais. Nunca chegam à hora a um compromisso. Às refei-
ções, não gostam disto, não gostam daquilo. São excessivamente
sensíveis e se magoam com palavras leves. Não têm pudor em con-
tar “vantagens”. Chegam a ser grosseiras, por vezes.
Elas podem nos incomodar com imperfeições estruturais. Po-
dem ser egoístas, como o empresário Pedro. Podem ser tempera-
mentais, como o velho Noé. Podem desconfiar de todos, até de
nós, como o cético Tomé. Podem ser exigentes demais, querendo a
perfeição dos outros, como o poeta Saulo de Tarso. Mentem, como
o nômade Abraão. Ambicionam, como o jovem José, filho de Jacó.
Diante dessas pessoas imperfeitas, levanta-se uma certeza: não
podemos permitir que as atitudes que reprovamos nelas se tornem,
pelo convívio, as nossas. No entanto, não devemos descartá-las e
sair em busca de uma freguesia melhor. Também não devemos ar-
rogantemente nos empenhar em mudá-las. Nosso ideal já foi posto
pelo nosso Criador: “ande comigo e seja perfeito” (Gênesis 17.1).
Entendemos a perfeita proposta observando a prática de Jesus
Cristo, que viveu segundo o princípio de que devemos fazer pelos
outros o que queremos que façam conosco (Mateus 7.12).
Assim, devemos aceitar nossos amigos, como eles são. Não gos-
tamos de ser aceitos? Faremos bem se mantivermos no nosso foco
as qualidades dos nossos amigos. Se é para julgar, separemos as
virtudes e os defeitos, mas iluminemos as virtudes, que geralmen-
te são em maior número que as falhas. Nossos amigos nos agrade-
cerão. Nós lhes agradeceremos. [CONTINUA amanhã]
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 90.1-7 e Habacuque 1 a 3
“SENHOR, tu tens sido o nosso refúgio, de geração em geração”.
(Salmo 90.1)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 216 29/09/2015 18:06:06


As pessoas são solitárias porque

JULHO
22 constroem paredes em vez de pontes.
Joseph F. Newton

Convivendo com pessoas


imperfeitas (2/2)
Para aceitar nossos amigos imperfeitos, devemos compreendê-los
a partir das histórias deles. Talvez alguns deles sejam, comparati-
vamente, muito melhores do que nós seríamos, consideradas as
heranças que tiveram e que nós não tivemos, como pais frios ou ran-
corosos, parentes abusadores, irmãos cruéis, com infâncias vividas
em condições de extrema escassez e mesmo rejeições e abandonos.
Amigos assim precisam de nossas orações, como nós delas pre-
cisaríamos se estivéssemos nas peles das suas vidas. Amigos assim
precisam de boas companhias. Diante dos amigos imperfeitos que
nos cercam, não devemos desistir deles e sair em busca de amigos
melhores, que talvez não estejam disponíveis. Sempre devemos
confiantemente nos lembrar que também não somos perfeitos e
ainda assim temos amigos, graças a Deus. Diante dos nossos im-
perfeitos amigos, devemos desistir de ajudá-los a mudar?
Nós mesmos devemos nos colocar neste caminho, desejando
corajosamente mudar o que precisa ser mudado em nós. Nossos
amigos nos verão. Neste itinerário, devemos emoldurar a placa de
Jesus: “os que têm saúde não precisam de médico” (Marcos 2.17).
A partir daí, Ele suavemente deu a mão aos doentes que o procura-
ram, oferecendo-lhes humildemente a oportunidade de seguirem
com Ele rumo à perfeição. Ele não impôs; Ele convidou com a sua
vida e com as suas palavras. Jesus nos convida para sermos o que
somos: iguais, iguais aos imperfeitos.
Perfeitos seremos quando nos aceitarmos como imperfeitos e
quando aceitamos os imperfeitos em nossa companhia.
Felizes seremos quando nos pusermos no caminho de uma vida
que busca a perfeição, primeiramente para nós mesmos.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 90.8-11 e Joel 1 a 3
“A duração da nossa vida é de setenta anos, e se alguns, pela sua ro-
bustez, chegam a oitenta anos, o melhor deles é canseira e enfado, pois
passa rapidamente, e nós voamos”. (Salmo 90.10)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 217 29/09/2015 18:06:06


Deus pode fazer crescer um cogumelo durante

JULHO
23 a noite, mas vai levar tempo para fazer crescer
um carvalho ou uma sequoia gigante.
Warren Wiersbe

O presente do tempo
Vivemos com três recursos: conhecimento, dinheiro e tempo.
Conhecimento conquistamos observando, escutando e estudando.
Dinheiro adquirimos trabalhando. Esta é a regra, admitidas al-
gumas raras exceções. Tempo recebemos. É uma dádiva, que pode
ser reconhecida a cada manhã ou em todo momento em que faze-
mos uma revisão de nossas vidas.
O que fazemos com o conhecimento que conquistamos? Os ver-
dadeiramente sábios o disseminam. O que fazemos com o dinheiro
que adquirimos? Os apenas ricos o multiplicam e os ricos e genero-
sos o redistribuem. Estes têm que ser sábios para não virarem seus
escravos nem ingênuos diante de tantas mãos que o pedem.
Quanto ao tempo, podemos nos esquecer que o recebemos como
dádiva e passar a classificá-lo na mesma categoria do conhecimen-
to e do dinheiro. Podemos organizá-lo em frações como se fossem
moedas a ser protegidas, vivê-lo em ritmos que nos cansam os
músculos e as emoções e permitir que nos dominem como se tives-
se vida própria. Então, nestes casos, não temos tempo para nada.
Não temos tempo sequer para fruir o presente recebido. Não te-
mos tempo para celebrar as amizades. Não temos tempo para estar
com aqueles que precisam de um abraço regado a silêncios que os
confortem ou a palavras que os orientem.
Podemos fazer no dia o que nele cabe ou tentar colocar o que não
cabe, como desvairados que perderam o controle dos seus senti-
dos. Quem é sábio coloca em sua agenda o que é necessário.
E, para hoje, a nossa missão, que o estilo de muitos tem torna-
do impossível, é fazer brilhar na constelação das horas o desejo
de dedicar parte do nosso tempo para estar com pessoas e tornar
melhores as vidas em questão, a nossa e as dos outros.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 90.8-11 e Jeremias 52 e 21
“Ensina-nos a contar os nossos dias, de tal maneira que alcancemos
coração sábio”. (Salmo 90.12)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 218 29/09/2015 18:06:06


Cada pessoa que eu encontro é superior a mim

JULHO
24 em algum aspecto sobre o qual eu aprendo algo.
Ralph Emerson

Ouça os mais velhos


Nossa cultura trata mal os seus velhos. Se é verdade que há muitas
leis, boas por sinal, para os proteger, ainda assim são vistas como
peso e não com respeito. A maioria das empresas dispensam seus
mais velhos, quando estão no auge de sua capacidade produtiva.
Um bom princípio na tomada de decisões é escutar os mais ve-
lhos. Pode ser que não tenham a mesma instrução escolar que nós,
mas têm a formação da vida. A sabedoria é o verdadeiro diploma.
Afinal, com quantos cursos se faz um sábio?
Um caso real nos ajuda a ver o valor dos mais velhos.
Um profissional de meia idade, doutor em sua área, teve que to-
mar uma decisão. Sem saber como proceder, ele reuniu uma cole-
ção de amigos numa sala e pediu a opinião de cada um.
O conselho mais sábio veio de um amigo que estivera em silên-
cio todo o tempo, talvez receoso de falar diante dos currículos dos
outros conselheiros convocados.
Não podemos desprezar o conhecimento da experiência, guar-
dado na memória dos mais velhos. Nossos pais estão entre essas
pessoas. (“Filho meu, ouve o ensino de teu pai e não deixes a ins-
trução de tua mãe” — Provérbios 1.8). Os jovens que ouvem seus
pais erram menos.
Diante de uma decisão a ser tomada, seremos sábios se procu-
rarmos pessoas mais experientes, apresentarmos nossos dilemas
e ouvirmos o seu conselho. Alguns deles já tiveram os dilemas que
tivemos. Eles vão nos dizer em que acertaram e em que erraram. E
nós teremos a vantagem de não precisarmos errar também.
Os jovens candidatos a serem também sábios procurarão os mais
velhos, assentar-se-ão diante deles e escutarão o que têm para di-
zer. Os jovens sábios perceberão que Deus tem colocado pessoas
mais experientes diante deles.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 90.12-14 e Jeremias 24 e 27
“Sacia-nos de madrugada com a tua benignidade, para que nos regozi-
jemos e nos alegremos todos os nossos dias”. (Salmo 90.14)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 219 29/09/2015 18:06:06


Assim como o ar nos envolve e temos livre acesso

JULHO
25 a Ele — dele dependemos e nunca o possuímos,
mas somos possuídos por Ele — a oração é o fôlego
que nos é dado por Deus, que nos envolve e alimenta
a nossa vida.
Valdir Raul Steuernagel

Oração de quem vai à luta


Desde o levantar, estamos em ação, sabemos disto todos, crian-
ças, jovens e adultos. Das atitudes que tomamos, umas nos trazem
bons resultados, mas outras nos fazem soluçar.
Erramos quando, no exercício de nossa autonomia, esse maravi-
lhoso presente que recebemos, agimos sem refletir, por impulso,
independência, tradição ou teimosia.
Por isto, pensou bem um poeta antigo:
— Confirma, Senhor, as obras das nossas mãos.
Pede “confirma” quem, olhando para os atos de suas mãos, os
aprova, sabendo que serão apreciados por Deus, porque são ne-
cessários e corretos, são indispensáveis e contribuirão para o bem.
Quem vai cometer uma ofensa, praticar um delito ou deixar que
um desejo o domine sabe que age por si só: não espera que Deus o
acompanhe na insensatez.
Canta “confirma” quem, diante do que tem para fazer, confia que
Deus está com Ele em suas realizações, direcionando melhor seus
esforços, firmando bem seus passos, inspirando sua mente, para
que os planos traçados e as rotas percorridas redundem em alegria,
com frutos que gerem honra para quem os buscou e gratidão em
quem os recebeu. Ora “confirma” quem, imaginando as tarefas do
dia ou da vida, deseja ser guiado por Deus, aquele que tudo sabe
e tudo vê, aquele que tudo cria e tudo pode, mas que decidiu ser
parceiro do que realizam as nossas mãos. Enquanto os seus braços
se dirigem à rua, levante-os por um momento para o alto e peça:
— Confirma, Senhor, as obras das minhas mãos.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 90.15-17 e Jeremias 32 e 34
“E seja sobre nós a graça do Senhor, nosso Deus; e confirma sobre nós a
obra das nossas mãos; sim, confirma a obra das nossas mãos”.
(Salmo 90.17)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 220 29/09/2015 18:06:07


Ser avó é o duplo prazer de ter filhos

JULHO
26 e curtir os netos com mais experiência
de vida e maior dependência de Deus.
Flávia Fioranelli

Felizes os netos
(Dia dos Avós)
Avós moram longe. Avós moram perto. Avós moram junto.
Avós são para brincar. Suas casas são para neto brincar, correr,
bagunçar.
Mesmo quando escutam bem, avós não se importam com o ba-
rulho. Mesmo que sejam cuidadosos com os seus alimentos, os ne-
tos podem comer o que quiserem, sob protestos dos pais: grandes
sanduíches, refrigerantes livres e taças repetidas de sorvete. (“É só
hoje” — desculpam-se os avós). Mesmo que sejam disciplinados,
seus horários não valem para os netos, que podem acordar e dor-
mir quando quiserem. (“Ah, eles vão ter tempo para se preocupar
com essas coisas!). Na casa dos avós são férias sempre.
Felizes os avós.
Avós são para educar. Talvez não falem tanto quanto falavam
quando eram pais. É que aprenderam que os exemplos são mais
eloquentes. Agora, mais que antes, creem no poder do afeto. Avós
são para educar. Alguns podem levar os netos na escola e fazer com
eles as tarefas. São muito pacientes. Avós são para pastorear. Agora
eles olham para os seus filhos e computam acertos e erros, para
evitar os equívocos e repetir os acertos no cuidado dos netos. Avós
que amam a Deus querem que seus netos amem a Deus. Contam
histórias da Bíblia. Levam à igreja para o estudo bíblico.
Avós têm as coisas mais valiosas do mundo: tempo e sabedoria.
Parte do seu tempo dedicam à brincadeira com seus netos, à ins-
trução dos seus netos, ao pastoreio dos seus netos. Com a sabedo-
ria que têm, gastam melhor o seu tempo.
Felizes os avós que amam ser avós.
Felizes os netos que gostam de estar perto dos seus avós, este-
jam eles junto, perto ou longe.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 91.1-7 e Jeremias 37 a 39
“Aquele que habita no esconderijo do Altíssimo, à sombra do Onipo-
tente descansará”. (Salmo 91.1)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 221 29/09/2015 18:06:07


A adversidade nunca é o ponto final.

JULHO
27 Para aqueles que a enfrentam com uma
atitude positiva, é sempre o começo.
J. Barry Griswell

Fé é diferente
de superstição
Quando avassaladoramente tentou Jesus, Satanás citou a promes-
sa de que Deus enviaria seus anjos para cuidar dos seus filhos.
A resposta de Jesus foi:
— Não ponha à prova o Senhor seu Deus.
Em muitas casas e escritórios, é comum encontrar-se uma Bíblia
grande aberta no Salmo 91. É possível que haja, neste gesto, uma
atitude de confiança no cuidado de Deus, mas pode ser que seja
também uma concessão à superstição.
A fé confia que Deus age, segundo a vontade dele. A superstição
confia que a pessoa pode fazer algumas coisas para fazer Deus agir.
Fé e superstição são coisas muitos diferentes.
A fé é profunda. A superstição é superficial.
A fé é relacional. A superstição é mágica.
A fé lê a Bíblia toda. A superstição se agarra a algumas promessas
soltas, sem entender o que elas significam.
A fé obedece. A superstição determina o que Deus tem que fazer.
A fé é responsável, buscando viver o que lê na Bíblia. A supers-
tição é irresponsável, deixando tudo para Deus, até o que cabe ao
ser humano fazer.
Fé produz esperança. Superstição patina na ilusão.
Sabemos que podemos confiar. E sabemos que precisamos nos
relacionar com o Deus que tem vontade própria, em sua amorosa
soberania e sabedoria.
A superstição nos afasta de Deus, porque faz com que confiemos
em frases ou objetos acima de Deus.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 91.8-16 e Jeremias 42, 23, 33
“Quando eles me chamarem, eu responderei e estarei com eles nas ho-
ras de aflição. Eu os livrarei e farei com que sejam respeitados”.
(Salmo 91.15)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 222 29/09/2015 18:06:07


O fogo é a prova do ouro; a adversidade

JULHO
28 é a prova dos homens fortes.
Sêneca

Deus sabe de
todas as coisas
Ninguém quer mais processar o médico.
Quando deu à luz ao seu quarto filho, a mãe decidiu ligar as
trompas, já que o risco para ela seria muito alto numa eventual
nova gestação.
Ela se submeteu à cirurgia, conduzida por um médico conhecido
da família.
Quatro anos depois, ela se viu grávida. Foi um choque. Revolta-
do, alguém na família pensou em processar o médico.
À medida que o ventre crescia, crescia o amor pelo neném que
nasceria.
A menina chegou.
Perto de ela completar um ano de idade, um dos seus irmãos
ficou enfermo. Em busca de cura para a leucemia do garoto, a mãe
procurou o melhor hospital do país. Os médicos recomendaram
um transplante de medula.
O doador devia ser alguém da família. Feitos os testes, o único
sangue compatível era o da irmã mais nova, aquela que viera de-
pois da ligadura das trompas de sua mãe.
Os médicos relutaram porque a menina tinha apenas um ano de
idade, mas a mãe pediu para que seguissem em frente. Seguiram.
E o garoto sobreviveu, firme e forte. A menininha seguiu sau-
dável.
Acabou a revolta contra o médico que fez a ligadura.
Agora há, em todos os familiares, uma convicção renovada de
que não podemos entender os pensamentos de Deus, que faz con-
vergir todas (sim: todas) as coisas para o bem.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 92.1-8 e Jeremias 43 a 44
“Bom é render graças ao SENHOR e cantar louvores ao teu nome, ó
Altíssimo”. (Salmo 92.1)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 223 29/09/2015 18:06:07


Reconhecer a oportunidade é a

JULHO
29 diferença entre o sucesso e o fracasso.
Charles R. Swindoll

Abra uma janela


Pegue a sua agenda e veja como ela está. Talvez, repleta de ativida-
des para o dia de hoje e para os próximos.
Abra uma janela. Abra uma janela na sua agenda, para não fa-
zer nada, para conversar, olhar as coisas, descortinar o horizonte,
olhar para o céu. Abra uma janela no seu trabalho. Diante dessa
janela, medite sobre o seu trabalho, reflita sobre o que você tem
feito. E nessa janela também, descanse. Abra uma janela no seu
lazer. Reflita bem como tem se divertido, como vem gastando o seu
tempo e quem sabe, descanse do seu próprio lazer.
Abra uma janela. Abra uma janela para o seu próprio descanso.
Depois de trabalhar tanto ao longo da vida, ao longo do dia, ao
longo da noite. Abra uma janela no seu descanso, pense sobre o seu
descanso, como está sendo, reflita sobre ele.
Abra uma janela. Abra uma janela acima das suas preocupações.
Tão intensas são que trazem cansaço e, às vezes, desânimo e frus-
tração. A própria preocupação demanda que abramos sobre ela uma
janela, para pensar e viver um pouquinho sem o domínio e o terror
das preocupações. Abra uma janela sobre a sua enfermidade. Seja ela
física ou emocional, ela não é a sua vida, ela é parte da sua vida, mas
não é a totalidade da sua vida. Abra uma janela em meio a sua en-
fermidade, para olhar uma vida diferente, sem a dor, sem a doença.
Abra uma janela. Abra uma janela sobre as suas lutas. Sejam
quais forem, em quais frentes, em quais armas, com que forças,
com que dificuldades, abra uma janela. Pare de lutar um pouco, um
pouco só, como a janela.
Uma casa tem portas, paredes e tem também janelas, às vezes
fechadas, trancadas, quase enferrujadas de tão aferrolhadas.
Abra uma janela hoje, na sua vida.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 92.9-15 e Lamentações 1 a 2
“O justo florescerá como a palmeira, crescerá como o cedro no Líbano”.
(Salmo 92.12)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 224 29/09/2015 18:06:07


A bondade de Deus não é arbitrária. Ele nos toca

JULHO
30 gentilmente, amorosamente e com um propósito.
Amy Nappa

Deus é firme
Porque Deus é firme, podemos viver firmes.
Todos precisamos de segurança, com proteção para nossos cor-
pos e mentes. O Deus justo é poderoso o bastante para nos prote-
ger e nos deixar seguros. Ele nos protege até dos pensamentos e
sentimentos que nos fazem mal, como o da excessiva preocupação
(Filipenses 4.6-7). Deus monta guarda de modo completo em nos-
sos corações.
Por isto, diante das dificuldades, podemos orar:
“Tu, Senhor, és o escudo que me protege;
és a minha glória e me fazes andar de cabeça erguida.
Eu me deito e durmo, e torno a acordar,
porque é o Senhor que me sustem”.
(Salmo 3.3,5).
“Tu, Senhor, abençoas o justo;
o teu favor o protege como um escudo”.
(Salmo 5.12).
“O Senhor é bom, um refúgio em tempos de angústia.
Ele protege os que nele confiam”. (Naum 1.7)
Um poeta moderno nos ensina a cantar nos mesmos termos:
“Canta, minha alma!Canta ao Senhor!
Rende-lhe sempre ardente louvor!
Ao seu amor eu me submeti
e extasiado então me senti.
Anjos cantando nos altos céus
louvam a excelsa graça de Deus”.
(Fanny Jane Crosby)
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 93 e Lamentações 3
“Mais poderoso do que o estrondo das águas impetuosas, mais pode-
roso do que as ondas do mar é o Senhor nas alturas”. (Salmo 93.4)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 225 29/09/2015 18:06:07


Perdoamos à medida que amamos.

JULHO
31 François de La Rochefoucauld

Ser doce é melhor


do que ser amargo
Depois do culto, em que um pastor convidou seus ouvintes à doçu-
ra, uma senhora narrou a sua história:
— Eu era exatamente como o senhor disse: dura, brava, ressen-
tida e crítica, tudo em excesso. O que eu tinha de dizer, eu dizia na
hora, sem medir palavras, sem pensar nas consequências. Quem
olhava para mim já ficava com medo. Nada prestava. Eu procurava
problema em tudo.
— Por que a senhora era assim?
— Foi o que eu aprendi. Aquilo era natural para mim.
— Por que a senhora mudou? Como as coisas aconteceram?
— Ouvindo-o pregar sobre a graça, notei que eu podia ser dife-
rente. Comecei a ficar incomodada com o meu jeito natural de ser.
Decidi que eu ia mudar. Decidi que as coisas iam ser diferentes em
casa. Eu seria menos exigente com meus filhos, menos dura com
meu marido, menos amarga com os meus pais, menos crítica com
meus amigos, menos severa comigo mesma. Pedi a Deus para me
ajudar. Posso dizer que deu certo. Eu sou outra pessoa.
— Demorou muito?
— Foi um processo, na verdade. O melhor é que, à medida que
fui vendo os benefícios da mudança, ela ia acontecendo. Posso di-
zer que eu sou outra pessoa. Eu mudei tanto que as pessoas pas-
saram a se aproximar de mim. Algumas que me evitavam agora
se achegavam. Em casa, então, nossos relacionamentos estão uma
maravilha. Eu sou muito feliz agora. Nós somos mais felizes agora.
Ser doce é muito melhor do que ser amarga.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 94.1-11 e Lamentações 4 a 5
“Foi o SENHOR Deus quem fez os nossos ouvidos — será que ele não
pode ouvir?Foi o SENHOR quem fez os nossos olhos — será que ele
não pode ver?”. (Salmo 94.9)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 226 29/09/2015 18:06:07


AGOSTO
Dívida de um filho
Não me incomodo que não me escutes em nada:
esse é um capítulo natural nos livros das vidas.
Agora que a tua existência é vida imaginada,
uso a imaginação para te falar como me ouvindo.
Ao teu tempo, faltaram recursos, e ao meu, atenção,
para que ficassem os registros de nosso convívio:
mas por isto, porque não importa, não me entristeço;
antes, na presença da tua ausência, eu me enterneço
com a imagem que, fora do papel, está gravada
em minha casa, na velha cadeira de balanço
onde ainda, por vezes, prazeroso descanso,
e onde habitaste as últimas semanas da tua jornada.
Ela me lembra que não vais te assentar mais nela.
O balouço dela me traz de volta as caminhadas
que, cheios de expectativas, demos pelas calçadas,
e a descoberta que fiz do movimento da história:
agora, meus passos eram mais largos que os teus
que foram sempre muito mais longos que os meus.
O silêncio dela me lembra que, quando o telefone tocar,
seu som não vai trazer seu sorriso atrás da tua voz.
Mais: por mais que deseje, não poderei nunca te ligar
para ouvir teus conselhos, o que tinhas de melhor.
Mais ainda: quando precisar, não poderei contar
com teus empréstimos, que não precisava resgatar.
Mais até: teu colo silencioso saudade para sempre será.
Mais também: sei que teus joelhos que, em oração,
por mim também se dobravam, não mais se dobrarão.
A Deus, com alegria, agradeço a boa herdade
de poder ter trocado, por um pouco, de lado
e por algumas semanas ter sido teu pai, com cuidado,
e te conhecer na força profunda da tua fragilidade.
Será que te verei quando o enigma se tornar luz?
Como só posso saber o que a Bíblia sabe,
não sei mesmo o que a Deus eu peço,
mas meu desejo, confiante, a Ele expresso:
que me capacite a combater o seu combate,
como embaixador, não de armas, mas da Cruz.

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 227 29/09/2015 18:06:07


Os homens envelhecem,

AGOSTO
1 mas nem sempre amadurecem.
Alphonse Daudet

Felizes são
os que aprendem
Estamos sempre aprendendo.
Aprender não é para todos. Começa com o reconhecimento de
uma necessidade. Para desempenhar nossas funções profissionais
ou para desfrutar a vida, precisamos aprender.
Aprender é para os que querem e não se contentam com o que
sabem.
Aprendemos com as aulas que recebemos, com as músicas que
ouvimos, com os livros que lemos, com os exemplos que nos tocam.
Precisamos reconhecer que estamos sempre aprendendo, que-
rendo ou não.
Devemos aprender de Deus, diretamente na Palavra dele ou atra-
vés dos mestres e dos meios que nos ajudam a perceber a completa
vontade de Deus para nossas vidas.
Se nos empenhamos em aprender de Deus, não precisamos
aprender de outras fontes? Precisamos de outras fontes
Aprendemos a como fazer as coisas nas várias fontes de conheci-
mento, inclusive e sobretudo na escola.
No caso da literatura, não precisamos ser pessoas de um livro
só, mas de muitos livros. Apaixonados pela Bíblia, não deve ela ser
o nosso único livro. Devemos ler muitos livros, sejam ensaios, ro-
mances, poemas, memórias, didáticos, tanto para o aprimoramen-
to profissional quanto para o prazer.
O importante é que estejamos sempre aprendendo nas boa fon-
tes. Aprendendo sempre, devemos conferir o conteúdo das várias
leituras com os princípios da Palavra de Deus, nos quais só há acerto.
Suas verdades são aprovadas e comprovadas no tempo, sempre
comunicando vida.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 94.12-21 e Daniel 1 a 4
“Ó SENHOR Deus, felizes são aqueles que tu ensinas, aqueles a quem
ensinas a tua lei!”. (Salmo 94.12)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 228 29/09/2015 18:06:07


A onisciência de Deus é uma maravilha.

AGOSTO
2 A onipotência de Deus é uma maravilha.
A santidade extraordinária de Deus é uma maravilha.
Não podemos compreender nenhuma delas.
A maior delas, no entanto, é a misericórdia de Deus.
Andrew Murray

Pedagogia do cuidado
do corpo (1/3)
Viver é cuidar. Somos um corpo para cuidar. Ainda no ventre fo-
mos cuidados. Depois fomos sendo cuidados. Na arte de cuidar de
nós, ensinaram-nos, sem e com palavras. Ensinaram-nos certo.
Ensinaram-nos errado. Aprendemos. A partir do que fomos apren-
dendo, passamos a cuidar do corpo que somos.
Somos obviamente o nosso corpo, não o corpo dos outros. Se
nos alimentamos errado, somos nós que nos alimentamos. Se nos
exercitamos errado, somos nós que nos exercitamos.
Quem aprendeu que o prazer da mesa é uma fonte de felicidade
aprendeu certo, mas aprendeu errado quem aprendeu que comer é
apenas prazer. A comida é um ato de cuidado.
O que comemos pode nos trazer infelicidade: “os bêbados e
os glutões se empobrecerão, e a sonolência os vestirá de trapos”
(Provérbios 23.21). Se comemos menos ou mais do que devemos,
pagamos um preço. Se comemos depressa demais, o mal hábito
nos manda a conta. Se os itens ingeridos não nos nutrem, ficamos
cheios mas subnutridos. Se os itens saboreados são pesados de-
mais, entopem o sistema. Se, pela manhã, tomamos qualquer coisa
andando a caminho do trabalho, sem nos assentarmos para um
café decente, a fatura da ignorância nos é enviada. Se ficamos ho-
ras seguidas sem nada comer, por falta de tempo ou achando que
vamos emagrecer, a colheita da desgraça chega.
Podemos não saber disto, mas alegar ignorância sobre a alimen-
tação não nos exime de nossa responsabilidade. Somos um corpo
para cuidar. Cuidemos do ato de comer. [CONTINUA em 27/8]
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 94.22-23 e Ezequiel 1 a 3
“Quando estou aflito e preocupado, tu me consolas e me alegras”.
(Salmo 94.19)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 229 29/09/2015 18:06:07


Há um silencioso poder numa vida coerente.

AGOSTO
3 Florence Nightingale

Tenha a coragem
de viver de modo
coerente com a sua fé
Coragem não deve ser confundida com teimosia. Teimoso é quem,
contra todas as possibilidades, insiste num projeto, só para provar
que está certo. E se estiver certo, não fará a menor diferença. Absa-
lão, o filho rebelde de Davi, não era corajoso; era teimoso e perdeu
a vida.
Coragem não deve ser confundida com temeridade. Age temera-
riamente aquele que não examina os lados da questões, os perigos
do empreendimento, os riscos dos projeto.
O fato de Deus estar conosco, conforme a sua promessa, não
quer dizer que lute todas as nossas lutas; Ele luta as batalhas que
Ele aprova. Se o queremos conosco, devemos consultá-lo antes,
como Davi tantas vezes vez fez antes de ir para as guerras.
Uma coragem confiante em Deus é uma atitude coerente com a
fé professada com os lábios.
Ao contrário, hipocrisia é o nome certo para a religião quando usa-
mos o nome de Deus e não vivemos como Deus quer que vivamos.
Devemos procurar fazer aquilo que afirmamos crer.
Precisamos de coragem de falar a verdade e de viver a verdade.
Não devemos dizer o que não pensamos, apenas para agradar.
Tenhamos a coragem de dizer a verdade, mesmo que não venha-
mos a lucrar com a verdade. Quando formos dizer a verdade, cui-
demos apenas para não causar dano.
Não devemos viver como as pessoas acham que devemos. Tenha-
mos a coragem de viver segundo os princípios que recebemos de
Deus.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 95.1-5 e Ezequiel 4 a 5
“Vinde, cantemos ao SENHOR! Cantemos com júbilo à rocha da nossa
salvação!”. (Salmo 95.1)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 230 29/09/2015 18:06:07


O amor de Deus por nós é um assunto muito mais

AGOSTO
4 seguro de se pensar do que o nosso amor por ele.
C.S. Lewis

Como sabemos
que Deus nos ama
Sabemos que Deus nos ama quando lemos a Palavra que nos dei-
xou. Na Bíblia, nós nos encontramos com o Deus que ama até o
fim. Este amor se evidencia pelos ensinamentos que nos oferece,
por meio de histórias, poemas, pensamentos e mandamentos.
Sabemos que Deus nos ama quando conhecemos a história de
Jesus, o Filho único que o Pai enviou à terra e que se fez homem
como a gente, amando-nos até o fim, o que inclui a sua própria
morte em nosso lugar.
Sabemos que Deus nos ama quando, olhando para a nossa pró-
pria história, percebemos as intervenções dele em nossas vidas,
muitas vezes fazendo convergir para o nosso bem até mesmo acon-
tecimentos ruins, como doenças e demissões.
Sabemos que Deus nos ama quando, diante dele, apresentamos
nossos pedidos e nos sentimos ouvidos em nossas orações.
Sabemos que Deus nos ama quando somos capacitados por Ele a
fazer coisas que naturalmente não seriamos capazes.
Sabemos que Deus nos ama quando perdemos tudo, mas Ele nos
conserva a esperança.
Sabemos que Deus nos ama quando, em dificuldade, Ele nos en-
via pessoas, que talvez não conhecessem o nosso caso, para nos
socorrer sem nada esperar em troca.
Sabemos que Deus nos ama quando, tendo que tomar alguma
decisão, experimentamos paz no coração para seguir em frente,
com a convicção de ter escolhido o melhor caminho.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 95.6-11 e Isaías 40 a 42
“Ó, vinde, adoremos e prostremo-nos! Ajoelhemos diante do SENHOR
que nos criou. Porque ele é o nosso Deus, e nós, povo do seu pasto e
ovelhas da sua mão”. (Salmo 96.6-7)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 231 29/09/2015 18:06:07


A mentira totalmente mentirosa pode ser

AGOSTO
5 imediatamente combatida. Já se não dá o mesmo com
a mentira que constitui parte de uma verdade.
Alfred Tennyson

O nome da mentira
Digamos que você tenha um vício. Suponhamos que você o deteste e
gostaria de deixá-lo. No entanto, o mundo em que você vive lhe diz:
— Seja feliz como você é.
Se você acreditar nesta mentira, vai pagar um preço alto. Não o
pagará o amigo, ou colega ou vizinho, ou mentor que elogia o seu
vício. Será você.
Vício é vício e virtude é virtude.
Imaginemos que você tenha um mal hábito. Concluamos que
você o lamente e gostaria de abandoná-lo. No entanto, o mundo
em que você vive se posiciona contra você ao estimulá-lo a manter
o hábito que lhe causa dano:
— Está bom assim. Aceite-se como você é.
Se você acreditar nesta mentira, saiba que nada custará aos pro-
fessores, artistas e influenciadores que são indulgentes com o seu
mal hábito. Custará a você.
O resto é mentira, que mata quem nela acredita, enquanto ela
segue seu curso em busca de outros incautos.
Hábitos ruins são ruins. Hábitos bons são bons.
Acredite que você pode ficar livre dos vícios e longe dos maus
hábitos, para uma vida melhor. Aposte.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 96.1-7 e Isaías 43 a 45
“Cantai ao SENHOR um cântico novo, cantai ao SENHOR, todas as
terras”. (Salmo 96.1)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 232 29/09/2015 18:06:07


A coisa mais importante não é o trabalho

AGOSTO
6 que eu faço para Deus. A coisa mais importante
é tornar Deus a coisa mais importante.
Phil Vischer

Para que Deus


nos governe
Não há nenhuma área de nossas vidas sobre a qual Ele não seja
Senhor (Abraham Kuyper).
A mensagem pregada e vivida pelos primeiros cristãos tinha esta
belíssima síntese: “Jesus Cristo é Senhor”.
Para que Deus governe como Senhor real, Ele tem que reinar
sobre os nossos bolsos. Deus é Senhor sobre os recursos financei-
ros de que dispomos. Afinal, é tudo dele. Apesar disto, tendemos a
amar o dinheiro, esquecidos de que onde estiver o nosso dinheiro
ali estará o nosso coração (Mateus 6.21). Para que Deus reine, Ele
tem que governar os nossos corpos. Tendemos a pensar em nossos
corpos como fonte de prazer e deixamos que o álcool, o cigarro, a
glutonaria, a preguiça ou o sexo sejam senhores de nossas vidas.
Não! Nosso corpo é a casa do Espírito Santo de Deus e nós não
somos de nós mesmos (1Coríntios 6.19).
Para que Deus seja Senhor, Ele tem que reinar sobre as nossas
línguas. Não ignoremos que somos capazes de usar nossos lábios
para fins contraditórios (Salmo 78.36). Estes mesmos lábios que
proclamam que Deus é o rei da glória são capazes de desprezar um
ser humano, criado por Deus. Temos sido capazes de louvar a Deus
e mentir-lhe acerca de nossos reais propósitos. Para que Deus seja
absoluto sobre nossas vidas, Ele tem que conduzir nossos projetos
de vida. No entanto, achamos que podemos buscar o sucesso, es-
quecidos que nossa felicidade está em viver a missão que Deus nos
deu para realizar enquanto vivemos (Isaías 52.7).
Se convidarmos Deus para nos governar, entregando-lhe a chave
de nossas vidas, viveremos na plenitude para a qual nos projetou.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 96.8-13 e Isaías 46 a 48
“Adorai o SENHOR na beleza da sua santidade; tremei diante dele,
todas as terras”. (Salmo 96.9)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 233 29/09/2015 18:06:07


Na tristeza e no sofrimento, vá direto

AGOSTO
7 a Deus com confiança e você será
fortalecido iluminado e instruído.
João da Cruz

Diante da tristeza
que não passa (1/2)
Há eventos em nossas vidas que nos deixam tristes. E se não fica-
mos tristes diante deles, algo de errado em nós há.
Não devemos achar que haja algo de errado conosco quando
passamos por eventos tristes e nos entristecemos. É normal que
fiquemos tristes por algum tempo.
Quando nos sentimos permanentemente tristes ou passamos
mais tempo tristes do que alegres, aí, sim, há algo de errado conosco.
As coisas estão erradas quando nos sentimos permanentemente
desconfortáveis no mundo. Quando achamos que tudo está erra-
do, algo está errado conosco.
Podemos ser maduros o suficiente para sabermos que o mundo é
o que ele é e não vai mudar porque achamos que tenha que mudar. E
aqui não se trata de um hino ao conformismo. Se vemos algo errado,
precisamos nos empenhar para mudar, mas este empenho deve se
dar na perspectiva da esperança, não do desespero e da tristeza.
A maturidade nos ensina o lugar da adaptação. Não precisamos
concordar, mas podemos nos adaptar, mantendo os nossos princí-
pios, mesmo que, muitas vezes e em muitas circunstâncias, apenas
para nós mesmos. O nosso santo e valioso inconformismo com o
que é errado não nos deve entristecer, mas nos motivar a viver do
modo certo e a mudar o que é errado. E enquanto a mudança não
ocorre, toquemos a nossa vida com alegria. [CONTINUA amanhã]
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 97.1-9 e Isaías 49 a 51
“Reina o SENHOR. Regozije-se a terra, alegrem-se as muitas ilhas”.
(Salmo 97.1)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 234 29/09/2015 18:06:07


A tristeza é um coisa emprestada, não dada.

AGOSTO
8 Uma coisa emprestada pode ser tomada; uma coisa
dada não é tirada. A alegria é dada; a tristeza é
emprestada. Então, a tristeza será levada embora,
mas alegria eterna será um dom do nosso Pai para
nós, pelo que o Senhor Deus enxugará todas as
lágrimas de todos os rostos.
Amy Carmichael

Diante da tristeza
que não passa (2/2)
Depois de entendermos a necessidade da adaptação ao mundo e,
ainda assim a nossa tristeza continuar, precisamos olhar para den-
tro de nós mesmos, pondo uma luminária sobre nossas heranças,
nossos hábitos, nossos convívios, nosso corpo e nossa alma. Te-
mos que deixar que eles falem. Precisamos ver como tratamos as
pessoas, talvez esperando delas o que nós não lhes damos.
Precisamos fazer um autorretrato, para ver se somos aquilo que
imaginamos: interessados pelo outro, altruístas, amigos. Precisa-
mos conferir o nosso corpo, para ver se está saudável ou se alguma
carência nele está nos afetando globalmente. Muitos estados de-
pressivos têm origem endógena (dentro de nossa mente), com uma
falta que um medicamento pode suprir e fazer cessar a dor. Neste
caso, não devemos temer tomá-lo.
Precisamos rever nossas histórias, como nos formaram, o que
nos ensinaram, para notar se estamos carregando pesos que não
devemos sobraçar, fantasmas que não nos deviam assustar. Pre-
cisamos examinar nossos relacionamentos, para observar se são
tóxicos ou orgânicos, se nos fazem bem ou mal. Precisamos refletir
sobre o nosso relacionamento com Deus, se é baseado na graça li-
vre de Jesus Cristo ou em nossos pretensos méritos.
Com estas difíceis, amargas e dolorosas informações em mãos,
podemos tomar as decisões que precisamos, para que viver não doa
demais. Viver demanda sabedoria e coragem.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 97.10-12 e Isaías 52 a 53
“Vós que amais o SENHOR, detestai o mal; ele guarda a alma dos seus
santos, livra-os da mão dos ímpios”. (Salmo 97.10)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 235 29/09/2015 18:06:07


Sucesso nunca é definitivo. Fracasso

AGOSTO
9 nunca é fatal. É a coragem que conta.
John Wooden

Viver pressupõe perder


Viver inclui ganhar. Ao longo de nossa jornada, vamos ganhando.
Ganhamos pais. Herdamos avós. Recebemos irmãos. Somos adota-
dos como filhos e como irmãos por pessoas que vão nos conhecendo.
Com o tempo, aos pais, avós, irmãos e amigos, juntam-se os nos-
sos próprios filhos, vindos das estranhas e dos corações. Também
amamos amigos, nascidos na escola, na igreja, no trabalho ou na
rua, como se fossem nossos irmãos.
São conselheiros.
E com eles nos orientamos.
São ombros.
E neles nos apoiamos.
São mãos, que nos tocam e lhes tocamos.
São chefes com quem aprendemos.
São colegas com quem crescemos.
São companheiros.
Com eles rimos e choramos.
Cedo ou tarde, aprendemos que alguns deles nos deixarão. (Na
verdade, só aprendemos quando eles se vão.)
Sabemos que eles irão. Eles sabem que iremos.
Assim mesmo, experimentamos como perdas as partidas.
O tempo junto, mesmo longo, será um mosaico de momentos...
que o tempo tornará distantes.
Quem nos ouvirá? A quem ouviremos?
Com que mão contaremos?
Com quem celebraremos?
Sábio é quem sabe que viver pressupõe perder.
Feliz é quem saúda a saudade como uma das faces da felicidade.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 98.1-4 e Isaías 54 a 55
“Cantem uma nova canção a Deus, o SENHOR, pois ele tem feito coi-
sas maravilhosas. Com a sua força e com o seu santo poder, ele se tor-
nou vitorioso”. (Salmo 98.1)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 236 29/09/2015 18:06:08


Boas palavras são de grande valor, mas custam pouco.

AGOSTO
10 George Herbert

Em busca de palavras
bem ditas (2/2)
Quando a bomba do conflito entre pessoas queridas cai sobre o
nosso colo, nosso primeiro gesto é desarmá-la, separando os com-
petidores que, movidos pelo ódio momentâneo, querem destruir
definitivamente o agora adversário.
Depois, devemos sugerir que cada um se coloque no lugar do ou-
tro. O exercício é difícil, mas é necessário. Quem quer ter razão
precisa ouvir a razão do outro. O terceiro passo é pedirmos às pes-
soas em guerra para não desistirem uma do outra.
Ao pai ou mãe magoado por gestos do filho peçamos para não de-
sistir. O filho ou filha, talvez igualmente descontente, também não
deve desistir. Ao cônjuge ferido por atitudes dos seu querido can-
temos que do amor não se desiste. Diante de um amigo enfurecido
com a falha do outro, intervenhamos na busca pela reconciliação.
Todos devem abraçar a causa da reconciliação. Quem se recon-
cilia não perde. Cada um deve tomar a iniciativa de pedir perdão,
mesmo que ache que sua ofensa tenha sido apenas uma reação.
Todos devem abrir mão da justiça, quase sempre um outro nome
para vingança contra o outro ou humilhação do outro.
Cada um deve desejar a amizade, que é mais produtiva que a re-
paração. A amizade perdoa e aproxima. O desejo de reparação ma-
goa e afasta. A amizade é benfazeja porque esquece. A busca pela
reparação é nefasta porque separa.
A melhor justiça é o abraço da reconciliação, que faz com que os
corações solucem no toque um do outro.
Os soluços que os corações trocam não são espasmos de tensão
apenas. São corações felizes, sorrindo de novo.
A vida vai continuar.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 98.5-12 e Isaías 56 a 57
“Os rios batam palmas, e juntos cantem de júbilo os montes, 9 na pre-
sença do SENHOR, porque ele vem julgar a terra; julgará o mundo com
justiça e os povos, com equidade”. (Salmo 98.8-9)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 237 29/09/2015 18:06:08


A alegria é para a jornada, especialmente

AGOSTO
11 para as horas difíceis dela, e não apenas para
os momentos de reflexão após a tempestade.
Lloyd John Ogilvie

Cantando para
melhorar a vida
Quando louvamos a Deus, nós lhe fazemos um convite para que aja.
Louvando, pomos todo o nosso ser (corpo e mente) na presença
de Deus.
Adorando, pomos Deus no seu devido lugar, o lugar de Rei sobre
as nossas vidas.
Cantar é poderosamente didático, ao ponto de o pensamento po-
pular dizer que “quem canta seus males espanta”.
Disso sabiam os poetas da Bíblia.
Toda vez que algo os sufocava, eles se lembravam de quem era
Deus.
Quando olhavam para a humanidade e viam o que viam (que é
o mesmo que nós vemos), eles se lembravam de quem era Deus e
descansavam sob a sua soberania.
Quando eles olhavam para as circunstâncias que os cercavam (e
que também nos rodeiam), eles se lembravam de quem era Deus e
descansavamà sombra do seu amor.
Quando eles olhavam para dentro de si mesmos (e não gosta-
vam, como não devemos gostar também, por causa dos pecados
que cometemos), eles se lembravam de quem era Deus e descansa-
vam na certeza da sua misericórdia.
O louvor, portanto, tem também esta finalidade: lembrar-nos
quem é aquele a quem adoramos. Quando nos lembramos disto,
nossa disposição para viver simplesmente muda, para muito melhor.
Quando louvamos, vivemos melhor, muito melhor.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 99.1-4 e Isaías 58 a 61
“Que todos o louvem por causa da sua grandeza e porque ele merece
profundo respeito. O SENHOR Deus é santo”. (Salmo 99.3)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 238 29/09/2015 18:06:08


A gratidão tem o poder de nos curar

AGOSTO
12 espiritual, emocional e relacionalmente.
Kerry e Chris Shook

O que a gratidão
faz conosco
Agradecer é uma forma de oferecer. Por isto, Jesus mesmo nos dis-
se que é melhor oferecer do que receber.
É melhor agradecer porque a gratidão vasculariza nossas veias.
A reclamação é tóxica. Agradecer é tão bom quanto perdoar. A
gratidão deixa o nosso rosto bonito. É melhor oferecer porque a
gratidão fortalece nossas vidas, porque nos faz lembrar as vitórias
anteriores, o que nos anima nas lutas de hoje.
É melhor reconhecer o que nos fazem de bom porque a gratidão
nos torna humildes e não arrogantes. Ela nos torna mais relacio-
nais e menos autossuficientes. Precisamos uns dos outros. Por isto,
as empresas deviam buscar desenvolver a espiritualidade da grati-
dão, para serem sempre grandes. É melhor elogiar porque a grati-
dão perfuma nosso ambiente de trabalho. Elogiar é como receber
rosas. O ambiente se torna agradável. O coração bate aos sorrisos.
É melhor dar do que receber porque a gratidão mostra nossa dis-
posição em viver como Jesus viveu. E Jesus não só ensinou que de-
vemos ser gratos; Ele mesmo viveu este ensino, quando entregou
sua própria vida em nosso lugar na cruz, no evento mais importan-
te da história, para que pudéssemos ter paz.
Jesus curou dez pessoas e uma, apenas uma, voltou para agra-
decer. Esteja entre os 10% que agradecem. Lembre-se das pessoas
e organizações que contribuíram para que você esteja onde está.
Agradeça hoje quem o levantou. Telefone hoje para quem pegou
você pela mão. Mande flores agora para quem o fortaleceu.
Então, “se podes dizer, em uma frase linda, algo que faça a triste-
za ir embora, dize-o enquanto posso agradecer sorrindo: se podes
dar-me uma flor, faze-o agora!” (Myrtes Mathias)
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 99.5-9 e Isaías 62 a 64
“Ó SENHOR, nosso Deus, tu respondeste ao teu povo; tu mostraste
que és Deus que perdoa, mas também que castiga as pessoas pelos seus
pecados”. (Salmo 99.8)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 239 29/09/2015 18:06:08


Meu pai me deu o maior presente que alguém

AGOSTO
13 pode receber: ele acreditava em mim.
Jim Valvano

Os erros dos pais


Uma das aflições dos pais é ter filhos que fazem escolhas erradas.
Infelizmente, pais honestos têm filhos desonestos, pais corretos
têm filhos que apreciam o erro, pais santos têm filhos que adoram
ídolos, pais fiéis no casamento têm filhos que desrespeitam seus
cônjuges, pais trabalhadores têm filhos preguiçosos.
Diante desta realidade, os pais precisam tomar duas atitudes.
A primeira é fazer uma autoavaliação para ver se erramos. Real-
mente, a honestidade, a correção, a santidade, a fidelidade e a de-
dicação são marcas definidas na nossa vida? Se sim, agradeçamos a
Deus por ter nos permitido viver assim. Se não, peçamos perdão
a Deus por nosso comportamento no passado e nos disponhamos
a viver de outro modo.
Tendo feito adequadamente a nossa parte, a segunda atitude
é reconhecer que nossos filhos fazem escolhas, algumas que não
aprovamos. O comportamento deles vem dessas escolhas. Muitas
pessoas que se tornaram corruptas ou corruptoras e desgraçam o
país não aprenderam esses antivalores em casa. Muitos maridos
infiéis foram filhos de pais fidelíssimos, com lindos casamentos.
Vários jovens que fizeram da droga o seu caminho sempre ouviram
sobre os perigos deste tipo de diversão. Muitos arrogantes descen-
dem de pais realmente humildes. Nestes casos de desvio, seus pais
podem ficar tristes, mas não devem se sentir envergonhados.
Devemos ter vergonha do que fizemos ou contribuímos, não da-
quilo que não fizemos e nem criamos as condições.
Assim, depois de uma profunda avaliação, podemos concluir que
falhamos. Se foi o caso, peçamos perdão a Deus. Se houver algo que
ainda possamos fazer, façamos.
Se não falhamos, resta-nos pedir a Deus que mude o coração dos
nossos filhos.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 100 e Isaías 65 a 66
“Sabei que o SENHOR é Deus; foi ele, e não nós, que nos fez povo seu e
ovelhas do seu pasto”. (Salmo 100.3)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 240 29/09/2015 18:06:08


Pais, tomem a responsabilidade e sejam o tipo de

AGOSTO
14 homem que dá esperança, felicidade e confiança aos
seus filhos porque vocês mesmos descobriram sua
alegria, felicidade e confiança em Deus.
John Piper

Há pais que são pais (1/2)


Há o pai e o pai que pensa que é pai. Um é pai verdadeiro. O outro
não o é.
O pai que pensa que é pai gera o filho e imagina que sua tarefa
terminou.
O pai que pensa que é pai provê os recursos para que o filho pos-
sa se alimentar, morar e estudar.
O pai que pensa que é pai prioriza a própria profissão, à qual
dedica todas as horas possíveis do seu dia.
O pai que pensa que é pai segue o roteiro que seu pai lhe deixou,
não importa se o modelo deve ser novamente trilhado.
O pai que pensa que é pai é sempre firme; raramente brinca.
O pai que pensa que é pai é sempre distante; dificilmente se abaixa.
O pai que pensa que é pai é sempre duro: jamais agarra o filho no
colo e o beija extravagantemente.
O pai que pensa que é pai é sempre exigente; mesmo quando elo-
gia, deixa marcada a tarefa para o dia seguinte ou para a vida afora.
O pai que pensa que é pai está sempre certo; jamais pede perdão.
O pai que pensa que é pai faz escolhas erradas.
O pai que pensa que é pai não precisa ser como o seu pai que
pensava que era pai.
Todo pai pode ser pai, verdadeiramente pai.
Os filhos precisam de pais de verdade.
A sociedade precisa de pais de verdade. E esta é uma das maiores
necessidades do mundo em que vivemos. Um pai verdadeiro faz
uma grande diferença na sua família e no mundo, por vários gera-
ções. [CONTINUA amanhã]
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 101 e Esdras 1 a 3
“O que usa de engano não ficará dentro da minha casa; o que profere
mentiras não estará firme perante os meus olhos”. (Salmo 101.7)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 241 29/09/2015 18:06:08


Meu pai disse: “A política faz a seguinte pergunta:

AGOSTO
15 ‘Isto vai dar resultado?’. A vaidade pergunta:
‘Isto é popular?’. A consciência, porém, pergunta:
‘Isto está certo?’
Dexter Scott King

Há pais que são pais (2/2)


O pai que é pai gera e cuida. O projeto é para a vida toda.
O pai que é pai tem alegria em ser pai, mesmo tendo que prover,
tarefa que desenvolve sem recebê-la como um fardo.
O pai que é pai põe a profissão no seu devido lugar e professa o
prazer da presença com o seu filho.
O pai que é pai olha para o seu próprio pai, para ser melhor do
que ele.
O pai que é pai é sempre firme e alegre.
O pai que é pai é duro quando necessário e carinhoso sempre.
O pai que é pai tem boca, mas também tem ouvidos.
O pai que é pai elogia o filho.
O pai que é pai ora pelo filho e também com o filho; lê a Bíblia
para o filho e com o filho.
O pai que é pai pastoreia o seu filho.
O pai que é pai aprende com o filho.
O pai que é pai se orgulha quando o filho se torna um pai ainda
melhor do que ele foi.
Do pai que é pai o filho pode guardar uma imagem esculpida na
argila do afeto. Do pai que é pai o filho pode dizer, talvez diante do
seu caixão: “serei uma pessoa feliz, se for igual ao meu pai”.
O pai que pensa que é pai pode tomar a decisão de ser pai. O pai
que ainda não é pai pode começar agora a ser pai. Ele pode ir ao seu
filho, pedir-lhe perdão e ajuda: “Filho, me ajude a ser o seu pai”. O
pai que é pai pode ir ao Deus Pai e agradecer pelo filho que tem. O pai
que é pai pode pedir ao Deus Pai para ajudá-lo a ser um pai ainda me-
lhor. Todo pai ainda tem algo que gostaria de fazer com o seu filho.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 102.1-7 e Esdras 4 a 6
“Não escondas de mim o teu rosto no dia da minha angústia; inclina
para mim os teus ouvidos; no dia em que eu clamar, ouve-me depressa”.
(Salmo 102.2)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 242 29/09/2015 18:06:08


O tempo é o pincel de Deus, com o qual Ele

AGOSTO
16 pinta sua obra-prima no coração da humanidade.
Ravi Zacharias

Durante o intervalo
Os salmos estão repletos de afirmações acerca do poder e da glória
de Deus. O livro do Apocalipse é todo para dizer que Deus reina.
No entanto, no plano social e político, as chacinas e as atrocida-
des reinam. A violência no campo e na cidade nos atemoriza, como
se integrasse uma espiral sem fim. Já no tempo de Jesus era assim.
Desde antes dele e depois dele, as guerras são uma constante na
história da humanidade.
No plano pessoal, a depressão, o sofrimento, o desemprego e
medo triunfam. Sentimos sua força mesmo entre aqueles que ser-
vem a Deus. Mesmo em suas vidas, o Deus de paz, saúde, prosperi-
dade e felicidade não reina.
Precisamos entender que vivemos numa espécie de intervalo do
triunfo de Deus. Jesus veio e inaugurou o seu reino, do qual so-
mos proclamadores. Este reino, no qual não haverá pobres, nem
prisioneiros, nem cegos, nem oprimidos de espécie alguma (Lucas
4.18), ainda não se consumou. Por isto, temos/somos pobres, pri-
sioneiros, cegos e oprimidos. Ainda os maus parecem comandar o
mundo. Quando o reino se consumar e o “ainda não” também se
tornar “já”, o que aflige o ser humano não afligirá mais.
Deus, que exaltou Jesus sobre todas as coisas (Filipenses 3.7-8),
garante que um dia todo joelho se dobrará diante de Jesus. Então,
Ele será Senhor, o que significa crer que Ele triunfará sobre todas
as forças do mal. Ele será o juiz da história (Salmos 96.13 e 98.9).
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 102.8-12 e Daniel 7 a 8
“Tu, SENHOR, permanecerás para sempre, e a tua memória, de gera-
ção em geração”. (Salmo 102.12)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 243 29/09/2015 18:06:08


Ser feliz é viver conforme a vontade de Deus. Todos

AGOSTO
17 temos carências, mas não é possível medir a felicidade
em razão de nossas carências, supridas ou não. Temos
momentos de alegria, entusiasmo e excitação, mas
não são estes os momentos que definem a felicidade,
porém o conjunto da obra.
Paulo Pimentel Wulhynek

A felicidade existe (8/12)


Em nosso caminho para a felicidade nós lutamos com alguns em-
pecilhos. Um deles é a dificuldade que temos de nos conhecer a nós
mesmos. Achamos que a nossa autopercepção é a percepção correta
e a do outro é falsa. “Você não me conhece!” — às vezes dizemos em
nossa defesa.
Devemos gastar tempo, refletindo sobre quem nós somos. Em
lugar de rechaçar o conteúdo que descreve quem nós somos nar-
rado pela outra pessoa, devemos ouvir o conteúdo e verificar se
está correto ou não está. Ou seja, nós não podemos nos relacionar
corretamente com as pessoas se não as conhecemos.
Essa é a nossa primeira tarefa. Quem somos nós? Quais foram as
heranças que nos formaram? Quais foram as experiências que nos
deformaram? Quais foram os traumas que nos perseguem como
fantasmas, conquanto saibamos que os fantasmas não existam.
É importante que avaliemos: se por alguma razão percebemos
que somos egoístas e queremos ser altruístas, temos que admitir
que nós não somos, estamos a caminho disto.
Gaste tempo, peça ajuda, para compreender quem você é. É um
bom caminho. Que nessa caminhada Deus fortaleça você para, sa-
bendo quem você é — você é sobretudo um homem, uma mulher,
amado, amada por Deus — não negar a sua própria história, o seu
próprio ser, mas tendo-o diante de si, dizer claramente para você
aonde você quer chegar. [CONTINUA em 6/9]
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 102.13-22 e Daniel 5 e 9
“Então, as nações temerão o nome do SENHOR, e todos os reis da ter-
ra, a sua glória, quando o SENHOR edificar a Sião, e na sua glória se
manifestar, e atender à oração do desamparado, e não desprezar a sua
oração”. (Salmo 102.15-17)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 244 29/09/2015 18:06:08


O prazer é o sol da manhã, a nuvem

AGOSTO
18 do meio-dia e a tempestade da noite.
William Scott Downey

Cuidando do
princípio do prazer
O ser humano é regido pelo princípio do prazer. O jogador tem pra-
zer em vencer, seja na loteria ou num campo de futebol. Todo jogo
tem regras. Diante delas, o ser humano deve segui-las, mas pode
também adulterá-las, procurando, por exemplo, colocar a mão na
bola sem que o juiz veja ou simular uma falta que não recebeu.
Quando o princípio do prazer se torna absoluto, as regras são
relativizadas e, depois, adulteradas. Fazer as próprias regras pode
parecer uma indicação de força, mas é de fraqueza.
Quando estamos frágeis, o instinto é forte. Por natureza, o ser
humano quer ter prazer. Se puder ser dentro das regras, ele as se-
guirá. Se for preciso romper as regras, ele as quebrará.
Quando estamos frágeis, o ambiente é forte. Como ser honesto,
se a maioria dos nossos colegas frauda? O meio em que vivemos
vem sobre nós como uma onda gigantesca difícil de surfar. Só os
fortes se mantêm íntegros. Andar como os outros andam é uma
demonstração de fraqueza.
Quando estamos frágeis, a sedução é forte. Diante de um vitrine
de objetos, eles brilham. Quanto mais frágeis somos, mais brilha-
rão, embora tenham a mesma intensidade; mais precisaremos de-
les, embora possamos dispensá-los; mais os desejaremos.
Quando estamos frágeis, a paixão é forte. O amor passageiro é
tornado definitivo, como se fosse uma oportunidade que nunca
voltará. O desejo transformado em paixão se torna uma forma de
ver que deixa cego o apaixonado.
Nossas emoções desorganizadas são o espaço propício para o
triunfo dos desejos, inclusive os destrutivos.
Cabe a cada um de nós organizar as nossas emoções. Quando
fazemos isto, estamos no caminho de nos tornarmos fortes.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 102.23-28 e Daniel 6 e 10
“Mas tu és o mesmo, e os teus anos nunca terão fim”. (Salmo 102.27)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 245 29/09/2015 18:06:08


Apesar de sermos incompletos, Deus nos ama

AGOSTO
19 completamente. Apesar de sermos imperfeitos,
Ele nos ama perfeitamente. Embora possamos
nos sentir perdidos e sem bússola, o amor de Deus
nos envolve completamente. Ele ama cada um de
nós, mesmo aqueles que são falhos, rejeitados,
estranhos, tristes ou alquebrados.
Dieter F. Uchtdorf

Na mão correta
Ser fiel a Deus, e ao que Ele nos pede, implica em decisões cons-
tantes. Ao tomarmos certas decisões de acordo com a Palavra de
Deus, entramos em desacordo, muitas vezes, com as pessoas que
nos cercam. Para quem quer ficar com Deus, a pressão do lado de
fora é muito forte.
Quem anda com a Palavra de Deus parece andar na contramão.
A maioria diz que devemos fazer o que o nosso coração manda,
mas o nosso coração pode nos conduzir ao pecado. A maioria diz
que devemos fazer amigos, influenciar pessoas e ganhar dinheiro,
o que implica em manipular as pessoas para atender os interesses
próprios. A maioria diz que há vários caminhos para Deus, e não
apenas um, que é Jesus Cristo, que é segundo suas próprios pala-
vras, o único caminho para Deus. A maioria diz que devemos impor
nossas vontades, usando até, se necessária, a força.
Nós, porém, afirmamos que o nosso prazer é sermos guiados
pelo Espírito Santo de Deus, mesmo que esta condução contrarie
os nossos desejos. Nós, porém, insistimos que devemos amar as
pessoas, não porque possam nos dar algo em troca, mas porque são
nossos semelhantes, criados parecidos com Deus como nós. Nós,
porém, cantamos que cremos que foi Jesus quem abriu o caminho
para o céu e não nenhum outro. Nós, porém, desejamos viver em
harmonia com as pessoas, o que nos sugere ceder (e mesmo per-
der) para que haja paz. Agindo assim, talvez estejamos na contra-
mão dos homens, mas na correta mão de Deus.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 103.1-3 e Ageu 1 a 2
“Ó SENHOR Deus, que todo o meu ser te louve! Que eu louve o Santo
Deus com todas as minhas forças!”. (Salmo 103.1)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 246 29/09/2015 18:06:08


Quando o nosso Pai nos vê dando passos

AGOSTO
20 em direção à casa, Ele corre para nos encontrar
Jennifer Rothschild

Não precisamos
ter medo de Deus
Em nossa infância, pode ser que Deus nos tenha sido apresentado
como alguém de quem devemos ter medo.
Crescemos mas Deus continua do tamanho dos nossos infunda-
dos temores infantis.
Desde então, imaginamos que Deus tem olhos que tudo veem, de
modo que o nosso pecado não se lhe escapa. Adultos, acabamos per-
cebendo Deus como possuidor de um poderoso radar que busca mo-
toristas em excesso de velocidade, como se tivesse prazer em multar.
Aprendemos com Esdras que Ele vê para proteger (Esdras 5.5).
O salmista descansa por estar sob esses olhos. Apesar disto, po-
demos desenvolver a ideia de que Deus está mais interessado em
nossa santidade do que em nossa felicidade.
Esta ideia pode ter origem nas “boas” intenções dos nossos pais
que, para nos “educar” inocularam em nós o medo do castigo de
Deus até por coisas com as quais Deus não se importa.
Quando percorremos as páginas do Antigo Testamento, vemos
que, apesar da falha do povo de Israel, Deus continuou a amá-lo.
A despeito desta clareza, o legalismo se tornou uma tentação
muito abraçada. Jesus passou parte do seu tempo desconstruindo
furiosamente o legalismo. Para os legalistas (que raramente se as-
sumem como tais), Deus é totalmente contra os prazeres e absolu-
tamente a favor de regras e obrigações. Para os legalistas, todos os
nossos problemas (como as doenças e os desempregos) advêm de
nossos pecados. Na Bíblia, as expressões “temor do Senhor” ou “te-
mor ao Senhor” significa levar Deus a sério, mantendo-o no centro
da vida. Deus não quer ter amizade (comunhão) com pessoas que
tenham medo dele. Na verdade, não há medo entre amigos.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 103.1-3 e Daniel 11 e 12
“O SENHOR Deus julga a favor dos oprimidos e garante os seus direi-
tos”. (Salmo 103.6)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 247 29/09/2015 18:06:08


Quando na vida um portal se fecha para nós, há

AGOSTO
21 sempre outro que se abre. Em geral, porém, olhamos
com tanto pesar e ressentimento para a porta fechada
que não percebemos a outra que se abriu.
Orison S. Marden

A doçura da amargura
Gostamos de chocolate porque é gostoso. Nossos olhos o buscam
na gôndola das lojas onde estão à venda. Nossos braços se esticam
para ele no armário. Nossos dedos o separam no pacote.
Se pudermos comê-lo publicamente, nós o faremos, com sorri-
sos nos olhos. Se não for possível, nós comeremos em segredo, até
durante a noite enquanto a casa dorme. Para a maioria das pesso-
as, chocolate é muito gostoso. Por isto, nós o ingerimos.
Fazemos o mesmo com as ideias e atitudes. Buscamos o amigo
que nos fala palavras agradáveis. Apreciamos o pensador com o
qual concordamos. Sentamo-nos diante do orador que fala o que
queremos ouvir. Saboreamos o escritor que escreve o que gostarí-
amos de ter escrito. Elogiamos o psicólogo que nos faz nos sentir
bem. Memorizamos o versículo bíblico que nos enche de esperan-
ça. Relemos o livro que se alinha conosco.
No entanto, o melhor amigo tira-nos o ombro para que nos le-
vantemos, embora seu gesto pareça uma grosseria.
O bom pensador nos instiga a pensar contra a onda, e esta é a
verdadeira rebeldia. O orador realmente digno de apreço é o que
nos faz seguir por outra via. O livro que nos leva a negar nossa pró-
pria moda é o que merece, debaixo do braço, a nossa companhia. O
psicólogo que, de fato, nos ajuda a viver é o que nos faz ver a nossa
face sombria.
Precisamos de versículos cheios de promessa, mas também de
versículos plenos de advertência.
Bom é o doce, mesmo que, à primeira bocada, pareça amargo.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 103.13-22 e Zacarias 1 a 3
“Mas o amor de Deus, o SENHOR, por aqueles que o temem dura para
sempre. A sua bondade permanece, passando de pais a filhos, para
aqueles que guardam a sua aliança e obedecem fielmente aos seus
mandamentos”. (Salmo 103.17-18)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 248 29/09/2015 18:06:08


A matéria cinzenta do cérebro vai, um dia, se

AGOSTO
22 desintegrar e acabar, mas a ternura do coração
é de eternidade a eternidade; quando a tocamos,
tocamos a imortalidade.
Agnes Sanford

Culpas que temos, culpas


que não temos (1/2)
Por razões que nossos corações conhecem, recusamo-nos a aceitar
culpas que temos e, por razões que nossos corações desconhecem,
assumimos culpas que não nos cabem.
Um faz o que é errado, sabidamente errado, mas diz que não se
arrepende. Outro faz o que não deve, mas atribui a responsabili-
dade a outra pessoa. No máximo, admite que foi levado pelas más
companhias ou se orientou pela direção que muitos tomam.
Outro põe a conta no seu passado, o que pode ser até verdadeiro.
Se erramos, por que não dizer: “erramos”? Se erramos, por que
não tomar a iniciativa de pedir perdão? Se erramos, mesmo que
as consequências não tenham sido imaginadas ou desejadas por
nós, por que não procurar as pessoas feridas e reconhecer que nós,
sem desculpas, as magoamos e que estamos arrependidos do que
fizemos? Se erramos, por que não procurar reparar o que fizemos?
Podemos achar que pedir perdão é uma confissão de fraqueza,
mas é uma prova de grandeza. Há grandeza em admitir a nossa
capacidade de errar.
No plano da fé, a salvação acontece quando pedimos perdão a Deus
pelos nossos pecados. Ele nos perdoa completamente. É coisa certa.
No plano dos relacionamentos, a paz acontece quando pedimos
perdão ao outro. Não é coisa certa se ele vai nos perdoar, mas pe-
dir-lhe perdão é a coisa certa que temos a fazer. É uma aposta. Se
não apostamos, com certeza vamos continuar perdendo. Se apos-
tamos, temos grandes chances de ganhar o perdão. Vale a pena ar-
riscar. [CONTINUA amanhã]
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 104.1-9 e Zacarias 4 a 6
“Bendiga o Senhor a minha alma! Ó Senhor, meu Deus, tu és tão gran-
dioso! Estás vestido de majestade e esplendor!”. (Salmo 104.1)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 249 29/09/2015 18:06:08


A história é uma maravilhosa tapeçaria

AGOSTO
23 composta por fatos, desejos e realizações,
todos misturados com as tragédias dos motivos
errados e das verdades esquecidas.
Donn Taylor

Culpas que temos, culpas


que não temos (2/2)
Um casal cuidava do seu filho com afeto e responsabilidade, mas
ele resolveu partir sem deixar um beijo de despedida, convicto da
superioridade da sua escolha.
Uma mulher amava o seu marido com intensidade e qualidade,
mas, num final de tarde, depois de alguns ensaios, ele seguiu para
os braços da outra.
Uma escola tratava seus alunos como filhos, cuidando deles com
devoção, cumprindo todos os requisitos, mas um menino se afo-
gou na piscina sem que a professora e o guardião em pé diante da
água percebessem em tempo.
Um motorista, que dirigia atentamente dentro dos limites da lei,
atropelou mortalmente uma criança da idade do seu filho.
Um tio deu aos seus sobrinhos um brinquedo bonito e testado
como seguro, mas o objeto, em lugar de trazer o brilho da vida,
serviu para empurrar um deles para as trevas da morte.
Quem não errou pode chorar, mas nunca se culpar pela falha que
não cometeu. A culpa nasce da convicção de que podemos explicar
as coisas tristes das quais participamos. Como não conseguimos
explicar, assumimos como explicação uma culpa que não temos. A
culpa nasce de uma mentira, segundo a qual poderíamos ter feito
diferente para evitar o que ocorreu. Nestas horas, depois de termos
concluído que nossas mãos estão mesmo limpas, devemos pedir a
Deus que conforte e console as outras pessoas devastadas, rogando
que a bondade dele nos inspire a continuar fazendo, sem desani-
mar, as coisas certas, certos de que o justo Juiz divino carinhosa-
mente já nos absolveu da culpa que sentimos, sem que a tenhamos.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 104.10-18 e Zacarias 7 a 8
“É o Senhor que faz crescer o pasto para o gado, e as plantas que o ho-
mem cultiva, para da terra tirar o alimento”. (Salmo 104.14)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 250 29/09/2015 18:06:08


O ponto de partida de todo cristão é a graça de Deus,

AGOSTO
24 que nos alcança, salva e nos apresenta um novo
caminho. O ponto de chegada é a glória, a realização
plena do propósito de Deus. Entre um e outro, temos
diante de nós a extraordinária aventura da vida.
Ricardo Barbosa de Sousa

Palavras de vida
Embora seja mais que um livro de promessas, a Bíblia foi escrita
também para nos animar.
1. Se, desanimados, deixemos que a verdade divina nos ilumine:
“O Senhor é o meu pastor. Nada me faltará”. (Salmo 23.1)
2. Se, cansados, recebamos as palavras acolhedoras de Jesus,
“Venham a mim, todos vocês que estão cansados de carregar as
suas pesadas cargas,e eu lhes darei descanso. Sejam meus segui-
dores e aprendam comigo porque sou bondoso e tenho um cora-
ção humilde;e vocês encontrarão descanso”. (Mateus 11.28-29)
3. Se, enfraquecidos, um sorriso perpasse nossas almas, ao sabermos:
“O Senhor é o Deus Eterno, ele criou o mundo inteiro. Ele não
se cansa, não fica fatigado; ninguém pode medir a sua sabedoria.
Aos cansados Ele dá novas forças e enche de energia os fracos.
Até os jovens se cansam, e os moços tropeçam e caem; mas os
que confiam no Senhor recebem sempre novas forças. Voam nas
alturas como águias, correm e não perdem as forças, andam e
não se cansam”. (Isaías 40.28-31)
4. Se, acossados, sejamos tomados de uma poderosa confiança
diante da revelação reconfortadora:
“Deus é o nosso refúgio e a nossa força, socorro que não falta em
tempos de aflição”. (Salmo 46.1)
5. Se, tomados pela falta de perspectiva diante das dificuldades de
hoje, somos recordados pela Palavra Eterna:
“Esperei com paciência pela ajuda de Deus, o Senhor. Ele me es-
cutou e ouviu o meu pedido de socorro”. (Salmo 40.1)
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 104.19-24 e Zacarias 9 a 11
“Quantas são as tuas obras, Senhor! Fizeste todas elas com sabedoria!
A terra está cheia de seres que criaste”. (Salmo 104.24)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 251 29/09/2015 18:06:09


Sentimentalismo é como chamamos

AGOSTO
25 o sentimento que não compartilhamos.
Graham Greene

As emoções da história
Por causa de um motivo apenas profissional, dois desconhecidos
(I. e P.) se conhecem. Por alguma razão, o contrato a ser assinado
é trocado pelo tema da segurança pública. Indignado, P. conta que
seu filho de 21 anos de idade foi assaltado.
— Meu filho é especial.
E a história segue por mais de uma hora.
O garoto é um anjo que Deus lhe mandou. “Eu não saberia vi-
ver sem ele”. “Ele deu sentido à minha vida”. “Foi um presente que
Deus me deu para eu cuidar”. “O que eu sou eu devo ele”. “Ele é a
prova que Deus existe”. Depois, conta outra prova. O menino tinha
que fazer uma cirurgia com custos impossíveis. No meio da aflição,
o pai recebeu de uma senhora um pedido pelo seus serviços. Para
fechar o negócio, teve que ir ao escritório da mulher. Ela era dire-
tora de uma rede de televisão. Assinado o contrato, ele se retirou.
Antes de tomar o elevador, retornou.
— Preciso de sua ajuda e eu sei que a senhora vai me ajudar.
Ela ouviu sem prometer. O pai ficou de mandar a documentação por
fax. No entanto, antes disso, a diretora mandou seu motorista buscar
o prontuário do menino no ateliê do pai. No meio da tarde, ligou:
— O senhor pode ir amanhã para São Paulo com o J. Procure
pelo Doutor Adib Jatene. Diga que foi a pedido do Doutor Campos
da Paz, de Brasília. E a vida do menino foi salva.
P. nunca mais viu a mulher.
I. pesquisa por ela na internet. Encontrando-a, mostra uma foto
de Olga Curado, a benfeitora. P tocou na tela como se a beijasse.
As lágrimas dos dois enchem de alegria a sala.
Ficamos mais ricos quando paramos para contar ou escutar es-
sas histórias. É muito bom, mesmo num dia agitado, deixarmo-nos
levar pelas emoções que saem de uma história.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 104.25-31 e Zacarias 12 a 14
“Perdure para sempre a glória do Senhor! Alegre-se o Senhor em seus
feitos!”. (Salmo 104.31)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 252 29/09/2015 18:06:09


A graça de Deus não vem para as pessoas que

AGOSTO
26 superam moralmente as outras, mas para aqueles
que admitem seu fracasso e que reconhecem sua
necessidade de um Salvador.
Timothy Keller

A fonte da alegria
Onde está a fonte de nossa alegria?
Esta é a pergunta que precisamos nos fazer.
Recebemos nosso salário e nossos rostos brilham de alegria, mas
o dinheiro acaba. Vai junto a alegria?
Passamos a noite numa festa, na qual nos divertimos muito.
Chegando a manhã, a música cessa, as cadeiras são recolhidas. Ces-
sa junto a nossa alegria?
Fizemos algo interessante e somos reconhecidos, com palavras
que trazem alegria ao nosso coração. Daqui a pouco, temos outra
tarefa para realizar. A anterior ficou para trás. Fica para trás, tam-
bém esquecida, a nossa alegria?
Empreendemos uma longa viagem cheia de pessoas interessan-
tes e lugares deslumbrantes. Ao final, voltamos e nossa vida volta
ao normal. Ficou nos destinos distantes a nossa alegria?
Participamos de uma competição, em que fizemos o nosso me-
lhor, e triunfamos saborosamente. Depois, vêm outras competi-
ções. Acabou a alegria da vitória?
Enfrentamos um difícil concurso, no qual fomos aprovados e
muito celebramos. Começamos a trabalhar, com o peso próprio do
trabalho. Agora é sem alegria?
A alegria é bem-vinda, mesmo a que passa.
Só não é bem-vinda a alegria que nos afasta de Deus.
Por isto, devemos pedir a Ele que guarde as fontes da nossa ale-
gria. Devemos lhe pedir que a nossa amizade com Ele seja o canal
por onde a alegria dele jorre para dentro de nossas vidas.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 104.32-35 e Ezequiel 6 a 9
“Seja-lhe agradável a minha meditação, pois no Senhor tenho alegria”.
(Salmo 104.34)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 253 29/09/2015 18:06:09


A estrada mais segura para o fracasso

AGOSTO
27 na vida é seguir nossos sentimentos.
Gary Chapman

Pedagogia do cuidado
do corpo (2/3)
Viver é cuidar.
Somos um corpo para cuidar.
Se a alimentação é a fonte do nosso vigor, o exercício físico é a
fonte do nosso equilíbrio.
Na ignorância, o corpo tende à inércia; na sabedoria, o corpo
tende ao movimento; no cuidado, o movimento deve se dar como
exercício. Corpo que se exercita é corpo são e longevo.
É também corpo são e longevo o que descansa. Entre os Dez
Mandamentos pétreos de Deus, está um que nos orienta a descan-
sar (Êxodo 20.8-11). Em nossa pecaminosa autossuficiência, acha-
mos que tudo depende das nossas mãos. Então, estranhamente
abrimos mão de nossa liberdade e descambamos para a idolatria,
adorando o trabalho, isto é, prostramo-nos reverentemente diante
dele. Quem não descansa é escravo. Quem é sábio separa um séti-
mo dos dias da semana para descansar e a metade das horas do dia
para repousar. Quem é livre dorme o tempo de que precisa o seu
corpo para se recompor.
Corpo que se exercita e descansa é corpo são e longevo.
É também corpo são e longevo o que evita os gestos que o ado-
ecem. Adoece-nos ir além de nossas possibilidades, arrebentando-
nos os músculos. Adoece-nos perder o controle sobre o peso do
nosso corpo. Adoece-nos deixar de lado os cuidados da prevenção,
seja a escovação dos nossos dentes, seja a submissão aos exames de
rotina para o conhecimento de nossa biosfera interior.
Se o atleta treina aguentando exercícios duros, em busca dos
seus troféus, todos precisamos cuidar para que a nossa vida dure
mais e melhor (1Coríntios 9.25).
Somos um corpo para cuidar. [CONTINUA em 31/8]
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 105.1-3 e Ezequiel 10 a 14
“Rendei graças ao SENHOR, invocai o seu nome, fazei conhecidos, en-
tre os povos, os seus feitos”. (Salmo 105.1)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 254 29/09/2015 18:06:09


A elegância da honestidade não precisa de enfeite.

AGOSTO
28 Merry Browne

Quando nos elogiam


Se lhe mandarem flores, receba-as.
Se lhe entregarem uma placa, aceite-a.
Se lhe elogiarem a obra, agradeça.
Se lhe aplaudirem, bata palmas também.
Se lhe elogiarem, sorva todas as palavras.
Se lhe derem uma festa, divirta-se.
Se lhe enviarem uma cesta pela manhã, coma-a.
Se lhe convidarem para um jantar, vá.
Se lhe derem um presente, guarde-o.
Se lhe tratarem como um rei, sente-se no trono.
Se cantarem para você, cante junto.
Receba as flores e as redistribua.
Tome a placa como um convite a recordar o que você fez.
Agradeça os elogios por sua obra e mencione todos que o aju-
daram a construí-la, porque nenhuma obra, seja uma ponte, uma
casa, um livro, uma festa, é feito solitário.
Ao bater palmas junto com quem o homenageia você o estimula.
O elogio é coisa do espírito, como é da carne a crítica ou a recla-
mação.
A festa é uma antecipação do céu.
O anúncio da chegada de uma cesta pela manhã em casa é uma
trombeta a cantar que a vida vale a pena.
Um jantar com amigos é lembrança para ser guardada.
Um presente é uma lembrança que o tempo não pode gastar.
Uma coroa de elogios é uma certeza de que Deus mesmo nos
coroou de honra e glória.
Quando cantamos junto a canção que nos entoam, estamos
agradecendo ao Criador que tornou possível a arte. Sorva tudo com
a certeza que a sua vida está começando e que o melhor ainda virá.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 105.4-6 e Ezequiel 15 a 19
“Buscai o SENHOR e o seu poder; buscai perpetuamente a sua presen-
ça”. (Salmo 105.4)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 255 29/09/2015 18:06:09


Em nossa quietude, reconhecemos a grandeza de

AGOSTO
29 Deus e experimentamos a paz na vida. A quietude nos
enche da Presença de Deus.
E’yen A. Gardner

Uma presença constante


Ter o Senhor Deus sempre conosco é tê-lo sempre diante de nós.
A constância da presença de Deus é um alvo pessoal, que começa
com um desejo, continua com um desejo, prossegue com um desejo
e se realiza com um desejo.
Pôr o Senhor diante de nós é ter prazer no que dá prazer a Ele.
Ver a justiça entre os homens — eis, por exemplo, o que dá prazer
a Deus. Ter como alvos os alvos propostos por Ele — eis o caminho
que conduz à vida plena. Ter como prática a presença dele — eis a
alegria que vale a pena fruir.
Erramos, então, quando achamos que só entramos na presença
de Deus quando oramos ou quando participamos de um culto co-
letivo.
Não dá para confinar Deus num templo. Se dizemos que esta-
mos na presença de Deus quando nos reunimos para juntos adorar,
admitimos que há momentos em que não estamos. Que Deus é
este de cuja presença podemos sair? O que aprendemos na Bíblia
(Salmo 129) é que onde quer que estejamos, Ele também está lá,
mesmo que fujamos para o interior da escuridão.
O problema, portanto, não é a presença, mas a consciência da
presença de Deus. Parece pouco, mas a diferença é grande. Esta-
mos sempre na presença de Deus. José do Egito, filho de Jacó, ti-
nha esta percepção e por isto não pecou, quando tentado. Temos
aprisionado Deus dentro dos templos, como se Ele estivesse pre-
sente apenas lá. Aprisionamos Deus lá no domingo e fazemos o
que queremos nos outros seis dias da semana.
Presença de Deus e consciência da presença de Deus são coisas
muito diferentes. Precisamos de uma viva consciência da presença
de Deus.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 105.7-40 e Ester 1 a 3
“Ele é o SENHOR, nosso Deus; os seus juízos permeiam toda a terra”.
(Salmo 105.7)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 256 29/09/2015 18:06:09


Coragem é o que é preciso para levantar

AGOSTO
30 e falar. Coragem é também aquilo que
me leva a sentar e ouvir.
Winston Churchill

Não desperdice a sua vida


Quase sempre a vida é breve. Por mais que vivamos, que são, por
exemplo, 90 anos, mesmo que bem vividos, no calendário da eter-
nidade? E eles passam rapidamente.
E assim mesmo, esses nossos anos podem ser perdidos. Desper-
diçamos a vida quando deixamos de fazer o que precisamos fazer.
E entre as coisas que precisamos fazer, uma delas pode ser mudar
o nosso jeito de ser, para que a nossa vida e a vida das pessoas à
nossa volta sejam melhores. Imaginemos que, por alguma razão ou
por várias, tenhamos características individuais que incomodam
duramente aos outros. Digamos que sejamos, como gostamos de
nos vangloriar, “autênticos”: “falamos o que pensamos”, porque
“gostamos da verdade”, que deve ser dita “custe o que custar”. Pre-
cisamos, nesse caso, ter a coragem de nos fazer algumas perguntas:
1. Gostamos de ouvir as “autênticas” verdades que os outros falam
sobre nós, ou as julgamos como falsas?
2. Medimos as consequências do que falamos, uma vez que as pes-
soas processam diferentemente de nós o que escutam?
3. Não seria a nossa autenticidade uma expressão de grosseria
que demonstra o nosso desinteresse pelo outro e não realmente
apreço pelo que é certo?
4. O que realmente deve importar: as pessoas ou as instituições?
Os processos ou os objetivos? A guerra ou a paz?
Se concluímos que nossa pretensa autenticidade não passa de
uma embalagem para esconder a nossa grosseria, precisamos nos
convencer que ainda dá tempo para a mudança e que não estamos
condenados a ser o que não devemos ser. Há muita vida pela frente
e queremos ganhá-la, não perdê-la.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 105.41-42 e Ester 4 a 6
“Fendeu a rocha, e dela brotaram águas, que correram, qual torrente,
pelo deserto”. (Salmo 105.41)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 257 29/09/2015 18:06:09


Não há função sem importância,

AGOSTO
31 nem trabalho trivial.
Rory Noland

Pedagogia do cuidado
do corpo (3/3)
Viver é cuidar.
Somos um corpo para cuidar.
Se a alimentação é a fonte do nosso vigor, o exercício físico é a
fonte do nosso equilíbrio.
Na ignorância, o corpo tende à inércia; na sabedoria, o corpo
tende ao movimento; no cuidado, o movimento deve se dar como
exercício. Corpo que se exercita é corpo são e longevo.
É também corpo são e longevo o que descansa. Entre os Dez
Mandamentos pétreos de Deus, está um que nos orienta a descan-
sar (Êxodo 20.8-11). Em nossa pecaminosa autossuficiência, acha-
mos que tudo depende das nossas mãos. Então, estranhamente
abrimos mão de nossa liberdade e descambamos para a idolatria,
adorando o trabalho, isto é, prostramo-nos reverentemente diante
dele. Quem não descansa é escravo. Quem é sábio separa um séti-
mo dos dias da semana para descansar e a metade das horas do dia
para descansar. Quem é livre dorme o tempo de que precisa o seu
corpo para se recompor.
Corpo que se exercita e descansa é corpo são e longevo.
É também corpo são e longevo o que evita os gestos que o ado-
ecem. Adoece-nos ir além de nossas possibilidades, arrebentando-
nos os músculos. Adoece-nos perder o controle sobre o peso do
nosso corpo. Adoece-nos deixar de lado os cuidados da prevenção,
seja a escovação dos nossos dentes, seja a submissão aos exames de
rotina para o conhecimento de nossa biosfera interior.
Se o atleta treina aguentando exercícios duros, em busca dos
seus troféus, todos precisamos de cuidar para que a nossa vida
dure mais e melhor (1Coríntios 9.25).
Somos um corpo para cuidar.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 105.43-45 e Ester 7 a 10
“E conduziu com alegria o seu povo e, com jubiloso canto, os seus esco-
lhidos”. (Salmo 105.43)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 258 29/09/2015 18:06:09


SETEMBRO
O tempo é brinde
Foi ontem a expectativa, que hoje se tornou real.
Vencida a noite, os números mudaram.
Você faz aniversário.
Olhe para as suas mãos,
não para ver as rugas dos anos,
mas o calendário das suas realizações.
Olhe para os seus dias
para perceber que realizou proezas
contáveis no atacado e nas miudezas.
Olhe para os seus pés
para notar os abrigos
que lhe providenciou o Cristo amigo.
Olhe para os seus cabelos:
sim: o tempo existe e depressa passa,
sem amargura, porque é brinde da graça.
Celebre o seu hoje com confiança
como se fosse uma criança
desfilando presentes na vizinhança.
Mais tarde, veja como computar
cada ano completado até esta data
como uma lição de vida para escutar.
Amanhã acorde, com os pés no chão,
depois calce as pantufas da sabedoria
que vem de Deus em sua infinita soberania.
Depois de amanhã, grite o seu pedido
para que Deus tome cada gesto seu
e amorosamente o complete e consolide.

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 259 29/09/2015 18:06:09


A Bíblia ensina que o verdadeiro arrependimento é

SETEMBRO
1 evidenciado por uma mudança de comportamento.
Robert Jeffress

A nudez da confissão
Viva a confissão!
O que fazemos quando pecamos?
A pergunta pode soar estranha, uma vez que temos aprendido
que erramos, falhamos ou cometemos deslizes, não que pecamos.
Temos aprendido também a transferir nossa culpa para a genética,
para a neurologia ou para o meio em que vivemos.
Temos mesmo dificuldade para admitir o mais simples, o mais
claro e o mais preciso: pecamos.
Em lugar de fazer como Davi, que admitiu dramaticamente ter
pecado e que corajosamente pediu perdão, preferimos seguir pelos
trilhos da explicação e da justificativa.
Explicamos que o nosso comportamento segue o padrão.
Justificamos que, estando sob forte tensão ou tentação, não ti-
vemos outra alternativa diante da pressão.
Diante do pecado, podemos também, e também de modo ina-
dequado, sentir vergonha ou mesmo ter nojo. Estes sentimentos
apenas agudizam a culpa, mas não têm efeito positivo.
Melhor mesmo é, reconhecendo o pecado (chamado pelo nome
que tem), concluir que pecamos. A nudez da confissão nos leva à
oração quebrantada: “Perdoa-nos, Senhor”.
É o perdão que nos abre a porta para uma vida transbordante.
Pedir perdão é visto como fragilidade, embora seja força.
Pedir perdão é percebido como confissão de derrota, quando, na
verdade, é canto de vitória.
Infelizmente, muitos demoram a entender que o ressentimento
é um capítulo da morte e persistem nele à espera de uma justiça
que nada vai reparar. O perdão prepara a vida.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 106.1-5 e Esdras 7 a 8
“Aleluia! Dêem graças ao Senhor porque ele é bom; o seu amor dura
para sempre”. (Salmo 106.1)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 260 29/09/2015 18:06:09


Não há contradição entre disciplina e iniciativa.

SETEMBRO
2 Uma complementa a outra.
David ben Gurion

Organizar é preciso
A falta de disciplina é um inimigo a ser nocauteado.
Mesmo quando desejamos derrotá-lo, não o conseguimos no
primeiro round da luta. A falta de disciplina, que inclui a inexis-
tência de hábitos saudáveis quanto aos horários e a incompetência
para traçar objetivos claros e estratégias bem definidas, é defeito
difícil de deletar.
A falta de disciplina atende a uma demanda de nossa natureza
e corresponde ao que aprendemos ao longo de nossa vida. Triste
daquele que nasceu numa casa em que não há horários definidos
para as refeições, tempo definido para o lazer (jogos e brincadei-
ras), tarefas para cada dia da semana, compromissos a serem com-
partilhados em família.
Quem vive assim não desenvolveu a disciplina, que é a mãe do
sucesso.
Quem não teve uma boa formação em casa está destinado ao in-
sucesso? Sim, se se conformar. Não, se decidir mudar sua herança.
Em outras palavras, quem não teve uma boa formação não pre-
cisa ser escravo pelo resto de sua vida da deformação da falta de
horários e rotinas que povoou sua infância e adolescência.
Quem quiser pode se libertar e organizar a sua vida para ser um
vencedor. Quem quiser organizar seus dias precisa saber que a mu-
dança vai doer.
Só por acaso e por genialidade alguém sem disciplina vence, mas
o acaso não vem para todos e nem todos são gênios, mesmo que
achem. A derrota não exige esforço. A vitória exige.
O preço da derrota é muito alto. O preço da vitória compensa
pelas alegrias que traz.
Organize a sua vida para vencer.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 106.6-43 e Esdras 9 a 10
“Pecamos como os nossos antepassados; fizemos o mal e fomos rebel-
des”. (Salmo 106.6)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 261 29/09/2015 18:06:09


Se cremos num Deus que controla as grandes

SETEMBRO
3 coisas, devemos crer num Deus que controla as
pequenas. Na verdade, somos nós que dizemos
que as coisas são grandes ou pequenas.
Elisabeth Elliot

Deus está no controle


“Deus está no controle”, ouvimos a toda hora.
“Deus está no controle”, dizemos muitas vezes. Mesmo diante
de uma injustiça flagrante de que foi alvo, em que provavelmente
sairá perdendo e possivelmente colherá prejuízos para seu negócio,
uma pessoa de fé pode se lembrar:
— Deus está no controle, até mesmo das coisas ruins.
Esta lembrança traz confiança e a confiança é a mãe da serenida-
de. Por não se desesperar, quem crê que Deus está no controle tem
tranquilidade para olhar o seu passado, examinar o seu presente e
aguardar o futuro, certo que o mesmo Deus que não permitiu que
lhe faltasse o essencial ainda é o Senhor da história.
Diante da dificuldade, mesmo de uma violência que faz a vida de
uma pessoa querida cessar, crer que Deus está no controle não em-
bute uma explicação para o inexplicável, mas alimenta a esperança
de que Deus vai agir, mesmo que jamais vejamos seus gestos. (Isto
é que é esperança!)
Quando dizemos que Deus está no controle, acreditando — ou
desejando acreditar — nesta verdade, estamos reconhecendo, sabia-
mente, que nem sempre sabemos o que é realmente ruim para nós,
mas Deus tem a perspectiva do quadro todo da vida, não de parte
dele, como nós. Então, relaxamos, porque Deus está no controle.
Esta serena fé confiante gera ainda um desejo de participar do
exercício do controle que Deus realiza. Deus controla a história e
usa pessoas para a concretização desta soberania.
Quem confia assim se dispõe a ser um instrumento de Deus para
que, também por seu intermédio, este controle aconteça, orando
assim, por exemplo. — Senhor, que queres que eu faça?
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 106.44-45 e Malaquias 1 a 2
“Mas Deus atentou para o sofrimento deles quando ouviu o seu cla-
mor”. (Salmo 106.44)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 262 29/09/2015 18:06:09


A fé foi reduzida a um confortável sistema

SETEMBRO
4 de crenças sobre Deus, embora seja um
desconfortável encontro com Deus.
Michael Yaconelli

Creia com todas


as suas forças
Se você quer mudar, creia em Deus. Ele vai consolar você: é conso-
lado quem tem os seus olhos levantados por Deus. Por isto, acredi-
te que existe um Deus interessado em solucionar o seu problema.
Aproxime-se de Deus, mas com fé. Como ensina a Bíblia, quem se
aproxima de Deus precisa crer que Ele existe (Hebreus 11.6).
Talvez lhe seja difícil crer num Deus invisível; então, olhe para
Jesus Cristo. Quem vê Jesus vê o Pai (João 12.45). Olhe o que Je-
sus fez.
Se você olhar para Jesus, vai descobrir que Deus pode fazer por
você o que você não consegue realizar por si mesmo. Com a aju-
da de Deus, você pode alcançar a saúde, sendo abençoado com um
novo modo de pensar, “criado para ser semelhante a Deus em justi-
ça e em santidade provenientes da verdade” (Efésios 4.24).
Creia, mas creia de todo o coração. Creia, mas creia com toda
a força da razão (Romanos 1.20). Creia que Deus criou o mundo.
Creia que Deus criou você.
Se algo neste mundo ou em você parece fora de controle, saiba
que nada está fora de controle de Deus. Ele fez você para um pro-
pósito, e não foi para ser dominado por traumas, vícios ou hábitos
ruins.
A liberdade está à sua espera.
A vida está posta diante da sua vida.
Pegue-a.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 106.46-48 e Malaquias 3 a 4
“Salva-nos, SENHOR, nosso Deus, e congrega-nos de entre as nações,
para que demos graças ao teu santo nome e nos gloriemos no teu lou-
vor”. (Salmo 106.47)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 263 29/09/2015 18:06:09


Grandes mentes têm grandes propósitos;

SETEMBRO
5 as outras têm desejos.
Washington Irving

Uma semana pela frente


Nossa vida, sabemos, é a soma simples de nossas semanas.
Esta obviedade nos empurra para uma tarefa: a de vivermos bem
cada semana pronta para começar.
Antes de pisarmos no chão da realidade de mais uma etapa da
vida, nosso primeiro trabalho é revisar a semana que passou.
Podemos dizer que vivemos cada dia, mas não basta viver cada
dia, porque precisamos vivê-lo bem. Se um bom dia hoje começou
com a revisão dele ontem, uma boa semana a partir de agora exige
de nós uma revisão. As rubricas são simples:
1. O que fizemos estava de acordo com o nosso projeto de vida?
2. No tijolo da construção da nossa vida, como o colocamos? Torto
ou certo?
3. Vivemos a semana passada de modo que possamos agradecer a
Deus por ela?

Como, daqui a alguns dias, a semana vai acabar, cada gesto nosso
a partir de hoje deve sempre levar em conta o nosso plano de voo,
que nos diz em que aeroporto queremos pousar.
O que nos vem à mão, por nós mesmos ou por outras pessoas,
devemos fazer bem, de modo que não precisemos nos envergonhar.
Só devemos fazer o máximo. Quem faz o mínimo é como o devedor
que pensa que, pagando uma pequena parte, vai se livrar de sua
dívida, quando, na verdade, só vai, agindo assim, multiplicá-la.
O segredo maior de uma semana bem vivida é degustá-la na con-
vicção de que estamos na presença de Deus, não como um fardo,
mas como um companheiro solidário e sorridente que nos ajuda a
carregar o peso.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 107.1-7 e Neemias 1 a 3
“Na sua aflição, clamaram ao Senhor, e ele os livrou da tribulação em
que se encontravam”. (Salmo 107.6)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 264 29/09/2015 18:06:09


Ser feliz é ter a consciência tranquila e confiar

SETEMBRO
6 na promessa de Deus sempre. Ser feliz é ser humilde
e deixar Deus agir e nos usar como instrumentos
da sua obra. Ser feliz é contemplar a natureza,
admirar uma árvore, uma flor, a chuva e um dia
de sol radiante e saber que Deus providenciou
tudo isso porque nos ama demais.
Teresa Cristina Reis de Araujo

A felicidade existe (9/12)


No caso do sucesso em forma de dinheiro, para que serve o que
ganhamos? No caso do prestígio, para que serve a fama?
Não devemos pensar apenas em nós mesmos. Se um endinheira-
do pensa apenas em si mesmo, ele trai ao Senhor Deus, que lhe deu
as oportunidades para se endinheirar. Se um famoso visa apenas
ampliar o espectro do seu prestígio, vai ganhar apenas mais fama
até ser enredado por ela. Parte do dinheiro deve ser usada para be-
nefício próprio (seja sua família, seu negócio ou seu prazer) e parte
para o benefício de outras pessoas (de seus empregados e de sua
comunidade). Parte da fama deve ser empregada para uso próprio
(senso de relevância) e para benefício dos outros, para que sejam
relevantes. Por isto, a missão de quem tem (dinheiro ou prestígio)
deve ser desenvolvida segundo os seguintes princípios:
• Sonhe alto.
• Ganhe dinheiro. Não há problema nisto, se a acumulação for ho-
nesta.
• Busque o prestígio, mas não perca a sua vida. A fama é como a
neblina. Passa.
• Em todos os seus projetos, ponha Deus em primeiro lugar.
• Motive outras pessoas (separando, por exemplo, parte do que
tem para oferecer bolsas de estudo ou aprimoramento ou para
fazer palestras para quem não pode pagar).
• Participe de projetos capazes de mudar o mundo.
[CONTINUA em 3/10]
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 107.8-14 e Neemias 4 a 6
“Que eles dêem graças ao Senhor por seu amor leal e por suas maravi-
lhas em favor dos homens”. (Salmo 107.8)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 265 29/09/2015 18:06:09


O que não posso, porque não tenho esse

SETEMBRO
7 direito, é calar-me, seja sob que pretexto for.
Francisco Sá Carneiro

Não deixemos que os


maus nos governem
(Independência do Brasil)
Diante de políticas que aumentam a desigualdade e diante de polí-
ticos que usam o poder para se enriquecer, podemos nos omitir ou
podemos desejar outro destino.
Na busca de uma vida pública mais limpa, consideremos alguns
valores:
1. Deus tem o maior interesse no bem-estar das pessoas, de quem
crê e de quem não crê. Ele não tem sistemas políticos, nem par-
tidos, nem candidatos próprios. Estas criações são humanas,
completamente humanas, mas Ele deseja que sejam usadas para
o bem de todos.
2. Todos somos chamados a uma parceria com Deus na dignificação
das pessoas, e a política é o meio por excelência para a organiza-
ção da vida em sociedade. Ele conta com nossa participação para
que o seu ideal para a sociedade se realize. Queiramos nós ou
não, é pela política que as mudanças podem acontecer.
3. A nossa omissão (ou a nossa decisão leviana) torna a política
pior do que ela comumente é. A alegria dos ímpios, que fazem
da política uma escada para o benefício de si mesmos, é a aliena-
ção dos justos. Quanto mais alienados formos, mais este tipo de
político se deleitará e se fartará. Se nos omitirmos hoje, teremos
que nos calar amanhã.
4. Na hora de votar, enquanto a maioria se deixa levar pela apa-
rência do candidato, pela recomendação de algum líder ou pelos
favores que o voto pode obter, nós devemos votar visando tão
somente os interesses maiores dos cidadãos, especialmente da-
queles onde se tornou difícil ver com nitidez a imagem e a seme-
lhança de Deus, porque apagadas pela miséria e pela desolação.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 107.15-21 e Neemias 7 a 8
“Que eles ofereçam sacrifícios de ação de graças e anunciem as suas
obras com cânticos de alegria”. (Salmo 107.22)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 266 29/09/2015 18:06:09


Os golpes da adversidade são terrivelmente

SETEMBRO
8 amargos, mas nunca estéreis.
Ernest Renan

Sofrimento não se explica


Passamos por aflições.
Ao longo da vida, passamos por angústias.
Somos ajudados nessas horas, recebendo conforto.
Nossa vida, portanto, experimenta ciclos de sofrimento e livra-
mento, de oração e de bênção.
Aflitos e ajudados, devemos ajudar os que estão passando pela
experiência que já passamos. Nossa perspectiva é a da vitória, por-
que o que nos ocorreu é passado agora.
Assim, todas as vezes em que formos alcançados por uma afli-
ção, devemos saber que podemos orar a Deus. O amor dele para
conosco não tem fim (Salmo 107.1) Todas as vezes em que formos
abençoados, devemos agradecer. Conhecemos bem a parte em que
pedimos e nem sempre nos lembramos de agradecer. Nunca deve-
mos esquecer que Deus nos livra de nossas aflições (Salmo 107.6).
Pode ser que, para nosso irmão, a dor ainda seja presente. Ele
não tem a perspectiva do futuro, que nós temos.
Os consolados de ontem devem ser os consoladores de hoje. Os
consoladores de hoje podem ser os consolados de amanhã.
Este é o método de Deus: o consolo seja mútuo.
Saber que, na aflição, seremos consolados por emissários de
Deus nos enche de fé: é pela ação mútua que Deus se torna o Pai
de misericórdias.
Gostaríamos que não passássemos por situações de angústia,
mas este não é o método da vida. Deus não muda esta realidade,
mas muda a nossa condição nela, dando-nos motivos para celebrar
o amor dele para conosco, não importa quantas vezes passemos
por dificuldades.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 107.22-31 e Neemias 9 a 10
“Transforma o deserto em açudes e a terra ressecada, em fontes. Ali
ele assenta os famintos, para fundarem uma cidade habitável, se-
mearem lavouras, plantarem vinhas e colherem uma grande safra”.
(Salmo 107.35-37)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 267 29/09/2015 18:06:10


Talvez precisemos praticar a espera. E se ela

SETEMBRO
9 lhe é estranha, você só a aprenderá com a prática.
Tracie Peterson

Impaciência
contra impaciência
O impaciente é aquele que se acha melhor do que o outro. Em lugar
de se achar apenas diferente se acha mais inteligente, mais rápido,
logo superior. Por isso, não tolera a lentidão dos outros, a limitação
que vê nos outros. O impaciente pensa que ele não foi avaliado de
modo justo no esforço que fez. Seu gesto de impaciência, na verda-
de, é uma busca de reconhecimento. Talvez seja uma forma de se
autoafirmar sobre os escombros das dificuldades dos outros.
O impaciente, quase sempre, descarrega sobre a pessoa errada
suas próprias frustrações, querendo que o outro pague por aqui-
lo que está dentro, na verdade, do próprio impaciente. E as vezes,
o grande erro da vítima do impaciente é estar naquele momento,
naquela hora, completamente errado, perto de uma pessoa impa-
ciente. Porque o impaciente é aquele que não tem controle sobre as
suas emoções, mas quer que o outro tenha. Na verdade, se o outro
tem alguma fragilidade, o que ele precisa não é de uma pessoa im-
paciente, mas de um professor humilde, um pedagogo cuidadoso,
que o tome pela mão sem que ele perceba.
Um impaciente deve saber que a sua impaciência é uma vitória
da sua própria ansiedade. É a realização, em última instância, do
seu terrível sentimento de perfeccionismo.
O último exercício para um impaciente é colocar-se ao lado de ou-
tra pessoa impaciente, a guerra vai ser dura e um deles vai perder.
Sejamos impacientes com os impacientes, para que os impacien-
tes aprendam a ser pacientes. E se nós somos os impacientes o ro-
teiro está dado, peça perdão a Deus e peça a Ele ajuda, para ser uma
pessoa paciente, tal como você quer que os outros sejam com você,
na hora em que você estiver precisando.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 107.32-39 e Neemias 11 a 13
“Deus derrama desprezo sobre os nobres e os faz vagar num deserto
sem caminhos. Mas tira os pobres da miséria e aumenta as suas famí-
lias como rebanhos”. (Salmo 107.40-41)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 268 29/09/2015 18:06:10


A mais bela coisa sobre o amor de Deus é que

SETEMBRO
10 é um amor que dá, um amor que flui em abundância
com prazer, generosidade e bondade.
Roy Lessin

Aprendendo com a
mãe de uma menininha
Quando ainda a noite resiste à manhã, adultos a passos largos se-
guem seus itinerários. Enquanto andam, podem ver as crianças
dando os seus passos em direção à escola onde estudam.
Entre essas crianças, esta uma menina, talvez de oito anos.
Ela está sentada na calçada, dobrada sobre os joelhos, arruman-
do sua mochila em forma de mala. Certamente, havia algum pro-
blema. Talvez procurasse algum objeto ou conferisse alguma coisa.
Parecia tranquila.
Ao lado, uma senhora, muito provavelmente sua mãe, está aten-
ta, inclinada, pronta para intervir, se a garota precisar.
Esta pode ser uma bela comparação para o modo como Deus age.
O Deus que está ao nosso lado (Mateus 28.20) é o Deus que se
inclina (Salmo 17.6), se precisarmos. É o Deus que desce de sua
glória (Êxodo 3.8), se for necessário. É o Deus que, se pedimos, in-
tervém (Efésios 3.20-21). É o Deus que se alegra quando estamos
bem (Efésios 1.13-14). Foi assim que Ele se mostrou, em toda a sua
inteireza, em Jesus Cristo, nosso Salvador (João 1.14).
A Bíblia faz questão de lembrar que, embora esteja acima de to-
dos os seres e de todos os poderes, em sua glória absoluta, Deus
não é surdo aos clamores humanos.
Pelo contrário, ao se inclinar, Ele contempla o necessitado em
suas necessidades e sofre com os pobres em suas dificuldades. O
projeto dele é outro: é dar uma vida digna a todos os que desejam
uma vida digna, como se fossem príncipes.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 107.40-43 e Ezequiel 20 a 22
“Reflitam nisso os sábios e considerem a bondade do Senhor”.
(Salmo 107.43)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 269 29/09/2015 18:06:10


Quando o pecado fica escrito em nossos corações,

SETEMBRO
11 torna-se gravado em nosso caráter.
Colin Smith

Gratidão por
palavras amargas
Gostamos de palavras suaves, sejam elogios, sejam votos de “sucesso”.
Essas palavras têm um grande poder sobre nós, ao nos anima-
rem para a realização de nossos projetos. Nós emolduramos pa-
lavras agradáveis. Nós as memorizamos para nos acompanharem
nas horas tensas. Elas são como ventos favoráveis.
Mais do que gostar, nós precisamos de palavras agradáveis.
Mas também precisamos de palavras desagradáveis. São aquelas
que recebemos como se fossem “contra” nós. Elas estão contra uma
prática ruim, um hábito destruidor, um jeito de ser tóxico, um pe-
cado resiliente em nós.
Nós não gostamos de ouvir que estamos errados, mesmo quando
estamos errados.
Pois, diferentemente de nossas atitudes comuns diante das pala-
vras amargas, nós deveríamos agradecer a quem no-las oferece. Em
lugar de as evitar, gritemos “bem-vindas”às palavras que nos des-
pertam da preguiça, que nos acordam da indisciplina, que tocam a
nossa insensibilidade, que nos provocam para perceber a realidade,
que nos desmascaram, que nos advertem contra o nosso pecado.
Palavras duras nos fazem mais suaves; palavras ruins nos fazem
melhores, desde que as ouçamos.
Parte do que somos devemos às pessoas que nos disseram pa-
lavras que nos fizeram sorrir e parte do que somos tributamos às
pessoas que nos proferiram palavras que nos arrancaram lágrimas.
Por estes dois tipos de palavras, sejamos agradecidos.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 108.1-2 e Ezequiel 23 a 24
“O meu coração está firme, ó Deus, bem firme; eu cantarei hinos em
teu louvor. Acorde, meu coração!”. (Salmo 108.1)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 270 29/09/2015 18:06:10


O sucesso não é um prêmio a ser desfrutado,

SETEMBRO
12 mas um fundo a ser administrado.
Charlie Jones

Desejos de realização
Para que sejam de realização, nunca de destruição os nossos de-
sejos.
1. Precisamos examinar os nossos desejos. Por que um pai que, na
infância, nada teve e dá agora tudo para o seu filho? Por não ter tido
o que precisava ter deseja dar ao seu filho o que não teve, mesmo
que o filho não precise. Esse pai precisa saber que o seu filho care-
ce de afeto e talvez de uma aprendizagem em como demonstrá-lo.
Precisamos examinar nossos desejos, como parte de um processo
de autoconhecimento, que nos leva a saber porque decidimos e a
como decidir melhor. Por isto, sobre tudo o que devemos guardar,
devemos guardar o coração, “porque dele procedem as fontes da
vida” (Provérbios 4.23).
2. Precisamos assumir o controle dos nossos desejos. Quem controla
a nossa vida: nós ou os nossos desejos? Nós temos uma boa par-
cela de controle sobre o que fazemos com os desejos. Quando eles,
vêm, podemos acolhê-los ou rechaçá-los. Viver deve incluir medi-
tar. Precisamos refletir nas razões dos nossos desejos, para não
permitir que eles, como se tivessem vidas próprias, nos controlem.
Somos os nossos desejos, mas não apenas nossos desejos. Somos
também razão e ela precisa desempenhar o seu papel.
3. Precisamos de uma boa atmosfera para desejar o que é bom. So-
mos instruídos a desejar as coisas do alto (Colossenses 3.2). Para
tanto, é-nos oferecido “leite espiritual puro”, que, quando o bebe-
mos, crescemos saudáveis (1Pedro 2.2). Precisamos respirar um ar
bom, que é inspirado pelas boas companhias, formadas por con-
versas dignas e leituras de valor. Precisamos de amigos de classe
espiritual. Precisamos de livros que nos fazem pensar, de modo a
não nos iludirmos com promessas que parecem boas. A quem es-
tamos ouvindo?
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 108.3-5 e Ezequiel 25 a 26
“Ó SENHOR Deus, eu te darei graças no meio das nações; eu te louva-
rei entre os povos”. (Salmo 108.3)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 271 29/09/2015 18:06:10


Nossas circunstâncias jamais podem

SETEMBRO
13 ser mais profundas do que a nossa fé.
Jeff Huff

Sabedoria para realizar


Ser sábio é conhecer os próprios limites.
Nossa complexidade nos limita.
Nossa história nos limita.
Nosso temperamento nos limita.
Nossos desejos nos limitam.
Nossos relacionamentos nos limitam.
Nossas circunstâncias nos limitam.
Precisamos conhecer nossos contornos.
Sabedoria de vida tem a ver com se conformar e, paradoxalmen-
te, com não se conformar com a realidade.
Sábio é quem sabe que existe uma realidade, que muitas vezes
não pode ser mudada. Os sábios a aceitam.
Sábio é quem, sabendo que existe a realidade, põe-se a caminho
para transformá-la. Os sábios aceitam que há uma realidade a ser
alterada.
Sabedoria de vida, portanto, é uma questão de coragem, cora-
gem para aceitar o que não pode ser mudado e coragem para se
rebelar, comprometer-se e arregaçar as mangas para transformar o
que pode ser transformado.
Ser sábio é planejar os passos da vida
O apóstolo Paulo nas suas cartas se revela como um homem cheio
de planos. Havia sempre um lugar em que queria ir. Ele quis ir a Je-
rusalém. Ele quis ir à Macedônia. Ele quis ir a Corinto. Ele quis ir a
Roma. Ele quis ir à Espanha (Atos 19.21). Devemos fazer planos.
Deus espera que façamos planos, planos consagrados a ele, para
que sejam bem-sucedidos (Provérbios 16.3).
Quem é sábio faz planos.
Quem é sábio medita nas obras de Deus e deseja participar delas.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 108.6-10 e Ezequiel 27 a 28
“Salva-nos com o teu poder; responde à nossa oração para que o povo
que tu amas seja salvo”. (Salmo 108.6)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 272 29/09/2015 18:06:10


Embora a sabedoria não possa ser adquirida

SETEMBRO
14 com ouro, ainda menos pode ser adquirida sem ele.
Samuel Butler

Somos simples mortais


Como continuar humilde, tendo fama e dinheiro?
Pensemos num jogador de futebol. Ainda adolescente, passa a
ser tratado como um deus. Seu dinheiro traz todas as coisas às suas
mãos. Sua fama traz todas as pessoas aos seus pés. Como ele en-
tenderá que é um simples mortal?
Pensemos numa estrela da televisão, que não pode sair de casa
sem disfarce ou equipe de seguranças. Sua rotina, fora do trabalho,
é aparecer em lugares, tirar fotos com fãs e dar autógrafos. Como
ela se lembrará que não passa de um simples mortal, se é tratado
como imortal? Pensemos num cirurgião, cuja genialidade passeia
por suas mãos habilidosas, razão pela qual é procurado para operar
e faz feliz aquele que consegue uma vaga com ele. Como não pen-
sará que não precisa de Deus? Pensemos num juiz de direito que
interpreta e aplica leis com sabedoria e justiça. Como ele se verá
como simples servidor público?
Imaginemos um professor, sempre elogiado por seus alunos.
Como não admitiráque não tem todas as qualidades que seus alu-
nos lhe dão? Imaginemos um orador que tem suas falas elogiadas.
Como não cairá na sedução de achar que não precisa de ninguém,
para preparar e entregar suas mensagens?
Todos aqueles que, em grau menor ou maior, podem se achar
maiores do que são.
Somos chamados a, todos os dias, exercitar a humildade. A hu-
mildade é uma questão de sabedoria, ao nos mostrar quem real-
mente somos.
Para onde irá quem acha que está no topo?
Feliz é quem pode contemplar degraus acima de si.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 108.11-13 e Ezequiel 29 a 30
“Com Deus do nosso lado, venceremos; ele derrotará os nossos inimi-
gos”. (Salmo 108.13)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 273 29/09/2015 18:06:10


A história e a oração são a linguagem central

SETEMBRO
15 da nossa humanidade. Declaramos mais
verdadeiramente quem somos quando contamos
histórias uns aos outros e oramos ao Senhor.
Eugene Peterson

Necessidades radicais
Para viver, precisamos ser tratados com TERNURA. Sem ternura,
a vida não é possível. Ela dispensa palavras. Acontece no toque.
Para viver, precisamos ser recebidos com HOSPITALIDADE.
Quando nos hospedam numa casa, somos tornados seus parentes.
Quando somos reunidos numa mesa, a vida é partilhada conosco.
Para viver, precisamos experimentar o SILÊNCIO do outro.
Quando nos escutam, nós sabemos quem somos. Conter as pala-
vras é um gesto de generosidade. Quem cuida do outro ouve. Silên-
cio demanda aprendizagem.
Para viver, precisamos da COMUNICAÇÃO COMPASSIVA. Na
hora de falar, cada palavra é envolvida em compaixão. A frase pen-
sada será dita se o amor a aprovar. O conselho será dado se for
realmente levantar o outro.
Precisamos, portanto, que o outro seja terno conosco e nos re-
ceba. Precisamos que o outro nos escute e use suas palavras como
canais de compaixão. E o outro?
O outro também precisa de nossa ternura. O outro precisa que
coloquemos nossa mão sobre a sua pele e deixemos que o encontro
nos conduza. O toque é a suprema comunicação. O outro também
carece que o recebamos. Quando acolhemos o outro, celebramos
uma espécie de eucaristia, aquela que foi festejada por Jesus quan-
do deu graças por ter os discípulos com Ele durante a refeição. O
outro também cresce com o nosso silêncio, o silêncio de quem ouve,
sem o julgar, sem o classificar, sem o diminuir. O silêncio é a chave
do cuidado. O outro também se fortalece quando nossas palavras
lhe são ditas para levantá-lo. Nossas palavras são, neste caso, a vida
que flui a partir de nós mesmos e alcança o coração do outro.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 109.1-20 e Ezequiel 31 a 32
“Eu te louvo, ó Deus. Não fiques assim silencioso”. (Salmo 109.1)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 274 29/09/2015 18:06:10


Deus nos promete perdão pelo que temos feito,

SETEMBRO
16 mas precisamos de seu livramento do que nós somos.
Corrie ten Boom

O retrato do criador
A humildade, além de ser uma virtude moral, é produtiva.
Quando admitimos que não sabemos tudo, pomo-nos no cami-
nho de aprender mais. Quando reconhecemos que não somos bons
em tudo, tornamo-nos melhores numa área específica.
Não precisamos nos sentir menores porque alguns dirigem auto-
móveis melhor do que nós ou porque outros falam em público com a
facilidade de quem conversa numa rodinha de colegas enquanto nós
suamos frio só em pensar no público que teremos para enfrentar.
Não precisamos nos sentir piores porque não conseguimos sacar
uma rolha sem derramar parte do líquido ou assentar um tijolo no
nível certo ou pilotar uma máquina para furar uma parede sem abrir
uma cratera. Podemos ter algumas habilidades, mas não todas.
Quando cada um se dedica a executar o que faz de melhor, todos
ganhamos, porque a especialização permite que os bons se tornem
ótimos. Em nossa sociedade, a começar pela primeira de suas orga-
nizações que é a família, sempre há necessidades a serem supridas,
umas pelos generalistas, outras pelos especialistas. Há dificuldades
que demandam apenas amor para ser vencidas e outras que care-
cem de amor e conhecimento específico, quase sempre desenvol-
vidas em equipe. O que cada um de nós precisa descobrir é a sua
melhor habilidade, sem achar que ela é inferior a outras, mesmo
que remuneradas em níveis mais altos.
Os pais, por exemplo, não podem esquecer que seus filhos são
obviamente diferentes entre si, se têm mais de um, ou felizmente
diferentes dos filhos dos seus amigos.
Nas habilidades demonstradas com o corpo ou com a mente, há
histórias de oportunidades oferecidas, há emoções que foram equi-
libradas, há esforços repetidos à exaustão, há prazeres que muitos
sequer imaginam, há o retrato do supremo Criador.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 109.21-27 e Ezequiel 33 a 34
“Mas, quanto a mim, ó SENHOR, meu Deus, ajuda-me como prome-
teste e livra-me, pois és bom e amoroso!”. (Salmo 109.21)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 275 29/09/2015 18:06:10


O respeito é a matéria-prima da amizade.

SETEMBRO
17 F. Dean Lueking

A arte de tratar
os inimigos
Não devia ser assim, mas, infelizmente, é assim: ao longo da vida,
vamos colhendo inimizades. São pessoas que ferimos ou nos feri-
ram. São pessoas que não nos compreenderam ou não as compre-
endemos. São pessoas que nos julgaram sem nos ouvir ou que nós
julgamos sem que as escutássemos.
A partir daí, embora não devesse ser assim, deixamos de nos falar.
Nessas pessoas ou em nós, vão se acumulando desejos ruins: um
deles é ver as suas ruínas.
Temos que ser honestos: muitas vezes desejamos que algo de
ruim aconteça a estas pessoas, como uma prova da justiça. Pode ser
até que nos alegremos quando essas pessoas recebem um castigo.
Nossa atitude precisa ser outra. Devemos deixar que Deus faça
justiça. E quando Ele faz justiça, pode ser que nós sejamos os casti-
gados, por estarmos errados.
Nosso padrão diante da injustiça deve ser outro. Jesus estabe-
leceu o padrão: devemos amar os nossos inimigos (Mateus 5.43) e
caminhar com eles (Mateus 5.41).
O padrão de Jesus deve ser o nosso padrão.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 109.28-29 e Ezequiel 35 a 36
“Eles podem me amaldiçoar, mas tu me abençoarás. Que os meus per-
seguidores sejam derrotados, e que eu, que sou teu servo, fique alegre!”.
(Salmo 109.28)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 276 29/09/2015 18:06:10


O respeito é poder. É poder dentro da pessoa.

SETEMBRO
18 É o dom pelo qual nos damos ou nos
compartilhamos com os outros.
Ralph Ransom Frederick

O nosso lugar é outro


Embora ali não seja o nosso lugar, algumas vezes ali nos achamos.
Para ali vamos por vários motivos, como uma doença emocional,
uma sucessão de fracassos ou a perda de uma alma amiga. Essas
são alavancas que podem nos catapultar para o meio do vale.
Como saímos do vale?
Eis do que precisamos principalmente saber: nós não saímos do
vale: nós somos tirados de lá.
Assim, como lemos na Bíblia, este resgate é uma intervenção
amorosa de Deus. Precisamos, portanto, confiar num Deus que
intervém.
Também precisamos reconhecer que estamos no vale. Não é ta-
refa fácil esta admissão. Assumir nossa própria impotência exige
coragem. Qual jogador ou técnico admite que seu time perdeu por-
que jogou pior e não porque o juiz errou num lance?
Admitindo que chegamos ao vale e confiando que podemos ser
tirados de lá, estaremos prontos para deixar Deus agir.
Pararemos de nos agitar e fixaremos nossos olhos no Autor e
Realizador de nossa fé. Nossas forças deixarão de ser drenadas e
ficaremos menos cansados. No vale o esforço só nos extenua.
Não se trata de uma apologia à inércia.
Deus nos dá a mão e espera que levantemos a nossa mão em sua
direção e isto não é pouco.
A mão estendida da graça aguarda a mão da aceitação, para co-
meçar a operação de resgate.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 109.30-31 e Ezequiel 37 a 38
“Ajuda-me, ó SENHOR, meu Deus! Salva-me por causa do amor que
tens por mim. Em voz alta, darei graças a Deus, o SENHOR; eu o lou-
varei na reunião do povo porque ele defende o pobre para salvá-lo da-
queles que o condenam à morte”. (Salmo 109.30-31)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 277 29/09/2015 18:06:10


Caminhar por si mesmo é dizer: ‘Eu creio em mim’.

SETEMBRO
19 Caminhar pela fé é dizer: ‘Eu creio em Deus’.
Charles Spurgeon

Mais que uma aposta


Por vezes, entramos numa viagem que não sabemos como terminará.
Pode ser uma viagem para um novo destino geográfico, como uma
transferência para um outro país. Fizemos a nossa parte, pensando,
planejando e partindo. Como seremos realmente recebidos? Como
nos adaptaremos? Como sobreviveremos materialmente? Como
conviveremos com a saudade? Só teremos as respostas no futuro.
Pode ser a escolha insensata de um filho ou filha, cônjuge ou irmão.
A vida lhe pertence, mas nós a gastaríamos de outra maneira. Se
ainda pudermos aconselhar, aconselharemos. Seremos ouvidos? Em
todas as horas, oraremos. Seremos atendidos? Em todo o tempo, es-
peraremos. Voltará? Para saber, precisaremos aguardar dias e noites.
Pode ser a chegada próxima de um bebê que o nosso ventre aco-
lheu. Em meio a sorrisos, nós lhe demos um nome. Será registra-
do? Cuidadosamente, tomamos as providências para que venha
saudável. Chegará? A maternidade se faz na espera.
Começamos um tratamento contra uma doença com alto índice
de letalidade. Preocupados, seguimos todas as orientações recebi-
das, submetendo-nos a passar por cirurgias delicadas e dolorosas e
a tomar remédios pesados e perigosos. Viveremos?
A fé nos faz apostar no futuro que desejamos. A fé nos faz ver um
tempo diferente do presente. A fé é o canal pelo qual flui a esperan-
ça, que navega num rio de possibilidades e de impossibilidades. Na
verdade, hoje não sabemos como será o nosso amanhã.
No meio das incertezas sobre a nossa existência, de uma coisa
podemos ter absoluta convicção: Deus está conosco hoje e continu-
ará conosco sempre. Nem mesmo a morte — que não desejamos —
nos separará do amor dele, que alegria imensa nos traz. E esta não
é apenas uma aposta, que não sabemos se ganharemos ou perdere-
mos. Nós já ganhamos. Nós já ganhamos o amor de Deus. Aleluia!
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 110 e Ezequiel 39 a 40
“O Eterno deu sua palavra e não voltará atrás. (...) O Senhor estará
sempre ao seu lado”. (Salmo 110.4-5)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 278 29/09/2015 18:06:10


A fé cresce quando é alimentada.

SETEMBRO
20 Fica forte e ousada quando é testada.
Tracie Peterson

Quem é que
realmente vence
A vitória é para os fortes — pensam alguns.
Os fracos — os fracos de caráter, os fracos de força, os fracos de
emoções, os fracos de sabedoria — jamais vencem — concluem
outros. Os chamados fortes já nasceram fortes. Por isto, não é re-
volucionária a sua vitória.
No entanto, os verdadeiros vitoriosos são os feridos, os magoa-
dos, os abusados, os desamparados, mas não todos.
Os verdadeiros vitoriosos são os feridos, os magoados, os abusa-
dos, os desamparados que olham para o Alto e gritam:
— Estou cansado, Senhor. Vem me socorrer.
Mas, os verdadeiros vitoriosos são os feridos, os magoados, os
abusados, os desamparados que, vendo as mãos de Deus estendi-
das em sua direção, se deixam acolher e orientar por elas.
Os verdadeiros vitoriosos são os feridos, os magoados, os abusa-
dos, os desamparados que caminham em busca da superação.
Os verdadeiros vitoriosos são os pobres que Deus enriquece, os
chorosos que Deus conforta, os humildes que Deus dignifica, os
desrespeitados para quem Deus sorri, os que rejeitam a violência
confiantes no cuidado de Deus, os que Deus corrige, os titubeantes
que Deus conduz, os que decidem aceitar a graça de Deus, os que
querem ser realmente limpos e os que amam profundamente a paz.
Os verdadeiros vitoriosos são os feridos, os magoados, os abu-
sados, os desamparados que se dispõem a pagar o preço, o preço
de confiar em Deus e nos seus companheiros de jornada, para uma
vida de serenidade, coragem e sabedoria modelada a cada dia, um
dia de cada vez, uma vitória de cada vez.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 111.1-6 e Ezequiel 41 a 42
“Aleluia! Na reunião do povo eu louvarei a Deus, o SENHOR, com todo o
meu coração, junto com os que lhe obedecem”. (Salmo 111.1)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 279 29/09/2015 18:06:10


A paz. Procura-a. Mas uma paz que te trespasse

SETEMBRO
21 todo e não a que te descanse apenas a superfície como
a um pedinte que dorme num banco de jardim.
Vergílio Ferreira

A favor da cultura da paz


(Dia Internacional da Paz)
Contra a cultura da guerra e a favor da cultura da paz.
1. Acredite no que Jesus diz quando nos chama a sermos paci-
ficadores. Deseje ser um pacificador. Ame a vida — a sua e a dos ou-
tros — nunca a morte. “Bem-aventurados os pacificadores, porque
serão chamados filhos de Deus” (Mateus 5.9).
2. Aparte brigas. Não estimule as lutas corporais, gestuais ou verbais.
3. Consuma produtos de paz. Não consuma produtos (livros, fil-
mes, programas de televisão) que exaltem a força ou a brutalidade,
como jogos de guerra, lutas sangrentas entre pessoas.
4. Use suas palavras para abençoar. Se vier o desejo de maldizer,
peça a Deus a virtude do silêncio.
5. Argumente. Não grite. Não levante a mão contra o outro. Uma
vitória obtida no grito hoje será derrota amanhã.
6. Valorize a igualdade entre os seres humanos e sua diversidade.
Não humilhe as pessoas.
7. Eduque seu temperamento. Se ele for explosivo, ponha-se na
academia de Jesus, para abrandá-lo. Ponha sua força a serviço dos
fracos. Quando se irar, não peque.
8. Com realismo, olhe para você mesmo, a partir dos olhos de Jesus para
com você. Não ceda a modismos que preconizem a eliminação das
pessoas indesejáveis, como o da frase: “Bandido bom é bandido mor-
to”. Éramos todos bandidos até a cruz nos tirar da cadeia. A pena de
morte contra nós foi extinta, graças a Deus. Não concorde que “o den-
te por dente” seja a sua ideologia, nem que “a lei do talião” seja a sua.
9. Avalie seu modo de ser para com os outros. Se alguém diz que
você é rude, você é rude. Deseje ser suave.
10. Entre a verdade e o amor, fique com o amor, que nunca exclui a
verdade.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 111.7-8 e Ezequiel 43 a 44
“Ele é fiel e justo em tudo o que faz; todos os seus mandamentos mere-
cem confiança”. (Salmo 111.7)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 280 29/09/2015 18:06:10


Nós argumentamos com nosso cônjuge, juramos nossa

SETEMBRO
22 inocência ou colocamos a culpa nele. Nós vamos mal
na escola e culpamos o professor. Ficamos irados
porque ‘o chefe é impossível’. Cada vez que fazemos
isto, negamos nossa responsabilidade e nossos erros.
Bruce Narramore

A bem-aventurança
da tolerância
Diante das atitudes de pessoas que têm posições, ideologias e cren-
ças diferentes das nossas, precisamos desenvolver a bem-aventu-
rança da tolerância. Essas pessoas conviveram com pessoas que
reforçaram e reforçam o seu modo de existir.
Essas pessoas são os outros em relação a nós. Mas então nos lembra-
mos que nós podemos ser os outros deles, isto é, eles podem nos ver
como sendo os seus outros. Nesse caso, como outros deles, nós que-
remos ser respeitados. Devemos analisar aquilo que nós pensamos,
cremos e fazemos, sabendo o porquê, como, o que acontece conosco
nessa perspectiva. Se for o caso, devemos ter a coragem de mudar,
quando tomamos conhecimento de ideias e práticas diferentes das
nossas e que entendemos serem melhores, serem verdadeiras, se-
rem mais corretas. Em toda e quaisquer circunstâncias, precisamos
respeitar àqueles que conjugam os seus verbos com outros paradigmas.
E uma boa maneira, nesta prática, é simplesmente conviver com
os que pensam, com os que creem, com os que fazem diferente-
mente de nós as coisas. A convivência não aprofunda as diferenças,
a convivência as suaviza. Por isso, cada um de nós deve se empe-
nhar em defender àquele que pensa ou age diferente da gente.
Não podemos cair na vala comum do relativismo, em que tudo
está certo. Porque há coisas que não estão certas. O critério é ver
se o pensamento em questão, a fé esposada, a prática vivida, gera
vida. Porque nós temos que ser contra o que produz morte, tanto
do lado do outro como também do nosso lado.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 111.9-10 e Ezequiel 45 a 46
“Para ser sábio, é preciso primeiro temer a Deus, o SENHOR. Ele dá
compreensão aos que obedecem aos seus mandamentos. Que o SE-
NHOR seja louvado para sempre!”. (Salmo 111.10)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 281 29/09/2015 18:06:10


Cuidado implica um modo-de-ser mediante

SETEMBRO
23 o qual a pessoa sai de si e se centra no outro
com desvelo e solicitude.
Leonardo Boff

Um bom troféu (2/2)


Quando o amargo visa a doçura, o duro quer a suavidade, o viciado
aspira a liberdade, o pessimista namora o otimismo, o murmura-
dor almeja ser grato, o pecador se alegra diante da perspectiva pes-
soal da santidade, o primeiro passo está sendo dado.
O primeiro passo é apenas o primeiro passo, mas não haverá os
outros se não for dado o primeiro. Não é fácil dar o primeiro passo.
É uma renúncia ao estilo de vida até então predominante. É uma
humilhação ocorrida dentro do coração; só a gente a vê, mas dói
como o admissão de um fracasso. Dê o primeiro passo.
Deixe de ver seu estilo de vida como imutável, se ele o afasta das
pessoas. Você pode ser doce. Pare de colocar a culpa no passado,
por mais assombroso que seja. Você pode ser livre. Deixe de se do-
brar ao peso do seu corpo que lhe dita um rosto sempre fechado.
Você pode ser suave. Recuse-se a aceitar como naturais as algemas
postas sobre os seus braços para lhe impedir de levantar as mãos
para agradecer. Abandone a trilha formada pelas palavras pesadas.
Você pode andar limpo, com roupas claras.
Dado o primeiro passo, o fuso horário adquirido na viagem de-
saparecerá. Com o tempo, a velha vida ressentida perderá o sabor.
Uma prova virá do testemunho dos amigos:
— Como você mudou!
Mudar é o melhor troféu, se é a vitória que desejamos e decidi-
mos para nós.
Para vencer no esporte, por exemplo, não basta “a determina-
ção”, de que tanto falam técnicos e jogadores, mas começa com ela.
Se acreditarmos que mudar é possível e se entendermos que mu-
dar nos é necessário, podemos saber que temos a companhia do Es-
pírito Santo nos segurando pela mão para darmos os outros passos.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 112.1-4 e Ezequiel 47 a 48
“Aleluia! Bem-aventurado o homem que teme ao SENHOR e se com-
praz nos seus mandamentos”. (Salmo 112.1)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 282 29/09/2015 18:06:11


Sem saber o que eu sou e porque

SETEMBRO
24 estou aqui, a vida é impossível.
Lev Tolstoy

A graciosa natureza
da generosidade
Generosidade é olhar o outro como o outro gostaria de ser olhado.
Generosidade é deixar de olhar apenas para si e olhar para os lados
e para cima.
Generosidade é tomar a iniciativa de fazer o bem, de começar
uma conversa, de oferecer um braço amigo. Generosidade é dividir
o que tem, mesmo que vá lhe faltar. Generosidade é retribuir, mas
também oferecer sem esperar retribuição.
Generosidade é inspecionar o que vai doar para ver se vai fazer
mesmo bem ao outro. Generosidade é procurar palavras que levan-
tem o desanimado, alegrem o triste e fortalecem o enfraquecido.
Generosidade é telefonar para dizer “bom dia” ou para oferecer os
préstimos. Generosidade é ceder a vez, mesmo que tenha chegado
primeiro. Generosidade é estudar com o colega a matéria que já sabe.
Generosidade é pôr a mesa quando o outro não está esperando.
Generosidade é arrumar a cama de manhã, para que o outro não se
atrase. Generosidade é preparar o café, de surpresa. Generosidade
é levar o cachorro para passear, mesmo que não seja sua tarefa. Ge-
nerosidade é pôr no carrinho de compras aquilo que o outro gosta.
Generoso é quem faz além do que se espera dele. Generoso é
quem não depende da reciprocidade. Generoso é quem não é dono
da verdade.
Generoso é quem não tem a cara amarrada, pronta para a briga,
mesmo aquela que jamais acontecerá. O generoso não briga. Gene-
roso é quem, embora tendo todas as razões, não é amargo. Generoso
é quem trata a todos como irmãos, mesmo que desconhecidos.
Generoso é quem não ostenta. Generoso é quem sabe que o me-
lhor da vida não se compra; recebe-se. Generoso é quem sabe que
tem o que tem porque recebeu de graça.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 112.5-10 e Eclesiastes 1 a 2
“Feliz é o homem que empresta com generosidade e que com honestida-
de conduz os seus negócios”. (Salmo 112.5)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 283 29/09/2015 18:06:11


A coisa mais importante que está sendo

SETEMBRO
25 dito agora mesmo é algo que Deus está dizendo;
coisas maravilhosas estão sendo feitas e ditas
agora mesmo. Olhe. Escute.
Eugene H. Peterson

O que fazer com o tempo


Há três coisas que, observados os desvios das variáveis, estão sob o
nosso controle: o tempo, o dinheiro e o poder.
Quando nascemos, recebemos o tempo, que não sabemos quan-
do durará. Embora não a conheçamos, a duração existe.
Este tempo é fracionado e esta fração podemos conhecer.
Conhecendo esta dimensão fracionada (horas, dias, meses,
anos), podemos decidir o que fazer com ele.
Podemos, por exemplo, deixá-lo correr, como se nos dominasse.
Podemos, por outro lado, tentar apressar a sua velocidade, como
se fosse possível.
Podemos controlá-lo.
É sábio quem controla o seu tempo, sobretudo a porção de 24 horas.
O controle do tempo demanda cuidado com as prioridades, para
dedicarmos mais tempo às coisas mais importantes.
O fato de não determinarmos completamente as coisas mais im-
portantes (como o tempo obrigatório ao trabalho e suas deman-
das) não nos exime de precisarmos organizar as que nos cabem
segundo as prioridades que elegemos.
Hierarquizar prioridades requer sabedoria. Se a pedirmos a
Deus, Ele nos dará.
Entre as prioridades, deve estar dar atenção ao outro, desde
aquele que precisa apenas de atenção àquele que espera um pouco
mais, porque espera afeto.
O modo como priorizamos o nosso tempo abre ou fecha portas
de amizade.
O tempo pode ser nosso aliado. Não precisa ser sempre nosso
adversário e nem mesmo um canal a drenar as nossas energias.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 113.1-4 e Eclesiastes 3 a 4
“Desde o nascer até o pôr do sol, que o nome do SENHOR seja louva-
do!”. (Salmo 113.3)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 284 29/09/2015 18:06:11


O insensato procura a felicidade longe,

SETEMBRO
26 mas o sábio faz com que cresça sob os seus pés.
James Oppenheim

Desfrutando a vida
O dinheiro não nos faz diferentes do que somos, já que nada leva-
remos desta vida. Quando vamos ao cemitério, compreendemos
esta verdade. Os familiares podem até fazer jazigos suntuosos,
mas seu morto não é diferente do morto da cova simples.
Nossa prioridade deve ser a vida eterna (1Timóteo 6.7, 11, 12),
porque é grande fonte de lucro a piedade associada ao contenta-
mento (1Timóteo 6.6).
O contrário de humildade, em relação ao dinheiro, é cobiça. O
contrário de cuidado, em relação ao dinheiro, é ingenuidade ou
descuido.
A cobiça produz o desejo de se ter cada vez mais dinheiro. O re-
sultado é a exaltação do ego e do luxo material, que provoca o des-
vio da fé e a eclosão de muitas dores.
A ingenuidade leva a afirmação de que o dinheiro não traz felici-
dade. Se não trouxesse, ninguém se matava e matava outrem por
ele. Vamos ser honestos: ter dinheiro é muito bom. É fantástico
não ter preocupação com a duração do mês. É fantástico não preci-
sar fazer canhoto de cheque. É ótimo não ter que fazer orçamento.
É bom poder comprar o que nós ou nossos filhos querem.
Devemos ter muito cuidado com o fato de que dinheiro é algo
muito bom, especialmente quando o temos. Devemos fugir das fa-
cilidades que o dinheiro traz, facilidades que nos levam à injustiça,
incredulidade, ódio, inconsequência e ansiedade (1Timóteo 6. 11).
Nossa luta não é pelo dinheiro que se gasta, mas pela vida eterna,
que não enferruja (1Timóteo 6.12).
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 113.5-9 e Eclesiastes 5 a 6
“Deus faz com que a mulher que não tem filhos seja respeitada no seu
lar e a torna feliz, dando-lhe filhos. Aleluia!”. (Salmo 113.9)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 285 29/09/2015 18:06:11


Às vezes, sua alegria é a fonte do seu sorriso,

SETEMBRO
27 mas às vezes seu sorriso é a fonte da sua alegria.
Thich Nhat Hanh

O prazer da mesa
Nem todos os hábitos são bons.
Nem todos os hábitos são ruins.
Comer — entendido como estar à mesa, em casa ou num restau-
rante para se alimentar — é prazer que será maior com o hábito.
Então, entre tantos pratos, escolha os que gosta. Dentre os que
gosta, prefira os mais saudáveis.
Em casa, procure comer sempre nos mesmos horários. No res-
taurante, opte pelos mais limpos. Coma quando estiver com fome,
mas coma também quando não estiver. A disciplina nos horários é
uma boa educação porque também produz saúde.
Habitue-se a experimentar receitas novas. Não coma sempre as
mesas coisas. Diminua a quantidade, aumente o sabor.
Evite o desperdício. Ponha no prato o que vai comer. Não force
para comer além do que consegue. Não deixe comida no prato, para
ser jogada no lixo. Em casa, guarde bem acondicionado o que so-
brar, para comer depois ou para doar.
Comer é um dos verbos que conjugamos com mais dificuldades.
O predomínio do princípio do prazer nos leva para hábitos que, a
longo prazo, nos tiram o prazer de comer. Comer muito é prazero-
so hoje, mas nocivo amanhã. Comer depressa é incontrolável hoje,
mas amanhã cobrará seu preço. Comer em horários irregulares en-
fraquece o corpo.
Na escola devia ter uma disciplina que nos ensinasse a comer.
Exagero à parte, somos também o que comemos.
A comida à mesa é um dom de Deus, não apenas para a nossa
sobrevivência, mas para nosso prazer.
Para ler HOJE na Bíblia: Salmo 114 e Eclesiastes 7 a 8
“Trema, ó terra, na vinda do Senhor, na presença do Deus de Jacó,
pois ele faz com que as rochas virem fontes e transforma as pedras em
fontes de água”. (Salmo 114.7-8)

Bom_dia_amigo_2016_PROVA_FINAL.indd 286 29/09/2015 18:06:11


Há coisas que a gente aprende na calma

SETEMBRO
28 e outras na tempestade.
Willa Cather

Calma na hora certa


Uma pessoa calma vive uma vida equilibrada.
Uma vida equilibrada não é uma vida estacionada, que faz as
mesmas coisas do mesmo jeito sempre. Antes, é uma vida que
avança além da velocidade, não em termos de perigo, mas em ter-
mos de criatividade, ousadia, coragem e realização.
Uma vida equilibrada não é uma vida que foge do convívio, que
evita se expor, que evita falar. Antes, uma vida equilibrada é uma
vida comedida no falar, porque “quem controla as suas palavras é
sábio, e quem mantém a calma mostra que é inteligente. Até um
tolo pode passar por sábio e inteligente se ficar calado” (Provérbios
17.27-28).
Uma vida equilibrada não é uma vida atemorizada, acuada, ca-
bisbaixa. Antes, uma vida equilibrada é a vivida por alguém que
sabe que recebeu esse dom do próprio Deus” (Tiago 1.